Page 1

Litúrgico eto da h l Pa Fo róq uia N ANO C ossa Senhora do Amparo Cor litúrgica: Verde 11.Ago.2013 - Ano VI - Ed. 323

DA

ANO FÉ

2012 2013

XIX Domingo do Tempo Comum Amados irmãos, estamos unidos para celebrar o Dia do Senhor, santificando-o pela participação no Santo Sacrifício da Missa. Como novo povo de Deus, feliz por tê-lo como nossa herança, ouviremos hoje a exortação sobre a fé, apresentada como a virtude da posse do que ainda se espera, “a convicção acerca das realidades que não se vêem”. Nosso Senhor, pelo Evangelho, toca em diversos pontos conexos: ter a Deus como tesouro, ou seja, o lugar onde repousa nosso coração; estar de prontidão para o cumprimento de sua vontade; compreender que a quem mais tem conhecimento, mais será cobrado. Nestes dias, prosseguimos com o Novenário da Virgem do Amparo, padroeira de nossa cidade. Peçamos a Deus a graça de guardarmos a fé como Nossa Senhora o fez. Confiantes na presença de Deus entre nós, iniciemos a sua santa Liturgia.

Ritos Iniciais Canto de Entrada

Cel: Christe, eléison. Cel: Kýrie, eléison.

Ass: Christe, eléison. Ass: Kýrie, eléison.

(Melodia: Marco Frisina) R. Glória in excélsis Deo et in terra pax homínibus bonæ voluntátis, bonæ voluntátis. (Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por ele amados.) Nós vos louvamos, nós vos bendizemos, nós vos adoramos, nós vos glorificamos, nós vos damos graças por vossa imensa glória, Senhor Deus, Rei dos Céus, Deus Pai Todo-poderoso. Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito. R. Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai, Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. R. Só vós sois o Santo. Só vós, o Senhor. Só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém!

Vimos hoje cantar os louvores do Senhor que nos cobre de bens. Jubilando nós vamos a ele dando graças ao nosso Senhor. 1. O Senhor está sempre conosco, é o Caminho que leva ao Pai. Nossa vida será ação de graças pelo amor que nos tem nosso Deus. 2. No Senhor está a nossa esperança, pois é ele o Deus Salvador. Encontramos aqui a alegria e o sustento à vida de amor. 3. Nosso Deus é um Deus de bondade que a seus filhos só quer todo bem. Pelas graças e bênçãos da vida, somos gratos pra sempre ao Senhor.

Cel: Oremos. Deus eterno e todo-poderoso, a quem ousamos chamar de Pai, dai-nos cada vez mais um coração de filhos, para alcançarmos um dia a herança que prometestes. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Ass: Amém.

Sinal da Cruz e Saudação

LITURGIA DA PALAVRA

Cel: Em nome do Pai e do Filho e + do Espírito Santo. R. Amém. Cel: A vós, irmãos, paz e fé da parte de Deus, o Pai, e do Senhor Jesus Cristo. R. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

I Leitura (Sb 18,6-9)

Ato penitencial Cel: No início desta celebração eucarística, peçamos a conversão do coração, fonte de reconciliação e comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs. Tende compaixão de nós, Senhor. Ass: Porque somos pecadores. Cel: Manifestai, Senhor, a vossa misericórdia. Ass: E dai-nos a vossa salvação. Cel: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Ass: Amém.

Kyrie e Glória (Melodia: Comunidade Shalom)

Cel: Kýrie, eléison.

Ass: Kýrie, eléison.

Oração do Dia

Leitura do Livro da Sabedoria – A noite da libertação fora predita a nossos pais, para que, sabendo a que juramento tinham dado crédito, se conservassem intrépidos. Ela foi esperada por teu povo, como salvação para os justos e como perdição para os inimigos. Com efeito, aquilo com que puniste nossos adversários, serviu também para glorificar-nos, chamando-nos a ti. Os piedosos filhos dos bons ofereceram sacrifícios secretamente e, de comum acordo, fizeram este pacto divino: que os santos participariam solidariamente dos mesmos bens e dos mesmos perigos. Isto, enquanto entoavam antecipadamente os cânticos de seus pais. – Palavra do Senhor. R. Graças a Deus.

Salmo Responsorial (89/90) R. Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança! 1. Ó justos, alegrai-vos no Senhor!* aos retos fica bem glorificá-lo.

-1-


Feliz o povo cujo Deus é o Senhor* e a nação que escolheu por sua herança! R. 2. Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem,* e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas* e alimentá-los quando é tempo de penúria. R. 3. No Senhor nós esperamos confiantes,* porque ele é nosso auxílio e proteção! Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça,* da mesma forma que em vós nós esperamos! R.

II Leitura (Hb 11,1-2.8-19 - forma mais longa) Leitura da Carta aos Hebreus – Irmãos: A fé é um modo de já possuir o que ainda se espera, a convicção acerca de realidades que não se vêem. Foi a fé que valeu aos antepassados um bom testemunho. Foi pela fé que Abraão obedeceu à ordem de partir para uma terra que devia receber como herança, e partiu, sem saber para onde ia. Foi pela fé que ele residiu como estrangeiro na terra prometida, morando em tendas com Isaac e Jacó, os co-herdeiros da mesma promessa. Pois esperava a cidade alicerçada que tem Deus mesmo por arquiteto e construtor. Foi pela fé também que Sara, embora estéril e já de idade avançada, se tornou capaz de ter filhos, porque considerou fidedigno o autor da promessa. É por isso também que de um só homem, já marcado pela morte, nasceu a multidão “comparável às estrelas do céu e inumerável como a areia das praias do mar”. Todos estes morreram na fé. Não receberam a realização da promessa, mas a puderam ver e saudar de longe e se declararam estrangeiros e migrantes nesta terra. Os que falam assim demonstram que estão buscando uma pátria, e se se lembrassem daquela que deixaram, até teriam tempo de voltar para lá. Mas agora, eles desejam uma pátria melhor, isto é, a pátria celeste. Por isto, Deus não se envergonha deles, ao ser chamado o seu Deus. Pois preparou mesmo uma cidade para eles. Foi pela fé que Abraão, posto à prova, ofereceu Isaac; ele, o depositário da promessa, sacrificava o seu filho único, do qual havia sido dito: “É em Isaac que uma descendência levará o teu nome”. Ele estava convencido de que Deus tem poder até de ressuscitar os mortos, e assim recuperou o filho o que é também um símbolo. – Palavra do Senhor. R. Graças a Deus.

Aclamação ao Evangelho (Mt 24,42a.44) Aleluia, aleluia! (bis) Solo: É preciso vigiar e ficar de prontidão; em que dia o Senhor há de vir, não sabeis não!

Evangelho (Lc 12,32-48) V. O Senhor esteja convosco. R. Ele está no meio de nós. + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas. R. Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Não tenhais medo, pequenino rebanho, pois foi do agrado do Pai dar a vós o Reino. Vendei vossos bens e dai esmola. Fazei bolsas que não se estraguem, um tesouro no céu que não se acabe; ali o ladrão não chega nem a traça corrói. Porque onde está o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa

-2-

e, passando, os servirá. E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar! Mas ficai certos: se o dono da casa soubesse a hora em que o ladrão iria chegar, não deixaria que arrombasse a sua casa. Vós também ficai preparados! Porque o Filho do Homem vai chegar na hora em que menos o esperardes”. Então Pedro disse: “Senhor, tu contas esta parábola para nós ou para todos?” E o Senhor respondeu: “Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa para dar comida a todos na hora certa? Feliz o empregado que o patrão, ao chegar, encontrar agindo assim! Em verdade eu vos digo: o senhor lhe confiará a administração de todos os seus bens. Porém, se aquele empregado pensar: 'Meu patrão está demorando', e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se, o senhor daquele empregado chegará num dia inesperado e numa hora imprevista, ele o partirá ao meio e o fará participar do destino dos infiéis. Aquele empregado que, conhecendo a vontade do senhor, nada preparou, nem agiu conforme a sua vontade, será chicoteado muitas vezes. Porém, o empregado que não conhecia essa vontade e fez coisas que merecem castigo, será chicoteado poucas vezes. A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido!” – Palavra da salvação. R. Glória a vós, Senhor.

Símbolo Niceno-Constantinopolitano Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação, desceu dos céus: (todos se inclinam profundamente, até a palavra homem) e se encarnou, pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai. E de novo há de vir, em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos profetas. Creio na Igreja, una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir. Amém.

Oração dos Fiéis Cel: Sabendo que é impossível agradar a Deus sem a fé, voltemo-nos irmãos àquele que tem poder para salvar-nos do mal e da morte. 1. Para que o Santo Padre, o Papa Francisco, guarde e transmita a fé que nos foi legada por séculos de santidade e martírio, no oriente e no ocidente, imploremos ao Senhor. R. Senhor, escutai a nossa prece. 2. Pelos homens que chegaram à paternidade, para que isto seja sinal de maturidade, responsabilidade, amor e compromisso com a obra de Deus, e tenham a graça suficiente para dar eloquente testemunho da bênção que são os filhos no lar, imploremos ao Senhor. R. 3. Pela cidade de Teresina, para que, ao celebrar a Virgem Santíssima do Amparo, faça eco às vozes dos primeiros cristãos dessas terras, que desejaram que sua posteridade fosse um povo temente a Deus e testemunha de sadio progresso, imploremos ao Senhor. R. 4. Para que os cristãos de nossa arquidiocese cheguem à


firme convicção da verdadeira fé, de modo que a defendam com palavras e atos e a propaguem com alegria e caridade, imploremos ao Senhor. R. 5. Pela Semana Nacional da Família, para que seja um período em que as famílias laceradas pela discórdia vejam renascer a humildade para pedir e dar o perdão, a alegria pelos êxitos de cada membro, e a ajuda mútua nas dificuldades individuais, roguemos ao Senhor. R. Cel: Deus, nosso sumo bem, ouvi atento as súplicas de vossa Igreja, e fazei com que obtenhamos aquilo que vos temos pedido motivados pela fé. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amém.

LITURGIA EUCARÍSTICA Canto de Ofertório 1. Pai Santo, Deus Onipotente, a Vós Deus eterno e imenso, nas preces, no canto, no incenso a Igreja o Cordeiro oferece. Minh'alma se une à Igreja, com o padre a Vós me ofereço por mim nada sou, nem mereço, mas Cristo por mim vos imola. Recebei, Senhor. Aceitai, Senhor por Jesus vosso Filho tudo o que eu tenho pra vos ofertar. 2. A hóstia que o padre oferece, divino alimento se faça, a todos cumule de graças de Cristo a Paixão renovando. Sou fruto de Vossa bondade, do nada por Vós fui criado por Cristo eu fui resgatado, a Vós, Ó Senhor, eu me entrego. 3. Que o vinho a vós ofertado se mude no sangue precioso do Vosso cordeiro bondoso e lave os nossos pecados. As dores e provas da vida prometo levar conformado, Senhor pois vos tenho ultrajado com grandes e graves delitos. Cel: Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício... Ass: Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício...

Oração sobre as oferendas Cel: Ó Deus, acolhei com misericórdia os dons que concedestes à vossa Igreja e que ela agora vos oferece. Transformai-os por vosso poder em sacramento de salvação. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amém.

Oração Eucarística IV V. O Senhor esteja convosco! R. Ele está no meio de nós. V. Corações ao alto! R. O nosso coração está em Deus. V. Demos graças ao Senhor, nosso Deus! R. É nosso dever e nossa salvação. Cel: Na verdade, ó Pai, é nosso dever dar-vos graças, é nossa salvação dar-vos glória: só vós sois o Deus vivo e verdadeiro que existis antes de todo o tempo e permaneceis para sempre, habitando em luz inacessível. Mas, porque sois o Deus de bondade e a fonte da vida, fizestes todas as coisas para cobrir de bênçãos as vossas criaturas e a muitos alegrar com a vossa luz. Ass: Alegrai-nos, ó Pai, com vossa luz! Cel: Eis, pois, diante de vós todos os Anjos que vos servem e glorificam sem cessar, contemplando a vossa glória. Com eles, também nós, e, por nossa voz, tudo o que criastes, celebramos o vosso nome, cantando (dizendo) a uma só voz: Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do universo. O céu e a terra proclamam vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor. Hosana nas alturas. Cel: Nós proclamamos a vossa grandeza, Pai santo, a

sabedoria e o amor com que fizestes todas as coisas: criastes o homem e a mulher à vossa imagem e lhes confiastes todo o universo, para que, servindo a vós, seu Criador, dominassem toda criatura. E quando pela desobediência perderam a vossa amizade, não os abandonastes ao poder da morte, mas a todos socorrestes com bondade, para que, ao procurar-vos, vos pudessem encontrar. Ass: Socorrei, com bondade, os que vos buscam! Cel: E, ainda mais, oferecestes muitas vezes aliança aos homens e às mulheres e os instruístes pelos profetas na esperança da salvação. E de tal modo, Pai santo, amastes o mundo que, chegada a plenitude dos tempos, nos enviastes vosso próprio Filho para ser o nosso Salvador. Ass: Por amor nos enviastes vosso Filho! Cel: Verdadeiro homem, concebido do Espírito Santo e nascido da Virgem Maria, viveu em tudo a condição humana, menos o pecado, anunciou aos pobres a salvação, aos oprimidos, a liberdade, aos tristes, a alegria. E para realizar o vosso plano de amor, entregou-se à morte e, ressuscitando dos mortos, venceu a morte e renovou a vida. Ass: Jesus Cristo deu-nos vida por sua morte! Cel: E, a fim de não mais vivermos para nós, mas para ele, que por nós morreu e ressuscitou, enviou de vós, ó Pai, o Espírito Santo, como primeiro dom aos vossos fiéis para santificar todas as coisas, levando à plenitude a sua obra. Ass: Santificai-nos pelo dom do vosso Espírito! Cel: Por isso, nós vos pedimos que o mesmo Espírito Santo santifique estas oferendas, a fim de que se tornem o Corpo e + o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, para celebrarmos este grande mistério que ele nos deixou em sinal da eterna aliança. Ass: Santificai nossa oferenda pelo Espírito! Cel: Quando, pois, chegou a hora em que por vós, ó Pai, ia ser glorificado, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim. Enquanto ceavam, ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, ele tomou em suas mãos o cálice com vinho, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé! Ass: Salvador do mundo, salvai-nos, vós que nos libertastes pela cruz e ressurreição. Cel: Celebrando, agora, ó Pai, a memória da nossa redenção, anunciamos a morte de Cristo e sua descida entre os mortos, proclamamos a sua ressurreição e ascensão à vossa direita, e, esperando a sua vinda gloriosa, nós vos oferecemos o seu Corpo e Sangue, sacrifício do vosso agrado e salvação do mundo inteiro. Ass: Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Cel: Olhai, com bondade, o sacrifício que destes à vossa Igreja e concedei aos que vamos participar do mesmo pão e do mesmo cálice que, reunidos pelo Espírito Santo num só corpo, nos tornemos em Cristo um sacrifício vivo para o louvor da vossa glória. Ass: Fazei de nós um sacrifício de louvor! Cel: E agora, ó Pai, lembrai-vos de todos pelos quais vos

-3-


oferecemos este sacrifício: o vosso servo o Papa Francisco, o nosso Bispo Jacinto, os presbíteros e todos os ministros, os fiéis, que, em torno deste altar, vos oferecem este sacrifício, o povo que vos pertence e todos aqueles que vos procuram de coração sincero. Ass: Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! Cel: Lembrai-vos também dos que morreram na paz do vosso Cristo e de todos os mortos dos quais só vós conhecestes a fé. Ass: A todos saciai com vossa glória! Cel: E a todos nós, vossos filhos e filhas, concedei, ó Pai de bondade, que, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com São José, seu esposo, com os Apóstolos e todos os Santos, possamos alcançar a herança eterna no vosso reino, onde, com todas as criaturas, libertas da corrupção do pecado e da morte, vos glorificaremos por Cristo, Senhor nosso. Ass: Concedei-nos o convívio dos eleitos! Cel: Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós Deus Pai todopoderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. R. Amém.

Rito da Comunhão Cel: Rezemos, com amor e confiança, a oração que o Senhor Jesus nos ensinou: Todos: Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido; e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Cel: Livrai-nos de todos os males, ó Pai... Ass: Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre (pelos séculos dos séculos)!

Oração e saudação da paz Cordeiro de Deus Canto de Comunhão 1. Vou sair pelos prados buscando ovelhas que estão sem pastor. Eu as trarei com carinho de volta sem fome ou temor. Nos meus ombros ovelhas feridas, sem dor poderão descansar. Devolverei os seus campos, darei novamente a paz. Sou Rei, sou o bom Pastor. Vinde ao banquete que vos preparei e fome jamais tereis. A quem vamos, ó Senhor? Só tu tens palavras de vida e te dás em refeição. 2. Maus pastores que perdem ovelhas, distantes de mim os terei. Noutras pastagens seguras, pastores fiéis chamarei. Novo Reino farei do meu povo, rebanho sem mais opressão. Todos serão conduzidos à vida por minhas mãos. 3. Sou a porta segura do aprisco, rebanho feliz eu farei. De todo mal e injustiça ovelhas eu defenderei. Mercenários que fogem pra longe, deixando o rebanho ao léu, não terão parte comigo no reino que vem do céu. 4. Se uma ovelha deixar o meu campo e outro caminho seguir, deixo o rebanho seguro e vou procurá-la feliz ao trazê-la terá alegria e os anjos no céu vão cantar. Será a festa da volta rebanho vai se alegrar 5. Eu conheço as ovelhas que tenho e todo o rebanho, minha

voz. Se chamo, então, pelo nome a ovelha virá bem veloz. Buscarei os cordeiros distantes que em mim terão força e amor. Farei somente um rebanho, eu mesmo serei Pastor.

Oração depois da Comunhão Cel: Oremos. Ó Deus, o vosso sacramento que acabamos de receber nos traga a salvação e nos confirme na vossa verdade. Por Cristo, nosso Senhor. R. Amém.

Ritos Finais Bênção final e despedida Perguntas e respostas sobre o Matrimônio Qual é o desígnio de Deus acerca do homem e da mulher? Deus, que é amor e criou o homem por amor, chamou-o a amar. Criando o homem e a mulher, chamou-os, no Matrimônio, a uma íntima comunhão de vida e de amor entre eles, «de modo que já não são dois, mas uma só carne» (Mt 19,6). Abençoando-os, Deus disse-lhes: «sede fecundos e multiplicai-vos» (Gn 1,28). Para que fins instituiu Deus o Matrimônio? A união matrimonial do homem e da mulher, fundada e dotada de leis próprias pelo Criador, está por sua natureza ordenada à comunhão e ao bem dos cônjuges e à geração e bem dos filhos. Segundo o desígnio originário de Deus, a união matrimonial é indissolúvel, como afirma Jesus Cristo: «O que Deus uniu não o separe o homem» (Mc 10,9). Como é que o pecado ameaça o Matrimônio? Por causa do primeiro pecado, que provocou também a ruptura da comunhão do homem e da mulher, dada pelo Criador, a união matrimonial é muitas vezes ameaçada pela discórdia e pela infidelidade. Todavia Deus, na sua infinita misericórdia, dá ao homem e à mulher a sua graça para que possam realizar a união das suas vidas segundo o desígnio originário de Deus. O que é o consentimento matrimonial? O consentimento matrimonial é a vontade, expressa por um homem e por uma mulher, de se entregarem mutua e definitivamente, com o fim de viver uma aliança de amor fiel e fecundo. Dado que o consentimento faz o Matrimônio, ele é indispensável e insubstituível. Para que o Matrimônio seja válido, o consentimento deve ter como objeto o verdadeiro Matrimônio e ser um ato humano, consciente e livre, não determinado pela violência ou por constrições. Quais são os efeitos do sacramento do Matrimônio? O sacramento do Matrimônio gera entre os cônjuges um vínculo perpétuo e exclusivo. O próprio Deus sela o consentimento dos esposos. Portanto o Matrimônio concluído e consumado entre batizados não pode ser nunca dissolvido. Este sacramento confere também aos esposos a graça necessária para alcançar a santidade na vida conjugal e para o acolhimento responsável dos filhos e a sua educação. Quais são os pecados gravemente contrários ao sacramento do Matrimônio? São: o adultério; a poligamia, porque em contradição com a igual dignidade do homem e da mulher e com a unicidade e exclusividade do amor conjugal; a rejeição da fecundidade, que priva a vida conjugal do dom dos filhos; e o divórcio, que se opõe à indissolubilidade. Fonte: Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, 337-339.344.346-347

Direção - Pe. José de Pinho Borges Filho / Diagramação - Luís Augusto Rodrigues Domingues / Colaboração - Régis Fabrício de Amorim Silva Sousa / Revisão - Maria Matos de Abreu e Elza Maria Matos da Silva / Cantos - Equipe de Cantos e Celebrações / Impressão - Gráfica e Editora Cidade Verde / Informações - 32218254 e nsamparothe@hotmail.com /Teresina-PI

-4-

Dies Domini XIX Domingo do Tempo Comum.  
Dies Domini XIX Domingo do Tempo Comum.  

Edição do Folheto Litúrgico da Paroquia de Nossa Sra do Amparo - Teresina Piauí.

Advertisement