Issuu on Google+

“É para a liberdade que Cristo nos libertou.” (Gl 5,1)

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2014

Fraternidade e Tráfico Humano “É para a liberdade que Cristo nos libertou.” (Gl 5,1)


Caro(a) professor(a), Selecionamos alguns títulos de nossos catálogos de Literatura Infantil, Juvenil e Livros Informativos para auxiliar o seu trabalho em sala de aula a partir do tema e do lema da Campanha da Fraternidade 2014:

Fraternidade e Tráfico Humano “É para a liberdade que Cristo nos libertou.” (Gl 5,1)

Livro em formato digital

PNLD FNLIJ

Programa Nacional do Livro Didático Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil


A Campanha da Fraternidade de 2014 tem como objetivo o esclarecimento e o estímulo à reflexão sobre o tráfico de pessoas em suas diferentes maneiras. Incentivar o interesse dos cristãos pelo assunto é também uma forma de visualizar, a partir de uma lente de aumento, uma situação de violência amplamente praticada que, porém, não recebe a devida atenção. O tráfico acontece quando a pessoa tem sua integridade violada. Essa vítima fica iludida com as oportunidades oferecidas pelos aliciadores, sai ou é retirada do lugar onde mora (seja casa, cidade ou até o país) e perde seu direito de ir e vir; os traficantes tomam os documentos das vítimas e inibem qualquer ação por meio de violência. Além disso, amigos e familiares da pessoa traficada também sofrem ameaças. Os tráficos de pessoas podem ser divididos em quatro categorias: para trabalho sexual, trabalho escravo, serviços forçados e remoção de órgãos. A campanha quer chamar a atenção para um problema sério e, por sua vez, trazer o conhecimento dessa situação a todos, ensinar os jovens a identificar possíveis vítimas, não deixar que prevaleça o silêncio, promover ações preventivas e, por fim, cobrar atitudes efetivas das autoridades para reintegração das vítimas na sociedade.

www.editorasaraiva.com.br


“É para a liberdade que Cristo nos libertou.” (Gl 5,1)


“É para a liberdade que Cristo nos libertou.” (Gl 5,1)

Literatura Infantil 1 é 5, 3 é 10!

O Negrinho do Pastoreio

SANTUZA ABRAS Ilustrações: Cláudio Martins

SONIA JUNQUEIRA Ilustrações: Anna Göbel

FORMATO | 30 x 15 CM | 12 PÁGS.

Texto em versos, metrificado e rimado, sobre o dia a dia de um menino do morro que desce para a cidade e trabalha como camelô, engraxate, vendedor ambulante...

ATUAL | 19 x 21 CM | 24 PÁGS.

A PARTIR DO 3O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL A PARTIR DO 3O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

FNLIJ – Altamente recomendável para crianças

Floriana e Zé Aníbal no Rio do “Bota-Abaixo” na época da República

Zumbi, o menino que nasceu e morreu livre JANAÍNA AMADO Ilustrações: Gilberto Tomé

MARIA JOSÉ SILVEIRA Ilustrações: Angelo Abu

FORMATO | 19,5 x 25,5 CM | 16 PÁGS.

FORMATO | 18 x 23 CM | 56 PÁGS.

A PARTIR DO 4O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL FNLIJ – Acervo básico / Livro informativo

Lá nos pampas gaúchos vivia um fazendeiro muito rico e muito mau. Também morava na fazenda um escravo pretinho, a quem todos chamavam de Negrinho, que cuidava do cavalo Baio, o preferido do fazendeiro. Um dia, disputando uma corrida com o cavalo árabe de um vizinho, alguma coisa assustou o Baio, e o outro animal foi o vencedor. O Negrinho foi chicoteado e levado para uma colina, onde ficaria tomando conta dos cavalos da fazenda. Os cavalos fugiram, e o pobre menino foi castigado de novo até a morte. Mas, quando todos o davam por morto...

O livro trata do cotidiano de duas crianças no Rio de Janeiro, no começo do século XX. Floriana é branca, filha de pai abolicionista e republicano; José Aníbal é mulato, criado por uma ex-escrava, lavadeira na casa de Floriana. Os dois, a princípio, não gostavam um do outro, mas acabam se tornando grandes amigos. O livro mostra também o início da modernização urbana do Rio de Janeiro e um primeiro embrião das favelas.

Ilê Aiê – Um diário imaginário

A PARTIR DO 4O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Ele havia nascido livre. Corria solto pela mata, subia em árvores, lutava capoeira e empinava pipas coloridas. Um dia, porém, foi capturado. Levado para longe de tudo e de todos, para um lugar totalmente desconhecido. No entanto, esse menino nunca se esqueceu de sua gente. Logo que teve uma chance, ele fugiu. Por meio da história de Zumbi dos Palmares, acompanhamos a história de um povo contra a escravidão e sua luta incansável pela liberdade. Um dia, o menino que nasceu livre, que foi capturado e que mesmo assim voltou para seu povo, lutando até o fim, se tornaria o líder pelo respeito ao ser humano e pela preservação dos valores pessoais.

FRANCISCO MARQUES Ilustrações: Demóstenes Vargas FORMATO | 20 x 24 CM | 20 PÁGS.

A PARTIR DO 5O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL FNLIJ – Acervo básico / Livro informativo

Diário (imaginário, como informa o subtítulo) de um homem negro, estruturado em sete momentos: na tribo, em Angola, em 1845; num navio negreiro, em 1850; em Pernambuco, em 1855; na Bahia, em 1865; em Minas (1875); em São Paulo (1882); e, finalmente, numa favela no Rio de Janeiro, em 1938, aos 50 anos da Lei Áurea. São momentos-chave da História do negro no Brasil, da escravidão aos dias de hoje.

5

www.editorasaraiva.com.br


CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2014

Fraternidade e Tráfico Humano

Literatura Juvenil Nó na Garganta

O Que é Que Eu Posso Fazer?

MIRNA PINSKY Ilustrações: Andréa Ramos

TÂNIA ALEXANDRE MARTINELLI Ilustrações: Marcelo Martins

ATUAL | 15,2 x 22,4 CM | 88 PÁGS.

A PARTIR DO 6O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Tânia tem 10 anos. Seus pais decidiram trocar a vida pobre e difícil da cidade grande por uma nova oportunidade no litoral, como caseiros na casa de dona Matilde. No novo ambiente, Tânia aprende e inventa novas brincadeiras, faz novos amigos, mas sofre muito preconceito pelo fato de ser negra. Ao mesmo tempo, entretanto, vai nascendo dentro dela uma vontade de mostrar às pessoas sua verdadeira personalidade.

ATUAL | 15,2 x 22,4 CM | 120 PÁGS.

Naquela noite, o ônibus em que Thiago se encontra é assaltado por dois jovens. Um deles é morto por um policial à paisana que estava entre os passageiros e o outro é preso. Após presenciar tanta violência, Thiago passa a se questionar sobre o que poderia ser feito para que outros meninos não tivessem o mesmo destino dos dois assaltantes. A PARTIR DO 6O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

O Rei da Rua

Mande Notícias do Egito

JORGE FERNANDO DOS SANTOS Ilustrações: Marco Aragão

EDUARDO GARRAFA Ilustrações: Joel Lobo

ATUAL | 15,2 x 22,4 CM | 96 PÁGS.

A PARTIR DO 6O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Onde há garotos, há turma. Onde há uma turma, há outra, a dos adversários. Quem é o melhor? Quem manda? Esta obra fala de um momento em que a gente está deixando de ser criança, entrando na adolescência, e, para se impor, escolhe entre adotar a brutalização dos sentimentos ou, quem sabe, um tipo muito especial de coragem — que não provoca, que não faz alarde, mas que se consolida no sereno enfrentamento dos desafios.

ATUAL | 15,2 x 22,4 CM | 144 PÁGS.

A PARTIR DO 7O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Um Sopro de Esperança ROGÉRIO ANDRADE BARBOSA Ilustrações: Rogério Borges SARAIVA | 13,8 x 20,8 CM | 64 PÁGS.

Rafael é um perito em artes marciais e em desarmamento de minas antipessoais. Em Manaus, descobre pistas que o levam à sua irmã Adriana, há anos desaparecida. O rapto de crianças, a prostituição infantil e outras questões — tráfico de drogas, fanatismo religioso, pobreza, preconceito — são discutidos nesta narrativa. A PARTIR DO 8O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

www.editorasaraiva.com.br

6

Mesmo sem nunca se verem pessoalmente, Milena e Hisham conversam todos os dias sobre suas famílias, seus amigos e amores. Ela mora no Brasil, e ele, no Egito. Uma tragédia torna real uma amizade antes restrita à internet. Com a morte dos pais de Hisham, ele fica sob a guarda de uma tia autoritária. Desesperado, o garoto foge de casa e embarca num avião para o Brasil. Apesar de as autoridades tentarem deportá-lo, Hisham consegue ficar temporariamente sob a tutela do pai de Milena. Surpreso com os costumes brasileiros, ele aproveita a chance para conhecer tudo o que pode de um país muito diferente do seu. Milena também aprende com essa experiência que a vida aqui não é tão diferente da vida no Egito. Mas quanto tempo eles realmente têm juntos?


“É para a liberdade que Cristo nos libertou.” (Gl 5,1)

Literatura Juvenil O Navio Negreiro e outros poemas

Da Costa do Ouro

CASTRO ALVES

RAIMUNDO MATOS DE LEÃO Ilustrações: Rogério Soud

SARAIVA | 13,8 x 20,8 CM | 200 PÁGS.

SARAIVA | 13,8 x 20,8 CM | 80 PÁGS.

Algumas décadas antes da abolição da escravatura no Brasil, a família de Mariana, neta de escravos alforriados, cultuava os orixás, seguindo sua religião, o candomblé. Fortunato, o namorado de Mariana, era praticante da religião muçulmana. O namoro não era bem visto pela família, ainda mais porque Fortunato fazia parte do grupo que organizava a Revolta dos Malês (1835).

Um dos mais populares poetas do Romantismo brasileiro, Castro Alves denuncia, em O Navio Negreiro, a lamentável situação a que eram submetidos os escravos ao longo da travessia oceânica.

A PARTIR DO 8O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

A PARTIR DO 8O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Prêmio Adolfo Aizen

O Sol da Liberdade

Onde o Céu Acontece

GISELDA LAPORTA NICOLELIS Ilustrações: Mozart Couto

SÔNIA BARROS Ilustrações: Ivan Coutinho

ATUAL | 15,2 x 22,4 CM | 160 PÁGS.

ATUAL | 15,2 x 22,4 CM | 72 PÁGS.

Esta obra conta a emocionante saga de várias gerações da família de Ajahi, um príncipe africano que veio para o Brasil em um navio negreiro. Por meio do olhar da autora, vemos desenrolar a História do Brasil desde 1825 até 1985, tendo como foco a inestimável contribuição dos negros na formação da sociedade brasileira.

Fernando é jovem, não sabe direito o que quer da vida, tem problemas de relacionamento com o pai, sofreu muito a perda do tio. O que ele pode fazer? Ele pode ficar quieto, sentado no sofá de casa diante da televisão. Fernando, no entanto, toma uma atitude mais interessante: resolve fazer uma viagem pra dentro de si mesmo, enquanto sai de bicicleta durante as férias. Dessa maneira, ao pedalar pela cidade, ele entra em contato com a bondade e com a maldade, consigo mesmo e com muitas outras pessoas e situações.

A PARTIR DO 9O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

A PARTIR DO 9O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Sumidouro das Almas JORGE FERNANDO DOS SANTOS Ilustrações: Angelo Abu ATUAL | 15,2 x 22,4 CM | 168 PÁGS.

A PARTIR DO 9O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Um destino traçado à bala. Ainda menino, Faustino se vê frente a frente com a crueldade quando seu pai é assassinado a mando de um grileiro da região onde moram. A cena de violência e o sentimento de perda vão acompanhá-lo por toda a vida, incitando-lhe o desejo de vingança. No garimpo, de posse de uma bela pedra, Faustino pensa ter encontrado um meio de recuperar as terras arrebatadas de sua família. Contudo, a cobiça impõe-lhe uma nova perda e o obriga a tomar um perigoso caminho. Um caminho sem volta. Em sua 2a edição revista, Sumidouro das Almas aprimorase. Faustino, corruptela de Fausto, alude ao antigo mito alemão, cujo protagonista vende a alma ao

7

diabo em troca de benesses na vida terrena. O tema do pacto é mais comum do que se pensa. A obra explora as mazelas do sertão, expondo com maestria as penúrias psicológica e social do norte de Minas Gerais em meados do século XX. As descrições realistas da atmosfera regional remetem à densidade literária de autores como Érico Verissimo, Guimarães Rosa e Graciliano Ramos, influências confessas de Jorge Fernando dos Santos. A riqueza da obra completa-se com as referências aos filmes de faroeste, ao Cinema Novo, a Dom Quixote de la Mancha e à literatura de cordel, poesia popular nordestina impressa em folhetos rústicos que geralmente narram grandes pelejas.

www.editorasaraiva.com.br


CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2014

Fraternidade e Tráfico Humano

Livros Informativos

A PARTIR DO 7O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Debret – Cenas de uma sociedade escravista

A Escravidão no Brasil Colonial

RAYMUNDO CAMPOS

GLÓRIA PORTO KOK

ATUAL | 17 x 24 CM | 80 PÁGS.

SARAIVA | 21 x 28 CM | 48 PÁGS.

Jean-Baptiste Debret, artista francês, veio ao Brasil como convidado da Missão Francesa. A imagem que formamos do Rio de Janeiro do início do século XIX muito se deve à obra dele. Em suas telas, ficou registrado o cotidiano de escravos, mercadores, homens e mulheres brancos, índios e mulatos. Sob um olhar por vezes preconceituoso, mas bastante sensível, Debret retratou cenas familiares, festas, castigos e punições, coerências e contrastes dessas terras.

Com base em minuciosa pesquisa e documentos da época, Glória Porto Kok trata de um tema polêmico, cujas marcas são até hoje sentidas na sociedade brasileira: a escravidão de negros e índios na América portuguesa. A autora discute vários aspectos da questão, fazendo referência aos diferentes conflitos culturais gerados pela mentalidade escravista.

A PARTIR DO 7O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

ISTA EDIÇÃO REV DA E ATUALIZA

Imigrantes no Brasil do Século XIX EDILENE TOLEDO E JEFFERSON CANO

www.editorasaraiva.com.br

ARTUR JOSÉ RENDA VITORINO

ATUAL | 21 x 28 CM | 48 PÁGS.

ATUAL | 21 x 28 CM | 40 PÁGS.

Este volume apresenta aspectos da vivência dos imigrantes portugueses, alemães, espanhóis, italianos e suíços, que vieram ao Brasil no século XIX em busca de uma vida melhor. Esse tema insere-se na saga dos trabalhadores brasileiros em geral, que sonham com uma vida digna.

No Brasil da segunda metade do século XIX, ocorreu um processo de difusão do progresso técnico, gerando nessas terras uma particular contradição: coexistiam a escravidão e o processo de modernização baseado nas indústrias, as quais exigiam mão de obra assalariada.

A PARTIR DO 7O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

A PARTIR DO 8O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Escravidão e Modernização no Brasil do Século XIX

A PARTIR DO 7O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Mulher e Família na América Portuguesa

O Escravismo Antigo

LUCIANO FIGUEIREDO

ATUAL | 14 x 21 CM | 104 PÁGS.

ATUAL | 14 x 21 CM | 112 PÁGS.

Por que em Roma e na Grécia foram utilizados escravos nas atividades produtivas? Quais são as diferenças entre o escravismo antigo e o praticado na era moderna? Com uma abordagem crítica e objetiva, este livro expõe as características do trabalho escravo na Antiguidade ao mesmo tempo que proporciona uma profunda reflexão sobre a busca da liberdade.

Segundo este livro, no Brasil Colônia pode estar a origem de vários modelos de constituição familiar (e não só a família patriarcal), em que mulheres, recusando-se à submissão, atuaram de forma decisiva na organização da família e da sociedade em geral. Por meio do resgate de cenas e situações reunidas por historiadores nos últimos anos, essa obra procura mostrar de que maneiras a família e a mulher estiveram presentes nos primeiros séculos de formação do nosso país.

MÁRIO MAESTRI

A PARTIR DO 8O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

8


“É para a liberdade que Cristo nos libertou.” (Gl 5,1)

Livros Informativos Migrações: Da perda da terra à exclusão social

ISTA EDIÇÃO REV DA E ATUALIZA

ANA VALIM

EDSON BORGES, CARLOS ALBERTO MEDEIROS E JACQUES D'ADESKY

ATUAL | 17 x 24 CM | 56 PÁGS.

A PARTIR DO 8O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Esta obra é leitura obrigatória para todos aqueles que se interessam pelo assunto da migração no Brasil e desejam compreendê-lo. Recomenda-se particularmente aos professores de Geografia do Ensino Médio que buscam levar para a sala de aula uma discussão relevante, uma compreensão das causas e consequências do contrastante fluxo humano que cruza o Brasil. O livro aborda os diversos aspectos das migrações de nordestinos, gaúchos, paulistas e de outros povos brasileiros, movidos pela esperança de uma vida melhor. A jornalista Ana Valim oferece ao leitor um texto interessante ao tratar de um assunto que parece ter lugar garantido no século XXI.

O Escravismo no Brasil

ATUAL | 17 x 24 CM | 80 PÁGS.

A PARTIR DO 8O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

ISTA EDIÇÃO REV DA E ATUALIZA

MÁRIO MAESTRI SARAIVA | 14 x 21 CM | 120 PÁGS.

Em uma narrativa ágil, Mário Maestri apresenta ampla revisão dos três séculos de escravidão em nosso país: o trabalho dos nativos e a diminuição dessa mão de obra, a captura de africanos, o tráfico marítimo em tumbeiros, a exploração dos cativos em diferentes regiões econômicas, o trabalho nas cidades, a brutalidade dos castigos, as resistências. Trata-se de uma obra que aborda os principais aspectos do escravismo no país. A PARTIR DO 8O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

ISTA EDIÇÃO REV DA ZA LI UA AT E

A intolerância, o racismo e o preconceito desafiam a sociedade ao colocarem em questão nossa capacidade de lidar racionalmente com esses problemas. Este é um livro fundamental para todos os interessados em contribuir para a construção de um mundo de paz, no qual as diferenças culturais, étnicas ou religiosas sejam vistas como riquezas, e não mais como elementos ameaçadores.

Meninos de Rua: A infância excluída no Brasil LÍGIA COSTA LEITE ATUAL | 17 x 24 CM | 96 PÁGS.

A PARTIR DO 8O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Povos Indígenas: Terra é vida

Racismo, Preconceito e Intolerância

Lígia Costa Leite demonstra que, desde os tempos da colonização, a "infância desvalida" se faz presente em nossa história. A diferença é que, nos últimos anos, esse problema deixou de ser omitido, uma vez que o modelo das grandes instituições destinadas à "reeducação" de menores, verdadeiros depósitos de crianças e jovens, já não é juridicamente aceito. Neste livro, a autora dá voz aos meninos e meninas de rua, mostrando como eles próprios veem sua realidade e que caminhos apontam para que possam, de fato, se tornar cidadãos.

EGON HECK E BENEDITO PREZIA ATUAL | 17 x 24 CM | 80 PÁGS.

A PARTIR DO 8O ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

O livro destaca aspectos fundamentais sobre as sociedades indígenas: a grande diversidade étnica, linguística e cultural, a distribuição delas pelo território brasileiro, as sucessivas etapas do massacre a que foram submetidas ao longo da história e, especialmente, a luta que travam para garantir o domínio de terras que lhes assegurem a vida e a preservação das suas comunidades. Egon Heck e Benedito Prezia mostram que, apesar de alguns avanços, essa luta continua muito difícil, pois ainda não temos consciência do valor que a terra tem para esses povos.

9

www.editorasaraiva.com.br


“É para a liberdade que Cristo nos libertou.” (Gl 5,1)


Filiais e Revendedores autorizados Aracaju: Bauru: Belém: Belo Horizonte: Brasília: Campinas: Campo Grande: Cuiabá: Curitiba: Florianópolis: Fortaleza: Goiânia: Imperatriz: João Pessoa: Londrina: Macapá: Maceió: Manaus: Natal: Porto Alegre: Porto Velho: Recife: Ribeirão Preto: Rio Branco: Rio de Janeiro: Salvador: Santarém: São Luís: São Paulo: S. J. Campos: S. J. Rio Preto: Serra: Teresina: Uberlândia:

(79) (14) (91) (31) (61) (19) (67) (65) (41) (48) (85) (62) (99) (83) (43) (96) (82) (92) (84) (51) (69) (81) (16) (68) (21) (71) (93) (98) (11) (12) (17) (27) (86) (34)

3211-8266 3234-5643 3222-9034 / 3224-9038 3429-8300 3344-2920 / 2951 3243-8004 / 8259 3382-3682 3632-8898 / 8897 3332-4894 3244-2748 / 3248-6796 3307-2350 3225-2882 / 3212-2806 3072-0409 3241-7085 3322-1777 3223-0706 3221-0825 3633-4227 3211-0790 3371-4001 / 1467 / 1567 3211-5252 / 3211-5254 3421-4246 3610-5843 3244-2241 2577-9494 3381-5854 / 5895 3063-3019 3243-0353 3616-3666 3921-0732 3227-3819 / 0982 3204-7474 3194-2300 3213-5158 / 6555

Central de Atendimento Saraiva Ligue: 0800-0117875 (de 2a a 6a, das 8h30 às 19h30) www.editorasaraiva.com.br atendprof@editorasaraiva.com.br

@editorasaraiva

/editorasaraiva


www.editorasaraiva.com.br


Campanha Fraternidade Saraiva 2014