Issuu on Google+

FOLHETO INFORMATIVO DE DISTRIBUIÇÃO QUINZENAL ANO II NÚMERO 67/2 – PINHÃO, 27 DE FEVEREIRO DE 2010 PROPRIEDADE: ASCVD

douropress.ascvd.pt

COORDENADOR: PEDRO ESPÍRITO SANTO

CARNAVAL PINHÃO 2010

Como uma tradição, o corso carnavalesco saiu à rua inundando a principal artéria Pinhoense. Apesar do mau tempo, os foliões espalharam cor e muita boa disposição;

RIO DOURO GALGA MARGENS DA AVENIDA MARGINAL DO PINHÃO Não se registaram quaisquer danos materiais; Previsões de mau tempo no distrito, alerta vermelho e perigo de nova subida do caudal fluvial;

Sábado

Domingo

14ºC

6ºC

27/02

28/02

Segunda 01/03

10ºC

SINDICATO DA HOTELARIA E TURISMO ACUSA GRUPO PESTANA DE “ASSÉDIO” Terça

Quarta

13ºC

11ºC

02/03

03/03

Quinta 04/03

8ºC

Sexta

05/03

10ºC


1

www.douropress.ascvd.pt

FICHA TÉCNICA

EDITORIAL

O aneurisma da aorta DOURO PRESS Folheto Informativo Quinzenal de Distribuição Gratuita Online Propriedade Associação Sócio Cultural Vale D’Ouro Impressão Junta de Freguesia do Pinhão Tiragem 50 exemplares Distribuição Marco Costa www.douropress.com.sapo.pt douropress@sapo.pt Redacção Luís Ramos Cátia Ramos Luís Almeida Rui Batista Sansão Gomes Pedro Espírito Santo Colaboradores André Elias Rogério Bessa Montagem Pedro Moreira Manutenção Web Dep. Com. ASCVD Imagem Fábio Cardoso André Elias Coordenador Pedro Espírito Santo

Trata-se de uma dilatação de um segmento desse vaso sanguíneo. A aorta, é a principal artéria do corpo. Ela nasce no coração, atravessa o tórax e o abdómen, dando origem a todas as artérias (ramos) que levam o sangue aos diversos os segmentos do corpo. A porção da aorta que fica dentro do tórax é chamada de aorta torácica; depois de atravessar o diafragma passa a ser chamada de aorta abdominal. O aneurisma da aorta, usualmente, não causa nenhum sintoma. Alguns indivíduos muito magros podem perceber que existe um tumor que pulsa, quando colocam as mãos no abdómen. Os médicos detectam essa pulsação com mais frequência, por serem treinados para isso; mas mesmo eles podem não detectar o aneurisma se o paciente for obeso. O primeiro sintoma de um aneurisma da aorta pode ser a morte súbita por rotura. O paciente pode sentir dor no abdómen ou na região lombar alguns minutos ou horas antes do evento fatal. Isso faz com que o aneurisma da aorta seja considerado uma doença silenciosa, e é importante que se faça o diagnóstico quando ainda não há sintomas. Esta doença é sempre tratada por cirurgia. O especialista nesse tratamento é chamado de Cirurgião Vascular. A técnica clássica é feita por uma incisão no abdómen, abertura do aneurisma e colocação de um tubo de material sintético no interior do vaso, para aliviar a pressão do sangue sobre a parede enfraquecida. Mais recentemente foi criada a técnica endovascular, na qual o tubo é introduzido através de um cateter pela virilha, controlado por raios-X, sem necessidade de abrir o abdome; essa técnica foi usada pela primeira vez em 1990 pelo cirurgião argentino Juan Carlos Parodi, e trazida ao Brasil em 1994 pelo cirurgião Pedro Puech, professor da Universidade de São Paulo. Pedro Espírito Santo

BUSCA PÓLOS

SANSÃO GOMES coisasmuitoestupidas.blogspot.com


2

www.douropress.ascvd.pt

CARNAVAL PINHÃO 2010 Apesar do mau tempo, centenas de pessoas estiveram presentes e participaram no desfile de Carnaval; A habitual folia e animação foram uma constante;

1) Vinte anos de tradição;

4) O glamour de outrora em tons de preto e branco;

7) Os vikings regressam para conquistar o Douro;

2) Grupo de Bombos de Cabeda;

5) O futuro do Godspell com um toque de samba;

8) A gripe A atacou em força em Casal de Loivos;

3) Centenas de pessoas assistiram ao desfile Carnavalesco;

6) Até a barraca abana com os casamentos entre pessoas do mesmo sexo;

9) Os Reis do Carnaval do Pinhão 2010; www.ascvd.pt/imprensa.htm


3

www.douropress.ascvd.pt

CARNAVAL MOLHADO NÃO IMPEDIU A FOLIA A chuva fez questão de estar presente no fim-de-semana de folia e tradição carnavalesca dando tréguas só mesmo no domingo à tarde para ver passar o corso principal que uma vez mais inundou a principal rua pinhoense de cor e muita boa disposição. Conhecida pela sua centralidade na região e pela proximidade às principais quintas produtoras do vinho do Porto, o Pinhão foi este ano e uma vez mais a capital do Carnaval no Douro não deixando por mãos alheias o título que tem vindo a prestigiar já há largos anos consecutivos. Num corso composto por foliões da localidade mas também por presenças de figurantes vindos das localidades vizinhas. Preparativos começaram em Janeiro Desde finais do ano passado que um conjunto de homens e mulheres, filhos da terra, estão no terreno a angariar fundos para mais um Carnaval que vai sobrevivendo dos donativos da população, empresários e empresas locais e dos (poucos) subsídios públicos. Depois começam a fervilhar as ideias para a composição do corso carnavalesco e já numa fase mais adiantada e próxima da data, as garagens e espaços mais amplos da localidade são invadidos pelas carrinhas que se transformarão nos carros alegóricos. Tudo ainda é feito pelas mãos dos locais. Este é o espírito daquele que é um dos poucos carnavais da região e a par de outros mais conhecidos por esse país fora, um dos mais genuínos carnavais à “moda portuguesa”. Domingo e Terça-feira gordas trazem para a rua os foliões O principal desfile na vila do Pinhão decorre habitualmente ao Domingo e este ano não foi excepção.

A chuva fez uma trégua e o desfile saiu para a rua contando com a presença do Grupo de Bombos de Cabeda mas a abrir e para controlar desde logo os excessos, o “radar da GNR”. Seis grupos organizados para além dos “Reis do Carnaval” e da “Miss Pinhão 2010” constituíram o corso principal de Domingo. O primeiro desses grupos alusivo aos excessos da Gripe A foi trazido por um conjunto de foliões da localidade vizinha de Casal de Loivos que nos últimos anos se têm associado a esta festa no Pinhão. Não fossem estes tempos “negros” na sociedade portuguesa, pelo menos a julgar pela crise que não passa, a organização deste ano parece ter apostado no preto como cor dominante. A prova surge no grupo que se seguiu composto por umas freiras muito divertidas e algumas com “demasiada pouca” roupa dançando e cantando ao melhor estilo da Broadway. Não podia estar mais bem acompanhada a “belíssima” Miss Pinhão 2010 no seu altar de esplendor do que após um grupo de freiras. Continuando a tendência para o negro seguiramse dois grupos ilustrativos desta aposta. O primeiro cuja temática era a pirataria. Inspirados pelas míticas histórias que invadiram toda a nossa infância, os organizadores pretenderam mostrar que no Douro, a qualquer momento, os rabelos poderão ser substituídos por piratas de água doce. Já o segundo grupo pretendia reavivar a memória dos gangsters que preencheram parte da história dos Estados Unidos da América no século XX. Eles elegantes com o seu fato (mais desportivo para este efeito) e elas em belos conjuntos a preto e branco aqui e ali salpicados por um toque de vermelho. A “Barraca Abana” foi o nome da agência de casamentos que se seguiu. Uma alusão, por um lado a crise do casamento convencional que por todo o país

tem diminuído drasticamente e por outro a lembrança do casamento entre pessoas do mesmo sexo, estiveram na génese deste quadro. A ameaça Viking voltou ao sul da Europa com a promessa da reconquista. Foi esta a mensagem que o ultimo grupo do desfile de 2010 deixou através de uma magnífica coreografia e adereços fantásticos. A fechar o desfile uma vez mais um casal da vila foi escolhido para serem os reis do Carnaval. Apesar do tempo instável assistiram ao desfile de Domingo milhares de pessoas oriundas de toda a região tendo enchendo por completo as ruas da localidade. Festejos terminam com a queima do Entrudo O ponto alto do dia de Carnaval propriamente dito acontece à noite com o funeral do “dito cujo”. Um “cortejo fúnebre” que se inicia na ponte sobre o rio Douro no extremo Este da vila e termina na ponte sobre o rio Pinhão no extremo Oeste acompanha dos últimos momentos do enterro. É que o cortejo pára em pontos estratégicos para com algum maldizer e muita obscenidade o “padre” passar em revista os principais momentos da vida desgarrada e muito polémica do defunto sem esquecer de recordar de forma acutilante os principais momentos e também polémicas da história recente da vila. Este ano foi recordado o encerramento da estação ferroviária ao fim-desemana, o atraso desde o anuncio ao inicio das obras do Centro de Dia e o facto de estarem em risco as comemorações da festa anual do Pinhão em honra de Nossa Senhora da Conceição. A queima do Entrudo na ponte sobre o rio do Pinhão terminou com um pequeno espectáculo pirotécnico. Dep. Comunicação ASCVD


4

www.douropress.ascvd.pt

INSTITUIÇÕES DO CONCELHO PROMOVEM FORMAÇÃO A TÉCNICOS DAS IPSS A Câmara Municipal de Alijó e a CLDS unem-se para promover formação a Técnicos das IPSS do Concelho com vista ao convívio, melhoria da qualidade de vida e lazer dos „seus‟ idosos; O Boccia chegou mesmo a fazer parte dos jogos olímpicos dos gregos, como forma de divertimento, identificando-se como um jogo de "atirar bola ao ar". Há também dados da introdução do jogo na costa florentina no séc. XVI pela aristocracia italiana mas tudo aponta no sentido de terem sido os romanos que trouxeram o jogo do sul de França na qual ainda hoje se pratica a conhecida Petanca.

Cátia Ramos

O Município de Alijó em Parceria com o CLDS, está a dar formação de carácter lúdico e desportivo aos Técnicos das IPSS do concelho, tendo em vista a melhoria da qualidade de vida, lazer e convívio dos seus idosos. A primeira formação decorreu no dia 10 de Fevereiro, no edifício das piscinas municipais, e durante todo o mês todas as IPSS do concelho estarão a praticar esta modalidade com o apoio dos técnicos de educação física. Nesta pequena sessão de formação participaram os idosos da IPSS de Favaios que, juntamente com o Município, já implementaram esta prática desportiva há alguns anos e são exímios praticantes desta modalidade. Para alguns o Boccia é considerado uma espécie de jogo da malha “moderno”. É um desporto com regras simples de aprender, constituído por 13 bolas (6 vermelhas, 6 azuis e uma bola alvo branca) e o objectivo consiste em aproximar o maior número de bolas coloridas da bola alvo.

O Boccia é praticado num campo com dimensões de 12,5x6 metros, de superfície plana e macia e não encerada. Pode ser jogado individualmente, em pares ou em equipas de 3 elementos e não tem constrangimentos de sexo ou idade. O lançamento das bolas pode ser feito com a mão ou pé. Os jogadores com maior incapacidade motora podem recorrer a “calhas” de forma a orientar a bola na direcção desejada. É um desporto fantástico já que “obriga” os idosos a realizarem um pouco de actividade física enquanto se deslocam para apanhar as bolas e atiram as mesmas para cumprir os objectivos do jogo. Os primeiros sinais de existência deste jogo remontam a alguns séculos antes de Cristo, a um túmulo de um jovem faraó egípcio onde foram descobertas 2 bolas de pedra um pouco maiores que as bolas de ténis, próximas de uma bola mais pequena que deveria ser usada como bola alvo. A este primeiro testamento histórico juntar-se-á mais tarde o contributo dos gregos e dos romanos ao jogarem este jogo, agora com bolas em pele.

O Boccia foi introduzido em Portugal em 1983 e rapidamente se tornou uma competição fundamental nos campeonatos nacionais para paralisia cerebral, só depois de 2001 começou a ser praticado por pessoas em idade sénior com reacções muito positivas. De momento o nosso país é dos mais bem classificados no ranking mundial. Nos últimos jogos paralímpicos (Atenas 2004), participaram 9 atletas de Boccia (8 masculinos e 1 feminino). Esta foi a modalidade que alcançou o maior número de medalhas para Portugal – 6 medalhas (2 de ouro, 3 de Prata e 1 de Bronze) no total das 12 obtidas pelo nosso país. A prática desportiva contribui ou deve contribuir para que as pessoas se sintam competentes e auto-confiantes e para que consigam nela encontrar os motivos pelos quais a buscam. Isto torna-se ainda mais importante quando o que está em jogo são pessoas idosas que necessitam de algo que as entretenha no seu processo de integração social. Daí a necessidade dos Municípios terem uma responsabilidade acrescida na vida e nos desportos praticados pelos seus utentes, Alijó já deu o primeiro passo para que os seus velhinhos se sintam melhor nas suas práticas desportivas… quem sabe um bom incentivo para o resto do país.


www.douropress.ascvd.pt

VII Convenção Distrital da Juventude Socialista

SINDICATO DA HOTELARIA E TURISMO ACUSA GRUPO PESTANA DE “ASSÉDIO”

5

FREGUESIA DE COTAS LUTA PELOS CAMINHOS RURAIS Estela Teixeira, Presidente da Junta de Freguesia, explica a complexidade de todo este processo;

A directora de comunicação do grupo Pestana, Patrícia Reimão garante que as transferências estão previstas no acordo de empresa e salientando que o objectivo é garantir a viabilidade das pousadas;

Na sequência da notícia veiculada na edição anterior, acerca do suposto descontentamento da população da Freguesia de Cotas para com o executivo da Junta de Freguesia local, relacionada com os Sindicato da Hotelaria e Turismo acusou hoje o caminhos rurais da localidade - em grupo Pestana de "assediar" os trabalhadores de dez declarações ao Douro Press - Estela Teixeira, Pousadas de Portugal temporariamente encerradas, Presidente da Junta de Freguesia, explica a promovendo a sua "transferência forçada" para outras complexidade de todo este processo. unidades da rede ou o gozo de férias adiantadas. Segundo a direcção do sindicato "esta atitude de assédio “A notícia faz referência a um caminho sobre os trabalhadores está a causar situações sociais que foi cortado na Quinta da Romaneira, graves". aquando da construção do Hotel Rural „Romaneira Maison dês Rêves‟. Tratou-se da Contactada pela agência Lusa, a directora de recuperação de um espaço existente nessa comunicação do grupo Pestana, Patrícia Reimão, negou propriedade e, tratando-se de um conceito qualquer "assédio", garantindo que as transferências estão inovador, que privilegia o silêncio do Douro, a previstas no acordo de empresa e salientando que o objectivo administração da quinta optou por desviar o é garantir a viabilidade das pousadas. caminho que ligava a Freguesia ao rio Douro. Em comunicado, o sindicato garante, contudo, que "há Esse caminho efectivamente era a ligação com o trabalhadores de baixa médica, a ser medicados e a receber Apeadeiro existente na Linha do Douro, no apoio psiquiátrico", outros que "já aceitaram várias entanto esse Apeadeiro deixou de funcionar, por transferências/deslocações forçadas e destruíram a sua vida decisão da CP e não da Junta de Freguesia”. pessoal e familiar" e outros ainda que, "ameaçados de despedimento, aceitaram rescindir o seu contrato individual A primeira noticia veiculada na de trabalho sem receber qualquer indemnização ou comunicação social, acusava responsabilidades recebendo valores muito abaixo dos previstos na lei". ao actual executivo pela atitude aparentemente A directora de comunicação do grupo Pestana passiva, facto que não deixa a Presidente da confirmou à Lusa que as pousadas em causa "estão ou Junta indiferente: “sou presidente da Junta de estiveram de facto fechadas, quase todas para obras de Freguesia há quatro meses. A questão já foi manutenção", tendo-se optado pelo encerramento durante a acompanhada pelo anterior executivo que, época baixa para minimizar os prejuízos. inclusive, contratou um advogado para resolver a Segundo adiantou Patrícia Reimão, as unidades de questão e não se conseguiu atingir uma resposta Ria e de Bragança já fizeram obras e reabriram no início satisfatória para a população”, esclarecendo deste mês", enquanto Óbidos reabre a 01 de março e Elvas, ainda que ”uma das primeiras acções tomadas Santa Clara, Alijó, Guimarães e Sousel abrem a 01 de abril". pelo actual executivo foi a de retomar Salientando que "o acordo de empresa prevê que os negociações com a administração da Quinta, trabalhadores possam ser deslocados para outras unidades", negociações que se encontram bem a responsável salientou que o grupo Pestana "tenta ao encaminhadas e que, acredito, em breve terão máximo que as transferências ocorram por um curto período um desfecho que agradará a ambas as partes”. de tempo" e para pousadas não muito distantes. "Não há qualquer assédio aos trabalhadores. O que Por fim, a Presidente de Junta de estamos é a tentar melhorar as unidades, de modo a que Freguesia deixa claro de que “é convicção deste sejam rentáveis, até porque só assim podemos garantir os executivo que a população da Freguesia de postos de trabalho", sustentou. cotas deve continuar a ter um acesso público ao Noticiasdodouro.com rio douro, direito que lhe assiste historicamente”.


6

www.douropress.ascvd.pt

RIO DOURO GALGA MARGENS DA AVENIDA MARGINAL DO PINHÃO

Juventudes Partidárias A Juventude Socialista

Não se registaram quaisquer danos materiais; Previsões de mau tempo no distrito, alerta vermelho e perigo de nova subida do caudal fluvial; As juventudes partidárias foram criadas, Depois da ameaça de Dezembro ultimo, na passada oficialmente, em Portugal no pós 25 de Sexta-Feira de madrugada o Douro galgou mesmo as margens Abril, logo após a criação dos partidos da Avenida Marginal do Pinhão subindo até ao restaurante LBV, que as sustentam ideologicamente. não causando ainda assim danos materiais. Nas juventudes o povo vê, normalmente, os porta bandeiras e os defensores de um qualquer caciquismo saloio que, infelizmente, abunda neste país. Depois de três anos à frente da Juventude Socialista de Alijó não poderia deixar de discordar da mentalidade retrógrada que alguns, inclusive no próprio Partido Socialista, ainda possuem. Aqui se diz que as juventudes partidárias se devem dedicar às actividades circenses (leia-se festas, campanhas e bandeirinhas no ar). Nos últimos anos, a JS de Alijó pautou-se pela apresentação de propostas, pela dignificação da pessoa humana, jovens e menos jovens, e pela procura de soluções para a falta de adesão dos jovens às estruturas partidárias, onde muito contribuiu a luta por respeito e representação que esta estrutura encetou a nível local, regional e nacional.

Fruto da intempérie dos últimos dias o caudal do Douro aumentou significativamente não sendo possível evitar a subida da água na marginal da Régua e depois na marginal do Pinhão. Os proprietários de bares no Pinhão e o CS Vintage House foram informados da possível subida com antecedência permitindo precaver-se e remover os equipamentos e mobiliário. Ontem à noite a reportagem do DouroPress percorreu alguns dos bares da zona marginal que continuaram a funcionar mas no mínimo da sua capacidade e já sem a maioria dos equipamentos e mobiliários. O alerta de cheia mantém-se sendo de esperar nova subida durante o dia de Sábado. Vila Real e Viseu são dois dos distritos em alerta vermelho, o mais grave na escala.

Este velho preconceito que os jovens não pensam, ou não podem pensar, morreu, definitivamente, em Alijó e, apesar de vivermos numa sociedade cada vez mais individualista e cada vez menos participativa na vida da comunidade, onde a luta por ideais (de direita ou esquerda) é considerada uma coisa longínqua, onde a democracia é muitas vezes corrompida pelo que se acham políticos, que não servem a política, mas se servem da política, a JS (local e nacional) tem sido um farol neste imenso nevoeiro e tem mostrado que o futuro do país está assegurado e que aqui também há ideias e pessoas de elevada qualidade.

Quem se junta à JS, fá-lo por acreditar que é aqui que ocorrerá a renovação do PS e que aqui se ganham os conhecimentos necessários à prossecução de uma carreira política séria – uma carreira de serviço ao bem público. Luís Almeida

Fotos:

André Elias

Rogério Bessa


7

www.douropress.ascvd.pt

CULTURAL

RODA DE CHORO DE LISBOA Projecto singular de música portuguesa e brasileira, respeitanto uma linguagem singular; Este é um projecto de músicos portugueses e brasileiros que se desenvolve dentro do repertório clássico do género musical choro (ou chorinho), respeitando a linguagem singular do mesmo, mas com algumas surpresas. Ritmos bem portugueses, como o corridinho, o fandango ou o fado, são também trabalhados de forma a evidenciar esta proximidade das linguagens lusófonas.

CURIOSIDADES

PUFFIN O primeiro “avião-helicóptero” pessoal; Os Engenheiros da NASA estão a desenvolver um protótipo de um veículo de transporte que poderá ser o primeiro “aviãohelicóptero” pessoal. O Puffin levanta voo como um helicóptero, mas voa como um avião.

O choro surgiu no Rio de Janeiro em meados do séc. XVIII. A chegada da corte portuguesa àquela cidade, em 1808, foi a matriz deste género musical, que juntou as danças de salão europeias em voga (polcas, mazurcas, valsas, scottish) com o lundum e a modinha. Pode-se afirmar que o choro é primo direito do fado, da morna e também do tango, pois partilha com estes, várias influências. Nas suas apresentações, a Roda procura recriar o espírito do Rio. Os “chorões” vestem-se a rigor, do sapato bicolor ao Quem estava habituado a sonhar com os jetchapéu panamá, e interpretam a música de Pixinguinha, Jacob packs nos anos 50, vai certamente ficar do Bandolim, Waldyr Azevedo e muitos outros. fascinado com este aparelho. Chegar mais rápido, evitar o trânsito e sobretudo, evitamos os condutores de domingo. O sonho de Carlos Lopes – acordeão qualquer automobilista. José Nunes – bandolim Movido a energia eléctrica, o Puffin está a ser Nuno Gamboa – violão de 7 cordas desenvolvido para um passageiro e será capaz Alexandre Santos – percussão de atingir a velocidade de cruzeiro de 225 km/h, podendo atingir uma velocidade máxima de 480 www.myspace.com/rodadechorodelisboa km/h. O Puffin irá medir cerca de 3 m e pesará aproximadamente 180 kg sem o piloto. O aspecto mais limitador do Puffin é que este SÁBADO | 27 FEV | 22HORAS permite apenas deslocações de cerca de 80 Público-alvo:M/6 km, no entanto, como o Puffin é um veículo Duração:aprox.70min. movido a energia eléctrica, é mais silencioso e Bilhetenormal:7euros ecológico que os actuais carros. Com desconto: 5 euros Para já, o Puffin não passa de um conceito NASA daquilo que será o futuro das nossas deslocações domésticas, mas já pode ser visitado um vídeo animado no youtube (http://www.youtube.com/watch?v=rhpPhvWvLg k) com uma pequena demonstração do aparelho. “Ir a voar para o trabalho” é algo que pode estar mais ao nosso alcance do que imaginamos. Esperemos também não apanhar transito no ar. http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=38952&op=all#cont http://www.wired.com/autopia/2010/01/nasa-puffin/

André Elias


Edição 67 - VERSÃO ESPECIAL .::. DouroPress