Page 1

Informativo Mensal da Paróquia São Cristóvão | Ano 3 | Nº 43 | AGOSTO de 2011

Cordeiros... e seu Padroeiro São Cristóvão

O Diaconato Permanente na Igreja Página 5

Depoimentos sobre a Festa de São Cristóvão Página 7 Festa de São Cristóvão e do Motorista Página 8

Meninos cantores visitam Paróquia São Cristóvão Página 12


2 • Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011

Proclamas de Casamentos

:: Editorial

• AGOSTO/2011 •

O Nubente: Luciano Santana, solteiro, filho de João Manoel Santana e Dorcelia de Borba Santana, residente na rua César Augusto Dalçóquio, 1735 no bairro Salseiros, em Itajaí-SC, com 24 anos; A Nubente: Sibele Zanca, solteira, filha de Valdecir José Zanca e de Roseli Pereira Alves Zanca, residente na Rua Margarida Dalçoquio Bittencourt, 305 no bairro Salseiros, em Itajaí-SC, com 19 anos; Casam-se em agosto/2011

AGRADECEM A INTERCESSÃO DE SÃO CRISTÓVÃO São Cristóvão não se manifesta somente patrono dos motoristas e de nossa comunidade paroquial. Há os que o invocam para curas. Foi o que se deu numa família de Blumenau. A mãe de Jean Carlo, vendo a perna de seu filho que não melhorava e na iminência de ter que amputá-la, invocou São Cristóvão e foi atendida. Não precisou amputar a perna. Não guardou para si o milagre, e esteve em nossa Igreja neste dia 24 para agradecer. Na celebração da missa do dia 24, às 8h, ela e o filho participaram da missa e ofertaram aos pés da imagem do santo, uma perna feita com massa de pão. O Padre celebrante aludiu ao fato durante a celebração, abençoando a mãe e o filho agraciado. Ao final da celebração convidou os presentes a levar um pedaço da perna de pão para suas casas. Obrigado, São Cristóvão.

Pe. Nelson Tachini scj – Pároco

Caro amigo e paroquiano leitor. Iniciamos novo mês e já nos assustamos com a rapidez do tempo, por estar na iminência do final do ano. Percebendo que a rapidez do tempo é sinal de que estamos a caminho e sabemos aonde chegar. Os sábios da antiguidade falavam deste dado existencial. “Para quem não sabe que porto almeja não há ventos propícios”. (Sêneca) Na sociedade, nas empresas traçam-se metas, objetivos. A comunidade cristã não pode fugir à regra. A Igreja católica do Brasil, desde o Concílio Vaticano II – 1965 – tem delineado metas, objetivando tornar sua ação sempre mais eficaz e prestado-

ra da salvação à humanidade. Nesta continuidade, Assembleia Geral dos Bispos do Brasil aprovou em 9 de maio de 2011 as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora que vão nortear as ações da Igreja católica no período de 2011 a 2015. Ante a proposta da Igreja do Brasil nossa Paróquia deve se adequar a essas diretrizes, juntamente com as Diretrizes da Arquidiocese e aos poucos vislumbrar as ações concretas de sua atuação pastoral. Isto se faz necessário também a partir da mudança de padres, lideranças tendo em vista que os mesmos alimentam desejos, vontade profunda de promover a evangelização e ações concretas

EXPEDIENTE

causadoras de mais vida e “vida em abundância”. Cabe assim a cada qual se perguntar: no meu pensar e agir pastoral tais indicações são claras? Quais ações que merecem uma revisão? Que ações são necessárias para que a missão sempre desejada por Deus, continuada por Jesus Cristo e confiada à Igreja e a cada qual receba maior contribuição? Muitos seriam os questionamentos que poderiam ser acrescentados. Para evitar que nossas ações sejam realizadas sem rumo a Igreja do Brasil nos apresenta um Objetivo: “Evangelizar, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária e profética, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (cf Jo,10), rumo ao Reino definitivo”. Não pensemos que o que fazemos seja o melhor... pode merecer maior atualização. O Senhor da messe espera nossa colaboração, disponibilidade, generosidade e confiança.

Paróquia São Cristóvão: Rua Odílio Garcia, 445 - Cordeiros Itajaí / Fone: 47 3341.1408

O Jornal Paróquia São Cristóvão é uma publicação mensal feita pela Letras Editora para a Paróquia São Cristóvão. Endereço: Rua Anita Garibaldi, 87 - Centro - Itajaí - SC / Fone/Fax: (47) 3348.3040 Contato Comercial: Sônia Bittencourt / Fone: (47) 8405.9681 Colaboradores: Dom Murilo S. R. Krieger, Márcio Antônio Reiser, Diácono Vital Feller, Pe. Silvano João da Costa, Agnes Maria, Paulo Cardoso, Vili Maschio, Roberto Martins (RCC) e Nahor Lopes de Souza Júnior. Organização: Pe. Nelson Tachini - Pároco | Rita de Cássia dos Santos Silva Diretor: Carlos Bittencourt Diagramação: Solange Maria Pereira Alves

ANUNCIE NO JORNAL DA PARÓQUIA SÃO CRISTÓVÃO. (47)

8405.9681


Santa Beatriz da Silva Fundadora das Concepcionistas

Da nobreza da vila ensolarada de Campo Maior no despertar da primavera de 1437, nasceu Beatriz, a oitava filha, de um total de doze, do nobre e distinto casal, Dom Rui Gomes da Silva, alcaide da vila, e Dona Izabel de Menezes; eram parentes da Família Real Portuguesa. A família dos Menezes da Silva era respeitada e admirada por toda a vila. Dona Izabel era carinhosa e extremamente dedicada à formação moral e religiosa dos filhos. Todos os doze foram educados pelos franciscanos, eram zelosos na oração e prontos para toda e qualquer obra de caridade. O amor pela Virgem Imaculada também foi incutido no coração da nobre família pelos franciscanos. O que mais chamava atenção de todos era a beleza e a altivez dos filhos do alcaide Dom Rui, em especial a da jovem Beatriz. Tudo corria na maior tranquilidade na Vila de Campo Maior, até o dia em que Beatriz foi convidada pela Rainha Izabel, filha de Dom Duarte, Rei de Portugal, e esposa, em segundas núpcias de Dom João II de Castelha, para ser sua dama de companhia. Com a Rainha, Beatriz foi primeiro para Lisboa e depois para Tordesilhas. A jovem Beatriz, bela dama da companhia da Rainha, era toda dedicada e carinhosa para com Dona Izabel, apesar do temperamento difícil da nobre Rainha. Na Corte de Castelha, a beleza e o encanto de Beatriz era o que mais se comentava, chegava-se a dizer que, em tudo, a dama se sobressaia à Rainha. Dona Isabel, por um certo tempo apreciou os comentários e elogios, que eram unânimes na Corte. Afinal, a bela e jovem dama era também sua parenta. Muitos jovens da Nobreza demonstravam afeição e simpatia pela bela Beatriz, que por várias vezes foi pedida em casamento e sempre e gentilmente recusou os pedidos. Quase sempre o ciúme e a inveja destroem a beleza de muitos relacionamentos e até mesmo grandes amizades. E foi também por um ciúme doentio de Dom Duarte II, que a Rainha começou uma terrível perseguição contra sua bela dama de companhia. Tomada pelo ódio, Dona Izabel, trancou a jovem Beatriz em um baú, amarrada e amordaçada, para que lá morresse asfixiada. Beatriz, vendo-se em perigo de morte, colocou-se inteiramente nas mãos de Deus e a ele confiou sua vida. Foi, porém, naquele baú que a jovem Beatriz conheceu os planos de Deus a seu respeito. Durante três dias Beatriz esteve trancada no baú e, no final do terceiro dia, apareceu-lhe a Virgem Maria com o menino Jesus nos braços. A Santíssima Virgem estava vestida com um vestido branco e um manto azul da cor do céu. Nossa Senhora manifestou o santo desejo de que Beatriz fundasse uma Ordem destinada a defender, honrar e promover a devoção à sua Imaculada Conceição. O desaparecimento de Beatriz causou preocupações a todos e principalmente àqueles que conheciam o ciúme doentio da Rainha. Pressionada, a Rainha levou seus parentes ao sítio onde estava o baú com Beatriz, e achando encontrá-la morta, que divina

surpresa! A jovem Beatriz levanta-se com toda a sua beleza e sem as amarras causando à Rainha e a todos espanto e alegria. Dona Izabel, completamente desnorteada, dá permissão à jovem Beatriz para ir embora. A jovem segue em direção a Toledo. No caminho para Toledo, Beatriz encontra dois religiosos franciscanos, um falava português, saudando-a em sua língua materna. Conversavam pelo caminho, falaram da fundação da Ordem da Imaculada Conceição, os conselhos e as exortações dos frades pareciam celestiais. Os frades desapareceram da mesma forma que apareceram, sem serem percebidos pela comitiva de Beatriz. A jovem Beatriz teve a grata certeza de que os frades eram São Francisco de Assis e Santo Antônio de Pádua. Foi no Convento das Irmãs Dominicanas de Toledo que Beatriz encerrou-se por 30 longos anos. Foi lá que Beatriz decidiu cobrir seu belo rosto, descobrindo-o em raras ocasiões. Beatriz decidiu cobrir seu rosto por entender que sua beleza foi a causa de tantos desgostos. Sua vida no convento foi marcada pelo silêncio e pela piedade. A obediência era seu lema principal, a penitência e o sacrifício faziam parte do seu cotidiano. Beatriz estava preparada para a missão a ela confiada durante os três dias no baú. Mais uma vez apareceu-lhe a Mãe de Deus e, mostrandolhe suas vestes, para que servisse de modelo para o hábito de sua futura Ordem. A Rainha Isabel, a Católica, deu a Beatriz o Palácio de Galiana e a igreja de Santa Fé, ao lado do Palácio. Foi lá que Beatriz, com mais doze jovens, iniciaram a Ordem da Imaculada Conceição em regime de clausura e pobreza evangélica. Beatriz torna-se a abadessa do Convento. A bula de aprovação da Ordem foi concebida por Inocêncio VIII e foi datada de 30 de abril de 1486. Seis anos se passaram até o dia da profissão solene da Irmã Beatriz e das doze companheiras. Dez dias antes, a Santíssima Virgem apareceu à Irmã Beatriz dizendo que o Senhor viria buscá-la no dia marcado para a profissão solene e nascimento oficial da Ordem. Beatriz em tudo dá graças a Deus, mesmo sem entender seus desígnios. No dia marcado, Beatriz recebe o hábito, confeccionado por um franciscano, professa com ele e entrega sua vida a Deus, já como concepcionista. Conforme sabemos Irmã Beatriz, desde que saiu da Corte, cobriu seu rosto com um véu de renda branca. Na hora de sua morte e para receber o Sacramento da Unção dos enfermos, levantaram o véu e atônitos contemplaram uma luminosidade nunca vista. De seu rosto saiam raios luminosos e uma estrela, também luminosa, fixou-se em sua testa. Beatriz foi sem dúvida uma luz para o mundo e um sinal de amor à Virgem Imaculada. Era o dia 9 de Agosto de 1492. Foi declarada Santa pelo Papa Paulo VI em 1976. Que seu exemplo sempre nos edifique, Marcio Antonio Reiser O.F.S Santa Beatriz da Silva. marcioantonioreiser@gmail.com Amém e Paz e http://marcioreiser.blospot.com Bem!

Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011 • 3

Liturgia da Palavra: um ato de amor, humildade e fé! Baseado no Catecismo da Igreja Católica, liturgia vem a ser um trabalho público que parte do povo, para seu próprio povo. Através da liturgia, toda comunidade tem acesso à palavra Deus. Desta forma, devemos estar plenamente cientes das responsabilidades que possuímos ao realizarmos a leitura. Participar de um grupo litúrgico, assim como de qualquer serviço de nossa igreja, não nos torna mais importantes aos olhos de Deus. Assim, devemos realizar este trabalho com muita fé, mas repletos de humildade, passividade, e amor. Temos que estar devidamente preparados para proclamarmos a palavra de Deus. E esta preparação perpassa pela nossa consciência, nossas atitudes, nossa postura e preparo, enfim, pela seriedade que tratamos o ato litúrgico. Pois é através dele, que ajudamos a manter os cristãos fiéis, e agregamos novos irmãos a Igreja. Dentro do grupo litúrgico, além de contarmos com a força das pastorais e movimentos, devemos acolher com muito amor e paciência todas as pessoas que desejam participar do mesmo. Pois o grupo não deve ser composto sempre pelas mesmas pessoas e suas ideias. Sendo assim, sempre que possível devemos nos autoavaliar, aceitarmos as críticas construtivas e estarmos em constante transformação. Pois a estagnação não auxilia de forma alguma o trabalho litúrgico. Se você, amado filho de Deus, sente vontade de fazer parte do grupo litúrgico de nossa comunidade, esteja desde já mais que convidado. Não ignore este chamado de Deus em sua vida! Não permita que a comodidade e o receio ao novo, impeça este contato mais íntimo e maravilhoso com Deus! Maria Carolina P. de Andrade Francisco


4 • Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011

EQUIPES DE CANTO DA PARÓQUIA SÃO CRISTÓVÃO Na Paróquia São Cristóvão tem 13 equipes litúrgicas e a partir deste mês, vamos conhecê-las.

Imaculada Conceição A Igreja Imaculada Conceição não tinha equipe de canto Litúrgico. Em 1996, tive a idéia de formar uma equipe. Então, com a cara e a coragem convidei três pessoas muito especiais que estavam sempre prontas. Demos início aos ensaios todas terças feiras às 19h em minha casa. Com o passar do tempo, a equipe de canto foi crescendo e formamos uma família de onze componentes, com instrumentos que são chocalho, tambor e violão. A equipe de cântico litúrgico está sempre de acordo

com as orientações do Padre e da Igreja para que possamos melhorar dentro das normas litúrgicas e isso está dando certo até hoje. Quero deixar um abraço e uma mensagem a todos os membros do ministério de canto de nossa Paróquia. “Não desanimem nunca mesmo que os ventos soprem ao contrário.” Diomira C. Brogni Coordenadora da Equipe de Cântico

Ministério de Música Sintonia da fé

Nascido com a força do Espírito Santo dentro do grupo Imaculada Conceição no dia 13-10-2007. Tem como coordenador: IRINEU FERREIRA; participantes: DÉBORA CAROLINE FERREIRA, MÁRIO MACIEL, AMANDA MACIEL e LEANDRO BATISTA. Vivemos para servir o Senhor e a Igreja sendo sintonia da graça e do amor de Deus. Ministério de música é um instrumento da igreja. A música é um ministério capaz de realizar a união entre o sonho e a realidade, a razão e a emoção, é capaz de tocar as áreas mais profundas do coração do homem e resgatá-lo para mais próximo de Deus. Deus, pela intercessão de Maria Santíssima, mande seu Espírito Santo a todos os ministérios de música dando-lhe sabedoria para conduzir seu ministério com responsabilidade. Amém!

Equipe de canto da Capela Santo Antônio A equipe de canto da Capela Santo Antônio iniciou-se em 1993. Durante os anos seguintes passaram muitas pessoas pelo grupo. Hoje conta com 15 integrantes. Nesses anos, todos foram agraciados com a participação em várias missas, para o louvor e agradecimento ao Senhor.

Brinquedos • Flores • Doces • Enfeites •

• Confecções • Bijouteria • Papelaria • Utilidades Domésticas

Horário de funcionamento: de 2ª à Sáb. das 8 às 12 horas e das 13h30min às 19h30min Rua Gustavo Bernedet, 960 | Cordeiros | Itajaí


O Diaconato Permanente na Igreja No dia 10 de agosto se comemora o dia do diácono, por isso gostaríamos de fazer uma breve apresentação do que é ser diácono. “Escolheram Estevão, homem de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timon, Pármenas, Nicolau e Estevão. Apresentaram-nos aos apóstolos e estes, orando, impuseram-lhes as mãos”. (Atos, 13,3) O que é Diaconato? Diaconato é o primeiro grau do Sacramento da Ordem. Os outros dois são o presbiterato e o episcopado, portanto, diáconos, presbíteros e bispos compõem a hierarquia da Igreja. As mãos lhes são impostas para o ministério e não para o sacerdócio. Com a ordenação o diácono deixa sua condição de leigo e passa a fazer parte do clero. Esse Sacramento imprime caráter, que o faz diácono por toda a eternidade. Não há como retroceder. O Diaconato é coisa nova na Igreja? Não. O diaconato foi instituído pelos apóstolos. Podemos ver em Atos 6,1-6 a imposição de mãos sobre os primeiros sete diáconos: Filipe, Prócoro, Nicanor, Tímon, Pármenas, Nicolau e Estevão que foi o primeiro mártir (At. 6,8-7,60). Podemos, ainda, ver outras referências como Fl 1,1 e 1Tm 3,8-ss. Permaneceu florescente na Igreja do Ocidente até o século V, depois por várias razões desapareceu. Quando foi restabelecido? Foi restabelecido pelo Concílio Vaticano II. Inicialmente foi regulamentado pelo Papa Paulo VI, em 1967 no Motu Próprio Sacrum Diaconatus Ordinem. Em 31 de março deste ano, foram promulgados pela Congregação para o Clero as Normas Fundamentais para a Formação dos Diáconos Permanentes e O Diretório do Ministério e da Vida dos Diáconos Permanentes. Estes documentos deixam explícitos que a restauração do diaconato permanente numa Nação não implica a obrigação da sua restauração em todas as dioceses. Compete exclusivamente ao Bispo Diocesano restaurá-lo ou não. Por que permanente? Existem dois tipos de diáconos. O diácono transitório é aquele que recebe o Sacramento da Ordem no grau de diaconato para depois receber o segundo grau e tornar-se presbítero, ou padre, conforme costumamos dizer. O diácono permanente sendo casado não pode ascender ao grau superior, ficando permanentemente como diácono. Ficando viúvo o Diácono permanente pode ser ordenado presbítero? Na realidade pode. No entanto, precisa de uma autorização especial e ainda completar os estudos, da concordância do Sr. Bispo e do Conselho de Presbíteros e de forma preponderante, da certeza absoluta de sua vocação ao presbiterato. Contudo, isso é impor-

Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011 • 5

tante: O DIÁCONO PERMANENTE QUE FICAR VIÚVO NÃO PODE SE CASAR NOVAMENTE. Quais as funções do Diácono? DIACONIA quer dizer SERVIÇO, então o Diácono é ordenado para SERVIR. Faz parte do ministério do Cristo Servo, que veio para servir e não para ser servido. A Lumem Gentium diz que: servem o povo de Deus na Diaconia da Liturgia, da Palavra e da Caridade (LG 29). Na Liturgia Eucarística, o diácono tem funções próprias: servir o altar, proclamar o Evangelho, convidar para o abraço da paz, purificar os vasos sagrados e fazer a despedida. Deve, ainda, incentivar a participação correta e efetiva da assembleia na Divina Liturgia. Então o Diácono só não pode consagrar? Não é assim. O Diácono é ordenado para o serviço e não para o sacerdócio. Na realidade o diácono é ministro ordinário de apenas um Sacramento: o do Batismo. É também ministro ordinário da Comunhão Eucarística. Pode ainda ministrar todos os sacramentais; dar as bênçãos próprias de ministro ordenado (objetos de devoção, casas, automóveis, etc.), inclusive a bênção com o Santíssimo Sacramento. Tem ainda a faculdade de presidir a celebração do Matrimônio. Porque a estola do Diácono é diferente? A estola do sacerdote desce verticalmente ao longo do corpo, pois age in persona Christi. O ministério do diácono é voltado para o serviço à comunidade. A estola atravessada no peito mostra a horizontalidade de suas funções. Há muitos Diáconos permanentes no Brasil? O Brasil conta hoje com cerca de 1.020 diáconos. Na Arquidiocese de Florianópolis, somos em 113 diáconos, na área III (Itajaí, Bal. Camboriú e Camboriú), somos em 19, na Paróquia São Cristóvão somos em 03 (três), Diác. Adilson da Costa, Diác. Antônio Luiz Melies e Diác. Vital Feller, e temos também dois candidatos ao diaconato, César Augusto da Silva e Vili Maschio, que deverão ser ordenados em 2011. “Recebereis o Poder do Espírito Santo” (At 1,8)

Diácono Vital Feller

PARA VOCÊ PENSAR E DECIDIR A Bíblia Sagrada – Palavra de Deus – diz que as pessoas de fé sempre apresentam como Dízimo os frutos da terra e do trabalho, como gesto de agradecimento por tudo que produzem, que colhem e que recebem. As pessoas de fé sabem disto, por isso não discutem, não fazem média, pois desde o instante que recebem a Palavra como alimento da fé procuram fazer o que é correto diante dos olhos do Senhor. Não pagam o dízimo como muitos ainda fazem. Apresentam o Dízimo como resposta das muitas dádivas que recebe de Deus todos os dias. Se você é dizimista releia a sua Bíblia. Garanto que você irá encontrar muitas citações que dizem respeito ao porque devemos apresentar o Dízimo com amor. Ao ouvir a Palavra de Deus e a devida explicação, procure prestar bem atenção, pois é ocasião propícia para bem entender as coisas de Deus. Estava lendo algumas matérias que tratam sobre o Dízimo, me deparei com o conto do Menino e a Moeda. Achei muito interessante, pois veio de encontro ao enunciado deste artigo. Diz o conto, que um homem resolveu construir um muro. Depois que o muro ficou pronto sobrou um monte de entulho. O homem saiu de casa e pelo caminho encontrou um menino, o qual contratou para remover aquele resto da obra. Combinou pagar pelos serviços a quantia de R$ 10,00 (dez reais), pois seriam poucas horas de trabalho. O menino trabalhou com vontade e rapidez. Num vai e vem, bem articulado, concluiu a tarefa em menos de 3(três) horas e o pagamento foi feito. Recebeu uma nota de R$ 5,00 (cinco reais), e cinco moedas de R$ 1,00 (hum real) cada. Se ele ficou feliz? Como ficou. Afinal ganhou por causa de um trabalho honesto. Mostrando alegria por ter recebido o combinado, colocou nos bolsos da velha bermuda que usava a nota de R$ 5,00 (cinco reais) e quatro moedas de R$ 1,00 (hum real). No bolso de trás da bermuda colocou a quinta moeda de R$ 1,00 ( hum real). Curioso com o fato, o homem perguntou ao menino porque havia separado aquela moeda das demais. Demonstrando muita consciência e segurança, respondeu o pequeno trabalhador: “É que o Padre de minha Igreja leu na Bíblia que tudo que a gente recebe como resultado do trabalho honesto, 10% ( dez por cento) pertence a Deus e que devemos devolver a Ele como Dízimo. Esta moeda que guardei no bolso de trás da bermuda é a parte de Deus que vou levar para a minha Igreja”. É uma historinha repleta de verdades. Estreite relações com Deus. Existem muitos caminhos para esse objetivo, o Dízimo é um deles, quem sabe o mais fácil.


6 • Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011

Celebrando a Unidade da Família

A música a serviço da comunidade Agnes Maria Membro do Grupo de Cânticos Litúrgicos da Paróquia São Cristóvão - Matriz

Prezado leitor! Refletir sobre nossa postura diante do povo que vem celebrar a Santa Missa nunca é demais! Leia, pense, releia e conclua se você está agindo de acordo com o que nos é proposto pela Igreja. Boa leitura! Agnes Maria Paroquiana

A postura do músico na Santa Missa

Músicos, a Santa Missa não é um show! Há algum tempo, recebi uma mensagem pelo Twitter de um amigo, que dizia: “Já toquei em todos os palcos que eu gostaria, mas nada é como tocar na Missa”. Fiquei feliz em ler isso, principalmente porque veio de um grande amigo. Refleti sobre essa frase e resolvi escrever sobre o assunto. Para isso precisamos entender um pouco o que é a Santa Missa. Segundo o Catecismo da Igreja Católica (CIC), n. 1323, Santa Missa é: “O nosso Salvador Instituiu na Última Ceia, na noite em que foi entregue, o Sacrifício Eucarístico do seu Corpo e Sangue, para perpetuar pelo decorrer dos séculos, até voltar, o Sacrifício da Cruz, confiando à Igreja, sua esposa amada, o memorial da sua Morte e Ressurreição: sacramento de piedade, sinal de unidade, vínculo de caridade, banquete pascal em que se recebe Cristo, a alma se enche de graça e nos é concedido o penhor da glória futura”. E continua: “ [...] ela é a renovação do Sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo, que sendo verdadeiro Deus e verdadeiro homem, pagou pelos nossos pecados na cruz. Tal Sacrifício se torna presente na Santa Missa no momento em que o pão e vinho se tornam verdadeiramente o Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Nosso Senhor. (CIC, 1373-1381). O Santo Sacrifício da Missa é incruento (ou seja, sem sofrimento nem derramamento de sangue), pois não se repete, ou seja, é o mesmo e único Sacrifício do Calvário, porém, torna-se verdadeiramente presente na Santa Missa para que possamos receber os seus frutos e nos alimentar da Carne e do Sangue de Nosso Senhor. Por isso o Sagrado Magistério nos ensina que “o sacrifício de Cristo e o sacrifício da Eucaristia são um único sacrifício” (CIC, 1367). Olhando para a seriedade da Celebração Eucarística, reviver o sacrifício de Cristo, que é a nossa redenção, não é qualquer coisa, nem deve ser vivido de qualquer maneira, por isso nós como músicos não podemos tocar na Missa de qualquer jeito. Quando nos preparamos para um show, existe ensaio, as músicas são quase que perfeitas na sua execução, e quando vamos tocar na Santa Missa, geralmente trazemos em nós o erro de dizer: “É só uma Missa”, ou pior ainda: “Deus aceita”. De fato, Deus aceita mesmo, não despreza nada que façamos para Ele. Mas sabendo que a Eucaristia é de suma importância na nossa fé e vivência cristã, por que também não fazemos da música da Santa Missa

a mais bela de todas ou de todos os shows que já fizemos. A música tem íntima ligação com a liturgia, dela depende e a ela serve. Tomando por base essa frase, percebemos que não estamos simplesmente tocando na Santa Missa, mas estamos prestando um serviço a Deus e à sagrada liturgia. Para isso é preciso ter a postura e a dedicação necessárias. De forma simples, quero comentar sobre isso. A Santa Missa não é um show, mas devemos prepará-la, pensar nela. Devemos nos dedicar à escolha dos cantos litúrgicos respeitando o que a liturgia nos pede no dia. Por mais que tenhamos [músicos] posição de destaque na Celebração Eucarística, não estamos lá simplesmente para exibir nosso talento, chamando a atenção para nós. A música bem executada sempre chama a atenção, é natural querermos saber quem está tocando, cantando, entre outros, mas nossa postura deve ser a postura de quem está ali a serviço. É preciso levar o povo a cantar; a função do animador aqui é essencial, mas também é importante observar o que se vai cantar. Músicas de difícil assimilação devem ser ensaiadas antes da Santa Missa, ou recorrer ao auxílio da letra (folhetos, projeções, etc.). É preciso respeitar, na Santa Missa, o tempo litúrgico, as orações e tudo o mais. Nada na Santa Celebração é por acaso ou foi colocado ali por mera vontade de alguém. É importante estar em sintonia com o sacerdote que vai presidi-la. Quero dizer com tudo isso: atenção nas escolhas das músicas. É interessante observarmos três pontos: - Dedicação e postura do músico, a música executada com perfeição. - Observação das diretrizes da Igreja sobre a música na liturgia. - Unção na execução da música, que se dá pela vida de oração do músico. Se, ao tocarmos na Celebração Eucarística, observarmos essas três dicas, vamos nos harmonizar com a celebração litúrgica, dandolhe o devido respeito que merece. Ser “músico de Missa” é algo extraordinário, é chamado de Deus, preste atenção no seu ministério! Continuo na luta, acreditando sempre que posso ser melhor em Deus.

Andre W. Florencio – Missionário Comunidade Canção Nova

Famílias paroquianas, estamos desejando, em nossa paróquia, tornar realidade uma pastoral que acompanhe cuidadosamente todos os que o Senhor chamar a servir à igreja no sacerdócio, na vida consagrada ou no estado leigo. Devemos criar ambientes onde nasçam as vocações, sendo possível responder com decisão e generosidade, apesar da secularização, o relativismo atual, tendo como centro o comunismo e o prazer, peço às famílias que reconheçam com sua bênção... O filho chamado por Deus apoiando sua decisão e seu caminho de resposta nacional. É fazer com que os filhos tenham a capacidade de se opor às falsas ilusões de felicidade e ocos paraísos enganosos das drogas, do prazer, do álcool, e de todas as formas de violências. Em sua procura pelo sentido da vida, são capazes e sensíveis para descobrir o chamado particular que Jesus lhes faz. As novas gerações são chamadas a transmitir a seus irmãos jovens, sem distinção alguma, a corrente devida que procede de Cristo e a compartilhá-la em comunidade. Vivendo em ambientes não isentos de fortes cargas de alienação a permeabilidade às formas novas de expressões culturais, produtos da globalização que afetam a própria identidade pessoal e social. São presas fáceis das nossas propostas religiosas e pseudoreligiosas. As crises pelas quais passa a família hoje em dia, produz nos filhos profundas carências afetivas e conflitos emocionais. Propor aos nossos filhos o encontro com Jesus e seu seguimento

na vida à luz do plano de Deus, garantindo a realização plena de sua dignidade de ser humano. Estimulando a formação de sua personalidade, propondo uma opção vocacional específica: O sacerdócio, a vida conjugal ou o matrimônio. Acompanhar os jovens à oração pessoal e ir de encontro ao sacramento da Eucaristia e da Reconciliação, direcionamento espiritual e o apostolado. Pastoral vocacional, responsabilidade de todo povo de Deus começa na família e continua na comunidade cristã. Ajudá-los a descobrir o sentido da vida e o projeto que Deus tem para cada um e acompanhá-los em seu processo de discernimento. A paz total vocacional é fruto de uma sólida pastoral de conjunto nas famílias, nas paróquias, nas escolas e demais instituições eclesiais. Sustentai Senhor as famílias nas suas dificuldades e consolai-vos em seus sofrimentos. Não deixe Senhor cumular sombras que ameacem a unidade das famílias. Vós que sois vida, para que se tornem ninhos onde nasça a vida humana. Que haja acolhida, que se amem e se respeitam diante da vida até o término natural. Ficai conosco, Senhor!

Paulo Cardoso - Ministro da Sagrada Comunhão


Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011 • 7

Depoimentos das autoridades e patrocinadores sobre a Festa de São Cristóvão

Declaração do Comandante da 2ª Companhia de Polícia Militar “Nesta edição da Festa de São Cristóvão observamos o resgate de uma festa familiar, onde todos puderam aproveitar os dias de festejo de forma tranquila e ordeira. A Polícia Militar contou com o apoio irrestrito da paróquia de São Cristóvão que, preocupada com a organização do evento, procurou esta Corporação com bastante antecedência para tratar sobre a segurança do evento. Por fim, foi colhido o fruto da seriedade e competência com que se tratou a festa, sem registro de ocorrências graves nos dias de festividades.” LUIS CARLOS CRUZ DOS SANTOS Cap PM Comandante da 2ª Companhia

Patrocinador “A Festa de S. Cristóvão é um momento muito especial de interação com nossos motoristas e também para lembrar que, embora dirigindo sozinho nas estradas, sempre haverá alguém maior nos guiando e protegendo. Parabéns Pe. Nelson Tachini e sua equipe, pela organização desta grande Festa. Cícero Ferrari

______________________ O 1º Batalhão de Polícia Militar de Itajaí realizou, no período de 02 a 10 de julho, a preservação da ordem pública na Festa da Paróquia São Cristóvão bem como nas áreas circunvizinhas ao local. No último dia da festa, policiais militares acompanharam a Procissão Motorizada. O evento transcorreu normalmente, sem a necessidade de intervenção da força policial. Comunicação Social – 1º BPM

Codetran “Gostaria de parabenizar a Paróquia de São Cristóvão pela belíssima festa em honra ao padroeiro dos motoristas. A tradicional carreata foi realizada de forma muito ordeira, e os agentes de trânsito não tiveram maiores problemas em controlar o trânsito durante o evento.” José A. Ferreira Coordenador/CODETRAN


8 • Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011

FESTA DE SÃO CRISTÓVÃO E DO MOTORISTA Foi mais um grande acontecimento no Município de Itajaí. Nos últimos cinco anos tem crescido, atraindo cada vez mais pessoas de toda região. Tudo porque investimos mais e melhor na programação religiosa, com Celebrações Eucarísticas bem preparadas, que aconteceram de 02 até dia 10 de julho, presididas por Padres convidados, congregando muitas lideranças das Comunidades, dos Movimentos e das Pastorais. Além das Celebrações Eucarísticas, no Salão Paroquial e no Pavilhão de Festas aconteceram promoções, agradando todas as pessoas que vieram participar de um lazer sadio numa igreja. Para tanto precisamos tomar consciência da presença de Deus entre nós também numa festa. Lazer sadio é aquele em que sabemos respeitar o semelhante. Ainda há ambientes onde nos sentimos seguros”. Pe. Nelson Tachini scj - Pároco

Fone (47) 3341

Av. Reinaldo Schmithausen, 3635 - Cordeiros - Itajaí

3200

Rod. BR101|Km 121| Galpão São Vicente Itajaí | SC e-mail: madri@lojasmadri.com.br


Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011 • 9

A PROCISSÃO MOTORIZADA

Foi mais uma manifestação bonita de fé que aconteceu em nossa região. Participaram mais de 800 caminhões, além de muitos veículos de passeios, utilitários e dezenas de motos. Todos participaram com liberdade e responsabilidade. “Diz o ditado: “todo cuidado é pouco”. Quando recebemos orientações das autoridades competentes quanto a algumas normas e as executamos, o resultado é visível. Agradeço à Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Codetran pelo serviço prestado durante os dias de festa de São Cristóvão. Vossa ajuda e presença nos deram tranquilidade e contribuiu para o sucesso de nossa festa.

A maioria dos Motoristas de todas as classes e categorias que vieram participar o fizeram com espírito religioso, enaltecendo seu padroeiro, São Cristóvão. A participação do Prefeito Municipal de Itajaí, Sr. Jandir Bellini, do Sr. Cícero Ferrari e família, Festeiro Principal, dos Vereadores, Festeiros Convidados e Patrocinadores, na Celebração da Santa Missa Festiva que antecedeu a Procissão Motorizada, foi simpática e gratificante. Pe. Nelson Tachini scj - Pároco


10 • Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011

BINGÃO SHOW DE PRÊMIOS

Abertura Oficial da Festa de 2011, que teve início às 20 horas, sendo todos os espaços tomados pela multidão que veio participar. Os brindes doados pelos patrocinadores, pelos festeiros, Comunidades, Movimentos e Pastorais, colocados para sorteio foram muito bons. A doação recebida já foi um grande começo da festa. Isso nos deixou emocionados, pois significou voto de confiança ao trabalho que estamos fazendo. As pessoas que foram contempladas nos sorteios demonstraram muita alegria. Mas todos que adquiriram cartelas e vieram participar saíram satisfeitos, pois foram bem recebidos. Somos gratos aos Festeiros Promotores de 2011: Prefeitura Municipal de Itajaí, as Empresas Patrocinadoras, as Comunidades. Movimentos e Pastorais da Paróquia. Bem como os Festeiros Convidados, pela generosa doação, pelo trabalho realizado e pela amizade demonstrada. Sem a parceria de tantos amigos e amigas de São Cristóvão e dos Motoristas, dificilmente faríamos uma festa tão grande, tão bem organizada, como foi a Festa de 2011. Pe. Nelson Tachini scj - Pároco

e-mail: luxtintas@luxtintas.net.br


Os livros da Bíblia: NEEMIAS :: Nahor Lopes de Souza Júnior ::

Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011 • 11

ESTUDO DA LITURGIA CRISTÃ :: Vili Maschio :: Coordenador Paroquial de Liturgia

Leitoras e leitores! Estaremos refletindo nesse mês o livro de Neemias, palavra hebraica que significa “confortado”. Foi escrito junto com o livro de Esdras (visto aqui no jornal do mês passado), sendo que na Bíblia hebraica eles são um só livro. Sua redação ocorreu entre 350 a.C. e 250 a.C., tendo alguns trechos adicionados depois de 200 a.C. Neemias era o copeiro do rei persa Artaxerxes, e foi nomeado governador de Judá em 445 a.C. pelo rei. Como alguém que tinha algumas relação de absoluta confiança do rei persa, dificilmente iria aceitar todas as reivindicações do povo sofrido, que na volta do exílio estava com fome, sede e querendo justiça e solidariedade. A divisão do livro é a seguinte: • 1 - 7: A reconstrução das muralhas: Com a necessidade de reconstruir as muralhas, Neemias é nomeado governador geral. Várias dificuldades se instauram para o recomeço da identidade da comunidade. • 8 – 10: A religião da comunidade: A invocação do ano jubilar é uma jogada de mestre de Neemias para aliviar o sofrimento do povo e não deixar que revoltas pudessem se abater, o que poderia causar o furor dos persas. • 11 – 12,16: Censo da população: Listas dos habitantes e suas famílias, focando nos sacerdotes e levitas. • 12,27 – 13: Reformas de Neemias: A dedicação da muralha de Jerusalém, onde Neemias restabelece os levitas na condução dos trabalhos religiosos do templo. O muro representa a segurança da comunidade; com a reconstrução, Neemias traça um plano para conseguir a unidade judaica da região. Porém, a situ-

ação de pobreza e opressão continuava. Os tributos eram cobrados para os persas. Neemias foi forçado a promover um mínimo de reformas sociais para aliviar o povo. Claro que eram medidas “anestésicas”, não promoviam uma verdadeira justiça social. Porém, Neemias promoveu a observância da lei como sinal da unidade do povo, importante para a identidade da comunidade em uma época muito sofrida. Alguns trechos para você refletir sobre o livro: • Ne 5, 1-13: O povo se revolta com as injustiças e os tributos e vai às ruas protestar. Neemias volta atrás e perdoa a dívida dos mais pobres. • Ne 9, 5b-37: Belíssima invocação dos levitas da comunidade, que fazem um resumo da ação do Deus Yahweh na caminhada do povo em forma de oração. O livro de Neemias mostra como a religião pode sobreviver e transformar a vida dos mais pobres e humildades da comunidade. Religião não é passiva, mas sim uma força transformadora da sociedade para que esta se torne o Reino de Deus. Somente a força popular pode mudar e transformar a realidade. Chega da passividade enquanto a corrupção e o desprezo pelos pobres continua em nossa sociedade. O Deus que libertou o povo da escravidão nos faz acordar para um novo tempo, que só será possível mediante mobilização. Não podemos mais ficar parados ante práticas totalmente antidemocráticas como a obscuridade do aumento de tarifas de transporte público, descaso com as famílias que moram em encostas de rios, entre outras situações que requerem nossa atenção como pessoas religiosas promotoras da sociedade onde Deus quer morar!

INTRODUÇÃO A liturgia é a realidade mais viva e a expressão mais eloqüente da vida da Igreja. Por intermédio da liturgia, a Igreja anuncia sua identidade reconhecida, sua mesmidade renovada. Na liturgia, a Igreja faz a experiência do seu ser e do seu existir. A liturgia é a própria Igreja em sua mais densa relação simbólica com Deus e com sua identidade. A liturgia é, e continua a ser, o símbolo mais rico da vida cristã, a mais original forma de que nós crentes dispomos para falar da salvação que nos foi dada, a esperança que nos inunda. O Vaticano II e a reforma litúrgica por ele desencadeada têm sido os principais motivos de uma nova consciência litúrgica, cuja consolidação está prestes a se produzir. Os diferentes movimentos e correntes de opinião litúrgica pós-vaticano (dessacralização-secularização, socialização-politização, evangelização-catequização, adaptação-criatividade, simbolismo-festa, intimismo-experiência, ecumenismo-unidade) sem dúvida contribuíram para um melhor discernimento, uma maior riqueza de sentido, das dimensões e exigências da celebração. Sendo a liturgia ao mesmo tempo “humana e divina” (SC 2), é importante, em relação a sua compreensão, estudá-la antes de tudo na palavra de Deus, norma de fé e de vida e na tradição que esta palavra transmite integralmente. É importante também um estudo histórico-genético das formas de celebração litúrgica, para compreender a sua estrutura e seu significado, e as eventuais degenerações ou enriquecimentos que passou no decorrer do tempo. Os textos bíblicos e eucológicos usados pela liturgia são a manifestação mais característica da concepção que a Igreja tem a respeito da liturgia e do seu mistério. Estes textos exprimem uma determinada visão teológica dos dons da salvação dos quais a Igreja é portadora, uma teologia que é preciso fazer emergir. Tudo isto deve conduzir à experiência de fé e à vida vivida em coerência com os ministérios dos quais participamos. A liturgia é uma realidade para ser redescoberta, celebrada e vivida. DEFINIÇÃO DE LITURGIA Toda a ação a favor da vida é Liturgia,

no sentido amplo da Palavra. É participação no serviço libertador de Jesus. Sendo isto Liturgia, será preciso ainda Celebrar? Não basta apenas AGIR, lutar a favor da vida para sermos seguidores de Jesus e coerentes com seu Evangelho, cuja lei é o AMOR? O que é mesmo liturgia – celebração? Qual sua importância para a liturgia-vida? Celebrar é uma ação comunitária, festiva, que tem a ver com tornar célebre, importante, inesquecível, é destacar do cotidiano, é ressaltar o significado, o sentido profundo que um acontecimento ou pessoa tem para um determinado grupo. Na caminhada da fé do povo da Bíblia, encontramos muitos momentos celebrativos. Ao celebrar o povo de Israel fazia memória das ações que Deus realizara em

seu favor no passado, as reconhecia no presente e alimentava a certeza de sua fidelidade no futuro. O próprio Jesus quis tornar celebre, inesquecível todo o seu trabalho a favor da humanidade, sua Liturgia-vida. Ele antecipou com um rito, a doação de sua vida na cruz, preparou-se e preparou seus discípulos para viverem a HORA de entrega e de amor sem limites. A Liturgia-celebração e a Liturgia-vida foram inseparáveis na vida do povo de Deus, na vida de Jesus, na vida dos primeiros cristãos, assim como devem ser inseparáveis na vida de nossas comunidades. Celebrar a liturgia é, portanto, expressar com gestos, símbolos e palavras a liturgia-vida; é tornar célebre, inesquecível a ação que o Pai realizou em Jesus e através dele a toda a humanidade e continua hoje, em nós e através de nós e de todos que aderem ao projeto do Reino pela força e animação de seu Espírito. FONTE portalcarismatico.com.br


12 • Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011

RETIRO DE EXPERIÊNCIA DE ORAÇÃO PARA JOVENS Nos dias 22, 23 e 24 de julho aconteceu o Retiro de Experiência de Oração para Jovens na Chácara Betel, em Camboriú, promovido pelo Grupo de Oração Jovem Javé Nessi, da Paróquia São Cristóvão. Contamos com a presença dos

pregadores André, da cidade de Itapema e Talevi, de Balneário Camboriú, do pároco Pe. Nelson e também do Ministério Leão de Judá do Grupo de Jovens Emanuel de Balneário Camboriú. O retiro agremiou jovens de várias localidades e grupos de Itajaí, trazendo

em torno de trinta jovens a participarem do retiro, além dos servos, que fazem parte da coordenação do grupo e demais convidados e colaboradores. O intuito do retiro, além de atrair mais jovens da comunidade a participarem do nosso grupo de jovens e apresentar-lhes uma formação sobre os alicerces da Igreja e da RCC, era acima de tudo difundir a palavra de Deus nessa nova geração e suscitar no coração dos jovens o seu amor insondável.

Com certeza, lançamos, no coração de muitos jovens, a semente do amor de Deus, e já começamos a colher seus frutos a partir dos seus testemunhos. Sem dúvida, colheremos muito mais daqui pra frente. Se você, jovem, também quer experimentar o amor de Deus, participe do nosso grupo, que acontece todos os Domingos, às 20h, no segundo andar do salão da Paróquia São Cristóvão. Deus já reservou um lugar especial para você!

MENINOS CANTORES VISITAM PARÓQUIA SÃO CRISTÓVÃO Por ocasião da realização do INCARTI na Cidade de Itajaí, nossa comunidade paroquial, com a generosidade de famílias e da Paróquia, acolheu para estadia e atuação o Coral de Meninos Cantores de Cássia, MG. O acontecimento contribuiu para momentos de apresentação das capacidades e lazer dos membros do Coral, mas acima de tudo para admiração e encantamento dos admiradores. Nossa comunidade paroquial foi

privilegiada pela apresentação no dia 24 de julho, domingo, na celebração eucarística das 8 horas. Além das canções polifônicas regionais apresentadas no encontro em Itajaí ajudaram a comunidade presente a participar do rito litúrgico da missa com músicas sacras condizentes aos momentos celebrados. O agradecimento da comunidade aos meninos cantores e às famílias que os acolheram em suas residências.


Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011 • 13

SÃO CRISTÓVÃO CELEBRA O SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

N

o dia 1 de julho próximo passado a Igreja celebrou a solenidade do Sagrado Coração de Jesus. A comunidade paroquial de São Cristóvão, de Cordeiros, foi convidada e marcou forte presença na Adoração e na Missa. Coincidindo com a primeira sexta-feira do mês, todas as comunidades da paróquia foram convidadas para as celebrações na igreja matriz. Tivemos a adoração das 18h até às 19h, momento forte de oração diante do Santíssimo Sacramento. Porém, a grande afluência dos paroquianos aumentou para a celebração da Santa Missa festiva, às 19h30min. Na Missa, várias pessoas receberam suas fitas tanto de zeladoras como de zeladas e zelados. E isso mostra que o Apostolado da Oração se fortalece na nossa Paróquia. E mais, foi um dia em que o Apostolado da Oração e todas as pessoas presentes intensificaram a vida eucarística e a devoção ao Sagrado Coração. Na Missa, antes do ofertório, os padres Nelson Tachini, Nivaldo Alves de Souza

e Silvano Costa renovaram, publicamente, seus votos religiosos de Castidade, de Pobreza e de Obediência conforme as Constituições da Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus! Isso numa atitude de renovação do seu ser religioso dessa Congregação fundada por Padre Leão João Dehon. Por isso, os religiosos dessa Congregação são também conhecidos como padres dehonianos. Este dia do Sagrado Coração de Jesus foi marcado pelas orações feitas pelo Santo

Padre, o Papa Bento XVI, pela santificação dos Sacerdotes e para que o Deus envie um pastor para a Arquidiocese de Florianópolis, a exemplo de Jesus o Bom Pastor! Além da presença dos padres que trabalham na Paróquia, para a concelebração, foi marcante a dos nossos diáconos e de muitos Ministros da Eucaristia. Seja amado e adorado por toda parte. O Sagrado Coração de Jesus! P. Nivaldo Alves de Souza


14 • Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011

Variedades FESTA DO SENHOR BOM JESUS A Comunidade de Salseiros convida todos para participarem de mais uma grandiosa Festa do Senhor Bom Jesus, que irá acontecer nos dias 5, 6 e 7 de agosto, com a seguinte programação: Dia 5 – Sexta-Feira – 19h30min, Santa Missa Festiva em honra ao Sagrado Coração de Jesus, com a presença dos Grupos do Apostolado da Oração convidados. Após a Santa Missa, no Pavilhão de Festas, acontecerá o Bingão Show de Prêmios. Dia 6 – Sábado, 19h30min, Santa Missa Festiva. Após, no Pavilhão de Festas estarão funcionando todos os setores da Praça de Alimentação, e será realizado um grandioso Baile. Dia 7 – Domingão da Festa, às 9 horas sairá da Igreja Matriz São Cristóvão, em Cordeiros, a Procissão dos Cavaleiros, trazendo as Bandeiras do Brasil, do Estado de Santa Catarina, do Município de Itajaí, do Estado do Vaticano, da Paróquia São Cristóvão e da Capela do Senhor Bom Jesus, para a Santa Missa Festiva que terá início às 10 horas. Durante todo o dia estarão funcionando os diversos setores da Praça de Alimentação. No período da tarde será realizado mais um grandioso bingo.

CATEQUESE BATISMAL Comunicamos aos pais e padrinhos, que precisam se preparar para o batismo de seus filhos, filhas, afilhados e afilhadas, que no dia 6 de agosto, sábado, haverá Catequese Batismal no Salão Paroquial da Igreja Matriz São Cristóvão, situada na Rua Odílio Garcia, em Cordeiros, com início às 13h30min. No dia 13 de agosto, sábado, na Capela Cristo Rei, situada na Rua Rondônia, no Costa Cavalcante, com início às 13h30min. No dia 27 de agosto, sábado, na Capela Nossa Senhora do Perpétuo socorro na Rua Celso Duarte Moreira, Cordeiros, com início às 13h30mim. Os interessados poderão fazer sua inscrição no local acima especificado entre 13h e 13h30min. Como contribuição devem trazer um quilo de mantimentos de primeira necessidade.

FESTA DE SÃO ROQUE A Comunidade de São Roque convida a todos para a Festa do Padroeiro que acontecerá no dia 14 de agosto. Iniciará às 10 horas com a Santa Missa Festiva que contará com a presença dos Festeiros de 2011. Após a Santa Missa, no Pavilhão de Festas estará acontecendo completo serviço de bar e cozinha onde todos poderão degustar do saboroso churrasco da festa. No período da tarde acontecerá o grandioso bingo com o sorteio de muitos e valiosos brindes. Visite a Comunidade Rural de São Roque e participe da festa juntamente com sua família.

FESTA DE SANTO AGOSTINHO A Comunidade de Santa Luzia, de Espinheiros de Dentro, convida os paroquianos e amigos para a Festa de Santo Agostinho que acontecerá no dia 28 de agosto, que iniciará com a Santa Missa Festiva às 10 horas. Após, no Pavilhão de Festas, estará funcio-

nando completo serviço de bar e cozinha servindo o saboroso churrasco da Festa. No período da tarde, grandioso bingo com o sorteio de muitos e valiosos brindes.

REUNIÃO COM OS COORDENADORES DE CRISMA E EUCARISTIA No dia 6 de agosto, às 14h30min, todos os coordenadores de Crisma e Eucaristia estão convidados para uma reunião onde serão estudadas algumas datas importantes. A coord. Roslei e o Pároco Pe. Nelson pede que todos compareçam sem exceção.

LOUVOR NA COMUNIDADE TRANSFIGURAÇÃO No dia 7 de agosto das 8h às 18h, na Comunidade transfiguração, na Chácara São Bento, Rua Bruno Vicente da Luz, Espinheirinhos, estará realizando a V Louvor Transfiguração com o tema “Verás a glória de Deus na tua família” com a pregação de Maria Francisca. Sendo que às 18h Santa Missa com o Pe. Silvano.

REUNIÃO MENSAL DOS MINISTROS No dia 21 de agosto às 19h45min reunião mensal dos Ministros extraordinário da comunhão. Você, ministro, não pode deixar de participar, o assunto tratado será de seu total interesse.

TARDE DE ESPIRITUALIDADE DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO Você zeladora, associada e outras pessoas que têm o desejo de escutar a palavra, não podem deixar de participar, no dia 21 de agosto, às 14h30min, da Tarde de Espiritualidade, que acontece na Igreja São Cristóvão. Teremos a participação do nosso Vigário Paroquial, Pe. Nivaldo palestrando o encontro.

FORMAÇÃO DA EQUIPE LITÚRGICA DE CANTO No dia 27 de agosto das 14h às 17h, na Paróquia São Cristóvão, você, da equipe de cânticos litúrgicos, está convidado para participar desta formação que vai ser preparada para você.

REUNIÃO DO CPP Convidamos todos os Coordenadores e Tesoureiros dos Conselhos de Pastoral das Comunidades; os Coordenadores da Pastoral Catequética Infantil, da Crisma, de Adulto, do Batismo e dos Coroinhas; dos Grupos Bíblicos em Família; da Legião de Maria; dos Ministros da Comunhão, Ministério dos Cânticos Litúrgicos, Ministério da Liturgia, do Dízimo, do Movimento de Irmão, da Renovação Carismática Católica, do Setor da Juventude, do Apostolado da Oração; os Padres e Diáconos Permanentes e a diretoria da Ação Social da Paróquia, para a reunião do CPP – Conselho de Pastoral da Paróquia, que acontecerá no dia 26 de agosto, sexta-feira, no Salão Paroquial da Igreja Matriz São Cristóvão, com início às 19h30min. Pede-se que compareçam.

Missas da Igreja São Cristóvão • Quarta-feira, às 19h30min - Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro • Quinta-feira, às 20h - Grupo da RCC • 1ª Sexta-feira, às 18h30min Adoração ao Santíssimo Sacramento - 19h30min - Santa Missa • Sábado às 18h30min Missa • Domingo, às 8h e 18h30min - Missas

Missas ou Celebrações nas Comunidades • Igreja Nossa Senhora aparecida – Sábado às 18h30min • A comunidade Chácara São Bento – 1ª terça – feira do mês às 20h • Igreja Casa da Providencia toda 2ª sexta - feira do mês às 20h • Igreja São José – Sábado às 20h • Igreja são Francisco de Assis – Sábado às 20h • Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – Sábado às 20h • Igreja Santa Luzia – Sábado às 18h30min • Igreja Santa Cecília toda 2ª e 4ª terça-feira do mês às 19h30min • Igreja Santo Antônio – Domingo às 8h • Igreja Senhor Bom Jesus – Domingo às 8h • Igreja Divino Espírito Santo – Domingo às 9h30 • Igreja Imaculada Conceição – Domingo às 8h • Igreja Santa Maria – Domingo às 9h30min • Igreja Cristo Rei – Domingo às 9h30min • Igreja São Roque – Domingo às 9h30min • Igreja Santa Paulina – Domingo às 8h • No Cemitério Fazenda Santa Missa todas as terça-feira, às 7h30min


Paróquia São Cristóvão | AGOSTO | 2011 • 15

DIA DO PADRE... E DO DIÁCONO

N

o dia 4 de agosto a Igreja celebra o dia de São João Maria Vianney e também dia do pároco e, por extensão, também o dia do padre. Em 1929, o Papa Pio XI o proclamou “homem extraordinário e todo apostólico, padroeiro celeste de todos os párocos de Roma e do mundo católico”. O Padre é aquele que se coloca no seguimento de Jesus Cristo Verbo Encarnado, Missionário (o enviado do Pai), pobre (despojado), servo (que doa a vida) e marca de tal modo sua vida que recebe a graça do Espírito Santo para que tenha os mesmos sentimentos de Cristo Jesus (cf. Fil. 2,5). Logo, o padre deve ser, antes de tudo, discípulo de Jesus Cristo. O Padre deve ser um homem que vive a comunhão eclesial, isto é, que tem amor à Igreja e Corpo de Cristo e que concretiza no amor à Igreja Particular. E mais, que tem clareza de estar a serviço da Igreja continuadora da ação de Jesus Cristo.

O Padre é um pastor que a exemplo de Jesus, o Bom Pastor, cuida das ovelhas com maturidade, equilíbrio e firmeza e deve ser uma pessoa feliz por ser o que é. O Padre deve relacionar-se com todas as pessoas numa realidade de pluralidade, sabendo acolhê-las, escutá-las, dar-lhes atenção, orientando-as para Jesus Cristo e respeitando-as no seu processo de vivência da fé. O padre é alguém que aprende a escutar a voz de Deus em sua Sagrada Palavra escrita e na vida das pessoas. Que neste dia do padre (que já passou), e sempre, os nossos paroquianos e o povo de Deus amem seus padres, reconhecendo-os homens guiados pelo Espírito no seguimento de Jesus para o bem espiritual das pessoas. Rezem por seus padres para que eles sejam sempre apaixonados por Jesus Cristo e que cultivem essa paixão, pois Jesus é o caminho para a santidade. Só assim, poderão ser

homens de Deus para o povo! Ser padre é ser “pai” de uma comunidade inteira. Como tal, é o homem da Palavra de Deus, da Eucaristia, do perdão e da bênção, exemplo de humildade, penitência e tolerância, o pregador e conversor da fé cristã. Ainda, percorrendo o mês de agosto, mês das vocações, além de celebrarmos o dia do padre, deparamo-nos com a vocação diaconal. Saliente-se que o diácono é uma vocação ministerial para o

Dia do catequista Ser catequista é viver a vocação do batismo. É pelo batismo e, mais tarde, pela eucaristia e crisma, que o catequista é chamado a anunciar o Reino de DEUS. Por isso, é necessário que o catequista esteja consciente dessa missão ao assumir a catequese na comunidade. O catequista tem sempre na lembrança que foi enviado por DEUS e pela comunidade. Lembrando-se disso, o catequista terá forças para perseverar. É importante também lembrar que, antes de evangelizar, o catequista deve se deixar evangelizar e ter também a consciência de que o seu exemplo fala mais alto do que sua palavra. Parabéns pelo seu dia!

serviço! No dia 10 de agosto a Igreja celebra o dia de São Lourenço, diácono e mártir e patrono dos diáconos. Dele disse o Papa Bento XVI: “Sua vida foi dedicada aos pobres, e deu generoso serviço à Igreja de Roma, especialmente no cuidado dos pobres e da caridade”. Isso nos leva a recordar um pensamento de São Lourenço que diz: “A riqueza da Igreja são os pobres”! O próprio termo diaconia já por si expressa o ser diácono: o que serve, configurando-se ao Cristo que “não veio para ser servido, mas para servir”. O diaconato expressa-se em três dimensões: o serviço da caridade, o serviço da liturgia e o serviço da Palavra de Deus. Queremos lembrar, neste dia, os três diáconos como também os dois futuros diáconos da nossa Paróquia São Cristóvão. Reconhecemos seu estreito laço de colaboração com a nossa Arquidiocese e com a nossa Paróquia. Queremos cumprimentá-los e também a todos os seus familiares, sobretudo esposa e filhos, e dizer-lhes que nós padres e toda a nossa Paróquia de São Cristóvão somos muito gratos pelo seu serviço prestado na vivência da fé, da esperança e da caridade! Que os fiéis da Paróquia de São Cristóvão possam ser gratos aos sacerdotes e diáconos que por aqui passaram, que viveram com o povo, que celebraram os momentos mais importantes da vida litúrgica dessa comunidade. No dia do padre, só podemos dizer ao nosso povo fiel: Deus os abençoe e os proteja. P. Nivaldo Alves de Souza

Av. Reinaldo Schmithausen, 3635 Cordeiros - Itajaí - SC

ANUNCIE NO JORNAL DA PARÓQUIA SÃO CRISTÓVÃO. (47)

8405.9681


Renovação Carismática Católica O evangelizando é um comunicador Mais importante que os meios usados é o comunicador A Igreja existe para evangelizar, para comunicar a Boa Nova do Evangelho e fazer discípulos de Jesus entre todos os povos. Esta é a missão que o Senhor confiou à Sua Igreja, com a garantia de que Ele estaria com ela [Igreja] até o fim do mundo (cf. Mt 28,19). Obedientes ao mandato de Jesus, os apóstolos, logo após a Ascensão de Cristo, saíram para proclamar a Boa Notícia por todos os lugares (cf. Mc 16,20). A mensagem de Jesus não é esotérica, isto é, não é para ficar escondida ou reservada a algum grupo de iniciados, a alguma seita ou religião; ao contrário, ela é destinada a todos os povos: “O que vos é dito aos ouvidos, proclamai-os sobre os telhados” (Mc 10,27). São Paulo, após a sua conversão, compreendeu essa necessidade de comunicar a mensagem do Evangelho de maneira radical: “Anunciar o Evangelho não é título de glória para mim; é, antes, necessidade que se me impõe. Ai de mim, se eu não evangelizar” (I Cor 9,16). Diante desta urgência da missão, a Igreja não pode deixar de usar os modernos e potentes meios de comunicação, como a imprensa, o rádio, o cinema,

a TV, o celular, a internet e outros mais, para comunicar a uma imensa multidão de pessoas a mensagem de Cristo, “o Salvador do homem e da história, Aquele em quem todas as coisas alcançam sua perfeição” (Bento XVI). Não podemos nos esquecer de que os meios de comunicação são apenas instrumentos para nos comunicar, não são bons nem maus; tudo depende da finalidade de seu uso. Eles não devem substituir

o contato pessoal, pois a comunicação é, antes de tudo, relação entre pessoas para criar comunhão, pois o homem é um ser relacional e a comunicação é essencial em sua vida. Mais importante que os meios usados é o comunicador e a mensagem que ele transmite. Aliás, este é o sentido da palavra “comunicação”, que vem do latim “communis” e significa “comunidade”. Não devemos, pois, nos isolar das pessoas que estão ao nosso lado, nem querer construir um mundo paralelo, diferente daquele em que vivemos. Mesmo não tendo os meios modernos de comunicação ao seu alcance, você, discípulo e missionário de Jesus, deve ser um evangelizador, um comunicador, em sua casa, em seu trabalho e na sua vida social. Dom Raymundo Damasceno Assis Cardeal arcebispo de Aparecida

Acompanhe na WEB RÁDIO HOSANA o Programa “Deus te abençoe” com a Cantora Vera Lúcia, todos os sábados às 11h. Acesse: www.hosanafm.com

Jornal Mês de agosto  

Jornal Paroquia São Cristovão Agosto