Page 20

TRIBUTAÇÃO

Realidade Brasil x Novos paradigmas Entra presidente, sai presidente, mas o Brasil continua com o status de País de terceiro mundo e, o pior, com mentalidade (e educação) de país subdesenvolvido. Ou seja, nada muda em relação à realidade desse status quo da nação brasileira e, geralmente, quando há alguma mudança, é através de alto custo. Por isso, é necessária uma mudança de paradigmas no cotidiano da cultura organizacional brasileira (sobretudo, na cultura governamental) para que a visão arcaica seja descartada. Principalmente porque o empreendedor do segmento de e-commerce, assim como os profissionais de TI e de Sistemas de Informação, faz parte de um cenário (sério) que movimenta bilhões de dólares (FONTE: https://goo.gl/QaJpXR).

20

ECBR

SAIBA MAIS Boas notícias para o e-commerce e marketplaces - https://goo.gl/rukNEj A desburocratização urgente do comércio exterior brasileiro - https://goo.gl/mnDbE3 Câmara dos Deputados estuda proibir isenção de ICMS - https://goo.gl/6TMYu9

foto - shutterstock - StudioPortoSabbia

Comércio tradicional x Comércio eletrônico O pensamento comercial ortodoxo da economia tradicional, em termos gerais, mais atrapalha do que ajuda no mundo virtual - salvas as devidas exceções. E prova disso é o fato de que várias empresas de renome não tiveram a mesma sorte no comércio virtual - e, hoje, revisam seus projetos na tentativa de compreender o pensamento e as tendências da nova geração de consumidores. Dessa forma, algumas regras que se aplicam na vida real, de fato, são arcaicas e limitantes no mundo virtual. Inclusive, muitas pessoas ainda não entendem o que é Internet e suas inúmeras possibilidades. Por isso, cometem muitos equívocos ao tentarem conectar coisas distintas. Em termos gerais, esse é o maior dos equívocos, assim como a tentativa de debitar, exacerbadamente, na conta dos usuários todo e qualquer custo. Por conseguinte, ao enrijecer as tributações, nada-se contra a corrente mundial nas águas de um rio virtual caudaloso que corre repleto de novas ideias, assim como de tendências e novos hábitos que brotam em milésimos de segundo. Segundo Ronaldo Lemos, um dos criadores do Marco Civil da Internet, “há uma cultura de inovação entre nós que fica reprimida por agendas presas a modelos do passado ou por falta de visão de futuro». Logo, tanto os responsáveis pela política econômica do País quanto os empreendedores poderiam adquirir uma nova mentalidade e uma nova postura diante dos desafios do e-commerce brasileiro, principalmente visando ao início de uma nova cultura comercial, sobretudo mais competitiva e menos onerosa ao usuário.

Vale a pena empreender no Brasil? A resposta advém da natureza: “Os dinossauros estão extintos, mas os pássaros continuam existindo”. Portanto, a resposta é: SIM! Inclusive, a melhor chance de ascensão financeira para quem não nasceu com a genialidade de Bill Gates, Steve Jobs ou Steve Wozniak é adquirir conhecimento sobre a área que pretende investir. A priori, recomenda-se pesquisar um nicho adequado ao perfil do empreendedor e aperfeiçoar o e-commerce gradativamente, assim como buscar informações sobre a tributação do e-commerce. Também é recomendável efetuar um planejamento com metas mais realistas e um acompanhamento efetivo (plano x realidade), construir um Business Model Canvas e aperfeiçoá-lo, definir metas via OKR, ter um plano de negócios e contatar especialistas para obter informações sobre tools ideais e confiáveis para maximizar o valor da empresa. Por fim, o empreendedor brasileiro é guerreiro por natureza, por isso cada um encontrará suas próprias soluções. É claro, todo segmento profissional tem seus momentos de glórias e dificuldades, mas se no cotidiano você se sentir feliz e satisfeito, é porque atingiu o fator mais importante: a felicidade. E a partir daí, tudo é possível!

O e-commerce conquistou a indústria!  
O e-commerce conquistou a indústria!  
Advertisement