Page 1

Ano 22 • Noo 112 Maio de 2013


Pu xa P Pá ros g. a 3

m Es Bo co sc nd la o o o Plu no di r a al Co Pá tod nh N g. o ec Pá Ed o b im 7 gs Pá uc ê. 9 EF en gs aç a,1 1 to . 4 ão bá 0 e V e a d 2 i Un 6 Inf o 12 Pá rou an ap g. N En ive til re 8 ot nd Pá sin rso Te í iz c o g T P i xt s a ad e an .1 M e os C n o é o 3 o d r & Pá ral am a io Pá Co 15 g. ho a gs nt 11 m M . 1 ex en us 7 to ag ica a s P eia l 21 Se Pá asto XV çã g. ra o l, 1 de 6 M Di Pi iss ve ra Pá rs ã cic o Sã g. ão & ab 24 Pá o M Aç a gs á ã o . 2 rio 2 e em 23 d es ta qu e. co m

Av an ça

2 Do

DB informa.com Sumário


DB informa.com

O

Puxa Prosa

mês de maio foi marcado, nas diversas presenças do Dom Bosco, por intensas atividades e eventos em homenagem às mães e a Nossa Senhora Auxiliadora, fazendo jus às características das casas salesianas, onde predominam o espírito de família e a alegria. A proposta salesiana de educação propõe que a escola seja uma continuidade da família do educando. A festa no Arraiá do Dom Bosco Cidade Alta, com o tema “NhoQuim Centão”, em homenagem ao centenário do XV de Piracicaba, foi marcada por intensa participação das famílias dos alunos que prestigiaram as diversas apresentações de dança e quadrilhas, bem como desfrutaram da grande variedade de delícias das barracas e, a galerinha, de divertidas brincadeiras. No São Mário, a festança foi também marcada por grande público, muita música e quitutes deliciosos. Aguardamos com expectativa a festa no Arraiá do Dom Bosco Assunção que será realizada no dia 8 de junho. É só conferir. P. José Ailton Trindade

3

Dom Bosco, pelo 10º ano, é Top of Mind

P

elo 10º ano consecutivo, o Colégio Salesiano Dom Bosco, em Piracicaba, é a instituição mais lembrada na cidade e região quando o assunto é educação, segundo a pesquisa de opinião pública Top of Mind – Marcas de Sucesso realizada pela empresa RAC – Rede Anhanguera de Comunicação, da qual faz parte o jornal Gazeta de Piracicaba. A notícia coroa uma trajetória educa-

cional de sucesso iniciada em janeiro de 1950 quando padres salesianos chegaram a Piracicaba para abrir o primeiro colégio católico para rapazes na cidade. Por trás desta marca de reconhecimento da população está a tradição salesiana – com seus princípios sólidos e credibilidade disseminados em todo o mundo – e a qualidade de ensino comprovada – seja por meio do sucesso dos ex-alunos, das aprovações nos vestibulares, resultados em olimpíadas do conhecimento e muito mais!

Amistoso com veteranos do XV de Piracicaba

Os pais de alunos enfrentaram os veteranos do XV de Piracicaba em uma partida de futebol ocorrida no dia 18 de maio. A confraternização, antecedendo a Festa Junina sob o tema dos 100 anos do clube, contou com café da manhã, muitas fotos e autógrafos com os atletas.


DB informa.com

Educação Infantil

- No bê-a-bá do aprendizado

Mais uma descoberta do Maternal

N

o Maternal do Dom Bosco Assunção as crianças conhecem diversos materiais que podem ser transformados em outros elementos. Nas fotos, um desses momentos no qual aprenderam sobre a mistura de cores.

4

Vamos desenhar? E no Shrek e Fiona nos transformar?

B

rincar, cantar e desenhar é só começar! Com muita alegria e entusiasmo, os alunos do Infantil 2 do Dom Bosco Assunção, orientados pela professora Patrícia, participaram de uma atividade na qual desenharam com giz verde no chão. No desfecho da ação, todos ficaram verdes transformando-se no Shrek e na Fiona.

Mistura? É assim que se faz!

O

s alunos do Infantil 2 do Dom Bosco Assunção colocaram em prática a proposta do livro Natureza e Sociedade, da Rede Salesiana de Escolas (RSE): prepararam suco de uva, atividade que favoreceu a visualização da mistura entre a água e o pó do suco. O suco estava gostoso e a tarde deliciosa!


DB informa.com

Educação Infantil

Jogo do Tapão

M

ais um jogo divertido trabalhou a concentração, a sequência numérica e a agilidade junto aos alunos do Infantil 3 do Dom Bosco Assunção. A criançada se entusiasmou muito nessa disputa, mostrando grande expectativa para a hora do “tapão” dado na carta de baralho quando o seu valor coincidia com o número dito por um dos participantes.

Para gostar de ler

A

ntes mesmo de aprenderem a ler, as crianças podem e devem ter contato com a literatura. Ao ver um adulto lendo, ao ouvir uma história contada por ele e ao observar as rimas, os pequenos começam a se interessar pelo mundo das palavras. Não é diferente com os alunos do Infantil 2 do Dom Bosco Cidade Alta. Eles aguardam ansiosos a chegada da sexta-feira, pois sabem que neste dia escolherão um livro de literatura infantil para levar para casa e compartilhar este delicioso momento com seus pais e familiares. Além de possibilitar o contato com diversas obras literárias, a atividade proposta pelas professoras Carol, Dani, Alessandra e Bruna é um incentivo a mais à leitura!

- No bê-a-bá do aprendizado

Receitas da Tia Nastácia

H

um, que delícia! Os alunos do 1º ano do Ensino Fundamental do Dom Bosco Assunção degustaram receitas da Tia Nastácia, preparadas com o auxílio das

famílias. As professoras Adriana, Xandu, Rita e Érica contam que esse final de tarde foi maravilhoso, com jeitinho de Sítio do Pica-Pau Amarelo!

5


DB informa.com

Educação Infantil

- No bê-a-bá do aprendizado

O mundo encantado da cor vermelha

A

s crianças do Maternal do Dom Bosco Cidade Alta vivenciaram divertidas experiências com a cor vermelha por meio de brinquedos, músicas, atividades pedagógicas e lúdicas. Houve também atividades realizadas a partir da caixa surpresa o que estimulou a curiosidade dos pequenos e aprofundou a assimilação da cor vermelha. Para finalizar os trabalhos, as crianças tiveram uma tarde animada e alegre com direito a bexigas, brinquedos, músicas e um saboroso docinho. Tudo vermelho, claro!

6

Fábula com gosto especial

P

ara comemorar a vitória dos Três Porquinhos no final desta fábula, os alunos do Infantil I do Dom Bosco Cidade Alta junto às suas professoras prepararam uma salada de legumes deliciosa. Por meio desta divertida comemoração, as crianças experimentaram alimentos saudáveis de forma lúdica e criativa!

O tato no foco do estudo

D

ando continuidade ao trabalho feito pelas professoras do Infantil 3 do Dom Bosco Cidade Alta sobre os órgãos dos sentidos, o professor Leonardo realizou uma aula prática junto à turminha. Na atividade, as crianças estudaram o tato, sentindo com as mãos a temperatura dos recipientes com água quente e fria. Todos participaram e adoraram a experiência!


DB informa.com

Dom Bosco Plural

- Escola o dia todo

Chegou a hora da colheita!

C

hegou a hora tão esperada pela turminha! Depois de preparar a terra, plantar e cuidar diariamente da horta, os alunos do Plural do Dom Bosco Assunção colheram a rúcula crescida. E se deliciaram com uma saborosa salada servida durante o almoço. As professoras Adriana, Mariana, Jessica e Patrícia parabenizam as crianças por todo o trabalho realizado!

7

A

Lição com diversão

s tarefas no Plural do Dom Bosco Cidade Alta ocorrem pela manhã, momento em que os alunos recebem as orientações necessárias, o estímulo positivo

sobre a importância do estudo diário, organizam seus materiais e desenvolvem o prazer em realizar as produções num ambiente adequado e com o carinho das assistentes pedagógicas.


DB informa.com DB

Virou Notícia

Viva as mamães! Maio, mês especial dedicado aos anjos da nossa vida: nossas mães! As turmas da Educação Infantil e Ensino Fundamental do Dom Bosco Assunção e Cidade Alta prepararam muitas surpresas para as homenageadas. Confira!

8

No Dom Bosco Cidade Alta, as crianças da Educação Infantil homenagearam suas queridas mamães com uma festa linda e emocionante. Para completar, os pequenos confeccionaram um lindo presente.

as ara m p asseb, e g a i C aqu osco lma de m por Te Dom B Alta, p o h o o d d ks de Wor ministra o EF 2 es Cida d d s a a e o r i d ã i r o á n m U ad ão M nas rden coo e Alta, ção e S n d Assu Cida

O In Assu fantil ge nção 3 do Mar m de a trouxe Dom B os ia m s doc , mulhe or: “A ua me co n i e l r sai x e d tud e s, se ade o , ja mplo de a temper paciên m Mã de nob mor p ado co cia e s es com e re d a esta ra exe m farta rviço, rcer s l i do n e d mis são a e esp m o do ses : se e m c i rM ãe!” alíssim a

DBCA

DBA A interação mães-filhos deu o tom das atividades preparadas com muito carinho para as homenageadas no Dom Bosco Assunção. Foi inesquecível!

O Dia das Mães foi comemorado com muita criatividade pelos alunos do 3º ano do Ensino Fundamental no Dom Bosco Cidade Alta. Eles confeccionaram com capricho um lindo caderno de receitas para elas.


DB informa.com

Ensino Fundamental 1

- Avançando no conhecimento

Um estímulo a mais à leitura

T

er o hábito de ler faz toda a diferença no aprendizado, por isso o incentivo à leitura é grande e imprescindível no Dom Bosco. Além dos diversos textos dos materiais didáticos da Rede Salesiana de Escolas (RSE), os alunos do 3o ano do Ensino Fundamental do Dom Bosco Assunção desfrutam das obras da biblioteca da classe (trazidas por eles) e dos livros da biblioteca do Colégio. Eles também contam com momentos acolhedores quando a professora lê os capítulos dos livros em sala de aula. Afinal, quem não gosta de ouvir histórias? Ainda mais quando há uma boa dose de suspense!

Por dentro do sismógrafo

O

ensino de Ciências no 3º ano do Ensino Fundamental do Dom Bosco Assunção é envolvente e instigante. A partir de situações do cotidiano, os estudantes são estimulados a realizar descobertas e a desenvolver habilidades que trarão mais conhecimentos. Trabalhando de modo interdisciplinar, a turma aprendeu nas aulas de informática como funciona um sismógrafo – instrumento que registra os movimentos do solo. Já em sala de aula conferiram um modelo de sismógrafo feito pelo professor Juliano

Benotti com o qual entenderam melhor como ocorre o registro dos tremores de terra, principalmente no caso de terremotos. As professoras Acenildes, Fernanda, Liliane e Patrícia parabenizam os estudantes pelo envolvimento na atividade!

9


DB informa.com

Ensino Fundamental 1

- Avançando no conhecimento

Ciência com diversão

Aprender na prática é muito mais divertido. Confira!

O

10

s alunos do 2º ano do Ensino Fundamental do Dom Bosco Cidade Alta “adotaram” uma árvore do parque! Como bons investigadores, observaram as suas várias características, composição, funções, moradores, visitantes e solo. Além desses registros, as crianças também fizeram o retrato da árvore, utilizando-se da técnica do desenho planejado e perceberam a importância desse ser vivo para o meio ambiente.

N

o Dom Bosco Assunção, os alunos no 4º ano constataram a importância da luz solar para a vida no planeta por meio de testes: tapando parte da grama perceberam que o vegetal mudou de cor, passando de verde para amarelo, indicando que estava morrendo. Logo constataram: sem a luz solar, as plantas não teriam como fabricar o seu alimento e, sem as plantas, os animais e os seres humanos não sobreviveriam.

A

s turmas do 4º ano do Dom Bosco Cidade Alta aprenderam que a luz branca é a mistura de todas as cores. Ao confeccionarem o disco de Newton, constataram a teoria deste grande cientista.


DB informa.com

Panorama Musical

Coral homenageia XV de Piracicaba

O

Coral Dom Bosco iniciou suas apresentações de 2013 em grande estilo: com uma linda homenagem ao Esporte Clube XV de Novembro de Piracicaba que este ano comemora 100 anos de existência. No evento, ocorrido em maio no teatro do SESC, o grupo interpretou o “Hino do XV de Piracicaba”, o “Hino da Torcida do XV de Piracicaba”, o “Hino de Piracicaba”, “Rio de Lágrimas”, dentre outras canções que exploram o universo da cultura local. Além de ampliar o interesse pela música, a apresentação possibilitou que os alunos conhecessem mais sobre sua cultura e time de futebol da cidade e colocassem em prática atitudes como o respeito e valorização local.

Som de luxo que vem do lixo

A

música e os sons tornam as cenas mais emocionantes e, por isso, têm grande importância em nossas vidas. As crianças do 3º ano do Ensino Fundamental do Dom Bosco Assunção estão aprendendo que a música está em toda parte. E nada melhor do que aprender sobre sons construindo um instrumento musical! Caixolões foram feitos pelos meninos e chocalhos pelas meninas. Todos produzidos com materiais recicláveis e muita imaginação!

Brincar com música é aprender com criatividade

A

música na educação visa a melhoria da expressão corporal, da interação social e com o meio. A música ajuda na estimulação da expressão oral, orientação espacial, equilíbrio, criatividade, desenvolvimento da coordenação motora fina e ampla, entre outros. O ritmo tem um papel importante na formação e equilíbrio do sistema nervoso, pois, toda expressão musical age sobre a mente, favorecendo a descarga emocional; e a reação motora é uma forma de alívio das tensões. Qualquer movimento adaptado a um ritmo é resultado de um conjunto completo (e complexo) de atividades coordenadas. Por isso, atividades como cantar fazendo gestos, dançar, bater palmas, pés... são experiências importantes para a criança que irá refletir mais lá adiante no processo da aprendizagem da leitura e da escrita. Vanessa Medeiros Professora de música do Plural e EF1 - DBA

11


DB informa.com

Ensino Fundamental 2

- Avançando no conhecimento

1º Encontro com profissionais

O 12

Dom Bosco Cidade Alta realizou no dia 8 de maio o 1º Encontro com Profissionais de 2013. O evento – voltado para os estudantes do 9º ano e do Ensino Médio – reuniu oito profissionais de diferentes áreas de atuação que falaram sobre o despertar da vocação, o dia a dia na profissão e o mercado de trabalho. O Colégio Dom Bosco agradece a todos os profissionais participantes: Cristiane Cipolla Andreote – Biologia, Diana Camargo – Arquitetura, Ivan Romanini – Publicidade e Propaganda, Juliana Sesso – Educação Física, Patrícia do Carmo do Nascimento Bissoli – Direito, Rita de Cassia Lopes de Castro Lima – Medicina, Silvia Maria Daniel – Psicologia e Tildo José Furlan Junior – Relações Internacionais.

Oficina de teatro em pleno vapor

O

Colégio Dom Bosco Cidade Alta iniciou este ano uma oficina de teatro voltada para os alunos do 9º ano e Ensino Médio. Nas aulas iniciais do curso, o grupo está aprendendo técnicas de expressão corporal e impostação de fala e fazendo leituras de peças, sob a direção da professora Luciana Avancini. O objetivo é montar uma peça infantil para apresentação pública no final deste ano letivo. Os participantes aprovaram a iniciativa. Confira em dois depoimentos: “Acho as aulas de teatro demais! Conse-

guimos nos expressar de forma saudável e vivenciamos momentos únicos, pois nos divertimos, damos boas risadas, descobrimos e aprendemos coisas novas! É simplesmente sensacional.” Ana Clara Gutierrez - 9º ano B “As aulas de teatro têm sido muito produtivas e eu tenho aproveitado muito elas, pois trabalhamos com todo nosso corpo, desde a mente até os movimentos e, principalmente, a fala. Estou gostando muito!” Lucas Facco - 2º ano do Ensino Médio


DB informa.com

Ensino Médio

- Universo Teen

Estudantes visitam

U

m grupo de estudantes do Dom Bosco Assunção e Cidade Alta marcou presença na UNIEXPO – VI Exposição Teenager de Universidades e Profissões – ocorrida no dia 27 de abril em Campinas. Durante o evento, os alunos se inteiraram sobre cursos e faculdades de 24 instituições de ensino superior – entre elas a USP, Unicamp, Unesp e ITA, além de carreiras e profissões. A visita é uma das atividades promovidas pelo Programa de Orientação Profissional do Colégio Dom Bosco que busca auxiliar os vestibulandos em suas escolhas futuras.

Meu trabalho é assim...

O

bservar um profissional atuando em sua prática diária é uma boa maneira de conhecer uma carreira e avaliar se há identificação com a mesma. O Programa de Orientação Profissional do Dom Bosco Assunção irá possibilitar esta vivência para seus vestibulandos por meio do projeto “Profissional por um dia”. Várias empresas já confirmaram parceria: Ananda Metais, Aeroclube de Piracicaba, Santa Casa de Piracicaba, Coplacana, Escritório de Advocacia CASTRO&CASTRO Jr. – Advogados Associados, GAtec, Supricel. O Colégio Dom Bosco Assunção homenageou os estudantes do 2º ano Gabriel Miraldo, Carolina Marques e Gabriel Cuellar de Oliveira que receberam menção honrosa no Desafio Nacional de Geografia – National Geographic. Eles ficaram entre as melhores colocações dentre os mais de 165 mil alunos participantes.

13


DB informa.com

Ensino Médio

- Universo Teen

Nossos craques nas Olimpíadas do Conhecimento de 2013 Física

Astronomia

primeira fase da Olimpíada Brasileira de Física (OBF) deste ano contou com a presença de 64 estudantes do Ensino Médio do Dom Bosco Cidade Alta. A turma foi motivada pelos professores desta disciplina, Claudinei Bigaton e André Varella. Já a preparação foi feita pelo professor André Varella e a prova foi assistida pelo professor Daniel Travaina.

m grupo de 56 estudantes do Ensino Fundamental 2 e Médio do Dom Bosco Cidade Alta aceitou o desafio! Motivados e orientados pelo professor André Varella, os alunos participaram no dia 10 de maio da Olimpíada Brasileira de Astronomia. Parabéns à turma pelo empenho!

A

U

14

Biologia Química

ra Giraldelli 12, a estudante La 20 de ro mb te se esde está participando Bosco Assunção, Puppin, do Dom de São Paulo Química do Estado da Olimpíada de ação inscrita red tora principal da au a i fo a El . P) (OQS 0 melhores! e ficou entre as 10 , da na competição qu USP, em São Paulo na ra participará La , ho jun de 8 No dia ratona. ira de Química e fase final desta ma a Olimpíada Brasile ra pa ria ató fic ssi de Química. A prova é cla da Intercontinental pía im Ol a ra pa m també competidora! Boa sorte à nossa

D

D

oze alunos do 3º ano B do Dom Bosco Assunção brilharam na IX Olimpíada Brasileira de Biologia, garantindo a aprovação para a 2ª fase que ocorreu no dia 26 de maio de Amparo (SP). Parabéns aos estudantes: Bianca Silvestrini Rossi, Camila Stenico dos Santos, Cecilia Franco Mendes, Daniela Antonia Negri, Danilo Furlan Cardoso, Fabio Rogerio Urbano Junior, Felipe Lopes Abelha, Juliana Zancheta Lavorenti, Lara Giraldelli Puppin, Suzete Brossi, Taina Andrello Piai e Thiago da Cunha Martins Casarin.


DB informa.com

Ensino Médio

- Universo Teen

Lançamento de foguetes agita aula de Física

O

s alunos do 2º ano do Ensino Médio do Dom Bosco Assunção participaram de uma inusitada aula prática na tarde de 30 de abril: o lançamento de protótipos de foguetes.    A atividade, realizada no Clube Piracicabano de Aeromodelismo, foi a última etapa do trabalho do trimestre na disciplina de Física, sob orientação do professor Marcelo Eduardo Fonseca Teixeira. Por meio dele, a turma estudou as leis de Newton, gravidade, quedas com e sem resistência do ar, centro de massa e centro de pressão aerodinâmica.

Os estudantes, que fizeram os foguetes com garrafas de plástico (PETs), canos de PVC, colas e fitas adesivas especiais, lançaram os protótipos utilizando um compressor de ar e uma base de lançamento a uma pressão inicial de cinco atmosferas. Todos os lançamentos foram filmados e os tempos de subida cronometrados para o posterior cálculo da altura máxima atingida. Para a realização do projeto houve pesquisa preliminar sobre foguetes movidos a combustível e água, apresentação da arquitetura do protótipo escolhida pelo grupo de trabalho, estudo das variáveis físicas envolvidas, tais como velocidade de lançamento, altura máxima atingida, tempo de ação da força propulsora, como medi-los e registrá-los. Já a parte prática teve como mote inicial

o filme “Céu de Outubro” sobre um garoto do 2º grau que, ao ver o Sputnik passar pelo céu em 1957, deseja construir um foguete. Posteriormente torna-se engenheiro-chefe na NASA. “Esta é uma forma de trazer aplicações do aprendizado de física para a vida. A abordagem lúdica facilita a aproximação e desperta para a conexão com o desenvolvimento da linguagem científica e matemática que a física faz”, acredita o professor Teixeira.

15


DB informa.com

Pastoral, Missão & Ação

Maio, mês de Maria Voluntários

em formação

O 16

s alunos do 6º ano do Dom Bosco Assunção estão aprendendo na prática a serem voluntários. O treinamento, escolhido por eles, consiste em promover o Intervalo Lúdico para os estudantes do Ensino Fundamental 1. Muita criatividade e vontade de ajudar é a marca dessa turma. Em março, por exemplo, auxiliaram a Pastoral embalando os bombons da Campanha de Páscoa doados a entidades carentes. Já no mês de maio, pesquisaram histórias sobre Maria e as contaram em salas de aulas do EF1. Foram muito bem recebidos pelos alunos e suas professoras que ficaram admiradas ao ver a iniciativa e desembaraço dos voluntários.

N

o mês de maio, quando se celebra Nossa Senhora, os alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental 1 enfeitaram com flores o altar de Maria. Durante a oferta de flores, fizeram seus pedidos, agradecimentos e orações. Junto à Pastoral lembraram fatos que remetem à imagem de Nossa Senhora Auxiliadora e cantaram com alegria melodias de paz.

Rumo aos 200 anos de Dom Bosco

O

Colégio Dom Bosco Cidade Alta sediou, no dia 5 de maio, um encontro que reuniu 350 jovens das escolas salesianas, obras e paróquias da “região paulista” (Sorocaba, São Carlos, Araras, Americana, Campinas e Piracicaba). O evento, denominado “Rumo aos 200 anos”, é um dos momentos de preparação ao bicentenário do nascimento do Pai e Mestre da juventude, Dom Bosco, que ocorrerá em 2015. Durante o encontro, os jovens participaram de uma missa e oficinas sobre o tema da estreia do reitor-mor, Padre Pascual Chávez, sobre o lema: “Como Dom Bosco educador, ofereçamos aos jovens o Evangelho da alegria mediante a pedagogia da bondade.” À tarde foi realizado o “Bosco Show”, que reuniu apresentações preparadas no período da manhã. Os momentos contaram com o apoio de teólogos e aspirantes, além de cooperadores salesianos que auxiliaram durante a refeição.


DB informa.com

Textos & Contextos

O estudo e seus benefícios

A

educação, direito social imprescindível devido aos diversos benefícios por ela proporcionados, está profundamente interligada com uma carreira profissional bem-sucedida. É por meio do estudo que se obtém conhecimento e, consequentemente, uma qualidade de vida melhor para as pessoas. Variados estudos já conduzidos mostram os benefícios da educação, que vão desde uma maior longevidade até mais felicidade no dia a dia. Pessoas com níveis de educação superiores até demonstram maior participação política quando comparadas a outras. Contudo, tomar a educação como único fator ligado ao sucesso profissional de um indivíduo seria uma atitude extremista. Levando em consideração as teorias criticistas de Emmanuel Kant, o conhecimento não parte exclusivamente da experiência adquirida, visto que também depende de nossas ideias inatas. Logo, é possível que certa pessoa estude e estude, porém não chegue ao sucesso profissional devido à falta de razão inata, assim como podem existir indivíduos em quem uma relativa hipersensibilidade, ou simplesmente ideias inatas mais desenvolvidas, contrabalanceie uma certa deficiência na educação, e o conhecimento e sucesso profissional são atingidos, fato este exemplificado por homens como Samuel Klein e Silvio Santos. Estudos são realizados sempre levando em consideração apenas a maioria do que é estudado. Uma educação de qualidade leva a mais possibilidades e a uma maior chance de sucesso profissional, porém este não é garantido. Existem também exceções, indivíduos que fogem deste padrão e atingem uma carreira profissional bem-sucedida independente de uma falta de ensino de qualidade. Logo, pode-se relacionar o estudo com a geração de mais oportunidades de uma boa carreira profissional. Francisco Groppo - 3° ano A EM Dom Bosco Assunção

17


DB informa.com

Textos & Contextos

O dia em que a Terra não parou

H

18

á muito a mídia discute as causas e consequências do aquecimento global. Muito já foi alardeado pelos meios de comunicação, toneladas de revistas e jornais foram vendidas e até mesmo Hollywood já produziu filmes com o propósito de advertir a população mundial quanto à possibilidade de um apocalipse climático. Pois bem, ainda podemos nos perguntar: quanto de fato sabemos a respeito do aquecimento global e qual é a fonte emissora de tantos problemas? Pode parecer num primeiro momento que essa reflexão habita um lugar comum, já que uma criança do 1º ano é capaz de responder rapidamente a essas questões. Mas podemos discutir um pouco sobre o assunto e perceberemos que tanta informação talvez não seja o suficiente. Sabemos que o aquecimento global é causado pelo excesso de gases do efeito estufa na atmosfera. Só para lembrar, o efeito estufa é um fenômeno natural que garante a permanência do equilíbrio da temperatura no planeta. Isso é possível porque os gases como o CO2 e o metano têm a capacidade de reter parte do calor dos raios solares. Portanto, quanto mais gases, mais calor, simples não?! A questão é que no último século o homem lançou bilhões de toneladas desses gases na atmosfera, podendo ser esta a causa para o aumento da temperatura do planeta. Grande parte de cientistas renomados não aceita com tanta facilidade que o homem seja de fato o único causador do aquecimento global porque o planeta passou por outras eras com temperaturas altas devido a motivos absolutamente naturais. E de fato

as medições metereológicas são muito recentes em relação ao tempo de existência da atmosfera. Mas independente das contendas do meio científico, no dia 10 de maio deste ano a atmosfera atingiu o nível mais alto de concentração de CO2 já detectado desde que o homem começou a coletar dados climáticos: mais de 400 partes por milhão. Acredita-se que somente há 10 mil anos a Terra tenha acumulado tanto gás carbônico como agora. Na ocasião o planeta estava passando por um período de aquecimento global. Atualmente, a concentração de  dióxido de carbono aumenta em torno de 100 vezes mais rápido do que na última era glacial. Aliás, um período de aquecimento global é sempre seguido de uma era glacial. Devemos questionar, nesse momento, quais efeitos inócuos essas informações tiveram nos nossos hábitos de consumo já que, a essa altura, as consequências de um período de mudanças climáticas parecem inevitáveis. Apesar de todas as conferências ambientais, protocolos assinados e dados proferidos pela ciência, esses discursos não passaram de uma nova criação de mercado para mídia, pois o mundo consumista não foi capaz de frear o ritmo frenético do crescimento industrial. Pelo contrário, países como a China, os EUA e até mesmo o Brasil continuaram produzindo e consumindo desesperadamente. Enchemos nossas ruas de carros e entramos qua-

se em transe coletivo quando o governo anuncia uma nova redução do IPI. Compramos compulsivamente, sem refletir e às custas de créditos facilitados pelo sistema bancário. Estamos em constante busca de bem-estar e não percebemos que  fazemos disso um ciclo paradoxal contemporâneo. Criamos, produzimos, consumimos e logo temos que criar e produzir novamente para amenizar o desconforto gerado pelo excesso de produção. Sem dúvida é o momento de parar ou, pelo menos, desacelerar, mudar de rumo e desfrutar de coisas simples, como a paz de nossos lares ou a companhia de nossos filhos. Samantha da Costa Telles Professora de Geografia do EF 2 Dom Bosco Cidade Alta


DB informa.com

Textos & Contextos

O processo de libertação dos escravos no Brasil

E

ra noite de 24 de janeiro de 1835 em Salvador quando a maior revolta idealizada, organizada e financiada por escravos negros foi debelada. Nos meses anteriores, sob as barbas de seus senhores, escravos tinham planejado um levante que libertaria os cerca de 1.500 participantes, mas criaria uma nova escravidão que incluiria brancos, mulatos e negros. Isso mesmo! Causava estranheza o fato de que uma vez libertos, escravizariam outros, incluindo negros. Destaca-se. Eram negros islamizados que para organizar a rebelião trocaram bilhetes entre eles enquanto iam daqui pra lá, buscando água, vendendo galinhas, se alugando... Isso mesmo! Estamos falando de negros que liam e escreviam em árabe em um tempo que o analfabetismo no Brasil girava na casa dos 95% e afetava até muitos senhores de engenho. Porém, infelizmente – para os escravos – o levante não se concretizou graças à delação de uma escrava, possivelmente cristã, que também seria escravizada caso a “república” islâmica fosse instaurada. A despeito do infortúnio dos negros de Alá, a Revolta dos Malês, como ficou conhecida, serviu para despertar em alguns brasileiros o debate pela libertação dos escravos aqui em terras tupiniquins. A partir daí floresceram, mesmo que à surdina, os clubes abolicionistas patrocinadores da abolição por diversos meios. Enquanto isso, outros grupos defendiam a necessidade de se criar meios mais rigorosos de punição e controle sobre essa massa que passava a ser uma ameaça. Inevitavelmente a revolta do Haiti, que ocorrera há aproximadamente 30 anos antes dos Ma-

lês, foi lembrada. Lá os negros criaram uma república independente sobre os corpos dos brancos que dominavam a ilha. Desse debate, tendo a escravidão como ponto central, várias propostas de lei foram elaboradas, embora de pouco efeito. Pela lei de 1831, feita por pressão inglesa, o Brasil se comprometia a não mais trazer negros da África, o que nunca ocorreu, daí a expressão “Foi coisa pra inglês ver”. Esse compromisso só passou a ser um pouco mais cumprido, ou temido, quando o Parlamento Inglês aprovou lei dando poder a sua marinha mercante de apreender navios quando flagrados com negros nos porões. Em muitos casos, a presença dos ingleses não significou a libertação dos cativos. Ao contrário, a “carga” era toda jogada ao mar como forma de eliminar vestígios. Esse tráfico negro só foi contido em 1850 com a lei Eusébio de Queiroz. Outras duas falácias abolicionistas foram as leis do “Ventre Livre” e dos “Sexagenários”. Esta última, por sua própria natureza, quase que inviabilizava a “aposentadoria”. Muitos escravos, inclusive os que nasceram no Brasil, não tinham controle sobre a própria idade. Não faziam festas de aniversário na senzala. Além do mais as condições de trabalho e vida impediam tal longevidade. Mesmo que os mais saudáveis alcançassem as suas seis décadas de vida, esses ficavam obrigados a título de indenização, pela sua alforria, a prestar serviços a seus ex-senhores pelo espaço de três anos. Já os que fossem maiores de 60 e menores de 65 anos, logo que completassem a idade maior se tornariam livres sem indenização, conforme preconizava o parágrafo 11 da referida lei.

Quanto à lei do Ventre Livre, a “pegadinha” era ainda maior. Como nenhum humano é capaz de prover o próprio sustento logo depois de nascer, ao contrário dos animais, o filho da escrava precisava de cuidados. Pensou-se até na possibilidade de o Estado criar orfanatos para esses rebentos, mas como oneraria os cofres públicos, achou-se por bem que os indefesos continuassem com suas mães até os oito anos. Contudo os senhores sairiam prejudicados com o sustento de quem não lhes daria nenhum lucro. Diante desse problema, o Estado se comprometeria em indenizar os senhores, que teriam duas opções: serem indenizados com uma quantia em dinheiro ou poder explorar o trabalho desses “livres” dos oito aos 21 anos. A escolha foi óbvia. A libertação de fato só ocorreria em 13 de maio de 1888, quando Isabel, filha de Dom Pedro II, assinou a Lei Áurea, pondo fim à escravidão sem nenhuma forma de indenização. À eficácia dessa última norma também cabem questionamentos. Marcos Batista Demarchi Professor de História do EF 2 – DBCA

19


DB informa.com

Textos & Contextos

(In)eficiência Legislativa

C 20

erca de 93% dos paulistanos são a favor da redução da maioridade penal, segundo pesquisa do Datafolha. A falta de segurança nas cidades, os casos de roubos realizados por menores e a sensação de “impunidade” para os infratores da lei têm trazido essa questão à tona nos noticiários e nas ruas. No ano de 2013, dois fatos importantes marcaram essa discussão. O primeiro ocorreu na Bolívia durante um jogo do Corinthians, no qual um garoto boliviano de 14 anos foi morto após ser atingido por um sinalizador lançado pela torcida adversária (corintiana). Um torcedor corintiano de 17 anos assumiu a culpa, porém não se sabe se essa atitude foi intencional: para escapar das punições rigorosas, por ser menor de idade, e livrar os colegas infratores. O segundo fato foi a morte de Victor Hugo Deppman, assassinado durante assalto por um adolescente que completaria dezoito anos dentro de dois dias. A pequena diferença para a maioridade penal livrou o infrator de receber a punição mais rigorosa. Além disso, a utilização de menores em quadrilhas para o tráfico de drogas, roubos e furtos tem indignado a população. Mas e a punição? Os adolescentes menores de idade já possuem consciência de seus atos e o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) prevê

as suas responsabilizações; aliás, com privação da liberdade. Porém, somente 0,09% dos infratores cumprem as medidas socioeducativas previstas, segundo dados da Secretaria Nacional dos Direitos Humanos. Portanto, as leis contra os menores existem e estão previstas pelo ECA e outros órgãos no sentido de desenvolver e promover mudanças nesses adolescentes com as medidas socioeducativas. Porém, a eficiência do cumprimento dessas medidas é escassa e, muitas vezes, os jovens saem realmente impunes. O problema dos paulistanos está na falta de informação sobre o assunto. Não se deveria cobrar a punição rigorosa dos jovens a partir de 16 anos e, sim, um

investimento do Estado na implementação das leis do ECA e na prevenção através de uma educação de qualidade e de um sistema integrado entre escola e família. Gabriele de Campos Trobeta – 3º ano A EM – Dom Bosco Cidade Alta


DB informa.com

Textos & Contextos

Os tablets estão chegando às salas de aula Uma das principais publicações mundiais sobre o uso de tecnologia em salas de aula é a NMC Horizon Report, feita pela New Media Consortium em conjunto com a Educause Learning Initiative. Em seu relatório de 2012, perguntava-se sobre as principais tecnologias que modificarão o ensino-aprendizagem nos próximos cinco anos. O uso de tablets eletrônicos e de outros dispositivos móveis figuravam como o próximo passo a ser dado pelas instituições de ensino. No Colégio Salesiano Dom Bosco não será diferente já que a lista de vantagens do uso do tablet como ferramenta pedagógica é vasta. Confira algumas delas: • Busca de informações e realização de pesquisas. Não somente na internet, mas também em jornais e revistas. • Agilidade na partilha de informações entre alunos e professores. • Mobilidade: com o Tablet é fácil estar em grupos ou sentado em "roda" no chão ou em espaços abertos, fora da sala de aula. Não é necessário deslocar-se ao laboratório de Informática. • Facilidade de realizar registros: anotações, gravações de voz, filmagens etc. • Diminuição do peso das mochilas com uso de livros e textos. • Possibilidade de customização das aulas que podem ser construídas e organizadas de acordo com a realidade de cada série e turma, o que dificilmente ocorre quando ficamos presos a apostilas e livros didáticos.

21

• Segurança: o controle de acesso aos aplicativos e a sites pré-selecionados é mais facilitado do que em um computador. • Facilidade para o desenvolvimento de trabalho com projetos transdisciplinares. • Salvamento automático, evitando perda de conteúdo.

• Utilização para jogos pedagógicos e atividades lúdicas. • Diferentemente de desktops e notebooks, o iPad não atrapalha o contato visual entre alunos e professor. Fonte: portalfuturum.com.br


22

Seminário no DBSM reúne 80 educadores sociais da região

C

erca de 80 educadores sociais salesianos das cidades de Piracicaba, Americana, Araras, São Carlos e Campinas – que compõem a Região Inspetorial da Paulista – participaram no dia 19 de abril do Seminário Socioeducativo para Crianças e Adolescentes promovido pela Rede Salesiana de Ação Social (Resas). O evento sediado no Colégio Salesiano Dom Bosco – São Mário (DBSM) contou

com importantes momentos de formação ministrados pelo Irmão Amiranda que abordou o tema “Viver o testemunho da pedagogia salesiana nos dias de hoje”. Em sua explanação, o palestrante destacou os três objetivos para um trabalho eficaz baseado na pedagogia de Dom Bosco: 1º Satisfazer as necessidades primordiais dos mais pobres, oferecendo abrigo, alimento e trabalho. 2º Acompanhá-los com a pedagogia, através da pastoral e educação moral, sempre com objetivos específicos. 3º Educá-los espiritualmente, levando-os à experiência e ao encontro pessoal com Cristo.

Ele ressaltou ainda o dom da temperança que deve ser alcançado no nosso dia a dia de trabalho. A temperança é o que equilibra as paixões cotidianas, é uma virtude moderadora. Foi um dia especial, de trocas de experiências muito ricas para todos.


Momento cívico: cidadania e amor ao próximo

M

ês a mês, os alunos do Colégio Dom Bosco – São Mário participam do hasteamento da bandeira e da comemoração dos aniversários do período. No dia 25 de abril ocorreu mais um momento deste projeto que tem como finalidade o desenvolvimento da cidadania, o resgate da história nacional e a valorização da vida. Sob a orientação das professoras, os alunos também pesquisaram e apresentaram

as datas cívicas importantes do mês de abril.

23

“Roda de Conversa” debate a obesidade infantil

Dando continuidade ao projeto Roda de Conversa, realizado mensalmente para pais de alunos e educandos, o Colégio Salesiano Dom Bosco – São Mário promo-

veu em abril uma palestra sobre o tema “Obesidade Infantil”, ministrada pela nutricionista Andreza Nunes Garcia Mendes que atua na CPAN – Coordenadoria de Programas de Alimentação e Nutrição da Prefeitura de Piracicaba. No encontro, os participantes assistiram a um documentário sobre o tema e receberam orientações sobre alimentação saudável e os riscos e consequências de uma má alimentação. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a obesidade infantil é um dos problemas de saúde pública mais graves e prioritários do século 21, sobretudo nos

chamados países em desenvolvimento. Em 2010, havia 42 milhões de crianças com sobrepeso em todo o mundo, das quais 35 milhões viviam em países em desenvolvimento. Entre os problemas de saúde que crianças obesas podem desenvolver estão a diabetes, doenças cardíacas e a má formação do esqueleto.


DB informa.com

Trava-língua. Vamos tentar? rápido rato rapto, um o ros. id p rá Em deixar rast ratos sem ês tr u to p ra

24

Seção Diversão

A

s frases “trava-línguas” que juntam palavras com fonemas parecidos dão um nó na língua da gente se tentamos falá-las rapidamente. Duvida? Então junte os amigos e a família e lance o desafio! E aí? Quem vence o jogo verbal? Uma coisa é certa: a diversão é garantida!

Casa suja, chão sujo.

O que é, o que é??? 1. O que é que tem capa mas não é super-homem, tem folha mas não é árvore, tem orelha mas não é gente, e é surdo mas conta tudo? 2. O que é shéu? 3. O que é que nasce grande e morre pequeno? 4. O que é o que é, quanto mais ruga tem, mais novo é?

Desenho Piada

* Envie aqui as suas respostas, com seu nome inteiro e série para divulgacao@domboscopira.com.br. As respostas corretas serão divulgadas na próxima edição, junto ao perfil dos cinco primeiros acertadores.

A aranha arranh a a rã. A rã arranha a aranha. Nem a aranha arranha a rã. Nem a rã arranh a a aranha.

Deu tilt no cérebro!

S

elecionamos para vocês uma imagem em movimento. Você foca o olho e ela, misteriosamente, começa a se mexer. Mas como isso funciona? Pela disposição dos elementos, ocorre uma confusão no cérebro, o que faz com que a imagem pareça estar se movimentando, mas na verdade é uma imagem estática. Muitas pessoas irão duvidar que ela está parada, mas trata-se de imagem em jpg. A sensação da movimentação é apenas um embaralhamento no cérebro, o que causa uma ilusão de ótica. Confira!

DB Informa Nº 112  

DB Informa Nº 112 Jornal do Colégio Dom Bosco de Piracicaba - SP | Assunção, Cidade Alta e São Mário- Ano 22 - Maio 2013 - Nº 112

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you