Page 16

E NTREVIST A NTREVISTA

Muito mais que

ensinar, a Academia do Varejo Marisol visa a viabilizar o contato e a relação entre o público que está inserido no contexto do comércio varejista nacional

dito são difíceis, a tributação sobre o varejista é muito complicada, e muitos têm dificuldade para fazer com que o negócio seja efetivamente rentável. RV – E como tem sido a receptividade dos varejistas à Academia do Var ejo? arejo? DONINI – Tem sido boa, mas nós também estamos evoluindo nesses dois anos, pois não tínhamos experiência e aprendemos com nossas práticas. Há um curso para vendedores – que nós já mantínhamos e acabamos incorporando-o na Academia do Varejo –, que neste ano será ministrado em sala de aula para 4,8 mil vendedores de nossos lojistas. Com isso, atingiremos 15 mil vendedores que já fizeram o curso nos últimos quatro anos. Vamos com nossa estrutura espalhada pelo Brasil e em cada cidade reunimos os colaboradores. R V – Como é a par ceria com o Gr upo FFriedman? riedman? parceria Grupo DONINI – Está sendo uma evolução profissional para este curso. O Grupo Friedman é um dos maiores conhecedores de práticas e técnicas de varejo, e o nome mais respeitado no país no que diz respeito a processos e tecnologias de atendimento e desenvolvimento no varejo. Isso dá uma qualidade técnica maior. Porque a Academia não visa a ensinar, mas viabilizar que as melhores práticas passem a ser de conhecimento de todo mundo. Nós não somos varejistas, por isso

16

JUNHO

2004

não temos a expertise que mostre as melhores práticas. Então nós buscamos uma boa prática de um lojista que está em João Pessoa, por exemplo, e a inserimos no contexto da Academia do Varejo para que um lojista a utilize em outro local. Muitas vezes uma solução, que não estará descrita de onde veio no contexto da Academia, nem veio do Grupo Friedman, mas de um outro lojista que está do outro lado do país. Só que, se não fosse a Academia, não existiria esse contato. Por isso, muito mais que ensinar, a Academia visa a viabilizar o contato e a relação entre o público que está inserido nesse contexto. RV – E os resultado resultadoss dessa empreitada, como podem ser medidos? DONINI – Nós entendemos que o benefício virá em longo prazo, até porque estamos falando em um processo de aculturamento, e isso não se faz em dois anos. O que nós temos bem claro é que dependemos dessa cadeia de distribuição e desse perfil de lojista, profissionalizado ou não. Foi dessa maneira que a Marisol cresceu e se desenvolveu, e tem hoje seus 40 anos de vida com muita saúde. Mas esse perfil dos nossos clientes precisa estar preparado para um novo momento que nós todos vamos viver, no Brasil e na América Latina, com a globalização, a Alca, os blocos econômicos. O comércio internacional vai ser um só, e nós temos de estar preparados para isso.

REVIST A DO V AREJO REVISTA VAREJO

Revista do Varejo 02  

Junho de 2004

Advertisement