Issuu on Google+

ANO FÉ DA

Litúrgico eto da h l Pa Fo róq ANO C uia N ossa Senhora do Amparo Cor litúrgica: Branco 18.Ago.2013 - Ano VI - Ed. 324

2012 2013

Assumptio BeatÆ MariÆ Virginis Solenidade da Assunção da Bem-aventurada Virgem Maria Amados irmãos e irmãs, celebramos hoje uma das festas mais populares e consoladoras dedicadas à Virgem Maria, a sua assunção à glória do céu. Solenidade proclamada pelo Papa Pio XII, a 1 de novembro de 1950, e fixada a 15 de agosto. No entanto, por se tratar de uma festa de colorido eminentemente pascal, a celebramos no domingo, possibilitando assim maior afluência de féis. Nossa Senhora, a Virgem Maria, glorificada na Assunção, é a criatura que atingiu a plenitude da salvação, até a transfiguração do corpo. É a mulher vestida do sol e coroada de doze estrelas. A Mãe do Senhor é a imagem da Igreja: luminosa garantia de destino de salvação. Nesta Santa Missa rezemos pelas vocações religiosas para que sejam sinais da perfeita caridade.

Ritos Iniciais Canto de Entrada Salve, ó Senhora santa, Mãe de Deus, eleita do Senhor, que vos consagrou, que vos exaltou como a humilde serva onde Deus morou. (bis) 1. É Maria que vem nos ensinar a ser pobre, obediente, o mundo transformar. 2. Mãe, fazei-nos todos mais irmãos, instrumentos de justiça onde falta o pão. 3. O Evangelho a nós desafia: sermos paz e esperança como foi Maria.

Sinal da Cruz e Saudação Cel: In nómine Patris et Fílii et + Spíritus Sancti. R. Amen. Cel: Irmãos eleitos segundo a presciência de Deus Pai, pela santificação do Espírito e para obedecer a Jesus Cristo e participar da bênção da aspersão do seu sangue, graça e paz vos sejam concedidas abundantemente. R. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

Ato penitencial Cel: No dia em que celebramos a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, também nós somos convidados a morrer para o pecado e ressurgir para uma vida nova. Reconheçamo-nos necessitados da misericórdia do Pai. (Pausa para exame de consciência) Confessemos os nossos pecados: Todos: Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, batendo no peito diz-se: por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus, nosso Senhor. Cel: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Ass: Amém.

Kyrie e Glória (Melodia: Comunidade Shalom)

Cel: Kýrie, eléison. Ass: Kýrie, eléison. Cel: Christe, eléison. Ass: Christe, eléison. Cel: Kýrie, eléison. Ass: Kýrie, eléison. (Melodia: Marco Frisina) R. Glória in excélsis Deo et in terra pax homínibus bonæ voluntátis, bonæ voluntátis. (Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por ele amados.) Nós vos louvamos, nós vos bendizemos, nós vos adoramos, nós vos glorificamos, nós vos damos graças por vossa imensa glória, Senhor Deus, Rei dos Céus, Deus Pai Todo-poderoso. Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito. R. Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai, Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. R. Só vós sois o Santo. Só vós, o Senhor. Só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém!

Oração do Dia Cel: Oremos. Deus eterno e todo-poderoso, que elevastes à glória do céu em corpo e alma a imaculada Virgem Maria, Mãe do vosso Filho, dai-nos viver atentos às coisas do alto, a fim de participarmos da sua glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Ass: Amém.

LITURGIA DA PALAVRA I Leitura (Ap 11,19a; 12,1-6a.10ab) Leitura do Livro do Apocalipse de São João – Abriu-se o Templo de Deus que está no céu e apareceu no Templo a arca da Aliança. Então apareceu no céu um grande sinal: uma mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas. Estava grávida e gritava em dores de parto, atormentada para dar à luz. Então apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão, cor de fogo. Tinha sete cabeças e dez chifres e, sobre as cabeças, sete coroas. Com a cauda, varria a terça parte das estrelas do céu, atirando-as sobre a terra. O Dragão parou diante da Mulher que estava para dar à luz, pronto para devorar o seu Filho, logo que nascesse. E ela deu à luz um filho homem, que veio para governar todas as naçðes com cetro de ferro. Mas o Filho

-1-


foi levado para junto de Deus e do seu trono. A mulher fugiu para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um lugar. Ouvi então uma voz forte no céu, proclamando: "Agora realizou-se a salvação, a força e a realeza do nosso Deus, e o poder do seu Cristo". – Palavra do Senhor. R.Graças a Deus.

Salmo Responsorial (44/45) R. À vossa direita se encontra a rainha, com veste esplendente de ouro de Ofir. 1. As filhas de reis vêm ao vosso encontro, † e à vossa direita se encontra a rainha * com veste esplendente de ouro de Ofir. R. 2. Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto: * "Esquecei vosso povo e a casa paterna! Que o Rei se encante com vossa beleza! * Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor! R. 3. Entre cantos de festa e com grande alegria, * ingressam, então, no palácio real". R.

II Leitura (1Cor 15,20-27a) Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios – Irmãos: Na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos. Como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos reviverão. Porém, cada qual segundo uma ordem determinada: Em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda. A seguir, será o fim, quando ele entregar a realeza a Deus-Pai, depois de destruir todo principado e todo poder e força. Pois é preciso que ele reine até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés. O último inimigo a ser destruído é a morte. E, quando todas as coisas estiverem submetidas a ele, então o próprio Filho se submeterá àquele que lhe submeteu todas as coisas, para que Deus seja tudo em todos. – Palavra do Senhor. R.Graças a Deus.

Aclamação ao Evangelho Aleluia, aleluia! (bis) Solo: Maria é elevada ao céu, alegram-se os coros dos anjos.

Evangelho (Lc 1,39-56) V. O Senhor esteja convosco. R. Ele está no meio de nós. + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas. R. Glória a vós, Senhor. Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: "Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!" Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido, o que o Senhor lhe prometeu". Maria disse: "A minha alma engrandece o Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador, pois, ele viu a pequenez de sua serva, eis que agora as gerações hão de chamar-me de bendita. O Poderoso fez por mim maravilhas e Santo é o seu

-2-

nome! Seu amor, de geração em geração, chega a todos que o respeitam. Demonstrou o poder de seu braço, dispersou os orgulhosos. Derrubou os poderosos de seus tronos e os humildes exaltou. De bens saciou os famintos despediu, sem nada, os ricos. Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor, como havia prometido aos nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre". Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa. – Palavra da salvação. R. Glória a vós, Senhor.

Símbolo Niceno-Constantinopolitano Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação, desceu dos céus: (todos se inclinam profundamente, até a palavra homem) e se encarnou, pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai. E de novo há de vir, em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos profetas. Creio na Igreja, una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir. Amém.

Oração dos Fiéis Cel: Irmãos e irmãs, enquanto toda a Igreja em festa celebra a Assunção da Virgem Maria, elevemos a Cristo, seu Filho, as nossas súplicas. 1. Pela Santa Igreja de Deus, a fim de que, inspirada no Magnificat, seja radicalmente fiel no cumprimento de sua missão neste mundo, supliquemos ao Senhor. R. Senhor, escutai a nossa prece. 2. Por todos os que vivem a vida consagrada, a fim de que possam, com liberdade, proclamar a grandeza de Deus, procurando viver com renovado ardor missionário o seu carisma religioso, supliquemos ao Senhor. R. 3. Para que as Igrejas locais na África promovam a construção da paz e da justiça na fidelidade ao Evangelho, supliquemos ao Senhor. R. 4. Pelos agentes do serviço público, para que, tendo o reconhecimento da população, estejam mais atentos à situação dos mais necessitados, supliquemos ao Senhor. R. 5. Por todos nós aqui reunidos neste santo e abençoado dia, para que, vivendo a caridade nas suas mais variadas formas e exigências, mostremos a todos a nossa condição de discípulos de Cristo, supliquemos ao Senhor. R. Cel: Senhor Jesus, que admitistes vossa Mãe na glória do céu, concedei também a nós, vossos servos, buscar desde agora o que é do alto e seguir em tudo a vossa vontade. Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos. R. Amém.

LITURGIA EUCARÍSTICA Canto de Ofertório A vós, Senhor, apresentamos os dons escolhidos de vinho e de pão ao recordarmos a Mãe da Vida, que trouxe consigo, no ventre bendito, o Sol da Justiça,


divino clarão! (bis) 1. Transformastes o deserto em água pura, semeastes nos campos as plantas em fartura! 2. Criastes com arte a humanidade, soprando-lhe a vida de liberdade! 3. Enviastes ao mundo o vosso Filho querido, escancarando, a nós todos, as portas do paraíso! Cel: Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso. Ass: Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

Oração sobre as oferendas Cel: Suba até vós, ó Deus, o nosso sacrifício, e, pela intercessão da Virgem Maria, elevada ao céu, acendei em nossos corações o desejo de chegar até vós. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amém.

Oração Eucarística I Pref. Assunção de N. Senhora - A glória de Maria V. O Senhor esteja convosco! R. Ele está no meio de nós. V. Corações ao alto! R. O nosso coração está em Deus. V. Demos graças ao Senhor, nosso Deus! R. É nosso dever e nossa salvação. Cel: Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Hoje, a Virgem Maria, Mãe de Deus, foi elevada à glória do céu. Aurora e esplendor da Igreja triunfante, ela é consolo e esperança para o vosso povo ainda em caminho, pois preservastes da corrupção da morte aquela que gerou, de modo inefável, vosso próprio Filho feito homem, autor de toda a vida. Enquanto esperamos a glória eterna, com os anjos e com os santos, vos aclamamos, jubilosos, cantando dizendo a uma só voz: Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do universo. O céu e a terra proclamam vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor. Hosana nas alturas. Cel: Pai de misericórdia, a quem sobem nossos louvores, nós vos pedimos por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que abençoeis + estas oferendas apresentadas ao vosso altar. Ass: Abençoai nossa oferenda, ó Senhor! Cel: Nós as oferecemos pela vossa Igreja santa e católica: concedei-lhe paz e proteção, unindo-a num só corpo e governando-a por toda a terra. Nós as oferecemos também pelo vosso servo o Papa Francisco, por nosso Bispo Jacinto, e por todos os que guardam a fé que receberam dos apóstolos. Ass: Conservai a vossa Igreja sempre unida! Cel: Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos e filhas e de todos os que circundam este altar, dos quais conheceis a fidelidade e a dedicação em vos servir. Eles vos oferecem conosco este sacrifício de louvor por si e por todos os seus, e elevam a vós as suas preces para alcançar o perdão de suas faltas, a segurança em suas vidas e a salvação que esperam. Ass: Lembrai-vos, ó Pai, de vossos filhos! Cel: Em comunhão com toda a Igreja, veneramos a sempre

Virgem Maria, Mãe de nosso Deus e Senhor Jesus Cristo; e também São José, esposo de Maria, os santos Apóstolos e Mártires: Pedro e Paulo, André, Tiago e João, Tomé, Tiago e Filipe, Bartolomeu e Mateus, Simão e Tadeu, Lino, Cleto, Clemente, Sisto, Cornélio e Cipriano, Lourenço e Crisólogo, João e Paulo, Cosme e Damião, e todos os vossos Santos. Por seus méritos e preces, concedei-nos sem cessar a vossa proteção. Por Cristo, Senhor nosso. Amém. Ass: Em comunhão com toda a Igreja aqui estamos! Cel: Recebei, ó Pai, com bondade, a oferenda dos vossos servos e de toda a vossa família; dai-nos sempre a vossa paz, livrai-nos da condenação eterna e acolhei-nos entre os vossos eleitos. Por Cristo, Senhor nosso. Amém. Dignai-vos, ó Pai, aceitar e santificar estas oferendas, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso. Ass: Santificai nossa oferenda, ó Senhor! Cel: Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão em suas mãos, elevou os olhos a vós, ó Pai, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé! Ass: Salvador do mundo, salvai-nos, vós que nos libertastes pela cruz e ressurreição. Cel: Celebrando, pois, a memória da paixão do vosso Filho, da sua ressurreição dentre os mortos e gloriosa ascensão aos céus, nós, vossos servos, e também vosso povo santo, vos oferecemos, ó Pai, dentre os bens que nos destes, o sacrifício perfeito e santo, pão da vida eterna e cálice da salvação. Ass: Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Cel: Recebei, ó Pai, esta oferenda, como recebestes a oferta de Abel, o sacrifício de Abraão e os dons de Melquisedeque. Nós vos suplicamos que ela seja levada à vossa presença, para que, ao participarmos deste altar, recebendo o Corpo e o Sangue de vosso Filho, sejamos repletos de todas as graças e bênçãos do céu. Por Cristo, Senhor nosso. Amém. Ass: Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Cel: Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos e filhas N. N., que partiram desta vida, marcados com o sinal da fé. A eles, e a todos os que adormeceram no Cristo, concedei a felicidade, a luz e a paz. Por Cristo, Senhor nosso. Amém. Ass: Lembrai-vos,ó Pai, dos vossos filhos! Cel: E a todos nós pecadores, que confiamos na vossa imensa misericórdia, concedei, não por nossos méritos, mas por vossa bondade, o convívio dos Apóstolos e Mártires: João Batista e Estêvão, Matias e Barnabé, Inácio, Alexandre, Marcelino e Pedro; Felicidade e Perpétua, Águeda e Luzia, Inês, Cecília, Anastácia e todos os vossos santos. Por Cristo, Senhor nosso. Ass: Concedei-nos o convívio dos eleitos! Cel: Por ele não cessais de criar e santificar estes bens e

-3-


distribuí-los entre nós. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós Deus Pai todopoderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. R. Amém.

Rito da Comunhão Cel: Rezemos, com amor e confiança, a oração que o Senhor Jesus nos ensinou: Todos: Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido; e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Cel: Livrai-nos de todos os males, ó Pai... Ass: Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre (pelos séculos dos séculos)!

Oração e saudação da paz Cordeiro de Deus Canto de Comunhão 1. Na festa da vida, sem par, Caná põe a mesa, pois não! Na mesa não pode faltar nem vinho, nem risos, nem pão! Maria, que é mãe, ali vai. Os noivos têm mãe em Caná. Jesus quer saber a hora do Pai, Maria lhe diz: "É já!" Maria, Maria, vem pôr, mãe querida, Jesus, Pão da Vida, na mesa do Altar! Maria, Maria, sem ti não há festa: Ó vem, fica nesta, pra nada faltar! 2. O vinho já está bem no fim, sem ele alegria não há: não pode ficar triste assim a festa do amor em Caná. De manso Maria correu e diz a Jesus o que quer: e o vinho sobrou, a festa cresceu! Deus fez, só por ti, mulher! 3. Escutem o que Ele disser e façam o que Ele mandar, assim esta santa mulher ensina a Palavra escutar. Nas talhas a água se fez um vinho que espanta os hebreus: assim sempre tem união, festa e paz o povo que escuta a Deus. 4. Maria em Caná revelou Jesus, a que veio e quem é e a fé, esta mãe revelou em Pedro, Tiago e André. Seus filhos em torno do altar, ó mãe, te rezamos assim: ajuda-me a crer! Ensina-me amar! E a festa será sem fim! 5. Deus vem para a festa do amor, põe vinho na mesa e nos diz: "Deus quer ver você, sim, senhor, no céu e na terra feliz!" Aqui Deus reparte seu Pão e a gente aprendendo então vai: partilha o que tem e canta o refrão: "Só quem quer o irmão, tem o Pai!"

Oração depois da Comunhão Cel: Oremos. Ó Deus, que nos alimentastes com o sacramento da salvação, concedei-nos, pela intercessão da Virgem Maria elevada ao céu, chegar à glória da ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amém.

Ritos Finais Bênção final e despedida Necessidade da intercessão de Maria O invocar e rezar aos santos, e especialmente à Rainha de todos os santos, Maria Santíssima, a fim de obter a graça de Deus é não só lícito, como também útil e santo, e é verdade

de fé definida pelos Concílios contra os hereges que a condenam como coisa injuriosa a Jesus Cristo, que é nosso único mediador. Porém, se um Jeremias roga depois de sua morte por Jerusalém; se os anciãos do Apocalipse apresentam a Deus as orações dos santos; se São Pedro promete a seus discípulos lembrar-se deles depois de sua morte; se Santo Estêvão roga por seus perseguidores; se São Paulo roga por seus companheiros; se, em suma, podem os santos rogar por nós, por que não poderemos implorar aos santos para que intercedam em nosso favor? Que Jesus Cristo seja nosso único mediador com toda justiça, porque com seus méritos nos obteve a reconciliação com Deus, quem o nega? Mas, por outro lado, é uma impiedade negar que Deus se compraz em conceder-nos as graças pela intercessão dos santos e especialmente de Maria, sua Mãe Santíssima, que Jesus tanto deseja ver amada e honrada por nós. É sabido que a honra outorgada à mãe redunda em honra do filho. "A glória dos filhos são seus pais" (Pr 17,6). Por isso, diz São Bernardo: "Não há dúvida de que tudo que se dá em honra da mãe, ao filho pertence". Não obscurece a glória do filho o que louva a mãe, porque quanto mais se louva a mãe, mais se honra o filho. E Santo Ildefonso diz que toda a honra que se rende à rainha mãe, tributa-se ao filho rei. Ninguém duvida, pois, que pelos méritos de Jesus Cristo se concedeu a Maria toda a autoridade para ser mediadora de nossa salvação; Nossa Senhora não é mediadora por estrita justiça, mas por graca de Deus, intercedendo, como diz São Boaventura: "Maria é a fidelíssima intercessora de nossa salvação". E São Lourenço Justiniano: "Como não vai estar cheia de graça aquela que é a escada do paraíso, a porta do céu e com toda verdade mediadora entre Deus e os homens?" Por isso adverte-nos muito bem Santo Anselmo que, quando rezamos à Santíssima Virgem para obter as graças, não é que desconfiamos da divina misericórdia, mas que, sobretudo, desconfiamos de nossa própria indignidade, e nos recomendamos a Maria que, com sua dignidade, supre a nossa miséria. Que recorrer a Maria seja coisa utilíssima e santa não podem duvidá-lo senão os que não têm fé. Porém o que quero provar é que a intercessão de Maria é necessária para nossa salvação; necessária, não absolutamente, mas moralmente, para falar com propriedade. E digo que esta necessidade brota da própria vontade de Deus, que quer que todas as graças que nos dispensa passem pelas mãos de Maria, como diz São Bernardo e é sentença comum entre teólogos e doutores. (...) Nada há nisso que seja oposto aos dogmas sagrados, mas, pelo contrário, tudo isso é conforme o sentir da Igreja que, nas orações que ela aprova, ensina-nos a recorrer constantemente a esta Mãe de Deus e a chamá-la de: saúde dos enfermos, refúgio dos pecadores, auxílio dos cristãos, vida e esperança nossa. (...) Por isso é chamada de lua; porque, como diz São Boaventura, "como a lua está entre a terra e os corpos celestes, e o que deles recebe difunde à terra, assim a Virgem é rainha colocada entre Deus e nós, e ela nos difunde a graça". Como a lua está entre a terra e o sol, e tudo o que dele recebe ela o reflete na terra, assim Maria recebe os influxos celestiais da graça do sol divino para transmitilos aos que vivemos na terra. Fonte: Santo Afonso de Ligório, As glórias de Maria, c. 5, 1. Tradução do espanhol por Luís Augusto R. Domingues

Direção - Pe. José de Pinho Borges Filho / Diagramação - Luís Augusto Rodrigues Domingues / Colaboração - Régis Fabrício de Amorim Silva Sousa / Revisão - Maria Matos de Abreu e Elza Maria Matos da Silva / Cantos - Equipe de Cantos e Celebrações / Impressão - Gráfica e Editora Cidade Verde / Informações - 32218254 e nsamparothe@hotmail.com /Teresina-PI

-4-


Dies Domini Assumptio Beatae Mariae Virginis-Solenidade da Assunção da Bem-aventurada Virgem Maria.