Page 78

MERCADO

Há três tipos principais de facilitadores: empresas de operação e logística, de tecnologia e de pagamento. Operação e logística Logística é uma função crítica para lojas virtuais, já que envolve o transporte seguro e rápido das mercadorias do armazém para o cliente. Na Índia, apenas poucas empresas internacionais de logística – como a Blue Dart (subsidiária da DHL), TNT e FedEx – atendem o mercado, que é dominado por um grande número de pequenos intermediários e operadores logísticos de terceiros que trabalham para gerenciar as operações dos clientes. Empresas como Gati e Delhivery são muito conhecidas localmente e oferecem serviços logísticos completos desde a armazenagem, controle do inventário até a entrega. Já a Blubox e Browntape possuem uma gama de serviços mais ampla, além do pacote logístico, cuidam também das promoções e atendimento ao cliente. Tecnologia A função da tecnologia se refere amplamente à infraestrutura e às pessoas necessárias para manter e executar sites e aplicativos de comércio eletrônico de forma segura e eficaz. Como todas as funções em um negócio tendem a usar a tecnologia de alguma forma ou de outra, as referências à tecnologia nesta seção consideram especificamente o transacional de uma loja virtual. Como mencionado anteriormente nós vimos na Índia o potencial que o País oferece. Percebemos que o cenário é muito similar ao do Brasil a 10 anos atrás. Durante nossa passagem por Mumbai, tivemos uma reunião com um dos sócios da Techouts e houve uma sinergia instantânea, criando a oportunidade de unirmos a nossa tecnologia de e-commerce com o conhecimento do mercado da Techouts formando o maior facilitador tecnológico para empresas que queiram atuar no país. Pagamento O setor de comércio eletrônico indiano é fortemente dependente da forma de pagamento Cash on Delivery (CoD), pois é a escolha preferida dos consumidores locais devido à falta de confiança nas transações online, à baixa penetração de cartões de crédito e débito, entre outras. O modelo de pagamento em dinheiro na entrega corresponde a quase 70% das transações online e está disponível em 600 cidades da Índia. 78

ECBR

Os bancos estão criando diferentes modelos para incentivar o uso do cartão de crédito ou débito, como pagamento parcelado (localmente chamado de Easy Monthly Installment EMI) e programa de pontos para resgatar benefícios ou dinheiro (cashback). Entre os vários serviços de pagamento disponíveis no País, os mais conhecidos e amplamente utilizados são CCAvenue, BillDesk e TechProcess. Como fruto da desmonetização, a Índia viu um aumento fenomenal no número de carteiras digitais (eWallets) e está se movendo lentamente para ser um país sem dinheiro. Startups como Paytm e FreeCharge permitem que os consumidores façam compras online e offline, além de poderem pagar suas contas de serviços como luz e celular. Outras empresas que oferecem tal serviço são Airtel Money e Citi MasterPass. Perspectivas: por que uma empresa brasileira deveria explorar o mercado indiano? A Índia está à beira de uma revolução no comércio eletrônico. Embora o e-commerce esteja presente no país há mais de uma década, apenas nos últimos anos é que o ecossistema apropriado começou a se desenvolver. Fatores como investimento robusto, aumento no acesso à internet, entre outros já mencionados, impulsionaram o crescimento desta indústria e, se as projeções atuais acontecerem, a Índia está em rota para se tornar o mercado de comércio eletrônico com o crescimento mais rápido da história. O país possui uma cultura e hábitos extremamente peculiares com sua culinária, personalidade e vestuário. Entretanto, o comportamento online se assemelha muito à cultura do e-commerce de países emergentes, como o Brasil. Em linhas gerais, há dois tipos de usuários: aqueles que querem a melhor oferta e desconto, deixando a qualidade e tempo de entrega em segundo plano; e aqueles que procuram qualidade e entrega rápida. Nós, brasileiros, somos muito versáteis e criativos; passamos momentos distintos em nossa economia e conseguimos fazer a indústria do e-commerce crescer em nosso país a ponto de virar referência internacional e apontada nos mais variados relatórios e pesquisas mundiais. Por esses motivos, acredito que exista um enorme potencial para as empresas brasileiras expandirem suas atividades para a Índia. No entanto, isso não será livre de desafios, seja operacional, legal ou digital, porém a escolha dos parceiros facilitadores será, sem dúvida, crucial para o sucesso dessa jornada.

O e-commerce conquistou a indústria!  
O e-commerce conquistou a indústria!  
Advertisement