Page 1

Um amor inesperado Prólogo capítulos 6, 7, 8 e 9: Sem prólogo. É melhor você ir ler.


Cáp. 6: Pode apostar! [Crissy] Stiles estava percebendo que eu estava diferente. Por mais que eu negasse, eu gostava dele. Bastante. Pode apostar. Mas ele me fazia bem e mal, ao mesmo tempo. Bem, porque sua beleza estonteante me lembrava que ele era o primeiro garoto que estava me fazendo perder o fôlego. Eu era difícil, admito. E mal porque eu tinha que evitá-lo. Não queria ficar presa em Tonk... Em 1 ano eu voltaria para casa. Eu só estava aqui por um motivo. A crise... Meu pai não queria ser afetado, então viemos para cá. Havia algo que eu deixara em Verard. Uma parte de mim. A parte em que eu mais estava acostumada: a parte que me fazia chorar quando precisava esvaziar a mente, a parte desastrada, a parte que odiava chuva e frio, a que me fazia lembrar minha infância...


Sentia-me incompleta... Não poderia estabelecer muitos relacionamentos. Eu queria apenas amenizar a dor que sentiria ao ir embora. Se amigos, deixar amigos aqui iria doer muito, imagine se eu tivesse algum relacionamento com ele... O anjo perfeito... Jamais voltaria á Verard se não fosse vê-lo nunca mais... Stiles... Seu nome ecoava em minha mente várias vezes. Sua perfeição... Atordoava-me, tirava meu fôlego. Não poderia manter o controle por muito tempo! Uma hora ele teria que saber... Pode apostar. Capítulo 7: Melhores amigos [Crissy] Com o tempo, eu e Stiles fomos ficando cada vez mais amigos. Por mais que eu evitasse, não conseguia ficar longe dele. Eu necessitava sua amizade... Ou mais que isso.


Não ficávamos mais que 4 horas sem se falar. Estávamos completamente amigos em três meses. Eu queria e ao mesmo não queria ser tão amiga dele. Não sabia muito bem o que iria acontecer no futuro. Se eu me afastava dele, ele normalmente não estranhava e logo arranjava um jeito de me trazer cada vez mais perto dele. Eu iria agüentar? Toda aquela pressão, Stiles... Desconhecia meus motivos para, ora, estar brava com ele ás vezes... Mas eu não queria magoá-lo. Jamais. Ele me culparia caso eu virasse a cara para ele? Seria a mesma coisa que me virar do avesso. Eu tenho tantas partes, jamais tento compreendê-las, porque quanto mais eu tento... Menos eu sei. Uma parte minha quer amá-lo, tê-lo apenas para mim, poder enfim ser dele. E outra parte minha quer odiá-lo, manter distância, e correr para Verard, largando Bill e tudo em Tonk.


Mas a parte que mais influenciava em minha, com certeza, era a parte que queria Stiles para mim mesma. Ele era tão tentador; sentia-me como uma serpente rastejando, prestes a atacar uma vítima... Eu obviamente não era perigosa, é claro. Mas... Eu não podia deixá-lo partir. Ou melhor, deixar-me a mim mesma partir... Dar adeus á Stiles. Logo no momento crucial em que estava quase... Quase... Falta-me coragem para admitir. Éramos melhores amigos? Ou apenas uma amizade de verão que não duraria nem mesmo um semestre? Eu esperava mais. Muito mais. Estava cansada de ser tão sozinha. Não, eu não queria ficar solteira para sempre e este pensamento me gelava a espinha. Então, deixei por isso mesmo. Éramos melhores amigos e ponto. Não se falava mais nisso...


Capítulo 8: Vários meses depois [Stiles] Éramos ótimos amigos naquela época. Cansado de vê-la sofrer pela falta que Verard lhe fazia, levei-a para uma cidade que era menos fria que Verard, mas não tão quente quanto Tonk. Subimos um tipo de ladeira. Totalmente isolados da cidade, observamos juntos a noite estrelada. Neste meio tempo, pude vê-la chorar... Tão frágil. Deitados na grama, contei á ela, finalmente, a razão de ter a encarado aquele dia. -Eu te achei muito bonita. Incomum, diferente de todas as outras garotas. – Ela sorriu e pareceu refletir um pouco. -Jura...? – indagou. -Não mentiria para você. -Então, obrigada. -Minha vez de perguntar.


-Tudo bem. – ela ergueu uma sombrancelha. -Porque, ás vezes, você fica tão brava comigo? Eu te fiz algo que quando você se lembra, fica com raiva? E aquela semana... Porque me ignorou? -Ah... – ela desviou os olhos de mim. -Responda, por favor. Toquei sua mão. Ela hesitou e puxou a mão para si mesma. -Eu... Não queria me... Stiles, é complicado... -Crissy, não importa o que você fale, não ficarei bravo. Lembre-se, o que você precisar falar para mim, fale. Estarei pronto para ouvir. -Eu estava proibindo-me de me apaixonar pro você. Mas não adiantou. Era impossível. Ainda é, admito... Você é estonteante, tira-me o fôlego, fico ofegante na sua presença, algo que escondo desde que te conheci...


Ouvi tudo sem dizer nada, apenas prestando atenção. -Eu não conseguiria ir embora se ficasse com você... -Então quer dizer que quer e não quer ficar comigo? -Não complique... -Não, estou quieto. Continue. Capítulo 8: A confissão [Crissy] -Verard é muito importante para mim. Eu sinto falta de lá. Mas, Tonk tem algo que me faz perder o chão... -Sabe que eu reparo tudo em você? – cheguei a agradecer Stiles em minha mente quando ele mudou de assunto. Corei, sem ter como evitar. -Repara...?


-Sim... Gosto de observar cada detalhe seu. Corei um pouco mais. Devia estar parecendo um pimentão, e é claro que ele estava percebendo, pois deu um sorriso torto que me fez esquecer como se respirava por um momento. -Não precisa ficar vermelha. É que eu queria ver como se faz a perfeição, então juntei cada detalhe que enxerguei em você, e obtive sucesso. -Falar é fácil. Eu fico vermelha contra minha vontade... Ele deu o sorriso novamente, e eu ali, quase desmaiando de tensão. -Crissy – ele sussurrou, bem perto de mim. -Sim? – respondi, praticamente num gaguejo. -Eu gosto de você. -Eu também gosto de você... – sussurrei.


Ele encostou a mão nas costas da minha, mas desta vez fiquei imóvel como uma estátua, olhando seus olhos, que pareciam querer dizer algo que estava preso á um bom tempo. Tremi por dentro. Nos aproximamos um pouco mais. Ele hesitou para ver minha reação. Inclinei a cabeça um pouco para baixo. Quando a ergui novamente, nossos narizes se tocaram, em um gesto tão de repente que quase nos beijamos. Corei mais uma vez. Ele grudou sua testa na minha, nossos lábios a uns 3 centímetros de distância... Meu coração quase explodiu. Fechei os olhos e esperei. Ele podia demorar o quanto quisesse, contanto que acontecesse. Ele tocou meu rosto, acariciando levemente minha nuca. Parecia estar apreciando uma obra-prima com o toque dos dedos. Não abri os olhos em momento algum. Senti sua respiração se aproximar


cada vez mais de meu rosto. Olhei para ele, estava com os olhos abertos, o sorriso torto iluminando-o. Devagar e delicadamente, ele colou seus lábios nos meus. Senti minha pele ficar quente. Fogo corria por minhas veias, e eu senti, em cada parte do corpo, um calor tomar conta de mim. Desde a boca até os pés, senti uma vontade enorme de que aquele momento não acabasse. Parece nojento, mas fomos nos juntando, lábio em lábio... Meus dedos pareciam brincar com os cabelos dele. Quando finalmente nos desgrudamos, eu ofeguei um pouco, mas logo ele estava me fazendo esquecer como se piscava os olhos, respirava e fazia o coração bater novamente. -Eu não gosto de você – disse, quando ele me permitiu. -Nem eu – ele riu baixinho.


-Eu amo você. -Eu amo você, também. – repetiu ele. Eu apenas sorri, satisfeita. Capítulo 9: Uma decisão importante Após toda aquela confissão, voltamos a nos deitar na grama. Mas desta vez ele não olhou para o céu. Ficou olhando para mim; tão lindo... -É linda... – falei, olhando para a lua por um breve momento. -Não posso dizer nada da lua com você aqui para comparar... Quase parei de respirar ali. -Crissy... -O quê? -Eu estive pensando...


-Sim? – se ele não falasse logo, eu ia arrancar sua cabeça. -Depois do que aconteceu aqui... Eu sou seu namorado? Eu ia ter uma parada cardíaca ali mesmo, mas resolvi responder antes. -Não sei... – corei, sem motivo. – Você quer ser? -Claro que sim. -Então, sim... Ele deu o sorriso torto que eu amava e colocou seus lábios nos meus mais uma vez, tirando-me o fôlego.

Um amor inesperado, cap 6 a 9.  

continuaçaaao!

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you