Issuu on Google+

f

Em

co

Computação Gráfica e Editoração Eletrônica - Turma 1004 Equipe: Andressa Rios, Edigar Gomes e Keuly Herbert

DESAFIOS NA MOBILIDADE URBANA DE FORTALEZA O que esperar do Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito

PAITT planeja cinco

ações para requalificar o trânsito de Fortaleza, entre elas a intervenção na Praça Portugal e implantação de binário na Aldeota. Pag. 4 Foto: Keuly Herbert

Intervenção na Praça Portugal

Plano Cicloviário de Fortleza

Pojeto que prevê a implantação de quatro praças na área onde está situada a Praça Portugal deve ser votado no plenário da Câmara.

Ao todo estão programados 304 km de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas por toda a cidade.

Pag. 3

Pag. 6

Os efeitos da Copa na mobilidade urbana Faltando alguns dias para o início da Copa do mundo, em Fortaleza, a única obra concluída até agora é a Arena Castelão.

Pag. 8

Precariedade no saneamento básico

De acordo com o relatório das obras do PAC voltadas para o saneamento básico, o Ceará é o que tem o pior desempenho no andamento. Pag. 7 1


Editorial

Andressa Rios

Edigar Gomes

Mobilidade Urbana

Progresso Desordenado

Mobilidade urbana... Como designar? Hoje os trânsitos caóticos estão por dominar nossas cidades, Fortaleza, uma das cidades com maior congestionamento no país aparece em 4° lugar no ranking. Como mudar isso? Realizar obras ? Como tratar ? Vejo em Fortaleza diversas obras á longo prazo geralmente nas áreas “nobres” da cidade, que só viabilizam melhorias á cidadãos que possuem automóvel, e os pedestres como ficam ? Por lei toda cidade que possua número maior há 20 mil habitantes, deve contar com participação da população ativa moradora da mesma além da administração pública em si, para ideias, votações priorizando veículos não motorizados de melhorias na mobilidade urbana da cidade. O uso de bicicleta, predomina hoje em países da Europa, já utilizado no Brasil e aqui mesmo em Fortaleza , mas ainda carente de avanços. Aspectos de soluções como : mais construções de ciclovias na cidade , bicicletários, políticas públicas voltadas para área de mobilidade sustentável, mídias ativas e conscientização. Trazer a bicicleta como meio de transporte em sociedade é o ideal!

Fortaleza vem crescendo cada vez mais, e seus problemas também são ampliados. Segundo dados do Censo 2010, Fortaleza é a 5ª maior capital do Brasil, na época com estimativa de 2.452.185 habitantes. De lá pra 2013 essa estimativa já cresceu para 2.552.806, aproximadamente 4% em apenas três anos. Já o número de carros, pegando dados de 2001 e 2011 passou de 331.075 para 628.039, ou seja, um aumento de quase 90% em dez anos. A quantidade de motocicletas subiu de 64.845 para 272.955. A tendência é aumentar. Mas estamos preparados para crescer cada vez mais? Como será o trânsito daqui a mais 10 anos da Fortaleza que tem como cultura não saber dirigir, que prevê o aumento muito maior dos veículos particulares ao invés do transporte público? Obras e mais obras são iniciadas, visando a melhoria na mobilidade, mas só conseguem atrapalhar ainda mais com a sua não-conclusão. Medidas imediatas estão sendo tomadas, mas talvez a mais eficiente delas, seja a curto ou longo prazo, fosse a conscientização. Tudo isso precisa ser repensado, caso contrário, Fortaleza vai continuar crescendo e involuindo.

2

Keuly Herbert

Violência Até quando sairemos de casa na incerteza se teremos ou não transporte público? Esse tem sido o questionamento de grande parte da população de Fortaleza. Uma onda de violência tem tomado conta de nossa cidade, trazendo consigo medo e prejuízo aos usuários do transporte. Por causa dos constantes assaltos e até assassinatos dentro dos coletivos, motoristas e cobradores param suas atividades como forma de protesto e pedido por mais segurança. Esse não é um problema novo, greves da categoria acontecem com intervalos cada vez mais curtos e as reivindicações são quase sempre as mesmas; melhores condições de trabalho, reajuste salarial e principalmente segurança. ícu-

los, ocasionando assim, congestionamentos quilométricos. Além desses transtornos, os motoristas ainda se deparam com obras inacabadas, que se arrastam por meses e até anos. Reduzir a velocidade em certos pontos da cidade, por causa de obras na via, é muito comum e com isso, em horários de pico, o motorista leva o dobro do tempo para chegar ao seu destino. Sem contar que se torna alvo fácil de assaltantes. Não são poucos os casos de motoristas que tem seu veículo levado por criminosos ao pararem em semáforos ou durante um grande congestionamento, e ainda há os que perdem a vida sem ao menos reagir. Existe um grito de socorro, preso na garganta de toda uma população. Fartos de tanta negligencia por parte dos governantes, saem às ruas em forma de protesto, fazem greves e mobilizações pela internet, tentando de alguma forma serem ouvidos. Os recursos existem e não adiante dizer o contrário, a Copa está aí para provar. Então, porque não vemos melhorias? Nossa cidade pode sim ter uma ótima malha viária, só precisa de bons gestores, que realmente estejam interessados em melhorar a vida do cidadão e não preocupados com o próprio umbigo.


Intervenção na Praça Portugal

Praça Portugal poderá dar lugar a 4 novas praças.

A prefeitura de Fortaleza, visando melhorias na mobilidade urbana da cidade, apresentou um projeto de “divisão” da praça Portugal: Um dos principais patrimônios históricos de Fortaleza, seria divido em quatro partes para melhora no trânsito da capital. Será a melhor alternativa? A praça Portugal localiza-se nas avenidas Desembargador Moreira com Dom Luís. Apresentando uma rotatória , com área destinada a pedestres : 1.500 m2°. O projeto para reforma

da praça, diz aumentar esse número em cinco vezes , a praça dividida em quatro partes menores, terá ao fim 102 mil m2° , sendo 35% maior que a área atual. Dados apresentados pela prefeitura de Fortaleza, que afirma que com qual projeto, reduzir o mal fluxo do transito na área em 45 %. A área também contará com espaço público de convivência, equipamentos de lazer.

Foto: Edigar Gomes

O ministério Público do Ceará recomendou o tombamento da praça, como patrimônio histórico, com intenção de preservar a praça contra iminentes perigos de demolição... indeferindo assim qualquer prática á praça que a descaracterize do projeto original Tendo a prefeitura de Fortaleza em análise, compreendido que o referencial do patrimônio histórico cultural da praça

encontra-se amparado nos bens de natureza imaterial, não afigurou o tombamento á este caso. Segue então Nesta quarta (4) a comissão especial criada para analisar o projeto da prefeitura de Fortaleza e decidir se haverá ou não votação para o projeto no plenário. Até então tudo segue em debate. Andressa Rios

Projeto proposto para a área da Praça Portugal. Com intenção de melhorar o fluxo de trânsito, muito denso na rotatória da praça, a propõe-se a criação de quatro praças laterais. Foto: Prefeitura de Fortaleza/Divulgação

Foto: Prefeitura de Fortaleza/Divulgação

3


Av. Bezerra de Menezes

Foto: Edigar Gomes

Plano de Ações Imediatas visa requalificar o trânsito de Fortaleza a curto prazo

Cinco projetos já foram anunciados, entre eles a intervenção na Praça Portugal e a implantação do binário na Aldeota. Com olhar nos pontos críticos de trânsito, a promessa é a melhoria na qualidade da mobilidade urbana a curto prazo.

E

m Dezembro de 2013 a Prefeitura de Fortaleza anunciou o PAITT (Plano de Ações Imediatas de Transporte e Transito), conjunto de iniciativas que buscam melhorar o trânsito e o transporte público da cidade, com ações a serem executadas até o final de 2014. Além da reforma na Praça Portugal, mais quatro ações, com foco nos pontos críticos de trânsito, nos estacionamentos irregulares, da regulamentação da zona azul e de um novo modelo de binários, já foram apresentadas. A principal modificação é a implantação do Binário na Aldeota, que será realizada em sete etapas, alternando as vias 4

das avenidas Dom Luiz e Santos Dumont. Elas passarão a operar somente no sentido Papicu/Centro e Centro/Papicu, respectivamente. Pelo menis cinco linhas de ônibus já tiveram suas rotas alteradas devido às intervenções e, segundo a Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania (AMC), agentes no local auxiliam o tráfico e orientam os motoristas e usuários do transporte público. Todas as etapas da implantação devem ser concluídas até o dia 7 deste mês, e as duas avenidas contarão com três faixas para veículos particulares e uma faixa preferencial para ônibus, além de uma ciclofaixa.

Avenida Dom Luíz, que passará a operar somente no sentido Papicu/Centro Foto: Prefeitura de Fortaleza/Divulgação


PAITT propõe melhororia em zonas críticas do trânsito Outra medida anunciada é a implantação do corredor exclusivo para ônibus ligando o Terminal do Antônio Bezerra ao Centro, que abrangerá 8,2 km e passará por oito vias e deve ficar pronto em Agosto. As avenidas por quais o corretor passará, assim como várias outras por toda a cidade, já operam com o sistema BRS (Bus Trafic System), com faixas exclusivas ou preferenciais para o transporte coletivo. O corredor do sistema BRT (Bus Rapid Trafic), porém,

promete mais eficiência. Ao invés do lado direito, que prejudica a conversão dos veículos particulares, no BRT a segregação da via será do lado esquerdo, junto ao canteiro central. Este contará com 28 estações especiais para embarque e desembarque de passageiros. Também ganha destaque a regularização dos estacionamentos zona azul, com a criação de estacionamentos onde o sistema ainda não existe e a ampliação nas localidades que já

o têm. Ao todo, o chamado Sistema de Estacionamento Rotativo Pago (Serp) deverá ter um aumento de 55% em Fortaleza. Além disso, a o plano prevê a contratação de 300 novos agentes de trânsito para intensificar a fiscalização nas áreas onde estão sendo feitas as intervenções.

Edigar Gomes

Parte das ações tem como foco o transporte público, que ganhará faixas eclusivas e o sistema BRT. Foto: Edigar Gomes

FROTA POR VEÍCULOS - FORTALEZA 56,1%

25,36%

9,03% 1,06% Automóvel

Motocicleta

Caminhão/ caminhonete

Ônibus/ microonibus Abril de 2014 Fonte: Denatran

O gráfico ao lado mostra os veículos predominantes no trânsito de Fortaleza hoje em dia. Em número de 513.720, os automóveis estão na frente com 56,1% de todos os veículos que circulam. Ônibus e microonibus juntos constituem apenas 1,06%.

5


O Plano Cicloviário de Fortaleza

De acordo com a prefeitura, Fortaleza possui 74 km de ciclovias, entre municipais, estaduais e federais. Muitas, porém, se encontram em péssimo estado e não funcionam corretamente por falta de cuidados.

No início desse ano, a Prefeitura de Fortaleza apresentou a primeira fase de elaboração do Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI) da rede cicloviária integrada de Fortaleza, nos quais foram investidos R$ 967 mil reais. Grupos de ciclistas e da sociedade civil tiveram 25 dias para analisar o PDCI, porém, integrantes da Associação dos Ciclistas Urbanos de Fortaleza (Ciclovia) reclamam que não participaram da elaboração do plano, apesar da promessa do prefeito Roberto Cláudio em julho de 2013, na assinatura da ordem de serviço do

Foto: Ciclovida/Divulgação

projeto. Depois de manifestações em em Janeiro e Fevereiro, a Secretaria Municipal de Infraestrutura de Fortaleza (Seinf) anunciou que iria se reunir com organizações de ciclistas e sociedade civil para revisar o plano. Ao todo estão programados 304 km de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas por toda a cidade. O plano está em fase de diagnóstico por parte dos técnicos da Seinf, órgão responsável pelo projeto. A prefeitura de Fortaleza anunciou no início de março que receberá recursos do BID para a criação de projetos-piloto de ciclofaixa. No total, será US$ 1,5 milhão (cerca de R$ 3,3 milhões) utilizado em parte do PDCI. O dinheiro virá do Global Enviroment Facility (GEF), fundo global para o meio ambiente que financia ações para redução de gases de efeito estufa. A estimativa da prefeitura é que as obras comecem ainda este ano e terminem em 2015.

Ciclovia da Av. Bezerra de Menezes

Foto: Edigar Gomes

Edigar Gomes

Plano de Arborização

A cidade de Fortaleza começou na manhã do dia 04/05/20014 a implantação do plano de Arborização.  O Plano foi anunciado pelo prefeito Roberto Cláudio no dia 23 de Maio e prevê a plantação de oito mil mudas nos canteiros centrais e nas calçadas de 14 avenidas da capital. Ainda de acordo com a Prefeitura, até dezembro, duas vias de cada regional receberão o plantio. Por sua vez, quem destrói ou danifica, lesa ou maltrata plantas de ornamentação de logradouros públicos ou em propriedades privadas alheias, comete crime ambiental penalizado nos termos do art.49, da Lei 9.605/98. Portanto, pela condição jurídica de bem comum do povo as áreas verdes naturais ou arborizadas podem e devem ser protegidas legalmente pela coletividade através das associações de bairro por meio 6

Você sabe o que é arborização?

Foto: IBGE/Repodução

da ação civil pública ou pelo Ministério Público, ou ainda pelo cidadão através da ação popular. Afinal, por sua importância sócio-ambiental representam valores inestimáveis aos cidadãos, bem como às empresas que nada mais são do que a extensão de nossas atividades e consequentemente de nossos anseios e bem estar. Keuly Herbert

Apesar do assunto ser um dos mais falados no momento, poucos sabem o que é, e qual a importância. Arborizar quer dizer plantar ou guarnecer de árvores um local. Por sua vez arborização é o efeito de arborizar. A arborização urbana é caracterizada principalmente pela plantação de arvores de porte em praças, parques, nas calçadas de vias públicas e nas alamedas e constitui hoje em dia uma das mais relevantes atividades da gestão urbana, devendo fazer parte dos planos, projetos e programas urbanísticos das cidades.


A precariedade no saneamento básico Ruas alagadas, estradas bloqueadas e trânsito congestionado: é assim sempre que chove em Fortaleza. E não é preciso muito, a falta de atenção com o saneamento básico na capital é sentida mesmo quando chove por apenas alguns minutos.

Segundo a pesquisa feita no segundo semestre de 2013 pelo Instituto Trata Brasil, apenas 53,6% de Fortaleza possui cobertura de esgoto. De acordo com o relatório das obras do PAC voltadas para o saneamento básico, lançadas em 2013, o Ceará é o que tem o pior desempenho no andamento, dentre todos os estados brasileiros. A precariedade no saneamento básico, além de gerar graves prejuízos ao meio ambiente e danos à saúde pública, também afeta em muito a mobilidade urbana. A influência dos poucos sistemas de drenagem, e muitas vezes até

esgotos a céu aberto, provocam grandes alagamentos, mesmo quando o volume de chuva é pouco. O problema é agravado ainda mais quando ocorre o acúmulo de lixos, como ocorreu no início do mês de Abril túnel do Mondubim. Segundo a Metrofor, que foi responsável pela retirada da água acumulada, o lixo acumulado impediu que as bombas internas sugassem a água da chuva. Com o alagamento do túnel, o trânsito no início da rua Wenefrido Melo foi completamente interrompido.

Foto: Edigar Gomes

chuva.

Túnel do Mondubim alagado depois de uma chuva fote em Abril desse ano. O trânsito ficou completamente inviável na rua

Foto: TV Verdes Mares/Reprodução

Obras da Avenida Santos Dumont paradas por conta da

Outras áreas que sofrem com a falta de preparo para as chuvas são as áreas com obras inacabadas, como por exemplo os trechos próximos ao estádio Castelão. O trânsito já lento por conta das obras, fica ainda mais denso com a formação de poças de lama e o alagamento de grande parte das vias. A Secretaria Extraordinária da Copa de Fortaleza (Secopafor) garan-

Foto: TV Verdes Mares/Reprodução

te que ao final das obras, com o pavimento e sistema de drenagem finalizados, o problema não existirá mais no local. Pra quem anda a pé, de veículo particular, transporte público ou mesmo de bicicleta em Fortaleza, dia de chuva é certamente também dia de transtornos. Edigar Gomes 7


Metrô de Fortaleza Em meados de 1997, surgiu com o governo, o projeto : Metrofor (Companhia cearense de transportes metropolitanos). Seu maior objetivo : Atender a população das regiões metropolitanas de Fortaleza: ( Fortaleza, Caucaia , Maracanaú, Maranguape e Pacatuba. Podendo chegar, a transportar o número de 485 mil passageiros ao dia.. Em 2013, o Metrofor começou a funcionar com as linhas : Leste, oeste, Sul, Ramal : Parangaba/Mucuripe e Ramal Maranguape , em estações superficiais , subterrâneas

e elevadas. Partindo da estação João Ferreira, Centro(Estação matriz) . Um meio de transporte alternativo para os cidadãos em maior parte moradores de regiões metropolitanas, com melhores condições de conforto, segurança, além de maior acessibilidade, pontualidade e rapidez de chegada ao seu destino,além da redução de impacto ambiental de energia não poluente utilizada pelo metrô. Aproveitando ao máximo a malha ferroviária já existente , o metrô conta com su-

perfície de 43 km de extensão sendo 4 km. Subterrâneos, e 44 km de elevado, implantado em três estágios . O investimento total do projeto estimou-se em : 502 milhões de reais. O metrofor conta com horário de funcionamento de : 05;30 da manhã , as 20:26 da noite. Três espécies de tarifa : Vale trem : Bilhete padrão em todas as estações no valor de R$ 1,00 . Fotos: Diário do Nordeste/Reprodução

Andressa Rios

Os efeitos da Copa na mobilidade urbana

Foto: Edigar Gomes

Faltando apenas alguns dias para o início da Copa do mundo, que este ano terá Fortaleza como uma das sedes, a única obra concluída até agora é a Arena Castelão. A maioria das obras de mobilidade, não foram concluídas. As obras em torno do estádio ainda estão em andamento. Na rotatória do Castelão, que liga as Avenidas Paulino Rocha e a Avenida Si8

las Munguba, o senário ainda é de muito trabalho e trechos interditados. Mas afinal, essas obra vieram para melhorar a vida do fortalezense, ou beneficiar apenas uma parte da cidade? Para especialistas, arquitetos e urbanistas, As obras ajudariam na mobilidade urbana da capital, mas não solucionam o caos atual. E que as obras para

o mundial não foram pensadas para resolver os problemas de mobilidade urbana em Fortaleza. Apesar do visível atraso nas obras, os órgãos responsáveis afirmam que tudo está pronto a tempo do mundial. O valor total dos serviços realizados na Avenida é de cerca de R$ 22,8 milhões. O pacote de obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo 2014 sob responsabilidade da Prefeitura de Fortaleza abrange obras nas avenidas Alberto Craveiro, Via Expressa, Dedé Brasil, Raul Barbosa e Paulino Rocha. O valor total de contrato com a empresa Serveng Cilvisan S/A é de R$ 232.562.147,82. Podemos mencionar também o VLT (Veículo Leve sobre trilhos).Segundo o governo, as obras de implantação da linha do VLT estão dentro do cronograma. Enquanto essas obras

não são concluídas, as vias que já eram difíceis se tornam piores por causa de tantas interdições, questionam alguns motoristas. Muitas famílias foram retiras da áreas por onde as obras estão sendo feitas, muitas delas relutantes. E mesmo com todas essas mudanças há um clima de insatisfação por boa parte da população, que reclama da demora da conclusão das obras e que as mudanças não chegam em outros pontos críticos da cidade. A Copa do mudo trouxe com ela muitas mudanças na malha viária de Fortaleza, mas ao que parece não o suficiente para solucionar a maior parte dos problemas de mobilidade urbana na cidade.

Keuly Herbert


Em Foco