Page 1

1

www.rmi.org.br abril 2014 abril 2014 www.rmi.org.br

ANO 1 NÚMERO 6

Informativo

REDE MINEIRA DE INOVAÇÃO

Grupos Temáticos definem novas diretrizes de atuação

A reestruturação dos grupos temáticos da Rede Mineira de Inovação (RMI) definiu novas diretrizes, norteou as ações prioritárias e retomou as atividades de forma mais objetiva e eficiente. Os comitês são formados por associados e parceiros para tratar de temas relevantes ao desenvolvimento da Rede. As alterações foram estabelecidas na reunião da RMI, realizada na Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá (INCIT), em novembro de 2013. Os três grupos receberam designações mais abrangentes da área de atuação: Grupo de Parques Científicos e Tecnológicos, Grupo de Incubadoras e Grupo de Capacitação. Foram, também, atribuídos os respectivos temas que irão guiar o trabalho de cada grupo: “Povoamento dos Parques”, “Aceleradoras x Nova Proposta de Atuação para as Incubadoras” e “Formação do Gestor de Incubadoras e Parques”. “É uma articulação conjunta para alcançar maior projeção do movimento de parques em Minas.

Incubadoras contempladas em editais

3

Precisamos compartilhar experiências, propor políticas públicas e formar uma massa crítica de pessoas capacitadas a trabalhar com esses ambientes”, explica a coordenadora do Grupo de Parques, Mariana Santos. “Uma das principais ações é um diagnóstico do panorama dos parques mineiros: parâmetros e indicadores de fase de consolidação e condições de ocupação”, completa. O grupo também está auxiliando, de acordo com a coordenadora, a diretoria da RMI na realização de uma audiência pública para mobilizar a Assembleia Legislativa sobre a temática e importância das incubadoras e dos parques. A coordenadora do Grupo de Incubadoras, Ana Cristina de Alvarenga Lage, contou que o grupo desenvolveu em 2011 o Manual de Boas Práticas das Incubadoras Mineiras, com o apoio do Sebrae-Minas. “O objetivo foi facilitar a implantação do modelo Cerne (Centro de Referência de Apoio a Novo Empreendimentos) nas Incubadoras de Minas”, explicou Ana Cristina.

Estado apoia criação da incubadora da Unifal

4

Modelos de incubação A busca pelos melhores modelos de processos e práticas de incubação. Esse foi o objetivo da visita do Grupo de Incubadoras da RMI à INCIT (Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá). Durante o encontro, em 25 de março, houve apresentação sobre o funcionamento da incubadora e do modelo do programa, passeio pelo espaço físico e reunião do grupo. A atividade encerrou um ciclo de encontros a sete instituições, realizadas a partir de dezembro de 2013 (foto acima). Com as informações observadas e coletadas, o Grupo de Incubadoras irá produzir um documento contendo práticas de incubação que sirvam de referência e sugestões de melhorias para as Incubadoras Mineiras. A seguir, os resultados serão compartilhados com todos os associados da RMI.

O Grupo de Capacitação levantará as necessidades dos parques, incubadoras e empresas incubadas em relação a cursos. As demandas consideradas foram: curso de mestrado na área de negócios e o curso de captação de recursos através dos editais.

Intef é a nova associada da RMI

4


abril 2014

editorial

Movimento forte e coeso Novas diretrizes para os grupos temáticos da Rede Mineira de Inovação deram maior clareza e agilidade aos trabalhos que dizem respeito ao dia a dia dos associados. Agora, cada um dos três grupos tem uma atuação mais abrangente que, com certeza, trará benefícios às incubadoras e parques científico-tecnológicos de Minas Gerais. Esse é um dos assuntos desta sexta edição do Informativo RMI, que traz ainda uma série de assuntos relacionados aos associados e parceiros. Um deles fala das contempladas no edital Sebrae-Minas para fomentar a inovação no Estado. A instituição disponibilizou até R$ 90 mil para cada uma das selecionadas – elas deverão apresentar seus protótipos em setembro deste ano. O Informativo RMI conta também com notícias e notas sobre as premiações recebidas por empresas e incubadoras mineiras. Isso mostra o grau de excelência alcançado por nossas instituições no cenário nacional. Entram nesta lista a Prointec, a Fumsoft e o BH-TEC. Também registramos a mais nova associada da Rede, a Intef – Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da FAI (Centro de Ensino Superior em Gestão, Tecnologia e Educação), de Santa Rita di Sapucaí, no Sul de Minas. Outra novidade é o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) na criação da NidusTec, a incubadora de empresas de base tecnológica da Universidade Federal de Alfenas (Unifal). São notícias como essas que nos fazem acreditar que a Rede está no caminho certo na construção de um movimento forte, coeso e comprometido com o desenvolvimento socioeconômico de Minas Gerais. Boa leitura!

2

www.rmi.org.br

Nascente

Incubadora do CEFET fomenta a inovação e tecnologia em Minas Difundir a cultura empreendedora e de inovação tecnológica, viabilizar a transferência de conhecimento acadêmico para o mercado e fomentar o desenvolvimento regional. Esses têm sido os objetivos da Incubadora Nascente, localizada no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), em Belo Horizonte. Atualmente, ela atende sete empresas em estágios de pré-incubação e uma na incubação. “Recentemente, passamos por uma revitalização estrutural. Aprovamos dois projetos financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Um dos focos é uma remodelagem dos métodos e sistemas de planejamento e gestão”, conta o gerente da incubadora, Ronaldo Ferreira Machado. Os projetos também contemplam a criação de unidades descentralizadas da incubadora nos campus CEFET de Minas. “Já existem nos municípios de Leopoldina, Nepomuceno e Curvelo e serão implantados Contato

ainda esse ano em Contagem, Timóteo e Varginha”, afirma Ronaldo. “Além disso, mudaremos a localização da sede de BH e investiremos na modernização da infraestrutura operacional, administrativa, jurídica, mídias e comunicação e capacitação da equipe”, completou. O ex-gerente da Nascente, André Luiz Gomes, falou sobre a importância da incubadora e do movimento de inovação em Minas. “A Nascente e outras incubadoras são indutores do desenvolvimento de novas tecnologias e negócios, gera a evolução da economia local. O cenário das incubadoras é muito promissor, está acontecendo um processo semelhante ao que ocorreu no Vale do Silício, nos Estados Unidos”, diz. André Gomes, que deixou o cargo recentemente, agradeceu o apoio que a incubadora recebeu para sua criação e, durante seus 14 anos de atuação, do Sebrae-Minas, Prefeitura de Belo Horizonte, Fapemig, CNPq, Instituto Evaldo Lodi e Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG).

Avenida Amazonas, no. 5.855, Campus VI, Bairro Gameleira, Belo Horizonte/MG. CEP. 30.510-000 (031) 3379 3028 - ww.nascente.cefetmg.br

expediente O informativo da RMI é uma publicação trimestral da Rede Mineira de Inovação.

Av. Afonso Pena, 4.000, 3º Andar, Cruzeiro, Belo Horizonte/MG - CEP: 30130-009. Contato: (31) 3281-2011; E-mail: rmi.comunicacao@rmi.org.br; Site: www.rmi.org.br Presidente: Renato de Aquino Faria Nunes. Vice-Presidente: Paulo Augusto Nepomuceno Garcia. Diretoras: Adriana Ferreira de Faria e Ana Cristina de Alvarenga Lage. Assessoria de Comunicação: Bill Souza (MTB – 25.949/SP). Projeto Gráfico e Diagramação: Contexto Assessora em Comunicação - (35) 8828-0861; Revisão: Ana Cristina de Alvarenga Lage e José Osmar Dutra.

Parceiros RMI


3

www.rmi.org.br

abril 2014

Inovação

Edital do Sebrae Minas apoia empresas incubadas Fomentar o desenvolvimento da inovação em Minas. Esse é o objetivo do Edital Sebratec, lançado pelo Sebrae-Minas. A banca avaliadora da “Chamada de Apoio de Projetos para Soluções de Inovação e Tecnologia junto às Empresas Incubadas” selecionou 26 projetos, de um total de 28, em dezembro de 2013. O processo seletivo teve duas fases: análise do plano de negócios e apresentação do projeto para uma banca avaliadora. Os critérios utilizados foram grau de inovação e o potencial tecnológico do produto. O Sebrae disponibilizou recursos de até R$ 90 mil para cada

Verba do CNPq beneficia cinco incubadoras de Minas Cinco incubadoras mineiras de base tecnológica foram aprovadas no edital CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), lançado este ano em parceria com Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Elas receberão apoio financeiro para investir na melhoria da infraestrutura. As incubadoras selecionadas foram: D. Incubadora de Em-

O gerente do Sebrae Minas, Anízio Vianna (à direita), ao lado do vice-presidente da RMI, Paulo Nepomuceno

empresa desenvolver um protótipo do projeto selecionado. O prazo limite para apresentar os resultados é setembro de 2014. O gerente do Sebrae Minas, Anízio Vianna, conta que existe um apoio cada vez maior às incubadoras e empresas incubadas mineiras: “Esse é um foco fundamental para o desenvolvimento da inovação e empreendedorismo em nosso Estado. Esse apoio crescente pretende diminuir o tempo de maturação das empresas. Com uma maior profissionalização e especialização, poderemos aperfeiçoar o processo de incubação, torná-lo mais eficiente e diminuir o

tempo de incubação”, explicou. “Esse edital Sebratec é inédito, voltado às empresas incubadas. O Sebrae pretende garantir que o potencial desses empreendimentos se concretize em produtos comercializáveis, viáveis economicamente e com relevância tecnológica. Os ambientes de incubadoras são muito ricos em ideias originais, conhecimento e inovação. É essencial manter um foco de fomento e investimento neles”, explica a analista do Sebrae Minas, Andrea Furtado. Ela diz ainda que outro edital, no mesmo modelo, será aberto em abril para contemplar um número maior de empresas.

A Incubadora do Inatel, de Santa Rita do Sapucaí, foi uma das contempladas no edital

presas e Negócios de Design (UEMG); Habitat - Incubadora de Empresas da Fundação Biominas; Incubadora Incultec - Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto (UFOP); Nascente - Incubadora de Empresas do CEFET; e a Incubadora Inatel - Instituto Nacional de Telecomunicações. O edital distribuirá R$ 12,3 milhões em três faixas: a) Apoio à

infraestrutura de incubadoras em estágio de operação, para prestação de serviços às empresas de base tecnológica, com valor de R$ 8,3 milhões; b) Apoio à elaboração de EVTE (Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica) para Incubadoras de Empresas, com valor estimado de R$ 2 milhões; c) Apoio à elaboração de EVTE para Parques Tecnológicos, com valor aproximado de R$ 2 milhões.


abril 2014

www.rmi.org.br

4

NidusTec

Estado apoia abertura de Incubadora na Unifal A NidusTec, a incubadora de empresas de base tecnológica da Universidade Federal de Alfenas (Unifal), lança edital para a seleção das cinco primeiras empresas que irão integrar o programa de incubação. Inaugurada em 19 de fevereiro passado, sua criação teve apoio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais (Sectes), Sebrae-Minas, Prefeitura de Alfenas e Rede Mineira de Inovação (RMI). A Secretaria financiou a elaboração de um estudo de viabilidade técnica e econômica (EVTE) e de um plano de negócios, requisitos necessários para a sua abertura. A incubadora realizou a inauguração oficial em 19 de fevereiro e lançou o primeiro edital para seleção de empresas. “A Secretaria identificou grande prioridade e importância na criação da incubadora. Ela vai atender a uma região abrangente, que tem demanda por esse tipo de ambiente. Além disso, a Unifal é uma conceituada universidade com enorme potencial de inovação, desenvolvimento de pesquisa e tecnologia”, explica a superintendente de Inovação e Tecnologia da Sectes, Brenda Silva. “O Estado, por meio da Secretaria, tem uma política de compro-

A gestora Lilian Nogueira Araújo diz que a incubadora tem potencial para fomentar o crescimento das micro e pequenas empresas da região

metimento em apoiar as incubadoras. Lançamos editais anuais de fomento voltados a elas”, completa. “O estudo de viabilidade nos permitiu conhecer a dinâmica socioeconômica, política, empresarial e cultural da região. A partir desses dados foi possível compreender e demonstrar a compatibilidade entre a incubadora e a realidade local”, destaca a gestora da incubadora, Lilian Nogueira Araújo. “Ela tem potencial para fomentar o crescimento das micro e pequenas empresas, com a criação de novos postos de trabalho e a

geração de renda, atuando em Alfenas, Varginha e Poços de Caldas”, acredita. Lilian Nogueira ressalta ainda a importância do apoio e disponibilidade da Rede Mineira de Inovação (RMI) em todo o processo: “Todos da Rede são muitos solícitos e nos atendem prontamente. Tiveram papel fundamental em esclarecer dúvidas sobre questões burocráticas e administrativas”. Lilian conta ainda que realizou uma série de visitas, em 2013, para conhecer a rotina de incubadoras como INCIT, Inbatec e Habitat.

Incubadora da FAI é a mais nova associada da Rede Mineira de Inovação A Intef, Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da FAI (Centro de Ensino Superior em Gestão, Tecnologia e Educação), é a mais nova associada da Rede Mineira de Inovação (RMI). A Intef se vinculou à Rede no início do ano com o objetivo de se aproximar das incubadoras de Minas, receber apoio e participar dos eventos promovidos pela rede. Criada em 2009, conta quatro empresas residentes e uma graduada. Ela atua nas áreas de marketing digital, tecnologia

da informação e eletroeletrônica. “A associação foi um passo muito importante para o desenvolvimento e progresso da incubadora. Com o auxílio da Rede, teremos maior facilidade em atingir o modelo de gestão necessário para a Certificação Cerne (Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos)”, acredita o assessor técnico da Intef, professor Alexandre Magalhães. “Além disso, teremos grande acesso a uma rede de contatos e oportu-

nidades promovidas e divulgadas pela RMI”, completou. A qualificação Cerne foi desenvolvida pela Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). É um modelo pioneiro de gestão para as incubadoras ampliarem a capacidade de gerar, sistematicamente, empreendimentos inovadores bem sucedidos.


5

www.rmi.org.br

abril 2014

Capacitação

“Empreendedores do Vale” é a vencedora do Avance!

Os integrantes da equipe vencedora (Da esq. para a dir.): Celso Carneiro, Alexandre Magalhães, Dani Xavier e Anna Menge de Freitas

A equipe Empreendedores do Vale, da Incubadora Municipal de Empresas Sinhá Moreira –PROINTEC, de Santa Rita do Sapucaí, venceu a versão piloto do Avance!. Ao todo, 58 equipes se inscreveram para participar do jogo, que teve duas fases: classificatória, com cinco rodadas, e final, com seis. Em cada rodada, que equivalia a três meses de gestão de uma empresa, foram criadas situações em que os participantes deviam tomar decisões relativas à estratégia, produção, distribuição, marketing, finanças, inovação, internacionalização e recursos humanos. Assim, eles enfrentaram o cenário típico de pequenas e

médias empresas: contratação de funcionários, investimentos para os diferentes setores da empresa e alocação de equipe, projetos e recursos. Para chegar à vencedora do Avance!, foi utilizado um software de gerenciamento que, durante a competição, avaliou as decisões das equipes em ambientes que simulavam o funcionamento do mercado. Essas decisões foram comparadas com as dos concorrentes, as demais equipes participantes do jogo, resultando em uma pontuação ao final de cada rodada de decisão. Idealizado pela Anprotec, em parceria com o Sebrae, e executado pela Incubadora de Empre-

Equipe da UFOP vence desafio entre universidades mineiras Um dispositivo de estimulação sensorial auditiva, que poderá ser utilizado na recuperação cirúrgica e na reabilitação auditiva, em treinamentos, simulações e também para o entretenimento de pessoas com deficiência visual, neste caso, funcionando como um “audiogame”. O projeto Sound Cage, como é denominado, utiliza distribuição espacial de alto-falantes com sensores acoplados e um controle para interação entre usuário e dispositivo. O projeto, desenvolvido por uma equipe da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) foi eleito o melhor Plano de Inovação

sas da COPPE/UFRJ, o objetivo do Avance! é oferecer uma capacitação para as empresas associadas às incubadoras e aos parques na gestão da inovação e no processo de internacionalização. Com base na experiência e na avaliação dos participantes da versão piloto do Avance!, será elaborada a segunda versão, mais aperfeiçoada. “Parabenizamos a equipe vencedora pelo excelente resultado e agradecemos a todos os demais inscritos, que participaram do jogo e contribuíram para o aprimoramento do Avance!”, afirmou a presidente da Associação, Francilene Procópio Garcia.

Projeto foi considerado melhor Plano de Inovação do Estado: como prêmio, visita a Coreia do Sul

do Estado, competição organizada pelo Programa Mineiro de Empreendedorismo na Pós-graduação. “O Programa foi emoção pura. Estamos mostrando grandes cientistas para sociedade e mostrando essa cultura de empreendedorismo para eles”, disse o secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Evaldo Vilela. Criado em 2010 pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), o Programa é desenvolvido pelo Sistema Mineiro de Inovação (Simi) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), sendo executado pelo Instituto Inovação.

Os membros do Sound Cage já se mostram animados com a visita à University of Technology & Science da Coréia do Sul (UST), o prêmio pela conquista. “A Coreia é uma referência mundial em tecnologia, queremos aprender o máximo possível e trazer conhecimento para nosso projeto e para a nossa universidade também, para que surjam outros novos projetos”, afirma Bruno Coelho, membro da equipe. O anúncio da vencedora aconteceu em dezembro passado, durante evento no auditório da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg).


abril 2014

6

www.rmi.org.br

Encontro

Workshop apresenta projeto de novo Centro Tecnológico para Viçosa Realizado, nos dias 27 e 28 de março de 2014, o Workshop “Tecnologia e Inovação em Bioagentes e Biossegurança”, apresentou a “Proposta do Centro Tecnológico em Bioagentes e Biossegurança (CTBB)”. Promovido pelo Parque Tecnológico de Viçosa (tecnoPARQ), pelo Programa de Pós-Graduação em Bioquímica Agrícola da UFV, pela Fundação Arthur Bernardes (Funarbe) e pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), o evento buscou fornecer aos participantes um ambiente de debate, para que entidades privadas e públicas pudessem ser sensibilizadas sobre a necessidade e importância de um Centro, dessa envergadura, para o desenvolvimento do país. O evento recebeu o apoio do Centro Tecnológico de Desenvolvimento Regional de Viçosa (CenTev/UFV), do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular da UFV, da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação UFV, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), do Laboratório Nacional Agropecuário de Pedro Leopoldo-MG (Lanagro), da Rede de Incentivo à Inovação de Viçosa (ReInova) e do Escritório da Ligação da UFV (Innovation Link). A estruturação deste Centro

Da esq. Para dir.: Adriana Ferreira de Faria, Angelo Pallini, Nilda Ferreira de Fátima Soares, Maria Goreti de Almeida Oliveira e Cláudio Mafra

terá como objetivo viabilizar projetos e promover o desenvolvimento nacional, por meio de pesquisa tecnológica na área de saúde humana e animal, em parceria entre a Universidade, as empresas e o governo. O Centro buscará incentivar a inovação, bem como o atendimento aos agentes demandantes de instalações e procedimentos que exijam elevado padrão de biossegurança. A reitora da UFV, Nilda de Fátima Ferreira Soares, abriu o workshop ressaltando a importância do evento e do projeto para a UFV e a região. Na sequência, o coordenador do projeto CTBB, professor Cláudio Mafra, falou que o Centro possibilitará a capacitação e transferência de tecnologia, além de promover emprego e renda, uma

vez que fornecerá “suporte a empresas de pequeno e médio porte instaladas na região, bem como empresas de grande porte, em todo o Brasil, que necessitem realizar experimentos relacionados a organismos de nível de risco biológico 3”. A diretora executiva do CenTev, Adriana Ferreira de Faria, acredita que esta iniciativa é estratégica para o tecnoPARQ, uma vez que o seu propósito é atrair novos empreendimentos para Viçosa, “desta forma, o Centro Tecnológico de Bioagentes e Biossegurança seria âncora na captação de negócios da área”, como também afirma Marlos da Matta Agostini, assessor de Coordenação dos Fundos Setoriais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Fumsoft é selecionada, pela segunda vez, para o Startup Brasil A Sociedade Mineira de Software (Fumsoft), de Belo Horizonte foi, pela segunda vez, uma das aceleradoras selecionadas para participar da segunda rodada do Programa Start-Up Brasil. A iniciativa, promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), tem como objetivo fomentar e desenvolver o ecossistema de startups no Brasil. Com essa participação no programa Startup Brasil, a Fumsoft criou a Acelera-MG e, com isso, ampliou suas atividades, somando ao modelo de empreendedorismo existente, o braço da aceleração. “Hoje, a Fumsoft oferece um programa de empreendedorismo que engloba pré-incubação, incubação e aceleração, ou seja, um programa abrangente, capaz de atender às empresas em qualquer estágio e com características diversas”, afirmou Flávia Guerra, CEO da Fumsoft. A coordenadora de Empre-

endedorismo da Fumsoft, Daisy Melo, explicou que as empresas aceleradas têm um perfil diferente das incubadas: “As aceleradas são escaláveis, ou seja, têm produtos e serviços com potencial de serem lançados e atingirem larga escala de usuários em um curto período de existência. Outro diferencial é que essas startups recebem aporte financeiro para viabilizar o crescimento marcado pela escalabilidade”. Daisy disse que a segunda rodada da 1ª. Edição do Startup Brasil terá início ainda em junho de 2014 e que cinco startups virão para o ambiente da Fumsoft. Para oferecer às aceleradas, incubadas e pré-incubadas um ambiente propício para se desenvolverem, a Fumsoft inaugura, no final do maio próximo, uma área destinada ao seu Programa de Empreendedorismo, que imprime a modernidade requerida para este tipo de ambiente, baseada em ini-

Daisy Melo: as empresas aceleradas têm um perfil diferente das incubadas

ciativas semelhantes no próprio Brasil e exterior. O Start-Up Brasil é composto por dois ciclos de aceleração, cada um com cinco startups. Além de terem o suporte na gestão e desenvolvimento, mentorias e participarem de capacitações durante os seis meses do processo, as startups recebem aporte financeiro de R$ 200 mil do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e R$ 50 mil da AceleraMGTI.


7

www.rmi.org.br

abril 2014

Empreendedorismo

Incubadora de empresas Sinhá Moreira lança edital de fluxo contínuo

Está aberto o novo edital da Incubadora Municipal Sinhá Moreira, de Santa Rita do Sapucaí. Algumas novidades estão sendo introduzidas neste que é o primeiro edital de 2014, ano em que a incubadora comemora 15 anos de atividades. A maior delas é a possibilidade de se fazer grande parte do processo de seleção à distância, via Internet. O pretendente poderá fazer sua inscrição pelo site www.prointec.com.br, e até mesmo a entrevista presencial poderá ser feita ao vivo via Skype. O plano de negócios também será preenchido eletronicamente, após o cadastro do pretendente junto ao Programa Avançado de Incubação de Empresas de Base Tecnológica – PROINTEC. Outra inovação, em parceria com o Sebrae, é que a capacitação sobre empreendedorismo será feita online, através de dois cursos EAD oferecidos pela instituição, e os pretendentes só precisarão apresentar os certificados de conclusão. O edital agora é de fluxo contínuo, ou seja, as inscrições poderão ser feitas até o dia 30 de setembro, e, havendo vagas disponíveis durante a vigência do edital e cumprindo todas as suas etapas, o empreendedor poderá se instalar em seu

Inscrições para seleção de empresas e projetos serão aceitas até o dia 30 de setembro de 2014

módulo de incubação. As propostas serão avaliadas pelo Conselho Consultivo à medida que sejam submetidas. Com isso, os interessados não ficam mais tão dependentes de datas e prazos exíguos, o que às vezes pode afastá-los da oportunidade. Fazendo melhor uso da plataforma digital e dilatando o prazo do edital, as mudanças visam não apenas facilitar e agilizar o processo

INCIT: quatro novas selecionadas

Ideias inovadoras, propostas de alto nível e negócios empreendedores marcaram o processo de seleção de empresas da INCIT (Incubadora de Empresas de base Tecnológica de Itajubá), realizado em 19 de fevereiro. Foram aprovados quatro novos empreendimentos, de um total de sete concorrentes, para integrar o Programa de Incubação. São eles: RZX Tecnologia, Zeta Lab Brasil, E-commerce Tools e Liberty Medical.

Os empreendedores estão otimistas com o apoio e suporte técnico que passarão a receber da INCIT. “A incubadora possui muita credibilidade, uma ótima infraestrutura e muitos empreendimentos de sucesso em seu programa”, diz o sócio da E-commerce Tools, Rodrigo Fernandes Carvalho. O Programa de Incubação conta com 22 empresas. Desde sua criação, já foram graduadas 21 empreendimentos.

de seleção, mas também expandir o alcance do processo seletivo, buscando interessar e atender empreendedores não só de Santa Rita do Sapucaí mas também de toda a região sul mineira, do estado e de todo o país. O edital e outros documentos a ele associados podem ser visualizados e baixados em: www.prointec.com.br.

Unitecne: novas empresas aprovadas

Com processos, produtos e/ ou serviços tecnológicos e inovadores, três novas empresas acabam de assinar contrato com a Unitecne para ingresso no Programa de Incubação Acelerada. As empresas AstroScience, Netcook e Six Agência Digital poderão alcançar a graduação em apenas um ano. A incubadora ainda mantém ativos os contratos nesta modalidade com as empresas Assimile e Mural do Frete. Durante o período de incubação, as empresas e empreendedores obterão apoio para elaboração do plano de negócios, avaliação e melhorias em sua gestão, estratégia, mercado, tecnologia, finanças e perfil do empreendedor. Além disso, receberão consultorias, participarão de cursos e eventos promovidos pela incubadora e/ou parceiros e serão orientadas sobre a participação em editais de agentes de fomento.


abril 2014

8

www.rmi.org.br

Reconhecimento

Empresas mineiras recebem prêmio nacional de inovação da Anprotec

Uma das empresas premiadas foi a Lifetec do Brasil, de Santa Rita do Sapucaí: apoio das incubadoras do Inatel e Prointec

Reconhecimento, valorização da marca, maior divulgação dos produtos e, consequentemente, mais vendas. Duas empresas mineiras experimentam esse novo momento depois que foram destaque no 17º Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador. São elas: Lifetec do Brasil, de Santa Rita do Sapucaí, e Fertilize, de Uberaba. Elas conquistaram, respectivamente, os 2º e 3º lugares na categoria “Melhor Empresa Graduada”. “Nascemos dentro da incubadora do Inatel, que nos forneceu a base e apoio necessários para chegarmos até aqui. Atualmente contamos com suporte também da Incubadora Municipal de Santa Rita”, conta a diretora administrativa da Lifetec, Andreia Malaquias dos Santos. Ela destaca outros fatores importantes para o crescimento da empresa: a troca de experiências entre as incubadas e graduadas, os seminários e as consultorias oferecidos durante o programa. “Esse reconhecimento é bas-

tante positivo para divulgar e valorizar nossa marca, respalda a seriedade do nosso trabalho e a qualidade dos nossos produtos”, completa. A Lifetec graduou-se em janeiro de 2012. A empresa desenvolve novas tecnologias para os setores médico-odontológico. Os principais produtos são leitores de Raio-X e Leds que garantem diagnóstico mais precisos e seguros aos pacientes. Opinião semelhante tem o sócio da Fertilize, Ricardo Reuter Ruas. “Esse foi um prêmio muito importante para nós. Elevou a autoestima dos funcionários e gestores, colocou a empresa em uma posição de destaque e confirmou que estamos no caminho certo”, acredita o sócio da Fertilize, Ricardo Reuter Ruas. “Estamos bastante otimistas em seguir um caminho voltado à inovação. Queremos estabelecer planos e moldar a estrutura da empresa em torno desse eixo. Gerar novos pedidos de patentes todos os anos é uma

proposta desafiadora, mas acreditamos que podemos superar os obstáculos”, completou. Ricardo destaca a importância da Incubadora de Tecnologia e Negócios da Uniube (Unitecne) no trajeto da empresa e sua contribuição para a conquista do prêmio. “A Fertilize graduou-se na Unitecne. Lá recebeu todo o apoio necessário e auxilio para obter a independência”, disse. A empresa atua no ramo veterinário. Suas principais inovações na área são equipamento para descongelamento eletrônico de sêmen e pinça para manipulação do sêmen, com o objetivo de padronizar os procedimentos, aumentar a velocidade e diminuir erros. O prêmio às duas empresas foi concedido pela Anprotec durante o encerramento do XXIII Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas, realizado junto com a 30ª Conferência Mundial IASP, no Porto Digital, em Recife (PE). Os eventos ocorreram em outubro de 2013.

BH-TEC: ano de conquistas e prêmios O balanço de 2013 apresentou-se favorável para o BH-TEC e as empresas residentes, que somaram oito prêmios nacionais e internacionais, além de outros reconhecimentos. O BH-TEC foi prestigiado com o prêmio José Costa, as-

sim como a Ecovec, que faturou o José Costa e o Edson Awards. A STA conquistou o terceiro lugar no Desafio Brasil, e a WayCarbon, o Prêmio Sustentar. A Samba Tech conquistou o Prêmio LIDE, OnHollywood 100 Top Private Companies e o AlwaysOn.

Outros reconhecimentos fazem parte das conquistas das empresas em 2013. A Take.Net classificou-se como a 27ª Melhor Empresa de TI para trabalhar no Brasil, na Great Place to Work e a Ivison ficou entre as três empresas selecionadas no Edital Inova Petro.

Informativo RMI - 6ª Edição - Ano 2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you