Page 1

Missionário com

Santa Paulina

Publicação Institucional do Santuário Santa Paulina | Ano 3 | Edição 26 |Julho de 2011

Uma santa de muitas facetas

Editorial

Cada comunhão com o corpo de Cristo é, igualmente, comunhão com os irmãos

Grande Festa

O título Santa Madre Paulina ainda vai precisar filial e quer que seja chamado de “nosso bom pai”. de tempo para entrar na fala cotidiana. Porém, é Nos serviços ou caminhadas ao longo do dia, recita um fato que carrega consigo uma série de con- os minutos com jaculatórias, vivendo assim em consequências, especialmente para as Irmãzinhas da tínua união e profunda amizade com Deus. Imaculada Conceição. Serva da obediência - Nesta faceta ela assume Quando um Papa apresenta publicamente uma a obediência ainda que imposta e injusta: “viva e pessoa como santa, este ato canônico-teológico morra na Congregação como súdita”. E de forma provoca perguntas em todos os crentes e não cren- heróica, submete-se por 33 anos, sem jamais contes: que é? O que fez para merecer tal honra? testar ou se queixar de tal ordem: “Volontà di Dio, Madre Paulina é uma figura ‘poliédrica’, porque paradiso mio”! Assim como o Filho de Deus fez seu formada de diferentes facetas, todas elas ricas e ca- exílio no pão eucarístico, Madre Paulina encontra pazes não apenas de atrair a atenção como motivar força no afastamento de sua obra em Jesus – Euno seguimento de seus passos. caristia: “Ele está aqui comigo”. Amábile como leiga e Paulina como religiosa, ela Mulher dos doentes - Com certeza a faceta que foi sempre uma pessoa do povo, no meio do povo, mais lhe caracteriza é o cuidado e amor aos doenvivendo para o povo. Não foi letrada, nem estranha tes: É com uma doente terminal de câncer que inicia às dificuldades e situações históricas ou sociais de sua obra e mantêm durante toda a vida uma predisua gente. Conheceu a pobreza e a dureza do traba- leção pelos doentes nas famílias, nas santas casas ou lho desde a infância até sua morte. hospitais. Como fruto de um dom de Deus e de uma Boia-fria - Uma faceta que encanta: mulher motivação teológica, existe em Madre Paulina, uma que trabalha duro, de sol a sol, em terras que não solicitude e afeição tão sensível pelos doentes, que eram suas. Além disso, sabe dizer a comovem e provocam admiração. todos nós o que é ser bóia-fria, pois Para ela, “os doentes são a verdadeiMadre Paulina, partia cedo, a pé, levando consigo ra face de Deus” e contempla “Jesus e para o grupo de suas Irmãs, a po- santa de tantas facetas agonizante” em todo rosto sofrido ou lenta com verdura e quase nunca acamado de seus irmãos e irmãs. Ela carne ou ovo para o almoço. Tanto és a primeira santa faz jus ao título dado pelos vigolano passado como hoje, muitos as- desta terra, ouve o nos: “enfermeira” ou seja, ser para os sociam enxada com boia-fria. Será nosso clamor e intercede outros, sobretudo, para os enfermos que a Santa Paulina não significa por quem nutre uma paixão, que prealgo de providencial para estes por todos, que te enche todo o arco de sua vida: desde seus e nossos irmãos tão sofridos? invocam. Amém. a avozinha paterna de Vígolo Vattaro Tecelã e empreendedora - do até os cuidados pela superiora-geral fio, do tecido, da seda, da tinturaria, das confec- que a sucedeu ou Irmãzinhas doentes, nos últimos ções, que não pode interromper o trabalho para anos de vida. Não terá com isso, uma missão especial não prejudicar a produção e, com isso, o ganha- para os que gastam sua vida em favor dos enfermos? -pão para suas filhas e seus assistidos... E ao mes- E que proteção particular não estará disposta a dismo tempo oferece trabalho para mães e jovens pensar, agora do céu, como santa e enfermeira de com a criação dos bichos da seda. tantos necessitados de saúde ou portadores de cânÉ Madre Paulina quem introduz, em Nova Tren- cer, já que foi o instrumento de uma nova Congreto, a primeira fábrica de tecidos, pioneirismo que gação na Igreja do Brasil? Creio que Madre Paulina mereceu diplomas e condecorações nacionais e conserva bem claro na sua memória, os sofrimentos internacionais em tempos de poucos meios de da doente Ângela Viviani, de Vígolo em Nova Trento comunicação. e por isso nunca esquecerá os que trazem em seus Mulher de Deus - Ela nutre seus dias e noites com corpos a mesma doença. a oração, com as visitas e adoração ao Santíssimo Madre Paulina, santa de tantas facetas, que trapor horas a fio, e tem a Virgem de Lourdes como duzem necessidades prementes do povo brasileiro, mãe que a ajuda constantemente: “era toda sua”, tu que és a primeira santa desta terra, ouve o nosso sem esquecer a providência inaudita de São José clamor e intercede por todos, que te invocam como (pensai Vós por nós), a quem recorre com confiança Santa Madre Paulina. Amém.

A festa de Santa Paulina é o festejo dos humildes servidores do amor, da ternura e da compaixão. Nessa e em muitas outras facetas da santa, contemplamos a grandeza do nosso Deus, que é o amor. Repartimos com você, missionário leitor, a alegria de um sonho que foi pensado e concebido em nossos corações. A Casa das Graças hoje é uma realidade. Lá podemos perceber a presença do Senhor, pelo eco da interecessão de Santa Paulina e a fé dos peregrinos. É um espaço de contemplação, de oração e, sobretudo, de louvor. Porque Deus realiza maravilhas na vida e no coração de todo aquele que crê e adere ao seu projeto. Boas festas de Santa Paulina a todos. Abaixo, confira a programação desta grande festa:

Missionário com

Santa Paulina

10/07 – Domingo 8h - Celebração Eucarística presidida por Pe. Ernani Miguel Lacerda Wetternick 8h45 - Inauguração da Casa das Graças construída com ajuda dos missionários e peregrinos; 9h15 - Início da Procissão em frente ao Casebre onde Santa Paulina iniciou a sua obra. 10h - Celebração Solene presidida por Dom João Alves dos Santos, bispo de Paranaguá, PR. 11h30 - Queima de fogos e fanfarra ao lado do Santuário. 14h - Celebração Eucarística presidida por Pe. Ernani Miguel Lacerda Wetternick 16h - Celebração Eucarística presidida por Pe. João Schneider – reitor do Santuário.

FALE CONOSCO: Esperamos sua cartinha, dê sugestões, opine como você gostaria que fosse “O Missionário”. Se preferir, mande um e-mail para: comunic@santuariosantapaulina.org.br


Nosso cartão de Boas Vindas Roberta, Adriana, Karina, nossas recepcionistas. Sim, são elas que você encontra ao chegar no Santuário. Estas três jovens mulheres desejam boa Festa da Padroeira, neste mês tão especial, para você missionário e para nós, família do Santuário Santa Paulina. “Sinto-me muito feliz por fazer parte do Santuário Santa Paulina, bem como trabalhar diretamente com o Projeto Missionário com Santa Paulina. É um trabalho que executo com amor, criatividade e muita dedicação. Por se tratar de um Projeto de Evangelização, o trabalho que exerço se torna mais interessante, porque são inúmeros casos de graças alcançadas que ouço e que me faz acreditar que a fé das pessoas alcança horizontes. E é através dessa fé que buscamos sempre mais levar a Palavra de Deus àqueles que a necessitam. E o Projeto Missionário com Santa Paulina tem essa finalidade. Sou muito feliz por trabalhar aqui. Desejo a vocês, missionários com Santa Paulina, muita paz e que ela interceda e derrame muitas graças sobre vocês e toda sua família. Karina Capraro

“Trabalhar na recepção do Santuário me dá a oportunidade de conhecer os peregrinos que aqui visitam, precisando de bênçãos e orações. Histórias de vida e pedidos realizados e alcançados, pela intercessão de Santa Paulina, fortificam, cada vez mais, a minha devoção a esta santa, que acolheu os doentes necessitados, não só de saúde física, mais também espiritual. Aos peregrinos que planejam vir ao Santuário neste mês para participar da festa de Santa Paulina, bem como todos aqueles que virão nos próximos meses, desejo que sejam muito bem-vindos. Sintam-se acolhidos por toda a nossa equipe e por todos que aqui trabalham. Que esta vinda ao Santuário renove a sua fé e permita que você encontre a paz que necessita. Abraços fraternos.” Roberta Tell

“Eu me sinto realizada com esse trabalho, pois posso falar do amor de Deus a todas as pessoas que passam pela recepção e mostram que a graça de Deus habita aqui neste lugar, e que cada um tem sua missão. Desejo que os missionários e devotos de Santa Paulina saibam que são abençoados todos aqueles que ajudam esta obra de Deus”. Adriana Paiva

Bombeiros Mirins visitam o Santuário

Num dia de sol brilhante, recebemos a visita dos Bombeiros Mirins de Blumenau. O Cabo BM Mello, coordenador do programa, e mais dois instrutores, Mayara Luiza e Jeferson Costa, acompanharam os 49 integrantes de 10 a 14 anos de idade, na visitação. Visitar o Santuário Santa Paulina e o Santuário do Bom Socorro, no Morro da Cruz, foi um ato de gratidão e fé. Os adolescentes realizaram algumas instruções práticas de bom-

beiros, como também atendimento de primeiros socorros. Foi a primeira viagem feita pelo grupo. Eles se sentiram muito felizes aqui no Santuário. “Eu até me emociono ao falar e é difícil de explicar o sentimento que se tem ao vir até aqui no Santuário de Santa Paulina e agradecer por tanto bem que acontece nas nossas vidas” declarou Ângela de Mello, acompanhante do grupo.

Missa da Saúde no Santuário Todo dia 09 de cada MÊS 2

Julho | 2011

Com bênção e imposição de mãos Missionário com Santa Paulina


Graças alcançadas No ano de 2004, eu terminei de construir uma casa. Faltava colocar só as grades e um portão de 270 quilos. Como não tinha ninguém para me ajudar, eu o peguei sozinho e levantei. Então, eu senti um estralo na coluna e uma dor que não posso explicar. Fui ao médico e, após um exame de raio X, ele me disse que eu tinha quebrado uma vértebra e estava com hérnia de disco, que não tinha como a cirurgia mudar o quadro.O único jeito era ficar assim sem fazer esforço nenhum, nem levantar qualquer peso. A dor era imensa. Eu não podia nem caminhar. Depois ele me passou uns comprimidos para dor, mas não adiantou nada e tive que voltar ao médico. Ele me disse que eu deveria me acostumar com a dor. “A cirurgia não vai resolver, você terminará na cadeira de rodas”. Quando eu ia saindo do consultório, ele me disse: “Seu João, por favor, não deixe que nenhum médico faça essa cirurgia, porque o senhor vai ficar paralítico.” E eu respondi: doutor, existe o médico dos médicos. Ele me disse: como assim? Respondi: você estudou medicina, mas Ele é superior a tudo. Então ele disse: você é quem sabe… Em janeiro de 2005, eu vim aqui no Santuário. Rolando de dor, pedi para que Santa Paulina intercedesse por mim. Eu sabia que ela não podia me curar, mas sim interceder. Também não pedi a cura, mas que me tirasse a dor, porque era demais. Prometi que, durante todo o ano, eu iria participar da Missa aqui e rezaria um terço até que terminasse a Quaresma desse ano. A cura foi total e eu continuo a rezar… Hoje voltei a trabalhar. Continuo a participar das missas aqui, rezando e sendo missionário com Santa Paulina e muito feliz, porque os milagres continuam a acontecer na minha família. João Carlos Jendigk - Bal. Piçarras

João Carlos Jendigk e sua esposa

Por que sou missionário Há dois anos, participo do projeto Missionários com Santa Paulina. Ajudo essa obra de Evangelização, porque conheço a história de Santa Paulina e também porque já visitei o Memorial da santa, em São Paulo. Tornei-me missionária, pois quis muito ajudar o Santuário a ser construído e cuidado. Tenho muita devoção a Santa Paulina e já recebi muitas graças. Solange Silva Faria – Núcleo bandeirante – Brasília-DF Já faz dois anos que sou Missionário com Santa Paulina. Para mim, é muito importante participar deste projeto, porque conheço

a obra de Santa Paulina e de sua importância. Alirio Apolonio Cim – Nova Trento – SC Sou Missionário há dois anos. Fomos visitar o Santuário e participamos da Missa, onde foi nos feita uma proposta para participar do projeto e então preenchi o cadastro. É muito importante ser missionário, porque conhecemos a história de Santa Paulina e gostamos muito de ir até o Santuário. Fábio Grignani – Brusque – SC

Publicação Institucional do Santuário Santa Paulina - Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição-CIIC Conselho de Redação: Irmãs Anna Tomelin, Roseli Amorim, Cintia Elizabethe Gimenez, Maria Adelina da Cunha, Teresa Nascimento, Maria Vera Lúcia de Oliveira | Fotografia: Serviço de Com. e Marketing do Santuário Santa Paulina e Arquivo da CIIC | Jornalista Resp. Irmã Egnalda Rocha Pereira, CIIC - MTB3585 Diagramação e Projeto Gráfico: Filipe Candido e Patrícia Pratts Impressão: HBL | Tiragem: 6 mil | Produção: Dominus Agência de Comunicação Integrada

Missionário com Santa Paulina

Julho | 2011

3


Avenida Madre Paulina, 3850 Bairro Vígolo - Caixa Postal: 12 Cep 88270-000 Nova Trento - SC

Santuário Santa Paulina

Primavera na Praça da Glorificação

Santuário Santa Paulina

Missionários com Santa Paulina Telefone: (48) 3267-3030 E-mail: santuário@santuariosantapaulina.org.br www.santuariosantapaulina.org.br

Fechamento Autorizado. Pode ser aberto pelo ECT.

Praça da Glorificação que dá acesso à Casa das Graças Assista pela TV Século 21 • Todo sábado 19h30: “Meu desejo é a vida do meu povo”. Dia 10 09h Programa Missionários com Santa Paulina 10h Missa Festiva transmitida ao vivo para todo o Brasil, diretamente do Santuário Santa Paulina

Jornal Santuario  

Jornal santuario mes de julho