Issuu on Google+

1


2


3


Flor da Lama Pedro Bento e Zé da estrada Venho agora dizer adeus aos meus amigos Eu já não posso viver neste lugar Porque a mulher que viveu sempre comigo Manchou meu nome e na lama foi morar O nosso lar que era um ninho de amor Hoje é um recanto que só existe a solidão E na lama nasceu uma nova flor Para enfeitar o ambiente da perdição E sozinho no silêncio do meu quarto Quantas noites amanheço acordado Sempre olhando na parede o teu retrato Relembrando quando estavas ao meu lado Sinto amargo a destruir minha existência Tenho vergonha de saber aonde ela mora Não podendo suportar a sua ausência Soluçando de saude eu vou embora Tarde da noite quando apaga a luz da lua E os boêmios passam em frente minha janela Sobre o meu leito sozinho escuto uma voz na rua Que vem passando e vem falando o nome dela

4


5 Bruna Marchioro


Asa Branca Luíz Gonzaga Quando "oiei" a terra ardendo Qual a fogueira de São João Eu perguntei a Deus do céu, ai Por que tamanha judiação Eu perguntei a Deus do céu, ai Por que tamanha judiação Que braseiro, que fornaia Nem um pé de "prantação" Por farta d'água perdi meu gado Morreu de sede meu alazão Por farta d'água perdi meu gado Morreu de sede meu alazão Inté mesmo a asa branca Bateu asas do sertão "Intonce" eu disse, adeus Rosinha Guarda contigo meu coração "Intonce" eu disse, adeus Rosinha Guarda contigo meu coração Hoje longe, muitas légua Numa triste solidão Espero a chuva cair de novo Pra mim vortar pro meu sertão Espero a chuva cair de novo Pra mim vortar pro meu sertão Quando o verde dos teus "óio" Se "espaiar" na prantação Eu te asseguro não chore não, viu Que eu vortarei, viu Meu coração

6


7 Bruna Marchioro


HOMO SAPIENS PALHAÇO

Células evoluidas... Homens sonhadores Sonhos utópicos Fãs da tristeza Pois são tristes por natureza Amigos da felicidade Pois precisam dela Caçadores de amor Pois acreditam nele!

8


9 Ericsson Mussulini


10


11 Bruna Marchioro


Bruna Marchioro

12


Durante a nossa vida, Conhecemos pessoas que vem e que ficam, Outras que, vem e passam. Existem aquelas que, Vem, ficam e depois de algum tempo se vão. Mas existem aquelas que vem e se vão com uma enorme vontade de ficar... Pensamos demasiadamente Sentimos muito pouco Necessitamos mais de humildade Que de máquinas. Mais de bondade e ternura Que de inteligência. Sem isso, A vida se tornará violenta e Tudo se perderá.

13


Ser palhaço... Quando eu era jovem, eu pensava que com a arte seria possível mudar o mundo. Eu buscava constantemente um espetáculo que pudesse despertar no coração do público uma esperança. Eu queria mostrar uma maneira diferente de viver, com mais amizade, criatividade, sem a obrigação de perseguir o dinheiro e o poder. Ilusão fútil que eu nunca consegui alcançar. Não só a revolução não chegou, como as pessoas se tornaram cada vez mais loucas e materialistas. Quando eu me dei conta disto eu vivi momentos difíceis pensando, pensando inclusive que minha vida era um fracasso e que todo esforço era inútil. Mas um dia eu tive uma revelação: se não se pode mudar o mundo, pelo menos é possível mudar a si mesmo, encontrar algo em seu coração, um desejo, uma necessidade e entregar-se totalmente a ele, sem olhar para trás. Isso não é para

a sociedade ou para os outros, não, é para você mesmo. E eu fazendo esse palhaço que eu sou, eu encontrei essa coisa. Provocar, burlar e fazer o público rir. Isso era tudo o que eu buscava em minha vida. Por certo eu não mudava o mundo, mas os palhaços nunca mudaram o mundo, passam o tempo tentando sem nunca conseguir, por isso são palhaços. Os palhaços gostam do fracasso e das ações ineficazes, são perdedores alegres e isto é a verdadeira força que têm, nunca se cansam de perder. Desfrutam de cada fracasso e voltam em seguida a fracassar de novo, diluindo assim as certezas das pessoas sérias e que nunca duvidam. Então, esse sangue que pareço ter na minha cabeça, esse sangue que tenho sobre a minha camisa, esse sangue que tenho no meu coração, esse sangue que está todo em mim é tão patético e inútil em seu simbolismo porque é sangue de um palhaço. Um sangue que não vem de uma grande luta ou em nome de uma causa heróica. É sangue de brincadeira, ao mesmo tempo verdadeiro e pouco importante 14


Bruna Marchioro

15


Ericsson Mussulini

16


Um senhor estava deitado, sua boca indicava o

solo, seu quarto era iluminado apenas pela luz que vinha da porta entreaberta. Seu rosto permanecia fechado, e, sua boca soltava palavras nada gentis para as enfermeiras. Seu tratamento fora interrompido por sua irritabilidade para com seu estado. O Médico tentou entrar, mas não era bem vindo, apenas sua família parecia ser bem vinda, mas seus lamentos faziam com que seu interior continuasse escuro. Um Homem de nariz vermelho entra em seu quarto, mas recebe um grito que o expulsa daquele ambiente infeliz, o Homem de nariz vermelho teima em comover aquele senhor, e o questiona sobre o seu maior sonho, recebendo a seguinte resposta: - É a morte.

O homem assustado lembra-se da presença de seu

nariz vermelho e inicia ali o velório fictício do senhor. Com o auxílio de outros Homens de narizes vermelhos, iniciam o tratamento “risológico”. Ali nascia o momento fúnebre que todo velório deveria ter.

A vida do senhor que iria vencer em 14 dias, estendeu-

se há 180 dias, mas, no entanto, o mais importante é que antes a sua boca indicava o solo, indicava agora, o lugar onde o senhor se encontra.

17


18

Bruna Marchioro


Jhonatan Mazo da Cruz – Palhaço Propicio Sendo a alma um turbilhão cercado por barreiras, para que possamos livremente andar em sociedade, torna logo o palhaço o violador. O que quebra obstáculos trazendo a tona o verdadeiro humano do individuo, não interessando de que forma vem, e ai mora o problema. Se na maior parte dos casos esse ser se mostra alegre, engraçado, poético, como a matéria prima pode se mostrar tão longe do ser que se revela, será essas barreiras tão fortes, mas se o palhaço as quebra, porque continuas tão forte ainda? Palhaço é a essência.

19


Bruna Marchioro

20


21


RELATÓRIO RISOLOGISTAS 2011

um povo feliz é um povo saudável e que a recíproca também é verdadeira. Entretanto o segredo disto tudo é como encontrarmos

Esse ano de 2011 foi um ano muito especial

o ponto de equilíbrio e harmonia entre todas

aos Risologistas. Além das apresentações

essas facetas da vida, necessárias para

em mais de 4 estados, estamos conseguindo

o desenvolvimento mais positivo para a

inserir os métodos humanitários em várias

humanidade.

instituições. Com isso percebemos claramente

A palavra chave é justamente - Harmonia

a mudança não só no atendimento, mas

– que etimologicamente significa União e

também no tratamento de cada paciente e no

Construção – para ser mais claro, é unirmos

desenvolver da qualidade de vida de todos os

todas as Dimensões (física, emocional, mental

envolvidos.

e espiritual ) dentro de uma grande roda,

Neste ano buscamos qualificar o modo de

colocando-a num movimento continuo, tal

atenção que é dado aos pacientes e aos

como um dínamo, gerando energia suficiente

funcionários que lidam com o “tratar vidas”

para a auto Construção de um “Ser Humano

diariamente. A nossa ideia é implantar nosso

Pleno”, dentro e fora do ser.

projeto em qualquer serviço de saúde, como

Arriscamos afirmar ainda que, esta é a

Centro de Saúde, Unidade de Saúde da

medicina preventiva, pois pessoas mais felizes

Família, Serviço de Urgência, hospital, nível

adoecem menos e vivem mais, ultrapassando

central das secretarias de saúde, inclusive,

a média da expectativa de vida. Uma

em toda a rede de saúde pública do

afirmação interessante do Dr. Patch Adams,

estado, desde que haja compromisso para

é que “As pessoas harmoniosas e felizes

reorganização do serviço numa outra visão.

são mais queridos pelos outros e tendem

Uma ótica mais humana!

a ser mais tolerantes e criativos”, estas são

Acreditamos que muitas doenças têm

características e padrão comportamental

suas origens no nível emocional. Partindo

que estamos buscando nos profissionais

desta premissa e usando de nossos ideais,

que lidam com pessoas, promovendo desta

podemos afirmar, sem medo de errar, que

forma a “Humanização da Saúde”. 22


Bruna Marchioro

23


Bruna Marchioro

24


*valores aproximados

25


Uma das frentes da companhia Risologistas Doutores do Riso é a apresentação de seus Espetáculos Cênicos em teatros de todas as cidades visitadas. Cuidando da qualidade artística e de uma produção de qualidade, construimos e apresentamos três espetáculos em 25 cidades no ano de 2011. ESPETÁCULOS:

MATO GROSSO E MATO GROSSO DO SUL: Campo Grande | Cuíaba PARANÁ: Cascavel | Cianorte | Curitiba | Foz do Iguaçu | Francisco Beltrão | Guarapuava | Mal. Cândido Rondon | Maringá | Palotina | Ponta Grossa | Sta. Helena | Toledo | Umuarama RIO DE JANEIRO E ESPÍRITO SANTO: Alegre | Rio de Janeiro | Vila Velha SANTA CATARINA: Balneário Camboriú | Blumenau | Florianópolis | Joinvile SÃO PAULO: Assis | Bauru | Marília | Presidente Prudente | Ourinhos | São Paulo

26


Ericsson Mussulini

27


Luiz Padilha

28


Arquivo Pessoal

29


Ericsson Mussulini

30


Ericsson Mussulini

31


Além das apresentações cênicas e as

que não da uma importância a “livros”. E

apresentações nos Hospitais, a Companhia

de nenhuma forma podemos pensar em

Risologistas preocupou-se muito em levar a

Educação sem pensar em Arte e Cultura.

alegria através de eventos e performances,

   Ampliamos

criados para difundir e movimentar a imagem

trabalho, além dos palcos e dos hospitais,

da nossa Companhia em todo o Brasil.

concentramos nossos esforços na formação

nosso

campo

de

e no desenvolvimento de alunos e professores São elas:

da rede pública. Através das aulas de circo

1. Dia Do Riso

e teatro, buscamos oportunizar a todos uma

2. Apresentações em APAEs

evolução no que se refere cultura.

3. Performances em Locais Destruídos

   Nas

por Tragédias Naturais

workshop aos professores da Rede publica

4. Apresentações em Postos de

e apresentação dos nossos espetáculos

Atendimento

aos alunos. Nas universidades lecionamos

escolas

levamos

oficinas

e

oficinas e Palestras, para motivar a criação de   Acreditamos

que

vivemos

tempos

conturbados, onde a sociedade vive em

novos grupos e para difundir a nossa filosofia artística.

busca das mesmas idéias e lutando pelas mesmas coisas. A racionalidade vem tomando

UNIVERSIDADES:

conta de nossa comunidade. Acreditar no irreal se tornou absurdo. Com tanta violência,

MS e MT: UFMT | UFMS

corrupção e descaso, parecem ser impossível

PR: FAG, UNIPAR (Cascavel) | UNIOESTE

alcançar aquilo que não podemos tocar;

(Cascavel, Foz do Iguaçu, Mal. Cdo. Rondon,

   Pensando nisso, acreditamos que o

Toledo) | PUC, UFPR (Curitiba) | UEM (Maringa)

desenvolvimento de uma sociedade está

| UNIPAR (Cianorte)

ligado diretamente a educação. Sabemos

SP: UNESP (Ourinhos) | PUC (São Paulo) |

também do medo de se investir na educação,

UNIMAR (Marília) | UNIP (Assis)

pois é muito mais fácil dominar um povo

SC: UFSC (Florianópolis) | UNISUL (Tubarão) 32


Arquivo Pessoal

33


Bruna Marchioro

34


Bruna Marchioro

35


Bruna Marchioro

36


37


Ericsson Mussulini

38


Ericsson Mussulini

39


Arquivo Pessoal

40


41


RISOLOGISTAS

  O Ato de ser ridículo é o inicio de um desprendimento material e sensorial de inutilidades que nos foram impostas desde o nosso nascimento.   O Palhaço está na quebra, no homem que acorda às 6h da manhã e indo até a obra para construir mais um dragão de pedra, ouve seu samba em seu celular fm e acredita que a queda do tijolo do décimo terceiro andar em sua cabeça, será engraçado, pois para os justos no mundo de hoje, a tragédia já não é mais padronizado e sim a desfragmentação de uma vida inóspita e a abertura de um sorriso sem os dois dentes da frente.   Em 5 anos de projeto ainda acordo pensando até onde manteremos esse sonho? O sonho de mudar o mundo!   Ser palhaço é bagunçar tudo que acreditamos estar organizado, é quebrar padrões, é aceitar que todos são fracassados e que isso nos faz tão sensível.   Ser palhaço é idolatrar o medo, temer a coragem, ser sábio utilizando dos meios mais estúpidos. Ser palhaço é ser humano, é não ter medo das tortas na cara e dos chutes na bunda. É ser a ação, o óbvio, o complexo, o assustador, o sensível, o imbecil. Posso ficar horas definindo um palhaço, todavia precisarei vidas para explicar o sentido de sua existência.   Pois sendo ele a bagunça organizada em um mundo que busca se “coisificar” a cada momento, qual o sentido do “riso” nisso tudo?   É essa certeza do incerto que me faz acreditar que iremos mudar o mundo! Alfredo Cruz Palhaço Santa Rita 42


Bruna Marchioro

43


Ficha Técnica Direção Geral: Alfredo Cruz Direção Artística: Jhonatan Mazo Produtor Executivo: Alan Cesar Coordenadora Do Projeto: Mayara Beluco Músicos: Dr. Patusco Dr. Pituxo Dra. Sempreinstância Clowns: Dr. Propicio Dra. Pidi Dr. Pituxo Dr. Santa Rita Fotografia: Bruna Marchioro Ericson Mussulini Publicidade: Vórtice Comunicação

Bruna Marchioro

44


45


Bruna Marchioro

46


47


48


Bruna Marchioro

49


Bruna Marchioro

50


51


www.risologistas.com.br 52


Anuário Risologistas