Page 1


Sumário Jornal Hoje

4

O Liberal

67

SBT / TV Tribuna

5

Tribuna da Bahia

70

SBT / TV Ponta Negra

6

Tribuna do Ceará

73

Programa Negócios de Valor

7

O Dia

75

Folha de S.Paulo

8

Diário de Pernambuco

79

R7

9

A Tribuna

81

G1

10

O Povo

82

Jovem Pan

15

Diário Gaúcho

85

Brasil Econômico IG

17

Folha do ES

91

UOL Economia

20

Extra

94

Ana Maria Braga

22

Tribuna da Bahia

98

Infomoney

25

Portal N10

100

Band

27

O Vale

102

Brasil Econômico IG

28

O Povo

104

Ana Maria Braga

31

Diário Online

109

CBN

34

Diário do Nordeste

112

Rede século XXI

35

Zero Hora

116

Infomoney

36

iBahia

119

Band

38

O Dia

122

Metro

39

O Povo

126

Brasil Econômico IG

41

Jornal de Brasília

127

Rádio CBN

44

Diário Online

130

Infomoney

46

Zero Hora

132

Gazeta do Povo

48

Diário Gaúcho

136

Correio Braziliense

51

Conexão Tocantins

140

Brasil Econômico IG

53

Extra

141

Rádio CBN

56

ES Hoje

147

Tribuna da Bahia

58

Diário do Nordeste

149

A Crítica

60

O Dia

150

Tribuna do Ceará

61

Correio Lageano

153

Nova Metrópole Indaiatuba

63

Extra

155

Extra

64

Zero Hora

158

A Tribuna

66

Diário da Região

161


Rádio Difusora

162

Falcioni Consultoria

245

Rádio Amizade

163

Pragas e Eventos

248

Maranhão Hoje

164

Trovó Academy

252

Jornal Dia a Dia

167

AU Online

259

Mulheres Empreendedoras

170

Fábio Bmed

262

Jornal de Jundiaí

175

Diário do Litoral

177

Consumidor Moderno

181

O São Gonçalo

184

ABC do ABC

187

Jornal de Jundiaí

189

O Nortão

191

Metro News

193

São Paulo para Crianças

194

Mundo Carreira

197

Cloud Coaching

200

Web Insider

202

São Paulo para Crianças

204

Gospel Prime

207

Diário de Aparecida

209

Jornal Daqui

212

Boa Informação

214

Rádio Piratininga

218

TV Itajubá

218

Litoral Vale

220

Jornal MG Turismo

222

Gospel Prime

225

ACA

228

SOS Consumidor

230

Folha Acadêmica

232

O Imparcial

235

Agita Ih

238

Set Créditos

241

SBN

244


4

VeĂ­culo:

Jornal Hoje

Data: 14/02/2017 Site: http://g1.globo.com/jornal-hoje/edicoes/2017/02/14.html#!v/5652289


5 VeĂ­culo:

SBT / TV Tribuna

Data: 14/02/2017 Site: http://g1.globo.com/jornal-hoje/edicoes/2017/02/14.html#!v/5652289


6 Veículo:

SBT / TV Ponta Negra

Data: 14/01/2017 Site: https://www.youtube.com/watch?v=PnVnB8GXDV0


7 Veículo:

Programa Negócios de Valor

Data: 04/02/2017 Site: https://www.youtube.com/watch?v=dfp_oAQ-nOc


8 VeĂ­culo:

Folha de S.Paulo

Data: 23/02/2017 Site: http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/2017/02/23/823/6046584


9 Veículo:

R7

Data: 16/02/2017 Site: http://noticias.r7.com/distrito-federal/jornal-de-brasilia/seis-orientacoes-paraeconomizar-no-carnaval-16022017

Seis orientações para economizar no Carnaval Enquanto uns querem viajar e descansar, outros preferem cair na folia e curtir as festas. Seja como for, é importante se programar com antecedência: fazer um diagnóstico financeiro, analisar as possibilidades e respeitar o orçamento. É o que orienta o presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos. “Esse momento festivo precisa ser


10 Veículo:

G1

Data: 16/01/2017 Site: http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/banco-antecipa-saque-de-fgtsinativo-veja-se-vale-a-pena.ghtml

Vale a pena sacar o FGTS inativo? Especialistas dizem que sim, mas recomendam cautela nos gastos Rentabilidade do fundo é baixa e trabalhador consegue rendimentos maiores em outras aplicações, dizem especialistas; FGTS é poupança do trabalhador.

Por Marta Cavallini e Taís Laporta, G1 14/02/2017 12h58 / Atualizado 14/02/2017 13h44

A Caixa Econômica Federal divulgou nesta terça-feira (14) o calendário oficial do saque do FGTS inativo que engloba 30 milhões de brasileiros. São 49 milhões de contas que totalizam R$ 43 bilhões. Com rentabilidade inferior a outras aplicações consideradas conservadoras, especialistas dizem que é vantajoso para o consumidor sacar o FGTS para pagar dívidas ou buscar outras aplicações mais rentáveis. Eles ressaltam, no entanto, que o FGTS é uma poupança do trabalhador e, por isso, devem ter cuidado em como vão comprometer esse dinheiro.


11

Para o consultor financeiro do Mercantil do Brasil, Carlos Eduardo Costa, quem tiver saldo disponível para o saque não tem motivo para deixar de resgatar o dinheiro, mesmo com a promessa de maior rentabilidade do FGTS feita pelo governo com a divisão do lucro obtido com os investimentos feitos pelo fundo. “A vantagem de fazer a retirada da conta inativa é que há muitas aplicações disponíveis, e o investidor pode ser o juiz de seu próprio dinheiro”, comenta. Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira, lembra que a possibilidade de saque do FGTS será mais um ganho extra do brasileiro, mas não é a "salvação" de quem estiver com o orçamento apertado. “Se não tiver cuidado, os resultados serão os mesmo de vários outros valores que os brasileiros recebem, como restituição de imposto de renda, sendo direcionado apenas ao consumo ou ao combate do efeito do endividamento e não das causas”, diz. Para ele, o trabalhador deve planejar como usar esse dinheiro inesperado. "Não é porque é uma verba inesperada que deve ser gasta desordenadamente", afirmou.

Veja perguntas e respostas sobre o saque do FGTS

Pagamento de dívidas Os especialistas recomendam que pessoas que estão inadimplentes usem seus recursos para quitar ou renegociar suas dívidas. “Se você se desorganizou com dívidas, o dinheiro do FGTS pode ser utilizado para uma renegociação que dará uma folga no seu orçamento. No caso de dívidas no cheque especial ou em cartão de crédito, tente o mais rápido possível quitá-las, pois elas possuem os juros mais altos do mercado”, diz o consultor de relação de consumo e advogado de direito do consumidor Dori Boucault. Segundo ele, negociar com as instituições credoras, com dinheiro na mão, faz o abatimento ser maior. Boucault ainda lembra que é muito importante que não se aceite a oferta inicial feita na renegociação. “Não aceite a primeira proposta. Veja se é possível liquidar ou parcelar em valores fixos para você ter o controle da situação”, diz.


12

Muitas vezes, segundo ele, o valor recebido do FGTS não será suficiente para a quitação das dívidas, por isso ele não recomenda fazer grandes empréstimos. “Se fizer isso você trocará seis por meia dúzia ou ficará em uma situação pior. Uma das opções para completar o pagamento, desde que não seja a longo prazo, é o empréstimo consignado, que porta juros bem menores em relação ao cartão de credito ou cheque especial”, completa o especialista. Já as pessoas que têm dívidas, mas estão com as contas em dia, Domingos diz que nem sempre vale a pena usar o dinheiro para pagar dívidas. Quando o endividamento estiver controlado, como é o caso de quem tem parcelamentos em dia da casa própria, veículos, ou para crediários, esse dinheiro pode ser utilizado para iniciar o planejamento de um sonho. “Os brasileiros precisam aprender a lidar com o dinheiro de forma sustentável, para que consigam alcançar seus objetivos ao longo da vida com segurança financeira”, diz.

Antecipação do dinheiro Alguns bancos como o Santander estão antecipando o dinheiro do FGTS para os correntistas, mas essa antecipação envolve cobrança de juros. Por isso, especialistas recomendam que os contribuintes só peçam a antecipação se estiverem realmente precisando do dinheiro para pagar uma despesa urgente ou para pagamento de dívidas com cheque especial e cartões de crédito, que têm juros mais altos que outras linhas de crédito.

Reserva para emergências Dori diz que se a pessoa estiver com as contas no azul, pode usar o FGTS para fazer uma reserva de emergência. O cenário econômico é ainda de incerteza e a função primordial do FGTS é justamente ser uma poupança do trabalhador para tempos difíceis. Essa reserva, segundo ele, servirá de auxilio, caso o trabalhador seja demitido ou passe por problemas financeiros. “Aplique o dinheiro em algo com muita liquidez, como poupança ou outro que tenha a liquidez rápida", aconselha.

Reserva de longo prazo Outra forma de utilização da renda extra é aplicar o valor com objetivo de criar uma reserva de longo prazo. “Coloque a aplicação em título de renda fixa que garante


13

ganhos acima da poupança. Existem diversas opções no mercado. Converse com gerentes ou funcionários para buscar taxas de administração vantajosas”, diz Boucault. O FGTS rende 3% ao ano mais a taxa referencial (TR), enquanto a poupança rende 6,17% ao ano mais a TR. Em 2016, o rendimento financeiro da poupança foi de 8,3%. Já o do FGTS foi de 5,01%, abaixo da inflação oficial de 2016, que foi de 6,29%. Entre janeiro de 2000 e dezembro de 2016, o FGTS acumulou um retorno de 120,63%. No mesmo período, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) corroeu esses ganhos ao avançar 200,63%. Quem tinha R$ 1 mil aplicados no FGTS em janeiro de 2016 terminou o ano com R$ 1.050,10. Se tivesse deixado este mesmo valor na poupança, teria acumulado R$ 1.083. Esse mesmo montante aplicado no Ibovespa, índice de ações da bolsa paulista, teria se convertido em R$ 1.389,39.

Imóveis Se a intenção é comprar imóvel, Boucault diz que é preciso pensar sobre o assunto para não entrar em uma dívida de longo prazo. "Tenha consciência de que, se estiver empregado, existe o risco de perder o emprego e não terá uma reserva. Para a compra de um imóvel recomendo que se tenha uma estabilidade financeira ou um emprego que não apresente riscos”, alerta. O FGTS também pode ser utilizado para pagar prestações ou quitar um imóvel. O uso desse fundo pode ser uma boa saída, desde que obedeça aos limites e não os ultrapasse. Outro caminho é utilizar o FGTS para construir, reformar ou ampliar o imóvel. “Procure saber as linhas de crédito e os instrumentos necessários. Com isso você pode usar esse valor para melhorar o imóvel existente”, orienta.

Regras para o saque O saque do dinheiro do FGTS inativo pode ser feito por quem tem saldo em uma conta inativa até 31 de dezembro de 2015. Uma conta fica inativa quando deixa de receber depósitos da empresa devido à extinção ou rescisão do contrato de trabalho. O trabalhador deve estar afastado do emprego pelo menos desde o fim de 2015.


14

O trabalhador, no entanto, não pode sacar o FGTS de uma conta ativa, ou seja, que ainda receba depósitos pelo empregador atual. Mais da metade dos trabalhadores (56%) tem, no máximo, R$ 500 para sacar, segundo o governo. Outros 24% têm saldo entre R$ 500 e R$ 1.500. Os dois grupos representam 80% do total de pessoas com direito a sacar o dinheiro. Os demais têm mais de R$ 1.500 a receber.


15 Veículo:

Jovem Pan

Data: 23/02/2017 Site: http://jovempan.uol.com.br/programas/jornal-da-manha/quase-um-terco-das-familiasdo-pais-mantem-grau-de-endividamento-de-2016.html

Quase um terço das famílias do País mantém grau de endividamento de 2016 Por Jovem Pan fonte: Marcos Santos/USP Imagens

31% das famílias brasileiras se consideram tão endividadas em 2017 quanto estavam no início do ano passado

Levantamento indica que 31% das famílias brasileiras se consideram tão endividadas em 2017 quanto estavam no início do ano passado. A conclusão é de uma pesquisa realizada pela Fiesp, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, em parceria com o Instituto Ipsos.


16

Segundo o relatório, 22% das famílias dizem estar menos endividadas neste ano, enquanto outras 19% acreditam que os problemas financeiros aumentaram. A assessora econômica da Fecomércio, Fernanda Della Rosa, explicou que os brasileiros estão evitando contrair novas dívidas. “O consumidor ainda está retraído em relação às compras”, disse. Fernanda Della Rosa afirmou que a sensação de endividamento das famílias tende a se manter alta em janeiro, em razão das despesas de início de ano. O presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos, recomendou um pente-fino sobre as despesas do orçamento: “saber para onde está indo cada centavo do dinheiro da família”. O educador financeiro Reinaldo Domingos lembrou que o orçamento familiar sempre precisa ser ajustado, para que as dívidas sejam quitadas. Apesar do cenário difícil, um levantamento da Boa Vista SCPC indicou que 81% dos brasileiros esperam melhora da situação, até o final de 2017. De acordo com a pesquisa, os consumidores acreditam que a relação entre recebimento e gastos terminará o ano em um patamar positivo. O economista da Boa Vista SCPC, Flávio Calife, atribuiu o otimismo à melhora dos níveis de endividamento: “o endividamento não tem aumentado muito. Hoje o consumidor está menos endividado”. O economista Flávio Calife acrescentou que o otimismo em relação à situação econômica é maior entre os mais jovens. Segundo a pesquisa da Boa Vista SCPC, 92% dos entrevistados com até 25 anos de idade esperam melhora da situação financeira nos próximos meses.

*Informações do repórter Vitor Brown


17 Veículo:

Brasil Econômico IG

Data: 20/01/2017 Site: http://economia.ig.com.br/2017-01-20/conta-inativa-fgts.html

Saiba como aproveitar o carnaval sem prejudicar o seu orçamento Por Brasil Econômico | 16/02/2017 14:33

De acordo com educador financeiro, customização de roupas é uma boa opção para economizar dinheiro com fantasias durante as festas de carnaval

iStock

Fazer um orçamento abrangente a ganhos e custos habituais e com custos próprios do carnaval, auxilia na economia do consumidor


18

O carnaval está chegando e com ele, muitos planejam viajar, participar de eventos nas cidades e até mesmo descansar. Para isso, é importante que as pessoas analisem suas condições financeiras e utilizem apenas o necessário para que não fiquem endividados ou com o orçamento apertado após o término das festas. “Planejar o carnaval com antecedência é um excelente hábito tanto para a saúde física, quanto para a financeira. Assim a pessoa ou família tende a aproveitar o feriado de forma mais consciente, evitando excessos e respeitando o orçamento. Afinal, quem deseja que cinco dias comprometam a vida financeira até o final do ano?”, afirmou o educador financeiro e diretor da DSOP ABC em São Paulo, Edward Cláudio Jr. Para ajudar o consumidor a economizar no feriado, o diretor da DSOP ABC separou 6 dicas que impactarão no planejamento e no diagnóstico financeiro para o período carnavalesco.

1- Crie um orçamento Para evitar que o período de festas se transforme em pesadelo, se planeje de acordo com sua condição financeira atual. Procure fazer um orçamento antecipado desses gastos, levando em consideração também seus ganhos e despesas habituais.

2- Economize na fantasia Caso vá participar de blocos de rua ou festas temáticas, cuidado para não gastar excessivamente nas fantasias, principalmente nas alugadas. Uma boa dica é utilizar as que já têm ou apostar na customização de roupas para incrementar o visual.


19

3- Planeje viagens com antecedência Se for viajar, busque pesquisar com antecedência os melhores pacotes e condições de pagamento. Caso seu orçamento esteja comprometido, uma boa opção é se divertir com o que tem e programar as viagens para o próximo ano.

4- Evite o desperdício Uma opção para quem quer economizar é ficar em casa. Porém, se mantenha atento aos gastos de água, luz e gás. Quando for cozinhar, opte por itens mais frescos e evite o desperdício de alimentos, buscando reaproveitar as sobras para desenvolver novas receitas.

5- Participe de eventos gratuitos Em várias cidades há eventos gratuitos e comunitários para toda a família e com programações especiais. Porém, é importante ficar atento aos gastos com o transporte, gasolina e estacionamento. Uma boa opção para esses casos é o transporte público ou o compartilhamento de táxi com os amigos.

6- Não gaste mais do que pode Não se deixe levar pela euforia do carnaval. Por mais que o período seja festivo, mantenha os pés no chão e evite o descontrole financeiro. Tome cuidado com o consumo exacerbado, seja ele de alimentos, bebidas alcoólicas, festas em casa ou viagens. Respeite o seu padrão de vida nessa data, para que possa seguir 2017 sem muitos prejuízos no orçamento.


20 VeĂ­culo:

UOL Economia

Data: 13/02/2017 Site: https://economia.uol.com.br/financas-pessoais/noticias/redacao/2017/02/13/comprouimovel-mas-atrasou-as-prestacoes-estas-6-dicas-vao-te-ajudar.htm


21


22 Veículo:

Ana Maria Braga

Data: 20/02/2017 Site: http://anamariabraga.globo.com/canais/Finan%C3%A7as/nova-regra-rotativo-do-cartaode-credito.html

Nova regra rotativo do cartão de crédito Confira se a mudança é positiva ou não

Uma nova regra mudou completamente a forma de usar o cartão de crédito. O Conselho Monetário Nacional (CMN) limitou para 30 dias a permanência do consumidor no rotativo; após esse prazo, se a dívida não for quitada, as instituições financeiras deverão oferecer um financiamento do saldo devedor com juros menores. A mudança é muito positiva, afinal o rotativo fechou dezembro com juros de 484,6%, um valor exorbitante. Os bancos e instituições financeiras terão até 3 de abril para se adequar às mudanças e depois disso não será possível pagar o valor mínimo da fatura referente a tal dívida novamente, o que evitará a famosa “bola de neve” do rotativo do cartão de crédito.


23

Entretanto, a mudança não deve ser um incentivo para que o consumidor pague apenas o valor mínimo da fatura. Afinal, estar endividado no cartão de crédito é um problema que pode levar ao descontrole financeiro e à inadimplência com facilidade. O ideal é que tal dívida somada às demais que a pessoa ou família tenha – como financiamentos, carnês e cheque especial – não ultrapasse 30% de sua renda. Quem chegou a esse ponto precisa fazer um diagnóstico financeiro imediatamente, para rever a sua situação, conhecer o seu comportamento em relação ao uso do dinheiro e combater, em primeiro lugar, a causa do problema. Por isso é muito importante envolver a família no processo, é preciso que todos façam parte desta reestruturação das finanças. A renegociação da dívida, mesmo com juros menores, deve ser buscada apenas quando houver a certeza de que será possível honrar com o novo acordo, ou seja, quando a família souber qual valor poderá dispor para pagar essa dívida mensalmente, de forma confortável. Após o diagnóstico financeiro, feito ao anotar todas as despesas por 30 dias, será possível eliminar gastos supérfluos e ter um fôlego no orçamento.


24

É possível também buscar um crédito alternativo, com juros mais baixos, como o consignado, por exemplo, mas é importante ter em mente que não basta trocar uma dívida pela outra. É preciso mudar o comportamento que o levou à essa situação em primeiro lugar. O cartão de crédito é uma excelente ferramenta para quem sabe aproveitar seus benefícios, afinal oferece serviços de milhagens e prêmios. Entretanto, deve ser utilizado com consciência e responsabilidade, e não como um incentivo para as compras por impulso, que podem levar ao descontrole financeiro.


25 Veículo:

Infomoney

Data: 15/02/2017 Site: http://www.infomoney.com.br/blogs/financas-pessoais/financas-emcasa/post/6138292/saiba-evitar-descontrole-financeiro-carnaval

Saiba evitar o descontrole financeiro no Carnaval O feriado prolongado que para muitos é sinônimo de viagens, descanso ou de cair na folia está chegando, mas muitos ainda não se programaram financeiramente. Pode não parecer, mas é bastante comum que a descontração e a euforia do Carnaval se transformarem em descontrole financeiro. Portanto, independente dos planos, procure ter consciência de sua condição financeira, sabendo exatamente quais são os seus ganhos e gastos, para conseguir planejar. Vejo que em períodos como este as pessoas se empolgam e acabam gastando o que não podem, na intenção de curtir o momento – algo que pode se transformar em preocupação nos meses seguintes. Caso esse seja o seu comportamento, é melhor revê-lo e tentar trazer a razão de volta. Educar-se financeiramente é o caminho para que as finanças não fujam do controle em situação alguma. A maioria da população não teve a oportunidade aprender a lidar com o dinheiro e, por isso, tem esse problema hoje. Mas vamos às orientações práticas: Se for em um bloco ou festa e precisar de uma fantasia, veja se não é possível usar a mesma do ano passado. Caso não tenha, pegue emprestado de um amigo ou familiar ou faça a sua, customizando alguma roupa. O aluguel, geralmente, custa caro e não costuma valer a pena.


26 Dá para economizar também na bebida, afinal de contas, exagerar no álcool não faz bem nem pra saúde física, nem para a financeira. Se for viajar, faça as contas e veja o quanto pode gastar sem comprometer o orçamento, só então pesquise os melhores os pacotes e condições de pagamento. Agora está em cima da hora, então, talvez, o melhor a fazer seja aproveitar de acordo com que o orçamento mensal permite, sem se endividar, e se programar para realizar aquele grande plano no próximo ano, já se planejando desde agora. Respeitando o padrão de vida, é possível sim se divertir sem cair no descontrole financeiro.


27 VeĂ­culo:

Band

Data: 14/02/2017 Site: http://radiobandeirantes.band.uol.com.br/conteudo.asp?ID=789029


28 Veículo:

Brasil Econômico IG

Data: 20/01/2017 Site: http://economia.ig.com.br/2017-01-20/conta-inativa-fgts.html

Saiba qual o impacto da queda da taxa Selic para o seu bolso Ao reduzir juros, governo quer estimular consumo, já que preços podem cair; educador financeiro pede cautela antes de comprar ou tomar empréstimos O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou, na quinta-feira (22), a quarta queda consecutiva da taxa básica de juros da economia , a Selic. O índice foi reduzido em 0,75 ponto percentual, ficando agora em 12,25% ao ano. A decisão causa mudanças em diversos cenários, mas o que de fato altera em sua vida? Ao abaixar os juros, um dos objetivos do governo é impulsionar o consumo, já que os preços também podem cair. De acordo com o presidente da DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos, a redução da Selic também influencia na queda de juros para tomadas de empréstimos e parcelamentos. Segundo ele, o governo mostra, claramente, a intenção de motivar a população a voltar às compras.


29

"Até pelo fato de que a decisão tem impacto negativo para muitos investimentos", explica.

iStock A taxa overnight do Selic é o resultado da média ponderada pelo volume das operações compromissadas realizadas em um dia

A taxa retornou ao nível que estava em março de 2015. Entre outubro de 2012 e abril de 2013, foi mantida no menor nível da história, em 7,25% ao ano. O maior nível da Selic foi registrado em julho de 2015, quando a taxa esteve em 14,25% ao ano. Somente em outubro de 2016, o Copom voltou a reduzir gradativamente os juros. Para aqueles que mantêm aplicações que utilizam a taxa básica de juros como base, a notícia não foi tão boa, pois estas perderão rentabilidade. A caderneta de poupança, no entanto, não sofrerá alterações, pois se os juros forem iguais ou superiores a 8,50% ao ano, os rendimentos são de 0,50% ao mês mais Taxa Referencial (TR).


30

Aos consumidores que precisam de tomar empréstimos ou fazer parcelamentos, a queda é positiva, pois a taxa influencia diretamente nestas situações. No entanto, se os juros forem definidos antes, nada mudará. O educador financeiro também esclarece que, apesar do estímulo do governo, é importante ter cuidado ao contrair dívidas. "Mesmo sendo uma sinalização de incentivo ao consumo, é preciso ter cautela, pois o cenário ainda não é dos melhores", alerta Domingos. "Assim, o consumo deve ser focado nas reais necessidades e objetivos, acabou a era da festa dos gastos". A recomendação em momentos de queda da taxa Selic é pensar duas vezes antes de comprar, parcelar com juros ou adquirir empréstimos. Fonte: Economia - iG @ http://economia.ig.com.br/2017-0223/impacto-queda-selic.html


31 Veículo:

Ana Maria Braga

Data: 14/02/2017 Site: http://anamariabraga.globo.com/canais/Finan%C3%A7as/contas-inativas-do-fgts.html

Quem vai sacar o FGTS? O que fazer com o saldo das contas inativas

Toda renda extra é recebida com alegria. Com a divulgação do calendário de saques das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), não seria diferente: milhares de brasileiros passam a saber quando poderão resgatar valores. E você, já sabe se tem uma quantia a resgatar? E de que forma a usará? Faço essas perguntas por que é preciso cuidado para não colocar em risco uma reserva financeira construída após meses (ou anos) de trabalho. Lembrese, o principal objetivo da existência do FGTS é ser um arrimo para o trabalhador em caso de demissão.


32

Portanto é válido que considere a sua situação financeira atual e use o valor garantindo melhor qualidade de vida, para você e sua família, não apenas agora, mas especialmente no futuro. Levante seus números e verifique se está em situação de endividamento, inadimplência, equilíbrio ou se é investidor/a e confira as orientações abaixo:

Em situação de endividamento e inadimplência Ter dívidas, ou seja, estar endividado/a, não é necessariamente um problema. O perigo está quando se deixa de pagar as contas em dia, ou seja, se torna inadimplente. Portanto, caso o valor resgatado seja suficiente para quitar totalmente as dívidas atrasadas, é interessante agir dessa forma. Mas primeiro negocie descontos com os credores, diminuindo parte da dívida, para então fazer o pagamento à vista. Por outro lado, se não for para quitar 100% da dívida, é mais interessante investir o valor para ter força para negociar no futuro. De uma forma ou de


33

outra, o principal a ser feito nessa situação delicada é se educar financeiramente, ou seja, mudar seu comportamento para não mais retornar ao alto nível de endividamento. Aproveite a chegada dessa renda extra para olhar para a sua situação financeira de forma honesta e com coragem levantar todos os números, traçando um planejamento para renegociar as dívidas – agora ou no futuro – em parcelas quem respeitem o orçamento mensal.

Em situação equilibrada ou de investidor/a Ainda não ter um objetivo estabelecido para o uso dessa renda extra é um comportamento é preocupante, já que na ausência de uma meta, o valor pode acabar ser utilizado em compras supérfluas e de pouca importância, ao invés de contribuir para a conquista de um sonho. Como costumo lembrar, é importante que cada pessoa ou família tenha três sonhos estabelecidos, no mínimo: um de curto prazo (a ser realizado em um ano), outro de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (a ser realizado a partir de dez anos). De qualquer forma, é orientável fazer o saque das contas inativas assim que possível e aplicar o valor em investimentos como poupança, CDB e tesouro direto, entre outros, que rendam mais do que o FGTS. A modalidade escolhida precisa corresponder ao prazo em que se deseja realizar o sonho, tendo em vista a possibilidade de resgatá-lo no momento desejado sem perder rendimentos.


34 Veículo:

CBN

Data: 14/01/2017 Site: https://www.youtube.com/watch?v=sQ4fzfVGgB0&feature=youtu.be


35 VeĂ­culo:

Rede sĂŠculo XXI

Data: 09/01/2017 Site: https://www.rs21.com.br/entretenimento/mulher-com/entrevistas-mulhercom/10022017-fgts-marcio-marques/


36 Veículo:

Infomoney

Data: 08/02/2017 Site: http://www.infomoney.com.br/blogs/financas-pessoais/financas-emcasa/post/6112144/inadimplencia-escolas-privadas-menor-nas-que-tem-educacao-financeira

Inadimplência em escolas privadas é menor nas que têm educação financeira A inadimplência nas escolas particulares cresceu em 2016, atingindo a alta de 8,83% em São Paulo, segundo o Sieeesp (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino). Entretanto, em escolas em que a educação financeira está na grade curricular, a realidade observada é outra: a inadimplência não subiu, mesmo com a crise.

O tema é tão relevante que o Ministério da Educação (MEC) estuda estabelecer a obrigatoriedade da inclusão da educação financeira em todas as escolas brasileiras. Nas que são pioneiras na implementação, os benefícios já vem sendo sentidos tanto pelos alunos e seus familiares, que estão se engajando junto às crianças, quanto pelas instituições de ensino, que observam a diminuição da inadimplência.

Hoje, a realidade nos mostra que as novas gerações estão cada vez mais expostas ao consumismo exacerbado. Por isso, é imprescindível que aprendam a lidar adequadamente com o dinheiro, para que possam, acima de tudo, aprender a se planejar para conquistar seus sonhos de curto, médio e longo prazo.

Por oferecer subsídios para atravessar o momento atual, de instabilidade financeira, o tema também beneficia o corpo docente e, em consequência, toda a comunidade, contribuindo para a formação de uma sociedade mais consciente e sustentável. Em


37 2016, foram cerca de 200 mil estudantes aprendendo sobre o assunto em sala de aula.

A educação financeira dialoga diretamente com os conteúdos das disciplinas formais ensinadas nas escolas. Com a linguagem adequada para cada faixa etária, é possível mostrar aos alunos como lidar com as finanças do dia a dia, se planejar, poupar para os sonhos e conquistar a independência financeira.

Tem-se muita informação sobre macroeconomia, no entanto, quando se trata de microeconomia, pouco se sabe. Para mudar a situação de endividamento e inadimplência nacional, é preciso educar financeiramente os cidadãos desde pequenos, na fase da infância e juventude, para que possam controlar seus recursos e respeitar seu orçamento.


38 Veículo:

Band

Data: 14/02/2017 Site: https://www.youtube.com/watch?v=GDj7WFj6UDY


39 Veículo:

Metro

Data: 16/02/2017 Site: http://www.metrojornal.com.br/nacional/economia/saque-do-fgts-saiba-como-usar-damelhor-forma-esse-dinheiro-extra-343562

Por Metro Jornal Belo Horizonte 16/02/2017 às 2h00

Com a liberação do dinheiro de contas inativas do FGTS, e a divulgação da agenda de saques na terça (14), cerca de R$ 43 bilhões devem ser injetados na economia. Pessoas nascidas em janeiro e fevereiro já poderão sacar a partir do dia 10 de março. O saldo pode ser consultado pelo site da Caixa Econômica Federal e por meio de aplicativo para smartphones e tablets. Em tempos de crise, essa pode ser uma boa e bem-vinda ajuda para quitar dívidas. Ou, se não for o caso, uma oportunidade de fazer um pé-de-meia, investindo em alguma aplicação. O importante é fazer o dinheiro render mais, certo? Quem pensa em zerar dívidas deve antes verificar se o valor resgatado será suficiente para quitar o débito em sua totalidade, do contrário, é mais interessante investir o dinheiro para ter força para negociar no futuro, orienta Reinaldo Domingos, doutor em educação financeira e presidente da Abefin


40

(Associação Brasileira de Educadores Financeiros). “O inadimplente deve buscar descontos nessa negociação, para diminuir boa parte da dívida e então fazer o pagamento à vista”. O profissional orienta, por exemplo, negociar juros exorbitantes, como no caso dos cartões de crédito. Propor o pagamento de apenas 10% ou 15% da dívida, para talvez chegar a algo em torno de 20% do valor, também pode ser uma opção, sugere Domingos. “Como as empresas querem receber, especialmente neste momento de crise econômica, tendem a oferecer descontos mais atrativos para quem está inadimplente.” E vale também redobrar a atenção com a documentação, alerta o advogado Eros Romaro, sócio do escritório Romaro e Paixão Advogados. “O devedor deve sempre exigir que lhe sejam fornecidas cópias das propostas de renegociação e originais dos comprovantes de pagamento e termos de quitação.”

Devo, não nego Na pressa de pagar as dívidas em atraso, cuidado para não se enrolar ainda mais. A dica dos especialistas é não procurar o credor antes de fazer uma análise cuidadosa de sua situação financeira. “É importante ter paciência e dizer ‘devo, não nego, pago, como e quando puder’”, sugere o educador financeiro, Reinaldo Domingos. Na opinião do profissional, é preciso conhecer primeiro todas as dívidas e fazer um diagnóstico por 30 dias para identificar quais despesas podem ser reduzidas – e até eliminadas –, para só então partir para uma renegociação parcelada. Endividado ou não, considerando que o dinheiro aplicado no FGTS tem rendimento abaixo da inflação, o melhor mesmo é sacar logo tudo de uma vez e destinar o valor resgatado para uma nova finalidade. Parado nas contas inativas, a única garantia é que ele valerá cada vez menos.


41 Veículo:

Brasil Econômico IG

Data: 20/01/2017 Site: http://economia.ig.com.br/2017-01-20/conta-inativa-fgts.html

Mesada é ferramenta de educação financeira para os filhos, diz especialista Para educador financeiro, ao contrário do que muitos imaginam, dinheiro para os filhos não é, necessariamente, um estímulo para o consumismo Dar ou não mesada para os filhos? A partir de que idade? Como estabelecer o valor? Estas são algumas das dúvidas que diversos pais e mães têm quando as crianças atingem uma certa idade. Para o presidente da DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos, dar uma quantia mensal para os filhos não é, necessariamente, um estímulo ao consumismo, como muitos podem imaginar. Segundo ele, na maioria das situações, pode ser uma boa ferramenta de educação financeira.

O especialista afirma que, "a partir dos sete ou oito anos é um bom momento, pois a criança já possui vontade e sabe que para ter um produto ou serviço é necessário 'trocálo' por dinheiro". Domingos diz ainda que a adoção de cada tipo de mesada depende do objetivo dos pais e do entendimento que a criança demonstra em relação ao dinheiro.


42

Thinkstock/Getty Images Especialista indica iniciar mesada no período de volta às aulas para criança iniciar ciclo com novos hábitos

"Esse assunto deve ser tratado de forma leve e lúdica, sem imposições ou ameaças, para não exigirmos mais das crianças do que elas estão assimilando", afirma Domingos, que lembra que cada criança tem um comportamento particular. "Portanto, é importante lidar com seu filho da forma mais adequada". Valor da mesada Os pais devem observar o consumo rotineiro da criança antes de definir uma quantia. Além disso, é importante verificar de que forma ela gasta o dinheiro que recebe e se seus habitos de consumo são saudáveis. "O período de volta às aulas é bastante indicado, já que a criança ou o jovem podem começar esse novo ciclo com novos hábitos, reconhecendo a importância de consumidor com consciência e de poupar para os seus sonhos", explica o educador financeiro. O ideal, de acordo com o especialista, é utilizar metade do valor para a criança gastar durante o mês e explicar que a outra parte será usada para investir nos sonhos de curto prazo (até um mês), médio prazo (até seis meses) e longo prazo (até um ano), que ela mesma irá definir.


43

"Além de oferecer noções de responsabilidade, a mesada também pode – e deve – ser associada a questões como sustentabilidade, meio ambiente, consumo consciente e outros temas que auxiliam na boa formação do indivíduo", explica Domingos. Em seu livro "Mesada não é só dinheiro – Conheça os 8 tipos e construa um novo futuro", o educador financeiro classifica os principais modelos de recompensa para os filhos: voluntária, financeira, de terceiros, econômica, empreendedora, ecológica, de troca e social. Apesar de todas as definições, Domingos lembra que, antes de pensar em oferecer uma mesada como forma de educação financeira, os pais precisam avaliar o exemplo que estão dando no dia a dia. "Os pequenos se espelham nas ações dos adultos e têm a tendência a repetir tanto as coisas boas quanto os erros. Por isso, a educação financeira é algo que tem que ser absorvida por toda a família, não importa a idade", explica.

Fonte: Economia - iG @ http://economia.ig.com.br/2017-02-27/mesada-educacaofinanceira.html


44 Veículo:

Rádio CBN

Data: 02/01/2017 Site: https://soundcloud.com/user-566348325/radio-cbn-planejamento-financeiro-02-012016-lorena-milaneze

60% dos consumidores não fazem planejamento financeiro, aponta SPC Brasil

Seis em cada dez pessoas têm dificuldade de fazer o planejamento financeiro mensal. Sem o equilíbrio entre o que ganha e o que gasta, 33% acabam recorrendo a empréstimos. Os dados são do SPC Brasil. A boa notícia, no entanto, é que talvez essa cultura de gastar sem muitas preocupações pode mudar já nas próximas gerações e com um esforço próprio, como reforça Márcio Marques que é educador financeiro, membro da Abefin, que é associação destes profissionais.


45

Márcio Marques dá dicas para quem quer começar a se planejar nas finanças. O momento é propício para colocar em prática. Aliás, a crise já fez Alexandre Rodrigues e Francisca Germano da Silva se organizarem com as finanças. A pesquisa do SPC Brasil ainda aponta que 43% dos entrevistados na maioria das vezes conseguem pagar todas as contas e até sobra algum valor, que é usado por 28% para gastos pessoais e por 21% para investimento. 35% pagam, mas não sobra nada. 11% não conseguem pagar tudo o que devem.


46 Veículo:

Infomoney

Data: 01/02/2017 Site: http://www.infomoney.com.br/blogs/financas-pessoais/financas-emcasa/post/6086370/saiba-como-investir-sua-carreira

Saiba como investir em sua carreira Em meio à crise e ao aumento do desemprego, muitos estão preocupados com as despesas, pensando em cortes e reduções. Mas será que este não é o momento para investir em algo que trará retorno, como o aperfeiçoamento profissional? Esse é um âmbito que nunca deve ser deixado de lado e os “gastos” envolvidos não podem ser considerados despesas, e sim investimentos com retorno em médio prazo.

Sem um planejamento financeiro, muitos sonhos podem nunca sequer sair do papel, como por exemplo, o crescimento profissional, que precisa constantemente de investimento. Por isso podemos afirmar que carreira e finanças precisam caminhar juntas para que o processo seja mais eficaz e o resultado, sólido.

Vejo que muitos profissionais estão insatisfeitos em seus postos, seja por conta dos salários, da rotina ou mesmo por estarem desiludidos em sua área de atuação. Portanto, sugiro que você faça uma reflexão sobre onde está e aonde quer chegar, para que trace um planejamento honesto e que te leve ao objetivo que deseja verdadeiramente.

Já citei aqui na coluna os quatro passos da metodologia que desenvolvi, que foram criados, a principio, pensando na questão financeira. No entanto, a partir deles,


47 também é possível fazer um bom panorama da carreira e traçar os novos planos. Então, vamos ao alinhamento: Diagnosticar – Analise a situação, aonde você conseguiu chegar e quais as possibilidades daqui pra frente. Faça uma reflexão dos erros que não devem mais ser cometidos e resgate a lista de coisas que gostaria/deveria fazer, mas sempre posterga. Caso anseie por mudanças, oriento que pesquise a fundo o universo da área ou da empresa desejada, converse com profissionais já estabelecidos sobre como pode se aprimorar. Sonhar – Quando foi a última vez que você traçou um objetivo maior para alcançar em sua carreira? Muita gente está na inércia há bastante tempo ou até com receio de arriscar qualquer coisa, em meio a um cenário de desemprego tão alto e economia instável em nosso país. No entanto, são os sonhos que nos movem, por isso, reflita sobre o assunto e defina no mínimo uma meta a ser atingida nos próximos meses ou anos e veja o que é preciso para que se torne realidade. Orçar – “Orce” quais as ferramentas/meios que você precisa para chegar onde quer. Se de repente quiser galgar um cargo maior, precisará talvez de uma especialização, um aprimoramento em algum idioma estrangeiro ou uma aquisição de um equipamento melhor, por exemplo. Tudo isso deve ser muito bem analisado para que o resultado seja atingido. Poupar – De nada adianta todo esse processo se, no final, não conseguir colocar em prática poupando. Este é um quesito muito importante e talvez o mais difícil, pois passa por uma mudança de hábitos. Conseguido isso, é hora de buscar se informar sobre as melhores opções de investimento. Neste caso, é possível pensar em médio prazo, entre um e dez anos. Assim, são indicados CDB’s, LCI’s e LCA’s, Títulos do Tesouro Direto e Fundo de Investimentos.


48 Veículo:

Gazeta do Povo

Data: 13/02/2017 Site: http://www.gazetadopovo.com.br/automoveis/quando-vale-a-pena-manter-um-carroep4dcuiplye4dqylh3h4ia9lh

Quando vale a pena manter um carro? Gasto diário do dono de um automóvel varia de R$ 25 a R$ 30, incluindo na conta combustível, estacionamento, impostos, seguro e manutenção Agência RBS [13/02/2017] [14h46]

O dito popular de que o carro é como um filho não está tão longe assim da realidade. Segundo economistas, o gasto diário para manter um automóvel varia de R$ 25 a R$


49 30, considerando combustível, estacionamento e uma média diária dos gastos com IPVA, seguro, estacionamento e manutenção. E nem se conta aí um financiamento. Conforme cálculos do consultor financeiro Alfredo Meneghetti Neto, a soma dos gastos de dois anos com um veículo seria suficiente para comprar um novo carro se o valor fosse investido. Por que não enxergamos essa matemática com a mesma clareza? Simples: costumamos memorizar apenas os gastos mais frequentes (com gasolina ou estacionamento, por exemplo), deixando de lado contas que incidem vez que outra – mas são altas. – Aí estão as armadilhas, é preciso ter consciência das diversas outras despesas envolvidas: renovação do seguro, manutenção, imposto, licenciamento, lavagem, garagem e até multas – alerta Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin). Publicidade

A despesa total com um automóvel chega a 2% do valor que ele tem em todos os meses, reforça Domingos. A manutenção de um veículo de R$ 20 mil, por exemplo, tem um custo mensal de aproximadamente R$ 400.

Calcule o deslocamento com transporte público Para saber se é bom negócio manter um carro, é preciso avaliar na rotina quanto seria gasto para se deslocar com conforto pela cidade com transporte público. De acordo com o educador financeiro Adriano Severo, vale mais a pena circular de lotação, táxi e motoristas por aplicativos quando a soma das passagens e tarifas não ultrapasse R$ 27 por dia. Evidentemente, é preciso medir a qualidade do serviço público antes de fazer a escolha de ter ou não um carro. Colocar na balança a dificuldade que se tem de encontrar um táxi ou motorista por aplicativo nos horários de pico. Ou a insegurança de esperar na parada de ônibus.

Considere as possibilidades -Para saber se é realmente o momento certo para comprar e manter um carro, saiba, primeiro, se terá condições de assumir um gasto diário equivalente a R$ 30 – além de eventuais parcelas de financiamento, claro. -Faça um teste de pelo menos uma semana utilizando Cabify, lotação ou táxi para ir aos seus compromissos, e veja se o gasto é menor do que tem com o carro. -Em geral, quem roda menos de 15 quilômetros por dia faz melhor negócio utilizando transporte público, já que os gastos altos com automóvel não compensam.


50 -Quem está endividado ou poderia ficar com o orçamento estrangulado assumindo as parcelas deve evitar ao máximo comprar um veículo, pois qualquer imprevisto poderá levar ao endividamento. -Caso a pessoa já possua um veículo, deve avaliar as vantagens e desvantagens de ter outro, até porque adquirir um automóvel não é investimento (ao contrário do que dizem alguns vendedores): logo que sai da concessionária, o carro sofre, em média, 10% de desvalorização, e vai perdendo valor com o passar do tempo.

Fonte: consultores financeiros Reinaldo Domingos, Alfredo Meneghetti Neto e Adriano Severo.


51 Veículo:

Correio Braziliense

Data: 15/02/2017 Site: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2017/02/15/internas_economia ,573764/principal-destino-dos-recursos-do-fgts-sera-quitacao-de-dividas.shtml

Principal destino dos recursos do FGTS será quitação de dívidas Na avaliação da planejadora financeira Teresinha Rocha, da DSOP Educação Financeira, não há nem o que discutir, pois o fundo rende muito menos do que os juros que as famílias costumam pagar nos empréstimos

O alto endividamento das famílias não gera dúvidas entre os especialistas sobre a prioridade que os cotistas devem observar quando forem usar os recursos das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) a partir de março: o pagamento de dívidas. Na avaliação da planejadora financeira Teresinha Rocha, da DSOP Educação Financeira, não há nem o que discutir, pois o fundo rende muito menos do que os juros que as famílias costumam pagar nos empréstimos. “Caso tenha dívidas, a melhor coisa que a pessoa pode fazer é pagá-las”, orientou. Teresinha recomenda que o dinheiro do FGTS seja utilizado para consumo apenas em casos excepcionais — e quando não existirem dívidas a pagar. Não adianta deixar as contas em atraso e assumir novas dívidas, porque isso, na expressão dela, seria o “caixão”. “É preciso fazer um planejamento benfeito antes de sacar o dinheiro e tentar guardar algum valor em uma reserva emergencial para evitar


52

cair em um novo endividamento”, explica a especialista.

Calote O economista e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) José Luís Oreiro também acredita que os recursos sacados do FGTS devem ser direcionados, basicamente, para pagar dívidas. “O rendimento do FGTS é 3% ao ano mais a TR (Taxa Referencial). Qualquer dívida, por menor que seja, custa, pelo menos, 2% ao mês ao tomador. Então, tendo a possibilidade de sacar o FGTS, a melhor alternativa é reduzir o saldo devedor o mais rápido possível”, afirmou. Para Oreiro, o efeito dos resgates das contas inativas, cujo cronograma foi detalhado ontem pelo governo, será a redução dos níveis de calote dos consumidores perante o sistema financeiro. “Isso poderá ajudar a diminuir os spreads bancários (diferença entre a taxa paga pelos bancos na captação de recursos e a cobrada nos empréstimos). O custo do dinheiro para as pessoas físicas deve cair por conta da redução da inadimplência”, explicou. A professora de Finanças para o MBA da Fundação Getulio Vargas (FGV) Myrian Lund, no entanto, lembrou que os brasileiros precisam aprender a poupar e a planejar as finanças para evitarem a armadilha do endividamento. “O importante é quitar as dívidas, mas também saber fazer uma reserva de emergência para o futuro, mas esse não é o comportamento natural do brasileiro”, lamentou. “Muitas pessoas tomam decisões pela emoção. No momento em que têm nas mãos um dinheiro que não esperavam, como é o caso do saque das contas inativas do FGTS, a tendência das pessoas é gastar , quando o mais importante é planejar as despesas e eleger prioridades”, afirmou a professora. (RC e RH)


53 Veículo:

Brasil Econômico IG

Data: 20/01/2017 Site: http://economia.ig.com.br/2017-01-20/conta-inativa-fgts.html

Veja oito dicas para identificar hábitos consumistas em uma criança Prestar atenção à maneira como a criança lida com seus presentes, por exemplo, pode ajudar a identificar traços do consumismo desde pequeno

shutterstock


54

Se você dá mesada para o seu filho, observe se ele consegue poupar uma parte do dinheiro ao longo do mês

Atualmente, as crianças vivem rodeadas de propagandas. Esta situação faz com que, muitas vezes, o consumismo acabe sendo estimulado, acarretando em hábitos negativos que podem ser prejudiciais no futuro. “É normal que os pequenos sintam desejos sobre as coisas que veem, mas é importante que se tenha em mente que grande parte desses desejos são imediatistas, ou seja, passageiros. A situação começa a ficar complicada quando a criança acredita ter necessidade de possuir tudo aquilo que lhe é sugestivo e, quando não consegue, faz birra”, afirma o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, sobre o consumismo . Pensando nisso, o especialista elaborou uma lista com pontos importantes para entender se você está criando seus filhos de maneira consumista. Confira: 1) Tente compreender se os sonhos da criança são apenas imediatistas (por coisas que quer, mas que pode viver sem), ou se tem sonhos, anseia por itens que tem significado e importância em sua vida; 2) Fique atento e veja se ela parece ficar "hipnotizada" ao ver propagandas em sites ou no intervalo de seus programas favoritos ou se, pelo contrário, as chamadas não despertam grande interesse a ponto de fazê-la desejar tudo o que vê; 3) Atente-se à forma como ela lida com os presentes que ganha ou se deixa de lado, esquece em algum lugar ou quebra rapidamente;


55

4) Preste atenção à forma como ela fala sobre os itens que seus amigos e colegas têm. Isso pode indicar se ela deseja possuir estes mesmos produtos para se sentir identificada e aceita no grupo ou se, pelo contrário, ela não costuma se deixar influenciar pelos outros; 5) Você também pode observar a reação da criança ao perceber que não poderá ter aquilo que deseja naquele momento, constatando se ela age com maturidade e busca compreender a situação, ou se chora, esperneia e faz birra; 6) Se você dá mesada para o seu filho, verifique se ele poupa parte do valor para os seus sonhos ou se não consegue passar o mês com o que ganha e acaba pedindo mais dinheiro; 7) Identifique se os parentes mais próximos são consumistas. As crianças “herdam” hábitos e costumes de seus familiares, por isso é importante que os adultos busquem se educar financeiramente e melhorar seus comportamentos em relação ao uso do dinheiro; 8) Converse com ela para saber se ela planeja formas para conquistar aquilo que deseja. O planejamento é uma das mais importantes atitudes de quem é educado financeiramente, algo que diminui o consumismo desenfreado.

Fonte: Economia - iG @ http://economia.ig.com.br/2017-0210/consumismo.html


56 Veículo:

Rádio CBN

Data: 02/01/2017 Site: https://soundcloud.com/user-566348325/radio-cbn-planejamento-financeiro-02-012016-lorena-milaneze

Especialista recomenda equilíbrio nos gastos para não sofrer ressaca financeira pós-carnaval

Curtir o carnaval gera gastos. São bebidas, alimentação, hospedagem, fantasias e até mesmo o consumo em bares e baladas. Para não deixar que euforia do Carnaval provoque um rombo no orçamento é necessário planejamento. O educador financeiro, Márcio Marques, recomenda fazer um diagnóstico da própria situação financeira e se programar com antecedência para não sair gastando de forma impulsiva, do contrário, o endividamento pode se arrastar por meses.


57

Mesmo nas festas em família, na própria casa, o gasto pode sair do controle para o anfitrião. Para que isso não aconteça, Márcio Marques lembra que não é constrangimento nenhum pedir a colaboração dos convidados na divisão de despesas. 60% da população brasileira está endividada. Desses, em 80% dos casos, são dívidas com cartão de crédito. De acordo com o educador financeiro, o cartão de crédito, quando bem utilizado, pode ser até um bom investimento, mas se o consumidor cair na cilada do crédito rotativo, a bola de neve financeira será inevitável. Para o especialista, curtir o carnaval sem deixar a emoção dominar o equilíbrio nos gastos é a melhor receita para não acordar na quarta-feira de cinzas com ressaca financeira.


58 Veículo:

Tribuna da Bahia

Data: 19/02/2017 Site: http://bahia.ig.com.br/2017/02/19/7-atitudes-para-reduzir-os-gastos-em-casa

7 atitudes para reduzir os gastos em casa O autor é presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira

Reinaldo Domingos | 19/02/2017 - 21:28

Se as contas não estão fechando, é importante se atentar aos pequenos gastos, despesas e compras feitas de forma desordenada. Em média, 25% dos gastos mensais são supérfluos ou desnecessários. As pessoas sempre dizem que não têm mais de onde reduzir os gastos, mas, ao fazer uma boa análise, observam que é sim possível. Quando se fala em educação financeira e em economizar, a maioria das pessoas afirma imediatamente: "Com a quantia que ganho, não tenho como economizar!". Esqueça essa postura negativa, do contrário ela acabará impedindo que você tome as ações necessárias. A primeira mudança deve ser mental, ao acreditar que é possível sim mudar a sua situação. Para que isso ocorra de forma mais assertiva, é importante fazer uma reunião familiar e falar sobre os sonhos da família, seguido do que pode ser feito para diminuir ou eliminar despesas supérfluas para que possam conquistar os sonhos. Para mostrar melhor essa questão, vou detalhar alguns pontos, dentre vários outros, que acredito que sejam práticos e do cotidiano: 1 - Os gastos com energia elétrica são os que mais apresentam excessos. Basta pensar em quanto tempo usa o chuveiro e em quantas vezes deixa as luzes acesas e a geladeira aberta. Sem contar no uso de televisão e de computador; 2 - O uso de telefone também deve ser repensado, fazendo uma análise entre os valores do fixo e do celular. Quando possível, dê preferência ao uso do fixo, já que é menos custoso. É preciso comparar as tarifas entre operadoras de tempos em tempos, visando o melhor negócio;


59

3 - A reciclagem de produtos também deve ser priorizada. O desperdício nos lares brasileiros é alto, muitos ignoram que é possível reciclar alimentos, roupas, móveis e até mesmo materiais escolares, sem perder a qualidade; 4 - Antes de ir ao supermercado, faça uma lista de compras e procure deixar as crianças em casa. Também tenha cuidado com as promoções; quantas vezes compramos o famoso “pague dois e leve três” e não usamos toda a quantia; 5 - Compare os preços quando for às compras. Seja em lojas, supermercados e até restaurantes, é fundamental que se faça essa comparação, pois as variações são muitas. Evite produtos de “grife”, dê preferência a qualidade e não o status; 6 - Economize ao utilizar seu veículo. Nem sempre é preciso fazer tudo de carro, caminhar é saudável e pode ser econômico. Além disso, é importante manter o carro revisado para que imprevistos não estoure as finanças; 7- Na utilização de gás e água também é possível economizar. Evite deixar o fogo, o chuveiro e as torneiras abertas sem necessidade e busque reutilizar a água.


60 Veículo:

A Crítica

Data: 12/02/2017 Site: infancia

http://www.acritica.com/channels/manaus/news/educacao-financeira-comeca-na-


61 Veículo:

Tribuna do Ceará

Data: 05/02/2017 Site: http://tribunadoceara.uol.com.br/opiniao/opiniao/criar-filho-desde-o-nascimento-aos21-anos-pode-custar-r-400-mil/

Em tempo de crise, escolha festas públicas para não estourar seu orçamento É possível curtir o momento sem gastar mais do que pode. Em várias cidades há blocos de rua, eventos gratuitos e comunitários

Por Tribuna do Ceará em Carnaval 26 de fevereiro de 2017 às 07:00

O Carnaval deste ano deve movimentar R$ 5,8 bilhões no turismo, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Além de gastos com passagem e hospedagem, muitos brasileiros também terão despesas extras com consumo tanto em bares e baladas, quanto em casa, com alimentação e bebidas. Para evitar o descontrole financeiro e o endividamento, é preciso se planejar. É importante fazer um diagnóstico financeiro, analisar as possibilidades e respeitar o orçamento. Confira abaixo 6 orientações práticas para economizar no Carnaval:

1- Faça um orçamento Para evitar que descontração e a euforia se transformem em preocupação nos meses seguintes, conheça a sua condição financeira, seus ganhos e suas despesas, e elabore um orçamento antecipado de gastos para o Carnaval. Durante o feriado, atenha-se ao planejado;


62

2- Economize na fantasia Se for a um bloco de rua ou festa e precisar de uma fantasia, verifique se não é possível usar a mesma do ano passado. Caso não tenha, é válido emprestar de um amigo ou familiar ou fazer a sua, customizando alguma roupa. O aluguel, geralmente, custa caro; 3- Orce as viagens com antecedência Se for viajar, faça as contas e veja quanto pode gastar sem comprometer o orçamento e só então pesquise os melhores os pacotes e condições de pagamento. Agora está em cima da hora, então, talvez, o melhor a fazer seja aproveitar conforme o orçamento mensal permitir, sem se endividar, e se programar para realizar aquele grande plano no próximo ano, já se planejando desde agora; 4- Em casa, evite o desperdício Se for descansar em casa, fique atento ao desperdício de água, energia e gás. Ao elaborar refeições, opte por itens frescos, com boa qualidade e preços baixos, como os encontrados em feiras livres e em mercados atacadistas. Contudo, evite o desperdício de alimentos planejando as quantidades das refeições e busque reaproveitar as sobras em novas receitas; 5- Vá a eventos gratuitos Saiba que é possível curtir o momento sem gastar mais do que pode. Em várias cidades há blocos de rua, eventos gratuitos e comunitários, convidativos para toda a família, além de programações especiais em parques. É válido optar pelo transporte público, evitando gastos com combustível e estacionamento, ou dividir táxi com amigos; 6- Fuja do consumismo exacerbado Por mais que o período seja festivo, mantenha os pés no chão e respeite o seu padrão de vida, para que possa se divertir sem cair no descontrole financeiro. Evite o consumo exacerbado, inclusive de alimentos industrializados e bebidas alcoólicas. Afinal de contas, exagerar não faz bem nem pra saúde física, nem para a financeira. *Dicas de Reinaldo Domingos, doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira e autor do best-seller Terapia Financeira, do lançamento Diário dos Sonhos e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira do Brasil.


63 Veículo:

Nova Metrópole Indaiatuba

Data: 11/02/2017


64 Veículo:

Extra

Data: 19/02/2017 Site: http://extra.globo.com/noticias/economia/especialistas-ensinam-renegociar-dividascom-saldo-do-fgts-20945090.html

Especialistas ensinam a renegociar dívidas com saldo do FGTS

Saldo pode ser usado para renegociar dívidas e acabar com o “nome sujo” na praça Foto: Edilson Dantas / O Globo

Marcela Sorosini

O SPC Brasil estima que 50% dos recursos retirados pelos trabalhadores das contas inativas do FGTS sejam destinados ao pagamento de dívidas,


65

que 30% sejam poupados, e que o restante seja usado para outros gastos. O Instituto Akatu, uma ONG que atua em prol do consumo consciente, lembra que o brasileiro precisa refletir antes de sair gastando o montante sacado. Segundo ele, uma boa alternativa é pagar dívidas, principalmente aquelas com altos juros, como as de cheque especial e cartão de crédito. O ajudante geral Marcos Nascimento, de 47 anos, morador do Jacarezinho, faz aniversário em abril e pretende usar o dinheiro do saque para quitar o que deve. — Quero pagar minhas dívidas, tirar meu nome do SPC e reformar a sala de casa. O educador financeiro Rogério Braga explica que o primeiro passo é fazer um diagnóstico financeiro para avaliar se a pessoa está endividada, inadimplente ou equilibrada financeiramente. Vale lembrar que endividado é qualquer pessoa que tem um débito a pagar, como um financiamento ou uma fatura do cartão de crédito. O inadimplente é aquele consumidor que tem contas ou prestações em atraso e está até com o nome inscrito em cadastros como os do SPC e da Serasa. — Caso as contas estejam gerando inadimplência, é melhor optar pelo pagamento das dívidas com juros mais elevados. Mas, mesmo nesta situação, é necessário saber se o valor será suficiente para liquidar os débitos, pois quitar só uma parte não resolverá o problema. Antes de pagar, negocie para obter descontos — disse Rogério Braga.


66 VeĂ­culo:

A Tribuna

Data: 28/02/2017


67 Veículo:

O Liberal

Data: 18/02/2017 Site: http://liberal.com.br/cidades/americana/penhor-movimentou-r-55-milhoes-em-2016533276/

Penhor movimentou R$ 5,5 milhões em 2016 Valor observado em Americana é 18% maior do que no ano de 2015 e essa elevação está relacionada a um maior endividamento da população O serviço de penhor da Caixa Econômica Federal movimentou, em Americana, R$ 5,505 milhões em 2016. O montante é 18% maior do que aquele registrado em 2015 pelo banco. O crescimento percentual é superior ao registrado no país – o serviço movimentou R$ 13,3 bilhões em 2016, um aumento de 11,4% no volume de crédito em todas as 460 agências que oferecem o serviço. Para especialistas, essa elevação está relacionada a um maior endividamento, reflexo da crise econômica. Americana é a única cidade da RPT (Região do Polo Têxtil) que conta com o serviço de penhor em uma agência da Caixa. O número de contratos ativos na cidade também cresceu no período, passando de 1.905 para 2.133, crescimento de 12%.


68

Foto: Arquivo / O Liberal

Americana é única cidade da RPT que conta com serviço de penhor em agência

O educador financeiro Marcio Marques explicou que por se tratar de uma forma de crédito com poucos juros, o penhor geralmente é utilizado para “limpar o nome”. “O indicado é substituir uma dívida de maiores taxas por outra de menores. Procurar o penhor é uma atitude inteligente, e avalio como positivo que o brasileiro esteja procurando ferramentas financeiras com taxas menores e mais vantajosas. Contudo, é preciso atacar a causa e evitar gastar mais do que ganha”. Podem ser penhorados metais nobres, ouro, diamante lapidado, joias, pérolas, relógios e canetas originais de valor, pratarias autênticas e objetos não perecíveis de valor. O penhor existe de duas formas: a modalidade do penhor parcelado, em que o bem pode ficar retido de 2 a 60 meses, sendo pago mensalmente a amortização e a parcela do empréstimo; e a amortização única, no qual o bem fica penhorado entre 1 e 180 dias, sendo pago apenas os juros mensais, na casa dos 2%. Ao final do prazo contratado, é possível renovar o penhor por mais 180 dias, abater uma parte e renovar apenas a diferença ou, ainda, quitar o empréstimo e resgatar a joia. Caso a dívida não seja quitada, o bem vai a leilão.


69

Como o penhor é uma garantia sólida, o empréstimo dispensa análise cadastral e avalista. Não é preciso ser correntista da Caixa para buscar essa linha de crédito. O cliente só precisa ser maior de 18 anos e apresentar CPF, documento de identidade e comprovante de residência.


70 Veículo:

Tribuna da Bahia

Data: 14/02/2017 Site: http://www.tribunadabahia.com.br/2017/02/14/saiba-identificar-se-seu-filhoconsumista-em-8-passos

Saiba identificar se o seu filho é consumista em 8 passos Publicada em 14/02/2017 13:02:03

Muitos pais convivem com a dúvida se estão criando corretamente seus filhos, se preocupando, inclusive, com o fato deles estarem se tornando excessivamente consumistas. Infelizmente, não é simples saber quando isso ocorre, mas há alguns pontos que podem - e devem - ser observados na atitude das crianças. Elas estão constantemente expostas à influência de amigos e a propagandas, que estimulam o consumismo e muitas vezes fazem com que fiquem "hipnotizadas" e acabem querendo ter tudo o que veem pela frente. Mas, como saber quando uma criança realmente está se tornando consumista? “É normal que os pequenos sintam desejos sobre as coisas que veem, mas é importante que se tenha em mente que grande parte desses desejos são imediatistas, ou seja, passageiros. A situação começa a ficar complicada quando a criança acredita ter necessidade de possuir tudo aquilo que lhe é sugestivo e, quando não consegue, faz birra”, afirma o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos. As crianças têm muitos sonhos e desejos, mas na maioria das vezes não sabem quanto custa e por quanto tempo é necessário esperar para conquistar.


71

A falta de paciência e o constante desejo por coisas novas são indícios de que elas já podem aprender a importância de um planejamento e de estabelecer três sonhos, um de curto prazo, a ser realizado dentro de um mês, outro de médio prazo, entre um e seis meses, e um último, mais difícil, de longo prazo, após seis meses. Outro aspecto que indica o consumismo excessivo é quando as crianças recebem mesada e não poupam parte dela para os sonhos e nem conseguem passar o mês com o que ganham, logo acabam pedindo mais dinheiro aos pais. “É válido também observar quando elas ganham um presente: se são cuidadosas ou logo deixam de lado, esquecem em algum lugar ou quebram. Se presenciar atitudes como estas, é a hora de repensar a educação financeira de seus filhos”, orienta Domingos. Nesse sentido, o primeiro passo é conhecer as origens do problema. “A maioria irá rapidamente falar que a culpa é da TV ou do marketing publicitário.Isso é um grande erro, pois por mais que possa se auferir a esses uma parcela de culpa, os maiores responsáveis pelos comportamentos – atuais e futuros – dos filhos sempre serão os pais. É comum observar famílias delegando responsabilidades como forma de se isentar de culpa e isso não ajuda na solução do problema”, lembra Domingos. É importante sim que os pais se atentem às influências externas, considerando limitar ou controlar o acesso das crianças às mensagens publicitárias e conversar com eles sobre seus desejos e anseios, além de observar com quem os filhos estão se relacionando e como isso os está influenciando. Contudo, o principal, segundo o especialista, é ter consciência de que os filhos herdam grande parte de seus hábitos dos pais. “É preciso combater a verdadeira causa desse consumo não consciente, buscar conhecer melhor e então mudar os comportamentos nocivos. Sem dúvidas, os adultos têm que buscar pelo conhecimento do letramento financeiro para orientar as crianças”, diz Domingos. “Se os hábitos e costumes da família forem positivos em relação ao uso do dinheiro, eles tendem a prevalecer na vida dos filhos. Isso, certamente, evitará que as crianças se tornem adultos endividados e com problemas financeiros”. Um aspecto importante é que cada vez mais escolas brasileiras, tanto públicas quanto particulares, vêm oferecendo aulas de educação financeira para as crianças e jovens. “Dessa forma, família e escola trabalham juntos para garantir que as próximas gerações conquistem tudo aquilo que desejam de forma sustentável e consciente”, aponta Domingos.


72

Veja 8 passos para identificar se a criança é consumista: 1- Observe se ela fica "hipnotizada" frente às propagandas em sites ou no intervalo de seus programas favoritos ou se, pelo contrário, as chamadas não despertam grande interesse a ponto de fazê-la desejar tudo o que vê; 2- Atente-se a forma como ela fala sobre os itens que seus amigos e colegas têm, observando se deseja ter também para se sentir identificada e aceita no grupo ou se, pelo contrário, ela não costuma se deixar influenciar pelos outros; 3- Observe a reação da criança ao perceber que não poderá ter aquilo que deseja naquele momento, constatando se ela age com maturidade e busca compreender a situação ou se chora, esperneia e faz birra; 4- Procure saber se a criança tem apenas desejos imediatistas (por coisas que quer, mas que pode viver sem), ou se tem sonhos, anseia por itens que tem significado e importância em sua vida; 5- Procure saber se ela planeja formas para conquistar aquilo que deseja. O planejamento é uma das mais importantes atitudes de quem é educado financeiramente, algo que diminui o consumismo desenfreado; 6- Caso ela receba mesada, verifique se ela poupa parte do valor para os seus sonhos ou se não faz isso e/ou não consegue passar o mês com o que ganha e acaba pedindo mais dinheiro; 7- Observe se ela é cuidadosa com os presentes que ganha ou se deixa de lado, esquece em algum lugar ou quebra rapidamente; 8- Identifique se a família – pais, tios, avós e irmãos – são consumistas. As crianças “herdam” hábitos e costumes de seus familiares, por isso é importante que os adultos busquem se educar financeiramente e melhorar seus comportamentos em relação ao uso do dinheiro.


73 Veículo:

Tribuna do Ceará

Data: 05/02/2017 Site: http://tribunadoceara.uol.com.br/opiniao/opiniao/criar-filho-desde-o-nascimento-aos21-anos-pode-custar-r-400-mil/

Criar filho desde o nascimento aos 21 anos pode custar R$ 400 mil Criar um filho do 0 aos 21 anos, para uma família com renda mensal de R$ 5 mil, fica em torno desse valor

Por Reinaldo Domingos

Ter ou não um filho é uma decisão que, cada vez mais, leva em conta a questão financeira. A chegada de uma criança na família é uma alegria que exige um planejamento para garantir sua segurança em todas as etapas. Afinal, de acordo com cálculos da DSOP Educação Financeira, criar um filho do 0 aos 21 anos, para uma família com renda mensal de R$ 5 mil, fica em torno de R$ 400 mil. Entre os principais gastos estão mobília do quarto, equipamentos (carrinho, banheira, etc.) enxoval, consultas médicas, exames, custos com o parto, fraldas, remédios, despesas com babá ou creche, educação, vestuário, presentes e festas em datas especiais, passeios, lazer, alimentação e saúde (assistência médica e odontológica), entre outros.


74

Enfim, ter um filho engloba muitos gastos, então é preciso garantir a realização de todas as etapas de sua vida com segurança. Para isso, recomendo que, com a antecedência de dois anos, já comece a guardar aproximadamente 25% do que se ganha para esse fim. Para os que falam que isso não é possível, pode ter certeza que depois que a criança nascer isso terá que ser feito, assim, o melhor é se antecipar. Para quem não planejou, já teve ou terá um filho, o caminho é começar a adequar o seu padrão de vida a essa nova realidade e, por mais que os gastos pré-natais sejam pesados, buscar poupar parte do que ganha para criar uma reserva de emergência. É fundamental ter em mente que sacrifícios devem ser feitos, mas que todos valerão a pena com a presença de mais um membro da família. Outro ponto primordial para os pais é planejar o futuro do filho e para tanto recomendo que comecem uma previdência privada para ele. O pouco que se poupa hoje tende a se tornar muito quando o filho fizer 18 anos, já que os juros estarão trabalhando a seu favor. Para se ter ideia, se, quando a criança nascer, os pais começarem a poupar R$ 100 por mês (o que não é nenhum absurdo), em um tipo de investimento com rendimentos médios de 0,6% ao mês, com reajuste inflacionário de 10% ao ano, ao fim desse período terá garantido para o filho aproximadamente R$ 100 mil. Um valor como esse possibilitará uma boa faculdade, pós-graduação e/ou uma viagem ao exterior. Assim, ter um filho é uma dádiva que a grande maioria das pessoas almeja e que, quando precedida por um planejamento financeiro, tende a acontecer com menor preocupação e maior aproveitamento dos momentos de alegria e realização. Reinaldo Domingos é doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira


75 Veículo:

O Dia

Data: 11/02/2017 Site: http://odia.ig.com.br/automania/2017-02-11/especialista-em-educacao-financeira-dadicas-para-quem-quer-comprar-um-carro.html

Especialista em educação financeira dá dicas para quem quer comprar um carro Especialista afirma que, sem sombra de dúvidas, o melhor modelo para realizar uma compra é poupar 11/02/2017 00:00:00 LEANDRO EIRÓ

Rio - Carro para o brasileiro é patrimônio, sonho. Ter um está nos planos de muitos de nós. Esse desejo assume tal força a ponto de não nos atentarmos aos custos obrigatórios relacionados à compra e posse de um automóvel. E é aí que está o perigo. Na busca por um meio mais tranquilo e seguro de obter e manter um veículo, o educador financeiro Rogério Braga, da DSOP educação financeira, dá orientações possíveis de serem seguidas por qualquer consumidor.


76

Especialista em educação financeira Rogério Braga inclui nos cálculos o custo mensal com manutenção. Segundo ele, a despesa com isso é de 2% do valor de mercado do carroDivulgação

Para o especialista, o problema é grande, pois a maioria das pessoas desconhece os custos em torno de um automóvel. Muitos dos que ainda não têm pensam apenas na prestação a ser paga. E muitos dos que já têm pensam que o gasto se resume ao consumo de combustível. Aí estão armadilhas, uma vez que é preciso conhecer as diversas despesas de um veículo antes de comprá-lo. Além de considerar esses gastos, convém avaliar a necessidade de ter um carro. “Se for para a pessoa usar só no fim de semana, avalie usar transporte público, o táxi ou Uber, em vez de comprar um carro”, recomenda. Mesmo quem precisa para executar um trabalho e gerar renda, não deve dispensar os cuidados. Antes de dar o primeiro passo, para aquele que vai comprar, Rogério recomenda um planejamento. “O interessado deve diagnosticar sua situação financeira atual por pelo menos 30 dias, anotando todas as despesas que tem, por menores que sejam. Neste momento, o consumidor vê o que pode cortar e quanto pode poupar”, explica. Sem planejar a compra, o risco do negócio não se concluir é enorme no futuro. O comprador pode entrar em dívida e até perder o bem. Depois do diagnóstico de gastos, é hora de fazer os cálculos. “É neste momento que o consumidor vai enxergar qual a melhor modalidade para executar a compra do carro, o tipo de financiamento, número e valores de parcelas, entrada e se o negócio será em curto, médio ou longo prazo”, avalia


77

Rogério. Ele explica que, tendo o orçamento sob controle, o interessado pode fazer os ajustes necessários para adquirir o veículo com segurança.

POUPAR ANTES DE COMPRAR

'Aquele que poupa poderá, no futuro, fazer a compra daquilo que deseja com as melhores condições', Rogério Braga, da DSOPDivulgação

O especialista afirma que, sem sombra de dúvidas, o melhor modelo para realizar uma compra é poupar. “Aquele que poupa poderá, no futuro, fazer a compra daquilo que deseja com as melhores condições. Comprando um carro à vista, por exemplo, é possível obter um desconto tal que posteriormente vai custear sua manutenção por um ano”, comenta. Rogério lembra, porém, que a cultura de poupar e investir dinheiro ainda não é tão natural na nossa sociedade, mesmo sendo o melhor comportamento, na sua avaliação. “Fomentam muito o financiamento para nós que facilita as compras. Mas cobra alto de juros”, acrescenta. Uma vez adquirido um carro, o custo mensal para mantê-lo de forma adequada gira em torno de 2% do valor, avalia Rogério. Sendo assim, um


78

veículo que custou R$ 20 mil rende por mês uma despesa entre R$ 400 e R$ 600. Isso só com a manutenção. Quem comprou financiado, ainda deve acrescentar as prestações. “O proprietário deve ter essa noção fixa na cabeça. Esse percentual engloba os custos com combustível, estacionamento, seguro, manutenção, IPVA, licenciamento, lavagens e, até mesmo, possíveis multas”, explica o especialista.

Serviço Qualquer interessado em melhorar seu controle de gastos e orçamento, pode procurar educadores na DSOP. A empresa promove cursos, debates, seminários, entre outras atividades dentro desse segmento. Informações podem ser consultadas no site dsop.com.br ou pelo telefone 3281-7800. Ou, ainda, na Praia do Flamengo 66, bloco B, sl 608


79 Veículo:

Diário de Pernambuco

Data: 15/02/2017 Site: http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2017/02/15/internas_econo mia,689384/principal-destino-dos-recursos-do-fgts-sera-quitacao-de-dividas.shtml

Principal destino dos recursos do FGTS será quitação de dívidas Na avaliação da planejadora financeira Teresinha Rocha, da DSOP Educação Financeira, não há nem o que discutir, pois o fundo rende muito menos do que os juros que as famílias costumam pagar nos empréstimos Por: Correio Braziliense Publicado em: 15/02/2017 12:10 Atualizado em:

O alto endividamento das famílias não gera dúvidas entre os especialistas sobre a prioridade que os cotistas devem observar quando forem usar os recursos das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) a partir de março: o pagamento de dívidas. Na avaliação da planejadora financeira Teresinha Rocha, da DSOP Educação Financeira, não há nem o que discutir, pois o fundo rende muito menos do que os juros que as famílias costumam pagar nos empréstimos. “Caso tenha dívidas, a melhor coisa que a pessoa pode fazer é pagá-las”, orientou.

Teresinha recomenda que o dinheiro do FGTS seja utilizado para consumo apenas em casos excepcionais — e quando não existirem dívidas a pagar. Não adianta deixar as contas em atraso e assumir novas dívidas, porque isso, na expressão dela, seria o “caixão”. “É preciso fazer um planejamento benfeito antes de sacar o dinheiro e tentar guardar algum valor em uma reserva emergencial para evitar cair em um novo endividamento”, explica a especialista.


80

Calote O economista e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) José Luís Oreiro também acredita que os recursos sacados do FGTS devem ser direcionados, basicamente, para pagar dívidas. “O rendimento do FGTS é 3% ao ano mais a TR (Taxa Referencial). Qualquer dívida, por menor que seja, custa, pelo menos, 2% ao mês ao tomador. Então, tendo a possibilidade de sacar o FGTS, a melhor alternativa é reduzir o saldo devedor o mais rápido possível”, afirmou.

Para Oreiro, o efeito dos resgates das contas inativas, cujo cronograma foi detalhado ontem pelo governo, será a redução dos níveis de calote dos consumidores perante o sistema financeiro. “Isso poderá ajudar a diminuir os spreads bancários (diferença entre a taxa paga pelos bancos na captação de recursos e a cobrada nos empréstimos). O custo do dinheiro para as pessoas físicas deve cair por conta da redução da inadimplência”, explicou.

A professora de Finanças para o MBA da Fundação Getulio Vargas (FGV) Myrian Lund, no entanto, lembrou que os brasileiros precisam aprender a poupar e a planejar as finanças para evitarem a armadilha do endividamento. “O importante é quitar as dívidas, mas também saber fazer uma reserva de emergência para o futuro, mas esse não é o comportamento natural do brasileiro”, lamentou.

“Muitas pessoas tomam decisões pela emoção. No momento em que têm nas mãos um dinheiro que não esperavam, como é o caso do saque das contas inativas do FGTS, a tendência das pessoas é gastar , quando o mais importante é planejar as despesas e eleger prioridades”, afirmou a professora. (RC e RH)


81 VeĂ­culo:

A Tribuna

Data: 15/02/2017


82

Veículo:

O Povo

Data: 15/02/2017 Site: http://www.opovo.com.br/jornal/economia/2017/02/dicas-sobre-o-que-fazer-com-odinheiro.html

Dicas sobre o que fazer com o dinheiro Renda extra vem em boa hora, mas é preciso cautela para não colocar em risco a reserva financeira construída após meses - ou anos - de trabalho, alerta o educador financeiro da DSOP, Arthur Lemos. “O FGTS tem este caráter de reserva financeira e o ideal é saber usar este recurso extra a seu favor. Se a pessoa já possui dívidas e está inadimplente, o recomendado é resolver esta situação. Se conseguir quitar integralmente melhor ainda. Cabe um contato com o credor para renegociar uma condição melhor para o pagamento à vista”, afirma o educador, lembrando que dívidas de cartão de crédito e cheque especial são as consideradas as mais caras do mercado.


83

Para quem está financeiramente equilibrado, uma boa alternativa é sacar o valor e investir. “Qualquer aplicação que renda mais de 5% ao ano, que é o índice de rentabilidade do FGTS, considerando 3% mais Taxa Referencial, é mais vantajosa do que manter o dinheiro retido. Até a caderneta de poupança rende mais”, afirma o economista Vitor Leitão, lembrando que outros tipos de investimentos, como o Tesouro Direto, pode trazer maior retorno financeiro. O ideal é procurar aquele que melhor se adeque ao seu perfil de investidor, aos recursos disponíveis e aos seus objetivos financeiros. Se o plano é guardar dinheiro para emergência, é melhor optar por um investimento de maior liquidez, ou seja, que possa ser retirado a qualquer momento. Se quer guardar dinheiro para uma aposentadoria, é melhor apostar em títulos de longo prazo e com melhor rentabilidade. O gestor de recursos da Spinelli Corretora, Chow H. Juei, explica que hoje com R$ 30 já é possível investir em títulos do Tesouro Selic, cujo rendimento bruto pode chegar a 13% ao ano. ”Independente do valor da conta inativa, é um dinheiro acumulado do trabalhador que deve ser investido. Hoje o Tesouro Selic que é atrelado à taxa de juros é um dos títulos com menor risco”.


84

Mesmo para quem nunca investiu, ele também considera vantajoso apostar em produtos como o Tesouro IPCA, que é o título do governo federal que é atrelado aos indicadores da inflação. Ou mesmo em fundos de ações, que não tem taxa de corretagem, possui boa rentabilidade e é possível investir com montantes entre R$ 500 e R$ 1 mil.


85 Veículo:

Diário Gaúcho

Data: 08/02/2017 Site: http://diariogaucho.clicrbs.com.br/rs/dia-a-dia/noticia/2017/02/o-que-muda-com-asnovas-regras-para-aderir-ao-minha-casa-minha-vida-9715665.html

O que muda com as novas regras para aderir ao Minha Casa Minha Vida Governo promete maior acesso ao programa com o reajuste das faixas de renda e do limite de financiamento. Mas famílias precisam planejar bem para não entrar numa fria

Foto: Fabrizio Motta / Agencia RBS Leandro Rodrigues

leandro.rodrigues@diariogaucho.com.br


86

As regras foram anunciadas, e agora as famílias precisam ficar atentas para o que vem por aí no maior programa de acesso à casa própria no Brasil. A promessa do governo federal é de maior acesso ao Minha Casa Minha Vida (MCMV) depois do reajuste das faixas de renda e também do limite de financiamento. A expectativa é um número maior de residências sendo custeadas, com estímulo para a construção civil. Mas as novas regras não dão nada de graça nem fazem mágica. — Comprar imóvel é algo que se faz com planejamento. A prestação tem de caber dentro do orçamento. Porque será um parcelamento de muitos anos — alerta o educador financeiro Adriano Severo. Agora, famílias com ganho mensal de até R$ 9 mil poderão ter acesso ao financiamento pelo programa, que contempla uso do FGTS e tem condições mais vantajosas do que o crédito imobiliário tradicional. Até então, o limite era de R$ 6,5 mil. — Mais gente, que antes tinha de financiar a juros altos, poderá se enquadrar no programa. Vai ser importante para o mercado, mas não será um impacto tão grande — avalia o corretor de imóveis Murialdo Crescencio, especializado no MCMV. Outras faixas de renda também tiveram reajuste. Para se enquadrar na Faixa 1,5, a renda total da família precisa ser de até R$ 2,6 mil. Antes, esse


87

limite era menor, de R$ 2,35 mil. Na faixa 2, agora é preciso ter renda de até R$ 4 mil, não mais de R$ 3,6 mil. Na prática, houve um reajuste de 7,69% nos limites antigos. Para se enquadrar na Faixa 1, as famílias seguem tendo de receber até R$ 1,8 mil. Também foi aumentado o valor máximo dos imóveis que podem ser incluídos nas operações com FGTS. Em Porto Alegre, de R$ 200 mil passará a R$ 215 mil. Mas, segundo o Ministério das Cidades, existe a possibilidade de um aumento de 25% nos valores do teto dos imóveis. Isso significa que, na Capital, para a renda familiar mais alta dentro do MCMV, poderão ser enquadrados imóveis avaliados em até R$ 268.750. Para quem ganha menos, a alteração dos valores de subsídio também é uma novidade, com descontos maiores. Na Faixa 1,5 passa de R$ 45 mil para R$ 47.500 e, na Faixa 2, o desconto aumenta de R$ 27.500 para R$ 29 mil. — Digamos que será o empurrão que faltava para quem já vinha se planejando. Acredito que atraia mais quem já tem casa e queria se mudar para alguma maior, ou quem já vinha pagando aluguel há muito tempo e queria a casa própria — afirma Murialdo. As mudanças estão previstas para entrar em ação imediatamente, a partir da publicação da Resolução do Conselho Curador do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).


88

As novas regras do Minha Casa Minha Vida Novos limites de renda familiar: /// Faixa 1: permanece em R$ 1,8 mil /// Faixa 1,5: de R$ 2.350 para R$ 2,6 mil /// Faixa 2: de R$ 3,6 mil para R$ 4 mil /// Faixa 3: de R$ 6,5 mil para R$ 9 mil /// Valor máximo para imóveis financiados com recursos do FGTS em Porto Alegre: de R$ 200 mil para R$ 215 mil. Pode chegar a R$ 268 mil para a Faixa 3. Quem sai mais beneficiado: /// Famílias com renda entre R$ 6,5 mil e R$ 9 mil têm o maior empurrão para a casa própria. /// Agora, dentro da Faixa 3, podem obter financiamento no MCMV com juros entre 8,16% e 9,16%. /// Fora do programa, as taxas praticadas variam entre 10% e 14%. Exemplo: – Uma família que financiava o valor de R$ 200 mil (taxa de 12% ao ano) pagaria em 30 anos o total de R$ 564 mil. /// Na nova regra, dentro da Faixa 3, a soma em 30 anos pelos mesmos R$ 200 mil seria de R$ 476 mil (taxa de 9,17% ao ano). Uma diferença de R$ 88 mil. /// Podem haver outras taxas e custos. Reajuste nas outras faixas: /// Já eram atendidas pelo MCMV, mas também ganham com as novas faixas.


89

/// Quem está na Faixa 1 pode receber subsídio de 90% do valor do imóvel. /// Na Faixa 1,5, o benefício máximo passa de R$ 45 mil para R$ 47,5 mil, com 5% de juros ao ano. /// Na Faixa 2, o subsídio aumenta de até R$ 27,5 mil para o limite de R$ 29 mil, com 5,5% a 7% de juros ao ano. No MCMV, você NÃO PODE: /// Ser dono ou ter financiamento de imóvel residencial. /// Ter recebido benefício de outro programa habitacional do governo federal. /// Estar cadastrado no Sistema Integrado de Administração de Carteiras Imobiliárias (SIACI) e/ou Cadastro Nacional de Mutuários (CADMUT). /// Ter débitos com o governo federal. Avaliação consciente: /// É a hora de comprar imóvel? /// Se você ainda não planejou, não é o momento de fazer a compra. /// A decisão depende de como estão as finanças da família. Responda aos seguintes questionamentos: /// Quanto pode suportar de prestação? /// Quanto pode dar de entrada? /// Tem reserva para as despesas extras? /// Do que está disposto a abrir mão durante o período de financiamento? Avalie a renda:


90

/// É preciso um diagnóstico completo. /// Você não deve comprometer mais do que 30% da renda com a prestação. /// Para isso, por um mês, anote todas as despesas da casa, da conta de luz até o pãozinho da padaria. /// Você saberá, assim, qual o percentual que sobra da renda e onde é possível cortar. ///Com esses números na mão, haverá condição de avaliar: – Quanto tempo para adequar a renda a uma prestação de imóvel? – Quais despesas posso e estou disposto a cortar? – Quanto tempo preciso para conseguir fazer uma reserva para outros gastos, taxas do banco e impostos do imóvel? /// Começando do zero, esse processo leva, pelo menos, um ano. Para ficar atento aos imóveis Novo ou em construção: /// Não feche negócio sem conhecer a localização do novo ou futuro imóvel. /// Cobre o memorial descritivo do imóvel. Nele estão os detalhes do apartamento e do condomínio como áreas oferecidas e materiais usados. /// Confira também o histórico da construtora. Entrega no prazo? Há muitas queixas? Fonte: educadores financeiros Jó Adriano da Cruz, Adriano Severo, corretor de imóveis Murialdo Crescencio e Ministério das Cidades


91 Veículo:

Folha do ES

Data: 18/02/2017 Site: http://www.folhadoes.com/noticia/2017/02/18/seis-orientacoes-para-economizar-nocarnaval.html

SEIS ORIENTAÇÕES PARA ECONOMIZAR NO CARNAVAL Os gastos esporádicos e não planejados são reduzidos quando a pessoa ou família é educada financeiramente e planeja suas ações com antecedência. A maioria da população não teve a oportunidade aprender a lidar com o dinheiro e, por isso, hoje sofre com a administração finanças, estando a mercê do descontrole. Portanto, é preciso mudar.

Enquanto uns querem viajar e descansar, outros preferem cair na folia e curtir as festas. Seja como for, é importante se programar com antecedência: fazer um diagnóstico financeiro, analisar as possibilidades e respeitar o orçamento. É o que orienta o presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos.


92

“Esse momento festivo precisa ser planejado e vivido de forma consciente, evitando o descontrole financeiro que pode se arrastar por meses. Por ser uma ocasião que se repete todos os anos, é válido se planejar para o Carnaval com antecedência. Para quem não fez, algumas orientações, como evitar o desperdício e o descontrole, são imprescindíveis”, orienta Domingos.

Confira 6 orientações para economizar no Carnaval: 1- Faça um orçamento Para evitar que descontração e a euforia se transformem em preocupação nos meses seguintes, conheça a sua condição financeira, seus ganhos e suas despesas, e elabore um orçamento antecipado de gastos para o Carnaval. Durante o feriado, atenha-se ao planejado;

2- Economize na fantasia Se for a um bloco de rua ou festa e precisar de uma fantasia, verifique se não é possível usar a mesma do ano passado. Caso não tenha, é válido emprestar de um amigo ou familiar ou fazer a sua, customizando alguma roupa. O aluguel, geralmente, custa caro;

3- Orce as viagens com antecedência Se for viajar, faça as contas e veja quanto pode gastar sem comprometer o orçamento e só então pesquise os melhores os pacotes e condições de pagamento. Agora está em cima da hora, então, talvez, o melhor a fazer seja aproveitar conforme o orçamento mensal permitir, sem se endividar, e se programar para


93

realizar aquele grande plano no próximo ano, já se planejando desde agora;

4- Em casa, evite o desperdício Se for descansar em casa, fique atento ao desperdício de água, energia e gás. Ao elaborar refeições, opte por itens frescos, com boa qualidade e preços baixos, como os encontrados em feiras livres e em mercados atacadistas. Contudo, evite o desperdício de alimentos planejando as quantidades das refeições e busque reaproveitar as sobras em novas receitas;

5- Confira eventos gratuitos Saiba que é possível curtir o momento sem gastar mais do que pode. Em várias cidades há eventos gratuitos e comunitários, convidativos para toda a família, além de programações especiais em parques. É válido optar pelo transporte publico, evitando gastos com combustível e estacionamento, ou dividir o táxi com amigos;

6- Fuja do consumismo exacerbado Por mais que o período seja festivo, mantenha os pés no chão e respeite o seu padrão de vida, para que possa se divertir sem cair no descontrole financeiro. Evite o consumo exacerbado, inclusive de alimentos industrializados e bebidas alcoólicas. Afinal de contas, exagerar não faz bem nem pra saúde física, nem para a financeira.


94 Veículo:

Extra

Data: 19/02/2017 Site: http://extra.globo.com/noticias/economia/especialistas-ensinam-renegociar-dividascom-saldo-do-fgts-20945090.html

Dez viagens internacionais para aproveitar o dólar em queda

Aruba é um dos lugares que pode ser visitado com o dólar em queda

Diana Figueiredo


95

O dólar chegou esta semana a custar R$ 3,10, o menor valor desde outubro de 2016, o que animou os viajantes que planejam férias no exterior. Os preços das passagens aéreas internacionais, vendidas em dólares, já estão um pouco menores, e alguns destinos estão bem atrativos com a queda da moeda americana. Segundo os economistas, o mercado financeiro está preocupado com riscos da postura protecionista do presidente norte-americano Donald Trump, mas não há como precisar se o dólar cairá mais. Por isso, quem vai viajar pode aproveitar e comprar a moeda agora, onde no câmbio turismo ela é vendida por aproximadamente R$ 3,30. — Tem que aproveitar o que considero um momento muito bom. É o momento de comprar dólares, mas quem não vai viajar por agora não deve comprar tudo de uma vez. Vá acompanhando e faça compras mensais ou semanais — orienta o educador financeiro Rogério Braga, explicando que acredita que o dólar ainda pode cair mais um pouco.

Confira as opções de destino de viagem* - Buenos Aires, Argentina


96

Passagem aérea: R$ 696 Diária para casal: R$ 94

- Montevidéu, Uruguai Passagem aérea: R$ 746 Diária para casal: R$ 109

- Barcelona, Espanha Passagem aérea: R$ 2.084 Diária para casal: R$ 173

- Cidade do México, México Passagem aérea: R$ 2.084 Diária para casal: R$ 138

- Milão, Itália Passagem aérea: R$ 1.916 Diária para casal: R$ 126

- Joanesburgo, África do Sul Passagem aérea: R$ 1.916 Diária para casal: R$110


97

- Aruba Passagem aérea: R$ 2.029 Diária para casal: R$ 289

- Lisboa, Portugal Passagem aérea: R$2.121 Diária para casal: R$135

-Amsterdã, Holanda Passagem aérea: R$2.095 Diária para casal: R$ 53

- Toronto, Canadá Passagem aérea: R$ 1.971 Diária para casal: R$ 110

* Pesquisa de passagens feita pelo site SkyScanner com passagem ida e volta no mês mais barato a partir do Rio de Janeiro. Diária para duas pessoas em hotel 3 estrelas.


98 Veículo:

Tribuna da Bahia

Data: 14/02/2017 Site: http://www.tribunadabahia.com.br/2017/02/14/saiba-identificar-se-seu-filhoconsumista-em-8-passos

6 dicas para economizar no carnaval As orientações são do presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos Publicada em 24/02/2017 08:53:40 Foto: Annca/Pìxabay/Creative Commons

Enquanto uns querem viajar e descansar, outros preferem cair na folia e curtir as festas. Seja como for, é importante se programar com antecedência: fazer um diagnóstico financeiro, analisar as possibilidades e respeitar o orçamento. É o que orienta o presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos. “Esse momento festivo precisa ser planejado e vivido de forma consciente, evitando o descontrole financeiro que pode se arrastar por meses. Por ser uma ocasião que se repete todos os anos, é válido se planejar para o Carnaval com antecedência. Para quem não fez, algumas orientações, como evitar o desperdício e o descontrole, são imprescindíveis”, orienta Domingos.


99 Os gastos esporádicos e não planejados são reduzidos quando a pessoa ou família é educada financeiramente e planeja suas ações com antecedência. A maioria da população não teve a oportunidade aprender a lidar com o dinheiro e, por isso, hoje sofre com a administração finanças, estando a mercê do descontrole. Portanto, é preciso mudar. 1 - Faça um orçamento - Para evitar que descontração e a euforia se transformem em preocupação nos meses seguintes, conheça a sua condição financeira, seus ganhos e suas despesas, e elabore um orçamento antecipado de gastos para o Carnaval. Durante o feriado, atenha-se ao planejado; 2 - Economize na fantasia - Se for a um bloco de rua ou festa e precisar de uma fantasia, verifique se não é possível usar a mesma do ano passado. Caso não tenha, é válido emprestar de um amigo ou familiar ou fazer a sua, customizando alguma roupa. O aluguel, geralmente, custa caro; 3 - As viagens precisam ser orçadas com antecedência - Se for viajar, faça as contas e veja quanto pode gastar sem comprometer o orçamento e só então pesquise os melhores os pacotes e condições de pagamento. Agora está em cima da hora, então, talvez, o melhor a fazer seja aproveitar conforme o orçamento mensal permitir, sem se endividar, e se programar para realizar aquele grande plano no próximo ano, já se planejando desde agora; 4 - Em casa, evite o desperdício - Se for descansar em casa, fique atento ao desperdício de água, energia e gás. Ao elaborar refeições, opte por itens frescos, com boa qualidade e preços baixos, como os encontrados em feiras livres e em mercados atacadistas. Contudo, evite o desperdício de alimentos planejando as quantidades das refeições e busque reaproveitar as sobras em novas receitas; 5 - Confira eventos gratuitos - Saiba que é possível curtir o momento sem gastar mais do que pode. Em várias cidades há eventos gratuitos e comunitários, convidativos para toda a família, além de programações especiais em parques. É válido optar pelo transporte publico, evitando gastos com combustível e estacionamento, ou dividir o táxi com amigos; 6 - Fuja do consumismo exacerbado - Por mais que o período seja festivo, mantenha os pés no chão e respeite o seu padrão de vida, para que possa se divertir sem cair no descontrole financeiro. Evite o consumo exacerbado, inclusive de alimentos industrializados e bebidas alcoólicas. Afinal de contas, exagerar não faz bem nem pra saúde física, nem para a financeira.


100

Veículo:

Portal N10

Data: 03/02/2017 Site: http://oportaln10.com.br/quanto-custa-manter-um-carro-veja-o-impacto-no-dia-dia57512/

Quanto custa manter um carro? Veja o impacto no dia a dia

Sonho de consumo de muitas pessoas, especialmente dos jovens, o carro é comumente associado à liberdade e a autonomia. Muita gente fala que é como ter um filho, algo que não se pode comparar em relação ao carinho, mas sim em relação às despesas. Portanto, antes de comprar, é muito importante considerar o custo de manter um veículo. Muitos dos que ainda não têm, pensam apenas na prestação a ser paga, enquanto muitos dos que já têm, pensam que o gasto se resume ao combustível. Aí estão armadilhas, é preciso ter consciência sobre as diversas despesas envolvidas. As básicos são: prestações,


101 seguro, combustível, manutenção, IPVA, licenciamento, lavagens e, até mesmo, possíveis multas. Quem já possui um carro quitado, só deve tirar dessa lista as prestações. Mesmo assim, verá que a despesa total chegará, em média, a 2% do valor do carro. Dessa, forma a manutenção de um veículo de 20 mil reais, por exemplo, tem um custo de aproximadamente 400 reais mensais. Muitos mantêm o carro apenas por status e o resultado é o endividamento ou a necessidade de devolver esse bem. Há famílias que possuem mais de um carro e deixam um deles parado na garagem, sem perceber que estão perdendo dinheiro. Outras o trocam pelo transporte público ou por Táxi ou Uber e obtém grande economia, sem piorar sua qualidade de vida. Enfim, ter ou não ter um carro é escolha de cada um, mas é preciso levar em conta a real necessidade e a capacidade de arcar com os custos mensalmente, algo que, na maioria das vezes, não é considerado pelos compradores.

Quero comprar um carro. Será que tenho condições financeiras? De acordo com Reinaldo Domingos, doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira, para saber se esse é realmente o momento certo de comprometer a sua renda com essa compra, saiba, primeiro, em qual situação financeira você se encontra: endividado, equilibrado financeiramente ou poupador. Os que se encaixam na primeira situação devem evitar ao máximo comprar um veículo, pois o importante, nesse momento, é quitar as dívidas e não entrar em mais uma. Se possuir um carro for uma vontade grande, ele deve entrar na lista dos sonhos, a ser adquirido no médio ou longo prazo. As pessoas equilibradas financeiramente, por sua vez, apesar de estarem em uma posição mais confortável, ainda precisam estar atentas. Basta um descuido e elas passam facilmente para a lista dos endividados, minando todas as chances de realizar seus sonhos, sejam eles de curto, médio ou longo prazos. O consumidor equilibrado deve avaliar se a aquisição de um novo veículo já estava no planejamento. Se sim, é hora de pesquisar com calma e paciência todas as opções de carro que agrada, avaliando pontos fortes e fracos. De qualquer forma, é essencial refletir sobre a real necessidade da compra e analisar as finanças. Caso a pessoa já possua um veículo, deve avaliar as vantagens e desvantagens de ter outro, até porque, adquirir um automóvel não é investimento – já que, logo que sai da concessionária, o carro sofre, em média, 10% de desvalorização.


102 Veículo:

O Vale

Data: 20/01/2017 Site: http://www.ovale.com.br/consultor-da-dicas-para-economizar-nas-contas-de-comecode-ano-1.740542

Banco Mundial diz que apenas 4 em 100 pessoas poupam para aposentadoria

Foto: Divulgação

Daniela Santos São José dos Campos

Apenas quatro em cada cem pessoas poupam para a aposentadoria, segundo pesquisa do Banco Mundial. Os dados levam em conta informações adquiridas em 143 países. O Brasil está na 12º pior colocação neste quesito. Economizar dinheiro é uma tarefa complicada para muitos, porém necessária até porque uma hora todos vão parar de trabalhar. Para isso, especialistas indicam que o primeiro passo é pensar no perfil de vida que se pretende obter após anos de trabalho e, claro, investir em recursos que darão frutos mais adiante. O consultor financeiro Silvio Bianchi garante que a forma mais eficaz de evitar contratempos é investir, desde cedo, em educação financeira. “É um problema


103

cultural no país. As pessoas não planejam o futuro, apenas vivem o presente. É preciso fazer investimentos ao longo da vida e não gastar com coisas supérfluas”, opinou. Silvio afirma que investir, seja em imóveis, que valorizam com o tempo, ou em ações são excelentes opções, pois resultam em rendas frequentes. Ser organizado também é fundamental. Guardar de 8% a 10% do salário mensal em uma poupança é produtivo também. Detalhe: Ela deve ser esquecida. ‘Não se deve mexer’. “As pessoas têm que fazer alguma coisa. Em palestras que ministro, quando pergunto por quanto tempo as pessoas manteriam o padrão de vida atual, a resposta de muitos é uma semana, um mês”, destacou. INSS. Em pesquisa recente divulgada pelo SPC Brasil e CNDL mostra que 46,9% dos aposentados que continuam trabalhando contribuem com o INSS por necessidade, mas apenas a renda do órgão público não é suficiente para bancar as despesas, considerado que 28% dos aposentados precisam de ajuda de terceiros para sobreviver e 25% não param de trabalhar porque não dariam conta de bancar suas dívidas, diz o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).


104 Veículo:

O Povo

Data: 13/02/2017 Site: http://www.opovo.com.br/jornal/economia/2017/02/mesada-uma-forma-deeducar.html

Mesada: uma forma de educar A volta às aulas pode ser um bom momento para começar a instituir mesada para uma criança ou adolescente. Saiba a melhor maneira de iniciar e nove dicas para não errar 01:30 | 13/02/2017

A mesada é uma ferramenta importante para educar financeiramente a criança e, em especial, reeducar pais. Esse é o pensamento do doutor em educação financeira e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos. Autor do livro “Mesada não é só dinheiro”, o especialista fala sobre os diversos tipos e sobre os erros mais comuns na hora de estabelecer uma mesada.


105

Para começar, ensina que a mesada é uma doação de uma quantia que pode ser feita mensalmente, quinzenalmente ou semanalmente a partir do momento que a criança ou adolescente começar a pedir muito. “Não existe idade nem valor ideal”. O valor tem que ser dividido meio a meio entre consumo e


106

poupança. Para criança de três a cinco anos, por exemplo, pode ser R$ 5 para guloseimas e R$ 5 para o cofrinho onde ele vai guardar o suficiente para realizar um sonho (comprar uma bola, boneca etc). Domingos chama essa mesada de voluntária.

Depois, com a criança alfabetizada, entre sete/oito anos, vem a mesada financeira. Nesse caso, antes de começar os pais devem observar, sem dizer, durante um mês todo o dinheiro dado à criança. “Após esse período, se for R$ 150, os pais vão chamar o filho e estabelecer que metade desse valor (R$ 75) vai para a realização de um sonho/desejo e o restante para o consumo”, afirma. Assim o jovem vai aprender a poupar desde cedo e a não torrar tudo que ganha.

Para o economista e professor de Economia da Universidade de Fortaleza (Unifor), Allisson Martins, a hora mais propicia para iniciar a mesada é quando as crianças já entenderem as operações matemáticas básicas, como adição e subtração, de maneira que se possa começar os ensinamentos sobre o uso do dinheiro.


107

Definição de valores

A definição dos valores da mesada para as crianças envolve uma série de variáveis, como a renda dos pais, número de crianças, se a família está em dificuldades financeiras, entre outras, o que impossibilita indicar um valor padrão. “Contudo, sugere-se que a mesada seja uma quantia que permita à criança comprar produtos baratos, mas que permita também poupar dinheiro para algo que deseja consumir de maior valor”, diz.

Os pais devem ter em mente que o importante não é a mesada em si, mas a educação financeira que irá proporcionar aos seus filhos. “Principalmente ensinar como as crianças devem se comportar em relação ao consumo, ao hábito de poupar, e à realização de sonhos, e, assim, criar a oportunidade deles construírem uma vida de sucesso”, destaca.

Reinaldo cita ainda a mesada econômica, na qual a criança vai ganhar com a economia que a família fizer nas contas de água, energia etc. Mesada de terceiros são aquelas doações recebidas de avós, tios, padrinhos. Tem ainda a empreendedora em que a criança/jovem vai ganhar com alguma coisa que produzir e conseguir fazer dinheiro entre os parentes ou colegas da escola.


108

Na mesada ecológica a criança vai ganhar dinheiro com o material reciclável que conseguir vender.

Há ainda a mesada de troca, em que se juntam os brinquedos que não são mais utilizados e se faz um bazar com os vizinhos para trocar pelo que interessa. E, por fim, a mesada social que é aquela em que não envolve consumo direto, aquela em que se doa tempo com o filho. “Não existe nada mais valioso que abraços, brincadeiras, jogos e momentos juntos”, afirma. Isso porque os pequenos se espelham nas ações dos adultos e têm a tendência a repetir tanto as atitudes boas quanto as ruins. “Por isso, a educação financeira é algo que tem que ser absorvida por toda a família”. ARTUMIRA DUTRA


109 Veículo:

Diário Online

Data: 24/02/2017 Site: http://www.diarioonline.com.br/noticias/elas/noticia-394749-.html

Seis orientações para economizar no Carnaval

Enquanto uns querem viajar e descansar, outros preferem cair na folia e curtir as festas. Seja como for, é importante se programar com antecedência: fazer um diagnóstico financeiro, analisar as possibilidades e respeitar o orçamento. É o que orienta o presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos. “Esse momento festivo precisa ser planejado e vivido de forma consciente, evitando o descontrole financeiro que pode se arrastar por meses. Por ser uma ocasião que se repete todos os anos, é


110

válido se planejar para o Carnaval com antecedência. Para quem não fez, algumas orientações, como evitar o desperdício e o descontrole, são imprescindíveis”, orienta Domingos. Os gastos esporádicos e não planejados são reduzidos quando a pessoa ou família é educada financeiramente e planeja suas ações com antecedência. A maioria da população não teve a oportunidade aprender a lidar com o dinheiro e, por isso, hoje sofre com a administração finanças, estando a mercê do descontrole. Portanto, é preciso mudar.

Confira 6 orientações para economizar no Carnaval: 1- Faça um orçamento Para evitar que descontração e a euforia se transformem em preocupação nos meses seguintes, conheça a sua condição financeira, seus ganhos e suas despesas, e elabore um orçamento antecipado de gastos para o Carnaval. Durante o feriado, atenhase ao planejado; 2- Economize na fantasia Se for a um bloco de rua ou festa e precisar de uma fantasia, verifique se não é possível usar a mesma do ano passado. Caso não tenha, é válido emprestar de um amigo ou familiar ou fazer a sua, customizando alguma roupa. O aluguel, geralmente, custa caro; 3- Orce as viagens com antecedência Se for viajar, faça as contas e veja quanto pode gastar sem comprometer o orçamento e só então pesquise os melhores os pacotes e condições de pagamento. Agora está em cima da hora,


111

então, talvez, o melhor a fazer seja aproveitar conforme o orçamento mensal permitir, sem se endividar, e se programar para realizar aquele grande plano no próximo ano, já se planejando desde agora; 4- Em casa, evite o desperdício Se for descansar em casa, fique atento ao desperdício de água, energia e gás. Ao elaborar refeições, opte por itens frescos, com boa qualidade e preços baixos, como os encontrados em feiras livres e em mercados atacadistas. Contudo, evite o desperdício de alimentos planejando as quantidades das refeições e busque reaproveitar as sobras em novas receitas; 5- Confira eventos gratuitos Saiba que é possível curtir o momento sem gastar mais do que pode. Em várias cidades há eventos gratuitos e comunitários, convidativos para toda a família, além de programações especiais em parques. É válido optar pelo transporte publico, evitando gastos com combustível e estacionamento, ou dividir o táxi com amigos; 6- Fuja do consumismo exacerbado Por mais que o período seja festivo, mantenha os pés no chão e respeite o seu padrão de vida, para que possa se divertir sem cair no descontrole financeiro. Evite o consumo exacerbado, inclusive de alimentos industrializados e bebidas alcoólicas. Afinal de contas, exagerar não faz bem nem pra saúde física, nem para a financeira. Fonte: DSOP Educação Financeira


112 Veículo:

Diário do Nordeste

Data: 06/02/2017 Site: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/negocios/em-meio-aodesemprego-busque-organizar-as-financas-1.1699793

Em meio ao desemprego, busque organizar as finanças Fazer uma reserva financeira em períodos de bonança é uma das medidas recomendadas pelos especialistas

De acordo com o IBGE, a desocupação continuou a crescer no fim do ano passado, atingindo 12,3 milhões de trabalhadores no 4º trimestre de 2016, ou uma taxa de desemprego de 12%, a maior da série histórica ( Foto: Fabiane de Paula )

00:00 · 06.02.2017


113

Em 2016, o desemprego chegou a patamares antes nunca vistos. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados na última semana, a desocupação continuou a crescer no fim do ano passado, atingindo 12,3 milhões de trabalhadores no 4º trimestre de 2016, ou uma taxa de desemprego de 12%, a maior da série histórica, iniciada em 2012. Na comparação com igual período de 2015, o País teve 3,3 milhões a mais de pessoas sem emprego, uma alta de 36%. Para este ano, a situação deve continuar difícil. Um estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT) prevê que 3,4 milhões de


114

pessoas no mundo serão dispensadas de suas atividades em 2017, sendo 1,2 milhões (ou alarmantes 35%) só no Brasil. Diante dessa projeção e após um ano em que o cenário econômico recessivo tirou o sono de muitos brasileiros, estar preparado para as adversidades é imprescindível, segundo especialistas. O economista José Maria Porto aconselha salvaguardar 10% da renda, que de acordo com ele, pode ser aplicado no mercado financeiro. "Nesses momentos de crise, onde vem o desemprego e os aumentos de salário são menores, criase um clima de insegurança é aí que a gente cai na real", avalia. Assim, ele destaca que muitas famílias caem no erro de não alimentarem reservas financeiras em momentos de bonança, esquecendo que a qualquer momento há a possibilidade de haver imprevistos. Para quem está incluído neste grupo, ele indica fazer um levantamento minucioso do que se ganha e do que está sendo gasto. "No caso do desempregado, o que entra é o seguro-desemprego, mas é uma renda que só cobre o trabalhador por até cinco meses", destaca. Tempo de recolocação E tem sido cada vez mais difícil confiar no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para 'segurar as pontas' até conseguir um novo trabalho. Isso porque os desempregados despendem mais de oito meses procurando por trabalho, segundo a última Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Fortaleza (PED/RMF). Ou seja, são três meses a mais que o tempo máximo de cobertura do seguro-desemprego. Porto ressalta que, em situações como essa, a família toda deve se unir em busca de atividades que garantam renda. "Os membros da família acabam precisando sacrificar objetivos para ajudar. Às vezes, alguns planos de vida precisam ser adiados, mas a família precisa pensar em unidade e saber que tudo passa apesar dos períodos difíceis". Dívidas como prioridade Quando o desemprego bate na porta, o primeiro pensamento de muitas pessoas é quitar as dívidas o mais rápido possível. Para Porto, é preciso analisar com cautela a situação. "Existe aquela pessoa que está com o seguro-desemprego, mas que tem qualificação e que sabe que tem chances de se recolocar no mercado. Temos também a situação em que a pessoa está recebendo, mas reconhece que será muito difícil arranjar algo", diz. "Esta última sabe que o seguro-desemprego é a sua única fonte de renda. Tem que ter dinheiro para educação e saúde. Então, infelizmente, nesse período, algum credor vai deixar de receber", explica Porto, acrescentando que entre as dívidas, é importante priorizar o cartão de crédito, que geralmente tem os juros mais altos entre os débitos. "É uma dívida com juros altos que é eliminada e uma forma de voltar a ter crédito".


115

No fim de janeiro, o Banco Central informou que os juros cobrados pelos bancos nas operações com cartão de crédito rotativo tiveram crescimento de 2,4 pontos percentuais em dezembro de 2016, subindo para 484,6% ao ano. Além de ser a modalidade mais cara do mercado, os juros do cartão de crédito também atingiram o patamar mais alto da série histórica, que começa em março de 2011. Em novembro do ano passado, os juros estavam em 482,2% ao ano. No ano, a taxa do cartão de crédito rotativo teve alta expressiva de 53,2 pontos percentuais. Estratégia e capacitação Para o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos, por mais que pareça correto quitar as dívidas imediatamente após perder o emprego, esta pode não ser a opção mais sensata. A ordem é planejar-se antes de qualquer medida. "Isso pode ser um erro, pois se usar muito deste dinheiro, estará sob o risco de ficar sem receitas para cobrir gastos à frente", diz. E os ganhos como seguro-desemprego e férias vencidas devem ser mexidos somente após montada uma estratégia. "O desempregado tem que ter dinheiro guardado para as despesas, mas, eventualmente, para investir também num curso e retomar a carreira", analisa Domingos. Padrão revisto Essa estratégia deve ser combinada a duas outras dicas: rever o padrão de vida, fazendo uma espécie de "faxina financeira", e reduzir o valor de algumas contas, além de negociar as dívidas. "Gastos como TV a cabo, celulares e smartphones, 'balada' e ida a restaurantes, água e energia podem ser repensados", afirma o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira Negociação de dívidas Para ele, essa também é a hora de buscar credores, "sendo o mais franco possível". "É mostrar que não quer se tornar inadimplente, mas que também não possui condições de pagamento, buscando assim diminuir os juros e esticar os débitos. Lembrando sempre de priorizar dívidas com juros mais altos e com bens de valor como garantia", confirma.


116 Veículo:

Zero Hora

Data: 14/02/2017 Site: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/noticia/2017/02/saiba-como-aproveitar-melhoro-reforco-na-conta-com-o-fgts-9721557.html

Como preparar as finanças para o caso de demissão Segundo consultores, é essencial ter reserva para eventual perda de renda, manter despesas sob controle e checar se o patrão deposita o FGTS Por: Erik Farina 02/02/2017 - 19h31min | Atualizada em 03/02/2017 - 08h43min

Foto: Arte ZH / Arte ZH


117

O medo da demissão segue assombrando os brasileiros. Só em 2016, o desemprego chegou a 12% da população economicamente ativa, com 12,3 milhões de desocupados. E vem mais pela frente: um estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT) prevê que serão 3,4 milhões de novos desempregados no mundo neste ano – 35% deles no Brasil. Isso representaria 1,2 milhão a mais de brasileiros procurando trabalho em 2017. Ou seja, ninguém está livre deste fantasma. – Quem está despreparado para ficar desempregado está errado. Essa condição é sempre uma possibilidade real, e é preciso estar precavido – destaca o educador financeiro Thiago Nigro. Consultores alertam que é fundamental ter uma reserva financeira para uma eventual perda de renda, acompanhar se o patrão deposita corretamente o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e manter as despesas sob controle, conhecendo onde estão os principais gastos e as dívidas. Principal amparo do trabalhador demitido, o FGTS deve ser usado com sabedoria. Engana-se quem pensa que é melhor usar o valor de uma só vez para pagar dívidas: é preciso manter o dinheiro reservado para as contas diárias. – Caso use o FGTS para antecipar as contas, pode ser que sobre um valor baixo para sustentar as prioridades depois – diz Nigro. O desemprego também exige uma mudança drástica nas finanças domésticas. É essencial cortar gastos supérfluos, inclusive reunindo a família para que todos contribuam até que a situação melhore. Prevendo o quanto receberá como indenização pela demissão, será possível projetar um orçamento para os próximos meses. – É preciso priorizar o que real-mente é fundamental nesse período. Alguns gastos que devem ser repensados podem ser de TV a cabo, celulares e smartphones, baladas e idas a restaurantes, água e energia e outros pequenos custos – recomenda Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira. Também é preciso verificar as dívidas ativas, em dia ou atraso, e tentar a renegociação. O caminho é entrar em contato com credores e explicar a nova situação, de perda de renda, e negociar alongamento de prazos ou descontos nos juros para seguir pagando.


118

DE OLHO NAS CONTAS Sete passos para reorganizar o orçamento - Analise todos os gastos mensais e veja o que será necessário manter e o que poderá ser descartado. Também levante informações sobre dívidas e verifique se alguma poderá ser eliminada a partir de uma renegociação com credores. - Tenha em mãos o quanto será recebido em indenizações pela rescisão (FGTS, multas, férias, 13º salário etc). A empresa é obrigada a passar esta informação. Também contabilize o quanto tem em poupança para emergências. - Conhecendo o bolo financeiro a ser recebido e os gastos fixos mensais, organize-se para superar os meses que virão pela frente, da forma mais econômica possível. - Fuja de empréstimos em bancos e financeiras, do cartão de crédito e do cheque especial, pois não há garantia de quando você terá um novo emprego para pagar a dívida. Se precisar de dinheiro, converse com amigos e parentes, mais sensíveis a sua dificuldade. - Elimine gastos desnecessários, convidando toda a família a contribuir. Pode-se trocar a TV paga por filmes, séries e documentários online, deixar de usar fone fixo, trocar os planos de telefonia móvel e internet por opções mais baratas. - Por mais que pareça correto querer quitar dívidas com o valor da rescisão, isso pode ser um erro, pois, se usar muito deste dinheiro, estará sob risco de ficar sem receita para cobrir os gastos à frente. - Além de emprego, busque uma renda extra. Artesanato, jardinagem, música, revenda de produtos e até bicos podem gerar um apoio valioso nessas horas.

FONTE: Educadores financeiros Thiago Nigro e Reinaldo Domingos


119 Veículo:

iBahia

Data: 04/02/2017 Site: http://www.ibahia.com/detalhe/noticia/dez-viagens-internacionais-para-aproveitar-odolar-em-queda/

Dez viagens internacionais para aproveitar o dólar em queda Preços das passagens aéreas internacionais, vendidas em dólares, já estão um pouco menores, e alguns destinos estão bem atrativos Agência O Globo 04/02/2017 às 14h00

O dólar chegou esta semana a custar R$ 3,10, o menor valor desde outubro de 2016, o que animou os viajantes que planejam férias no exterior. Os preços das passagens aéreas internacionais, vendidas em dólares, já estão um pouco menores, e alguns destinos estão bem atrativos com a queda da moeda americana. Segundo os economistas, o mercado financeiro está preocupado com riscos da postura protecionista do presidente norte-americano Donald Trump, mas não há como precisar se o dólar cairá mais. Por isso, quem vai viajar pode aproveitar e comprar a moeda agora, onde no câmbio turismo ela é vendida por aproximadamente R$ 3,30. — Tem que aproveitar o que considero um momento muito bom. É o momento de comprar dólares, mas quem não vai viajar por agora não deve comprar tudo de uma vez. Vá acompanhando e faça compras mensais ou semanais — orienta o educador financeiro Rogério Braga, explicando que acredita que o dólar ainda pode cair mais um pouco. Confira as opções de destino de viagem *:


120

Aruba é um dos destinos mais em conta

- Buenos Aires, Argentina Passagem aérea: R$ 696 Diária para casal: R$ 94

- Montevidéu, Uruguai Passagem aérea: R$ 746 Diária para casal: R$ 109

- Barcelona, Espanha Passagem aérea: R$ 2.084 Diária para casal: R$ 173


121

- Cidade do México, México Passagem aérea: R$ 2.084 Diária para casal: R$ 138

- Milão, Itália Passagem aérea: R$ 1.916 Diária para casal: R$ 126

- Joanesburgo, África do Sul Passagem aérea: R$ 1.916 Diária para casal: R$110

- Aruba Passagem aérea: R$ 2.029 Diária para casal: R$ 289

- Lisboa, Portugal Passagem aérea: R$2.121 Diária para casal: R$135

- Amsterdã, Holanda Passagem aérea: R$2.095 Diária para casal: R$ 53

- Toronto, Canadá Passagem aérea: R$ 1.971 Diária para casal: R$ 110

* Pesquisa de passagens feita pelo site SkyScanner com passagem ida e volta no mês mais barato a partir do Rio de Janeiro. Diária para duas pessoas em hotel 3 estrelas.


122 Veículo:

O Dia

Data: 11/02/2017 Site: http://odia.ig.com.br/automania/2017-02-11/especialista-em-educacao-financeira-dadicas-para-quem-quer-comprar-um-carro.html

Lotéricas vão pagar FGTS inativo Caixa divulga hoje calendário oficial de saques, abertura de agência nos finais de semana e novo site 14/02/2017 11:38:51 MARTHA IMENES

Rio - Os trabalhadores que têm saldo em conta inativa do FGTS também vão poder sacar o dinheiro nas casas lotéricas, além de agências da Caixa Econômica Federal, postos e salas de autoatendimento eletrônico do banco, usando o cartão cidadão e senha. O cronograma oficial dos pagamentos será divulgado hoje pela Caixa. A expectativa é de que os pagamentos comecem entre 10 e 13 de março e que siga o modelo do calendário de pagamentos do abono do PIS/Pasep, considerando a data de aniversário do trabalhador, segundo o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap).


123

Não haverá limite para retirada dos recursos na Caixa. Nas lotéricas, trabalhador poderá sacar até R$ 1,5 mil Marcelo Casal Jr / Agencia Brasil

Por exemplo: nascidos em janeiro e fevereiro vão sacar em março. Entre abril e maio poderão resgatar em abril.Quem nasceu entre junho, julho e agosto poderá sacar em maio. Em junho, quem faz aniversário entre setembro e novembro. E por fim, para julho, ficarão os que fazem aniversário em dezembro. Também é esperada a divulgação da abertura das agências nos fins de semana até mesmo antes do início dos saques para orientar os trabalhadores como sacar e obter o cartão cidadão. Além disso, será criado site sobre o FGTS inativo. Não haverá limite para retirada dos recursos na Caixa, segundo informou o presidente Michel Temer, ao anunciar a liberação dos recursos. Para saques de até R$ 700 deverá ser informado o número do PIS/Pasep/NIT e senha. Para o limite de R$ 1.500, a retirada pode ser feita em lotéricas ou em caixas eletrônicos com o cartão cidadão e senha. Já os saques acima de R$ 1.500 devem ser feitos na agência bancária. Também há a expectativa de que correntistas da Caixa possam optar pelo crédito em conta.


124

Poderão retirar o dinheiro todos os trabalhadores que tiverem conta do fundo encerrada até 31 de dezembro de 2015. Para fazer os saques, em todos os casos, é preciso informar o número do PIS e, para quem for ao banco, documento de identificação. Segundo o Conselho Curador do FGTS, existem R$ 30 bilhões em contas inativas, cujo último depósito pelo empregador foi feito até o fim de 2015. Cálculos do governo apontam que a maior parte tem saldo inferior a um salário mínimo.

CONFIRA Consulta pode ser feita pela internet ou via celular Atualmente, o trabalhador pode conferir se possui conta inativa ao acessar o site da Caixa Econômica Federal (www.caixa.gov.br) ou o do FGTS (www.fgts.gov.br), baixar gratuitamente um aplicativo para celular ou tablet — disponível para iOs e Android —, ou ir à uma agência. Em todos os casos é preciso informar o número do PIS e, para quem for ao banco, documento de identificação. Pode sacar o dinheiro todo trabalhador com carteira assinada que tenha conta vinculada a um contrato de trabalho encerrado até 31 de dezembro de 2015. Segundo o Conselho Curador do FGTS, existem hoje R$ 30 bilhões depositados em contas inativas, cujo último depósito pelo empregador foi feito até o fim de 2015. A expectativa é de que 70% dos 10 milhões de trabalhadores com direito ao saque retirem os recursos. Muita cautela no uso do dinheiro O dinheiro extra que muitos trabalhadores vão poder sacar virá em boa hora para muitos deles. Mas especialistas em finanças avaliam que é preciso cuidado para não gastar o dinheiro e comprometer o orçamento além da conta.


125

Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira, orienta cautela em relação ao que será feito com os recursos. Segundo ele, caso o valor a ser resgatado seja suficiente para quitar alguma dívida em atraso totalmente, é interessante agir dessa forma. Mesmo assim, é válido negociar e conseguir descontos, diminuindo parte do débito, para então fazer o pagamento à vista.


126 Veículo:

O Povo

Data: 20/02/2017 Site: http://www.opovo.com.br/jornal/economia/2017/02/evite-o-descontrole.html

Evite o descontrole 01:30 | 20/02/2017

Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), orienta que o Carnaval é o momento festivo que precisa ser planejado e vivido de forma consciente, evitando o descontrole financeiro que pode se arrastar por meses. Por ser uma ocasião que se repete todos os anos, é válido se planejar para o Carnaval com antecedência, mesmo quando for ficar em casa. Domingos ensina que os gastos esporádicos e não planejados são reduzidos quando a pessoa ou família é educada financeiramente e planeja suas ações com antecedência. “A maioria da população não teve a oportunidade aprender a lidar com o dinheiro e, por isso, hoje sofre com a administração das finanças, estando a mercê do descontrole. Portanto, é preciso mudar”, afirma. Por isso, até quem for ficar em casa deve se preparar e ficar atento para não aumentar os gastos com desperdício de água, energia e gás. “Evite o desperdício de alimentos planejando as quantidades das refeições e busque reaproveitar as sobras em novas receitas”, indica. (Beatriz Cavalcante)


127 Veículo:

Jornal de Brasília

Data: 16/02/2017 Site: http://www.jornaldebrasilia.com.br/economia/seis-orientacoes-para-economizar-nocarnaval/

Seis orientações para economizar no Carnaval 16/02/2017

Josemar Gonçalves/Cedoc


128

Enquanto uns querem viajar e descansar, outros preferem cair na folia e curtir as festas. Seja como for, é importante se programar com antecedência: fazer um diagnóstico financeiro, analisar as possibilidades e respeitar o orçamento. É o que orienta o presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos. “Esse momento festivo precisa ser planejado e vivido de forma consciente, evitando o descontrole financeiro que pode se arrastar por meses. Por ser uma ocasião que se repete todos os anos, é válido se planejar para o Carnaval com antecedência. Para quem não fez, algumas orientações, como evitar o desperdício e o descontrole, são imprescindíveis”, orienta Domingos. Os gastos esporádicos e não planejados são reduzidos quando a pessoa ou família é educada financeiramente e planeja suas ações com antecedência. A maioria da população não teve a oportunidade aprender a lidar com o dinheiro e, por isso, hoje sofre com a administração finanças, estando a mercê do descontrole. Portanto, é preciso mudar.

Confira 6 orientações para economizar no Carnaval: 1- Faça um orçamento Para evitar que descontração e a euforia se transformem em preocupação nos meses seguintes, conheça a sua condição financeira, seus ganhos e suas despesas, e elabore um orçamento antecipado de gastos para o Carnaval. Durante o feriado, atenha-se ao planejado;

2- Economize na fantasia Se for a um bloco de rua ou festa e precisar de uma fantasia, verifique se não é possível usar a mesma do ano passado. Caso não tenha, é válido emprestar de um amigo ou familiar ou fazer a sua, customizando alguma roupa. O aluguel, geralmente, custa caro;


129

3- Orce as viagens com antecedência Se for viajar, faça as contas e veja quanto pode gastar sem comprometer o orçamento e só então pesquise os melhores os pacotes e condições de pagamento. Agora está em cima da hora, então, talvez, o melhor a fazer seja aproveitar conforme o orçamento mensal permitir, sem se endividar, e se programar para realizar aquele grande plano no próximo ano, já se planejando desde agora;

4- Em casa, evite o desperdício Se for descansar em casa, fique atento ao desperdício de água, energia e gás. Ao elaborar refeições, opte por itens frescos, com boa qualidade e preços baixos, como os encontrados em feiras livres e em mercados atacadistas. Contudo, evite o desperdício de alimentos planejando as quantidades das refeições e busque reaproveitar as sobras em novas receitas;

5- Confira eventos gratuitos Saiba que é possível curtir o momento sem gastar mais do que pode. Em várias cidades há eventos gratuitos e comunitários, convidativos para toda a família, além de programações especiais em parques. É válido optar pelo transporte publico, evitando gastos com combustível e estacionamento, ou dividir o táxi com amigos;

6- Fuja do consumismo exacerbado Por mais que o período seja festivo, mantenha os pés no chão e respeite o seu padrão de vida, para que possa se divertir sem cair no descontrole financeiro. Evite o consumo exacerbado, inclusive de alimentos industrializados e bebidas alcoólicas. Afinal de contas, exagerar não faz bem nem pra saúde física, nem para a financeira.


130 Veículo:

Diário Online

Data: 24/02/2017 Site: http://www.diarioonline.com.br/noticias/para/noticia-394760-folia-tem-custoe-bom-seplanejar!.html

Folia tem custo:é bom se planejar! Sexta-Feira, 24/02/2017, 08:39:29 - Atualizado em 24/02/2017, 08:39:29

Ver comentário(s) A-A+

Especialistas alertam que despesas de Carnaval devem ser bem pensadas, para não acabar em dívida. (Foto: Daniel Costa/Diário do Pará)

Todo Carnaval tem seu fim, e pode vir acompanhado de muita dor de cabeça provocada por gastos desnecessários. Aquelas despesas que não estavam no orçamento, como a viagem repentina para algum balneário ou outra cidade, a compra de um pacote para curtir a folia em outro Estado. E uma hora chega a fatura, geralmente salgada demais. Além de gastos com passagem e hospedagem, muitos brasileiros também terão despesas extras com consumo tanto em bares e baladas, quanto em casa, com alimentação e bebidas. Para evitar o descontrole financeiro e o endividamento, é preciso se


131

planejar. É importante fazer um diagnóstico financeiro, analisar as possibilidades e respeitar o orçamento. “A diversão não pode virar uma dor de cabeça. Ainda estamos no começo de 2017 e o foco tem de ser economia e organização financeira. Então, nada melhor do que se divertir sem mudar de cidade”, alerta José Vignoli, educador financeiro do Portal Meu Bolso Feliz. Um dos mandamentos primordiais que deve ser seguido é o de não esbanjar por 4 dias e depois sofrer durante meses com dívidas. “Por mais que o período seja festivo, mantenha os pés no chão e respeite o seu padrão de vida, para que possa se divertir sem cair no descontrole financeiro”, completa Reinaldo Domingos, doutor em educação financeira e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin).

SEM EXAGEROS Para o economista Edson Roffé é possível curtir os dias de folia sem perder o controle das finanças e se endividar. Ele orienta que o brincante deve traçar um planejamento de custos antes de cair na folia para evitar dor de cabeça com as contas depois. Segundo Roffé, o primeiro passo é observar o quanto se tem disponível para gastar e, a partir de então, analisar o que se pode gastar. “É preciso acabar com a ideia de primeiro fazer as despesas e depois ver como vamos pagar”, alerta. Depois, verifique se ficará em hotel, casa própria ou imóvel alugado. Calcule o valor da diária e despesas como taxa de limpeza. Cheque também quantas pessoas participarão da viagem. Por fim, inclua ainda no orçamento despesas extras como a alimentação fora de casa, passeios e compra de souvenirs. Caso seu plano de saúde não tenha cobertura no local de destino, é necessário guardar um extra para eventuais necessidades do tipo. (Diário do Pará)


132 Veículo:

Zero Hora

Data: 14/02/2017 Site: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/noticia/2017/02/saiba-como-aproveitar-melhoro-reforco-na-conta-com-o-fgts-9721557.html

Saiba como aproveitar melhor o reforço na conta com o FGTS É preciso fazer um diagnóstico do orçamento para saber como o dinheiro poderá ajudar 14/02/2017 - 18h19min | Atualizada em 15/02/2017 - 08h37min

Foto: Luciano Moraes / Agencia RBS

O dinheiro que será liberado das contas inativas do FGTS pode ser um belo reforço para colocar em dia contas atrasadas ou investir com segurança.


133

Especialistas em finanças pessoais afirmam que é preciso fazer um diagnóstico do orçamento para saber como o dinheiro poderá ajudar, e então definir seu destino. — O primeiro passo é ter consciência se está em situação de equilíbrio, endividamento, inadimplência ou se é investidor. O ideal é que a quantia possa melhorar a qualidade de vida da pessoa e sua família, não apenas agora, mas no futuro — sugere o consultor financeiro Reinaldo Domingos, do Instituto Dsop. ma coisa é consenso: em tempos de crise e desemprego, não convém sair gastando. É preciso usar de forma planejada o reforço. Quem está com contas atrasadas não tem que pensar duas vezes: o reforço deve ser usado para quitar as dívidas, após uma negociação com os credores para abater juros para a quitação de uma só vez. Quem está mais folgado pode pensar em investir e até antecipar parcelas, se as condições forem favoráveis. Independente da situação, o importante é fazer o saque, pois deixar o dinheiro parado é sinônimo de desperdício, uma vez que o rendimento do FGTS é o mais baixo do sistema financeiro _ 3% ao ano mais Taxa de Referência (TR) para contas inativas. A recomendação é que se retire o dinheiro nem que seja para realocá-lo em outra aplicação, como a caderneta da poupança (que rende 6,17% ao ano mais TR). — Muita gente resolve deixar dinheiro na conta do FGTS para não correr o risco de gastar ou por desconhecer a melhor maneira de torná-lo mais rentável. Péssima decisão. Nessa conta, o dinheiro é corrigido abaixo da inflação — afirma Sandra Blanco, consultora de Investimentos da Órama.


134

O que fazer com a grana extra? Se tem contas em atraso: É o caso de usar 100% do valor para abater dívidas que possam estar sujando seu nome ou atrapalhando o sono à noite. Antes de zerar as dívidas, no entanto, é importante entrar em contato com os credores e negociar um desconto para o abatimento — muitas vezes os bancos são receptivos a esse tipo de negociação. Se não puder pagar todas as dívidas com o que irá sacar do FGTS, escolha aquelas que estão o privando de serviços básicos (como água, luz e telefone) e as com juros mais altos (cartão de crédito e cheque especial)

Se tem parcelamentos, mas sem atraso: É preciso avaliar se vale a pena antecipar o pagamento das parcelas, ou se é melhor fazer algum tipo de aplicação. Geralmente, a primeira opção é mais atraente: o juro do empréstimo ou crediário costuma ser maior do que o rendimento das aplicações mais comuns. Mas isso não é regra, já que os financiamentos de automóveis e da casa própria podem ser relativamente mais baratos.

Sem dívidas: Caso não tenha parcelas, ou se após quitar as parcelas sobrar uma parte do dinheiro do FGTS, poderá ser uma boa ocasião para fazer um investimento aquela compra que há tempos estava à espera. Com dinheiro na mão, você poderá negociar descontos generosos para o pagamento à vista. DICA: Antes de gastar tudo nas lojas, trace uma meta de médio prazo e guarde parte do dinheiro para alcançá-la. Senão, a grana irá evaporar rapidamente com supérfluos.


135

Se sobrar, onde investir? Para manter o perfil de segurança que o FGTS oferecia, mas ganhar mais, a indicação é aplicar na renda fixa: CDBs, LCIs, LCAs, Títulos de Tesouro ou poupança, por exemplo. Veja quais melhores opções para cada faixa de renda. Até R$ 3 mil — Títulos do tesouro pagam mais do que a poupança e possuem baixíssima taxa de administração. Uma vantagem é que aceita aplicações a partir de R$ 30, oferecendo condições iguais para qualquer faixa de valor. A Caderneta de Poupança também é uma opção a ser levada em conta nessa situação, pela facilidade de manutenção. De R$ 3 mil a R$ 5 mil — Os títulos do Tesouro continuam sendo interessantes, mas também começam a surgir rendimentos mais altos para CDBs e Letras de Crédito (LCIs) e (LCAs). Uma dica é procurar aplicações em bancos menores que pagam juros mais altos do que as instituições financeiras mais conhecidas _ e todas têm a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Acima de R$ 5 mil — Os fundos DI passam a oferecer rendimento um pouco mais atraente a partir dessa faixa de aplicação, mas é preciso estar atento à taxa de administração que será cobrada, que pode corroer parte do lucro. E os Títulos do Tesouro continuam sendo interessantes, em particular atrelados à inflação (que pagam um bônus adicional ao IPCA).

FONTE: Easynvest, Fadergs, Instituto Dsop e Órama.


136 Veículo:

Diário Gaúcho

Data: 16/02/2017 Site: http://diariogaucho.clicrbs.com.br/rs/dia-a-dia/ajuda/noticia/2017/02/saiba-como-fazera-melhor-compra-no-liquida-porto-alegre-9722969.html

Saiba como fazer a melhor compra no Liquida Porto Alegre Campanha vai até dia 26 prometendo descontos de até 70%. Mas consumidor pode melhorar ainda mais as promoções.

Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

De olho em uma cama de casal, o estudante e funcionário de hipermercado Pedro Couto, 19 anos, empolgou-se ontem no Centro de Porto Alegre ao descobrir que está prestes a começar na Capital o Liquida Porto Alegre. A


137

campanha, que vai até o dia 26, deverá envolver mais de 3 mil lojas na cidade oferecendo descontos que, diz a CDL Porto Alegre, podem chegar a 70%. – Comecei a procurar uma cama com baú. Quero de casal, que tem mais espaço, e vou comprar à vista – contou ele. O Liquida Porto Alegre 2017 terá um container promocional no Largo Glênio Peres (em frente ao Mercado Público). O espaço funcionará para os consumidores como ponto para consultar a certidão de débitos em seu nome, com o CPF, em um totem disponibilizado pela CDL. Além disso, poderão utilizar a rede gratuita de wi-fi e participar de ações de divulgação da campanha e distribuição de brindes.

Mesmo já tendo começado, algumas lojas podem aderir tardiamente ao Liquida. Confira abaixo quais são as lojas integrantes, pesquisando pelo nome ou pelo segmento:

Paciência, tempo e dinheiro na mão Mesmo dentro do Liquida o consumidor precisa adotar uma postura ativa. A pesquisa e comparação de preços nas lojas segue fundamental para fazer a melhor compra. E quem tiver dinheiro na mão é quem manda. – Primeiro, é preciso ter paciência e tempo. Sair para pesquisar e comprar em uma promoção como essa não é um simples passeio, é preciso ter foco – afirma o educador financeiro e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos. Outra dica do especialista é não esquecer de pechinchar mesmo nos produtos já dentro de promoções. Para isso, é preciso criar empatia com o vendedor. – Se houver alguém na sua frente sendo atendido, espere, tenha calma. E depois, quando for atendido, seja educado e simpático com o vendedor, peça ajuda para encaixar aquele produto no seu orçamento – aconselha Reinaldo.


138

ANTES DE PARTIR PARA AS COMPRAS 1 – Reúna a família e liste as necessidades reais da casa. Porque a palavrachave para sair às compras é necessidade. 2 – Depois de descobrir aquela necessidade que não pode esperar, como uma máquina de lavar roupas ou uma cama, confira qual o dinheiro disponível para isso. 3 – Mesmo que tenha grana suficiente para a compra, se pergunte se essa quantia poderá fazer falta nos próximos 12 meses. 4 – Se não há dinheiro para a compra à vista, qual o valor da parcela que pode ser paga com tranquilidade em uma eventual compra a prazo? 5 – Se a condição financeira não favorece a compra do produto que tanto se necessita, olhe para dentro da casa. Há alguma coisa que você não usa mais? Pois é possível vender esse item em sites de venda de objetos usados como OLX e Mercado Livre.

INDO ÀS LOJAS 1 – Faça uma pesquisa de preços do que pretende comprar na internet. Use sites de comparações de preços também. Já saia de casa com uma ideia de quanto custa o produto. 2 – Reserve tempo e paciência. Não leve, por exemplo, crianças muito pequenas que possam cansar rapidamente e forçar o fim das compras. Lembre-se de que não é um simples passeio, é preciso manter o foco. 3 – Cheque o preço em, pelo menos, três lojas diferentes. Volte àquela com a melhor oferta para tentar fechar o negócio. Mas ainda há como melhorar o preço, vale a pena pechinchar.

APRENDA A PECHINCHAR COM EFICIÊNCIA Caso você ainda não tenha o hábito de pedir descontos, seja por timidez ou por falta de costume, saiba que a prática é saudável para poupar. Veja algumas dicas para baratear ainda mais os preços na hora da compra no Liquida Porto


139

Alegre.

Pesquise: É importante pesquisar o valor do produto em estabelecimentos variados, ou até lojas diferentes da mesma rede. Estar informado sobre os preços dá argumentos para convencer o vendedor que a compra só será feita no lugar que oferecer o preço mais em conta. Conheça o produto: Se o item for novo ou estiver saindo de linha, isso deve ser levado em consideração. Cada empresa tem sua estratégia nesse caso. Conheça bem o produto o qual deseja comprar para poder argumentar o preço com o vendedor. Tenha metas: Vale, ainda, parar para pensar quais as reais necessidades que se deseja suprir, dentro de um orçamento pré-definido. Traçar uma meta do valor do que se quer pagar também auxilia na comparação de preços. Pague à vista: Com grana na mão, há mais chance de ganhar uma diferença no preço. Se o intuito é pechinchar, o hábito de comprar à prazo não é dos mais eficientes. Saiba onde: A pechincha em estabelecimentos físicos é facilitada graças ao contato direto entre vendedor e consumidor. Seja educado e simpático com o vendedor, procurando criar empatia para um bom clima ao negociar. E tudo às claras: conte como o seu orçamento está apertado e peça ajuda dele para conseguir fechar a compra.

Fontes: Reinaldo Domingos, educador financeiro e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), e Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec)


140 VeĂ­culo:

ConexĂŁo Tocantins

Data: 13/02/2017 Site: http://conexaoto.com.br/2017/02/13/calendario-de-resgate-do-fgts-sai-amanhaeducador-financeiro-orienta-o-que-fazer-com-o-valor


141 Veículo:

Extra

Data: 19/02/2017 Site: http://extra.globo.com/noticias/economia/veja-certo-errado-na-hora-de-aplicardinheiro-das-contas-inativas-do-fgts-20944974.html

Veja o certo e errado na hora de aplicar o dinheiro das contas inativas do FGTS

Informações para saque do FGTS na Caixa Econônica Federal na Avenida Rio Branco Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo Pollyanna Brêtas

O saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) dará um reforço de R$ 30 bilhões à economia e uma injeção de ânimo nos bolsos dos consumidores de todo o país. Esse dinheiro extra será motivo de comemoração para muitos brasileiros que já sabem o que fazer com ele. Outros, no entanto, ainda enfrentam um dilema: pagar dívidas e contas mensais, gastar com viagens, investir na carreira, fazer investimentos ou aplicar numa poupança? A resposta varia de acordo com a saúde financeira de cada trabalhador.


142

— Vale fazer um diagnóstico financeiro familiar, reduzindo os gastos mensais. Assim, a pessoa poderá usar a quantia da conta inativa de FGTS para construir uma reserva estratégica para o futuro. É importante ter o hábito de poupar para realizar sonhos — observou Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin). Alexandre Lara, sócio da plataforma de renegociação de dívidas Kitado, lembra que esta pode ser uma oportunidade para renegociar prazos e juros com os credores. — Caso haja um endividamento muito alto, há uma grande chance de renegociar o débito e, caso haja uma dívida menor em atraso, esta é a oportunidade de quitá-la. A atenção deve ser voltada para programar o pagamento, começando pela dívida que está ativa, como a do cheque especial ou do rotativo do cartão de crédito (quando o cliente paga apenas o valor mínimo da fatura mensal). O conselho unânime dos planejadores financeiros é poupar ou investir o dinheiro em fundos de renda fixa ou títulos do Tesouro Direto. Para a consultora de investimentos Sandra Banco, da Órama, a aplicação dos recursos é melhor do que deixar os recursos parados na Caixa. — Na conta inativa, o dinheiro é corrigido apenas pela Taxa Referencial (TR) mais 3% ao ano, um índice inferior ao da inflação. Para quem nunca pensou que pouparia fora da caderneta, esses nomes chegam a assustar. Mas esses investimentos mais rentáveis estão disponíveis a todos.


143

Da quitação de dívidas à reforma do lar

Maria Aparecida da Silva quer fazer obras Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo

A técnica de enfermagem Maria Aparecida da Silva, de 56 anos, pretende pagar uma dívida de empréstimo consignado. Serão cerca de R$ 6 mil. Com o que sobrar, ela deseja fazer uma obra e pintar a casa onde mora, em Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio. Para o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, o ideal é que este valor seja destinado à finalidade original: complementar a aposentadoria num futuro próximo. Ele recomenda cuidado com as reformas, pois costumam levar as pessoas a uma situação de endividamento.


144

O taxista Marcos Paulo Alencar, de 32 anos, vai receber R$ 2 mil e pretende depositar o dinheiro na poupança, além de ajudar a pagar as mensalidades do financiamento do carro. Ele descobriu, por acaso, que teria direito ao saque do FGTS ao pagar uma conta. O presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, afirma que é bom ter acesso a uma renda extra, mas a falta de objetivos pode levar aos gastos sem planejamento e ao desperdício. Portanto, é importante estabelecer os sonhos que deseja conquistar, seus objetivos e quando poderá realizá-los. Por fim, poupe.


145

Samuel Prazeres pretende pagar impostos Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo O advogado Samuel Prazeres, de 59 anos, vai usar o dinheiro para pagar o IPVA e o IPTU. Além disso, pretende pagar o que deve do cheque especial. Se não houvesse toda essa movimentação de saque, teria deixado o dinheiro para o governo. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, não é recomendável usar o dinheiro para pagar IPTU e IPVA. Por ter juros altos, vale quitar o cheque especial. O ideal é que o montante seja usado para conquistar sonhos, como garantir uma aposentadoria sustentável ou fazer uma viagem.


146

A promotora de vendas Renata Martins, de 20 anos, tem uma conta inativa com um saldo de R$ 900 e faz planos de tirar seu nome de um cadastro de restrição ao crédito. A inclusão ocorreu por conta de uma dívida com cartão de loja. Com o que sobrar dessa operação, ela quer iniciar uma poupança. Renata está de parabéns! Segundo o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, é ótimo usar o dinheiro para quitar uma dívida em atraso. Porém, se o débito for superior ao valor a ser recebido, é melhor não quitá-lo. Aproveite, para negociar com o credor a fim de conseguir desconto.


147 Veículo:

ES Hoje

Data: 13/02/2017 Site: http://www.eshoje.jor.br/_conteudo/2017/02/economia/47919-resgate-do-fgtscalendario-sai-amanha-educador-financeiro-orienta-o-que-fazer-com-o-valor.html

Resgate do FGTS: calendário sai amanhã, educador financeiro orienta o que fazer com o valor 13 de Fevereiro de 2017 às 11:09

Foto: divulgação

Na terça-feira (14) é a data para ser divulgado o calendário de saques de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). A renda extra vem em boa hora, mas é preciso cuidado para não colocar em risco a reserva financeira construída após meses - ou anos - de trabalho, de acordo com o presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos. “Muitas pessoas usam rendas extras sem considerar sua situação financeira atual. Infelizmente, isso é comum. Portanto, procure levantar seus números e ter consciência se está em situação de equilíbrio, endividamento, inadimplência ou se é investidor. O ideal é que a quantia possa melhorar a qualidade de vida da pessoa e família, não


148 apenas agora, mas especialmente no futuro. Afinal, o objetivo principal da existência desse fundo é ser um arrimo para o trabalhador em caso de demissão”, orienta Reinaldo Domingos. Confira abaixo orientações para quem está em situação de inadimplência, de equilíbrio financeiro e também para quem já tem o hábito de investir.

Em situação de inadimplência Caso o valor a ser resgatado seja suficiente para quitar alguma dívida em atraso totalmente, é interessante agir dessa forma. Mesmo assim, é válido negociar e conseguir descontos, diminuindo parte da dívida, para então fazer o pagamento à vista. Por outro lado, se não for para quitar 100% da dívida, avalie a opção de investir o valor para ter força para negociar no futuro. De uma forma ou de outra, o principal a ser feito nessa situação delicada é se educar financeiramente, ou seja, mudar seu comportamento para não mais retornar à inadimplência. O primeiro passo é olhar para a sua situação de forma honesta e levantar todos os números, traçando um planejamento para renegociar a dívida – agora ou no futuro – em parcelas quem respeitem o orçamento mensal.

Em situação equilibrada ou de investidor Ainda não ter um objetivo estabelecido para o uso dessa renda extra é preocupante, pois na ausência de uma meta, o valor pode acabar sendo utilizado em compras supérfluas e de pouca importância, ao invés de contribuir para a conquista de um sonho. Cada pessoa deve ter no mínimo três: um de curto prazo (a ser realizado em um ano), outro de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (a ser realizado a partir de dez anos). Tanto na situação de equilibrado ou de investidor, é orientável fazer o saque das contas inativas assim que possível e aplicar o valor em investimentos como poupança, CDB ou tesouro direto, entre outras, que rendam mais do que o FGTS. A modalidade escolhida precisa corresponder ao prazo em que se deseja realizar o sonho, tendo em vista a possibilidade de resgatá-lo no momento desejado sem perder rendimentos.


149 Veículo:

Diário do Nordeste

Data: 07/02/2017 Site: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/opiniao/frases-1.1700269

Frases 00:00 · 07.02.2017

"Em situação de desemprego, é aconselhável se fazer uma faxina financeira. Gastos como TV a cabo, celulares e smartphones, 'balada' e ida a restaurantes, água e energia podem ser repensados" Reinaldo Domingos Presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin)

"Hoje, o Brasil segue vulnerável, mas aquela sensação de que era um trem desgovernado, de que estávamos indo para o precipício, passou". Armínio Fraga Economista, ex-presidente do Banco Central


150 Veículo:

O Dia

Data: 09/02/2017 Site: http://odia.ig.com.br/economia/2017-02-09/site-dara-informacao-sobre-fgts-inativo.html

Site dará informação sobre FGTS inativo Trabalhador saberá pela internet se tem direito, qual valor e quando sacará recursos de conta parada 09/02/2017 10:31:11 O DIA

Rio - Os trabalhadores terão um site específico para consultar informações das contas inativas do FGTS. A Caixa Econômica Federal estuda a elaboração de uma página na internet em que a pessoa vai verificar se possui direito ao saque do saldo, ver quanto tem para retirar e também qual é o prazo para receber o dinheiro. A proposta sobre a criação do site anda em conjunto com o levantamento do banco sobre a necessidade de abertura das agências nos fins de semana para atender quem tem direito à retirada. Inicialmente, o calendário de saques está previsto para começar no dia 13 de março. As datas oficiais deverão ser anunciadas na próxima semana, provavelmente em uma solenidade na terça-feira, em Brasília. Há a possibilidade dos correntistas da Caixa optarem pelo crédito em conta mediante autorização para essa operação.


151

Há a possibilidade dos correntistas da Caixa optarem pelo crédito em conta do saldo do FGTS mediante autorização para essa operação Reprodução

A expectativa é de que o novo site também seja anunciado na próxima terçafeira, juntamente com o calendário de saques. O governo quer que os trabalhadores possam retirar os valores o mais rapidamente possível. Os pagamentos serão feitos nos moldes da liberação do abono do PIS/Pasep, ou seja, de acordo com a data do nascimento do empregado. Atualmente, o trabalhador pode conferir se possui conta inativa ao acessar o site da Caixa Econômica Federal (www.caixa.gov.br) ou o do FGTS (www.fgts.gov.br), baixar gratuitamente um aplicativo para celular ou tablet — disponível para iOs e Android —, ou ir à uma agência do banco. Em todos os casos é preciso informar o número do PIS e, para quem for ao banco, documento de identificação. Pode sacar o dinheiro todo trabalhador com carteira assinada que tenha conta vinculada a um contrato de trabalho encerrado até 31 de dezembro de 2015. Segundo o Conselho Curador do FGTS, existem hoje R$ 30 bilhões depositados em contas inativas, cujo último depósito pelo empregador foi feito até o fim de 2015. Cálculos do governo apontam que a maior parte das contas tem saldo inferior a um salário mínimo. A expectativa é de que 70% dos 10 milhões de trabalhadores com direito ao saque retirem os recursos.


152

É preciso ter cautela com dinheiro A grana extra que muitos trabalhadores vão poder sacar virá em boa hora para milhares deles. Mas especialistas em finanças avaliam que é preciso cuidado para não gastar o dinheiro e comprometer o orçamento além da conta. Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), orienta cautela em relação ao que será feito com os recursos. Segundo ele, caso o valor a ser resgatado seja suficiente para quitar alguma dívida em atraso totalmente, é interessante agir dessa forma. Mesmo assim, é válido negociar e conseguir descontos, diminuindo parte do débito, para então fazer o pagamento à vista. Por outro lado, se não for para quitar 100% da dívida, avalie a opção de investir o valor para ter força para negociar no futuro. “O ideal é que a quantia possa melhorar a qualidade de vida, não apenas agora, mas especialmente no futuro”, diz.


153 VeĂ­culo:

Correio Lageano

Data: 26/02/2017 Site: http://www.clmais.com.br/informacao/104099/poupar-para-concretizar-%C3%A9-aorienta%C3%A7%C3%A3o-de-educador-financeiro-sobre-o-fgts-inativo


154


155 Veículo:

Extra

Data: 19/02/2017 Site: http://extra.globo.com/noticias/economia/especialistas-ensinam-renegociar-dividascom-saldo-do-fgts-20945090.html

Educador financeiro dá oito dicas para pais identificarem se os filhos são consumistas

Crianças herdam comportamento dos responsáveis, destaca educador financeiro Foto: Fábio Rossi / O Globo

Extra

A Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) alerta para o perigo de as crianças serem excessivamente consumistas, já que a influência dos amigos e da


156

publicidade podem afetar os pequenos e convencê-los de que eles precisam de vários produtos e brinquedos. “É normal que os pequenos sintam desejos sobre as coisas que veem, mas é importante que se tenha em mente que grande parte desses desejos são imediatistas, ou seja, passageiros. A situação começa a ficar complicada quando a criança acredita ter necessidade de possuir tudo aquilo que lhe é sugestivo e, quando não consegue, faz birra”, afirma o presidente da Abefin, Reinaldo Domingos. Segundo o especialista, que listou oito sinais de que as crianças são consumistas, o principal é ter consciência de que os filhos herdam grande parte de seus hábitos dos pais. “Se os hábitos e costumes da família forem positivos em relação ao uso do dinheiro, eles tendem a prevalecer na vida dos filhos”.

Confira oito passos para identificar se a criança é consumista: 1- Observe se ela fica “hipnotizada” pelas propagandas em sites ou na televisão; 2- Preste atenção na forma como ela fala sobre os itens que seus amigos e colegas têm, observando se deseja ter também para se sentir identificada e aceita no grupo; 3- Veja a reação da criança ao perceber que não poderá ter aquilo que deseja naquele momento, compare se ela age com maturidade e busca compreender a situação ou se chora, esperneia e faz birra; 4- Perceba se a criança tem apenas desejos imediatistas (por coisas que quer, mas que pode viver sem), ou se tem sonhos, ou seja, quer itens que possuem significado e importância em sua vida; 5- Procure saber se a criança planeja formas para conquistar aquilo que deseja. O planejamento é uma das mais importantes atitudes de quem é educado financeiramente, algo que diminui o consumismo desenfreado;


157

6- Se ela recebe mesada, verifique se poupa parte do valor para os seus sonhos ou se não consegue passar o mês com o que ganha e acaba pedindo mais dinheiro; 7- Observe se a criança é cuidadosa com os presentes que ganha ou se deixa de lado, esquece em algum lugar ou quebra rapidamente; 8- Identifique se a família – pais, tios, avós e irmãos – são consumistas. As crianças “herdam” hábitos e costumes. Portanto, é importante que os adultos busquem se educar financeiramente e melhorar seus comportamentos em relação ao uso do dinheiro.


158 Veículo:

Zero Hora

Data: 14/02/2017 Site: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/noticia/2017/02/saiba-como-aproveitar-melhoro-reforco-na-conta-com-o-fgts-9721557.html

Quando vale a pena manter um carro? Gasto diário do dono de um automóvel varia de R$ 25 a R$ 30, incluindo na conta combustível, estacionamento, impostos, seguro e manutenção 12/02/2017 - 21h47min | Atualizada em 12/02/2017 - 21h47min

Foto: Gabriel Renner / Arte ZH / Arte ZH


159

O dito popular de que o carro é como um filho não está tão longe assim da realidade. Segundo economistas, o gasto diário para manter um automóvel varia de R$ 25 a R$ 30, considerando combustível, estacionamento e uma média diária dos gastos com IPVA, seguro, estacionamento e manutenção. E nem se conta aí um financiamento. Conforme cálculos do consultor financeiro Alfredo Meneghetti Neto, a soma dos gastos de dois anos com um veículo seria suficiente para comprar um novo carro se o valor fosse investido. Por que não enxergamos essa matemática com a mesma clareza? Simples: costumamos memorizar apenas os gastos mais frequentes (com gasolina ou estacionamento, por exemplo), deixando de lado contas que incidem vez que outra — mas são altas. — Aí estão as armadilhas, é preciso ter consciência das diversas outras despesas envolvidas: renovação do seguro, manutenção, imposto, licenciamento, lavagem, garagem e até multas — alerta Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin). A despesa total com um automóvel chega a 2% do valor que ele tem em todos os meses, reforça Domingos. A manutenção de um veículo de R$ 20 mil, por exemplo, tem um custo mensal de aproximadamente R$ 400. Como há famílias que possuem mais de um carro — conforme o Detran-RS, Porto Alegre tem um carro para cada 1,8 habitante, uma das maiores médias do país —, com um deles parado a maior parte do tempo, o vazamento de dinheiro é grande. Reinaldo Domingos ressalta que, se essas famílias vendessem um dos carros, poderiam ganhar um bom dinheiro e, com os rendimentos de uma aplicação, subsidiar as despesas com lotação, ônibus, táxi ou serviços como Cabify ou Uber. Para saber se é bom negócio manter um carro, é preciso avaliar na rotina quanto seria gasto para se deslocar com conforto pela cidade com transporte público. De acordo com o educador financeiro Adriano Severo, vale mais a pena circular de lotação, táxi e motoristas por aplicativos quando a soma das passagens e tarifas não ultrapasse R$ 27 por dia. Evidentemente, é preciso medir a qualidade do serviço público antes de fazer a escolha de ter ou não um carro. Colocar na balança a dificuldade que se tem de encontrar um táxi ou motorista por aplicativo nos horários de pico. Ou a insegurança de esperar na parada de ônibus.


160

CONSIDERE AS POSSIBILIDADES > Para saber se é realmente o momento certo para comprar e manter um carro, saiba, primeiro, se terá condições de assumir um gasto diário equivalente a R$ 30 – além de eventuais parcelas de financiamento, claro. > Faça um teste de pelo menos uma semana utilizando Cabify, lotação ou táxi para ir aos seus compromissos, e veja se o gasto é menor do que tem com o carro. > Em geral, quem roda menos de 15 quilômetros por dia faz melhor negócio utilizando transporte público, já que os gastos altos com automóvel não compensam. > Quem está endividado ou poderia ficar com o orçamento estrangulado assumindo as parcelas deve evitar ao máximo comprar um veículo, pois qualquer imprevisto poderá levar ao endividamento. > Caso a pessoa já possua um veículo, deve avaliar as vantagens e desvantagens de ter outro, até porque adquirir um automóvel não é investimento (ao contrário do que dizem alguns vendedores): logo que sai da concessionária, o carro sofre, em média, 10% de desvalorização, e vai perdendo valor com o passar do tempo.

Fonte: consultores financeiros Reinaldo Domingos, Alfredo Meneghetti Neto e Adriano Severo.


161 Veículo:

Diário da Região

Data: 13/02/2017 Site: http://www.diariodaregiao.com.br/economia/saiba-o-que-fazer-com-o-dinheiro-dascontas-inativas-do-fgts-1.670567


162 Veículo:

Rádio Difusora

Data: 14/02/2017 Site: https://soundcloud.com/user-566348325/radio-difusora-o-que-fazer-com-o-resgate-dofgts-14-02-2017-lino-luiz-savian


163 VeĂ­culo:

RĂĄdio Amizade

Site: https://soundcloud.com/user-566348325/radio-amizade-despesas-ao-ter-um-carroleandro-rodrigues


164 Veículo:

Maranhão Hoje

Data: 13/02/2017 Site: http://maranhaohoje.com/calendario-do-fgts-de-contas-inativas-sai-nesta-terca-feira/

Calendário do FGTS de contas inativas sai nesta terça-feira

Nesta terça-feira (14), será divulgado o calendário de saques de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A renda extra vem em boa hora, mas é preciso cuidado para não colocar em risco a reserva financeira construída após meses – ou anos – de


165

trabalho, de acordo com o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos. “Muitas pessoas usam rendas extras sem considerar sua situação financeira atual. Infelizmente, isso é comum. Portanto, procure levantar seus números e ter consciência se está em situação de equilíbrio, endividamento, inadimplência ou se é investidor. O ideal é que a quantia possa melhorar a qualidade de vida da pessoa e família, não apenas agora, mas especialmente no futuro. Afinal, o objetivo principal da existência desse fundo é ser um arrimo para o trabalhador em caso de demissão”, orienta Reinaldo Domingos. Confira abaixo orientações para quem está em situação de inadimplência, de equilíbrio financeiro e também para quem já tem o hábito de investir. Inadimplência – Caso o valor a ser resgatado seja suficiente para quitar alguma dívida em atraso totalmente, é interessante agir dessa forma. Mesmo assim, é válido negociar e conseguir descontos, diminuindo parte da dívida, para então fazer o pagamento à vista. Por outro lado, se não for para quitar 100% da dívida, avalie a opção de investir o valor para ter força para negociar no futuro. De uma forma ou de outra, o principal a ser feito nessa situação delicada é se educar financeiramente, ou seja, mudar seu comportamento para não mais retornar à inadimplência. O primeiro passo é olhar para a sua situação de forma honesta e levantar todos os números, traçando um planejamento para renegociar a dívida – agora ou no futuro – em parcelas quem respeitem o orçamento mensal. Equilíbrio – Ainda não ter um objetivo estabelecido para o uso dessa renda extra é preocupante, pois na ausência de uma meta, o valor pode acabar sendo utilizado em compras supérfluas e de pouca importância, ao invés de contribuir para a conquista de um sonho. Cada pessoa deve ter no mínimo três: um de curto prazo (a ser realizado em um ano),


166

outro de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (a ser realizado a partir de dez anos). Tanto na situação de equilibrado ou de investidor, é orientável fazer o saque das contas inativas assim que possível e aplicar o valor em investimentos como poupança, CDB ou tesouro direto, entre outras, que rendam mais do que o FGTS. A modalidade escolhida precisa corresponder ao prazo em que se deseja realizar o sonho, tendo em vista a possibilidade de resgatá-lo no momento desejado sem perder rendimentos.


167 Veículo:

Jornal Dia a Dia

Data: 01/02/2017 Site: http://jornaldiadia.com.br/2016/?p=246848

Inovador – Diário dos Sonhos usa realidade aumentada para ensinar educação financeira 1 de fevereiro de 2017 Ray Santos

Aplicativos, brinquedos e até mesmo a imaginação fértil são apontados, muitas vezes, como os fatores que atrapalham a educação das crianças. Esses itens, entretanto, dependem do direcionamento adequado e se utilizados de maneira correta podem ser grandes aliados na perpetuação dos conhecimentos. Esse é justamente o diferencial do inovador Kit Diário dos Sonhos, lançamento da Editora DSOP para o ano de 2017. Trata-se de um livro-imagem-brinquedo que busca estimular as crianças de forma criativa, para que aprendam a poupar para realizar seus sonhos. O kit contempla o livro de realidade aumentada “Diário dos Sonhos”, três cofrinhos de tamanhos distintos, cartelas de adesivos colantes e manual explicativo. Todos os itens possuem utilidade prática no aprendizado da educação financeira, trazendo conceitos de consumo consciente e empreendedorismo. O kit possibilita que a criança navegue no mundo da imaginação junto aos pais ou responsáveis. A intenção é que os pequenos estabeleçam três sonhos, por isso recebem um cofrinho chamado “Curto Prazo”, a ser usado para realizar um sonho inicial, outro um pouco maior, chamado “Médio Prazo”, e um último cofrinho para os sonhos grandes, chamado “Longo Prazo”.


168

“Esse produto é um sonho antigo que tinha, pois acredito que utilizando de forma lúdica objetos cotidianos é possível potencializar o aprendizado dos pequenos. Exemplo disso são os cofrinhos, que possuem uma história antiga, mas que, dentro de um novo contexto, possibilitam que as crianças obtenham consciência da importância da paciência para realizar seus sonhos”, conta o autor, mestre e doutor em educação financeira, Reinaldo Domingos. O livro é totalmente ilustrado, sem texto, impulsionando o uso da imaginação – o que é potencializado com a inovadora tecnologia de realidade aumentada. “Vejo que essa tecnologia é bem-aceita pelas crianças, por isso busquei inovar, inserindo nessa obra em um novo contexto atual, possibilitando o aprendizado de forma pedagogicamente estruturada. É como se fosse a Educação Financeira Go”, brinca Domingos, lembrando do jogo que esteve em alta nos últimos meses, o “Pókemon Go”. E para ficar ainda melhor, o autor Reinaldo Domingos buscou parceria com uma das grandes corretoras de valores Geração Futura, que, por meio da sua plataforma de investimentos online Genial, possibilitará a todos que adquirirem o produto um presente em recursos financeiros. Isso estimulará a criança em seu primeiro investimento, denominado Fundo de Investimento DSOP, que faz parte do Programa de Educação Financeira para Crianças e Jovens, bastando apenas acessar o site www.dsop.com.br/diariodossonhos, se inscrever e pronto, investimento concretizado. O Kit Diário dos Sonhos poderá ser adquirido em lojas de brinquedos, livrarias e também online no site da DSOP Educação Financeira (http://www.dsop.com.br/20diariodossonhos/). Sobre o livro Diário dos Sonhos O garoto Nico sonha com um balanço na árvore de sua rua. Com a ajuda de sua família, aprende que para realizar sonhos é preciso juntar um pouco de dinheiro e, com o apoio de seus amigos, experimenta a felicidade de construir algo com seu próprio esforço. Totalmente ilustrada – sem nenhum diálogo escrito –, a história de Nico é contada no livro-imagem Diário dos Sonhos de Reinaldo Domingos, com ilustrações de Bruna Assis Brasil. Por meio das ilustrações, é fácil notar que Nico é uma criança alegre e feliz, que tem muitos sonhos e também dedicação em juntar moedas e notas para realizá-los. Com sua história, os pequenos leitores aprendem que é normal desejar coisas que não se têm e, o mais importante, que é


169

possível conquistá-las. “Livros com histórias inspiradoras são capazes de levar crianças a transformar seus anseios, desejos e até mesmo inseguranças em realizações. Nico é um pequeno herói por conquistar seus sonhos e inspirar adultos e crianças com o seu comportamento”, conta o autor, Reinaldo Domingos. Nas últimas páginas do livro, há um material especialmente preparado para que professores, pais e responsáveis ajudem as crianças a desvendar essa aventura: instruções para ressaltar determinados detalhes da história, para conduzir a criança a estabelecer seus próprios sonhos e para confeccionar cofrinhos em que ela possa poupar dinheiro até ter o suficiente para realizar. Sobre o autor Reinaldo Domingos é doutor e mestre em educação financeira, terapeuta financeiro, autor do best-seller Terapia Financeira e do livro Mesada não é só dinheiro, entre outros. Em 2008, idealizou a primeira Coleção Didática de Educação Financeira para o Ensino Básico do País, atualmente adotada por diversas escolas, privadas e públicas.


170 Veículo:

Mulheres Empreendedoras

Data: 20/02/2017 Site: http://www.mulheresempreendedoraspi.com.br/site/empreendedorismo/voceconsegue-separar-seu-dinheiro-pessoa-fisica-com-pessoa-juridica-por-marielle-baia/

Você consegue separar seu dinheiro pessoa física com pessoa jurídica? – por Marielle Baia Por Marielle Baia -

16 de fevereiro de 2017


171

Dinheiro é um assunto pouco ou nada estudado em nossa vida acadêmica. Por isso, lidar com ele, nem sempre é fácil, principalmente quando se tem que administrar, ao mesmo tempo, as finanças pessoais e as da empresa. Percebe-se que muitos empreendedores têm problemas com essa relação, pois não conseguem separar as contas particulares das corporativas. O empreendedor deve estabelecer a divisão do dinheiro entre pessoa física e jurídica, pois ambas têm realidades totalmente distintas. Na prática pode até parecer “simples”, mas o resultado pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso de um empreendimento, como também pessoalmente. Faz-se necessário lembrar que uma empresa nasce com objetivo de dar lucro. Teoricamente é com o lucro que o empresário deve manter seu padrão de vida, porém essa relação deve ser bem separada: vida financeira da pessoa jurídica x vida financeira pessoa física, pois a empresa é uma coisa e a vida pessoal do empresário é outra. A empresa dá o lucro e o empresário com esse lucro realiza seus sonhos. O problema é quando o empresário pega o dinheiro para bancar um padrão de vida que a empresa não consegue pagar, e essa brincadeira acaba por quebrar uma empresa que dá lucro. Outro problema é quando o empresário tá bancando a empresa, por não perceber que a empresa não está conseguindo ser sustentável. Essas são situações bastante comuns nos dias de hoje em decorrência da falta de preparo para lidar com o dinheiro.


172

Vejo muitos empresário(a)s comentando que não sabem a rentabilidade da empresa ou que não conseguem perceber a sobra de dinheiro, pois mal conseguem pagar as contas da empresa e de casa. O que tem acontecido é que os empresários vão gastando e movimentando o dinheiro da empresa sem informações concretas sobre a realidade da mesma, como também da vida pessoal. Não registram entradas e saídas e ainda misturam dinheiro pessoal com o da empresa. E infelizmente quando vão dar conta, a situação já está crítica. É importante a decisão de levar sua empresa a sério! Pensando nisso, veja abaixo dicas importantes: 1-

Realizar Diagnóstico Financeiro: registrar todas as entradas e

saídas da empresa por categorias (tipos de entradas e despesas) para que esses dados se transformem em informações para tomada de decisão. Com isso, você saberá a rentabilidade da empresa e o que poderá comprometer de salário para sua vida pessoal. Esse mesmo diagnóstico financeiro deve ser feito com seus gastos pessoais para que você consiga detectar seu atual padrão de vida e possíveis melhorias. 2-

Estabelecer retirada salarial da empresa: a única saída de

dinheiro da empresa para sua vida pessoal deverá ser o pagamento de seu pró-labore. Essa retirada deve ser compatível ao que o negócio pode pagar. O cálculo deve ser realista e o empresário deve entender que terá que adequar seu padrão de vida a realidade da empresa. 3-

Separar conta corrente pessoal da conta corrente da

empresa: são legalmente distintas: conta pessoa física e conta pessoa jurídica. Você deve criar uma rotina administrativa de atualizar todos os dados referentes a sua empresa e pessoa física separadamente. Assim, perceberá, de forma simples, o quanto entra de receita e o quanto sai de dinheiro para cada situação da empresa e da vida pessoal.


173

4-

Manter a cultura financeira de registro de gastos e despesas

voltadas á empresa a todos os envolvidos, colaboradores e terceirizados: deve ser regra na empresa a profissionalização do negócio, de forma que fique claro para todos os registros de todas as despesas e suas especificidades. Ex: o empreendedor de uma lanchonete consome o lanche que era para ser vendido, não paga e nem registra como despesa da empresa. Dependendo da quantidade, isso pode refletir no negócio, além de ser mau exemplo aos que trabalham na empresa. 5-

Estabelecer reserva mensal pessoal e da empresa: Tanto a

pessoa física quanto a empresa devem possuir reserva estratégica para situações inesperadas ou mesmo planejadas. A pessoa física deve poupar pelo menos 10% de seu ganho para investir na sua independência financeira, além de outros 10% os sonhos de curto, médio e longo prazos. A pessoa jurídica deve reservar um valor estratégico para capital de giro e também possíveis investimentos de melhoria da mesma. Usar todo o dinheiro ganho é um erro drástico para pessoas físicas e jurídicas e tem levado ao fracasso. Vale ressaltar que a causa principal desse conflito com o dinheiro é decorrente do analfabetismo financeiro das pessoas. Lidar com o dinheiro e ser educado financeiramente de nada têm a ver com números e cálculos, mas sim com hábitos comportamentais. Somos ensinados a consumir, a fazer cálculos, a pagar contas e até a ganhar dinheiro, mas não somos ensinados a poupar para realizar todos os nossos sonhos de curto, médio e longo prazo. O segredo é a mudança comportamental de hábitos e de consumo.


174


175 VeĂ­culo:

Jornal de JundiaĂ­

Data: 20/02/2017 Site: http://www.jj.com.br/noticias-42969-fgts-lanca-r$-43-bilhoes-na-economia-e-e-precisopoupar


176


177 Veículo:

Diário do Litoral

Data: 26/02/2017 Site: http://www.diariodolitoral.com.br/papo-de-domingo/especialista-da-dicas-sobre-comoaplicar-o-dinheiro-do-fgts/96094/

Especialista dá dicas sobre como aplicar o dinheiro do FGTS Saques poderão ser realizados a partir de 10 de março até 31 de julho

26 FEV 2017Por Vanessa Pimentel12h00

Depois das festividades - e dos gastos, que geralmente envolvem o Carnaval, mais de 30 milhões de brasileiros terão acesso aos valores contidos em contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os saques poderão ser realizados a partir do dia 10 de março e encerrarão no dia 31 de julho. “A renda extra vem em boa hora, mas é preciso cuidado para não colocar em risco a reserva financeira construída após meses - ou anos - de trabalho”. Quem alerta é a educadora financeira e diretora da Unidade DSOP Santos, Teresa Tayra. Confira na entrevista ao Diário do Litoral as dicas da educadora para aplicar o dinheiro de forma consciente. Diário do Litoral - Vale a pena sacar o FGTS inativo? Teresa Tayra - Sim, pois os rendimentos do FGTS são menores que as oportunidades que você possa ter.


178

DL - Quais as principais dicas para que o contribuinte aplique de forma correta o dinheiro que possui em fundo? Teresa - Antes de definir como irá usar o valor, é preciso analisar a situação em que se encontra hoje, ou seja, saber se está inadimplente, endividado, equilibrado ou investidor. O ideal é agir de acordo com a sua situação financeira, mas sempre priorizando os sonhos, os desejos individuais e coletivos, poupando mensalmente e inclusive rendas extras, como esse saque do FGTS, para essa finalidade. DL - Caso o contribuinte tenha mais que uma dívida, como priorizar a mais importante a ser paga? Teresa - As de maiores taxas de juros, como cartão de crédito e cheque especial, as que dizem respeito a produtos e serviços básicos, como aluguel, contas de água e energia elétrica, além das que tem um bem de valor atrelado, como carro e casa. É importante, antes de procurar pagar, renegociar o valor da dívida. Dependendo da instituição credora e da quantia a ser paga à vista, você tem maior poder de negociação. DL - Com dinheiro na mão, as negociações costumam ser mais interessantes. Em caso de renegociação de dívidas, como reconhecer uma boa proposta/acordo? Teresa - Boas propostas e acordos são as que permitem um bom desconto ao quitar o valor total e as que oferecem condições de pagamento melhores, com parcelas menores e que caibam no orçamento, garantindo segurança para honrar os pagamentos. DL - Se o saldo do FGTS não for suficiente para quitar uma dívida, vale a pena pegar empréstimo? Teresa - Pegar um empréstimo para pagar dívidas não é garantia de que sairá do problema para nunca mais voltar. O principal a ser feito é se educar financeiramente, mudar hábitos e comportamentos que o levaram a essa situação em primeiro lugar. Paralelamente, é preciso traçar um planejamento para o pagamento das dívidas. Se pegar um empréstimo for uma escolha


179

consciente e planejada, é importante conhecer o valor exato das parcelas futuras. É muito comum que pessoas peguem empréstimos consignados, por exemplo, por terem taxas menores, e acabam perdendo o controle das finanças, já que parte da renda fica comprometida e há a contratação de novas dívidas, por conta da falta de educação financeira. DL - Se a pessoa tem uma dívida já controlada/negociada, vale a pena quitá-la ou é melhor investir o dinheiro em outra coisa? Teresa - Se a dívida está controlada, ou seja, se a pessoa paga mensalmente, não é orientável quitar. O ideal é continuar pagando mensalmente e investir o valor na intenção de realizar ou até mesmo adiantar a realização de um sonho. Lembrando que esse dinheiro foi acumulado após meses ou anos de trabalho, então evite que se destine ao consumismo, muitas vezes supérfluo e desnecessário. DL - Alguns bancos estão antecipando o dinheiro do FGTS, mas a cobrança envolve juros. Dessa forma, vale a pena pedir a antecipação? Teresa - É preciso ter consciência de que se trata de um empréstimo, ou seja, uma nova dívida, além de refletir sobre a finalidade desta antecipação. Ter consciência é essencial. Se a pretensão for pagar dívidas, compare os juros da dívida até o tempo da retirada do valor de acordo com o calendário oficial aos juros do empréstimo e verifique se vale a pena. DL - Caso o trabalhador esteja com a situação financeira equilibrada, qual a melhor forma de investir o valor do fundo? Teresa - Definir os sonhos e os prazos em que deseja realizá-los é o que leva à definição do tipo de investimento. Poupança, CDB, Tesouro Direto são indicados para sonhos de curto, médio e longo prazo respectivamente, por exemplo. O ideal é que cada pessoa tenha no mínimo três sonhos, um de curto prazo (a ser realizado em um ano), outro de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (a ser realizado a partir de dez anos). Os investimentos devem ser compatíveis com a data de resgate do valor para a realização do sonho.


180

DL - Sugira algumas reflexões importantes para quem está contando com o dinheiro. Teresa - Caso vá quitar uma dívida, você está preparado para não entrar em outras? Você tem educação financeira para sair da situação de inadimplência de forma definitiva? Caso vá usar o valor para realizar seus sonhos, eles dizem mais respeito a anseia pelo consumo, muitas vezes supérfluo, ou a desejos profundos e atrelado a sua realização pessoal? Caso vá guardar o valor, você está poupando por poupar, investindo por investir, sem ter um sonho atrelado? Se estiver, procure nomear cada um de seus investimentos com aquilo que deseja fazer com o valor, assim, terá maior incentivo.


181 Veículo:

Consumidor Moderno

Data: 13/02/2017 Site: http://www.consumidormoderno.com.br/2017/02/07/cresce-inadimplencia-nas-escolasprivadas/

CRESCE INADIMPLÊNCIA NAS ESCOLAS PRIVADAS MEC estuda estabelecer a obrigatoriedade da educação financeira nas escolas brasileiras, já que o tema gera mudanças comportamentais em toda a família

Garantir o ensino dos filhos é prioridade para muitas famílias. Entretanto, em 2016, a inadimplência média nas escolas particulares atingiu 8,83% em São Paulo, de acordo com o Sieeesp (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino). Em escolas


182

em que a educação financeira está na grade curricular, por outro lado, constata-se a diminuição da inadimplência, pois ao ser trabalhado com crianças e jovens, o tema gera mudanças comportamentais em toda a família. Considerando a relevância do tema, o Ministério da Educação (MEC) estuda estabelecer a obrigatoriedade da inclusão da educação financeira nas escolas brasileiras, conforme posicionado em sessão na Comissão de Educação na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), no final de 2016. “Em centenas de escolas pioneiras na implementação, os benefícios já vem sendo sentidos tanto pelos alunos e seus familiares, que estão se engajando junto às crianças, quanto pelas instituições de ensino, que observam a diminuição da inadimplência”, conta Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e autor da primeira Coleção Didática de Educação Financeira do Brasil. Em 2016, foram cerca de 200 mil estudantes aprendendo sobre o assunto em sala de aula. “Hoje, a realidade nos mostra que as novas gerações estão cada vez mais expostas ao consumismo exacerbado. Por isso, é imprescindível que aprendam a lidar adequadamente com o dinheiro, para que possam, acima de tudo, aprender a se planejar para conquistar seus sonhos de curto, médio e longo prazo”, acrescenta Domingos.


183


184 Veículo:

O São Gonçalo

Data: 14/02/2017 Site: http://www.osaogoncalo.com.br/servicos/22014/como-utilizar-o-valor-do-resgate-dofgts

Como utilizar o valor do resgate do FGTS Enviado direto da Redação / 14/02/2017 às 12:00h

Os trabalhadores devem estabelecer uma finalidade para recurso, cujo calendário de pagamento sai hoje Foto: Filipe Aguiar


185

O calendário de saques de contas inativas do FGTS será divulgado hoje pelo governo federal juntamente com a sistemática de pagamento. Mas com a crise econômica instalada em todo país, é preciso cuidado para não colocar em risco a “renda extra” que vem em boa hora para milhares de trabalhadores, muitos dos quais desempregados no momento. De acordo com o educador financeiro da Disseminar, Sonhar, Orçar e Poupar (DSOP) Rogério Braga, é preciso considerar a própria situação financeira e definir se está encaixado na situação de inadimplente ou endividado. “O endividado, que consegue pagar em dia suas contas, pode destinar o recurso para uma aplicação ou destinar para sonhos, mesmo que não seja de um objetivo imediato. Já os inadimplentes precisam fazer um check-up financeiro e verificar quais as contas estão com juros maiores, buscando fazer uma boa negociação no momento do pagamento”, informou o educador financeiro. Ainda segundo Rogério, o inadimplente deve observar se o o valor a ser resgatado é suficiente para quitar as dívidas em atraso, evitando fazer outras contas. “Se o saldo não for suficiente, é melhor aguardar. É preciso também avaliar com cuidado para evitar o impulso por novos consumos”, explicou Rogério. Os que desejam investir o dinheiro, é necessário estabelecer uma finalidade para o uso dessa renda extra. O prazo (curto, médio ou longo) a ser realizado também precisa ser definido. “Dependendo do prazo em que esse recurso possa ser investido, pode acabar atrapalhando a rentabilidade. É importante planejar e, se possível, aplicar o valor em investimentos como poupança - caso a inflação esteja baixa -, CDB ou tesouro direto, que rendam mais do que o FGTS”, finalizou.

Saques para contratos até dezembro de 2015 Todo trabalhador com carteira assinada que tenha conta vinculada a um contrato de trabalho encerrado até 31 de dezembro de 2015 poderá realizar o saque do


186

saldo, sem observar a exigência de três anos ininterruptos fora do regime do FGTS. Os extratos do Fundo de Garantia podem ser consultados nos seguintes canais: site da Caixa (www.caixa.gov.br); aplicativo do FGTS; internet banking; terminais de autoatendimento, por meio do Cartão do Cidadão; e serviço de atendimento ao cliente (0800-726-0207). Os saque das contas consideradas ativas não sofreram nenhuma modificação, ou seja, o trabalhador não poderá sacar o FGTS do emprego atual. Os autorizados devem, de acordo com as estimativas, injetar na economia brasileira cerca de R$ 30 bilhões e beneficiar milhões de trabalhadores. Quanto à distribuição do rendimento do FGTS (50% do lucro anual), a Caixa Econômica Federal, por meio de sua assessoria de imprensa, esclareceu que aguarda manifestação do Conselho Curador do FGTS. Os valores serão depositados automaticamente nas contas dos trabalhadores até agosto desse ano.


187 Veículo:

ABC do ABC

Data: 15/02/2017 Site: http://www.abcdoabc.com.br/caderno/carnaval-folia-descanso-sim-descontrolefinanceiro-nao-45964

Carnaval: folia e descanso sim, descontrole financeiro não Muitos querem curtir e pular o Carnaval, enquanto outros desejam descansar e relaxar. Seja como for, é importante traçar um planejamento e se manter no orçamento

O Carnaval está chegando e muita gente ainda não se programou financeiramente para essa época do ano. Pode não parecer, mas é bastante comum que a descontração e a euforia se transformarem em descontrole financeiro e em uma preocupação que se arrasta por vários meses seguintes. Seja você da turma dos que querem festa e folia ou da turma dos que querem relaxar e descansar, procure ter consciência de sua condição financeira, sabendo exatamente quais são os seus ganhos e gastos, para poder se planejar. Vejo que em períodos como este as pessoas se empolgam e acabam gastando o que não podem, na intenção de curtir o momento. Então, se esse for o seu comportamento, é melhor revê-lo e tentar trazer a razão de volta. Para isso, sempre aconselho buscar educar-se financeiramente, pois esse é o


188

caminho para que as finanças não fujam do controle. A maioria da população não teve a oportunidade aprender a lidar com o dinheiro e, por isso, tem esse problema hoje. Quer uma orientação prática para o Carnaval? Se for em um bloco ou festa e precisar de uma fantasia, veja se não é possível usar a mesma do ano passado. Caso não tenha, pegue emprestado de um amigo ou familiar, ou ainda faça a sua, customizando alguma roupa. O aluguel, geralmente, custa caro e não costuma valer a pena. Dá para economizar também na bebida, afinal de contas, exagerar no álcool não faz bem nem pra saúde física, nem para a financeira. Se for viajar, faça as contas e veja quanto você pode gastar sem comprometer o orçamento, só então pesquise os melhores os pacotes e condições de pagamento. Agora está em cima da hora, então, talvez, o melhor a fazer é aproveitar de acordo com que o orçamento mensal permite, sem se endividar, e se programar para realizar aquele grande plano no próximo ano, já se planejando desde agora. Respeitando o padrão de vida, é possível sim se divertir sem cair no descontrole financeiro.

Reinaldo Domingos é doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira e autor do best-seller Terapia Financeira, do lançamento Diário dos Sonhos e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira do Brasil.


189 Veículo:

Jornal de Jundiaí

Data: 20/02/2017 Site: http://www.jj.com.br/noticias-42969-fgts-lanca-r$-43-bilhoes-na-economia-e-e-precisopoupar

Resgate do FGTS: calendário sai nesta terça-feira (14) Da Folhapress redacao@jj.com.br

Nesta terça-feira (14), será divulgado o calendário de saques de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). A renda extra vem em boa hora, mas é preciso cuidado para não colocar em risco a reserva financeira construída após meses - ou anos de trabalho, de acordo com o presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos. “Muitas pessoas usam rendas extras sem considerar sua situação financeira atual. Infelizmente, isso é comum. Portanto, procure levantar seus números e ter consciência se está em situação de equilíbrio, endividamento, inadimplência ou se é investidor. O ideal é que a quantia possa melhorar a qualidade de vida da pessoa e família, não apenas agora, mas especialmente no futuro. Afinal, o objetivo principal da existência desse fundo é ser um arrimo para o trabalhador em caso de demissão”, orienta Domingos. Confira abaixo orientações para quem está em situação de inadimplência, de equilíbrio financeiro e também para quem já tem o hábito de investir. Inadimplência - Caso o valor a ser resgatado seja suficiente para quitar alguma dívida em atraso totalmente, é interessante agir dessa forma. Mesmo assim, é válido negociar e conseguir descontos, diminuindo parte da dívida, para então fazer o pagamento à vista. Por outro lado, se não for para quitar 100% da dívida, avalie a opção de investir o valor para ter força para negociar no futuro. De uma forma ou de outra, o principal a ser feito nessa situação delicada é se educar financeiramente, ou seja, mudar seu comportamento para não mais retornar à inadimplência. O primeiro passo é olhar para a sua situação de forma honesta e levantar todos os números, traçando um planejamento para renegociar a dívida – agora ou no futuro – em parcelas quem respeitem o orçamento mensal. Em situação equilibrada Ainda não ter um objetivo estabelecido para o uso dessa renda extra é preocupante, pois na ausência de uma meta, o valor pode acabar sendo utilizado


190

em compras supérfluas e de pouca importância, ao invés de contribuir para a conquista de um sonho. Cada pessoa deve ter no mínimo três: um de curto prazo (a ser realizado em um ano), outro de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (a ser realizado a partir de dez anos). Tanto na situação de equilibrado ou de investidor, é aconselhável fazer o saque das contas inativas assim que possível e aplicar o valor em investimentos como poupança, CDB ou tesouro direto, entre outras, que rendam mais do que o FGTS. A modalidade escolhida precisa corresponder ao prazo em que se deseja realizar o sonho, tendo em vista a possibilidade de resgatá-lo no momento desejado sem perder rendimentos.


191 Veículo:

O Nortão

Data: 04/02/2017 Site: http://www.onortao.com.br/noticias/utilize-rendas-extras-com-sensatez--por-reinaldodomingos,86771.php

Utilize rendas-extras com sensatez Por Reinaldo Domingos “Portanto, estai atentos para que o vosso procedimento não seja semelhante aos insensatos, mas andai em sabedoria, aproveitando bem cada oportunidade...

“Portanto, estai atentos para que o vosso procedimento não seja semelhante aos insensatos, mas andai em sabedoria, aproveitando bem cada oportunidade, porque os dias são maus. Portanto, não sejais faltos de juízo, mas buscai compreender qual é à vontade do Senhor”. (Efésios 5:15)

Neste mundo de ações insensatas, de confusão e enganação, é nosso papel agir com sabedoria e juízo, como nos guia o Livro Sagrado. Em breve, muitos de nós receberemos uma renda extra, de contas inativas do FGTS, e muito me preocupa o desperdício de tais reservas financeiras, construídas após meses ou anos de trabalho árduo. O calendário de saques será liberado ainda este mês, então é preciso que quem já sabe que tem valores para resgatar pense na melhor forma de utilizar esse recurso. Para muitos, a tentação do consumo é grande, mas é preciso sensatez para conhecer a situação financeira atual e agir com consciência.


192 Vejo que os homens e as mulheres que não buscam o caminho correto tomam atitudes e depois se arrependem. Isso acontece com jovens, adultos e até mesmo idosos, ouço muitos irmãos dizerem que não sabem para onde vai para o seu dinheiro todos os meses. Veja como é importante ter prudência e agir com responsabilidade, não se deixar dominar pelo desejo vazio de apenas consumir, consumir e consumir. Quem está inadimplente, com contas atrasadas para pagar, pode ter o desejo limpar o nome com o valor regatado do FGTS. Entendo esse ímpeto, porém oriento que, antes, negocie os valores. Com paciência e coragem, converse para diminuir a dívida. Não há injustiça nisso, pois tenham consciência irmãos, os juros cobrados são sempre muito altos e, por muitas vezes, abusivos. Se o valor que tiver for suficiente para quitar totalmente a dívida após a negociação, oriento que o faça, isso trará maior tranquilidade para você e sua família. Mas é como sempre falo, de nada adianta buscar o perdão e continuar no pecado. Procure se educar financeiramente, para não voltar a dever dinheiro. Tenha novos hábitos e comportamentos, pois com fé e determinação a sua vida mudará definitivamente, disto eu tenho certeza. Por outro lado, se você não tem dívidas em atraso, encare essa renda-extra como uma verdadeira bênção em tempos tão difíceis, de desemprego e crise econômica. Não perca a oportunidade de criar uma reserva financeira para o futuro e de começar a poupar para conquistar seus sonhos. Pense no curto, médio e longo prazo e garanta um futuro melhor para você e sua família.

Autor: Reinaldo Domingos

Fonte: gospelprime.com.br


193 VeĂ­culo:

Metro News

Data: 13/02/2017 Site: http://www.metrojornal.com.br/nacional/economia/saque-do-fgts-saiba-como-usar-damelhor-forma-esse-dinheiro-extra-343562


194 Veículo:

São Paulo para Crianças

Data: 20/02/2017 Site: http://saopauloparacriancas.com.br/como-curtir-o-carnaval-com-as-criancas-sem-seendividar/

Como curtir o Carnaval com as crianças sem se endividar Por Reinaldo Domingos - publicado em 20/02/2017

Pensando no bem-estar das crianças, muitas famílias já estão com os planejamentos para o Carnaval a todo vapor. Aqui no portal há tantas opções de passeios, que é possível montar uma programação completa. Para tanto, é importante não se esquecer de um aspecto muito importante: o financeiro. Se a família for viajar, por exemplo, com tempo suficiente, é possível pesquisar locais, preços, pacotes e condições de pagamento que se encaixem no orçamento e, mais, poupar para pagar à vista, conseguindo um valor ainda menor e não precisar pagar por vários meses as parcelas de algo que já acabou.


195

Neste caso, prevejam e estimem todas as despesas e envolva os filhos no planejamento. É claro que haverá gastos imprevistos, tanto que é sempre interessante levar cerca de 30% do valor total como reserva, mas tendo os valores em mente fica mais difícil gastar muito mais do que o programado. E incluir as crianças nessa etapa é algo que os tornará mais conscientes e menos imediatistas. Mas, se esse for o desejo e a condição financeira não permitir, converse com as crianças sobre a importância do planejamento para poupar dinheiro e viajar no carnaval do ano que vem, além de pensarem juntos em opções para o que fazer no feriadão que se aproxima. As crianças são muito inteligentes e criativas, tendo sempre ótimas ideias. Se os planos forem de pular o Carnaval, busquem opções mais em conta, como festas em clubes ou bloquinhos de rua, onde só gastarão com o consumo no local e com as fantasias. É importante garantir que as crianças se alimentem bem antes de sair de casa, bebam bastante água e tenha refeições saudáveis e leves. No que tange a fantasia, é possível economizar estimulando o empréstimo entre os amigos e a criatividade, ao ajudar os pequenos a customizarem a sua própria fantasia, partindo de roupas e peças que já tenha em casa. Na internet, há muitos tutoriais que ensinam a fazer fantasias e maquiagens chamativas, que eles com certeza vão adorar. Ações simples como essas fazem parte do processo de educação financeira, que ainda não é realidade para muitos brasileiros. O ideal é que as crianças aprendam, desde cedo, que entre desejos momentâneos e seus sonhos, os segundos devem ser priorizados, são eles que realmente importam e nos trazem satisfação profunda e verdadeira. Os pais são os maiores exemplos dos filhos, portanto conheça o seu orçamento e a sua situação atual e busque por opções de diversão que caibam no bolso, sem se esquecer das demais contas mensais e – especialmente – de poupar para os sonhos individuais e coletivos. Pode não parecer, mas a


196

responsabilidade e as ações conscientes dos adultos são percebidas e admiradas pelos filhos.

DICA de Carnaval para crianças: Procurando lugares para curtir o carnaval infantil 2017 em SP? Procurando bloco de carnaval infantil? Ou baile de carnaval infantil? ACHOU!! Confira nosso “Guia do Carnaval 2017 para crianças em São Paulo“, com toda a programação infantil de Carnaval da cidade! Mas se você quiser fugir do Carnaval e busca opções para curtir São Paulo com crianças, ou quer passeio infantil grátis, acesse nosso guia de lazer infantil e passeios com crianças em SP!


197 Veículo:

Mundo Carreira

Data: 05/01/2017 Site: http://www.correio24horas.com.br/single-economia/noticia/saiba-como-organizarfinancas-para-comecar-2017-com-pe-direito/?cHash=1b638569174b9387851ce663d79092d5

Imposto de renda – entenda a importância de patrimônio real e fiscal estarem alinhados

Hoje quero falar sobre a Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física, pois muitas pessoas não se atentam para a importância deste documento e, principalmente, em verificar se seu patrimônio real – aquele que realmente tem como casa, carro, entre outros bens, além de aplicações e investimentos – estão devidamente informados em sua Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física.


198

© Depositphotos.com / DaLiu

Cuidado! Sonegar impostos pode comprometer seus planos financeiros.

Muitas vezes, por achar que o que se passa nesse documento é insignificante perante as demais declarações, o consumidor pode acreditar que o Leão não vai dar importância à sua prestação de conta. Mas saiba, seu CPF é igual a qualquer outro (mesmo dos donos das grandes fortunas) e os computadores da Receita Federal não irão diferenciá-lo. Isto porque hoje as conferências e comparações fiscais entre o que você realmente tem e as informações são rígidas. Os computadores que a Receita Federal hoje tem são de última geração e cruzam informações com cartórios, bancos, operadoras de cartões de credito e empresas com as quais você se relaciona. Não dá mais para sonegar informações. Além de já existirem profissionais especializados em checar até mesmo redes sociais para avaliar se o declarado é compatível. Assim, se o contribuinte movimentou valores durante o ano, não dá para pensar em esconder o dinheiro no último dia do ano (a retirada do dinheiro das contas era muito comum antigamente). Essa atitude não é segura e você estará enganando somente a si mesmo. É muito importante evitar a sonegação. Lembrando que a palavra sonegar significa “deixar de prestar a informação”, tenha a certeza de que isso causa muitos transtornos em sua vida.


199 Para resolver esses problemas e acertar a sua vida fiscal e patrimonial, oriento tranquilidade na hora de preencher sua declaração e analisar seu patrimônio. É preciso fazer um diagnóstico em sua vida financeira e patrimonial, levantar o que você tem de bens moveis, imóveis e o que tem de dinheiro (o que movimenta mensalmente). Cuidado! Às vezes você pensa “eu não tenho dinheiro”, mas movimenta grande quantia em sua conta corrente bancária. É necessário levantar o que deve, suas dívidas, ou seja, tirar uma fotografia de sua real situação fisco x real. Após esta fotografia, você deverá identificar as divergências entre o que vem declarando e a sua real movimentação, já que tudo o que passa pelas instituições financeiras é informado para os órgãos fiscalizadores. Portanto, busque sua regularização montando um cronograma de ações para ajustar sua vida patrimonial e fiscal para não correr riscos, afinal é um dever de todo cidadão brasileiro estar dentro da lei e não dever ao Fisco. Tenha sempre em mente que somente o dinheiro e os bens legais trarão para você tranquilidade e felicidade por toda a vida e garantirão que deixe um patrimônio desembaraçado e pronto para seu futuro e para seus herdeiros e sucessores.


200 Veículo:

Cloud Coaching

Data: 28/02/2017 Site: http://www.cloudcoaching.com.br/imposto-de-renda-conheca-a-sua-realidade-aodeclarar/post#.WMb2qFXysdU

Imposto de Renda: Conheça a sua realidade ao declarar Publicado em 28 de fevereiro de 2017

Sabemos que muitos brasileiros não dão a devida atenção à Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física, considerando ser pouco importante declarar o seu patrimônio real – aquilo que realmente se tem, como casa, carro e outros bens, além de aplicações e investimentos.


201

Há quem pense que se trata de algo insignificante, burocrático e que o “Leão” não dará importância para a sua prestação de contas. Ledo engano! Para os computadores da Receita Federal o seu CPF deve ser analisado como qualquer outro, da mesma forma como é feito com donos de grandes fortunas. Atualmente, as conferências e comparações fiscais entre o que você realmente tem e as informações que passa, são rígidas. Há programas e sistemas de última geração, que cruzam informações com cartórios, bancos, operadoras de cartões de credito e empresas com as quais você se relaciona. Não dá mais para sonegar informações e esconder valores, como muitos faziam antigamente. Sonegar significa “deixar de prestar a informação”, algo que com certeza pode causar transtornos em sua vida. Atualmente, há profissionais especializados em checar até mesmo redes sociais para avaliar se o que foi declarado é compatível. Portanto, oriento transparência, coerência e disposição na hora de analisar seu patrimônio e preencher a sua declaração. É preciso fazer um diagnóstico honesto em sua vida financeira e patrimonial, levantando seus bens móveis, imóveis e seu dinheiro – o que movimenta mensalmente. É válido analisar também o que deve, considerando todas as dívidas que tem em aberto, como se estivesse tirando uma fotografia de sua real situação. Assim poderá constatar as divergências entre o que vem declarando e a sua real movimentação, alinhando a vida patrimonial e fiscal. Lembre-se, tudo o que se passa pelas instituições financeiras é informado aos órgãos fiscalizadores e é dever de todo cidadão brasileiro respeitar a lei e não dever ao Fisco. Caso a sua situação esteja complicada, busque a regularização, montando um cronograma de ações para ajustar sua vida patrimonial e fiscal o quanto antes. Desembaraçar essa situação trará tranquilidade não apenas a você, mas também aos seus herdeiros e sucessores.


202

Veículo: Web Insider Data: 10/01/2017 Editoria: Negócios

Tenha 360% sobre a sua renda em um ano 08 de fevereiro de 2017

O orçamento deve deixar de seguir o ineficaz modelo Ganhos (-) Gastos = Lucro/Prejuízo, e passar a ser Ganhos (-) Sonhos (-) Gastos. Por Reinaldo Domingos em Negócios

Vejo que os investidores procuram pelos melhores rendimentos, mas desconhecem que podem ter grandes incrementos em sua renda se voltarem sua atenção ao seu orçamento mensal. Em todos esses anos de experiência como educador financeiro, constatei que, em média, os orçamentos pessoais e familiares costumam ter 30% de gordura, ou seja, 1/3 dos gastos podem ser reduzidos ou até mesmo eliminados sem comprometer o padrão de vida. O que vejo, entretanto, é que poucos buscam saber o percentual que podem economizar em suas despesas diárias. Muitos me dizem “Reinaldo, eu não tenho de onde tirar dinheiro!” e quando são questionados sobre como utilizam


203

sua renda, não sabem em detalhes, conhecem apenas as despesas maiores, mas ignoram as menores. Por isso é importante fazer um diagnóstico financeiro por 30 dias e anotar todas as despesas separando por categorias, como alimentação, transporte, vestuário, educação, guloseimas, etc. Somente assim conseguirá reconhecer o seu comportamento financeiro e saber quais hábitos pode mudar.

Um ano depois… Se pararmos para analisar matematicamente, quem economizar 30% de sua renda mensal terá em montante equivalente a 360% dela em um ano. Mas, como sabemos, a educação financeira não diz respeito aos números, e sim ao comportamento. De nada adianta se encantar com a matemática e não ter bons motivos para reduzir as despesas mensais em 30%. Por isso, faço aqui o convite para a retomada dos sonhos. Resgate aquilo que deseja verdadeiramente, seja fazer uma viagem pelo mundo, trocar de carro ou de casa ou passar a trabalhar apenas se quiser, por prazer. Sugiro um novo jeito de lidar com as finanças, colocando os sonhos em primeiro lugar.

O sonho no orçamento mensal Assim, o orçamento deve deixar de seguir o ineficaz modelo Ganhos (-) Gastos = Lucro/Prejuízo, e passar a ser Ganhos (-) Sonhos (-) Gastos. Dessa forma, há primeiro a reserva de dinheiro para os sonhos e depois a readequação do padrão de vida. Veja, falamos aqui de eliminar os excessos – que são justamente os gastos sem controle que podem levar ao desequilibro financeiro – e de conseguir um montante de 360% sobre a renda em um ano sem ao menos citar que, investindo o valor no fundo mais adequado para o prazo de realização do sonho, o montante futuro será ainda maior. Portanto, não faltam motivos para você se educar financeiramente. [Webinsider]


204 Veículo:

São Paulo para Crianças

Data: 06/02/2017 Site: http://saopauloparacriancas.com.br/serie-mesada-conheca-os-diferentes-tipos/

Série Mesada: conheça os diferentes tipos de mesada para estimular educação financeira desde cedo Por Reinaldo Domingos - publicado em 06/02/2017

Olá! Em nosso último contato, falamos sobre Série Mesada: saiba quando, como e porque implantar e trouxemos 4 entre os 8 tipos de mesada existentes: a voluntária (quando os pais dão dinheiro à criança esporadicamente), a financeira (que tem data e valor fixos), a de terceiros (quando a criança recebe dinheiro esporadicamente de tios ou avós), além da mesada econômica (que incentiva os pequenos a poupar recursos em casa para realizar seus sonhos). Agora, vamos falar sobre os 4 tipos restantes, assim você poderá escolher a mais adequada para implementar com seu filho. Lembre-se, o mais importante


205

neste processo é a valorização dos sonhos da criança, pois eles serão o estímulo para que ela poupe parte daquilo que recebe para realizar no futuro. Mesada ecológica – Este tipo de mesada estimula a criança a racionalizar, mostrando que, economizando nas despesas, poderá realizar seus sonhos. Ele é particularmente interessante para pais que não têm condições de dar uma mesada para o filho. Ensine a ele que, se guardar cada embalagem em sacos de lixo separados por tipo de material, no final do mês, vocês podem vender o que coletaram em pontos de compra de material reciclado. Veja como não se trata apenas do ganho financeiro, mas, em especial, da conscientização cidadã da criança e do jovem com relação ao meio ambiente. Assim, ele pode compreender que o desperdício também prejudica a renda da família, pois pode representar a inviabilidade de ganhar um brinquedo ou realizar um sonho. Mesada empreendedora – Essa é uma das mais interessantes para a vida das crianças e dos adolescentes. Ela nasce do desejo de ganhar seu próprio dinheiro, com algo fruto da sua imaginação e capacidade de criar algo que interesse aos outros. Um exemplo: o garoto que passou a infância confeccionando pipas com a ajuda do pai e começa a vendê-las para outras crianças do bairro. Entretanto, uma coisa é a criança lavar o carro do pai para ganhar uns “trocados” – isso é trabalho. Outra, completamente diferente, é a criança usar seu natural espírito inventivo e seu talento para criar algo que a divirta enquanto o realiza. Crianças jamais devem trabalhar para ganhar dinheiro. Isso, inclusive, é contra a lei. O que estamos falando aqui é do espírito empreendedor associado ao ato de brincar. Mesada de troca – Esta modalidade é originada da atividade do escambo, palavra que significa “troca”. Esse tipo de mesada ajuda crianças e adultos a adquirirem coisas novas e a se desfazerem das que não usam mais, sem desperdiçar. Além do exercício sempre saudável do desapego e da alegria de voltar para casa com algo novo – um brinquedo, um livro, uma roupa, um


206

utensílio doméstico –, a mesada de troca também funciona como uma boa oportunidade de exercitar a comunicação e o poder de negociação entre as crianças. Além disso, estimula a capacidade de interação social e a consciência de que nada deve ser jogado fora, pois, para outra pessoa, aquilo pode ser de grande serventia. Quando realizarem suas trocas, vocês perceberão que lucraram, ou seja, deixaram de gastar dinheiro. Mesada social – Certamente, fazer um passeio a um parque, praça ou praia sairia bem mais barato do que a ida ao shopping. E muito provavelmente seria mais gratificante e saudável. Praticar a mesada social leva a criança a perceber as vantagens de fazer um passeio ou realizar uma brincadeira em família. Mostre a ela que, além de gastar menos, vocês vão se divertir muito mais e ainda estarão poupando para que os sonhos coletivos da família se concretizem mais rapidamente. É importante apresentar as vantagens financeiras de quem escolhe um estilo de vida em que a simplicidade prevaleça, deixando claro que a verdadeira felicidade está na realização dos sonhos – não só os materiais, mas também os não materiais. Com o tempo, a criança vai internalizando a ideia de que existem os ganhos diretos e os indiretos em cada escolha que fizer, e que é preciso sabedoria para discernir entre o que realmente tem valor e o que não passa. Caso queira conhecer um pouco mais, você pode conferir em meu livro Mesada não é só dinheiro – Conheça os 8 tipos e construa um novo futuro (Editora DSOP). Afinal, é muito importante educar financeiramente as crianças, melhor ainda se fizer associando a questões como sustentabilidade, meio ambiente e consumo consciente. Até o nosso próximo encontro!


207 Veículo:

Gospel Prime

Data: 18/02/2017 Site: https://artigos.gospelprime.com.br/jejum-financeiro-considere-esta-pratica/

Jejum financeiro: considere esta pratica “Decretem um jejum santo; convoquem uma assembleia sagrada. Reúnam as autoridades e todos os habitantes do país no templo do Senhor, o seu Deus, e clamem ao Senhor.” Joel 1:14

por Reinaldo Domingos

Caros irmãos, O carnaval se aproxima, mas é um período que leva muitas pessoas ao descontrole em vários sentidos, inclusive financeiro. Por mais que seja pagã, é uma celebração que sempre acontece antes da Quaresma, os 40 dias de preparação para o período da morte e ressurreição de Cristo. Por ser este um período em que muitas pessoas fazem jejum, trago uma nova proposta: porque não ir além do jejum alimentar, pensando também em um jejum


208

financeiro? Assim, é possível ter 40 dias em que o consumo será repensado e que as atenções estarão voltadas apenas ao que é necessário. Precisamos lembrar que o jejum é uma prática milenar, realizada por profetas, reis e mesmo por Cristo, que praticaram com naturalidade em momentos decisivos. Ele diz respeito a preparação espiritual para um grande momento, para que o foco cotidiano passe a ser a fé e a reafirmação do compromisso com Deus. Sabemos que, quando sucumbirmos ao consumo desviamos, por muitas vezes, do nosso caminho de regeneração. Não quero que pense aqui na questão financeira, pois de fato a economia acontecerá no período, mas sim em como essa ação poderá fortalecer a cada um de nós em nossa jornada, nos trazendo a conscientização quanto às nossas atitudes, que muitas vezes são impensadas, baseadas na futilidade e no descontrole. O jejum é uma prática comum para combater os pecados e sabemos que hoje, infelizmente, grande parte deles está relacionada ao consumismo e a satisfação de desejos imediatos. Portanto, o esforço nos torna melhores, nos aproxima da remissão de nossos erros junto ao Pai. Fica aqui o meu convite para aproveitarmos esse período de reflexão para mudar nossos hábitos e melhorar nossas vidas.


209 Veículo:

Diário de Aparecida

Data: 03/02/2017 Site: http://www.diariodeaparecida.com.br/home/preocupacao-financeira-com-filho-comecaantes-mesmo-do-nascimento/

Preocupação financeira com filho começa antes mesmo do nascimento 3 de fevereiro de 2017

Ter ou não um filho é uma decisão que, cada vez mais, leva em conta a questão financeira. A chegada de uma criança na família é uma alegria que exige um planejamento para garantir sua segurança em todas as etapas. Afinal, de acordo com cálculos da DSOP Educação Financeira, criar um filho do 0 aos 21 anos, para uma família com renda mensal de R$ 5 mil, fica em torno de R$ 400 mil.


210

Entre os principais gastos estão mobília do quarto, equipamentos (carrinho, banheira, etc.) enxoval, consultas médicas, exames, custos com o parto, fraldas, remédios, despesas com babá ou creche, educação, vestuário, presentes e festas em datas especiais, passeios, lazer, alimentação e saúde (assistência médica e odontológica), entre outros.

Enfim, ter um filho engloba muitos gastos. Então é preciso garantir a realização de todas as etapas de sua vida com segurança. Para isso, recomendo que, com a antecedência de dois anos, já comece a guardar aproximadamente 25% do que se ganha para esse fim. Para os que falam que isso não é possível, pode ter certeza de que depois que a criança nascer isso terá que ser feito, assim, o melhor é se antecipar.

Para quem não planejou, já teve ou terá um filho, o caminho é começar a adequar o seu padrão de vida a essa nova realidade e, por mais que os gastos pré-natais sejam pesados, buscar poupar parte do que se ganha para criar uma reserva de emergência. É fundamental ter em mente que sacrifícios devem ser feitos, mas que todos valerão a pena com a presença de mais um membro da família.

Outro ponto primordial para os pais é planejar o futuro do filho, para tanto, recomendo que comecem uma previdência privada para ele. O pouco que se poupa hoje tende a se tornar muito quando o filho fizer 18 anos, já que os juros estarão trabalhando a seu favor.

Para se ter ideia, se quando a criança nascer, os pais começarem a poupar R$ 100 por mês (o que não é nenhum absurdo), em um tipo de investimento com rendimentos médios de 0,6% ao mês, com reajuste inflacionário de 10% ao ano, ao fim desse período terá garantido para o filho aproximadamente R$ 100 mil. Um valor como esse possibilitará uma boa faculdade, pós-graduação e/ou uma viagem ao exterior.


211

Assim, ter um filho é uma dádiva que a grande maioria das pessoas almeja e que, quando precedida por um planejamento financeiro, tende a acontecer com menor preocupação e maior aproveitamento dos momentos de alegria e realização.

Reinaldo Domingos é doutor em Educação Financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira


212 VeĂ­culo:

Jornal Daqui

Data: 16/02/2017 Site: http://daqui.opopular.com.br/editorias/minha-dica-e/6-dicas-para-economizar-nocarnaval-e-n%C3%A3o-ficar-endividado-1.1227011


213


214 Veículo:

Boa Informação

Data: 19/02/2017 Site: https://boainformacao.com.br/2017/02/veja-o-certo-e-errado-na-hora-de-aplicar-odinheiro-das-contas-inativas-do-fgts/

Veja o certo e errado na hora de aplicar o dinheiro das contas inativas do FGTS 19/02/2017 - 08:23

O saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) dará um reforço de R$ 30 bilhões à economia e uma injeção de ânimo nos bolsos dos consumidores de todo o país. Esse dinheiro extra será motivo de comemoração para muitos brasileiros que já sabem o que fazer com ele. Outros, no entanto, ainda enfrentam um dilema: pagar dívidas e contas mensais, gastar com viagens, investir na carreira, fazer investimentos ou aplicar numa poupança? A resposta varia de acordo com a saúde financeira de cada trabalhador. — Vale fazer um diagnóstico financeiro familiar, reduzindo os gastos mensais. Assim, a pessoa poderá usar a quantia da conta inativa de FGTS para construir uma reserva estratégica para o futuro. É importante ter o hábito de poupar para realizar sonhos — observou Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin). Linha crédito antecipa saldo da conta inativa


215

Saiba o que fazer quando a conta de FGTS aparece ativa indevidamente Alexandre Lara, sócio da plataforma de renegociação de dívidas Kitado, lembra que esta pode ser uma oportunidade para renegociar prazos e juros com os credores. — Caso haja um endividamento muito alto, há uma grande chance de renegociar o débito e, caso haja uma dívida menor em atraso, esta é a oportunidade de quitá-la. A atenção deve ser voltada para programar o pagamento, começando pela dívida que está ativa, como a do cheque especial ou do rotativo do cartão de crédito(quando o cliente paga apenas o valor mínimo da fatura mensal). O conselho unânime dos planejadores financeiros é poupar ou investir o dinheiro em fundos de renda fixa ou títulos do Tesouro Direto. Para a consultora de investimentos Sandra Banco, da Órama, a aplicação dos recursos é melhor do que deixar os recursos parados na Caixa. — Na conta inativa, o dinheiro é corrigido apenas pela Taxa Referencial (TR) mais 3% ao ano, um índice inferior ao da inflação. Para quem nunca pensou que pouparia fora da caderneta, esses nomes chegam a assustar. Mas esses investimentos mais rentáveis estão disponíveis a todos.

Da quitação de dívidas à reforma do lar

Maria Aparecida da Silva quer fazer obras Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo


216

A técnica de enfermagem Maria Aparecida da Silva, de 56 anos, pretende pagar uma dívida de empréstimo consignado. Serão cerca de R$ 6 mil. Com o que sobrar, ela deseja fazer uma obra e pintar a casa onde mora, em Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio. Para o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, o ideal é que este valor seja destinado à finalidade original: complementar a aposentadoria num futuro próximo. Ele recomenda cuidado com as reformas, pois costumam levar as pessoas a uma situação de endividamento.

O taxista Marcos Paulo Alencar, de 32 anos, vai receber R$ 2 mil e pretende depositar o dinheiro na poupança, além de ajudar a pagar as mensalidades do financiamento do carro. Ele descobriu, por acaso, que teria direito ao saque do FGTS ao pagar uma conta. O presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, afirma que é bom ter acesso a uma renda extra, mas a falta de objetivos pode levar aos gastos sem planejamento e ao desperdício. Portanto, é importante estabelecer os sonhos que deseja conquistar, seus objetivos e quando poderá realizá-los. Por fim, poupe.

Samuel Prazeres pretende pagar impostos Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo


217

O advogado Samuel Prazeres, de 59 anos, vai usar o dinheiro para pagar o IPVA e o IPTU. Além disso, pretende pagar o que deve do cheque especial. Se não houvesse toda essa movimentação de saque, teria deixado o dinheiro para o governo. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, não é recomendável usar o dinheiro para pagar IPTU e IPVA. Por ter juros altos, vale quitar o cheque especial. O ideal é que o montante seja usado para conquistar sonhos, como garantir uma aposentadoria sustentável ou fazer uma viagem.

A promotora de vendas Renata Martins, de 20 anos, tem uma conta inativa com um saldo de R$ 900 e faz planos de tirar seu nome de um cadastro de restrição ao crédito. A inclusão ocorreu por conta de uma dívida com cartão de loja. Com o que sobrar dessa operação, ela quer iniciar uma poupança. Renata está de parabéns! Segundo o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, é ótimo usar o dinheiro para quitar uma dívida em atraso. Porém, se o débito for superior ao valor a ser recebido, é melhor não quitá-lo. Aproveite, para negociar com o credor a fim de conseguir desconto. Fonte: Extra/Globo


218 Veículo:

Rádio Piratininga

Data: 07/02/2017 Site: http://radiopiratininga.com.br/mesada-volta-as-aulas-e-momento-ideal-para-comecar-2/

Mesada: volta às aulas é momento ideal para começar? Dar ou não mesada? A partir de que idade? Como estabelecer o valor? ao contrário do que muita gente pensa, a mesada não é um incentivo ao consumismo; na verdade, é uma importante ferramenta para educar financeiramente crianças e jovens. Aproveitando o período de volta às aulas, em que o consumo tende a fazer parte da rotina, é importante esclarecer dúvidas como essas. A data de adoção de cada tipo de mesada depende do interesse e do entendimento que a criança está demonstrando ter em relação ao uso do dinheiro. Por volta dos sete ou oito anos é um bom momento, pois ela já possui vontades e sabe que para ter um produto ou serviço é necessário “trocá-lo” por dinheiro e possuem entendimento suficiente para começar a aprender a administrar esse recurso. O educador financeiro diretor da DSOP de São José dos Campos, Sílvio Bianchi, falou com Robson Soares no Jornal Piratininga desta terça-feira (07). Veículo:

TV Itajubá


219 Data: 16/02/2017 Site: https://www.youtube.com/watch?list=PLW_8Ds86id5e2XOImwBc7AUjaJGIoJ0e&v=pLv3GitkvwU


220 Veículo:

Litoral Vale

Data: 13/02/2017 Site: http://litoralvale.com.br/portal/2017/02/13/resgate-do-fgts-calendario-sai-amanhaeducador-financeiro-do-vale-do-paraiba-orienta-o-que-fazer-com-o-valor/

Resgate do FGTS: calendário sai amanhã, educador financeiro do Vale do Paraíba orienta o que fazer com o valor Amanhã, 14, será divulgado o calendário de saques de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). A renda extra vem em boa hora, mas é preciso cuidado para não colocar em risco a reserva financeira construída após meses – ou anos – de trabalho, de acordo com o educador financeiro e diretor da Unidade DSOP São José dos Campos, Silvio Bianchi.


221

“O dinheiro do FGTS está disponível e é só aguardar a divulgação do calendário de saques para fazer o resgate. Porém, antes disso, é importante responder à seguinte pergunta: ‘vou retirar o dinheiro para fazer o quê?’. Sem planejamento prévio, que priorize os objetivos importantes, tanto pessoais quanto familiares, o risco de desperdiçar esse valor é muito grande”, orienta Silvio. Confira abaixo orientações para quem está em situação de inadimplência, de equilíbrio financeiro e também para quem já tem o hábito de investir.

Em situação de inadimplência Caso o valor a ser resgatado seja suficiente para quitar alguma dívida em atraso totalmente, é interessante agir dessa forma. Mesmo assim, é válido negociar e conseguir descontos, diminuindo parte da dívida, para então fazer o pagamento à vista. Por outro lado, se não for para quitar 100% da dívida, avalie a opção de investir o valor para ter força para negociar no futuro. De uma forma ou de outra, o principal a ser feito nessa situação delicada é se educar financeiramente, ou seja, mudar seu comportamento para não mais retornar à inadimplência. O primeiro passo é olhar para a sua situação de forma honesta e levantar todos os números, traçando um planejamento para renegociar a dívida – agora ou no futuro – em parcelas quem respeitem o orçamento mensal.

Em situação equilibrada ou de investidor(a) Ainda não ter um objetivo estabelecido para o uso dessa renda extra é preocupante, pois na ausência de uma meta, o valor pode acabar sendo utilizado em compras supérfluas e de pouca importância, ao invés de contribuir para a conquista de um sonho. Cada pessoa deve ter no mínimo três: um de curto prazo (a ser realizado em um ano), outro de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (a ser realizado a partir de dez anos). Tanto na situação de equilibrado ou de investidor, é orientável fazer o saque das contas inativas assim que possível e aplicar o valor em investimentos como poupança, CDB ou tesouro direto, entre outras, que rendam mais do que o FGTS. A modalidade escolhida precisa corresponder ao prazo em que se deseja realizar o sonho, tendo em vista a possibilidade de resgatá-lo no momento desejado sem perder rendimentos.

Fonte: DSOP Educação Financeira


222 Veículo:

Jornal MG Turismo

Data: 16/02/2017 Site: http://mgturismo.com.br/2017/02/16/seis-orientacoes-para-economizar-no-carnaval/

Seis orientações para economizar no Carnaval

Enquanto uns querem viajar e descansar, outros preferem cair na folia e curtir as festas. Seja como for, é importante se programar com antecedência: fazer um diagnóstico financeiro, analisar as possibilidades e respeitar o orçamento. É o que orienta o presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos. “Esse momento festivo precisa ser planejado e vivido de forma consciente, evitando o descontrole financeiro que pode se arrastar por meses. Por ser uma ocasião que se repete


223

todos os anos, é válido se planejar para o Carnaval com antecedência. Para quem não fez, algumas orientações, como evitar o desperdício e o descontrole, são imprescindíveis”, orienta Domingos. Os gastos esporádicos e não planejados são reduzidos quando a pessoa ou família é educada financeiramente e planeja suas ações com antecedência. A maioria da população não teve a oportunidade aprender a lidar com o dinheiro e, por isso, hoje sofre com a administração finanças, estando a mercê do descontrole. Portanto, é preciso mudar.

Confira 6 orientações para economizar no Carnaval: 1- Faça um orçamento Para evitar que descontração e a euforia se transformem em preocupação nos meses seguintes, conheça a sua condição financeira, seus ganhos e suas despesas, e elabore um orçamento antecipado de gastos para o Carnaval. Durante o feriado, atenha-se ao planejado;

2- Economize na fantasia Se for a um bloco de rua ou festa e precisar de uma fantasia, verifique se não é possível usar a mesma do ano passado. Caso não tenha, é válido emprestar de um amigo ou familiar ou fazer a sua, customizando alguma roupa. O aluguel, geralmente, custa caro;

3- Orce as viagens com antecedência Se for viajar, faça as contas e veja quanto pode gastar sem comprometer o orçamento e só então pesquise os melhores os pacotes e condições de pagamento. Agora está em cima da hora, então, talvez, o melhor a fazer seja aproveitar conforme o orçamento mensal permitir, sem se endividar, e se programar para realizar aquele grande plano no próximo ano, já se planejando desde agora;


224

4- Em casa, evite o desperdício Se for descansar em casa, fique atento ao desperdício de água, energia e gás. Ao elaborar refeições, opte por itens frescos, com boa qualidade e preços baixos, como os encontrados em feiras livres e em mercados atacadistas. Contudo, evite o desperdício de alimentos planejando as quantidades das refeições e busque reaproveitar as sobras em novas receitas;

5- Confira eventos gratuitos Saiba que é possível curtir o momento sem gastar mais do que pode. Em várias cidades há eventos gratuitos e comunitários, convidativos para toda a família, além de programações especiais em parques. É válido optar pelo transporte publico, evitando gastos com combustível e estacionamento, ou dividir o táxi com amigos;

6- Fuja do consumismo exacerbado Por mais que o período seja festivo, mantenha os pés no chão e respeite o seu padrão de vida, para que possa se divertir sem cair no descontrole financeiro. Evite o consumo exacerbado, inclusive de alimentos industrializados e bebidas alcoólicas. Afinal de contas, exagerar não faz bem nem pra saúde física, nem para a financeira. Fonte: DSOP Educação Financeira Crédito: Banco de Imagem Pixabay


225 Veículo:

Gospel Prime

Data: 18/02/2017 Site: https://artigos.gospelprime.com.br/jejum-financeiro-considere-esta-pratica/

Utilize rendas-extras com sensatez “Portanto, estai atentos para que o vosso procedimento não seja semelhante aos insensatos, mas andai em sabedoria, aproveitando bem cada oportunidade, porque os dias são maus. Portanto, não sejais faltos de juízo, mas buscai compreender qual é à vontade do Senhor”.

por Reinaldo Domingos

“Portanto, estai atentos para que o vosso procedimento não seja semelhante aos insensatos, mas andai em sabedoria, aproveitando bem cada oportunidade, porque os dias são maus. Portanto, não sejais faltos de juízo, mas buscai compreender qual é à vontade do Senhor”. (Efésios 5:15)


226

Olá, meus amigos Neste mundo de ações insensatas, de confusão e enganação, é nosso papel agir com sabedoria e juízo, como nos guia o Livro Sagrado. Em breve, muitos de nós receberemos uma renda extra, de contas inativas do FGTS, e muito me preocupa o desperdício de tais reservas financeiras, construídas após meses ou anos de trabalho árduo. O calendário de saques será liberado ainda este mês, então é preciso que quem já sabe que tem valores para resgatar pense na melhor forma de utilizar esse recurso. Para muitos, a tentação do consumo é grande, mas é preciso sensatez para conhecer a situação financeira atual e agir com consciência. Vejo que os homens e as mulheres que não buscam o caminho correto tomam atitudes e depois se arrependem. Isso acontece com jovens, adultos e até mesmo idosos, ouço muitos irmãos dizerem que não sabem para onde vai para o seu dinheiro todos os meses. Veja como é importante ter prudência e agir com responsabilidade, não se deixar dominar pelo desejo vazio de apenas consumir, consumir e consumir. Quem está inadimplente, com contas atrasadas para pagar, pode ter o desejo limpar o nome com o valor regatado do FGTS. Entendo esse ímpeto, porém oriento que, antes, negocie os valores. Com paciência e coragem, converse para diminuir a dívida. Não há injustiça nisso, pois tenham consciência irmãos, os juros cobrados são sempre muito altos e, por muitas vezes, abusivos.


227

Se o valor que tiver for suficiente para quitar totalmente a dívida após a negociação, oriento que o faça, isso trará maior tranquilidade para você e sua família. Mas é como sempre falo, de nada adianta buscar o perdão e continuar no pecado. Procure se educar financeiramente, para não voltar a dever dinheiro. Tenha novos hábitos e comportamentos, pois com fé e determinação a sua vida mudará definitivamente, disto eu tenho certeza. Por outro lado, se você não tem dívidas em atraso, encare essa renda-extra como uma verdadeira bênção em tempos tão difíceis, de desemprego e crise econômica. Não perca a oportunidade de criar uma reserva financeira para o futuro e de começar a poupar para conquistar seus sonhos. Pense no curto, médio e longo prazo e garanta um futuro melhor para você e sua família.


228 Veículo:

ACA

Data: 02/2017 Site: http://www.aca.org.br/2017/02/15/fgts-inativo-acumula-r-353-milhoes-no-amazonas/

FGTS inativo acumula R$ 353 milhões no Amazonas Arquivo em: Fevereiro/2017,Notícias

A partir do próximo dia 10 de março, mais de 341 mil amazonenses poderão efetuar os saques do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) inativo. Nesta data, os nascidos nos meses de janeiro e fevereiro estarão aptos a receber o benefício. De acordo com a Caixa Econômica Federal, o valor para o Amazonas é de, aproximadamente, R$ 353,8 milhões. No Brasil, o montante é de quase R$ 43 bilhões. Para o presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA), Ataliba Antônio Filho, o valor vai impulsionar o comércio local. “Vai ajudar o setor como um todo. Houve perdas consideráveis nos últimos dois anos, mas agora temos a esperança de que tudo vai melhorar com essa movimentação financeira”, afirmou. Ainda conforme o dirigente, os beneficiários vão aproveitar para, além de quitar as dívidas, comprar materiais de construção, fazer as compras de supermercado, entre outras finalidades. “Essa medida vai ajudar bastante, pois o comércio fechou mais de 100 mil lojas no país. Esperamos um grande aquecimento ao longo deste ano”, disse.

Estratégias De acordo com a educadora financeira Vera Lúcia Oliveira, mesmo que a renda extra apareça em boa hora, é preciso cuidar para não colocar em risco a reserva construída após um longo período de trabalho. “Antes de sacar o benefício, é bom verificar qual a situação financeira atual. Se estiver com as contas em dia, o mais indicado é investir para a realização de planos futuros”, avaliou a especialista. Para a educadora, o primeiro passo é olhar para a situação de forma honesta e levantar todos os números, traçando um planejamento para renegociar a dívida – agora ou no futuro – em parcelas que respeitem o orçamento mensal.


229 Caso o valor a ser resgatado seja suficiente para quitar alguma dívida em atraso totalmente, é interessante agir dessa forma. Mesmo assim, é válido negociar e conseguir descontos, diminuindo parte da dívida, para então fazer o pagamento à vista. Por outro lado, se não for para quitar 100% da dívida, avalie a opção de investir o valor para ter força para negociar no futuro, informou a especialista em educação financeira.

Beneficiários De acordo com a medida provisória (MP) nº 763, o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015 poderá sacar o saldo da conta vinculada, estando ou não fora do regime do FGTS. Antes da publicação da MP, o trabalhador somente poderia sacar caso permanecesse três anos fora do regime do FGTS ou em caso de aposentadoria, utilização para moradia ou determinadas doenças previstas em lei. As demais regras de saque das contas ativas não sofreram modificação, ou seja, o saque de contrato de trabalho vigente só pode ocorrer nos casos de demissão sem justa causa, moradia própria ou aposentadoria, por exemplo, de acordo com informações da Caixa.


230 Veículo:

SOS Consumidor

Data: 20/02/2017 Site: http://sosconsumidor.com.br/noticias-46581-saiba-como-aproveitar-carnaval-semprejudicar-seu-orcamento

Saiba como aproveitar o carnaval sem prejudicar o seu orçamento Publicado em 20/02/2017

De acordo com educador financeiro, customização de roupas é uma boa opção para economizar dinheiro com fantasias durante as festas de carnaval O carnaval está chegando e com ele, muitos planejam viajar, participar de eventos nas cidades e até mesmo descansar. Para isso, é importante que as pessoas analisem suas condições financeiras e utilizem apenas o necessário para que não fiquem endividados ou com o orçamento apertado após o término das festas. “Planejar o carnaval com antecedência é um excelente hábito tanto para a saúde física, quanto para a financeira. Assim a pessoa ou família tende a aproveitar o feriado de forma mais consciente, evitando excessos e respeitando o orçamento. Afinal, quem deseja que cinco dias comprometam a vida financeira até o final do ano?”, afirmou o educador financeiro e diretor da DSOP ABC em São Paulo, Edward Cláudio Jr. Para ajudar o consumidor a economizar no feriado, o diretor da DSOP ABC separou 6 dicas que impactarão no planejamento e no diagnóstico financeiro para o período carnavalesco.


231

1- Crie um orçamento Para evitar que o período de festas se transforme em pesadelo, se planeje de acordo com sua condição financeira atual. Procure fazer um orçamento antecipado desses gastos, levando em consideração também seus ganhos e despesas habituais. 2- Economize na fantasia Caso vá participar de blocos de rua ou festas temáticas, cuidado para não gastar excessivamente nas fantasias, principalmente nas alugadas. Uma boa dica é utilizar as que já têm ou apostar na customização de roupas para incrementar o visual. 3- Planeje viagens com antecedência Se for viajar, busque pesquisar com antecedência os melhores pacotes e condições de pagamento. Caso seu orçamento esteja comprometido, uma boa opção é se divertir com o que tem e programar as viagens para o próximo ano. 4- Evite o desperdício Uma opção para quem quer economizar é ficar em casa. Porém, se mantenha atento aos gastos de água, luz e gás. Quando for cozinhar, opte por itens mais frescos e evite o desperdício de alimentos, buscando reaproveitar as sobras para desenvolver novas receitas. 5- Participe de eventos gratuitos Em várias cidades há eventos gratuitos e comunitários para toda a família e com programações especiais. Porém, é importante ficar atento aos gastos com o transporte, gasolina e estacionamento. Uma boa opção para esses casos é o transporte público ou o compartilhamento de táxi com os amigos. 6- Não gaste mais do que pode Não se deixe levar pela euforia do carnaval. Por mais que o período seja festivo, mantenha os pés no chão e evite o descontrole financeiro. Tome cuidado com o consumo exacerbado, seja ele de alimentos, bebidas alcoólicas, festas em casa ou viagens. Respeite o seu padrão de vida nessa data, para que possa seguir 2017 sem muitos prejuízos no orçamento.


232 Veículo:

Folha Acadêmica

Data: 16/02/2017 Site: http://www.folhaacademica.com.br/saiba-como-aproveitar-o-carnaval-sem-prejudicar-oseu-orcamento/

Calendário sai nesta terça (14). Educador financeiro orienta o que fazer com o valor Ideal é que a quantia possa melhorar a qualidade de vida da pessoa e da família

(Foto: Divulgação/Caixa)


233 Da Redação, com DSOP Educação Financeira

São Paulo - Nesta terça feira (14), será divulgado o calendário de saques de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A renda extra vem em boa hora, mas é preciso cuidado para não colocar em risco a reserva financeira construída após meses - ou anos - de trabalho, de acordo com o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos. “Muitas pessoas usam rendas extras sem considerar sua situação financeira atual. Infelizmente, isso é comum. Portanto, procure levantar seus números e ter consciência se está em situação de equilíbrio, endividamento, inadimplência ou se é investidor. O ideal é que a quantia possa melhorar a qualidade de vida da pessoa e família, não apenas agora, mas especialmente no futuro. Afinal, o objetivo principal da existência desse fundo é ser um arrimo para o trabalhador em caso de demissão”, orienta Reinaldo Domingos. Confira abaixo orientações para quem está em situação de inadimplência, de equilíbrio financeiro e também para quem já tem o hábito de investir. EM SITUAÇÃO DE INADIMPLÊNCIA Caso o valor a ser resgatado seja suficiente para quitar alguma dívida em atraso totalmente, é interessante agir dessa forma. Mesmo assim, é válido negociar e conseguir descontos, diminuindo parte da dívida, para então fazer o pagamento à vista. Por outro lado, se não for para quitar 100% da dívida, avalie a opção de investir o valor para ter força para negociar no futuro. De uma forma ou de outra, o principal a ser feito nessa situação delicada é se educar financeiramente, ou seja, mudar seu comportamento para não mais retornar à inadimplência. O primeiro passo é olhar para a sua situação de forma honesta e


234

levantar todos os números, traçando um planejamento para renegociar a dívida – agora ou no futuro – em parcelas quem respeitem o orçamento mensal.

EM SITUAÇÃO EQUILIBRADA OU DE INVESTIDOR(A) Ainda não ter um objetivo estabelecido para o uso dessa renda extra é preocupante, pois na ausência de uma meta, o valor pode acabar sendo utilizado em compras supérfluas e de pouca importância, ao invés de contribuir para a conquista de um sonho. Cada pessoa deve ter no mínimo três: um de curto prazo (a ser realizado em um ano), outro de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (a ser realizado a partir de dez anos). Tanto na situação de equilibrado ou de investidor, é orientável fazer o saque das contas inativas assim que possível e aplicar o valor em investimentos como poupança, CDB ou tesouro direto, entre outras, que rendam mais do que o FGTS. A modalidade escolhida precisa corresponder ao prazo em que se deseja realizar o sonho, tendo em vista a possibilidade de resgatá-lo no momento desejado sem perder rendimentos.


235 VeĂ­culo:

O Imparcial

Data: 13/02/2017 Site: https://oimparcial.com.br/noticias/2017/02/descubra-se-seu-filho-e-consumista/


236


237


238 Veículo:

Agita Ih

Data: 24/02/2017 Site: http://www.agitaih.com.br/portal/noticias/noticias/24-02-2017/5047/carnaval:-6orientacoes-para-economizar

Carnaval: 6 orientações para economizar NOTÍCIAS

24/02/2017 0

O Carnaval deste ano deve movimentar R$ 5,8 bilhões no turismo, de acordo com pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo). Além de gastos com passagem e hospedagem, muitos brasileiros também terão despesas extras com consumo tanto em bares e baladas, quanto em casa, com alimentação e bebidas. Para evitar o descontrole financeiro e o endividamento, é preciso se planejar.


239

É importante fazer um diagnóstico financeiro, analisar as possibilidades e respeitar o orçamento. Confira abaixo 6 orientações práticas para economizar no Carnaval:

1- Faça um orçamento Para evitar que descontração e a euforia se transformem em preocupação nos meses seguintes, conheça a sua condição financeira, seus ganhos e suas despesas, e elabore um orçamento antecipado de gastos para o Carnaval. Durante o feriado, atenha-se ao planejado;

2- Economize na fantasia Se for a um bloco de rua ou festa e precisar de uma fantasia, verifique se não é possível usar a mesma do ano passado. Caso não tenha, é válido emprestar de um amigo ou familiar ou fazer a sua, customizando alguma roupa. O aluguel, geralmente, custa caro;

3- Orce as viagens com antecedência Se for viajar, faça as contas e veja quanto pode gastar sem comprometer o orçamento e só então pesquise os melhores os pacotes e condições de pagamento. Agora está em cima da hora, então, talvez, o melhor a fazer seja aproveitar conforme o orçamento mensal permitir, sem se endividar, e se programar para realizar aquele grande plano no próximo ano, já se planejando desde agora;

4- Em casa, evite o desperdício Se for descansar em casa, fique atento ao desperdício de água, energia e gás. Ao elaborar refeições, opte por itens frescos, com boa qualidade e preços baixos, como os encontrados em feiras livres e em mercados atacadistas. Contudo, evite o desperdício de alimentos planejando as quantidades das refeições e busque reaproveitar as sobras em novas receitas;

5- Vá a eventos gratuitos


240

Saiba que é possível curtir o momento sem gastar mais do que pode. Em várias cidades há blocos de rua, eventos gratuitos e comunitários, convidativos para toda a família, além de programações especiais em parques. É válido optar pelo transporte público, evitando gastos com combustível e estacionamento, ou dividir táxi com amigos;

6- Fuja do consumismo exacerbado Por mais que o período seja festivo, mantenha os pés no chão e respeite o seu padrão de vida, para que possa se divertir sem cair no descontrole financeiro. Evite o consumo exacerbado, inclusive de alimentos industrializados e bebidas alcoólicas. Afinal de contas, exagerar não faz bem nem pra saúde física, nem para a financeira.

Reinaldo Domingos é doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira e autor do best-seller Terapia Financeira, do lançamento Diário dos Sonhos e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira do Brasil.


241 Veículo:

Set Créditos

Data: 21/02/2017 Site: http://www.setcreditos.com.br/site/noticia/detalhes/6/cresce-procura-por-creditoconsignado-em-mato-grosso

Cresce Procura Por Crédito Consignado Em Mato Grosso A procura por empréstimos a juros mais baixos cresceu. No ano passado, as operações de crédito consignado somaram R$ 637,856 milhões. O valor, referente aos contratos firmados com os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Mato Grosso, supera em 18,32% a quantia total emprestada em 2015, quando somou R$ 539,071 milhões. No Estado, as empresas que disponibilizam empréstimos com desconto direto na folha de pagamento atendem apenas os beneficiários do INSS e servidores públicos, observa a gerente administrativa da MT Cred, Sílvia Mara Borgert Batista. “O empréstimo consignado para empresa privada existia no passado e poucas empresas operavam. Hoje, nenhum banco oferece mais crédito consignado para empresa privada e nem cartão de crédito”, afirma a gerente comercial da Leal Assessoria de Crédito, Luciane Albuquerque. “Alguns bancos públicos trabalham com este produto, mas com taxas mais elevadas”. Para estimular a concessão desta modalidade de crédito aos trabalhadores que atuam no setor privado e garantir recursos àqueles demitidos sem justa causa, o governo federal editou uma Medida Provisória (MP), publicada em março de 2016, que permite a utilização do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como garantia para obter o empréstimo. Esta opção será assegurada aos trabalhadores da iniciativa privada mediante a retenção do saldo devido ao banco contratante até o limite de 10% do valor depositado no FGTS e 100% da multa rescisória.


242

Conforme decisão do Conselho Curador do FGTS no dia 6 de dezembro, a taxa de juros para empréstimos consignados ao FGTS foi limitada a 3,5% ao mês e o prazo de pagamento esticado ao máximo de 48 meses. As regras estão sendo elaboradas pela Caixa Econômica Federal. O uso do FGTS como garantia em operações de empréstimo consignado foi aprovado pelo Senado em julho de 2016. Na opinião do educador financeiro e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, o uso do FGTS para obter empréstimo consignado é uma armadilha. “O que as pessoas não percebem é que o FGTS é uma garantia para o futuro. E por isso, na maioria das vezes, só pode ser usado em situações específicas. O FGTS funciona como uma poupança forçada para o trabalhador, então, não vejo com bons olhos o uso dos recursos para a amortização de dívidas”. Funcionária pública, Elinei de Souza, 47, contratou 3 empréstimos consignados e termina de pagar um deles agora, após 4 anos de descontos mensais. “No começo de 2016, fiz outro. Precisei para pagar contas do cartão de crédito, carnês de lojas e até conta de água, que subiu muito”. Conforme o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o uso do FGTS nas operações de crédito consignado deve contribuir para reduzir ainda mais os juros praticados nesta modalidade, com teto de 3,5% ao mês. A taxa chega a ser 50% menor que as de outras operações de crédito disponíveis no mercado, como os empréstimos pessoais, que aplicam em taxas médias mensais de 7%. Os juros cobrados nas operações de consignado são os mais baixos do mercado, segundo economistas. Outra mudança que poderá baratear o custo é a própria redução da taxa básica de juros da economia. No último dia 11, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu pela 3ª vez consecutiva a taxa Selic, que caiu para 13% ao ano. Como a Selic baixou, os juros reduzem quase automaticamente nas modalidades de crédito, afirma a economista Edijeide Freitas. “A regulamentação em cima do rotativo do cartão de crédito vai pressionar ainda mais para baixo”, avalia, ao referir-se à proposta do governo de cortar à metade os juros do crédito rotativo. Nesta opção, contratada automaticamente pelo consumidor que paga apenas o valor mínimo (15%) da fatura do cartão de crédito, incidem juros de até 480% ao


243

ano. Conforme anunciado no fim de dezembro pelo presidente Michel Temer (PMDB), a intenção é reduzir pela metade os juros cobrados após o prazo máximo de 30 dias no pagamento rotativo do cartão. “Será regulamentado como as bandeiras (dos cartões) deverão trabalhar com a dívida de quem comprou no cartão”, pontua Edijeide. A economista lembra que ao buscar outras modalidades de crédito o consumidor pagará juros bem inferiores. No Crédito Direto ao Consumidor (CDC), por exemplo, a taxa varia de 4% a 7% ao mês. No consignado - sem o uso do FGTS - a média é de 1,8%, com o máximo de 2,34% ao mês. E, por falar em cartão de crédito, outra alternativa a quem precisa de dinheiro é o cartão de crédito consignado. Semelhante a outros tipos de cartão, nesta opção o consumidor terá assegurado um limite na forma de crédito para realizar compras. O saldo devedor acumulado com as compras será cobrado integralmente uma vez por mês, com desconto direto em folha de pagamento. Podem aderir os trabalhadores com carteira assinada, aposentados e pensionistas do INSS e funcionários públicos. A contratação deste instrumento de crédito depende de convênio entre a empresa ou instituição à qual o consumidor está vinculado e o banco. Conforme o INSS, as taxas de juros máximas permitidas são, atualmente, de 2,34% para as operações de empréstimo consignado e de 3,36% para as operações de cartão de crédito. Desde agosto de 2015, o limite consignável foi elevado de 30% para 35% do valor da renda mensal do beneficiário do INSS ou servidor público. O percentual de 30% é voltado para as operações de empréstimo pessoal e até 5% para as operações de cartão de crédito. Além disso, o reajuste anual do salário mínimo -que expande a margem para contratação de empréstimo - impacta na procura pelo consignado todo início de ano, diz a gerente administrativa da MT Cred, Sílvia Mara Borgert Batista. “Em dezembro a procura já começa a crescer, por causa do aumento do salário”.


244 Veículo:

SBN

Data: 13/02/2017 Site: http://www.sbnoticias.com.br/noticias/147728/calend%C3%A1rio-para-o-resgate-dascontas-inativas-do-fgts-ser%C3%A1-divulgado-nesta-ter%C3%A7a/

Calendário para o resgate das contas inativas do FGTS será divulgado nesta terça 13/02/2017 - 14h59

Será divulgado nesta terça-feira, dia 14, o calendário de saques das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). A partir de março estará liberado o dinheiro bloqueado quando o trabalhador pediu demissão ou foi mandado embora por justa causa. No total, serão liberados mais de R$ 43 bilhões. Como envolve um volume muito grande de recursos, o plano será liberado em lotes, de acordo com a data de aniversário do beneficiado. A transferência será automática para quem já possui conta na Caixa Econômica Federal. Quando a pessoa está inserida neste contexto, o saldo do FGTS, pela regra atual, só pode ser sacado se o trabalhador ficar três anos sem conseguir emprego com carteira assinada. Com a economia estagnada, o governo flexibilizou essa medida. Quem foi demitido por justa causa ou pediu demissão até 31 de dezembro de 2015, vai poder sacar o saldo. Quando o valor for pequeno, o beneficiário poderá ter acesso à quantia até mesmo nas Casas Lotéricas. Com isso, o governo pretende injetar R$ 34 bilhões na economia. "Muitas pessoas usam rendas extras sem considerar sua situação financeira atual. Infelizmente, isso é comum. Portanto, procure levantar seus números e ter consciência se está em situação de equilíbrio, endividamento, inadimplência ou se é investidor. O ideal é que a quantia possa melhorar a qualidade de vida da pessoa e família, não apenas agora, mas especialmente no futuro. Afinal, o objetivo principal da existência desse fundo é ser um arrimo para o trabalhador em caso de demissão", orienta Reinaldo Domingos, presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros). Os saques vão acontecer até julho deste ano. Mais da metade dos trabalhadores têm, no máximo, R$ 500,00 para retirar dessas contas inativas. Outros 24% têm saldo entre R$ 500 e R$ 1.500. Esses dois grupos representam praticamente 80% do total de pessoas que vão poder usar o Fundo de Garantia como bem entenderem. Os demais têm mais de R$ 1.500 para receber. Ainda em relação ao calendário, o Governo Federal vai divulgar um site onde o beneficiado poderá informar seus dados para saber onde e quando poderá efetuar o procedimento.


245 Veículo:

Falcioni Consultoria

Data: 24/02/2017 Site: http://falcioniconsultoria.com.br/especialistas-listam-os-melhores-aplicativos-definancas-pessoais/

Especialistas listam os melhores aplicativos de finanças pessoais 24/02/2017 12:02:19Falcioni Notícias

Notícias e Artigos

SÃO PAULO – Em momentos de crise, a necessidade de reorganizar as finanças e cortar alguns gastos é ainda maior. É preciso criar um orçamento detalhado, priorizar suas dívidas, criar uma reserva de dinheiro. Mas apesar de necessário, essa tarefa pode


246

ser um pouco complicada para as pessoas que não têm tempo de registrar manualmente seus gastos e analisar todo o orçamento. Com a popularização dos smartphones, os apps que ajudam a controlar o orçamento também ficaram mais comuns e podem ser grandes aliados das suas finanças. Pensando nisso, o InfoMoney conversou com três educadores financeiros para descobrir quais são os melhores aplicativos financeiros para acompanhar seu orçamento e investimentos.

1. GuiaBolso “Essa é a melhor opção para os preguiçosos”, explicou Cintia Senna, educadora financeira da DSOP. Isso porque o app é capaz de puxar dados como o seu extrato bancário, o que permite que ele registre automaticamente seus gastos no cartão de débito e até no cartão de crédito – assim, só seria preciso registrar os gastos feitos em dinheiro vivo. Com base nesses dados de gastos, ele os divide em categorias e aponta aonde você está gastando mais o seu dinheiro. Também é possível criar metas de gastos para cada categoria para que o aplicativo lembre-lhe do quanto ainda pode gastar.

2. Minhas Economias Nesse aplicativo é possível cadastrar diversas contas, fazer o controle do cartão de crédito separadamente, programar pagamentos e alertas, etc. “Para quem tem ganhos variáveis, esse é o melhor aplicativo. Ele também permite a divisão de gastos em categorias, mas o seu grande diferencial é poder exportar planilhas de Excel e continuar um planejamento financeiro anterior”, explicou Cintia. Diferentemente do GuiaBolso, neste app os usuários devem cadastrar seus gastos manualmente. A educadora financeira Alessandra Coser, do Money Camp, também utiliza e recomenda o Minhas Economias.

3. Mobills Ele possui as mesmas funcionalidades dos outros dois aplicativos: registro de despesas e receitas, limites de despesa, categorias, etc. A diferença é que, para ter acesso a funcionalidades específicas, é preciso fazer a assinatura do aplicativo, “o que é uma desvantagem” para Cintia. Gratuitamente, ele faz comparativos anuais e mensais de gastos, indicando em que categoria o usuário gastou mais.


247

4. Organizze O Organizze é a recomendação de Alessandra principalmente por permitir a reconciliação bancária de contas nas principais instituições bancárias do país, tudo através do próprio app. Ele trabalha com metas mensais de gastos e orçamento, que podem sempre ser alteradas, e com lançamentos manuais da conta corrente e cartão de crédito. Ao final do mês, são criados automaticamente relatórios e gráficos com as informações de gastos.

5. Renda Fixa Através do aplicativo, é possível consultar e pesquisar investimentos em renda fixa em diversas corretoras, comparando-os até encontrar o que você acredita ser melhor. “Ele separa os investimentos por categoria, permite que você filtre por diversos critérios. É uma boa opção para quem pensa em fazer um investimento”, explicou o educador financeiro André Massaro. Fonte: http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/planeje-suasfinancas/noticia/4907123/especialistas-listam-melhores-aplicativos-financas-pessoais


248 Veículo:

Pragas e Eventos

Data: 16/02/2017 Site: https://www.pragaseeventos.com.br/saude-publica/dsop-adere-ao-combate-do-aedesaegypti/

DSOP adere ao Combate do Aedes aegypti Com a adesão da DSOP, o projeto ganha outra magnitude.

Após uma palestra de apresentação para a diretoria da DSOP, em São Paulo, sobre tecnologias educacionais, prontamente a diretora Ana Rosa


249

Vilches se interessou pelo Projeto de Combate ao Aedes aegypti e solicitou um texto fundamentando o projeto para avaliação do presidente, Reinaldo Domingos. Após a analise, o Projeto foi aprovado e o Programa de Combate ao Aedes aegypti conseguiu uma importantíssima adesão na guerra contra o mosquito. A DSOP (www.dsop.com) é uma editora especializada em educação financeira, líder nacional neste segmento, com mais de 2.000 escolas que adotam o material didático, abrangendo um conjunto superior a 1 milhão de alunos.

No início de fevereiro, foram ministradas palestras sobre o Projeto de Combate ao Aedes, num evento organizado pela DSOP, na avenida Paulista, com o engajamento da equipe da DSOP no projeto. Foram realizadas oficinas de construção da armadilha de garrafa pet em algumas escolas, com grande sucesso. E com a metodologia da DSOP de educação financeira, contextualizaram o projeto de Combate ao mosquito. As capacitações foram divididas em duas partes, a saber: na primeira – demonstração e instalação do Aplicativo Class Player e como fazer o


250

download das 2 aulas de Combate ao Aedes aegypti; apresentação da primeira aula com os objetivos do projeto, características do mosquito, origem, ciclo de vida e construção da armadilha de garrafa Pet.

Na segunda parte – processo de Georreferenciamento das armadilhas utilizando um smartphone ou tablet com android, através do projeto Geolocaliza que pode ser baixado no Aplicativo Class Player. Nesta parte da apresentação, as armadilhas foram fotografadas, inspecionando e contando a quantidade de larvas, capturando as coordenadas pelo GPS e plotando no Google Maps, enviando assim as informações para um banco de dados na nuvem. O que nos possibilita consultar todas as informações armazenadas na nuvem a qualquer momento.


251

Na parte da tarde, a própria DSOP fez um oficina prática de criação das Mosquitéricas (armadilhas de garrafa pet).


252 Veículo:

Trovó Academy

Data: 13/02/2017 Site: https://trovoacademy.com/dinheiro/existem-bancos-bons-para-investir-dinheiro-a-fgvdiz-que-sim-descubra-quais-sao-os-melhores/

Existem bancos bons para investir dinheiro? A FGV diz que sim! Descubra quais são os melhores Por Robinson Trovó 13 de fevereiro de 2017

Reprodução: Google

A pesquisa foi feita entre a FGV (Fundação Getúlio Vargas) e a Fractal Consult, visando apresentar os melhores bancos para investimentos em Renda Fixa, Fundos e Ações, e outras aplicações. E


253

o Santander levou o prêmio como Melhor Banco para Investir (MBI), seguido do Itaú e do Bradesco, que apareceram nas consecutivas posições. É importante saber também que 2 desses “campeões” também levaram o troféu de bancos com mais reclamações em 2016: o “Bradesco” e o “Santander”. Depois, entre os mais reclamados, vem a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e o Itaú. Se você quer saber quais as reclamações mais constantes, veja abaixo: Agora, voltando ao assunto dos melhores bancos para investir dinheiro, a pesquisa levou em consideração mais de 50 agências físicas e que tem distribuições nos maiores estados do país. 5 delas fizeram parte das finalistas: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander. E os requisitos para as colocações fora: ações, fundos multimercados, Money Market, Renda Fixa, varejo e Varejo Seletivo. E, além da análise desses itens, a pesquisa levou em conta também fatores como taxa de administração dos fundos, valores mínimos para investir, número de reclamações registradas pelo Banco Central e custo dos pacotes bancários.

SERVIÇOS, TAXAS, PACOTES, CONTAS GRÁTIS, GERENTES… VEJA UM GUIA COMPLETO DE COMO SE COMPORTAR COM O SEU BANCO! Abaixo, segue lista geral, com a devida pontuação, segundo a pesquisa: 1. Santander – 9,1 2. Itaú – 8,84 3. Bradesco – 8,39 4. Banco do Brasil – 7,74


254

5. Caixa – 7 Agora, veja a lista dos melhore colocados em cada categoria: 1. Ações – Banco do Brasil 2. Fundos Multimercados – Caixa 3. Money Market – Santander 4. Renda Fixa – Itaú 5. Varejo – Santander 6. Varejo Seletivo – Santander Se você ainda não fez seu investimento, aproveite a liberação do saque do FGTS Inativo e faça!

1 milhão de trabalhadores já podem sacar o dinheiro do FGTS Inativo Os valores dependem da regra antiga do fundo, ou seja, quem trabalhou com carteira assinada por 3 anos e, depois, ficou 3 anos consecutivos sem trabalho pode sacar o benefício a partir da data do seu aniversário. É importante saber que esse recurso só está disponível para quem ficou afastado a partir de junho de 1990. “Essas contas somam cerca de 1,3 bilhão de reais”, disse o secretário-executivo do Conselho Curador do fundo, Bolivar Moura Neto. Se você ainda não sabe se tem o recurso disponível ou não, pode fazer isso agora mesmo, pelo site do FGTS. E o saque poderá ser feito nas agências da Caixa. “As agências da Caixa devem ficar mais sobrecarregadas a partir desta data. Vai ficar difícil pedir a retirada do dinheiro pela regra antiga”. Leia mais notícias sobre o Saque do FGTS e quais os melhores investimentos para ele!


255

Banco Santander antecipa saque do FGTS Inativo: 5 Motivos para saber se Vale a Pena: A linha, conforme informações do Valor, está valendo desde a última segunda-feira (23). O valor correspondente ao saldo é liberado em até 24 horas. E o pagamento ao banco é feito em parcela única, assim que o FGTS for liberado.

Reprodução: Google Como Transformar 1 mil reais em 26 mil reais? Pegue o dinheiro do FGTS Inativo e Invista! Saiba como… A data ainda não foi divulgada, mas a expectativa sim: são mais de 30 bilhões de reais que serão injetados na economia brasileira com os saques do FGTS inativo. “Para quem está endividado é uma boa oportunidade para quitar as dívidas, principalmente as que cobram mais juros, como cheque especial e cartão de crédito. Descubra, em números, por que vale a pena sacar o FGTS inativo e investir em Renda Fixa: Fizemos uma breve análise, com informações do MSN, sobre as mudanças que ocorreram de forma muito rápida no nosso país nos últimos tempos e que, consequentemente, alteram a economia e fizeram com que, o que era natural no passado, pudesse ficar sem sentido nos dias de hoje. Reflitam!


256

FGTS é opção também para o NÃO uso do Cartão de Crédito e Empréstimo Bom, se você tem a intenção de pegar o seu FGTS para “torrar”, precisa ler esse paragrafo. Devido à crise, muitas pessoas optaram pelo empréstimo bancário ou de qualquer outra instituição. Mas, antes de fazer isso, algumas observações devem ser feitas! 

Situação: “Ninguém deve pegar crédito antes de entender como chegou à essa situação de endividamento e descobrir de que forma poderá resolvê-la”, diz o educador Reinaldo Domingos.

Gastos: “Se o indivíduo gasta mais do que ganha, pegar um empréstimo só vai piorar. Ele vai combater o sintoma e não a causa”, diz Domingos.

Objetivo: Vai fazer um empréstimo para fazer novas dívidas? Essa não é uma boa atitude! Um empréstimo só é válido quando é trocado por uma dívida de juros muito alta, diz o especialista.

Prestações: “Essa reserva estratégica é importante para não deixar o consumidor em uma situação de risco, em que qualquer imprevisto resulte no não pagamento das parcelas das dívidas”, disse Domingos, sobre fazer prestações que cabem no bolso e sobre ter uma folga de 10% do salário mensal para investimentos.

Os empréstimos, como são comuns, tem valores altos de juros e o quanto antes você puder acabar com ele, melhor será. Então, pense bem antes de usar o seu FGTS para gastar com qualquer coisa. Ah, outra coisa importante, que tem tudo a ver com os seus gastos excessivos é quanto ao Cartão de Crédito. Então, também antes de sacar o seu FGTS, leia essas medidas que devem ser muito bem pensadas, conforme o educador Silvio Bianchi.


257

Pense (muito) bem antes de usar o Cartão de Crédito O Cartão de Crédito representa quase 50% da causa do endividamento do brasileiro, segundo dados da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL). “É uma excelente ferramenta de compra, mas pode virar uma arma se não for utilizada corretamente”, diz Bianchi. 

Não compre o que não pode pagar: “Ele não é uma ferramenta que vai ajudar as pessoas realizarem seus sonhos. No final do mês, a conta vai chegar”.

Limite: Não é o do cartão de crédito, é o seu. “Para quem está começando, o teto de gastos não deve ultrapassar 50% do rendimento líquido mensal”.

Juros: “Os juros do rotativo podem chegar à 600% ao ano. Isso quer dizer que, ao empurrar a dívida para frente, o consumidor está criando uma bola de neve que só vai aumentar”.

Conhecimento: Sobre quanto você ganha e gasta por mês. É preciso ter tudo na ponta do lápis e evitar sair comprando no crédito.

Empréstimo: Do cartão. Evite emprestar para as pessoas. Essa conversa de “vou te pagando” mensalmente, pode te sair muito caro. “Amigos amigos, negócios à parte” ou “Quem pede emprestado é porque não tem mais crédito na praça. A chance dessa pessoa não pagar a dívida é grande”.

Curiosidade sobre o Cartão de Crédito: Até as logotipos estimulam gastos maiores “Quando você varia o método de pagamento, as pessoas se dispõem a pagar mais”, disse Duncan Simester, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). Ele fez uma pesquisa com alunos de um programa de MBA na qual realizou um leilão de ingressos de basquete e beisebol


258

para os jogos. Alguns foram informados de que teriam que usar o cartão de crédito e outros pagariam em dinheiro. E, para mais, o professor adicionou uma variação de 5 à 10% para os padrões de pagamentos. Mas, a facilidade em pagar com o cartão é considerada tão grande, que o professor o definiu como “Gasto sem Fricção”. Richard Feinberg, da Universidade Purdeu, conseguiu ir além e provou que as logotipos dos cartões levam consumidores à gastar mais e, INCLUSIVE, deixar gorjetas maiores. Greg McBride é analisa financeiro do Bankrate.com, um site de finanças pessoais, e afirma que o uso do plástico, ou do cartão de crédito, só é válido quando você exerce o mesmo comportamento se tivesse pagando com dinheiro. “Eles só funcionam para os clientes que pagam o saldo integral a cada mês”. Com informações da Exame e UOL


259 Veículo:

AU Online

Data: 02/02/2017 Site: http://auonline.com.br/web/noticia.php?id=25130%7Cdez-viagens-internacionais-paraaproveitar-o-dolar-em-queda

Dez viagens internacionais para aproveitar o dólar em queda Preços das passagens aéreas internacionais, vendidas em dólares, já estão um pouco menores, e alguns destinos estão bem atrativos Agência O Globo 04/02/2017 às 14h00

O dólar chegou esta semana a custar R$ 3,10, o menor valor desde outubro de 2016, o que animou os viajantes que planejam férias no exterior. Os preços das passagens aéreas internacionais, vendidas em dólares, já estão um pouco menores, e alguns destinos estão bem atrativos com a queda da moeda americana. Segundo os economistas, o mercado financeiro está preocupado com riscos da postura protecionista do presidente norte-americano Donald Trump, mas não há como precisar se o dólar cairá mais. Por isso, quem vai viajar pode aproveitar e comprar a moeda agora, onde no câmbio turismo ela é vendida por aproximadamente R$ 3,30. — Tem que aproveitar o que considero um momento muito bom. É o momento de comprar dólares, mas quem não vai viajar por agora não deve comprar tudo de uma vez. Vá acompanhando e faça compras mensais ou semanais — orienta o educador financeiro Rogério Braga, explicando que acredita que o dólar ainda pode cair mais um pouco. Confira as opções de destino de viagem *:


260

Aruba é um dos destinos mais em conta

- Buenos Aires, Argentina Passagem aérea: R$ 696 Diária para casal: R$ 94 - Montevidéu, Uruguai Passagem aérea: R$ 746 Diária para casal: R$ 109 - Barcelona, Espanha Passagem aérea: R$ 2.084 Diária para casal: R$ 173 - Cidade do México, México Passagem aérea: R$ 2.084


261

Diária para casal: R$ 138 - Milão, Itália Passagem aérea: R$ 1.916 Diária para casal: R$ 126 - Joanesburgo, África do Sul Passagem aérea: R$ 1.916 Diária para casal: R$110 - Aruba Passagem aérea: R$ 2.029 Diária para casal: R$ 289 - Lisboa, Portugal Passagem aérea: R$2.121 Diária para casal: R$135 - Amsterdã, Holanda Passagem aérea: R$2.095 Diária para casal: R$ 53 - Toronto, Canadá Passagem aérea: R$ 1.971 Diária para casal: R$ 110 * Pesquisa de passagens feita pelo site SkyScanner com passagem ida e volta no mês mais barato a partir do Rio de Janeiro. Diária para duas pessoas em hotel 3 estrelas.


262 Veículo:

Fábio Bmed

Data: 13/02/2017 Site: http://www.fabiobmed.com.br/10-sinais-de-que-voce-nunca-sera-rico/

10 sinais de que você nunca será rico Ser muito certinho, não investir e trabalhar demais são alguns deles São Paulo – Existem algumas formas de se tornar rico: ganhar na loteria, transformar a ideia do século em negócio, aplicar em ações com sorte e técnica, etc. Mas também há alguns indicativos que mostram que você pode estar longe de chegar lá. Se ser milionário é um objetivo na sua vida, preste atenção nos hábitos listados a seguir. São sinais que podem indicar que você está longe de acumular muito dinheiro um dia. 1. Ser muito certinho e não arriscar Gostar de desafios e estar aberto a mudanças são pré-requisitos para se tornar milionário. Isso significa que se você recusa uma proposta de assumir uma nova função no trabalho ou de morar no exterior, sem nem avaliar direito, dificilmente sua conta bancária crescerá muito.


263

“Milionários são pessoas inquietas e questionadoras, se arriscam muito na vida”, aponta o professor Ricardo Rochman, coordenador do mestrado profissional em economia da Escola de Economia de São Paulo, da Fundação Getulio Vargas (FGV/EESP). 2. Não investir no mercado financeiro A dica de se arriscar mais também vale para as aplicações no mercado financeiro, que aceleram o processo de enriquecimento. Dificilmente quem tem medo de aplicar em qualquer outro investimento além da poupança será milionário, segundo Rochman, da FGV. “Quem quer ser rico não necessariamente precisa aplicar em ações, mas tem que diversificar os investimentos e ficar ligado no que acontece no mercado”, sugere. 3. Trabalhar demais e viver sem tempo livre Boas ideias de como ganhar dinheiro surgem quando as pessoas saem da rotina com frequência. “Quem não tem tempo livre não vai ser rico”, diz Rochman, da FGV. Ele aconselha reservar brechas na agenda para ficar por dentro das inovações pelo mundo e procurar novos modelos de negócio e oportunidades no mercado financeiro. Nos momentos de ócio, também é preciso observar o que acontece ao redor, já que grandes ideias de negócio surgem quando se percebe como resolver os problemas das pessoas no dia a dia. 4. Odiar o trabalho Até dá para não gostar do que se faz e mesmo assim acumular dinheiro, mas qual a graça de ser rico e não ser feliz? Além disso, Rochman, da FGV, lembra que é mais difícil trabalhar durante muito tempo com algo que se odeia, e que acumular dinheiro costuma demorar. “Jovens só enriquecem porque podem se arriscar à vontade, mas ninguém vira milionário da noite para o dia”, diz. 5. Não ter sonhos na vida Ricos sonham muito, além de ganhar milhões. “São aqueles objetivos que só de pensar nos causam arrepios”, diz o educador financeiro Silvio Bianchi, da DSOP Educação Financeira. Ele explica que ter dinheiro não deve ser um objetivo, mas um meio para atingi-lo. Assim, enriquecer vira só uma consequência.


264

Pessoas que têm sonhos agem como empreendedoras, mesmo que não abram um negócio próprio e permaneçam assalariadas. 6. Ser imediatista e querer tudo para ontem Pessoas ricas são pessoas prósperas, e a origem da palavra “prosperar” está ligada a ter esperança e a esperar, como explica Bianchi, da DSOP Educação Financeira. “Quem consegue resultados financeiros no futuro sabe aguardar o tempo necessário para comprar”, diz Bianchi. Poupar exige paciência e é essencial para enriquecer. 7. Economizar demais Acredite, economizar em excesso pode ser ruim se você quer ser rico. Pessoas que pechincham demais e que sempre querem economizar ao máximo, às vezes, deixam de viver experiências que podem ser importantes, como uma viagem para um congresso ou um almoço com pessoas diferentes. “Aquela pessoa que está sempre preocupada em economizar perde oportunidades na vida e tem dificuldades para entender a diferença entre gastar e investir”, diz o orientador financeiro Conrado Navarro, idealizador da Dinheirama. O professor de finanças Gilberto Braga, do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais do Rio de Janeiro (Ibmec-RJ), concorda. “Quem vai no restaurante e escolhe o prato pelo preço, e não pela comida, dificilmente será rico”, diz Braga. Ele entende que é preciso equilibrar o preço e a satisfação pessoal na hora de fazer escolhas. 8. Pensar só em dinheiro Nem sempre o retorno financeiro imediato é o mais importante para se tornar milionário. Ao tomar decisões, quem pensa demais em dinheiro não enriquece. “As pessoas ficam tão preocupadas com o resultado financeiro que deixam oportunidades passar”, diz Navarro, da Dinheirama. A ideia de abandonar o emprego para abrir o próprio negócio, por exemplo, pode não trazer mais retorno financeiro imediato, somente mais adiante, e nem por isso deixa de valer a pena. “Quando você pensa em excesso, dificilmente você alcança a riqueza”,


265

orienta Navarro. Saiba mais: 7 técnicas de administração para transformar sua pequena empresa – Patrocinado 9. Achar que dinheiro não é importante No outro extremo, pessoas que não compreendem que o dinheiro pode transformar a vida também não enriquecem. “Achar que controlar dinheiro é coisa de rico torna as pessoas alienadas, inclusive para aprender como ganhar mais”, explica Navarro, da Dinheirama. Ele aconselha que para aumentar o patrimônio é essencial fazer do dinheiro um assunto do dia a dia, que não surja apenas em momentos de dificuldade financeira. 10. Relacionar-se apenas com os amigos Frequentar ambientes onde os ricos estão pode ser um bom caminho para se tornar um deles, como sugere Braga, do Ibmec-RJ. “Você tem que se comportar como os ricos para desenvolver networking”, aconselha. É preciso frequentar novos ambientes para criar relacionamentos com pessoas que podem apresentar oportunidades no futuro. “Ter um círculo de amizades além dos seus amigos do peito funciona mais do que mandar currículo”, recomenda. Fonte: 10 sinais de que você nunca será rico

Clipping DSOP Fevereiro 2017  
Advertisement