Page 1

Bibliotecas Escolares Requalificação da Biblioteca da Escola Básica e Secundária Rede de Bibliotecas Escolares: 20 anos - a promover a leitura e as literacias Em novembro de 2016 (Ano em que se celebraram os 20 Anos da RBE), a equipa da Biblioteca Escolar (BE) e a Direção do Agrupamento de Escolas, com apoio da Autarquia, prepararam uma candidatura de requalificação para a BE da Escola Básica e Secundária. Esta candidatura incluía obras de intervenção no espaço, mobiliário, fundo documental e biblioteca digital. A 4 de março de 2016 a DGE-RBE respondeu: Assunto: Candidatura 2016: requalificação Exmo.(a) Sr.(a). Diretor(a), Informamos que a Vossa escola beneficiou de um apoio financeiro da Rede de Bibliotecas Escolares, no âmbito da Candidatura 2016, destinado à requalificação da biblioteca escolar. Aproveitamos para agradecer ao Agrupamento/Escola o empenho demonstrado ao longo deste processo e desejar a continuação de um bom trabalho. Com os melhores cumprimentos Manuela Pargana Silva

“Portas transformadas em vitrines, permitem aumentar a visibilidade da biblioteca e da sua coleção!”

TESTEMUNHOS “Houve mudanças na nossa BE! Nas mesas onde estão os PC e no espaço todo. Temos notado que há mais gente a frequentar a biblioteca. As pessoas (alunos e professores) podem jogar xadrez. Há mais interesse nos livros. As vitrines estão abertas e há mais convívio.” António Sardinha e Rúben Martinho, 6.º C

“Com estas recentes mudanças, a biblioteca parece bastante mais espaçosa!” Hugo sales 12.º A “Antes as mesas estavam demasiado próximas e era difícil passar, agora há mais espaço e mais estantes .” Carlos Cordeiro, 9.º C “ A biblioteca tem mais luz, por causa das vitrines e tem mais livros!” Ana Fernandes, 9.º C “De há uns anos para cá, a biblioteca escolar tem sofrido várias alterações, mas este ano letivo (2016/17) foi quando se acentuaram as maiores remodelações. Com a introdução de novas atividades surgiu a necessidade de expandir e inovar o espaço, seguindo, assim, uma tendência mais moderna e futurista. Foram inseridas vitrines que ajudam a dar o ideia de conexão entre o espaço interior e o espaço exterior, criando assim uma ligação mais forte entre os alunos e a biblioteca.” Marisa Conde, Gustavo Neves e Maria Pires, 9.º C


Bibliotecas Escolares Histórias da Ajudaris: uma parceria, um projeto, muitas ações

A parceria com a Associação Ajudaris, no âmbito do projeto “Histórias da Ajudaris”, tem sido muito enriquecedora. Os jovens autores mogadourenses têm contribuído com poemas sobre os diferentes temas sugeridos, em cada ano. Os poemas, escritos pelos alunos e docentes do 1.º CEB e musicados pelo professor Filipe Teixeira, têm sido apresentados em diferentes cidades (Bragança, Lisboa, Porto), a convite da Diretora da Ajudaris, Dr.ª Rosa Vilas Boas. Depois da apresentação do Poema “Meu Planeta, Meu amigo”, no Museu da Eletricidade, em Lisboa, este ano, a 8 de outubro os jovens foram convidados a apresentar o segundo poema “Escuta o teu coração” na Biblioteca Almeida Garrett, no Porto. Os alunos, acompanhados pelas professoras do 1.º CEB, Teresa Cordeiro, Antónia Cardoso e Filipe Teixeira, visitaram os jardins do Palácio de Cristal - Pavilhão Rosa Mota e atuaram para todos os participantes do 3.º Colóquio Internacional Ler e Ser. Durante a tarde, a Diretora da Ajudaris surpreendeu os nossos jovens com uma visita guiada ao Museu do Vinho do Porto. “Museu do Vinho do Porto- Um pequeno Museu para uma grande história” No ano de 2016, a 8 de outubro, as turmas do 4ºA e 4ºB do Agrupamento de Escolas de Mogadouro realizaram uma visita de estudo ao Museu do Vinho do Porto, acompanhados pelas respetivas professoras. Esta visita foi oferecida pela Diretora da Ajudaris. O Museu do Vinho do Porto foi inaugurado em 2004. No decorrer da visita, ouvi atentamente as informações que a guia deu explicando como a história da cidade do Porto não se podia separar da história do vinho que a tornou reconhecida em qualquer lugar do mundo, mostrando assim a importância que o Vinho do Porto e o seu comércio tiveram no desenvolvimento da cidade. No Museu, é possível apreciar a história deste famoso vinho através de várias fotografias da atividade comercial, ficar a conhecer melhor a evolução das garrafas e dos mais variados objetos ligados ao Vinho do Porto. Neste Museu além do vinho do Porto, também podemos observar pinturas, gravuras, “Gostei de ir lá e eu não sabia que existia esse tipo de Museu. A parte que gostei mais foi quando explicaram como os barcos carregavam pipas para a bela cidade do Porto. Foi um dia muito divertido!” Teófilo Parreira, 5.º B

“Foi muito bom, porque aprendemos como apareceu o vinho do Porto, soubemos como se faziam os barcos que transportavam as pipas já com o vinho. Foi uma experiência muito rica!” Mafalda Morais, 5.º B

metais, vidros, têxteis, e diversos documentos relacionados com a sua história. Dediquei uma atenção especial a um espaço onde estavam expostos pequenos barcos que despertaram a minha curiosidade, o que me levou a perguntar que barcos eram aqueles e o que tinham que ver com o vinho do Porto. A guia, muito simpática, disse-me que aqueles barcos foram muito importantes e fundamentais para o transporte e o comércio mundial do vinho do Porto. Gostei muito da visita, foi muito interessante e espero um dia voltar a visitar! Rodrigo Escobar, 5ºB, Nº8 Poema: “A sopa da minha Mãe”, Pré escolar e 1.º Ano Apresentação do Livro “Ajudaris`16: histórias de encantar escritas por jovens autores | Volume II Dia 30 de novembro, às 20:00h, foi apresentado o livro de 2016 na Casa da Cultura de Mogadouro, depois, foi inaugurada a exposição itinerante, na sala de exposições. A parceria com a Ajudaris permite-nos criar outras parcerias locais. Este ano, o tema do livro - “Alimentação” - possibilitou uma excelente articulação com a Saúde Escolar e o PES. O programa para o lançamento do livro foi enriquecido com a participação das turmas que escreveram os poemas, a participação da Dr.ª Daniela Santos, nutricionista, com uma palestra sobre alimentação e dos Pais/EE, com uma peça de teatro. O Coordenador do PES, Professor António Velho, aproveitou o evento para promover o consumo de pão de mistura (na escola, a partir de janeiro de 2017) com uma oferta de pão de Poema: “Uma escola saudável”, 5.º Ano mistura com compotas, durante a visita à exposição. Professores e alunos continuam motivados para participar no Projeto “Histórias da Ajudaris”, a inscrição para o próximo ano letivo já foi realizada.

Um agradecimento à Câmara Municipal de Mogadouro, que tem possibilitado a realização destes eventos na Casa da Cultura de Mogadouro. Teatro: “Serafim está sempre constipado”, Pais/EE do 2.º Ano Sessão de autógrafos pelos jovens autores.

Exposição das Ilustrações

Dr.ª Rosa Vilas Boas, Diretora da Ajudaris e Dr.ª Irene Louçano, Diretora do Agrupamento de Escolas de Mogadouro


Bibliotecas Escolares Projeto: “Leituras que unem Saberes, Culturas e Gerações”

Este ano letivo, a equipa da BE congratula-se por conseguir duas candidaturas aprovadas: Projeto “Leituras que unem|2016/17” e Projeto “Ler + Jovem|2016/18” Caro Senhor Diretor/a, gostaríamos de felicitar esse agrupamento por ter sido selecionado/a nesta primeira candidatura nacional ao Projeto Leituras que Unem | 2016/2017. “Leituras que unem Saberes, Culturas e Gerações” é o nome que reúne diversas atividades de leitura do Agrupamento de Escolas de Mogadouro, desde o Ensino Pré-escolar ao Ensino Secundário, tendo como principal objetivo o desenvolvimento dos domínios da Leitura, da escrita e da Compreensão do Oral . Objetivos fundamentais do projeto são: 1. Promover a leitura e as literacias do Referencial Aprender com a Biblioteca Escolar, em todos os níveis de ensino; 2. Desenvolver uma cultura colaborativa entre todos os Departamentos Curriculares, que possibilite uma maior articulação na organização de atividades que pretendam promover a leitura e a oralidade; 3. Propiciar aprendizagens e vivências entre pessoas de diferentes culturas e gerações, criando parcerias internas (envolvendo diferentes áreas do saber nas dinâmicas de Leitura) e externas (participação em clubes de leitura e de Teatro de outras entidades como a Universidade Sénior e o Grupo de Teatro da Câmara Municipal de Mogadouro) que contribuam com novas práticas e estratégias para melhorar os resultados aferidos e a qualidade das aprendizagens escolares.

A atividade semanal “Queres ouvir? Eu conto!” (integrada no Projeto “Leituras que unem”) iniciou-se em janeiro de 2014. Este ano letivo (4.ª Edição) conta já com cerca de 15 participações de Pais, Mães e Familiares. A Senhora Vereadora da Educação, Doutora Joana Silva, foi a primeira a partilhar uma leitura com os alunos da Escola Básica (Pré-escolar e 1.º CEB). Em Março, realizar-se-á o III Sarau “Queres ouvir? Eu conto!”, que tem como principais objetivos promover a importância da partilha de livros e leituras entre Pais/EE, familiares e alunos.

André Fernandes nasceu a 1 de Fevereiro de 1991, em Lisboa. Aos 21 anos de idade, licenciou-se em Ciências da Comunicação através da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Um ano depois, publicou a sua primeira obra, "Tia Guida", um livro que fala sobre cancro, tanto para aqueles que o têm como para aqueles que o podem vir a ter. Mais tarde escreveu “25 + A vida é uma escola”. O jovem autor realizou uma palestra dirigida aos alunos de 3.º CEB e Secundário, no dia 11 de outubro de 2016. Os alunos que assistiram manifestaram interesse nos s eus livros e na vida do jovem autor. O Autor nas redes sociais: Twitter - AndréF7Instagram - AndréCF7

Diogo Piçarra em Pessoa A essência de um projeto que ajuda jovens na desmistificação do “fantasma” Fernando Pessoa

Qual a melhor maneira de entender um dos mais sentimentais e até melancólicos escritores de toda a literatura portuguesa, entenda-se, Fernando Pessoa, se não com a reinterpretação de alguns dos seus poemas mais conhecidos por alguém que tão presente está na nossa vida, cuja música nos contagia, (não passasse tanto ela na rádio e não estivesse tão atual), como Diogo Piçarra? Pois bem. Foi precisamente com esse projeto, Diogo Piçarra em Pessoa, que no dia 12 de dezembro nos deslocámos à Casa da Cultura com o propósito de perceber a essência deste trabalho e a maneira como nos pode auxiliar a perceber o “nosso” Fernando Pessoa. Com a encenação teatral que representou os heterónimos de Fernando Pessoa e respetiva reinterpretação por Diogo Piçarra ficámos, penso eu, mais sensibilizados para o estudo deste autor e da sua obra, na medida em que pudemos escutar e observar a melhor maneira de entoar os poemas, e assim, decifrar melhor a mensagem por eles transmitida. Pelo menos, eu fiquei extremamente tocada pelas suas palavras e pelo sentimento que é transversal a toda a poesia, mas principalmente à obra de Fernando Pessoa. Posso também dizer que o apelo do Diogo me despertou uma vontade e gosto por ler poesia e, também, por escrevê-la. E a leitura e estudo da poesia é uma componente deveras importante na nossa formação pessoal e intelectual na medida em que ajuda na expressão de sentimentos, de emoções. Por isso, acho que seria bom começar a deixar de lado o preconceito que gira à volta da poesia e da sua complexidade e consequente confusão que nos provoca e começar a prepararmo-nos para a sentir e viver. Carolina Correia, 11º A Diogo Piçarra em Pessoa, para nunca esquecer! Este breve texto de opinião foi-nos solicitado pela Senhora Professora Carla Ferreira, que, em articulação com a Dr.ª Irene Louçano, Diretora do nosso Agrupamento, foram o pilar principal para que esta atividade nos fosse concedida, no dia 12 de dezembro de 2016. Consideramos que foi uma ótima oportunidade de desenvolver o nosso gosto pela poesia e por Fernando Pessoa, muito importante no património cultural português. Esta atividade foi muito entusiasmante, Diogo Piçarra e a Betweien fizeram um excelente trabalho, revestiram a poesia, dando-lhe musicalidade e teatralidade. Do nosso ponto de vista, motivou todos aqueles que assistiram a este momento de poesia. Em suma, quando contamos o momento vivido aos nossos colegas que não tiveram oportunidade de ir, ou não quiseram, percebemos que ficaram bastante arrependidos, pois foi para nunca esquecer! Bárbara Portela, Beatriz Casado e Daniela Lopes, 9.º B

“Mogadouro. Vocês foram demais, muito obrigado!” Diogo Piçarra


Bibliotecas Escolares Projeto: “Leituras que unem Saberes, Culturas e Gerações”

Atividades em destaque nos próximos meses Siga-nos em: https://www.facebook.com/BibliotecaEscolarAgrupamentoEscolasMogadouro/

A equipa da BE desafiou os alunos do Projeto Ler + Jovem a inscreverem-se no Programa “Escritores no Palácio de Belém”. Os alunos do 11.º A (Carolina Correia e Armando Remondes) aceitaram e realizaram a inscrição, com apoio da Professora Ângela Afonso. Em janeiro recebemos a resposta: “Temos o prazer de informar que recebemos mais de duzentas inscrições no Programa Escritores no Palácio. A vossa escola foi selecionada para participar com duas turmas no encontro com o escritor Valter Hugo Mãe, no dia 04 de abril às 15H00. “

Bibliotecas Escolares “Ler+, Ser+” - Do Projeto nacional “Ler + Jovem” Ler + Ser + O projeto que nos enriquecerá enquanto pessoas Pela segunda vez consecutiva, a Escola de Mogadouro foi escolhida para desenvolver o projeto Ler + Ser +, que tão bem sucedido e elogiado foi da primeira vez. Por esse mesmo motivo decidi juntar-me e abraçar este desafio que junta novos e velhos, partilhando o saber de duas gerações que, com certeza, muito têm a ganhar com a sua participação neste projeto, que mais do que trabalhar obras e textos, tem como foco partilhar a sabedoria que seniores e jovens têm: partilha de histórias, de emoções, de tecnologias, de pequenas coisas que não custam nada a que as dá mas que tanta diferença fazem na vida de quem as recebe. Acho que vai ser extremamente enriquecedor, em todos os aspetos, esta experiência, este desafio. Vai ajudar-nos a nós, alunos, na medida em que aprenderemos a conviver com os nossos seniores, a partilhar carinho e afeto, que tanta falta faz a tantos idosos que, sozinhos estão no lar, sem visitas, sem calor humano, sem amor. Sem dúvida alguma que no fim dos dois anos de projeto teremos muitas histórias para contar – poderemos orgulhar-nos de ter partilhado o nosso tempo com os mais sábios da sociedade. Sim, porque se há fontes que nos podem enriquecer e preencher de forma incomparável são os livros e os idosos, autênticas bibliotecas vivas, que não têm outra coisa senão o seu percurso de vida, por vezes tão árduo e sinuoso foi. Filhos de outra época, de dificuldades que nós, jovens, não imaginamos – somos uns sortudos pelas condições em que vivemos, por tudo o que temos. Por estas razões, e para concluir, acho que quando acabar o projeto, todos nós, participantes, seremos pessoas revigoradas, fortalecidas e enriquecidas por tudo o que aprendemos – juntos faremos coisas que definitivamente nos levarão mais além, onde não pensaríamos conseguir chegar, e é isso que seguramente valerá a pena. Carolina Correia, 11º A Janeiro 2017

LER+ , SER+ O Agrupamento de Escolas de Mogadouro viu a sua primeira candidatura ao Projeto Ler+ Jovem aprovada no ano letivo 2013/14. Após 3 anos, o balanço deste projeto é muito positivo. Durante 2 anos, 12 a 15 jovens participaram ativamente em todas as atividades. 5 jovens continuaram no 3º ano, durante o seu 12.º Ano. Essas alunas entraram para o ensino superior e foram distinguidas, em setembro de 2016, pela sua participação voluntária neste Projeto, no Quadro de Valor do Agrupamento de Escolas de Mogadouro. Todos/as os/as jovens que se voluntariaram para participar neste Projeto envolveram-se em todas as atividades de uma forma ativa e exemplar, criando uma nova escola paralela à Escola Secundária. Em cada sénior descobriram uma “biblioteca humana”! O Projeto foi considerado um exemplo de Boas Práticas e apresentado em Bragança (2014), Chaves (2015) e Lisboa (2015) . Em 2016, a RBE integrou este Projeto na rubrica “Boas Práticas”, no seu Portal. Este ano letivo, apresentámos o projeto às 3 turmas de 10.º Ano, sendo uma delas de um Curso Profissional: Técnico de Auxiliar de Saúde. Alguns alunos de 11.º Ano que não tiveram oportunidade de participar no Projeto anterior, manifestaram também interesse em participar nesta edição. A criação de um Centro de Convívio Entre Gerações e da Universidade Sénior, pela Autarquia, permite-nos alargar as parcerias e o contacto com outros seniores deste Concelho.

Boletim das Bibliotecas de Mogadouro  

1.º Boletim informativo das bibliotecas escolares de Mogadouro - Ano Letivo 2016/2017

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you