Page 1

Especial para o IL 23.03.05

O EIXO ANTI-LIBERAL ___ Heitor De Paola* Em plena campanha presidencial brasileira em 2002, o Prof. Constantine Menges, do Hudson Institute, previu que, com a eleição de Lula, estaria formado um novo eixo do mal: o latino-americano, constituído por Havana-Caracas-Brasília. Seu estudo estava baseado nas atas do Foro de São Paulo, o que levava a antever, ainda, o apoio destes três governos a movimentos similares na Bolívia, Equador, Argentina, Uruguai e Peru, para ‘recuperar na América Latina o que fora perdido na Europa do Leste’. A cada dia que passa percebe-se como suas previsões estavam acertadas. Na Venezuela, a “Revolução Bolivariana” de Chávez, segue de vento em popa restringindo a liberdade de informação, caminhando celeremente para a abolição da propriedade privada, apoiando a narco-guerrilha colombiana e, principalmente, fornecendo petróleo para sustentar o moribundo regime comunista cubano. No Brasil, o governo petista vai mais lentamente no mesmo caminho. Como não estamos montados em petróleo, é preciso manter uma rígida política econômica que atraia investimentos e enriqueça banqueiros, às custas de sufocar as empresas privadas através de juros escorchantes e brutal aumento da carga tributária. Ao mesmo tempo, estimula a invasão de propriedades rurais produtivas. Enquanto são criados inúmeros programas “sociais” que não saem do papel, o dinheiro para Cuba flui como em cachoeira, complementando o petróleo venezuelano. A estratégia do Foro de São Paulo – inspirada pelo eterno Comandante – é a mesma empregada pelos movimentos antiliberais ao longo do século XX: o movimento de tesoura. Enquanto a Venezuela radicaliza, o Brasil contemporiza, mas o objetivo a atingir é o mesmo, o estrangulamento do regime democrático e da economia liberal, cercando pelo Sul o Grande Satã, os Estados Unidos da América. Não há mais oposição no Brasil, sem que tenha sido necessária nenhuma repressão armada. É impressionante a falta de reação daqueles que deveriam ser os maiores interessados, o empresariado, que parece marchar alegremente para o matadouro. * Membro do Instituto Liberal RJ As opiniões emitidas no artigo são de responsabilidade exclusiva do signatário, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Instituto Liberal.


O Caminho da Servidão foi a obra que alertou o mundo, em guerra, para os rumos que as sociedades estavam tomando no Século XX. Será que não bastou a lição? O alerta de Hayek é atual e foi escolhido como tema do II Prêmio Donald Stewart Jr. para universitários. Uma excelente oportunidade de aprimoramento para os jovens brasileiros. Saiba mais e divulgue!

Destaques e especiais il o eixo anti liberal heitor de paola