Issuu on Google+

E S CO LA BÁS IC A 2 . 3 CON D E DE OE IRAS

TAG A R E L A PROJETO ESCXEL - UM PROJETO

Nº 1 D E Z E M BR O 2012

PARA A

ESCOLA DE EXCELÊNCIA Profª Margarida Leitão

NESTA EDIÇÃO:

Editorial

2

O Dia a dia na Escola

3

Escrita Livre

6

Visitas de Estudo

9

A Não Esquecer

12

Saber Mais

14

A Biblioteca Conta

16

Espaço dos Mais Novos

17

Passatempos

19

Nos dias 25 e 26 de outubro teve lugar o 11º Seminário da Rede de Escolas de Excelência, em Oeiras, no Agrupamento de Carnaxide, com o tema “Percursos Vocacionais Alternativos: oportunidades, problemas, estratégias”. À volta do assunto, representantes das diversas escolas e municípios envolvidos (Batalha, Castelo Branco, Constância, Loulé e Oeiras), o CesNova da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UNL e os oradores convidados trocaram ideias e experiências, refletiram, partilharam preocupações, procuraram novas pistas para a Educação. O ensino, hoje, é como uma passadeira rolante, a transformação do mundo real é cada vez mais rápida. Como pode a escola preparar para um mundo que não é o de ontem, quando

sabemos que em educação as mudanças só se observam a longo prazo? A excelência exige capacidade de inovação, determinação, criatividade mas também reflexão e organização. Com o Escxel a “escola” começa a mudar... Cont. pág. 5

O NOSSO Natal Este ano voltamos a comemorar mais um Natal, na nossa escola. A chuva já cai e a alegria entre as pessoas aumenta. No Pavilhão Administrativo, temos a nossa árvore de Natal com enfeites e decorações, bem vermelhos, e presentes para partilhar. As coroas de Natal, bem bonitas e reluzentes na parede, transmitem uma sensação natalícia. Os professores e os alunos almoçam juntos, num mundo de paz e alegria. Devia ser assim todo o ano mas, como não é, festejemos este dia de uma forma especial. Luisa Rodrigues, 6ºH


E DITORIAL

Ficha Técnica: Propriedade: Escola Conde de Oeiras

Redação: Profª Fátima Santos Profª Carla Cruz Luísa Rodrigues, 6ºH Carolina Santos, 6ºH Filipa Vasconcelos, 6ºH Ema Cunha, 6ºH Noa Brighenti, 5ºA Francisco Vaz, 5ºA Margarida Pinto, 5ºE Joana Martins, 5ºE João Prates, 6ºC Duarte Faria, 6ºC João R.,6º C Avelino J., 6º C Teresa Mota, 6ºC Rita Lopes, 6º C Sebastião Soares, 5º B Rodrigo Lopes, 5º D

G

Acreditamos

que,

com

ajuda, mas, acima de tudo, com a

neste Natal, lembrarmos todos os

vontade de todos, vamos seguir a

amigos: os mais antigos, os mais

estrela da amizade, transformando

recentes, os que estão longe e, às

este Natal num Natal mais caloroso,

vezes,

sendo

ficam

esquecidos…

mas,

mais

amigo

dos

amigos,

especialmente, aqueles que estão

estando mais disponível para os

presentes nas horas menos boas e

outros… e que os presentes estejam

nos ajudam a dar mais sentido à

presentes na capacidade de partilhar

vida.

um sorriso.

Gostaríamos,

Menino

Jesus,

Edição e Montagem: Profª Noémia Cardoso

que o conforto da amizade estivesse

Um Feliz Natal e um Novo Ano melhor!

Suplemento Desportivo:

mais presente, que a partilha e a

Prof.ª Margarida Oliveira Prof. Luís Inocêncio

solidariedade fossem capazes de

O Diretor

mitigar as enormes injustiças deste

Prof. Carlos Figueira

Reprografia da escola llda Gomes

tua

ostaríamos, Menino Jesus,

neste Natal, tão difícil para tantos,

Impressão:

a

nosso tempo.

Tiragem: 100 exemplares Preço: € 1

Bla! Bla! Bla!

O tempo a passar e, cada dia, com menos tempo para tudo e para nada… - “Não há tempo, blá… blá… blá…” “Amanhã talvez consiga fazer”, vou ouvindo, aqui e ali, e o meu tempo a chegar! – como o do Menino Jesus – em dezembro. “Não há tempo, não há tempo! Blá...blá...blá…” Mas eu sempre ouvi dizer que o tempo também se pode inventar, ou não? Sou eu que estou a inventar? – talvez, é por isso que me chamam tagarela. Blá...blá...blá… Mas, deixando a falta de tempo, e aproveitando este Tempo de Natal, não deixemos de ter Boas Festas com Amor, Saúde e Paz. Blá...blá...blá...

Francisco Limão, 2008/09

Profª Noémia Cardoso

Página 2

TAGARELA


O Dia a dia na Escola Promoção e Educação para a Saúde nas Escolas Nos dias 25 e 26 de outubro, e no âmbito do projeto “Educação para a Saúde”, as turmas de 6º e 7º anos participaram numa atividade sobre Sexualidade, promovida pelo Programa Geração Saudável (GS), da responsabilidade da Ordem dos Farmacêuticos. Profs. Isabel Bento, Natércia Barbosa e Paula Beirão

GS,Mascote do programa

Alguns comentários feitos pelos alunos - Eu acho que foi muito importante. Falámos, por exemplo, de métodos contracetivos e de doenças sexualmente transmissíveis. Rute Pinto, 7B

- Eu gostei da sessão GS. Quando formos grandes já sabemos o que temos de fazer. Usar sempre o preservativo masculino quando não quisermos ter filhos e também por causa das doenças.

- Eu gostei muito da sessão porque foi como uma aula de Educação Sexual. Rodrigo Brites, 7C

- A minha opinião sobre a aula de Sexualidade é que foi muito boa, aprendemos muito e aprendemos que temos de nos controlar e ter calma porque só a partir de uma certa idade é que devemos ter filhos e devemos também usar sempre preservativo.

Tiago Andrade 7B

- Eu gostei porque aprendemos coisas novas que nos podem ajudar no futuro e foram todos muito explícitos e responderam às nossas perguntas. Bárbara Sousa, 7C

Diogo Alves, 7C

- A aula de Educação sexual foi divertida, aprendemos coisas essenciais para a vida. Gostei das pessoas que estavam a explicar e nos tiravam dúvidas. Marta Gonçalves, 7C

Uma aula diferente No dia 25 de outubro tivemos uma aula de ciências diferente. Entrámos num autocarro muito comprido dividido em duas salas, uma espaçosa com balões de falas e jogos e a outra que parecia um cinema. Começámos por ver um vídeo curioso e falar dos sintomas associados ao enfarte do miocárdio, como a dor no peito, suores e náuseas. Disseram-nos que se víssemos alguém com estes sinais deveríamos

ligar o 112 porque se tratava de uma emergência, mas se a pessoa não estivesse aflita não se devia ligar porque podíamos estar a por a vida de outras pessoas em risco. Deram-nos um folheto informativo para ler com os nossos pais e ímanes e pins com a mensagem : “Não perca tempo. Salve uma vida- ligue 112”. A seguir, através da leitura de balões de falas, falámos sobre um amigo, o farmacêutico, que nos pode ajudar em várias situações como recomendar determinados medicamentos e aconselhar a ter um estilo de vida melhor. Falámos sobre as mudanças que ocorrem no nosso corpo durante a adolescência e dos cuidados de higiene que devemos ter . Explicaram-nos como prevenir a gravidez e doenças que se podem transmitir através das relações sexuais. Vimos vídeos, fizemos jogos e esclarecemos dúvidas. Foi divertido e muito informativo. 6º F

TAGARELA

P á g i na 3


O Dia a dia na Escola Feira de compotas e doces tradicionais no dia de S.Martinho O dia de S.Martinho comemora-se no dia 11 de novembro. Este ano, como coincidiu com um domingo, fizemos as nossas comemorações na Escola no dia 9 de novembro, sexta-feira, para as pessoas festejarem o S.Martinho saboreando os nossos doces. Realizámos uma feira com os produtos que confecionámos nas Atividades de Vida Diária ao longo de várias semanas de trabalho. Depois, fizemos os rótulos dos frascos das compotas nas aulas de Informática. Ficaram lindos! Enfeitámos a nossa banca onde colocámos os produtos para vender: geleia de marmelo, rebuçados de marmelada, marmelada, pepironatta e esquecidos (bolinhos tradicionais). E não é que vendemos tudo? Vasco, André, Diogo, Sofia, Rafael, Tomás David, Lurdes e Madalena

Olimpíadas da Criatividade na nossa escola As Olimpíadas da Criatividade são organizadas pelo Torrance Center (Portugal) e têm como objetivo fundamental incentivar o pensamento criativo, crítico e analítico de crianças e jovens do 4º ao 12º ano de escolaridade (ou equivalente), criando um espaço de partilha e motivação, numa filosofia de salutar competição. Através da envolvência dos docentes, encarregados de educação e das próprias escolas, as Olimpíadas de Criatividade pretendem ainda implementar, na comunidade escolar portuguesa, metodologias e programas inovadores, com destaque para o FPSP-Future Problem Solving Program, integrando-as nas competências promovidas pelo ensino formal, de forma

Página 4

transversal a todas as áreas do saber. As atividades propostas neste concurso apelam à resolução criativa de problemas e à responsabilidade pessoal pelo futuro coletivo (pensamento futurista). . São fatores importantes, para uma boa realização nestas competições, a capacidade de trabalho em equipa, o pensamento criativo, crítico e analítico, os conhecimentos adquiridos, a clareza e rigor da comunicação e a responsabilidade cívica. A nossa escola vai participar nesta prova com alunos das turmas 8ºB, 8ºC e 9ºD. Vamos contar com a colaboração de vários professores da escola como mentores e da Prof Rita Viana como coordenadora de escola. A

1ª fase decorreu no dia 21 de novembro e a próxima será no dia 20 de fevereiro de 2013. Boa sorte aos concorrentes e boas ideias de soluções criativas. Profª Rita Viana

TAGARELA


O Dia a dia na Escola Projeto Escxel um projeto para a Escola de Excelência Continuação da pág.1

…. A escola interioriza, observa a realidade, pensa nos resultados, procura caminhos, procura previsões. A capacidade de tomar decisões tem de lidar com a imprevisibilidade, mas só os resultados demonstram se as escolhas são as certas. O tempo da escola é um tempo de construção da identidade. Uma experiência satisfatória, com sentido, é catalizadora de motivação para novas experiências ao longo da vida. Por isso é tão importante a escola levar o estudante a manter a esperança, motivar para a construção, para o esforço, para a descoberta e planificação do caminho a tomar. Na descoberta deste caminho tomam papel importante os SPO. O seminário desenvolveu-se com um painel central em que a Doutora Ana Carita da Universidade Lusófona apresentou um estudo sobre a Orientação Vocacional Escolar, a participação da Drª Maria João Saraiva da ES Quinta do Marquês que partilhou a sua experiência da orientação profissional numa escola pública, e a

apresentação Drª Teresa Diniz com o exemplo da orientação profissional privada na Escola de Comércio de Lisboa. Depois os Workshops desenrolaram-se repartidos por três temas: “Orientação de Percursos Vocacionais escolares”; “Planeamento e gestão de ofertas profissionalizantes” e “Mercado de trabalho: oportunidades e articulação com as empresas”. Foram apresentados exemplos de metodologias de intervenção, linhas de propostas para conseguir uma melhoria no desempenho, de forma a conseguir mobilizar os alunos para a construção da sua valorização profissional em que as diversas escolhas sejam promotoras de sucesso e reconhecidas socialmente. Profª Margarida Leitão

Há muitas maneiras de aprender No passado dia 11/10/2012, na aula de HGP a minha turma do 6º ano, assistiu ao filme com o nome “Vatel”. Ao ver este filme, a professora pretendeu mostrar-nos de uma forma diferente como era a vida das pessoas nos séculos XVI e XVII dentro de uma corte real. O filme conta-nos a história de um homem chamado Vatel, que organizou uma grande festa para o rei D. Luís XVI. Nesta festa tudo tinha de correr bem e nada podia faltar. Ao ver este filme, pudemos observar que a vida daquele tempo era injusta, porque havia grandes diferenças entre os grupos sociais: o povo, a burguesia

e a nobreza. O rei era o mais muito rico e tinha todos os poderes, bens e luxos. Vivia em grandes palácios, acompanhado da corte que fazia tudo para o satisfazer. A Nobreza também morava em belos solares com TAGARELA

jardins decorados com estátuas e painéis de azulejos. Em volta destes jardins havia matas onde faziam as famosas caçadas e batidas para seu divertimento e para o Rei. Nestes palácios faziam grandes festas, concertos de ópera, teatros e bailes e havia grandes banquetes onde não faltava nada. Havia carne e peixe em abundância, doces e bebidas. Vestiam-se com belos vestidos feitos de sedas e também muitas jóias de ouro, prata e diamantes. A burguesia também queria enriquecer e para isso, dedicava-se ao comércio de artigos. O povo, como sempre, tinha uma vida muito dura. Trabalhavam muito nos campos para terem alguma coisa para comer e para pagar os impostos aos donos das terras. Na cidade, eram vendedores ambulantes artesãos e pequenos comerciantes e os mais sortudos eram criados da Burguesia ou da Nobreza. As suas roupas eram poucas e pobres. Algumas não tinham sapatos para se calçarem Os trabalhadores viviam com grandes dificuldades até morrerem. Eu gostei muito de ver o filme Vatel. Fiquei a perceber melhor como era a vida da sociedade neste século XVI. Observei como estava dividida a sociedade, quais as suas principais atividades, gostos e responsabilidades e também como na altura já havia muita desigualdade e injustiças entre as classes sociais. João Santos, 6º H P á g i na 5


Escrita Livre Os meus primeiros dias na nova escola Quando cheguei à nossa escola no dia da apresentação, achei a escola Conde de Oeiras enorme e que, de certeza, me ia perder.

a ver onde eram as salas, a marcar os almoços, a ver o que fazia nos tempos livres e a tentar trazer os livros das aulas do dia. Fazia os trabalhos na Biblioteca e depois ia para o ATL com os trabalhos feitos. Achava que não valia a pena andar lá porque fazia os trabalhos de casa antes, as aulas andavam devagar e fazíamos pouca coisa. Mas agora já não acho isso!! Tenho imensos T.P.C’s e trabalhos que não fiz nas aulas. E de vez em quando fico toda baralhada porque é tanta, tanta coisa, que me perco. Quanto às salas e aos almoços, já quase sei o meu horário de cor e marco a senha de véspera. Estou a gostar muito desta escola e quero ficar cá. Maria Vendas, 5º I

Nos primeiros dias andava um pouco desnorteada,

Regresso às aulas Quando entrei na sala de aula, vi a professora de português já pronta para iniciar o ano letivo. Eu fiquei ao lado do Kevin (um rapaz que veio de Cuba) e sentime um pouco nervosa porque não conhecia quase ninguém, mas ao mesmo tempo fiquei feliz, já que poderia fazer novos amigos. Tudo me parecia agitado, pois há muitos alunos. Gostei desse dia porque conheci novas pessoas e novos colegas. Os meus novos colegas são

simpáticos, engraçados e espertos. Para sentir-me segura, almocei com a minha melhor amiga que, por azar, não ficou na minha turma. Agora o 1ºciclo é uma recordação que ainda me faz chorar um pouco. Mafalda Rodrigues, 5ºD

A minha escola é o máximo! Para mim, a minha escola é como se fosse um sonho tornado realidade, tem coisas bonitas para ver, como se fossem umas lindas estrelas a brilhar! Os meus sítios preferidos na minha escola são a biblioteca e a ludoteca, porque na biblioteca posso estudar, ler, ir para os computadores, fazer os tpc, e na ludoteca podemos jogar, fazer os tpc, estudar,… Nesta escola tenho amigos fantásticos, professores que ensinam bem, auxiliares queridas… A minha atividade preferida é o Jornal Tagarela e TIC nas Ciências. Só não gosto da fila do almoço, porque está sempre grande quando vou para lá e os meninos crescidos nem sempre respeitam os mais pequenos. Mas a minha escola é muito divertida! Estamos no Moodle a fazer o problema de “Fim de Semana”

Até à próxima, amigos. Susana, 5ºA

Página 6

TAGARELA


Escrita Livre Umas férias inesquecíveis No ano passado, nas férias de verão, fui ao “Zoomarine” com os meus pais. Pode parecer uma coisa insignificante, mas, para mim, foi muito

importante. Foi a primeira vez que fui ao Algarve e ao “Zoomarine”. Há muito tempo que andava a pedir aos meus pais para lá ir, mas só no ano passado é que o meu desejo se realizou. Num dia de sol radiante, aí fomos nós até lá. Estava

tão ansiosa que só pensava como seria. Entrámos e fomos para a zona do espetáculo com os golfinhos, a minha parte favorita. Foi lindo!! Os golfinhos saltavam dum lado para o outro, empurravam os animadores e puxavam um pequeno barco com duas crianças lá dentro. Seguidamente, vimos o espetáculo das focas: era um teatro. Foi muito engraçada a parte em que uma foca dançou com um dos animadores. Logo a seguir, foi o das araras. Também foi divertido, mas não tanto como os outros dois espetáculos. Almoçámos e continuámos a nossa aventura. Ainda houve um espetáculo com uns homens e umas mulheres a saltarem de umas pranchas muito altas. No final, andei nos carrosséis. Foi um dia em cheio!! Adorei a nossa ida ao “Zoomarine”: foi muito divertida! Marta Espinha, 6ºB

Férias de verão Aquele foi um dia muito especial. Foi o dia em que fui para Tróia com os meus pais e com o meu irmão. Era julho e estava muito calor. A viagem foi bem sucedida, mas o meu irmão não esteve quieto durante um segundo. Ele não parava de repetir as seguintes palavras como, por exemplo: «Já chegámos?» ou «quanto tempo falta?», o que, passado algum tempo, já me estava a causar uma grande dor de cabeça. Quando lá chegámos, fomos pôr as malas e bagagens pessoais ao hotel, e fomos almoçar.

A seguir ao almoço e a fazermos a digestão, fomos todos vestir os fatos de banho, pusemos protetor solar e fomos todos dar um grande mergulho à piscina. Foi muito divertido! Ao chegar ao hotel, arrumámos as nossas coisas e fomos todos descansar. Nunca mais esqueci esse dia e, apesar de estarmos cansados da viagem e das brincadeiras, estávamos felizes! Maria Gomes,6ºB

A Língua Portuguesa A árvore desta língua Tem ramos bem-sonantes, Cada um com seu sotaque Todos eles empolgantes! Desde o Minho ao Algarve, Passando pela Madeira e Açores. Uma festa de cores! A árvore desta língua Tem folhas de muitas cores como as letras Transformam palavras em flores! Seus frutos viajam para longe, Em prosa e em poesia, Contam histórias emocionantes, De reinos de fantasia!

TAGARELA

Mafalda Rodrigues,5ºD Matilde Rodrigues,5º D P á g i na 7


Escrita Livre "O outono" No outono, tive uma mudança na minha vida. A escola recomeçou, após dez semanas de férias. O tempo estava cada vez mais frio, começaram as primeiras chuvas e ir à praia já não era tão bom como em agosto, quando havia muitas pessoas, a ler, a passear, a fugir, a brincar, a comer uns deliciosos e refrescantes gelados. Bons velhos tempos! A escola recomeça, e brinco com os meus novos amigos. Tenho novas disciplinas, como Educação Tecnológica, Educação Visual, Educação para a Cidadania, História e Geografia de Portugal e Ciências Naturais. As de que gosto mais são Matemática, História e Geografia de Portugal e Inglês. No primeiro dia de aulas, não conhecia ninguém. Todos os colegas desta turma vinham de outras escolas. Nenhum veio da minha, o que foi muito triste. Estava com um pouco de receio, já que podiam ser "maus". Depois, fui-me habituando a eles e já tenho agora alguns amigos chegados, que adoram brincar comigo. Foi neste outono que entrei pela primeira vez nesta escola chamada Conde de Oeiras e estou a gostar, apesar de ter demasiados alunos. O outono é a estação de que gosto menos. Chove, não há neve, está frio e não se pode passear muito. Todos temos de levar guarda-chuva para a escola, caso esteja a chover. Eu odeio usá-los.

Nos últimos três anos não fiz nada no Halloween, devido à falta de tempo que tenho. Além disso, existem coisas muito mais importantes, como estudar. Este ano não o celebrei. Ah, é verdade, esqueci-me de falar do dia de São Martinho. Não gosto nada de castanhas, por isso não as como, como é óbvio. Afonso Ramos Rodrigues, nº 1,5º E

Tecnologias As tecnologias inovaram e modificaram o modo como vivemos e os nossos costumes. Na minha opinião, trouxeram tanto vantagens como desvantagens. Podemos observar que, hoje em dia, nós sabemos grande parte dos acontecimentos que ocorrem no mundo. Isso deve-se às novas tecnologias da comunicação. Antigamente, isto não era possível. Hoje, se precisarmos de uma informação, pesquisamo -la na internet e já não tanto nos livros. Contudo, apesar de ser mais rápida de encontrar, a informação pode não ser fiável. Se quisermos comunicar com um familiar que não vive perto de nós, enviamos um email ou uma mensagem por telemóvel, em vez de enviar uma carta, pois, para além de ser mais barato,

Página 8

é muito mais rápido. Com as novas tecnologias, podemos trabalhar, comprar e conversar sem sairmos de casa. No entanto, isto leva à sedentarização e diminui a vida social. Nos dias de hoje, qualquer um tem acesso a um telemóvel, a um computador ou a um mp3, inclusive os jovens, podendo levar a que a próxima geração seja menos saudável ,menos sociável e menos autónoma. As tecnologias trouxeram muitos benefícios, mas podem ser prejudiciais, se o seu uso não for moderado. Francisco Silva, 9º B

TAGARELA


Visitas de Estudo O 6ºE visita a fábrica de lápis Viarco No dia 8 de novembro de 2012, por volta das 8:30h da manhã, estávamos a caminho da fábrica de lápis Viarco para conhecer o processo de fabrico dos lápis. A fábrica localizava-se em S. João da Madeira, uns quilómetros abaixo do Porto. Deslocámo-nos de autocarro. Durante a viagem contámos anedotas, ouvi-mos música, foi uma animação. A meio da viagem parámos em Leiria para comer um lanche. Connosco iam cinco professores, um deles, o nosso D.T, professor Amílcar. Quando chegámos a S. João da Madeira almoçámos numa escola secundária e a comida estava boa. Depois fomos para a fábrica. Recebemos umas batas brancas e dirigimo-nos para uma sala onde vimos um pequeno filme sobre o processo de fabrico do lápis. Seguidamente fomos para a secção de mina, onde se prepara o grafite para fazer as minas. Vimos uma máquina que afiava os lápis e observámos o processo da pintura das pontas do lápis; no andar de cima vimos a pintura e a limpeza dos lápis e observamos uma barra de grafite de tamanho XL. Na sala de desenho experimentamos vários objetos de grafite para pintar e alguns colegas compraram um lápis.

Com esta visita aprendemos principalmente o fabrico do lápis, e o uso de instrumentos para desenhar. O que me impressionou mais foram as cores vivas dos lápis. Foi uma visita boa, divertida e educativa para as crianças e adultos. Leonor Ferro nº11 6ºE

VISITA DE ESTUDO A FÁTIMA Realizaram-se, nos dias 14 e 21 de novembro, duas visitas de estudo a Fátima com alunos do 6º , 7º, 8º e 9º Anos que frequentam a Disciplina de EMRC. Os resultados foram muito positivos, com todos os objetivos não só alcançados como, em alguns casos, superados.

Fátima e, em especial, “O Milagre do Sol” que Nossa Senhora realizou a 13 de outubro de 1917, na presença de 70.000 pessoas. De tarde, os alunos visitaram a casa dos Videntes bem como os locais onde o Anjo apareceu em 1916.

O que dizem os alunos da visita “Há três anos atrás a minha opinião sobre Fátima era muito diferente, não acreditava. Agora acredito. Adorei ir a Fátima e estou desejosa de lá voltar”. (Carolina Terenas, 9ºB)

“A visita de estudo a Fátima foi muito divertida e contribuiu para eu modificar algumas coisa em mim, … e passar a ser menos teimosa com os meus pais” (Mariana Sofia, 7ºA)

Os alunos evidenciaram um comportamento exemplar que muito honrou a nossa Escola. O programa da visita começou com a visita à Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima onde se encontram os túmulos dos três videntes: Lúcia, Francisco e Jacinta. De seguida, foi projetado, no auditório do Santuário, o filme “O Dia em que o Sol Bailou” sobre a vida dos pastorinhos, a mensagem de TAGARELA

“Gostei muito de ir a Fátima, achei muito interessante. Foi a minha primeira vez e acho que é um lugar que toda a gente devia conhecer” (Bruno Gomes 7ºB) “Esta ida a Fátima ajudou-me a portar-me melhor… vou pedir aos meus pais para virem mais vezes a Fátima” (Bernardo Brito)

Cont. pág. 11 P á g i na 9


Visitas de Estudo Visita de estudo ao Palácio do Marquês de Pombal, em Oeiras Eu sou uma guia dos jardins. - Então, os jardins deste Palácio eram muito verdes e com muitos arbustos bem arranjados. Havia várias estátuas, como podem aqui observar, de pessoas - de Luís de Camões, Homero, Virgílio e Tasso, e de animais - por exemplo a de um cão. -“Homero”? Que nome estranho! Ele era o quê? Egípcio? -Não, nada disso. Homero foi um escritor, tal como Luís de Camões, mas ele não era português, era grego. - Ok! Obrigada! - Por todo o Palácio, como puderam observar pela visita, encontram-se bastantes azulejos - na capela, numa das escadarias deste jardim e até nos bancos deste jardim. - Pode dizer-nos de onde veio o nome “azulejo”? - Claro que sim! A palavra “azulejo” vem do árabe “azzelij” que significa “pequena pedra polida”. Bom, continuando, ao passarmos do interior para o exterior, deparámo-nos com uma espécie de “labirinto” feito com os arbustos do palácio. não foi? - Sim! É que, nesta altura, os nobres gostavam muito de movimento e dramatismo, tanto, que o usavam também nos jardins. - Correto! E vocês conseguem identificar uma coisa que há em todos os palácios? Bem, há muita coisa igual em todos os palácios, mas uma, uma principal, conseguem? - A fonte! - É verdade! Em todos os jardins, de todos os palácios, há pelo menos uma fonte. Neste palácio, a fonte a que me refiro, é a fonte que está ali no meio daquele tal “labirinto” de que nós falamos ainda há pouco. Faltou-vos só acrescentar a cascata; é uma cascata que daqui, com tantas árvores ainda não se consegue ver, mas eu digo-vos já qual é. Ali no fundo a Cascata dos Poetas que tem o Tritão com cabeça e tronco humanos e cauda de peixe. - É isso mesmo. Aqui representa um rio – provavelmente o Rio Tejo cuja foz é aqui em Oeiras. - Então vamos lá! Olhem aqui, veem estas águas paradas com os nenúfares? - Que lindo! - Vá, vamos continuar! Aqui neste espaço pequenino e fechado, observem o teto. É feito com louças partidas da Companhia das Índias! Agora, aqui mais à frente, podem ver que há bastantes plantas, flores e árvores, basta esfregarmos as mãos nas plantas que aqui estão, para ficarmos com elas, cheirosas e perfumadas. As árvores de que vos falei são as bananeiras, as laranjeiras, as araucárias, os Página 10

eucaliptos, os pinheiros e uma também, muito utilizada, que era o dragoeiro, e a sua seiva era utilizada para medicamentos. Vocês já deram o estilo

Barroco? Bem, para me terem respondido há bocado sobre aquele “labirinto”, eu acho já deram. Estou certa? -Sim, é verdade, nós já demos o estilo Barroco. -Hummmmm…, e sabem identificar as suas características? -Sim! Então, havia simetria em todos os prédios que eram feitos nesta altura, pináculos e fogaréus, balaustradas nas varandas e curvas e contracurvas para dar movimento. -Muito bem! Eu estou impressionada com aquilo que vocês sabem, são meninos muito espertos. E sabem dizer-me em que século mais se construiu neste novo estilo? -Foi no século XVIII. -Adeus meninos! -Adeus Marta! -Eu adoro a minha profissão. Tenho a certeza que neste palácio esta é a visita mais bonita que alguém pode desejar alguma vez fazer quando cá vier. O seu cheiro é um cheiro a natureza, as suas estátuas, os caminhos que nos conduzem, os relvados, os lagos, as árvores, plantas e flores, seres perfumados... Que se pode querer mais num palácio de um nobre?

Carolina Fernandes 6º H

TAGARELA


Visitas de Estudo Visita a Lisboa Sítios com História A Ribeira dos Naus era o sítio onde se construíam as naus ou outros barcos, se faziam arranjos e se verificava se estavam prontos para navegar. Nos tempos da expansão, os portugueses construíram uma casa para guardar os produtos que vinham dos territórios descobertos. Chama-se Casa da India. Esta casa fica ao pé do Ribeira das Naus porque quando vinham os produtos era mais fácil de os transportar e permitia ao rei controlar as riquezas e as especiarias armazenadas. Localizava-se ao lado do Paço da Ribeira O Paço da Ribeira situava-se na margem do rio Tejo em Lisboa. Era um luxuoso palácio real de estilo Manuelino, construído em 1498, por D. Manuel I. O rei e a corte foram viver para o palácio em 1503 mas o Paço da Ribeira foi destruído no grande terramoto do dia 1 de novembro de 1755. O Terreiro do Paço é uma grande praça situada ao longo do rio Tejo. Com a época dos descobrimentos passou a ser um local muito movimentado devido aos vários produtos vindos dos nossos territórios, como por exemplo a pimenta (da India) e a porcelana (da China). Isto tornou Lisboa uma grande cidade. Depois do terramoto, a praça foi redesenhada, passou a ser um retângulo perfeito com a estátua do rei D. José no meio. Deixou de se chamar Terreiro do Paço e passou a chamar-se Praça do Comércio. Ainda hoje é muito conhecida Ao longo da visita, quando estávamos a ir para o palácio, reparámos que o chão era todo enfeitado – calçada portuguesa! Quando chegámos à Casa dos Bicos ficámos admirados com aquela arquitetura do século XVI, toda cheia de bicos e talhados em pontas de diamantes tal como o proprietário que mandou

construir a casa tinha visto em Itália, num palácio em Ferrara. A Casa dos Bicos ou Casa de Brás de Albuquerque foi construída em 1523, a mando de D. Brás de Albuquerque, da família do governador da Índia portuguesa. Com o terramoto, parte do edifício caiu. Nos nossos dias foi reconstruído mas modernizado. Hoje é a casa da Fundação José Saramago, acolhendo a biblioteca do escritor prémio Nobel da Literatura e tem em frente uma oliveira onde foram deitadas as suas cinzas. Palácio da Independência. Foi aqui que tudo começou. No final da 1ª metade do século XVII, os nobres queriam deitar o governo espanhol abaixo e, para isso, tinham de se reunir em segredo. Antão de Almada disponibilizou a sua casa, era o sítio perfeito, pois acabava aí a muralha velha. Os nobres entravam pela muralha, subiam as escadas, encapuçados, mostravam Nossa Senhora da Conceição ou diziam a palavra chave e reuniam-se numa sala ao lado. O conjunto de nobres conjurados reuniu-se e decidiram que os espanhóis não podiam governar mais Portugal e começaram, todas as semanas, a fazer as reuniões secretas para preparar e decidir como ia ser o grande dia da revolução – 1 de dezembro de 1640. Texto de alunos do 6º H - Filipa e Carolina Fernandes, Kai Lun, Ricardo Paulo, Constança, Pedro Monteiro, Ricardo Bonança, Francisco Maranha, Miguel Mendes .

O que dizem os alunos da visita de estudo a Fátima Continuação da pág. 9

“Gostei especialmente de passar um dia inteiro a aprender e a estar com os meus amigos e professores. Farei mais sacrifícios e amarei mais os meus amigos e familiares. Acho que os lugares que visitámos têm uma influência sagrada. Espero nunca me esquecer disso. Irei melhorar como pessoa e não ofender a Deus.” (Diogo Nobre, 7º A)

sofrimentos que lhes apareceram eles superaram-nos com amor.” (José Dias, 7ºA) Prof. José Baptista

“Nesta visita aprendi o que é o poder do terço e da oração… Também aprendi que quem está com Deus tem tudo. Quando vi a casa dos pastorinhos reparei que eles não tinham nada mas no fundo tinham tudo o que é verdadeiramente importante. Eles sendo pequenos na idade eram grandes. Por isso Deus escolheu-os e eles não renegaram. Todos os TAGARELA

P á g i na 1 1


A Não Esquecer DIA MUNDIAL DA FAMILIA E DA ESCOLA Com o objetivo de reforçar a importância da família na sociedade e na vida de cada indivíduo, ano após ano, no dia 12 de outubro, o mundo todo comemora o Dia Internacional da Família e da Escola. Afinal, mesmo com a sociedade em constante mudança, a família ainda possui um valor importantíssimo para a formação de princípios e conduta dos indivíduos, sendo, muitas vezes, a única responsável pela transmissão de princípios, conceitos de mundo, idéias, boas maneiras, hábitos e costumes. A família é uma das maiores e mais antigas aliadas da educação; a relação entre pais, filhos, irmãos e outros elementos, é um longo processo de conhecimento para todos, no qual cada um sempre tem algo para aprender ou ensinar ao outro. Por isso, todo o processo de educação que é passado para as crianças e jovens nas escolas, sobre quaisquer temas, principalmente os mais atuais, é importantíssimo para que a

mensagem possa chegar também à restante sociedade, através da família. Ou seja, a família é fundamental para uma boa educação e formação do indivíduo, mas também para a formação de cidadãos mais ativos e conscientes. Tal como é a escola. Duarte Faria

DIA MUNDIAL DA TERCEIRA IDADE No dia 1 de outubro comemora-se o Dia Mundial da Terceira Idade. A Organização das Nações Unidas instituiu esta data comemorativa em 2003, com a intenção de promover, no mundo inteiro, discussões sobre a situação da população nesta faixa etária, de forma a garantir os seus direitos e bem-estar. A equipa do jornal

O Dia Mundial da Saudação O Dia Mundial da Saudação é um dia nobre e de grande motivação. Foi celebrado pela primeira vez em 1973. Este dia é comemorado em todo o Mundo, por pessoas de 180 países. É um dia eleito essencialmente para celebrar a paz mundial. Se vais viajar, sabe como cumprimentar alguém nas diferentes partes do mundo! O dia internacional da Saudação assinala-se todos os anos no dia 21 de novembro, com o objetivo de promover a paz no mundo, através do cumprimento. De país para país, de cultura para cultura, existem várias maneiras de cumprimentar uma pessoa. Conhece o beijinho do esquimó? Os habitantes dos países frios cumprimentam-se esfregando o nariz um no outro para que não tenham de tirar as mãos dos bolsos e retirar as luvas. A equipa do jornal

Página 12

TAGARELA


A Não Esquecer Dia Internacional para a Tolerância O Dia Internacional para a Tolerância foi instituído pelas Nações Unidas como o dia 16 de novembro de cada ano, como reconhecimento da Declaração de Paris, assinada no dia 12 de novembro, em 1995, tendo 185 Estados como signatários. Nela, os Estados participantes reafirmaram a "fé nos Direitos Humanos fundamentais" e ainda na “dignidade e valor da pessoa

humana, além da intenção de poupar sucessivas gerações das guerras, por questões culturais, para tanto devendo ser incentivada a prática da tolerância, a convivência pacífica entre os povos vizinhos. Equipa do jornal

O Dia Mundial da Poupança O Dia Mundial da Poupança é comemorado no dia 31 de outubro e é o dia em que se recorda às pessoas a importância de desenvolver hábitos de poupança. A ideia de criar uma data especial para promover a noção de poupança surgiu em outubro de 1924, durante o primeiro Congresso Internacional de Economia, em Milão.

Para não se comprar mais do que é preciso dão-se alguns conselhos: fazer uma lista, ter em conta os folhetos promocionais dos supermercados da zona, não ir às compras com fome (para não ser tentado a levar alimentos que pareçam apetitosos, mas sem interesse). Duarte Faria, 6º C

Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza A pobreza é uma violação dos direitos humanos. Todas as crianças, jovens, homens e mulheres têm o direito humano a um nível de vida adequado à sua saúde e bem-estar, a comida, roupa, alojamento, tratamento médico e serviços sociais. Estes direitos fundamentais são definidos na Declaração Universal dos Direitos Humanos e outras declarações e tratados internacionais de direitos humanos. A Assembleia Geral das Nações Unidas declarou o dia 17 de outubro como o Dia

TAGARELA

Internacional para Erradicação da Pobreza e convidou todos os países a dedicar esse dia à apresentação e promoção de actividades concretas no âmbito da erradicação da pobreza e indigência de modo apropriado e no contexto nacional.

Equipa do jornal

P á g i na 1 3


Saber Mais A viagem perdida de Darwin Charles Darwin, um naturalista britânico que viveu no séc. XIX e ficou famoso por ter apresentado um estudo sobre a evolução das espécies, passou a maior parte da sua vida em casa, em Inglaterra, e foi numa das suas salas que ele escreveu o livro que prova a teoria sobre a origem das espécies e sobre a sua evolução. Mas existe uma história esquecida por trás do trabalho revolucionário de Darwin: a forma como ele teve esta ideia . Quando ele tinha apenas 22 anos Darwin enfrentou as ondas para dar a volta ao mundo em 5 anos . Agora, um biólogo revolucionário Armand Leroi, voltou a abrir os diários de Darwin para reviver a sua aventura e para ver o que ele viu e para juntar todas as peças de uma verdadeira hisstória e descobertas científicas mais relevantes. Trata-se de “ A viagem perdida de Darwin” . Filipa Paes de Vasconcellos, 6ºH

As cabeças da Ilha da Páscoa Em outubro de 2011, foram iniciadas as escavações do chamado Projeto 5 que começaram a revelar por completo os corpos das estátuas feitas de material vulcânico, existentes na Ilha da Páscoa, no Chile (América do Sul). As cabeças são cilindros de pedra vermelha que representam, de modo estilizado, um torso humano masculino de orelhas longas. Segundo a teoria mais aceite sobre a ilha, os moais teriam sido erguidos pelos primeiros habitantes, os "Rapanui", como uma homenagem aos líderes mortos, o que explicaria o facto de estarem todas de costas para o mar, ou seja, de frente para o interior da ilha onde ficavam as aldeias. A descoberta dos corpos foi realizada pelo casal Routledje, mais outro grupo de pesquisa privado. Ao escavar, descobriram muitos escritos sobre os corpos. A explicação mais provável para os corpos terem sido enterrados é que uma onda gigante tenha enterrado os corpos dos Moais e as suas antigas civilizações. A ilha foi descoberta pelo navegador Jakob Roggeveen, no Domingo de Páscoa do ano de 1722, e em 1888 tornou-se posse do Chile. Noa Brighenti, 5ºA

Meteoros Os meteoros, também conhecidos por estrelas cadentes, designam-se como um fenómeno luminoso observado aquando da passagem de um meteoróide pela atmosfera terrestre. Este fenómeno pode tomar várias cores, como o azul, o roxo e o amarelo; esta mudança de cor pode ter a ver com a velocidade a que o meteoro se desloca. A aparição dos meteoros pode dar-se sob duas formas: uma delas é designada "chuvas de meteoros" ou simplesmente "chuva de estrelas", em que os meteoros parecem provir do mesmo ponto do céu, à noite, denominado de radiante. Outra forma é a de

Página 14

"meteoros esporádicos". Existem dois tipos de meteoros que se destacam pela sua espectacularidade: as Bolas de Fogo e os Bólides. Carolina, 6º H

TAGARELA


Saber Mais

Pedras Preciosas Ao longo do tempo foram descobertas diversas pedras com elevado valor. Mostro agora algumas das pedras preciosas:

As pedras vendidas, além do seu valor monetário, são utilizadas com vários fins: Bijutaria Exposições Materiais de construção e arte Propriedades curativas Cartas Estátuas Pisa papeis Centros de mesa Para além das pedras preciosas que foram mostradas anteriormente, existem muitas mais. Vou agora falar sobre duas delas: Pérola A origem da palavra pérola vem do latim e seu significado talvez venha de um molusco "perna" ou devido à sua forma esférica. As pérolas são produzidas por moluscos e o seu tamanho varia entre uma cabeça de alfinete e um ovo de pomba. A maior pérola encontrada pesa 450 quilates. As pérolas cultivadas não são uma imitação, mas sim uma forma do homem colaborar para a sua formação natural. A produção das pérolas cultivadas é causada pela introdução de corpos estranhos nos moluscos.

Cuidados com a pérola: as pérolas têm que ser armazenadas separadamente das outras peças, envolvidas em tecido. Devem ser limpas com um pano húmido e evitar produtos químicos da casa, produtos para os cabelos, cosméticos e perfumes, pois tiram o seu brilho. Turquesa O nome turquesa pode ter sido dado com referência aos turcos, que introduziram esta pedra na Europa. Costuma-se lapidá-la na forma de cabochão e não facetada, pois além de ser uma pedra opaca, possui veios terrosos escuros. Jazidas: as jazidas do Sinai foram exploradas cerca de 4.000 anos a.C. As melhores turquesas são encontradas no Irão (turquesa persa). Outras jazidas podem ser encontradas no Afeganistão, Austrália, China, Israel, Tanzânia e EUA. Cuidados com a pedra turquesa: a natureza porosa e a baixa dureza do mineral torna as pedras muito sensíveis pois podem perder a sua cor e o seu brilho facilmente. Esta pedra pode sofrer alterações pelo suor da pele, cosméticos ou pela perda da sua humidade natural. Deve-se tomar cuidado com riscos ou raspões. Luísa, 6ºH

Sabia que... - As raparigas têm mais papilas gustativas do que os rapazes - Vénus é o único planeta que gira no sentido dos ponteiros do relógio. - A lula gigante tem os maiores olhos de todas as espécies de animais….. - O ovo do crocodilo tem o mesmo tamanho do que um ovo de ganso… - O pulmão direito recolhe mais ar do que o esquerdo….. - Os nossos olhos têm o mesmo tamanho desde que nascemos, mas as orelhas e o nariz não param de crescer… - O jogo com mais golos ocorreu num Hungria- El Salvador, em 1982, que os europeus venceram por: 10-1 - Em 1979 nevou no deserto do Sahara… - No Japão acontecem cerca de 1500 terramotos por ano. Maria Teresa Mota 6ºC nº13

TAGARELA

P á g i na 1 5


A Biblioteca Conta... Em modo de balanço... , No primeiro período organizámos as nossas atividades de forma a assegurar os serviços que consideramos essenciais: um horário contínuo das 9h00 às 16h40; o empréstimo domiciliário de livros; fotocópias e impressões; tratamento e catalogação de documentos (livros, etc); apoio aos alunos quando não têm professor; apoio aos alunos em utilização livre. Começámos o ano letivo com uma pequena sessão de formação de utilizadores a todos os alunos do 5º ano, para que estes se apropriassem de todas as regras e procedimentos a seguir na BECO. Disponibilizámos um conjunto de ofertas extracurriculares: - “Clube Participa”, cujo objetivo é promover a participação dos alunos nas atividades da escola, como a organização de eventos, exposições, comemorações, concursos, apoio à divulgação, colaboração com o jornal, etc; - “Clube Hi-tech”, onde os alunos têm acesso a recursos tecnológicos e se exploram sites e aplicações como ferramentas de desenvolvimento de conteúdos; - “Clube de Banda desenhada” - explora a arte e o meio de comunicação que é a BD e permite aos alunos transmitir o seu mundo de fantasia. - “Clube de ilustração” - tem como objectivo dar a conhecer os vários tipos de ilustração, principalmente

dos ilustradores portugueses. Simultaneamente, os alunos terão oportunidade de desenvolver a sua criatividade fazendo as suas próprias ilustrações, experimentando algumas técnicas. - “Jornal de parede Grandonda” - tem como objectivo proporcionar à comunidade educativa um espaço aberto de expressão livre, de modo a que os alunos possam desenvolver o espírito crítico,

Página 16

participativo e interventivo no âmbito da educação para a cidadania. Dinamizámos os concursos: - “Duarte e Marta, Mistério no Pavilhão do Conhecimento” e “Cherub, República Popular”, de leitura e interpretação, dirigido aos 2º e 3º ciclos, respetivamente; - “Crosswords 5º – animals” e “Crosswords 6º human body and clothes”, de apoio ao currículo da disciplina de Inglês; - “Fotografia” com o tema “Hábitos de vida saudáveis”. Organizámos a feira do livro, assegurando que todas as turmas da escola pudessem visitá-la durante o horário letivo e, desta forma, promover o livro e a leitura. No 1º CEB, iniciámos o projeto “Eu sei ... dormir“, com que nos candidatámos ao projeto “Dormir + para Ler Melhor” do PNL e fomos um dos 20 agrupamentos de escolas selecionados a nível nacional. Ainda do 1º CEB recebemos a turma do 2ºA, para exploração da obra “A menina gotinha de água” e consequente atividade de iniciação às TIC, relacionada com o tema do Ciclo da Água. A BE é ainda responsável pela gestão do blogue (http://eb23co.wordpress.com), e está presente nas redes sociais Google + (BE Conde de Oeiras) e Facebook (BE Conde Oeiras). Cabe agora aos nossos utilizadores fazer o balanço da nossa atividade. E podem fazê-lo publicamente no nosso blogue. Profª Rita Frazão

TAGARELA


Espaço dos Mais Novos Percursos Pedestres 29 e 30 de outubro 2012

E.B.1 / J.I. Sá de Miranda

Mais uma vez fomos à descoberta de Oeiras…este ano o tema escolhido foi a toponímica. Com base num croquis e no itinerário fotográfico que elaborámos, fizemos um percurso pela zona envolvente à nossa Escola. Fizemos pesquisas, recolhemos materiais, tirámos fotografias, traçámos percursos, analisámos mapas e plantas, estudámos regras de Segurança e Prevenção Rodoviária… Fomos a pé e isso foi muito importante: de uma forma saudável, divertimo-nos a contactar com as pessoas e os espaços… o que permitiu fazer descobertas e conhecer o meio local. O ponto de partida foi a rua da nossa Escola. Chegada a hora de “ir para o terreno”, não nos esquecemos de cumprir as nossas tarefas de uma forma responsável e segura, com a ajuda dos agentes da Escola Segura – que nos iam recordando a sinalética e as regras de circulação, enquanto peões. Registámos e fotografámos algumas Placas Toponímicas… havia ruas e locais com o nome de personalidades importantes para o Concelho e … outras com nomes bem curiosos. A meio do percurso tivemos o merecido lanche (num espaço verde que desconhecíamos) a que se seguiram brincadeiras sem fim… em contacto com a Natureza. No fim, não nos esquecemos de Proteger o Ambiente : - Colocámos o lixo no local respectivo! Foi uma manhã bem divertida! A Turma do 2º A

TAGARELA

P á g i na 1 7


Espaço dos Mais Novos

Feliz Natal para todos O Natal está a chegar, eu mal posso esperar! Gosto de fazer presentes e com a família estar. Goto de árvore de Natal decorar. Abrir presentes é o melhor e a amizade faz parte disso. Mas comer peru ao jantar, é tão bom… É melhor do que comer batatas fritas todas as semanas. Está o peru comido, ainda todos estão sentados, só falta esperar pela sobremesa. E o jantar está acabado, abrimos os presentes e ficamos contentes. Catarina Baptista, 3ºA EB1 António Rebelo de Andrade

As castanhas As castanhas são um alimento muito saudável. São muito ricas em fibras e têm poucas gorduras. Nos magustos comem-se assadas. Mas também se podem comer cozidas com erva-doce e ficam muito boas! Também há quem faça com elas sobremesas ou puré de castanhas. Sabias que durante muito tempo as castanhas foram a base principal da alimentação? É verdade, comiam-se castanhas como hoje se come arroz ou batatas, como acompanhamento das refeições! Sara Matos, 3ºA EB1 António Rebelo de Andrade

Página 18

TAGARELA


Passatempos SOPA DE LETRAS Encontra as palavras na vertical e na horizontal Natal, brinquedos, duendes, trenó, renas, neve, pinheiro, presépio, broas, família, comemoração .

PARA SORRIR… Após o seu longo curso de advocacia, a loira abre o seu escritório e no primeiro dia de serviço, alguém bate à porta. Para marcar aquele momento, pega no telefone e pede à pessoa para entrar e esperar. Fica uns 30 minutos fingindo uma conversa: - Sim, claro! Eu não perco uma causa! Esta está muito fácil...Com certeza, no próximo julgamento o juiz nos dará sentença favorável e venceremos!!!! (e assim ficou entretida....) Quando desligou, após aquela "longa conversa", muito polidamente, pergunta: - Ora então cavalheiro, em que posso ajudá-lo? O homem respondeu: - Sou da Portugal Telecom e venho instalar a sua linha......

TAGARELA

- Já conheces a piada do fotógrafo? - Não. - Ainda não foi revelada! Uma loira passeia. Cruza--se com um espelho e fica a pensar: “Eu conheço esta cara… Tenho a certeza que já a vi em qualquer parte! Ah, já sei! É a mesma parva que fica a olhar para mim no cabeleireiro!!!” Teresa Mota 6ºC nº 13

P á g i na 1 9


Última Hora O Jogo do 24 O Jogo do 24 irá, mais uma vez, entusiasmar os nossos alunos, não só do 2º ciclo da Escola Conde de Oeiras mas também do 4º ano das escolas do nosso Agrupamento: pretende-se com ele treinar o cálculo mental de uma forma estimulante e saudavelmente competitiva. Os treinos, feitos nas aulas de Matemática, podem ser complementados com a ajuda dos recursos da plataforma “moodle” e culminarão com uma final que terá a participação de dois representantes de todas as turmas dos anos envolvidos. Prfª Clara Alves

Semana da Leitura À semelhança dos anos anteriores, o Departamento de Línguas da nossa escola vai realizar diversas atividades para desenvolver os hábitos de leitura e incentivar o gosto pela escrita, na última semana do 2ºPeríodo, das quais destacamos: “Partilha de Leituras entre turmas”, “À Conversa com…” e “Concurso de Ortografia”. Contamos com a colaboração de todos e até lá… Boas leituras! Profª Mª João Rosado

Corta-mato Realiza-se no dia 13 de dezembro, 5ª feira, a partir das 9.00h, na Estação Agronómica Nacional mais um Corta-mato dinamizado pelo grupo de Educação Física. A Concentração está prevista para as 8.30h no Campo 4. Esta prova vai pontuar para os Campeonatos Interturmas. Participa! Prof. Luís Inocêncio

A NOSSA ESCOLA

ESTÁ DE PARABÉNS! O empreendedorismo é uma atitude de vida que precisa de ser construída e desenvolvida. A Junior Achievement Portugal é uma associação sem fins lucrativos, empenhada em levar às escolas programas que desenvolvem nas crianças e jovens o gosto pelo empreendedorismo. Fundada em Setembro de 2005, a Associação Junior Achievement Portugal - Aprender a Empreender é a congénere Portuguesa da Junior Achievement – a maior e mais antiga organização mundial educativa, sem fins lucrativos.

Teve lugar no dia 23 de novembro de 2012, no Museu da Eletricidade, a cerimónia comemorativa, a nível nacional, do 7º Aniversário da Júnior Achievement Portugal. Foram atribuídos prémios, tendo por base as características do trabalho desenvolvido no ano letivo de 2011-12. Assim, na categoria de ensino básico: o prémio “Agrupamento Empreendedor do Ano de 201112” foi atribuído ao nosso Agrupamento de Escolas Conde de Oeiras, recebido pela subdiretora professora Isabel Rodrigues. - o prémio “Professora do Ano 2011-12” foi atribuído à professora Marília Raimundo, Coordenadora da aplicação dos programas da Junior Achievement Portugal no nosso Agrupamento, que felicitou o trabalho profissional e empreendedor da Junior Achievement Portugal. Salientou

ainda a importância do trabalho não só dos voluntários das empresas associadas, em articulação com o trabalho dos professores, mas também todo o apoio/colaboração que tem existido por parte da Direção, com o objetivo de alargar os conhecimentos e as capacidades dos nossos alunos, nomeadamente, a iniciativa, a criatividade e o serem empreendedores, de modo a contribuir para a sua formação integral. - a nível de nomeações para o “Aluno do Ano de 2011-12”, foram nomeados os seguintes alunos do nosso Agrupamento, e que, no referido ano letivo, frequentavam o 9º Ano: Turma A – Constança Ferreira; Turma C – Ana Catarina Moreira e João Pedro Henriques. “Não se nasce empreendedor. Aprende-se.” Cit. J.A.Portugal Profª Marília Raimundo

Atividades da BECO 2º período Para o próximo período, as atividades da BECO vão continuar: o apoio, a animação, os concursos, etc. Como novidades, teremos a exposição itinerante Santillana "Livros que fizeram história", sessões sobre Segurança na Internet, a semana da leitura que incluirá um dia de "maratona de leitura" e a 2ª fase do projeto "Dormir + para Ler melhor". Vamos também apostar no apoio ao currículo e, por isso, a biblioteca vai à sala de aula de algumas turmas, dar formação em tecnologias digitais. Biblioteca e professores vão trabalhar em colaboração para o sucesso dos nossos alunos! Profª Rita Frazão


Jornal Tagarela 1ºPeríodo