Page 1

1

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

# issue 2 FEB . MAR 2014

GRATIS

Revista brasileira na Holanda

MAGAZINE

S DES CO AO IR T

OUN

DISC

OS DESTA NT

CO NF

business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

T OF A LO TIONS O TS M PRO ISCOUN D AND N THIS O ION EDIT likekor

com tingen.

www.i

com tingen.

O IÇÃ ED likekor

T

OUN

DISC

www.i

com

count.

like-dis

www.i

com

count.

like-dis

www.i

AMSTERDAM ARENA goes to the World Cup 2014

Launch of DO BRASIL Magazine Connection Rio - Roma Saturday Night Fever

INTERVIEW ED MOTTA: King of the Brazilian soul @ North Sea Jazz Club LETÍCIA DE CASTRO AND ELIANA ARP: More than 20 years living in Amsterdam TOURISM GOIÁS VELHO: World Heritage

THE BRAZILIAN VOICE OF THE VOICE OF HOLLAND 2013 EX- INTEGRANTE DO GRUPO ROUGE

DOWNLOAD OUR GRATIS APP

FOLLOW US ON FACEBOOK AND TWIITER DO BRASIL Magazine FEB 2014 www.dobrasilmagazine.com


2

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


3

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


4

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

Creative Ideas

48 20 26

54

08 14

32

32


5

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

Featured

40

08 Saturday Night Fever Believe me, there is something extra that would give away another per- son’s “Latinity”.

14 Goiás Velho: World Heritage in Brazil’s central highlands there is State of goiás, known by its many touristic and natural attractions

20 Letícia Castro, 20 years in love With The Netherlands! She opent hear heart and shared a lot of memories.

26 Amsterdam Arena Goes ... To the World Cup in Brazil Business.

32 Fantine Thó A place to start again.

42 Launch DO BRASIL Magazine Almost 400 guests whent to the launching of DO BRASIL Magazine at the North Sea Jazz Club in Amsterdam.

48 Ed Motta

61

And his discoveries of old novelties.

54 Joy and Flavors of Bahia Eliana Arp, tells us how her cooking and caipirin- has opened doors to a whole new world of opportunities.

61 Connection Rio - Roma The taxi leaves Copacabana heading to Flamengo. It rains and traffic seems to rival with São Paulo’s.

41


6

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

COLOPHON

DO BRASIL PUBLICIDADE AJUDA O EMPRESÁRIAL NA EUROPA

CEO | ART DIRECTOR MARKETING DIRECTOR HEAD OF PRODUCTION ADVERTISING DIRECTOR NETHERLANDS Pollyane dos Reis

DO BRASIL Magazine 6 editions per year 68 pages | 5.000 copies EXECUTIVE DIRECTOR English & Portugees FINANCE & ADMINISTRATION Free distributed in ADVERTISING DIRECTOR BRAZIL The Netherlands Cristiane Bueno Free Available on the App Store CREATIVE CONTENT TEAM & Google Play. EDITORIAL STAFF WRITERS EDITORIAL ADVISERS Pollyane dos Reis WE LIKE SOCIAL Cristiane Bueno facebook/dobrasilmagazine Ana Lúcia Nishio facebook/dobrasilpublicidade Mariana Santana twiiter @dobrasilpublici Aline Milk instagram: dobrasilpublicidade Júlia Abreu de Souza youtube: dobrasilpublicidade Carolina FÜzer Clarissa Mattos (agenda) CONTACT US OFFICE | ESCRITÓRIO +31 20 758 76 08 AMSTERDAM, Netherlands Advertising | Partner Sponsor |Subscriptions + INFO

EDITOR IN CHIEF Mariana Santana CHIEF ENGLISH TRANSLATOR SUB- EDITOR Ana Lúcia Nishio PHOTOGRAPHERS Luciana Figueiredo Suzy Prado Ron Beenen Ulf Wittl

+31 6 84 73 60 13 +31 6 85 74 21 55 www.dobrasilmagazine.com info@dobrasilmagazine.com

PUBLISHING & Publicity DO BRASIL Publicity www.dobrasilpublicity.com MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

MAGAZINE MAGAZINE

GRATIS

APP GET YOURS.

business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

OF CONFEDERATIONS CUP

BRAZIL

MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

CONNECTS

MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

OF CONFEDERATIONS CUP

BRAZIL

CONNECTS MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

WITH THE WORLD

MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

WITH THE WORLD MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

DO BRASIL Magazine 01 AUG 2013 www.dobrasilmagazine.com

MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . português

DO BRASIL Magazine 01 AUG 2013 www.dobrasilmagazine.com


7

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

EDITORIAL

Mariane Santana

Ana Nishio

Pollyane dos Reis Cristiane Bueno

Caros leitores, Aqui estamos novamente para lançar a segunda edição da DO Brasil Magazine! Foi um tempo intenso de reformulação e de novos direcionamentos que resultaram em uma revista ainda mais interessante. Voltando no tempo, os dias logo após o lançamento da primeira edição da DO Brasil Magazine foram um imenso choque. Não imaginávamos a repercussão e a quantidade de reações que tivemos. Sugestões, elogios, críticas e, acima de tudo, o suporte positivo dos leitores provaram que tínhamos uma ferramenta importante nas mãos. E que, apesar do sucesso inicial, mudanças eram necessárias para aprimorar a publicação. Para nos ajudar, contamos com a contribuição generosa de Agatha Kuiper, que efetuou uma objetiva pesquisa de opinião com parceiros e leitores. Isso ajudou muito a nortear os rumos da nova edição. E o que mudou de verdade na revista? Bem, para começar, um visual mais leve. Matérias bem definidas, mais curtas e objetivas, distribuídas de maneira mais confortável para o leitor. Porém, o que mais mudou foi o seu posicionamento. Depois de muito refletir sobre o que teria valor inestimável para a DO Brasil Magazine, o que faria com que nos destacássemos de

Aline Milk

outras publicações, chegamos à conclusão de que são nossas EXPERIÊNCIAS DE VIDA. O que une as culturas brasileira e holandesa são as pessoas e o que elas vivem em intercâmbio com a cultura alheia. Pois essa será a identidade da DO Brasil Magazine a partir de agora. Cada texto celebrará a diversidade e a inclusão cultural, por meio de experiências reais e verdadeiras. Depois de vários contratempos, a nova edição da DO Brasil Magazine está nas ruas. Exaustas mas felizes, temos a certeza de termos caminhado mais um passo na direção certa. E esperamos que goste das mudanças. Boa leitura!

Dear readers, Here we are to launch the second edition of DO Brasil Magazine! It has been times of intense recasting and changing of guidelines, which resulted in an even more interesting magazine. Going back in time, the days after the release of DO Brasil Magazine’s first edition were a huge shock. We couldn’t believe all repercussion and the amount of responses we had. Suggestions, compliments, criticisms and, above all, the positive support of readers proved that we had an important tool in our hands. Furthermore, they showed us

that despite the initial success, changes were much needed to make a better magazine. We relied on the generous contribution of Agatha Kuiper, who carried a focused opinion research among partners and readers. That really helped guiding us through the new edition. What really changed in the magazine? Well, for starters, we have now a lighter look. Also, the magazine features shorter and more objective articles, distributed in a more comfortable way for the reader. However, what really changed was the magazine’s positioning. After much thought about what would be invaluable for DO Brasil Magazine, and what would make us stand out other publications, we came to the conclusion that it is our LIFE EXPERIENCES. What unites Brazilian and Dutch cultures is the PEOPLE who live in constant exchange with an alien culture. Because of that, this will be the new identity of DO Brasil Magazine from now on. Each article will celebrate cultural diversity and inclusion through true-life experiences. After some setbacks, the new edition of DO Brasil Magazine is out on the streets. Exhausted but happy, we are sure to have walked another step in the right direction. And we hope you will enjoy the changes. Happy reading!


8

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

we have noticed

NOS EMBALOS DOS DOIS LADOS DO EQUADOR Acredite, tem sempre um algo a mais que denunciará a latinidade alheia.

O movimento dos quadris entram no automático

Latinos em baladas holandesas, digo genuinamente holandesas, chamam a atenção. Não, não me atenho as características físicas e muito menos ao clichê da sensualidade do idioma que falam. Acredite, tem sempre um algo a mais que denunciará a latinidade alheia. Um jeitinho de andar, sorrir, se sentar, o modo como movimentam as mãos, já bastam para levantar suspeita. Mas, é no momento em que música começa e os quadris entram “no automático” que a suspeita vira obviedade. Porque latino que é latino pode até não encarnar o John Travolta mas, irresistivelmente, vai dar uma reboladinha discreta. Porém, para holandeses (aqueles bem holandeses mesmo,

sem nenhuma intimidade com a malemolência típica do “lado de lá” do mapa) qualquer r equebrada de quadril cautelosa já vira uma aula de samba de gafieira. É verdade! As meninas do “É o Tchan” aos olhos de um “holandês bem holandês” (holandês ao quadrado?), e ainda leigo no assunto, seriam consideradas malabaristas do Cirque du Soleil. Geralmente funciona assim: a noite já está bem animada, tão alegre quanto os que já consumiram alguma porcentagem de álcool. Um grupo de latinos está a “bailar” no recinto, ás vezes, discretamente. Quer dizer, dis-

by Carolina Füzer

Pois, latino que é latino, precisa de espaço!


9

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

we have noticed

o melhor “laboratório” de análise das nuances culturais: os embalos da pista

cretamente na nossa “latina” concepção, é claro! Pois, latino que é latino, precisa de espaço! Sim meus caros, fica difícil coordenar quadris com ombros, pernas, braços, pescoço, orelha, sobrancelha etc. em uma vácuo ínfimo na pista de dança. Excelente! Já temos o pacote completo: o espaço e a música. Mas estamos na Holanda e somos latinos então, isso significa que o nosso kit vem acompanhado de um brinde extra, SIM! O público, é claro! Meia hora e algumas requebradas de quadril depois, já está formada a rodinha em volta do grupo. Há holandeses que

aplaudem, outros encarnam o professor de espanhol (sim, espanhol!), alguns estão a flertar, mas a grande maioria observa atentamente os movimentos desejando arriscar os mesmos passos com a mesma cadência, mesmo que seja meio desengonçada ou robótica. Vale lembrar que os bravos que ousam arriscar uns passinhos, em oitenta por cento dos casos, só o fazem após uns bons goles. Pensando bem, eis aí o melhor “laboratório” de análise das nuances culturais: os embalos da pista de dança. Porque o calor da festança, geralmente, deixa as pessoas mais descontraídas e

livres para ser quem são. Não há procedimentos padronizados ou regras a serem seguidas a risca. É fascinante constatar que, se do lado de baixo não há pecado no rebolado, e do lado de cima a austeridade domina, em ambos os lados do Equador há uma só verdade, todos estão mesmo é em busca da felicidade.


10

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

we have noticed

SATURDAY NIGHT FEVER ON BOTH SIDES OF THE EQUATOR

Believe me, there is something extra that would give away another person’s “Latinity”.

the music starts and the hips turn into “automatic mode”

Latinos in Dutch parties, I mean, genuinely Dutch parties, draw attention. No, I don’t refer to their physical features and much less to the cliché of their language’s sensuality. Believe me, there is something extra that would give away another person’s “Latinity”. A certain way of walking; smiling; sitting; moving their hands are enough to raise suspicion. However, at the moment the music starts and the hips turn into “automatic mode”, that suspicion becomes a certainty. That’s because a true Latin person might not embody John Travolta, but will undoubtedly

wiggle. However, for the Dutch (specifically, the Dutch with no intimacy with the ways of the opposite hemisphere), any tiny bit of hip wiggling can be seen as a full samba lesson. It’s true! In that sense, professional samba dancers would be considered acrobats from Cirque du Soleil. It usually works like this: the party has warmed up, joyful as those who have consumed a reasonable amount of alcohol. A group of Latinos is dancing discreetly. I mean, discreetly in our “Latino” fashion of course, because

by Carolina Füzer


11

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

we have noticed

Latinos need space! Yes, my dear, it is difficult to coordinate hips with shoulders, legs, arms, neck, ear, eyebrow etc. inside a tiny vacuum on the dance floor. Excellent! Now we have the complete package: space and music. But this is the Netherlands, and we are Latinos, so that means our kit comes with an extra toast… The audience, of course! Half an hour and some hip-wiggling later, the circle is already formed around the group. There are Dutch people clapping, others incarnating Spanish teachers. Some are flirting, but most of them watch the moves closely, wishful to risk the same steps, even in a clumsy or robotic way. Remember that the brave few who dare to try some steps, in eighty percent of the cases, only do so after a good few sips. Jokes apart, there is the best “lab” for examining cultural nuances: the dance floor. The party heat usually makes people more relaxed and free to be who they are. There are no standard procedures or strict rules to follow. In the end, everyone is just trying to be happy, no matter from which side of the Equator they come.

the best “lab” for examining cultural nuances: the dance floor.

...because Latinos need space!


12

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


13

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


14

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

tourism GOIÁS

AS RIQUEZAS DO CORAÇÃO DO BRASIL É no Planalto central do Brasil que está localizado o Estado de Goiás, região conhecida por sua diversidade de atrações turísticas e naturais.

Desde o início de sua colonização, o ouro sempre foi o destaque dessa região, que aprendeu a desenvolver tantas outras riquezas que compõem seu cenário atual. Todavia, contar um pouco da sua história é fundamental para entender o que esse Estado oferece para o turista. Até hoje, milhares de pessoas viajam para o centro do Brasil para conhecer um pouco como foi essa “corrida do ouro” brasileira. Conta a lenda que dentre os

GOIÁS VELHO

bandeirantes de São Paulo que vinham buscar ouro em Goiás, estava Bartolomeu Bueno da Silva. Ele não aceitou bem a recusa dos índios em lhe mostrar as jazidas de ouro, de onde retiravam material para as peças com as quais se enfeitavam. Então, ele despejou aguardente num prato, ateou fogo e ameaçou fazer o mesmo com as águas dos rios. Apavorados, os índios levaramno imediatamente às jazidas, chamando-o “Anhanguera” (Diabo Velho ou Feiticeiro). Assim nasceu um estado cheio de

lendas e de exuberâncias naturais. A mais antiga e importante cidade histórica é a Cidade de Goiás, conhecida como Goiás Velho. Seu centro histórico data da época da exploração das jazidas de ouro, e foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 2001. Conhecida por seu estilo barroco, de casas brancas com janelas azuis, Goiás Velho convida o turista a não ter pressa, a ver o tempo passar mais lento enquanto sobe e desce suas ladeiras tranquilas.

CALDAS NOVAS


15

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

tourism GOIÁS

PIRENÓPOLIS

CALDAS NOVAS

by Mariane Santana

GOIÁS VELHO

Goiás Velho: foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 2001.

Quem mora ali vê poesia só de olhar para o Rio Vermelho, que corta a cidade. Foi assim com Cora Coralina, a poetisa que nasceu ali e se descobriu poeta entre tantos velhos sobrados.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo, de 1754, e também prédios de importante beleza histórica e arquitetônica, como o Teatro de Pirenópolis, de 1899, e o cine Teatro Pireneus, de 1919.

Pirenópolis também é conhecida quando se trata de turismo histórico em Goiás, com suas ruas de pedras. A cidade possui relevantes construções tombadas pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Assim, quando for a Pirenópolis, não deixe de conhecer a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, de 1732, a

Para quem busca relaxar em águas tranquilas, Caldas Novas também é uma boa opção de passeio. O município é conhecido por ser a maior estância hidrotermal do mundo, possuindo águas que brotam do chão em temperaturas que variam de 33°C a 60°C. Porém, não espere calmaria na alta temporada. A cidade recebe

em média 500 mil turistas nessa época, se tornando um caldeirão de pessoas, culturas e animação. Outro ponto forte da região é o ecoturismo, pois o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas apresenta várias fontes que se transformam em riachos em meio a uma vegetação de impressionar. Além das trilhas a pé e cachoeiras, os visitantes ainda podem praticar mountain bike, pois a região é cercada de trilhas com belas paisagens.


16

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

tourism GOIÁS

HISTORICAL WEALTH IN THE HEART OF BRAZIL

by Mariane Santana

In Brazil’s central highlands there is State of Goiás, known by its many touristic and natural attractions.

Since the beginning of the region’s colonization, gold has been a highlight for attracting people and development. Nowadays there are many other assets driving people to the State, as we are about to see. However, to know a bit of history is key to understanding what this State can offer tourists. Even today, thousands of people travel to inner Brazil to learn a little about how the Brazilian “gold

GOIÁS VELHO

rush” was like. Legend has it that among the pioneers of São Paulo who came seeking gold in Goiás, was Bartolomeu Bueno da Silva. He did not take well the refusal of the natives to show him the gold deposits from where they withdrew material for their adornments. So he poured spirit liquor on a platter, set it on fire and threatened to do the same with the rivers. Terrified, the Indians took him immediately to the de-

posits, calling him “Anhanguera” (Old Devil or Wizard). Thus, a state full of legends and natural exuberance was born. The oldest and most important historic city is the City of Goiás, known as Goiás Velho. Its historic centre dates from the gold mining ages, and was declared a World Heritage Site by UNESCO in 2001.

CALDAS NOVAS


17

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

PIRENÓPOLIS

tourism GOIÁS

CALDAS NOVAS

Goiás Velho:

GOIÁS VELHO

Known for its Baroque style, with whitewashed houses and blue-painted windows, Goiás Velho invites the tourist to relax and see time pass slower while walking up and down its hillsides. Who lives there sees poetry just by looking at Vermelho River, which bisects the city. So it was with Cora Coralina, a famous poet born there in the 19th century. Pirenópolis and its cobblestone streets are also famous when it comes to historical tourism in Goiás. The town has significant buildings listed by IPHAN - Institute of National Historical and

Its historic centre dates from the gold mining ages, and was declared a World Heritage Site by UNESCO in 2001.

Artistic Heritage. Thus, when in Pirenópolis, be sure to visit the Church of Nossa Senhora do Rosário, built in 1732, the Church of Nossa Senhora do Carmo, of 1754, and also buildings of great architectural beauty like Pirenópolis Theater, built in 1899, and the Pireneus Cinema Theatre of 1919. For those looking to relax in calm waters, Caldas Novas is also a nice trip. The city is known for being the largest hydrothermal resort in the world, having water springs flowing from the ground in temperatures ranging from 33°C to 60°C.

However, do not expect a lull in high season. The city hosts an average of 500 thousand tourists at that time, and turns into a boiling pot of people and fun. Another strong point of the region is ecotourism: State Park of Serra de Caldas Novas has several water sources that turn into streams amidst impressive vegetation. In addition to the hiking trails and waterfalls, visitors can still practise mountain biking, as the area is surrounded by trails with beautiful landscapes.


18

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


19

............................................ DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

RáPIDO

sEGuRO

FáCIL

aGORa Na sMaLL WORLD as suas taXas DE ENVIO sãO

GRátIs!

MONEY tRaNsFER AMESTERDAM

Brasil taXa ZERO *

amesterdam ......................

Kinkerstraat 368 Amsterdam, 1053 GH

*Campanha válida até 28/02/2014

02 0800www.swfs.com 5048 small World Financial Services ( LCC | Global Link | Universal de Envíos | Swiss Transfers | Express Funds | UNO | Choice )


20

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

sharing experiences.

LETÍCIA DE CASTRO

Nossa convidada nesta edição é a empresária Letícia Castro, brasileira de Pelotas, no Rio Grande do Sul, que vive na Holanda há mais de vinte anos. Sorriso largo, alegria e uma mão estendida ao próximo são suas características mais marcantes. by Aline Milk

Aqui, ela nos conta sua trajetória, opiniões, e abre seu coração para falar do passado, nos contar seu presente e planejar um futuro digno de uma batalhadora que não tem medo de se arriscar e alcançar lugares muito mais altos do que esperava.

Como você chegou à Holanda? Eu acabo de completar 20 anos na Holanda. Estava morando em Portugal, um pouco entediada, e resolvi ir para um país que eu não conhecia. Sou uma pessoa de fácil contato, super aberta e extrovertida. Fui me comunicando, trabalhei de babá durante muitos anos, trabalhei limpando casas de pessoas que me ajudaram muito... Fiz de tudo um pouco, até chegar onde cheguei. Hoje trabalho com turismo, com artes também. Tudo foi resultado de um aprendizado geral; tudo contribuiu para me tornar a Letícia que sou hoje.

Você precisou se envolver com a sociedade holandesa para aprender, mas ao mesmo tempo não deixou a cultura brasileira de lado. Foi mais difícil para você entender a cultura holandesa, por estar envolvida com as duas culturas?


21

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

sharing experience. fraquezas? O que você lembra que foi mais difícil pra você? Eu tenho o fator sorte muito grande do meu lado, não tenho medo de trabalhar, não tenho medo de desafios, tenho muita fé, acredito no meu Deus, e acredito muito em mim também. Passei por momentos difíceis, mas que valeram a pena. Podemos tirar proveito de tudo, até a neve, pode acreditar, é linda e não faz mal. Vale a pena tirar o lado bom de cada coisa.

Quando eu cheguei eu trabalhei de babá para uma família holandesa, que hoje são meus grandes amigos; à noite eu trabalhava num restaurante brasileiro; e depois eu trabalhava em um bar brasileiro. Eu tinha contato, 24 horas por dia, com a cultura holandesa e brasileira. Isso nunca me afetou, eu sempre quis ter os dois juntos. Depois que eu me tornei mãe, a cultura holandesa ressaltou bastante, pelo fato dos meus filhos terem nascido aqui, mas eu sou super brasileira também.

Arte também é uma de suas paixões, mas é o que as pessoas menos conhecem de você. Como isso surgiu? Veio do Brasil ou se desenvolveu aqui? Eu sempre fui uma curiosa sobre a arte e a cultura brasileira. E dentro da minha “Oca”, pequenininha, eu tentei trazer um pouco de cada coisa, um pouco da arte brasileira, um pouco do artesanato indígena, e meu próximo passo é fazer uma mini-biblioteca, em que as pessoas possam trocar e emprestar livros uns com os outros.

Nos fale agora um pouco sobre a “Oca”, que recebe turistas, holandeses e a comunidade brasileira. Como começou o projeto? Eu tentei montar uma galeria brasileira arduamente por um ano, mas por termos financeiros eu resolvi não quebrar mais a cabeça. Daí a Oca apareceu, foi um presente do meu pai, de surpresa. Eu não tinha idéia de montar esse negócio, mas como eu estava envolvida com toda a história, pensei em unir o útil ao agradável. Uma amiga arquiteta ajudou e surgiu esse cantinho aconchegante, lindo, vermelho, começamos a ver o que poderíamos fazer, e nasceu a loja Oca Mix. Eu quero muito mais que isso, mas estou bem satisfeita nesse primeiro ano.

Você é sempre muito positiva, mas quais são suas

Atualmente o Brasil está em foco. O que você percebe agora, que os holandeses reparam mais no Brasil? Esse foco no Brasil eu acho negativo, pois colocou as coisas boas e as más também em foco. Fez com que o Brasil ficasse muito caro, para qualquer estrangeiro e para nós brasileiros, então acredito que, infelizmente, a Copa do Mundo elevou a exploração no Brasil. Acho que a gente não merecia isso, poderia ter sido feito de uma outra maneira. Eu torço muito pelo Brasil, sou otimista, mas sou também muito realista. Vejo que não é essa maravilha toda, e fico com pena.

E hoje, você pensa em voltar para o Brasil ou decidiu ficar na Holanda? “ Eu não voltaria para o Brasil, não por mim, mas pelos meus filhos, porque eu acho que aqui é o melhor pra eles. E eu sou muito aventureira, e quando meus filhos estiverem voando com suas próprias asas, eu pretendo correr o mundo.”


22

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

sharing experience.

LETÍCIA DE CASTRO

In this edition, our guest is Brazilian entrepreneur Letícia de Castro. Born in Pelotas, Rio Grande do Sul, she lives in the Netherlands for over twenty years. Her wide smile, joyful personality and her compassion for others are her most striking qualities.

by Aline Milk

Here, she tells us her history and beliefs. She opens her heart to talk about the past, present, and tell us about a future worthy of a fighter who is not afraid to take risks, and achieve much higher than expected.

How did you come to The Netherlands? I just completed 20 years in The Netherlands. I was living in Portugal, got a little bored, so I decided to go to a country I did not know. I make easy contact with people; I am open and outgoing, and so I started communicating… I worked as a babysitter for many years; I cleaned houses for good people who helped me a lot... I did a bit of everything to get where I am now. Today I work with tourism and also with art. It is all the result of general learning, and everything helped to make me the Letícia I am today.

You needed to engage with the Dutch community to learn your way, but at the same time you did not let Brazilian culture aside. Was it difficult for you to understand Dutch culture, for being involved with both cultures?


23

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

sharing experience.

Good luck is on my side. I’m not afraid to work hard; I’m not afraid of challenges. I have faith, I believe in God, and I very much believe in myself. I went through difficult times, but they were worth it. We can take advantage of everything, even the snow, believe me, it is beautiful, and it is harmless. It is good to see the good side of everything.

Brazil is currently under the world’s spotlight. Do you notice Dutch people being more interested in Brazil? When I arrived I worked as a babysitter for a Dutch family, who are now my good friends; at evenings I worked at a Brazilian restaurant, and then I worked at a Brazilian pub. I had contact 24 hours a day with both Dutch and Brazilian culture. It never bothered me; I always wanted to have both together. After I had become a mother, Dutch culture came even stronger because my children were born here; but I am very much Brazilian to the day.

Art is also one of your passions, but not so many people know this about you. How did it start? Have you brought it from Brazil or has it developed here? I’ve always been interested in Brazilian art and culture. In my tiny “Oca”, I tried to bring a bit of everything: a bit of Brazilian art, a bit of indigenous handicrafts. My next step is to build a little library, where people can exchange and borrow books.

Tell us now a little about “Oca”, which welcomes tourists, Dutch people and the Brazilian community. How did the project start? I tried hard to build a Brazilian art gallery for one year, but in the end I decided not to; it was not financially feasible. Then Oca came into the picture; it was a surprise gift from my father. I had no idea how to develop it, but as I was involved in the whole art thing, I thought I could put together business and pleasure. An architect friend helped out, and this cosy, gorgeous, little red nook came to life. We started to study possibilities for it, and suddenly the store was born. Oca Mix emerged. I want much more than that in the future, but I am very glad for this first year.

You are always a very positive person, but do you have a weak spot? What do you remember that was most difficult for you?

I find all this attention to Brazil a negative thing, because it put not only the good things but also the bad things in focus. Brazil has become very expensive for any foreigner and also for us, Brazilians. Therefore I think that, unfortunately, the World Cup in Brazil has increased harmful exploitation. I think we did not deserve it; it could have been done another way. I cheer for Brazil and I am an optimistic person, but I’m also very realistic. I see that it is not all that wonderful, and I find it a pity.

Do you think about going back to Brazil, or have you decided to stay in the Netherlands for good?

“I would not return to Brazil, not for myself but for my children, because I think here is the best for them. I’m very adventurous, and when my kids are flying with their own wings, I intend to travel the world.”


24

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


25

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


26

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

business.

AMSTERDAM ARENA VAI À COPA DO MUNDO ARENA SÃO PAULO

A sustentabilidade dos estádios também é uma preocupação da equipe de planejamento.

by Ana Nishio

projeto de quatro estádios de futebol que sediarão jogos da Copa, em Recife, Natal, Salvador e Porto Alegre. A DO Brasil Magazine conversou com o Diretor do Amsterdam Arena International, Sander Van Stiphout, sobre os projetos e planos para o Brasil, e eles são mais amplos do que simplesmente uma construção de concreto e ferro. Planejar e desenvolver socialmente os arredores e proporcionar novas perspectivas de futuro também estão presentes nessa parceria Brasil - Amsterdam Arena. E para adaptar um estádio como o Amsterdam Arena ao Brasil, primeiro foi preciso conhecer o que as pessoas queriam, suas expectativas e a realidade brasileira. Segundo Stiphout, “daqui nós fizemos os planos de negócios, as investigações para saber o que as pessoas queriam, para sermos bem realis-

A Copa do Mundo no Brasil está chegando, a ansiedade aumentando e brasileiros em todo mundo esperam com impaciência para ver o espetáculo que a Seleção Brasileira de Futebol irá apresentar em campo.

Mas não poderia faltar uma pontinha da Holanda na Copa do Mundo no Brasil. E essa pontinha é enorme, do tamanho de um estádio de futebol! Isso mesmo, o Amsterdam Arena estará super presente no Brasil em 2014 e pelos próximos anos. É deles o

tas. Os procedimentos que deveríamos tomar em cada projeto. Em Salvador e Porto Alegre, por exemplo, são projetos totalmente diferentes de Amsterdam. Mas nosso método de condução é de alguma forma parecido. E é importante compreender que primeiro pensamos, depois agimos, mas realizamos os planos junto com a equipe local”. Após a construção dos estádios, a administração, em torno do período da Copa, também será realizada com parceria da equipe do Amsterdam Arena, que está treinando e capacitando as equipes de diretores, administradores e até mesmo o pessoal para a segurança dos estádios. De acordo com Stiphout, “nós damos suporte em todos os processos e procedimentos, para dar um início mais rápido às operações dos estádios. Em


27

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

business.

ARENA MANAUS

SANDER VAN STIPHOUT

ARENA NATAL

DIRETOR INTERNACIONAL DO AMSTERDAM ARENA

Depois de finalizado esse programa de educação, essas pessoas podem conseguir um trabalho fixo.

Natal, por exemplo, estamos treinando 150 pessoas das favelas, dando instruções de como abordar pessoas, de como parar pessoas, basicamente ajudando a desenvolver suas habilidades sociais. Depois de finalizado esse programa de educação, essas pessoas podem conseguir um trabalho fixo. E assim os estádios passarão a ser um lugar que traz as pessoas e as qualifica para o trabalho. Essas pessoas se vão, e outras pessoas vêm. Nossa ambição é fazer disso uma situação contínua”.

A sustentabilidade dos estádios também é uma preocupação da equipe de planejamento, e Stiphout já vê uma solução para isso, sugerindo a incorporação de negócios dentro dos estádios, atraindo, principalmente, pequenas empresas para se desenvolverem lá dentro, para que novos negócios venham dos estádios, criando empregos para a região. “É assim que tentamos, em cada estádio, encontrar equilíbrio para o sucesso, que não é só trazer dinheiro, mas ser relevante para a sociedade”, clarifica o Diretor do Amsterdam Arena International.

Stiphout termina a entrevista garantindo que estará presente à Copa, torcendo pelo sucesso do evento e para que os estádios agradem o público. Mas na hora dos jogos, ele já confessou que não vai negar as origens, afirmando “eu realmente espero que a Holanda vença, é claro!”. E o Brasil inteiro concorda com ele sobre os estádios, mas sobre o time... nem tanto...


28

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

business.

AMSTERDAM ARENA GOES TO THE WORLD CUP ARENA FORTALEZA

The World Cup in Brazil is at the door; anxiety is building up and Brazilians around the world wait eagerly to see the spectacle that the Brazilian Soccer Team will perform on the field.

The sustainability of the stadiums is also a concern of the planning team

However, we could never miss a little bit of Holland in the World Cup in Brazil; and this little bit is actually huge, the same size as

by Ana Nishio

a football stadium! That’s right: Amsterdam Arena will be present in Brazil in 2014 and the coming years. Theirs is the design of four football stadiums that will host World Cup matches in Recife, Natal, Salvador and Porto Alegre. DO Brasil Magazine spoke with Sander Van Stiphout, Director of International Amsterdam Arena, about their projects and plans for Brazil, which are much broader than simply making buildings of iron and concrete. To bring social development to the surroundings and to provide new perspectives for the future are also present in this partnership Brazil - Amsterdam Arena. To adapt a stadium like the Amsterdam Arena to Brazil, it was first necessary to know what people wanted, their expectations, and the current reality of each location. According to Stiphout, “from here

we have made business plans and conducted many investigations to find out what people wanted, to be as realistic as possible. We determined which procedures should be taken in each project. Salvador and Porto Alegre, for example, are completely different projects than Amsterdam. However, our driving method is somehow similar. Furthermore, it is important to understand that we first think, then act, but we accomplish the plans along with the local team.” After the construction phase, all administration around the period of the World Cup will also be held in partnership with the Amsterdam Arena, which is training and empowering teams in all levels of management, from directors, office workers, to security staff. According to Stiphout, “we give support in all


29

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

business.

ARENA PORTO ALEGRE

Once this education program is finished, those people can get a steady job in the job market.

processes and procedures so stadiums can start operations faster. In Natal for instance, we are training 150 people from the slums, giving instructions on how to approach people, how to stop people; basically we are helping to develop their social skills. Once this education program is finished, those people can get a steady job in the job market. Therefore, the stadium will become a place that brings people in, and qualifies them for a job. These people go, and others come. Our ambition is to make this an ongoing situation.” The sustainability of the stadiums is also a concern of the planning team, and Stiphout sees a solution to this, suggesting the incorporation of small businesses within the stadiums, so

that those businesses will create new jobs for the region. “That’s how we try, at each stage, to find the balance for success, which is not only to bring money but also to be relevant to society,” he clarifies.

Pollyane dos Reis; Sander Stiphout; Cristiane Bueno.

Stiphout finishes the interview ensuring that he will be at the World Cup, cheering for the success of the event and for the stadiums to please the public. However, he confessed that at the time of the matches he will not deny his roots, saying “I really hope Holland will win, of course”. Brazil certainly agrees with him about the stadiums, but about the winning team... not so much…


30

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

Casa

Bocage www.dailyportugal.nl +31 020 - 772 34 58 info@dailyportugal.nl Haarlemmerstraat 111a 1013 EM Amsterdam DailyPortugal

MAGAZINE business | tourism | services | lifestyle | people | news art&music | opinion | fashion | entertainment and more. english . portuguĂŞs


31

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


32

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

interview cover.

FANTINE THÓ Um lugar para começar

by Aline Milk

Todos os brasileiros que moram na Holanda ficaram espantados ao assistir a última edição do “The Voice of Holland”, um dos programas de maior audiência por aqui. Tudo isso por causa de uma apresentação surpreendente da brasileira Fantine Tho que presenteou o público com sua voz suave e generosa.

“Como essa brasileira chegou aqui?” nos perguntamos. E ela nos recebeu com bastante atenção e carinho para nos contar isso e muito mais. Fantine percorreu um longo caminho até aqui. A ex-integrante do famoso grupo pop brasileiro Rouge encontrou na Holanda um lugar para se reinventar. Foi aqui também que ela descobriu uma outra vocação: a maternidade. Depois de um turbilhão de novidades e recomeços, Fantine está de volta, mas nada do furacão pop, da fama, das adolescentes eufóricas atrás do seu autógrafo. Agora, ela se despe diante das letras das suas músicas e mostra sua identidade de mãe, mulher e menina dentro do universo de uma só pessoa. Com o sonho de cuidar de sua filha em lugar mais seguro e tranquilo que São Paulo, Fantine viu na Holanda o melhor lugar para isso. “O pai da minha filha é holandês; nos conhecemos e moramos no Brasil. Mas quando vim conhecer a Holanda, me senti em casa; era o oposto do caos de São Paulo. Saí de


33

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

uma grande metrópole para um vilarejinho, com um estilo de vida super organizado, tranquilo, seguro, anônimo, e era tudo o que eu precisava para entender e abraçar a maternidade. Eu quis me isolar para me refazer e nascer como mãe, num lugar onde me sentisse segura. E foi o que fiz, nos primeiros quatro anos da Cristine. Aqui eu encontrei as condições financeiras, sociais, para me entender como mãe, criar minha filha e desenvolver uma nova família. Em São Paulo eu não conseguiria ter fei-

interview cover.

to nesse estilo”, relata. Mas não foi apenas a maternidade que atraiu Fantine pra cá. A possibilidade de começar de novo musicalmente também pesou para sua decisão. Como ela mesma nos contou, “a liberdade musical também me atraiu porque depois do Rouge todas nós ficamos super rotuladas e ligadas ao pop e, apesar de amar o pop, essa não é minha origem, minha raiz, não é o que me inspira a compor. Aqui eu encontrei esse espaço também. Na Europa existe mais interesse pela arte sutil, pelas

histórias atrás das canções, pelas canções menos comerciais. Então a mudança se alinhou também ao meu novo sonho, não só pessoal, mas também profissional”.

Eu pensei que eu poderia contar mais com a minha experiência que eu tive com o ‘Rouge’, que eu poderia contar mais com a minha música photos: Ulf Wittl

Então eu percebi que minha nacionalidade veio antes da minha musicalidade Mas daí ao “The Voice of Holland” foram anos de anonimato, adaptações, aceitações. Fantine começou sua vida na Holanda apenas como mãe, mas seu chamado musical, apesar de adormecido, sempre pulsou em seu coração por meio das canções que compunha. Em 2013, ela deixou sua paixão pela música fluir ao aceitar o convite para participar do programa.

Ela mesma explica: “eu busquei essa oportunidade. Me inscrevi todos os anos, e fui convidada para participar do programa todos os anos. Porém, eu ainda não me sentia preparada. Quando eu me separei do pai da minha filha, eu pensei ou em voltar para o Brasil, onde eu tinha mais oportunidades profissionais, ou ficar na Holanda e não separar minha filha do pai. Eu queria voltar a um alto nível de performance profissional, e o ‘The Voice of Holland’ foi a melhor plataforma que abriu as portas”.

E a Holanda também esperou muito de Fantine. Foram grandes as expectativas sobre a cantora brasileira que começou a se destacar no programa. Todos esperavam alguma coisa dela, algo diferente que só o brasileiro tem, e ela sentiu isso bem na pele, num dos momentos mais difíceis de sua vida pessoal.


34

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

interview cover.

photo: Cristiane Bueno

Fantine e sua filha Christine.

Então eu percebi que minha nacionalidade veio antes da minha musicalidade no programa, o que por um lado é super encorajador, porque estão vendo meu ponto forte, meu ponto único, mas a autenticidade e a verdade são colocadas em segundo plano, e isso prejudica a expressão musical, isso prejudicou minha expressão artística, e foi o que aconteceu comigo”, confessa a cantora. E como mostrar tanta felicidade enquanto sua vida pessoal desaba? “Nos bastidores rolou a expectativa ‘cadê aquela menina brasileira feliz que a gente conhece?’ E eu tinha passado por uma série de dificuldades no meu dia-a-dia, na minha adaptação, na minha separação, de sair da casa do meu marido e morar na casa de uma amiga até eu conseguir me estruturar, de ter me anulado como mulher tantos anos e ir para um palco gigantesco e expressar essa ‘Happy’” (N.E.: ‘Happy’, de Pharrell Williams, foi a música da última apresentação de Fantine no programa). “Eu pensei que eu poderia contar mais com a minha experiência que eu tive com o ‘Rouge’, que eu poderia contar mais com a minha músi-

“Eles projetam uma imagem: de que sou brasileira, que sou feliz, que sou ‘gostosa’, que sou pra cima. Isso é parte de mim mas não é quem eu sou, e não é o que me inspira a fazer música. ca, mas eu aprendi que sucesso a gente só tem quando a estrutura do nosso dia-a-dia está muito bem cuidada, quando a gente tem pessoas ao nosso redor que verdadeiramente nos apóiam e nos amam. A estrutura emocional, financeira, nos ajuda a ter sucesso na vida. Aí dá pra ser “happy”, mas eu não cheguei lá ainda”, desabafa Fantine. Toda sua trajetória até aqui a fez se descobrir mais madura, mais guerreira, mais mulher, e ela não vai parar por aí. Fantine também compartilha conosco o que aprendeu com a maternidade, com a carreira, e com suas escolhas. “Eu aprendi que parte de ser boa mãe é ser uma mulher realizada, porque a minha primeira intenção foi de me sacrificar, de me dedicar somente à minha filha, mas isso foi um erro porque é preciso equilíbrio. A mulher precisa se cuidar também como indivíduo e respeitar seu chamado individual para conseguir ser uma boa mãe também. Quando eu percebi isso eu decidi ir adiante com o ‘The Voice’. Minha aventura em terras holandesas começou agora”, celebra Fantine, nos deixando felizes com essa decisão e ansiosos por ouvir mais de sua música e talento.


35

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

interview cover.

FANTINE THÓ A Place to Start Again

All Brazilians living in the Netherlands were astonished to watch the latest edition of “The Voice of Holland,” one of the most watched programs around here. All because of the amazing performances of Brazilian Fantine Tho, who has charmed the audience with her smooth and generous voice. “How did this Brazilian girl get there?”, everyone wondered. She welcomed us with a warm heart to tell us about that and much more. Fantine has come a long way up here. A former member of the famous Brazilian pop group “Rouge”, she found in the Netherlands a place to reinvent herself. Here, she found also her other true calling: motherhood. After the turmoil of new beginnings, Fantine is back but far away from that pop hurricane, fame, and euphoric teenagers after her autograph. Now she undresses herself in front of her songs’ lyrics and shows her new identity as girl, woman, and mother. he has dreamt of raising her daughter in a safer and quieter place than São Paulo, and found in the Netherlands the best place for it. “The father of my daughter is Dutch.

by Aline Milk

photos: Ulf Wittl


36

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

I’ve met him, and we’ve lived for a while in Brazil. However, when I came to know the Netherlands, I felt at home. It was the opposite of São Paulo’s chaos. I’ve left a big metropolis to live in a small village, in a neat, quiet, safe, anonymous lifestyle, and it was all I needed to understand and embrace motherhood. I wanted to distance myself, put myself together and be reborn as a mother, in a place where I felt safe. And that is what I did during Cristine’s first four years.

interview cover

Here, I found the financial and social conditions to understand me as a mother, raise my daughter and develop a new family. In São Paulo I could not have done it that way, “she says. Motherhood was not the only factor that pulled Fantine over here. The possibility to start again her career also weighed in her decision. As she told us, “musical freedom also attracted me because after ‘Rouge’ we all were labelled and linked to pop and, despite loving pop music, it

is not my roots; it is not what inspires me to write. Here, I found that space. In Europe, there is more interest in a subtle art, in the stories behind the songs, in the less commercial songs. Therefore, this change of scenario has not only agreed to my personal dream, but also to my professional one.” However, to go from there to the “The Voice of Holland”, there were years of anonymity, adaptation, and self-acceptance.

I’ve left a big metropolis to live in a small village, in a neat, quiet, safe, anonymous lifestyle, and it was all I needed to understand and embrace motherhood.

I’m Brazilian, I’m joyful, I’m ‘hot’, I’m all up!

Fantine began her life in the Netherlands only as a mother, but her musical calling, though asleep, always throbbed in her heart through the songs she wrote. In 2013, she let her passion for music come out, and accepted the invitation to participate in the program. She explains: “I sought this opportunity. I signed up for the trials every year, and I was invited to participate in the program each year. However, I still did not

feel prepared. When I got separated from my daughter’s father, I thought about going back to Brazil, where I had more professional opportunities; or, I could stay in the Netherlands and not take my daughter away from her father. I wanted to return to a high level of professional performance, and ‘The Voice of Holland’ was the best platform that opened the doors for me.” The Netherlands also expected a lot from Fantine. There were great expectations about the Brazilian

singer who came to prominence in the program. Everyone hoped to see something different that only Brazilians have, and at the same time she felt not so good in her own skin as it was one of the most difficult moments in her personal life. “They projected an image: I’m Brazilian, I’m joyful, I’m ‘hot’, I’m all up.


37

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

interview cover

“I sought this opportunity. I signed up for the trials every year, and I was invited to participate in the program each year. However, I still did not feel prepared.

Although all this is a part of me, it is not who I am, and it is not what inspires me to make music. In the show, I realized that my nationality came before my musicality. On one hand, this was encouraging because they (the producers) were looking for my strengths, my differentials, but on the other hand, the authenticity was somehow placed in the background. This blocks your musical expression, it hurt my artistic expression, and that is what happened to me”, confesses the singer. And how to show yourself “happy” as your personal life falls apart? (N.E.: ‘Happy’ by Pharrell Williams was the song she performed in her last appearance on the show) “Backstage there was this ‘what happened to that joyful Brazilian girl we know?’. I had undergone a lot of difficulties in my personal life, adapting to my separation, leaving my husband’s house and staying at a friend’s until I was able to structure myself. I have neglected myself as a woman for many years, and stepping on a giant stage and singing out ‘happy’ is a tough thing”. “I thought I could rely more on the experience I had with Rouge; I thought I could rely more on my music. I’ve learned that we can only be

successful when our daily structure is very well cared for. When we have people around us who truly support and love us, when we have our emotional and financial basis in order. This structure helps us succeed in life. Only then it is possible to be ‘happy’, but I’m not there yet”, she reveals. This journey has made Fantine more mature, womanlier, tougher, and she will not stop there. She shares with us what she has learned from motherhood, her career, and her choices. “I learned that part of being a good mother is to be an accomplished woman. My first intention was to dedicate myself entirely to my daughter, but this was a mistake. To be a good mother, a woman needs also to look after herself, to respect her individual call. When I realized this, I decided to go ahead with ‘The Voice’. My adventure in the Netherlands begins now”, celebrates Fantine, making us very happy with her decision and looking forward to hearing more of her music and talent.


38

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


39

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects Reserveren : 020 664 1620

Voor lunch, diner en veel meer ... met live muziek, theater en tentoonstellingen. De bijzondere gerechten van LĂşcio zijn een creatieve mix tussen de Braziliaanse en de Europese keuken.

GRATIS CAIPIRINHA

bij vertooning van deze advertentie apresentando esta advertĂŞncia.

Amstelveenseweg 91, 1075 VX - Amsterdam www.botecolucio91.nl | facebook: botecolucio91


40

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


41

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


42

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

o nascimento.

DO BRASIL MAGAZINE, INTEGRANDO CULTURAS

Hans Vroomans ( piano), Olaf Keus ( drums), Jura Gomes ( Bass), Ceumar, ( singer), Maria Mendes ( singer), Josee Koning ( singer) , Agnes Gosling ( singer), Alberto de Souza ( percussion), Ana Beck ( singer), Kees Gelderblom ( acoustisch guitar).

Em 1637, quando o Conde Maurício de Nassau desembarcou em Recife trazendo os conhecimentos e a cultura holandesa para as terras tupiniquins, ele nunca poderia imaginar que essa mistura daria tão certo. Em 2013, esse gingado brasileiro alaranjado ganhou mais um representante: a DOBrasil Magazine. O coquetel e concerto de lançamento da DOBrasil Magazine, revista voltada à comunidade brasileira residente na Holanda e ao público europeu amante do Brasil, foi realizado dia 31 de Agosto no conceituado North Sea Jazz Club em Amsterdam e contou com a presença de quase 400 convidados! Estiveram presentes nessa noite autoridades holandesas e brasileiras como o Cônsul Honorário do Brasil em Amsterdam, Reinier Russel, representantes da Embaixada Brasileira e do Consulado Brasileiro na Holanda, representantes da Pre-

feitura de Amsterdam, assim como empresários brasileiros residentes na Holanda e holandeses admiradores de nossa cultura que buscam investir no Brasil. O concerto foi produzido pela DO Brasil Publicidade e contou com as cantoras brasileiras Ceumar e Ana Beck, a portuguesa Maria Mendes e as cantoras holandesas Agnes Gosling e Josee Koning, esta reconhecida como a embaixadora da Bossa Nova na Holanda. Pela primeira vez todas as cantoras dividiram um só palco no show que recebeu o nome “Brazil Connects”. Uma noite inesquecível, que representou um novo marco na integração entre Brasil e Holanda, hoje mais próximos do que nunca.


43

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

the birth.

DO BRASIL MAGAZINE, ROMOTING CULTURAL INTEGRATION

Pollyane dos Reis, Ana Nishio, Aline Milk, Cristiane Bueno and Sandrine Carmona.

In 1637, when the Count Maurice of Nassau landed in Recife bringing Dutch knowledge and culture to Brazilian ground, he would never have thought that the two worlds would blend so well. In 2013, this Orange-Brazilian mix got one more representative: DO Brazil Magazine. The launching party and concert of DO Brasil Magazine, a magazine for the Brazilian community living in the Netherlands and Europeans who love Brazil, was held on August 31 at the prestigious North Sea Jazz Club in Amsterdam and hosted almost 400 guests! Attendants to the party were Dutch and Brazilian authorities such as the Honorary Consul of Brazil in Amsterdam, Reinier Russel; Brazilian Embassy and Consulate representatives, representatives of the City of Amsterdam, as long as Brazilian entrepreneurs resident in the Netherlands, and Dutch

photos: Luciana Figueiredo

admirers of Brazilian culture who seek investments in Brazil. The concert was produced by Do Brasil Publicity and featured the Brazilian singers Ceumar and Ana Beck; the Portuguese Maria Mendes, and the Dutch singers Agnes Gosling and Josee Koning, the last known as the ambassador of Bossa Nova in the Netherlands. For the first time ever all singers shared the same stage, in the concert so called “Brazil Connects�. It was an unforgettable night; a new milestone in the integration between Brazil and the Netherlands, closer today than ever.

photos SEE MORE PHOTOS ON OUR FACEBOOK ALBUM www.facebook.com/dobrasilpublicidade


44

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

PHOTO IMPRESSION

impression.

LANÇAMENTO DO BRASIL MAGAZINE LAUNCH OF DO BRASIL MAGAZINE NORTH SEA JAZZ CLUB AMSTERDAM


45

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

it happened.


46

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

“Beautiful Design, User-friendly, Affordable ...�

APPS

Restaurants Lawyers Dentists Fashion Events Artists Any Business...

About us:

We are specialized in making apps for any type of business at affordable prices. We offer Loyalty pages, GPS Coupon location-based discounting systems, push messages for promotion purposes. App SEO Strategy | Online Marketing | Mobile Websites.

Scan our sites .nl

www.appsmarketeers.nl

www.appsmarketeers.com

+31 20 822 6250 +31 6 46 13 46 25

info@appsmarketeers.nl

.com www.centralapps.com.br


47

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


48

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

music.

ED MOTTA

e suas descobertas de antigas novidades Ed Motta passou por Amsterdam em 2013 e compartilhou com a cidade e com a DO Brasil Magazine parte de sua alegria, música e personalidade. Nessa entrevista ele revela como está seu coração, e como ele faz questão de deixá-lo sempre “aberto ao novo”. Como disse o filósofo Sócrates em sua famosa frase “só sei que nada sei”, ele reconhece esse paradoxo em sua vida. O cantor e compositor revela sua visão curiosa sobre diversos assuntos, e o seu olhar de aprendiz sobre a música, a gastronomia e o mundo.

Você é compositor, arranjador, multinstrumentista, colunista de enologia e gastronomia, apresentador de programa de rádio. Tem alguma coisa que você não faz? Tem um monte! Não sei ver horas (risos). Essas coisas tem uma certa relação, exceto essa parte de escrever sobre vinho e comida. Fazer música tem uma relação com o fato de escrever sobre música, e às vezes cinema, que é algo que eu adoro também. O descanso disso seria essa parte de gastronomia e vinhos, que é um prazer, e que eu coloco quase no mesmo patamar desses interesses vitais pra mim.

by Ana Nishio

Entrevista à DO BRASIL Magazine feita do camarim do North Sea Jazz Club em Amsterdam. Pollyane dos Reis, Ana Nishio, ED MOTTA, Cristiane Bueno.

Esse ecletismo que se traduz nas suas atividades cotidianas se reflete muito na sua própria música. Como é seu processo de inovação? O que te inspira a buscar renovação no seu trabalho? O que me inspira é a curiosidade em descobrir o novo, mas pode ser uma antiga novidade, que está sempre me surpreendendo, podem ser várias coisas que existem no mundo, principalmente das minhas áreas de interesse específicas. Então, tem sempre uma antiga novidade movendo minha curiosidade, me surpreendendo e me ensinando.

Sobre o seu mais recente álbum, “AOR”, nele há parcerias com músicos internacionais, como Dante Spinetta, Jean-Paul Maunick, e a lenda


49

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

Eu sou muito exibido, né? (risos). Sou um bom leonino, que gosta de exibir seu dia-a-dia, o que faz, o que come, o que não come! Fica aquela exibição, é como um Big Brother sofisticado (risos).

de você poder participar de várias coisas. Eu acabo de participar de uma faixa que vai sair no Japão, chamada “Tokyo Blues”, do Horace Silver, da mesma forma, só que eu coloquei a voz na minha casa e mandei pelo email. Eu geralmente mando por um serviço de FTP (n.e: File Transfer Protocol) e chega lá numa boa: o WeTransfer, eu usei para tudo.

Você é uma pessoa bem conectada, aberta ao público, algo que é difícil ver em artistas. Você gosta desse contato com os fãs? Eu sou muito exibido, né? (risos). Sou um bom leonino, que gosta de exibir seu dia-a-dia, o que faz, o que come, o que não come! Fica aquela exibição, é como um Big Brother sofisticado (risos).

E sobre Amsterdam, qual sua impressão da cidade, do público?

photos: Ana Nishio / Cristiane Bueno ED MOTTA & BAND North Sea Jazz Club Amsterdam

David T. Walker. Você fez todas essas parcerias virtualmente, por e-mails e troca de arquivos. Como foi esse processo à distância, foi um desafio? Foi bem interessante, porque eu já vinha trabalhando dessa forma, à distância, com algumas pessoas no Brasil, já faz tempo. Agora eu tive músicos internacionais trabalhando no disco. Com o David T. Walker, eu fiz um contato via internet e ficou. Isso é algo muito interessante, uma possibilidade magistral de encontro que a tecnologia traz, o fato

Aqui é um dos poucos países para o qual eu já viajei sem ser para show. Eu só viajo se tiver um show, se tiver a passagem eu vou, e gasto dinheiro com outras coisas. Eu acho muito caro o preço da passagem. Mas eu adoro aqui, já fiquei quase um mês aqui. Adoro essas “straats”, não conheço tudo, mas já andei bastante por aqui. Já fiquei dormindo no Vondelpark e perdi vôo, já fiz de tudo aqui, gosto muito. E o público daqui tem uma abertura espetacular, é parecida com a abertura e a visão universalista que eles têm da própria língua, pois eles falam alemão, inglês, francês como se fossem a primeira língua, junto com o holandês, e eu me identifico muito com eles por isso, por eles não terem uma bandeira, e eu acho isso uma maravilha.

Falando sobre essa mistura de línguas, “AOR” sai em português no Brasil e em inglês na Europa. Sinceramente, qual versão você gosta mais? Eu gosto das duas, de formas diferentes. A versão em português tem um elemento a mais porque é a língua com que eu me expresso no dia-a-dia, é a língua que eu sonho quando durmo, desde a infância. Mas seu eu for falar da música que eu escuto, noventa por cento de tudo que eu escuto está em inglês, então a língua franca da minha música é o inglês. Quando eu escuto minhas músicas em inglês, elas soam melhor, dentro do que eu penso musicalmente.


50

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

music.

ED MOTTA

by Ana Nishio

and his discoveries of old novelties Ed Motta came to Amsterdam in 2013 and shared with the city and DOBrasil Magazine some of his music and joyful personality. In this interview, he reveals whereat his heart is, and reminds us of Socrates’ famous phrase, “I know one thing: that I know nothing.” Recognizing this paradox in his life, the singer-songwriter reveals his curious view on many subjects, and his “apprentice” eye on music, gastronomy and the world. You are songwriter, arranger, multi-instrumentalist, oenology and gastronomy columnist, and host of a radio program... Is there anything that you don’t do? There’s a lot! I do not know how to read the time (laughs). These things have a lot in common, except for writing about wine and food. My song writing and music making are related with writing and talking about music, and sometimes film, which I love too. Taking a break from that, I write about food and wine, which is a pleasure that I place almost at the same level of those other vital interests of mine.

The eclecticism in your everyday activities reflects in your very own music. How do you work innovation? What inspires you to seek renewal in your music? What inspires me is the curiosity to discover the new; it may be an old novelty, it never ceases to surprise me; it can be several things around the world, especially in my specific areas of interest. Therefore, I always have an old novelty picking my curiosity, surprising me and teaching me.

Interview with Ed Motta by DO BRASIL Magazine - North Sea Jazz Club Amsterdam

In your latest album, “AOR”, there are contributions of international musicians such as Dante Spinetta, JeanPaul Maunick, and the legend David T. Walker. You did all these partnerships virtually, through e-mail and file exchange. How was it? Was distance a challenge?


51

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

music.

When I listen to my songs in English, they sound better, I think, musically speaking.

by email. I usually send music by FTP service (n.E.: File Transfer Protocol), and it gets there such as good. As with WeTransfer: I used it on everything.

You’re a well-connected, open-to-the-public person, something that is difficult to see in most artists. How do you like this contact with fans?

I am an exhibitionist, right? (laughs). I’m a good Leo, who likes to show his day-to-day, what I do, what I eat, what I don’t eat! It’s like a sophisticated Big Brother show (laughs). What about Amsterdam, what are your impressions of the city, of the public?

photos: Ana Nishio ED MOTTA & BAND North Sea Jazz Club Amsterdam

It was actually very interesting because I was already working with some Brazilian people from a distance. Now I had international musicians working on the record. About David T. Walker, I made contact with him via the internet and we stayed connected. This is something very interesting, the huge possibilities that technology brings; you can participate in various things much easily. I just participated in a song to be released in Japan called “Tokyo Blues”, by Horace Silver, in the same way, except I added the voice in my house and sent it

Here is one of the few countries to which I have travelled that was not just for concerts. I usually only travel if I have a concert, if I have a paid ticket, and I spend my money on other things. I find the tickets very expensive. However, I love it here; I have stayed almost a month here. I love these “straats”; I don’t know here much, but I’ve walked quite a bit around here. I slept once in the Vondelpark and missed my flight; I have done everything here, really. And the public has a spectacular open mind here, it is like the open-minded and universal vision they have for language for instance. They speak German, English and French as they were their mother tongue along with Dutch, and I can relate a lot with them. They do not carry a single flag, and I think that’s wonderful.

About this language mix, “AOR” comes out in Brazil in Portuguese and in English in Europe. Honestly, which version do you like better? I like both, in different ways. The Portuguese version has an extra element because it is the language in which I express myself on a daily basis; it is the language I dream of when I’m asleep. However, if I speak for the music to which I listen, ninety percent of it is in English. In that sense, my music’s universal language is also English. When I listen to my songs in English, they sound better, I think, musically speaking.


52

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects


54

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

sharing experience.

A ALEGRIA E O SABOR QUE A BAIANA TEM

by Aline Milk Não é que a vida não tenha me mostrado o lado amargo dela, mas aprendi a tirar de cada momento um lado positivo.

Com seu calor e gingado, a baiana que conquistou a Holanda mostra como a culinária e a caipirinha abriram portas para um mundo e oportunidades totalmente novas.

Ela é Eliana Bernadete Moreira Chaves Arp, vinda de uma bela cidade de peregrinação chamada Bom Jesus da Lapa. Pela sua própria definição, “fui uma criança feliz, me tornei uma adolescente feliz, e hoje chego à maturidade feliz...”. É dessa forma singela e romântica que Eliana conta o trajeto que a trouxe da Bahia para a Holanda, para marcar a vida de tantas pessoas em dois continentes e universos culturais tão diferentes. “Não é que a vida não tenha me mostrado o lado amargo dela,

mas aprendi a tirar de cada momento um lado positivo. É assim que sempre acontece comigo”, define. Aos 21 anos, conheceu numa igreja em Salvador um belo jovem de olhos azuis e cabelos longos. O jovem holandês de 23 anos era Richard Arp, que também se encantou pela bela negra de ancas e seios fartos. “E como reza o mandamento, um dia deixarás sua casa, seu pai e sua mãe e se unirá ao seu marido. Me vi um ano depois morando na terra das tulipas”, recorda Eliana.


55

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

Cozinhando na natureza

“Depois de passar o susto do frio, da terra cinza, da gente de cara meio amarrada, da língua saída pela garganta e da comida sem gosto de nada, fui fazendo aqui minha vida, entrando de cabeça na cultura do meu novo país, aprendendo a língua e, de certa forma, me apaixonando de verdade por essa terra”, revive a baiana. E foi na Holanda que nasceu seu filho Rutger, uma bela mistura de baiano com holandês. Hoje são filhos, netos, sobrinhos, afilhados e muitas experiências somadas em 25 anos de Holanda. “Aprendi muita coisa, cresci, me tornei adulta, sem deixar a criança que habita em mim morrer. Sou feliz aqui, bem feliz, e é isto que importa. O segredo é a mistura, e a culinária me ajudou muito, me abriu muitas portas”, define Eliana depois de intensas emoções vividas na terra dos moinhos.

A culinária é uma de suas especialidades. Como surgiu a idéia de misturar receitas para agradar aos paladares brasileiro e holandês? Isso ajudou na sua integração na Holanda?

Aqui em casa sempre foi tudo muito ligado a comida. Meu marido sempre diz: “essa me pegou direitinho pelo estômago!” Mas como mostrar isso para uma família pura e típica holandesa? Não foi uma tarefa muito fácil, a família de meu marido tinha seus costumes, e adentrar e mudar uma cultura, ou melhor, mudar uma rotina de costumes, não é nada fácil... E eu não tenho uma especialidade, na verdade eu misturo tudo. A moqueca é adaptada, com menos azeite de dendê; do peixe eu uso somente o filé. Por outro lado, também o Zuurkool tem tempero brasileiro. Assim, as receitas têm todas um toque brasileiro, e com o tempo eu fui conquistando a família por esse caminho. Hoje meus sobrinhos já pedem salgadinhos brasileiros da Tia Li nas festinhas deles também. Meu marido e meu filho são loucos por acarajé, e minha sogra e minha cunhada sempre gostaram da minha moqueca, com pouco azeite de dendê, é claro...

Na cozinha da Lili não tem apenas comida, pois você tem uma história com a caipirinha! Você é procurada para workshops e já fez caipirinha para a Majestade e muitas outras celebridades. Como surgiu a idéia de ter uma empresa de caipirinha aqui na Holanda? Minha história com a caipirinha vem desde o navio que me trouxe pra terra do Van Gogh... Quando embarcamos no cruzeiro que vinha pra Holanda, eu fiz amizade com o capitão e,

em certa noite, ele disse: “hoje no lugar de vinho queria tomar uma caipirinha bem brasileira, e vou pedir à simpática Eliana, que está indo morar na Holanda, pra preparar pra nós”. Eu fiquei vesga, pois tinha contado pra ele que na minha bagagem trazia alguns litros de pinga! Uns 30 litros, pois como eu vim de navio, tinha 200 kg de bagagem! Então abri mão de alguns litros e passei a noite inteira preparando caipirinhas no navio. Uma vez aqui, eu preparava caipirinhas em alguns bares e eventos de conhecidos. E quando eu terminei meu curso de comércio exterior e gerenciamento de empresas, o professor nos deu a missão de desenvolver um plano de negócios com produtos do país de origem de cada aluno, que seria apresentado a Câmara do Comércio. O melhor trabalho teria um curso totalmente pago pelo governo holandês e a oportunidade de abrir a própria empresa. O meu foi escolhido, e assim surgiu o Caipirinhaclub. O foco da empresa é mostrar a maneira correta de se representar o Brasil através desse drink, que faz parte da nossa história. As caipirinhas do Caipirinhaclub são feitas individualmente, os limões são cortados na hora em que estamos preparando a bebida, e há 6 anos produzimos nossa própria cachaça.


56

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

sharing experience.

THE JOY & THE FLAVOURS OF BAHIA

The lady who conquered the Netherlands tells us how her cooking and caipirinhas opened doors to a whole new world of opportunities.

by Aline Milk “It’s not that life has never shown me its bitter side, but I’ve learned to take a positive view from every moment.

She is Bernadette Eliana Moreira Chaves Arp, born in a beautiful city of pilgrimage called Bom Jesus da Lapa. In her own words, “I was a happy child, I became a happy teenager, and today I come to a happy maturity.” In this simple and romantic way, Eliana recreates the path that brought her from Bahia to the Netherlands, in order to change the lives of many people on the two continents. “It’s not that life has never shown me its bitter side, but I’ve learned to take a positive view

from every moment. That’s how I see it”, she says. At age 21, she met a beautiful young man with blue eyes and long hair at a church in Salvador. The 23-year-old was the Dutch Richard Arp, who was also charmed by the beautiful black girl of full hips and breasts. “And, as the commandment says, one day you will leave your house, your father and mother, and will be united to your husband. A year later I found myself living in the land of the tulips,” remembers Eliana.


57

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

sharing experience.

Here at home we were always very attached to food. My husband always says, “She’s got me hooked on her food!”

“After the first shock with the weather, the gray sky, the longfaced people, the words that come out from the throat and the tasteless food, I was making my life beautiful here; diving into the culture of my new country, learning the language and in a way, falling in love for real with this land,” she recalls. It was in the Netherlands that their son, Rutger, was born: a beautiful mix of Bahian and Dutch. Today there are children, grandchildren, nephews, godchildren and many experiences added in 25 years living here. “I’ve learned a lot; I grew up, without killing the child that lives in me. I’m happy here, very happy, and that’s what matters.” “The secret is to mix the best of each world; cooking helped me a lot and opened many doors”, defines Eliana after intense emotions experienced in the land of windmills.

Cuisine is one of your specialties. How did you come up with the idea of mixing recipes to please both Brazilian and Dutch palates? Did it help in your integration here?

However, how to show it to a typical Dutch family? It was not a very easy task because my husband’s family had their habits; and to change a culture, or rather than that, to change a routine of habits, is not easy... I do not have a single specialty; in fact I mix everything. The moqueca (N.E.: fish stew) I adapted with less palm oil, and I use only fish fillets. On the other hand, I use Brazilian spices in my zuurkool. Thus, all my recipes have a Brazilian touch; and in time I’ve won the family’s hearts and mouths. Today my nephews ask for Aunt Li’s Brazilian snacks at every party. My husband and son are crazy about acarajé (N.E.: fried bean dumplings filled with shrimps), and my mother and sister-in-law always liked my moqueca, with just a little palm oil, of course...

Lili’s kitchen relies not only on food; you have also a history with caipirinha! People ask you to teach workshops; you have made​​ caipirinha for the Queen and many other celebrities. How did your caipirinha company started in the Netherlands? My story with caipirinha started on the very ship that brought me to Van Gogh’s land...

When we boarded the cruise coming to the Netherlands, I made friends with the captain; and one night he said: “tonight, instead of wine, I’d like to have a Brazilian caipirinha. I’d like to ask lovely Eliana, who is going to live in the Netherlands, to make some for us. “ I froze up; I had told him that I brought some bottles of cachaça in my luggage. To be precise, I had about 30 liters of cachaça in my 200 kg luggage! So I gave up a few bottles and spent the whole night making caipirinhas on the ship. Once here, I made caipirinhas in some bars and events of people I’d known. When I finished my foreign trade and management course, the teacher gave us the mission to develop a business plan for products from the country of origin of each student, which would be presented to the Chamber of Commerce. The best plan maker would be granted a course entirely paid by the Dutch government and the opportunity to open the company. Mine was the chosen one and, therefore, Caipirinhaclub came to life. The company’s focus is to show the correct way to represent Brazil through this drink, which is part of our history. At Caipirinhaclub, caipirinhas are made one by one; limes are cut just before mixing, and for 6 years we’ve produced our own cachaça.


58

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

good food.

VOCÊ PODERIA NOS DAR UMA RECEITA BEM GOSTOSA PARA O NOVO ANO?

GIVE ONE OF YOUR RECIPES FOR THE NEW YEAR?

Oh, yes, the recipe of my adapted pudding. It is based on our renowned custard pudding, and I add a well-known Dutch cookie to it.

Ah, sim, a receita do meu Pudim adaptado. Ele é feito com base no nosso conhecido pudim de leite condensado, mas acrescentando um biscoito holandês bem conhecido.

INGREDIENTS 1 lata de leite condensado a mesma medida de leite 3 ovos 1 colher de sopa de maizena 3 colheres de coco ralado 1 cálice de licor de amêndoas (opcional) alguns biscoitos holandeses de amêndoas, os bitterkoekjes Bata todos os ingredientes no liquidificador, menos os biscoitos. Prepare uma calda queimada, com uma xícara de açúcar, gotas e raspas de limão.

PUDIM DE LEITE MILK PUDDING

INGREDIENTS

- 1 can condensed milk , The same measure of milk, 3 eggs, 1 tbs corn starch, 3 tbs grated coconut, 1 cup almond liqueur (optional), Some Dutch almond cookies (bitterkoekjes) Receita de pudim de leite a La Lili!

Coloque a calda na forma de pudim, distribua os biscoitos no fundo, por cima da calda, e coloque a mistura que foi batida no liquidificador. Coloque pra assar em forno já aquecido a 180 graus. Para que o pudim não queime rápido embaixo, o truque é colocar a forma do pudim dentro de uma forma com água, em banho maria. Coloque os biscoitos também por cima do pudim e deixe terminar de assar. Bom apetite! Com o coração aquecido por

essa alegria tão acolhedora, nos despedidos de Eliana, mais felizes por termos conhecido essa pessoa especial. Especial não só pelo seu dom na culinária, mas também por sua contribuição social e cultural, que mostra a outras nações, com criatividade e respeito, um pouco mais da cultura brasileira.

MILK PUDDING Blend all ingredients except the cookies. Prepare a caramel with a cup of sugar, and lemon drops and

zest. Pour the caramel in the pudding tin; distribute cookies in the bottom over the syrup and pour over the blended mixture. Put the tin in a water bath and place it in a pre-heated oven at 180C. Place some cookies on top of the pudding and finish baking. Enjoy! Warmed by this welcoming interview, we leave Eliana, happier to have met this special lady. She’s special not only for her cooking gift, but also for her social and cultural contribution, which show other nations, with creativity and respect, a bit of Brazilian culture.


59

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

WE LIKE ART Brazilian artist

In a world in which information is constantly crossing boundaries, it is crucial to pay attention to how fast young talented visual artists have been incorporating formal, stylistic and pictorial elements to their work. André Mendes is one such case! Em um mundo em que a informação ultrapassa limites é de crucial importância prestarmos muita atenção à veloz assimilação formal, estilística e pictórica que vem sendo apresentanda por alguns novos talentos das artes visuais. Um destes casos de destaque é o de André Mendes www.issuu.com/mendes.andre

art.


60

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

histórinha. ler é aprender

CANTINHO O Elefante Rei brasileirinho O elefante que nasceu livre na floresta, hoje picadeiro e jaula de circo é tudo que lhe resta. Sozinho no circo Holiday, lembra do tempo em que na selva vivia livre como um rei. Lembra da mãe bonita e redonda, seu berço era aquele tromba. Hoje sozinho e longe de casa, no picadeiro se sente boboca e ainda tem gente que lhe joga pipoca. Na jaula na escuridão sente a tristeza da prisão. Sonha em voltar para a selva, rever a manada de amigos, correr na relva. Mas no circo o elefante fica e de saudades de casa, na jaula se agita. No dia a dia do circo domador grita. Exige obediência, ameaçando violência. O forte elefante obedece sem resistência, pois elefantes são toneladas de inocência. O homem quer ser dono de tudo no mundo, compra animais e prende, mas de liberdade esse homem nada entende. Nas matinês de domingo no circo, o domador grita e não admite demora, ele manda o elefante para o picadeiro : - Agora! Triste e cansado ninguém vê mas o elefante chora. No picadeiro do circo, o domador ri e conta vantagem, ele pensa que tem coragem. Ma só elefante pensa até fala: - Aqui não fico não sou de circo! - Qualquer dia fugirei! Sei que na floresta todo animal é rei! E assim cansado de ser prisioneiro

decidiu voltar para sua terra natal, queria ser livre como todo animal. E foi de noite, escondido, que se deu o acontecido, arrebentou as grades da jaula que virou ferro retorcido. - O elefante fugiu! - O elefante sumiu! Procuraram mas não encontraram. O domador que o tratava tão mal, agora de medo tremia. -Será que está na vizinhança? -Será que ele pensa em vingança? Agora era o domador quem fugia, sem saber para aonde ia. Mas no circo ninguém mais soube o que aconteceu com o elefante e o circo seguiu viagem, seguiu adiante. Mas o que ninguém conseguiu enxergar é que já muito longe no mar, o elefante por submarino se fez passar, corpo submerso na água e a tromba bem alta no ar. E assim para casa foi nadando depressa,pois seus amigos o esperavam com festa.O elefante, contente, sabia que depois do mar ficava sua casa, sua floresta. E sua volta foi pura felicidade e na mesma noite todos os animais festejaram a liberdade.


61

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

chronicle.

Trajeto Connection RIO - ROMA

by Júlia Abreu de Souza

O táxi sai de Copa a caminho do Flamengo. Chove e o congestionamento parece querer competir com o de Sampa. Até nisso somos rivais. Um ônibus atrevido e agitado foge do seu pedaço e, sem pedir licença, corta, desaforado, a nossa passagem. O táxi freia, e eu quase desemboco no assento da frente. Após os xingamentos de praxe, o motorista se compõe e silencia. Uns minutos mais tarde, sem tirar os olhos do espelho, ele me pergunta: -A senhora já ouviu falar em Júlio César? -O jogador de futebol? Ele se vira, e me diz, compassivo: - Não, madame, estou falando do imperador romano. -Ah, aquele? Conheço,sim. - É que ele me lembra estes caras que dirigem os ônibus no Rio. São todos uns bárbaros. Não sabe o que ele fez? -O motorista? -Nãaao, ele diz, revirando os ohos. O Júlio César romano! Do Canal History. -Ah, o Júlio César do Canal History! O que foi mesmo que ele fez? -Já reparou que a humanidade continua a mesma, os mesmos bárbaros, invasores desrespeitosos, os mesmos tipos sem-vergonha? Tudo começou com Júlio César. -Tudo? -Tudo. Ele conquistou a Europa, a África, o Egito, pintou e bordou, mas se deu mal, e acabou sendo assassinado por um amigo. Depois, veio um outro imperador que matou a mulher, a mãe, pôs fogo na cidade, botou pra quebrar. Dentro do túnel, ele continua a divagar sobre os excessos da natureza humana, discursando sobre Hitler, Stalin e outros renomados psicopatas. Fico quietinha, de ouvidos fechados. O táxi chega ao seu destino. O taxímetro marca R$24. -Olha, o papo estava tão bom, a senhora só paga R20. Não deixe de ver a série, ainda vai aprender muito.

The taxi leaves Copacabana heading to Flamengo. It rains and traffic seems to rival with São Paulo’s. Even in that we are rivals. A bold and busy city bus get out of its lane and, without permission, insolently cuts our way. The taxi hits brakes, and I almost land in the front seat. After the usual swearing, the driver composes himself and silences. A few minutes later, without taking his eyes away from the mirror, he asks: - Ma’am, have you ever heard of Julius Cesar? - The soccer player? - No ma’am, I’m talking about the Roman Emperor. - Oh, that one? Of course. - He reminds me of the bus drivers in Rio. They are all barbarians. Do you know what he did? - The bus driver? - Nooooo, – he says, rolling his eyes – the Roman Julius Cesar! From the History Channel. - Ooh, the Julius Cesar from the History Channel! What was it again he has done? - Have you ever noticed that mankind is still the same, with the same barbarians, disrespectful invaders, and the same shameless people? It all began with Julius Cesar. - Did it? - Yes. He conquered Europe, Africa, Egypt; he did what he wanted with the world. However, he ended up murdered by a friend. After that, there was another emperor who killed his mother, wife, burned the city to the ground; he was out of control! Inside the tunnel, he continues to ramble about the excesses of human nature, lecturing me about Hitler, Stalin and other renowned sociopaths. I remain silent, my ears folded. The taxi arrives at destination. The taximeter shows R$24. - Look ma’am, we had such a pleasant chat! You pay only R$20. Don’t you miss the show; you will learn lots of stuff!


62

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

02/03 -James Blunt - Amsterdam

1

Where: Heineken Hall, Arena Boulevard 590, Amsterdam Zuidoost Time: 20:00 (doors open at 18:00) How much: â‚Ź45,00 More info: www.heineken-music-hall.nl

02, 03, 04/03 - Maastricht Carnival Where: Streets in the city centre Maastricht, the Carnival capital of the Netherlands, will once again be the centre of vibrant and colourful street celebrations. More info: www.carnavalinmaastricht.nl

05-09 /09 - 5 DAYS OFF

2

3

Where: Paradiso / Melkweg/ De Balie Amsterdam Dance Festival Event Eletronic Music More info: www.5daysoff.nl

05 -09/03 - HISWA Boat Show Where: Amsterdam 300 bootexhibitors and nearly 40,000 visitors. More info + tickets: www.hiswarai.nl

4

20 /03 - 18/05 - Keukenhof Open daily | Keukenhof is the most beautiful spring garden in the world! More than 7 million tulips, daffodils and hyacinths fill over 32 hectares with colour and fragrance.. More info + tickets: www.keukenhof.nl

5


DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

63

6

7

8

22 - 23/03 -Tattoo Convention Where: Rotterdam 8.000 m2 - INK & IRON 2014 Custom Bikes | Merchandise Market Custom Cars | Rock & Roll Live Music More info: rotterdam.unitedconventions.com

28, 29/03 - Palmundo Latin Festival Where: Silverdome, Zoetermeer Don Omar, King of Reggaeton and Romeo Santos King of Bachata. Headliners of the Palmundo Festival - Caribean and Latin More info: www.palmundo.nl

04/04 - KaasMarkt ( Cheese Market) Where: Alkmaar Market sinds 1365. 30.000 kilos and 2.200 pieces of cheese. More info: www.kaasmarkt.nl

05, 06/04 - National Museum Weekend

9

Go for a small fee or free to a museum at the National Museum Weekend. More than 400 museums in the Netherlands are participating in the 33th edition . More info: www.museumweekend.nl

13/04 - Latim American Fair 2014

10

Where: The Sand, Amsterdam Latin market, 60 stands, workshops, live music and dance, food & drinks, kids playground enterteinment and more. Ticket: 7,50 euro More info: www.latamfair.com

18, 19, 20/04 - Paaspop Festival

11

Where: Schijndel , The Netherlands. The Prodigy, Kaiser Chiefs ,Miss Montreal and more. There are 11 different stages, offering anything from rock to hiphop, house to theatre and pop to metal. With 50,000 visitors and more than 175 acts. More info:www.paaspop.nl


64

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

interesting.

DO BRASIL RECOMMENDS

WE LOVE IT

02

03

RELAX? RELAXAR? In Amsterdam?

01

04 05

WE LOVE IT

06

IF WE LOVE, WE SHARE IT. 03. APP - Duolingo.

05. TECH - Google TV.

A free black man from upstate New York, is abducted and sold Pathé.nl - IMDB 8.4

Com Duolingo você aprende inglês totalmente de graça, sem propagandas ou taxas.

Conecta a internet com a televisão. Assinando canais no Brasil você pode assistir em sua tv.

02 .AGENDA - SALSA.NL

04. WELNESS - Zuiver Amsterdam. Relax packages

06. BOOK - O que você precisa saber para não ser um idiota. Coletânia de fatos

01 .FILM - 12 Years a Slave

Online live latin agenda. Download the app and stay connected . SalsaNl

from 49,50 euro. Delícia de Spa em Amsterdam!

do cotidiano.- Olavo de Carvalho.


65

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

interesting.

FILM. MUSIC. BOOKS. APPS. TECH

08

09

11

12

até/till 23 maart 2014 07

10

SOCIAL. PEOPLE. RARITES & STUFF 07. FILM - KIDS Festival. Magic world of sound and images for kids 2/9 years. fantastischkinderfilmfestival.nl

09. MUSIC - Bossa for babies. Grandes sucessos da

11. APP - Netflix. Assista a mil-

Bossa Nova orquestrados especialmente para bebês.

hares de filmes e séries de TV online no seu iPhone, dublados/ legendas em português!

08. SOCIAL - Help girls from Brazil. Support the Duth

10. SOCIAL - Brasileiros em Amsterdam. Grupo do face-

12. BOOK - FIM. by Fernanda Torres. Romance. Humor sem

Foundation. www. plannederland.nl. We love Brazil!

book de brasileiros que vivem em Amsterdam. Facebook Group

superficialidade, lirismo sem cafonice, densidade sem chatice!


66

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

fun

CRUZADINHA DO BRASIL VERTICAIS 1 Resultado da ação da força da gravidade sobre as diversas partes de um corpo 2 Qualidade de nítido 3 Giro sobre um dos pés 6 Pele de carneiro com a lã, usada sobre a montaria, para amaciar o assento 9 Jogo de azar, que consiste numa roda girante com casas numeradas 10 Ato ou efeito de gargarejar 11 Qualidade de mesquinho 12 Cir. Pequena faca reta, comumente com aresta cortante convexa 13 Fruto da framboeseira 15 Qualidade de lindo 17 Ferrolho da porta

HORIZONTAIS 4 Qualidade de quem é destro 5 Dança e música de rua e de salão do carnaval pernambucano 7 Falta de interesse 8 Namoro ligeiro, sem conseqüência 14 Raquete 16 Banco pequeno 18 Qualidade de leve 19 Arremedo 20 Mica

GANHE

Acerte a cruzadinha e concorra a 2 tickets VIP inclusive bebida e comida para a LATAM FAIR 2014 www.latamfair.com 13 abril em Amsterdam no The SAND

Envie sua reposta para cruzadinha@ dobrasilmagazine. com.

Faremos o sorteio pelo facebook da revista.

www.facebook.com/ DoBrasilMagazine


67

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

WE ARE THE BRIDGE TO REACH YOUR PUBLIC.

SEJA VISTO

BE SEEN SERVIÇOS

www.dobrasilpublicity.com info@dobrasilpublicity.com OFFICE +31 20 758 76 08 +31 6 84 73 60 13 +31 6 85 74 21 55 Amsterdam The Netherlands

DO BRASIL Publicidade

WE LIKE SOCIAL facebook/dobrasilpublicidade twiiter @dobrasilpublici instagram: dobrasilpublicidade youtube: dobrasilpublicidade


68

DO BRASIL Magazine - Brazil Connects

Mais de AmsterdĂŁ

Entradas gratuitas para museus, passeio nos canais, transporte pĂşblico e muito mais

iamsterdam.com/citycard

Edition 2 | 2014 - DO BRASIL Magazine  

Ed Motta | Fantine Thó | Amsterdam Arena Goes to the World Cup | Goiás Velho and Caldas Novas: Tourisme | Sharing experience : Letícia de...