Page 1

VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

www.agazeta.com.br DIVULGAÇÃO

Entrelinhas

AS RELAÇÕES ENTRE O LIVRO A PAIXÃO SEGUNDO G.H. E OS TEXTOS BÍBLICOS Página 3

Artes

UMA ANÁLISE SOBRE O VÉU DE VERÔNICA, RELÍQUIA QUE INSPIRA ARTISTAS Página 4

Música

CRÍTICA DE MADE IN CHINA, NOVO ÁLBUM DO COMPOSITOR CARLOS CAREQA Página 5

Teatro

O PROCESSO DE CRIAÇÃO DO ESPETÁCULO TEMPOS DE AREIA, DO GRUPO REPERTÓRIO Página 16

Feitos para durar

A JORNALISTA CORA RÓNAI DEFENDE QUE OS E-BOOKS NÃO VÃO ACABAR COM OS LIVROS

Páginas 8 e 9


2

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

quem pensa

marque na agenda prateleira Café Literário

Ricardo Salvalaio é professor e escritor. Publicou dois livros e escreve no blog www.outros300.blogspot.com

Alda Luzia Pessotti é mestre em Educação e bacharel em Artes Plásticas. aldapessotti@yahoo.com.br

Devassos por Natureza Jesse Bering

A vida de Rubem Braga

Nesta terça, às 19h, o Café Literário Sesc inicia uma série de oito encontros para lembrar a trajetória de Rubem Braga. O primeiro encontro será com o jornalista e escritor José Castello, na Biblioteca Pública Estadual, na Praia do Suá, em Vitória. Aberto ao público.

Concerto Série Quarta Clássica

Aquiles Rique Reis é músico e vocalista do MPB4. aquilesreis@uol.com.br

Lúcio Manga é professor de linguagem, músico e escritor. luciomanga@gmail.com

Fátima Régio é enfermeira voluntária no Hospital São Lucas e poeta.

A Orquestra Filarmônica do Espírito Santo (Ofes) apresenta nesta quarta, às 20 horas, o concerto “Outras Fronteiras: Escandinávia e Hungria”, com obras de Sibelius, Grieg e Bartok. No Teatro Carlos Gomes, no Centro de Vitória.

15

de março A exposição “Incerto e Silencioso”, da artista Shirley Paes Leme, será aberta na próxima sexta, dia 15, na Galeria Matias Brotas, na Mata da Praia, em Vitória. Usando filtros de ar condicionado de carros , coletados nas cidades onde viveu, Shirley cria obras nas quais o desenho se funde ao objeto. (27) 3327-6966 .

Caê Guimarães é jornalista, poeta e escritor. Publicou quatro livros. www.caeguimaraes.com.br

Carlos Alexandre Rocha é escritor, mestrando em Letras pela UFES e publica no blog pierrocronico.blogspot.com

Cora Rónai é colunista do Segundo Caderno e do caderno Economia de O Globo. cronai.wordpress.com

Abertura de exposição

13

de março

Lançamento literário

Tiche Vianna édiretoraepesquisadoradoBarracãoTeatro,em Campinas. barracaoteatro@barracaoteatro.com.br

Nesta quarta, a partir das 19h, a escritora Jô Drumond lança os livros “Trancelim” e “As Trilhas da Derrisão”. O primeiro reúne 30 textos da autora, entre contos e crônicas; o segundo, é fruto da dissertação de mestrado de Jô, que estuda os mecanismos dos riso em obras do francês Molière e de Martins Pena, o fundador da comédia nacional. Na Biblioteca Pública Estadual, Praia do Suá, Vitória. Entrada franca.

Uma jornada por tabus relacionados à sexualidade, à evolução e a outras questões complexas da condição e do comportamento humanos. Jesse Bering examina uma seleção de 33 dos mais populares ensaios, escritos em sua maioria para as revistas “Scientifc American” e “Slate”. Zahar, 298 páginas, R$ 44,90

O Apocalipse dos Trabalhadores Valter Hugo Mãe

Narra a história de Maria da Graça e Quitéria, duas empregadas domésticas – ou “mulheres-a-dia”, como se diz em Portugal –, que, apesar do trabalho duro e da rotina opressiva, mantêm as esperanças em uma vida melhor. Cosac Naify, 192 páginas, R$ 39,90

A Vida Privada de Stálin Lilly Marcou

Fruto de 30 anos de pesquisa, investigação dos arquivos abertos após o fim da União Soviética e entrevistas com familiares e pessoas próximas, a historiadora traça aqui um perfil que abrange as complexidades e contradições de Stálin. Zahar, 256 páginas, R$ 54,90

A História da Máfia Nigel Cawthorne

Apresenta a história da máfia e explica que, em meados do século XIX, havia gangues de bandidos isoladas que, na época, descobriram um objetivo em comum ao começar a se unir contra a casa de Bourboun, os execrados da ilha da Sicília, na Itália. Madras, 272 páginas, R$ 39,90

VIDA LONGA AO PAPEL

Tiago Zanoli

Já é velha a lengalenga apocalíptica acerca do futuro do livro impresso, que muitos julgam caminhar rumo à completa extinção. Bobagem! A música digital não matou o CD, e discos de vinil são produzidos aos montes. Não sou estudioso nem pesquisador desse campo, muito menos profeta, mas arrisco dizer que o futuro do livro é híbrido. O papel vai coexistir com tablets e afins. É uma aposta... embasada, claro, na opinião de quem realmente entende do assunto. Vale ler Umberto Eco e Jean-Claude Carrière em “Não Contem com o Fim do Livro”, fruto de conversa entre os dois, que avaliam a situação do

Pensar na web

livro no mundo contemporâneo e refletem sobre seu futuro. Numa entrevista ao “Estadão”, Eco comparou o tempo de vida útil dos suportes digitais e impressos: os primeiros duram dez anos; os outros, cinco séculos. A jornalista Cora Rónai, que participa dos Seminários Internacionais Museu Vale 2013, defende aqui a “imortalidade” dos livros de papel e fala sobre os diferentes tipos de obras: as que funcionam melhor em meio digital e as que jamais terão, no meio eletrônico, o mesmo poder que têm no impresso. »Zp ]jeMJOp j J\ óMe\Z ie[p] mj Nj\p[p0

é editor do C2+Pensar.

tzanoli@redegazeta.com.br

Leia trechos de “A Paixão Segundo G.H.”, de Clarice Lispector, e ouça músicas do cantor e compositor Carlos Careqa: gazetaonline.com.br/pensar

Editor: Tiago Zanoli; Editor de Arte: Paulo Nascimento; Textos: Colaboradores; Diagramação: Dirceu Gilberto Sarcinelli; Fotos: Editoria de Fotografia e Agências; Ilustrações: Editoria de Arte; Correspondência: Jornal A GAZETA, Rua Chafic Murad, 902, Monte Belo, Vitória/ES, Cep: 29.053-315, Tel.: (27) 3321-8511


3

entrelinhas

Pensar

por RICARDO SALVALAIO

O PARALELISMO BÍBLICO NA OBRA DE CLARICE LISPECTOR

A

Paixão Segundo G. H.” é um romance que tem estilo de relato confessional, por sua vez apresentado de modo teológico/religioso em que se evidencia um caráter paradoxal: santidade/pecado; salvação/danação, inferno/paraíso. Assim, será observada a paródia do texto divino e como o divino é representado no texto lispectoriano. Mesmo tendo intertextualidade com a Bíblia, a obra, como aponta Olga de Sá, é uma paródia do texto bíblico, pois o trata com ironia e o constrói/desconstrói. Paródia, de acordo com Sant’Anna, é um “discurso em progresso, em que os dois planos devem ser necessariamente discordantes e deslocados, e onde há uma perversão do sentido original”. As referências à Bíblia já aparecem no título “A Paixão Segundo G. H.”, que remete a “Paixão de Jesus Cristo Segundo Mateus”. As narrativas da paixão estão no Novo Testamento. Nelas, os sofrimentos de Cristo são relatados por seus discípulos. Entretanto, aqui, é a própria narradora quem relata sua paixão. G. H., ao despedir sua empregada, decide fazer uma limpeza geral no quarto de serviço, o qual ela supõe imundo e repleto de inutilidades. Fica incomodada por Janair, a empregada negra da qual não se lembra do rosto, manter tudo organizado. Numa parede do quarto, a protagonista-narradora vê um desenho de Janair. Neste, há um homem, uma mulher e um cão. As figuras se desconhecem. G.H. cabe perfeitamente no desenho duro da parede. Ela está presa e sem referência. Ao se identificar com o desenho (“múmia grafada”), G.H. desloca-se para o desenho, abrindo brecha para a paixão.

REPRODUÇÃO DO LIVRO CLARICE FOTOBIOGRAFIA

Revelação

Após recuperar-se da frustração de ter encontrado um quarto limpo e arrumado, G. H. depara-se com uma barata na porta do armário. Depois do susto, ela esmaga o inseto e decide provar seu interior branco, processando, então uma revelação. Como a personagem Ana, do conto “Amor”, G. H. vivencia um momento epifânico. A partir daí, ocorre a metamorfose de G.H., a perda de seu “eu”, pois seu sistema social e psicológico se perdem. A narradora “comunga”

A Paixão Segundo G.H. Clarice Lispector Rocco, 180 páginas Quanto: R$ 33

imanência, situa-se entre os processos da paródia”. Ao ingerir o inseto, G.H. rompe com valores absolutos. Além disso, a matéria branca da barata parece com a matéria fetal expelida por G.H. ao provocar um aborto. Ao se deparar com essa “matéria branca”, a personagem acaba fazendo uma paródia com a oração “Ave Maria”. G.H. perde a máscara social reconhecida pelos outros, e a volta à origem se dá pela união com o “outro” não humano. Dessa maneira, a personagem-narradora vive uma “via crucis do amor” (amor – sofrimento – alegria – amor) e perde, além da identidade, a linguagem, pois passa a buscar a forma para expressar o neutro, o cru, o não-humano, a existência, o ser, o indizível. A experiência mais radical é percorrer o itinerário da linguagem, em direção ao silêncio. Ao perder sua vida pessoal, G. H. destrói também a linguagem humana.

Inferno

Clarice Lispector publicou “A Paixão Segundo G.H.” originalmente em 1964

com a barata e assim localiza a vida divina, mas nega a ideia de Deus enquanto ser pessoal e transcendente. Segundo Waldman, a barata é um animal impuro para o judaísmo. Assim, a personagem perde sua existência social e ganha uma existência impessoal, crua, viva. Pela negação

de si, G. H. alcança a realidade. Ademais, através da hóstia, o homem recebe o corpo de Cristo e transcende. G. H. recebe a barata e regressa a um estágio pré-humano. De acordo com Olga de Sá, “a inversão da paixão de Cristo do plano da transcendência para o plano da

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

Pode-se dizer que a protagonista desce ao inferno, pois revela: “Inferno é o meu máximo”. Aqui, o inferno vem do amor e não tem castigo, mas a narradora mantém o tom paradoxal, haja vista que vive o sofrimento gozoso, o horrível mal-estar feliz. Ela retrocede para evoluir, vai ao inferno para achar esperança. Entretanto, G. H. deseja voltar, recuperar sua superficialidade vazia e leve, reintegrar-se no humano, fazer de conta que nada viveu. Mas a experiência de G. H. é mais radical. Não é uma epifania do ver, é um ritual do comer. Por fim, no que tange à estrutura do livro, também podemos identificar o divino. O livro recorre a um procedimento poético: os capítulos se iniciam com a última frase do capítulo anterior. É como se o romance como um todo se constituísse numa cadeia, cujo fim implica num renitente recomeço. O método de Clarice ratifica o paralelismo bíblico como procedimento presente desde a estrutura formal da narrativa. A obra possui trinta e quatro capítulos, mas um não usa o paralelismo, sendo assim, trinta e três (idades de Cristo) possuem tal recurso. Essa estrutura lispectoriana só confirma que “A Paixão Segundo G. H.” é uma pergunta e não uma resposta.


4

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

5

falando de música

artes plásticas

por AQUILES RIQUE REIS

por ALDA LUZIA PESSOTTI

O ETERNO BUSCADOR

O VÉU DE VERÔNICA

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

Made in China Carlos Careqa Barbearia Espiritual Discos, 14 faixas. Quanto: R$ 29,90

Reproduções desse ícone foram objetos de artistas dos mais diferentes estilos e épocas, mas sempre com traços comuns em referência à relíquia venerada pelos cristãos

ATTILIO COLNAGO/REPRODUÇÃO

tação da Via Sacra – Verônica limpa o rosto de Cristo –, encenada durante a Semana Santa. Ela também está presente na procissão de Nosso Senhor Morto, segurando uma verônica. Reproduções desse ícone foram objetos de artistas dos mais diferentes estilos e épocas, mas sempre com traços comuns em referência à relíquia.

Autorretrato

Em “Una Sombra, un Silencio”, Attilio Colnago recriou a verônica como autorretrato

difundiram-se entre os cristãos e explicam as peregrinações à Roma desde o século X. A verônica, transferida para a Basílica de São Pedro, em 1297, desapareceu com o saque de Roma (1527). Tornou a aparecer, entre 1608 e 1618, no santuário Santo Rosto, em Manoppello (Pescara, Itália). Apesar de estudos feitos em seu material, nada comprova que o ícone seja aquele proveniente do saque de Roma, pois outras

verônicas foram encontradas desde tempos medievais. Não há referências de Verônica na Bíblia. A tradição lhe credita que ela seria a mulher de Jerusalém, curada por Jesus, de doença de fluxo de sangue, citada em Mateus 9: 20-22, Marcos 5: 23-34 e Lucas 8: 43-48. Em “A Divina Comédia”, Dante a evoca no Canto XXI do Paraíso, versos 103-111. A ela foi reservada a sexta es-

Em “Una Sombra, un Silencio” (2006, desenho com pontas de metal), Attilio Colnago recriou a verônica como autorretrato. A obra apresenta a figura de uma mulher da Idade Média segurando um tecido branco transparente com o desenho do rosto do artista. É uma releitura da pintura “St Veronica” (1410), do pintor flamengo Robert Campin (1375-1444). A Verônica de Attilio é jovem, serena, quão jovem ele se autorretrata. O desenho é de 2006, mas a foto que deu origem ao seu rosto é do final dos anos 80, quando ele tinha a idade de Cristo crucificado. Ter a imagem de seu rosto à mostra, nas mãos de uma mulher à semelhança de Verônica, é uma forma de Attilio mostrar que a sua obra de arte pode ser admirada com a mesma simbologia do objeto que deu origem ao desenho – a verônica. Se o véu de Verônica, com o tempo, transformou-se em relíquia para os cristãos e símbolo da Paixão de Cristo, sua obra de arte pode ser entendida como símbolo de um ofício no qual está presente a trajetória do sacrifício, da dor, da sensibilidade, do amor e da doação. Mesmo que ela esteja acompanhada pelo silêncio que impregna o ambiente onde está exposta ou guardada, seu desejo é que ela seja atemporal e possa ser perpetuado como objeto de estima, apreço e admiração. Sem confundir com a relíquia, sua reprodução e interpretação como autorretrato do artista, é também uma forma de recuperar a sua lenda e trazê-la para os tempos atuais. Uma interpretação literal do desenho de Attilio lembra-me das passeatas, e por que não das romarias, procissões, de mães com fotos de seus filhos desaparecidos, tragados pelo crime organizado, pelo narcotráfico, pelo contrabando de órgãos, a clamar por notícias e justiça. O retrato é uma lembrança material, congelado no tempo, e a ausência do filho transforma-se em sombra, amparada pela dor e pelo silêncio, que só o tempo pode mitigar.

C

arlos Careqa lançou “Made in China” (Barbearia Espiritual Discos), seu oitavo álbum. Nele, diferentemente do anterior (que tinha um grupo relativamente grande de músicos instrumentistas), estão apenas a sua voz, a bateria de Thiago “Big” Rabello e os violões, guitarras, baixos, samplers e teclados de Marcio Nigro, este que também produziu, criou arranjos e mixou o trabalho. Quem lê o título do disco pode imaginar que Careqa se preparou para uma sátira ao consumismo e à proliferação dos chineses nas lojas brasileiras. Ou uma diatribe contra mais uma “invasão estrangeira em nosso país”. Mas não, ou nem tanto, pois ele se rebelou contra possíveis chatices e foi muito mais longe. No que fez muito bem, pois a sua reconhecida ousadia criativa seria consideravelmente reduzida se o objetivo, digamos, “filosófico” do CD fosse levado ao pé da letra. Mas o compositor e cantor Carlos é um eterno buscador de estranhezas poéticas. Assim, ouve-se suas músicas sem que se consiga enquadrá-las em nenhuma categoria da música popular, muito menos em nenhuma vertente política nem econômica de contestação panfletária – até poderia assim ser, nada contra, só que aí não seria Carlos Careqa.

discografia

DIVULGAÇÃO

O

cristianismo, desde os primeiros séculos, representou e produziu imagens sacras a partir de temas de inspiração bíblica que, por conseguinte, eram geradas a partir da imitação de objetos presentes na natureza. Seus artistas também recorriam a motivos pagãos, herdados da Antiguidade Clássica, com adaptação cristã. Representações de peixes, pássaros, cordeiro, videira, árvore, eram comuns nas catacumbas romanas e nos capitéis dos primeiros templos cristãos (arte paleocristã). De outro lado, a assimilação dos cânones da arte clássica, por meio da utilização do sistema de proporções, geravam formas da imagem ideal, que podia ser reproduzida em materiais diversos e aplicada na arquitetura e em diferentes figurações. À época, representar e produzir imagens de santos, guardar e expor partes de seus corpos, objetos que a eles pertenceram – as relíquias –, tornou-se tradição entre os cristãos. Mas como representar Cristo, “que é Deus, que se tornou visível, quis ser visto”? Ele não podia ser representado a partir de cânones da figura humana, por sua própria natureza. A tradição judaica rejeitava a representação de Deus, que também não podia ser visto. Venerar imagens entre os judeus constituía idolatria. A solução, entre os cristãos, para a representação de Cristo, seria resolvida por meio de imagens aqueiropitas – aquelas produzidas por contato direto com o corpo de Cristo, pela pressão de seu corpo contra uma superfície. Neste caso, temos a verônica e o Santo Sudário. Verônica, nome derivado do latim vera icon, que significa “imagem verdadeira”, como um jogo de palavras, ficou relacionado à mulher que enxugou com seu véu o suor e o sangue de Cristo, causado pelas perfurações da coroa de espinhos, durante o seu Calvário. Conta a tradição, segundo os “Atos de Pilatos”, escritos apócrifos do final século IV, devido ao significado da imagem em seu lenço – o rosto das feições de Cristo –, o véu de Verônica transformou-se em relíquia e passou a ser venerado pelos cristãos, com propriedades milagrosas, desde tempos medievais. Tudo começou quando se creditou ao véu a cura do imperador Tibério (14-37 d.C.) – a pedido dele, Verônica dirigiu-se à Roma com a relíquia, a fim de tocá-la. As lendas da existência do véu

Inventividade

A opção por um multi-instrumentista como Marcio Nigro já dava a pista de que o repertório buscaria uma vestimenta sonora roquenrol, esta sim uma das inúmeras faces da música de Careqa. Por esse aspecto, o disco tem um lado de rebeldia contestatória. Mas apenas por esse lado. Pois de resto o que prevalece é a magia de que dispõe Careqa para se fazer compreender pelo inusitado, pela inovação, pelo sábio e inventivo uso das palavras. A letra de “Made in China” diz: “O Macintosh tem sangue chinês/ A cobertura do bolo holandês/ Não está mais ao gosto do freguês/ Minha vizinha senegalinha/ Comeu mais um frango xadrez”. A ironia ocupa os espaços, não deixando margem a nada que não tenha o bom humor como mote. Cantada a capella, “Calma Alma” abre o CD. Careqa canta uma segunda voz e dá à

A música de Carlos Careqa continua profana, assim como seus versos e suas ideias

Alma Boa de Lugar Nenhum 2011. Feito somente com piano e voz, reúne composições de Carlos Careqa e duas versões da obra de Brecht, com sete pianistas convidados. Tudo Que Respira Quer Comer 2009. Celebra 25 anos de carreira de Careqa, com composições inéditas e participações de nomes como Raul de Souza, Mônica Salmaso, Zé Rodrix e Skowa. À Espera de Tom 2008. Gravado ao vivo e lançado em 2008, é uma homenagem a Tom Waits, com versões em português de 14 canções do norte-americano. Pelo Público 2006. Reúne canções realizadas nos anos 90 com o grupo Pelo Público. Nosotros que Somos Nós Mesmos 2005. Com a banda Maxixe Machine, gravado ao vivo no projeto Grande Garagem que Grava. Não Sou Filho de Ninguém 2004. Traz uma variedade de ritmos e propostas musicais, com participacões de nomes como Chico César, Zeca Baleiro e Jards Macalé. Música para Final de Século 1998. Foi indicado por David Byrne como um dos melhores discos do ano de 1999. Os Homens São Todos Iguais 1993. Álbum de estreia do artista, traz a canção “Acho”, muito executada nas rádios e que fez parte da coletânea “Beleza Tropical 2”, compilada por David Byrne.

melodia um belo ar místico. “O Q Q Cê Tem na Cabeça” (parceria de Careqa com Marcelo Quintanilha) remete às composições de Siba, o violeiro cantador. No baião pop, a sanfona resfolega pelo teclado de Marcio Nigro. A potência do pulso de “Big” dá ao refrão uma carga de possante brasilidade. As melodias de Careqa têm seu valor asseverado por canções como “Crise de Identidade”, quando o tiquetaque de um relógio eletrônico marca o passar do tempo. O violão toca sem floreios. A voz vem suave, afinada. Teclado e sampler criam sons graves. Em “44 (quarenta e quatro)”, a guitarra é pesada. A bateria de “Big” acrescenta força à pegada. “Existir” traz versos surpreendentes e bem escritos, que imprimem a cara do autor na canção. A criatividade adentra a expressão do arranjo, arranjos que complementam, à perfeição, os conceitos musicais do artista. A música de Carlos Careqa segue profana, assim como seus versos e suas ideias. Assim ele vai, sem dogmas nem certezas absolutas... Apenas vai.


6

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

poesias

errei na mosca! por LÚCIO MANGA!

ASSIM ASSADO

AMOR FEMININO FÁTIMA RÉGIO Quando jovem no anseio Do querer se completar, Só busca no outro a essência. A aparência pouco importa. O seu desejo é amar.

leia a coluna de hoje ouvindo secos & molhados. acesse aí, vai: http://youtu.be/2FAS7-DbdFc

A

s tripas e o coração sempre determinaram o limite do sentimento interior... e não importa o que se pretende dentro do relógio que nunca para de ir... relógio não tem apego ao tempo, marca as horas e corre feito segundos... a velocidade com que o tempo devora, e não decifra, deixa a sensação de dever não cumprido... parem o destino que eu quero beber. há momentos em que a bateria acaba e aparece a ilusão perdida... é o instante em que se pode ter esquecido de viver e não há como voltar o relógio ao momento exato em que parou, pois não há flashback, não há lembrança dentro de instantes... são os minutos dos comerciais interior na hora em que se derrapa na contramão de si. melhor não contar as horas, nem querer que o tempo voe, nem deixar para amanhã o que se pode deixar hoje... as regalias dos milésimos de migalhas de instantes... nessa fresta do tempo pode se dar um beijo na pessoa incerta e... pimba! mas, ao olhar no tictac do sangue pulsando nas veias abertas, é que se

entende a deficiência da necessidade de uma fração do momento... é quando se desejaria ter o controle remoto da incerteza... quem gostaria de viver mais que o algum tempo? nesses dias em que os acontecimentos sufocam a necessidade de não querer que aconteça nada é que se faz presente todos os fatos de uma só vez... ainda que seja só a coincidência do que passa pelo pensar... as vontades estão todas lá no quarto escuro. pensamento não está acoplado ao passar das horas... é o tempo psicológico... aí jaz uma injustiça enorme com demasiado, o humano... o tempo psicológico não conta como bônus em vida... e como quem sente o tempo inteiro vive mais, a velhice encarrega-se de jogar um dominó na pracinha em que não há relógios... (o atirador de facas, esse meu ego circense, insiste em abrir as cortinas e em lançar as chances de errar na moça... mal sabe o público que ele pensa entediado no que irá beber assim que a última faca encontrar o alvo, não a moça... porque ele nunca erra. é como se houvesse uma magia fragmentada do instante... é o que antecede ao passar das horas, dos minutos, dos segundos... sabe aquele momento que você nunca viveu?... pois é, vai saber do que você seria capaz de não ser pelas migalhas do não acontecido? esse é o atirador de facas que falha por mim

todas as vezes que me pego dentro da paralização do acontecer.) os passageiros da agonia pedem passagem ao tempo e apontam armas imaginárias para o mecanismo de defesa... há uma curva acentuada sem aviso a qualquer momento... não se pode pisar no freio da impossibilidade, por isso o cinto de segurança obrigatório impedindo a impulsividade de voar pela janela. congelar o esperma só petrifica o gozo e programa a vida, nada mais... o tempo, e seu sancho-pança-relógio, galopam incansavelmente pelas sacanagens que, aí sim, dignificam o existir para sempre... cortar o rosto e mergulhar as rugas para dentro não engana o espelho, espelho eu... embora se possa querer viver sem se olhar...

cortar o rosto e mergulhar as rugas para dentro não engana o espelho, espelho eu... embora se possa querer viver sem se olhar...

(o atirador de facas limpa a pintura que sempre é a mesma depois do último espetáculo... é o cara a cara com o que se deixa de ser... o gesto repetitivo de passar o pano por entre a bola negra que desenha no olho esquerdo em formato de alvo... é que ele acredita que, dia desses, quando não estiver mais olhando para o que quer lançar facas... arremessará em curva, em efeito contrário ao esqueleto, e deixará que o sangue faça a sua parte...) o que formata o desenho da agonia é mesmo o momento que ainda não se formou... aquele lá do primeiro pensamento do atirador de facas... o momento que não está completo, que o relógio não é capaz de mostrar, que nem mesmo os inventos mais inventados de todos os homens que correm atrás do exato instante são capazes de construir... uma máquina do assim... o tempo do antes da vontade de beber um café, ou fumar um cigarro, ou comprimir o gozo, ou dizer adeus, ou virar a página, ou dormir de vez, ou querer, ou não querer, ou definir, ou indefinir, ou desfazer-se do apego, ou apegar-se, ou isso, ou aquilo, ou mesmo aquilo outro... sabe? o antes de você iniciar o andar, o antes de você iniciar o sorrir, o antes de você se convencer, o antes de você se masturbar, o antes que seja fardo demais... ali, no exato instante, em que não se sabe o que é o sentir...

NA MOSCA!

distraídos venceremos “o diabo existe e não existe... de primeiro, eu fazia e mexia, e pensar não pensava. não possuía os prazos. vivi puxando difícil de difícil, peixe vivo no moquém: quem mói no asp’ro não fantasêia. mas, agora, feita a folga que me vem, e sem pequenos dessossegos, estou de range rede. e me inventei nesse gosto de especular ideia. o diabo existe e não existe. dou o dito. abrenúncio. essas melancolias. o senhor vê: existe cachoeira; e pois? mas cachoeira é barranco de chão, e água caindo por ele, retombando; o senhor consome essa água, ou desfaz o barranco, sobra cachoeira alguma? vi-

crônicas

ver é negócio muito perigoso... o diabo na rua, no meio do redemunho... explico ao senhor: o diabo vige dentro do homem, os crespos do homem – ou é o homem arruinado, ou o homem dos avessos. solto, por si, cidadão, é que não tem diabo nenhum. nenhum – é o que digo. o senhor aprova? (...) bem, o diabo regula seu estado preto, nas criaturas, nas mulheres, nos homens, até nas crianças – eu digo. (...) e nos usos, nas plantas, nas águas, na terra, no vento... estrumes... o diabo na rua, no meio do redemunho...” lá em grande sertão: veredas... de rosa, o joão guimarães.

E, para encantar seus olhos, Vai lutar para ser perfeita. Sentir fome e, caminhando, Fará curva onde não tem Só para ser a sua eleita. Das costelas dele, a sobra Ela tira para as curvas. Que se danem as minhocas, Se sua carne é o silicone. Bastando que o agrade, Será Eva, só no nome. E antes mesmo de parir, Já pensando em agradar, Um varão é o desejado. Ela vai discrimnar Teu ser tão divinizado. Para provar seu amor, Chega à deficiência. Fica cega, surda e muda. Tudo crê, tudo perdoa E se esgota em paciência.

movimento nos vimos. E seguimos. Quixotes são os sinos do destino. Soam quando nos tornamos o que somos. Destemidos, enfrentam moinhos sem armistício. Amam Dulcinéias, porque sonham. Têm as costelas dos Rocinantes sempre a lhes bater nos calcanhares. Quixotes são um coletivo, só que composto por singulares. Voltagem. Miragem. Voragem. São exatamente o que fazem. E ao desaparecerem na cordilheira efêmera do horizonte – que sempre muda, como muda sempre toda a paisagem – deixam o vácuo preenchido por um assobio que começa tímido, mas em poucas repetições se solta, expande e parte em estilhaços na tarefa de ocupar o nada com vozes. Trinos, chilros, histórias contadas em línguas mortas e seus ritos. É isso. Cada canto de pássaro é uma língua que já morreu, mas apela à

O HOMEM QUE AMAVA VERSOS por CARLOS ALEXANDRE ROCHA

Nas contrações compassadas Da doce agonia sofria. Só uma certeza pensava Uma menina não queria.

Na ansiedade dos quinze Eu namorar já podia. Toda festa vigiada Nem tudo a mim cabia.

POR DA SILVA, O BEZERRA

Levanto da manta do sono e vou ao quintal. Ganho a companhia das folhas grandes. Dos bambus que estalam ao vento nordeste, quente e suave. Das corujas e morcegos, que saciados dormitam. E dos lagartos de couro volátil que começam a despertar do sono. A paisagem me acompanha há tempos. Mas consegue ser diferente cotidianamente, em cor e textura, em luminosidade e movimento. Para além do mar e do porto a noite foge. Mas no rastro da fuga – linha inexata em que o laranja lambe o azul – Quixotes cavalgam no silêncio da alvorada. Nunca esquecerei que o tropel, ressoando no tempo, se torna permanência e movimento. Nem mesmo se chegarem ao tempo do cansaço as minhas retinas. Que no silêncio da alvorada, entre nuvens e vento em abraço, há Quixotes cavalgando em disparada. No ar em

eternidade para não ser esquecida. Por isso, renasce no bico efêmero e perfeito de uma ave. E se nos escapa seu significado, fica grafado no ar deslocado o que não pode mais ser falado. Exato e imprevisível como o pássaro, imponente e intangível como a nuvem, pergunto ao texto que escrevo: Quixotes são nuvens ou passarinhos? Onde ambos se confundem é aqui e agora. Local e momento no qual e quando você lê que os Quixotes, calados, cortam a fronteira do corpo frio e escuro da madrugada. E é neste não nada, no não tempo e no não lugar, o ponto onde dizem a que vêm, vão e foram. O bafejar morno da manhã. E ao revelar o que são, Quixotes ganham a imensidão com vapor e sopro. Como água suspensa no céu. Como canto que nele se propaga. Agora tenho um parágrafo para encerrar. Mas esticaria a fieira de nuvens e passarinhos além dos fios que contêm essa página. A léguas do dia e da madrugada que me receberam, agora há pouco, de forma tão generosa. O dia começa, dispersas as penas e o algodão. Vou a ele. Cada dia é um corte. Em seu fio Quixotes galoparão.

FILHA DA MÃE

O céu efeitado de pipas. Vão eles dominando o bailado. Você deixa sua filha. Que vergonha o misturado.

por CAÊ GUIMARÃES

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

E até mesmo o Criador, Deste amor tão sublimado Não conteve o fascínio. Quis nascer de dentro dele. Hoje, feliz no céu, Ele sabe que é amado.

No desprezo às trancinhas Vinha os banhos de mangueira. Eles, nus, sob a torneira Por que eu só de calcinha?

“se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão...”

QUIXOTES CAVALGAM NO SILÊNCIO DA ALVORADA

7

Pensar

Chegou o sonhado dia A pressa não te deixou ver. Saiu de mansinho, a menina Que um dia não queria E, hoje, só pensa em ter.

Era um aficionado por versos. Preferia ser um renascentista vidrado na forma clássica ao desfrutar de um corpo esbelto, com belas formas, que fazia cair de inveja a mais bela das deusas do Olimpo. – A forma... A forma em primeiro lugar! A cada ato sexual recitava pencas de versos que vinham em sua mente. O que lhe causava um certo êxito sexual, uma vez que demorava a lembrar de quem eram os versos, não queria ser julgado como plagiador... Por isso, só gozava após citar o autor. Deixou de tentar citar a fonte completa: a página, o ano e a editora, pois ficava tentando citá-las e esquecia de gozar. Às vezes no ímpeto de sua verve misturava os versos dos autores... – “Ser ou não ser” a “beleza fundamental”?

Ao som de um Drummond era capaz de fazer loucuras. E de um Bandeira, então? Nem se fala! Uma coisa que o deixava nervoso eram obras adaptadas. Uma vez, uma namorada sua lhe deu “Os Lusíadas” em prosa, ele, furioso, retalha o corpo dela com as páginas do livro, dizem que os vizinhos o escutavam gritar: – Queridinha... Adaptadas fazem sangrar! Ela ficou internada por três meses, precisou de transfusão de sangue por causa da hemorragia. Ficou em estado de choque e até hoje não sabe o seu próprio nome. Outra lhe deu “Os Miseráveis”. Foi preso, pois a esbofeteou sem piedade. O que mais lhe irritava, entretanto, era quando confundiam Drummond com Dumont, e foi isso que lhe causou sua desgraça. Foi para um hotel da

cidade fazer amor, pois não gostava de motéis, sua índole era romântica de carteirinha. Como de costume começa a citar seu acervo. – “Que pode uma criatura senão, entre criaturas, amar?” – Que lindo! É seu? – Não! É Drummond. – Sei, sei, aquele que fez o 14 Bis, aquela banda mineira... Enfurecido ele a arrastou pelos cabelos e a jogou da janela. O que foi fatal, pois estavam no décimo quarto andar. Após escutar o som seco do seu corpo se espatifando no chão, gritou: – Santos Dumont, querida, queria voar e não cantar nem escrever poemas! Foi preso. No presídio ninguém o perdoou por ter matado uma mulher por amor à poesia. Hoje, quando seus companheiros de cela falam seu nome, usa os versos para esquecer que existe.


8

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

9

perspectiva

Pensar

por CORA RÓNAI

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

A jornalista, que participará da próxima edição dos Seminários Internacionais Museu Vale, dia 17 de março, fala sobre os diferentes formatos de livros impressos e a migração para o meio digital

UNIVERSITÀ REGGIO CALABRIA/DIVULGAÇÃO

NÃO, OS LIVROS NÃO VÃO ACABAR

Seminários Internacionais Museu Vale – Arte-Cyber-Cultura: A Trama das Redes De 13 a 17 de março, no Museu Vale. Antiga Estação Pedro Nolasco, em Argolas, Vila Velha. Abertura nesta quarta-feira, às 19h. Informações: www.seminariosmv.org.br.

cando o fim de 244 anos de uma bela – e volumosa – história em papel.

Diferenças

OBRAS DE REFERÊNCIA FUNCIONAM MELHOR EM FORMA ELETRÔNICA, MAS HÁ LIVROS QUE NASCERAM PARA O PAPEL DIVULGAÇÃO

No começo do ano passado, editores anunciaram que a edição corrente da “Enciclopédia Britannica” será a última impressa

N

ão sei se foi a chegada simultânea da Amazon e da Google Books ao Brasil ou a profecia maia do fim do mundo – que afinal não se realizou, conforme provamos todos nós que aqui continuamos –, mas o fato é que nunca vi tanta gente preocupada com o fim do livro. São estudantes que me escrevem motivados por pesquisas escolares, organizadores de eventos literários que me pedem palestras, leitores que manifestam sua apreensão. Em alguns casos, percebo uma espécie perversa de prazer apocalíptico, mas logo desaponto quem quer ver o mar pegar fogo para comer camarão cozido: é que absolutamente não acredito que o livro vai acabar. Tenho escrito reiteradas vezes sobre o assunto; estou, aliás, em uma posição bastante confortável para fazê-lo. Gosto igualmente de livros e de tecnologia, e seria a primeira a abraçar meus dois amores reunidos num só objeto. Mas, muito embora o Kindle e os vários pads tenham o seu valor como readers, os livros em papel não estão tão próximos da extinção quanto, digamos, o tigre de Sumatra. Para começo de conversa, é pre-

>

Em entrevista ao “Estadão”, o escritor Umberto Eco disse que os e-books duram dez anos, e os livros, cinco séculos

>

ciso lembrar que o negócio das editoras não é vender papel, mas sim vender histórias. O papel é apenas o suporte para os seus produtos. Aos poucos, em alguns casos, ele tende a ser mesmo substituído pelos tablets. Não dou vida longa aos livros de referência em papel. Estes funcionam melhor, e podem ser mais facilmente atualizados, em forma eletrônica. O caso clássico é o da “Enciclopédia Britannica”, cujos editores anunciaram, no começo do ano passado, que a edição corrente, de 2010, seria a última impressa, mar-

não deixe de ler Não Contem com o Fim do Livro Umberto Eco e Jean-Claude Carrière Record, 272 páginas, R$ 39,90. Este livro é fruto de conversas entre dois escritores, bibliófilos inveterados, que discutem a situação dos livros no mundo contemporâneo bem como o futuro das obras impressas a partir da evolução das novas mídias digitais. Ao percorrerem cinco mil anos de existência dos impressos, Umberto Eco e Jean-Claude Carrière defendem a imortalidade do livro como objeto.

Embora quase todos os conjuntos de folhas impressas reunidos entre duas capas recebam o mesmo nome de livro, nem todos exercem a mesma função. Há livros e livros. Um manual técnico é um animal completamente diferente de um romance; um livro escolar não guarda nenhuma semelhança com um livro de arte; uma antologia poética e um guia de viagem são produtos que só têm em comum o fato de serem vendidos no mesmo lugar. Há livros que só funcionam em papel. É o caso dos livros que os povos angloparlantes denominam coffee table books, “livros de mesinha de centro” – aqueles livrões bonitos, em formato grande, cheios de ilustrações e muito incômodos de ler no colo, impossíveis de levar para a cama. São objetos que se destacam pelo tamanho, pela qualidade de impressão, pela vista que fazem. Quem quer ver um livro desses num tablet? Quem quer presentear um desses em e-formato? Há também os grandes clássicos, os romances que todos amamos e queremos ter ao alcance da mão. Esses são aqueles livros que, em geral, lemos pela primeira vez em formato de bolso, mas aos quais nos apegamos tanto que, não raro, acabamos comprando uma segunda edição, mais bonita, para nos fazer companhia pelo resto da vida. Isso explica as lindas edições que a Zahar, por exemplo, tem feito de obras que já encantaram várias gerações, como “Peter Pan”, de J.M.Barrie, “Os Três Mosqueteiros”, de Alexandre Dumas, ou “Vinte Mil Léguas Submarinas”, de Júlio Verne: livros lindos de se ver e de se pegar, cujo esmero físico complementa a edição caprichada. Ganhar de presente um livro desses é uma alegria que não se tem com um vale para uma compra eletrônica. Há prazeres e sensações que só se tem com o papel. Gosto de perceber o tamanho de um livro à primeira vista. Um tablet pode me informar quantas páginas um volume tem, mas essa informação é abstrata. Saber que um livro tem 500 páginas ou ver que um livro tem 500 páginas são coisas diferentes. Gosto também de folhear um livro e de fazer uma espécie de leitura em diagonal antes de me decidir pela compra. Isso é impossível de fazer com e-books. Sem falar, é claro, do cheiro inigualável dos livros em papel.


10

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

11

roteiro

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

SHOW

AO VIVO

POP

METAL

INFANTIL

Mariana Aydar canta em Vitória

Turnê de 30 anos do Barão Vermelho

Seu Jorge e as músicas para churrasco

Noite de rock com Matanza

O Matanza (foto) faz show com velhos sucessos e músicas do novo disco, “Thunderdope”. A noite conta com show das bandas Os Pedrero, Mozin e Big Boss.

O Pequeno Príncipe sobe ao palco

Adaptada da obra de Antoine de Saint-Exupéry, a peça infantil “O Pequeno Príncipe” será apresentada hoje e amanhã, no Teatro Carlos Gomes, às 17 horas.

O cantor sertanejo Eduardo Costa apresenta os seus grandes sucessos neste sábado, a partir das 22 horas, no Matrix Music Hall, em Cariacica.

BarrAcústico. Avenida Beira Mar, 264, na Barra do Jucu, em Vila Velha. Ingressos: R$ 40 (meia/3º lote) e R$ 50 (na hora/meia). Vendas: Zepellin Lanches, Bicho Guloso, Lojas Bahamas, Orbita Rock. Informações: (27) 3244-7117.

Teatro Carlos Gomes. Praça Costa Pereira, Centro de Vitória. Ingressos: R$ 20 (meia) e R$ 40 (inteira). Informações: (27) 3323-0476 e www.ratimbum.art.br.

Matrix Music Hall. Rua Rio Branco, em Cariacica. Entrada: R$ 80 (pista/2º lote) e R$ 140 (área vip/2º lote). Vendas no site www.blueticket.com.br

Apresentando o repertório do disco “Cavaleiro Selvagem Aqui Te Sigo”, de 2011, no qual explora sonoridades afrobrasileiras e pop, Mariana Aydar faz show hoje, às 20h30.

Neste sábado, a partir das 22 horas, a banda Barão Vermelho se apresenta no IlhaShows, em Vitória, com a turnê “+1Dose”, que celebra os 30 anos do grupo.

O cantor Seu Jorge apresenta hoje, às 22h, show do disco “Músicas para Churrasco Vol.1”, além de hits como “Mina do Condomínio” e “Burguesinha”.

Espaço Cultural Sesi. Rua Tupinambás, 242, em Jardim da Penha, Vitória. Ingressos: R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira). Informações: (27) 3334-7300.

Ilha Shows. Alameda Ponta Formosa, 350, Praia do Canto, Vitória. Ingressos: R$ 60 (pista/meia/4º lote) e R$ 120 (camarote/meia/6º lote). Pontos de Vendas: Lojas Bahamas, Bicho Guloso, Zepellin Lanches, Blue Ticket e IlhaShows. (27) 3224-3726.

Arena Vitória. Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, 2.100, Bento Ferreira, Vitória. Ingressos: R$ 60 (arquibancada lateral/2º lote/inteira), R$ 90 (arquibancada central/2º lote/ inteira), R$ 100 (área vip/1º lote) e R$ 650 (mesa para 4 pessoas). www.blueticket.com.br

Artur Nogueira e Banda AR3

Repertório variado. A partir das 20h30, no Bar Brasil. Rua das Pêras, 07, no bairro Solar de Laranjeiras 2, na Serra. Mais informações pelo telefone (27) 3065-3166.

Os sertanejos de Eduardo Costa

DIVIRTA-SE

DIVIRTA-SE MÚSICA AO VIVO

BALADA

Duo Boa Música

Repertório variado. A partir das 20 horas, no De Passagem Bar. Rua Castelo Branco, 815, Centro de Vila Velha. Couvert: R$ 5. Mais informações pelo telefone (27) 3062-4755.

Márcio Yguer

Variado. A partir das 18 horas, na Praça de Alimentação do Shopping Norte

Sul. Avenida José Maria Vivácqua Santos, 400, em Jardim Camburi, Vitória. Aberto ao público.

Rodrigo Tristão

Variado. A partir das 19 horas, no Vila do Rancho Forte. Rua Cabo Ailson Simões (atrás do Colégio São José), 250, Centro, Vila Velha. Couvert: R$ 8. Informações: (27) 3075-3522.

Túlio Pizzol

MPB e internacional. A partir das 20h, no Bistrô Solarium. Rua Guilherme Faria, 179, Praia da Costa, Vila Velha. Couvert: R$ 7. Mais informações pelo telefone (27) 3063-3388.

FESTA Alegre Folia

A partir das 17 horas, shows de MC Koringa, Banda AM5 e DJ David Rocha. No Parque de Exposições Geraldo Santos, Rodovia, Pavuna, em Alegre. Entrada: R$ 30 (meia) e R$ 60 (inteira). Informações e vendas pelo site www.blueticket.com.br

Bloco “Apaixonados pelo Triângulo”

A partir das 14h, no Triângulo das Bermudas, Praia do Canto, em Vitória. Entrada: R$ 50 (kit com abadá e caneca, além de cerveja liberada). Informações: (27) 9921-6977.

Festa de Canoas

A partir das 21h30, com shows de Banda Agitaê, Gabriel Gava e Banda Expresso Brasil. No distrito de Canoas, em Marataízes. Informações pelo site www.marataizes.es.gov.br.

SHOW Espetáculo Maria Maria

Sete cantoras, um ator, uma escritora e dois dançarinos integram o projeto “Maria Maria”, um espetáculo cênico-musical em homenagem ao Dia da Mulher. A proposta reúne canções do músico e poeta Vinícius de Moraes. Às 20 horas, no Teatro Universitário. Campus de Goiabeiras da Ufes, Avenida Fernando Ferrari, 514, em Vitória. Entrada:R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Informações: (27) 3335-2953.

Turma do Modão e Carlinhos Rocha

A partir das 21h, no Clube Itajuby. Rua Professora Antonieta, 295, Bairro Maria das Graças, em Colatina. Entrada: R$ 120 (mesa para quatro pessoas) e R$ 20 (pista/antecipado). Vendas: Banca do Briel, Janete Aviamentos e Parada Universitária.

BALADA A Fábrica Danceteria

Com Reder Matos e DJ Charles Andrade, a partir das 22h. Avenida Eudes Scherrer, 575, em Laranjeiras, Serra. Entrada: R$ 15 (mulher/lista/até 23h30), R$ 30 (homem/lista/até 23h30). (27) 3071-3640.

Adega Coração Sertanejo

Com Rony & Ricy, a partir das 23h. Rua Neves Armond, 210, Praia do Suá, Vitória. Entrada: R$ 10 (mulher), R$ 40 (homem), R$ 20 (mulher/consumação/lista), R$ 70 (homem/consumação/lista). (27) 3315-1364.

Balístico Music Bar

Com Victor Oliveria e Banda e DJ André Knup, a partir das 22h. Rua Joaquim Lírio, 800, Praia do Canto, Vitória. Couvert: R$ 10. Informações: (27) 7811-5285.

(mulher), R$ 30 (homem). Informações: (27) 3299-0090.

CINEMA

Maria Pimenta Botequim

VVVVV VVVV VVV VV l

Com Banda Faixa Bônus, a partir das 21h. Av. Santa Leopoldina, 585, Itaparica, V. Velha. Couvert: R$ 10. Informações: (27) 3319-3659.

Royal Club

Boate Chica Chiclete

Com os DJs Mateus Verdelho e Mark Dias, a partir das 23h. Av. Dante Micheline, 301, Camburi, Vitória. Entrada: R$ 40 (mulher) e R$ 60 (homem). Informações: (27) 3315-7366.

Clube de Pesca

Noite gay. Performances de La Belle Beauty, Thammas (SP) e Crystal Sebock (SP) e DJ Ranlusy, a partir das 23h30. Entrada: R$ 25 e R$ 50 (consumação). Rua João Joaquim da Mota, 390, Praia da Costa, Vila Velha. Informações: (27) 9694-8736.

Noite gay. Concurso Top Drag, com Mikaella (RJ) e Khyra Thammer, além dos DJs André K-lçada e Alex Debossan, a partir das 23h30. Rua Itaipava, 131, Itaparica, Vila Velha. Entrada: R$ 10 (até 0h30) e R$ 15 (após 0h30). (27) 9629-4052. Roda de Samba, Explosão do Pagode e Estandarte, a partir das 19h. Rua Dário Lourenço, 100, Santo Antônio, Vitória. Entrada: R$ 10. Informações: (27) 9861-8344.

Ensaio Botequim

Com Jura Fernandes e Maquiavel, a partir das 22h. Rua Joaquim Lírio, na Praia do Canto, em Vitória. Couvert: R$ 10. Informações: (27) 3034-3124.

Espaço Celebration

Born & Raised, com DJs, a partir das 22h. Av. Saturnino Rangel Mauro, 505, Jardim da Penha, Vitória. Entrada: R$ 10 (até 0h) e R$ 15 (após 0h). Informações: (27) 9299-3254.

Degusta Music & Lounge

Com Rickson Maioli e DJ Junior Ceará, a partir das 22h. Rua Edgar Gonçalves, 5, Dona Augusta, Cariacica. Entrada: R$ 15 (mulher), R$ 30 (homem), R$ 30 (mulher/cons.), R$ 60 (homem/cons.). Informações: (27)3226-7577.

Fuel Station

Com Marcelo Ramazotti, a partir das 22h30. Rua Manoel Gonçalves Carneiro, 85, Praia do Canto, Vitória. Couvert: R$ 15. Informações: (27) 3314-5434.

Le Point Acústico

Tributo ao ExaltaSamba, com o ex-vocalista do Exaltasamba, Chrigor, Grupo Jeito de Ser, Carlos Magno e DJ Touro, a partir das 22h. Rua Itapemirim, 2, Itaparica, Vila Velha. Entrada: R$ 20

Rouge House

São Firmino Botequim

Com DJ Thales Gonzalez e Phill Fernandes, a partir das 22h. Reta da Penha, 1297, Praia do Canto, Vitória. Entrada: R$ 30 (mulher), R$ 50 (homem). Informações pelo telefone (27) 3201-6600.

TurkZoo

Com Saulo Simonassi, a partir das 21h. Rua Dr. João Carlos de Souza, 742, Santa Luzia, Vitória. Entrada: R$ 15. Informações: (27) 3314-5106.

Villa Shows

Com Wallace & Allison, a partir das 21h. Av. Jair de Andrade, 39, Itapoã, Vila Velha. Couvert: R$ 15 (até 0h) e R$ 20 (após 0h). Mais informações pelo telefone (27) 3075-0101.

TEATRO E DANÇA Macuenda Maquilza

A partir das 19h, espetáculo de dança “Afro Negrão”, no Centro Cultural José Ribeiro Tristão, em Afonso Cláudio. Aberto ao público.

Tempo de areia

O espetáculo mostra um lugar possível e impossível de existir, reinventado ora pela memória, ora pela tecnologia. A partir das 20h, na sede dos grupos Repertório e Z. Rua Professor Baltazar, 152, Centro, Vitória. Entrada franca.

Para divulgar um evento... Envie e-mail para cadernodois@redegazeta.com.br, com pelo menos dois dias de antecedência. No material devem constar horário, endereço completo, gênero musical, telefone e valor do ingresso ou couvert. Os preços e horários divulgados pelo Caderno 2 são de responsabilidade dos promotores dos eventos, e estão sujeitos a alteração. Para o roteiro de sábado e domingo, o envio é até quarta, às 18h.

Imperdível Vale a pena Veja se tiver tempo Espere pelo DVD Fuja

ESTREIA Amor é tudo o que você precisa

(Den skaldede frisør, Dinamarca, 2012, 116 min). Comédia romântica. Direção: Susanne Bier. Com Pierce Brosnan. Cabeleireira, que perdeu os cabelos por causa de um câncer, descobre que o marido está tendo um caso. 12 anos. Cinemark, sala 7: 17h10, 19h50, 22h30.

Cinco Câmeras Quebradas

(5 Broken Cameras, (Israel, França, 2011, 94 min). Documentário. Direção: Emad Burnat. Morador de uma vila na Cisjordânia mostra os protestos dos palestinos contra a construção de assentamentos israelenses em sua terra. Livre. Cine Metrópolis: 17h, 18h50, 20h40.

Oz, Mágico e Poderoso

(Oz, The Great and Powerful, EUA, 2013, 126 min). Fantasia. Direção: Sam Raimi. Com James Franco. Oz é o dono de um circo mambembe, que tem uma ética um tanto quanto questionável. Transportado para um mundo mágico e desconhecido, ele precisa lidar com a batalha entre três bruxas locais. Livre. Cinemark, sala 4: 11h50 (apenas hoje e amanhã), 14h40, 17h30, 20h20, 23h10. Cinemark, sala 5 (3D): 21h40. Cinemark, sala 5 (3D/dub): 12h50, 15h50, 18h50. Cinemark, sala 6 (3D): 13h30, 16h40, 19h30, 22h20. Kinoplex, sala 1 (3D/dub): 13h, 15h40, 18h20. Kinoplex, sala 1 (3D): 21h. Kinoplex, sala 7 (dub): 13h30, 16h10, 18h50, 21h30. Multiplex Araújo, sala 2 (dub): 14h15 (exceto terça e quinta), 16h45, 19h15, 21h45. Multiplex Araújo, sala 3 (3D/dub): 14h (exceto terça e quinta), 16h30, 19h30, 21h30. Multiplex Araújo, sala 4 (3D/dub): 17h30, 20h. Cinesercla Laranjeiras, sala 1 (dub): 13h40, 16h05, 18h30, 20h55. Cinesercla Laranjeiras, sala 2 (3D/dub): 13h40, 16h05, 18h30, 20h55. Cine Ritz Guarapari, sala 3 (3D/dub): 17h. Cine Ritz Guarapari, sala 3 (3D): 19h15, 21h30.

EM CARTAZ VVVV As Aventuras de Pi

(Life of Pi, EUA, 2012, 129 min). Aventura. Direção: Ang Lee. Gênero: aventura. Com Irrfan Khan. Embarcação

naufraga, deixando um garoto à deriva no meio do oceano Pacífico junto com uma zebra, uma hiena, um orangotango e um tigre de Bengala. 10 anos. Kinoplex, sala 4 (3D/dub): 13h20, 18h10.

As Aventuras de Tadeo

(Las aventuras de Tadeo Jones, Espanha, 2012, 90 min). Animação. Direção: Enrique Gato. Com vozes (original): Meritxell Ané. Tadeo é confundido com um arqueólogo e acaba sendo enviado para um expedição no Peru. Livre. Cine Ritz Conceição, sala 3 (dub): 17h (apenas hoje e amanhã), 19h, 21h. Cine Shopping Cachoeiro, sala 2 (dub): 17h10.

VV Amanhecer Violento

(Red Dawn, EUA, 2012, 93 min). ação. Direção: Dan Bradley. Com Chris Hemsworth. Grupo organiza uma série de ataques que inspirará toda uma nação. 12 anos. Cinemark, sala 1: 14h20. Multiplex Araújo, sala 5 (dub): 17h30.

VVVV Amor

(Amour, França, Alemanha, 2012, 127 min). Drama. Direção: Michael Haneke. Com Jean-Louis Trintignant. Georges e Anne terão de lidar com as mudanças trazidas pela doença dela. 14 anos. Cine Jardins, sala 1: 21h10.

VVVV Argo

(idem, EUA, 2011, 120 min). Drama. Direção: Ben Affleck. Com Ben Affleck e John Goodman. Um agente da CIA e um maquiador de Hollywood criam um falso filme para tentar tirar clandestinamente americanos do Irã. 14 anos. Kinoplex, sala 5: 17h50, 20h40.

VVV Colegas

(idem, Brasil, 2012, 99 min). Drama. Direção: Marcelo Galvão. Com Lima Duarte. Três jovens com síndrome de down resolvem fugir com o carro de um velho jardineiro em busca de seus sonhos. 10 anos. Cinemark, sala 8: 11h (apenas hoje e amanhã), 13h20, 15h40, 18h, 20h30, 22h50. Multiplex Araújo, sala 5: 15h30. e Jardins, sala 2: 18h50.

De coração aberto

VVVV Detona Ralph

(Wreck-It Ralph, EUA, 2013, 101 min). Animação. Direção: Rich Moore. Vozes (no original): John C. Reilly. Vilão do Conserta Félix Jr., Ralph começa a andar por outros jogos para mostrar seu valor. Livre. Cine Jardins, sala 2 (dub): 15h (apenas hoje e amanhã). Hoje, também às 11h, 13h.

VV Dezesseis luas

(Beautiful Creatures, EUA, 2013, 122 min). Drama. Direção: Richard LaGravenese. Com Emma Thompson. Ethan e a misteriosa Lena vão desvendar segredos sobre suas famílias. 12 anos. Cinemark, sala 2: 16h, 21h. Cinemark, sala 3 (dub): 11h40 (apenas hoje e amanhã), 14h30, 17h20, 20h, 22h40. Kinoplex, sala 3 (dub): 13h40, 16h10, 18h40, 21h10. Multiplex Araújo, sala 1 (dub): 14h45, 17h, 19h15, 21h30. Cinesercla Laranjeiras, sala 3 (dub): 14h05, 16h20, 18h35, 20h50.

VV Duro de matar: Um bom dia para morrer

(A Good Day to Die Hard, EUA, 2013, 96 min). Ação. Direção: John Moore. Com Bruce Willis. O detetive John McClane descobre que o seu filho trabalha para a CIA e está tentando evitar uma guerra nuclear. 12 anos. Cinemark, sala 1 (dub): 12h, 16h30, 19h, 21h20 (exceto terça e quinta). Cinemark, sala 2: 13h40, 18h40. Kinoplex, sala 6 (dub): 14h40, 16h50, 19h. Kinoplex, sala 6: 21h10. Multiplex Araújo, sala 5 (dub): 19h30, 21h30. Cinesercla Laranjeiras, sala 4 (dub): 16h15, 20h55. Cine Ritz Guarapari, sala 2 (dub): 19h, 21h. Cine Gama, sala 1: 21h. Cine Shopping Cachoeiro, sala 1 (dub): 17h20, 19h15, 21h10. l

Inatividade paranormal

(A Haunted House, EUA, 2013, 83 min). Comédia. Direção: Michael Tiddes. Com Marlon Wayans. Demônio aterroriza o casal Malcolm e Keisha e transforma a vida deles em um inferno. 16 anos. Cine Ritz Conceição, sala 2 (dub): 19h. Cine São Mateus, sala 1 (dub): 19h.

VV João e Maria (À Coeur Ouvert, França, 2012, 90 min). Drama. Direção: Marion Laine. Caçadores de Bruxas Com Juliette Binoche. Quando Mila descobre que está grávida, sua relação com seu marido, Javier, perde o equilíbrio. 14 anos. Cine Jardins, sala 2: 17h.

VV De pernas pro ar 2

(idem, Brasil, 2012, 98 min). Comédia. Direção: Roberto Santucci. Com Ingrid Guimarães. Alice tem um surto devido ao excesso de trabalho e vai parar em um spa. 14 anos. Cine Shopping Cachoeiro, sala 2: 18h40.

(Hansel & Gretel - Witch Hunters, EUA, 2012, 83 min). Ação. Direção: Tommy Wircola. Com Gemma Arterton. Quinze anos depois do incidente envolvendo a casa de doces, João e Maria tornaram-se caçadores de bruxas. 14 anos. Cinemark, sala 7 (dub): 12h40, 15h. Kinoplex, sala 4 (3D/dub): 16h, 21h. Multiplex Araújo, sala 4 (3D/dub): 15h30. Cine Gama, sala 1: 19h. Cine Ritz Sul, sala 2: 17h30, 19h. Cine Via Sul (dub): 19h15, 21h. Cine São Mateus, sala 1 (dub): 17h, 21h.

VVVV Lincoln

(idem, EUA, Índia, 2012, 145 min). Drama. Direção: Steven Spielberg. Tommy Lee Jones. Durante a Guerra Civil Americana, Abraham Lincoln lidera a vitória do norte do país. 12 anos. Cine Jardins, sala 2: 20h50. Cine Ritz Guarapari, sala 1: 20h45. Cine Ritz Conceição, sala 1: 21h. Cine Ritz Sul, sala 2: 20h40.

VVVVO lado bom da vida

(Silver Linings Playbook, EUA, 2012, 122 min). Comédia. Direção: David O. Russel. Com Bradley Cooper e Jennifer Lawrence. Após uma temporada internado em um sanatório, Pat tenta reconstruir sua vida ao voltar a morar com seus pais. 12 anos. Kinoplex, sala 2: 13h50, 16h20, 18h50, 21h20. Cinesercla Laranjeiras, sala 4: 14h05, 18h30.

VVVVVO Mestre

(The Master, EUA, 2012, 138). Drama. Direção: Paul Thomas Anderson. Com Amy Adams e Joaquin Phoenix. O filme trata da fundação da Causa, uma organização religiosa criada por Lancaster Dodd nos anos 50, depois dos horrores da Segunda Guerra Mundial. 14 anos. Cinemark, sala 1: 21h20 (apenas terça e quinta). Cine Jardins, sala 1: 18h45.

VVVO Voo

(Flight, EUA, 2012, 140 min). Drama. Direção: Robert Zemeckis. Com Denzel Washington. Piloto salva avião de batida, mas uma investigação dos acontecimentos vai revelar algo preocupante. 14 anos. Cine Ritz Conceição, sala 2: 19h, 21h15. Cine Shopping Cachoeiro, sala 2: 20h30.

VVVVOs miseráveis

(Les Misérables, Reino Unido, 2012, 157 min). Drama/Musical. Direção: Tom Hooper. Com Hugh Jackman e Anne Hathaway. Adaptação para o cinema do musical baseado na obra do francês Victor Hugo. 12 anos. Cine Jardins, sala 1: 16h. Cine Gama, sala 2: 19h, 21h. Cine Ritz Sul, sala 1: 20h15.

VVOs Penetras

INGRESSOS Cinemark

Shopping Vitória, Avenida Américo Buaiz, na Enseada do Suá, em Vitória. (27)3324-5973. Segunda, terça e quinta até às 17h: R$ 16 (inteira). Após 17h: R$ 18 (inteira). Sexta, sábado, domingo e feriados até às 17h: R$ 20 (inteira). Após 17h: R$ 22 (inteira). Quarta: R$ 16 (inteira). Sala 3D: segunda, terça e quinta: R$ 23 (inteira); quarta: R$ 22 (inteira); sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 27.

Kinoplex

Shopping Praia da Costa, Av. Carioca, 353, Praia da Costa, Vila Velha. (27) 3350-0007. Sexta a domingo e feriados, até 17h: R$ 19 (inteira). Após 17h: R$ 21 (inteira). Segunda, terça e quinta, até 17h: R$ 15 (inteira). Após 17h: R$ 17 (inteira). Quarta: R$ 15 (inteira). Sala 3D: Sexta a domingo e feriados, por R$ 26 (inteira); segunda, terça e quinta: R$ 23 (inteira); quarta: R$ 22 (inteira). Sessão Descontão: sessões iniciadas até as 14h, aos sábados e domingos, em todas as salas: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia), exceto para as salas 3D. Segunda irresítivel (exceto salas 3D): R$ 9 (inteira), R$ 4,50 (meia entrada). Promoção válida para todas as segundas, exceto feriados.

Multiplex Araújo

Shopping Mestre Álvaro. Av. João Palácio, 300, Eurico Salles, Serra. (27)3211-0237. Segunda e quarta: R$ 8 (meia). Terça e quinta: R$ 13 (inteira) e R$ 6,50 (meia). Sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 15 (inteira), antes das 18h, e R$ 17 (inteira), a partir das 18h. Salas 3D: segunda e quarta: R$ 10 (meia). Terça e quinta: R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia). Sexta, sábado domingo e feriados: R$ 18 (inteira), antes 18h, e R$ 20 (inteira), a partir 18h.

Cine Jardins

Shopping Jardins, Rua Carlos Eduardo Monteiro de Lemos, 262, Jardim da Penha, Vitória. (27) 3026-8099. Sexta, sábado, domingo e feriado: R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia). Quarta: R$ 12 (inteira), R$ 6 (meia). Segunda, terça e quinta: R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia).

(idem, Brasil, 2012, 97 min). Comédia. Direção: Andrucha Waddington. Com Marcelo Adnet. Beto e Marco passam passam por situações inusitadas e hilarias no louco reveillon carioca. 12 anos. Cine Ritz Sul, sala 1: 18h40.

Ufes. Avenida Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras, Vitória. (27) 3335-2376. Todos os dias: R$ 3 (único).

Tainá - A origem

Cinesercla Laranjeiras

(idem, Brasil, 2012, 80 min). Aventura. Direção: Rosane Svartman. Com Nuno Leal Maia. Tainá resolve encarar um contrabandista de madeira. 10 anos. Kinoplex, sala 5: 14h, 15h50. Cine Jardins, sala 1: 14h20 (apenas hoje e amanhã). Hoje, também às 11h15, 12h50. Cine Ritz Guarapari, sala 1: 17h, 19h.

Cine Metrópolis

Laranjeiras, Serra. (27) 3281-2474. Segunda e quarta: R$ 6 (preço único). Terça e quinta: R$ 9 (inteira) e R$ 4,5 (meia). Sexta a domingo e feriados: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Sala 3D: Segunda e quarta: R$ 9 (preço único). Terça e quinta: R$ 13 (inteira), R$ 6,50 (meia). Sexta a domingo e feriados: R$ 17 (inteira), R$ 8,50 (meia).

Cine Ritz Guarapari

Shopping Guarapari. Rua Dr. Roberto Calmon, 140, Centro, Guarapari. (27) 3350-2001. Sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia). Segunda, terça e quinta: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Quarta: R$ 10 (inteira) e R$ 4 (meia). Sala 3D: sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Segunda, terça e quinta: R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia). Quarta: R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia).

Cine Via Sul

Shopping Via Sul. Rua do Cajueiro, Arrais, Marataízes. Mais informações: (28) 3532-2465. Sexta a domingo e feriados: R$ 12 (inteira), R$ 6 (meia). Terça e quinta: R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia). Quarta: R$ 8 (inteira), R$ 4 (meia).

Cine Shopping Cachoeiro

Rua 25 de Março, 33, Centro, Cachoeiro de Itapemirim. Mais informações: (28) 3517-8373. Sexta a domingo e feriados: R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia). Segunda, terça e quinta: R$ 12 (inteira), R$ 6 (meia). Quarta: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Cine Ritz Sul

Shopping Sul. Av. Francisco Lacerda de Aguiar, 138, Gilberto Machado, Cachoeiro de Itapemirim. Informações: (28) 3517-8373. Sexta a domingo e feriados: R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia). Segunda, terça e quinta: R$ 12 (inteira), R$ 6 (meia). Quarta: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Cine Teatro Castelo

Praça Três Irmãos Corrêa de Lima, Centro, Castelo. (28) 3542-8532. Ingresso: R$ 10 e R$ 5 (meia).

Cine Gama

Av. Getúlio Vargas, 481, Centro, Colatina. (27) 3722-2130. Sexta, sábado e domingo: R$ 10. Segunda, terça e quinta: R$ 8; quarta: R$ 6.

Cine Ritz Conceição

Av. Pref. Samuel Batista Cruz, 2801, Conceição, Linhares. (27) 3264-3566. Terça a quinta: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Quarta: R$ 8 (inteira), R$ 4 (meia). Sexta a domingo e feriados: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Não funciona segunda.

Cine São Mateus

Praça São Benedito, s/n, Centro, São Mateus. (27) 3763-2721. Sexta, sábado, domingo e feriado: R$ 12 (interia), R$ 6 (meia). Segunda, terça, quarta e quinta: R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia).


12

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

13

zig zag

Pensar

zig-zag@redegazeta.com.br - (27) 3321-8516

Coluna Zig Zag

@zigzag_ag

@zigzag_ag

Guarapari é palco do “Dança da Galera” Guarapari, o balneário mais famoso do Estado, será palco do quadro “Dança da Galera”, exibido no “Domingão do Faustão”. Os atores globais Ricardo Pereira e Fernanda Motta vêm a Guarapari para gravar na Pedreira Adventures Park o quadro que deve reunir 1.500 “dançarinos”. Seis cidades estão na disputa pelo prêmio de R$ 100 mil. A coreógrafa de Guarapari Viviani Lima informa que as inscrições começam dia 12 e as filmagens, no dia 24. A renda será revertida para a Pastoral da cidade ganhadora.

“Louca, louquinha” O MC K9, criador dono hit “Louquinha”, comanda o som na primeira noite do Planeta Guarapa, dia 28. A festa, que acontece durante a Semana Santa, na Pedreira, em Guarapari, é realizada por Victor Baião.

Posse na Construção Civil Constantino Dadalto prepara a transmissão da presidência do Sinduscon-ES para o engenheiro Aristóteles Passos Costa Neto, que volta a ocupar o cargo após presidir a entidade entre 2004 e 2010. A posse da nova diretoria está marcada para o dia 18, no Itamaraty Hall.

Almoço.

.

A homenagem a elas continua

s que brilham em homenagem ao Demoner: três gerações de mulhere

Marcelo Netto, Paulo Hartung e Clóvis Vieira: em tarde de debate sobre o futuro da economia do Espírito Santo. FOTO: HERLON RIBEIRO

Monica, Aliedes, Sandra e Júlia S: MÔNICA ZORZANELLI Mês Internacional da Mulher. FOTO

ZIG. Angela Gomes e Rita Tristão assinam o projeto arquitetônico do Espaço Gourmet do Iate Clube. A autora da ideia é a diretora social Maria Emília Souza.

Mais popozudas

ZAG. A designer de joias Carolina Neves elege os crucifixos como o hit da estação. O modelo cravado em pedras é o mais disputado.

O cirurgião plástico Ariosto Santos revela um dado que interessa aos admiradores do bumbum, paixão nacional. Ele conta que em 2011 mais de 21.000 mulheres no Brasil optaram pela gluteoplastia, técnica que melhora o contorno do quadril e projeta mais a região. Em 2012, esse número teve aumento de 15%.

ZIG. Paulo Paganucci inaugura em abril uma loja de carros semi-novos de luxo, na Av. Rio Branco.

Estampa David Bowie Para celebrar o retorno de David Bowie com o álbum “The Next Day”, o estilista inglês Paul Smith criou uma camiseta com a estampa do aclamado lançamento do camaleão do rock. A peça já está à venda no site do estilista por 70 libras, mas não entrega no Brasil. COLABORAÇÃO: TAYNÃ FEITOSA

Festa 1. Semana da mulher 1. Penha Coser e Sandra Pavan

Semana da mulher 2. Emily e Natallie Piana

Semana da mulher 3. Nilce e Rose Chieppe

A Gazeta ouve você e defende os seus interesses. Participe. Este é um jornal para leitores que têm algo a dizer.

LIXO NA PRAIA? DENUNCIE.

Onde você precisar, A Gazeta.

/donaencrencaAG 3321-8625

leia • acesse • participe

Renan Chieppe e Mônica Loureiro: na noite de aniversário de Jéssica Chieppe. FOTO: VICTORIA SAIANI

ZAG. Gisele Bettiol Passos comemora: seus tapetes voltam à cena capixaba pelas mãos de Fábio Pinho. “A minha empresa nasceu em Vitória há 15 anos, foi pra Salvador e São Paulo, e está de volta ao Estado.”

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

RENATA RASSELI

DICA DE VIAGEM

Top da arquitetura

BOGOTÁ: CAPITAL DO CAFÉ E DA HISTÓRIA

O arquiteto Gregório Repsold foi homenageado na última quinta-feira pelo grupo Criar, em São Paulo, no Parque Burle Max em conjunto ao lado de outros 40 escritórios brasileiros pela sua trajetória profissional.

Quem já foi à capital da Colômbia diz que a cidade tem aroma de café. Bogotá está a 2.640 metros de altitude e não possui muitos prédios altos. Por isso, é possível avistar parte do território bo-

ZIG. Edilon Silva inaugurar um novo café, na segunda quinzena de abril, no Shopping Praia da Costa. O projeto será assinado pela arquiteta Sheila Basílio.

#INTERAja com a viagem dos seus sonhos!

3132-7777

(27)

www.intercontinental.tur.br

gotano de qualquer região da cidade. O charmoso bairro da Candelaria chama atenção por suas casas coloridas e barracas de comidas típicas. Os arredores da capital oferecem atrações, como a Catedral do Sal e o bar-restaurante Andrés Carne de Res.

1.

ZAG. A chef Sylvia Lis encanta gourmets com os rolinhos de linguado com camarão curry e purê de moranga, que está no menu do Restaurant Week. ZIG. O professor de Educação Física e personal trainer Glênio Luiz Ferreira agita a Praia de Camburi com aulas de Fit Camp, atividade que surgiu na Califórnia e queima 500 calorias em 1 hora de aula. ZAG. Hoje é dia de André Hees de Carvalho e Ricardo Zanete Hees de Carvalho. Parabéns pra vocês, meus amores!

Festa 2. Teresa e Luiz Bedran: no aniversário de 95 anos de Helenita de Barros Nascimento. FOTO: MÔNICA ZORZANELLI


Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

passatempo

televisão

HORÓSCOPO ÁRIES

SUDOKU CÂNCER

(20 MAR. A 20 ABR. ) ALuamagnetizaopontomais elevadodoseucéunatal,coloca vocêemevidênciaefazcomque osucesso,anívelsocialeprofissional,estejamaisdoquenunca aoseualcance.

(21 JUN. A 21 JUL.) A Lua transita pelo signo oposto ao seu, harmoniza-se com Júpiter e dinamiza suas relações pessoais e de amizade. Acautele-se apenas contra situações de disputa.

seu lado mais ambicioso.

Dica: conscientize-se de que realmente a união faz a força.

— Dica: nosso satélite estimula TOURO

LEÃO

(21 ABR. A 20 MAI. ) Otrânsitodenossosatélite,a Lua,porCapricórniofavoreceas suasiniciativasnosentidode ampliarseucampodeaçãoetornaafaseótimaparatudooque amplieseusconhecimentos.

((22 JUL. A 22 AGO.)) HojeeamanhãaLuaacentuasua capacidadedetrabalhoefaz comqueafasesejaexcelente paravocêconcentrar-senos assuntospráticoseemtudoo queexijacaprichoeatenção.

e a sorte atua a seu favor.

de revelar seu lado eficiente.

— Dica: você anda mais otimista GÊMEOS

(21 MAI. A 20 JUN. ) GraçasàLuavocêandacomuma enormedisposiçãopararomper comtudoaquilooqueconsidera ultrapassadoemsuavida. Nestesdias,asuanecessidade demudarestáemalta.

Dica: os momentos de autoanálise serão esclarecedores.

— Dica: você está em condições VIRGEM

LIBRA

(22 DEZ. A 20 JAN. ) A Lua, em seu signo, anuncia dias de intensíssima energização para você, que pode recarregar totalmente suas baterias e sair desta fase transbordante de garra.

Dica: evite que as emoções afetem sua atuação no trabalho.

trar-se melhor em si.

ESCORPIÃO

(21 JAN. A 19 FEV. ) A Lua está no signo anterior ao seu e harmoniza-se com Mercúrio e Júpiter, por isso aumenta o poder da sua fé e faz com que as mentalizações positivas se realizem.

ideias e estar com os amigos.

lidade em todas as situações.

— Dica: aproveite para trocar SAGITÁRIO

atravessam fase favorável.

Dica: acautele-se contra a possessividade excessiva.

TV ABERTA TV GAZETA C4

— Dica: mantenha o senso de reaPEIXES

(20 FEV. A 20 MAR.) A Lua estimula seu lado amistoso e sociável e faz com que estes dias sejam ideais para você estar em grupo. Participe ativamente de tudo o que acontece ao seu redor.

Dica: o momento é ideal para você exercer sua cidadania.

O Sudoku é um tipo de desafio lógico japonês. As regras: o jogador deve preencher o quadrado maior, que está dividido em nove grids, com nove lacunas em cada um, de forma que todos os espaços em branco contenham números de 1 a 9. Os algarismos não podem se repetir na mesma coluna, linha ou grid

PALAVRAS CRUZADAS

SAMANTA Alpino

06h25 06h45 07h15 07h40 08h00 08h30 09h00 09h30 09h40 09h50 12h00 12h45 13h20 13h50 14h35 16h00 18h10 19h15 19h35 20h30 21h10 22h20 22h50 23h50 01h45 03h52 03h57 04h20

Globo Ciência Globo Ecologia Globo Universidade Ação Gazeta Comunidade Estação Esporte Em Movimento Sitio do Picapau Amarelo Turma da Mônica Vôlei Feminino - Superliga ESTV - 1ª Edição Globo Esporte Jornal Hoje Estrelas TV Xuxa Caldeirão do Huck Lado a Lado ESTV 2ª - Edição Guerra dos Sexos Jornal Nacional Salve Jorge Big Brother Brasil 13 Zorra Total Supercine: Plano B (Exibição em HD) Altas Horas Flash Big Brother Brasil 13 American Dad Corujão: Perdidos em Nova York

TV EDUCATIVA C2 06h30 07h30 07h45 08h30 09h00 09h30 10h00 10h30 11h00 12h00 12h30 13h00 14h00 15h00 15h30 16h00 17h00 17h30 18h00 18h30 19h30 19h45 20h00 20h30 21h00 21h30 22h00

Caminhos da Reportagem Programa Especial Reencontro Taxista Empreendedor Bom para todos Opção Saúde Ser Saudável Programa Especial Papo de Mãe TV é Ciência Expedições Alto Falante - Musical Stadium + Ação Conhecendo Museus Eu Sou o Samba Paratodos Animania Espaço Dois Oportunidades Conexão Brasília Documentário Arte do Artista Oncotô Repórter Brasil Musicograma Cine Nacional - Amores Possíveis 00h30 Curta TV 01h00 Oncotô 01h30 Comentário Geral 02h00 Segue o Som 03h00 Doctv Universo Particular Zero não é vazio 04h00 Alto Falante 04h30 A Grande Música

RECRUTA ZERO Mort Walker

MARLY Milson Henriques

TV VITÓRIA C6

GERVÁSIO Gilberto Zappa

SOLUÇÕES

DiCaprio vive agente do FBI O filme que traz Leonardo DiCaprio no papel de John Edgar Hoover, retrata a história de um dos responsáveis pela

relação entre as mulheres que inspiraram as composições cantadas por Chico Buarque ao longo da sua carreira.

criação do FBI, que mantinha segredos pessoais grandes o bastante para acabar com sua carreira. Às 22h, no HBO.

PROGRAMAÇÃO DE TV

AQUÁRIO

(23 OUT. A 21 NOV. ) ALuareforçaseupoderdecomunicaçãoefazcomquehojee amanhãsejamdiasfavoráveis paravocêestabelecercontatos ededicar-seatudooqueexija capacidadedeverbalização.

(22 NOV. A 21 DEZ. ) ALuatransitapeloseusetormaterialeanunciadiasexcelentes paravocêcolocaramãonamassa.Vocêestáemcondiçõesde executartodasastarefascom especialobjetividade.

QUADRINHOS

— Dica: aproveite para concen-

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

Chico Buarque para mulheres O GNT exibe hoje o filme “Chico Buarque: Uma Palavra”, às 22h. O longa faz parte de uma série especial e trata da

CAPRICÓRNIO

(23 SET. A 22 OUT. ) Agorasuanecessidadedesossegoeintrospeçãoestásendo reforçadapelaLua,quefazcom queosmomentospassados tranquilamenteemcasasejam agradáveiserelaxantes.

(23 AGO. A 22 SET. ) No que depender da Lua, hoje e amanhã são dias bastante positivos para você, que pode dar o melhor de si em todas as áreas nas quais atua. Você anda bem mais vital.

— Dica: assuntos sentimentais

15

Pensar

07h00 08h00 10h00 12h00 12h30 13h00 13h30 14h00 14h30 16h00 18h00 20h00 20h30

Nosso Tempo Fala Brasil Especial - HD Esporte Fantástico Jornal da TV Vitória Negócios de Sucesso - HD Privilège - HD Vitória Fashion Art Et Decor Record Kids Cine Aventura O Melhor do Brasil Jornal da Record - HD O Melhor do Brasil Continuação 23h00 Legendários (Nova Temporada)

TV TRIBUNA C7

06h00 Chaves 07h00 Sábado Animado 08h30 Terra Capixaba

09h00 09h30 10h00 10h30 12h00 12h35 13h00 13h35 14h15 18h30 19h20 19h45 20h30 21h30 22h15 23h45 02h00 02h15 02h45 03h15 04h15 05h00

Imóveis In Foco Desafios Sabor a Bordo Bozo Tribuna Notícias - 1ª Edição Ponto Cult Tribuna na Estrada Nossa Terra Programa Raul Gil Aventura Selvagem Tribuna Notícias - 2ª Edição SBT Brasil Esquadrão da Moda Supernanny Cine Família - Meu Cachorro Skip Cine Belas Artes Mensagens para Você Dois Homens e Meio Big Bang a Teoria Ataque de Risos I Elas e Eu Ataque de Risos II Uma Família Perdida no Meio do Nada Ataque de Risos III Um Maluco no Pedaço Ataque de Risos IV Arnold

TV CAPIXABA C10 07h00 07h30 08h00 08h15 08h45 09h45 10h15 10h35 10h45 11h00 11h30 12h00 13h00 13h30 14h00 15h50 16h50 18h50 19h20 20h25 21h20 22h00 00h15 01h05

Shop Mix Country & Cia Desenhos É Tempo de Vitória Vitória em Cristo Desenhos Doutor Saúde Desenhos Programa Destaque Desenhos Acontece Vitória em Cristo Magazine da Liga Uefa Zoo Sessão Livre Deu Olé Brasil Urgente Acontece Jornal da Band Show da Fé Acredite se Quiser Roma Show Business Cinema da Madrugada Um Mordomo Atrapalhado 02h40 Séries

REDETV! ES C18 07h45 09h15 09h45 10h15 11h15 11h45 12h15 12h45 13h00

13h30 14h00 17h45 18h15 18h45 19h00 19h45 20h45 21h30 22h00 22h30 23h00 00h30

Shop Tour IEBV Ressurreição e Vida Espaço de Arte Celga TV Revista Pop TV Destaque Empresarial Shop Tour Igreja Família de Baixo da Graça TV Bereana Sábado Total Parceria Polishop Parceria Companhia de Viagem Amaury Jr. Show RedeTV News ES! News Sou Funk Feira do Riso Mega Senha Teste de Fidelidade

TV PAGA TELECINE PREMIUM (SKY/NET)

13h40 Missão: Impossível Protocolo Fantasma 16h00 A Hora do Espanto 17h55 Diário de um Banana 2: Rodrick é o Cara 19h55 A Dama de Ferro 22h00 Contrabando

TELECINE ACTION (SKY/NET) 14h10 16h20 18h05 19h55 22h00

Rei Arthur As Donas da Noite Encurralados 12 Rounds O Poder e a Lei

TELECINE PIPOCA (SKY/NET)

14h40 16h15 17h50 19h40 22h00

Uma Aventura no Natal Poder Sem Limites Kung Fu Panda 2 Gigantes de Aço Os Três Mosqueteiros

TELECINE CULT (SKY/NET) 15h15 15h55 17h40 19h55 22h00

Antoine e Colette Agarra-me se Puderes Ensaio sobre a Cegueira Rio Grande Bravura Indômita

GNT (SKY/NET)

21h00 Mulheres Possíveis (Variedades) - Paixão 21h30 Viva Voz Verão 2013 22h00 Chico Buarque: Uma Palavra 23h30 Alice

MTV (SKY/NET/TVA)

20h00 22h00 22h30 23h00 23h30

Furo MTV Para Gostar de Música Show MTV - Live In Myanmar Show MTV - Alicia Keys Video Collection Public Enemy

HBO (TVA/NET)

15h00 HDTV - Assalto ao Carro Blindado 16h40 HDTV - 72 Horas 19h04 HDTV - Moneyball - O Homem que Mudou o Jogo 21h25 Festival de Cinema de Sundace 2013 22h00 HDTV - J. Edgar

TNT (SKY/NET) 14h45 16h25 18h15 19h45 19h50 22h00 23h45

Quero Ficar com Polly Todo Poderoso Toy Story Tin Toy O Virgem de 40 Anos A Pantera Cor-de-Rosa 2 Vivendo e Morrendo

WARNER CHANNEL (SKY/NET) 14h00 14h30 16h55 19h30 22h00

Lado a Lado TV GAZETA, 18H10 ¦ A Emissora não divulgou o capítulo.

Guerra dos Sexos TV GAZETA, 19H35

Charlô não se conforma com o casamento do filho. Chega o último dia da aposta e Charlô e sua equipe trabalham com afinco. Nieta procura Roberta para se vangloriar do casamento da filha com Felipe. Dino mostra os recibos que encontrou para Vânia. Kiko fala para Roberta que quer ajudar Nando. Nieta reza para sua santa ajudá-la a unir ¦

Dino e Semíramis. Os contadores chegam à loja para conferir quem venceu a aposta. Vânia e Dino mostram os recibos da venda da Positano para Roberta.

Salve Jorge TV GAZETA, 21H10

¦ Wanda chega à casa de Mustafa e chantageia Berna. Lívia reprova a atitude de Wanda. Carlos pede que Lívia explique as condições da empresa que passou para Antonia. Amanda pensa em denunciar que a amante do marido tem problemas com a polícia. Théo desabafa para Lucimar que não consegue esquecer Morena.

Wanda não acredita que Berna possa fazer algo contra ela. Morena manda mais uma mensagem para Wanda. Berna e Mustafa se desesperam ao saber que Aisha foi sequestrada. Helô se irrita ao encontrar Stenio em sua casa, mas os dois acabam se beijando. Berna procura Wanda. Carlos repreende Antonia por ter confiado em Wanda. Lena avisa a Helô que Lívia foi ao escritório de Stenio. Berna compra uma arma. O guia turístico é fotografado com Ekran. Murat avisa a Morena que Demir vai à boate. Russo obriga Demir a revelar o que foi fazer na boate.

'//%('(-$/ 2$ ' !'3$-' -#9 ).* 2$ 2$/6"(-",

'-8 2"%/ %(!1$//"/ +'7"1 %(-$%1' 0"1 6'1-&" 2" 6754$, 2$/6"(-"/ (&" 65957'-%+"/,

!&(%#") '#((&$) "# (!$'&%#

The Big Bang Theory Os Gatões - Uma Nova Balada Quase Famosos Penetras Bons de Bico 17 Outra Vez

SONY (SKY/NET) 17h00 18h00 19h00 20h30 22h30 23h00

Once Upon A Time Private Practice As Vidas de Maria Cama de Gato Cougar Town American Idol

*(- )#"-,#*!%!- +%)% ,#*-)#' !# &$ %*-'

14

&$#%'"! )%&#+( $'!#"*

DISCOVERY KIDS (SKY/NET) 20h00 20h30 21h00 21h30 22h00 22h30 23h00 23h30

Mister Maker Mecanimais Dino Dan Hi-5 Austrália Backyardigans Bob, o Construtor Caillou Barney e Seus Amigos

MULTISHOW (SKY/NET) 18h30 19h00 21h50 22h20 22h50

Big Brother Brasil 13 Top TVZ Bastidores Vai Pra Onde? Big Brother Brasil 13 Ao Vivo 23h20 Big Brother Brasil 13 A Eliminação

'/ " '- 0" 34!&$ # <.2 )< %'; " 0$3 )< '+; 6"4:!$ 5198"!<9:.!9$ , 5(*7

)(*#&'*$%"!


16

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 9 DE MARÇO DE 2013

teatro por TICHE VIANNA

UM BOM ENCONTRO É UM ENCONTRO ALEGRE... Diretora e pesquisadora do Barracão Teatro, de Campinas, fala sobre a experiência de orientar o processo de criação do espetáculo teatral “Tempos de Areia”, do grupo Repertório FOTOS: LUARA MONTEIRO/DIVULGAÇÃO

... porque, segundo o filósofo Spinoza, nos potencializa!

E

“Tempos de Areia” nos transporta para um lugar possível e impossível de existir, onde passado, presente e futuro se interpõem para narrar uma história velada e desvelada pelo avançar do tempo, da ciência e da areia

foi assim, potencializada, o modo como sempre saí de Vitória, após as imersões com a Repertório, uma companhia de teatro que sabe a que veio e porque veio, mesmo que possa não ter consciência disso! O intuito dessa aproximação entre a Repertório e o Barracão Teatro não era chegar a um resultado completamente acabado, um espetáculo pronto, mas era chegar a um resultado que pudesse ser apresentado e chegamos. O que sabemos, porém, como todo artista cênico, é que quando um espetáculo vai a público ele começa a sua terceira fase de criação: a conclusão, que só é possível acontecer com o público, diante dele. Esse trabalho me parece ser um grande impulso para o crescimento de uma companhia que, nesta altura do campeonato, quer ir além do que já sabe. Para isso escolheu revisitar sua trajetória com um olhar estrangeiro, o meu olhar de diretora pesquisadora, isto é, olhar de quem afirma o que vê duvidando da capacidade humana de enxergar as coisas em si como se fossem uma verdade absoluta. Por esse motivo, meu papel, mais do que responder questões foi o de tentar provocar a consciência da pergunta que se fazia, para que a cena pudesse arriscar uma resposta. Esse foi o nosso ca-

minho, esse foi o nosso processo. Partimos de Itaúnas, em Conceição da Barra, não para recontar a cidade, mas para criarmos um espetáculo que mostrasse o que a visita a uma vila de pescadores engolida pela areia, fez conosco! Aonde nos levou e o que nos revelou. É disso que fala o nosso “Tempos de Areia”, uma ficção, uma história inventada para dialogar a nossa atualidade. Orientar a criação, dirigir um processo como esse é sempre um trabalho de confiança, mas nunca de segurança. Não sabemos aonde vamos chegar e nem como. Costumo dizer que para trabalhar dessa maneira é preciso acreditar, como a fé! Ter fé na capacidade de cada um que integra esse coletivo e ser extremamente rigoroso consigo mesmo e com os demais. Somente assim esse tipo de criação se conclui, pois criar pressupõe um não saber, a criação é um ato inédito. Agradeço à Repertório o convite, a confiança e a fé. Agradeço as risadas e as caras de “ué?”. Bons tempos esse nosso “Tempos de Areia”, daqueles que ficam para sempre no coração. Tempos de Areia Grupo Repertório Artes Cênicas e Cia Direção e dramaturgia: Nieve Matos Atuação: Nícolas Corres Lopes, Roberta Portela e Waltair de Souza Jr. Apresentações hoje e amanhã, às 20h, na sede dos grupos Repertório e Z. Rua Professor Baltazar, 152, Centro de Vitória. Entrada franca – retirada dos ingressos com uma hora de antecedência.

C2+ Pensar março 2013  

Suplemento Cultural

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you