Page 1

Venda Proibida Maio de 2011 | Nº 2

A Palavra Maria paróquia são luis gonzaga

w w w. p a r o q u i a s a o l u i s g o n z a g a . c o m

nos ensina a viver o

Tempo Pascal

Paróquia

São Luis Gonzaga


EDITORIAL

Um novo caminho O Planejamento Estratégico Pastoral vem dar um novo olhar no trabalho de evangelização de nossa Paróquia. Fato que também interferiu em nossos veículos de comunicação social, pois o jornal dará espaço para a revista A Palavra. Cada página foi pensada com uma intenção especial, seja na formação, informação, promoção ou entretenimento de nossos leitores. Aqui você poderá conhecer melhor o carisma dehoniano, já que a Congregação é parte essencial

da Paróquia São Luís Gonzaga. Também terão espaços formativos que tratarão de documentos da Igreja Católica, tirarão dúvidas e apresentarão a beleza da liturgia. Além disso, este veículo apresentará as diferentes ações da Paróquia, na intenção de mostrar a riqueza de nossos dons e carismas. Esta revista conta ainda com a grata

Aqui você poderá conhecer melhor o carisma dehoniano

ajuda da futura Pastoral da Comunicação (Pascom), formada inicialmente por integrantes dos Focolares, mas que está aberta para pessoas que sentem o chamado no coração. Também teremos um espaço voltado para crianças, para que elas descubram o prazer da leitura. Descubra nestas páginas caminhos de evangelização. Participe da construção da Revista A Palavra. Envie e-mails com sugestões ou críticas para editora@dominuscomunicacao.com.

SUMÁRIO

8 13 15 15 17

Expediente

Bem-estar e saúde, são preocupações da Fitoterapia

Igreja-comunhão a partir de um Conselho Pastoral. Compreenda a função deste órgão colegiado nas paróquias Evangelização corpo a corpo, que tal praticar? Oficina ministrada pela Comunidade Shalom envolve paroquianos Contato: (47) 3351-1258 jornal@paroquiasaoluisgonzaga.com www.paroquiasaoluisgonzaga.com

Escola de Líderes conquista comunidades, formação itinerante é aprovada

Direção: Pe. Ari João Erthal,scj Viver como família exige relacionamento irmão. Retiro de integração e grupos de partilha, saiba mais!

Capa

Maria nos ensina a viver o Tempo Pascal

COLUNISTAS

Tiragem: 3 Mil Periodicidade: Mensal Impressão: Gráfica COAN

Rua Esteves Junior - Centro Fpolis - Ed. Top tower - Sala 404 Fone: (48) 3365-1613

Jornalista responsável

Ketlin da Rosa - SC02821-JP editora@dominuscomunicacao.com

Fone: (48) 9642-0910

Revisão Final

Patrícia Pratts e Fabíola Goulart jornalismo@dominuscomunicacao.com

5

Desafio: que tal um encontro com o ressuscitado? Pe. Ari João Erthal, scj

7

Coluna vocações: Dehonianos diretamente da África Pe. Osnildo Carlos Klann, scj

12

Por que Maio é Mês de Maria? Dom Eusébio Oscar Scheid

Projeto Gráfico/Diagramação: Filipe Candido e Douglas Vieira publicacao@dominuscomunicacao.com

A Palavra - Maio/2011

3


Mural ESPAÇO DO LEITOR Caro leitor, oferecemos um espaço para expor suas sugestões, ideias e críticas. Também contamos com o seu olhar atento para sugerir pautas para nossa revista. Afinal, ela é um importante veículo de comunicação de nossa Paróquia. Queremos, com isto, ouvi-lo, a fim de juntos nos unirmos para tornar os meios de comunicação social mais fraternos, igualitários e evangelizador. Contatos: editora@dominuscomunicacao.com jornal@paroquiasaoluisgonzaga.com

AGENDA DE MAIO

07

Baile da Catequese na Comunidade Sagrado Coração de Jesus, 22h, valor de R$ 30,00, com a presença da Banda Primavera (Blumenau)

10 11 12 13 e 14 14 19 21 26

Festa do Dia das Mães, promovida pela Ação Social da Paróquia, 14h, na Matriz de São Luís Café das Mães, na Comunidade Sagrado Coração de Jesus, às 15h30, valor de R$ 7,00 Escola de Líderes – Tema: 1º e 2º Passo da Lectio Divina – Região 2: N. Sra. de Fátima Festa da Comunidade Nossa Sra. Aparecida

Festa da Comunidade São José, a partir das 18h Escola de Líderes – Tema: 1º e 2º Passo da Lectio Divina – Região3: Santa Rita Tarde de Partilha para os agentes de pastorais – 14h – Região 1 e 2 – Matriz Escola de Líderes – Tema: 1º e 2º Passo da Lectio Divina – Região4: São João Batista

Errata:

A última edição do Jornal A Palavra, do mês de abril, teve dois erros na matéria sobre o Grupo de Jovens Davi, da página 6. Primeiramente, o referido grupo completa 25 anos e não 20 como informado. Segundo, o Pe. Léo, que esteve presente nos retiros iniciais e ‹batizou› o Grupo com o nome D.A.V.I., não foi o Pe. Léo Heck, atual Superior Provincial da Província Brasileira Meridional dos Sacerdotes do Coração de Jesus. Na realidade, trata-se do Pe. Léo Tarcísio Gonçalves Pereira, mais conhecido como Padre Léo, também dehoniano, mas fundador da Comunidade Bethânia, além de cantor, compositor, apresentador, pregador e escritor.

4

Maio/2011 - A Palavra

Horários de Missas Matriz de São Luís Gonzaga De segunda-feira a sábado Domingo Missa da Saúde Toda 2ª terça-feira do mês Adoração ao Santíssimo Toda quinta-feira

19h 7h, 9h, 17h, 19h 15h30 6h30 às 18h30

Com. Nossa Senhora de Fátima Sexta-feira 19h Sábado 18h Domingo 9h Dia 13 de cada mês 19h Com. Santa Rita 1ª sexta-feira do mês 19h Sábado 19h Dia 22 de cada mês 19h Com. Cristo Rei 1ª sexta-feira de cada mês 19h Domingo 8h30 Com. Nossa Senhora de Lourdes 1ª sexta-feira de cada mês 19h30 Sábado 19h30 Dia 11 de cada mês 19h30 Com. Nossa Senhora Aparecida 1ª sexta-feira de cada mês 18h Sábado 18h 1º domingo de cada mês 8h30 Dia 12 de cada mês 18h Com. Sagrado Coração de Jesus 1ª sexta-feira de cada mês 19h Sábado 19h Missa da Esperança 2ª quarta-feira de cada mês 19h Com. São João Batista Sábado 18h Com. Santo Antônio Domingo 8h30 Dia 13 de cada mês 19h 1ª quinta-feira do mês 19h Com. São José 1ª quinta-feira de cada mês 19h Sábado 17h30 Com. Santa Paulina Sábado 19h 1ª sexta-feira do mês 19h Com. São Francisco de Assis 2º e 4º domingo do mês

9h


Pe. Ari João Erthal,scj

Desafio: que tal um encontro com o Ressuscitado? Neste tempo Pascal, Deus quer nos encontrar. Eu disse: encontrar. Não apenas esbarrar em nós. É assim, esbarrando, que acontece a maioria dos relacionamentos de hoje. Estamos na rua, no supermercado, na igreja, no shopping, e esbarramos em muitas pessoas. Ao final do dia mal sabemos quem vimos. Encontro é diferente. O encontro permite eu saber o nome do outro. Se ele tem problemas, ou não. Encontrar faz com que eu saiba como o outro está. É preciso cuidado para que nossa vida não se transforme num permanente esbarrão em pessoas. Pior quando isso acontece com Deus. Vou à igreja e apenas esbarro em Deus. Não dou oportunidade de encontrar-me com ele. Despir-me diante do crucificado é ato de fé. A fé é acreditar que depois da nuvem existe o sol. Fé é acreditar que depois da curva, a estrada continua. Fé, segundo São Paulo, é ter nas mãos e contemplar com os olhos uma realidade que ainda não é presente. Isso me torna uma pessoa criativa e desinibida, diante dos desafios do dia a dia. Que neste tempo pascal, aprendamos com Maria Santíssima a nos encontrarmos com seu filho, Jesus Cristo Ressuscitado. Ela nos ensina que para encontrar o Salvador, é preciso em primeiro lugar os olhos da fé. Ela acreditou, e aconteceu no seu ventre a obra da redenção pelo filho. E deste instante, pela fé, torna-se modelo de encontro com Deus. Quantos são os que querem, procuram e necessitam de um encontro com Jesus vivo, mas faltam-lhes os óculos da fé? O tempo pascal, que vai do domingo de Páscoa até Pentecostes, é tempo de vivermos esse encontro com o Senhor. E isso se dá de vários modos. Eu encontro com o Senhor na Palavra proclamada. Na Eucarista, Pão vivo, celebrado em cada Santa Missa. Encontro com o Senhor na luz do batismo e na vigília pascal. Desafio a cada um a viver este tempo pascal de um jeito pascal. Ou seja, como ressuscitado. Olhando para Maria, modelo de mãe, aprendamos a olhar para nossas mães, e nelas, contemplar a face amorosa de Deus. Vivamos encontros verdadeiros com a mãe que ainda está viva, para não nos culparmos depois da sua morte pelo nosso descuido. Neste mês de maio, parabéns para todas as mães!

Olhar de Fé VÍDEOS EM DESTAQUE

Convite para o Encontro de Jovens Dehonianos Este vídeo promocional mostra como vai ser o Encontro Europeu de Jovens Dehonianos, que ocorrerá no contexto da JMJ. 350 jovens de todo o mundo devem participar das mais variadas e atrativas atividades. O vídeo é bem produzido e animado, com um estilo jovem e moderno. Acesse o site www.paroquiasaoluisgonzaga. com e veja esta bela produção.

Blog dos Jovens Dehonianos O blog traz notícias da juventude dehoniana que se fará presente na Jornada Mundial da Juventude, de 14 a 21 de agosto em Madri, na Espanha. Neste espaço você encontra todas as informações da JMJ, como programação e temáticas. Além disso, há várias dicas de viagem, para não ocorrer problemas na hora de partir. Também há muitos artigos sobre a Igreja, anúncios do Papa destinados aos jovens e dicas de vídeos. Acesse: jovensdehonianos.wordpress.com

Acesse nosso site

www.paroquiasaoluisgonzaga.com A Palavra - Maio/2011

5


Obras Dehonianas

55 anos sob o olhar de

Fátima

Noviciado é um dos caminhos vocacionais para os rapazes que desejam seguir o carisma dehoniano Em 2011, o Noviciado Nossa Senhora de Fátima, na cidade Jaraguá do Sul, completou 55 anos de fundação. Localizado no bairro Barra do Rio Cerro, é um verdadeiro recanto de paz onde se encontra a Gruta em honra a santa padroeira, a capela comunitária e as instalações da comunidade religiosa e dos noviços da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. A história do Noviciado é pontilhada de grandes acontecimentos que se sucederam ao longo dos anos. Centenas de noviços passaram por ele. Nem todos se tornaram sacerdotes, é verdade, mas tiveram uma formação que os marcará pelo resto da vida. No livro “Dehonianos em Jaraguá do Sul e os 50 anos de Noviciado”, o autor Pe. José Francisco Schmitt publicou as estatísticas de ordenações entre 1956 e 2006. Do total de noviços 78,30% fizeram a primeira profissão religiosa e destes, 29, 86% se ordenaram presbíteros (padres). Dos 278 padres, seis foram eleitos bispos. Mas citar o Noviciado é lembrar-se também de Pe. Aloísio Boeing, para quem foi confiada a missão inicial de buscar um imóvel e construir a casa de formação, pois na localidade era tudo mata fechada. Pe. Aloísio foi o mestre dos noviços por 24 anos, faleceu em 2006, quando o Noviciado completava 50 anos de fundação. O presbítero dehoniano dedicou de seus 92 anos de vida, 65 ao sacerdócio. Foi pregador, orientador, conselheiro e confessor de muitas gerações que passaram pelo Noviciado ou fizeram retiro no Centro Shalom, em Nereu Ramos.

6

Maio/2011 - A Palavra


Jovens a caminho do

NOSSA VOCAÇÃO

chamado de Deus Dehonianos O Seminário São José, de Rio Negrinho, promove seu primeiro Estágio Vocacional do ano. Realizado nos dias 20, 21 e 22 de maio, o encontro é aberto para estudantes que estejam no Ensino Fundamental e Médio (até a 2ª série). Para os meninos do terceirão, o evento ocorrerá em outro momento. Nestes três dias, os jovens vivem a experiência de estar no seminário, onde realizam diversas atividades, tais como: oração, reflexão, dinâmicas interativas, esporte, diversão, palestras, serviços de jardinagem e hortaliças, interação e integração do menino com os demais. Será um trabalho formativo para cada participante como pessoa, como cristão e, lógico, como vocacionado. Além disso, há uma atenção especial para com a família. “50% do caminho é o contato com os pais e o apoio dos mesmos para com os seus filhos”, explica Pe. Marcos Jonizei, scj, um dos responsáveis pelo estágio. Estes meninos também serão acompanhados após o estágio, através de email, cartas ou visitas. Para fazer um caminho vocacional: Jovens que estão no terceiro ano do Ensino Médio, ou já concluíram os estudos, poderão participar do encontro vocacional que acontecerá no Seminário São José nos dias 7, 8 e 9 de outubro. Haverá ainda outras duas oportunidades para os meninos que ainda cursam o ensino fundamental e médio. Uma nos dias 1, 2 e 3 de setembro e outra nos dias 4, 5 e 6 de novembro.

diretamente da África A diocese de Butembo-Beni é um celeiro de vocações. Penso que seja a   diocese mais rica vocacionalmente, na República Democrática do Congo. Muitas congregações religiosas têm casas    de formação aqui. O clero secular é muito numeroso. Exporta, inclusive, padres para a Itália e outros países da África. Nossa Congregação está aqui há pouco tempo. Temos uma paróquia, bem retirada do centro, e, perto dela, o nosso noviciado. Sem fazer muita propaganda vocacional, temos muitos candidatos.    Não temos seminários menores. Os candidatos desses graus de escolaridade (1º e 2º) ficam em casa e mensalmente  vêm aqui para  um dia de formação e para o acompanhamento espiritual. Chegam a percorrer mais de 14 km a pé, debaixo de chuva. Admiro muito a disposição e a força de  vontade desses jovens congoleses. Estou visitando, aos domingos, os candidatos que talvez, ano que vem, serão nossos propedêutas. Todos, muito pobres. Moram em casa de bambu e barro, sem assoalho. Cortinas fazem ��������������������������������������������������������� às������������������������������������������������������� vezes de janelas e portas. Para chegar à suas residências, é preciso ter resistência para subir e descer  morros. Em todas as casas aonde se vai, apesar da pobreza, eles fazem questão de oferecer um almoço. Um detalhe cultural: as mulheres preparam tudo, servem e depois se retiram. Elas não comem junto com as visitas.  O problema era como fazer para aguentar quatro almoços no mesmo dia. Era preciso aceitar para não magoar as pessoas. Por: Pe. Osnildo Carlos Klann, scj Mensagem completa no site: scj.org.br ou no blog: noviciadokiraghoscj.blogspot.com

A Palavra - Maio/2011

7


Bem-estar e saúde são preocupações da Fitoterapia Com oito anos de existência, voluntárias utilizam deste conhecimento para levar também a mensagem de Cristo, por meio de seus produtos

Cris Montag – Pastoral da Comunicação

Você sabe onde fica? É um lugarzinho bem escondido, no pátio da igreja São Luís Gonzaga, no mesmo prédio do auditório e exatamente do outro lado de onde está a ação social. O lugar é envolvente, sendo possível sentir o clima acolhedor logo na chegada. Todos ali são voluntários e recebem os visitan�������� tes com um sorriso no rosto. Têm um prazer especial em apresentar seus trabalhos. E, com muita serenidade, declaram seu amor ao ofício fitoterápico. Como tudo começou? Nasceu de um anseio da Irmã Jovita Rosá de ajudar as pessoas a cuidarem mais de sua saúde, de forma natural. Incentivada pelo Pe. Eli Lobato, pároco naquela época, a irmã fez um curso de Fitoterapia em Florianópolis, que posteriormente também foi ministrado na cidade de Brusque. A Paróquia disponibilizou um espaço físico, onde estão até hoje, e também a matéria-prima. A parte operária coube as irmãs que assumiram o sonho voluntariamente. Contaram apenas com a força de vontade e com o auxílio da Ação Social. Enfim, a Fitoterapia abriu oficialmente no dia 30 de março de 2003, com bênção do local, concedida pelo então pároco Pe. Silvino Hoepers. O

8

Maio/2011 - A Palavra

No dia 30 de março, a Fitoterapia comemorou oito anos de existência, e contou com uma Santa Missa de ação de graças, presidida pelo pároco, Pe. Ari João Erthal, scj. Ao final da celebração, o sacerdote chamou as voluntárias até o altar, agradeceu todo o empenho e trabalho e abençoou as plantas medicinais que foram distribuídas aos presentes. Por ocasião desta data, a Pastoral da Comunicação fez uma visita ao local “sede” da pequena empresa de Deus que se chama Fitoterapia Familiar Vida.

ambiente e todo trabalho da empresa foi consagrado a N. Sra Aparecida e a São José. E estes nunca deixaram nada faltar. Como é hoje a Fitoterapia Vida? Hoje, a Fitoterapia é muito conhecida e reconhecida. Até pessoas de outras cidades adquirem os produtos. Com a partida das Irmãs da cidade, as voluntárias continuaram o trabalho com muito ardor e fazem também cursos de aperfeiçoamento. O local é bem organização e com uma limpeza impecável. Afinal, elas possuem, inclusive, a autorização da

Vigilância Sanitária. Todos os anos é feito um levantamento das pessoas atendidas. No primeiro ano de existência, foram 900 pessoas, mas atualmente este número é superior a 2,5 mil. A Fitoterapia tem herbário próprio? Não é possível devido �������������� à������������� falta de espaço. Assim, as pessoas que gostam de cultivar ervas são orientadas a trazerem ao local, para ali serem então acondicionadas e manipuladas. A Fitoterapia possui estufa secadora própria e após a secagem são guardadas e protegidas da luz e umidade.


O que mais estas voluntárias fazem? Elas confeccionam artesanatos para serem vendidos em prol de benefícios para a Fitoterapia; as professoras do artesanato também são voluntárias. FOTOS: Cris Montag

Eu faço parte da Fitoterapia...

O grupo de voluntárias é bem heterogêneo. Da menina Milena, de 13 anos, à������������ ������������� Marlene Mosimann, de 49, que viu nascer e acompanhou a Fitoterapia. Todas demonstram aqui de que forma a fitoterapia é uma experiência do amor de Deus em suas vidas e na dos irmãos.

Quais os produtos que podemos encontrar? Há uma grande variedade, começando com cremes diversos, pomadas para assaduras e outras finalidades. Para o banho, xampus, condicionadores e sabonetes. Para a pele, um bom hidratante ou um óleo para unhas. Para a saúde, um bom suplemento alimentar em pó com cálcio e vitaminas. E todos os tipos de tintura e ervas de chá compõem a lista de produtos da fitoterapia. Informe-se!

“Sinto-me muito bem fazendo este trabalho, pois sei que estou ajudando os outros. Quase nem posso subir os degraus da igreja, mas venho sempre faça chuva ou faça sol”, Maria Iria Cervi, 71 anos, aposentada.

“Para mim, é algo tão prazeroso poder participar da fitoterapia que eu diria as pessoas: Juntem-se a nós, vale a pena!”, Alma C. Burigo, 58 anos, do lar.

Contato: 47 3350-5510 A Palavra - Maio/2011

9


Maria nos ensina a viver o Tempo Pascal

Maria é quem melhor viveu a Páscoa de Cristo. Ela nos leva a olhar para cruz, ela esta junto do povo no aguardo ao Espírito Santo, e também ela seria Assunta, a primeira a obter ao máximo em seu corpo e alma a Páscoa de seu Filho

10

Maio/2011 - A Palavra

Em muitos países do mundo a Igreja dedica o mês de maio à Virgem Maria. Em algumas ocasiões esta celebração coincide com a vivência do Tempo Pascal e de Pentecostes, quer dizer, o tempo de encontro com Cristo Ressuscitado e a espera do dom do Espírito Santo, celebrações que nos lembram também os doces vínculos que unem Maria ao mistério de Cristo e da Igreja. Se percorrer os momentos essenciais da vida de seu Filho, Maria está totalmente relacionada a Ele e em presença do Espírito de Deus. O “Alegra-te, cheia de graça!” que lhe dirigiu o anjo do Senhor no momento da Anunciação-Encarnação anuncia que Ela será a Mãe do Messias; e Ela aceita com um sim obediente e generoso o Plano de Deus. Ao pé da Cruz se manifesta universalmente a maternidade de Maria e, posteriormente, quando Jesus é colocado no sepulcro, Maria mantém viva a fé, preparando-se para acolher o anúncio gozoso da ressurreição, tal como a comunidade cristã reza no tempo pascal: “Rainha do céu, alegrate. Aleluia!” No Cenáculo de Pentecostes, o Espírito Santo cumula Maria e a comunidade reunida da plenitude de seus dons. Maria chegou a estar realmente presente no mistério de Cristo porque creu, Maria é “bendita entre todas as mulheres” porque creu no cumprimento da Palavra de Deus. Por tudo isso, o mês de maio popularmente conhecido como mês mariano, deve ser praticado em seu aspecto devocional, mas a centralidade deste tempo precisa estar na Ressurreição de Cristo.


Mães nos falam... Acho que é um desafio diário, encantador, mas também muito difícil! E, com certeza, para realizá-lo com sucesso precisamos nos abastecer com “Forças Divinas”! Na minha opinião, o grande desafio é promover a educação e o desenvolvimento de nossos filhos com base em princípios e valores ético-cristãos. Resgatar o respeito e a dignidade humana, capacitando-os para construir uma sociedade mais justa e um mundo melhor. Cultivar e viver a fé, na simplicidade, no amor, na justiça, na esperança e na defesa do direito a vida. Ensiná-los a respeitar a vida, as pessoas e suas diferenças, e nosso ecossistema, que é o berço da humanidade. Não podemos esquecer que a estrutura familiar, com boas relações, é a base de sustentação e o melhor exemplo a ser seguido por nossos filhos. Margit Mafra, representante comercial, 40 anos

Perguntamos para algumas mães como educar seu filho para a vida e também na fé, com os desafios de nosso século

Ser mãe em qualquer tempo já é um grande desafio, pois temos uma responsabilidade muito grande em educar e auxiliar este novo ser a trilhar uma vida de retidão e fé. Hoje em dia este desafio se acentua devido a vários fatores, tais como: o consumismo, a liberdade no acesso de informações, os vários meios que uma criança possa frequentar, a liberdade de expressão. Tudo poderia ser considerado normal e até em certo ponto saudável, se não fosse usado de forma exagerada. Existe uma insaciável necessidade de mais e mais em tudo o que se faz ou se possui, e devido a isto é difícil educar, impor limites e ainda mais convencê-los de que nós é que somos os pais e que sabemos o que é melhor para eles e que, portanto nos devem obediência. Devemos ser flexíveis, devemos acompanhar as mudanças, porém não podemos abandonar nossos princípios, pois sabemos que sem eles, nos tornamos também crianças ou adolescentes desinformados, indo atrás de uma nova onda. Alexandra Seubert Luiz, professora, 34 anos

Penso que ser mãe sempre foi um grande desafio, não importa o século. A única diferença é que nos séculos anteriores, ser mãe era uma coisa natural no papel da mulher esposa. A ela cabia a educação e criação dos filhos. A sua vontade e autoridade era um fato consumado. A pessoa da mãe era respeitada, ouvida e amada. Mas não que isto estivesse na consciência dos filhos, mas na responsabilidade da mãe. Ela impunha a sua vontade, incutia o respeito aos mais velhos. Concordo que hoje é diferente, mas conheço mães modernas que impõe o papel de mãe quase da mesma maneira, e tem filhos maravilhosos, educados, respeitosos e carinhosos. A falta de diálogo entre mãe e filho, por falta de tempo ou comodidade fazem com que os filhos assumam o controle de sua vida. Se as mães de hoje vivessem a espiritualidade que nossas mães nos ensinaram e passassem isto para os filhos o desafio não seria tão incerto. Temos preparação para todas as profissões, mas para a profissão de ser mãe pouco se exige. Inez L. dos Santos, aposentada, 64 anos 

A Palavra - Maio/2011

11


Por que maio é mês de

Maria

Em 29 de abril de 1965, no segundo ano do pontificado, Paulo VI promulgou a encíclica “Mês de Maio”, dedicada a Maria Santíssima. A Igreja estava vivendo o Concílio Vaticano II e o Papa se preocupava com a paz no mundo. Nessa encíclica de apenas doze parágrafos, Paulo VI pedia orações por dois motivos: o êxito do Concílio e um apelo à paz do mundo. Maria, diz o Papa Paulo VI, foi constituída administradora e dispensadora generosa dos tesouros da divina misericórdia. Nessa mesma carta incentiva-se a prática da reza do Santo Rosário, oração tão agradável à Virgem Maria. Nove anos depois, o mesmo Paulo VI promulgava a Exortação Apostólica “Marialis Cultus”: para a reta compreensão e desenvolvimento verdadeiro do culto à Bem-aventurada Virgem Maria. O mês de Maio se tornou mês de Maria, como sabemos, por causa das oferendas florais, muito comuns na Europa com a chegada da primavera, que no hemisfério norte acontece neste mês. Seguindo o conselho da Igreja, procuremos imitar a Virgem Maria não apenas por atos de piedade, que são muito edificantes, mas sobretudo por atitudes. Buscamos em Maria um modelo a ser imitado: modelo de mulher, sempre consciente de seu papel de cidadã; modelo de esposa, que partilhou com São José as tarefas quotidianas; modelo de mãe que não apenas se dedica à educação de Jesus, mas o prepara para assumir seu ministério. Finalmente, o Concílio Vaticano II, na Constituição Dogmática «Lumen Gentium» lhe confere o título de «Mãe de Deus e Mãe dos Homens». E por isso, o culto à Santíssima Virgem Maria deve ser equilibrado e digno. A verdadeira devoção deve proceder da fé verdadeira que nos leva a contemplar a Virgem Mãe de Deus para lhe dedicar o nosso amor e nossa filial devoção em decorrência do mistério de Cristo. Na exortação apostólica pós sinodal «Evangelii Nuntiandi», Maria é assim invocada: «Que seja Maria a estrela da evangelização. Que a Igreja, obediente ao mandato do Senhor, promova e realize, sobretudo nestes tempos difíceis, cheios de esperanças, essa grandiosa obra da Evangelização! D. Eusébio Oscar Scheid Arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro

12

Maio/2011 - A Palavra


Igreja-comunhão

Pequenas Sementes

a partir de um Conselho Pastoral

Este órgão é um lugar de encontro e de convergência, de diálogo e de irradiação pastoral Pensar em administração paroquial é lembrar fatalmente dos conselhos de pastoral, órgãos representativos de toda vida eclesial de uma igreja. São espaços de comunhão em que se atualizam constantemente as variadas formas do fazer pastoral e evangelizador. Os conselhos colocam em prática o modelo de Igreja do Novo Testamento e do Concilio do Vaticano II: uma Igreja ministerial, participativa, missionária, transformadora, ecumênica, celebrativa e servidora. Não são espaços de poder, e só tem sentido com a presença ativa dos leigos no seio da comunidade cristã. Esta deve ser consciente e responsável na partilha da co-responsabilidade, construindo, na pessoa do pároco, a unidade que se alimenta da diversidade de todos os membros.

Mas o que faz o CPP?

Ele tem a missão de garantir a vida de comunhão na paróquia. Por isso, é responsável pela organização e articulação das pastorais, e pela espiritualidade e formação dos fiéis. Ao CPP cabe refletir, planejar, decidir, animar e revisar toda a ação pastoral da paróquia.

Quem pode fazer parte de um CPP?

São membros do CPP: o pároco, os vigários paroquiais, os diáconos, o coordenador paroquial de cada pastoral, o coordenador paroquial de cada movimento, o coordenador paroquial de cada ministério, o articulador paroquial dos Grupos Bíblicos em Família, o coordenador e o administrador econômico de cada CPC (Conselho de Pastoral da Comunidade). Esta ampla participação das lideranças garante a presença de todas as forças vivas na animação pastoral da Paróquia.

Questões práticas:

- O presidente sempre será o pároco; - Os mandatos tem duração de dois anos; - É um órgão consultivo; - Suas reuniões devem ser mensais, ou no mínimo, bimestrais; - Deve ter ata para cada encontro; - A nomeação dos membros é feita pelo bispo, por meio de uma provisão; - O CPP é obrigatório em todas as paróquias; - A cada dois meses ocorrem as reuniões comarcais de pastoral;

Como é a estrutura de nossa Paróquia: Assembleia Paroquial Conselho de Pastoral Paroquial (CPP) Conselho de Pastoral das Comunidades (CPC) Pastorais

Movimentos

Grupos

Ministérios

Setores

A Palavra - Maio/2011

13


Em foco

Nosso caminho até a

Ressurreição

14

Maio/2011 - A Palavra

Celebrar a Semana Santa é celebrar a vida, a vitória para sempre. Por isso, aqui apresentamos como nosso povo abraçou este tempo Créditos: Pascom


Escola de Líderes conquista comunidades

Formação itinerante, com tema espiritual e palestrantes empolgantes, marcam a primeira etapa do projeto “Lectio Divina e Espiritualidade” é o tema central do primeiro ano da Escola de Líderes da Paróquia São Luís Gonzaga. Com periodicidade, didáticas e temáticas diferentes, este projeto pretende ser um referencial formativo para os agentes de pastorais. Até agora foram realizados cinco encontros em comunidades diferentes, que atraíram muitas pessoas. “Desde o tema escolhido, a periodicidade, a divisão por setor, tudo isso causou um efeito positivo nas comunidades, a mudança foi excelente”, enfatiza a coordenadora da escola, Sandra Regina Cani. A Escola de Líderes é itinerante, ou seja, cada semana uma região pastoral da Paróquia recebe a formação, sempre com o mesmo tema. O conteúdo muda quando conclui-se a visita as

quatro regiões. Assim para acompanhar toda formação o participante precisa estar presente em apenas um dos encontros por mês. «De início pensei duas vezes antes de vir. Não imaginei que seria tão bom. Foi maravilhoso. O Pe. Rubens é um anjo descido do céu para curar através de sua vida e a palavra de Deus», declarou a participante J��������������� ú�������������� lia da Comunidade Santa Paulina, que se encontra na Região Pastoral 2 – São Marcos. Mário Schlindwein da Comunidade Sagrado Coração de Jesus aprovou o palestrante, e apoia a mudança da Escola de Líderes em regiões, “o Pe. Rubens foi muito feliz em suas colocações e nós tivemos um ótimo aproveitamento. Parabéns às pessoas que trouxeram a Escola de Líderes até nós».

Atenção aos próximos encontros: Tema: Primeiro e segundo Passo - Lectio (leitura) e Meditatio (meditação) 12/05 | 19h30 | Região 2 – N. Sra. de Fátima 19/05 | 19h30 | Região 3 – Santa Rita 26/05 | 19h30 | Região 4 – São João Batista Tema: Terceiro e Quarto Passo - Oratio (oração) e Comtemplatio (contemplação) - orientações para fazer a Lectio Divina 02/06 | 19h30 | Região 1 - Matriz

Discípulos

Evangelização corpo a corpo, que tal praticar? “Foi um encontro muito diferente, uma experiência nova que exige coragem e luz do Espírito Santo”, ressaltou a professora aposentada Anselma, que com seus 77 anos foi chamada a participar da Oficina de Evangelização corpo a corpo. Promovida pela Paróquia e aberta aos agentes de pastoral, este treinamento foi conduzido pela Comunidade Católica Shalom, no dia 13 de abril. Cerca de 30 pessoas se reuniram na Comunidade de São José para participar desta prática diferente. Ela pretende orientar sobre a abordagem dos agentes de pastoral frente àqueles que precisam ouvir sobre Deus. “A evangelização é importante não só para quem recebe, mas para quem evangeliza, pois nos faz crescer espiritualmente”, destacou Tania Regina Schlindwein, 46 anos. Para Comunidade Shalom, o mais importante neste tipo de evangelização é que as pessoas tenham tido uma verdadeira experiência do amor de Deus, “pois para sermos verdadeiros evangelizadores basta falar da própria experiência de Deus na sua vida”. Esta é a primeira edição da Oficina na Paróquia, que para o gerente Edemar Luiz Aléssio, 50 anos, tornou-se uma oportunidade única, afinal “evangelizar é abrir portas que muitas vezes estão fechadas e precisam de ajuda para dar passagem a quem está longe de Deus.”

Próximo encontro: 29 de junho, 19h30, Região 2 – N. Sra. de Fátima A Palavra - Maio/2011

15


Família paroquial

Um encontro para namorados de fé Namorar é o primeiro passo de uma relação longa, que pretende ser duradoura. Namorar é importante, pois é a base que constrói as fundações de nossa vivência amorosa para o resto da vida. Para ajudar neste tempo de conhecimento do outro, o Grupo São Pedro promove o 13º Encontro de Namorados, no dia 15 de maio, no salão da Igreja Nossa Senhora de Fátima, no bairro Jardim Maluche. O Grupo de Namorados São Pedro é uma ramificação da Pastoral Familiar. Tem como proposta despertar o relacionamento cristão e fortalecer a fé. Após o encontro, eles seguem com reuniões periódicas, onde realizam dinâmicas de grupo, partilha entre os casais e momentos de espiritualidade. Estes encontros pretendem fazer florescer no casal o respeito mútuo, pois os namorados precisam do amor puro um do outro. Precisam, acima de tudo, ser grandes amigos, com tudo aquilo que a amizade comporta. Um namoro santo tem como base os ensinamentos de Deus sobre a relação homem-mulher. Consiste, enfim, respeitar o tempo de cada coisa.

Inscrições: Até o dia 13 de maio Secretaria paroquial: (47) 3351-1258 Coordenadores do Grupo Valdir ou Sônia: (47) 9983-1380

A Comunidade de Santa Rita celebra a memória de sua padroeira no mês de maio. Exemplo de mulher, a freira agostiniana concede ainda seu nome ao bairro, e olha por todo este povo. Para agradecer sua constante intercessão, a Igreja local promove uma novena de 13 a 20 de maio, com encontros de oração temáticos, conduzidos por outras comunidades irmãs da Paróquia São Luís Gonzaga. A festa popular ocorre nos dias 20 e 21 de maio, após a Missa, onde os participantes podem desfrutar de gastronomia variada com churrasco, polenta com galinha, lanches diversos, entre outros. Além disso, música ao vivo e roda da fortuna devem animar o ambiente. Ainda no dia 21 de maio, sábado, a Santa Missa das 18h será em ação de graças por todos os festeiros.

16

Maio/2011 - A Palavra

Programação da novena em maio: Missa às 19h

Em oração, comunidades se unem em honra à Santa Rita Dia 13 Intenção: pelos idosos Participação: Noveneiros das comunidades: Sto. Antônio, São João Batista e Santa Catarina de Alexandria. Tema: Santa Rita, alegria dos pais na velhice Dia 14 Intenção: pelos casais Participação: Noveneir os da Comunidade Santa Rita Tema: Santa Rita,amante da oração Dia 15 Intenção: pelas famílias Participação: Noveneiros da Comunidade Cristo Rei Tema: Santa Rita, fiel ao esposo Dia 16 Intenção: pelas vocações Participação: Noveneiros da Comunidade Nossa Senhora de Loudes Tema: Santa Rita, amante da vida religiosa

Dia 17 Intenção: pelas crianças e jovens Participação: Noveneiros da Comunidade Sagrado Coração de Jesus Tema: Santa Rita, um coração de mãe para seus filhos Dia 18 Intenção: pelos doentes Participação: Noveneiros da Comunidade Nossa Senhora de Fátima Tema: Santa Rita, irmã do sofredor Dia 19 Intenção: pelas comunidades Participação: Noveneiros da Comunidade Nossa Senhora Aparecida Tema: Santa Rita, amante do crucificado   Dia 20 Intenção: pelos viúvos e viúvas Participação: Noveneiros da Comunidade São Luís Gonzaga Tema: Santa Rita, padroeira das causas impossíveis


Viver como família exige relacionamento irmão

As dimensões do

Paróquia dá oportunidades de vivência fraterna para todas as pessoas que desejam criar um relacionamento de amor ao próximo

Ser dizimista não é apenas uma questão financeira, é participar verdadeiramente da construção do Reino de Deus

Nos próximos meses, dois eventos marcam de forma profunda a Paróquia São Luís Gonzaga: a Tarde de Partilha e o Retiro de Integração Pastoral. Ambos pretender fomentar o espírito de família nos agentes de pastorais e nas comunidades. Como nas primeiras comunidades cristãs, em que tudo se partilhava, estes projetos – parte do planejamento estratégico – devem ajudar na integração paroquial. Estes momentos devem ajudar no relacionamento de irmãos que os agentes precisam ter mutuamente. Tarde de Partilha Para além do bate-papo amigo, este dia vai envolver as mais diferentes experiências pastorais e de vida. É uma verdadeira troca de dons e carismas, feita frente a frente, no diálogo aberto entre os diferentes participantes da vida paroquial. Será feita no dia 21 de maio, a partir das 14h, na Região 1 e 2 da Matriz. Retiro de Integração Paroquial Outra oportunidade de estabelecer laços de fraternidade entre os agentes de pastoral será realizado em 5 de junho, na Matriz de São Luís. Durante todo dia os participantes serão convidados a partilhar de momentos de oração e formação. Para inscrições e detalhes, procure a secretaria paroquial.

dízimo

Todo o dízimo que devolvemos à Igreja tem destino certo. Biblicamente, ele compreende três dimensões: a religiosa, a social e a missionária. Dimensão religiosa: “O zelo por tua casa me consome” (Jô 2,17) O dízimo deve ser um auxílio na caminhada de fé e, o lugar onde vivemos esta fé, deverá ser bem cuidado para que todos possam usufruí-lo com conforto e dignidade. O Templo, lugar de encontro com Deus e com os irmãos para a oração, deve ser um lugar adequado ao louvor e à adoração. Tudo isto tem um custo: sonorização, velas, livros, hóstias, folhetos de cânticos, enfim tudo o que usamos dentro do templo é custeado pelo dízimo. Nesta dimensão, também entram os cuidados com os padres, que merecem todo o carinho da comunidade onde prestam seus trabalhos, aplicando seus conhecimentos e seus serviços. Dimensão social: “[...] tive fome e me destes de comer [...]” (Mt 25,35) Jesus configura-se no pobre e não há melhor forma de encontrá-lo senão procurando-o no rosto dos pobres e dos necessitados. Nesta dimensão, compreendemos e praticamos o pedido de Jesus. A Igreja deve responsabilizar-se pelos carentes e não se pode dormir em paz sabendo-se que nossos irmãos passam pela dor da fome, do frio e das carências primárias. Sua contribuição soma-se a outras tantas e multiplica-se no auxílio a quem merece nosso total carinho. Dimensão missionária: “[...] pregai o evangelho a todos [...]” (Mc 16,15) O dízimo deve levar toda a comunidade a ser sinal de salvação. Todos nós, batizados, somos missionários, como diz o Concílio Vaticano II. O dízimo vai sustentar as igrejas mais pobres, que não têm condições de se manter. Sustentar a missão, como tarefa primeira da Igreja, é compromisso que devemos assumir como mandado do Senhor: “Ide por todo o mundo e anunciai o Evangelho”. Artigo escrito pelo padre José Mello, Ecônomo da Arquidiocese de Maringá

A Palavra - Maio/2011

17


18

Jesus morreu na cruz por todos nós, mas ressuscitou para nos mostrar que Ele acredita na humanidade. Cristo nos ama incondicionalmente e, por isso, mora em nossos corações. Na Terra ou no Céu, o Senhor nos chama a caminhar junto com Ele. Vamos colorir Jesus com todo nosso amor e gratidão? Com certeza, Deus ficará orgulhoso de ver mais esta expressão de carinho por Ele.

Desenho extraído do site http://blog.cancaonova.com/cantinho/

Seção: Palavras-chave? Seção: Vamos colorir?

Entretenimento

Maio é mês das mães, mês das noivas e também de Nossa Senhora. Encontre as palavras a seguir que definem todo este período mariano que vivemos a cada ano.

MÃE | MAIO | DIVINA | VIRGEM | SANTA | DEVOÇÃO | INTERCESSÃO | MULHER | NOIVA MATRIMÔNIO | SACRAMENTO | ADORAÇÃO | APARIÇÃO | IMACULADA | VOCAÇÃO

Maio/2011 - A Palavra


Retiro de

Integração Pastoral Auditório da Paróquia São Luís

Uma verdadeira família, vivendo em fraterna comunhão

5 de junho

Revista a Palavra 2º Edição  

Revista da Paroquia Sao Luiz Gonzaga Brusque

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you