Issuu on Google+

Novembro de 2011 | Nº 8

Venda Proibida

A Palavra paróquia são luís gonzaga

Foto Adri Foto Adri

Foto Primavera

w w w. p a r o q u i a s a o l u i s g o n z a g a . c o m

Foto Primavera

Prontos para servir

Sacramentos da iniciação cristã são celebrados por mais de 600 crianças, jovens e adolescentes na Paróquia São Luís Gonzaga Págs. 10 - 12

Paróquia

São Luis Gonzaga


EDITORIAL

A missão continua... Em meio aos preparativos de um tempo especial, o Mês Missionário, a Paróquia recebeu a notícia que tem um novo bispo: Dom Wilson Tadeu Jönk, scj. O dehoniano catarinense que assumirá a Arquidiocese de Florianópolis, no dia 15 de novembro, já esteve na Cúria e falou em entrevista coletiva: “Todos ficamos surpresos com o convite para que eu fosse arcebispo de Florianópolis. Não domino todos os detalhes daqui, mas tenho disposição e vontade de começar logo a caminhar com todas as forças vivas da arquidiocese”. Também em nossa Paróquia haverá mudança de pastor. Pe. Ari seguirá para o exterior para estudar e em breve será anunciado o novo pároco. Tantas mudanças causam expec-

tativa e ansiedade, mas o Espírito Santo sopra onde quer, e motiva sempre novos rumos e novas esperanças. Esperanças que vivem as crianças da catequese, as que receberam Jesus Eucarístico pela primeira vez, as que confirmam sua fé ao receber o Sacramento da Crisma e mesmo aos mais pequeninos, que pelo bastismo tornam-se povo de Deus. Também por isso, a Revista A Palavra falará neste mês sobre os Sacramentos da Iniciação à��������������������������� Vida Cristã�������������� , porta de entrada para a vivência da fé. Enfim, uma edição recheada de coisas boas, que fará o leitor mergulhar na vida de nossa Paróquia, de nossa Igreja, de nossa fé. Boa leitura!

SUMÁRIO

6 7 14 16 18

Expediente

Colégio São Luiz é destaque em ranking do ENEM Novo arcebispo de Florianópolis é dehoniano Mês missionário renova paróquia

Contato: (47) 3351-1258 jornal@paroquiasaoluisgonzaga.com www.paroquiasaoluisgonzaga.com

Ação Social atende 3 mil pessoas em 2011

Direção: Pe. Ari João Erthal,scj

Infantil: pequena artista publica desenhos

Tiragem: 3 Mil Periodicidade: Mensal Impressão: Gráfica COAN

Capa

DESTAQUE

ARTIGOS

Prontos para servir

Rua Prof. Rosinha Campos, 52, Sala 02, Abraão - Fpolis Fone: (48) 3365-1613

Jornalista responsável

Ketlin da Rosa - SC02821-JP ketlin@dominuscomunicacao.com

Fone: (48) 9642-0910

Redação

Fabíola Goulart e Wagner Moura jornalismo@dominuscomunicacao.com

5

A Igreja é missionária

Pe. Ari Erthal, SCJ

16

Ano litúrgico encerra com festa em comunidade

8

Diagramação

Entrevista: Sueli Kholer A arte de orar

Patrícia Pratts e Luiz Fernando Otto criacao@dominuscomunicacao.com

A Palavra - Novembro/2011

3


Mural ESPAÇO DO LEITOR Sobre nossa evista... A Revista A Palavra, hoje, é utilizada também na catequese especialmente para reflexão com os jovens crismandos a respeito dos artigos dos padres de nossa paróquia, bem como sobre textos que dizem respeito ao jovem. É um material importante na turma de crisma! Irene Scheneider, catequista

AGENDA DE NOVEMBRO

12 Festa na Comunidade Santa Paulina 18 e 19 Festa em honra a Cristo Rei (Comunidade Cristo Rei) 26 de Natal- 16h30 - (Confraternização dos Clubes de Mães 24 Festa e Idosos ) – salão paroquial Tarde de Partilha- 14h – Região 4 – Nossa Sra. Aparecida

Missa, jantar e baile de encerramento do Clube de Idosos – 26 –19h30 – salão comunitário – Nossa Sra. Lourdes

– Missa de Ação de Graças pelo aniversário do Apostolado da Oração – 19h30 – Nossa Sra. de Lourdes

4

Novembro/2011 - A Palavra

Horários de Missas Matriz São Luís Gonzaga De segunda-feira a sábado – 19h Domingo – 7h, 9h, 17h e 19h Missa da Saúde – na 2ª terça-feira do mês – 15h30 Adoração ao Santíssimo Quintas-feiras – 6h30 às 18h30 | Primeira sexta-feira – 7h Comunidade Nossa Senhora de Fátima Sexta-feira – 19h Sábado – 18h Domingo – 9h Dia 13 de cada mês – 19h Comunidade Santa Rita 1ª Sexta-feira do mês – 19h Sábado – 19h Dia 22 de cada mês – 19h Comunidade Cristo Rei 1ª Sexta-feira de cada mês – 19h Domingo 8h30 Comunidade Nossa Senhora de Lourdes 1ª Sexta-feira de cada mês – 19h30 Sábado – 19h30 Dia 11 de cada mês – 19h30 Comunidade Nossa Senhora Aparecida 1ª Sexta-feira de cada mês – 18h Sábado – 18h Dia 12 de cada mês – 18h Comunidade Sagrado Coração de Jesus 1ª Sexta-feira de cada mês – 19h Sábado – 19h Missa da Esperança – 2ª quarta-feira de cada mês – 19h Comunidade São João Batista Domingo – 8h Comunidade Santo Antônio Domingo – 8h30 Dia 13 de cada mês – 19h30 1ª quinta-feira do mês – 19h Comunidade São José 1ª quinta-feira de cada mês 19h Sábado – 17h30 Comunidade Santa Paulina Sábado – 19h 1ª sexta-feira do mês – 19h Comunidade São Francisco de Assis 2ª e 4ª domingo do mês – 9h30


Olhar de Fé

Pe. Ari João Erthal,scj

A Igreja é

missionária Quem semeia a fé, a esperança e a caridade, colhe os frutos da alegria, da bondade e da paz. Foi isso que eu vi e senti no semblante de cada missionário que visitou as famílias na Comunidade São Francisco de Assis, do Bairro Cerâmica Reis, durante o mês das missões, outubro. Foi a experiência mais linda que vivi durante todo o tempo em que sou pároco da Paróquia São Luis, a mais linda nesses cinco anos. Durante o primeiro ano do Planejamento Estratégico de Pastoral, a formação paroquial é prioridade. E para que isso acontecesse foi desenvolvido um programa intitulado “Formar para Evangelizar”, composto por quatro projetos: 1. Escola de Líderes; 2. Oficina de Evangelização; 3. Escola de Comunhão e, 4. Mês Missionário. E durante o mês missionário aconteceu também, na nova comunidade que integra nossa paróquia, a primeira festa de São Francisco de Assis. Foi estupendo, magnífico, maravilhoso. Todos contribuíram para isso! Desde as crianças da escola, trazendo cada uma três tomates; quem podia trazia frango, algumas mulheres cuidando da cozinha, descascando cebola, batata, fazendo brigadeiros. Outras cuidando da liturgia, dos festeiros. Os homens temperando carne, montando barracas, trazendo bancos e mesas, preparando a roda da fortuna, foi uma verdadeira festa em família. Os alunos da escola sob a batuta do maestro apresentaram um verdadeiro espetáculo de arte musical. Enfim, todos estão de parabéns pelo trabalho desenvolvido! As pessoas que tiveram o privilégio e a graça de participar das missões são testemunhas vivas que a Igreja ou é missionária ou não é de Jesus Cristo. Apenas cumprir ritos, observar uma doutrina fria, mandamentos, isso não é suficiente para uma experiência intensa do amor de Deus, da pessoa de Jesus Cristo. O Espírito Santo unge, consagra, envia para sermos anunciadores da boa notícia do Evangelho. Não basta ser cristão. É necessária uma caminhada na comunidade Igreja, assembleia reunida, povo de Deus, sacerdócio régio. Espero que esta experiência reacenda em cada uma de nossas comunidades a alegria de ser católico e povo sacerdotal, de servir ao Reino, estar engajado no serviço que sempre há para construirmos uma Civilização do Amor. E que a Paróquia São Luís Gonzaga seja exemplo de caminho a ser seguido pela atuação da fé, esforço na caridade e firmeza na esperança de Jesus Cristo.

DESTAQUES NA WEB

Tudo por um copo d´água A católica paquistanesa, Asia Bibi, 45 anos, foi parar na cadeia após beber água de um poço muçulmano, no Paquistão. Para as leis islâmicas, Asia Bibi contaminou o poço e então deveria converter-se ao islamismo, ou morrer. Ela declarou seu amor a Jesus Cristo e afirmou jamais renunciar ao catolicismo. Assim, foi acusada de blasfêmia, sua história ganhou os jornais da Europa e pode ser vista na internet em reportagem da TVI 24, emissora portuguesa, e no site de nossa paróquia. Assista e faça uma oração.

Amar o próximo Atualmente, 12,4 milhões de pessoas passam fome no nordeste da África. A comunidade internacional reagiu tarde para os sintomas desta catástrofe humana, mas a Igreja está atenta e ajuda as vítimas por meio de iniciativas como a campanha: Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) - http://www.aisbrasil.org.br/. Nela as doações são destinadas para os mais de cinco mil projetos no Brasil e em outros países. A AIS denuncia perseguições a cristãos, assiste a cada um deles e luta na defesa dos direitos humanos.

Acesse nosso site

www.paroquiasaoluisgonzaga.com A Palavra - Novembro/2011

5


Obras Dehonianas

Colégio São Luiz

é referência no Estado

No ranking 2010 do Exame Nacional do Ensino Médio o Colégio São Luiz ganhou destaque em 1º lugar no município de Brusque e em 3ª lugar no Estado de Santa Catarina. A média dos alunos da obra, mantida pelos padres dehonianos, foi de 670.2 pontos, enquanto a média de Santa Catarina ficou em 555 pontos e a do Brasil 537 pontos. Cerca de 62,7% dos alunos da instituição fizeram a prova, cujo resultado é divulgado em âmbito nacional. O Colégio foi classificado no Grupo 2, o qual reúne as escolas cuja participação está entre 50% e 75%. De acordo com a assessoria pedagógica do Colégio, um dos motivos responsáveis pelo destaque da instituição educacional, além dos alunos comprometidos com os estudos e da qualidade do corpo pedagógico, é a qualidade do sistema ensino “Bom Jesus”, os materiais pedagógicos, a formação continuada dos professores e a estrutura física e pedagógica do Colégio. O resultado demonstra a seriedade com a condução do processo educativo e é também uma conquista dos pais de alunos e de todos que formam a comunidade escolar, e reforça o lema: “Colégio São Luiz, uma história de sucessos”.

6

Novembro/2011 - A Palavra


NOSSA VOCAÇÃO

Mais um dehoniano assume a arquidiocese O novo arcebispo da arquidiocese de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönk, é dehoniano, o quinto arcebispo de Florianópolis e tomará posse no dia 15 de novembro, no Ginásio de Esportes do Colégio Catarinense. Ele é p������������������������������������������������������� residente da CNBB Regional Sul 4 e assessor eclesiástico para o trabalho com os jovens no Regional. Nomeado pelo Papa Bento XVI no dia 27 de setembro, ele concedeu entrevista na qual contou ter pressa para conhecer as paróquias, pastorais e movimentos da arquidiocese e contou estar surpreso com a nomeação. “Todos ficamos surpresos com o convite para que eu fosse arcebispo de Florianópolis. Não domino todos os detalhes daqui, mas tenho disposição e vontade de começar logo a caminhar com todas as forças vivas da arquidiocese”, declarou. Como principal desafio, ������������������������������ o novo arcebispo citou a timidez no anúncio do Evangelho, especialmente aos imigrantes que vêm morar na capital, como, por exemplo, estudantes. “G������������������������������������������ ostaria que todo imigrante pudesse se sentir cada vez mais acolhido em nossas comunidades. Para isso temos que aprender a anunciar e não nos sentirmos intimidados”, explicou o arcebispo. Ao falar sobre sua missão à frente da arquidiocese, Dom Wilson lembrou que ela não é tão diferente da missão de todos os católicos: testemunhar a vida cristã. “A mensagem do Evangelho é o que há de melhor para a vida da pessoa e todos têm o direito de conhecer Jesus Cristo e optar pelo Evangelho. Nosso dever é fazê-lo conhecido não só falando dele, mas também dando testemunho”, disse.

A Palavra - Novembro/2011

7


Entrevista

O

ficinas de Oração e Vida existem desde 1984, mas somente há 15 anos descobriram a oficinista e atual guia da Oficina, em Brusque, Ilca Sueli Kohler. Ela é responsável por uma das nove “Locais” em Santa Catarina, como chamam os grupos da Oficina, e conta que conheceu o trabalho deste movimento católico, aprovado pela Santa Sé, por meio de um convite para aprofundar-se mais na vida de oração. Sueli Kohler acredita que sua atual participação na Igreja é fruto de uma catequese forte e da educação católica que recebeu de seus pais, sempre firmes na fé e animados a enfrentar obstáculos. “Dei muito trabalho a minha catequista, a irmã Leonete, com minhas perguntas, pois sempre queria saber mais. De tudo que aprendi, o melhor é saber que com Deus tudo posso!”, diz a entrevistada deste mês.

Harmonizar a ora Foi por meio do convite de uma amiga, no segundo semestre de 1996, ao qual respondi muito rápido que sim! Já na primeira sessão da Oficina de Oração e Vida meditei sobre o tema “Deus da Ternura”. Principalmente a prática semanal que acompanha cada sessão, para ser vivida em casa, a cada dia. Senti que era o que buscava e resolvi fazer a segunda oficina para vivenciar melhor. Fiz a terceira, mas não fui adiante, pois me convidaram para fazer a Escola de Formação, para entender a missão apostólica. Aceitei! Assim, fui enviada e tornei-me guia em 1999.

É um trabalh também ap ta desafios?

Sueli, como você iniciou na Oficina de Oração e Vida?

A Oficina de Oração e vida tem por objetivo levar os participantes a conhecer o seu criador, a falar com Deus, como um amigo fala com outro amigo, passo a passo. Vão conhecendo e vivendo a palavra de Deus pela fé, vão curando medos, traumas, tristezas é o que leva a descobrir o verdadeiro sentido da vida e a alegria de viver.

No que consiste o trabalho das Oficinas? O que leva as pessoas a participarem delas?

pois hoje todo Outro desafio jovens, pois que muito fin

Quando acontece a reunião de vocês?

PERFIL Nome: Ilca Sueli Kohler Natural de: Brusque Esposa de: Valdemiro Mãe de: Joice e Grazielle Há 12 anos é guia da Oficina de Oração e Vida

8

Novembro/2011 - A Palavra

Nesse período, o que você aprendeu?

Aprendi que somos felizes na medida em que fazemos os outros felizes. Muitas experiências com Deus já marcaram minha vida e é muito gratificante levar esta mensagem da Oficina de Oração e Vida, como testemunha, a outras pessoas. É uma alegria ver a transformação que acontece e poder ouvi-las dizer: “Hoje sou outra pessoa!”

no q que chamam experiências ções e faze temos u Guia


ação com a vida

Sim. Cada semestre é um desafio, no sentido de conseguir encaixar o dia da semana em que vai ser aplicada a oficina, os estão com muitos compromissos. o é montar um grupo de oficina para s também são bem ocupados, sendo os estudam e trabalham. Rezo e no nal tudo sai como Deus já havia planejado.

ho que presen?

Não temos muitas reuniões. Temos por meta estabelecida O Dia Mensal do Guia. Onde nos retiramos todos juntos em um lugar de silêncio (um sítio, qual permanecemos 4 horas em silêncio), mos de Deserto. Depois partilhamos nossas s, damos avisos, resolvemos nossas situaemos nossa confraternização. Também um retiro por ano e o Dia Universal do a, que acontece na Solenidade de Pentecostes.

Guias da Oficina de Oração reunidos com Sueli Kohler

Mais informações É possível conhecer mais a Oficina de Oração e Vida, em Brusque, pelo telefone (47) 3355-2048 e pelo site http://www.tovpil.org/pt

É preciso ter o desejo Como alguém de fazer a experiência e pode participar ficar atento no período de das Oficinas? março e agosto que é o início de cada semestre para nós. Colocamos avisos na rádio, nas paróquias, temos material próprio de divulgação e convites a ex-oficinistas.

Localmente, há algum evento, além do Dia Mensal do Guia?

As Oficinas começaram em Brusque em 1995. Temos o Encontro de Guias, uma vez por ano, com os guias desta nacional, um evento festivo. Além dele há o Encontro de Experiência de Deus, que dura cinco dias e é aberto para todos: em 2012 será na Casa Padre Dehon.

Quais as metas da Oficina de Oração e Vida para 2012?

A meta é colocar os quatro tipos de oficinas em ação, e se possível a Escola de Formação para novos guias. Hoje temos oficinas de oração e vida para adultos, jovens, crianças e curso para casais. Este ano de 2011 foi muito bom para nós, pois tivemos boas turmas e testemunhos muito fortes.

A Palavra - Novembro/2011

9


Prontos para ser O momento mais esperado para quem faz catequese é, sem dúvidas, o recebimento dos sacramentos. Afinal, são pelo menos dois anos de preparação para melhor compreendê-los e vivê-los no dia a dia. Assim é com as crianças e adolescentes que esperam pela primeira comunhão e que, no mês passado, celebraram o sacramento em suas comunidades. Da mesma forma com os jovens preparados para a Crisma, que também receberam o sacramento em outubro, e renovaram seus compromissos com a Igreja. Ao assumir a responsabilidade deste novo período da vida cristã, eles servem de exemplo aos demais que continuam na catequese, em preparação não apenas para receber sinais eficazes da graça de Deus, mas também para aprender mais sobre como pôr em prática sua fé. É por isso que o momento de receber um sacramento de iniciação cristã é tão especial, pois marca um período de transição na vida de cada um. A Eucaristia, sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo sob as espécies de pão e vinho, requer que a criança e o adolescente tenham capacidade de distinguir que o pão consagrado não é mais pão, apesar das aparências, mas realmente é o Corpo e Sangue de Cristo. E quantas questões esses pequenos católicos não devem ter a respeito de tão grande mistério? Às vezes nenhuma questão é suficientemente capaz de atrapalhar a fé e a cumplicidade com a doutrina da salvação. Mas, certamente, um trabalho dedicado dos catequistas é essencial para permitir a compreensão do mistério e mostrar caminhos para atualizá-lo no dia a dia de cada um.

Integração

O que dizer da Crisma, sacramento da confirmação que muitas vezes coincide com a fase mais desafiadora e confusa da vida: a juventude. Especialmente, por que há tantas coisas novas “lá fora” para entreter o jovem e por vezes, até mesmo, enganá-lo. Maior ainda é o desafio do catequista que precisa ser criativo e atento às necessidades de seus crismandos, para apresentar a boa-nova sem comprometer sua atualidade. Os pais, os padres, a comunidade também tem, cada um a sua função nesse período da vida cristã. Mas, sem dúvidas, os catequistas têm uma responsabilidade a mais, pois ensinar a fé e demonstrá-la na vida, em ações

10

Novembro/2011 - A Palavra


rvir

Crisma e Primeira Comunhão. Sacramentos da iniciação cristã são celebrados por mais de 600 crianças, jovens e adolescentes na Paróquia São Luís Gonzaga para olhos e ouvidos bem atentos, é algo exigente e merecedor de celebração, como as de outubro. Sobre a descoberta que a catequese proporciona, Ianne Wanka conhece bem. Catequista de 1ª Eucaristia, ela teve a alegria de colaborar com a formação de mais uma turma na comunidade Sagrado Coração de Jesus, no bairro Guarani. Desde 1994 ela está engajada na Pastoral Catequética e, neste ano, 41 crianças do segundo ano da comunhão estiveram sob sua responsabilidade, para bem viver os valores cristãos e desenvolver mais o amor pela eucaristia, fonte de vida para a Igreja. “Todo ano é especial. Desta turma, por exemplo, eu destacaria que eles souberam viver muito bem a prática da caridade, sempre apoiando as doações propostas, como as caixas de leite, e também com o próprio tempo, ao participarem das missas da catequese”, diz Ianne Wanka sobre a participação de seus ex-catequizandos e agora já católicos formados que comungam a cada missa. A coordenadora Sandra Cani atua desde 2005 na comunidade Santa Rita, atualmente forma as turmas de crisma. Como ela, cerca de 50 catequistas em toda a paróquia assumiram o desafio de formar esses jovens e puderam, juntamente com eles, comemorar mais um passo na caminhada cristã. “É gratificante ver que após encontros, retiros e reuniões, conseguimos o objetivo de formar para a vida e não apenas para o sacramento. Neste ano eu acredito que foi bem proveitosa a união em algumas iniciativas, tanto por parte da Santa Rita quanto da Cristo Rei”, diz Sandra Cani, ressaltando a importância da parceria entre a catequese das duas comunidades. No retiro que as duas comunidades organizaram houve a participação de mais de 80 jovens. A experiência será aperfeiçoada no ano que vem, quando todas as comunidades da Região 3 da paróquia esperam se unir na realização de um único retiro, para integrar melhor os jovens paroquianos. Em 2012 a vontade dos catequistas é alcançar ainda mais crianças, adolescentes e jovens. Para isso, mais que avançar em uma pedagogia para falar de Cristo, eles contam com a autoestima e o incômodo positivo que a catequese proporciona. Pois, é desta inquietude por Jesus Cristo e sua Igreja, sempre renovada pelos sinais eficazes da graça, que precisam para formar seus catequizandos. A Palavra - Novembro/2011

11


E depois da Crisma? Depois da 1ª Eucaristia, a Crisma. E depois da Crisma? Nas famílias que apóiam a vida em comunidade, com a participação constante nos sacramentos e tendo a presença de Deus nas pequenas coisas, a pergunta não é tão difícil de responder. Depois de receber o sacramento, só uma alternativa é possível: seguir em missão. É o que desejam os crismados, Heloise Buss e Arthur Bork, ambos de 15 anos de idade. Eles não vão parar a caminhada na Igreja e já se preocupam em como servir à comunidade e buscar a santificação pessoal. “Eu esperei por dois anos esse momento da crisma e agora quero um grupo para trabalhos voluntários, como os que fiz com os crismandos da minha época. Seja visitando idosos ou crianças... Contribuir com algo importante”, diz Heloise que crismou-se na presença de seus pais e de familiares que vieram de Tubarão. Para a família dela, o momento da crisma sempre foi algo especial para celebrarem juntos. “No começo eu ia por obrigação. Mas quando aprendemos sobre a vida de Jesus e fazemos o retiro, é tudo diferente, fazemos novos amigos, como o Gabriel. Gostaria que os catequistas fizessem algo como o retiro logo no início”, declara Arthur ao referir-se ao momento que mais marcou sua preparação para a Crisma. Como Heloise ele também pretende estar engajado em alguma atividade em prol de ideais mais elevados. A exemplo desses crismados, os jovens paroquianos comprometem-se a participar da vida cristã para além das missas dominicais. Mas para isso eles vão sempre precisar de uma comunidade que lhes dê apoio, que lhes mostre que não estão sozinhos e que sinais eficazes da graça de Deus também existem no encontro com o irmão. Cabe a comunidade saber aproveitar a força desta juventude, que ainda tem muito que descobrir sobre o cristianismo, aprofundando-se na figura de Jesus Cristo. E isso é possível não somente por meio de tantas atividades que precisam sempre de voluntários. Apesar de importantes, nenhuma das inúmeras iniciativas é a melhor parte, senão estar aos pés de Nosso Senhor. Depois da Crisma, importa cultivar um coração de discípulo.

12

Novembro/2011 - A Palavra


Pequenas Sementes

Advento

tempo de esperança Pe. Aléssio da Rosa, SCJ Ao longo da nossa caminhada cristã frequentemente ouvimos que o advento é um tempo de preparação para o Natal. O comércio se prepara para grandes vendas. Os bancos se preparam para fechar o ano com uma grande margem de lucros. As indústrias com um bom faturamento. E as famílias se preparam para uma bela ceia de Natal, troca de presentes, enfim, Advento é um tempo de preparação para algo bom, melhor para todos. Advento significa vinda, chegada. Vinda de quem? Advento é o tempo de celebrarmos a vinda de Jesus, do Senhor (Kyrius), do filho do Homem. Por isso, o advento é este tempo privilegiado para prepararmos esta vinda: a de Jesus. Não é uma possibilidade, é certeza: Ele virá! É tempo de esperança, de espera confiante. O Senhor está para chegar. Creio que o advento seja a grande oportunidade para nós também destruirmos os templos que erguemos dentro de nós ou ao nosso redor ao longo do ano, e que nos impossibilitam de fazermos uma experiência melhor com o Senhor vivo, presente no meio de nós. Ora, este Senhor se apresenta a nós na figura frágil de uma criança, um menino, mas que tem toda a potencialidade de uma vida inteira dentro de si. Do menino queremos chegar, à maturidade da fé, no Cristo adulto, Ressuscitado. Que possamos ter a ousadia de destruir o templo do mero consumismo, da religião do deus do consumo, do individualismo excludente e passemos à religião do Deus Vivo, presente no meio de nós e ouçamos a grande convocação que o Senhor nos faz neste Advento: “Vinde, todos da casa de Jacó, e deixemo-nos guiar pela luz do Senhor” (Is 2, 5).

(47) 3251 2222 • www.sancris.com.br A Palavra - Novembro/2011

13


Em foco

Missões para recordar

Mês missionário é parte integrante do programa “Formar para evangelizar”, do Planejamento Estratégico

Quando Nilton Carlos Pereira saiu em missão numa manhã de sábado, no bairro Cerâmica Reis, ele não imaginou que o maior beneficiado do trabalho evangelizador desenvolvido pela Paróquia São Luís Gonzaga fosse ele mesmo. Catequista e ministro da comunhão na comunidade Sagrado Coração de Jesus, Nilton Pereira participou do projeto missionário com mais 15 amigos de comunidade. Como os demais missionários, ele formou uma dupla e saiu em visita às casas, lendo a Palavra de Deus para os moradores e abençoando os lares. “Não foi tão difícil porque já tínhamos os lares cadastrados e as pessoas estavam abertas para o encontro. Visitamos lares com casais que eram de igrejas diferentes: o marido católico, a esposa evangélica e fomos bem recebidos por todos”, recorda Nilton. A experiência também foi positiva para Isolete Venturelli, da comunidade São José. Essa não foi a primeira vez que ela saiu em missão, o que lhe ajudou a ter mais desenvoltura ao falar com as famílias que visitava. “Foi importante conhecer a realidade dos católicos dessa região e poder orientar no que fosse preciso. Fiquei, juntamente com minha amiga de comunidade, 1h30 em uma casa, mais que o tempo estipulado, devido à necessidade da família que nos recebeu”, diz Isolete Venturelli que participa da Renovação Carismática Católica (RCC). O que mais chamou a atenção da carismática Isolete é a sede de Deus que os moradores da nova comunidade da

Tubos Pereira há quase 50 anos produzindo com garantia e qualidade em pavers, tubos, lajotas e demais produtos em artefatos de cimento.

14

Novembro/2011 - A Palavra

paróquia tinham e como muitos estavam abertos para partilhar a própria vida. “Conversamos com uma jovem senhora que sofria de câncer e que, ainda assim, esforçava-se para assistir missas em Azambuja, já que ainda não existe igreja na Cerâmica Reis. Nós partilhamos nossa vida de fé e crescemos espiritualmente”, diz Isolete. Os dois missionários são exemplos do que todos os demais participantes experimentaram durante o mês de outubro, uma experiência que contou com o apoio dos padres da paróquia e que foi realizada em etapas, com carinho, por meio do planejamento pastoral. Todos guardarão com alegria cada momento vivido.


Discípulos

Escola de Líderes faz balanço das atividades Iniciada em abril deste ano, a Escola de Líderes chegou a reunir mais de 100 pessoas em algumas de suas reuniões, nas regiões paroquiais onde promoveu a formação de lideranças pastorais e de movimentos da paróquia. Por meio da iniciativa, parte integrante do planejamento pastoral do ano, quatro encontros foram realizados mensalmente sempre com a participação de um sacerdote. Dentre os temas abordados na Escola, que encerra suas atividades neste mês com uma confraternização, foram discutidos: Espiritualidade das Sagradas Escrituras, Lectio Divina, Introdução à Teologia da Espiritualidade, Direção e Aconselhamento. Neste mês as reuniões acontecem sempre às 19h30 nos dias 03, 10,17 e 24, respectivamente nas seguintes comunidades: São José, Nossa Senhora de Fátima, Santa Rita e São João Batista.

Imagens expostas na Matriz Até o final deste ano a Matriz da Paróquia contará com as imagens de Nossa Senhora das Dores e de Nosso Senhor Passios expostas na igreja, com nichos. As imagens foram resgatadas graças às doações e à confecção de roupas para cada uma. “Agradeço todos os colaboradores, sobretudo o grande esforço de Dona Terezinha Merico nesse projeto. Basta os nichos, suportes, ficarem prontos para expormos as imagens e favorecer a oração na igreja”, informou o padre Ari João Erthal.

A Palavra - Novembro/2011

15


Família paroquial

Cristo Rei celebra Padroeiro Três mil pessoas são esperadas para o festejo da Comunidade Cristo Rei que, no mês de outubro, completou 36 anos de sua fundação. A festa acontecerá nos dias 18 e 19 de novembro, no bairro São Luiz, e será precedida de seis dias de missas e novenas, e contará com 125 festeiros. A ani-

mação fica por conta do sertanejo universitário e no último dia haverá carreata saindo da matriz, São Luís Gonzaga, às 18h30. A bênção de Cristo Rei será na missa dos festeiros, que começará às 19h, nos dois dias. Após as missas serão vendidos pratos típicos e roda da fortuna.

Homenagem à Senhora de Aparecida Aconteceu no dia 12 de outubro a tradicional procissão em honra a Nossa Senhora Aparecida, seguida de Santa Missa celebrada pelo pároco, Pe. Ari João Erthal e concelebrada pelo diácono Francisco Allein. A celebração aconteceu na comunidade dedicada à padroeira do Brasil no Bairro Steffen. A cerimônia começou com o singelo gesto de entrada da pequena imagem cujo amplo manto, passando por sobre toda a assembléia, trouxe momento de rara beleza e benção. A presença das crianças em grande número sentadas nos degraus do presbitério foi outro ponto alto preenchendo o ambiente com sua alegria.

16

Novembro/2011 - A Palavra


Ação Social atendeu mais de 3 mil pessoas

No mês de novembro a Ação Social Paroquial São Luís Gongaza irá encerrar os projetos realizados durante o ano como o Clube de Idosos, Clube de Mães, Enfrentamento a Pobreza e Gestantes Carentes. Os quatro projetos beneficiaram mais de 3,5 mil pessoas, distribuiram quase 300 cestas básicas, além de fornecer roupas e calçados. Para ajudar nas ações sociais os interessados devem procurar a secretaria da Ação Social ou os Clubes de Mães e Idosos para o preenchimento de um cadastro. A Ação Social foi fundada há 62 anos e mantém uma parceria com a Paróquia São Luís Gonzaga, funcionando por meio do trabalho de 120 pessoas, e é coordenada por Marlene Petruschky. O principal objetivo das ações é construir uma civilização nova, uma sociedade mais justa e fraterna, tarefa só possível de ser realizada com muito amor, doação, carinho, apoio e compreensão. A Ação Social é uma instituição sem fins lucrativos, de caráter filantrópico que tem como função promover a dignidade humana e a justiça social. “Nosso ‘ser cristão’ exige o compromisso e a participação na transformação da sociedade, por meio da evangelização, do viver fraterno, da justiça social, do ser solidário, de um gesto de carinho, de amizade, de respeito e de valorização do outro”, afirma Marlene Petruschky. Ela ressalta ainda que, por vezes, mais doída que a fome de pão é a fome de ternura que se traduz na troca de um carinho, de um sorriso, de um gesto de amizade ou de solidariedade. “Nosso ´ser cristão´ exige o compromisso na transformação de uma comunidade onde os mais sofridos sejam olhados de maneira diferente”, enfatiza.

Prestação de Contas – Setembro/2011 Saldo inicial ________________________________________________________ R$52.194,17

Saldo______________________________________________________________ 169.724,74

A Palavra - Novembro/2011

17


Pequeninos de Cristo 18

Entretenimento A Paróquia São Luís Gonzaga tem muitos artistas mirins. Neste mês vamos contemplar as artes de Sofia Seubert Luiz, 5 anos. Parabéns, Sofia! Você caprichou mesmo.

Quem serão os próximos artistas a expor seus trabalhos em nossa galeria? Pode ser você. Basta enviar seu desenho para: jornalismo@dominuscomunicacao.com

Novembro/2011 - A Palavra



Revista Brusque