Page 1

EMOÇÃO EM PROJETOS DE DESIGN PARA A WEB Eduardo Loureiro Pós-graduação em Design de Interação IEC – PUC Minas: Instituto de Educação Continuada E-mail: contato@eduardoloureiro.com

Resumo Este artigo apresenta os conceitos sobre a emoção humana, estudados por Donald Norman e faz uma ligação entre suas abordagens e o desenvolvimento de projetos de design para a web. Buscou-se mostrar de que forma os web sites despertam a emoção das pessoas que os usam. Este trabalho foi concebido para a disciplina Tópicos Especiais 2, do curso de Pósgraduação em Design de Interação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Palavras-chave: emoção, design, web, emotional design.

A adoção dos conceitos criados por Norman (2004), a cerca da emoção humana, para projetos de design, pode ser um diferencial importante para se criar produtos que provoquem emoções positivas das pessoas, o que pode garantir seu sucesso comercial. Embora seja um artefato de características distintas, um web site carrega, da mesma forma como um artefato físico, todo um potencial para despertar emoções nas pessoas. Portanto pensar nos conceitos ligados a emoção, estudados por Norman (2004), durante o processo de desenvolvimento projetos online pode trazer um diferencial importante de competição, em um ambiente como a web, onde as alternativas são tão numerosas.

Abstract

2. Estética na web

This article presents the concepts of human emotion, studied by Donald Norman and makes a connection between their approaches and development of projects of design for the web. The aim was to show how the web sites attract the emotion of the people who use them. This study was designed to discipline Special Topics 2 of the post-graduation course of Interaction Design of Pontifical University Catholic of Minas Gerais.

O design possui duas facetas essenciais que acabam por delinear o fruto do seu trabalho: forma e função. Por forma, entendem-se as qualidades estéticas e simbólicas que os artefatos devem possuir e por função as suas qualidades funcionais, ou seja, de uso. Esses dois fatores devem estar devidamente alinhados, em outras palavras, o bom (função) deve ser aliado ao bonito (forma), como afirmam Lida e Mühlenberg (2006). Contudo, o pendulo entre forma e função tende a variar a importância entre um e outro, de acordo com circunstancias especificas como tecnologia, mercado, moda e classes sociais (Lida e Mühlenberg, 2006).

Key-words: emotional, design, web, emotional design.

1. Introdução A emoção humana foi motivo de estudo para algumas correntes científicas no século XX, como a Teoria da Atividade e a Psicologia Cognitiva. A Teoria da Atividade foi um ramo de pesquisa oriunda da psicologia russa que procurava estudar o desenvolvimento dos indivíduos a partir do seu relacionamento social (Santos, 2000). A Psicologia Cognitiva foi um ramo da psicologia que buscou estudar os processos mentais internos causadores do comportamento humano. Os estudos sobre a emoção a partir do ponto de vista da Psicologia Cognitiva foi mais utilizada junto às pesquisas em design, principalmente devido aos estudos de Donald Norman, que acabaram se unindo a própria história da interação homem-computador, desde o começo dos anos 80.

Na web, a função assume importância fundamental, pois os web sites são essencialmente interfaces interativas, onde perpassam conteúdos e serviços. O que os difere profundamente da lógica de produtos físicos, que podem ser manipulados, tocados e sentidos pelas pessoas. Ou seja, os web sites, assim como os sistemas computacionais, são apenas formas de exposição de determinados conteúdos ou serviços específicos. Mas, ainda que a forma dos web sites não seja passível de manipulação direta pelos usuários, ela apresenta características estéticas como cores, gráficos e formas geométricas e por isso os web sites também estão sujeitos a juízes de gosto pelos usuários. Dessa forma, a comunicação visual na web é importante para a questão da diferenciação estética e atribuição de valores simbólicos, que tem como base o contexto social e cultural dos usuários alvo dos web sites. Essa característica pode ser fator preponderante para a escolha dos usuários por usar um ou outro web site para atender aos seus objetivos. É por isso que a comunicação visual tem lugar reservado no processo de desenvolvimento de projetos online.

1


3. O design emocional Os estudos sobre a emoção humana tem se mostrado cada vez mais importantes para os projetos de design com as pesquisas de autores como Donald Norman, António Damásio e Mihaly Csikszentmihalyi (Menezes, 2007). A atenção com a emoção no processo de desenvolvimento de projetos de design pode resultar em produtos que podem envolver emocionalmente as pessoas. Levar em conta a emoção no design pode ser um fator decisivo para o sucesso dos produtos criados, pois ela tem grande importância no processo de tomada de decisão das pessoas (Lida e Mühlenberg, 2006). Segundo Norman (2004), as emoções humanas são referências para o comportamento humano. Cybis et al. (2007), cita duas questões que estão sempre presentes nas definições sobre a emoção: emoção é uma reação a determinados acontecimentos de acordo com objetivos e necessidades; e a emoção compreende aspectos fisiológicos, afetivos, comportamentais e cognitivos. Existem dois tipos de emoções, as primárias e as secundárias. As emoções primárias como medo, raiva e alegria são inatas, enquanto as emoções secundárias como a culpa, solidão e angústia são socialmente construídas e resultados da cultura. Norman (2004) propõe três níveis de processamento da mente humana em que as experiências são interpretadas: o nível visceral, o nível comportamental e o nível reflexivo. O nível visceral está relacionado à percepção imediata da aparência ou estética, pois é causado por processos automáticos do cérebro humano. O nível comportamental está relacionado ao uso e aos prazeres que podem ser provocados a partir da utilização de determinado artefato. E o nível reflexivo é fruto da subjetividade do indivíduo sobre o artefato e está sujeito a relação com a cultura e a sociedade, pois tem relação com o significado do artefato.

4. Os três níveis de processamento em relação à web Os três níveis propostos por Norman podem ser muito importantes quando contemplados durante o processo de desenvolvimento de qualquer produto, físico ou não, incluindo um web site. O nível visceral é responsável pelas reações instintivas dos humanos diante dos aspectos e características físicas e formais dos artefatos. Dessa forma, dentro do contexto virtual dos web sites, que não tem existência física e por isso não podem ser tocados ou cheirados, a percepção visual assume um fator preponderante. Portanto, assume grande importância a criação de uma comunicação visual que seja devidamente embasada em aspectos relacionados a percepção visual humana. Nesse ponto, os estudos e pesquisas sobre a psicologia da percepção visual da escola Gestalt, contribuem de forma efetiva para a construção de uma experiência estética consistente e adequada (Gomes, 2004). As questões pesquisadas e sistematizadas pela Gestalt

sobre a pregnância da forma e sobre as leis da Gestalt como harmonia, equilíbrio e contraste, devem necessariamente levadas em consideração para que os usuários tenham uma boa experiência estética com o web site. Essa etapa pode ser decisiva para o sucesso de um projeto online, pois pode contribuir significativamente para a permanência do usuário no web site, já que o impacto visual é a sua primeira relação de contato. O nível comportamental também assume grande importância para o desenvolvimento web, pois está ligado a experiência de uso. Web sites são artefatos interativos e o fato de serem usados pelas pessoas é uma característica que muitas vezes pode se sobrepor as suas características visuais. Principalmente nos dias de hoje onde houve uma mudança de paradigma e a web passou a ser um meio para a extensão e criação de serviços que atendam as necessidades das pessoas ou mesmo facilitem suas vidas de alguma forma. Ou seja, o apelo visual não é necessariamente levado em conta em web sites que não tem um fim em si, e são um meio de acesso para serviços de quaisquer espécies que interessam de alguma forma os usuários. Nesse contexto, a experiência de uso sofre grande influência da usabilidade da interface do web site. E para a criação de artefatos que tenham uma boa usabilidade é necessário que o desenvolvimento seja voltado para os usuários que irão utilizar esses artefatos (design centrado no usuário). A aplicação de metodologias voltadas para a usabilidade em projetos de desenvolvimento de web sites consiste necessariamente em manter o foco no usuário, trazendo-o para o processo de criação. Norman (1988) defende em seus estudos a metodologia de design centrado no usuário, como solução para os problemas de usabilidade. Preece, Rogers e Sharp (2002) citam as características chave da metodologia de desenvolvimento centrado no usuário, criadas por Gould e Lewis: • • • •

Entender quem são os usuários, estudando todas as suas características. Validar junto a esses usuários toda a criação desde o principio do desenvolvimento. Desempenho do usuário (forma de interação levando em conta a facilidade de uso); Quando erros são encontrados nas validações os ajustes necessários são feitos para mais testes, gerando o ciclo “design, teste, avaliação e re-design”.

Enquanto o nível visceral e o comportamental ocorrem no tempo presente em que os artefatos são percebidos visualmente ou manipulados e usados, o nível reflexivo ocorre em um tempo duradouro e por isso é nele em que o relacionamento entre o usuário e o web site pode ser construído. É nesse nível em que as pessoas refletem sobe o artefato podendo levar em conta experiências passadas, interesses pessoais, coerções

2


sociais e características culturais. Por isso, é nesse momento em que a relação do usuário com a marca pode ter apelo significativo. No caso de web sites, ações que dão suporte ao meio online, como o serviço de entregas de um portal de e-commerce, por exemplo, podem ser preponderantes para uma experiência positiva ou negativa, no nível reflexivo dos usuários. Dessa forma, é no nível reflexivo que são processados os sentimentos resultantes da impressão geral dos usuários sobre os web sites. O nível reflexivo também tem a capacidade de interferir nos demais níveis. Um ótimo exemplo são os portais de relacionamento como o Orkut. Quando o Orkut sofreu um crescimento em termos mundiais e atraiu milhões de usuários, sua interface tinha uma comunicação visual pobre, além de ter uma má usabilidade, o que gerava uma experiência de uso negativa nos usuários. Ou seja, o Orkut tinha problemas de projeto de acordo com os níveis visceral e comportamental, em compensação os usuários ignoravam a pobre comunicação visual, e contornavam os problemas de usabilidade em prol das funcionalidades da ferramenta, movidos por questões culturais e sociais. Nesse ponto, os sentimentos evocados pelo nível reflexivo adquiriram maior importância, garantindo o sucesso do portal.

5. Considerações finais

Referências [1].CYBIS, Walter; BETIOL, Adriana Holtz; FAUST, Richard . Ergonomia e Usabilidade - Conhecimentos, Métodos e Aplicações. São Paulo: Novatec, 2007. [2].LIDA, Itiro e MÜHLENBERG, Poema. O bom e o bonito em design. Paraná, P&D 2006. [3].MENEZES, Cristiane Schifelbein de. Design & emoção: sobre a relação afetiva das pessoas com os objetos usados pela primeira vez. Dissertação (Mestrado em Artes e Design) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007. [4].NORMAN, Donald. Emotional Design: Why We Love (or Hate) Everyday Things. Basic Books, 2004. [5].PREECE, Jenifer; ROGERS, Yvonne; SHARP, Helen. Design de interação: além da interação homem-computador. Porto Alegre: Bookman, 2005. [6].SANTOS, Marinês Ribeiro dos. Design, Produção e Uso dos Artefatos: Uma abordagem a partir da atividade humana. Curitiba. Dissertação (Mestrado em Tecnologia) - Programa de Pós-Graduação em Tecnologia, Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná, Curitiba, 2000.

Levar em conta os três níveis de processamento da mente humana propostos por Norman (2004), em projetos de design para a web requer uma análise aprofundada dos objetivos e das especificidades de cada projeto. Cada nível causa diferentes reações nas pessoas, de forma que um projeto ideal para a criação de um web site deve contemplar os três níveis para criar experiências positivas e duradouras nos usuários. Contudo, cada projeto tem características próprias e a ênfase em algum dos três níveis pode ser necessária para se chegar aos objetivos estipulados durante o planejamento de desenvolvimento. Os trabalhos realizados em cima dos níveis visceral, comportamental e reflexivo, podem se alto completar para a criação de um produto que atenda as expectativas. A preocupação com a experiência estética através da aplicação dos conceitos da Gestalt, associada à preocupação com a experiência de uso, através de metodologias de design centrado no usuário, associada a preocupação com a experiência como um todo do usuário do web site, no que tange a conceito, serviço e atendimento, são vitais para se alcançar o sucesso esperado. O entendimento sobre as emoções que os web sites podem provocar nas pessoas, é o primeiro passo para a incorporação desses conceitos durante o design para a web.

3

Emoção em projetos de design para a web  

Este artigo apresenta os conceitos sobre a emoção humana, estudados por Donald Norman e faz uma ligação entre suas abordagens e o desenv...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you