Page 1

GRUPO

DOIS

The Prince Albert Magazine Food and Travel Issue #2 Julho 2018

A ILHA ESMERALDA CAPA - A ILHA ESMERALDA

ARTE, MÚSICA & CULTURA

Uma pequena ilha, um coração gigante. Terra de lendas, onde o verde brilha mais intensamente.

Christian Pierini: Artista brasileiro vira destaque internacional com obras feitas a partir de lixo eletrônico

ENTREVISTA Chef Edi Marques O Head Chef do The Prince Albert English Pub fala sobre sua tragetória REVISTAS MALAPARADOIS

CHEF GOURMET Receitas de encher os olhos

LUCERNA A cidade. O lago. As montanhas Copyright©2023 - Todos os direitos reservados


The Prince Albert Magazine Food and Travel www.malaparadois.com

GRUPO

DOIS

IssueJulho#2 2018


Olá Viajantes!!! Bem vindos ao mundo das viagens e da gastronomia! Esta edição levará o leitor a uma viagem pela Ilha Esmeralda. A Irlanda e sua beleza natural, sua gente e suas tradições. Vamos viajar também por culinárias populares, requintadas, instigantes e deliciosas. Passaremos por cidades e histórias belíssimas, cultura e lazer. Há muitas maneiras de conhecer a Europa, a The Prince Albert Magazine - Food & Travel lhe oferece o jeito mais gostoso de aproveitar o velho continente. O Editor

GRUPO

DOIS

The Prince Albert Magazine Food and Travel Issue #2 Junho 2018


6 - A Ilha Esmeralda 8 - Entrevista: Chef Edi Marques 20 - Irlanda, A Ilha Esmeralda: Uma terra de beleza rara e tradição milenar Matéria de Luana Mendonça 38 - Chef Gourmet 42 - Lucerna: A cidade. O lago. As montanhas 44 - Arte, Musica & Cultura - Christian Pierini: Artista brasileiro vira destaque internacional com obras feitas a partir de lixo eletrônico 54 - Israel: Negev & Nataya

GRUPO

DOIS


A gastronomia da Europa nas suas mĂŁos! Chef Edi Marques Acessem e conďŹ ram! https://www.chefedimarques.com


The Prince Albert Magazine Food and Travel

A ILHA ESMERALDA Uma pequena ilha, um coração gigante. Terra de lendas, onde o verde brilha mais intensamente e a alegria do seu povo se expressa, orgulhosamente, através da música. Prepare-se para presenciar espantosas paisagens, para se divertir nos animados pubs e para observar bem de perto monumentos que contam histórias que ajudaram a moldar a Ilha Esmeralda e os povos que habitam. Uma viagem onde cada parada, da mais grandiosa à mais discreta, é sinônimo de imagens que jamais esquecerá. Uma oportunidade única para descobrir, a República da Irlanda e a Irlanda do Norte e conhecer o seu espírito e personalidade.

GRUPO

DOIS

8


A República da Irlanda é um país de natureza selvagem e rica, com uma personalidade única. As suas vilas pitorescas são a prova do charme irlandês, as suas cidades, desde Cork a Dublin, combinam um rico património nacional, com todas as comodidades modernas de uma metrópole. E sua vasta paisagem rural oferece história antiga, belos parques nacionais e abundância de falésias costeiras. A Irlanda do Norte, com capital em Belfast está a uma viagem de menos de duas horas de ônibus de Dublin, na Irlanda. A diferença entre um país e outro é nítida. Belfast é visivelmente britânica: das cabines telefônicas aos táxis tradicionalmente ingleses. Enquanto Dublin exala diversão e bebedeira, Belfast é mais conservadora. Essa diferença re ete também no comportamento da população local dizem que as pessoas de Belfast não são tão extrovertidas quanto às de Dublin. Por outro lado, é bom lembrar que quando falamos em irlandeses, sejam de onde forem, é injusto reclamar da recepção desse povo, que é conhecido por receber turistas de braços abertos. Com menos de 2 milhões de habitantes em todo o país, a Irlanda do Norte é dividida em seis condados: Antrim, Armagh, Down, Fermanagh, Derry e Tyrone. A capital Belfast ca dentro do condado de Antrim. Se for para lá, lembre-se de que a moeda é a libra esterlina, e o idioma o cial é o inglês.


ENTREVISTA Chef Edi Marques

Tem que ter paixão para cozinhar Edi Marques, chef de cozinha, autor, escritor, administrador e empreendedor. Conta um pouco de sua trajetória pro ssional e familiar. A gastronomia e toda sua arte serve de inspiração para minha vida. Edi Marques

"Viajar e cozinhar: Simplesmente maravilhoso" – Edi Marques”

GRUPO

DOIS

The Prince Albert Magazine Food and Travel


ENTREVISTA 43 anos, casado, Edi Marques começou sua trajetória ainda uma criança. Aos 12 anos começou a trabalhar em uma padaria e o gosto pela gastronomia nunca mais parou. Sua dedicação à família e amigos é visível. Seus amigos enfatizam sua dedicação quase que doentia pela perfeição. Administrador, autor, escritor, empreendedor e chef de cozinha poderiam determinar suas habilidades pro ssionais, mas este carioca tem tanta inquietação que não para só por aqui. Assim o de ne sua esposa, amiga e companheira: Pro ssional com grau elevado de inteligência emocional, dedicado, per l colaborativo e multifuncional, líder nato e busca sempre alinhar seus valores aos valores da organização em que trabalha, o que possibilita soluções de problemas de forma integrada com os objetivos estratégicos da organização. Posso dizer ainda que é uma pessoa generosa, autocon ante e de postura rme, estando sempre positivo diante dos problemas que a vida nos trás, o que lhe mantém no foco para a resolução de forma mais assertiva. Sua paixão pela gastronomia começa ainda na infância. Aos 12 anos foi trabalhar em uma padaria para ajudar a família de origem humilde. Aos 15 já estava trabalhando em uma grande empresa do mercado varejista brasileiro. Aos 17 foi para as forças armadas. Aos 23 abriu seu próprio negócio, além de passar por gigantes , tais como Vale S.A. e PSA-Peugeot Citröen. Aprendi a cozinhar com minha saudosa avó. Por ser de origem espanhola, Dona Izabel, tinha um temperamento 'forte', mas me ensinou que para cozinhar precisa-se de dedicação, amor e paixão pela culinária . Amante de viagens e da gastronomia, Edi Marques, sentia uma inquietação por não se dedicar exclusivamente as artes gastronômicas. Mesmo desempenhando atividades pro ssionais que nada tinham haver com gastronomia, sempre achou tempo para trabalhar com esta maravilhosa arte. Em 2015 resolveu abrir seu próprio restaurante. Foi para Portugal, onde se especializou em gastronomia europeia-mediterrânea e nunca mais parou. Como empreendedor, criou e publicou 32 edições de uma revista de viagem, um blog de turismo, um site de gastronomia, um Pub inglês, além de uma empresa de importação e exportação. Vamos conhecer nesta entrevista, um brasileiro determinado, sonhador e apaixonado pelas artes culinárias. Flávia (esposa), Albert (seu bulldog) e Edi Marques


ENTREVISTA Chef Edi Marques

TPAM-F&T: QUEM É O EDI MARQUES? Edi Marques: Amigo, determinado, pro ssional e apaixonado pela minha família. TPAM-F&T: VOCÊ ESTÁ CASADO HÁ 15 ANOS. TEM FILHOS? Edi Marques: Sim, estou casado há 15 anos com a Flávia, porém nos conhecemos há 20 anos. Não temos um lho natural , pois optamos por não tê-lo, mas temos um bebezinho de quatro patas que amamos: O Albert, um bulldog de 3 aninhos. TPAM-F&T: QUANDO VOCÊ DECIDIU QUE SERIA CHEF DE COZINHA? Edi Marques: Nunca decidi ser chef de cozinha. Aconteceu naturalmente. Como venho de uma família muito humilde, minha prioridade sem foi me dedicar ao trabalho seja ele qual fosse. A gastronomia sempre esteve presente em minha vida e o título Chef você não escolhe... Escolhem para você com o passar dos anos. TPAM-F&T: SER EMPREENDEDOR NO BRASIL É DIFICIL? Edi Marques: Quase que impossível. Ser empreendedor no Brasil requer muita coragem e dedicação. Tudo leva a desistência, então você tem que ser persistente e dedicado. TPAM-F&T: E O RESULTADO? Edi Marques: O resultado quase nunca é o que se espera. Como disse, tudo leva você a desistir dos seus sonhos e projetos, então se você buscar o lucro simplesmente por lucro, vai ser infeliz.


TPAM-F&T: VOCÊ É ADMINISTRADOR DE EMPRESAS FORMADO, QUAIS ÁREAS SÃO SUAS ESPECIALIDADES E POR QUE MUDOU PARA GASTRONOMIA? Edi Marques: Sim sou formado em Administração de Empresas com ênfase em Comércio Exterior, Administração Pública e Gestão de Recursos Humanos. Não houve mudança para a gastronomia. A Gastronomia sempre existiu na minha vida, só me especializei em outra área que tenho muito gosto e orgulho de fazer parte. Além do que, a administração e suas especialidades me dão maior entendimento da gestão gastronômica. TPAM-F&T: POR QUE DESISTIU DO COMÉRCIO EXTERIOR? Edi Marques: No Brasil é tudo complicado. Dediquei longos anos da minha vida a está área, mas fui quase obrigado a sair dela. Por trabalhar com comércio exterior no Rio de Janeiro tive vários problemas com contrabandistas e acabei sofrendo um sequestro e isso me obrigou a mudar minha vida. TPAM-F&T: VOCÊ TRABALHOU 8 ANOS COMO GESTOR DE RECURSOS HUMANOS EM UMA GRANDE EMPRESA, O QUE TE FEZ MUDAR? Edi Marques: Não mudei. Até hoje sou gestor de RH. Nunca deixamos de ser. Só não tenho o título na carteira pro ssional. As coisas mudam de nome. Hoje como Chef de Cozinha continuo a gerir pessoas. TPAM-F&T: VOCÊ FOI FUNCIONÁRIO PÚBLICO NO BRASIL POR 12 ANOS. O QUE LEVOU VOCÊ A SAIR DE UMA EMPRESA GOVERNAMENTAL? Edi Marques: (Risos)... Esta é uma parte da minha vida que não gosto muito de comentar, mas tudo bem, falarei os motivos, reservando nomes ok? Fiz concurso público e fui aprovado para a maior empresa pública agrícola do Brasil. Me dediquei 12 anos nas áreas de recursos humanos, compras e patrimônio da empresa. Mas existe um grande problema nas empresas públicas brasileiras: A corrupção. Se você não quer fazer parte desta corja que destrói o Brasil é melhor você sair e foi o que z. TPAM-F&T: PODE DETALHAR O QUE VOCÊ CHAMA DE FAZER PARTE DESTA CORJA ? Edi Marques: Pre ro não falar sobre isso, pois se começar a falar deste assunto terei que citar nomes e isso não seria pro ssional de minha parte. Meios legais existem e quando esses meios legais também não funcionam você tem que desistir. Não adianta 'brigar' com um sistema corrupto , que atinge todas as esferas do governo brasileiro. TPAM-F&T: E AS VIAGENS? COMO COMEÇOU ESSA OUTRA PAIXÃO? Edi Marques: Imaginem vocês um garoto sem recursos e que se quer televisão tinha em casa? No século 21 não é possível imaginar correto? Então, eu era apenas um garoto e quando passava em frente a bancas de jornal eu via as revistas com paisagens e cidades que já mais poderia conhecer e me imagina nelas. Assim começou minha paixão por viajar. Somente depois de muitos anos, já na vida adulta e casado que consegui atravessar o oceano e conhecer o velho continente. Aí não deu para parar mais. TPAM-F&T: E PORTUGAL? ESSA ESCOLHA FOI SÓ PELA PROXIMIDADE DA LINGUA? Edi Marques: Não. Portugal foi uma escolha da minha esposa que é portuguesa (Flávia). Mas quando cheguei em Lisboa foi amor a primeira visita (risos). Apaixonei-me pela cidade, pelas pessoas, pela gastronomia e pelo país. Hoje me sinto mais português que brasileiro. Conheço Portugal de norte a sul.


A cozinha ĂŠ minha segunda famĂ­lia. Sou apaixonado por ela


ENTREVISTA Chef Edi Marques

TPAM-F&T: E O ALGARVE? Edi Marques: O Algarve veio anos depois. Depois de conhecer o centro e norte de Portugal, decidimos ir para o sul. Mas essa escolha também veio por acaso. A ideia inicial era fazermos uma viagem para o mar báltico e jônico, mas com a crise que afetava àquela região, surgiu o Algarve como opção. Minha esposa me diz que já mais deveríamos ter ido ao Algarve, pois me apaixonei tanto pela região que não consigo viver longe dela. TPAM-F&T: VOCÊ TEM VISTO DE RESIDENCIA EM PORTUGAL, POR QUE ESTÁ NO BRASIL? Edi Marques: Meu retorno ao Brasil aconteceu por questões familiares. Questões resolvidas esta na hora de retornar. TPAM-F&T: VIVER EM PORTUGAL É FÁCIL? Edi Marques: Depende do que você chama de fácil. Viver em Portugal ou em qualquer outro país da Europa ou do mundo só depende de quanto você está disposto a abrir mão de algumas coisas. Morar em Portugal é muito fácil se você entender que terá que trabalhar muito por lá também e respeitar uma cultura que não é a sua nativa. Nunca tente mudar uma cultura que não é a sua nativa, se adapte a ela e será feliz. TPAM-F&T: E O INFANTE RESTAURANTE? Edi Marques: O Infante foi uma das minhas maiores realizações pro ssionais. Com o Infante aprendi tudo que sei hoje de gestão hoteleira, além é claro de ter colaborado por me tornar um pro ssional de verdade na gastronomia. TPAM-F&T: QUANDO SURGIU A IDEIA DE ABRIR UM PUB INGLÊS NO RIO DE JANEIRO? Edi Marques: Não foi planejado. Aconteceu. Sou apreciador de boa música e boa gastronomia. Adoro os pub's britânicos. Isso tudo tornou mais fácil a decisão pela temática. TPAM-F&T: O THE PRINCE ALBERT É MUITO MAIS QUE UM PUB, E VOCÊ FOI PROTAGOSNISTA DA MAIOR PARTE DAS IDEIAS. ISSO TAMBÉM É PARTE DO SEU EMPREENDORISMO? Edi Marques: O The Prince Albert foi considerado a melhor casa de rock and roll do Rio de Janeiro em 2016. Então me perguntava o que poderia fazer para continuar com o sucesso. Primeiramente manter o staff e as cervejas de produção independente. Manter a boa gastronomia e a boa música era imprescindível. A revista veio como as outras... Uma forma de expressar as boas coisas do mundo de forma acessível para todos. TPAM-F&T: PRETENDE ABRIR UMA FILIAL EM PORTUGAL? Edi Marques: Não. Prioritariamente não. Meu retorno para Portugal já esta de nido, mas agora quero fazer parte de um grande grupo hoteleiro-gastronômico, pois ainda tenho muito que aprender e também a oferecer.


TPAM-F&T: VOCÊ É ESPECIALIZADO EM CULINÁRIA DE AUTOR E DE FUSÃO. ESTAS DUAS ARTES ESTÃO EM FOCO NO MOMENTO GASTRONOMICO. POR ISSO QUE VOCÊ AS ESCOLHEU? Edi Marques: Não foi por esse motivo. A gastronomia de autor foi porque gosto de criar e a de fusão foi porque não vejo a criação sem a mescla dos sabores mundiais. TPAM-F&T: SEU PRIMEIRO LIVRO DE CULINÁRIA FOI SOBRE A ITÁLIA. QUAL O MOTIVO JÁ QUE SUA ORIGEM FAMILIAR É ESPANHOLA E SUA ESPOSA É PORTUGUESA? Edi Marques: A Itália foi minha escolha há anos. Quando comecei a escrever sobre a culinária italiana, foi por ter sido os meus primeiros pratos. Vivenciar cidades como Florença e Roma e sua gastronomia deslumbrante, fez com que minhas receitas cassem melhores. Então foi uma forma de agradecer a essa cultura tão maravilhosa e levar ao publico esses sabores deslumbrantes. TPAM-F&T: QUANDO SERÁ PUBLICADO O PRÓXIMO LIVRO? JÁ TEM UM TEMA GASTRONOMICO? Edi Marques: Já comecei a escrever o próximo livro há mais ou menos um ano e meio. Pretendo publicá-lo ainda este ano, mas depende de alguns fatores. Sobre o tema posso adiantar que será Ibérico.


ENTREVISTA Chef Edi Marques

TPAM-F&T: SOBRE A CULINÁRIA PORTUGUESA. O QUE HÁ DE NOVO POR TERRAS LUSITANAS? Edi Marques: Todos sabem o quanto é saborosa e diversi cada a culinária de Portugal. Hoje a gastronomia portuguesa tomou o mundo. Grandes Chefs por lá estão ou por lá passaram. Existem muitas coisa novas na culinária lusa e isso é devido aos grande autores que se dedicam quase que exclusivamente a criação de grandes pratos a nível mundial. TPAM-F&T: JÁ SABEMOS O QUANTO VOCÊ É APAIXONADO PELA GASTRONOMIA, MAS FICAR TANTO TEMPO EM UMA COZINHA NÃO É CANSATIVO? Edi Marques: Não para mim. Quando fazemos o que gostamos o tempo é relativo. Não é desgastante para mim estar em uma cozinha mais de 12 horas. TPAM-F&T: JÁ PENSOU EM ESTRELA MICHELIN? Edi Marques: (Risos) Nunca! Ainda não sou chef para merecer. Não tenho essa pretensão, pois estou a quilômetros de distância dos grandes e famosos chefs que já as possui. Tem muitos chefs que merecem mais do que eu. Minha gastronomia é para ser degustada e não só vista. Como disse ainda me falta uma experiência em um grupo hoteleiro-gastronômico e por tanto a Michelin não está nos meus planos. TPAM-F&T: VOCÊ TAMBÉM É PERSONAL CHEF? Edi Marques: Esse é o nome dado para quem ensina as pessoas a cozinhar? Se sim, sou. TPAM-F&T: QUAIS SEUS FUTUROS PLANOS? Edi Marques: Pretendo retornar para Portugal até o nal do ano e como já mencionado, ingressar em um grupo hoteleiro-gastronômico. TPAM-F&T: DEFINA O EDI MARQUES EM UMA PALAVRA Edi Marques: Perfeccionista.


O mundo a um clic Viaje mais gastando menos Deixe o Malaparadois planejar sua viagem com segurança, organização e reduzindo custos... Nós somos especialistas nisto!

S

erviços

+ Planejamento & Organização de toda a sua viagem; + Documentação necessária; + Hospedagens, translado e locomoções; Alimentação, compras, passeios, atrações e visitas; + Roteiros personalizados e e-books; + Personal Traveller; Acompanhamento 24h antes, durante e após sua viagem; + E muito mais!!!


Dicas de Viagens & Lifestyle em um único site! www.malaparadois.com

Para informações e serviços entre em contato conosco: +55 21 99827 1073 WhatsApp malaparadois@gmail.com

GRUPO

DOIS


Ljubljana, Eslovênia CONTACTOS INTO THE BALKANS Tel.: 91 635 08 47 Preferencial email: contacto@intothebalkans.com Agência: Talas Travel Balkanska 18, of ce 81 11000 Belgrade - Serbia +381 113 626 368 Número a contactar durante os Tours


A ILHA ESMERALDA


A REPUBLICA DA IRLANDA Uma visita à capital da Irlanda é quase que obrigatória. Sendo umas das cidades mais gloriosas e mais visitadas da Europa, Dublin é energética, vibrante e animada. Repleta de história, desde esculturas e monumentos à arquitetura impressionante e famosos redutos literárias, é uma cidade que merece ser descoberta. Faça compras na Grafton Street, visite o Museu Nacional, os parques históricos, a Trinity College e a área de Temple Bar,para uma noite animada com muita música e a famosa Guiness. Dublin Obviamente, Dublin é o destino mais procurado para quem compra passagem para Irlanda. A capital do país é uma cidade agitada e cheia de atrações. Não faltam os famosos pubs irlandeses (irish pub) por lá, que fazem o maior sucesso entre os turistas. As ruas são cercadas por lindos jardins e rodeadas por restaurantes, lojas charmosas e livrarias. Localizada na costa oriental do país, na foz do Rio Liffey, que divide a cidade em duas partes. Mais pacata e hospitaleira (e, de certa forma, não menos agitada) do que Londres, suas ruas tranquilas e sua fácil locomoção a pé (quase tudo é plano) permitem conhecê-la caminhando por entre prédios de arquitetura georgiana do século XVIII. Se o interesse é histórico, há o Trinity College, que abriga um manuscrito ilustrado do século VIII, e a Catedral de Saint Patrick (um dos santos padroeiros do país), entre outras atrações. Dublin, porém, é a sede europeia do Google, dos (mais de mil) pubs e das baladas sem hora para acabar na região do Temple Bar. Este antigo bairro enfrentou um período de decadência, mas foi totalmente restaurado na década de 1980. Hoje, abriga, além dos pubs mais descolados, lojas bacanas, galerias de arte, brechós retrôs, restaurantes estrelados e mercados em ruas exclusivas de pedestres. Dizem que dos 365 dias do ano, apenas 100 não têm céu nublado ou chuva e, por isso, o mês de setembro virou o preferido dos visitantes. Se a intenção é ver, ser visto e fazer compras, o calçadão da Grafton Street parece ser o endereço certo. Ir a Dublin e não conhecer a fábrica de sua bebida mais famosa não há cervejeiro que aguente. Um tour didático pela Guinness Storehouse mostra como a delícia irlandesa é fabricada e termina com uma pint de 568 mililitros no Gravity Bar, que brinda os visitantes com visão panorâmica de 360º da cidade. Vamos a lista cultural: · Guinness Storehouse · The Little Museum of Dublin; · Irish Whiskey Museum; · Croke Park Stadium Tour & GAA Museum; · Museu Nacional da Irlanda Arqueologia; · National Library of Ireland; · Galeria Nacional da Irlanda na Praça Merrion; · Cobalt Cafe and Gallery; · Cemitério de Glasnevin; · entre outros.


Baía de Galway Na costa oeste da Irlanda encontra-se a famosa Baía de Galway. Caracterizado pelo porto de Galway, um porto tradicional habitado por mais de 5.000 anos, a Baía de Galway é autêntica e mágica. E porque uma grande parte da população do Condado fala gaélico, a língua nativa da Irlanda, a região é um exemplo vivo da antiga Irlanda. A partir daqui pode fazer uma visita às ilhas de Aran, situadas a cerca de 48 quilômetros da baía. Conhecida pelos seus monumentos cristãos pré-históricos, incluindo o antigo Forte de Aengus, as ilhas também são um óptimo lugar para grandes caminhadas até o topo da falésia e vistas deslumbrantes da paisagem costeira da Irlanda. Condado de Clare A uma curta distância da Baía de Galway, o Condado de Clare oferece a costa escarpada e os campos verdes que se espera ver na Irlanda. Seu extenso litoral, que se estende ao longo do Oceano Atlântico, é ao mesmo tempo espetacular e fascinante, sendo também um hot spot para sur stas aventureiros. As vilas e as cidades mantêm as tradições de música e cultura irlandesas. Faça um tour pelos pubs de Milltown, Ennistymon, Doolin e Kilfenora e deixe-se levar pela música tradicional. Garantimos que não conseguirá car parado.


Limerick Situada na costa oeste do país e na fronteira com condado de Clare ca a cidade de Limerick, escolhida como primeira Cidade da Cultura do país em 2014. Com uma população amigável e acolhedora, a cidade oferece atrações como um castelo histórico renovado, museus, cafés e muitos pubs tradicionais e é excelente para quem gosta de explorar o seu destino sem perder a dose diária da cidade. É muito fácil circular a pé pela cidade enquanto se admira as famosas casas religiosas que existem desde antes da dissolução dos mosteiros Tudor, ou saborear a comida local no Milk Market (Mercado do Leite). E não há melhor forma para acabar o dia do que em um dos pubs tradicionais a apreciar o calor aconchegante de uma lareira. Condado de Kerry Imagine-se a visitar falésias vertiginosas, campos verdes brilhantes, ruínas antigas e altas montanhas. Tudo isso caracteriza o icónico Condado de Kerry. Uma parada obrigatória para quem visita a Irlanda, o Condado de Kerry é o lar de um dos mais impressionantes parques nacionais do país, bem como de Killarney, o local de escolha para quem prefere vida noturna animada recheada com música tradicional. É o destino perfeito para contratar um guia, a forma ideal para descobrir ruínas antigas, bonitas praias e muita paisagem selvagem. E não deixe de percorrer Wild Atlântic Way , uma estrada ao longo da costa que leva os visitantes a conhecer os famosos Penhascos de Moher (Cliffs of Moher).


Cork Conhecida como a segunda cidade da Irlanda, muitos moradores preferem pensar em Cork como o primeiro e é fácil perceber por que. Cork é uma cidade cosmopolita e liberal em todos os sentidos; revitalizada e rejuvenescida. Deliciese com um tradicional irish coffee (café irlandês) antes de partir à descoberta da vida noturna inovadora e lúdica da cidade e dos melhores bares e restaurantes no país. Apesar dos seus elementos modernos, a cidade ainda mantém, com orgulho, grande parte da velha Irlanda. Desde a sua cultura da comida e da bebida, com os seus pequenos bares e restaurantes que servem comida tradicional feita com produtos frescos locais, aos seus canais e becos históricos do século XVII, Cork é a combinação perfeita de antigo e novo. Waterford Um destino inesperado para quem visita a Ilha Esmeralda pela primeira vez, Waterford merece uma visita. Sendo a cidade mais antiga da Irlanda (mais de 1.100 anos de idade), Waterford é uma cidade portuária com um nome que remonta aos Vikings e dito signi car Porto Ventoso . O movimentado porto da cidade ainda mantém algumas semelhanças com a sua antiga história Viking e Normanda, com suas ruas estreitas e muralhas, enquanto outras partes da cidade foram reconstruídas de forma a atrair o viajante moderno. Rume a Waterford para experimentar o que a Irlanda deve ter sido na Idade Média, mas desta vez com o luxo dos grandes hotéis!


O que comer? Irish Cream, o licor irlandês: O licor irlandês é uma bebida que tem como base a mistura de uísque com nata e outros ingredientes, incluindo café, o que resulta numa consistência cremosa. A bebida é bastante utilizada no preparo de coquetéis e shots. A marca mais famosa na Irlanda e no mundo é o Baileys, que muitos de vocês talvez já tenham provado. Além da Irlanda, o Baileys também é popular no Canadá, Reino Unido e EUA. Bacon com Repolho: Pode-se dizer que esse é um dos pratos favoritos das famílias irlandesas. O preparo consiste em deixar a carne de porco de molho durante toda a noite para retirar o sal antes do cozimento. O repolho é adicionado só nos 10 minutos nais do preparo. Um molho branco com ervas é o acompanhamento mais clássico para esse prato típico. Breakfast Roll, o Irish Breakfast em um sanduíche: Pode-se dizer que o BreakfastRoll é uma versão do café da manhã irlandês criada para ser consumida no caminho para o trabalho ou escola, além de ser considerado um excelente remédio para ressaca. Esse sanduíche possui a maioria dos ingredientes do café da manhã, como linguiças, bacon, cogumelos, ovos etc, no meio de uma baguete. Por aqui, você vai encontrar o breakfast roll na maioria das lanchonetes, supermercados e até em algumas lojas de conveniência. Boxty: O boxty é a panqueca frita tradicional irlandesa, feita de batata (claro!). Essa delícia é um prato tradicional em algumas regiões da Irlanda, como Donegal, Mayo e Sligo. A receita consiste basicamente em batatas cruas raladas, ou purê de batata, com farinha, fermento, ovos e manteiga. Café da Manhã Irlandês, o tradicional Irish Breakfast: O café da manhã irlandês, conhecido como Irish Breakfast, consiste em pão de forma, linguiça, bacon, ovos, feijão, batatas e cogumelos. Geralmente o prato é acompanhado de uma xícara de chá ou café (mas há quem pre ra uma pint de Guinness). Crisps Sandwich: É isso mesmo o que você está pensando, sanduíche de batata frita. Bem tradicional entre os irlandeses, o sanduíche é composto por duas fatias de pão de forma branco, manteiga e batatas fritas no meio. Por aqui, a marca irlandesa Tayto é uma das favoritas, sendo recomendado o sabor de queijo e cebola. Colcannon: Esse é mais um prato irlandês feito com batatas. Além do principal ingrediente da culinária irlandesa, o prato conta também com alho silvestre, repolho ou couve or. Muita gente naliza o prato com uma colher de manteiga por cima. Para quem não está interessado em cozinhar, é possível encontrar o Colcannon pronto em muitos supermercados ao redor da Irlanda. Assim, basta só esquentá-lo no microondas. Coddle: Esse prato bem popular em Dublin geralmente é composto por linguiça de porco, bacon, batatas, cebolas picadas, sal, pimenta e salsinha picada mas muitas vezes ele também é feito com sobras da geladeira. Algumas receitas tradicionais incluem, também, um pouco de Guinness, para dar uma incrementada no sabor.


Fish and Chips: Um dos mais populares pratos irlandeses e também muito consumido em países como Reino Unido e Austrália, o Fish and Chips consiste em nada mais do que um lé de peixe empanado e frito. Por aqui, geralmente utiliza-se o bacalhau fresco ou o haddock, acompanhado por batatas fritas, limão e maionese ou purê de ervilhas. Guinness Stew: Este prato típico da Irlanda é um cozido feito de carne e temperado com salsinha, alho, pimenta e, claro, cerveja Guinness responsável pelo sabor especial. Outros ingredientes importantes são as cenouras e o purê de batatas, que ca no fundo, por baixo de tudo. Irish Stew: Outro prato bem típico na Irlanda, o Irish Stew consiste basicamente em um ensopado feito com Colcannon

Guinness Stew

Coddle

carne, cebola, cenouras e outros legumes. É uma refeição completa e perfeita para o inverno, podendo ser servida tanto no almoço quanto no jantar. E ca melhor ainda quando acompanhado por uma pint de Guinness. Irish Coffee: Famoso em todo o mundo, o Irish Coffee é uma bebida quente feita para aquecer os corações , já que, além de café, conta com uísque na receita e creme de leite fresco batido. A receita foi criada em 1940 e até hoje é bem popular por aqui. Mushy Peas: O purê de ervilhas é bem popular na Irlanda e é servido como acompanhamento de alguns pratos típicos no país, como o Fish & Chips. Há quem pre ra a versão caseira, mas se estiver sem tempo, também é possível encontrá-lo nos supermercados. Seafood Chowder: Essa sopa de peixe ou mariscos que leva leite em sua receita é um prato típico muito consumido no verão irlandês. Shepherd's Pie: Pode-se dizer que essa é a versão irlandesa para o nosso tradicional escondidinho. A receita irlandesa leva carne de cordeiro ou bovina e é coberta com purê de batatas. Soda Bread: O pão de soda é o mais tradicional da região. É uma receita simples que não leva fermento, mas sim bicarbonato de sódio. É uma comida típica da Irlanda e um delicioso acompanhamento para sopas ou com manteiga. Sidra: Essa é uma das principais opções de bebidas alcoólicas para quem não é muito fã de cerveja. A Sidra nada mais é do que um fermentado de frutas. Geralmente são utilizadas maçãs, mas também pode-se optar por peras, pêssegos ou outras frutas. A marca de sidra mais popular na Irlanda é a Bulmers, que foi fundada na cidade de Clonmel. Seu teor alcoólico é por volta de 4,5% e é vendida em garrafas, latas, além das pints nos pubs.


Sobre a Irlanda A República da Irlanda não faz parte do espaço Schengen. Portanto, quando entrar na ilha esmeralda pela República da Irlanda é necessário passar pela imigração. Se sua intenção é fazer tudo de maneira correta, não tem porque ter medo da imigração. Mas, desde já, acho bom falar as solicitações frequentes dos policiais que atendem esta área. Eles são rígidos e pedem, quase sempre, comprovante de onde o visitante vai car, quantos dias será a estadia e a

passagem (e-ticket) de retorno ao país de qual voou. Eles também podem solicitar a quantia em dinheiro que você está portando para ter certeza de que você tem o su ciente para custear sua estadia no território irlandês. Indico que tenha uma versão impressa do extrato do cartão Travel Money ou similar, caso aplicável. Outras perguntas como: com o que você trabalha no Brasil, solteiro ou casado, fala inglês, podem fazer parte do repertório deles. Contrate um seguro de viagem com cobertura para acidentes e repatriamento, caso necessário. Isso pode ser questionado. O visto de turista para a Irlanda pode ser dado para o período da estadia comprovada ou até 90 dias.


É PROIBIDO BEBER EM ÁREAS PÚBLICAS Nós estamos acostumados a sair com uma cerveja na mão, beber na praia. Na Irlanda, isso é extremamente proibido. Beber álcool em áreas públicas e beber e dirigir são atos ilegais. Da mesma forma que, se você estiver bêbado demais em público, você pode ser detido por representar perigo a si próprio ou a outros. Já pensou? Isso sim é primeiro mundo. Se for abordado por um policial na rua ingerindo álcool, você pode ser multado, ter a bebida con scada e ser detido! VIOLÊNCIA ZERO A entidade irlandesa responsável pelo policiamento e segurança chama-se GARDA . A GARDA não anda armada. Mas não ache que tudo são ores na terra esmeralda. Infelizmente, imigrantes com

poucos recursos nanceiros e com históricos criminosos vindos de outros países da União Europeia ajudaram a crescer o índice de criminalidade. Isso não quer dizer que exista o uso de violência, mas, sim, muitos casos de mãos leves . DICA: Como em qualquer grande metrópole ATENÇÃO e cuidado com seus pertences!


Plitvice, Croácia GENTILEZAS Muito educados e simpáticos, os irlandeses estão sempre sorrindo. Então, retorne as gentilezas que você receber um sorriso de uma pessoa pode ser retribuído com outro sorriso. Pessoas podem lhe abordar na rua quando perceberem que você está perdido, aceite a gentileza e agradeça. Se empurrar alguém sem querer, não perca a oportunidade de dizer I am sorry , até porque a outra pessoa pode dizer antes. PREVISÃO DO TEMPO Todo dia chove, mas não desanime que, em algum momento do dia, o sol aparece. O verão pode ser mais frio que o seu inverno. Saia sempre prevenido: capa de chuva e casaco. LÍNGUA OFICIAL Todo mundo fala inglês e, o que você não sabia, o Irlandês também é uma língua o cial! Então, todas as sinalizações estarão em inglês e irish . PATRIOTISMO Os irlandeses nunca deixaram dúvidas sobre seu amor pela história e sua cultura. Sua nacionalidade é motivo de orgulho, glória e muito sangue. A liberdade da República da Irlanda foi almejada através de muitas mortes e, estas continuaram posteriormente pelo norte da ilha. As histórias de guerra entre os católicos e protestantes permanecem escritas nas paredes grandes murais pintados pelas ruas estão, aos poucos, sendo substituídos por imagens que propagam a paz e vida em harmonia entre os grupos. As tristes lembranças continuam nas memórias das pessoas que perderam membros da familia e amigos, mas, hoje, tentativas de união vêm a trazer vida para um novo futuro.


A IRLANDA DO NORTE

Se você conhece um pouquinho a história do Irlanda, deve lembrar que o país acabou se dividindo em dois: Irlanda e Irlanda do Norte. Estamos falando do menor país do Reino Unido, o que é ótimo do ponto de vista turístico, a nal é possível conhecer o país todo em questão de poucos dias. Ainda que seja minúscula, a Irlanda do Norte passa a impressão de ser muito maior, a nal a região é repleta de montanhas, vales e muitas outras opções de turismo. E aí, pronto para a viagem? Ainda que seja bom manter uma relação amistosa com os vizinhos, nem sempre é assim que acontece. A dominação britânica na ilhota foi o motivo dos con itos entre as partes Norte e Sul. Em 1801 foi colocado em prática o Ato de União , que nada mais era do que o tratado que unia as terras da Grã-Bretanha com a Irlanda. À época, a Irlanda era um dos países mais pobres do continente europeu, e a união com a Grã-Bretanha, que poderia de certa forma melhorar a situação, acabou não trazendo grandes mudanças. Durante o século XIX, os irlandeses enfrentaram crises de falta de comida, e era muito comum que famílias inteiras abandonassem o país. Entre os destinos mais populares, estavam a Austrália e os EUA.


Além da crise de comida, outro fator que contribuiu para os con itos no país foi a diferença religiosa: os irlandeses sempre foram tradicionalmente católicos, e os ingleses, anglicanos. Em clima de descontentamento social, nanceiro, religioso e político, a ilha foi se desenvolvendo sob o domínio britânico e apenas em 1914 teve direito ao Home Rule , que concedeu à união a possibilidade de ter parlamento e jurisdição próprios. Só para você ter ideia, essa questão ideológica é tão marcada que em Belfast há um muro que divide a cidade em duas, usando a religião como critério. Esse muro é longo e tem diversos murais com mensagens que relembram alguns momentos críticos da história da ilha, da separação, das diferenças religiosas e do famoso Domingo Sangrento , quando 13 pessoas foram mortas brutalmente pela polícia britânica. Ainda que uma viagem de menos de duas horas de ônibus separe a capital Dublin, da Irlanda, de Belfast, da Irlanda do Norte, a diferença entre um país e outro é nítida. Belfast é visivelmente britânica: das cabines telefônicas aos táxis tradicionalmente ingleses. Enquanto Dublin exala diversão e bebedeira, Belfast é mais conservadora. Essa diferença re ete também no comportamento da população local dizem que as pessoas de Belfast não são tão extrovertidas quanto as de Dublin. Por outro lado, é bom lembrar que quando falamos em irlandeses, sejam de onde forem, é injusto reclamar da recepção desse povo, que é conhecido por receber turistas de braços abertos. Com menos de 2 milhões de habitantes em todo o país, a Irlanda do Norte é dividida em seis condados: Antrim, Armagh, Down, Fermanagh, Derry e Tyrone. A capital Belfast ca dentro do condado de Antrim. Se for para lá, lembre-se de que a moeda é a libra esterlina, e o idioma o cial é o inglês.


O que visitar Eis o lado bom de conhecer um país pequeno: com pouco tempo, é possível visitar tudo o que você quiser. Em Belfast, por exemplo, não deixe de conhecer o prédio da prefeitura, que é uma construção incrível e que, à noite, tem uma iluminação encantadora, capaz de melhorar ainda mais o cenário. Durante o dia é possível conhecer o prédio com os tours gratuitos que a instituição promove de segunda à sábado. Se você gosta de cenários mais bucólicos, com jardins vastos e em um tom de verde que não estamos acostumados a ver com frequência, não deixe de conhecer o museu Ulster, que ca no Belfast's Botanic Gardens. Além do mais, o museu exibe exposições bacanas para quem se interessa por botânica, arqueologia, geologia e história local.

O bom de visitar países antigos é ter a oportunidade de conhecer algumas construções históricas, como o Carrickfergus Castle, um castelo construído em 1180 e que serviu como fortaleza para franceses, ingleses, escoceses e irlandeses ao longo da História. Fica a menos de 20 km de Belfast e certamente merece uma visita. Outro castelo interessante é o Dunluce Castle, cuja construção medieval está em ruínas, mas é possível visitá-lo sem problemas.


Outra belíssima atração do país é o famoso Giant's Causeway, que nada mais é do que uma extensão rochosa que se formou há nada menos que 65 milhões de anos. As pedras formam escadarias, e é uma paisagem de nitivamente sedutora. Se você não tem medo de altura, experimente cruzar a ponte de corda que leva a ilha de Carrik-a-Rede. Eis uma experiência devidamente recompensada pela vista do local. Cansou de Belfast? Então visite Derry, que simplesmente esteve entre as cinco melhores cidades do mundo para visitar, de acordo com um levantamento feito pela Lonely Planet em 2013. O ponto forte de Derry é o apelo cultural e criativo aliás, se estiver lá, não deixe de conhecer o Bloody Sunday Memorial. Titanic Deixamos a atração mais famosa de Belfast por último porque algumas pessoas até conhecem a história do Titanic, mas não sabem ou não lembram que o navio foi construído em Belfast, onde há um memorial gigantesco somente sobre ele, com um total de nove galerias que mostram a história do navio.

No Titanic Experience, o visitante pode analisar as plantas do navio, conferir vídeos originais feitos no dia em que o gigante partiu, além, é claro, de todos os detalhes possíveis sobre a construção, a partida e o naufrágio. Se você tiver realmente interesse em tudo, é capaz de passar um dia todo conhecendo o memorial.


Do lado de fora do Titanic Experience, você pode conhecer o SS Nomadic, que foi construído na mesma época e com os mesmos materiais utilizados para fazer o Titanic os dois foram lançados no mesmo dia, sendo que a função do Nomadic foi levar passageiros das cabines de luxo até o Titanic, servindo como uma espécie de traslado. E pra comer? Uma das melhores coisas de conhecer um país novo é experimentar pratos típicos da culinária local e, no caso da Irlanda do Norte, os pratos tradicionais têm in uência escocesa e irlandesa. Lá, você vai ver muita gente comendo pratos à base de batata e pão. Não deixe de experimentar o Ulster Fry, que é parecido com o Irish Breakfast, da Irlanda de Dublin. O prato antigamente era consumido no café da manhã todos os dias, mas hoje os norte-irlandeses e até mesmo os irlandeses costumam degustar o prato monstruoso aos nais de semana, apenas. Basicamente o Ulster Fry é uma reunião de toucinho, ovos fritos, salsicha, tomate, pedaços de pão de leite e também pão de batata. Em alguns casos, o prato vem acompanhado de black pudding, que nada mais é do que chouriço. O país tem outros pratos tradicionais, sendo que a maioria deles leva batata e legumes em suas receitas. Há, é claro, as tortas e as carnes cozidas com Guinness, a cerveja escura irlandesa que faz sucesso no mundo todo. Aliás, uma vez na Irlanda não deixe de experimentar a Guinness a de lá é incrivelmente mais saborosa do que a que é vendida em outras partes do mundo. Outras curiosidades · O idioma estrangeiro mais falado na Irlanda do Norte é o chinês; · Entre os escritores norte-irlandeses podemos destacar C. S. Lewis, Ian McDonald e Tom Paulin; · O hino nacional da Irlanda do Norte é também o tradicional God Save the Queen ; · Quase 50% da população da Irlanda do Norte é formada por pessoas com menos de 30 anos; · Entre os esportes mais populares no país podemos citar o futebol gaélico, o handebol gaélico e o rugby; · O Lago Neagh, que ca na Irlanda do Norte, é o maior lago de água doce de toda a Europa; · Acredita-se que o autor de As Viagens de Gulliver escreveu a história depois de um momento de inspiração durante uma viagem a Belfast; · Na Irlanda do Norte é comum ouvir que o que de ne se o tempo é bom ou ruim é a temperatura da chuva sempre chove por lá! · O ator Liam Neeson nasceu na cidade de Ballymena, no condado de Antrim; · A banda Snow Patrol também é da Irlanda do Norte; Matéria: Luana Mendonça, casada, escritora, amante de viagens, escolheu Belfast como sua casa há 20 anos.


Sobre o

Chef

Edi Marques, brasileiro, 44 anos, casado, residente em Portugal é chef restaurateur com restaurante em Portugal e um Pub no Rio de Janeiro. A sua especialidade são os mais diversos tipos de carne bovina, mas viver na Europa proporcionou ao chef o aprendizado necessário da gastronomia europeia, principalmente a mediterrânea, espanhola e portuguesa. “Sou amante da boa gastronomia, seja ela gourmet ou reconfortante, o importante é sentir todos os aromas, sabores e texturas” Formado em administração de empresas com ênfase em comércio exterior e gestão pública, escritor e amante de viagens, o Chef sempre teve gosto pela gastronomia. “Desde a adolescência a cozinha era a parte da casa onde me sentia melhor. Vendo minha querida e saudosa avó Isabel cozinhar me fazia feliz. Minha inuência gastronômica passa pela culinária brasileira e europeia. Viver na Europa me fez ver, sentir e saborear os mais deliciosos sabores que existem e aprimorar minha técnica e conhecimento gastronômico”. Visite: https://www.chefedimarques.com https://www.facebook.com/chefEdiMarques Informações & Contatos: +55 21 99827 1073 chefedimarques@gmail.com


Carrot Gnocchi with Eyeround Beef Ingredientes para a Carne + 1kg de Lagarto + Pimenta do Reino preta moída a gosto + Sal marinho a gosto + 2 colheres (sopa) de manteiga + 3 dentes de alho picados + 1 cebola roxa picada namente + Caldo de legume para o cozimento Ingredientes para o Nhoque + 400g de cenoura + 1 xícara de farinha de trigo + Sal marinho a gosto

Em uma panela de pressão, coloque o caldo de legumes e adicione a carne. Cozinhe por cerca de 25 minutos. Retire a carne e reserve. Com o líquido que sobrou do cozimento, reserve para fazer o nhoque. Em uma frigideira-grelha, pré-aquecida a 290ºC, coloque a outra colher de manteiga, o alho e a cebola. Deixe por 1 minuto (atenção para não queimar). Em seguida grelhe a carne por cerca de 2 minutos de cada lado e sirva em seguida. Modo de Preparo do Nhoque Cozinhe as cenouras, em água, até que estejam macias. Descasque-as e passe pelo espremedor ainda quente. Vá acrescentando a farinha aos poucos e o sal, amasse bem. Coloque a massa sobre uma mesa enfarinhada e faça rolinhos. Corte cada rolinho em pedaços de mais ou menos 2 cm. Coloque-os na frigideira com o molho e leve ao fogo para cozinhar por cerca de 10 minutos. Atente para não deixar grudar na frigideira. Mexa aos pouco e sirva em seguida.

Ingredientes para o molho do nhoque + 10ml de azeite extra virgem + Caldo de legumes do cozimento da carne + ½ cebola roxa + 100ml de molho di pomodoro + Alho francês cortado em julienne + 150g de queijo parmesão ralado

Modo de Preparo do Molho Pique a cebola e o alho francês em brunoise. Em uma frigideira alta, com fogo a 200ºC, frite a cebola e o alho francês com azeite até a cebola car translucida. Acrescente o caldo de legumes. Mexa bem. Adicione o molho di pomodoro. Continue mexendo. Cozinhe por 4 minutos. Adicione os Nhoques e sirva em seguida.

Modo de Preparo da Carne Corte a carne com o mínimo de 4 cm. Passe 1 colher de manteiga em toda a carne. Tempere-a com pimenta e sal. Em uma frigideira, sele todos os lados da carne por cerca de 1 minuto cada lado. Retire e reserve por 3 minutos.

DIFICULDADE: MÉDIA TEMPO DE PREPARO: 40 MINUTOS TEMPO DE COZIMENTO: 1HORA E 30 MINUTOS RENDIMENTO: 4 PORÇÕES


amarrada em uma folha de alho francês) + 10 grãos de pimenta branca + Flôr de sal a gosto Modo de Preparo para o Caldo Francês O caldo francês deve ser preparado primeiro que a carne. Lave os legumes e pique-os

Eyeround Beef Roasted and Grilled Ingredientes + 1kg de lagarto + Flôr de sal a gosto + 3 colheres de manteiga + 50ml de azeite extra virgem + Pimenta do Reino preta moída a gosto + Pimenta rosa em grão a gosto + Pimenta branca em grão a gosto + 4 dentes de alho picados + 4 chalotas picadas namente + Agrião a gosto picado + Salsa a gosto picada + Cebolinhas picadas a gosto + Alho francês picado a gosto + 2 vagens francesa picadas + 2 jalapeños amarelos cortados ao meio + Caldo Francês para cozinhar e assar a carne Ingredientes para o Caldo Francês + 200g de mirepoix + 1 litro de água ltrada + 1 nabos + Alho Francês a gosto + 2 cebolas médias + 1 bouquet garni (2 ramos de tomilho 2 raminhos de salsa , 1 folha de louro grande

grosseiramente (sem descascar). Adicione os 1 litro de água, (não salgue muito), leve a ebulição. Assim que ferver abaixe o fogo e deixe cozinhar durante 1 hora e 20 minutos, coberto. Coe, sem pressionar os legumes, ajuste o tempero e pronto! Modo de Preparo da carne Em frigideira funda, coloque a manteiga para derreter em fogo a 90ºC. Assim que a manteiga estiver derretida e clari cada, acrescente o azeite e aumente o fogo para 200ºC. Coloque a carne e doure cada lado por 2 minutos. Retire e deixe descansar por 5 minutos. Na mesma frigideira, acrescente o alho, a Pimenta do Reino, a pimenta rosa, a pimenta branca, as chalotas, o agrião, a salsa, as cebolinhas, o alho francês, as vagens e os jalapeños. Refogue por cerca de 3 minutos. Neste momento coloque um pouco do caldo francês. Refogue por 2 minutos. Em uma panela de pressão, coloque o refogado e, se necessário for, acrescente mais caldo francês. Em fogo a 180ºC, adicione a carne. Cozinhe por cerca de 15 minutos. Retire e deixe a carne descansar por cerca de 1 minuto. Em uma frigideira-grelha pré-aquecida a 290ºC, coloque a carne por cerca de 1 minuto cada lado. Retire e sirva com legumes de preferencia e com o caldo francês. DIFICULDADE: ALTA TEMPO DE PREPARO: 40 MINUTOS TEMPO DE COZIMENTO: 54 MINUTOS RENDIMENTO: 4 PORÇÕES


Saltado. As batatas fritas são preferencialmente batatas amarelas devido ao seu sabor e porque são crocantes. Corte o lé em fatias de espessura aproximada de 3cm x 1cm e tempere com alho, cominho, orégão e o vinagre. Deixe repousar por cerca de 10 minutos para

Lomo Saltado by Chef Edi Marques Ingredientes + 600g de lé mignon + 1 cebola roxa cortada em fatias + 2 tomates cortados em fatias + 1 colher pequena de Pimenta do Reino preta moída + 5 hastes de chalotas em corte inclinado + 1 pimentão amarelo cortado em tiras + Mini Jalapeños + Azeite Extra Virgem a gosto + 400g de batatas (batatas) fritas em canoas + 200ml de caldo de carne + 100 ml de molho de soja + Coentro picado a gosto + Salsa a gosto + Alecrim fresco a gosto + 50ml de vinagre de maça + 2 dentes de alho picado + 1/4 colher de sopa de orégano seco moído + 1/4 colher de sopa de cominho + Sal marinho a gosto

encorpar o sabor. Aqueça a panela em fogo alto com um pouco de azeite. Quando o azeite estiver aquecido, adicione a carne e frite por alguns segundos, o tempo vai depender de quão quente está a panela. Em seguida, reserve em uma tigela e cubra-o para manter o calor. Agora, na mesma panela, adicione a cebola picada, tomate, pimentão amarelo e um pouco mais de azeite. Frite tudo por alguns segundos e adicione um pouco de caldo de carne, molho de soja e vinagre. Adicione a carne que você tinha reservado e salteie. Após cerca de 30 segundos ou menos acrescente a chalota e, nalmente, alguns coentros picados, o alecrim e a salsa. O Lomo Saltado tem que ser suculento, então, se necessário, corrigir adicionando um pouco de caldo de carne. Sirva quase todo o lé em um prato e deixe um pouco para misturar com as batatas fritas. Adicione as batatas fritas ao resto do lé na panela, misture e sirva novamente por cima. No Peru o acompanhamento é o arroz branco. Para os jalapeños, utilize uma frigideira com azeite em fogo alto e frite-os por cerca de 2 minutos.

DIFICULDADE: MÉDIA O Lomos Saltado é um prato que deve ser servido TEMPO DE PREPARO: 30 MINUTOS imediatamente, por isso recomendo preparar as TEMPO DE COZIMENTO: 8 MINUTOS batatas fritas ou fritá-las, calculando o tempo para RENDIMENTO: 4 PORÇÕES que quem prontas antes de terminar o Lomo


A CIDADE. O LAGO. AS MONTANHA. Entre os dias 17 de agosto e 16 de setembro, acontece o festival de Verão de Lucerna, no Centro Cultural e de Convenções KKL Luzern, na Suíça. A edição deste ano vai homenagear a "Infância", com projetos voltados para a geração mais jovem. Maior evento musical de Lucerna, Festival de Verão celebra 80 anos Evento será realizado entre os dias entre os dias 17 de agosto e 16 de setembro Quatro semanas de muita música erudita, mais de 100 concertos e a estonteante paisagem a beira do lago Lucerna. Assim será a celebração dos 80 anos do Festival de Verão de Lucerna, um dos eventos mais aguardados do verão europeu, que acontece entre os dias 17 de agosto e 16 de setembro, no Centro Cultural e de Convenções KKL Luzern, instalado à beira do lago que batiza a cidade na Suíça. Apresentando um tema diferente a cada ano, o festival oferece um maravilhoso repertório que vai de Mozart aos modernistas. A edição deste ano vai homenagear a Infância , com muitos projetos voltados para a geração mais jovem, além de orquestras sinfônicas consagradas para agradar os mais experientes. A lista de con rmados inclui maestros conhecidos pela crítica como Riccardo Chailly, Andris Nelsons e Simon Rattle, além das mais importantes orquestras internacionais, uma das marcas do evento, com destaque para as Filarmônicas de Berlim, Viena e Londres. A programação também homenageará Karlheinz Stockhausen, um dos mais in uentes compositores do século XX. O Festival de Verão de Lucerna é responsável por atrair turistas do mundo inteiro apaixonados por música, arquitetura e turismo. Um dos motivos é o Centro Cultural e de Convenções KKL Luzern, onde o evento acontece. A edi cação projetada por Jean Nouvel é mundialmente reconhecida tanto pela excepcional arquitetura quanto pela sala de concertos considerada como uma das melhores acústicas do mundo. Os ingressos podem ser adquiridos no site o cial do Festival de Verão de Lucerna. Sobre Lucerna a cidade, o lago, as montanhas: A região está situada na Suíça Central e é um importante centro cultural do país. Em nenhum lugar você vai encontrar mais coisas para ver do que nesta cidade encrustrada em uma magní ca paisagem caracterizada por montanhas e seu lago de mesmo nome. A luxuosa Lucerna está cheia de coisas para fazer: atrações seculares como a Ponte da Capela e a histórica Cidade Velha, museus, lojas, festivais e eventos durante todo o ano. A região também contém uma riqueza de oportunidades recreativas de montanha e ferrovias e teleféricos que quebram recordes, sendo o Monte Titlis o principal centro para essas atividades. Saiba mais www.luzern.com/en/.


MatĂŠria & Contatos ErcĂ­lia Ribeiro B4Tcomm


ARTE, MÚSICA & CULTURA Artista brasileiro vira destaque internacional com obras feitas a partir de lixo eletrônico É difícil encontrar um amante de artes visuais, principalmente os que gostam da do tipo contemporânea, que nunca tenham visto o famoso retrato de Jimi Hendrix feito com sucata eletrônica. O responsável pela obra é o brasileiro Christian Pierini. Ao divulgar o trabalho em suas redes sociais, o primeiro de uma série focada apenas em ícones da música, o reconhecimento foi instantâneo. Diversos sites especializados em música e arte, empresas de diferentes áreas compartilharam a imagem, que foi divulgada inclusive pelo rapper Snoop Dogg. Apesar de toda a divulgação, Pierini afirma que viver de arte no Brasil é uma árdua tarefa: "o maior desafio é viver ou sobreviver de arte em um país em que se exalta a banalidade". Como tudo começou Pierini cita seus pais como os grandes influenciadores na área artística. Sua mãe, a saudosa

Regina Pierini, era cantora e atriz e seu pai, Ives Pierini, é cantor e produtor de eventos. O talento, portanto, é de nascença. Desde pequeno, ele vive este universo. Aos sete anos, já se apresentava declamando poesias, frequentava aulas de teoria musical e cantava em corais. "Acho que é coisa de DNA. Venho de uma família onde a maioria das pessoas vive de artes", disse. Além das artes visuais, Pierini é músico (ele é baterista da banda Black Dog Brazil, que faz tributo ao Led Zeppelin), produtor de eventos e professor de artes.


Lixo eletrônico Por dois anos, Pierini trabalhou como assistente de Vik Muniz, sendo um dos responsáveis por famosos trabalhos como o logotipo do Rock in Rio para a revista Veja e a vinheta de 2000 edições do Fantástico, na Rede Globo. Fascinado com o que fazia, o artista se inspirou e, preocupado com o meio ambiente, começou a juntar sucata eletrônica e, unindo a outros materiais, fez sua primeira série. Além de Jimi Hendrix, Marilyn Monroe, Janis Joplin e até mesmo o físico Albert Einstein estão representados nas suas obras. Pierini também faz trabalhos com recortes de papel e desenhos.


Do Brasil para o mundo Com o sucesso fora do Brasil, Christian Pierini foi convidado pela Sony Music/Columbia a produzir a capa do disco "That would be me" do cantor e ator Harry Conick Jr. Além disso, o artista entregou pessoalmente ao cantor Anselmo Ralph , que cou famoso ao participar do The Voice Portugal, um desenho feito a partir de recortes de revistas e jornais. E quem pensa que ele restringe suas obras apenas a famosos, se engana! Ele também recebe encomendas nacionais e internacionais de cidadãos comuns que desejam uma obra com suas fotogra as ou que querem presentear entes queridos. Humilde, ele ainda se surpreende quando recebe elogios e cita a frase de Adorno, importante lósofo alemão: "A arte é a magia libertada da mentira de ser verdadeira". E acrescenta: "precisamos sempre reinventar o nosso mundo e nunca se acomodar com o que é imposto para nós. Reinventar para evoluir e transformar a realidade".


Christian Pierini | Facebook: www.facebook.com/christianpieriniart| Instagram: www.intagram.com/chris_tianpierini | Youtube: www.youtube.com/mr.copyright1 Telefone: +55 21 979729754


A Grécia do seu jeito Pacotes de viagem para a Grécia | Tours na Grécia


Pacotes turísticos na Grécia GRÉCIA ELEGANTE + Atenas, Santorini e Mykonos - 9 Dias JOIAS AEGEAN + Atenas, Rhodos, Creta, Santorini e Mykonos - 15 Dias AVENTURA GREGA + Atenas, Milos, Santorini, Creta e Zakynthos - 15 Dias AVENTURINHA GREGA + Atenas, Milos, Santorini e Zakynthos - 11 Dias GRÉCIA CLÁSSICA + Atenas, Tour Clássico, Creta e Santorini - 12 Dias E MUITO MAIS!

ENTRE EM CONTACTO CONOSCO agreciadoseujeito@outlook.com agreciadoseujeitoviagens@gmail.com tel. +30 2810 342981

A Grécia do seu jeito, Gavaladon 11, TK 71202, Grécia, tel. +30 2810 342981 - 6984 259213, Registro turístico #1039E70000201201, Registro comercial #79478, Associação helênica de agências de turismo #2232


No ar da cidade imperial de Cusco ainda é possível sentir a sabedoria e a cosmovisão inca, que deixaram como ensino sua harmonia com a natureza. O Umbigo do Mundo abriga em seu território o Santuário Histórico de Machu Picchu, a área natural protegida mais visitada do Peru, responsável por resguardar a principal joia dos incas e Maravilha Mundial. Cusco é um dos melhores expoentes de patrimônio natural e cultural do país, com complexos arqueológicos que nunca deixam de surpreender, assim como uma grande variedade de plantas e animais silvestres,


que encontram nesta bonita cidade seu último baluarte. A capital do Império inca também é uma terra de caminhos: Choquequirao, Lares e Salkantay constituem uma aventura cultural e natural, sendo um verdadeiro paraíso para os amantes dos esportes de aventura. Além disso, é possível apreciar toda a beleza do imponente e histórico Vale Sagrado dos Incas, que abriga fortalezas ancestrais, férteis terras de cultivo, montanhas cobertas de glaciares e bucólicos vilarejos. E hoje é possível se alojar nas alturas de suas montanhas sagradas para admirar do céu toda sua imponência. A antiga capital do Império inca foi incluída na Lista do Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, con rmando que um de seus maiores encantos é a fusão do patrimônio inca com a herança colonial espanhola.

www.peru.travel/pt-br


24 Horas em Negev

No sul de Israel, a imensidão do Deserto de Negev impressiona, mas, para quem tem pouco tempo, é fácil conhecê-lo em tours de um dia a partir de Tel Aviv ou Jerusalém. Depois de mais ou menos duas horas de estrada, a primeira parada é MItzpe Ramon, cidade que hospeda a Ramon Crater, maior cratera de erosão de Israel e que forma o maior parque nacional do país. Os mais corajosos podem praticar rapel, mas é possível explorá-la de camelo ou a cavalo. Para matar a fome, almoço ao estilo beduíno é uma boa pedida e uma atração tradicional da região. Antes de voltar às aventuras, conheça o Mitzpe Ramon Visitor Center para aprender mais sobre a história e geologia da região. Um tour de jipe no deserto é essencial. É uma boa maneira de explorar a região ou os cânions de Ein Avdat, que também é opção para caminhadas. Termine o dia descendo as dunas do Negev de sandboarding, uma das atividades mais divertidas


Destino da vez: Netanya Apesar de grande parte do território israelense ser formado por deserto, a costa do país, banhada pelo Mar Mediterrâneo, é preenchida por belas praias. Netanya, a 30 quilometros de Tel Aviv, é uma das cidades com a costa mais extensa de Israel e que vale ser visitada. A principal praia é a Sironit Beach, que pode ser acessada por um elevador de vidro. A área tem muitos hotéis com vista para o mar, bares, hostels e restaurantes. Onot, Amphi próxima do an teatro e Herzl tambem são bem procuradas. Passeios de asa-delta são muito populares e uma ótima maneira de admirar a paisagem. A única topogra a da Riviera Israelense , com praias e falésias calcárias - levou à construção de novas esplanadas, com parques e uma ampla gama de facilidades. A cidade ainda hospeda alguns museus e galerias e até o excêntrico Festival Anual de Palhaços, entre agosto e setembro.

Renata Cohen Diretora-Geral RenataC@goisrael.gov.il

Carolina Dias Comunicação CarolinaD@goisrael.gov.il

Nicole Nanci Nicole.nanci@edelman.com

Lisa Calil José Lisa.jose@edelman.com


SEATRADE CRUISE MED É “CONSAGRAÇÃO DE LISBOA COMO UM DOS GRANDES PORTOS DE CRUZEIRO EUROPEUS” Em Setembro e Outubro, Portugal vai receber quatro eventos marítimos mundiais, com destaque para a Seatrade Cruise Med, uma das maiores feiras de cruzeiros do mundo , cuja realização na capital portuguesa representa um momento privilegiado para a consagração de Lisboa como um dos grandes portos de cruzeiro europeus , considera Lídia Sequeira, presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa. É uma honra receber em Lisboa uma das maiores feiras de cruzeiros do mundo, a Seatrade Cruise Med, naquele que será um momento privilegiado para a consagração de Lisboa como um dos grandes portos de cruzeiro europeus e de Portugal como um destino de cruzeiros cada vez mais relevante à escala mundial , a rmou a responsável esta terça-feira, 26 e Junho, na apresentação dos eventos, na Gare Marítima de Alcântara, e que contou com a presença da ministra do Mar, Ana Paula Vitorino. No total, Lisboa vai receber perto de três mil agentes do sector marítimo-portuário que, além da Seatrade Cruise Med, vão participar na Portugal Shipping Week, na Oceans Meeting 2018 e na BioMarine Business Convention, eventos que a rmam a importância dos Oceanos e da economia azul, mas que têm também uma base de sustentabilidade ambiental , sublinhou Ana Paula Vitorino. A primeira das iniciativas é a Portugal Shipping Week, evento internacional que debate o transporte marítimo e que, de 17 a 21 de Setembro, vai promover conferências, exposições, visitas técnicas e reuniões diversas. Todo o programa do evento está já disponível no site www.portugalshippingweek.com.

Em simultâneo com a Portugal Shipping Week chegar a Seatrade Cruise Med, evento que vai ter lugar no pavilhão 1 da FIL, em Lisboa, a 19 e 20 de Setembro, e que vai reunir cerca de 300 expositores, centenas de prestadores de serviços marítimos de relevância mundial, agentes e operadores e perto de 100 autoridades portuárias, estando já con rmada a presença de mais de 75 executivos das principais linhas de cruzeiro. A 20 e 21 de Setembro, é a vez de se realizar a Oceans Neeting 2018, iniciativa que inclui uma conferência internacional, a decorrer na Cordoaria Nacional, e que vai contar com a participação de 30 oradores de 18 países, além de uma reunião ministerial, liderada pela ministra do Mar portuguesa, Ana Paula Vitorino. De 2 a 4 de Outubro, decorre ainda, em Cascais, a BioMarine Business Convention, um certame internacional ligado às ciências da vida e à biotecnologia azul que encerra o calendário de eventos ligados ao mar e que vai incluir também workshops, encontros B2B, networking e uma área de exposição, que vai estar aberta ao público.


MpD SOLUTIONS Business Travel Shows

Com base em estratégia, planos de negócios, pesquisa de mercado, conhecimento, (re)desenho de processos e tecnologia, a MpD procura sempre estabelecer parcerias com seus clientes em busca de "Soluções para Negócios, Viagens & Shows" com o intuito de aumentar a competitividade e performance das micros, pequenas e médias empresas e no planejamento e acompanhamento de viagens nacionais e internacionais, além de viabilizar, operacionalizar e produzir os mais diversos shows e espetáculos em qualquer cidade do mundo. Nosso diferencial é de não somente detectar GAPs, e sim trabalhar junto ao cliente na resolução dos problemas e na implantação das soluções.

WE THINK GLOBALLY +55 21 99827 1073 - MpD Soluções para Negócios & Viagens. www.malaparadois.com


Onde o moderno e a tradição estão juntos

LISBOA GRUPO

DOIS

www.malaparadois.com Às vezes o que falta para alguém viajar é uma boa dica e uma boa história!

Profile for Edi Marques

The Albert Magazine - Issue#2 - A ILHA ESMERALDA  

Uma pequena ilha, um coração gigante. Terra de lendas, onde o verde brilha mais intensamente e a alegria do seu povo se expressa, orgulhosam...

The Albert Magazine - Issue#2 - A ILHA ESMERALDA  

Uma pequena ilha, um coração gigante. Terra de lendas, onde o verde brilha mais intensamente e a alegria do seu povo se expressa, orgulhosam...

Advertisement