Page 57

so de adaptação desembocou na necessidade de reformulação do projeto da loja. Assim como na fábrica as coisas haviam mudado, também as lojas teriam que se adaptar. Na época, para desenvolver o projeto, Yokota chamou a Collange Henrique Arquitetura, o mesmo escritório encarregado das reformas mais recentes. Depois de estudar a história e o conceito da marca, o escritório criou um novo layout, trazendo os balcões para o centro da loja e facilitando o acesso dos clientes aos produtos em exposição. A iluminação foi suspensa e deixada aparente, sob o teto sem revestimento. E as roupas, que até então ficavam em prateleiras, passaram a ser expostas em araras. Para sugerir a simplicidade das mercearias, as paredes receberam painéis ripados. Todos os materiais usados são “ambientalmente corretos”. As madeiras são recompostas ou certificadas; as lâmpadas são de baixo consumo e alto desempenho; os vidros, o ferro, o aço e as peças de alumínio foram reciclados. "Procuramos manter a essência da marca valorizando os produtos, não elementos de arquitetura. No comércio, o foco tem que ser o produto", diz Vanderlei Collange, um dos dois sócios da Collange Henrique Arquitetura.

expansão do conceito Constatados os resultados da mudança, a Mercearia começou a implantar o modelo em todas as suas lojas e seus pontos-de-venda franqueados. Atualmente, a Mercearia é dona de 11 lojas próprias, tem 15 franqueadas e atende a cerca de 200 multimarcas em todo o país. "Você

OS ARQUITETOS José Antônio Henrique (esq.) e Vanderlei Nunes Collange foram os responsáveis pelo projeto, que procurou manter a essência da marca sem perder o foco nos produtos

pode ter um bom produto. Mas, sem uma imagem legal, a coisa não anda. Além disso, com uma marca forte, é possível vender mais em lojas multimarcas, o que é extremamente importante para garantir volume e ganhos em escala", diz Yokota. Seguindo à risca a própria receita, a empresa pretende rejuvenescer, nos próximos meses, a imagem de suas três principais lojas, duas localizadas em São Paulo e uma no Rio de Janeiro, trocando alguns materiais antigos por outros, mais novos e nobres. A reforma da loja carioca, em Ipanema, começou no final de maio. Os pontos-de-venda paulistanos, localizados na Rua Oscar Freire e no Shopping Iguatemi, fecham este mês para retoques no interior e na fachada. Os projetos seguem o conceito adotado há quatro anos. Porém, no lugar de ferro, as fachadas serão construídas com aço inox; o piso, que em geral é construído com madeira de reflorestamento ou ladrilho hidráulico, dará lugar a peças de mármore romano levigado, rústico. As madeiras usadas serão de melhor quaREVIST A DO V AREJO REVISTA VAREJO

lidade, e o escritório começa a estudar a utilização de tintas atóxicas. "Estamos polindo o projeto. O aumento das vendas veio com a primeira reformulação. Agora, esperamos ganhos institucionais, como o firmamento da marca e ganhos nas vendas indiretas em lojas multimarcas", Yokota.

CONTATOS: Projeto – Collange e Henrique (11) 3064 8882 Execução – Collange e Henrique (11) 3064 8882 Mobiliário – Taniguchi (11) 4158 1257 Stantshop (11) 3891 0506 Over do Brasil (11) 3904 4656 Iluminação – Lampadário (11) 3256 8208 Vidros e espelhos – Comovil (11) 3337 6953 Ar-condicionado – Segovia (11) 6692 8517 Serralheria – Expofer (11) 5588 1566 Forro – Roni Liberato (11) 5834 0214

2004

JUNHO

57

Revista do Varejo 02  

Junho de 2004

Advertisement