Page 1

BALANÇO ANUAL ESCOLA DE ESPORTE ADAPTADO

PATROCÍNIO:


SUMÁRIO

11

TURMAS

4

MENSAGENS

APRESENTAÇÃO

8 EQUIPE

2 0 BALANÇO ANUAL

17 NOSSOS ALUNOS

24

COM A COMUNIDADE

26

EXPEDIENTE O Balanço 2013 ADD Escola de Esporte Adaptado é uma publicação anual de distribuição interna desenvolvida pela ADD - Associação Desportiva para Deficientes e elaborada pela Áurea Editora Ltda. Comitê Editorial: Eliane Miada, Sileno Santos, Denise Mello e Karina Mosmann. Colaboração: Profissionais do projeto ADD Escola de Esporte Adaptado. Texto: Claudete Oliveira, Dirceu Pereira Jr. e Paulo Kehdi. Edição: Dirceu Pereira Jr. Fotos: Voluntários João Paulo Dionelo e Nataly Murayama e Divulgação ADD. Revisão: Agencia Entre Aspas. Tiragem: 1.000 exemplares ADD - www.add.org.br Tel: (11) 5011-6133 - facebook.com/addassociacao

RELACIONAMENTO

PARCEIROS DO PROJETO


APRESENTAÇÃO O projeto ADD Escola de Esporte Adaptado, iniciado em 2010, teve sua origem a partir de uma iniciativa pioneira no Brasil - o Programa Crianças. Criado pela ADD em 2001, o projeto proporcionava às crianças com deficiência seu desenvolvimento por meio do esporte e destinava-se, essencialmente, à prática do basquete em cadeira de rodas. Com um olhar mais abrangente para o paradesporto infantil e juvenil, a ADD Escola de Esporte Adaptado contribui para a aquisição de valores educacionais através do esporte adaptado, estimulando o desenvolvimento físico, social e psicológico de crianças e adolescentes com deficiência. Assim, o esporte se torna o maior aliado da educação. Juntos, eles promovem o desenvolvimento integral do indivíduo de forma harmoniosa e sadia, despertando para a cidadania e a formação de cidadãos conscientes de suas responsabilidades. O sucesso obtido nos dois anos do projeto atraiu a atenção das empresas e instituições que atuam no segmento de paradesporto e trouxe mais visibilidade e credibilidade para a iniciativa. Em 2012, o Projeto ADD Escola de Esporte Adaptado foi contemplado na Seleção Pública de Projetos Esportivos Educacionais para patrocínio da Petrobras, através do Programa Petrobras Esporte & Cidadania. Hoje, integram o projeto 120 crianças e jovens com deficiência física e intelectual, com idades entre 6 e 18 anos, que residem na cidade de São Paulo e municípios da região metropolitana. As aulas são realizadas em turmas divididas de acordo com o tipo e a característica da deficiência, a faixa etária e o padrão de amadurecimento motor. Todas as atividades esportivas, de lazer e recreação, são executadas por profissionais da área de educação física e apoiados pelo trabalho da equipe multidisciplinar, com a participação e envolvimento das famílias das crianças e adolescentes que recebem atendimento especial nas áreas de nutrição, fisioterapia, psicologia e psicopedagogia. Além do patrocínio da Petrobras, a ADD Escola de Esporte Adaptado conta com a parceria de AGE Isobar, Atende, CEU Caminho do Mar, Colégio Dante Alighieri, Instituto Alcoa, Netshoes e SESC Pinheiros.

“Em 17 anos de atividades, a ADD – Associação Desportiva para Deficientes tem muito que comemorar. O sonho inicial de impulsionar a transformação da vida de pessoas com deficiência, por meio do esporte adaptado, fortalece e renova-se a cada projeto desenvolvido e a cada conquista pessoal alcançada. O esporte é uma fonte de motivação para o desenvolvimento de competências, melhora a autoconfiança e proporciona a oportunidade de sociabilização. No projeto ADD Escola de Esporte Adaptado o esporte assume contornos lúdicos, traz independência e autonomia, desperta amizades e provoca sorrisos. O patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Esporte & Cidadania, veio coroar essa iniciativa e promover mais um ciclo de vitórias e conquistas. Compartilhamos com parceiros, apoiadores e comunidade, os resultados, as superações e conquistas de cada aula; as alegrias e descobertas motivadas por atividades culturais. A todos que caminharam juntos conosco nesta jornada, o nosso muito obrigado.”

ADD

ELIANE MIADA STEVEN DUBNER Fundadores da ADD

G

“O esporte compõe uma das linhas de investimento social da Petrobras. Investimos em quatro diferentes segmentos: (1) Esporte Educacional; (2) Esporte de Rendimento (boxe, esgrima, remo, taekwondo e levantamento de peso); (3) Esporte de Participação e (4) Memória do Esporte. No segmento do Esporte Educacional, contribuímos para a democratização do acesso de crianças e adolescentes ao esporte, entendido como um direito. Acreditamos que iniciativas esportivas são um grande aliado para o desenvolvimento humano e social, por isso, investimos em projetos como a Escola de Esporte Adaptado, que promove a inclusão de grupos sociais mais vulneráveis. A opção pelo Esporte Educacional confirma nossa convicção do papel da atividade esportiva para formação do cidadão. Assim, ela tem que ser ‘para todos’, deve ‘respeitar a diversidade’ de gênero, raça e aptidão, e ‘contribuir para que cada um tenha oportunidade para explorar todas as suas potencialidades, habilidades e competências’. Dessa forma, poderá colaborar para a construção de uma sociedade solidária e democrática.”

N

ROSANE FIGUEIREDO Gerente de Investimentos Sociais da Petrobras


ADD ESCOLA DE ESPORTE ADAPTADO


EQUIPE

ESPORTES Na ADD Escola de Esporte Adaptado, as atividades esportivas são realizadas com foco na correção de atitudes e nos valores positivos do próprio aluno, consigo mesmo e com os colegas. “Essas atitudes e valores, reforçados em todas as atividades propostas, servem como base para o crescimento de um indivíduo capaz de entender suas limitações e possibilidades, enxergando um futuro mais promissor”, diz o coordenador de Programas Esportivos Adaptados, Sileno Santos. Durante o ano de 2013, os alunos realizaram atividades paradesportivas, tais como atletismo, bocha, basquete e esgrima em cadeira de rodas, voleibol adaptado, rugby, natação. No entanto, como as atividades não estão atreladas somente ao esporte, nem tampouco a apenas uma modalidade esportiva, também foi dada aos alunos a oportunidade de realizarem atividades complementares de lazer e cultura, como as caminhadas, o acantonamento, a festa junina e a visita a parques. Em todas as atividades, os alunos são orientados e acompanhados pelos professores da área de Esportes da ADD.

SABRINA CAIRES VASCONCELOS Prof.ª Ed. Física – Líder

RAQUEL PONCHIO Prof.ª Ed. Física – Líder

SILENO SANTOS Coordenador de Programas Esportivos Adaptados

MARILEI DA SILVA COELHO Professora Ed. Física

ANDRÉIA HONORATO RIBEIRO Professora Ed. Física

BENEDITO JOSÉ FRANCISCO VIEIRA Professor Ed. Física

VINÍCIUS RIBEIRO DOS ANJOS Professor Ed. Física

PATRÍCIA MENDES DA SILVA Professora Ed. Física

ADEILTON DE SOUZA SENE Professor Ed. Física

EDUARDO BELLICIERI FRANCO Professor Ed. Física

VANESSA QUEIROZ Professora Ed. Física

MARCELO ALVES DA SILVA Professor Ed. Física

FISIOTERAPIA

ALINE STELLA ZAMPIERI Professora Ed. Física

FÁBIO BELLICIERI FRANCO Professor Ed. Física

GEISA LEITE MENDES DE FREITAS Professora Ed. Física

A proposta da área de Fisioterapia é avaliar as características físicas, capacidades, habilidades, autonomia e dificuldades dos grupos de crianças, a fim de identificar as necessidades de cada uma delas, bem como verificar aquelas que precisam de uma atenção fisioterapêutica individual, seja para iniciar ou para melhorar o seu desempenho durante as atividades esportivas. “Fizemos avaliações semestrais do nível de independência, equilíbrio e controle de tronco dos participantes”, diz o fisioterapeuta Adhemar Paiva. “Além disso, promovemos palestras para pais, professores e alunos, para a conscientização sobre o papel da fisioterapia.” Foram realizadas 4 palestras de orientação às famílias dos alunos, nos locais de treino, abordando a importância e abrangência da fisioterapia e como adotar as posturas corretas nas transferências das crianças, para evitar dores e lesões.

ADHEMAR PAIVA Fisioterapeuta


TURMAS

PSICOLOGIA Acompanhar o desenvolvimento psicológico (afetivo-emocional, comportamental, cognitivo e social) dos participantes, identificando as variáveis de interferência identificando as variáveis de interferência no alcance dos objetivos do projeto, para uma correta intervenção e orientação do ponto de vista psicológico, junto à equipe multidisciplinar, ao participante e sua família, é o trabalho proposto pela área de Psicologia do projeto. A psicóloga Simone Vieira realizou palestra de mobilização para que os pais e professores trouxessem suas necessidades de atendimento individual aos alunos, visando, dessa forma, à melhoria das dificuldades emocionais e de relacionamento. “As avaliações realizadas com os pais demonstraram indícios do amadurecimento e desenvolvimento emocional do aluno”, diz a psicóloga. Para tanto, foram utilizados métodos diferenciados, que trouxeram informações para as orientações de grupo junto às famílias.

KIDS SIMONE RAMOS VIEIRA Psicóloga

PSICOPEDAGOGIA A missão da área de Psicopedagogia do projeto é acompanhar e identificar as variáveis de interferência no processo de aprendizagem, para que o participante possa desenvolver de forma positiva todas as suas potencialidades, assegurando-lhe o conhecimento e a igualdade de condições para o acesso e a permanência na escola. Durante o ano, a psicopedagoga Catarina Pierno Dionelo orientou as famílias, através de atendimentos individuais e visitas às escolas, e os participantes, por meio de atendimento psicopedagógico de diagnóstico, para intervenção aos participantes. Ministrou, também, palestras às famílias e escolas e realizou avaliações psicopedagógicas com os alunos, para identificar os reais deficits de aprendizagem, bem como promoveu atividade de alfabetização para crianças e adolescentes com deficiência intelectual que se encontravam em defasagem escolar. “Tanto as escolas atendidas, quanto as famílias dos alunos, nos deram um retorno positivo do trabalho que realizamos.”

CATARINA DIONELO Psicopedagoga

NUTRIÇÃO O objetivo da Nutrição no projeto é acompanhar e identificar as variáveis de interferência no processo de crescimento e desenvolvimento do aluno, para realizar a devida adequação nutricional e, com isso, garantir uma ação efetiva na questão de qualidade de vida e saúde. Durante todo o ano, a nutricionista Regina Célia da Silva monitorou o crescimento dos alunos e fez a investigação da ingestão alimentar, para identificar possíveis carências nutricionais e desequilíbrios de obesidade e sobrepeso. “Depois de identificados os casos críticos, a criança e sua família receberam atendimento individualizado para a reorientação alimentar”, diz a nutricionista. Além disso, foram realizadas oficinas de cozinha, em que se ensinou a elaboração de pratos saudáveis.

REGINA CÉLIA SILVA Nutricionista

Durante o ano de 2013, os alunos da turma Kids, com idades entre 6 e 10 anos, vivenciaram o maior número de modalidades paradesportivas possível. Sob a orientação dos professores, os alunos praticaram atletismo (corridas, lançamentos, saltos e revezamentos), ginástica artística e rítmica, tênis, tênis de mesa, badminton, peteca e artes marciais. O último trimestre do ano foi finalizado com iniciação aos esportes com bola: vôlei, futebol, handebol e queimada. Kauan Alves Bittencourt, de 8 anos, que tem síndrome de Down, frequenta as aulas da turma Kids há um ano. “Ele gosta muito de atletismo e adora estar com os colegas e professores”, conta a mãe do aluno, Vera Lucia Alves - acrescentando que, depois que o filho entrou na ADD Escola de Esporte Adaptado, ele se tornou uma criança mais calma e que passou a se concentrar melhor nas atividades que realiza.


TEENS

Os meninos e as meninas com idades entre 11 e 17 anos, integrantes da turma Teens da ADD Escola de Esporte Adaptado, praticaram, durante este ano, atividades esportivas com o intuito de desenvolver habilidades relacionadas ao Basquetebol em Cadeira de Rodas. Sob a orientação dos professores, treinaram técnicas como passe, drible, condução de bola, manejo de cadeira e posicionamento, além de desenvolverem habilidades motoras. Durante as aulas os alunos aprenderam os fundamentos do basquetebol em cadeira de rodas de forma lúdica, o que proporcionou a eles a vivência de novas modalidades paradesportivas. O leque de atividades praticadas por eles é extenso. Handebol em cadeira de rodas, jogos de wheelchair basketball Street 3X3, vivências de modalidades paradesportivas como esgrima em cadeira de rodas, voleibol adaptado, rugby e futebol em cadeira de rodas fazem parte da lista. A prática dessas modalidades também é realizada com a intenção de ajudar o aluno a desenvolver sua independência – como aconteceu com a aluna Graziele Gonçalves da Silva, de 16 anos, que tem mielomeningocele “Logo depois que a Graziele começou a frequentar as aulas da turma Teens, eu percebi que ela ficou mais independente. Hoje, ela consegue passar sonda* sozinha”, conta Maria do Carmo Silva, mãe da aluna.

*procedimento de higiene necessário para algumas pessoas com deficiência

ATLETISMO Na ADD Escola de Esporte Adaptado, o Atletismo trabalha as habilidades e capacidades físicas básicas do participante, dentro das diversas provas da modalidade. Ao longo do ano, os professores desenvolveram com a turma – que é formada por alunos de 10 a 18 anos de idade – a iniciação ao atletismo, por meio de atividades como introdução ao lançamento, arremesso de peso e lançamento de pelota, além do desenvolvimento de habilidades motoras básicas, tais como correr, andar e lançar, saída do “bloco de partida” nas corridas de velocidade, arremesso de peso (lateral), corrida de velocidade, corrida com obstáculos, corridas de velocidade com obstáculos, corrida de longa distância com obstáculos e corrida de revezamento, bem como brincadeiras típicas de festa junina e atividades lúdicas com a finalidade de desenvolver lateralidade e capacidades físicas. “Não perco a aula de atletismo por nada”, conta o aluno Hugo Araujo Vieira, de 14 anos, que tem síndrome de Down. A mãe, Luzia de Araujo Gomes, diz que o atletismo é a modalidade preferida do filho.


BOCHA A bocha pode ser jogada individualmente, em duplas ou em equipes. A habilidade e a inteligência são fundamentais no desenvolvimento das jogadas, pois é um jogo que exige poder de concentração, raciocínio lógico e precisão. Todas as técnicas foram apresentadas e ensinadas pelos professores aos alunos da turma da Bocha, com idade entre 6 e 18 anos. Ao longo de 2013, eles participaram de atividades de mobilidade articular e manejo de cadeira. Utilizando o conhecimento sobre regras, organização e cooperação, os próprios alunos desenvolveram um torneio de bocha, fazendo a divisão de equipes e a arbitragem. Durante as aulas, os participantes da Bocha também aprenderam a importância de viver em sociedade e de interagir com o outro. Um exemplo é o aluno Ian Fonte Lira, de 9 anos, que aprendeu a dividir as coisas com as outras crianças. “Ele deixou de pensar que tudo era exclusividade dele”, diz a mãe Michele Aparecida Fonte Lira. Já o aluno Luis Guilherme Alves Silva, 12 anos, que também é da turma da Bocha, passou a se relacionar melhor com as outras pessoas e conquistou várias amizades.

CESTA DE TRÊS

O objetivo especifico do trabalho com a turma Cesta de Três é proporcionar vivências em atividades físicas e iniciação aos esportes de quadra. Sob a orientação dos professores, os alunos da turma, com idade entre 6 e 11 anos, praticaram basquete, handebol, rugby e atletismo, com corridas e lançamentos. Assim como é feito com as crianças e os adolescentes das outras turmas, os professores da Cesta de Três, por meio do conteúdo dado durante as aulas, passam para os alunos a importância da prática de esporte e os benefícios que traz. Juan Victor Silva, de 8 anos, que tem mielomeningocele, frequenta a turma Cesta de Três há apenas três meses, mas a mãe, Sueli Josefa da Silva, já percebeu a mudança no comportamento do filho. “Ele está mais participativo, interage mais com as outras crianças e passou a se interessar por outros esportes também.”


VIVÊNCIA AQUÁTICA A natação é uma das modalidades esportivas para pessoas com deficiência com maior tradição pelo fato de que varias terapias de reabilitação e fisioterapia são realizadas na água – as quais proporcionam grande autonomia e poder terapêutico. Na ADD Escola de Esporte Adaptado, os alunos da turma Vivência Aquática também são beneficiados com o trabalho realizado pelos professores. Durante o ano, foram desenvolvidos nas aulas: estimulação, socialização, adaptação e autonomia ao meio líquido, apneia voluntária, descontração facial, flutuação, visão subaquática, equilíbrio com apoio, deslize, deslocamentos, e vivencia do polo aquático. “Minha filha gosta muito de praticar a natação. O esporte beneficiou muito a saúde dela”, conta Daniela Camargo, que é mãe da aluna Giovana Camargo da Palma, de 15 anos. Giovana frequenta a ADD há 10 anos. Antes de entrar na natação, ela já foi aluna do Basquete em Cadeira de Rodas e do Atletismo.

NOSSOS ALUNOS


BALANÇO QUANTITATIVO Confira como e onde foram aplicados os recursos

TOTAL DE 120 ALUNOS EM 2013 33% - Meninas

FAIXA ETÁRIA

67% - Meninos

15 a 18 anos 12 a 14 anos

O sucesso do projeto ADD Escola de Esporte Adaptado é fruto da união da expertise da ADD na gestão de seus projetos e do bem-sucedido modelo do Programa Petrobras Esporte & Cidadania, iniciativa da Petrobras que contribui com a melhora dos processos internos de seus patrocinados, auxiliando-os no controle e na organização dos dados e, também, na aplicação dos recursos.

9 a 11 anos 6 a 8 anos 36

30

31

As metas estabelecidas no ano de 2013 foram cumpridas, resultando na liberação de recursos conforme o previsto no fluxo orçamentário original. Esse detalhe é de suma importância, já que a Petrobras possui critérios sérios e rigorosos para efetivação do patrocínio e liberação das verbas. A ADD foi monitorada trimestralmente, durante todo o ano, sempre atendendo aos objetivos e às normas do Programa Petrobras Esporte & Cidadania.

28 25 25

20

TIPO DE DEFICIÊNCIA

LOCAL DE RESIDÊNCIA DOS ALUNOS 45

82% - Física 16% - Intelectual 41

40

Visual Múltipla 15

2

33

30

5

26

25

10 33

20

Meninos

15

15

5

1

10

0

Física Intelectual Meninas 0

35

5

1% - Visual 1% - Múltipla

1 Z. Oeste

0

4 Centro

14 Z. Norte

Grande S. Paulo

Z. Sul

Z. Leste

65

0


APLICAÇÃO DE INVESTIMENTOS PETROBRAS

Foram cumpridas duas etapas principais: a participação da ADD no edital lançado em 2011, que tinha como objetivo uma seleção pública por parte da Petrobras, de organizações interessadas em promover projetos com cunho esportivo e social; e a comprovação por parte da ADD, por meio de documentos, de toda a sua idoneidade fiscal e tributária, além de experiências anteriores na gestão de projetos, para que pudesse participar dessa seleção. “Foram 892 inscritos e 32 aprovados, sendo só três em São Paulo – um deles o nosso”, diz Eliane Miada, fundadora e presidente da ADD.

INVESTIMENTO EM 2013 R$ 1.007.778,38 56% - Petrobras

Em janeiro de 2013, o projeto teve início, valendo-se dos recursos injetados pela Petrobras: um total de R$ 1,2 milhão que é liberados em parcelas trimestrais, pelos 24 meses do projeto, que tem fim previsto para dezembro de 2014. Além disso, a própria ADD entrou com uma contrapartida da ordem de R$ 446 mil, destacando-se, nesse montante o aporte dfeito por dois parceiros, para compra de equipamentos. Parte desses recursos foi aplicada em 2013, conforme gráficos abaixo.

44% - ADD

Com os recursos garantidos, coube à ADD por em prática toda a sua experiência na gestão de negócios, especialmente com relação à transparência das aplicações de recursos - da contratação da equipe de profissionais e dos serviços de terceiros, à compra de alimentação e de equipamentos esportivos. “É preciso reforçar que não só a ADD necessita provar sua idoneidade fiscal e tributária, além da experiência em gestão. Todos os contratados, sem exceção, precisam satisfazer parâmetros idênticos para participar do projeto ADD Escola de Esporte Adaptado, trazendo, assim, qualidade aos produtos e serviços fornecidos. Na contabilidade interna da ADD, o projeto Escola de Esporte Adaptado é tratado de forma totalmente separada dos demais projetos da instituição. E a relação entre nossos gestores e os gestores da Petrobras é constante, com troca de informações, o que traz ainda mais credibilidade em tudo o que estamos fazendo”, finaliza Miada.

1% - Despesas bancárias/taxas 2% - Serviços de Terceiros

1% - Materiais de consumo/higiene 9% - Alimentação

9% - Uniforme

10% - Comunicação e Marketing

24% - Encargos

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS MÊS A MÊS 160

Aulas Extras

Atendimento Alunos Atendimento Famílias

140

*Doação realizada pela Instituto Alcoa e Netshoes em 2012 e 2013

APLICAÇÃO DE INVESTIMENTOS ADD 73% - Equipamentos Esportivos* 11% - RH 9% - Comunicação e MKT 3% - Alimentação 2% - Encargos 1% - Transporte 1% - Despesas administrativas

120 36 2

100

80

8

0 5

60

40

2 7 5

57 6

0

40

Mar

39 12

16

50 64

35

16 7

20

44% - RH 16

5

45

30 3

6

6

4

9

27

27

Set

Out

45 28

28

28

26

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

36

Nov

16

33

6 9 Dez


Foto: Bruno de Lima/CPB

RELACIONAMENTO COM A COMUNIDADE

Benefícios: Desenvolvimento de capacidades e habilidades motoras, dos aspectos cognitivos, afetivos e sociais. Em relação ao nível motor desenvolve velocidade, agilidade, força, equilíbrio, coordenação, ritmo, flexibilidade, capacidades cardiorrespiratórias (aeróbia e anaeróbia). Já a nível cognitivo, desenvolve o raciocínio, atenção, melhora a percepção espaço-temporal, aumenta o poder de concentração, aprimora as diversas formas de locomoção, transferência para o assento do carro, cama, manejo da cadeira de rodas com rapidez e resistência e em ruas e pisos acidentados. Além disso, promove convivência e trabalho em grupo, destaque social e transferência da vida esportiva para o cotidiano. Recomendações: A cadeira deve ser fabricada sob medida para o praticante obedecendo as regras de dimensões da modalidade. Para melhor equilíbrio dos praticantes, faixas estabilizadoras devem ser utilizadas na cintura, pernas e pés.

Uma das preocupações da ADD Escola de Esporte Adaptado é compartilhar com participantes, familiares e comunidade, a importância e os benefícios da prática da atividade física adaptada. A ADD entende que, por meio do acesso ao conhecimento, é possível contribuir para o processo de conscientização sobre o potencial das pessoas com deficiência e sobre o papel do esporte adaptado.

Resultados nas Paralimpíadas: Desde 2000 as seleções brasileiras femininas e masculinas marcam presença nos Jogos Paralímpicos. Em Londres no ano de 2012, a Seleção Brasileira Feminina de Basquetebol em Cadeira de Rodas obteve o nono lugar na competição.

ALMANAQUE DO PARADESPORTO

Conheça mais sobre as modalidades que serão trabalhadas no projeto Classificação funcional: O Basquetebol em Cadeira de Rodas é uma modalidade que agreADD Escola de Esporte Adaptado.

C 0 / M 15 / Y 100 / B 0

informativo

Nasce um ampliando o

projeto

ateNdimeNto

Em 2001 a ADD criou o Programa Crianças que tinha por objetivo proporcionar, às crianças com deficiência física, seu desenvolvimento por meio do esporte. Essa iniciativa, pioneira no Brasil, destinava-se, essencialmente à prática do basquete em cadeira de rodas. A experiência adquirida durante nove anos de trabalho trouxe um conhecimento mais amplo nos aspectos fundamentais sobre o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, fomentanto assim a criação de um novo projeto mais abrangente. Em 2010 nasce a ADD Escola de Esporte Adaptado, uma iniciativa que traz um novo olhar para o paradesporto infantil e juvenil. Além do trabalho específico vinculado ao esporte, os alunos também têm acesso a outras atividades pedagógicas para auxílio no processo de desenvolvimento da criança.

O sucesso obtido nos dois anos da ADD Escola de Esporte Adaptado atraiu à atenção das empresas e instituições que atuam neste segmento e trouxe mais visibilidade e credibilidade para a iniciativa.Em 2012 o projeto foi contemplado na Seleção Pública de Projetos Esportivos Educacionais para patrocínio da Petrobras, através do Programa Petrobras Esporte & Cidadania. Essa iniciativa da Petrobras visa fomentar o desenvolvimento do esporte olímpico brasileiro e democratizar o acesso ao esporte como ferramenta de desenvolvimento humano, inclusão social e construção de cidadania. “O patrocínio da Petrobras é fundamental para darmos continuidade ao projeto de forma sustentável até 2014, beneficiando diretamente 120 crianças e adolescentes com deficiência e outras centenas indiretamente”, diz a presidente da ADD, Eliane Miada, que também é uma das fundadoras da entidade.

desde 1996 A ADD, Associação Desportiva para Deficientes, é uma instituição sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento da pessoa com deficiência através do esporte, educação, cursos de capacitação, vivências em atividades físicas e iniciação esportiva. Em seus 17 anos de existência a instituição já atendeu milhares de pessoas com deficiência, de forma direta e indireta.

acompanhamento iNdividualizado Todas as atividades esportivas, de lazer e recreação, são executadas por profissionais da área de educação física, devidamente habilitados na profissão, e apoiados pelo trabalho da equipe multidisciplinar do projeto: psicólogo, nutricionista, assistente social, fisioterapeuta e psicopedagogo com participação e envolvimento das famílias das crianças e adolescentes. As aulas são realizadas aos sábados em turmas divididas de acordo com o tipo e característica da deficiência, a faixa etária e o padrão de amadurecimento motor.

Negativo

PATROCINIO:

Informativos Trimestrais: divulgação das atividades C 0 / M 15 / Y 100 / B 0 desenvolvidas pela equipe e suas respectivas turmas. Grayscale

Revista PARASPORTS: publicação de notas da ADD Escola de Esporte Adaptado, na primeira revista digital sobre o paradesporto no Brasil.

NATAÇÃO

Almanaque do Paradesporto: produção de um material trazendo informações específicas sobre seis modalidades paralímpicas.

Descrição: A natação é uma das modalidades esportivas para pessoas com deficiência com maior tradição pelo fato de que várias terapias de reabilitação e fisioterapia são realizadas na água por proporcionar grande autonomia e poder terapêutico. Atletas com diversos tipos de deficiência (física e visual) competem em provas que vão de 50 aos 400m no estilo livre, dos 50 aos 100 metros nos estilos peito, costas e borboleta. O medley é disputado em provas de 150 e 200 metros. As provas são divididas na categoria masculino e feminino, seguindo as regras do IPC Swimming, órgão responsável pela natação no Comitê Paralímpico Internacional. As adaptações são feitas nas largadas, viradas e chegadas. Os nadadores cegos recebem um aviso do tapper, por meio de um bastão com ponta de espuma quando estão se aproximando das bordas. A largada também pode ser feita na água, no caso de atletas de classes mais baixas, que não conseguem sair do bloco. Classificação funcional: O atleta é submetido à equipe de classificação, que procederá a análise de resíduos musculares por meio de testes de força muscular, mobilidade articular e testes motores (realizados dentro da água). Vale a regra de que quanto maior a deficiência, menor o número da classe. As classes sempre começam com a letra S (swimming) e o atleta pode ter classificações diferentes para o nado peito (SB) e o medley (SM).

Atletas de destaques: Daniel Dias que nas Paralimpíadas de Londres conquistou 9 medalhas de ouro e o atleta Andre Brasil que obteve outras 3 também de ouro. Resultados nas Paralimpíadas: Nas Paralimpíadas de Londres a natação conquistou 9 medalhas de ouro, 4 de pratas e uma de bronze. Records: A natação obteve 5 quebras de recorde mundiais nas Paralimpíadas de Londres.

Curiosidades: A natação está presente no programa oficial de competições desde a primeira Paralimpíadas, em Roma (1960). O Brasil começou a brilhar em Stoke Mandeville (1984), quando conquistou um ouro, 5 pratas e um bronze.

S1 a S10 / SB1 a SB9 / SM1 a SM10 – nadadores com limitações físico-motoras.

Materiais de Promoção: distribuição de folders e cartazes para a comunidade e utilização dos banners em eventos e aulas do projeto.

ADD - Escola de Esporte Adaptado. Inclusão pelo esporte. Essa é a nossa marca.

Site e Redes Sociais: inserção dos materiais de comunicação no site e nas páginas da instituição, num formato digital acessível para o público com deficiência.

Recomendações: Orientar os exercícios de forma clara, respeitar a individualidade de cada um, atentar às condições da água, considerar a variedade de deficiências, avaliar as condições dos alunos, considerar as experiências anteriores do aluno na água, conhecer as deficiências (causa e implicações), conhecer e observar os exercícios que oferecem riscos e ter conhecimento das normas de segurança na natação.

Foto: Marcio Rodrigues/CPB

ADD

Benefícios: Diminuição da dor e da espasticidade, redução do músculo paralisado, manutenção e amplitude do movimento articular, melhora de todas as funções corporais, auto imagem e socialização.

Grayscale

Foto: Fábio Braga/ADD

#1

ga em uma equipe, pessoas com diferentes tipos de deficiência e cada deficiência com um grau de comprometimento diferente. Assim, em uma mesma equipe existem pessoas com mais comprometimento do que outras. Por exemplo, um amputado de membro inferior abaixo do joelho tem menos comprometimento quando comparado a um praticante lesado medular em nível torácico alto. Isso implica que, se considerar que no alto rendimento somente os melhores jogam, os jogadores com mais comprometimentos não teriam a oportunidade de jogar. Visando

Foto .Fernando Maia/CPB

Negativo

Curiosidades: A modalidade foi criada na década de 40, na Inglaterra por iniciativa do neurologista alemão Ludwig Guttmann. Primeiramente foi utilizada para auxiliar no processo de reabilitação dos acidentados de guerra. Logo a modalidade foi difundida e no ano de 1947 foi realizado o primeiro Stoke Mandeville Wheelchair Games. Já no ano de 1956 foi realizado o primeiro torneio de basquetebol em cadeira de rodas em Stock Mandeville, dando origem a Federação Internacional dos Jogos de Stock Mandeville que era composta nãoS11, apenas modalidade SB11,daSM11 S12, SB12, SM12 S13, SB13, SM13 – nadabasquetebol em cadeira de rodas. No Brasil dores com deficiência visual (a classificação neste caso é a mesma a prática da modalidade início em do judôteve e futebol de 1958 cinco). sendo introduzida por Sérgio Del Grande. S14, SB14, SM14 – nadadores com deficiência intelectual.

Foto: Buda Mendes/CPB

ADD

Descrição: O Basquetebol em Cadeira de Rodas é uma modalidade paradesportiva desenvolvida de forma adaptada para que pessoas com deficiência física de membros inferiores possam jogar utilizando a cadeira de rodas como forma de locomoção em quadra. Pessoas com deficiência física de membro inferior, tais como, pessoas amputadas, lesados medulares traumáticos e congênitos, pessoas que adquiriram poliomielite, entre outros são os praticantes da modalidade. O jogo é realizado em quadra com as mesmas medidas que o basquetebol convencional, bem como o tempo de jogo, a quantidade de faltas, número de jogadores, técnica de arremesso, passe e finta. Pelo fato dos atletas se locomoverem com a cadeira de rodas, a condução da bola tem uma regra especifica. A cada dois toques na cadeira, o jogador precisará quicar, passar ou arremessar a bola. O simples contato das cadeiras dos participantes não é considerado falta pela arbitragem – apenas se for interpretada a intenção.

Foto: Patrícia Santos/CPB

BASQUETEBOL

Com essa visão, foi construída uma plataforma de ações de comunicação que permitem, além de gerar visibilidade à iniciativa, cumprir a missão de expandir o conhecimento adquirido nos 17 anos de fundação da ADD, atingindo o máximo de pessoas.

Jan-Mar de 2013

diminuir o impacto dessa situação foi criado o sistema de classificação funcional, onde para cada atleta é atribuído uma pontuação que se inicia em 1,0 (para pessoas com maior comprometimento físico) e vai até 4,5 (menor comprometimento) de meio em meio ponto, ou seja, 1,0, 1,5, 2,0, 2,5....até 4,5. O total de pontos de uma equipe em quadra não pode exceder 14.

Acompanhe o projeto no site www.add.org.br. Para saber mais, ligue (11) 5011.6133

Realização:

Apoio:

Patrocínio:

Vídeo: disponível em mídia e no site e redes sociais da ADD, traz imagens das atividades desenvolvidas e depoimentos de familiares


OUTROS PARC E IROS

CEU

Para realizar toda a programação proposta na ADD Escola de Esporte Adaptado, além do patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Esporte & Cidadania, a ADD mantém parceiros estratégicos que disponibilizam, gratuitamente, transporte e locais para os treinos ou doam seus serviços e equipamentos esportivos. Para algumas atividades específicas são utilizados, ainda, outros espaços públicos ou privados cedidos.

CENTRO EDUCACIONAL UNIFICADO - CAMINHO DO MAR Desde 2008, a ADD mantém uma parceria com o CEU Caminho do Mar. Um ano depois que as instalações esportivas foram cedidas para o desenvolvimento das atividades das equipes de basquetebol em cadeira de rodas e de voleibol paralímpico.

AGE ISOBAR

Em 2013, as aulas de algumas turmas da ADD Escola de Esporte Adaptado foram realizadas na estrutura esportiva do CEU Caminho do Mar. Nesses anos de parceria, outras oportunidades de atividades foram concretizadas, tais como apresentações de teatro, acantonamento e fóruns de discussão sobre a pessoa com deficiência, sempre com o envolvimento pleno de toda a comunidade onde a unidade está localizada.

Parceira da ADD há vários anos, a AGE Isobar foi responsável pela criação dos uniformes dos alunos e professores, e de todos os materiais de comunicação do projeto, como banner, folder e cartaz. Os profissionais da agência doaram seus talentos e serviços.

ATENDE O Serviço de Atendimento Especial, ou Atende, é uma modalidade de transporte porta a porta, gratuito, com regulamento próprio, oferecido pela Prefeitura do Município de São Paulo, gerenciado pela São Paulo Transporte S.A. e operado pelas empresas de transporte coletivo da cidade de São Paulo. Por meio da importante parceria com o Atende, 40 alunos são transportados de suas casas para os locais de treino, por uma equipe de profissionais especializada.

INSTITUTO ALCOA

NETSHOES

Por meio da parceria com o Instituto Alcoa, a ADD recebeu em 2012, a doação de recursos para a compra de equipamentos esportivos voltados às modalidades de atletismo e ciclismo, os quais estão em utilização nas aulas da ADD Escola de Esporte Adaptado para o biênio 2013/2014.

Parceria por meio do Dia Sem Limites, uma iniciativa da Netshoes que reverte 5% de todas as vendas da empresa (livre de impostos e frete), realizadas no dia 11/10, em doação para a ADD. Os recursos foram utilizados na compra de equipamentos esportivos para os projetos da ADD e parte deles usados nas aulas da ADD Escola de Esporte Adaptado, durante o biênio 2013/2014.

SESC

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO – PINHEIROS A preocupação da gerência de desenvolvimento físico e esportivo do SESC sempre teve papel importante no incentivo e na inserção da pessoa com deficiência, nas atividades de suas diversas unidades. Jogos de exibição de basquetebol em cadeira de rodas, clínicas e a utilização de espaços cedidos em horário específicos, são essenciais para a realização das atividades da ADD. Por isso, em 2010, foi iniciada a parceria com o SESC - Pinheiros para a utilização do ginásio para o treinamento da equipe de basquetebol em cadeira de rodas. Em 2013, as aulas da ADD Escola de Esporte Adaptado também passaram a ser realizadas na unidade Pinheiros, e a atividade, vinculada ao Programa Jovem Esporte Adaptado, promovido pelo SESC. Por meio da parceria, são utilizados uma , um ginásio e a piscina da unidade. Em adição à preocupação do SESC em ceder os espaços, o impacto positivo que a presença de pessoas com deficiência traz para o SESC Pinheiros é fator fundamental para que as necessidades dessa população sejam percebidas por professores e profissionais da unidade.


ADD

Negativo

C 0 / M 15 / Y 100 / B REALIZAÇÃO:

Grayscale WWW.ADD.ORG.BR FACEBOOK.COM/ADDASSOCIACAO (11) 5011-6133

PATROCÍNIO:

Anual add  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you