Issuu on Google+

Hist贸rias inventadas

Amigos do Tekas


s a k e T o u o s Eu

ágico. m o r v i l era um rpo. o e l c E o . d s a e k a part ado Te m u m a a v h a c h o ele gan um livr , , o z ç e a v r a b a Era um am um v a d e h l que Cada vez

ost p r e s e l ias de e d s n u g l a suas pa s a r e Passado v guiam e s n o c o estive s a k e T soas nã r po d o o c o o d Só quan a comp v a t s e s .o Teka . . s a i d s is algun a m o d a Pass tc... e , o a v a chão, pis portan , a d i v a l daque e s u o t r rigo, a a b f a s e a d k a e OT procur à o i f e P in a d s a a i : d e u t o n Pass osame h l i v a r a am m o tratav ro. r e F o ã n s vida r a e u F s e s a d d ea estos r s o “ a r pa Ficou lá


s as, as m , s é p mãos e

pes-

pernas, , s o ç a r entir. tinha b s á j m a a i d u n g conse to à ve s a m e n ê-lo. rpo v o c m o a i d u s g arte conse e u q é o plet irava ao t esse com a o e u rapaz q m u e d casa a m u n a v s esta leto, ma

rigo. b a o r t u s que ura de o a c l o o r c p s e à lhosas idiu ir i c v e a d r a , o m t n u três o r t rgados n o o c M n s e o e d u até q Quinta a d a , s rade nhal de F

as”.

Irina a n i k a Tr


Os novos amigos Irina Palma

Num dia de calor, estava o Tekas muito feliz na praia. As pessoas achavam muito estranho um livro com cabeça, tronco e membros estar na praia, pois nunca tinham visto nada igual. Houve um rapazito que se chegou ao pé dele e perguntou: - Olha, sou eu que estou a ver ou és verdadeiro? E o Tekas respondeu: - Sim, sou verdadeiro. As pessoas é que pensam que sou uma ilusão. Aliás, quantos anos tens? - Tenho 5 anos. Porque é que perguntas? - Era só para saber se tu já andavas numa escola ou se ainda ias para uma escola. - Mas porque é que querias saber isso? - Espera que eu já te explico. Ainda não andas na escola, então por isso posso-te aconselhar três escolas. - Quais? - A Escola EB 1/JI de Pinhal de Frades, a Escola EB 1/JI de FernãoFerro, a Escola EB 1/JI da Quinta dos Morgados e para quando fores para o 5º ano a Escola EB 2,3 de Pinhal de Frades. Estas são as minhas casas. - Eu queria vê-las! Por favor! - Ok! Ok! Vamos andando. E lá foi o rapazinho com o nosso amiguinho Tekas ver as escolas.


Oh!

Era uma vez uma mão muito grande e atrevida. Passava o tempo a apontar tudo o que vi

Um dia viu uma chávena cheia de café. Apontou para ela e como era mágica transformo mos a aprender a nadar.

Ora o peixinho, farto de tanto nadar e fazer bolhas pediu à mão que o ajudasse. A mão

nho, que ficou muito aflito sem conseguir respirar. Coitadinho! A mão voltou a ajudar o

No rio onde vivia o peixe estavam alguns pescadores com uma rede a pescar. A mão lev

Quando os pescadores apanharam o sapato e viram que não era um peixe ficaram muito

xaram-se dormir. Sonharam com as coisas que mais gostavam, como por exemplo, ir ao mais quiseram apanhar peixes.

A mão, essa marota, nunca mais ninguém a viu! Apanhou um avião que passava e foi preg


ados os Morg d a t in u JI d a Q da EB1/ r la o c s E s do Pré os aluno d o iv t c ole Texto c

ia.

ou a chávena num peixinho que fazia muitas bolhas, como nós na piscina, quando esta-

o apanhou uma mola e acabaram-se os seus problemas. A mola fechou a boca do peixi-

o peixinho e ofereceu-lhe uma maçã.

vou o amigo e escondeu-o muito bem escondido e deixou no seu lugar um sapato velho.

o zangados. Continuaram a pescar até aparecer a lua no céu. Depois, já cansados, dei-

o circo ver os palhaços, apanhar flores no campo e até mesmo lavar os dentes. Nunca

gar partidas para outro lado…


Aventuras sonhadas Autor: Mariana Dinis, 3ºB, EB1/JI Quinta dos Morgados

Como sabem, o Tekas entra nos sonhos de todas as crianças. Hoje entrou no sonho de uma menina chamada Anita que sonhou ser uma sereia, tinha um príncipe chamado Pedro e uma bruxa má chamada Verónica. Nesse sonho, a bruxa Verónica tinha um tubarão azul como nos contos de fadas. O Tekas era o porteiro do príncipe Pedro. Quando a Anita acabou de comer, mergulhou para as profundezas do mar e encontrou a Verónica e o seu tubarão Félix. A Anita desesperada foi buscar o tridente mágico de seu pai e lutaram mas de repente, quando tudo parecia perdido conseguiu transformar o tubarão num pobre rato indefeso. Logo de seguida, a Anita desapareceu como fumo. Alguns anos passaram, ela e o

príncipe cresceram e apaixonaram-

-se. Ela transformou-se em pessoa e decidiram casar. Quem fez de padre foi o nosso amigo Tekas. E como em todas as histórias, foram felizes para sempre.


Era uma vez um palhaço chamado Brincalhão. Um dia, o palhaço Brincalhão foi fazer palhaçadas para um circo. Nessa tarde, ele foi brincar com outros palhaços e divertiu-se a valer. Nos meses seguintes aconteceu a mesma coisa e o palhaço foi feliz para sempre.

João Pedro Salvado, EB1/JI Pinhal de Frades.

N

Era uma vez Um dia a sua não comia. En - Come depr gelatina. A madrinha r - António, n zangada. A t E já no final -Vai arrumar O António re - Não me ape - Vai fazer o Na manhã seg em cima da m Chega a prof tou, assustad A professora - Ou tu atina lo. O António re - Vou. Vou a A professora - Quero hoje O António diz - Ok! Está à Quando o Ant tigo exemplar E foi assim, lição!


Não Quero! Melissa Cruz - Trakina, 4º ano, EB1/JI de Pinhal de Frades;.

um rapaz muito novo, tinha 6 anos e pensava que podia mandar em tudo. a madrinha foi a sua casa jantar. A meio do jantar a madrinha só conversava e ntão o rapaz que se chamava António disse à madrinha aos gritos: ressa e pára de conversar senão ficas de castigo e o teu castigo é não comer

respondeu ao António: não falas assim comigo. Se gritares outra vez com a madrinha vou ficar muito tua mãe não te dá essa educação! da noite, a mãe diz ao António: r as coisas para amanhã!!! Amanhã é dia de escola! espondeu: etece arrumar as coisas, vou jogar PSP. o que eu te mando e para a cama!!! guinte o António foi para a escola. Como a professora não estava na sala pôs-se mesa a dançar. fessora e vê o António em cima da mesa. Dá uma berro que o António até saldo. a disse ao António: as ou então vamos ficar mal. Hoje mesmo ficas de castigo. Não vais ao interva-

esponde: ao intervalo, se os outros podem eu também posso. a diz ao António: e mesmo falar com a tua mãe. z: vontade. tónio chegou a casa e a mãe, muito triste, conversou com ele e deu-lhe um casr. que a partir desse dia o António deixou de ser mal educado. Tinha aprendido a


O Teka Tek

Um belo dia, o Tekas foi passear com o seu amigo Raul No meio do passeio o Tekas teve um ideia e disse: - Porque é que não vamos à praia? Está um lindo dia e calor. Responde o Raul: - Ok, vamos à praia, mas a que horas? Responde o Tekas: - Pode ser às 12h. Encontramo-nos lá. “Xau” até logo. Diz o Raul: - “Xau” até logo.

O Tekas foi para casa todo contente e preparou tudo p praia: fez um belo lanche, foi buscar a sua toalha e o solar e colocou tudo na sua mochila.

Às 12h em ponto estava na praia. Mas só então reparo sabia para onde ir, se para a esquerda ou para a direit


as Vai à Praia kas Melissa, 4º ano, EB1/JI de Pinhal de Frades.

l. muito

.

para ir à protector

ou que não ta.

Tinha-se esquecido de combinar com o Raul o sítio onde se iam encontrar. E disse em voz alta: - Então vou esperar aqui por ele. Mas se ele já estiver na praia? Vou telefonar-lhe para saber se ele já está na praia e em que sítio da praia. O Tekas telefona e o seu amigo diz-lhe que está no hospital porque foi atropelado. Então o Tekas diz: - Vou já para aí! Quando lá chega dá um grande abraço ao seu amigo Raul e oferece-lhe uma linda uma caixinha de bolachas. E o seu amigo Raul diz: -Sempre foste o meu melhor amigo! O Tekas responde: -Tu também és o meu melhor amigo!


O Ca Estava um belo dia docas da Marinha.

Quando lá chegou, e

- Marinheiros, vamo

Eles levantaram ânc Martinho.

A meio do caminho e

Negra. O capitão d mão.

O Martinho quis enf

outro. O Martinho c aprendesse a fazer Quando chegaram a

a fazer cordas, a c

tugal e quando lá ch nheiro. Passaram a nuou a ser caçador honesto.


açador de Piratas Alexandre Silva, 3º B, EB1/JI Quinta dos Morgados

de Primavera, o Martinho acordou, foi tomar banho, vestiu-se e foi para as

entrou na fragata, pôs-se ao leme e disse:

os partir para Turtuga!

cora, içaram as velas e foram andando. Respeitavam sempre o seu capitão, o

encontraram um barco pirata que tinha uma bandeira com o símbolo do Pérola

deste barco chamava-se Barba Negra e possuía um gancho, em vez de uma

frentá-lo para que não houvesse piratas no mundo. Tentaram matar-se um ao

conseguiu afundar o Pérola negra e salvou o Barba Negra, para que o pirata um trabalho honesto. Turtuga, o Martinho ensinou-o a respeitar as leis,

casar e a ser um bom marinheiro. Foram para Por-

hegaram o Barba Negra foi tirar o curso de cozichamá-lo Eduardo. O Martinho ficou feliz e contide piratas, para os ensinar a fazer um trabalho


A Aventura do

Rafael Viana, 3ºB, EB 1/J

Andava o sr. Tekas no museu quando viu

escrita egípcia. O sr. Tekas, que sabia le -Aqui vou eu partir para uma aventura!

Naquele papiro dizia que quem fosse ao c trar um tesouro.

O sr. Tekas não tinha medo de nada e pa

- Já atravessei quase meio mar, agora só

Começou a acelerar e andou tão depressa

Finalmente, quando chegou à margem, viu

uma gruta muito escura. Entrou e de repe

-Oh não! É uma múmia que está a guarda

Então, o sr. Tekas, sem medo nenhum, p Passado um bocado, viu uma enorme sala

A partir daí ficou muito rico, comprou mu lindas histórias...


Tekas I Quinta dos Morgados

uma enorme folha de papiro, com

er aquilo, disse:

centro da ilha que estava rodeada de ferozes e enormes tubarões, poderia encon-

artiu. Quando viu a ilha do seu barco a jacto disse:

ó faltam os tubarões. Estava no leme do seu barco quando o sentiu a abanar.

a que os tubarões não o conseguiram apanhar.

u um grande vulcão seco. Olhou para o chão e viu uma grande seta a apontar para

ente viu uma coisa a mexer-se e disse:

ar o tesouro!

puxou da sua espada, cortou a múmia ao meio e prosseguiu a sua aventura. com um grande tesouro. Então extasiado, correu e guardou-o num saco.

uitos livros e distribuiu-os pelas escolas, para que os meninos pudessem conhecer


O meu jeito de

SER Állef, 3ºB, EB1/ JI

Eu sou o Állef tenho nove anos e um irmão com seis. Vou descrever-me: sou alto, possuo um metro e quarenta de altura, magro e tenho os olhos castanhos. A cor do meu cabelo é preto, sou de raça negra, brasileiro, sou adepto do Sporting, tagarela e muito rezingão (às vezes). Sou muito divertido principalmente perto da minha família. Nos tempos livres o que faço é jogar play-station e gosto muito de futebol. Sou curioso, ansioso, ambicioso, ganancioso e desastrado. Tento fazer tudo o que está ao meu alcance, ajudo quem precisa, sei fazer tarefas de casa e é por isso que sempre digo: sou como sou e não sou como querem. Da minha vida moral muitas pessoas sabem mas sobre a minha vida pessoal, ninguém sabe e ninguém irá saber, porque isso só a mim me cabe saber. O meu passatempo é sonhar! Gostaram de mim? Espero que sim. Adeus!!


And

ré M

orai s,

3ºC,

E.bB

1/JI

Quin ta d os M orga dos

Quinta dos Morga dos

ekas, T o r a t n i p Vamos gria, e l a a t Vamos pintar o Tekas, i u m Dar-lhe Dar-lhe muita alegria, e livros Enchê-lo d Enchê-lo de livros patia! E muita sim E muita simpatia!

gos são, i m a s o s s o ivros, n Os lnossos Os livros, amigos são, escola a r a e h c e r Vão rechear Vão a escola o! muita paixã Com muita Compaixão! s

guardado Se os tense guardados s n e t s o S E já os tiveres lido, s lido, e r e v i t s o E já Dá-os ao Tekas o Tekas Dá-os a ! Ele ficará agradecido! agradecido Ele ficará

André Morais, 3ºC, E.bB1/JI Quinta dos Morgados


Histórias Inventadas