Page 1


2

E agora, mĂŁe?

Foto Fabiana Rodrigues


ÍNDICE

Confira nesta edição: 06 Gestação Vegetariana Saiba se é possível ser vegetariana durante a gravidez

09 Pilates na Gravidez, pode? Conheça os benefícios dessa atividade na gestação

10 Entrevista Conheça o outro lado da maternidade

12 Famosas Grávidas

Jornalistas Responsáveis Kelem Santos Stephany Ramos Repórteres Kelem Santos Stephany Ramos

Inspirações para seus looks de fim de ano

13 Moda 17 Capa Conheça a melhor amiga da futura mamãe e saiba mais sobre o parto natural humanizado

20 Toxoplasmose Saiba porque você não precisa abrir mão de seu gato na gravidez

22 Nós indicamos Os melhores produtos de beleza para se cuidar enquanto o bebê não chega

24 Cuidados com a pele Como prevenir os problemas de pele que costumam surgir na gravidez

26 Mito ou verdade? Desvendamos os principais mitos dessa fase

28 Mães Blogueiras do Vale do Paraíba Mamães que se uniram para compartilhar informações e dicas sobre maternidade

30 Colunistas do mês 32 Entretenimento Confira os melhores canais do Youtube, Livros e Filmes para curtir enquanto o bebê não chega

Colaboradores desta edição Daniele Bittencourt Beatriz Nery Flávia Gabriela Ariane Fonseca Fotógrafos Fabiana Rodrigues Beatriz Villela Erasmo Ballot Elizabeth Cathermol Kelem Santos Stephany Ramos Revisão Patrícia Siqueira Projeto Gráfico Stephany Ramos Kelem Santos Diagramação Stephany Ramos Kelem Santos Orientação Diego Barreto

E agora, mãe?

3


EDITORIAL

Deu positivo, e agora?

O

momento mais aguardado, ou talvez inesperado, chegou. Foram reveladas as duas listras vermelhas que mudarão tudo pela frente. Chegou a hora de encarar essa aventura, com todos os desejos, enjoos e gastos que estão por vir. Pois é mamãe (sim MAMÃE, esse é seu status agora!). Mas não se preocupe! Estamos aqui para lhe fazer companhia durante o tempo que precisar e dividir essa experiência da melhor forma possível. Nós sabemos que nesse momento os seus hormônios estão à flor da pele, que a sua cabeça não para de pensar milhões de coisas, mesmo que essa não seja a sua primeira viagem. É sempre novo e diferente. Uma nova vida está por vir, mas e você, mamãe, como fica? Tão especial quanto o bebê, é você. Se antes já era preciso se cuidar, agora isso vem em dobro. Além de mãe, você é mulher e vice-versa. Por isso, convidamos você a se distrair e ao mesmo tempo se abastecer de informações que deixarão essa fase muito mais gostosa. Na primeira edição vamos esclarecer diversos mitos que são sustentados há anos por nossas mães, tias, avós, vizinhas... Você vai conferir ainda um guia completo de cuidados com sua saúde e alimentação, durante o período de gestação. Fizemos ainda uma criteriosa seleção dos melhores livros, filmes, perfis do Instagram e canais no Youtube que partilham informações que toda grávida gostaria de saber. Além disso, você vai se inspirar com um editorial de moda para exibir o barrigão com estilo. Depois não se esqueça de partilhar com a gente sua opinião, dúvidas e sugestões, combinado? E agora, mãe? Vamos embarcar nessa leitura?

Dos Editores

4

E agora, mãe?


BEM-ESTAR

Bolsa maternidade: O que levar?

Foto Kelem Santos

T

ão importante quanto a mala do bebê é a mala da mamãe. Mas o que levar exatamente? Separamos os itens essenciais para levar à maternidade, de acordo com as listas disponibilizadas por hospitais da região. Claro que nem tudo é regra e você pode adaptar a lista de acordo com suas necessidades e preferências. Higiene pessoal - Kit miniatura de shampoo, condicionador, sabonete líquido e hidratante; - Escova e pasta de dentes; - Absorventes pós-parto;

Por Stephany Ramos

- Escova de cabelo; - Conchas ou absorventes para seios; - Toalha de banho e rosto. Roupas - 6 calcinhas de cotton, com cós alto (de preferência já testadas); - 2 pares de chinelos (um de pano e outro tipo havaianas); - 3 camisolas com abertura na frente; - Casaco aberto e meias caso esteja frio; - 1 traje completo para saída da maternidade (pode ser o mesmo da entrada); - 3 sutiãs de amamentação.

Documentos - Documentos de identificação da mãe e do acompanhante (RG, CPF, CNH); - Carteirinha do plano de saúde; - Exames realizados no pré-natal.

-

Extras Maquiagem; Prendedores de cabelo; Carregador de celular; Câmera fotográfica; Lembrancinhas; Enfeite de porta.

Na dúvida, consulte a maternidade onde você terá o seu bebê.

E agora, mãe?

5


SAÚDE

Gestação vegetariana: É possível?

DESMISTIFICAR ESSA PRÁTICA É UM CAMINHO PARA O FIM DO PRECONCEITO Por Beatriz Nery

E

star com a alimentação adequada durante a gestação é uma das muitas preocupações da mulher. É por meio de suas escolhas que o bebê receberá os nutrientes necessários para crescer saudável. Com a propagação de um pensamento mais crítico sobre o que colocamos

6

E agora, mãe?

no prato, discussões sobre fast foods, agrotóxicos e diminuição ou corte da proteína animal, as pessoas procuram maneiras de inserir no dia a dia, opções saudáveis e com isso vão se adequando ao vegetarianismo. E quando a vegetariana engravida, há motivos para se preocupar? Primeiro de tudo, é pre-

ciso desmistificar que esse tipo de alimentação é deficiente, seja para quem está ou não grávida. A nutricionista Juliana Querido reforça que a mulher pode continuar vegetariana quando gestante, porém deve procurar a ajuda de um profissional para fazer as substituições necessárias dos alimentos.


Fotos Beatriz Villela para Empório Macadâmia

Isabela Assoni é vegetariana há seis anos e por enquanto, ovolacta – que ingere ovos. Quando descobriu a gravidez de Heithor, sofreu preconceito na família e da própria ginecologista por manter a alimentação. “Não cedi em momento algum às críticas porque sabia que não existe problema algum em não ingerir carnes”. Já Luisa Vieira desde pequena nunca gostou da textura e gosto da carne. Para ela foi um processo natural se tornar vegetariana; porém, ao engravidar, a preocupação com o bem-estar do bebê falou mais alto. “Eu tentei comer, mas não consegui. Só me acalmei quando fiz exames que deram resultados positivos, então não me forcei mais.” Isso varia de cada mulher. Patricia Palandi, nutricionista, orienta que a partir de exames laboratoriais decide-se quanto à alimentação para vegetarianas e de forma individualizada. Fora isso, é possível priorizar alimentos fontes de nutrientes, como Ômega 3, Ferro, Cálcio, Zinco, Ácido Fólico, Proteínas, que são encontrados nesses alimentos pela ordem: nozes, feijão, brócolis, aveia, leguminosas e ovos, principalmente a gema, rica em nutrientes. Quando é descoberta

uma carência, é necessário entrar com suplementos pela indicação médica. As mamães foram corretas: durante o planejamento da gravidez. Por recomendação médica Luisa fez o uso de ácido fólico e quando engravidou utilizou um polivitamínico para gestantes. Na gestação de Isabela, o uso da suplementação foi necessária apenas na reta final por conta da retirada de laticínios e ovos que causaram inchaços. Vale o alerta: nunca retire alimentos ou tome suplementos por contra própria. Saiba um pouco mais sobre o Vegetarianismo Para a pessoa ser considerada vegetariana, deve excluir do cardápio todo tipo de carne. As razões para adotar essa filosofia vão desde escolha pessoal, passando por razões de saúde até ética, meio ambiente e a sociedade. Uma pesquisa do IBOPE feita em 2012 revelou que 8% da população brasileira se considera vegetariana, correspondendo a 16 milhões de pessoas. Desde então nenhum outro levantamento foi realizado, porém é observado que os adeptos ao vegetarianismo crescem cada vez mais. De acordo com especialistas, não é da noite para o dia que essa mudança deve ocorrer. Ir retirando aos poucos a

PENSE: UM ALIMENTO QUE DURA SEIS MESES, UM ANO, DOIS ANOS EM UMA CAIXINHA NÃO PODE SER COMIDA DE VERDADE! proteína animal do prato é o primeiro passo. Participar de campanhas como Segunda Sem Carne pode ser o primeiro passo o primeiro passo para quem quer eliminar de vez o alimento e também traz a consciência de que, pelo menos uma vez por semana, a abstinência deve ser feita para a descoberta de novos sabores. Sabores esses que não devem ser substituídos por alimentos de alto teor calórico ou industriais. “Quando uma pessoa se torna vegetariana, ela precisa entender que tirou um nutriente importante da alimentação, então precisa se alimentar muito bem” reforça, Patrícia. “Vegetariano vem de vegetais, e para a maioria das pessoas infelizmente eles não trocam a carne por vegetais e sim por pizza, lanche a base de pães, macarrão e alimentos ricos em farinha de trigo, aí está o erro.”

E agora, mãe?

7


Futuro saudável garantido O bebê de Isabela está prestes a fazer um ano e quando foi possível inserir alimentos sólidos em conjunto com o leite materno, ela fez questão de trazer a alimentação vegetariana ao pequeno Heithor. “Ele já comeu ovo e só mama no peito. Além disso, come todos os tipos de legumes, verduras e frutas.” Assim como na gravidez, sofre preconceito sobre como administra a alimentação do filho. “As pessoas ficam interferindo dizendo que ele precisa de carne. Desde recém-nascido sempre esteve com altura e peso acima da faixa estipulada; é nítido que ele não precisa da carne.” Apesar de levar em conta o vegetarianismo, essa forma de se alimentar nada mais é do que o segredo de uma boa alimentação, que deve ser baseada em comer comida de verdade. “É a ingestão de frutas, verduras, legumes e ovos e o consumo menor de produtos de supermercado, como biscoitos integrais, pacotinhos, latinha, caixinha.” Pondera Patrícia, que ainda dá uma dica preciosa: “Pense: um alimento que dura 6 meses, 1 ano, 2 anos em uma caixinha não pode ser comida de verdade!”

8

E agora, mãe?

SAIBA MAIS Há algumas classificações que diferem um vegetariano do outro por meio de outras restrições. Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira, um vegetariano pode ser: - Ovolactovegetarianismo: utiliza ovos, leite e laticínios na sua alimentação; - Lactovegetarianismo: utiliza leite e laticínios na sua alimentação; - Ovovegetarianismo: utiliza ovos na sua alimentação; - Vegetarianismo estrito: não utiliza nenhum produto de origem animal na sua alimentação


BEM-ESTAR

Pilates na gestação: Pode ou não pode? Por Stephany Ramos

Foto Stephany Ramos

E

stá procurando uma atividade física para fazer durante a gestação? O Pilates é um dos melhores exercícios para realizar durante e depois da gravidez. Isto porque ele é uma atividade física de baixo impacto e ótimo para fortalecer a musculatura, principalmente a do abdômen, glúteos e parte inferior das costas, considerada o centro de força do corpo e responsável pela sustentação da coluna vertebral, dando mais resistência para a hora do parto e melhor recuperação. A maior parte dos exercícios pode ser modificada

de acordo com cada fase da gestação. Além disso, o Pilates é famoso por ajudar as mamães a recuperar a forma física que tinham antes da gravidez. Mas assim como qualquer atividade física, é importante lembrar que antes de iniciar, a mamãe procure por orientação médica. Então, desde que não haja contraindicação médica, os exercícios podem ser iniciados logo depois do terceiro mês de gestação e seguir até o final do sétimo. As aulas de Pilates para gestantes podem ser realizadas 1 ou 2 vezes por semana com duração de 30 minutos a 1 hora cada, ou à critério

do instrutor, dependendo do tipo de condicionamento físico da gestante. Os exercícios de Pilates ajudam a suportar melhor o peso da barriga, combatem o inchaço e ainda facilitam o nascimento no parto normal, além de diminuir o risco de incontinência urinária na gravidez e também no pós-parto. Além disso, a prática regular de Pilates durante a gestação acalma o bebê por haver uma menor concentração de cortisol na corrente sanguínea da mãe. O cortisol é um hormônio que encontra-se em maior quantidade no sangue quando estamos cansados e estressados.

E agora, mãe?

9


10

E agora, mĂŁe?

Foto Stephany Ramos


ENTREVISTA

O outro lado da maternidade Por Stephany Ramos

M

ãe de duas filhas e técnica de enfermagem experiente, com especialização em instrumentação cirúrgica, Janaína Estefânia já enfrentou muitas situações inusitadas acompanhando mamães prestes a darem à luz. Nesta entrevista, ela nos conta tudo sobre o outro lado da maternidade. E agora, mãe?: O que levou você a escolher a enfermagem? Janaína Estefânia: A enfermagem é um amor que já nasceu comigo, pois sempre soube o que queria ser. EAM: Como foi sua primeira experiência com maternidade? JE: Inesquecível, pois era meu primeiro dia e me colocaram direto no pré-parto, com três adolescentes entrando em trabalho de parto. No começo fiquei apreensiva, mas como falo mais que a boca e já havia treinado um pouco, fui logo segurando a mão delas, conversando, ensinando a respirar corretamente e tudo o que eu queria era ver

pelo menos um daqueles bebês nascer. A primeira mãe foi pro centro cirúrgico e eu fiquei, a segunda também foi e eu continuei lá, de repente a terceira gritou que estava nascendo e eu estava sozinha no quarto. Quando levantei o lençol a cabecinha do bebê estava coroando. Só deu tempo de colocar as luvas e ajuda -la a trazer aquela menininha ao mundo. Foi uma emoção sem explicação. EAM: Quanto tempo de profissão e atuação na maternidade? De profissão já vai para 23 anos. E de maternidade, somam-se 11 anos. EAM: Conte-nos algum episódio marcante. JE: Um episódio muito marcante foi quando uma adolescente de 16 anos deu entrada dizendo estar com muita dor no abdômen. Ela estava acompanhada do pai e eu a levei para a sala de exame. Pedi que tirasse a roupa de baixo para cobrí-la até o médico chegar. Quando ela deitou na cama, notei algo estranho, pois havia um volume

nas partes íntimas e a roupa estava molhada. Perguntei se ela estava grávida e ela me disse que nunca tinha tido relações. Mas quando a garota tirou a calça não deu tempo nem de chamar ajuda. Peguei o próprio lençol e terminei de ajudar o bebê nascer. Foi um susto (risos). A pior parte foi quando o bebê chorou e o pai entrou no quarto muito bravo e sem entender nada. Deu o que fazer para acalmá-lo. EAM: Você tem ideia de quantos partos já ajudou a serem realizados? JE: Em 11 anos eu nem consigo imaginar. Chegava a ser três ao dia e dobrava conforme o plantão. Fora os bebês de familiares e amigos que vi muitos nascerem. EAM: Como você enxerga a importância do seu trabalho? JE: Quando você ama o que faz, mesmo que não seja tão reconhecido, você se sente bem em ajudar, dar carinho, atenção e apoio nesse momento tão especial. Eu tenho muito orgulho da minha profissão. EAM: É difícil lidar com gestantes? JE: Não é difícil, é trabalhoso. Você tem que ter paciência, calma, passar segurança, tranquilidade, dar toda a atenção. É a melhor coisa desse mundo.

E agora, mãe?

11


MODA

Q

Grávidas no tapete vermelho

Por Stephany Ramos

Não é problema casar grávida, usar vestidos longos ou ir à festas formais com o barrigão mais lindo do mundo. Problema é achar que por algum motivo isso vá gerar estranheza. Dá pra ficar linda e ainda fazer carão digna de famosa em red carpet! As festas de final de ano estão chegando e com elas os muitos convites para eventos como casamentos e formaturas. Não tenha medo de participar deles. Desde que se sinta confortável com o look escolhido, que é a prioridade, você pode encontrar o vestido dos sonhos que vai realçar ainda mais sua beleza. Kerry Washington | Kourtney Kardashian | Heidi Klum

12

E agora, mãe?

Fotos reprodução da internet

uem disse que grávida não pode usar vestido de festa, não conhecia Blake Lively! A eterna Serena van der Woodsen do seriado Gossip Girl é sinônimo de beleza e elegância, principalmente quando se trata de moda para grávidas! A atriz sempre chama a atenção nos tapetes vermelhos de grandes eventos e não deixou de participar deles, quando esteve grávida de sua filha James Reynolds, desde os primeiros meses até os últimos.


MODA

E agora, mĂŁe?

13

Fotos Erasmo Ballot | Modelo Juliana Castilho


MODA

14

E agora, mĂŁe?


E agora, mĂŁe?

15


16

E agora, mĂŁe?


CAPA

Conheça o trabalho da doula ANTES, DURANTE E DEPOIS DO PARTO Fotos Elizabeth Cathermol

Por Daniele Bittencourt

A

tranquilidade e qualidade na hora do parto são os principais elementos almejados pelas futuras mamães. O nascimento do tão esperado filho deve ser um momento sublime e de

conexão com o bebê. Em busca deste cenário muitas mulheres optam pelo parto humanizado, que respeita e auxilia a autonomia da gestante durante o processo. Entre os profissionais envolvidos nesta prática está

a Doula. São mulheres que oferecem apoio emocional, tiram dúvidas e orientam as gestantes antes, durante e depois do parto. Doula e fundadora do site “Bem Gerar – Maternidade e Desenvolvimento”, a terapeuta

E agora, mãe?

17


ocupacional Carla Arruda, explica o papel da profissional. “A doula funciona como um fio condutor, seguro e ao mesmo tempo leve para a mulher grávida e em trabalho de parto. Durante a gestação ela pode ser um apoio na busca por informações ajudando na adequação da realidade daquela mulher. No dia do parto, é o suporte feminino. Seja emocional ou físico frente as possíveis dificuldades que a mulher enfrenta como dor e medos.” Com uma filha de três meses que veio ao mundo por meio de um parto humanizado, a palestrante Kareemi Prem, de 35 anos, considera a doula como a melhor amiga da gestante. “É ela que vai dar o apoio emocional para a gestante. Até a indicação de um chazinho para aliviar a tensão ela faz como carinho”, relembra. Além da atenção e acalento a doula também é a guardiã dos desejos daquela parturiente. “Foi para ela que eu entreguei meu Plano de Parto. Como eu queria o ambiente no momento do parto, que eu gostaria que o pai fosse o primeiro a pegar o bebê enquanto ainda saia de mim. Enfim, a doula é uma mulher que está alí para servir a mulher que está parindo oferecendo apoio emocional e carinho antes durante e depois do parto”, completa Kareemi. No caso do parto humanizado a doula é o primeiro

18

E agora, mãe?

CONSIDERADAS VERDADEIRAS AMIGAS, AS DOULAS SE DEDICAM E SERVEM A MULHER DURANTE TODO O PROCESSO DE GESTAÇÃO E TAMBÉM NO DELICADO MOMENTO DO PARTO


profissional de saúde acionado pela gestante. Ela se mantém ao lado da mulher durante todo o processo de trabalho de parto se tornando um ponto de apoio e referência para a parturiente. “A doula faz esse acompanhamento em casa, no hospital ou em casa de parto. Utilizando-se de apoio verbal, orientação, massagem, posicionamentos, alimentando, hidratando a gestante e a mantendo confortável e segura”, garante Carla. Mas todos esses cuidados não excluem a necessidade do acompanhamento de um médico obstetra durante toda a gestação e principalmente durante o parto. De acordo com Car-

la, “a doula não tem formação médica e não pode se responsabilizar ou realizar qualquer exame ou conduta. É necessário que seja contratado um bom profissional humanizado, seja obstetra ou obstetriz que acompanhe com segurança essa gestante, minimizando riscos e sabendo o momento certo de intervir”. Nesse momento entra em discussão a dificuldade em se encontrar profissionais da área de saúde, e principalmente médicos obstetras, que se posicionem favoráveis a prática do parto humanizado. “São muito raros os obstetras humanizados. Eles não estão em todas as cidades do

Brasil, muito pelo contrário. Eu tive a sorte de uma indicação certeira em Sorocaba, cidade que moro”, conta Kareemi. Recentemente a pesquisa “Nascer no Brasil”, maior estudo sobre partos e nascimentos realizado no país, apontou que 52% dos nascimentos aconteceram por meio da cesárea. Se o foco for apenas no setor privado este número se torna ainda mais alarmante chegando a 80% dos nascimentos. A grande maioria desses números está relacionada a velha conduta de não respeito a autonomia da gestante no momento do parto e não respeito ao direito do bebê.

E agora, mãe?

19


SAÚDE

Toxoplasmose: a culpa não é do gato MENOS DE 1% DOS GATOS TRANSMITEM A DOENÇA Por Kelem Santos

A

toxoplasmose, conhecida popularmente como doença do gato, é uma infecção causada pelo parasita Toxoplasma gondii e pode ter consequências graves como cegueira, convulsões e morte. O contágio ocorre pela ingestão de carnes, verduras e legumes contaminados, e ainda por meio do contato direto com o toxoplasma em terra contaminada. A ginecologista e obstetra Dra. Ana Caro-

20

E agora, mãe?

lina Cavalca alerta: “Na gestação é grave, pois pode levar a restrição de crescimento intrauterino, morte fetal, prematuridade e também toxoplasmose congênita onde o feto pode ter coriorretinite (inflamação nos olhos), microcefalia, retardo mental, entre outros agravantes.” Uma gestante fica sabendo do risco de adquirir toxoplasmose quando faz os exames de rotina de pré-natal. É muito importante fazer o exame labo-

ratorial para o diagnóstico da doença pois 90% das pessoas contaminadas não apresentam os sintomas, que são dores musculares, febre e dor de cabeça – os mesmos de diversas outras patologias. Por esse motivo, um simples exame clínico não é o suficiente para o diagnóstico preciso. O tratamento pode ser feito durante a gestação, com o antibacteriano espiramicina. Além disso, a gestante deve fazer o diagnóstico de infecção fetal


para o devido tratamento. Para prevenir a doença, não se deve ingerir carne malpassada e/ou crua, as verduras e os legumes devem ser bem lavados; o contato com as fezes de felinos deve ser evitado e o manuseio em terra deve ser feito com luvas. Apesar do grande risco que apresenta para grávidas, qualquer pessoa pode ser infectada,

principalmente as que apresentam alteração da imunidade. A doença não é transmitida de uma pessoa para outra e quem já teve toxoplasmose não apresenta nova infecção. Mesmo sendo conhecida como doença do gato, a grande maioria dos felinos não é hospedeiro do parasita que causa a infecção. Para uma grávida adquirir toxoplasmose através de

um gato, precisa ter contato direto com as fezes do animal contaminado. Então, não precisa se livrar de seu bichinho, mas tenha muito cuidado: mantenha a caixa de areia sempre limpa, não deixe que ele se alimente de carnes cruas ou saia à rua. Além disso, faça todos os exames necessários, pois só essas medidas poderão garantir que você e seu bebê estejam imunes.

O CICLO DA TOXOPLASMOSE

Caça contaminada

Caixa de areia do gato contaminada

Vegetais e frutas contaminadas e mal lavadas

Carne mal cozida e contaminada

Solo contaminado

Transmissão para o feto

E agora, mãe?

21


NÓS INDICAMOS

Grávida e Linda

VÁRIAS OPÇÕES DE PRODUTOS PARA VOCÊ SE CUIDAR ENQUANTO O BEBÊ NÃO CHEGA Payot Maternité

Nivea Body Q10

Bio-Oil

Com sua consistência uniforme e fragrância suave, é o grande queridinho das gestantes. Esse hidrante corporal além de preservar a beleza da mamãe, auxilia na manutenção da elasticidade da pele. Deve ser aplicado diariamente após o banho.

Esse óleo firmador promete reduzir visivelmente as estrias em duas semanas, além de melhorar a aparência da pele. Pode ser utilizado na pele seca ou molhada, nas áreas que costumam ser afetadas pelo problema (barriga, bumbum, pernas e seios).

Sucesso de vendas no exterior, esse óleo ainda é pouco conhecido por aqui. Durante a gravidez, recomenda-se a aplicação desde o início do segundo trimestre em áreas que sejam propensas a estrias, tais como o abdômen, seios, costas, quadril, glúteos e coxas.

R$ 55,00

R$ 59,00

Fotos reprodução da internet

R$ 75,00

22

E agora, mãe?


Nivea Sun Facial

Fisher Price Mamãe

Se na vida toda o protetor solar é essencial, na gravidez se torna obrigatório. Para evitar as manchas na pele, características desse período, é preciso aplicar o protetor diversas vezes ao dia. Essa versão da Nivea ainda conta com ativos que previnem o envelhecimento da pele, tem toque seco e alta absorção; ideal para peles oleosas. O FPS (fator de proteção solar) varia da necessidade da pele de cada pessoa, então um dermatologista deve ser consultado para indicar o que é melhor para você.

Esse gel para alívio das pernas e pés pode ser muito útil para as mamães, aliviando o peso e cansaço nessas regiões do corpo. Tem em sua composição o Extrato de Ginko Biloba, que possui propriedades drenantes e antiedema, revigorando do inchaço. Além de ter um cheirinho agradável, deixa os pés com sensação de refrescância. É indicado especialmente para mulheres que têm propensão a varizes e sofrem ainda mais com esse incômodo na gestação, principalmente no verão e em dias quentes.

R$ 36,90

R$ 20,00

Absorvente para Seios Johnsons Muitas mães têm histórias de apuros que passaram por conta do vazamento de leite durante a gestação e lactação. Sim, na gestação algumas mulheres também soltam o chamado “primeiro leite”! Uma solução simples para esse problema são os absorventes para seios. A mamãe não precisa se preocupar se vai manchar sua roupa, muito menos se irá marcar a blusa. O produto é discreto e têm alta absorção, sendo um grande aliado nesse período da vida da mulher. Um item básico para ter sempre por perto. R$ 17,00 (24 unidades)

E agora, mãe?

23


SAÚDE

Pele de neném 6 DICAS PARA CUIDAR DA SUA PELE DURANTE E DEPOIS DA GRAVIDEZ Por Kelem Santos

24

E agora, mãe?

tais problemas se forem tomados alguns cuidados:

1

Para evitar manchas que costumam aparecer na gravidez (o famoso melasma) use filtro solar adequado para o seu tipo de pele, a cada 3 horas. Dê preferência aos que contém base, pois esses protegem contra a luz visível, que também pode manchar a pele.

2

A acne pode ser prevenida normalmente com o uso de sabonetes específicos e, em casos pontuais, pode ser utilizada medicação tópica (aplicada diretamente no local) prescrita pelo dermatologista. Mas atenção, mamães: o uso de sabonetes que contém ácido salicílico em sua composição deve ser evitado, pelo risco de intoxicação para o feto.

Fotos Kelem Santos

D

urante a gestação, é normal que a apareçam alguns problemas de pele, ou piorem aqueles que já existem. Isso acontece devido a combinação de fatores genéticos, com alterações endócrinas e estiramento mecânico da pele, no caso das estrias. A dermatologista Dra. Ana Beatriz Bordin Abramoff afirma que apesar de tudo é possível prevenir


3

As estrias ocorrem em mais de 70% das gestantes, pois o ganho excessivo de peso durante o período gestacional pode desencadear seu aparecimento. Entretanto, elas podem ser prevenidas com uma hidratação adequada da pele, realizada diariamente, principalmente após sair do banho, pois a pele absorve melhor o hidratante.

6

O principal meio para evitar rachaduras na mama é posicionar adequadamente o bebê no momento da amamentação. Além disso, pode-se aplicar o próprio leite nos mamilos para auxiliar na cicatrização ou cremes à base de lanolina.

4

Na pele deve-se usar hidratantes, de preferência isentos de fragrância, fazer uso de fotoproteção tanto física (com chapéus e roupas adequadas de tecidos leves no verão) e filtro solar que deve ser reaplicado a cada 3 horas. Além disso, devido a epidemia de Zika vírus, as gestantes devem usar repelentes nas áreas expostas, compostos por Icaridina, que é um princípio ativo contra o mosquito da dengue.

5

Os tratamentos estéticos, como botox, laser, preenchimentos e escova progressiva devem ser evitados durante o período gestacional e de lactação, já que não existem estudos comprovando a segurança desses procedimentos em gestantes, podendo trazer riscos para o bebê.

Durante a gestação é recomendada a prevenção do aparecimento das lesões de pele, já que a maioria dos tratamentos estéticos podem ser nocivos à saúde do bebê. Após a gestação e lactação, com orientação do dermatologista pode-se realizar tratamentos adequados para esses problemas, como por exemplo, ácidos

de uso domiciliar, peelings químicos, laser, microagulhamento, entre outros. Nenhuma medicação oral ou tópica deve ser utilizada sem orientação médica. O mesmo vale para tratamentos caseiros sem acompanhamento. Portanto antes de se automedicar, o melhor a fazer é entrar em contato com seu médico.

E agora, mãe?

25


VERDADE OU MENTIRA?

Mito ou verdade?

DESVENDAMOS OS PRINCIPAIS MITOS A RESPEITO DA GRAVIDEZ

A

obstetra Dra. Ana Carolina Cavalca e a dermatologista Ana Beatriz Bordin esclarecem de uma vez por todas o que é verdade por trás de tantas crenças. Posso pintar o cabelo? Pode. A grávida pode pintar o cabelo com tintura sem amônia, mas depois dos três primeiros meses de gesta-

26

E agora, mãe?

ção. Nos três primeiros meses os tecidos e órgãos estão se formando, então as tinturas devem ser evitadas. Posso ter relações sexuais normalmente? Pode. Não há restrições em relação a ter uma vida sexual ativa na gravidez. A penetração não machuca o feto, que está protegido pelo útero.

Posso ingerir bebidas alcoólicas? Não. O álcool pode ser a principal causa de atraso mental e problemas de comportamento no feto. Posso consumir alimentos apimentados ou com condimentos fortes? Pode. Os alimentos apimentados não são contraindicados, porém dependendo

Fotos Kelem Santos

Por Kelem Santos


da tolerância individual de cada mulher pode causar azia e má digestão. Posso comer comida japonesa? Pode. Não é necessário abolir o peixe cru da dieta, o que se deve ter é cuidado com a procedência e qualidade do alimento, não só da culinária japonesa. Posso usar sapatos de salto? Pode. Porém deve se prezar antes de mais nada pelo conforto e segurança, pois escolhendo o salto errado a gestante pode sentir dores na coluna e ainda corre o risco de cair. Posso fazer musculação? Pode, mas cuidado com a intensidade do exercício. E isso vale para quem já está habituada. Para as iniciantes o recomendado é começar com exercícios de menos impacto, como hidroginástica e caminhada. Sinto muita azia. Meu bebê será cabeludo? A azia acontece porque o útero pressiona o estômago, causando o refluxo do ácido estomacal. O que define se o bebê será cabeludo é a genética. Posso fazer tatuagens? Não pode. Qualquer procedimento estético invasivo deve

ser evitado durante esse período. Como as gestantes apresentam mudanças na imunidade para receber o bebê, o pigmento usado na tatuagem pode causar reação alérgica. Comer chocolate antes da ultrassonografia ajuda na hora de ver o sexo do bebê? Verdade. O chocolate aumenta o nível de glicose na placenta, fazendo com o bebê se movimente mais, ajudando a descobrir o sexo. Durante a amamentação não corro o risco de engravidar? Mito. É possível engravidar mesmo quando se está amamentando um bebê. Minha pele pode manchar se ficar exposta ao sol? Verdade. As alterações hormonais associadas à gestação favorecem o aparecimento de manchas. E esses são apenas alguns dos mitos que existem entre tantos. O mais importante é confiar no médico que está acompanhando você na gravidez, pois ele sim sabe como anda sua gestação e o que pode ou não ser bom para você e para o bebê. Por isso, deixe as histórias de lado e aproveite para curtir com responsabilidade todos os seus lindos e deliciosos meses de gestação.

E agora, mãe?

27


Mamães do Vale do Paraíba GRUPO DE BLOGUEIRAS DA REGIÃO PROMOVE ENCONTRO PARA DISCUTIR SOBRE MATERNIDADE Por Kelem Santos

28

E agora, mãe?

Então pensei, por que não nos unirmos para trocarmos ideias a respeito de nossas experiências como mamães?” O grupo além do contato diário virtual, em seu primeiro encontro reuniu em torno de 20 mães para trocarem figurinhas a respeito de gestação, maternidade e desenvolvimento dos filhos. Além disso, buscam promover eventos e convidar parceiros para apresentar novidades e auxiliar as mulheres em suas rotinas de mães. Nos eventos é reali-

zada uma roda de bate-papo para se conhecerem melhor e falarem também sobre influenciadoras digitais de maternidade nas redes sociais. As pautas variam desde alimentação das crianças até autoestima pós-parto. Exposição na internet A mamãe Ellen Soares já tinha um blog que foi criado para falar de beleza, moda e culinária. Porém, com a chegada do filho Nicolas, acabou incluindo parte de

Fotos Kelem Santos

A

necessidade de compartilhar dúvidas e dicas uniu diversas mães por meio da internet. A joseense Polly Testi, por se encantar bastante pelo mundo materno resolveu criar um espaço onde pudesse compartilhar com outras mulheres na mesma situação, suas experiências como mamãe de primeira viagem. Assim nasceu o grupo Mães Blogueiras do Vale. “Sempre acompanhava o Instagram de outras mães e uma curtia a foto da outra.


sua rotina como mãe no seu trabalho na internet. “Muitas vezes as pessoas julgam muito o que faço, questionam porque como certos alimentos se estou amamentando e acabam dando palpite em quase tudo. No começo me incomodava, mas agora já sei que como estamos expostas somos sujeitas a críticas, e não deixo isso me atingir”. Papai também participar

pode

Além de estar presente nos encontros, Luigi, o marido de Nicole Oliveira participa dos vídeos do canal que já têm quase 2000 inscritos. O “E Agora, Gêmeos?” Mostra a rotina do casal que além da surpresa de uma gravidez não planejada, descobriu que estava grávida de gêmeos. Hoje compartilham os desafios e delícias de cuidarem dos pequenos Alice e Lorenzzo. Para participar do grupo, a mamãe deve ser do Vale do Paraíba e contribuir para as discussões nas plataformas online. Se interessou? Então corre lá para conferir! @maesblogueiras dovale /maesblogueiras dovale/

E agora, mãe?

29


COLUNA

Entre fraldas e escolhas: Os desafios da maternidade contemporânea

E

ntre os vários papéis que tenho na vida, um dos que mais gosto de desempenhar é o de mãe. É nessa persona que eu me encontro, resgato a mulher que vive em mim, me equilibro e me sinto muito feliz por isso. Na minha opinião, é no papel de mãe que aguçamos nossos 5 sentidos (e também o sexto!). A visão para cada detalhe, e que vai além da simetria das coisas; a audição atenta ao menor ruído de perigo e às risadinhas pelo gesto mais singelo, a diferenciação de um choro de dor, fome ou sono; o paladar para o quente, o frio, o azedo, o doce; o olfato, ah!! O olfato para tudo: do cheirinho dos cantinhos do pescoço aos cheirinhos alarmantes de uma fraldinha cheia. O tato que fortalece os vínculos, na pele, nos cabelos, nos lábios. E o sexto sentido? Esse, toda mãe ganha com bônus toda vez que gera uma vida: sabemos quando vão adoecer ou quando estão angustiados. Mas nem só de sensações deliciosas é feita uma mãe, ainda mais na contemporaneidade, em que da mulher, muitas coisas são exigidas e com alto grau de excelência. Há uma cobrança, uma exigência muito grande se você escolhe ser mãe e ser mulher nos seus múltiplos papéis. Se você opta por trabalhar e estudar, então seu desafio será muito maior. Ouvirá frequentemente frases do tipo

“como pode ser louca por querer ter filhos com uma vida tão agitada”, vai ver os olhares de desaprovação de chefes, professores e de familiares para sempre. Frequentemente terás que engolir um “quem mandou ter filhos”. Chorarás muitas vezes em silêncio, longe dos olhinhos do pequeno ser que se inspira em você e dos olhares dos julgadores das pessoas que sempre terão um “conselho” para dar. Os desafios existirão e muitos outros aparecerão. O grande segredo é o foco e a vivência intensa de cada momento. As noites em claro pela cólica do bebê vão passar e a insistência por um colinho fora de hora também. Elas serão substituídas pelas leituras noturnas ou pela hidratação capilar que não deu tempo de fazer de dia. Os medos, esses também vão passar. A insegurança de não conseguir cuidar do pequeno ser será substituída pelo medo de não conseguir passar naquela prova ou terminar aquele projeto em tempo hábil. No final, vai ter sempre alguém para lhe dizer que entende mais da educação e do(s) seu(s) filho(s) que você. É preciso dormir em paz, já que, para aguçar os sentidos, é necessário estar inteira e isso é possível se estivermos em contato com a punção de vida que só uma nova semente poderá lhe oferecer.

Flávia Gabriela Esposa, mãe de três filhos, jornalista e doutoranda em Comunicação. Atua na gestão da comunicação institucional do Santuário Nacional de Aparecida e leciona no Unifatea.

30

E agora, mãe?


COLUNA

E agora, gêmeos?

D

escobrir a maternidade é algo mágico, assustador e que muda nossas vidas da água para o vinho. O casal que antes viajava nos finais de semana, curtia com os amigos e tinha tempo entra numa jornada de fraldas, choro e noites sem dormir. Se com um a gente já fica apavorada, imagina uma gravidez de múltiplos? Posso garantir que quase tive um infarto no início, mas a experiência e o amor dessa nova fase valem todo medo e dificuldade. Quando descobri que estava grávida, fiquei cheia de sensações que nem consigo explicar. Embora quisesse muito isso, quando de fato acontece parece que você não será boa o suficiente para criar outro ser humano. É muita responsabilidade. Nunca imaginei que poderia ter gêmeos. Passada a adrenalina inicial e quase ter matado minha mãe de susto ao contar, comecei a imaginar se seriam meninos, meninas ou ambos, possíveis nomes, melhor marca de fralda para usar, decoração do quartinho, carrinho, se iam gostar da minha comida, se gostariam de ir para escola, o primeiro amor, a aborrecência, qual profissão iriam escolher, o casamento, os netos. Se você está me achando louca nesse momento, é porque ainda não teve filhos. A gente pensa nisso tudo quando

descobre a maternidade. Mas, logo, me toquei que ficar imaginando o futuro não ia me acalmar, então, passei a aproveitar cada minuto do presente. O tempo voa, e você sentirá muita falta dessa fase depois. É gostoso, uma época de aprender coisa nova, como semanas sendo mais importantes que meses na contagem do tempo de gravidez. Tive os meus príncipes com 34 semanas. E agora vem um alerta fundamental: se o médico pedir repouso, faça repouso. Hoje me arrependo muito de não ter conseguido sossegar. Graças a Deus deu tudo certo no parto, mas se algo tivesse acontecido porque não fiz o repouso adequado me culparia pelo resto da vida. Arthur nasceu ás 9h50 do dia 19 de dezembro de 2013, e Matheus às 9h52. Foi de cesárea, embora eu quisesse muito o normal e tenha ficado exatas 19 horas e 50 minutos esperando dilatar. Nossa, é inexplicável o sentimento que nos toma ao ouvir o choro estridente e a carinha de um filho. Tenho que abrir um parêntese para dizer que eu não tinha NENHUM perfil para ser mãe. Leiase NENHUM mesmo. Sempre gostei de criança, mas nunca levei jeito com elas. É pura verdade o ditado “Quando nasce um bebê, nasce uma mãe”.

Ariane Fonseca Mãe dos gêmeos Arthur e Matheus, jornalista e pósgraduada em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais, atua no planejamento de conteúdo e estratégias para os clientes da Vincere Comunicação.

E agora, mãe?

31


ENTRETENIMENTO Na internet...

Inspire-se

14 MANEIRAS DE SE DIVERTIR E SE INFORMAR

Com a chegada do bebê Fernando, Lia adaptou seu conteúdo de moda e beleza para trazer também as novidades do universo materno para a internet.

/justliatv

Meu bebê

O canal Meu Bebê é um espaço criado pela JOHNSON’S®, com dicas de médicos especialistas no assunto, mamães e youtubers que contam tudo sobre a maternidade.

Lu Ferreira

Conhecida com Chata de Galocha, a mineira Lu Ferreira, compartilha suas viagens, dicas de moda, beleza e tudo sobre ser mãe.

/ytmeubebe

@kittykills

Tiago e Gabi

/blogchata degalocha

Primeiro canal brasileiro a trazer o período de gravidez mostrando pai e mãe sempre juntos, levando ao público os dois lados da gestação. Como ótimos atores que são, não vai faltar emoção ao lado dos dois, da Manuh e da pequena Nina.

/primeiragravidez

32

E agora, mãe?

@tiagoegabi

Flavia Calina

Ela ganhou destaque mostrando todo o seu processo de fertilização in vitro e sua forma encantadora de educar a pequena Vitória, que já completa 3 anos, e o recémnascido Henrique. Mas ainda sobra tempo e espaço para dicas de beleza, saúde e tudo sobre a rotina da família Calina nos EUA.

/Fla1982 @flavia_calina_

Fotos reprodução da internet

Lia Camargo


Na livraria... O Diário de Bordo do parto (R$66,40) Guia prático com informações sobre os tipos de parto existentes. Um livro de gestante para toda a família. Com diagramação diferenciada e moderna, repleto de depoimentos reais e de comentários de especialistas sobre como definir o melhor tipo de parto para cada gestante.

Marinheira de Primeira (R$14,90)

Gravidez para Leigos (R$44,80)

Na espera do primeiro filho, tudo é novidade. Mas, junto com a alegria, surgem perguntas e inseguranças. Com linguagem simples e direta, este livro é um verdadeiro guia de sobrevivência para mães e pais de primeira viagem. Vale apena a leitura!

Você está grávida ou deseja estar? Este livro irá trazer às futuras mamães e aos futuros papais conselhos de profissionais sobre todos os aspectos da gravidez e do parto, além de informações importantes sobre a saúde e o bem-estar da mãe e do bebê.

SOZINHA OU EM FAMÍLIA, TENHA UMA BOA LEITURA!

O Que Esperar Quando Você Está Esperando (R$55,50) Leitura obrigatória para grávidas de primeira viagem, a recente versão de ‘O que Esperar Quando Você Está Esperando’ traz novas informações sobre a escolha do médico, os planos de pré-concepção, o parto, os direitos das gestantes, entre outros temas.

E agora, mãe?

33


Na televisão... Ligeiramente Grávidos

Alison Scott (Katherine Heigl) é apaixonada por sua carreira e finalmente recebeu uma grande promoção. Ben Stone (Seth Rogen) não têm planos ou objetivos na vida. Depois de uma noite de sexo casual, esse casal que definitivamente não combina descobre que serão pais.

O que Esperar Quando Você Está Esperando Inspirado no livro de mesmo nome, citado na página anterior, o filme mostra os desafios da paternidade e maternidade iminente que transformam a vida de cinco casais. Uma comédia muito divertida e com elenco de primeira. Inclusive Rodrigo Santoro!

Plano B

Cansada de esperar pelo cara certo, Zoe (Jennifer Lopez) decide que é hora de visitar um banco de esperma. No dia do seu procedimento, ela conhece Stan (Alex O’Loughlin), um homem atraente e com o potencial para ser seu companheiro perfeito. Quando Stan descobre que o comportamento imprevisível de Zoe é resultado de sua gravidez, ele assume seu compromisso e ambos percebem que não conseguem mais se imaginar sem uma criança.

34

E agora, mãe?

Bebês

Esse documentário francês mostra o primeiro ano de vida de bebês nascidos em diferentes países: Japão, Namíbia, Estados Unidos e Mongólia. Traz a reflexão de que diferentes perspectivas culturais que influem na criação de crianças, do nascimento aos primeiros passos.

A Vida Secreta dos Bebês

Esse documentário da BBC mostra o desenvolvimento dos bebês e traz muitas curiosidades a respeito do que se passa na cabeça da criança.


E agora, mĂŁe?

35


36

E agora, mĂŁe?


Revista E agora, mãe?  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you