Page 1

1


2


3


A história

Dedicação e esforços comprada no Paraguai. Mas, cinco anos depois, em função das dificuldades na oferta de matéria-prima, iniciaram a fabricação de racks e estantes. Em 1998, os três resolveram separar os negócios: João ficou com a laminadora e os irmãos com a empresa de móveis, que manteve o nome DJ. Nesta época contavam com 25 colaboradores e uma área de 1.250 m2, construída no mesmo local onde é a matriz hoje. Mas, com a saída do sócio, a empresa ficou descapitalizada e enfrentou seu momento mais crítico. Além disso, tinha que crescer para não perder o espaço conquistado no mercado. “Tomamos então a decisão mais difícil de nossas vidas: vender as casas onde morávamos para injetar capital na empresa”, lembra Devanil, acrescentando que patrimônios como terrenos e os próprios carros também foram vendidos. “Este foi um momento complicado, mas também um dos mais acertados da nossa trajetória de empresários”, completa Dalvo. Fizeram isso com o apoio incondicional das esposas Leonice (Devanil) e Aparecida (Dalvo), que hoje atuam na área financeira da empresa. Dalvo Maróstica, hoje diretor industrial, (aliás, sempre atuou Devanil Maróstica, diretor comercial

na fábrica), recorda que o maior problema da empresa era a falta de tecnologia. “No ano 2000, quando decidimos parar de vez a produção de camas e nos concentrar em racks e estantes, compra-

Devanil e Dalvo Maróstica – dois irmãos, dois empresários – parceiros de longa data

mos uma linha de pintura usada. Na verdade, nem era uma linha completa”, admite. Mas, depois de muito ajuste, a linha de pintura com cura UV (uma novidade na época) permitiu que a empresa iniciasse um novo ciclo.

Em 1984, os irmãos Devanil e Dalvo, juntos com João, o colega de trabalho, resolveram empreender. Deixaram a empresa onde trabalhavam para montar uma laminadora de pneus que, entre outros produtos, fazia percintas para estofados. Como atendiam empresas moveleiras e viam o grande potencial do polo de Arapongas (PR), se sentiam motivados a ingressar no setor. Mas, foi apenas em 1992 que a oportunidade bateu a porta dos três empresários. Embora tivessem em mente montar uma fábrica de estofados, surgiu a oportunidade de comprar máquinas de uma empresa de camas que estava fechando. Num barracão de 500 m2, começaram a trabalhar, produzindo 500 camas e beliches por mês, com ajuda de 11 funcionários. Dalvo Maróstica lembra que as camas eram feitas com madeira marfim 4

Leonice, esposa de Devanil


Textos: Inalva Corsi

|

Projeto Gráfico: Juliana Deslandes

|

Revisão de texto: Mariane Antunes

|

Fotos: Inove Eventos Sociais

recompensados Os próximos passos foram: comprar uma linha de pintura nova, ampliar o parque fabril e passar a atender o Brasil todo. Nesta fase, foi decisiva a contratação do Antônio Menon para gerenciar a área comercial. “Foi ele que implantou um departamento comercial e, com seu estilo agressivo, nos ajudou a enxergar mais longe”, reconhece Devanil. “Eu me lembro que o Menon fez uma viagem ao Nordeste e vendeu uma carga fechada de móveis (nós estávamos habituados a cargas fracionadas). Quando o pedido chegou fiquei assustado, mas aceleramos a produção e conseguimos entregar no prazo prometido”, relembra Dalvo.

RELAÇÃO FRATERNA De origem simples, como filhos de agricultores, a empresários de sucesso, os irmãos Maróstica sempre mantiveram os laços fraternais. “O respeito um com o outro é algo natural entre a gente”, destaca Dalvo, que acredita que quando se tem um sócio, você é empregado. “O importante é manter as áreas de atuação bem separadas e saber ouvir o outro”, ensina. Para Devanil, que sempre viu na área comercial o meio de atingir o objetivo de dar uma vida melhor à família, o irmão é o parceiro

Dalvo Maróstica, diretor industrial

ideal na sociedade. “Ele gosta da fábrica e eu da área comercial,

já Dalvo Júnior, filho de Dalvo, vem seguindo os passos do tio na

assim conduzimos a empresa até este momento. Cada um respei-

área de vendas.

tando e valorizando as características do outro”, destaca. E este respeito e admiração foi absorvido pelos filhos a ponto de haver uma troca de papéis na segunda geração. Thiago, filho de Devanil, é mais afeito à área de administração e de processos,

RETROSPECTIVA Quando questionados se valeu a pena os esforços e sacrifícios para chegar até este momento, os irmãos Devanil e Dalvo são taxativos: “Com certeza”. Mas, em alguns momentos, se dizem assustados e impressionados com a conquista, mas também muito satisfeitos, especialmente por ter os filhos seguindo seus passos. “E isso foi natural, nunca os forçamos a trabalhar na empresa”, garante Dalvo. Para Devanil, outra grande satisfação é ver o reconhecimento do mercado e o comprometimento da equipe. “Mas temos consciência de que tudo isso só aumenta nossa responsabilidade”. Entre os momentos mais marcantes nestes 20 anos, Devanil e Dalvo destacam a compra das casas próprias de ambos. “Seis anos depois de termos vendido os imóveis para investir na empresa, compramos novas casas e este foi um momento gratificante para

Aparecida, esposa de Dalvo: parceiras na vida e nos negócios

toda a família”, afirma Dalvo. 5


A história O FUTURO Sobre o futuro, os diretores da DJ falam com consciência de que o que foi conquistado até agora não lhes permite “deitar em berço esplêndido”. O interesse natural dos filhos pelo negócio (além de Thiago e Júnior, Cibéle (filha de Devanil e Leonice) e Bruna (filha de Dalvo e Aparecida também trabalham na empresa), dão tranquilidade em relação à sucessão. Mas o que preocupa Devanil é a capacidade da empresa acompanhar o dinamismo do mercado. “Afinal, de uma empresa que seguia os passos dos concorrentes passamos a ser referência no nosso segmento. E manter-se a frente neste estágio é mais difícil”, afirma. De qualquer modo, Devanil e Dalvo reconhecem que a empresa está preparada, conta com uma equipe qualificada e está sólida financeiramente. Além disso, ambos não têm planos de parar de trabalhar tão cedo. “O grande desafio agora é equilibrar a nossa experiência com o dinamismo das nossas lideranças. Afinal,

Puxando pela memória

são todos jovens e muito dinâmicos”, destaca Dalvo.

6

Relação fraterna: “O respeito um com o outro é algo natural entre nós”, afirmam Devanil e Dalvo Maróstica

Devanil Maróstica: “Em 1997 participamos da primeira Movelpar com um estande de

Dalvo Maróstica: “Em 1998 vendemos casas

30 m2 e levamos dois modelos de racks.

e carros próprios para injetar dinheiro na

Recebemos a visita de um comprador de

empresa. Mas hoje sabemos que fizemos

uma rede do Nordeste que gostou dos

a coisa certa”.

produtos e disse que queria comprar 700 peças por mês. Resultado: tivemos que recusar o pedido porque a capacidade de produção mensal era de 200 peças”. Devanil Maróstica: “Um dos momentos mais emocionantes foi receber o prêmio Top Móbile na categoria racks e estantes. Naquele momento passou um filme pela cabeça e concluímos que todo o esforço valeu a pena”.

Devanil Maróstica: “Com a Dalvo Moróstica: “No ano 2000

chegada do Menon para atuar

não tínhamos dinheiro para pagar o

na gerencia comercial, em 2001,

13º salário e tivemos que financiar

a empresa deslanchou. Em

um

alguns anos, a capacidade de

carro

para

não

colaboradores na mão”.

deixar

os

produção teve que ser dobrada para atender as vendas”.


Devanil Maróstica: Em 1998, por solicitação da área de vendas, fomos expor na primeira edição da Top Móvel, em Fortaleza (CE). Conseguimos um estande com apenas 12 m2 e levamos 4 produtos. Resultado: atendíamos os clientes no corredor por falta de espaço. Mas, esta participação, nos permitiu abrir os primeiros clientes no Nordeste”.

Devanil

Maróstica:

Eu

e

o

Dalvo

crescemos, junto com mais 7 irmãos, no sítio do nosso avô e fomos trabalhar na cidade depois dos 20 anos de idade, por não vermos oportunidades no campo.

Dalvo Maróstica: Em 2004 compramos nossas casas e este foi um dos momentos mais marcantes para todo a família”.

7


O presente

Trajetória vitoriosa marca 20 anos da DJ Em duas décadas a empresa passou de seguidora à referência em seu segmento Três unidades produtivas, 350 colaboradores, 40 produtos em linha, mais de 40 mil peças fabricadas por mês, clientes no Brasil inteiro e em mais de 20 países. Esta é a DJ Móveis hoje. Mas uma empresa não deve ser medida apenas em números. E, a DJ Móveis, esta paranaense que orgulha o polo de Arapongas, tem características marcantes quando o assunto é identidade. É uma empresa com alma, com sentimentos. E isso fica evidente quando se conversa com os colaboradores. “Eu sou muito grata à DJ por tudo que conquistei na minha vida”, afirma

Linha do tempo

emocionada a gerente de contas, Leila Mozer.

8

das

1997 Empresa ingressa no

atividades da DJ, com a

segmento de racks e estantes,

produção de camas e beli-

num barracão próprio com

ches em madeira marfim.

1.250 m2 e 25 funcionários.

1992

Início

Num barracão alugado e com 500 m2 de área, 11 funcionários eram respon-

2002

sáveis pela produção de

Milão. Campeão de vendas por mui-

500 peças/mês.

to tempo, está em linha até hoje .

Lançamento do rack


“Uma palavra que define para mim o que é trabalhar na DJ é “ALEGRIA”, porque amo o que faço e trabalho muito feliz”, emenda Sebastião Alexandre Baliana (o Dudú), gerente industrial da Unidade II. “A DJ faz parte do nosso projeto de vida e sabemos que uma empresa não é nada sem seus colaboradores, por isso procuramos proporcionar um bom ambiente de trabalho, onde as pessoas possam também realizar seus projetos”, afirma Devanil Moróstica, diretor comercial. “Nós investimos 100% do resultado na própria empresa e procuramos construir e adquirir máquinas com recursos próprios”, acrescenta Dalvo Maróstica, diretor industrial.

SUPERAÇÃO Mas, para chegar até este estágio, muitas dificuldades tiveram que ser vencidas. E foi com planejamento e serenidade que cada decisão foi tomada. Do primeiro barracão construído com 1.250 m2 até chegar aos 17 mil m2 da matriz hoje foram muitas

ta forma, agilizar a entrega nestes mercados, que hoje repre-

aquisições de área e várias etapas de construção. “Ainda temos

senta uma fatia significativa para nossa empresa”, acrescenta

mais uma obra a ser feita aqui na matriz e que vai permitir a

o diretor comercial Devanil Maróstica.

implantação de um refeitório maior para os colaboradores e um

É importante observar que a agilidade na entrega é um

novo showroom, mas este é o limite de construção da área total

dos diferenciais da DJ, reconhecida pelos representantes e até

da matriz, que é de 23,5 mil m ”, afirma Dalvo.

mesmo pelos clientes. “Sempre que necessitamos das pes-

2

Em 2007, a DJ Móveis implantou sua segunda unidade, na vi-

soas envolvidas em áreas como vendas, entrega, pós-venda e

zinha Sabáudia, em terreno de 27 mil m . “Atualmente temos 5,7

treinamento, fomos prontamente atendidos”, destaca Agnaldo

mil m de área construída nesta unidade, que produz a Linha De-

Cesário, comprador da Lojas Cem.

2

2

seo. Mas temos planos de crescer mais”, adianta Devanil.

Mas outros diferenciais, como o treinamento no ponto de

A DJ mantém ainda uma unidade industrial em Recife (PE),

vendas, também são reconhecidos pelo varejo. “Não sou apenas

desde julho de 2008, de onde faz a distribuição para os clientes

cliente da DJ, sou um fã da empresa”, com esta frase Wilsonei

das regiões Norte e Nordeste. Aliás, esta também foi uma de-

Mattos, diretor operacional da rede Móveis Brasília, de Londrina

cisão acertada na avaliação dos diretores. “Conseguimos, des-

(PR), define o relacionamento com a DJ Móveis.

2006

Inauguração da uni-

2011 A DJ recebe o Prê-

dade de Sabáudia, onde é pro-

mio Top Móbile na categoria

duzida a Linha Deseo.

racks e estantes.

2008 Início das atividades na unidade de Recife, que passou a garantir mais agilidade na entrega aos clientes do Norte e Nordeste Introdução do revestimento BP, aplicado na Linha Deseo.

9


O marketing

Não basta ser diferente... ...é preciso ser percebido como diferente. Neste aspecto o marketing é peça fundamental na DJ Móveis “Fazer marketing é uma ação inerente à empresa. Cabe aos profissionais da área encontrar formas de tornar isso visível”. Com esta afirmação, Daniel Nissola Filho, gerente de marketing da DJ, busca demonstrar que mesmo antes de ter um profissional neste departamento, a empresa tinDaniel Nissola Filho é o gerente de marketing da DJ

ha um direcionamento para o marketing. “A DJ sempre

foi uma empresa voltada para o mercado e isso é marketing”, enfatiza. Para Nissola Filho, o fato da DJ ser uma empresa com esse perfil tem tornado a missão do departamento, que ele mesmo estruturou há pouco mais de três anos, mais fácil. “Para comunicar é preciso ter o que comunicar. E isso a DJ tem de sobra”, avalia. Além disso, a empresa dá autonomia aos profissionais de marketing, assim como faz em outras áreas. Daniel destaca que o marketing participa das áreas estratégicas e atua com base no planejamento macro da empresa. “No planejamento específico do departamento, estabele-cemos ações de acordo com o budget (verba disponível). Priorizamos ações integradas, como participação em feiras, divulgação em mídia especializada e ações de ponto de venda”, destaca. Ou seja, 95% dos esforços são para comunicar com o canal de vendas. “A DJ não tem canal próprio de distribuição e nem tem planos para isso. Portanto, nossas ações visam auxiliar o parceiro varejista no sucesso do seu negócio”, acrescenta.

EMPRESA QI Qualidade e Inovação. É assim que a DJ Móveis quer ser percebida pelo mercado. Uma empresa inovadora e fornecedora de produtos e serviços de altíssima qualidade. Esta, portanto, tem 10

Catálogos e peças publicitárias desenvolvidas pelo departamento de marketing da DJ


sido a meta do marketing da empresa. E, segundo Daniel, o feedback sinaliza que estão no caminho certo. “Temos consciência de que estamos apenas no começo do trabalho, mas já é possível perceber resultados”, acrescenta. Com a implantação do novo sistema de ERP, o marketing vem recebendo diversos subsídios para tomada de decisões. Além disso, o departamento tem feito esforços para medir os resultados das ações implementadas. “Inclusive nas feiras temos focado mais o atendimento personalizado dos clientes e medindo o desempenho de cada participação”, afirma Daniel, consciente de que a medição de resultados é fundamental para evidenciar a importância do marketing.

Equipe da DJ comemora a conquista do Prêmio Top Móbile na categoria Racks e Estantes

11


Os produtos

Foco no mercado Especialista em racks e estantes, a DJ Móveis mantém em sua linha 40 itens, num mix variado que atende diversos públicos Daniel Nissola Filho é gerente de marketing da DJ Móveis há três anos e entre suas atribuições está a gestão de portfólio. Segundo ele, o desenvolvimento de produtos na empresa é feito por meio de equipe interna e da contratação de escritórios de design terceirizados. O departamento de marketing oferece subsídio para novos produtos, através de pesquisa de mercado e também faz a ponte entre a área comercial e o desenvolvimento. “Na DJ a equipe de vendas participa ativamente nos lançamentos de produto, inclusive na decisão de quais produtos serão colocados em linha”, afirma Daniel Nissola Filho, acrescentando que este formato vem dando certo ao longo dos anos. “Como especialistas no nicho de racks e estantes, procuramos ter um mix completo de produtos para atender diversos públicos. Inclusive, levamos em conta a cultura de cada região na hora do lançamento”, enfatiza. Daniel explica a variedade da linha dizendo que a empresa conta com produtos desde a linha econômica vendidos no varejo por R$ 99,00, até produtos da linha Deseo, com revestimento em BP, que são comercializados a R$ 1.999,00. Aliás, o BP (laminado de baixa pressão) é um dos diferenciais nos produtos da DJ, que foi uma das primeiras a apostar neste acabamento. “O móvel impresso se popularizou e fomos buscar materiais que nos diferenciassem no mercado”, lembra Daniel, acrescentando que a há quatro anos a empresa passou a lançar produtos com este revestimento. Hoje a DJ conta inclusive com um padrão exclusivo – o Canadian Oak. Para o gerente de marketing, vários fatores contribuíram para a DJ sair da posição de uma fabricante de racks e estantes como outras tantas no mercado para ser referência no segmento. “Entre eles está o acerto na linha de produtos”, acredita. E essa mudança ficou evidente quando a empresa passou a investir em produtos de linha reta e depois quando foi uma das primerias fabricantes nacionais a adotar o BP como revestimento. Eberson Goulart Pelegrini é representante da DJ Móveis há 10 12

Das estantes padrão mogno, como esta acima, que foi destaque em design na Movelpar 2001, ao Home Supremo, um dos campeões de venda no momento, a DJ experimentou grande evolução no desenvolvimento de produto


anos e comprova a tese de Nissola Filho, destacando que participar do lançamento de produtos aumenta a responsabilidade do representante. “Temos o compromisso de trazer informações precisas do mercado para repassar a equipe de desenvolvimento. Além disso, se a empresa atende nossas solicitações ao lançar determinado produto, temos responsabilidade ainda maior em vendê-lo”, reconhece. Mas, Pelegrini pontua que, apesar da linha atual ter grande aceitação no mercado, a responsabilidade aumentou desde que a empresa passou a ser referência, inclusive como a marca mais lembrada no segmento de racks e estantes. “Hoje a DJ Móveis é a marca a ser batida pelos concorrentes e o produto é o primeiro ponto a ser mirado”, alerta, destacando que a responsabilidade da empresa em se manter na vanguarda como lançadora de tendências aumentou. “Vivemos hoje o desafio de evoluir junto

Equipe de desenvolvimento de produto da DJ

com o varejo e junto com o cliente”, enfatiza. E, para vencer este desafio a DJ Móveis tem se preparado em

tas à feiras internacionais. Em abril, uma equipe esteve em Milão

diversas áreas. No desenvolvimento, as pesquisas de mercado

para visitar o Salão Internacional do Móvel. “Nosso propósito

em relação ao comportamento do varejo e, especialmente do

neste tipo de missão não é apenas observar as tendências em

usuário do produto, têm sido constantes. Além disso, a empresa

design, mas também fazer pesquisa de novos materiais”, destaca

investe na atualização dos profissionais, com treinamento e visi-

Nissola Filho, que integrou o grupo.

13


O comercial

Equipe comprometida A força de vendas da DJ Móveis participa diretamente das decisões da empresa, inclusive no lançamento de produtos Formada por um gerente comercial, quatro gerentes de área

e respeito dos representantes em suas regiões e o comprometimento da equipe interna, sempre focada na qualidade dos produtos e serviços”.

e 60 escritórios de representantes, a equipe de vendas da DJ é

Aliás, o suporte dado

dinâmica e comprometida com os resultados. Cleverson Elisio No-

à equipe de campo é

nis é o gerente comercial desde setembro de 2008 e destaca que

destacado

as metas são estabelecidas conforme o potencial da região e são acompanhadas todos os meses pela área comercial. “Trabalhamos com premiações e elas têm como objetivo reconhecer as melhores vendas e não apenas as maiores”, destaca ele. Sobre quais diferenciais da empresa são percebidos pelos clientes, Nonis acredita que são os produtos diferenciados e o fato da empresa ser especialista em sala de estar. “Além disso, a flexi-

por

Clever-

son Nonis como um dos grandes diferenciais da DJ. “A empresa trabalha

Cleverson Elisio Nonis, gerente comercial

com a filosofia de dar todo o suporte necessário para que a equipe de representantes possa trabalhar focada em vendas e no aumento de participação

bilidade nas negociações, a seriedade e confiança nas relações co-

de mercado”, afirma. Outro diferencial da DJ e que inclusive ga-

merciais e uma equipe de representantes profissionais e de alto

rante motivação e comprometimento da equipe é o fato dos re-

nível”, enfatiza, acrescentando que o momento que a DJ está viven-

presentantes participarem diretamente no desenvolvimento de

do tem tudo a ver com a oportunidade dada à empresa por clientes

produtos, através do repasse de informações sobre necessidades

do Brasil todo. “Mas também está diretamente ligada à qualificação

e tendências de mercado.

PARCERIA DE LONGA DATA Carlos Martins, da CR Martins Representações, é o representante com mais tempo de

Carlos Martins, representante da DJ há 20 anos. Na foto, ao lado de Dalvo Maróstica, comemorando bons resultados da Movelpar

14

sem esquecer da capacidade inovadora no lançamento de produtos.

casa na DJ. Está na empresa desde o início e

Em relação a parceria com a DJ, com pra-

acompanhou de perto toda a evolução da marca.

ticamente 20 anos, Martins espera que dure

“Iniciei meus trabalhos com a empresa em

“até quando Deus quiser e a DJ permitir.

junho de 1992, atuando na região Noroeste do

Espero também que a empresa continue

Paraná e continuo atendendo a mesma região até

sempre neste caminho inovador, buscando

hoje”, afirma, destacando que o que mais preza na

alternativas para se manter líder num mer-

DJ é sua capacidade de sempre estar pronta para

cado tão concorrido”, afirma. E completa:

o mercado, oferecendo inovação e satisfação aos

“espero que a DJ possa reconhecer na mi-

clientes. “Penso que a estruturação da área co-

nha pessoa a figura de um representante e

mercial, priorizando a real necessidade de lojistas

amigo que sempre levou e levará com muito

e usuários de nossos produtos também é funda-

orgulho a todos os cantos o nome desta em-

mental para o crescimento da empresa”, enfatiza,

presa como sendo parte de minha família”.


Colaboradores da área administrativa e equipe comercial, durante convenção de vendas

Eberson Goulart Pelegrini, representante da DJ no Norte do Paraná

Para Idair Zanella, representante da DJ no Rio Grande do Sul

há 10 anos, destaca que a DJ Móveis é uma das poucas empresas no

desde o ano 2000, a empresa sempre busca inovar para ofere-

Brasil a ouvir tão de perto o representante. “No desenvolvimento de

cer ao mercado produtos com design e competitividade. E, nesta

produtos, o fato de participarmos da decisão do que será colocado em

busca, a participação do representante é fundamental, afinal é ele

linha aumenta a nossa responsabilidade na hora da venda”, afirma.

quem tem contato direto com o varejo.

15


O comercial BASE DO COMERCIAL

deste”, destaca, acres-

Mas, para atingir o estágio atual com uma equipe comercial

centando que desde

qualificada e comprometida, os diretores da DJ Móveis reconhecem

então a DJ nunca mais

que a contribuição do profissional Antônio Menon foi fundamental.

deixou de participar da

Hoje Menon é representante da DJ em Curitiba e região Metro-

feira nordestina.

politana, mas veio para a empresa em 2001 para estruturar a área

Mas Menon, que

comercial. “Quando cheguei a DJ tinha uma atuação regional, fo-

trocou a gerência pela

cada basicamente no Sul e Sudeste”, lembra Menon, acrescentan-

representação

do que logo de início mudou alguns representantes e contratou

2008, diz ter a sensação

outros. “Fomos ampliando o mercado passo a passo, sempre com

de

total autonomia dos diretores. “Eles me diziam: venda que nós ga-

“Hoje estou desenvol-

rantimos”, destaca Menon ao lembrar do compromisso dos dire-

vendo meu projeto pes-

tores Dalvo e Devanil Maróstica.

soal de viajar menos e

dever

em

cumprido.

Antônio Menon foi o responsável pela estruturação da área de vendas e hoje é representante da empresa

Além de estruturar a área comercial, com a contratação de re-

ter meus filhos traba-

presentantes e gerentes regionais, Menon sempre se pautou por

lhando comigo”, enfati-

um plano de trabalho.

za, destacando que fazer isso, tendo como uma de suas represen-

Menon também lembra de outros fatos marcantes como a

tadas a DJ Móveis, é ótimo. “Tenho uma paixão muito grande pela

participação na primeira edição da Top Móvel, em Fortaleza (CE),

DJ e uma grande amizade com o Devanil e o Dalvo. Além disso, sou

com um estante de 12 m . “Levamos 4 produtos e atendíamos os

grato a eles por terem me dado a grande oportunidade de mostrar

clientes no corredor, mas foi aí que abrimos o mercado do Nor-

meu trabalho ao mercado”, enaltece Menon.

2

16


O mercado

Clientes satisfeitos e fidelizados Esta é a meta da DJ Móveis, que não mede esforços para atender com agilidade e eficiência os clientes do Brasil e do exterior “Não sou apenas cliente da DJ, sou um fã da empresa”, com esta frase Wilsonei Mattos, diretor operacional da rede Móveis Brasília, de Londrina (PR), define o relacionamento com a DJ Móveis. “Compramos da empresa desde quando fabricavam camas. Quando passaram a produzir racks, estantes e homes, continuamos comprando”, afirma Nei, que enfatiza que os vendedores da loja também gostam de vender os produtos da marca, porque se sentem seguros em relação ao baixo nível de assistência e também porque conhecem os diferenciais dos produtos. “A DJ Móveis tem algo que valorizamos muito, que é o treinamento no ponto de venda”, destaca o diretor da rede Brasília.

Equipe da Y. Yamada visita estande da DJ Móveis na Movelsul

za que espera que a empresa continue sendo original, interessada

Além disso, Nei enfatiza a inovação como uma das caracterís-

nos clientes e disposta a ouvir e a inovar. Já Agnaldo Cesário es-

ticas marcantes da DJ. “Eles investem em design e inovação, mas

pera que a DJ Móvei continue a desenvolver produtos com quali-

com segurança. Ou seja, lançam produtos embasados em pesqui-

dade e boa aceitação do consumidor.

sa, inclusive ouvindo os compradores, e isso se traduz sempre em produtos com giro e que permanecem em linha”, afirma. Agnaldo Cesário, comprador da Lojas Cem, tem a mesma per-

DJ O ESPETÁCULO

cepção em relação a característica inovadora da DJ Móveis. “Somos clientes da empresa desde 2000 e os diferenciais que valorizamos na DJ são inovação e sofisticação, aliado a qualidade”, afirma. Para Cesário, outra característica interessante da DJ “é a qualidade do material humano. Sempre que necessitamos das pessoas envolvidas em áreas como vendas, entrega, pósvenda e treinamento, fomos prontamente atendidos”.

Vendedores da Rede Móveis Brasília, de Londrina (PR),

E quando questionados

recebem treinamento de vendas, com o diretor de teatro

sobre a da DJ Móveis no fu-

Fábio Oliveira, contratado pela DJ Móveis para levar men-

turo, Wilsonei Mattos enfati-

sagens e informações, de forma extremamente inovadora

Os lojistas Andréia e Klênio, da Eletrolar, de São Luiz (MA) fazem passeio de balão durante a Movelpar 2011

para os pontos de venda, através de encenações, dinâmicas, reflexões e muita diversão.

17


A logística

Informatização e treinamento Entre os diferenciais da DJ, percebido pelos clientes, está a agilidade na entrega Atuar num país de dimensões continentais como o Brasil não é tarefa fácil. Fora as distâncias têm as deficiências de infraestrutura, com estradas precárias. Mas, quem quer ser referência em seu segmento de atuação precisa transpor os problemas. É assim que pensam os profissionais que atuam na logística da DJ Móveis. Giovanni Perez, gerente administrativo com 10 anos de casa, lembra que a empresa vem investindo pesado nesta área. “Temos um sistema totalmente

Giovanni Perez, gerente administrativo

informatizado e que integra todas as áreas da empresa, incluindo a matriz em Arapongas, a filial em Sabáudia e a unidade de Recife. Mas, como esta área é dinâmica, já estamos em fase de implantação de um sistema ERP (Sistemas Integrados de Gestão Empresarial, em inglês Enterprise Resource Planning), que vai tornar a empresa ainda mais eficiente”, conta Giovanni Perez. Para atingir este estágio de eficiência, estão sendo desenvolvidas novas áreas, entre elas a de Tecnologia da Informação. Há um ano na função de gerente de TI, Gabriel Maquiavelli veio para organizar a área e para auxiliar na implantação do novo sistema de ERP. Na sua opinião, a DJ vive um momento de mudança na cultura administrativa. “Está saindo definitivamente da era manual para ingressar na au-

Gabriel Maquiavelli, gerente de TI

tomatização total dos projetos”, esclarece. Segundo Gabriel, a empresa está fazendo um grande investimento em infraestrutura e, através da tecnologia, vai prover informação e dar suporte as diversas áreas da empresa. “Com os processos automatizados, vamos ter uma medição de resultados ainda mais eficientes. Além disso, os erros e refação de processos serão minimizados”, destaca. Outra área que tem recebido grande atenção da diretoria da DJ Móveis ao longo dos anos é a de transporte. Roberto Chileider, encarregado do setor há um ano, conta que a empresa atua de três formas: com frota própria, com transportadoras contratadas e com motoristas terceirizados. O primeiro modelo é gerido pela DJ Log – empresa de logística da DJ Móveis. Com frota própria em constante ex18

Expedição organizada e estoque de produtos agiliza a entrega


pansão e parceiros em todo o país a DJ Log conta com estoques estrategicamente posicionados no Sul (Arapongas/PR), e Nordeste (Recife/PE), que garantem grande agilidade nas entregas para todas as regiões do Brasil e para mais de 20 países em todo o mundo. “A ideia é atender nossos clientes com frota própria, ganhando ainda mais velocidade na entrega”, explica Devanil Marostica. Segundo Chileider, o maior volume é via motoristas terceirizados. “Este modelo tem se revelado bastante eficiente”, conta ele, lembrando que a empresa investe no treinamento desses motoristas. “Além da agilidade na entrega, percebemos menos avarias nas peças, porque as cargas não passam por movimentações como no caso das transportadoras”, avalia. Mas, para Chileider, a maior vantagem no transporte com terceirizados é o fluxo de informação. “Num eventual caso de rastreamento, o tempo de reposta é menor. Além disso, o nosso motorista é como uma vitrine da empresa. Ele representa a marca junto ao cliente e, quando bem treinado, se transforma no diferencial da empresa”, acredita.

Roberto Chileider, encarregado de transporte

19


O colaborador

O ser humano acima de Os fundadores da DJ Móveis incentivam a qualificação da equipe de colaboradores, por meio de auxilio à educação Para o psicólogo e encarregado do departamento de Recursos Humanos, Jeferson da Silva Soares, o auxílio a educação é um dos benefícios mais valorizados pelos colaboradores da DJ. “A empresa paga 50% dos custos de cursos técnicos até mestrado e doutorado para todo funcionário que queira estudar”, enfatiza. Segundo ele, a DJ tem vários colaboradores que estudaram e estudam apoiados pela empresa. Ele cita o caso de Leila Mozer, na empresa há 13 anos, que fez diversos cursos técnicos, cursos de língua estrangeira, faculdade de Administração e pós-graduação em Marketing e Gestão de Pessoas. Leila reconhece que se não fosse o incentivo da empresa não teria estudado tanto. “E eu não pretendo parar”, avisa, deixando claro que em breve fará

Jeferson da Silva Soares, encarregado do departamento de recursos Humanos

outra graduação. Na visão de Jeferson Soares, investir no estudo dos colabo-

estratégica e nos conceitos de gestão. “Aqui o RH tem participação

radores não gera benefícios apenas para a empresa. “Além de

ativa nos projetos, porque a diretoria reconhece que esta área deve

aplicar na empresa os conhecimentos adquiridos no curso, eles

estar alinhada com o planejamento da empresa”, destaca, pontu-

fazem muita troca de informação e experiências com outros es-

ando que muitas empresas investem em máquinas de milhões de

tudantes, além de se sentirem realizados na vida pessoal”.

reais, mas esquecem que esta máquina será operada por pessoas.

Mas os benefícios oferecidos pela DJ vão além do incentivo à

“Isso não acontece aqui”, garante ele.

educação. Jeferson lembra que desde que chegou na DJ, há 8 anos,

Uma das grandes preocupações da área de RH, segundo Jefer-

para implantar a política de RH, a empresa evoluiu muito na visão

son, é proporcionar um ambiente de trabalho saudável aos seus

20


todas as prioridades 350 colaboradores. “Por isso, temos médicos do trabalho que atuam internamente na empresa e prestam atendimento personalizado a cada colaborador”, afirma, acrescentando que esta prática não só previne doenças ocupacionais, como também ajuda a manter as pessoas mais felizes e produtivas. A medicina do trabalho é completada por plano de saúde, com atendimento regional, a todos os colaboradores e seus familiares. Para Jeferson Soares, a visão humanista adotada pelo departamento vem dos diretores e da própria visão e missão da empresa, que é embasada na cultura dos familiares dos fundadores. “Isso tem dado muito certo na DJ. Afinal somente pessoas motivadas, satisfeitas e saudáveis dão os resulta-

BENEFÍCIOS AOS COLABORADORES •

Auxílio à educação (custeio de 50% de cursos

técnicos até pós-graduação e mestrado) •

Cesta básica

Plano de carreira

Medicina do trabalho

Prêmio para as melhores ideias

na produção •

Plano de saúde aos colaboradores

e familiares

dos que a empresa espera”, conclui.

21


O colaborador GRATIDÃO À EMPRESA

SOU PARTE DA FAMÍLIA DJ

“Com 15 anos eu deixei

“Faço parte da DJ

minha família e uma vida de

Móveis desde 1998, quan-

‘bóia fria’ (trabalhador ru-

do tinha 17 anos. Comecei

ral) e vim para Londrina em

como auxiliar geral e tive

busca de oportunidades. De-

muitas oportunidades na

pois de trabalhar em casa de

empresa.

família e concluir o segundo

depois já trabalhava como

grau, encontrei na DJ Móveis

operador de máquinas,

minha primeira oportunidade

cargo que ocupei passan-

profissional. Eu tinha 19 anos

do por praticamente todos

e comecei trabalhando na

os setores da empresa.

produção: no lixamento de peças, embalagem, pintura e almoxa-rifado.

Com isso, fui obtendo destaque, principalmente pela minha dedicação

A empresa era pequena e a gente fazia um pouco de tudo.

em cada desafio que me era proposto. Após esse período, recebi outra

Algum tempo

Como a DJ pagava 50% dos estudos dos colaboradores, fiz vários

oportunidade e passei a exercer o cargo de supervisor de produção.

cursos técnicos e fui crescendo na empresa. Trabalhei de recepcionista,

Depois de alguns anos neste cargo, mais uma vez a DJ acreditou em

depois no faturamento e fui assistente de exportação. Nesta época,

mim e passei então ao meu cargo atual: gerente industrial.

tinha concluído o curso de espanhol, subsidiado pela empresa. Tam-

Posso dizer que a DJ sempre me proporcionou a oportunidade de

bém fiz faculdade de Administração e pós em Marketing e Gestão de

crescer, desde quando comecei. Só tenho a agradecer. Por isso, me

Pessoas. Tudo graças ao incentivo da empresa.

sinto motivado e com vontade de crescer profissionalmente. Sei que

Hoje sou gerente de contas e, quando paro para pensar, fico impres-

superar desafios é uma virtude e eu gosto muito de fazer coisas novas.

sionada com o quanto nós crescemos: eu e a DJ. Eu conquistei tudo que

Sinto que faço parte da família DJ, pela identificação que tenho com

tenho aqui, uma vida de dignidade, pude proporcionar uma vida melhor

a empresa e sei que os diretores acreditam no meu trabalho. Tenho

para minha família, que hoje também mora em Arapongas. Meus irmãos

muito orgulho de fazer parte dessa família e saber que comecei como

estudam, meu pai trabalha (numa indústria de móveis também). Eles

um aprendiz e hoje tenho um cargo de confiança dentro da empresa.

me admiram pela co-ragem que tive em buscar uma vida melhor.

Agradeço a cada um de minha equipe, pois, se tornei-me um profis-

Por isso sou muito grata aos diretores Devanil e Dalvo por tudo que

sional de destaque, é graças ao trabalho de cada um, porque juntos

me proporcionaram. Sou muito feliz na DJ e tenho planos de crescer

fazemos a empresa mais forte. Para mim, uma palavra que define a DJ é

ainda mais aqui dentro. Inclusive, quero fazer uma nova graduação” –

“ALEGRIA”, porque amo o que faço e trabalho muito feliz.” – Sebastião

Leila Simone Martins Mozer, gerente de contas, 13 anos de DJ Móveis.

Alexandre Baliana (Dudu), gerente industrial da Unidade II.

SEGURANÇA PARA MUDAR DE VIDA

empresa, em Recife (PE).

“No dia do meu aniversário, 5 de junho de 2001 fui convidado

Mudei de cidade, de clima,

para trabalhar na DJ, na Unidade em Arapongas. Foi meu presente.

de costumes. Mesmo longe

Comecei como auxiliar geral e fazia de tudo um pouco, desde a

de casa e sentindo falta

separação de mercadoria, linha de pintura e carga. Com um mês e

da família, essa é uma ex-

meio na empresa fui convidado para assumir o cargo de encarre-

periência única para o meu

gado de expedição. Não tinha experiência, mas a empresa apostou

desenvolvimento

em mim. Fui aprendendo, ganhando confiança e fiquei no cargo

sional. A DJ me traz segu-

até o final de 2006. Com o incentivo da empresa e bolsa de estu-

rança. Tenho uma relação

dos de 50%, fiz o curso de Administração de Empresas e em 2007

aberta com a empresa e

fui convidado para trabalhar no setor de transportes. Em 2008

recebo apoio para resolver

me tornei o encarregado do setor. Também com o auxílio da em-

todas as situações. A empresa me deu oportunidade de estudar e

presa fiz um curso de pós-graduação em Logística e Transportes

crescer profissionalmente e agora estou buscando o melhor para

e em janeiro de 2012 fui chamado para gerenciar a Unidade III da

o futuro da minha família”. Ricardo Silva, gerente da Unidade III.

22

profis-


Os forneccedores

Parcerias sólidas e de longa data Para atingir o estágio atual, a DJ Móveis sempre contou com grandes parceiros no fornecimento de matérias-primas e soluções tecnológicas

tanto com relação ao desenvolvimento de cores exclusivas quanto aos prazos de entrega. “Nossa relação com eles é de confiança e busca contínua para que estejam sempre satisfeitos”, enfatizam. Outra parceira importante da DJ Móveis é a Adex, que fornece massas, primers, esmaltes, vernizes e diluentes usados na linha de pintura UV. Marcia Luski, da Adex, define a parceria com a DJ Móveis como excelente. “É uma parceria duradoura e de sucesso”, conclui.

“Somos parceiros da DJ há sete anos e fornecemos calibradoras,

A World Glass Vidros também é parceria da DJ e, há mais de 10

lixadeiras, coladeiras, esquadrabordos e linhas de pintura comple-

anos, fornece vidros curvos, temperados e modelados para a linha

tas. Todas são máquinas para acabamentos de superfície e colagem

de produtos. Em razão da atuação conjunta de longa data, a empresa

de bordas”, afirma o vendedor técnico da Maclinea, Raimundo Bispo

também dá sugestões para o desenvolvimento de novos modelos e

Cardoso, que destaca a receptividade da empresa a novas tecnolo-

mantém com os diretores da DJ Móveis uma relação comercial base-

gias como uma das responsáveis pela evolução da DJ e pela duração

ada na amizade, respeito e parceria. Para os diretores da World Glass

da parceria com a Maclinea.

Vidros esta relação contribuiu para tornar as duas empresas fortes ao

Já a Rehau fornece fitas de borda em PVC para a DJ Móveis desde

longo dos anos.

2004. E, segundo o gerente regional de vendas da empresa, Agnaldo

Já a Embalplan fornece, desde 1998, embalagens de papelão

Utuari, um dos diferenciais da parceria está na execução de produ-

ondulado, caixas individuais para cada volume e caixas para acondi-

tos personalizados e sob demanda. “Para nós é um privilégio ter

cionamento dos acessórios. Fornece também bups, que reduzem

uma empresa como a DJ, que conta com elevado conceito no polo

substancialmente a ocorrência de avarias nos cantos das embala-

de Arapongas e destacada atuação nacional e internacional, como

gens, durante o manuseio e transporte; esta solução especifica

parceira”, enfatiza Utuari.

foi crucial para a diminuição drástica da assistência técnica na DJ

Outra parceira de longa data da DJ Móveis é a Masisa, que for-

Móveis, destaca Daniel Nissola Filho, gerente de marketing da DJ.

nece MDF e MDP e tem como diferencial a classificação E-1 em de seus

Por tudo isso, a relação comercial com a DJ Móveis é avaliada

painéis, o que garante baixa emissão de formaldeído, de acordo com

como excelente pelos diretores da Embalplan. “Primamos pela qua-

a norma europeia, assegurando o bem-estar e a saúde das pessoas.

lidade dos produtos, rapidez na produção e agilidade na entrega,

O uso desses painéis permite que a DJ Móveis acesse o mercado

características que são reconhecidas pela DJ e pelos demais par-

internacional, uma vez que países de mercados desenvolvidos exigem

ceiros, pois eles têm segurança que os prazos estabelecidos serão

esta classificação. Sem esse produto, seria impossível estabelecer

cumpridos, podendo trabalhar com estoques reduzidos”, destacam.

uma relação comercial de sucesso nestes mercados.

Mas a DJ Móveis também está sempre buscando novas

Lucas Mazzaron, representante da Masisa em Arapongas, en-

soluções em materiais e tecnologia. E foi por conta desta busca

fatiza que a empresa mantém com a DJ uma relação sustentada

que identificou na Top Solid um novo parceiro no inicio deste ano.

pela confiança e qualidade dos produtos e serviços. “Buscamos

Yssef El Kadri, da área de vendas da Top Solid, explica que os

eficiência para cumprir as promessas e apresentar novos padrões de

estudos para o uso do TopSolid pela DJ começaram há cerca de

produtos, tudo isso de acordo com uma gestão ambiental e social-

um ano, com análises no setor de engenharia, métodos e proces-

mente responsável”, destaca.

sos. “Oferecemos a empresa soluções que vão de gerenciamento

A Duratex também fornece MDF cru e MDP com BP para a DJ Móveis.

de projetos mobiliários complexos à integração com as máquinas

A parceria que iniciou em 1999, sempre foi baseada no respeito, confi-

de produção da empresa, através do conceito chamado CAD/CAM

ança e transparência, avaliam os diretores de ambas as empresas.

TOPSOLID”, destaca, lembrando que com isso, a DJ Móveis ganha

Já a CPI Papéis fornece pra DJ Móveis há mais de 15 anos. Se-

em agilidade nos lançamentos de novas ideias, em função da pre-

gundo a direção da empresa, durante este período sempre procurou

cisão dos projetos e complexidade das informações gerenciadas

desenvolver as fitas de borda de acordo com a necessidade da DJ,

em uma só fonte – o TOPSOLID. 23


A sucessão

Seguindo os passos dos pais

Dalvo Júnior e Thiago Maróstica – O futuro nas mãos da segunda geração

Dalvo Júnior e Thiago trocaram de papéis com os pais nas áreas de atuação, mas têm a mesma dedicação à empresa Devanil e Dalvo Maróstica, além de irmãos e parceiros, têm

O primo Dalvo Maróstica Júnior também tem história semelhante. “Saia da escola e vinha de bicicleta para a fábrica”, lembra Júnior, que trabalha efetivamente desde os 15 anos, tendo passado também por diversos setores. Chegou a se formar em direito, mas concluiu que queria mesmo era fazer carreira na área comercial da empresa da família.

histórias de vida parecidas. Ambos tiveram um casal de filhos. E

Hoje Dalvo Júnior é gerente de contas especiais e Thiago

o mais interessante é que todos se interessaram pelo negócio dos

Maróstica é responsável pelas áreas de engenharia de produção

pais. “E de forma natural, sem pressão”, fazem questão de afirmar.

e PCP. Assim como os pais, atuam em áreas distintas da empresa

Thiago Maróstica, filho de Devanil, frequênta a fábrica desde

e preservam o mesmo respeito pelo trabalho um do outro. “Nós

pequeno e já passou por várias áreas da empresa. “Quando entra-

sempre nos demos bem, inclusive somos amigos fora da empresa”,

va em férias escolares, vinha pra cá e ficava na produção ajudando

afirma Júnior em relação ao primo Thiago. Ambos também têm em

meu tio. Eu achava interessante, mas não tinha certeza se queria

comum a admiração pelos pais e sabem da responsabilidade em

trabalhar aqui”, confessa Thiago, que se formou em economia e

sucedê-los.

até fez algumas tentativas de carreira fora da DJ. “Mas acho que o

“O mercado está cada vez mais competitivo e sabemos que

amor e esforço do meu pai e do meu tio me influenciaram. Eu via

os próximos anos serão ainda complicados que os anteriores”,

que, mesmo nas maiores dificuldades, meu pai nunca deixava de

destaca Dalvo Júnior, sem deixar de reconhecer que o pai e o tio

acreditar na empresa”, enfatiza.

colocaram a empresa num estágio interessante no mercado. “Acho

24


que para conseguirmos manter

nanceiros, balanços e custeio de

o negócio sempre crescendo é

produção”, lembra, destacando

preciso cada vez mais profis-

que foi um grande aprendizado

sionalização. E é isso que te-

atuar junto com os consultores.

mos feito em relação às nos-

Sobre o comercial, área de atu-

sas carreiras e em relação à

ação do pai, Thiago diz que até

empresa como um todo”, com-

já experimentou trabalhar neste

pleta Thiago.

setor, mas reconhece que gosta mesmo dos processos internos e

DESAFIO Para Thiago, um dos maiores

Desde adolescentes Thiago e Dalvo Júnior trabalham na fábrica e frequêntam os estandes na DJ em feiras. Nas fotos: Thiago com o pai Devanil, e Júnior junto com a irmã Bruna

dos números, como bom economista que é. Já Dalvo Júnior, que também

desafios quando pensa em suceder o pai é atingir o mesmo grau de

passou por áreas da produção, ao lado do pai, diz que vem se pre-

serenidade na tomada de decisões. “Meu pai sabe ouvir e nunca

parando há anos para atuar nas vendas. “Já passei pelo departa-

perde a serenidade e eu sei que não tenho este perfil, mas acho

mento de cadastro, contas a pagar, faturamento e relacionamento

que com experiência consigo atingir um estágio semelhante”, en-

com o cliente. Quando comecei a viajar e visitar clientes senti uma

fatiza o jovem economista que já fez um pouco de tudo na DJ. “Com

grande empolgação”, enfatiza, destacando que negociar é uma

17 anos trabalhava no financeiro e no departamento de compras

atividade pulsante.

e tive a oportunidade de acompanhar o trabalho de uma consul-

E assim a DJ Móveis parece ter seu futuro já definido: per-

toria contratada que nos ajudou na implantação de controles fi-

manecer como uma empresa familiar, mas com visão profissional.

25


26


27


28

Especial DJ  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you