Issuu on Google+

AGRUPAMENTO GIL VICENTE

(151063)

GUIMARテウS


1 – CONTEXTO E CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO Situa-se na zona sul do concelho de Guimarães e integra três freguesias: Urgezes, Polvoreira e Nespereira


Escolas de Urgezes Bairro

Francisco Santos Guimar達es


Centro Escolar de Urgezes


Centro Escolar de Urgezes


Polvoreira Valinha

Quinta do Vale


Nespereira (Arrau)


E.B. 2,3 Gil Vicente


Pessoal Docente 125 docentes A totalidade tem qualificação para a docência

Quadro

QZP

Contratados


Idade / Tempo de Serviço 60

´30 em diante ´20 a 29

50

´10 a 19 ´5 a 9

40

Até 4 anos 30 20 10 0 30/40 anos

40/50 anos

50/60 anos

Mais 60 anos


Funcionários Por categoria

Assistentes Técnicos Chefe de Serviços Assistentes Operacionais Encarregados Operacionais Técnicos Superiores


Funcionários Por idade e tempo de serviço

9 8 7 6

Até 4 anos

5

´5/9

4

´10/19

3

´20/29

2

Mais 30

1 0 Menos 30

30/40

40/50

50/60

Mais 60


Encarregados de Educação PAI

MÃE

Profissões

Profissões

(Em percentagem do total)

(Em percentagem do total)

Têxtil/calçado

26.5

Têxtil/calçado

48

Construção Civil

17.6

Domésticas

5.4

Motorista

7.2

Empregada Comercial/vendedora

7.4

Vendedor/comerciante

7.8

Empregada escritório

3.6

Empresário / t.c.própria

5.3

Empregada limp.

2.7

Diversos (técnicos, etc)

26.5

Emp. Acção social

3.8

Desempregado

9.1

Diversos (técnicos, etc)

14

Desempregada

15.1

Os Encarregados de Educação são, na maioria, trabalhadores não qualificados dos serviços e comércio, pessoal dos serviços directos e particulares, operários, artífices e trabalhadores da construção civil


Encarregados de educação Com

LIC

habilitações

12º ano

académicas

10º e 11º ano

situadas entre

9º ano

o 1ºciclo e

7º e 8º ano

curso superior,

5º e 6º ano

com

4º ano

prevalência do

3º ano

1ºciclo.

0

10

20

30

40


OFERTA Este agrupamento oferece diferentes níveis de ensino:  Pré-escolar  1º, 2º, 3ºciclo com uma turma de percurso curricular alternativo  No âmbito da iniciativa Novas Oportunidades, Cursos de Educação e Formação (tipo 2 e 3) nas áreas de formação de: Operador de Armazém, Operador de Informática, Empregado Comercial, Práticas de Acção Educativa Electricidade de Instalações  Com os Cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA escolar nível B3 e EFA escolar nível secundário), a escola teve necessidade de ajustar o seu horário de funcionamento passando a estar aberta à comunidade também à noite.  Este agrupamento possui também um Centro Novas Oportunidades, que tem como missão fundamental, de acordo com a Carta de Qualidade, assegurar a todos os cidadãos maiores de 18 anos uma oportunidade de qualificação e de certificação de nível básico ou secundário adequado ao seu perfil ou necessidades, contribuindo para o aumento do nível de formação e valorização pessoal e profissional dos adultos.


População Discente Estão a participar na Iniciativa Novas Oportunidades

RVCC Form. Modulares

(adultos) 527 pessoas.

EFA CEF

Não foram contabilizados os inscritos em estado

3º Ciclo 2º Ciclo 1º Ciclo

de espera por uma resposta educativa.

Jardim 0

100

200

300

400


2. Projecto Educativo Prioridades e objectivos • reforço das relações interpessoais; • reforço do comportamento cívico; • promoção do sucesso educativo; • melhoria educativa;

do

bem-estar

• melhoria da organização.

da

comunidade


O AGRUPAMENTO TEM CENTRADO OS SEUS ESFORÇOS

 Na promoção do sucesso educativo (recorde-se que a escola esteve integrada num TEIP)  a oferta diversificada de vias de ensino-aprendizagem alternativas, como o CEF e PCA  o apoio pedagógico acrescido, em especial na Língua Portuguesa e Matemática  a promoção de uma vasta plêiade de actividades de enriquecimento curricular ;  No combate à indisciplina  o incentivo à formação cívica, com o reforço das horas atribuídas aos Directores de Turma  Na melhoria do envolvimento dos pais na comunidade educativa  a abertura à comunidade educativa  a criação da Iniciativa Novas Oportunidades


APOIOS – 4ª FEIRA TARDE Apoio Pedagógico 14h15 15h45

APA PORTUGUÊS

15h50 17h20

APA MATEMÁTICA

17h30

Reunião Semanal

Reunião Possível

MATEMÁTICA

Áreas Disciplinares: Ciências Exactas Expressões

PORTUGUÊS

REUNIÕES GERAIS

Áreas Disciplinares: Línguas Ciências Sociais


3. ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA ESCOLA 

Estruturas de Gestão 



As várias estruturas e órgãos da escola funcionam em articulação vertical e horizontal, tendo como base as suas competências próprias e o espírito de equipa que norteia a sua acção. Pontos fulcrais desta articulação são as reuniões semanais entre Coordenadores e a Direcção, nas quais se programam acções a desencadear, consensualizam documentos e promovem tarefas específicas. São geralmente antecedidas de sessões da Direcção Executiva e precedidas ou complementadas, consoante os casos, em reuniões de departamento ou áreas curriculares e posteriormente encaminhadas para o Conselho Pedagógico ou Conselho Geral.


Gestão Pedagógica 





Todos os documentos fundamentais merecem DISCUSSÃO PRÉVIA nos departamentos/áreas curriculares e por vezes, como foi o caso do Projecto Educativo, são disponibilizados para DEBATE PÚBLICO. Promovem-se reuniões periódicas com serviços e outras estruturas de apoio, formais e informais, designadamente com os Directores de Turma; aos grupos/áreas disciplinares é facultada a possibilidade de REUNIÃO SEMANAL, para partilha e permuta de práticas educativas e outras tarefas inerentes. A SUPERVISÃO PEDAGÓGICA é exercida essencialmente pelos coordenadores e subcoordenadores, quer pela partilha de práticas educativas (Língua Portuguesa e Matemática têm reuniões semanais obrigatórias), quer através dos documentos produzidos,. O Conselho Pedagógico fá-lo, invariavelmente, no final de cada período . Até mesmo a nível das AEC se pratica a supervisão pedagógica, com reuniões periódicas de articulação vertical e horizontal e aulas assistidas por parte do coordenador de departamento.


Gestão Pedagógica 



Anualmente, são uniformizados CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E REFERENCIAÇÃO por ano/ciclo e INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO COMUNS por disciplina/ano de escolaridade, bem como se estão a generalizar acções de elaboração de matrizes comuns, decorrentes dos planos de melhoria desencadeados pela acção inspectiva ocorrida em Maio de 2009. A reflexão sobre as práticas de ensino é também incentivada e praticada, quer a nível do Conselho Pedagógico quer dos departamentos e Conselhos de Turma, redefinindo-se estratégias sempre que necessário: para o efeito existe inclusive um documento referencial, denominado "Medidas destinadas a melhorar a aprendizagem dos alunos".


Procedimentos de autoavaliação institucional







Existe obrigatoriedade de elaboração anual de relatório crítico por parte dos departamentos, clubes e outras estruturas técnico-pedagógicos, que serve de referencial para a execução do Relatório Anual de Actividades, a debater em Conselho Pedagógico e Conselho Geral; Há mais de 10 anos (desde os tempos do TEIP), que funciona uma “Equipa de Pilotagem Interna”, que elabora anualmente um relatório avaliativo. Diga-se que nesse trabalho participam activamente pais, alunos e pessoal não-docente, em especial na fase de elaboração e implementação de inquéritos. Ocasionalmente ocorrem também debates de reflexão.


4. LIGAÇÃO À COMUNIDADE Articulação e participação dos pais e EE na vida da escola

Os pais e encarregados de educação são incentivados activamente a participar na vida escolar dos seus educandos: - reuniões periódicas no início do ano lectivo e finais de períodos, divulgadas através dos alunos, imprensa e párocos locais, que registam significativa adesão

-

- o horário de atendimento aos pais e encarregados de educação é bastante flexibilizado, fora das horas estabelecidas e até de expediente, dependendo da disponibilidade dos pais e recorrendo a vários meios de comunicação disponíveis. -

- esta participação é monitorizada pelos Directores de Turma ou professores titulares, através dos registos de atendimento e actas; os dados são recolhidos pelos Coordenadores de Ciclo e apresentados periodicamente em Conselho Pedagógico.

-

Este esforço conjunto traduz-se em resultados surpreendentemente bons, nos últimos anos: nos últimos anos, registaram-se taxas de assiduidade superiores a 70% nas reuniões de 2º e 3º ciclo, enquanto no 1º e JI rondaram os 90%.


As instituições locais (autarquia, colectividades desportivas e recreativas), a Associação de Pais e as empresas têm colaborado activamente com o agrupamento

Articulação e participação das instituições locais









acções conjuntas (como o Arraial Minhoto, no qual participam grupos musicais e ranchos folclóricos locais, ou a Feira Medieval) no apoio com trabalho voluntário (adesão a campanhas e trabalhos de benfeitorias) dinamização de sessões (colóquios sobre “bullying”, “Educação de Adultos”, “Educação para a Saúde e Sexualidade”, “Ambiente”, “Educação para o consumo”) apoio logístico diverso.


NICOLINAS


NICOLINAS


NICOLINAS - Novembro/Dezembro 2010


NICOLINAS


FEIRA “ORIENTA-TE”


CONCERTO DE ANO NOVO


CLUBE DE TEATRO


CLUBE DE XADREZ


EDUCAÇÃO AMBIENTAL “LIMPAR PORTUGAL”

“ÁRVORES DO CENTENÁRIO”


COLÓQUIOS


COLÓQUIOS


COLÓQUIOS


“NOVAS DO GIL”


PRÉMIO JORNALISMO Gabinete de Imprensa de Guimarães 2009/2010


Prémios de mérito e louvor - 2009/2010


MONTRAS


FEIRA MEDIEVAL


FEIRA MEDIEVAL


FEIRA MEDIEVAL


ARRAIAL MINHOTO


ARRAIAL MINHOTO


ARRAIAL MINHOTO


ARRAIAL MINHOTO


PARLAMENTO JOVEM http://www.youtube.com/watch?v=ojbWc2O-oVw


PARLAMENTO JOVEM http://www.youtube.com/watch?v=ojbWc2O-oVw


5. CLIMA E AMBIENTE EDUCATIVOS 









Os casos mais problemáticos são geralmente tratados com o apoio dos Serviços de Psicologia e, muito particularmente, o Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental, no âmbito do projecto camarário “Despertar”, ao qual aderimos. É de referir a colaboração de entidades externas como os serviços sociais, a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens Casos de violência, quase sempre no exterior, são articulados com a Escola Segura, que tem sido bastante activa e cooperante. MAS o verdadeiro investimento exerce-se a montante, numa atitude preventiva, que passa pela promoção da educação para a cidadania, em especial por parte dos assistentes operacionais e Directores de Turma, estes últimos no âmbito da Formação Cívica. O tempo disponibilizado aos Directores de Turma para exercício das suas funções (4 horas), entre as quais estão inscritas a disciplina e a tutoria, são evidências marcantes da importância atribuída a este domínio. Anualmente, são promovidos debates para todos os DT, sobre orientações disciplinares, que por vezes se repetem com grupos menores, mas com problemas semelhantes; consta afixado o Código de Conduta dos Alunos, na página electrónica e nas salas de aula de todo o agrupamento.


5. CLIMA E AMBIENTE EDUCATIVOS 







Ocorrem sessões de sensibilização por entidades diversas, sobre temas alusivos; São promovidas práticas de incentivo à assiduidade e pontualidade, que constam entre as atitudes a avaliar e que se encontram contempladas nos Critérios/Referenciais de Avaliação do Agrupamento. Finalmente, a direcção em parceria com o serviço de psicologia tem efectuado um verdadeiro trabalho de educação parental, junto das turmas reveladoras de maiores problemas sociais e/ou disciplinares, particularmente bem sucedido no ano lectivo passado. . O clima e ambiente educativo satisfatório em matéria disciplinar deve-se ao facto de os DT manterem o mesmo grupo de alunos durante todos os anos do ciclo, além de assumirem junto da directora, em matéria disciplinar, a atitude de uma equipa bem treinada, conhecedora de todos os procedimentos na matéria. NOS ÚLTIMOS ANOS NÃO SE EFECTUOU QUALQUER CONSELHO DISCIPLINAR


6. Resultados


4º ANO Língua Portuguesa Classificação 4ºano Língua Portuguesa - ESCOLA

Classificação 4ºano Língua Portuguesa - PORTUGAL

65,6% 50,6% 48,4%47,5% 51,4% 45,7% 35,0% 33,3% 32,8%

40,0% 33,9%

20,0%

7,3%

11,3%

12,0%

10,5%

3,8%

2,4%

9,8% 9,2%

5,6% 6,8%

7,3%

8,0% 0,8% 0,6% 0,4%

0,0% 0,0% 0,0%

A

B

C

D

E

A

B

2008 2009 2010

C

D

2008

Fonte: GAVE, ME

E

2009

2010


4º ANO Matemática Classificação 4º ano Matemática - ESCOLA 47,6%

Classificação 4º ano Matemática - PORTUGAL 42,2%41,4% 40,9%

46,7% 34,5%

37,3% 32,1% 25,7% 22,9%

29,9%29,5%

31,2%

25,7% 18,0% 15,4%16,0% 10,8%10,6%

9,5%

8,4%

9,2% 5,6%

4,8% 0,0%

A

B

C

1,8%

D

2008

E

2009

0,4% 1,1% 0,5%

0,0%

A

B

2010

C

D

2008

Fonte: GAVE, ME

E

2009

2010


6º ANO Língua Portuguesa Classificação 6º ano Língua Portuguesa - ESCOLA

Classificação 6º ano Língua Portuguesa - PORTUGAL

67,7%

58,2% 54,6% 52,3%

58,4%59,3%

34,2% 28,2% 26,2%

27,2% 23,7% 22,8% 14,6% 7,2% 3,3%

2,2%

A

0,0% 1,6% 0,0%

B

C

D

2008

10,7%10,9%

7,9%

6,5% 5,6%

E

2009

4,6%

6,1%

4,0%

A

0,4% 0,9% 0,7%

B

2010

C

D

2008

Fonte: GAVE, ME

E

2009

2010


6º ANO Matemática Classificação 6º ano Matemática - ESCOLA

Classificação 6º ano Matemática - PORTUGAL

51,2% 48,9% 47,7%

67,7% 58,9% 52,8%

24,0% 20,3%20,8%

25,6% 19,4%

17,2%16,1% 14,4%

8,9%

10,8%

4,3% 2,4% 4,0%

A

0,0%

B

21,7% 19,6% 16,5%

C

3,2% 3,2%

D

2008

E

2009

7,2% 8,5% 1,8% 1,7% 1,3%

A

B

2010

C

D

2008

Fonte: GAVE, ME

E

2009

2010


9º ANO Língua Portuguesa


9ยบ ANO Matemรกtica


Tópicos para Apresentação da Escola