Page 1

PORTFOLIO DORA COELHO ARQUITETURA + URBANISMO + DESIGN


NOME NACIONALIDADE DATA DE NASCIMENTO

Dora de Holanda Coelho Brasileira 26.03.1988

ENDEREÇO

Rua Conselheiro Brotero, 717. Apto 74. Santa Cecília – São Paulo – SP

TELEFONE

11 9 4986.8609

E-MAIL

dorahcoelho@gmail.com.br


CURRÍCULO

FORMAÇÃO

ATIVIDADES ACADÊMICAS

Graduação em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Fortaleza – UNIFOR, 2012.

Bolsista de pesquisa PROBIC/FEQ/UNIFOR. Grupo de pesquisa: “Entre o Concebido e o (não) Construído: Planos urbanísticos propostos para a cidade de Fortaleza”. Agosto de 2011 – Janeiro 2012.

Curso de curta duração em Design de Mobiliário. Escola São Paulo. São Paulo – SP, 2013. 45h Workshop AA visiting School São Paulo - Liquid Urbanism. The Architectural Association School of Architecture. São Paulo - SP. 120h EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL [2011/2012] - Régis Freire Arquitetura e Urbanismo. Cargo: Estagiária Principais atividades: Desenvolvimento de projetos de urbanismo e arquitetura. [2010/2011] - Nasser Hissa Arquitetos Associados. Cargo: Estagiária Principais atividades: Desenvolvimento e compatibilização de projetos de edifícios comerciais e residenciais. Desenvolvimento de detalhamento arquitetônico. [2009] - Escritório de Arquitetura e interiores da Arquiteta Láutia Feitosa Cargo: Estagiária Principais atividades: Desenvolvimento de projetos de Arquitetura de Interiores [2007 - 2009] - Eco Terra Ambiental Engenharia Cargo: Desenhista Principais atividades: Desenvolvimento de fluxograma de coleta em aterros sanitários e fluxograma de coleta de resíduos sólidos das Policlínicas do Estado do Ceará. [2007/2008] - Agência Reguladora de Fortaleza – ARFOR – Prefeitura Municipal de Fortaleza. Cargo: Estagiária Principais atividades: Trabalho em campo, fiscalização de obras. [2007] - Escritório de Arquitetura e interiores Arquiteta Christianne Silton Cargo: Estagiária Principais atividades: Desenvolvimento de projetos de Arquitetura de Interiores

Participação no Concurso Estudantil Latino-Americano de Arquitetura Bioclimática da VII Bienal José Miguel Aroztegui, com projeto de habitação social sustentável na comunidade Verdes Mares. Agosto 2011 QUALIFICAÇÕES Habilidade em AutoCAD, Illustrator, CorelDRAW, SketchUp, Artlantis Noções básicas de Revit, Vray, Microsoft Project, Rhinoceros e Grasshoper Habilidade em programas básicos da Microsoft Office Inglês - Proficiente - Centro de Línguas - FFLCH-FAU 2013 EVENTOS Apresentação de Painel no Fórum Adolfo Herbster, 2013. Apresentação de artigo no 15th International Planning History Society, 2012. Apresentação de Painel no Concurso Estudantil Ibero-Americano de Arquitetura Bioclimática Bienal José Miguel Aroztegui, 2011. Participação no Fórum Jovem Arquitetos Latino-Americano , 2011. Apresentação de artigo no XIV ENANPUR – Encontro Nacional da ANPUR, 2011. Participação no 19° Congresso Brasileiro de Arquitetos, 2010. Participação na XII Bienal Internacional de Arquitetura de Buenos Aires, 2009.


DISCIPLINA DE PROJETO URBANÍSTICO HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL (2011) Dora Coelho e Ana Carolina Freitas Castelo Branco. O projeto foi resultado da disciplina de Projeto Urbanístico II do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Fortaleza e consiste em um conjunto de edifícios multifamiliares em área de interesse social. Os terrenos escolhidos para o projeto fazem parte da Zona de Interesse Social delimitada pela Prefeitura de Fortaleza. As habitações foram projetadas como solução de moradia para famílias da Comunidade Verdes Mares que vivem em assentamentos precários nessa área. O conjunto consiste em 69 edifícios de térreo mais três pavimentos, com unidades habitacionais de 63 m², com dois dormitórios, um banheiro, cozinha, área de serviço, sala de estar e jantar, sacada e uma área de varanda podendo ser utilizada para ampliação do apartamento, dando lugar a um novo quarto, escritório ou expansão do quarto de casal. Além dos edificios estão previstas no projeto áreas de lazer para os moradores da região, praças, quadras e anfiteatro.

Local dos atuais assentamentos precários e da implantação do conjunto de edificios para habitação de interesse social e áreas de lazer


BIENAL JOSÉ MIGUEL AROZTEGUI HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR - CONCURSO ESTUDANTIL IBERO-AMERICANO DE ARQUITETURA BIOCLIMÁTICA (2011) G

Projeto selecionado para Mostra Intinerante nas Escolas Ibero-Americanas de Arquitetura e Urbanismo Dora Coelho e Ana Carolina Freitas Castelo Branco. A proposta foi feita como alternativa para uma área de assentamentos precários, comunidade Verdes Mares, na cidade de Fortaleza. O conjunto habitacional foi pensado para atingir condições favoráveis de conforto térmico e lumínico. A utilização de ventilação cruzada e de iluminação natural foi proposta com a preocupação de ter o menor consumo de energia possível. A acessibilidade foi outro fator priorizado na definição do partido arquitetônico. Os edifícios, de cinco pavimentos, são acessíveis às pessoas portadoras deficiência física, idosos e crianças. Desta forma a circulação vertical é desenvolvida através de rampas, passarelas e escadas. A implantação dos edifícios foi pensada para aproveitar a ventilação dominante à sudeste e fazer com que as menores faces ficassem voltadas para oeste, afim de proteger a maior parte dos ambientes da forte incidência dos raios solares. A permeabilidade também foi um ponto forte na implantação. O solo intercala áreas gramadas, solo prensado, piso em blocos de solo-cimento. O conjunto é composto por seis blocos, cada um com cinco pavimentos e quatro apartamentos por andar. Em alguns pavimentos uma grande praça substitui duas unidades. Essas praças além de ponto de encontro e áreas de lazer para os moradores são grandes passagens de ar, tornando o conjunto habitacional mais permeável à ventilação natural.

Local da implantação do conjunto de edificios

Tipo D

Tipo A

Varanda Quartos

Tipo E

Tipo B

Estar/Jantar Comércio

Tipo C

Áreas molhadas - W.C. e cozinha

Tipo D


As unidades habitacionais tem 65,46 m² contendo dois quartos, um banheiro, cozinha, sala de jantar e estar e uma área de varanda (Tipo D) destinada a expansão. Essa área pode ser transformada em comércio ( Tipo A), no térreo,em banheiro acessível (Tipo B), em quarto (Tipo E). A energia utilizada no conjunto habitacional vem da rede pública e é somada às energias captadas por aerogeradores e placas fotovoltaicas situadas nas coberturas das edificações. A água da chuva será filtrada e reaproveitada em bacias sanitárias e irrigação de jardins. A bomba que levará a água para cisterna depois de filtrada

será alimentada pela energia produzida por placas fotovoltaicas, sendo necessária a utilização da rede pública apenas nos horários e dias de pouca insolação Os geradores serão responsáveis por produzir energia para iluminar as áreas comuns dos edifícios. A utilização da rede pública só será necessária em meses de menor velocidade do vento. O lixo produzido pelos moradores deverá ser separado por tipo e levado ao galpão de triagem, que deverá ser fazer parte do conjunto, onde será devidamente organizado para ser vendido e reciclado.


OLÉ CASAS (2012) Projeto de arquitetura de interiores para um escritório de enge-

PERSPECTIVAS

nharia em Fortaleza, elaborado para uma área referente à três salas de um edifício comercial com aproximadamente 18 m² cada. O programa consiste em recepção, sala técnica com sete estações de trabalho, diretoria com duas estações de trabalho e sala de reuniões com capacidade para oito pessoas além de três w.c.´s.

W.C. A= 1,52 m²

W.C. A= 1,55 m²

W.C. A= 1,52 m²

RECEPÇÃO A= 6,46 m²

RECEPÇÃO

DIRETORIA

SALA TÉCNICA

SALA DE REUNIÕES A= 17,96 m²

SALA TÉCNICA A= 17,96 m²

DIRETORIA A= 10,78 m²

SALA DE REUNIÕES

FOTOGRAFIAS TIRADAS APÓS O TÉRMINO DA OBRA

SALA DE REUNIÕES

W.C.


TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO INTERVENÇÃO URBANA NO BENFICA: PRESERVAÇÃO, REORDENAMENTO E NOVOS ESPAÇOS NO BAIRRO (2012)

OBJETIVOS

LOCALIZAÇÃO O Bairro Benfica, bastante tradicional na cidade de Fortaleza, localiza-se próximo à região central da cidade.

JOSÉ BONIFÁCIO

como a Universidade Federal do Ceará, o Instituto Federal FORTALEZA

RODOLFO TEÓFILO

requalificação

do

bairro

através da preservação de suas características culturais e do

BENFICA

FÁTIMA

reordenamento

de

seus

espaços públicos, para que haja

dente Vargas, o Shopping Benfica, a estação de metrô do Benfica, além de uma grande diversidade de bares e

DAMAS

restaurantes. No bairro também acontecem feiras, festas

JARDIM AMÉRICA

uma convivência harmônica entre a diversidade de usos presentes na área.

carnavalescas, apresentações de maracatu, e diversos outros eventos tradicionais.

*Imagem: Arquivo Marcus Vinícius Oliveira

a

FARIAS BRITO

O Benfica abriga diversos equipamentos importantes de Educação e Tecnologia do Ceará (IFCE), o Estádio Presi-

O objetivo do trabalho é propor

CENTRO

Imagens: Arquivo Nirez


PROPOSTA DE INTERVENÇÃO A proposta de intervenção busca a preservação das características culturais e ambientais do bairro e o reordenamento de seus espaços públicos. O bairro foi primeiramente dividido em cinco trechos com características distintas para os quais foram elaboradas

MAPA SETORES

PROPOSTA- SISTEMA VIÁRIO

PROPOSTA - CICLOVIÁRIA

N

N

N

SETOR II UNIVERSIDADE

diretrizes específicas (Metro/Shopping,

SETOR I H.I.S.

Universidade, Gentilândia, Estádio e Canal). Dentro desses trechos foram

SETOR IV PARQUE

identificadas áreas de grande potencial

SETOR III PRAÇAS

para a elaboração da proposta, chama-

SETOR V POCKET PARKS

dos de setores. Os setores são I-HABI-

SETOR VI GINÁSIO

TAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL; II-UNIVERSIDADE;

III-PRAÇAS;

IV-PARQUE;

V-POCKET PARKS; VI-GINÁSIO.

ceitos: VALORIZAÇÃO DO PEDESTRE E CICLISTA, CRIAÇÃO DE NOVOS MOBILIÁRIOS URBANOS, PERMEABILIDADE, NOVOS ESPAÇOS LIVRES, PRESERVAÇÃO DAS ATIVIDADES.

VIA COLETORA

CICLOFAIXA UNIDIRECIONAL

VIA LOCAL

CICLOVIA ESTACIONAMENTOS BICICLETAS

A proposta tem como principais con-

VIA ARTERIAL

CICLOFAIXA BIDIRECIONAL

0 0

100

200

300

100

200

300

0

100

200

300


SETOR II - UNIVERSIDADE PLANTA PASSAGEM SUBTERRÂNEA

CORTE PASSAGEM SUBTERRÂNEA


SETOR III - PRAÇAS

RUA JOÃO GENTIL

CORTE AVENIDA 13 DE MAIO

ESTACIONAMENTO SUBTERRÂNEO


SETOR IV - PARQUE

PARQUE URBANO

RUA PE. FRANCISCO PINTO


SETOR V - POCKET PARKS

1

3

2

1

POCKET PARK AV. DA UNIVERSIDADE AV. JOSÉ BASTOS

2

POCKET PARK GENTLÂNDIA

3

PRAÇA ESTAÇÃO PE. CÍCERO


SETOR VI - GINÁSIO

CORTE AVENIDA DO CANAL


MOBILIÁRIOS

MÓDULO INTINERANTE

LIXEIRAS

BANCO POSTE DE ILUMINAÇÃO

COBERTA PASSAGEM SUBTERRÂNEA


MÓDULO A (2013)

Dora Coelho, Felipe Albuquerque e Sylvia Camarero O módulo a é resultado do Workshop de Design de Mobiliário da

Foi então que surgiu a ideia de um

Escola São Paulo, ministrado pelos professores Marko Brajovic, Car-

módulo

mela Rocha, Pedro Terra e profissionais da área convidados a falar

diversas posições, de acordo com

sobre mercado, processo criativo e de fabricação.

a vontade e necessidade do

O produto final foi resultado do processo criativo dos membros da

usuário.

equipe, incitado por atividades que tiveram como foco o resgate

O processo de criação foi auxiliado

da memória, de objetos e situações vivenciadas. Sempre estimula-

por maquetes físicas onde procur-

dos pelos professores a chegar a um processo criativo “de dentro

amos traduzir esses conceitos,

para fora”.

além de experimentar diversas

A ideia inicial surgiu da vontade em comum entre os membros da

formas de encaixes das peças, que

equipe de criar um módulo que pudesse ser convertível, utilizado

seriam produzidas futuramente

de diversas maneiras. Assim como alguns objetos utilizados por

através de corte por CNC e en-

nós na infância.

caixadas.

A escolha da Rua Augusta como cenário para o mobiliário foi

Chegar até a fabricação da peça

também determinante no processo de criação do módulo. Tive-

foi fundamental para a com-

mos sempre em mente a diversidade de usos e de pessoas que a

preensão do processo da fabri-

rua atrai, assim como seu caráter transitório. A partir disso a

cação digital e para o conheci-

intenção foi propor algo que pudesse estar presente em qualquer

mento

horário ou local da Rua Augusta e tivesse um caráter interativo.

capazes de auxiliar esse processo.

que

de

funcionasse

novas

em

tecnologias


AA VISITING SCHOOL SÃO PAULO- LIQUID URBANISM (2013)

Dora Coelho, Gustavo Magno, Henrique Delarue, Luiz Venesiano, Mariana Berteli, Tiago Vigil.

Durante os dez dias de workshop os alunos

A proposta consiste na conecção do grande terreno do Campo de

tiveram contato com uma nova maneira de

Marte com a malha urbana existente através da criação de novas

pensar o urbanismo. A partir da análise de

quadras de uso residencial, comercial e de serviço.

diversas camadas e auxiliados por progra-

Além da integração dos diferentes modais, trem, helicoptero,

mas paramétricos os alunos puderam ela-

metrô e barco.A proposta inclui a criação de um porto para trans-

borar propostas para o Campo de Marte

porte de passageiros no local.

em São Paulo, local escolhido para estudo e

A criação de um sistema de Wetlands também faz parte da propos-

ao final tiveram contato com a fabricação

ta da equipe, visto que a área é bastante alagável.

digital ao imprimir a proposta em chapas de acrílico em cortadora a laser. No projeto foi considerada a chegada do TAV - trem de alta velociadade que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro assim como a retirada do aeroporto, continuando apenas o Heliporto. A proposta foi baseada nos estudos de densidade populacional, caminhos mais curtos percorridos, transportes e principalmente caminhos das águas da chuva e pontos de alagamento. O conceito da proposta é a reaproximação da cidade com o rio visto que São Paulo não tem uma relação de proximidade com seu sistema hídrico.


Portfolio - Dora Coelho - Arquitetura + Urbanismo + Design  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you