Issuu on Google+

Ilus천es


Cápitulo 1 – Conhecer, imaginar e adormecer! Não sei por onde começar... Tenho 17 anos me chamo..., difícil de achar no que me chamar, mas me chame apenas de Nick Tysson e/ou nikuu. Bem já me apresentei o que mais posso falar? Não sei... Apenas isso, mas o que eu quero na vida apenas é “viver”! - Meus parabéns, foi uma apresentação estranha, mas pode se sentar agora na sua carteira ali perto do Thompson- fala o professor Jhones. Professor Jhones personagem secundário da história que não precisa de descrições. Nikuu vai e se senta, sente que ali o clima pesava e o que viria pela frente não seria nada agradável. Após vir de Tókio e ter passado por muitas desavenças Nikuu Tisoni estava com uma nova vida em Nova York com seu tutor, seu nome verdadeiro era Maakosu, teve de mudar de nome para algo mais parecido americano, pois com certeza se adaptar a uma nova vida não seria nada fácil para ele. Nikuu era japonês, tinha 1,70 de altura, pele branca, olhos negros meio forte e magro cabelo curto espetado e negro, estava usando uma roupa convencional, calça jeans e camisa social com gravata. - Oi thomp... som- fala Nikuu acenado para o garoto do lado! - Sai fora Mané, e não é Thompsom! É Thompson- fala o garoto com uma cara de indignado com a presença de nikuu. Thompson era forte, 1,80 de altura, forte, temperamento agressivo, cabelo curto loiro, pele branca e usava a farda da escola, camisa branca, brasão no peito direito da bandeira da América. Os dias de Nikuu forão muito tristes, sempre vinham alguém praticar bullyng com ele, mas sempre fugia, nunca chegou a falar nada ao seu mestre, não queria preocupá-lo! - E Ae campeão como foi na escola hoje?- pergunta yūki shojiki. Yuki tem 1, 75 de altura, cabelo amarrado para traz e preto, forte, pele branca e olhos negros, usa sua roupa de trabalho, terno, gravata e sapatos sociais. - Ahh...foi legal- dando um sorriso, responde Nikuu. Depois de uma bela refeição, ambos foram ao dojo que se encontrava ao fundo da casa e treinaram. - Nikuu, já chegou algum dia a usar o que lhe ensinei? - Oportunidades!? Já tive e várias, mas não vale a penas, machucar as pessoas só me deixaria triste e eu acabaria colocando o mal para fora de mim, se chegar a ter de acontecer e eu ter de usar o que aprendi para me defender, prefiro correr a chegar a machucar alguém- Nikuu da um sorriso meio amarelo, deixando um traço de tristeza escapar! - Entendo. Você é um garoto muito incrível e sei que não usaria nossas artes para o mal, por isso que o amo como se fosse meu filho. Após o treinamento, ambos vão fazer seus afazeres, Yuki teve de ir trabalhar e Nikuu cuidava da casa e estudava. Nikuu arrumando a casa encontrou um livro no sótão com várias ilustrações de artes marcias e alguns outros desconhecidos, o que ele não sabia é que era algo proibido e que também poderia gerar uma maldição. Logo nikuu leva o livro para uma mesinha próxima e abre, sua curiosidade era extrema, pois tudo que ele poderia ver de novo era lucro, sabedoria para ele era muito valioso. Na capa do livro estava escrito “A arte da ilusão”, quando ele abriu, viu seis capítulos: A cauda do escorpião, As garras do tigre, A levitação do galo, A agilidade do coelho, A coragem do dragão e O segredo da alma! Logo quando ele abriu no capitulo da cauda do escorpião, ele sentiu um sono pesado e adormeceu!

Capitulo 2 - A cauda do escorpião: o começo! Nikuu acorda e o livro está ali na sua frente, já é noite ele abre novamente o livro e vê que não estava escrita nada, apenas os capítulos, ele estranha e apenas da risadas, ele ouve passos e corre e coloca o livro onde estava. - Nikuu, você está aew?- fala Yuki. - Estou sim sensei, eu estava estudando e cai no sono. - Venha, vamos jantar. Nikuu sai do sótão olhando para onde o livro esta e fica pensando “o que foi aquilo? muito estranho”.


No jantar Yuki fala como foi seu dia no trabalho, os dois ficam rindo, logo vão dormir. Amanhece Nikuu faz suas necessidades pela manhã e se despede de Yuki, vai à escola e no meio do caminho vê uma garota sendo assaltada, ela grita por ajuda e ninguém ajuda, Nikuu sente raiva, de repente um tentáculo sai de suas costas numa velocidade extrema e acerta com uma cacetada o ladrão e depois volta, todos tentam ver de onde veio aquilo, mas Nikuu já tinha deixado o local, somente a garota conseguiu ver a cor da sua mochila e farda da escola, naquele momento ele achou que deveria ir atrás do seu herói e agradecê-lo. No caminho ele fica pensando no que aconteceu, toca nas suas costas e sente que seus ossos parecem mais duros e acelera o passo para chegar logo na escola e no caminho fica pensando “será que isso tem alguma coisa a ver com o aquele livro?”. Chegando à escola, ele vai direto ao banheiro, tira sua camisa e olha suas costas pelo espelho do banheiro, e vê que está tudo bem, depois de aliviado olha de novo, mas fixamente e percebe que seus ossos estavam se movimentando, ele fica assustado, lava seu rosto e olha de novo e percebe que realmente seus ossos se mexiam. Ele tenta manter a calma e se desespera um pouco, sai um tentáculo de suas costas e fica o acariciando, por um momento ele se assusta e logo começa a perceber como aquilo se movia, era uma espécie de proteção ou algo do tipo. Ele se acalma e vai para a aula, mas fica ansioso para chegar logo em casa para começar a fazer testes com aquele novo “poder” que ele havia adquirido. Na sala de aula, Nikuu tava se esforçando bastante para não ter muitas emoções, pois ele imaginou que os tentáculos se moviam a partir de suas emoções, e pensou que se funciona assim, ele deveria treinar primeiro antes de acontecer qualquer acidente, assim como ele via em mangas. O tempo passa e chega o intervalo. Nikuu sai andando pelo intervalo onde é surpreendido por Thompson. Thompson vai à sua direção estralando os dedos. - A Mané metido a sabichão, só porque deu um show na sala e corrigiu o que eu tinha feito vai levar pancada para aprender. Thompson segue com uma seqüência de golpes, Nikuu apenas desvia e tenta não se irritar. - Ahhhh...Japonesinho chato. Thompson recua e sai, pouco tempo depois volta com cinco jovens. - Quero ver você ficar desviando agora. Os cinco vãos ao mesmo tempo contra Nikuu. Com sua arte de lutar, ele apenas nocauteia todos sem deixar ferimentos. Thompson fica surpreso. - O quê? Você sabia lutar esse tempo todo e nunca bateu em ninguém? - Para que lutar se você pode correr só vale à pena lutar quando não se a outra forma, e nunca machuco quem luta contra mim, apenas deixo inconsciente para que não aja nenhum dano, pois não vale à pena machucar as pessoas. - ... - Se me der licença agora, quero apenas aproveitar meu resto de intervalo e meditar sobre o que eu fiz, pois o que acabei de fazer vai contra minhas regras com o meu sensei, passar bem. - Ae japonesinho, ainda não acabou, vou aprender a lutar e você vai apanhar, e nesse tempo que eu estiver aprendendo a lutar, com certeza virão gente para lutar contra você, espero que esteja preparado. - Espero que não venha ninguém, como já lhe disse, não gosto de brigas. Nikuu sai o mais rápido possível e vai para um local onde não tenha ninguém, e logo foi olhar seus tentáculos, nenhum esta sangrando, pois ele percebeu que os seus tentáculos foram mais rápido que os seus punhos ao acertar aqueles garotos. Os garotos acordam putos. - Não vai ficar assim, usando tonfas é fogo, vai ter volta! Depois do intervalo, Nikuu volta para sua sala e percebe que Thompson não estava mais lá. - Nossa, acho que ele está realmente serio a respeito do acontecido- pensa Nikuu. Nikuu volta para casa, vê Yuki, cumprimenta, eles almoçam, conversam e Yuki vai para o trabalho, Nikuu fica só. Nikuu começa a treinar com seus tentáculos, testando todos os seus sentimentos, raiva, alegria, tristeza, perigo, entre outros, logo aos poucos ele começa a dominar os tentáculos, ao todos são quatro tentáculos presos as suas costas se esticando até 20 metros. Cai à noite e Nikuu cai no sono cansado. Yuki chega e vê Nikuu adormecido no dojo, dá um sorriso de orgulho e o leva para a cama. Nikuu acorda e se vê dentro do seu quarto, já é manhã de outro dia e vê que está atrasado para a escola também. Ele sai correndo até a cozinha se arrumando o mais rápido que poderia.


- Pensei que não ia acordar mais!- fala Yuki dando um sorriso de orgulho. - Desculpa, passei o dia ontem me exercitando e treinando que adormeci. - Tudo bem, agora corre que você está atrasado. - Tá, valeu, até mais sensei. - Boa aula Nikuu. Nikuu corre atrás dos prédios e tenta subir com seus tentáculos e consegue. Ele vai pulando por cima dos prédios com seus tentáculos e consegue chegar à escola a tempo. Ele vai por cima da escola para não saberem sobre esse seu poder, só que ele não percebeu que ali havia mais pessoas nenhum pouco visível. Nikuu desce a escada e vai em direção a sua sala de aula. - Vocês viram aquilo?- Voz masculina misteriosa. - Sim vimos!- voz grupal acompanhada de uma voz feminina. - Rufufu, o mestre vai ficar interessado nesse novo espécime aqui no território dele- voz feminina misteriosa. - Bem, então vamos informá-lo logo. - voz masculina mais grossa. Naquele local não se viu nada, apenas passos descendo as escadas. Nikuu depois de descer as escadas se dá de cara com os garotos que o haviam enfrentado no dia anterior, todos armados com facas e cacetetes. - Calma ae gente, não se pode usar armas brancas ou mortais aqui na escola, se vocês forem descobertos serão expulsos- fala Nikuu. - Você deveria ter pensado sobre isso antes de ter nos acertado ontem com suas tonfas. - Mas calma ae, eu não usei nenhuma arma, o que vocês estão insinuando? - Não venha com papo furado, eu vi exatamente um bastão ao lado do seu braço e vamos logo resolver isso lá fora antes que a gente te mate aqui. Nikuu começa a recuar e vai para fora da escola. No teto havia algumas sobras, 6 no total que observavam a cena. Nikuu chega então ao lado de fora, todos os garotos começam a atacá-lo simultaneamente. - Se a coisa ficar preta, vocês pode ir lá ajudá-lo- voz de um adolescente. - Sim mestre- vozes simultâneas. Então a batalha começa. Nikuu começa a se esquivar, golpes de facas vão de um lado, golpes de cacetetes vão de outro, Nikuu esquivando. De repente um garoto vem por trás de Nikuu, antes de a faca acertá-lo, o garoto é acertado por um dos tentáculos e desmaia, os tentáculos começam a derrubar um por um numa velocidade difícil de acompanhar com a visão humana. - Era isso que eu estava esperando, bem vou falar com ele mais tarde para ver se ele quer entrar na nossa família, se ele se recusar, vamos eliminá-lo para que não exista uma concorrência tão grande assim- voz de adolescente. Nikuu derruba todos e sai olhando para os lados para ver se ninguém o viu. No intervalo, uma voz ao interfone.

- Nikuu Tysson do 2* ano B, por favor compareça a sala do comitê de disciplina. Repetindo: Nikuu Tysson do 2* ano B, por favor compareça a sala do comitê de disciplina. Todos os alunos se assustam, até mesmo Nikuu. A sala inteira fica olhando para ele, o mesmo não sabe para onde olhar, apenas sai e vai em direção do comitê. Chegando à porta do comitê, Nikuu para e fica olhando para a porta. - Ei, olha ali um garoto indo à sala do comitê- voz de um aluno, - Ouvi dizer que os últimos que entraram lá, nunca voltaram. Voz de outro aluno. - Coitado daquele garoto, tão bonito e já vai sumir tão cedo, tenho dó dele- voz de uma aluna. Nikuu olha para onde as vozes estão vindo, os alunos que estavam ali, ao perceberem que Nikuu tinha olhado para eles, os mesmo evacuam o local. - O que será que me aguarda aqui?!- pensa Nikuu.


Nikuu entra na sala e vê um japonês sentado na cadeira atrás e cinco ingleses, todos adolescentes com sua idade. - Oh, ele chegou, seja bem vindo Nikuu, eu sou Gokan Seiko e esses são meus amigos: Armstrong Gollar, Elle Lasloz, Vitor Vikuz, Tosten Horen e Nioi Seiko minha querida irmã. Gokan Seiko era mais ou menos da altura do Nikuu, olhos bem apertados, um sorriso de dar medo, cabelos branco, magro e possuía uma espada de kenpou em suas costas e usava a farda da escola. Armstrong Gollar era moreno, olho escuro, cara amarrada, parecia um pouco agressivo, mais alto que todos ali presente, 1,90m o que chamava mais atenção era seu corpo, era apenas um adolescente, mas bastante forte. Elle Lasloz tinha 1,73m, magro, cabelo escuro e longo, usava óculos e serio, não olhava diretamente para Nikuu, apenas ficava com os olhos fechado. Vitor Vikuz tinha o cabelo um loiro dourado, magro, 1,72m um sorriso enorme, sua boca era o que lhe chamava mais atenção, Tosten Horen era o mais baixo de todos tinha 1,55m, cabelos escuros e longos até suas costas, escutava uns fones de ouvido e balançava a cabeça como se estivesse escutando algum tipo de música e Nioi Seiko era da mesma altura que Goran, seus cabelos era escuro e chegavam à toca os calcanhares, usava umas luvas negras, seios fartos e um sorriso encantador. - Meus amigos são conhecidos como os meus cinco sentidos, Armstrong representa meu tato, Elle representa minha visão, Vitor meu paladar, Tosten minha audição e Nioi meu olfato- fala Goran. - Ele é bem bonitinho e tem um cheiro ótimo- fala Nioi. - Bem, estamos o convidando para entrar em nossa família, quando estávamos no telhado, vimos umas coisas interessantes em você, como vimos quando você lutou com aquele grupo de encrenqueiros lá fora. - fala Goran. Nikuu fica assustado. - Calma, não Precisa se assustar, seu coração bateu rápido agora. – fala Tosten. - Então quer dizer que vocês viram meus tentáculos? – fala Nikuu. - Sim, vimos, mas não é algo que venha a te preocupar, independente se você aceitar ou não entrar na nossa família, seu segredo vai continuar guardado conosco, não somos pessoas que saímos falando mal das pessoas por ae, apenas precisamos de pessoas com poderes especiais para poder controlar essa escola, porque às vezes é um saco lidar com encrenqueiros, assim como você deve ter visto hoje. – fala Goran. - Entendo, mas você pode me dar um tempo para pensar a respeito? – fala Nikuu. - Claro, o tempo que você quiser, apenas quero que entre por pura vontade e confiança na gente, porque se não, não seriamos chamados de família. – fala Goran. Então Nikuu sai da sala. - Meu medo é que ele fique que nem o Trevis Filgor, um cara que entro desconfiado e agora é fraco porque não sabe realmente o que faz no nosso grupo. – fala Goran com os olhos mais abertos agora e sério. - Calma maninho, quer saber de uma coisa? Eu gostei dele, mesmo que ele não queira vir por bem, vira por força, o tornarei meu. – fala Nioi dando um sorriso. - Quer torná-lo seu namorado? – fala Goran. - Claro, me diz quantos japoneses existem nessa escola? – fala Nioi. - É realmente são poucos, que bom que você tenha gostado dele, agora é 70% de certeza de ele vir para o nosso lado. – fala Goran aliviado. - Na verdade senhor, não é querendo deixar você preocupado, mas ser formos colocar em % as chances que ele tem de vir para nosso lado é muito baixa, pois se formos por cálculos vai ser da seguinte forma 10% de chances de ele entrar por causa do segredo dele, 10% de chances depois do seu discurso, 10% de chances por ver que existe 2 aqui iguais a ele e 30% de chances pela Nioi declarando seu amor por ele, totalizando em 60% de chances positivas ao nosso lado...agora...30% de chances de alguém falarem que as nossas ações não são boas e pode-se tornar 50% de chances de ele não querer entrar e quando ele vier conversar com a gente e não aceitar-mos isso na boa, fazendo que fique 80% de chances e somando um total de 100% de chances de ele não entrar se a Nioi não saber exatamente como seduzi-lo. – fala Elle. - Como ousa falar que eu não sei seduzir um homem. – fala Nioi se exaltando. - Calma Nioi, sabemos que os cálculos de Elle são bastante precisos, o que você sugere Elle? – fala Goran preocupado. - Sugiro que Alguém o acompanhe, faça o se sentir bem para entrar no nosso grupo, alguém que possa ganhar a sua confiança, pelo que puder examiná-lo quando ele parece ser do tipo guerreiro, leal, honroso, então sugiro que essa


seja a Nioi, mas ae que vem o problema, a Nioi já é conhecida na escola, iriam estranhar e iriam começar rumores na escola, se ele fosse saber o que estava acontecendo as coisas não sairiam bem, então recomendo que a Nioi seja um pouco mais feminista, sei que você consegue fazer isto Nioi, afinal você é incrível, usar umas roupas mais a cara dos estudantes daqui e começar uma amizade tranqüila com ele depois o surpreendendo com uma declaração de amor. - Isso é ridículo, eu sempre consegui o que quero a base da força, não é agora que vou fazer o que um homem quer. – fala Nioi irritada. - Bem, nunca falha né Nioi. – fala Goran meio sorridente. - É eu sei que ele nunca falhou, vou fazer exatamente o que você me pediu, mas se falhar se declare um homem morto Elle. – fala Nioi. - Se falhar eu deixo de ser um calculista. – fala Elle levantando seus óculos e brilhando de orgulho de sua capacidade. Todos ali ficam rindo. Enquanto isso, Nikuu vai aproveitar o restante de seu intervalo, volta para sua casa e fica pensando a respeito. - E ae como foi na escola hoje? – fala Yuki percebendo que Nikuu estava desligado de si. - Foi legal, fui chamado para participar do conselho de disciplina, tinha dois japoneses lá, mas os estudantes, a forma que eles pareciam com medo do comitê me pareceu estranho. – fala Nikuu suspirando. - Ué, porque você não pesquisa esse comitê antes de entrar? - É vou fazer isso, valeu sensei. – fala Nikuu mais animado. - Bem tenho que ir agora, até mais tarde. - Até então. Yuki sai e Nikuu fica ali pensando, depois vai para seu quarto. Ele decide então ir à escola a tarde para buscar informações a respeito do comitê. No caminho uma mão toca em suas costas, ele vira e vê uma garota. Ela era branca, olhos verdes 1,65m Altura, cabelo loiro e curto acima do pescoço, seios médios e vestia uma roupa simples, camiseta branca e saia xadrez. - Oi lembra-se de mim? – garota misteriosa. - Nã...não. – fala Nikuu. - Ah, que pena, mas de qualquer forma, obrigada por me salvar, tipo...você saiu correndo e não tive tempo de agradecer então...se você topar tomar um café comigo depois para te agradecer melhor. – falando com vergonha a garota. - Ta, eu topo. – fala Nikuu dando um sorriso. - Ahh que bom. – fala a garota pulando de alegria. - Ah meu nome é Lian Lefeth, prazer em conhecê-lo. – fala Lian. - O meu é Nikuu, prazer. - Bem...agora eu tenho de ir, preciso ir a escola pra fazer algumas pesquisas, nos vemos por ae. – fala Nikuu Lian pega um papel e caneta na mochila e escreve o seu número do celular. - Toma aqui depois você me liga quando estiver com mais tempo, ae a gente combina de tomar um café ta?! - Tá, até mais. Nikuu então vai embora e a Lian fica ali com o rostinho corado e muito feliz por ter conseguido falar com ele e por ele ter aceitado o pedido dela. - Ai ai, será que finalmente eu vou conseguir um namorado? Nikuu chega à escola e começa sua busca. Logo Nioi fica sabendo que ele está na escola e fica o observando, ele vai à biblioteca ver se existe algum registro e não consegue nada, tenta perguntar a alguns alunos, mas nenhum quer falar a respeito vai a todos os clubes e ninguém falava nada, em todos os locais que ele ia, Nioi acompanhava-o escondida. Quando chega ao clube de karaté um fala com ele. - Ei, quer saber sobre o comitê é? – fala uma voz de estudante. Nikuu olha na direção da voz, um aluno de 1,73m, branco, japonês, cabelo escuro e curto e usava o kimono de


karate. - Bem, se você puder me dizer alguma coisa, ficarei muito agradecido. – fala Nikuu. - Certo, vamos lá fora para podermos conversar melhor. – fala o aluno. Eles chegam a um banco, Nioi fica mais aliviada e deixa o local. - Bem, antes de qualquer coisa meu nome é Yuki Meiyo. - Sou Nikuu. - Certo...Bem, bem o comitê de disciplina foi criado com o intuito de manter a escola disciplinada, começou com 3 membros e aumentando muito depois de 5 anos e vem melhorando cada vez mais, isso é tudo. – fala Meiyo dando um sorriso (vamos usar o 2* nome para não confundir como sensei de Nikuu). - Hum...Você também é do comitê? – fala Nikuu. - Sou sim, como adivinhou? - Porque você não apontou nenhum ponto negativo sobre o comitê, todos os alunos aqui nessa escola parecem que tem medo, e você vem-me dizer que é um clube que quer manter disciplina. – fala Nikuu decepcionado com o que ele havia descoberto. Impressionado, Meiyo cai na gargalhada. - Qual a graça? – fala Nikuu. - Bem é que nunca ninguém veio atrás de saber sobre o clube, entravam fácil, mas parece que você recebeu o convite e ta achando estranho né? - Sim. – fala Nikuu sério. De repente Meiyo para de rir fica sério. - O comitê é só isso mesmo, não tem mais nada para falar, agora se você me der licença, tenho coisas melhores para fazer. – fala Meiyo se levantando e se despedindo.

Continua...


ewq