Page 1

Edição nov/dez 2015

APP Médicos contam com aplicativo para facilitar o seu dia a dia

CENDOR Tratamento multidisciplinar Julio Lustosa neurocirurgião

TMO

a t is

Doação e transplante de medula óssea Reijane Assis hematologista

u q

n o C em

al ori

s Ho

pi

M tal

l pe o d

ita

d cre

re é é

s

o oJ

I

C aJ


EDITORIAL

Diretor-presidente

José Aécio Fernandes Vieira Diretora-executiva

Marília Vieira Diretor médico

João Lampropulos Diretor clínico

Romualdo Almeida Relacionamento Institucional

Iane Maia

Diretora

Michele Cruz (DRT 3147) Editora

Juliana Ângela Repórteres

Priscila Miranda Juliana Ângela Mariane Monteiro

UM REFLEXO do nosso trabalho

N

ossa trajetória é marcada por grandes conquistas. E o Memorial São José tem o orgulho de apresentar um pouco dessa história, através de seus serviços, na nova Memorial News. A publicação, mais leve e moderna, celebra a missão de conduzirmos um modelo de gestão feito através de um rígido controle de metodologias que resultam na qualidade de nosso sistema. A prova disso são os altos padrões conquistados e mantidos pelo hospital, a exemplo da Reacreditação pela Joint Comission International (JCI). Celebramos ainda os 50 anos do Grupo Fernandes Vieira (GFV). De 1965 até hoje, foram anos de trabalho árduo para que nos tornássemos um modelo em qualidade de saúde em Pernambuco e, no Recife, um polo de referência no Nordeste. Nesta edição da Memorial News, falaremos sobre o nosso centro especializado em Transplante de Medula Óssea (TMO), a importância de realizar os exames de triagem neonatal nos bebês, além dos procedimentos cada vez menos invasivos para o tratamento do cálculo renal. Também abordaremos os problemas relacionados aos distúrbios do sono e os avanços na medicina para tratar a dor. A revista é o reflexo do dia a dia de nossa equipe, formada por médicos, profissionais e funcionários que têm como objetivo tratar os pacientes da maneira mais humana possível. Uma boa leitura,

Revisor

Eduardo Sena Diagramação

José Aécio Fernandes Vieira Diretor-presidente

Dupla Comunicação Fotografia

Rodrigo Lobo

www.hospitalmemorial.com.br

•3


tmo

doação pode salvar vidas Entenda como funcionam a doação e o transplante de medula óssea

O

Transplante de Medula Óssea (TMO) pode ser a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e algumas outras doenças do sangue. A chance de encontrar um doador compatível é de um para cada 100 mil pessoas. Apesar de o Brasil ocupar a terceira posição em números absolutos de doadores cadastrados, conforme dados do Bone Marrowdonors World wide (BMDW), rede mundial de doadores de medula, menos de 2% dos brasileiros estão cadastrados como doador. A medula óssea é uma estrutura que fica dentro dos ossos e é responsável pela produção das células do sangue e das células de defesa. Entre as células sanguíneas produzidas na medula óssea, estão os glóbulos brancos, os vermelhos e as plaquetas, substâncias muito importantes para o transporte de oxigênio, hormônios e nutrientes. Se há algum problema na fabricação dessas células na medula, o corpo sofre consequências e a pessoa pode desenvolver leucemia, linfomas, anemias graves ou outras doenças do sangue, como explica a médica Reijane Assis, coordenadora do cen-

4•

tro de transplante de medula óssea do Hospital Memorial São José. Há ainda a produção da célula-tronco, que pode dar origem a todos esses componentes do sangue. A célula-tronco está presente também na medula óssea, no sangue periférico ou até mesmo no sangue que vem do cordão umbilical do bebê. Se há algum defeito nessas células-tronco, o paciente pode desenvolver algumas doenças, como a leucemia, e precisar de um transplante de medula óssea, para “trocar” essa medula com defeito por outra saudável. “Muitas dessas doenças têm no transplante de células-tronco sua única chance de cura. A doação de medula óssea é um procedimento seguro, desde que respeitadas todas as regras de seleção e escolha da melhor forma de doação”, destaca Reijane Assis. Centro de TMO - Além de encontrar um doador compatível, é fundamental para o sucesso do transplante o local em que o procedimento será realizado. O Centro de TMO do Hospital Memorial São José já se consolidou como um dos mais bem conceituados. Além de disponibilizar infraestrutura completa com quatro leitos equipados com sistema de filtragem

Reijane Assis

coordenadora do centro de TMO

A doação de medula óssea é um procedimento seguro e devem ser respeitadas as regras de seleção” de ar e pressão positiva, conta com uma equipe multidisciplinar especializada (médicos, enfermeiras, fisioterapeutas e nutricionistas). A equipe, coordenada pela hematologista Reijane Assis, é composta também pelos hematologistas Marinus Lima e Danielle Padilha, e pela coordenadora de enfermagem Pollyana Monteiro.


exames

tECnOLOGIA a serviço do coração Exames oferecidos pela Maximagem são importantes aliados no diagnóstico de doenças cardiovasculares

D

e acordo com a Organização Mundial da Saúde, as doenças cardiovasculares estão entre as primeiras causas de morte no mundo. O diagnóstico preciso dessas doenças é essencial para um tratamento efetivo. Os métodos diagnósticos em cardiologia vêm evoluindo. “A Ressonância Magnética Cardíaca tem desempenhado um papel fundamental na avaliação da doença coronariana isquêmica e tem sido utilizada para pesquisa de alteração perfusional transitória cardíaca, com alta acurácia, num exame rápido e sem radiação, prática com respaldo em diversas diretrizes clínicas nacionais e internacionais”, afirma a médica radiologista Karina Nóbrega, com ampla formação em diagnóstico por TC e RM e Especialização em Imagem Cardiovascular. Ela destaca a RM Cardíaca na pesquisa de Fibrose Miocárdica: “A RM cardíaca é, atualmente, o melhor método não invasivo (padrão ouro) para detectar áreas de infarto

e fibrose cardíaca através da sequência Realce Tardio e pode demonstrar aumento do espaço extracelular através do Mapa T1. Estes dados têm demonstrado grande relevância na avaliação da gravidade da doença cardíaca e tem relação com arritmias ventriculares e morte.” Além da RM Cardíaca, a Angiotomografia de coronárias também é um importante método diagnóstico, capaz de avaliar as artérias coronárias de forma não invasiva, com destaque no descarte de lesões obstrutivas. A MAXIMAGEM Diagnóstico por Imagem, integrada ao Hospital Memorial São José, oferece esses e outros exames. A mais recente aquisição da instituição é a RM AERA da Siemens, que dispõe de sequências de aquisição rápida, com alta resolução temporal e espacial e software moderno que permite caracterização tecidual excelente, avaliação perfusional 3D, avaliações de fluxo, espectroscopia, difusão e reconstruções tridimensionais, além de cálculos precisos de vo-

Karina Nóbrega médica radiologista

lumes e função ventricular cardíaca. Os avanços tecnológicos utilizados e treinamento continuado da equipe multidisciplinar também otimizam outros tipos de diagnóstico como os exames de articulações, crânio e coluna, próstata e mamas. “O mais novo equipamento de Ressonância Magnética tem abertura mais ampla, o que traz maior conforto para o paciente”.

www.hospitalmemorial.com.br

•5


neonatologia

diagnóstico

precoce Testes em recém-nascidos podem detectar doenças antes do aparecimento de sintomas

D

ar à luz um bebê saudável é talvez a principal preocupação das futuras mamães. Por isso, quando a criança nasce, deve passar pela triagem neonatal. Nessa triagem, são feitos diversos exames para detectar possíveis problemas de saúde antes mesmo do aparecimento dos sintomas. Assim, é possível fazer um diagnóstico precoce e iniciar o mais rápido possível o tratamento de várias patologias, diminuindo ou evitando possíveis sequelas. “Os testes realizados em recémnascidos são de extrema importância para checar ou prevenir doenças que, mais tarde, podem prejudicar o desenvolvimento da criança. Os exames da triagem neonatal ajudam a detectar, precocemente, doenças que não costumam apresentar sintomas imediatos, mas comprometem a saúde já nos primeiros meses de vida”, afirma José Henrique Moura, pediatra neonatologista que atua no Hospital Memorial São José. Dessa forma, o recém-nascido passa por exames obrigatórios e outros que podem ser solicitados pelos pais e feitos em laboratório ou até mesmo na própria maternidade.

6•

José Henrique Moura pediatra neonatologista

Os testes são de extrema importância para checar ou previnir patologias que podem prejudicar o desenvolvimento do recém-nascido”


Veja os principais testes da triagem neonatal: Teste do pezinho

Teste da orelhinha

É o mais conhecido por ser obrigatório em todo o território nacional. É feito em laboratório entre o terceiro e o trigésimo dia de vida, preferencialmente na primeira semana. O teste consiste na retirada de algumas gotas de sangue do bebê para que sejam analisadas e detecta doenças metabólicas, hereditárias e infecciosas, que podem não se manifestar claramente nos primeiros dias. A versão obrigatória do teste do pezinho diagnostica as seguintes doenças: hipotiroidismo congênito, fenilcetonúria, anemia falciforme e fibrose cística. Se os pais quiserem, podem optar por versões ampliadas, oferecidas por laboratórios privados, que pesquisa várias outras doenças metabólicas e infecciosas. O sangue pode ser coletado de outra parte do corpo da criança, não apenas do pé.

Também conhecido como Triagem Auditiva Neonatal, o exame é feito por meio de um aparelho que emite sons de fraca intensidade e recolhe as respostas que a orelha interna do bebê produz. O exame é importante porque, quando a criança com problemas auditivos tem um diagnóstico e intervenção fonoaudiológica até os seis meses de idade, há chance de desenvolver uma linguagem normal.

Teste do olhinho Para detectar patologias oculares, é feito o teste do olhinho. O exame diagnostica doenças como catarata congênita, glaucoma congênito e alguns tipos de neoplasia ocular. Utiliza-se um aparelho que emite luz e produz um reflexo vermelho nos olhos saudáveis, descartando a presença de tumores ou de catarata, por exemplo.

Teste do coraçãozinho Especialistas afirmam que, na maioria das vezes, problemas cardíacos em bebês só são diagnosticados após o aparecimento de sintomas como respiração ofegante e pele roxa. Por isso, é importante fazer a Oximetria de Pulso, mais conhecida como teste do coraçãozinho, em até 48 horas depois do nascimento. “Os sintomas de doenças cardíacas podem aparecer uma semana depois do nascimento, por isso é preciso fazer o teste para diagnosticar essas doenças ainda na maternidade. O teste do coraçãozinho identifica cardiopatias graves que colocam em risco a vida do bebê”, alerta José Henrique Moura. Em 2014, o Ministério da Saúde determinou o teste do coraçãozinho, como mais um obrigatório na triagem neonatal da rede pública. O Hospital Memorial São José é uma das instituições pioneiras em que esse teste é realizado.

www.hospitalmemorial.com.br

•7


oncologia

saídas para evitar o câncer Hábitos saudáveis contribuem para diminuição nos riscos do desenvolvimento da doença

O

sucesso para evitar o câncer depende, além da detecção precoce, da mudança de hábitos das pessoas, que precisam atentar para os fatores mais causais da doença. A oncologista Candice Lima, que pertence ao Núcleo Especializado em Oncologia e Hematologia do Memorial São José, elenca os principais fatores que a medicina associa ao surgimento do câncer. “Através de pesquisas e estudos, temos acumulado muita informação de que as pessoas que fazem atividaum equilíbrio é fundamental para dide física têm menos doenças, incluminuir riscos. “O que a comunidade sive câncer. Há o relato da OMS que científica já sabe é que o excesso de se todo mundo no planeta praticasgordura e fritura é ruim, além de cose exercícios físicos, a incidência de midas muito salgadas e defumadas. câncer diminuiria em Excesso de bebida al30%.” O recomendacoólica também. E a do pela Organização Se todos praticassem nossa recomendação Mundial de Saúde é sempre é não fumar.” exercícios físicos, a que as pessoas realiO câncer de colo de zem pelo menos 150 incicência do câncer útero é uma das enminutos semanais, o fermidades que mais diminuiria em 30% que equivale a 30 mimata mulheres no nutos por cinco dias. Brasil. O papilomavíno mundo Outro fator que aurus humano (HPV) é o menta as chances de principal agente desse se desenvolver um câncer são o tacâncer, e pode ser combatido com bagismo e os excessos do álcool e da uma simples vacina, que precisa ser alimentação no organismo. Encontrar dada a meninas e meninos. “Os pais

8•

Oncologista Candice Lima reforça que encontrar um equilíbrio é importante para diminuir riscos

precisam aderir à campanha de vacinação do Ministério da Saúde e vacinar seus filhos”, recomenda a médica. Humanização no tratamento No Memorial São José, os pacientes da NEOH dispõem de um tratamento multidisciplinar. Especialistas acompanham o paciente de forma integrada, aliando o combate ao câncer com medidas que amenizem sofrimentos e o ajudem na recuperação. “A oncologia não pode ser isolada. Temos uma equipe grande formada por oncologistas, cirurgiões. enfermeiros, farmacêuticos, psicólogos e nutricionistas, todos atuando para que o tratamento seja completo e o paciente seja bem atendido”, conclui Candice.


Os sete passos para prevenir o câncer: Não fume Estatísticas do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam que o tabagismo é a principal causa de câncer evitável no mundo. Além de prejudicar a saúde do fumante, a fumaça do cigarro traz consequências também para quem estar ao redor dele. Cerca de 90% dos casos de câncer de pulmão tem o cigarro como responsável - os outros 10% são decorrentes do fumo passivo. O tabagismo ainda é o culpado por 30% da ocorrência de outros tipos de câncer, como boca, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero e leucemia.

Faça check-up regularmente É fundamental estar atento ao próprio corpo, sendo mais fácil notar o surgimento de algum caroço estranho, uma íngua, mancha na pele ou outro sinal. A visita regular a um médico para cuidar da saúde reduz os riscos de descobrir o câncer tardiamente. É importante realizar todos os exames de diagnóstico precoce indicados pelo seu médico.

Use camisinha O papiloma vírus humano (HPV) é uma doença sexualmente transmissível causadora de alguns tipos de câncer, como o do colo do útero, vulva, pênis e orofaringe (garganta). Por isso, a importância de praticar sexo seguro e sempre com o uso da camisinha - até mesmo para o sexo oral. O sexo seguro também evita os vírus da hepatite B (para a qual há vacina) e da hepatite C, ambos com potencial para levar ao câncer de fígado. O uso da camisinha, além de reduzir as chances de cânceres no sistema reprodutor e orofaringe, também pode proteger seu fígado. A hepatite B também é sexualmente transmissível e pode levar à cirrose e evoluir para um câncer do fígado. Já no caso da hepatite C, o contágio costuma acontecer por contato sanguíneo, mas ela é igualmente um fator de risco a esse tipo de câncer.

Evite o excesso alimentar O açúcar não tem relação direta com os diversos tipos de câncer, porém, quando consumido em excesso, faz o organismo liberar muita insulina para metabolizá-lo, o que aumenta a produção da substância citocina pró-inflamatória, relacionada ao desenvolvimento do câncer. A gordura de carnes vermelhas também pode ser prejudicial à saúde, já que a presença do ácido araquidônico pode ser responsável por estimular a produção das citocinas pró-inflamatórias. Já alimentos processados, como enlatados e embutidos, são ricos em uma substância cancerígena chamada nitrosamina. É importante que esse tipo de alimento seja evitado ao máximo, assim como fast foods que, em geral, são ricos em processados.

Proteja-se do sol Use filtro solar diariamente e evite a exposição entre 10h e 16h, período de maior incidência dos raios UVA e UVB, responsáveis pelas alterações celulares que levam ao câncer de pele. Opte também pelo uso de chapéus, bonés e óculos escuros.

Pratique exercícios físicos A prática regular de atividades físicas promove um bem geral ao organismo e também protege contra o câncer. Em especial de exercícios aeróbicos, que diminuem a circulação das citocinas pró-inflamatórias.

Não abuse de bebidas alcoólicas O consumo em excesso do álcool aumenta a chance de desenvolvimento de tumores no intestino, esôfago e fígado, além de potencializar os efeitos do tabaco. Por causa da bebida, o risco de um tumor localizado nos órgãos afetados pelo fumo é muito maior. www.hospitalmemorial.com.br

•9


reacreditação

excelência nos serviços prestados Hospital Memorial São José comemora Reacreditação pela JCI

U

m trabalho diário, criterioso e que segue à risca as mais diversas normas internacionais merece ser reconhecido. E assim aconteceu com o Hospital Memorial São José, excelência nos padrões de atendimento aos seus pacientes, certificado com a Acreditação Hospitalar pela Joint Comission International (JCI), a mais importante do segmento no mundo. O primeiro título recebido pelo Memorial foi em 2012, sendo pioneiro no Norte e Nordeste. Agora, três anos após, o hospital tem o orgulho de continuar mantendo a excelência e conseguir a Recertificação. “Isso é o resultado do engajamento de todos os funcionários, da equipe médica e da diretoria do Hospital”, afirma o médico José Aécio Fernandes Vieira, diretor-presidente do Hospital. A busca pelo primeiro título começou em 2008, quando o Memorial São José deu início ao processo de Acreditação e implantou mais de 300 projetos para atender aos cerca de 1,4 mil itens de qualidade requisitados pelo Manual da JCI. A cada nova etapa, fo-

10 •

ram realizadas auditorias internas por consultores do Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) – que representa a certificadora norte-americana –, para validar a correta aplicação das novas práticas até a avaliação final. “A Reacreditação é um alerta para que estejamos sempre em constante observação de tudo. Nunca podemos

pensar que estamos seguros, temos que buscar, a todo momento, a segurança do paciente”, afirma o diretor médico João Lampropulos. Na Avaliação Trienal de Reacreditação, Vanessa Oliveira, do Planejamento e Gestão do Memorial, explica que o manual a ser seguido passa por revisões a cada três anos. “Isso signi-


fica que, a cada auditoria, seremos avaliados numa versão diferente do Manual. Quando fomos acreditados em 2012, a versão do Manual era 4. Agora, em 2015, fomos avaliados pela versão 5”, afirma. Esse formato assegura a melhoria contínua dos processos, e a versão atual do manual trouxe padrões mais desafiadores, com resultados alcançáveis e centrados em segurança e qualidade dos cuidados aos pacientes. “O HMSJ vem realizando inúmeras ações, sempre de forma pioneira e com foco constante na melhoria de seus serviços. O Selo da JCI veio coroar o reconhecimento internacional dos serviços prestados, representando o compromisso de todos, sejam pacientes ou familiares, colaboradores, e da sociedade de um modo geral”, acredita Vanessa. No dia a dia, ao cumprir com as nossas políticas e documentos normativos institucionais, nós garantimos que a prestação de cuidados aos nossos pacientes seja conduzida com qualidade e de forma segura”, avalia Vanessa Oliveira. Ela reafirma que o

João Lampropulos

diretor médico

aperfeiçoamento profissional é a fonte vital para a evolução dos processos e a promoção da segurança, eficiência e qualidade assistencial. “Temos uma estrutura de treinamentos internos, externos, participação em congressos, parcerias com Instituições de graduação e pós-graduação, além do Serviço de Educação Continuada que promove o desenvolvimento e a qualificação dos profissionais assistenciais continuamente”, diz. O Hospital tem o orgulho de cons-

A Reacreditação é um alerta para que estejamos sempre em constante observação de tudo. Temos que buscar, a todo momento, a segurança do paciente” truir um modelo de relacionamento sustentável com os pacientes, familiares, médicos, fornecedores e fontes pagadoras, conhecendo profundamente o negócio e buscando uma metodologia de gestão que garanta o melhor resultado. “Tudo isso sem perder o foco permanente no desenvolvimento da liderança e retenção de talentos, pois o envolvimento e o amadurecimento dos gestores, somada a sua capacidade de transferir conhecimento e desenvolver as equipes, é também um fator de sucesso para introspecção da cultura de segurança e perenidade do modelo, bem como para melhoria contínua dos processos”, conclui Vanessa. www.hospitalmemorial.com.br

• 11


cuidados

alerta para a saúde vocal

Alguns hábitos podem causar problemas como rouquidão e afonia

S

om produzido através da vibração das pregas vocais, mais conhecidas por cordas vocais, a voz é um dos mais importantes meios de comunicação entre as pessoas. Ela é o instrumento de trabalho de muitos profissionais. Evitar o tabagismo e falar alto são alguns dos cuidados que as pessoas devem atentar para prevenir problemas vocais. O descaso com a saúde da voz pode tornar uma pessoa afônica.

Quando os primeiros sintomas, como a rouquidão, por exemplo, permanecem por mais de duas semanas, é importante procurar um especialista e solicitar exames mais detalhados. “Nódulos (calos nas cordas vocais), rouquidão, refluxo faringo-laríngeo, edemas nas pregas e pólipos são alguns dos principais problemas apresentados pelos pacientes”, explica o laringologista Jorge Pinho, do Hospital Memorial São José. Através da vídeo-laringo-estro-

Laringologista Jorge Pinho explica que, através da vídeo-laringo-estroboscopia digital, os problemas nas cordas vocais são identificados

12 •

boscopia digital computadorizada, os problemas nas cordas vocais são identificados e, em seguida, o paciente é direcionado ao tratamento efetivo, podendo ser cirúrgico ou não. “O exame é um procedimento padrão para descobrir os problemas apresentados pelos pacientes”, afirma o médico. Alguns profissionais, por usarem muito a voz, como professores, apresentam maiores chances de desenvolverem sintomas. Medidas simples, como evitar ambientes barulhentos ou competitivos, a exemplo de shoppings e feiras, onde se faz necessário falar mais alto que o normal, são alternativas pra prevenir problemas. “É preciso sempre manter a hidratação da área, bebendo muita água ao longo do dia, e evitar pigarrear”, sinaliza Pinho. Além do próprio uso excessivo da voz, procedimentos cirúrgicos também podem afetar as pregas vocais. Cirurgias neurológicas, na coluna, no pescoço e na tireoide apresentam chances de impactar a região. O laringologista esclarece que já existem medidas preventivas durante essas operações. “A monitorização intraoperatória do nervo laríngeo inferior, que comanda as pregas vocais, também é uma das formas de acompanhar os procedimentos.”


festa

comemoração

em dobro

A

legria e descontração marcaram a celebração dos 26 anos do Hospital Memorial São José. A festa, realizada no Arcádia Boa Viagem, também comemorou a conquista da reacreditação pela Joint Commission International (JCI), maior certificadora mundial dos padrões de atendimento ao paciente. O presidente do Memorial, José Aécio Fernandes Vieira, e a diretora -executiva, Marília Fernandes Vieira, receberam funcionários, médicos e colaboradores para um almoço dançante e animado, ao som das bandas Anabela, Sedutora e Eva. A decoração da casa ficou por conta de Fabiano Reis, com doces da Pavlova, bolo de Lucinha Cascão e bufê Arcádia. A banda que abriu a festa foi Anabela, comandada pelo repórter Ronan Tardin, executando sucessos do pop rock. A segunda banda a subir ao palco foi Sedutora, com seus quatro vocalistas que animaram todos ao som de “Bateu a Química” e “No Dia do Seu Casamento”. Atração das mais aguardadas, a banda Eva levantou os presentes com os clássicos do axé. O vocalista do grupo baiano, Felipe Pezzoni, agradeceu a participação pelo segundo ano consecutivo na festa.

Festa aconteceu no Arcádia Boa Viagem. O médico e presidente do Memorial, José Aécio Fernandes Vieira, e a diretora-executiva Marília Fernandes Vieira receberam os convidados para a celebração

www.hospitalmemorial.com.br

• 13


festa

Iane Maia, Thiago Figlioulo, Marília Vieira e a médica Sylvia Lemos

José Aécio Fernandes Vieira com o cirurgião médico Marconi Meira

Os médicos Felipe Vieira, Gerson Brasil, Josué Santos, Marcos Vinícius, Romualdo Almeida e Tibério Moreno Jr em encontro descontraído

Kassandra Figlioulo, Marília Fernandes Vieira, José Aécio Fernandes Vieira, Kaline Brayner e Estefanie da Costa

14 •

Os médicos Reijane Assis, Carlos Del Monaco, Romualdo Almeida e Humberto Nascimento


O vocalista Felipe Pezzoni, da Banda Eva, animou os convidados da festa ao som dos clássicos do axé e encerrou o evento com chave de ouro

A banda Anabela, da qual o advogado do Grupo Fernandes Vieira, Wagner Viegas, faz parte, foi a primeira apresentação da festa

As vocalistas da Sedutora agitaram o público com o brega melody

Os médicos Cláudia Vaz, Tibério Moreno, Dirceu Oliveira, Romualdo Almeida, Carlos Augusto e Luiz Alberto Leite prestigiaram o evento

O gerente da Sulamerica Jaime Coelho, diretor-médico João Lampropulos e o diretor do Banco de Sangue Carlos Del Monaco

www.hospitalmemorial.com.br

• 15


mobile

facilidade na palma da mão Em parceria com a Safari, Memorial São José desenvolveu aplicativo para smartphones exclusivo para os médicos

F

acilitar o dia a dia dos profissionais do Hospital Memorial São José. Esse foi o objetivo da criação do aplicativo exclusivo da instituição, em parceria com Safari Agência Digital. O app traz informações práticas para os profissionais, como protocolos clínicos, tabelas de códigos e siglas médicas. Durante a festa de aniversário do hospital, o diretor-médico João Lampropulos e a gerente médica Erica Sousa anunciaram o lançamento do aplicativo, disponível para iOS e Android. “Nós queremos que os médicos possam se afinar e ficar mais próximos da comunicação com o Memorial. Isso é o início de um grande projeto”, afirmou Erica Sousa. “A nossa preocupação é com você, que veste a nossa camisa. É com esse espírito que desejamos que todos aproveitem o aplicativo”, disse Lampropulos. Jorge Gaudêncio, da Safari Agência Digital, explica que o processo de desenvolvimento e testes do projeto demoraram cerca de um mês. “Já tivemos 82 downloads para aparelhos com sistema iOS e 20 para Android, lembrando que o app é apenas para os médicos da casa”, afirmou. O pró-

16 •

O app traz informações práticas para os profissionais, como protocolos clínicos, tabelas de códigos e siglas médicas. ximo passo é continuar atualizando o aplicativo com novas funcionalidades, buscando sempre a melhora do desempenho da tecnologia.

Aplicativo está disponível gratuitamente nas lojas do Play Store e Apple Store


urologia

Cálculo renal com menos desconforto Atendimento emergencial e tratamento eficaz reduzem o sofrimento do paciente com “pedras” nos rins

C

onsiderada uma das maiores dores que o ser humano pode sofrer, a cólica renal ocasionada por cálculos (pedras nos rins) já foi sinônimo de um tratamento difícil e doloroso. O urologista do HMSJ, Tibério Moreno Jr. conta que os pacientes eram obrigados a esperar um longo tempo para o cálculo ser eliminado espontaneamente ou, nos casos mais complicados, eram submetidos a cirurgias com grandes incisões. “Tais cirurgias acarretavam o afastamento dos pacientes de suas atividades normais por um longo período, além da intensa dor pós-operatória e do resultado estético muito ruim”, afirma o médico. O tratamento mudou, sendo, hoje em dia, muito rara a necessidade de operar o paciente pela via aberta convencional. No HMSJ, a equipe de urologia realiza esse novo procedimento. “Todas as cirurgias minimamente invasivas e mais modernas que existem, nós fazemos no Memorial”, afirma. Hoje, os cálculos são tratados por procedimentos chamados endourológicos ou através de fragmentação externa por ondas de choque (lito-

tripsia extracorpórea). “Tratamento endourológico é a forma de tratar os cálculos por dentro das vias urinárias, não sendo necessárias a incisão da pele ou pelo menos, incisões com menos de 1 centímetro”, explica. Já está bem padronizado na literatura mundial que cálculos nos rins devem ser tratados por litotripsia extracorpórea. Caso o cálculo tenha mais de 2 cm, o tratamento escolhido é a cirurgia renal percutânea, realizada com uma incisão de 1 cm nas costas do paciente. Através desse procedimento, é introduzido um aparelho chamado nefroscópio, que irá permitir visualizar o cálculo e quebrá-lo com um dispositivo chamado litotridor intracorpóreo e posterior retirada dos fragmentos. Para os localizados no uréter médio e inferior, o tratamento é a ureteroscopia, que consiste na introdução de um aparelho fino e longo através da uretra, bexiga e uréter. O cálculo é visualizado diretamente e fragmentado com um aparelho que funciona como uma britadeira ou o Laser. Os fragmentos são retirados com uma cesta e, caso necessário, é colocado um catéter para drenar o rim.

Tibério Moreno Jr.

urologista

Tratamento endourológico é a forma de tratar os cálculos por dentro das vias urinárias, não sendo necessárias a incisão da pele” “Hoje, é possível resolver o problema do paciente da maneira mais rápida, indolor, com excelente resultado estético, alta hospitalar precoce e permitindo o retorno do paciente às atividades habituais o mais breve possível. Hoje, só sofre por longo tempo quem quer”, acredita o médico.

www.hospitalmemorial.com.br

• 17


NEUROLOGIA

Tratar a dor com eficácia Medicina tem avançado para diminuir e até bloquear sintomas de sofrimento nos pacientes

H

ipócrates dizia que “aliviar a dor é uma obra divina”. O filósofo grego morreu por volta de 370 a. C., e o interesse pelo tratamento da dor continuou através dos séculos. Mas, nas últimas décadas, com os avanços generosos da medicina e da ciência, o homem descobriu novos mecanismos e tratamentos que têm funcionado no combate à dor. O médico Julio Lustosa, neurologista funcional do HMSJ e especialista em dor, explica que remédios que eram indicados apenas em casos cirúrgicos, hoje são ministrados com novas formas de aplicação. “Medicações antes utilizadas apenas para anestesiar o paciente, em blocos cirúrgicos e salas de cirurgia, hoje podem ser utilizadas em casa. Há também o tratamento homeopático, com eficácia grande e pouco efeito adverso. Até fazer com que o paciente controle a própria analgesia no pós-operatório a gente já consegue hoje em dia”, explica. O especialista também reforça

18 •

que tratamentos que auxiliam no bloqueio à dor estão mais desenvolvidos. “A neuromodulação torna, por exemplo, um procedimento no qual modificamos o funcionamento do sistema nervoso, na condução e interpretação da dor, sem causar nenhuma lesão, sem ter nenhuma sequela pro paciente e sem ter de ser completamente reversível, em casos em que a doença de base do paciente é intratável”, diz.

Julio Lustosa

neurologista funcional

Doenças degenerativas, artroses, o câncer, entre outras, são evidentemente condições dolorosas, que farão com que o paciente necessite de melhor tratamento da dor”

DORES CRÔNICAS - A dor crônica é um sintoma de alguma doença que o paciente possui e apresenta um padrão de transformação na vida dele, em que a dor é causada por uma doença que precisa ser tratada. “O que acontece é que no mundo, de uma forma geral, inclusive nos países em desenvolvimento, a população tem melhorado a qualidade de vida e tem envelhecido mais, mas surge um maior número de doenças típicas da terceira idade. Doenças degenerativas, artroses, o câncer, entre outras, são evidentemente condições dolorosas, que farão com que esse


A equipe do Cendor é formada pelos neurologistas Julio Lustosa, Cristina Heinrich e Hélio Pinheiro. paciente necessite de melhor tratamento. A medicina moderna já consegue que pacientes morram menos, porém muitos convivem com seque-

las dolorosas”, exemplifica Lustosa. Tratamento especializado - O CenDOR é uma inovação do Hospi-

tal Memorial São José para o tratamento especializado da dor de uma forma multidisciplinar. A equipe é responsável pelo acompanhamento e tratamento dos pacientes internados, através de um controle da dor feito com medicações analgésicas, orientações à enfermagem e fisioterapia e procedimentos invasivos quando necessários. A equipe conta também com um centro ambulatorial situado anexo à emergência do Hospital Memorial São José, destinado ao atendimento de pacientes com dores crônicas de todas as etiologias. No local, são realizadas consultas médicas e procedimentos cirúrgicos de pequeno porte. O neurologista funcional Julio Lustosa comanda o CenDOR, que conta ainda com a médica Cristina Heinrich, também neurocirurgiã e especialista em dor, o médico Hélio Pinheiro, clínico, acupunturista e especialista em dor, e Juliana Sant’Ana, enfermeira com atenção ao tratamento da dor. www.hospitalmemorial.com.br

• 19


EM CLARO

os malefícios de uma noite mal dormida O cardiologista Rodrigo Pedrosa explica os distúrbios mais comuns

O

sono é dividido em cinco estágios, e cada um deles é responsável por uma atividade. Ter alguma dificuldade relacionada a essas etapas pode causar prejuízos, quando não tratados, a curto e longo prazo para a saúde. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 40% da população mundial sofre com distúrbios do sono. A insônia e a apneia são os problemas mais comuns. Cerca de 30% da população adulta do Brasil sofre de

apneia obstrutiva do sono, enquanto 15% de insônia. Causando cansaço, irritabilidade, falta de energia e concentração, a insônia é a dificuldade que a pessoa tem em iniciar ou manter o sono, podendo prejudicar o funcionamento de corpo e mente durante o dia. Já a apneia é caracterizada por repetidas interrupções de respiração durante o sono, causando o ronco. De acordo com o cardiologista e especialista em medicina do Sono do HMSJ, o cardiologista Rodrigo Pedrosa, a falta de hábitos saudáveis afeta nosso descanso. “As doen-

Rodrigo Pedrosa

cardiologista

As doenças cardiovasculares e a obesidade podem estar associadas a esses distúrbios” ças cardiovasculares e a obesidade podem estar diretamente associadas aos distúrbios.” Homens acima do peso e mulheres por volta dos 50 anos que apresentam uma transição no quadro hormonal são as classes que prevalecem no quadro de distúrbios do sono. O Hospital Memorial São José conta com a clínica MCor (Memorial Coração) especializada em cardiologia. Entre os serviços oferecidos pelo espaço, está o exame de polissonografia, realizado com os pacientes para o diagnóstico da apneia do sono.

20 •


DE FOLGA

tacadas de

mestre O médico Marconi Meira fala de sua paixão pelo esporte que pratica há mais de 10 anos

F

oi por acaso que o golfe entrou na vida do médico Marconi Meira, chefe de cirurgia do Hospital Memorial São José. Em uma viagem aos Estados Unidos, há mais de 10 anos, o médico entrou em uma loja especializada e recordou-se imediatamente do gosto por filmes em que executivos, de gravata e paletó, jogavam o esporte em gramas artificiais dentro do escritório. “Achei muito interessante e comprei a grama, os primeiros tacos e as bolas”, recorda o cirurgião. Na volta ao Recife, um amigo o convidou ao Caxangá

Golf Club e, a partir de então, ele não parou mais de jogar. O golfe despertou no médico a vontade de estar sempre em grupo, seja jogando uma partida – que pode durar mais de três ou quatro horas – ou colocando a conversa em dia com pessoas que nem sempre fazem parte do seu círculo natural de convivência. “É um esporte agregador. Permite-nos uma troca de experiências e me dá a oportunidade de encontrar gente bem diferente do meu cotidiano”, afirma. Com esses amigos, o papo muitas vezes sai do campo de golfe e vai parar em confraterniza-

ções, festas e encontros que o grupo realiza para manter sempre o contato. “Fazemos até torneios comemorativos, de acordo com a data festiva, como carnaval, 7 de Setembro, Natal. Faz parte da nossa brincadeira.” O gosto pela atividade parece viciante para Marconi. A vontade de jogar é tanta que, mesmo fora do Recife, ele arranja um tempinho entre congressos e cursos para praticar mais. Já jogou partidas em Fortaleza, São Paulo, Brasília e até na França. “Hoje, quando eu viajo para qualquer lugar, procuro saber antes se na cidade ou mesmo no hotel em que irei me hospedar existe um campo de golfe. Como a gente trabalha muito e o tempo é curto, o golfe se torna quase como uma terapia, um momento de lazer. É preciso esquecer completamente da vida fora do gramado e focar no jogo”, acredita.

Marconi Meira

chefe de cirurgia geral

Golfe é um esporte agregador. Me dá oportunidade de encontrar gente bem diferente do meu cotidiano” www.hospitalmemorial.com.br

• 21


NOTAS

homenagem da alepe O Hospital Memorial São José recebeu um voto de aplauso da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) pela conquista da nova acreditação pela Joint Commission International (JCI), considerada o mais elevado padrão no atendimento médico global, identificando, medindo e compartilhando as melhores práticas de qualidade segurança do paciente. A proposta foi de autoria do deputado Ricardo Costa (PMDB).

ESTACIONAMENTO aÇÃO SOCIAL O Instituto Constelação, que possui apoio do Hospital Memorial, está realizando as ações do ano letivo a todo vapor. Com mais uma nova turma, o projeto auxilia crianças em situação de extrema miséria, proporcionando educação, saúde e esportes em um modelo de auxílio que pretende formar cidadãos capacitados

22 •

O diretor-presidente José Aécio Fernandes Vieira continua investindo na ampliação do Memorial São José. O médico adquiriu um terreno anexo ao hospital, disponibilizando 250 novas vagas de estacionamento para profissionais, pacientes e acompanhantes utilizarem. A ampliação no HMSJ é mais um benefício para todos, que podem desfrutar de conforto e segurança ao estacionarem o veículo no local.


SEMPRE DE OLHO

NA INOVAÇÃO CIRURGIA DE CATARATA A LASER

CIRURGIA DE CATARATA O Memorial Oftalmo foi uma das primeiras clínicas brasileiras a possuir o Centurion em 2014, aparelho de facoemulsificação de última geração.

CIRURGIA REFRATIVA

ÚLTIMO AVANÇO NA CIRURGIA DE CATARATA O sistema guiado por imagem Verion é projetado para adicionar uma maior precisão e eficiência durante o planejamento e a execução de cirurgias. Responsável técnico: Dr. Fábio Casanova CRM-PE 12.186


Memorial News  
Memorial News  
Advertisement