Page 1

VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

www.agazeta.com.br

ESTAÇÃO CAPIXABA/DIVULGAÇÃO

Entrelinhas

UMA ANÁLISE DO LIVRO CYPHERPUNKS, DE JULIAN ASSANGE COM TRÊS ATIVISTAS DIGITAIS Página 3

Perspectiva

HÁ NO ESTADO UM CIRCUITO PERMANENTE DE GRANDES FESTIVAIS EM CRESCIMENTO Página 4

Música

AMELINHA GRAVA OBRAS DE GRANDES COMPOSITORES EM SEU DVD JANELAS DO BRASIL

Página 5

Artigo

UMA REFLEXÃO SOBRE O PÔR DO SOL NA PAISAGEM DE ANCHIETA Página 16

Nascido em Belo Horizonte, Olympio Brasiliense mudou-se para Vitória em 1924

Raro acervo arquitetônico PROJETO RESGATA OBRA DE OLYMPIO BRASILIENSE

Páginas 8 e 9


2

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

quem pensa

marque na agenda prateleira Lançamento

Luciano Albertasse Bravo éjurista,professor,mestreemDireitoEconômicoe Desenvolvimento. albertassebravo.wordpress.com

Moisés Nascimento éMestreemLetraspelaUfes,professordeliteratura eprodutorcultural. moises.literatura@gmail.com

Aquiles Rique Reis é músico e vocalista do MPB4. aquilesmpb4@gmail.com

Literatura

Este é um dos mais famosos e ousados trabalhos de Freud. Baseando-se em estudos de antropologia, biologia e história, ele lança a conjectura de que o ato fundador da sociedade humana foi o assassinato do pai da hora primitiva pelos próprios filhos.

Roda de leitura

Penguin, 176 páginas, R$ 14,90

Livro de poesias

Nesta quarta-feira, dia 10, o escritor Luiz Sérgio Quarto vai lançar o livro “Francemira e Outros Poemas”. Será às 19h, na Biblioteca Pública do Espírito Santo. Av. João Batista Parra, 165, Praia do Suá, em Vitória. Aberto ao público.

O poeta Sérgio Blank vai conduzir uma roda de leitura com a obra “O Sol no Céu da Boca”, de Fernando Tatagiba. Será no dia 17 deste mês, às 19h, na Biblioteca Pública Estadual. Av. João Batista Parra, 165, Praia do Suá, em Vitória. Aberto ao público.

10

Lúcio Manga é professor de linguagem, músico e escritor. luciomanga@gmail.com

Daniel Bosi é poeta, pai, corretor de imóveis, flautista e graduado em Relações Internacionais.

Caê Guimarães éjornalista,poetaeescritor.Publicouquatrolivros eescrevenosite www.caeguimaraes.com.br.

Natasha Siviero é jornalista, cronista e autora do livro “Sarah Princesa”. www.sambaprasmocas.com.br

Isabella Batalha Muniz Barbosa é mestre e doutora em Arquitetura e Urbanismo pela FAU/USP. bella.barbosa@uol.com.br

de abril Quarta clássica

Sob regência do maestro convidado David Handel, a Orquestra Filarmônica do Espírito Santo apresenta nesta quarta, às 20h, o concerto “A Sinfonia Inacabada”, com obras de Mozart e Schubert. Será no Teatro Carlos Gomes, Centro de Vitória. Ingressos: R$ 1 (meia). (27) 3132-8399.

jamaisentendu.blogspot.com.br

Maria Clara Medeiros Santos Neves émuseóloga,pós-graduadaemBibliotecae InformaçãoEspecializadaecoordenadoradosite EstaçãoCapixaba. phoenixcultura@gmail.com

Totem e Tabu Sigmund Freud

9

de abril

Homenagem a Rubem Braga

O segundo Café Literário Sesc deste ano reúne na Biblioteca Pública Estadual, nesta terça, às 19h, dois sobrinhos do cronista Rubem Braga: os irmãos Afonso e Álvaro Abreu, com mediação do jornalista e escritor Antonio de Pádua Gurgel. No evento, eles vão compartilhar com o público histórias da família. Av. João Batista Parra, 165, Praia do Suá, em Vitória. Aberto ao público.

A Invenção de Copacabana Julia O’Donnell

Fruto de extensa pesquisa em documentos, periódicos e imagens, recupera o processo de construção material e simbólica do bairro, desvendando os mecanismos pelos quais determinados segmentos da sociedade fizeram da orla da Zona Sul um território ligado a signos de distinção social. Zahar, 256 páginas, R$ 34,90

A Conquista Social da Terra Edward O. Wilson

De onde viemos? O que somos? Para onde vamos? Essas perguntas fundamentais são o ponto de partida deste livro. Em busca das respostas, o autor se concentra na complexa vida social atingida por insetos como formigas, abelhas e cupins, e por pouquíssimos mamíferos - entre eles os seres humanos. Companhia das Letras, 392 páginas, R$ 54

Afrocidanização Reinaldo da Silva Guimarães

O autor apresenta a trajetória de vida dos universitários provenientes dos pré-vestibulares comunitários e populares em rede, que foram beneficiados com ações afirmativas da PUC-Rio depois de sua graduação, dando visibiidade ao peso do racismo no mercado de trabalho. PUC-Rio/Selo Negro, 208 páginas, R$ 46,90

MEMÓRIA E PATRIMÔNIO

Tiago Zanoli

Foi a convite de Florentino Avidos, à época presidente do Estado, que o engenheiro Olympio Brasiliense mudou-se para Vitória, em 1924. A partir daí, até a década de 60, atuou como um dos principais projetistas no Espírito Santo, sobretudo na capital. Seus traços podem ser reconhecidos em inúmeros edifícios públicos e residenciais do Centro de Vitória, em Vila Velha e Guarapari. Foram cerca de 400 projetos. Coube à filha dele, a historiadora Vanessa Brasiliense, dar início ao processo de digitalização de seu acervo – preciosíssimo, mas, no entanto, pouco conhecido. Com apoio de edital da Secretaria

Pensar na web

de Estado da Cultura (Secult) e da Lei Rubem Braga, de Vitória, Vanessa desenvolveu o trabalho em conjunto com a museóloga Maria Clara Medeiros Santos Neves, coordenadora da Phoenix Projetos e Serviços Culturais e do site Estação Capixaba, que disponibilizou o acervo. Nesta quinta, elas apresentam o projeto na Biblioteca Pública Estadual, onde também há uma mostra reunindo 13 projetos de Olympio. Antes, confira o texto de Maria Clara nesta edição e conheça um pouco da obra do engenheiro mineiro que adotou Vitória. ¿Vn Zf`KIMn f óK`YV e`WnZ hf LfYnWn1

é editor do C2+Pensar.

tzanoli@redegazeta.com.br

Leia trechos do livro “Cypherpunks” e ouça músicas na voz de Amelinha: gazetaonline.com.br/pensar

Editor: Tiago Zanoli; Editor de Arte: Paulo Nascimento; Textos: Colaboradores; Diagramação: Dirceu Gilberto Sarcinelli; Fotos: Editoria de Fotografia e Agências; Ilustrações: Editoria de Arte; Correspondência: Jornal A GAZETA, Rua Chafic Murad, 902, Monte Belo, Vitória/ES, Cep: 29.053-315, Tel.: (27) 3321-8511


3

entrelinhas

Pensar

por LUCIANO ALBERTASSE BRAVO

CYPHERPUNKS, LIBERDADE E NOVAS UTOPIAS

A

s narrativas ambientadas em futuros distópicos apresentam um problema político, aparentemente, sem solução jurídica adequada à proteção da vida, da liberdade e da segurança dos homens. Em obras como “1984”, de George Orwell, e “O Caçador de Andróides” e “O Relatório Minoritário”, de Philip K. Dick, os governos e as grandes corporações são retratadas como capazes de exercer um amplo poder de vigilância sobre os seus consumidores-súditos e, portanto, de lhes impor uma poderosa coerção física e psicológica. Aparentemente, no caminho até a consolidação desse estado de coisas, a batalha pelos direitos teria sido perdida. Para Julian Assange, um dos fundadores do site Wikileaks, responsável por “vazar” documentos governamentais secretos, a sociedade atual assemelha-se àquelas mostradas nas obras de ficção científica. No recém-publicado “Cypherpunks: Liberdade e o Futuro da Internet”, Assange e outros três ativistas digitais apontam as oportunidades abertas pela internet para a contestação política. Entretanto, alertam, a rede mundial de computadores estaria se tornando o maior instrumento de vigilância em massa já construído, capaz de coletar, armazenar e investigar todos os dados que nela trafegam, mesmo sem a autorização dos usuários. O papel de vilão na obra é protagonizado pelos governos e pelas grandes corporações privadas; o de herói, pelos cypherpunks, contestadores que utilizam a criptografia para garantir a privacidade na rede. A narrativa, assim, conduz a um futuro em que robustas fórmulas matemáticas serão utilizadas para cifrar os dados e fornecer a última proteção possível para a liberdade dos indivíduos.

Direitos

Como Assange imagina, a luta pelos direitos já foi, em algum ponto, perdida – em “Cypherpunks”, a tecnologia e os seus baixos custos permitiriam contornar as normas jurídicas e impossibilitar o controle das ações dos mais poderosos. Entretanto, o caminho até aqui percorrido pelos Direitos Humanos pode apontar para um futuro diferente. Para Norberto Bobbio, filósofo político italiano, esses direitos são uma grande estrutura de defesa do homem contra toda forma de poder. A história mostra que contra novas ameaças à vida, à liberdade e à segurança social, levantaram-se novos direitos. Esse foi o caso da conquista das liberdades

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

Cypherpunks: Liberdade e o Futuro da internet Julian Assange Boitempo Editorial, 168 páginas Quanto: R$ 29

DIVULGAÇÃO/OR BOOKS

Para Julian Assange, um dos fundadores do site Wikileaks, a sociedade atual assemelha-se àquelas da ficção científica

religiosa e de pensamento, durante a Reforma e o Iluminismo; dos direitos civis e políticos batalhados nas revoluções americana e francesa; e dos direitos econômicos, sociais e culturais necessários aos desafios postos pela sociedade industrial. Em trabalho publicado em 1991, intitulado “Os Direitos do Homem Hoje”, Bobbio reconhecia o inevitável progresso tecnológico e advertia que as novas ameaças surgiriam do abuso do poder decorrente das conquistas da ciência. Entre essas ameaças, o filósofo menciona os riscos aos direitos de privacidade e, consequentemente, de liberdade dos indivíduos, decorrentes do uso perverso dos seus dados pessoais. A regulação jurídica sobre coleta, armazenamento e tratamento de dados

pessoais dos indivíduos em meio eletrônico já começa a ser desenhado. Na União Europeia não se permite que os Estados-Membros deem tratamento aos dados pessoais do cidadão europeu de forma a expor-lhes a origem racial ou étnica, as opiniões políticas, as convicções religiosas ou filosóficas, a filiação sindical, e outros relacionados à saúde e a vida sexual. No Brasil, não há regras claras. A legislação europeia, inspirou projeto de lei que, caso aprovado pelo Congresso Nacional, regulamentará especificamente a questão, estabelecendo normas comuns ao tratamento de dados pessoais realizados pelo poder público e pelas empresas privadas, inclusive com a previsão de aplicação de penalidades previstas no Código de Defesa do Consumidor.

Os argumentos de Assange e os fatos que apresenta são quase irresistíveis, principalmente quando discorrem sobre os poderes de vigilância das grandes corporações e sobre o fim das fronteiras que mantinham com os governos. É possível imaginar que os instrumentos jurídicos atualmente disponíveis sejam insuficientes para proteger a privacidade dos indivíduos. Entretanto, a história dos direitos humanos demonstra que é contra a mais grave distorção que se erguem as utopias. A luta pelos bens essenciais da vida, da liberdade e da segurança social demandarão inventividade para a criação ou adaptação de novas soluções jurídicas aos desafios de criar uma internet livre e segura.


4

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

falando de música

perspectiva

FOI DEUS...

UM NOVO CENÁRIO EM CONSTRUÇÃO O Espírito Santo caminha em direção ao fortalecimento de um circuito permanente de grandes festivais de jazz, blues, música instrumental e outros gêneros não comerciais

A

Migração

O público capixaba, ao longo dos anos, acostumou-se a emigrar para outras regiões e apreciar seus festivais, virando, inclusive, público fiel. Essa emigração jamais seria um problema (até porque queremos o público de outros estados curtindo os produtos e iniciativas culturais do Espírito Santo, e não apenas apreciando nossa culinária e natureza exuberante), se ela já não se apresentasse em

por AQUILES RIQUE REIS

por MOISÉS NASCIMENTO

BOB HAKINS/DIVULGAÇÃO

segunda edição do Manguinhos Jazz & Blues Festival, que reuniu na Semana Santa grandes nomes nacionais e internacionais do jazz e blues no balneário de Manguinhos, Serra, senão aponta, ao menos sugere que o Espírito Santo caminha em direção a um circuito permanente de festivais musicais. Aos poucos, a estrada por aqui começa a ter estruturas sólidas e passa, em movimento inverso dos últimos dez anos, a atrair o público: tanto no sentido lato – população que de um modo geral aprecia eventos de jazz, blues, música instrumental e a música brasileira artesanal, não comercial – quanto no sentido stricto – artistas, músicos e formadores de opinião, que podem trocar experiências e (in)formações através de oficinas, palestras e rodadas de negócios. Todavia, se o momento se apresenta como promissor, de modo algum significa que se chegou já ao lugar ideal. A estrada precisa de alguns acertos; muitos substratos imprescindíveis precisam ser erguidos, a fim de que o circuito seja efetivo e permanente. O Festival de Inverno de Domingos Martins, por exemplo, completa 20 anos em 2013. Se, por um lado, isso mostra a força do projeto inicial, que se concretizou e tornou-se um grande produto cultural; por outro, trata-se, pelo menos nos últimos 18 anos, da única iniciativa do gênero que se apresentou de forma permanente ao público capixaba. Dado interessante este: durante quase 20 anos, o Espírito Santo teve apenas um festival que promoveu continuadamente grandes apresentações musicais nacionais e internacionais, bem como oficinas e workshops para artistas, músicos e o público em geral.

Hamilton de Holanda, Felipe Lamoglia (Cuba), Gilson Peranzetta, Gabriel Grossi e DK Dyson (EUA) visitaram o Espírito Santo através desses festivais, trazendo não só sua arte, mas também experiências, muito disso compartilhado em clínicas musicais.

Fatores

O guitarrista californiano Roy Rogers fez show em Santa Teresa no ano passado

sua própria gênese como tal: é o público capixaba, assíduo nos circuitos de festivais, quem primeiro notificou a escassez de circuitos musicais classistas, gratuitos e de qualidade por aqui, semelhantes aos que acontecem em diversas regiões brasileiras. Isso mudou. No primeiro semestre

5

Pensar

de 2012, surgiram o já citado Manguinhos Jazz & Blues Festival, na Serra, e o Santa Teresa Jazz & Bossa, no município homônimo – que também caminha para a sua segunda edição, de 24 a 26 de maio de 2013. Nomes como Roy Rogers (EUA), Ricardo Silveira, Jefferson Gonçalves, Helio Delmiro,

Dois fatores foram imprescindíveis para esse êxito. O primeiro diz respeito à manutenção de um padrão presente em alguns circuitos: assim como o Guaranhuns Jazz Festival (PE), o FestBossa & Jazz em Pipa (RN) e o Rio das Ostras Jazz & Blues (RJ), os festivais aqui têm suas programações gratuitas, abertas ao público. E isso é fundamental. Sabemos das dificuldades que cercam a música instrumental, o jazz, o blues, bem como a MPB produzidas de forma independentes no Brasil, que jamais terão os mesmos privilégios que os “grandes” artistas possuem no mercado do entretenimento. Não obstante, é preciso destruir os dogmas. Oferecer gratuitamente apresentações musicais comumente denominadas “de qualidade” é uma forma de quebrar paradigmas e dizer que a arte e a cultura é um direito de todo o cidadão. O segundo está ligado a um tema bem atual: é preciso estar na rede, estabelecer parcerias. No Espírito Santo, onde as empresas parecem desconhecer a importância de se investir na cultura, tem sido fundamental a atenção e empenho do poder público – através da Faculdade de música do Espírito Santo – de apoiar e incentivar essas iniciativas (inclusive a de Domingos Martins), em prol não só da democratização do acesso aos bens culturais, mas também de inserir o estado entre os grandes polos artísticos e culturais do Brasil. A trajetória rumo a um circuito de festivais é longa. Todavia, as sementes já começam a florescer. Em julho, acontece o Encontro Nacional de Trombonistas, em Vila Velha. No segundo semestre, ocorre o Festival Nacional de Choro Maurício de Oliveira, na Pedra da Cebola. Há também a previsão de um festival de jazz, bossa e blues em Cariacica... A gente chega lá!

F

oi Deus que fez Amelinha. Foi Deus que lhe deu a bela voz. Foi Deus que a iluminou quando ela gravou o seu CD e DVD “Janelas do Brasil – Ao Vivo” (Lua Music e Canal Brasil). Foi Deus que estimulou Thiago Marques Luiz, diretor geral e roteirista do show gravado no Teatro Fecap, em São Paulo. Foi Deus que sugeriu ao cenógrafo (Paulo Neto) o belo cenário, cujos galhos secos remetem à obra de Frans Krajcberg, e indicou ao técnico (Rafael Valim) a boa gravação de vozes e instrumentos e a correta mixagem (Dino Marioni). Foi Deus que inspirou os arranjos, a direção musical e os violões, guitarra e bandolim de Dino Marioni; assim como foi Ele que guiou os acordes de Emiliano Castro em seu violão e os dedos de Alex Vianna no piano. Foi Deus que aguçou a sensibilidade de Toquinho, Zeca Baleiro e Fagner, permitindo a eles uma maravilhosa participação no DVD de Amelinha, cujo repertório é coisa supimpa. Foi Deus que fez o passado e o

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

Janelas do Brasil – Ao Vivo Amelinha Lua Music, 18 faixas Quanto: R$ 39,90

JARDIEL CARVALHO/DIVULGAÇÃO

Amelinha gravou o DVD durante um show no Teatro Fecap, em São Paulo

presente, permitindo-nos ouvir “Galos, Noites e Quintais” (Belchior), a vida passando em verso e prosa. Foi Deus que fez o ar, criando o vento “Terral” (Ednardo). Foi Deus que fez o desejo, induzindo o homem a soluçar: “Ai Quem me Dera” (Vinícius de Moraes).

Foi Deus que fez o corpo e ensinou-o a dançar: “Valsinha” (Chico Buarque e Vinícius de Moraes). Foi Deus que fez a natureza, traduzindo-a em “Água e Luz” (Tavito e Ricardo Magno). Foi Deus que fez o sorriso, irmão gêmeo da “Felicidade” (Marcelo Jeneci e Chico César). Foi Deus que fez as rotas de fuga, tudo sob medida para nos informar e orientar nas dores da alma: “Quando Fugias de Mim” (Alceu Valença e Emannoel Cavalcanti). Foi Deus que fez as paisagens e nos mostrou, dentre tantas maravilhas, a “Ponta do Seixas” (Cátia de França). Foi Deus que fez a poesia e ensinou como juntar a fêmea ao gênero masculino de dança: “Frevo Mulher” (Zé Ramalho). Foi Deus que fez a voz para valorizar “O Silêncio” (Zeca Baleiro). Foi Deus que fez a saudade para chorar a “Asa Partida” (Fagner e Abel Silva). Foi Deus que fez o amor para valorizar a “Mulher Nova, Bonita e Carinhosa” (Zé Ramalho e Otacílio de Souza).

Foi Deus que fez as asas, para com elas percorrer uma “Légua Tirana” (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira). Foi Deus que fez os pecadores e, para redimi-los, ensinou-lhes a “Ave Maria” (Vicente Paiva e Jayme Redondo). Foi Deus que fez a dúvida existir para que os homens dissessem: “Depende” (Fagner e Abel Silva). Foi Deus que fez os olhos para que, com eles, admirássemos uma “Flor da Paisagem” (Robertinho do Recife e Fausto Nilo). Foi Deus, milagroso, que permitiu ao poeta confirmar: “Foi Deus Que Fez Você” (Luiz Ramalho). Foi Deus que conduziu Amelinha pelos palcos da vida, fazendo com que ela brilhasse, cantando bonito, com charme e leveza. Quem, se não Ele, para juntar tantas belezas em apenas um disquinho ao qual chamamos DVD, do qual soa a música que, sem dúvida alguma, foi Deus que fez para dar de presente para apenas alguns poucos eleitos, como Amelinha?


6

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

poesias

errei na mosca! por LÚCIO MANGA!

TODA ESSA GENTE SE ENGANA OU NÃO VÊ QUE EU NASCI PRA SER O SUPERBACANA?

OS INSETOS QUE INVADIRAM UMA CASA] DANIEL BOSI

leia a coluna de hoje ouvindo superbacana, com elis e miele... acesse aí, vai: youtu.be/IA3TPJ-jTDM

d

e geração em geração há um desgaste imaginário do inconsciente coletivo. o mundo dá envoltas e sempre possibilita lançar agouros à possibilidade de qualquer felicidade que queira estar disposta a aparecer na nossa frente... porque felicidade é a droga injetada nas mensagens distribuídas pelos quatro cantos da divulgação eterna. a ideia é fazer você acreditar nas possibilidades escondidas na cartola do destino... de onde saem coelhos cinzas, como se fossem a eterna necessidade de cada dia que sempre abre as pernas para o hoje... o medo das horas faz com que as pessoas se contentem em fazer parte da propaganda de margarina... um medo tão medroso que faz com que se diga na alegria e na tristeza como se fosse efeito de um carma... ou de uma cruz tão pesada quanto a de tisto, o menino do dedo verde... como se amar não existisse na dor... o mundo dentro das latas de toddy... ainda que haja um ar de descrença a insistir em se curvar dentro da necessidade alheia... quantas pes-

soas não querem ser outra vida? e é diante desse apocalipse das almas que nasce a vontade de ser maior que o mundo... a figuração do deus na barriga que quer por que quer impor um único olhar como se todos os olhos fossem da mesma cor. há uma inquisição em cada esquina a amaldiçoar a liberdade de expressão do corpo e da alma, pois, embora haja o free cigarro, não há quem seja capaz de consumir-se sem querer nada de si em troca... muitas pessoas se transformam no telemarketing pessoal... e constroem mensagem para resgatar a solidão... felicidade em prestações suaves de melancolia... despista comigo: eu sou incapaz! a corrida atrás do ouro dos tolos azedos bárbaros... como nos filmes sem sufoco... filmes precisam construir o sufoco em quem ainda não tem a expectativa da dor... não a dor alheia, mas a dor de parecer algo diferente de si mesmo... os cretinos sempre tocam sinos... badalam as horas santas como se se pudesse dizer a que horas se pode estar querendo mais do que apenas um café amargurado sem o pão de cada dia... não há nada pior do que os discursos dos bem-aventurados... a cretinice de quem se coloca a disposição de parecer politicamente correto... devemos odiar quem quer ser politicamente correto...

e devemos odiar os que dão tapinhas nas costas como o cumprimento de uma saga de cortejos fúnebres. a essência de quem está no lugar certo na hora incerta deve ser desconsiderado, ou não se deve querer calar a dor quando os analgésicos insistem em fazer pouco efeito? tudo é uma mentira deslavada em máquina de lavar brastemp... tudo é brastemp... os inimigos duradouros, esses sim valem a pena... os que brigaram na infância e continuaram a ojerizar qualquer relação com a pessoa com quem se conflitou as horas de antes da fase adulta... só nesses dá pra confiar.

há uma inquisição em cada esquina a amaldiçoar a liberdade de expressão do corpo e da alma, pois, embora haja o free cigarro, não há quem seja capaz de consumir-se sem querer nada de si em troca...

o que querem as pessoas que chupam picolé como se nada estivesse acontecendo? querem sentir o desgosto? querem o sabor? nada pode parecer mais repugnante do que a soberba que invade o ego de quem é capaz de pagar pra ser... as aparências engasgam e há um rompante de tosse a arranhar a garganta mais profunda... como a mocinha do filme de sacanagem que devora pênis como se devorasse um pão de sal da padaria do prazer... o mundo imaginário conserva poucas chances para que se possa querer sentido em algo que se produza... tudo que se coloca em destaque vira exposição... mas não arte. há uma beleza que se concentra por dentro da pele fria. nas madrugadas desmerecidas e acordadas pelo silêncio de uma relação dois em um... quem pode amar como se fosse um toca-discos antigo? o som precisa sempre de uma novidade... a moeda número 1 do tio patinhas não é minha... e nem sei se há quem possa construir uma fortuna, porque não se nasce pra ser o superbacana... nem nas histórias em quadrinhos com as suas fantasias do final justo. se pular de um prédio e abrir um guarda-chuva tem efeito? toda essa gente sempre me engana... sempre...

NA MOSCA!

distraídos venceremos CRISTINA DE MIDDEL/DIVULGAÇÃO

dica de del castilho, o miguel... eram os deuses afronautas? parece ficção, mas em 1964, numa zâmbia recém-independente, um professor secundário de ciências tentou dar início a um programa espacial. o objetivodeedwardmakuka era levar 12 astronautas e dez gatos para a lua (e depois para marte). apesar de sua insistência, não conseguiu o financiamento necessário e o projeto fracassou, também pelo fato de uma das tripulantes já inscritas e em treinamento, uma adolescente, ter ficado grávida.combasenesseterno (e verídico) parêntese na história do país africano, a fotógrafaespanholacristina de middel idealizou a série

crônicas

theafronauts,publicadaem maio de 2012 como fotolivro independente e em tiragem limitada de mil exemplares,rapidamenteesgotada.“interessa-merefletirsobre aquelas manifestações quesãofalsas,masparecem reais, e sobre aqueles acontecimentos que são verdadeiros, mas parecem menti-

ra”, explica cristina, que trabalhou durante anos como fotojornalista. embora aindaexerçaaprofissão,eladiz queprecisou“rompercomo binômio fotografia-documento” em seu trabalho artístico. quando filmes, romances e até mesmo pinturas tentam se ancorar na realidade (em “fatos reais”)

e simular cada vez mais impressõesdeautenticidade,é estimulanteverafotografia, meio realista por excelência, se expandir para o domínio do não documental. entre as sequências de imagens no livro, cristina adicionou documentos supostamente fac-similares, mapas, colagens e desenhos feitos por ela, numa vontade clara de construir uma narrativa, de se reportar à fábula e, assim, concretizar o improvável sonho espacial zambiano. mas dizer “improvável” revela também o aspecto político e crítico do trabalho. afinal, por que nos pareceria tão irreal que uma missão africana ganhe o espaço? (vá lá ver... migre.me/dYuTP)

a tarde é calma mas são esses passos mórbidos que predizem a queima da mata e o vôo maluco a desgovernança do trajeto] a janela se abre em forma de ferida um barulho revela a pancada o bater da asa que espalha a tinta que era sangue : um corante que era tinta a barata e o inseticida a vida e a barata, asadelta de bicho] o plano calculista geometriza a fusão entre berro e zumbido. a antena ou a briga a fuga ou os olhos defender um espaço reivindicar um espaço

POR FAWCETT, O FAUSTO

Ultimamente tenho conversado com uma Marcia. Assunto de trabalho, não nos conheceu pessoalmente. No primeiro contato escrevi: “Olá, Márcia” blá blá blá, mas assim que obtive resposta, reparei que se trata de Marcia. E nunca mais errei. Infelizmente não posso dizer o mesmo de minha amiga. Marcia só me chama de Natascha, variando raramente para Nastascha. Tenho sido paciente. Só no vigésimo e-mail, escrevi seca: “Recebi, Maria”. Essa birra aprendi com dona Alda, avó de Rafael. Ela vive chamando a vizinha de Nieda e a turma alerta. “É Lieda”. Mas ela bem sabe. Um dia me confessou que faz de manha. É que a tal Nieda a chama de Alma para cima e para baixo.

Desde que aprendi a técnica, juro que só usei dessa vez com a Marcia e com a cabeleireira Bete, de nome Net, que há 15 anos me chama de Natássia. Pois essa semana me aconteceu um Wellington (agora mesmo escrevi errado e apaguei). Me dou com tudo que é nome, coisa que aprendi em casa, vou do alemão ao indígena e nunca me embolo com letra dobrada. Só não me dou com Wellington que sempre escrevo Wellignton. Sabia que fatalmente aconteceria. E hoje aconteceu. “Caro Wellignton, que horas posso passar para assinar o contrato?” E ele, que nunca errou um Natasha e nunca errou um Siviero, ele, que é tão atencioso, respondeu: – Passe pela manhã, Nataxa.

ANASTÁCIA EU

por NATASHA SIVIERO

deveriam saber, quando a cara fecha, a mosca vira outra ninguém beija o que não quer] algum filho corre porque chora pelas mariposas não se preocupe: são apenas casulos]

CIDADES PERDIDAS dorme e acorda pensando em todas as Lamúrias Pensa dormindo com todas as Lemúrias.

braço, mão e dedos, a extensão do pensamento. Escritores e boxeadores se irmanam nessas horas – mais do que em outras. Ambos têm em comum esse conjunto como ferramenta de trabalho. E trabalham onde há ranhura, talho. Onde há encaixe e desvalia. E na finta da escrita e da esquiva arquitetam o contragolpe, o gancho que amassa as costelas do adversário, o direto que atinge o queixo alheio como uma borduna atingiria uma terrina de porcelana. Nada do que luta e escreve foge da trama da verdade. Porque um escritor, como um boxer, finta a invenção e nunca pode mentir. Do contrário jamais criará seus próprios mitos. É a mesma verdade que vi e ouvi no canto do pequeno pássaro desgrenhado no meio da chuva. Verdade e invenção, como o brilho no olhar carinhoso de Zira, uma cadelinha

recém-chegada ao meu quintal. Ela me olha por detrás de sua cara preta como quem quer desvendar algo aparentemente simples, normal, mas a um só tempo carregado de pequenos mistérios que podem a qualquer momento se materializar como bolhas coloridas de sabão. Zira tem patas fortes, vai se tornar uma cadela grande, parruda. E um olhar de jaboticaba que me fala da incondicionalidade do amor. Da ternura espalhada por todas as quinas da casa onde habito. E do instinto como arma e lira. Zira me mira. Sua cabeça pende pra direita e esquerda, como se tentasse dizer o que seu olhar transmite. Deixo a folha momentaneamente de lado, a pego no colo e começo a lhe fazer carinho. Em poucos instantes ela dorme o sono inocente de um cãozinho que se sente seguro com seu dono. Tanto desalinho no mundo, tantos rounds a serem escritos. Mas agora o tempo para. E tudo se concentra na folha que retomarei, assim que essa criaturinha desperte e pule do meu colo para correr e roer galhos e raízes no chão onde vivo.

por CAÊ GUIMARÃES

Violo a folha em branco com riscos e rabiscos. E nos garranchos imprecisos escrevo um texto que me persegue. Há tempos não trabalhava um longo à mão. A facilidade do laptop, os phones e suas portabilidades, a amabilidade silenciosa dos eletrodomésticos e eletrolaborais me afastaram, há tempos, da caneta e do papel. O uso de ambos ficou restrito a anotar recados, telefones, endereços. Mas hoje, com meu equipamento de trabalho na manutenção, restou-me um caderno e uma caneta. E como se fosse o talho na pedra, o martelo que sapeca a cabeça do cinzel tirando do bloco o que não é escultura, preenchi, folha a folha, os arabescos das minhas rasuras e profundezas. O que quis dizer e não se deteve. O que antevi e inventei. O que me socorre da lama ocre em que chafurdo momentos antes de tornar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

é por esse motivo que um encara o outro: egos que pelejam]

para Milton César Pontes

“o ser humano é ambiguidade; eu diria que um ensaio humanista. ele é movido por um surto de recriar a natureza que é a grande inimiga dele. a minha visão é dura, mas é festiva.”

ZIRA, A ESCRITA E O PUGILISMO

7

Pensar

e Ele, que descomemora o próprio luto, que das cidades perdidas se perdeu cada homem pensa enquanto a cidade dorme. um girassol escondido em sua pele e ele sonha como os girassóis giram. a figura velha e nova, todas as idades em apenas dois Olhos e trezentos mundos (cada cidade é um mundo) Então, meu irmão, só sabemos que somos órfãos de Vênus.

Sou acostumada, por isso não faço drama se confundem meu nome. Muito frequentemente me chamam Fátima ou Ana Clara, que acho de muitíssimo bom gosto. Especialmente Fátima eu atendo prontamente: um privilégio. As variações do meu nome já não me soam tão bem. Implico, sobretudo, com Natália, nome que considero bocó e meio sem sal, mas dizia que não faço drama, embora tenha todo cuidado com o nome dos outros. Comigo erram quase tudo, que só me acertam o Silva. No mais, é Silveiro, Sivieiro, Silvieiro, Severo. Tudo bem, só me incomoda da terceira ou quarta vez. E mesmo assim não falo, espero um amigo que me faça a gentileza.


8

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

9

memória

Pensar

por MARIA CLARA MEDEIROS SANTOS NEVES

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

Ao todo foram inventariados 552 documentos, sendo 321 projetos arquitetônicos, 73 plantas de situação, 104 documentos profissionais (correspondências e outros) e 51 documentos pessoais

CINCO DÉCADAS DE ARQUITETURA EM VITÓRIA

UM DOS PRINCIPAIS PROJETISTAS DA CAPITAL ENTRE OS ANOS 1920 E 1960, OLYMPIO BRASILIENSE TEM O SEU ACERVO DIGITALIZADO

M

eu primeiro contato com o acervo de Olympio Brasiliense se deu em 2008, quando conheci sua filha, a historiadora Vanessa Brasiliense. Desde logo impressionaram-me em especial a qualidade, diversidade e quantidade de documentos preservados. Alguns aspectos saltam aos olhos: a personalidade do engenheiro, profissional minucioso tanto no preciosismo de seus desenhos, por sinal belíssimos, como na obsessiva preocupação de conservar originais ou cópias de seus projetos e correspondência recebida e enviada, além de outros documentos pertinentes, o que, aliado ao respeito da família por sua memória e sua obra, contribuiu para a sobrevivência até hoje desse conjunto documental. Apesar da amplitude do trabalho de Olympio Brasiliense, que, estendendo-se da década de 1920 à de 1960, imprimiu feições peculiares e de uma beleza delicada à cidade de Vitória nesse período, hoje poucas pessoas conhecem seu nome. São de sua autoria, para dar alguns exemplos, os projetos do Hospital Getúlio Vargas (hoje das Clínicas), Hospital Adauto Botelho, Hospital Infantil, Quartel de Maruípe, Mer-

FOTOS: ESTAÇÃO CAPIXABA/DIVULGAÇÃO

Silva, Nestor Cinelli, Carlos Madeira, Manoel Morgado Horta, José Santos Neves, Oswaldo Almeida, e tantos mais. Muitos desses projetos ainda sobrevivem, reformados ou não, e alguns deles tiveram outra destinação, como a residência de Mário Pretti, datada de 1950, na Rua Abílio Neves, que já serviu de sede à Ordem dos Advogados, e a de Kosciuszko Barbosa Leão, datada de 1952-3, na praça João Clímaco, que abriga a Academia Espírito-Santense de Letras.

Uma das versões do projeto de Olympio Brasiliense para o Colégio Salesiano

Riqueza

cado São Sebastião, Colégio Salesiano, Museu Melo Leitão, Centro de Saúde de Vitória, Banco de Crédito Agrícola (agências de Vitória, Cachoeiro, Afonso Cláudio e São Mateus), Praia Tênis Clube, Posto Moscoso, além de centenas de residências em Vitória, Vila Velha e Guarapari, tanto casas populares como moradias de profissionais liberais que integravam a elite da época. Neste caso, podem-se citar os nomes de Eurípides Queiroz do Valle, Cícero Moraes, Guilherme Santos Neves, Jayme Santos Neves, Jefferson de Aguiar, Dido Fontes

de Faria Brito, Paulo Fundão, Bárbara Lindenberg, Artur Meirelles, Edgar Rocha, Rousseau Castello, Alarico Cabral, Paulo Motta, Armando Rabello, Wlademiro Silva Santos, Fernando Lindenberg, Lucílio Santana, Dionísio Abaurre, Humberto Vello, Maria Copolillo, Afonso Schwab, José Neffa, Napoleão Fontenelle, Jair Dessaune, Manoel Mazzi, Ewerton Guimarães Pereira da Silva, João Scampini, Tuffy Buaiz, Hariolus Amâncio Pereira, Flora Moysés, João Avanza, Artur Ornellas, Herwan Wanderley, Raul de Oliveira Neves, Demócrito

Os projetos em si são notáveis pela riqueza de detalhes em portas, janelas, muros e entorno, tão característicos em seu estilo que valem como assinatura para identificar-lhe o autor. Chama a atenção o tratamento dispensado às grades de balcões, janelas, muros e portões, encomendados a serralheiros de fora, como a Serralheria Baragli, de Belo Horizonte. Dois projetos consolidaram a preservação e a divulgação desse acervo. O primeiro, intitulado Pesquisa e Estudo do Acervo Olympio Brasiliense, foi aprovado na Lei Rubem Braga, da Prefeitura de Vitória, em 2010. Com esse recurso a Phoenix Projetos e Serviços Culturais, com atuação direta de Vanessa Bra-

>

O Praia Tênis Clube, em Vitória, foi um dos inúmeros trabalhos desenvolvidos pelo engenheiro, autor de cerca de 400 projetos de edifícios públicos e residenciais

>

siliense, produziu o inventário do acervo, pesquisa de campo para mapeamento e registro fotográfico da situação atual dos imóveis projetados por Olympio Brasiliense, pesquisa em fontes primárias e secundárias em instituições públicas e realização de entrevistas para complementar a biografia do engenheiro. Ao todo foram inventariados 552 documentos, sendo 321 projetos arquitetônicos, 73 plantas de situação, 104 documentos profissionais (correspondências e outros) e 51 documentos pessoais, mapeados e fotografados cerca de 200 projetos em 100 logradouros de Vitória e localizados aproximadamente 200 documentos no Arquivo Público do Espírito Santo e no Arquivo Público Municipal. O segundo projeto, Digitalização do Acervo Olympio Brasiliense, foi inscrito no Edital 032/2012, da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), e também aprovado. Com esse recurso, oriundo do Funcultura, e também com o selo da Phoenix Cultura, foi digitalizado o acervo de projetos arquitetônicos e documentos afins, somando ao todo cerca de 250 projetos, correspondendo a 719 páginas, e 87 documentos de alguma forma relacionados com os projetos. O processo de digitalização compreendeu as seguintes etapas: 1) preparação,

quem foi OLYMPIO BRASILIENSE Nasceu em Belo Horizonte (MG), no dia 10 de novembro de 1903, e faleceu em Vitória, aos 82 anos, em 4 de janeiro de 1985. Estudou na Escola de Engenharia de Ouro Preto (MG). Mudou-se para Vitória, em 1924, a convite de Florentino Avidos, e atuou como engenheiro nas obras de reestruturação urbana da cidade por meio do Serviço de Melhoramentos de Vitória. Além dos serviços prestados ao governo estadual, Olympio trabalhou na Prefeitura Municipal de Vitória até se aposentar, sendo autor de aproximadamente 400 projetos de edifícios públicos e residenciais, a maioria deles localizados em Vitória, especialmente no Centro da cidade e também na Praia do Canto.

incluindo limpeza, recuperação de rasgos com adesivo apropriado e aplanamento; 2) digitalização fotográfica; 3) tratamento de arquivos matrizes, com recorte das bordas da imagem, mantendo-se suas dimensões máximas, e salvamento com adoção do número do documento no inventário; 4) produção de arquivos de média resolução para publicação online, priorizando também contraste e nitidez; e 5) organização das imagens em arquivos PDF para publicação online. Os resultados de ambos os projetos foram publicados no site Estação Capixaba (www.estacaocapixaba.com.br) após extenso trabalho que gerou grande número de páginas hoje à disposição dos interessados. Seu lançamento ocorrerá no próximo dia 11, quinta-feira, em apresentação a ser feita na Biblioteca Pública do Espírito Santo.

Carência

Avaliando a bibliografia existente, constata-se que a arquitetura urbana de Vitória do século XX carece de estudos, e esse fato, aliado à importância do trabalho de Olympio Brasiliense, serve de estímulo para novo projeto com vistas à produção de livro composto de estudos de vários autores, com dife-

rentes abordagens. Acreditamos que a descoberta desse acervo foi sublime e tem significado especial para todos nós porque revelador da contribuição do indivíduo na sociedade e na história, não só como produtor mas também como responsável pela preservação do patrimônio e da identidade cultural. De nossa parte, como cidadãos, cumprimos nosso papel cuidando do acervo Olympio Brasiliense e divulgando-o o melhor possível. Cabe agora às instituições públicas e governos estadual e municipal tomarem a si garantir a permanência física dos originais desse acervo tão importante para todos nós capixabas.

PROGRAME-SE Durante todo o mês de abril, uma mostra de projetos arquitetônicos de Olympio Brasiliense estará aberta ao público na Biblioteca Pública do Espírito Santo, sempre de segunda a sexta, das 8h às 19h. Nesta quinta, dia 11, haverá apresentação sobre o tema, com Maria Clara Medeiros Santos Neves e Vanessa Brasiliense, a partir das 19 horas, com entrada franca. A biblioteca fica na Avenida João Batista Parra, 165, Praia do Suá, Vitória. (27) 3137-9349.


10

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

11

roteiro

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

ROCK

PANCADÃO

ANIVERSÁRIO

ARRASTA-PÉ

FESTIVAL

Noite de cover no Escaldaria

Mr. Catra agita o Bebo Direito 2013

Banda Blacksete comemora 15 anos

Novo point para os forrozeiros

Mais de 12 horas de rock and roll

Bar Escaldaria. Avenida Saturnino Rangel Mauro, 500, em Coqueiral de Itaparica, Vila Velha. Ingressos: R$ 15 (na hora) ou R$ 10 (antecipados na Orbita Rock). Informações: pelo telefone (27) 3219-4963.

Área verde do Álvares Cabral. Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, 2.100, Bento Ferreira, Vitória. A partir das 22 horas. Ingressos: R$ 50 (mulher/pista/2º lote) e R$ 70 (homem/pista /2º lote), R$ 70 (camarote/mulher/2º lote) e R$ 90 (camarote/homem/2º lote). (27) 3376-3866.

Hoje, a partir das 21 horas, rola o show “The Biggest Four 2!”, com muito rock ao som das bandas Letal (foto), Piece of Maiden, Vulgar e Order of the Black.

O funk vai tomar conta da área verde do Clube Álvares Cabral, na festa Bebo Direito 2013, dos alunos da FDV. No palco, Mr. Catra (foto), MC Koringa e várias atrações.

O BarrAcústico será palco do novo show da banda Blacksete, que comemora 15 anos de estrada neste sábado, a partir das 21h, com novos repertório e figurinos. Atualmente é referência local da disco music e possui fortes influências de cantores como Michael Jackson, Stevie Wonder, Jamiroquai, Ed Motta, Lulu Santos, Gilberto Gil, Jorge Ben Jor, entre outros.

O Forró do Praia agora está em novo local, o Clube Ítalo, que recebe hoje, a partir das 23h, Trio Virgulino (foto), Cleyton Gama, Quarteto Capixaba e Forró Bem Tivi. Clube Ítalo. Rua Renato N. Daher Carneiro, 1.036, na Ilha do Boi, em Vitória. Ingressos: R$ 20. Informações: (27) 9948-2157.

LANÇAMENTO

Afonso Cláudio recebe o Rock in Roots Festival, a partir das 16h, com mais de 20 bandas fazendo muito barulho, como Broken & Burnt (foto), Mendigos Cientistas, Manfredines e Kanabaus, na Pousada Rural Acapulco. Veja a programação completa em www.facebook.com/RockInRootsFestival.

O novo disco de Marcos Rivero

O cantor e compositor Marcos Rivero lança neste sábado, às 21h, o CD “Fulldrive”, com show no Jazz Café, que também marca o retorno do músico aos palcos capixabas. Jazz Café. Rua Joaquim Lírio, 820, no Triângulo das Bermudas, Praia do Canto, em Vitória. O disco está disponível para audição no site www.soundcloud.com/fulldrive.

HOLLY JEVEAUX/DIVULGAÇÃO

WEBER VITRAL/DIVULGAÇÃO

BarrAcústico. Avenida Beira-Mar, 264, na Barra do Jucu, em Vila Velha. Ingressos: R$ 10 (até 22h/meia), R$ 15 (após 22h/meia) e R$ 20 (após 0h/meia). Informações: pelo telefone (27) 3244-7117.

DIVIRTA-SE

DIVIRTA-SE MÚSICA AO VIVO Josias Muniz e Grupo Perfil

Variado. A partir das 21h, no Restaurante Dona Prima. No Hotel Diamantina, Avenida Oceância, 97, Praia do Morro, Guarapari. Couvert: R$ 8. Informações: (27) 3361-5651.

Marcos Côco e Aloir Junior

MPB e regionais. Sábado, 20h, no Wunderbar Kaffee. Av.a Rio Branco 1305, na Praia do Canto, em Vitória. Couvert: R$ 10. Mais informações: (27) 3227-4331.

Vinícius Piê

Variado. A partir das 11h30, no Restaurante Vila do Rancho Forte. Rua

Cabo Ailson Simões, 250, Centro, Vila Velha (atrás do Colégio São José). Informações: (27) 3075-3522.

Vitória Trio

Pop rock. A partir das 18 horas, na Praça de Alimentação do Shopping Norte Sul. Av. José Maria Vivácqua Santos, 400, Jardim Camburi, Vitória. Aberto ao público.

FESTA Churrascom

Shows de Projeto Garapa, Diego Faustino & Banda, Pedalasamba, Bateria da MUG e DJ Leandro Netto, a partir das 12h. No Recreio dos Olhos, Avenida Cel. José Martins de Figueiredo, 575, em Tabuazeiro, Vitória. Entrada: R$ 35. Informações: (27) 9949-4244.

Festa da Galinha e do Ovo

Com Os Seresteiros e Banda Fator X. No Ginásio de Esportes, em Santa Maria de Jetibá, a partir das 12h. No Pátio de Festas, Rua Herman Roelke, Centro, Santa Maria de Jetibá. Aberto ao público. Mais informações pelo telefone (27) 3263-4816.

Linhares Elétrica

Com Mr. Catra, Raghatoni, Daniel Caon, Banda Movimento e Gian & Cristiano, a partir das 16h. No Parque de Exposições de Linhares, Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 158, Novo Horizonte, Linhares. Entrada: R$ 30 (pista) e R$ 100 (camarote open bar). Vendas: www.blueticket.com.br

SHOW Black Sete

A banda celebra 15 anos com show. Às 21h, no BarrAcústico. Av. Beira Mar, 264, Barra do Jucu, Vila Velha. Ingressos: R$ 10 (até 22h/meia), R$ 15 (após 22h/meia) e R$ 20 (após 0h/ meia). (27) 3244-7117.

BALADA A Fábrica Danceteria

Com Banda BlackSete e DJ Fabrício Furtado, a partir das 22h. Avenida Eudes Scherrer de Souza, 575, Laranjeiras, Serra (em frente ao Hospital Metropolitano). Entrada: R$ 15 (mulher/lista/até 23h30), R$ 30 (homem/lista/até 23h30), R$ 30 (mulher/na hora), R$ 40 (homem/na hora). Informações: (27) 3071-3640.

Adega Coração Sertanejo

Com a dupla Rony & Ricy, a partir das 23 horas. Rua Neves Armond, 210, na Praia do Suá, em Vitória. Entrada: R$ 10 (mulher), R$ 20 (homem). Informações: (27) 3315-1364.

Balístico Music Bar

Com Márcio Gabriel & Banda e DJ André Knup, a partir das 22h. Rua Joaquim Lírio, 800, Praia do Canto, Vitória. Informações: (27) 7811-5285.

Bar Cais da Barra

Com a Banda de Congo Mestre Alcides, a partir das 21 horas. Rua Vasco Coutinho, 17, Barra do Jucu, Vila Velha. Mais informações: (27) 9927-8344.

Boate Loft

Royal Club

Com Pratikere, Evandro & Raniery, além dos DJs Bufallo e Wagner Alexandrino, a partir das 22 horas. Avenida Aracruz, 2.313, Praia de Itaparica, Vila Velha. Entrada: R$ 20 (mulher), R$ 30 (homem). Mais informações: (27) 9854-5816.

Dont’t Sleep, com os DJs Johnny Glovez e Mark Dias, a partir das 23 horas. Avenida Dante Micheline, 301, Praia de Camburi, Vitória. Entrada: R$ 40 (mulher), R$ 60 (homem). Informações pelo telefone (27) 3315-7366.

Clube de Pesca

Swingers Remember, com DJs Thales Gonzalez e Phill Fernandes, a partir das 22 horas. Reta da Penha, 1297, Praia do Canto, em Vitória. Entrada: R$ 30 (mulher), R$ 50 (homem). Informações pelo telefone (27) 3201-6600.

Roda de Samba, com os grupos Estandarte e Explosão do Pagode, a partir das 18h. Rua Dário Lourenço, 100, em Santo Antônio, Vitória. Entrada: R$ 10. Informações: (27) 3376-8344.

Espaço Celebration

Festa Born & Raised, com DJs, a partir das 22h. Avenida Saturnino Rangel Mauro, 505, Jardim da Penha, Vitória. Entrada: R$ 10 (até 0h), R$ 15 (após 0h). Informações: (27) 9299-3254.

Fuel Station Bar

Com Marcelo Ramazotti e Banda, a partir das 22h30. Rua Manoel Gonçalves Carneiro, 85, Praia do Canto, Vitória. Couvert: R$ 15. Informações: (27) 3314-5434.

La Villa

Com Saulo Simonassi, a partir das 21 horas. Rua José Penna Medina, 380, no Centro Comercial Vila Gift, Praia da Costa, Vila Velha (ao lado do Shopping Praia da Costa). Couvert: R$ 6 (deque) ou R$ 10 (salão). Mais informações: (27) 3340-6835.

Maria Pimenta Botequim

Com Banda Santeiro, a partir das 21h. Av. Santa Leopoldina, 585, Praia de Itaparica, Vila Velha. Couvert: R$ 10. Informações: (27) 3319-3659.

Matrix Music Hall

Com Higino & Gabriel, Reder Matos e Edson Mineiro & Goiano, a partir das 22 horas. Rua Rio Branco, 2, Rio Branco, em Cariacica. Entrada: R$ 20. Informações: (27) 3336-4776.

Move Music

Noite gay. Com DJs João Paulo Muniz (SP), Tarcisio Festcar e Henderson, além de Move Dancers, a partir das 23h59. Av. Adalberto Simão Nader, Mata da Praia, Vitória. Entrada: R$ 30 (entrada), R$ 50 (consumação fever), R$ 60 (entrada+cons.). Informações pelo telefone (27) 3314-5968.

São Firmino Botequim

Singo’s Club

Com Som do Rio Grande e Banda Fascínio, a partir das 22 horas. Rodovia Vitória, Jacaraípe, KM 1, em Jardim Limoeiro, Serra. Entrada: R$ 15 (meia para mulher e estudante) ou R$ 30. Informações: (27) 3228-3688.

The One

Com DJs Jessica Mallmann e Jonathan Satil, a partir das 22h. Avenida Cristiano Dias Lopes, anexo ao Jaraguá Tênis Club, Cachoeiro de Itapemirim. Entrada: R$ 20 (mulher/meia), R$ 30 (homem/meia). Mais informações pelo telefone (28) 3517-9541.

TEATRO Comédia em Preto & Branco

A peça começa às 20h, na Faculdade Vale do Cricaré. Rua Venezuela, 1, no Bairro Universitário, em São Mateus. Entrada: R$ 25 (antecipados e limitados a 50% da plateia), R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia entrada). Vendas: lojas Dacasa Financeira, Focas Surfshop (Shopping Praia da Costa), Billabong (Shopping Vitória) e Café Bamboo (Praia do Canto). Informações: www.comedianaestrada.com.br e (27) 9902-3777.

Rotina clássica no Carlos Gomes

A São Paulo Cia. de Dança apresenta um repertório clássico de movimentos, como Dois a Dois (Grand Pas de Deux de “O Quebra Nozes”, de Marius Petipa e Lev Ivanov; e Grand Pas de Deux de “Dom Quixote”, de Petipa), às 20h30, no Teatro Carlos Gomes. Praça Costa Pereira, Centro, Vitória. Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Vendas: www.ingresso.com.br

Para divulgar um evento... Envie e-mail para cadernodois@redegazeta.com.br, com pelo menos dois dias de antecedência. No material devem constar horário, endereço completo, gênero musical, telefone e valor do ingresso ou couvert. Os preços e horários divulgados pelo Caderno 2 são de responsabilidade dos promotores dos eventos, e estão sujeitos a alteração. Para o roteiro de sábado e domingo, o envio é até quarta, às 18h.

CINEMA VVVVV VVVV VVV VV l

Imperdível Vale a pena Veja se tiver tempo Espere pelo DVD Fuja

ESTREIA VVVAmigos Inseparáveis

(Stand Up Guys, EUA, 2012, 95 min). Comédia. Direção: Fisher Stevens. Com Al Pacino. Três parceiros de crime aposentados se reúnem novamente para uma noitada, após a soltura de um deles, que passou anos na cadeia. 14 anos. Cine Jardins, sala 1: 19h.

VVCinzas e Sangue

(Cendres et Sang, França, 2009, 105 min). Drama. Direção: Fanny Ardant. Com Ronit Elkabetz. Judith volta à Romênia após exílio e revive raiva do passado. 14 anos. Cine Jardins, sala 2: 21h20.

Depois de Lúcia

(Después de Lucía, México, 2012, 103 min). Drama. Direção: Michel Franco. Com Tessa Ia. Alejandra ingressa em um novo colégio e onde sofre abusos físicos e emocionais, mas, envergonhada, não conta nada para o pai. 14 anos. Cine Jardins, sala 2: 19h25.

Invasão à Casa Branca

(Olympus Has Fallen, EUA, 2013, 120 min). Ação. Direção: Antoine Fuqua. Com Gerard Butler. Ex-agente do serviço secreto americano tem que salvar o presidente após ataque terrorista à Casa Branca. 16 anos. Cinemark, sala 1: 13h30, 16h10, 18h50, 21h30. Kinoplex, sala 7: 13h40, 16h10, 18h50, 21h20. Multiplex Araújo, sala 3 (3D/dub): 14h45 (exceto terça e quinta), 16h (apenas terça e quinta), 17h (exceto terça e quinta), 19h15 (exceto terça e quinta), 20h30 (apenas terça e quinta),21h30 (exceto terça e quinta).

VVVMama

(Canadá, 2013, 100 min). Terror. Direção: Andrés Muschietti. Com Jessica Chastain. Casal tem o desafio de criar as duas sobrinhas que passaram cinco anos sozinhas numa floresta. 14 anos. Cinemark, sala 4: 15h10, 17h30, 19h50, 22h10. Multiplex Araújo, sala 3 (dub): 15h30 (exceto terça e quinta), 16h30 (apenas terça e quinta), 17h30 (exceto terça e quinta), 19h (apenas terça e quinta), 19h30 (exceto terça e quinta), 21h (apenas terça e quinta), 21h30 (exceto terça e quinta).

O Céu Sobre os Ombros

(Brasil, 2010, 72 min). Drama. Direção: Sérgio Borges. Com Everlyn Barbin. Ficção e realidade se misturam, transpirando as aspirações de três personagens não-atores que vivenciam o

dia a dia de uma cidade caótica. 16 anos. Cine Metróplis: 17h40 (exceto quinta), 20h35 (exceto quinta).

O Quarteto

(Quartet, Reino Unido, 2012, 100 min). Drama. Direção: Dustin Hoffman. Com Billy Connolly. Baseado em peça homônima de Ronald Harwood, mostra a vida de amigos idosos num asilo. 14 anos. Cine Jardins, sala 1: 17h.

EM CARTAZ VVVA Busca

(Brasil, 2011, 96 min). Drama. Direção: Luciano Moura. Com Wagner Moura. Médico pega a estrada para procurar o filho que desapareceu. 12 anos. Cine Ritz Conceição, sala 2: 21h10. lA

Hospedeira

(The Host, EUA, 2013, 125 min). Ficção científica. Direção: Andrew Niccol. Com Saoirse Ronan. Melanie luta contra a invasão alienígena em sua mente e inicia uma busca desesperada por sua família. 12 anos. Cinemark, sala 8: 16h20, 19h, 22h. Kinoplex, sala 5 (dub): 18h10, 20h50. Cinesercla Laranjeiras, sala 1 (dub): 20h30. Cine Ritz Guarapari, sala 1: 19h, 21h20. Multiplex Araújo, sala 5 (dub): 21h.

A Parte dos Anjos

(The Angels Share, Reino Unido, 2012, 101 min). Drama. Direção: Ken Loach. Com Roger Allam. Robbie escapa, por pouco, de uma sentença de prisão. Ele acaba de ter um filho com a namorada Leonie e promete que o futuro do primogênito será diferente de tudo que ele viveu. 16 anos. Cine Jardins, sala 1: 21h.

As Aventuras de Tadeo

(Las aventuras de Tadeo Jones, Espanha, 2012, 90 min). Animação. Direção: Enrique Gato. Tadeo é confundido com um arqueólogo e acaba sendo enviado para um expedição no Peru. Livre. Cine Jardins, sala 1 (dub): 15h15 (hoje, amanhã e segunda).

VVVAlém das Montanhas

(Dupa Dealuri/Beyond the Hills, Romênia, 2012, 155 min). Drama. Direção: Cristian Mungiu. Com Cosmina Stratan. Alina retorna da Alemanha para reencontrar Voichita, que conheceu no orfanato onde ambas foram criadas. 14 anos. Cine Jardins, sala 2: 16h40.

VVDezesseis luas

(Beautiful Creatures, EUA, 2013, 122 min). Drama. Direção: Richard LaGravenese. Com Emma Thompson. Ethan e a misteriosa Lena vão desvendar segredos sobre suas famílias. 12 anos. Cine Shopping Cachoeiro, sala 1 (dub): 20h30.

VVVG.I. Joe: Retaliação

(G.I. Joe 2: Retaliation, EUA, 2012, 110 min). Ação. Direção: Jon M. Chu. Com Bruce Willis. Os “Joes”, além de enfrentar seu grande inimigo, a organização Cobra, terão de enfrentar ameaças internas vindas do governo. 14 anos. Cinemark, sala 3: 17h20, 20h, 22h30. Cinemark, sala 3 (3D/dub): 12h20 (apenas hoje e amanhã), 14h50. Cinemark, sala 5: 20h50 (exceto terça e quinta), 23h20. Kinoplex, sala 1 (3D/dub): 14h, 16h20, 18h40. Kinoplex, sala 1 (3D): 21h. Cinesercla Laranjeiras, sala 2 (3D/dub): 14h35, 16h40, 18h45, 20h50. Cine Ritz Sul, sala 1: 17h15, 19h20, 21h30. Cine São Mateus, sala 1 (dub): 21h20. Cine Ritz Guarapari, sala (3D/dub): 19h20. Cine Ritz Guarapari, sala 3 (3D): 21h30. Cine Ritz Conceição, sala 1 (dub): 19h, 21h. Multiplex Araújo, sala 4 (3D/dub): 17h30 (exceto terça e quinta), 19h (apenas terça e quinta), 19h30 (exceto terça e quinta), 21h (apenas terça e quinta),21h30 (exceto terça e quinta).

VVVInfância Clandestina

(Argentina, 2011, 112 min). Drama. Direção: Benjamín Ávila. Com Natália Oreiro. Argentina, 1979. Menino vive na clandestinidade com seus pais e o tio. 14 anos. Cinemark, sala 5: 20h50 (apenas terça e quinta).

VVJack – O caçador de gigantes

(Jack the Giant Slayer, EUA, 2012, 113 min). Aventura. Direção: Bryan Singer. Com Ewan McGregor. Releitura do conto João e o pé de feijão. 10 anos. Cinemark, sala 4 (dub): 12h40. Cinemark, sala 6 (3D): 21h. Cinemark, sala 6 (3D/dub): 13h10, 15h40, 18h20. Kinoplex, sala 3 (dub): 13h50, 16h10, 18h50, 21h20. Cinesercla Laranjeiras, sala 3 (dub): 14h20, 18h30. Cine Ritz Sul, sala 2 (dub): 16h40, 18h50, 21h. Cine Ritz Guarapari, sala 2 (dub): 17h, 19h10, 21h20. Multiplex Araújo, sala 4 (dub): 14h30 (exceto terça e quinta), 15h (apenas terça e quinta), 16h45 (exceto terça e quinta).

VVJoão e Maria Caçadores de Bruxas

(Hansel & Gretel - Witch Hunters, EUA, 2012, 83 min). Ação. Direção: Tommy Wircola. Com Gemma Arterton. Quinze anos depois do incidente envolvendo a casa de doces, João e Maria tornaram-se caçadores de bruxas. 14 anos. Cine Ritz Conceição, sala 3 (dub): 21h.

VVMeu namorado é um zumbi

(Warm Bodies, EUA, 2012, 98 min). Drama. Direção: Jonathan Levine. Com Teresa Palmer. Um zumbi se envolve com a namorada de uma de suas vitimas. 10 anos. Cine Shopping Cachoeiro, sala 2 (dub): 21h.

O Espinho no Coração

(L'Épine dans le coeur, França, 2009, 86 min). Documentário. Direção: Michel Gondry. Diante da câmera de seu sobrinho, Suzette revela uma realidade desconhecida de sua família. Livre. Cine Metróplis: 16h (exceto quinta), 19h (exceto quinta).

VVVOs Croods

(The Croods, EUA, 2013, 98 min). Animação. Direção: Chris Sanders. Vozes (no original): Emma Stone e Nicolas Cage. Homem das cavernas precisa atravessar uma paisagem pré-histórica para encontrar um novo lar para a sua família. Livre. Cinemark, sala 5 (3D/dub): 13h, 15h20, 17h50. Kinoplex, sala 4 (3D/dub): 14h20, 16h30, 18h40, 21h. Kinoplex, sala 5 (dub): 13h40, 16h. Cinesercla Laranjeiras, sala 1 (dub): 14h30 ,16h30, 18h30. Cine Via Sul (dub): 19h. Cine Shopping Cachoeiro, sala 2 (dub): 17h10, 19h10. Cine São Mateus, sala 1 (dub): 17h, 19h10. Cine Ritz Guarapari, sala 3 (3D/dub): 17h. Cine Ritz Conceição, sala 3 (dub): 19h. Multiplex Araújo, sala 4 (3D/dub): 15h30. Multiplex Araújo, sala 5 (du): 19h.

VVOz, Mágico e poderoso

(Oz, The Great and Powerful, EUA, 2013, 126 min). Fantasia. Direção: Sam Raimi. Com James Franco. Oz é o dono de um circo mambembe, que tem uma ética um tanto quanto questionável. Transportado para um mundo mágico e desconhecido, ele precisa lidar com a batalha entre três bruxas locais. Livre. Cinemark, sala 8: 13h20. Cine Via Sul (dub): 21h. Cine Shopping Cachoeiro, sala 1 (dub): 18h. Cine Ritz Conceição, sala 2 (dub): 19h.

Tainá - A origem

(IDEM, Brasil, 2012, 80 min). Aventura. Direção: Rosane Svartman. Com Nuno Leal Maia. Tainá resolve encarar um contrabandista de madeira. 10 anos. Cine Jardins, sala 2: 15h (apenas hoje, amanhã e segunda). Vai que dá certo (IDEM, Brasil, 2012, 87 min). Comédia. Direção: Maurício Farias. Com Bruno Mazzeo. Cinco amigos de adolescência se reencontram e percebem que não alcançaram o sucesso planejado. Decide, então, assaltar uma transportadora de valores. 12 anos. Cinemark, sala 2: 14h, 16h, 18h10, 20h30, 22h40. Cinemark, sala 7: 12h50, 15h, 17h10, 19h20, 21h40. Kinoplex, sala 2: 14h30, 16h30, 18h30, 20h30. Kinoplex, sala 6: 13h30 (apenas hoje e amanhã), 15h30, 17h30, 19h30, 21h30. Cinesercla Laranjeiras, sala 4: 14h50, 16h50, 18h50, 20h50. Multiplex Araújo, sala 1: 15h (exceto terça e quinta), 17h, 19h (exceto terça e quinta), 20h (apenas terça e quinta), 21h (exceto terça e quinta)

INGRESSOS Cinemark

Shopping Vitória, Avenida Américo Buaiz, na Enseada do Suá, em Vitória. (27)3324-5973. Segunda, terça e quinta até às 17h: R$ 16 (inteira). Após 17h: R$ 18 (inteira). Sexta, sábado, domingo e feriados até às 17h: R$ 20 (inteira). Após 17h: R$ 22 (inteira). Quarta: R$ 16 (inteira). Sala 3D: segunda, terça e quinta: R$ 23 (inteira); quarta: R$ 22 (inteira); sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 27.

Kinoplex

Shopping Praia da Costa, Av. Carioca, 353, Praia da Costa, Vila Velha. (27) 3350-0007. Sexta a domingo e feriados, até 17h: R$ 19 (inteira). Após 17h: R$ 21 (inteira). Segunda, terça e quinta, até 17h: R$ 15 (inteira). Após 17h: R$ 17 (inteira). Quarta: R$ 15 (inteira). Sala 3D: Sexta a domingo e feriados, por R$ 26 (inteira); segunda, terça e quinta: R$ 23 (inteira); quarta: R$ 22 (inteira). Sessão Descontão: sessões iniciadas até as 14h, aos sábados e domingos, em todas as salas: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia), exceto para as salas 3D. Segunda irresítivel: R$ 8 (inteira), R$ 4 (meia). Sala 3D: R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia). Promoção válida para todas as segundas, exceto feriados.

Multiplex Araújo

mingo e feriados: R$ 11 (inteira/até às 17h) e R$ 13 (inteira/após às 17h). Sala 3D: Segunda e quarta: R$ 10 (preço único). Terça e quinta: R$ 14 (inteira), R$ 7 (meia). Sexta a domingo e feriados: R$ 18 (inteira), R$ 9 (meia).

Cine Ritz Guarapari

Shopping Guarapari. Rua Dr. Roberto Calmon, 140, Centro, Guarapari. (27) 3350-2001. Sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia). Segunda, terça e quinta: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Quarta: R$ 10 (inteira) e R$ 4 (meia). Sala 3D: sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Segunda, terça e quinta: R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia). Quarta: R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia).

Cine Via Sul

Shopping Via Sul. Rua do Cajueiro, Arrais, Marataízes. Mais informações: (28) 3532-2465. Sexta a domingo e feriados: R$ 12 (inteira), R$ 6 (meia). Terça e quinta: R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia). Quarta: R$ 8 (inteira), R$ 4 (meia).

Cine Shopping Cachoeiro

Rua 25 de Março, 33, Centro, Cachoeiro de Itapemirim. Mais informações: (28) 3517-8373. Sexta a domingo e feriados: R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia). Segunda, terça e quinta: R$ 12 (inteira), R$ 6 (meia). Quarta: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Shopping Mestre Álvaro. Avenida João Palácio, 300, em Eurico Salles, Serra. (27) 3211-0237. Segunda e quarta: R$ 8 (meia). Terça e quinta: R$ 13 (inteira) e R$ 6,50 (meia). Sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 15 (inteira), antes das 18h, e R$ 17 (inteira), a partir das 18h. Salas 3D: segunda e quarta: R$ 10 (meia). Terça e quinta: R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia). Sexta, sábado domingo e feriados: R$ 18 (inteira), antes 18h, e R$ 20 (inteira), a partir 18h.

Shopping Sul. Av. Francisco Lacerda de Aguiar, 138, Gilberto Machado, Cachoeiro de Itapemirim. Informações: (28) 3517-8373. Sexta a domingo e feriados: R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia). Segunda, terça e quinta: R$ 12 (inteira), R$ 6 (meia). Quarta: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Cine Jardins

Cine Gama

Shopping Jardins Rua Carlos Eduardo Monteiro de Lemos, 262, Jardim da Penha, Vitória. (27) 3026-8099. Sábado, domingo e feriado: R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia). Quinta e sexta: R$ 14 (inteira), R$ 7 (meia). Segunda, terça e quarta: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). O cinema não trabalha com cartões.

Cine Metrópolis

Ufes. Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras, Vitória. (27) 3335-2376. Todos os dias: R$ 3 (único).

Cinesercla Laranjeiras

Laranjeiras, Serra. (27) 3281-2474. Segunda e quarta: R$ 7 (preço único). Terça e quinta: R$ 8 (inteira/até às 17h) e R$ 10 (inteira/após às 17h). Sexta a do-

Cine Ritz Sul

Av. Getúlio Vargas, 481, Centro, Colatina. (27) 3722-2130. Sexta, sábado e domingo: R$ 10. Segunda, terça e quinta: R$ 8; quarta: R$ 6.

Cine Ritz Conceição

Av. Pref. Samuel Batista Cruz, 2801, Conceição, Linhares. (27) 3264-3566. Terça a quinta: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Quarta: R$ 8 (inteira), R$ 4 (meia). Sexta a domingo e feriados: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Não funciona segunda.

Cine São Mateus

Praça São Benedito, s/n, Centro, São Mateus. (27) 3763-2721. Sexta, sábado, domingo e feriado: R$ 12 (interia), R$ 6 (meia). Segunda, terça, quarta e quinta: R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia).


12

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

13

zig zag

Pensar

zig-zag@redegazeta.com.br - (27) 3321-8516

Coluna Zig Zag

@zigzag_ag

Para ver e ouvir Jerzy Milewski, Aleida Schweitzer e Bruno Descaves apresentam o espetáculo “Ver e Ouvir – Violinos & Marionetes”, dia 13, no no Centro Cultural José Ribeiro Tristão, em Afonso Cláudio, com patrocínio da Fundação Jônice Tristão.

As atrizes globais Tânia Alves e Alessandra Maestrini desembarcam em Vitória na próxima terça, dia 9, para coquetel de lançamento dos 5 anos do Circuito Banescard de Teatro, na Agência Banestes Valores, Enseada do Suá. O anfitrião é o presidente do Banestes, Bruno Negris, que adianta: a edição do circuito 2013 terá apresentações no Sul e Norte do Estado, além da Grande Vitória. Antes de circularem pela festa, Tânia e Alessandra vão se produzir no salão de Walace Menezes.

Save the date!

“Impressões” em fotos O fotógrafo Vitor Nogueira lança seu segundo livro de fotografias, “Impressões”, com prefácio da poeta Elisa Lucinda, dia 24, na Biblioteca Pública Estadual, na Praia do Suá. Na carona do lançamento, o autor aproveita para reeditar sua primeira obra “São Pedro de Itapaboana”, de 1986, com fotos em preto e branco.

Arte.

Aniversário.

ri na África com ha: festa de 3 anos com o tema Safá

aniversariante Maria Eduarda Roc Francis e Jacqueline Rocha com a : PEPÊ turma do filme “Madagascar”. FOTO

a

Leonardo David, Anginha Buaiz e Helder Trefzger: prestigiando a exposição “Rubem Braga – O Fazendeiro do Ar”, no Palácio Anchieta. FOTO: MÔNICA ZORZANELLI

De Monroe a Costello Dica para quem está de malas prontas para São Paulo: a exposição “Framed – Ida e Volta“, aberta ontem, no Museu Brasileiro da Escultura (MuBe). A mostra reúne textos e imagens de 100 atrizes que provaram sucesso em Hollywood, mas não tiveram final feliz na vida real e tornaram-se mitos da cultura pop. Em cartaz até dia 28.

4.

COLABORAÇÃO: TAYNÃ FEITOSA

Exposição 1.

Mariana Holiday e Conceição Matias: mostra de Shirley Paes Leme. FOTO: CACÁ LIMA

Exposição 2.

Hélia Dórea e Marcelo Lima: mostra de Rubem Braga. FOTO: MÔNICA ZORZANELLI

Moda. Alessandra Teixeira e Marcia Salviato: coquetel na Aleixo Neto. FOTO: MÔNICA ZORZANELLI

A versão capixaba do espetáculo teatral “A Casa de Bernarda Alba”, de Frederico García Lorca, com direção de José Luiz Gobbi, estreia dia 13, no Theatro Carlos Gomes. Conta a história de Bernarda Alba, uma matriarca dominadora que mantém as cinco filhas, Angústia, Madalena, Martírio, Amélia e Adela sob vigilância implacável.

ZIG. Flávia Saade embarca no final do mês para Milão para conferir tendência de tecidos. Mas ela acaba de chegar de Miami cheia de telas bordados, cortes metalizados e rendas, que prometem ser hit na moda festa.

ZIG. Carmem Dolores Souto convida para lançamento de sua primeira preview de decoração do ano, dias 9 e 12, com peças dos designers Marcus Ferreira, Paulo Alves e José Marton.

ZAG. A agência de Silvyene Guaitolini assina campanha do aniversário de 20 anos do Shopping Vitória.

ZAG. Paula Boulanger e Larissa Lorenzutti vão visitar ao “Barcelona Bridal Week”, um dos maiores eventos de moda nupcial do mundo.

ZIG. O chef Luciano Victal e o sommelier Marcos Parmagnani convidam para o jantar harmonizado, dia 10, no Bistrô Solarium, Centro, Vila Velha.

Dolce e Gabanna vêm aí Donos dos sobrenomes que ostentam uma das maiores grifes do mundo, a Dolce & Gabbana, que abriu loja no Brasil ano passado, os estilistas italianos Domenico Dolce e Stefano Gabbana vem ao país na próxima semana. No dia 9, eles armam festa em São Paulo, com presença confirmada da modelo Bianca Brandolini.

RENATA RASSELI

@zigzag_ag

Globais na festa de circuito de teatro

ZAG. Professor de flamenco, o espanhol Domingo Ortega ministra aulas de aperfeiçoamento para alunos e professores do estúdio de dança de Giselle Ferreira, entre os dias 13 e 17.

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

DICA DE VIAGEM

VIÑA DEL MAR, CIDADE DE PRAIAS E FLORES Conhecida como “Cidade Jardim”, Viña del Mar vive do turismo e é conhecida como uma das mais belas cidades litorâneas do Chile. Com excelente infraestrutura de hotelaria e gastronomia, tem patri-

#INTERAja com a viagem dos seus sonhos!

3132-7777

(27)

www.intercontinental.tur.br

mônio arquitetônico e histórico bem cuidado e muitos edifícios modernos e luxuosos em sua orla. Com cerca de 330 mil habitantes e a 119 km de Santiago, a cidade abriga anualmente o Festival de La Canción, em fevereiro, e o Festival de Cine de Viña del Mar, em outubro.

1.

ZIG. Fabinho Carvalho e o Grupo Manguerê apresentam o show “Africanismo”, amanhã, na Festa da Penha. ZAG. Danielle Quintanilha assume a presidência da Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional Espírito Santo (ABRH-ES), dia 18, no auditório da Rede Gazeta.

Inauguração. Luciane e José Geraldo da Cunha: em noite de nova concessionária em Belo Horizonte. FOTO: ROGÉRIO AUGUSTO

A Gazeta ouve você e defende os seus interesses. Participe. Este é um jornal para leitores que têm algo a dizer.

LIXO NA PRAIA? DENUNCIE.

Onde você precisar, A Gazeta.

/donaencrencaAG 3321-8625

leia • acesse • participe


Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

passatempo

televisão

HORÓSCOPO ÁRIES

SUDOKU CÂNCER

LIBRA

(20 MAR. A 20 ABR. ) GraçasàLua,suacapacidadede secolocarnolugardosoutros estáemalta.Issolhepermiteentendermelhoropontodevista alheio,aoinvésdeapegar-seàs suasprópriasopiniões.

(21 JUN. A 21 JUL.) ALuaestáemseusignodaconcepçãoeestimulaseuladocaseiroeinteressadonafamília. Aproveiteparamostrar-semais presenteemrelaçãoàsquestões domésticasefamiliares.

(23 SET. A 22 OUT. ) ALua,emseusigno,anunciaum diadeintensamagnetizaçãoparavocê,quepoderecarregarplenamentesuasbaterias.Aproveiteparacuidardaimagemese concentrarmaisemsipróprio.

Dica: alie-se às pessoas em torno de metas comuns.

portamentos extremistas.

Dica: não se sobrecarregue de afazeres e respeite seus limites.

TOURO

(21 ABR. A 20 MAI.) NestafaseaLuaativaasuacasa doserviço,porissofazcomque vocêsintamaiorprazeremajudar osoutros.Vocêtendeaexecutar tudocomespecialboavontadee issonãopassarádespercebido.

— Dica: evite os excessosa ali-

mentares e procure perder peso.

GÊMEOS

— Dica: acautele-se contra comLEÃO

((22 JUL. A 22 AGO.)) Asatividadesculturaiseintelectuais,assimcomotudoqueexija menteaberta,estãosendofavorecidaspelaLua,quelheajudaaraciocinarcomrapidez.Vocêestá emcondiçõesdeaprendermelhor.

— Dica: passeios e viagens

curtas serão estimulantes.

VIRGEM

(21 MAI. A 20 JUN.) Nestesdiassuacapacidadede criareinventarsoluçõesoriginaisparaascoisasestáacentuadapelaLua,quefazcomquevocêsesintadebemcomavidae possadaromelhordesiemtudo.

(23 AGO. A 22 SET. ) ALuamagnetizaseusetormaterialeanunciaumperíodobastante fecundo,noqualvocêpodeexecutarseusprojetosmaisfacilmente. Suaeficiênciaestáemaltaelhe permitesair-sebememtudo.

atravessam uma ótima fase.

para fantasiar e iludir-se.

— Dica: os assuntos amorosos

— Dica: supere a propensão

QUADRINHOS

ESCORPIÃO

(23 OUT. A 21 NOV. ) OtrânsitodaLuaacontecesobre seusetorespiritual,porisso acentuasuanecessidadede transcendênciaefazcomque sejamaisfácilparavocêentenderoladosubjetivodarealidade.

— Dica: suas imagens mentais

tendem a se realizar facilmente.

SAGITÁRIO

Aventura em Nova York Um menino de 9 anos perde o pai no atentado de 11 de setembro em Nova York. Em sua casa consegue uma chave e

São Paulo. Por meio de uma mobilização dos fãs, a banda autorizou a exibição da íntegra da apresentação.

acredita que com ela seu pai deixou uma mensagem. O filme “Tão Forte e Tão Perto” é exibido na HBO hoje, às 22h.

Dica: não se descuide de suas necessidades afetivas.

PROGRAMAÇÃO DE TV

AQUÁRIO

TV ABERTA

(21 JAN. A 19 FEV. ) AsvitalizantesvibraçõesdaLua atingemseuSolnatalefazem comqueafasesejaidealparavocêviversituaçõesnovaserompercomomarasmodarotina. Viajarlhefarámuitobem.

TV GAZETA C4

— Dica: acautele-se contra a

franqueza exagerada.

PEIXES

(22 NOV. A 21 DEZ. ) Anovaposiçãolunarfazcom queestesdiassejamideaispara vocêconfraternizarcomaspessoas.Aproveiteparareavivaros contatosereveramigos.Afaseé excelenteparapensarnofuturo.

(20 FEV. A 20 MAR.) OfatodeaLuavibrardemodotensoparaoSolaconselhavocêaevitarasespeculaçõeseadotaruma atitudecautelosaeconservadora emrelaçãoadinheiro.Nãoqueira daropassomaiorqueaperna.

cia com quem você ama.

nar com quem você gosta.

— Dica: faça planos, de preferên-

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

Show do Pearl Jam na TV O canal Multishow vai exibir, às 21h30, o show do Pearl Jam no festival Lollapalooza realizado no último domingo, em

CAPRICÓRNIO

(22 DEZ. A 20 JAN. ) ALuamagnetizaopontoculminantedeseucéunatal,porisso lhecolocaemevidênciaeprometeumperíododesucessoparavocê.Aproveiteparacriarsólidasbasesparaaçõesfuturas.

— Dica: tenha tato ao se relacio-

O Sudoku é um tipo de desafio lógico japonês. As regras: o jogador deve preencher o quadrado maior, que está dividido em nove grids, com nove lacunas em cada um, de forma que todos os espaços em branco contenham números de 1 a 9. Os algarismos não podem se repetir na mesma coluna, linha ou grid

PALAVRAS CRUZADAS

SAMANTA Alpino

06h05 06h25 06h50 07h15 07h40 08h00 08h30 09h00 09h30 09h40 10h00 12h00 12h50 13h20 13h50 14h40 16h20 18h30 19h20 19h40 20h35 21h15 22h25 23h25 01h20 03h25 03h45

Globo Educação Globo Ciência Globo Ecologia Globo Universidade Ação Gazeta Comunidade Estação Esporte Em Movimento Sitio do Picapau Amarelo Turma da Mônica TV Globinho ESTV - 1ª Edição Globo Esporte Jornal Hoje Estrelas Caldeirão do Huck Futebol 2013 - Brasil x Bolívia Flor do Caribe ESTV 2ª - Edição Guerra dos Sexos Jornal Nacional Salve Jorge Zorra Total Supercine: Pronta Para Amar (Exibição em HD) Altas Horas American Dad Corujão: Atirador

TV EDUCATIVA C2 06h30 07h30 07h45 08h30 09h00 09h30 10h00 10h30 11h00 12h00 12h30 13h00 14h00 15h00 15h30 16h00 17h00 17h30 18h00 18h30 19h30 19h45 20h00 20h30 21h00 21h30 22h00

RECRUTA ZERO Mort Walker

00h45 01h15 01h45 02h15 04h15

MARLY Milson Henriques

04h15 04h30 05h30

Caminhos da Reportagem Programa Especial Reencontro Taxista Empreendedor Bom para todos Opção Saúde Ser Saudável Programa Especial Papo de Mãe TV é Ciência Expedições Alto Falante - Musical Stadium + Ação Conhecendo Museus Eu Sou o Samba Paratodos Animania Espaço Dois Oportunidades Conexão Brasília Documentário Arte do Artista Oncotô Repórter Brasil Musicograma Cine Nacional - Se Segura Malandro Curta TV Oncotô Comentário Geral Segue o Som Doctv - Povos Indígenas O Presente dos Antigos Curta os Curtas - Enfim Sós A Grande Música Via Legal

TV VITÓRIA C6

GERVÁSIO Gilberto Zappa

15

Pensar

SOLUÇÕES

05h00 07h00 08h00 10h00 12h00 13h00 13h30 14h00 14h30 15h00 18h00 20h00 20h30 23h00 01h00

Iurd Nosso Tempo Fala Brasil Especial - HD Esporte Fantástico Balanço Geral Negócios de Sucesso - HD Privilège - HD Vitória Fashion Art Et Decor Cine Aventura: Agente Teen - HD O Melhor do Brasil Jornal da Record - HD O Melhor do Brasil Legendários Programação Iurd

TV TRIBUNA C7

06h00 Chaves 07h00 Sábado Animado

08h30 09h00 09h30 10h00 10h30 12h00

Terra Capixaba Imóveis In Foco Desafios Sabor a Bordo Bozo Tribuna Notícias - 1ª Edição 12h35 Ponto Cult 13h00 Tribuna na Estrada 13h35 Nossa Terra 14h15 Programa Raul Gil 18h30 Aventura Selvagem 19h20 Tribuna Notícias 19h45 SBT Brasil 20h30 Esquadrão da Moda 21h30 Supernanny 22h15 Cine Família 00h00 Cine Belas Artes 02h15 Dois Homens e Meio 02h45 Big Bang a Teoria 03h00 Ataque de Risos I - Elas e Eu 03h45 Ataque de Risos II - Uma Família Perdida no Meio do Nada 04h30 Ataque de Risos III - Um Maluco no Pedaço 05h15 Ataque de Risos IV Arnold

TV CAPIXABA C10

06h00 Igreja Mundial do Poder de Deus 06:50 Popcorn TV 07h00 Shop Mix 07h30 Country & Cia 08h00 Desenhos 08h15 É Tempo de Vitória 08h45 Vitória em Cristo 09h45 Desenhos 10h15 Doutor Saúde 10h35 Desenhos 10h45 Programa Destaque 11h00 Desenhos 11h30 Acontece 12h00 Vitória em Cristo 13h00 Magazine da Liga Uefa 13h30 Zoo 14h00 Band Esporte Clube 15h50 Deu Olé 16h50 Brasil Urgente 18h50 Acontece 19h20 Jornal da Band 20h25 Show da Fé 21h20 Mr. Bean 21h30 Acredite se Quiser 22h15 Top Cine 00h00 Show Business 00h50 Cinema da Madrugada 02h45 Séries 04:00 Igreja Mundial do Poder de Deus

REDETV! ES C18 05h55 07h45 09h15 09h45 10h15 11h15 11h45 12h15 12h45 13h00

13h30 13h45 14h30 17h45 18h15 18h45 19h00 19h45 20h45 21h30 22h00 22h30 23h00 00h30 02h00 02h30 03h00 05h00

Ultrafarma Shop Tour IEBV Ressurreição e Vida Espaço de Arte Celga TV Revista Pop TV Destaque Empresarial Clipes Igreja Família de Baixo da Graça TV Bereana Parceria Sábado Total Parceria Polishop Banco Bomsucesso Companhia de Viagem Amaury Jr. Show RedeTV News ES! News Clipes Tá Gravado Mega Senha Teste de Fidelidade Bola de Neve Parceria Igreja da Graça Parceria

TV PAGA TELECINE PREMIUM (SKY/NET)

16h15 Outback, Uma Galera Animal 17h55 O Retorno de Johnny English 19h55 Contrabando 22h00 E Aí, Comeu?

TELECINE ACTION (SKY/NET)

18h20 Plataforma do Medo 20h00 Solomon Kane - O Caçador de Demônios 22h00 Efeito Borboleta: Revelação 23h35 HDTV - Transformers

TELECINE PIPOCA (SKY/NET)

16h15 17h55 20h00 22h00

O Fada do Dente 2 Roubo nas Alturas Sem Saída Histórias Cruzadas

TELECINE CULT (SKY/NET) 16h05 17h40 19h30 22h00

Palavras Cruzadas A Marca Rubra Che A Caldeira do Diabo

Flor do Caribe TV GAZETA, 18H30

Amaralina avisa a Duque e Cassiano sobre a presença do avô no Brasil, e resolve dividir a cabine do navio com eles. Juliano leva um peixe para Natália. Ester discute com Dionísio por ele não aceitar que William brinque com seus bisnetos. Alberto manda Hélio se entender com o sindicato dos mineiros que foram demitidos. Taís tenta convencer Ester a esquecer Cassiano. Quirino pede satisfações a Dionísio sobre o modo como ele tratou William. ¦

Salve Jorge

Guerra dos Sexos

TV GAZETA, 21H15

TV GAZETA, 19H40

Theo pede para Lívia nunca mais procurá-lo. Lívia diz a Stenio que foi agredida por Theo e o denuncia. Helô questiona Theo sobre seu envolvimento com Lívia. Rosângela marca encontro com Vanúbia. Érica e Áurea recebem a intimação para Theo. Barros avisa a Morena que ela se encontrará com Theo. Sarila encontra algo na manta de seu neto e fica intrigada. Theo não consegue contar para Érica que esteve com Lívia e decide dormir no regimento. ¦

Zenon entrega a Dominguinhos a taça preparada para ele. Nando não aceita morar no apartamento de Juliana. Dominguinhos consegue trocar sua taça. Roberta leva Felipe para dançar. Nando chega à casa de Ulisses e se surpreende ao encontrar Analú. Dominguinhos finge estar tonto e Zenon, Charlô e Olívia o observam. Roberta deixa Felipe em casa. Nando chega ao apartamento de Juliana e os dois fazem as pazes. ¦

GNT (SKY/NET) 21h30 22h59 23h00 23h30

Chico Buarque: Vai Passar Momento Beleza Paixão Bandida Downton Abbey

apresentam:

MTV (SKY/NET/TVA)

20h00 Video Collection Christina Aguilera 21h00 Video Collection - Kanye West 22h00 Video Collection - The Cure 23h30 Catfish

HBO (TVA/NET)

18h53 HDTV - Comer, Rezar, Amar 21h25 Festival de Cine Berlín 2013 22h00 HDTV - Tão Forte e Tão Perto

CINEMAX (SKY/NET) 15h15 16h45 18h45 21h00 23h15

Crimes Premeditados Carlos - Parte 1 Carlos - Parte 2 Carlos - Parte 3 Inferno Sobre Rodas

TNT (SKY/NET)

15h50 Desafio do Destino 18h10 Doze Homens e Outro Segredo 20h25 O Segurança Fora de Controle 22h00 Agente 86

classificação

14

WARNER CHANNEL (SKY/NET)

15h00 Alguém Tem Que Ceder 17h40 Os Queridinhos da América 19h50 Dizem Por Aí¿ 22h00 Ele Não Está Tão a Fim de Você

$25

SONY (SKY/NET) 18h00 19h00 21h30 23h30

Breakout Brasil 2 Filhos de Francisco O Menino da Porteira American Idol

DISCOVERY KIDS (SKY/NET)

21h30 22h00 22h30 23h00

Hi-5 Austrália Backyardigans Bob, o Construtor Caillou

ANTECIPADO*

Produção: Promoção:

Produção:

Apoio Cultural:

Realização:

Vendas:

Lojas Dacasa Financeira Café Bamboo - Praia do Canto Loja Billabong - Shop.Vitória Focas Surfshop - Shop. Praia da Costa internet: comedianaestrada.com.br

Informações:(27)9902-3777


16

Pensar

A GAZETA VITÓRIA, SÁBADO, 6 DE ABRIL DE 2013

artigo por ISABELLA MUNIZ BARBOSA

O PÔR DO SOL NA PAISAGEM DE ANCHIETA As imagens da paisagem de Anchieta exercem o fascínio singular de reparação dessa cultura acelerada dos tempos modernos que cerca a vida por todos os lados ISABELLA MUNIZ BARBOSA

O

observador tem um papel ativo na percepção do mundo e uma participação criativa no desenvolvimento de uma determinada imagem. Dessa forma, as paisagens acham-se carregadas de informações, que, por sua vez, dependem da capacidade perceptiva do observador. Certa vez, haviam-me questionado sobre o porquê de ressaltar uma bela composição do pôr do sol de Anchieta em uma tese, pressupondo uma visão “romântica” da paisagem. Há forma de ver a paisagem sob determinado ângulo que deva ser preponderante? Considero que, na autonomia do olhar, resida a força e a liberdade. A essa ideia eu não poderia sucumbir. Para esta reflexão, retomar alguns conceitos de paisagem para focar o seu conjunto em escalas apropriadas, acolher o individual e o coletivo, a razão e a emoção. Dependendo do âmbito de análise a que esses conteúdos são submetidos, a abordagem sobre a paisagem pode ser similar, complementar ou mesmo divergente. Mas, para descobrir a “alma” da cidade, para ver as ruínas como as do Rio Salinas, que suscitam mistérios e que manifestam a essência do lugar, é preciso recorrer a um longo caminho labiríntico de acidentes históricos, nem sempre explícitos.

O tempo e os jogos de memória, que combinam com as tradições do lugar, poderiam evocar a ilusão fugidia de que o passado ainda pudesse estar de alguma forma vivo. Seria esse o segredo de Anchieta – que, por detrás das suas edificações nem tão suntuosas voltadas para o rio e o mar, suas águas sublimes, esconde-se uma teia frágil e elegante? Na simplicidade de seus moradores, uma cidade rica em gestos cotidianos? É possível perceber o pitoresco no silêncio das pequenas ruelas próximas ao porto com suas casas antigas degradadas, sugerindo uma história, assim como o pequeno porto com os inúmeros registros dos imigrantes italianos que por ali passaram e subiram o Benevente? A beleza que eu vejo no Santuário de Anchieta não é por nenhuma excepcionalidade de sua arquitetura religiosa, mas pela harmonia de sua composição: a praça; o conjunto igreja e residência; a vista da paisagem tanto para a baía do Benevente como também para o mar; a escadaria que liga o Santuário à baía, indicando um percurso do cotidiano jesuítico. Tudo isso forma um conjunto que, mesmo quatrocentos e cinquenta anos depois de sua construção, ainda se impõe na paisagem, como no primeiro momento. A partir dessa reflexão, passei a me sentir profunda-

mente conectada à paisagem de Anchieta, porque ela me oferecia uma visão e uma compreensão mais profunda do que qualquer coisa que eu poderia apreender formalmente na academia. No limiar de transformações a serem empreendidas na microrregião Sul, especialmente em Anchieta, importa perceber como os instrumentos de imposição do comportamento social desejado podem influir numa espécie de cenário desejável e aceito pela comunidade. Vale, então, retomar o pensamento de Hannah Arendt que nunca se distanciou dessa visão fundamental do mundo: “A eternidade é o que pensamos, mas é enquanto ‘mortais’ que [a] pensamos”. Nosso pertencimento ao mundo consiste em saber que somos mortais e que tudo deverá prosseguir, apesar da revolução industrial e da bomba atômica. O que interessa para Arendt é a maneira pela qual nos inserimos no mundo: “Embora todos comecem a vida inserindo-se no mundo através do discurso e da ação, ninguém é autor ou criador de sua própria história”. O que a autora quer dizer é que não temos nenhum domínio sobre o mundo, e, muito menos, sobre a nossa condição diante dele. O olhar gerado pelas condições históricas que atualmente se apresentam no mundo é, constantemente, invadido por um olhar que,

cada vez mais, encontra como foco os objetos técnicos os quais se tornam imperativos a outros olhares, sejam eles desiderativos, sejam nostálgicos. Com base no pensamento filosófico de Arendt, poderíamos afirmar que o desejo de perpetuação de uma paisagem é, no mínimo, em vão? Então, como não ser dela espectador? Não um mero espectador passivo, mas cúmplice. Uma cumplicidade que impõe restabelecer um sentido de cognição entre paisagem, lugar e imaginário. E, nessa cumplicidade, o exercício da responsabilidade política e social para com ela. De qualquer modo, a esperança é que ainda perdure, sim, o olhar dos solitários, dos viajantes, dos artistas e dos poetas sobre a paisagem. As imagens da paisagem de Anchieta, em especial a do pôr do sol, exercem sobre mim e, certamente, sobre os demais moradores do lugar o fascínio singular de reparação dessa cultura acelerada da vida moderna que nos cerca por todos os lados... Isso – a reflexão sobre o pôr do sol – é o que, mais tarde, eu reconheceria como uma melancolia, enfim, uma fuga para aquilo que considero o vínculo substancial entre homem e natureza.

Caderno pensar Abril 2013  

Suplemento Cultural

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you