Issuu on Google+

Escola Comércio Lisboa

Ano 1 n.º 1 – 1.ª edição dezembro 2013

A nossa primeira aula! Realizou-se no passado dia 05 de novembro, a Aula Inaugural do Ano Letivo 2013/2014. A sessão contou com a presença do Dr. Nuno Seabra, administrador do NATA Lisboa que nos veio falar sobre "O Pastel de Nata à conquista do mundo!".

Flash Prémio Mercúrio A 4ª edição do Prémio Mercúrio, o melhor do Comércio e Serviços realizou-se no passado dia 25 de novembro, no Centro de Congressos do Estoril, cuja gala foi dirigida pelo apresentador Francisco Meneses.

Espaço Marquês de Pombal onde decorreu a Aula Inaugural

Click and Collect

Espelho meu, espelho meu…

Let´s look at the trailer…

“As ideias simples são, em geral, as melhores. As diversas modalidades deste conceito designado, na expressão anglo-saxónica, por “click & collect” são bem ilustrativas desta perceção.”

“O espelho inspirado no reflexo da lua na água foi sendo aperfeiçoado ao longo dos tempos, tornando-se objeto obsessivo por grandes nomes da História, tais como Cleópatra, Napoleão Bonaparte, Júlio César, Maria Antonieta, entre outros.”

Artigo de opinião sobre o filme O Mordomo (The Butler), do realizador norte-americano Lee Daniels.

Por José António Rousseau

Por Fernando Ferreira

Por Patrícia Barradas


Aqui na Redação Ficha Técnica ECL News – Jornal Escolar Propriedade: Escola de Comércio de Lisboa (ECL) Periodicidade: Trimestral Ano 1, n.º 1 | dezembro de 2013

press@eclisboa.net Direção:

Piedade Redondo

Diretor de Redação:

Mauro Silva (2º Ano Informática de Gestão)

Direção Gráfica:

Isabel Oliveira

Direção Fotográfica:

Isabel Oliveira

Revisão de Textos:

Isabel Oliveira Lisete Silva Patrícia Barradas

Equipa de Redação Edição Gráfica:

Rui Neves (2º Ano Informática de Gestão)

Repórteres:

António Torres (2º Ano Informática de Gestão) Eduardo Tavares (2º Ano Informática de Gestão) Erikson Fernandes (2º Ano Informática de Gestão) Pedro Santana (2º Ano Informática de Gestão) Renata Silva (2º ano de Comércio)

Colaboradores:

Cláudio Vaz Isa Silva Helga Duarte Tânia Martins Patrícia Lima Patrícia Videira

Finalmente sai a primeira edição do ECL News! Alunos, colaboradores, formadores e empresários, todos têm um lugar neste jornal que é de todos. Vamos tentar abordar todos os temas da atualidade empresarial, escolar e, claro, vamos sugerir atividades “off-the-record” aos nossos leitores, vocês!

Estes últimos 3 meses (incluindo o presente mês de dezembro) que compõem o primeiro trimestre de aulas, também foi época de trabalho para os alunos, formadores e colaboradores que compõem o ECL News. Todo o resultado está aqui presente num autêntico “diamante em bruto”. Espero, pessoalmente, que nos ajudem a “limar as arestas” de forma a ser mais um pouco do património da ECL. Para isso, queremos ouvir as vossas sugestões, opiniões e acima de tudo, queremos a vossa participação nas atividades que formos desenvolvendo! Deixo-me desde já disponível a todos para qualquer assunto!

Se for um bom jornal é porque vocês assim o quiseram e fizeram… 2


Editorial É com enorme orgulho que partilhamos a primeira edição do jornal digital da Escola de Comércio de Lisboa, o ECL News. O ECL News, com uma periodicidade, trimestral antecipará e acompanhará as iniciativas e os eventos da ECL, as melhores práticas no Sector do Comércio e Serviços e destacará a excelência dos nossos alunos, equipa e parceiros. Nesta primeira edição, destacamos duas das mais recentes iniciativas que tiveram lugar no mês de novembro de grande importância para a vida da Escola, a Aula Inaugural e o Prémio Mercúrio. A Aula Inaugural pretende, por um lado, evocar a abertura do ano escolar, acolhendo e dando as boas vindas aos Alunos que INAUGURAM a sua caminhada na Escola de Comércio de Lisboa; e, por outro lado, endereçar uma palavra muito especial aos antigos-alunos que INAUGURAM uma nova etapa pessoal e profissional, premiando a excelência do seu trabalho. Na sessão da Aula Inaugural deste ano foram passadas as seguintes mensagens:     

Aos atuais Alunos, que trabalhar, trabalhar, trabalhar … sempre foi preciso, mas é cada vez mais necessário! As Alunos, recém-formados, que receberam o seu diploma, votos de muito SUCESSO, com a esperança de que a experiência na Escola ecoe para a vida! Aos antigos Alunos, que contamos com eles para dignificar a Escola de Comércio de Lisboa! Aos Empresários, que nos têm apoiado e acompanhado, que sem eles, a Escola de Comércio de Lisboa não seria o que é hoje! Aos Colaboradores da Escola, que continuem a ser a equipa fantástica e lutadora de sempre!

Em relação ao Prémio Mercúrio, destacamos que, pela quarta vez, Portugal, através dos seus empresários e consumidores, elegeu, em diversas categorias do Sector do Comércio e Serviços, casos exemplares de originalidade, inovação, formação, competência, empreendedorismo e responsabilidade social. A entrega dos Galardões ocorreu no Centro de Congressos do Estoril, no passado dia 25 de novembro, contando com a presença de mais de 500 convidados que, com entusiasmo, aproveitam o encontro para fomentar relações profícuas, contribuindo para melhorar e modernizar o Sector do Comércio e Serviços. Em jeito de conclusão, podemos dizer que a forte ligação ao mundo empresarial é a imagem de marca da Escola de Comércio de Lisboa, que, há 24 anos desenvolve todos os esforços para estar em contacto permanente com empresas e profissionais do Sector do Comércio e Serviços, lançando a ponte para que os seus alunos enriqueçam a sua formação e o seu conhecimento, preparando-os para o dia-a-dia do mercado de trabalho.

Por Piedade Redondo (Diretora da Escola de Comércio de Lisboa) 3


Fotorreportagem Aula Inaugural 2013/14 Iniciamos por evidenciar a presença do Dr. Nuno Seabra, administrador do NATA Lisboa que nos veio falar sobre: "O Pastel de Nata à conquista do mundo!".

Primeira Aula ministrada por Dr. Nuno Seabra

Entre os diversos convidados, contámos ainda com a presença do Dr. Carlos Vieira (Presidente do Conselho de Gerência da ECL), do Eng.º João Vieira Lopes (Presidente da Confederação de Comércio e Serviços de Portugal), da Dra. Conceição Soeiro (Administradora do Grupo Ensinus) e do Professor Doutor Gonçalo Xufre (Presidente do Conselho Diretivo da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional). Professor Doutor Gonçalo Xufre na inauguração do ECL Restaurante-Bar

A participação do Professor Doutor Gonçalo Xufre passou também pela inauguração da nova empresa de treino da nossa escola: ECL Restaurante. Para além dos vários testemunhos reunidos ao longo da Aula Inaugural, bem como dos momentos fotográficos registados, destacamos ainda uma das entrevistas realizadas.

4

Dra. Conceição Caldeira e outros convidados

Dra. Cristina Iglésias da Costa e Dr. Carlos Vieira na ECL Alimentar com um aluno do Vocacional Básico


Testemunhos Fernando Conde, docente de Geometria Descritiva, entre outras disciplinas, contou-nos que esta é a sexta vez a que assiste a uma Aula Inaugural, tendo feito um intervalo no ano passado. Espera com mais esta “aula” a confirmação da excelência da comunidade ECL, alunos, professores e restante comunidade educativa. Para si é um momento para celebrarmos o excelente trabalho que a escola tem vindo a desenvolver ao longo destes últimos anos. Já Ester Silva, Coordenadora do Curso de Técnico de Informática de Gestão, espera o de sempre: bons prémios; uma boa conferência; sobretudo, mostrar o que há de novo no mercado; que a empresa convidada venha mostrar mais uma novidade, o que é o empreendedorismo, como é o caso deste ano em que temos os pastéis de nata, que considera muito interessante e, finalmente, rever os alunos que concluíram os cursos o ano passado. Para Patrícia Videira, docente de Economia, as perspetivas para este ano letivo que estamos a iniciar é que os alunos sejam muito empenhados, encarem com muita seriedade o seu futuro e sucesso escolar, sempre numa lógica de trabalho. Tendo em conta os oradores da “aula” espera aprender muito e que a partilha de saberes permita-lhe sair um pouco mais «rica».

Florinda Santos, coordenadora dos serviços administrativos e que está na escola desde o primeiro dia, desde 16 de outubro de 1989, o que perfaz 24 anos, já assistiu a várias “aulas”, informando-nos que no primeiro ciclo de formação, que foi de 1989 a 1992, havia a entrega de diplomas e o termo «Aula Inaugural» ainda não era utilizado. Para este ano espera o habitual, ou seja, que a escola mantenha o nível de excelência em termos de eventos, pois este é de uma forma geral fantástico e como tal, não vai ser uma exceção.

A aluna Raquel Silva, do 2º Ano do Curso de Técnico de Organização de Eventos, acha que a maior dificuldade de participar na organização é controlar os alunos, os professores, enfim, o movimento das pessoas. Quanto às suas expetativas, deseja que tudo corra bem e que nada falhe.

Por Renata Silva (2º Ano de Comércio) e Mauro Silva (2º Ano de Informática de Gestão)

5


Grande Entrevista Entrevista realizada à Dra. Ana Paula Alturas (APA), coordenadora do Curso de Educação Formação (CEF) Tipologia 3, Empregado Comercial, por António Torres (2º Ano de Informática de Gestão) (AT) AT: Boa tarde, Dra. Ana Paula Alturas, nós somos do jornal da escola e gostaríamos de saber como se sente ao entregar os seus diplomas aos alunos passados?

Entrega dos diplomas aos alunos do CEF

Um novo espaço, mais uma empresa de treino!

APA: Estou muito contente, porque foi o último ano do Curso de Empregado Comercial, do CEF Tipologia 3, que se iniciou em 2005-2006, portanto existiu durante 7 anos aqui nesta escola e é com grande honra que entrego os últimos diplomas aos alunos que terminaram em julho de 2013. AT: E nestes 7 anos foi sempre a Dra. Ana Paula Alturas a Coordenadora do Curso? APA: Sim, fui sempre eu a Coordenadora do Curso e terminámos com uma turma formidável. AT: Muito bem. Bom, nós sabemos dessa sua vasta história na ECL e apreciaríamos saber o que é que tem a dizer sobre a nossa escola.

Inauguração ECL Restaurante-Bar

APA: É uma escola que forma alunos para o mundo do trabalho; é uma escola muito virada para a prática e é uma escola que vos ensina valores como pessoas, portanto valores educacionais, e como serem melhores pessoas, além de bons profissionais. AT: E qual é a sua relação com os alunos? APA: A minha relação com os alunos é principalmente profissional e tento transmitir rigor e que eles saibam utilizar as regras da escola, para poderem, de uma forma melhor, vingarem no mundo do trabalho. AT: Muito obrigado pelo seu contributo. APA: O prazer é todo meu. Por António Torres (2º Ano de Informática de Gestão)

Alunos do curso de Restaurante-Bar

6


Alunos do Curso de Educação Formação (CEF), tipologia 3 de Empregado Comercial Questões: 1 - Como conheceu a escola? 2 - Expetativas/Objetivos? 1 - Através de um amigo. Fascinou-se quando

conheceu a escola. 2 - Acabar os três anos do curso, sendo que a sua turma será a melhor que a escola jamais teve/terá. Cristiana Soares (1º Ano de Organização de Eventos)

1 - Através do seu irmão, que foi ex-aluno da escola. 2 - Concluir o estágio com nota 20, e ter um grande futuro, com uma importante gestão de carreira. Joana Botelho (1º Ano de Restaurante-Bar)

1 - Através de um amigo e, posteriormente, visitou a escola. 2 - Acabar os 3 anos do curso e arranjar logo um emprego. Miguel Afonso (1º Ano de Vendas)

1 - Recomendação de uma escola, e através do site. 2 - Acabar os 3 anos do curso e, posteriormente, arranjar um emprego. Pedro Fernandes (1º Ano de Comércio)

1 - Através de um amigo. 2 - Acabar o curso com uma boa média, e mediante esse fator ir para a faculdade ou arranjar emprego.

1 - Através de amigos. 2 - Acabar os 3 anos do curso na escola e trabalhar para o sucesso. Tomás Fidalgo (1º Ano de Organização de Eventos)

Phillippe Toledo (1º Ano de Vendas)

1 -Através da internet. 2 - Acabar o curso com uma boa média e ir para a faculdade.

Tiago Marques (1º Ano de Comércio) Por António Torres e Eduardo Tavares (2º Ano de Informática de Gestão)

7


Alunos Novos Questões: 1- Como conheceu a escola? 2- Expetativas/Objetivos? 1 - Através da internet. 2 - Concluir o 9º ano e tirar um curso na escola. Joel Santos (Vocacional Básico – 1 Ano)

1 - Através de amigos. 2 - Acabar o 9º ano, concluir os seguintes 3 anos na escola e arranjar emprego. Repórteres ECL News a entrevistar um aluno

Rita Sousa (Vocacional Básico – 1 Ano)

1 - Visitou a escola e gostou. 2 - Acabar o curso e arranjar um bom emprego na área. Ricardo Lopes (1º Ano Informática – Instalação e Gestão de Redes)

1 - Através de uma amiga. 2 - Deseja que corra tudo bem, para acabar o curso e assim tirar um curso de Marketing na faculdade, ou arranjar logo emprego. Sara Batista 1º Ano de Organização de Eventos

1 - Visitou o site na internet e gostou da escola. 2 – Ser uma boa vitrinista, ganhar muito dinheiro e, com isso, ser uma mulher de sucesso. Cláudia Pina (1º Ano de Vitrinismo)

1 - Através de amigos. 2 - Terminar os 3 anos do curso e arranjar logo um emprego. Cláudio Ferreira, 1º Ano de Vendas

Receção dos Convidados à entrada da Escola

8


O testemunho que faltava…

O Dr. Paulo Borges foi durante vários anos Diretor Geral e Diretor de Marketing Europeu da Checkpoint. Atualmente, para além de outras atividades profissionais, é membro da direção do Fórum do Consumo. É de mencionar que há vários anos colabora com a Escola de Comércio de Lisboa, sendo nestes últimos anos o Orientador Profissional do 3º ano do curso de Técnico de Marketing. O Dr. Paulo Borges confirmou-nos a sua presença pela segunda vez numa Aula Inaugural da nossa escola. Questionado sobre as perspetivas relativamente à ECL, confessou-nos que espera que a Escola continue com o projeto que tem realizado e que o seu contributo em formar estudantes, numa vertente prática, numa área de negócio que é o comércio, que tem pouca atenção do ponto de vista académico, prossiga cada vez mais. No que diz respeito ao Fórum do Consumo esclareceu-nos quanto ao seu objetivo, ou seja, este existe para estudar o consumo enquanto atividade económica, transversalmente, em toda a cadeia de abastecimento, desde a produção até ao consumo, ao utilizador final. Do mesmo modo, procura entender as várias tendências, aspetos importantes como a sustentabilidade, ou aspetos relacionados com o consumo, enquanto dinâmica económica e quais são as caraterísticas principais, mais eficientes para todos os envolvidos na cadeia de abastecimento. Por Mauro Silva (2º Ano de Informática de Gestão)

9


Jobs For Boys & Girls

Ao longo de mais de 15 anos tem vindo a Escola de Comércio de Lisboa a proporcionar, em parceria com empresas e instituições diversas europeias, mobilidades variadas aos seus alunos, na sua grande maioria estágios profissionais curriculares na Europa ao abrigo do Programa Europeu Leonardo Da Vinci. Estes estágios têm-se revelado de capital importância na aquisição e/ou aprofundamento por parte dos candidatos de competências a nível sociocultural, linguístico, pessoal e profissional, que lhes permitam, no confronto com outras realidades, desenvolver ferramentas de competitividade, motivadoras do reconhecimento de uma verdadeira cidadania europeia e potenciadoras de uma real mobilidade profissional futura no espaço económico da União Europeia. Com efeito, para além de se tratar de um estágio curricular, os alunos ficam com um comprovativo do seu percurso europeu que refere todos os dados relevantes, como sejam o nome das duas organizações que monitorizaram o estágio (neste caso, escola e empresa onde o aluno estagiou), o objetivo, a duração e conteúdo do estágio e, finalmente, que competências foram desenvolvidas e trabalhadas durante o estágio. Esta experiência e a respetiva demonstração curricular vem também no sentido do reforço do sentimento de pertença e de cidadania europeia que o Programa Leonardo da Vinci e a Escola de Comércio de Lisboa procuram promover.

Por Piedade Redondo Diretora da Escola de Comércio de Lisboa

O grupo de alunos estagiários em Colmar numa visita cultural

10

Rita Costa, aluna do 2º ano de Vendas na Douglas em Barcelona


Os testemunhos de Estágios curriculares na Europa Testemunho de Inês Duarte, antiga aluna do 2º ano do Curso de Técnico de Vitrinismo na ECL e participante do Projeto Ecoljovem XII em Estrasburgo, França em 2011 “Com esta experiência fui capaz de comparar o comércio português com o francês e perceber as diferenças existentes, desde os horários de funcionamento, as mudanças de turnos ao tipo de atendimento. O estágio que realizei na C&A de Estrasburgo foi uma experiência muito gratificante e enriquecedora, tanto a nível pessoal como profissional; só tenho a agradecer à Escola de Comércio de Lisboa pela oportunidade que me deu de poder estagiar no estrangeiro e crescer tanto. De facto, nas 5 semanas em que acompanhei a visual merchandiser da empresa aprendi tanto, que esse "tanto" não as quantifica... Neste momento já sinto algumas alterações, mas tenho a certeza que esta experiência vai ter ação a médio-longo prazo, ou seja, daqui a uns anos, quando já estiver no mercado de trabalho vou sentir todas as diferenças e utilizar todos os ensinamentos a que me propus. É neste sentido que o documento Europass Mobilidade será fundamental, pois poderei comprovar todas estas competências desenvolvidas e assim abrir uma porta para depois poder mostrar a qualidade do meu trabalho!”

Testemunho de Tânia Martins, antiga aluna do Curso de Técnico de Informática de Gestão na ECL e participante no Projeto Ecoljovem X em Barcelona, Espanha em 2008

"Enquanto aluna da Escola de Comércio de Lisboa, realizei o meu estágio curricular de 2º ano do Curso de Técnico de Informática de Gestão em Barcelona através do Programa Leonardo da Vinci em junho-julho de 2008 na empresa Disco Group, uma empresa de Organização de Eventos onde tive a oportunidade de participar na conceção e desenvolvimento de um site para esta empresa. Este estágio representa hoje para mim uma aquisição de conhecimentos, novas aprendizagens, experiências e valores que me permitem ter uma visão bastante diversificada da realidade do mundo do trabalho, bem como o sentido de camaradagem e a importância do trabalho em equipa.

11


Testemunho de Inês Pereira, antiga aluna do 2º ano do Curso de Técnico de Comércio na ECL e participante do Projeto Ecoljovem XII em Cardiff, Reino Unido em 2011 “A experiência proporcionada pelo programa Leonardo da Vinci foi, sem dúvida, a melhor que já vivenciei em toda a minha vida. De um ponto de vista profissional estou certa que me irá abrir "portas" indispensáveis ao meu sucesso, uma vez que com o documento Europass mobilidade serei reconhecida na União Europeia pelo estágio realizado na empresa BHS, em Cardiff, no sentido dos conhecimentos adquiridos em formação, bem como pelas situações com que aprendi a lidar no meu local de estágio. A nível de concretização pessoal e crescimento penso que esta é uma oportunidade que todos os alunos devem agarrar e fazer por merecê-la. As 6 semanas passadas no estrangeiro serviram para me familiarizar com outras realidades que não a nossa, e perceber o que há de bom e de menos bom nas diferentes sociedades. Obrigada pela oportunidade que me foi dada e espero que futuros alunos a aproveitem da melhor forma possível.”

Testemunho de Sérgio Carvalho, aluno do atual 3ºano do Curso de Técnico de Comércio na ECL, estágio nacional no ano letivo 2011/2012, na empresa Pingo Doce.

“Era a minha primeira vez e os nervos mais que muitos. Não saberia o que dizer ou o que fazer, pois nunca tinha estado diante de uma grande empresa. Penso que sejam estes os primeiros sentimentos que temos quando vamos para estágio, sendo que este é o primeiro contacto que temos com o contexto real de trabalho de forma mais extensa, intensa e prática. Não nascemos ensinados e todos os que nos acompanham sabem disso, por isso estamos lá para aprender. À medida que o tempo vai passando tornamo-nos cada vez mais interessados e autónomos nas tarefas que nos atribuem. Por vezes, não nos dão a atenção que pensamos que devemos ter, e nesses momentos pensamos “que estou aqui a fazer?”, “não se interessam pelo que eu faço”, ou até “estou a fazer tudo da forma mais correta?”, mas nem sempre tudo o que parece o é. Temos bons e maus momentos (como em tudo o que fazemos), mas o que importa é saber que estamos lá e continuar a lutar pelos nossos objetivos. No meu primeiro estágio no Pingo Doce foi assim. O meu receio de falhar ou desiludir os que acreditavam em mim era enorme, mas no fim foi recompensador escutar as mais diversas e elogiosas palavras que alguma vez alguém me tivera dito. A nota final? Foi 20 valores, mas o que importa no fim de contas não é só a nota em si, mas todas as maisvalias que eu retirei desta aventura.”

12


Empreendedorismo (Luzes, Câmara…ação!) A Junior Achievement Portugal, ONG desafiou mais uma vez os nossos alunos a participarem no “Programa Braço Direito – Um dia no teu futuro” que decorreu entre o dia 18 a 22 de novembro de 2013, durante a Semana Global de Empreendedorismo. A Escola de Comércio de Lisboa irá participar pela segunda vez na edição do “Braço Direito” no ano letivo 2013/2014, programa que permite a alunos do ensino secundário deslocarem-se do contexto escolar para contactar com a realidade do mundo empresarial, acompanhando um profissional durante um dia, no seu local de trabalho. Através deste programa, o discente irá acompanhar um voluntário durante o seu dia de trabalho, participando nas atividades desenvolvidas por este profissional, tais como entrevistas, reuniões e tarefas quotidianas. Os alunos selecionados para esta edição foram Ana Rita Pereira e Dan Robu, alunos finalistas do Curso de Técnico de Banca e Seguros, que passaram o dia na empresa Luso-Atlântico- Corretora do Seguros; Pedro Santana e Mauro Silva, alunos do 2ºano do Curso de Técnico de Informática de Gestão; Diogo Pereira, aluno do 3ºano do Curso de Técnico de Informática de Gestão e, finalmente, Madalena Silva, aluna do 2º ano do Curso de Técnico de Vendas, Sales Manager, na empresa GIF. Deixo-vos aqui dois testemunhos de alunos após o dia passado na empresa. "Devo dizer que o dia foi maravilho, tive a oportunidade de o partilhar com o meu colega Diogo Pereira do 3º Ano de Informática de Gestão Tudo o que aprendi e observei superou as minhas expetativas e que estou aqui ara incentivar outros alunos da ECL a partilhar da minha experiência. Muito Obrigado!" Por Pedro Santana (2ºAno de Informática de Gestão) "Foi uma experiência que adorei! É um espaço agradável e familiar, tem ótimas condições, dei-me bem com as pessoas que conheci, aproveitei para pedir informações sobre planos de saúde para a minha Prova de Aptidão Profissional e outras informações para o meu projeto. Foi um dia muito bem passado e produtivo. Almocei com o Dr. Oliveira Neves e com outros dois Doutores da Corretora. Não me importo de ser novamente "Braço Direito". Obrigada pela oportunidade que me deram, foi uma maisvalia para ganhar conhecimento e aprender mais.” Por Ana Rita Pereira (3º Ano de Banca e Seguros)

Por Patrícia Lima, docente de Economia

Ana Rita Pereira (3º Ano de Banca e Seguros) com o seu “Braço Direito” 13


Por parte da equipa editorial deste jornal gostaríamos de felicitar a Dra. Patrícia Lima por, ao final de três anos de participação neste projeto e como gestora do mesmo, ter recebido o Prémio Professor do Ano - Ensino Secundário, aquando da comemoração do 8º Aniversário da JA Portugal, que decorreu no Museu da Eletricidade.

Prémio Professor do Ano - Ensino Secundário 8ºaniversário da JA Portugal

14


Analepse Foi no passado dia 30 de outubro que, mais uma vez, fomos contemplados com mais uma (re) inauguração da ECL Papelaria. Ao longo dos anos esta empresa de treino tem primado pela reinvenção do seu espaço, pela procura da inovação e surpreende-nos com um novo layout extremamente apelativo. Na próxima edição teremos uma reportagem mais alargada sobre todas as nossas empresas de treino. Não percam!

Alunos do 2º Ano de Comércio (turma Gerente desta empresa de treino) com Lucinda Reis da Papelaria Fernandes e Dra. Helga Duarte Gestora Operacional

Catarina Afonso e Catarina Silvestre, Gerente e Diretora de Recursos Humanos da ECL Papelaria

15


Cultura Low-Cost Por Isa Silva (Técnica Profissional Bibliotecária)

Casino Lisboa

Terreiro do Paço

Casino Estoril

31 dezembro/ 01 janeiro 2014 00H30- Amor Electro 22h30- Dynamite Gang 02h00- Dj António Coimbra

31 dezembro/ 01 janeiro 2014 21h- DJ André Rodrigues 22h- Herman José, apresenta e anima 00h – Espetáculo de pirotécnica 00:15h – Pedro Abrunhosa

31 dezembro/ 01 janeiro 2014 Deolinda Space Cake Boogie Nights

16


Canto dos Alunos ESPELHO MEU, ESPELHO MEU... O QUE DIZES SOBRE MIM? O espelho inspirado no reflexo da lua na água foi sendo aperfeiçoado ao longo dos tempos, tornando-se objeto obsessivo por grandes nomes da História, tais como Cleópatra, Napoleão Bonaparte, Júlio César, Maria Antonieta, entre outros. Não vou, de modo algum, documentar factos históricos, simplesmente quero chegar à razão, pela qual o espelho foi criado. Este objeto inofensivo tornou-se apelativo, tentador e sedutor por refletir a nossa imagem, e captar a nossa atenção e desejo por nós próprios. Sim, é da imagem que quero falar. A imagem é sinónimo de sucesso ou de derrota, por sua vez, o espelho contempla o nosso estado de espírito, o modo como nos queremos ver. Mas por agora vamos deixar o espelho um pouco de lado e focar-nos na imagem. A imagem define personalidades, é verdade! A beleza atrai sucesso, verdade! O exterior é o mais importante, verdade! Tudo é verdade e ao mesmo tempo um mito. Porquê? Porque na atual sociedade a nossa imagem exterior está sobrevalorizada, facto que todos nós damos importância em todas as áreas da nossa vida: pessoal, profissional, social, familiar e por aí... A nível pessoal queremos sempre ser os mais belos, os mais desejados e cobiçados, destacarmo-nos entre multidões sendo o centro das atenções; profissionalmente somos "obrigados" a vender uma imagem de perfeição e sermos simplesmente "avaliados" por essa razão; nas relações amorosas escolhemos alguém segundo o critério "tem que ser linda(o) de morrer!", "tem que ter olhos de cor x!", "tem que ser assim, assim, assim..." e só em último caso pensamos no lado interior, sentimental e emocional. Por sua vez nas relações de amizade e contacto social, o critério não é muito diferente do anterior, porque queremos formar o nosso grupo segundo a nossa própria imagem, isso não é errado, no entanto, cria barreiras às outras pessoas que até num primeiro olhar não nos dizem absolutamente nada, mas se dermos uma oportunidade de as conhecermos melhor e à sua personalidade, revelam-se grandes e agradáveis surpresas! Um momento...! Se na atual sociedade vivemos desta forma, qual será o motivo? Alguém nos obrigou? Está escrito na Lei? Somos forçados a ser e agir assim? Deixo estas questões para vocês pensarem, refletirem e chegarem a uma conclusão pessoal, pois não quero, de forma alguma, criticar quem quer que seja ou defender ideais, simplesmente é um tema que faz parte do nosso quotidiano. Estamos sempre a observar e a criticar os outros por defenderem esse estatuto, mas todos nós fazemos isso desde que começamos a desenvolver a nossa personalidade (digamos que por volta dos 5 anos). Tão cedo? Sim, quantas vezes afastámos alguém porque simplesmente a sua imagem não nos agradava (o cabelo, a roupa, etc.). Isto remete-nos para um sinónimo da imagem, o estereótipo. Numa espécie de "Quem é quem?", o nosso cérebro já está programado para decifrar os diferentes estereótipos e por consequência a sua definição, ou seja, se eu vir uma rapariga loira, bonita, "plastificada", com roupa provocante e nada discreta, qual o estereótipo e a definição que assimilamos de imediato? A típica loura, burra e que apenas sobrevive com a sua imagem exterior! A imagem também diz muito de nós, da nossa personalidade, mas se abordei este tema foi porque nem sempre olhamos para o que está em nosso redor. Experimentem olhar para um espelho e distanciarem-se da vossa imagem exterior e aposto que em alguns casos descobrirão um enorme vazio e noutros um imenso tesouro precioso oprimido pela sociedade. Por Fernando Ferreira (Curso de Aprendizagem – Técnico Comercial)

17


Highwood Apparel surgiu em abril de 2013, e desde o início tem o objetivo de fazer uma junção alternativa de vintage com streetwear, sempre com coleções diferentes do que aquelas que vimos nas grandes superfícies,

produzindo peças sempre em coleções limitadas, conseguindo assim dar exclusividade ao cliente que poucos desse ramo fornecem. Na primeira coleção da Highwood consegue-se encontrar uma imensa variedade de produtos, desde o mais alternativo, até ao vintage, sempre com pormenores que fazem toda a diferença. O conceito surgiu da necessidade de ter uma marca de roupa que consiga oferecer peças diferentes, mas que fossem de alta qualidade e que não fossem produzidas em grande quantidade. Nos próximos dias irá lançar a sua coleção de Inverno que promete não desiludir os seus admiradores. Ainda sem um lugar físico de venda, a marca dispõe de um serviço de venda online, através do seu site (www.highwoodapparel.com). No entanto, a sua presença na Feira das Almas realizou-se no primeiro fimde-semana do mês de dezembro, na rua Regueirão dos Anjos 68, onde puderam ver os produtos na primeira pessoa.

Por Roman Kropyva (3º Ano de Comércio)

18

Logótipo da Marca


PORTUGAL E O MUNDO LÁ FORA Muito do que permanece nas nossas memórias das viagens que fazemos são essencialmente sensações e aromas. Tem muito a ver com aquilo que sentimos na altura, como estamos emocionalmente, psicologicamente. Tudo isso vai repercutir-se nas impressões com que ficamos dessas viagens. Marrocos recorda-me a fragrância da hortelã, o chá de menta, o odor das vísceras dos animais pendurados nos vários mercados labirínticos por onde vamos deambulando. O vento fresco do Atlântico bate-nos de frente na cara em Casablanca. Sinto na pele a sua frescura e reporto-me a outros lugares similares. Fès são as “tanneries” repletas de cores vivas que produzem um testemunho “puissant”, para além da imagem das peles estendidas ao sol nos telhados. As especiarias e o pão espalmado, qual disco voador, levado nas mãos de uma criatura angelical de cerca de quatro anos. São os tambores, os cavalos e a dança do ventre. É o final do dia na praça Jeema el Fna, a principal de Marrakes. São as mulheres em gritos agudos e conversa ininterrupta que se oferecem para nos tatuar por cinco euros. É o cheiro a hortelã que transporto nas minhas mãos, enquanto deambulo pelos “souks” e abraço ou afasto os odores dos vários sítios por onde passamos.

Por Isabel Oliveira (docente de Português)

19


Multimédia Richard Zimler, escritor norte-americano, que reside na cidade do Porto, lançou o seu último romance, “A Sentinela”. Este livro conta-nos a história do assassinato de Pedro Coutinho, um influente construtor civil, que ocorreu no seu luxuoso palacete situado no centro da cidade de Lisboa. Para investigar o caso, a polícia judiciária envia o inspetor Henrique Monroe, um americano, naturalizado português, conhecido no meio profissional pelas suas alterações de personalidade, responsáveis pelo sucesso das suas investigações. Após a recolha de várias provas e de interrogar a mulher e a filha da vítima, Monroe começa a acreditar que o crime está relacionado com o facto de Coutinho estar a tentar proteger a filha de assédio sexual por parte de alguém conhecido da família. Por outro lado, são reunidas um conjunto de provas que indiciam que Coutinho subornou pessoas influentes da política portuguesa para conseguir realizar os seus empreendimentos. Alternando entre os episódios marcantes da infância de Monroe e os acontecimentos que conduzem ao suicídio da filha de Pedro Coutinho, Richard Zimler criou um romance envolvente, intrigante, que permite ao leitor sentir e sofrer com as emoções de cada uma das personagens.

Por Patrícia Videira (docente de Economia)

“You hear nothing, you see nothing, you only serve” (não ouves nada, não vês nada, apenas serves) O filme O Mordomo (The Butler), do realizador norte-americano Lee Daniels, conta a história de um mordomo negro que, durante o período de 1952 a 1986, serviu oito presidentes da Casa Branca. A narrativa desenvolve-se em torno de uma personagem que desde cedo sofreu na pele a discriminação racial, que persistia há muito nos E.U.A. Assumindo uma postura apolítica e apaziguadora, Cecil Gaines procura, única e exclusivamente, cumprir a sua função profissional com o maior brio possível, por forma a assegurar uma vida condigna à sua família. A sociedade norte-americana vivia um período especialmente turbulento, fruto da luta dos Direitos Civis. Figuras emblemáticas, como Martin Luther King e John Kennedy eram mentores de uma nova ideologia social, que se distinguia pela inclusão de todos os cidadãos. O filme sintetiza a história dos E.U.A da 2ª metade do séc. XX, visando mostrar ao espetador os momentos mais marcantes desta superpotência mundial. Realista, envolvente e dramático é capaz de prender a atenção do espetador do início ao fim. Sem dúvida, um filme de paragem obrigatória!

20

Por Patrícia Barradas (docente de Português)


A peça de teatro “Menino da Avó” do dramaturgo português Armando Nascimento Rosa, onde Maria do Céu Guerra e Adérito Lopes interpretam, respetivamente, o papel de avó e neto. Trata-se de um dueto cénico entre Fernando Pessoa e a sua Avó Dionísia Seabra Pessoa, esta tida como um pessoa louca. A peça é apresentada em sete encontros, confundindo-se, à boa maneira de Pessoa, o cruzamento entre a vida do lado de cá e do lado de lá. Fernando Pessoa nasce (1933) em Lisboa e habita a mesma casa da sua avó paterna, voltando a viver com ela após regressar da África do Sul, morando na época na Rua da Bela Vista à Lapa. Voltam a “viver” juntos no jazigo do cemitério dos Prazeres (1935), tendo em 1985 o Poeta sido transladado para o Mosteiro dos Jerónimos. No decorrer da peça, faz-se um périplo pela vida do poeta, desde a sua adolescência até para além da sua morte. Os alunos do 3.º ano da Escola de Comércio de Lisboa, assistiram à peça “Menino da Avó” tendo esta sido de extrema importância para a aprendizagem destes jovens, pois foi um complemento ao estudo do módulo lecionado em Português (Fernando Pessoa Ortónimo e Heterónimos). Por outro lado, a peça forneceu “pistas” para o módulo seguinte da referida disciplina, que contempla a analogia “Mensagem” versus “Os Lusíadas”. No final, alunos e professores estavam radiantes com o que viram!

Por Helga Duarte (Coordenadora do Curso de Técnico de Comércio)

21


Desporto ECL Todos aqueles que pertencem a uma comunidade escolar conseguem de forma natural indicar competências importantes que o desporto permite desenvolver na preparação de um profissional. Podemos sublinhar algumas, como o fomento do trabalho de equipa e de entreajuda, a capacidade de definir metas e delinear estratégias para as atingir, incutir sentido de responsabilidade nas tarefas a desenvolver, assiduidade e cumprimento de compromissos assumidos, sem esquecer o fomento de valores de solidariedade e respeito pelos outros. Esquecer esta vertente do desporto é ignorar o que está na sua essência. É neste espírito que a Escola de Comércio de Lisboa se insere, proporcionando experiências que promovem a competição saudável entre alunos, formadores e colaboradores. A prova disso está nos vários jogos de futebol de 5, promovidos entre formadores/colaboradores e alunos da escola. Mas o espírito de partilha não termina na Escola de Comércio de Lisboa. O ano passado também foram disputados alguns encontros que colocaram frente-a-frente os colaboradores da ECL e do ISG, permitindo fantásticos momentos de confraternização. E como os bons momentos são para repetir, aproveito a oportunidade para lançar o desafio: para quando um próximo jogo?

Por Bruno Carvalho (docente de Área de Integração)

Já te inscreveste nas atividades de corta-mato, voleibol e futsal?

22


Canto dos Empresários As ideias simples são, em geral, as melhores. As diversas modalidades deste conceito designado, na expressão anglo-saxónica, por click & collect são bem ilustrativas desta perceção. Quer como prática interna de empresas dirigida os seus clientes quer como manifestação de fórmulas de cooptação, expressas através de parcerias ou partilha de clientes, os resultados obtidos são interessantes quer em termos de potencial de fidelização de consumidores quer quanto às vendas acrescidas quer ainda no que se refere à redução de custos que se pode obter. Na verdade, este serviço, pois é de um serviço que se trata, corresponde à materialização dos quatro Cs da compra que nos dias de hoje nenhum ponto de venda ou formato comercial pode deixar de possuir, nomeadamente, a redução de custos na sua operação e para os seus clientes, a celeridade e rapidez da operação, a comodidade que gera e a confiança que inspira. Estes atributos estão todos presentes neste serviço click & collect. Na modalidade de operação interna a primeira empresa de distribuição a implementar este serviço na Europa foi o Auchan, em França no ano de 2000, ao que se seguiu a Chronodrive em 2004, o Leclerc em 2007, o Intermarché e o Carrefour em 2008, a Cora em 2010 e o casino em 2011 (ver imagem) mas de um modo geral e ao longo da última década, noutros países outras iniciativas se sucederam. Em Portugal, Auchan e Continente anunciaram a criação de novos serviços inspirados no click & collect mas, por falta de divulgação ou por deficiências de funcionamento ou por qualquer outra razão que desconheço, este tipo de serviço não tem expressão. A comodidade e rapidez proporcionada aos consumidores e a redução de custos das entregas em casa dos distribuidores são estímulos mais que suficientes para desenvolver mais esta modalidade mas talvez a velha ideia de obrigar os clientes a entrar na loja esteja a turvar os espíritos dos nossos distribuidores. No âmbito do comércio eletrónico e da venda à distância as entregas diretas em casa dos consumidores estão a ser complementadas com modalidades de click & Collect utilizando as empresas para tal equipamentos de cacifos próprios colocados em zonas públicas ou terminais de transportes como faz a Amazon ou pontos de venda tipo tabacarias e lojas de conveniência de outras empresas com as quais contratualizam este serviço. Nesta modalidade de cooptação os exemplos e os resultados são excelentes sendo uma prática cada vez mais utilizada pelos operadores de venda à distância, nomeadamente por catálogo ou via internet e por empresas de logística capilar nacionais e internacionais.

Por José António Rousseau (Presidente do Fórum do Consumo)

www.rousseau.com.pt

23


Flash O "Prémio Mercúrio - o melhor do Comércio e Serviços" é uma iniciativa que visa identificar, reconhecer e premiar entidades e personalidades que, em Portugal e de forma consistente, tenham contribuído para a valorização do Setor do Comércio e Serviços e das profissões a este ligadas.

Auditório do Centro de Congressos do Estoril, momentos antes de se iniciar a atribuição dos prémios Prémio de Personalidade do Ano, atribuído a Manuela Medeiros, CEO da Parfois (Porto) (entregue à representante, Susana Coerver, Diretora de Marketing do grupo Parfois)

24

O Prémio de Comércio e Serviços Online foi entregue a Daniela Oliveira, representante da empresa Standvirtual

Prémio de Formação e Atividade Profissional foi entregue a Nuno Figueiredo (antigo aluno da ECL), na qualidade de Diretor de Vendas Internacionais da Nautilus


A estilista portuguesa Fátima Lopes recebeu o Prémio Prestígio

Na categoria de Serviços, foi premiada a empresa Malo Clinic, tendo como representante Sérgio Franco

25

A empresa NATA Lisboa foi premiada com o galardão de Novos Conceitos, que foi recebido por Nuno Seabra


No Prémio de Comércio Alimentar destacou-se A Padaria Portuguesa. O galardão foi recebido por Nuno Carvalho

Na categoria de Empresas com História, o grande prémio foi entregue à empresa Machado Joalheiro (Porto), sendo o galardão entregue a Alexandre Machado

O Prémio de Comércio Não Alimentar, foi atribuído à loja Janes (Braga), subindo ao palco Carlos Fernandes em representação da empresa

26


Prolepse Na próxima edição…

27


ECL News