Issuu on Google+

Publicação Institucional do Santuário Santa Paulina | Ano1 | Edição 9 | Fevereiro de 2010

Formar para a missão Um grupo de 15 jovens religiosas se prepara para assumir definitivamente a missão de servir Irmãs de todo o Brasil, Moçambique e Nicarágua estão em Nova Trento-SC, participando de uma intensiva preparação aos votos perpétuos. São 45 dias de intenso encontro com a realidade pessoal, em vista da missão. Marilce B. Alves Monteiro de Cuiabá-MT, trabalha com jovens e na formação de lideranças e é uma das irmãs que está fazendo a preparação. “Meu trabalho consiste em ajudar a juventude a perceber sua vocação, seus valores e dons e despertá-los a contribuir na comunidade”, declara a religiosa. Já Ir. Sebastiana Mendonça de Sousa de Valinhos-SP vê esse tempo como uma oportunidade de retomar a vida. “Sei que tenho um potencial a oferecer, mas preciso beber na fonte, para uma doação mais qualificada. Essa oportunidade é única. Quero sair daqui uma pessoa melhor”, argumenta a religiosa que trabalha na TV Século 21. Irmã Elisabete Teixeira Custódio é assistente social e está indo em missão para Iuiu, a 850km de Salvador-BA, um dos lugares que pouca gente escolheria pra viver, devido à sua pobreza e isolamento. Lá, ela deseja acompanhar as mulheres negras, pobres, marginalizadas, alcoolistas e algumas em situação de vulnerabilidade. “Não tenho grandes pretensões, mas desejo ser uma irmã com elas, uma presença que as aju-

Aqui o grupo no pronto para uma missão de oito dias no morro Monte Serrat em Florianópolis

de a vislumbrar horizontes e que fora de casa, na colheita da caspossa ajudá-las a resgatar a sua tanha com toda a família. Marcar dignidade” argumenta. Para Bete, presença junto ao povo boliviano fazer essa parada é ressignificar a e ribeirinho, é uma forma de dar sua missão. “Não quero viver uma visibilidade ao nosso carisma. É vocação alienada. Essa ter sensibilidade para “Essa é uma oportunidade da perceber as necesqual me dou conta das oportunidade sidades e disponibiliminhas possibilidades me leva a dade para servir um e limites. Ela me leva a povo tão pobre e sofriacreditar no horizonte acreditar no do”, destaca. maior que é Jesus, é Ele horizonte maior Claritza Del Carmen que faz meu coração é da Nicaráque é Jesus, é Picado arder pelos pobres”, degua. Ela trabalha com clara apaixonada a cea- Ele que faz meu a juventude missiorense. Irmã Luciene Ne- coração arder nária na paróquia e grini trabalha em Beni, acompanha a moçada na Bolívia, na fronteira pelos pobres” na Pastoral Vocaciocom o Brasil, com a formação da nal. Vindo ao Brasil pela primeira juventude, adolescentes e ani- vez e integrando- se ao grupo, madores do campo, assim como ela se esforça para compreender na Infância e Adolescência Mis- a diversidade cultural do grupo. sionária. “O povo com o qual eu “Ser religiosa para mim neste trabalho passa até quatro meses tempo, significa ser testemunho de vida e ter um coração missionário, sem fronteiras”, finaliza. Já Fátima Feliciano de Moçambique, afirmou que se sente emocionada conhecendo as origens da Congregação. “Eu chamo isso de beber na fonte”, declara. “O encontro com as colegas de caminhada me dão uma paz interior e uma riqueza na vida cotidiana”. Para ela a

consagração religiosa significa uma entrega total a Deus, na gratuidade para servir os irmãos. “Fazendo a consagração religiosa, a gente assume a missão de discípulo do reino de Deus”, finaliza. A goiana Irmã Amélia Gomes da Silva, que trabalha na Diocese de Chapecó com aproximadamente 500 grupos de jovens, ajudando-os no elaboração do seu projeto de vida, re-encontrar o grupo depois de cinco anos significa acreditar no projeto de Deus. “Quero permanecer e dar a minha contribuição. Penso que posso atualmente ajudar a juventude a fazer o seu próprio caminho e dar significado à sua vida”, conclui. Conversando com a responsável que acompanha o grupo, Irmã Leodi Bolzan, ela afirmou que o tema deste encontro ‘da fonte para o discipulado’, tem o objetivo de ajudar as irmãs a sedimentarem sua consagração, num mundo de profundas e rápidas mudanças. “Precisamos fundamentar e alimentar a vocação para uma entrega definitiva. O sim a Deus e ao seu projeto leva a pessoa a ser feliz e a encontrar significado da doação da vida, por inteiro” explica a religiosa. O juniorato é um período de cinco anos que começa com a primeira profissão. Nestes cinco anos, a Irmãzinha cuida do processo formativo e atua na missão, nas comunidades em diversas áreas; saúde, educação, pastoral; projetos sociais, comunicação, dimensão missionária e outros. “É um tempo de alargar horizontes e dispor-se a missão onde for necessário”, conclui Irmã Leodi que é também a vicesuperiora geral da Congregação das Irmãzinhas

FALE CONOSCO: Esperamos sua cartinha, dê sugestões, opine como você gostaria que fosse “O Missionário”. Se preferir, mande um e-mail para: comunic@santuariosantapaulina.org.br


Missionário com

Jovens Apóstolas visitam o Santuário Um grupo de jovens Irmãs Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, de Curitiba (PR), visitou o Santuário Santa Paulina, logo após o Natal. Elas gostaram do lugar e disseram que desde o início do ano haviam planejado a peregrinação. “Esse lugar inspira fé e devoção, santidade e oração”, declarou Irmã Daniele Orlovski. Sobre a importância da Vida Consagrada, num mundo de múltiplas escolhas, Irmã Joice Geachini responde: “Não é diferente de Santa Paulina e Madre Clélia, nossa fundadora. É o amor mais pleno a Jesus Cristo, que irradia em gestos aos irmãos”.

Espaços Santuário Espaços do do Santuário

Santuário Nossa Senhora de Lourdes N

esta capela, também chamada Santuário Nossa Senhora de Lourdes, Santa Paulina iniciou sua missão. Ela cuidou desse lugar como se fosse parte do seu coração. Na gruta interna há uma imagem de Nossa Senhora de Lourdes, a Imaculada, que ela mandou vir da França. Fruto do seu trabalho com jovens, que depois na sua maioria, se tornaram Irmãzinhas. Essa imagem foi colocada na gruta em 11 de fevereiro de 1889, é um marco histórico. Nessa igrejinha, Santa Paulina deu catequese para as crianças, fazia adorações e animava a vida da comunidade, e a ornamentava com flores de seda. A capela foi inaugurada em 1879 e recebeu o nome de Capela de São Jorge. Em 1895, foi reconstruída pelos vigolanos e ganhou o nome de Santuário Nossa Senhora de Lourdes. Nos dias atuais é um espaço da comunidade de Vígolo, mas todos os dias goza de intensa visitação de peregrinos, orações e bênçãos.

Santa Paulina

Por que missionário Por que sousou missionário

Em 2007 um amigo nos trouxe aqui e sentimos algo especial: uma energia divina. Nosso filho Diogo teve convulsões e problemas na têmpora, e por intercessão de Santa Paulina não toma mais nenhum remédio. Nós atribuímos à Santa Paulina essa graça. Nosso relacionamento e a nossa vida como um todo melhoraram e nós crescemos como família. Desde então, sempre reservamos uma semana para virmos aqui todos os anos, recarregar as nossas energias e forças, na graça de Deus, e aqui deixamos nossos pedidos de oração e gratidão. Ser missionário com Santa Paulina para nós, significa participar do processo de evangelização e fazer a nossa Santa mais conhecida. Nossa ajuda é pequena, mas nos sentimos gratificados em poder participar deste projeto. Diogo Maria Simon e Gilvania Duarte com os filhos Diogo Júnior e Marina – Fátima do Sul-MS.

“Eu sempre quis ser missionária, mas estava desempregada. Há cerca de quatro meses aderi ao projeto. Já recebi muitas graças. Há muito tempo eu e minha família somos devotos de Santa Paulina e amamos esse lugar”. Andressa Lúpalo- engenheira de Alimentos – Londrina – PR


Missionário

com

Santa Paulina

Testemunho de fé Testemunho de fé

Eu a vi subir pacientemente e de joelhos, as escadarias do Santuário. Em seu rosto vermelho pelo calor, e seus olhos verdes rasos de lágrimas, então resolvi perguntar se estava tudo bem. Foi quando ela me respondeu: “Deus me ouviu e me atendeu. Meu filho quebrou o joelho em seis lugares em setembro de 2009, quando vínhamos para cá, numa peregrinação. Ele ficou muito depressivo e então eu pedi a Deus por ele, por intercessão de Santa Paulina. Pedi também pelo seu futuro. Hoje vim agradecer, porque ele está são e é um jovem engajado na comunidade, e serve como ministro da Eucaristia. Hoje eu estou leve, minhas lágrimas são de alegria e emoção, porque Deus ouviu a minha prece”. Carmen Lúcia Sulzinski Navegantes-SC Laura Isabele tem três anos e nasceu com problemas cardíacos. Seu coração não bombeava sangue para o pulmão e este trabalhava sozinho. Os médicos deram no máximo oito horas de vida para ela. Foram 60 dias de UTI. Um ano e meio depois, após cateterismo e cirurgia, pedi muito a Santa Paulina que cuidasse e intercedesse a Deus pela minha filha. Hoje ela está saudável, sem nenhuma seqüela e por isso eu vim agradecer. Valéria Piscini Toledo-PR

A

Estava muito doente e agora estou bem, graças a Deus e à intercessão de Santa Paulina. Anabela - Massachuster - EUA

selo

Indique alguém para também fazer parte de nossa família.

Rementente Nome:__________________________ End.:___________________________ Cep:____________________________

Nome: ________________________________ _____________________________________ _____________________________________ End: _________________________________ _____________________________________ Bairro: ________________Fone: ___________ Cidade: _____________________UF: _______ Cep: ________________CPF: _____________ Email: ________________________________

Destinatário Santuário Santa Paulina Caixa Postal 12 Nova trento - SC 88270-970

Meu amigo missionário!

coordenação geral da Congregação e a coordenação provincial da região de Santa Catarina, estiveram realizando um encontro com as Irmãs da missão do Santuário. O objetivo foi ouvir as irmãs saber seus anseios, sonhos, expectativas e desafios quanto a missão de evangelizar no Santuário Santa Paulina. O encontro foi realizado dia 11 de fevereiro/10

Publicação Institucional do Santuário Santa Paulina | Direção: Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição-CIIC Conselho de Redação: Irmã Anna Tomelin, Roseli Amorim, Irmã Egnalda Rocha Pereira-CIIC, Irmã Terezinha Maria Pamplona, Irmã Maria Vera Lúcia de Oliveira | Fotografia: Serviço de Comunicação e Marketing do Santuário Santa Paulina e Arquivo da CIIC | Jornalista Responsável Irmã Egnalda Rocha Pereira, CIIC | Diagramação Projeto Gráfico: André Kinal | Impressão: HBL | Tiragem:5 mil | Produção: Dominus Agência de Comunicação Integrada



Missionarios Com Santa Paulina