Issuu on Google+

FEVEREIRO 2011

O JV oferece nesta 2.ª edição de 2011 um pequeno livrete, como suplemento, que assinala o 2.º aniversário do JV, com vários depoimentos!

Director ANDRÉ RUBIM RANGEL AVULSO €1,40 | ASSINAT. €13 “(re)Acção com nobre missão”

PARANHOS - PORTO

Baptista

Baptista

ReEncontro nacional de Jovens no Porto, no espírito de Taizé p. 3

Periódico Mensal |ANO III | N.25

Galardoados JV ‘Mérito & Carreira’ juntos no 2.º aniversário JV Para além das presenças de Ruy de Carvalho (Prémio 2010) e Manoel de Oliveira (Prémio 2009) estiveram também no Sarau cultural solidário outras personalidades, tanto para entregar os Galardões como para receber. Destacam-se: Albano Martins, Artur Santos Silva, Hélio Loureiro, Jardim Moreira, José Marques dos Santos, Júlio Cardoso, Luís Braga da Cruz, Manuel Pizarro e Miguel Veiga. (ver/ler livrete suplemento)

Sangue: Norte com auto-suficiência Reportagem sobre os dados recentes do Centro Regional do Porto do IPS. Embora haja sangue a mais para as actuais necessidades, a solidariedade cívica reafirma-se.

Reencontro de antigo Grupo de Jovens após 40 anos afastado!

Nuno Camilo analisa o Porto de ontem, de hoje e do futuro!

p. 5

p. 8

Cônsul de Moçambique apresenta Comunidade do Porto p. 9

p.10

Cândido Barbosa e António Pires de Lima, dois convidados desta edição! p.12 e 16


Torne-se amigo do JV no Facebook

02/

local

Ficha Técnica 915 416 747 220 113 159 (SÓ FAX) jornal.veris@gmail.com Jornal VERIS; Rua do Coronel Almeida Valente, 79; 4200 Porto.

http://jornalveris-jv.blogspot.com http://twitter.com/JornalVERIS. www.youtube.com/jornalveris.

ADMINISTRADOR: Ant.º Manuel Martins. DIRECTOR E REDACTOR PRINCIPAL: André Rubim Rangel - ARR (CP 8286). FUNDADORES: ARR e AMM. DATA DE FUNDAÇÃO: 24/01/2009. EDITOR: Paróquia de S. Veríssimo de Paranhos (Porto). PROPRIEDADE: Comissão Fabriqueira. CONSELHO CONSULTIVO: Agustina Bessa-Luís, Artur Santos Silva, Daniel Serrão, Dom Duarte de Bragança, Germano Silva, José Azeredo Lopes, José Marques dos Santos, D. Manuel Martins, Miguel Veiga e Ricardo Jorge Pinto COLUNISTAS: Albano Martins, Ant.º Manuel Martins, António Oliveira, Benedita Rangel Valente, Daniel Serrão, Direcção do IPATIMUP, Domingos Paciência, Emílio Rui Vilar, Executivo da JFP, Fernanda Freitas, Francisco Cunha, Guilherme Sousa, Hélio Loureiro, Isabel Pires de Lima, Jardim Moreira, Jerónimo Ferreira, José Pinheiro, José da Silva Peneda, José Souto de Moura, Luís Braga da Cruz, Manuel Pizarro, Maria Botelho, Maria Helena Costa, Maria Rosa Silva, Miguel Cunha, Rui Moreira, Sónia Araújo, Vítor Hugo e D. Ximenes Belo. REDACÇÃO /SECRETARIADO: Mizé Matos. COOPERADORES: Alcina Ferreira (z.9), António Oliva (z.11), José de Azevedo (z.10), José Pinheiro (z.8), Liliana Coelho (z.1;3), Manuel Madureira (z.4-6), Manuel Oliveira (z.7) e Mariete Valente (z.2). TESOUREIRA: Sara Sousa. CONSELHO PERMANENTE: ARR, Liliana e Manuela Coelho, Mizé Matos e Sara Sousa. TRATAM. FOTOGRÁFICO: Álvaro Santos. FOTOGRAFIA: Agência Lusa, ARR, Liliana Coelho (LC), MJM e ‘sxc’. REPROGRAFIA: Emília Sousa. RESP. BLOGUE JV: Liliana Coelho. RESP. FACEBOOK JV: Mizé Matos. RESP. TWITTER JV: ARR. EXPEDIDORES: Fátima Jorge, Manuela Coelho, Paula Quelhas, Paula Viela, Pedro Viela e Tereza Oliva. MEDIADORES: Álvaro Santos, Custódia Valente, M.ª Rosário Rangel e Luísa Sousa. IMPRESSÃO: Artes Gráficas ‘Júlio Ramos & Filho, Lda’ (Baguim do Monte).

BENEMÉRITOS: ANTÓNIO MESQUITA, BEATRIZ GONÇALVES, BEATRIZ GUIMARÃES, JOÃO MESQUITA, JOSÉ MÁRIO LOPES, MANUEL GONÇALVES ROSAS, MARIA M ADALENA COUTO, MIGUEL VEIGA, NÉLSON PICÃO E PAULA QUELHAS. BENFEITORES: AGRUP. CNE 1104, ALCINA FERNANDES, ANA MARIA PRÍNCIPE, ANA PRATAS, ANTERO MELO, ANTÓNIO AMORIM, ANTÓNIO LOPES, ANTÓNIO MAGALHÃES, ANTÓNIO OLIVEIRA, ANTÓNIO RAMOS, AVENTINO DE OLIVEIRA, CARLOS AMARAL, CARLOS GONÇALVES, DELFIM GONÇALVES, DOMINGOS SOARES, EDUARDO TAVARES, ERMELINDA CHIBANTE, ERNESTO RANGEL, FÁTIMA DIAS, FERNANDO SEQUEIRA, FELISBERTO TEIXEIRA, FERNANDO SOUSA, FRANCISCO RIBEIRO, HORÁCIO TEIXEIRA, ILDA COSTA, JAIME LOPES, JOÃO BAPTISTA, JORGETE COSTA, JOSÉ AMORIM, JOSÉ PINHEIRO, JOSÉ PAULO PINHEIRO, JOSÉ DE VASCONCELOS, JÚLIO MACEDO, LICÍNIA SOARES, LILIANA COELHO, LUÍS SILVA, MANUEL OLIVEIRA, MANUELA C. SILVA, M.ª ALICE CABRAL, M.ª ARMANDA SILVA, M.ª CÂNDIDA COELHO, M.ª MANUELA LOPES-CARDOSO, M.ª MANUELA SOARES, MARÍLIA ALVES, MIGUEL CUNHA, MIQUELINA NOGUEIRA, PAULA VIELA, SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE GAIA, SARA LARANJEIRA, TEREZA OLIVA, UNIV. SÉNIOR CONTEMPORÂNEA, VICTOR SEABRA E VÍTOR MONTEIRO. PARCEIROS: AOSL, Fund. Pro Dignitate, JFP (Junta de Freguesia de Paranhos), Hotel Infante de Sagres, IPATIMUP, Parque Biológico de Gaia, Park & Zoo St. Inácio, Teatros Rivoli e Seiva Trupe, Unicer S.A. e Univ. Fernando Pessoa. PERMUTAS: Jornais ‘As Artes Entre As Letras’ e ‘Grande Porto’; Revistas ‘Cultura e Fé’ (Porto Alegre -Brasil) e ‘Família Cristã’.

CARACTERÍSTICAS

Periodicidade: Mensal; N. Pág.: 16. Tiragem: 600 ex.; Formato: A3. NIPC: 502 022 043; Sócio AIIC: n. 268. Registo ERC: n. 125599 (Regional). Depósito Legal: 287693 /09. NIB: 0036 0127 99100027318 75. Horário de Atendimento da Direcção: Sábados = 9h30 às 12h15; Domingos = 9h30 às 10h15. Preço Avulso: €1,40.

Assinaturas: Normal= €13; Benfeitor = ≥ €25; Benemérito = ≥ €50. Publicidade: €120 /ano - tamanho base = 5x4cm (tam. superiores proporcionais ao ‘base’: €240, €360,…).

Agenda Paroquial > FEV. < dia 16 - Reunião do Grupo de Casais, 21h30.

dia 19 - Eucaristia vespertina (19h) animada pelo Agrupam. CNE.

dia 20 - Adoração Eucarística, Campanha “Rogai pelas Vocações”, 15h. Reunião aberta com peregrinos à Terra Santa, 16h, no Patronato.

Nova Esperança

Augúrios Pároco de Paranhos

P. Ant.º Manuel Martins, CM

Não são fáceis os dias que vivemos! Por toda a parte se houve falar da crise e como ela afecta o bolso e a vida não só dos portugueses, mas também de outros povos. No entanto, estas dificuldades económicas que agora começam a fazer-se sentir em nós e à nossa volta, também são uma boa ocasião para pensar e reflectir. O que correu mal, porquê tudo isto, que política e que políticos, aonde nos conduziram os cantares de sereia das facilidades a todos os níveis. Estamos perplexos com a realidade à nossa volta e porque mais conscientes começamos a fazer análises e diagnósticos da realidade e das causas que provocaram esta situação.

Afinal, mais do que uma crise económica ou financeira vivemos uma

crise de valores e se o dinheiro ou o capital não nos deram a segurança e a felicidade que esperávamos é bom que nos voltemos para o que realmente é importante e que ao longo dos séculos foi construindo os alicerces do que é a nossa civilização: Deus, a religião, a família, a pátria, o evangelho.

Porquê

dia 21 - Reunião de Cursistas, 21h30.

O

dia 23 - Reunião Cons. Pastoral Paroquial, 21h30.

dia 24 - Reunião das Zeladoras do A.O.

dia 25

Memorial

- Reunião da Comissão Fábrica da Igr., 21h30.

dia 26

e para quê tantos

divórcios, que educação nas escolas e nas famílias, porquê tantos divórcios, porquê tantas depressões e doenças do foro psicológico e psiquiátrico, porque o abandono das igrejas e das salas da catequese, porquê?

„sxc‟

COLABORADORES NESTE NÚMERO: AMM, António Pires de Lima, Benedita de Rangel Valente, Cândido Barbosa, Carlos Manhiça, Daniel Serrão, Fernando Amaral, Guilherme Sousa, Hélio Loureiro, Isabel Pires de Lima, Jardim Moreira, D. João Miranda, José Souto de Moura, Maria João Ferreira, Maria Rosa Silva, Marília Teixeira, Miguel Veiga, Nuno Camilo, Paula Silva, Rui Moreira, Sara Sousa e Valter Valdevez, D. C. Ximenes.Belo.

Nova data de saída mensal do JV... Informa-se todos os Assinantes e Leitores que com este novo ano 2011 cada edição do JV passará a sair no fim-de-semana a meio de cada mês, e não no início!

Doméstica e Membro do A.O.

Maria Rosa Silva

cristão é feito para a

esperança, não para o desânimo; para a alegria, não para a tristeza; para o sacrifício, não para o laxismo e a facilidade; para a vitória, não para a derrota.

“a confiança em Deus há-de ser o motor da nossa luta diária pelo pão de cada dia, pela paz e pela justiça.”

É tempo de ouvir a voz dos profetas que nos chamam a voltar, a regressar, à conversão, à comunhão com Deus e com os irmãos. A confiança em Deus há-de ser o motor da nossa luta diária pelo pão de cada dia, pela paz e pela justiça.

Sejamos os primeiros a aderir

a este projecto de esperança e confiança no Senhor. A nosso exemplo outros poderão regressar e dizer que valeu a pena.

O fumo/fumeiro

- Noite de Fados na Cripta, 20h.

dia 28 - Oração de Taizé no Centro de Convívio, 21h30.

> MAR. < dia 1 - Adoração Eucarística na Oração do R.C.C., 21h30.

Em geral a fogueira era feita

Nota: agradecemos à direc-

Fevereiro, continuando o frio. São os meses em que se fazem a matança do porco. Como eu recordo, com saudades, as chaminés das quintas da nossa paróquia. Pois delas saía fumo forte e muito, muito azedo, o qual se espalhava pelo ar. Mas, todo este fumo tinha uma função: fumar os salpicões, as chouriças e os presuntos, pois tudo isto era fumado com rama de pinheiro verde.

da parte da tarde. Quando chegava da escola ia ver se tinha de colocar mais rama verde, para que o fumo continuasse a cercar todo o fumeiro, o qual era preso a determinada altura; as chouriças eram enfiadas em paus, mais os salpicões, os presuntos presos em arame e dependurados. Depois de bem fumados eram deliciosos.

ção do Jornal VERIS a homenagem prestada e a todos que nos acompanharam nesta grande dor; ao senhor Padre Martins, à D. Zaida e senhor João. Muito e muito obrigada, da família Silva!

L e ge nd a Íco n e s JV

O Jornal VERIS salvaguarda a identificação correcta dos artigos publicados, que são, por sua vez, da autêntica responsabilidade dos respectivos autores. O JV tem o direito de seleccionar os textos recebidos decidindo o que publicar, mediante os critérios editoriais e estatutários. Deste modo, tem também autonomia de, porventura, cortar partes de texto, caso ultrapasse o tamanho previsto. Quanto aos Pagamentos, quando feitos por cheque, emitam-se à ordem de: Jornal VERIS; e, se transferidos via bancária, façam-se acompanhar do talão comprovativo com o nome do/a Assinante.

Findou

Janeiro e começou

ND: A oração e amizade fraternas, presentes neste momento peculiar, não precisam de agradecimentos. Ficamos satisfeitos por retomar agora a escrita nesta rubrica que assina.

dias 5 - 7 - ReEncontro de Jovens de Taizé. Acampamento do Agrupam. CNE.

dia 12 - Celebração Cinzas da Catequese, na Cripta, 10h30.

Fevereiro.2011

Estes 5 ícones identificativos JV facilitam a percepção do género da rubrica.

Campanha/ /Concurso

Entrevista

Informação

Opinião

Reportagem

In sta nt es I . JORNAL VERIS

NOVOS ASSINANTES... PORTO: Dr. Miguel Veiga (benemérito €50) e Obra Diocesana de Promoção Social (Serviços Centrais; Centros Sociais do Carriçal, Regado e S. Tomé).


local /03 Renovação de Assinaturas JV 2011/11 O Jornal VERIS para subsistir de muito vive da assinatura anual, pelo que solicita a devida regularização da mesma a quem a tenha em atraso. Obrigado!

Canto de Janeiras 2011 rendem uns € 300 Para além da permanência e do activar da tradição natalícia, a Paróquia de Paranhos continuou esta iniciativa cuja receita reverte para a construção da nova igreja.

Re A cr e dita r. . . DE S TAQUE S J V NA R E DE YO U TU BE T O DO S O S ME SE S , C O M P E R S ONALI DA DE S

SEGUNDO ANIVERSÁRIO JV

“Depois de ter examinado este numero do Jornal VERIS, aliás bem apresentado e bem calibrado, o meu critério permite-me fazer os seguintes destaques. Logo à cabeça a festa de aniversário segundo ano do JV. O aniversário é um dia de lembrança e aqui e muito justamente o Jornal VERIS celebra-se a si próprio recordando os dois anos da sua existência.

EDITORIAL: A POBREZA… O segundo destaque que faria vai para um artigo que funciona como editorial de André Rubim Ran-

“esta arqueologia dos deveres é essencial para o verdadeiro fundamento de uma sociedade democrática”

TAI Z É e m Par an ho s . .. R eE N C O NTR O ’ 11

gel, sobre a pobreza. Pobreza que hoje em dia já muito nos atormenta, já muito nos faz pensar. Pobreza que é sofrida cada vez mais por mais Portugueses e que apela ainda, portanto, ao nosso sentido de solidariedade. É nestas ocasiões e situações que se pode testar e revigorar aquilo que é o nosso tecido social e a chamada coesão nacional.

DIREITOS E DEVERES Dentro dessa mesma toada faço também destaque para os direitos e deveres sociais de um belo artigo de Maria de Belém Roseira, com particular relevância para uma questão que hoje em dia é posta no plano não só da sociologia mas no plano

youtube

Conselheiro Miguel Veiga apresentou n.º de Janeiro propriamente politico e também da solidariedade ou da fraternidade e, necessariamente, do novo “aggiornamento” da democracia que é o campo dos deveres. Se a democracia nos trouxe o exercício dos direitos, muitas vezes, e entre nós, se esqueceu do cumprimento dos deveres. E sobretudo esta arqueologia dos deveres é essencial para o verdadeiro fundamento de uma sociedade democrática. A cada direito corresponde um dever e é essa prática, sobretudo dos deveres, que deveria imperar. Portanto, toda a pedagogia e a divulgação que possa ser feita nesse sentido é de aplaudir e está no cerne da nossa modernidade cultural.”

Ro sto F ir m e . . . R E LAT ÓR I O C ON TAS JV

MJM

No 1.º aniversário!

JOVEM! Inscreve-te (apenas € 15) preenchendo a Ficha respectiva, disponível no facebook ou solicitada por email, e enviando-a para o email indicado. Participa! Valerá a pena!

paranhos.taize@gmail.com

Não desperdices esta oportunidade de, uma vez no ano, poderes viver de forma compacta e intensa uma experiência única, através de momentos recreativos (jogo de futebol, passeio de barco, convívio) e espirituais (oração, celebração, reflexão e partilha). Passa connosco esses dias de 5 a 7 de Março, pois valerão bem a pena. Não duvides! mail: jornal.veris@gmail.com


04\local Campanha “Assinante puxa Assinante!”

D. Manuel Martins faz destaques de Fev.

Somos ainda poucos Assinantes para o que poderíamos, deveríamos e quereríamos ser! Desafia-se cada Assinante a inscrever alguém, ganhando Prémio!

Depois de Miguel Veiga, na edição de Jan., cabe ao Bispo Emérito de Setúbal, Conselheiro Consultivo JV, apresentar este número no canal Youtube JV...

Retr o sp ect iv a de Paranhos, do Outeiro e Colónia Manuel Laranjeira.

| texto: M.M. |

Como foi o mês de Janeiro na Ig. de Paranhos?

DIA 6 Foi o primeiro funeral do ano, com a morte da D. Aida Santos, de 75 anos de idade, que foi a Tesoureira do Apostolado da Oração.

DIA 8 O nosso Agrupamento de Escuteiros realizou o seu Jantar de Reis com muita e boa participação no Centro de Convívio.

DIA 9 Foi um domingo em cheio. De manhã os alunos do 4.º ano tiveram o seu ritual de entrega da Bíblia. Foi uma cerimónia muito bela com a participação activa dos pais, na missa das 10h30. À tarde, às 15h, o nosso Grupo Coral deu um Concerto de Reis na nossa Igreja, apresentando peças a quatro vozes, algumas delas da autoria do ensaiador e organista Pedro Albuquerque. Logo a seguir realizou-se a Festa Doce na sala do Patronato da Igreja.

Todos os meses fica aqui uma retrospectiva do que aconteceu ou na Paróquia de Paranhos ou em actividades diocesanas onde Paranhos também se tenha feito representar…

DIA 10

DIA 1

Reuniu-se o Grupo de Leitores, para tratar assuntos práticos da Escala dominical e algumas normas e regras de leitura ante o microfone.

Dia de Ano Novo. À tarde realizou-se o primeiro baptismo do ano.

DIA 2 Primeira segunda-feira do mês: realizou-se no Centro Pastoral de Paranhos a primeira reunião de catequistas do ano civil.

DIA 12 Primeira reunião do ano do Grupo de Casais da Paróquia.

DIA 14

DIA 5

Reuniu-se pela primeira vez a nova Comissão da Fábrica da Igreja

Conforme o programado, cantaram-se as Janeiras no Bairro Velho

para um primeiro ponto da situação e se receberem os novos elementos.

DIA 15 Foi o primeiro casamento do ano: Manuel Pereira e Ana Carolina Costa. À noite cantaram-se Janeiras desde a Igreja pelo Campo Lindo, Covelo e Vale Formoso, terminando nas Irmãs do Bom Pastor e na esquadra da Polícia.

DIA 27 As Conferências Vicentinas de Paranhos parecem duas mas são uma só, embora trabalhem e reúnam separadamente. Mas 4 vezes por ano há uma reunião conjunta para conjugar a unidade. Assim aconteceu neste dia, para se analisar como decorreu o Bodo de Natal dos pobres e conversar sobre o fundo social solidário da Igreja Católica.

DIA 29

DIA 16 Na missa das 12h tomou posse a Comissão da Fábrica da Igreja. Após a cerimónia recolheram-se as assinaturas para as actas. À noite cantaram-se Janeiras desde a Igreja pela Delfim Maia, Leonardo Coimbra, Amial e Arca d‟Água.

DIA 17 Foi a primeira reunião de Cursistas do ano, no Centro Pastoral. Todas as quintas-feiras há ultreia no Seminário do Vilar.

Decorreu no auditório da Universidade Fernando Pessoa o Sarau Cultural Solidário para celebrar o 2.º aniversário do Jornal VERIS. O cartaz com presenças bem apelativas bem mereceria mais adesão da parte do público. No entanto aí estiveram altas entidades do mundo da cultura e da política tais como o cineasta Manoel de Oliveira, os actores Ruy de Carvalho e Júlio Cardoso, o banqueiro Artur Santos Silva, o jurista Miguel Veiga e o Secretário de Estado da Saúde, Manuel Pizarro, entre outras personalidades.

DIA 31

DIA 23 Foi o primeiro almoço-convívio em prol da nova Igreja. Pouca gente mas muito agradável. Era dia de eleições presidenciais.

DIA 24 Celebrou-se com grande solenidade o 2.º aniversário do Jornal VERIS. Presidiu D. João Miranda, Bispo auxiliar do Porto. No decorrer da celebração recebemos oficialmente a relíquia de São Veríssimo que exposta à veneração dos fiéis por todos os presentes foi tocada.

Nesta última segunda-feira do mês decorreu mais uma Oração à maneira de Taizé. Estava muita gente jovem a rezar, a cantar e a meditar. No final falou-se sobre a actividade para o Carnaval a lembrar o Encontro de há um ano que trouxe milhares de jovens ao Porto e alguns foram acolhidos pelas famílias de Paranhos. O convite para estes dias de “Re-Encontro” dirige-se especialmente a estes que por cá estiveram, e também a todos os outros interessados, pedindo-se que se inscrevam quanto antes (até 20 Fev.).

Nova Comissão Fabriqueira A Fábrica da Igreja é constituída pelas seguintes pessoas: P. Manuel Martins - Pároco e Presidente PUB

José Mário Lopes - Vice-Presidente

(1.ª foto)

Maria Marinho - Secretária José Manuel Vieira Alves - Tesoureiro Ana Maria Silva - Vogal para auditoria (2.ª foto) Alberto Elói Santos - Vogal assuntos jurídicos João Parada - Vogal obras e património Manuela Santos - Vogal angariação de fundos

Junta de Freguesia de Paranhos Rua Álvaro de Castelões, 811/831; 4200-047 Porto

PUB

Tel. 225020046 Fax 225503714

www.jfparanhosporto.org

Fevereiro.2011

Av. 5 de Fevereiro, nº 23 r/c; 1050-047 Lisboa ; tel: 213 551 127


local /05 2.º aniversário JV: Ligeiras mudanças na apresentação, bem como inserção de novas rubricas… Sinais de jovialidade, inovação e criatividade são estes que o JV quer imprimir num ano renovado de publicação, pretendendo tornar-se assim mais aprazível do leitor. Daí que mensalmente uma distinta cor predominante nos ajudará a respirar mudança e energia. Quanto às rubricas, surgem: “ComUnidade Consular” (p.9) e “Actualidades” (p.16). Outras se preparam.

Nós por Aí... ...Editorial Jornalista e Professor

André Rubim Rangel

Acções vs. Palavras

“O que conta não é aquilo que se possa escrever, mas aquilo que daí se possa viver!”, escrevi em tempos (quis reaver agora).

O professor ou pedagogo, de há uns anos para cá, tornou-se pro-

fissão de risco: é alvo de alunos mais agressivos e conflituosos. E o que se faz para contrariar tudo isto, que dantes era excepção e agora é regra? O papel a aurir em tal situação é mediar e orientar, implementando estratégias de serenidade, confiança e motivação, mesmo em momentos de descontrolo e tensão.

Ninguém está “desligado” da sua história. Fazemos a nossa pró-

pria história, com a ajuda dos que nos rodeiam e nos amam. Quem somos sozinhos? Ninguém. Fomos criados para amar todos e mais alguém. Não se ama o nada e a solidão, que não são livres. Só ama quem é livre, só é livre quem tem regras e como regras tem os Valores e Direitos Humanos. E no lanço da história de cada ser cria-se o balanço da História local, nacional e/ou universal, porque partilhada de episódios, recordações e experiências comuns. Há muitos filhos ou alunos de especialistas que não são “especialidade” alguma. Nem sempre «filho de peixe sabe nadar». Não basta ser filho/a, apesar do mesmo sangue e hereditariedade, para poder ter as mesmas aptidões e aspirações/

inspirações do pai ou da mãe. É preciso ensinar e educar. Há coisas que não basta olhar e/ou ver uma vez e já está. “Mais do que dar um peixe é preciso ensinar a pescar”. A sabedoria de vida, com qualidade e simplicidade, baseia-se nisto.

Quanto à pedagogia vai-se adquirindo: não seja utópico ao querê-

la logo de uma só vez. Aprende-se e conquista-se com o tempo. Exige, naturalmente, exercício interior e diário. As coisas mais importantes não se aprendem verdadeiramente nos livros, nas aulas, nem em conferências... Passam de pessoa para pessoa, através de exemplos de vida. A única forma de um pai ensinar um filho a ser honesto consiste em ele mesmo ser sempre honesto. Assim, não precisará sequer de usar palavras, já que são, inúmeras vezes, um “revestimento estéril” e uma forma de “pela boca morrer o peixe”, quando correspondem a um cavado falso e sem eco. Tantas que fazem rir, tantas que conseguem ferir e tantas que não levam a aferir onde realmente devem ir, sem provir do enganar ou fingir…

Quando as palavras deixarem de ser fúteis, condizentes com as

acções úteis e fiéis, então ensinarão com naturalidade, porque vivem aquilo que ensinam: “não pensam que estão a fazer algo de extraordinário”.

a GRU P a ndo . . . R E E N C ON TR O DE UM A N TI G O GR UP O DE J OVE N S AP ÓS 4 0 AN OS AFA S TA DO Ermelinda Sousa

| texto: Marília Manuela de Bessa Teixeira |

Janelas da Vida A alma dos homens tem uma galeria do tempo em que vai guardando e expondo, sempre que visitada, as imagens da memória.

Abrindo as janelas da alma, o homem encontra uma particularmente

agradável de rever, pois traz recordações que jamais se apagam na sua memória – a Janela da Juventude. Esta janela, que se chama Coração, quando aberta leva-nos a percorrer lembranças que, ao longo da vida, acompanham as caminhadas que vamos fazendo, encarnando personagens alegres, tristes, fortes, frágeis, corajosas, aventureiras, heróicas, ou de simples observadores da vida.

O tempo passa, mas a alma não envelhece, torna-se mais experiente e

mais equilibrada. E o coração, aliado da alma, pede-nos tantas vezes que recuemos no tempo e visitemos a Janela da Juventude para encontrar as memórias que alimentam essa experiência e nos dão força para continuar o caminho.

Foi o que fizemos no passado dia 10 de Dezembro de 2010. O coração

pediu e fomos ao encontro de parte da nossa juventude, reunindo um grupo da velha guarda, jovens da década de 60. A maior parte destes jovens de 60 e algumas primaveras, já não se viam há 40 anos! E, como devem calcular, foi a surpresa, a admiração, o encanto, a alegria do reencontro.

Este grupo marcou a sua presença em Paranhos nessa época, pela pai-

xão com que abraçaram muitos desafios, envolvendo-se em causas como a Catequese, a JOC, o Grupo Coral, a L.I.A.M., e outras. Dessa convivência nasceu uma grande amizade que, mesmo a distancia no espaço e no tempo, não

alterou. O reencontro permitiu revisitar as memórias do passado e actualizar as ausências da presença mas não dos afectos, que todos revelaram ter presentes em todos os momentos das suas vidas.

Vidas dispersas e diversas que vão transformando o pó das recordações

em pequenos diamantes que têm o valor eterno da Amizade.

Alguém disse um dia que existe um tempo antes e um tempo depois da

juventude, mas para este grupo a Janela da Juventude estará sempre aberta com a mesma paixão pela vida e pela amizade, que os fez um dia mostrar a Paranhos que a Vida se faz da coragem, vontade e determinação de alguns para o bem-estar de todos.

E porque recordar os bons momentos da vida é viver, estes “jovens”

marcaram já novo encontro para continuar a celebrar as graças do Amor e da Vida que Deus lhes tem dado. mail: jornal.veris@gmail.com


06\local V Festival de Tunas no Dia do Pai 2011

Noite de fados com jantar a 26 de Fev.

Como em 2010, este é o evento JV totalmente destinado a angariar fundos para a construção da nova igreja. Aponte na agenda e participe: 19 de Março, à tarde!!!

Esta é outra iniciativa paroquial, a cargo dos Cursistas e alguns Casais, com o cariz solidário das receitas reverterem para o projecto da nova igreja. Participe!

Serei eu livre?...

Grão de Mostarda Bancário

Guilherme Sousa

25 de Abril de 1974 abriu

O Professor Salvato Trigo diz:

sonhos de esperança à minha juventude. Valeria a pena suportar alguns sacrifícios para o “meu” País arranjar soluções para os males que o afectavam, sobretudo a nível de Justiça, de Saúde e da Educação.

“… a política não é um combate por ideias. Deverá ser a procura de soluções diversas para atingir os mesmos objectivos. Quem gere o dinheiro público deve ser capaz de perceber que a distribuição é uma forma de resolver problemas e não de criar cada vez mais diferenciações. Muitas vezes a distribuição em

Que prazer me dava ler o tex-

to da Constituição feito logo a seguir ao Golpe Militar. Que ambição! Virou utopia e foram-se fazendo revisões e, agora, o que temos?

Já o Engenheiro Mira Amaral

tem um comentário interessante a respeito do desemprego em Portugal: “as leis do trabalho estão mal e a situação política do País não as vai mudar. Mas os jovens não precisam de legislação laboral. O que eles precisam é de mercado de trabalho”.

Por sua vez, o Doutor Miguel

Tive a oportunidade de reler

Veiga, a respeito da Crise, afirmou: “A crise mais importante é económico – social. Mas há quem descubra, e bem , uma outra crise ainda mais profunda: a crise dos espíritos e dos corações, uma crise de identi-

Lusa

alguns testemunhos de personalidades ilustres, dignas de maior crédito e, acima de tudo, conhecedoras da matéria. Testemunhos esses dados no I Fórum Social do JV, no seu 1.º aniversário.

vez de tentar chegar a uma igualdade de oportunidades, acaba por ser o princípio ou a causa de agravar as diferenças sociais que nós bem conhecemos”.

dade e uma crise moral e talvez espiritual.

Vivemos numa sociedade de

mercado, do lucro, do consumismo, do despesismo, do sucesso fácil e endinheirado. Contudo, uma das questões contemporâneas mais difundidas é a necessidade da ética, da restauração do dever, da confiança, da tolerância”.

Para fechar este artigo, gosta-

ria de chamar a atenção para as palavras do nosso Bispo, D, Manuel Clemente referindo que há princípios fundamentais que não podem ser ignorados, tais como a dignidade da pessoa humana, o bem comum e a solidariedade.

Como alguém dizia: “Só se é

livre quando não há medo, quando não há fome, quando não há carência, quando não há ignorância. Somos tanto mais livres quanto mais liberdade encontramos nos outros”.

A dúvida continua a assaltar-

-me: «Serei eu livre?».

a GRU P a ndo . . . GR UP O C OR AL DE PAR A NH OS A SSI NA L OU A F E S TA D OS R E I S 20 11 . . . fofo musgo, fomos todos a Belém, levados pelo nosso querido coro de Paranhos. Era de dia, mas a noite estava tão serena!

| texto: Maria João Ferreira |

Impressões de um concerto Decorreu no passado dia 9 de Janeiro o «Concerto de Natal», na igreja matriz de Paranhos. Naquele Domingo, em tarde fria e soalheira, brilhava o sol e dentro da Igreja, qual espaço e clima de luz se abriu com os primeiros acordes do órgão anunciados pelo senhor P. Martins, com as melodiosas notas dos cânticos a solo e principalmente quando em uníssono, em tom de leves passos, por cima de

C o r te C e le sti al EXÉQUIAS - Jan. / Fev. 2011 Na Paróquia de Paranhos… JANEIRO - Dia 4, no Hospital de Santo António, faleceu AIDA COSTA RODRIGUES DOS SANTOS, de 75 anos, viúva de Orlando Soares dos Santos. (Funeral dia 5, Cemitério de Paranhos); - Dia 6, na sua residência, faleceu MARIA DA SILVA NOGUEIRA MOREIRA, de 73 anos, viúva de Augusto Emanuel Ferreira Soares Moreira. (Funeral dia7, Cemitério de Paranhos); - Dia 7, no Hospital de São João, faleceu MÁRIO FERNANDO DA SILVA TEIXEIRA, de 89 anos, casado com Fernanda da Conceição Cardoso Império da Silva Teixeira. (Funeral

Fevereiro.2011

dia 8, Cemitério de Paranhos); - Dia 7, na sua residência, faleceu MARIA DE LURDES PAIVA LOURENÇO, de 81 anos, viúva de António de Jesus Lima Lourenço. (Funeral dia 8, Cemitério de Paranhos); - Dia 8, na sua residência, faleceu MARIA AMÉLIA DO CARMO RODRIGUES ARAÚJO, de 81 anos, viúva de Arlindo Delmiro de Almeida Santos Araújo. (Funeral dia 9, Cemitério de Paranhos); - Dia 8, no Hospital de São João, faleceu ALEXANDRE AUGUSTO ALVES MAGALHÃES, de 76 anos, casado com Maria Luísa Abraão Morais de Magalhães. (Funeral dia 9, Cemitério de Paranhos); - Dia 8, no Hospital de São João, faleceu MARIA DA GLÓRIA PINTO CORREIA, de 77 anos, viúva de Armando Ferreira. (Funeral dia 9, Cemitério do Prado do Repouso); - Dia 14, no Hospital Eduardo Santos Silva, faleceu MANUEL GOMES DE OLIVEIRA, de 72 anos, casado com Maria Júlia da Conceição

Com o coro, o quadro estava perfeito, não faltava nada. Os personagens esta-

vam lá todos, recortados em fundo de altar-mor cada um com a sua expressão, a sua energia a sua autenticidade. E a mensagem visual dava lugar à mensagem do som: puro espaço de melodia construída, calculada na matemática da música e no saber e na finura da articulação das vozes dos coralistas. Leves, elegantes e precisos eram os movimentos do Director Artístico, na pessoa do Pedro Albuquerque. Cada gesto, uma pulsação, um momento, um som. E a constelação da harmonia dos sons, das quatro vozes, ia pairando sobre nós que estávamos ali sentados, a ouvir deleitados! Tal impressão de um trabalho, tipo folha passada a limpo. Até parecia fácil! Mas não foi.

Graças a um grande esforço da parte do nosso querido maestro, que corajo-

samente, soube ensaiar e motivar, ao trabalho do coro de Paranhos e especiais convidados, quer a solo quer no grupo, à Ana Maria Pinto, que na qualidade de organista acompanhadora do Coro tocou maravilhosamente, ao trabalho notável dos organistas a solo e em especial ao apoio permanente do nosso Pároco, P. Manuel Martins. Bem-haja a todos por tão sublime trabalho que partilharam connosco, porque cantar é também rezar duas vezes...

Pereira da Mota. (Funeral dia 15, Cemitério de Paranhos); - Dia 14, na sua residência, faleceu JOSÉ MANUEL BASTO SEIXAS, de 51 anos, casado com Maria José dos Santos. (Funeral dia 15, Cemitério do Prado do Repouso); - Dia 16, na sua residência, faleceu FERNANDO DA SILVA VIDINHA, de 71 anos, casado com Leonídia Pereira Rodrigues Vidinha. (Funeral dia 17, Cemitério de Paranhos); - Dia 19, no Hospital de São João, faleceu MÁRIO DE LIMA FERNANDES, de 83 anos, viúvo de Maria Madalena Martins Ribeiro Fernandes. (Funeral dia 20, Cemitério do Prado do Repouso); - Dia 20, na sua residência, faleceu ORQUÍDEA JOAQUINA FERREIRA, de 89 anos, solteira. (Funeral dia 21, Cemitério do Prado do Repouso); - Dia 21, na sua residência, faleceu LÍGIA FARO MARTINS CARDOSO, de 88 anos, viúva de Agostinho Capelo Cardoso. (Funeral dia

22, Cemitério de Paranhos); - Dia 25, no Hospital Militar da Boavista, faleceu MARIA ELISA BRAVO, de 80 anos, casada de Manuel Augusto de Sousa Paiva. (Funeral dia 26, Cemitério de Paranhos); - Dia 28, na Santa Casa da Misericórdia de Santo Tirso, faleceu BERNARDO SOARES DE OLIVEIRA, de 74 anos, viúvo de Lucília Ferreira Fernandes Oliveira. (Funeral dia 29, Cemitério de Paranhos); - Dia 31, no Hospital da Póvoa de Varzim, faleceu ANTÓNIO MOUTINHO DE MORAIS, de 97 anos, viúvo de Clara da Trindade Canelhas. (Funeral dia 1 de Fevereiro, Cemitério de Paranhos); FEVEREIRO - Dia 1, no Hospital de São João, faleceu AVELINO OLIVEIRA DIAS, de 71 anos, casado com Franquelina Rosa. (Funeral dia 2, Cemitério de Paranhos).


Participe nas Campanhas do JV!

Prémio „Personalidade Lusófona‟ 2010 D. Carlos Ximenes Belo, residente no Porto e nosso colunista JV, venceu este alto Prémio atribuído pela Academia das Ciências de Lisboa. Parabéns!

Boas Sendas Bispo Auxiliar do Porto

D. João Miranda Teixeira Texto escrito já segundo o novo acordo ortográfico)

“Foi-me concedida a graça de anunciar aos gentios a insondável riqueza de Cristo e de manifestar a todos o mistério escondido desde toda a eternidade (S. Paulo, aos Efésios). É uma graça ANUNCIAR Cristo. Não foi outra coisa o que Ele mesmo fez no início do seu ministério pastoral. S. Marcos, logo no princípio do evangelho, diz que veio Jesus para a Galileia proclamando o evangelho de Deus (1, 14) … Entraram na sinagoga de Cafarnaum, e ali Ele ensinava (1, 21) …Depois disse: Vamos a outros lugares, a fim de aí também pregar (1, 39?) … Entrou de novo em Cafarnaum…E Jesus começou a pregar-lhes a palavra (2, 1) … Jesus saiu de novo à beira – mar. A multidão veio ao seu encontro e Ele começou a ensinar a todos (2, 13). Jesus ensinava. Como reagiam as pessoas? Todos se maravilhavam com a sua doutrina, porque os ensinava com autoridade (Marcos 1, 22?). Glorificavam a Deus dizendo: Nunca vimos coisa assim! (2, 12). Qual era, em resumo, a sua MENSAGEM? Cumpriu-se o tempo e está próximo o reino de Deus. Arrependei-vos e acreditai no evangelho! (Mc. 1, 15). E Jesus não podia agir de outra maneira, senão pregar a Palavra. Ele é a PALAVRA, o Verbo de Deus. Foi para isso que foi ENVIADO pelo Pai. Pela Palavra do Verbo de Deus é que foram criadas todas as coisas. O Verbo de Deus encarnou exatamente para comunicar aos homens a Palavra que Deus tem para nos dizer. Deus tinha falado outrora aos nossos Pais na fé, pelos profetas do velho testamento, mas nos últimos tempos enviou o seu próprio Filho, para nos anunciar uma Boa Nova. Esse é também o ensinamento recente de Bento XVI, na sua exortação apostólica sobre a PALAVRA do SENHOR, Verbum Domini: A Palavra eterna que se exprime na criação e se comunica na história da salvação, tor-

especial /07

Homilia da Missa de 2.º aniversário JV: 24 Jan. nou-se em Cristo um homem nascido de mulher (n.º 11). Essa é a obrigação e missão da Igreja hoje, século XXI: Pregar a Palavra a tempo e fora de tempo, em segredo e sobre os telhados, em privado e em público, quando convém e quando não convém. Em dia de S. Francisco de Sales, não podemos esquecer que uma das caraterísticas deste Santo homem, cheio de piedade, doçura e maneiras distintas, amigo dos pobres e Bispo de Genebra, foi o seu fervor e eloquência no púlpito. Ele falava, convencia, comovia e provocava conversões inúmeras. S. Francisco figura hoje como Patrono dos jornalistas. Daqui ressalta para nós, cristãos, a importância da PALAVRA, palavra oral e palavra escrita, mas sempre a Palavra de Deus. E tem de ser a palavra da verdade, tanto mais que estamos em paróquia com patrono de nome Veríssimo. Veríssimo vem do latim VERUS que significa verdadeiro. Bento XVI em carta encíclica recente, falando da caridade, disse que tem de ser caridade verdadeira, Caritas in Veritate. Se a caridade e o amor têm de ser verdadeiros para não soar a falso, o mesmo se diga da Palavra de Deus: ou é a verdadeira Palavra que agora anunciamos ou é uma falsidade. Para dar testemunho da verdade da fé, a legenda dos três irmãos lisbonenses – Veríssimo, Máxima e Júlia – a legenda conta que tiveram de se submeter ao martírio por causa da fé. O nosso povo diz que palavras leva-as o vento. E pode ser. Mesmo a Palavra de Deus pode entrar por um ouvido e sair pelo outro. Sai, não deixa marcas. Mas se lhe seguir o martírio ou o testemunho de vida, a palavra toma contornos de autêntica. Somos desafiados hoje a tomar a sério os nossos compromissos. Se no princípio da Igreja a fé cresceu por virtude do martírio de muitos cristãos, o século que acaba de findar foi fértil na mesma saga. O nazismo, o comunismo, as lutas raciais ou tribais fizeram com que numerosos cristãos de todas as condições sociais pagassem com o sangue a sua adesão a Cristo. Nos dias que correm, o nosso Papa tem falado frequentemente da violência e morte ocorridas sobre os cristãos em mais que um país. S. Veríssimo, cristão e mártir dos primeiros séculos, desafia-nos a procurarmos a Verdade e a darmos testemunho dela. Se não for com o martírio de sangue, será com a doação da vida quotidiana, banhada no Amor de Deus e do próximo. De Veríssimo veio certamente o nome do jornal VERIS que hoje perfaz dois anos. Jornal da paróquia. Da paróquia sai e à paróquia se dirige em primeiro lugar. Tem de ser Jornal que proceda da palavra de Deus, viva e eficaz, como diz a carta aos Hebreus. Palavra escrita em forma humana e por mãos humanas. Palavra de formação e informação. O jornal de uma paróquia deve seguir o critério de repartir em pedaços pequeninos a Boa Nova de Jesus Cristo. Não encapotada. Dirigida sobretudo a jovens e adultos, tanto mais que estamos em tempo que exige uma formação séria da fé da gente adulta. Temos apostado na catequese infantil e adolescente. E bem! Mas o vestido de criança já não serve a

Jovens e Adultos na fé. Claro que um jornal dura um dia. Sai, voa e desaparece no dia seguinte. Tratando-se de um jornal não diário, pode e deve encarar a mensagem de outra forma. A linguagem da comunicação social na Igreja de hoje não se presta a grandes temas e a grandes leituras, mas não deve ser superficial. Vivemos a correr e isso não é saudável. Ao Jornal da Paróquia deixo felicitações de aniversário. Faço votos por que esteja atento aos sinais da sociedade em que vivemos e se dirija a cristãos e a gentios na fé. O tempo é avesso aos valores perenes que enformaram a Europa durante séculos. A última saga nesse campo é a da união Europeia que mandou fazer uma AGENDA de onde retirou as datas das festas cristãs. Porém, manteve as datas das festas muçulmanas e judaicas. Porquê esta aversão a tudo o que respira cristianismo? Porquê retirar as cruzes dos espaços públicos? Porquê proibir os véus? Onde está a tão proclamada liberdade religiosa? Escrevê-la nas Constituições não chega. Que ideologias ou movimentos subterrâneos e ocultos estão por detrás de tudo isto? E nós, cristãos, continuamos calados? À espera que nos amordacem? Virá aí outra vez o Coliseu de Roma com feras e outras perseguições? S. Veríssimo foi um dos mártires desses tempos do imperador Diocleciano. É dele que hoje Paranhos recebe uma Vera Relíquia, que aí fica a relembrar que mudam os tempos mas os homens nem sempre mudam de atitudes. Nós sabemos que sangue de mártires é semente de cristãos. Todos julgávamos que os tempos da violência, por razões de fé, estavam a desaparecer. Mas não. E a imprensa e as televisões e a “internet” denunciam esse facto ou limitam-se a ligeiras informações? É a hora de acordarmos do sono, porque o dia já vai alto. Convertei-vos e acreditai!”

Baptista

PARCEIRO

Leia, assine e divulgue o JV! Entregue esta Ficha na Sede ou envie por CTT, com o valor em dinheiro, em cheque ou por transferência bancária.

mail: jornal.veris@gmail.com


http://jornalveris-jv.blogspot.com

08/ Paranhos Porto Sentido Presidente da Associação Comercial do Porto

Nuno Camilo

& Porto

2001 # 2011: Porto ontem, hoje e amanhã “o Porto no

O PORTO DE ONTEM – 2001

A cidade do Porto no ano de 2001 era, sem dúvida, um Porto de costas

futuro será um Porto do turismo, das pessoas e para as pessoas”

voltadas para a cidade. Todos se devem recordar que o Porto 2001 foi uma grande oportunidade infelizmente perdida. A cidade entrou em obras, mas sem planificação. O túnel de Ceuta, a Praça D. João I, a Praça Carlos Alberto, a Rua do Almada, entre muitas outras artérias da cidade estiveram em obras, todas ao mesmo tempo e sem conclusão prevista. O comércio e serviços saiu do centro da cidade, falava-se mesmo nas 2001 falências. A degradação do edificado contribuiu para maior afastamento das pessoas, e uma obsoleta lei das rendas levou à não regeneração do tecido empresarial. Mas, o Porto ainda tinha escondido 44 bairros sociais, lugar onde viviam pessoas sem condições e esquecidos pelo resto da cidade. O parque escolar estava, também, ao abandono. Vivia-se num Porto sem rumo e à procura duma liderança forte e capaz de colocar a cidade no mapa nacional.

O PORTO DE HOJE – 2011

Depois de concluídas as obras do Porto 2001, com a criação da SRU -

Presidente da Junta de Freguesia de CAMPANHÃ

Fernando Amaral

Freguesia

situada

na

zona

oriental do concelho do Porto, tem 1/5 da cidade tanto em território como em população.

Freguesia milenária tem o seu

maior desenvolvimento com o apare-

Campanhã no centro do furacão cimento do Caminho de Ferro e mais tarde com a era industrial, sem nunca perder as suas características rurais, é no entanto nos anos cinquenta e sessenta que aproveitando os espaços livres começam a construir-se os bairros sociais hoje em número de catorze, reflectindo-

se na população com baixos níveis de escolaridade e débil formação profissional, daí termos o nosso enfoque na Acção Social. Estabelecemos protocolos com IPSS no sentido de o nosso apoio ser o mais abrangente possível, também na área da formação temos acordos com em-

O PORTO DE AMANHÃ - 2021

O

Porto no futuro será um

Porto do turismo, das pessoas e para as pessoas. A contínua criação de infra-estruturas e a abertura do porto de Leixões a paquetes turísticos, o aumento das viagens low cost permitirão o crescente aumento do turismo e o desenvolvimento do tecido empresarial da cidade com um aumento da população. Por certo que vamos ter um Porto capaz de ser uma referência na Europa. Uma cidade que valoriza e gosta da sua gastronomia, das suas lojas, da sua cultura, do seu vinho do Porto e acima de tudo que gosta das suas gentes: das que nela vivem, trabalham e visitam.

presas e 2 GIP (Gabinetes de Inserção Profissional), na Freguesia.

Temos

investido

na 3.ª idade, quer no Centro de Dia, como no apoio domiciliário e ajuda alimentar e diversas famílias carenciadas. Muito está a ser feito mas muito há a fazer pois somos ainda deficitários em lares da 3.ª idade.

Estamos pois, atentos ao que

se passa em Campanhã, o futuro não será fácil mas tudo faremos com a colaboração das nossas instituições de molde a melhorar a vida dos campanhenses para que estes superem esta “tempestade”.

Até um dia na eternidade, Maestro MANUEL IVO CRUZ! * 1935-2010 * Manuel Ivo Cruz faleceu no dia do Natal do Senhor de 2010, inesperadamente. O musicólogo e compositor, uma elevada referência musical e cultural no País, vivia no Porto e era assinante do JV. Aliás, foi o grande entrevistado JV na edição de Fev. 2010 (n. 14). Era ainda um dos nomeados para o principal Galardão JV “Mérito & Carreira” 2010. Por isso mesmo, por ocasião da sua morte, o Júri decidiu atribuir-lhe no passado dia 29 de Janeiro o Galardão JV “de Honra (Título Póstumo)”, em Cerimónia inserida no Sarau Cultural JV.

Fevereiro.2011

D.R.

Via conJUNTA

D.R.

Sociedade de Reabilitação Urbana, surgiram instrumentos de acção que aos poucos começaram a contribuir para a recuperação do edificado no Porto. A reabilitação de grande parte dos bairros municipais e a recuperação do parque escolar do Porto fecha um ciclo de infraestruturas e prepara um novo ciclo. Apesar de ainda faltarem recuperar alguns equipamentos estratégicos na cidade como o Mercado Bom Sucesso (já foi anunciada para breve o inicio da intervenção), o Mercado do Bolhão (processo já avançado, mas ainda assim muito demorado para os comerciantes e para os consumidores), a Praça de Lisboa, nesta já esta a decorrer a intervenção, as diferenças são já bastante notórias e cruciais

para o seu desenvolvimento como cidade cosmopolita. A cidade do Porto de hoje é uma cidade com fácil mobilidade, com uma rede de transportes e vias de acesso à cidade diversificadas. O que move a cidade é essencialmente o comércio, pois uma cidade sem comércio e serviços é uma cidade fantasma. A indústria nunca foi um forte do Porto, são as micro e as pequenas empresas que movimentam o empresarial. O comércio vive hoje dias difíceis, com um fraco poder de compra da população, com uma lei dos solos que data de 1976 e

onde não existe qualquer planificação na construção de grandes superfícies o que faz com que se faça o que se quer. A par do Governo actual que liberaliza os horários sem se vislumbrar qualquer medida económica vantajosa, nem mesmo aquela com que os grandes grupos económicos e o Governo acenaram: a de diminuir o desemprego. Tanto pelo que se sabe este teima em subir, com particular incidência no Norte.


Paranhos & Porto /09 „Cinema Novo‟ apresenta Fantasporto

„Espaço t‟ ganha Menção Honrosa

O Teatro Rivoli abre novamente as suas portas para o 31.º Festival Internacional de Cinema do Porto, entre 25 de Fevereiro e 5 de Março 2011.

Esta IPSS sediada no Porto recebeu em Lisboa a menção honrosa da 9.ª edição do Prémio “Igualdade é Qualidade” 2010, atribuído pelo CITE e pela CIG.

C o mU ni dad e Co n s ular : FALANDO COM

CARLOS MANHIÇA

BR E V E C ON TAC T O C O M A C O MUNI DA DE M OÇ A MBI CA NA N O P OR TO . . .

tuições de ensino desta cidade, num processo que obedece aos planos e programas estabelecidos para o efeito. Os não estudantes bolseiros tem o sustento baseado no emprego, sendo que alguns destes têm famílias já constituídas em Portugal.

Que vantagens e desvantagens nesta Comunidade?

Cônsul de Moçambique no Porto

Características da Comunidade Moçambicana no Porto... A Comunidade Moçambicana residente no Porto é estimada em cerca de 300 pessoas, na sua maioria, estudantes bolseiros que frequentam diversos cursos de nível médio e superior, ao abrigo de acordos de cooperação que existem entre Moçambique e Portugal. Estes bolseiros são encaminhados para o Porto, devido a notoriedade das insti-

A língua portuguesa, enquanto meio de comunicação e de acesso ao conhecimento, constitui a principal vantagem para os estudantes dos PALOP que estudam em Portugal, porque facilita seu processo de integração e aprendizagem. No que concerne às desvantagens, podemos apontar a diferença curricular entre os dois países como sendo factor que tende a prejudicar o desempenho escolar dos moçambicanos nas primeiras semanas após a chegada ao Porto. A este propósito, importa referir as dificuldades administrativas e burocráticas que têm estado na origem da chegada tardia dos estudantes bolseiros ao Porto, para prosseguir os seus estudos.

Qual o perfil do Moçambicano que normalmente se radica cá? Quanto ao perfil dos mesmos, pode-se referir que a faixa etária dominante é de 20-40 anos de idade, são de ambos os sexos e regressam ao país de origem, uma vez terminada a sua formação, a fim de ocupar diversos postos de trabalho, segundo sua formação, participando assim no desenvolvimento do seu país.

Tem uma Comunidade (pro)activa? Refira-se que a comunidade moçambicana, organizada em diferentes associações de carácter estudantil, cultural e social, tem sido activa na promoção de actividades que têm em vista a promoção dos seus interesses. Participa igualmente em actividades organizadas pelo Consulado de Moçambique no Porto e Zona Norte de Portugal, entidade com que contam na organização das suas acções.

E em termos de testemunho? De acordo com as informações colhidas junto de instituições vocacionadas portuguesas, a Comunidade Moçambicana tem um comportamento exemplar, facto que o próprio Consulado tem testemunhado no contacto e convívio com a comunidade moçambicana residente no Porto.

Alvo r e c er. . . CO NSE RVAT ÓR I O DE MÚ SI CA DO P ORT O R E CE BE A 1 8/F E V. , 2 1h 30 , O P R OJE C T O

O programa deste ano con-

| texto: Valter Valdevez |

O Concerto narrado “Hänsel & Gretel Jeux d’enfants” trata-se de duas histórias em três versões: Português, Francês e Inglês, com duração de 60 minutos. O desafio e convite fica feito a todas as Escolas do Porto para que possam inscrever-se e participar.

Dando-se continuidade a este projecto iniciado com bastante êxito, no

os pianistas Bruno Belthoise e Christina Margotto e os narradores Bruno Belthoise (Francês), Magna Ferreira (Português) e Jed Barahal (Inglês).

Para se proceder à organiza-

ção das várias sessões programadas, os responsáveis do projecto agradecem que se preencha e remeta a ficha de inscrição (pode ser pedida por e-mail), com as informações solicitadas, o mais rápido possível (já passou, entretanto, um primeiro prazo de inscrição), para um dos seguintes e-mails: mjbianchiaguiar@gmail.com ou linatavares27@gmail.com.

O preço por aluno é de € 4. A

organização informa também que enviará para as Escolas interessadas um dossiê pedagógico para que os docentes possam proceder a uma preparação prévia do espectáculo, factor fundamental para a sua melhor compreensão.

D.R.

ano transacto, terá lugar mais um Concerto Narrado neste mês de Fevereiro, no Grande Auditório do Conservatório de Música do Porto, com o objectivo de sensibilizar os alunos do Ensino Básico (1.º, 2.º e 3.º Ciclos) para as potencialidades de articulação entre a linguagem verbal, musical e cénica.

Protagonizam estas sessões

D.R.

Concerto narrado, um projecto escolar de êxito

templa duas interessantes histórias: o conto tradicional de Grimm, “Hänsel & Gretel”, adaptado por Bruno Belthoise, e “Um dia na vida de Florentin”, um conto imaginário inspirado na música de Georges Bizet.

PUB

Praça 9 de Fevereiro, 157; 4200-422 Porto Tel.: 228328400 Fax:228328401

917 393 307 / 917 645 478

arcadagua@era.pt

www.era.pt/ arcadagua

mail: jornal.veris@gmail.com

PUB

Arca d’Água PORTO


Torne-se amigo do JV no Facebook

10/

saúde Viver Salutar Médico, Cientista, Bioeticista e Professor Catedrático Jubilado

Daniel Serrão

Avanços no tratamento da Epilepsia O HSJ testa nova técnica de estimulação cerebral para o tratamento da Epilepsia, doença caracterizada por descargas eléctricas anormais no cérebro.

Eutanásia - o bom exemplo da França

Eutanásia é o acto de matar um doente que pede para ser morto. Por-

“o caminho é

que suspender suportes de vida quando já são inúteis, ou quando a pessoa doente os não deseja continuar a receber, não é eutanásia…

É boa prática clínica e é res-

«desenvolver os cuidados paliativos e recusar o escarnecimento terapêutico»”

peito pela vontade da pessoa. A pessoa morre, não é morta pelo médico.

Em Portugal esta questão é

levantada de vez em quando e há quem queira que os médicos sejam autorizados a matar os doentes que pedem para ser mortos. Em França também se colocou esta questão.

Pois em

25 de Janeiro o

Foi uma vitória da Vida e um

bom exemplo de clarividência.

O

Primeiro-Ministro, Fillon,

afirmou que os projectos de lei eram precipitados e que o caminho é “desenvolver os cuidados paliativos e recusar o encarniçamento terapêutico”, que é causa de um inútil sofrimento para as pessoas que vão morrer.

Há muito que defendo, publi-

camente, esta mesma posição. Fiquei contente com a decisão da França. Que é um bom exemplo para Portugal.

Senado, que é o mais alto representante do povo francês, após uma longa sessão de debate decidiu

D.R.

votar contra as três propostas que grupos de deputados da Assembleia tinham enviado.

Se n sA ção : I NS TI TU T O P OR T U G UÊ S DE S AN GUE - CE N TR O R E GI ONAL D O P OR T O , PAR A NH OS tante vem quatro ou mais, como é o caso dos dadores de aférese que podem dar certos componentes mais frequentemente que o sangue total”, explica a dirigente. Importa salientar que alguns dadores deixam de o ser por motivos de saúde, ou vão mais espaçadamente ao CRSP.

| texto: ARR |

Sangue: Norte com auto-suficiência

Sabido é, portanto, que com a

grande dádiva dos inscritos “atingimos já há algum tempo a auto-suficiência na Região Norte”, sendo essencialmente o sangue destinado para os Hospitais (cerca de 73% públicos e cerca de 24% privados). Quanto às reais utilidades do sangue doado, Marília Morais informa que, para além das transfusões, “em boa verdade o sangue total nunca é administrado na actualidade. Assim o que transfundimos é concentrado de eritrócitos, plaquetas e ou plasma, componentes do sangue que separamos nos serviços de sangue. O plasma pode ser ainda fraccionado, em grandes unidades industriais de que não dispomos em Portugal, obtendo hemoderivados que são medicamentos para diversas doenças. Pode ser ainda que esporadicamente utilizado para fins de investigação médica”.

Pelas estatísticas tem-se notado que, de ano para ano, há mais dadores de sangue, mais inscritos para a respectiva dádiva, mais unidades de sangue colhidas, mais brigadas móveis, bem como há mais espírito solidário e cívico dos cidadãos sensíveis a estas questões. Face a isto, o sangue circula via às necessidades reais.

Marília Morais, directora do Centro Regional de Sangue do Porto (CRSP –

Fevereiro.2011

Para a directora do CRSP, por

D.R.

sito na Rua do Bolama, nesta Freguesia de Paranhos), declarou ao JV que uma das grandes preocupações dos serviços de sangue é “que os dadores retornem e isto por várias razões”. Sinal disto, porque não existe uma periodicidade certa em termos de dádiva – “O que existe é o limite de 3 dádivas por ano para as mulheres e de 4 para os homens”, acrescenta -, são as percentagens aproximadas verificadas das visitas em 2010: “37% dos dadores vêm uma só vez; 44% duas vezes; 15% três vezes e o res-

detrás da veia da solidariedade e do “acto que revela a assunção da cidadania e de valores morais e éti-

ALGUNS NÚMEROS relativos ao ano 2010:

114.824 N. de Inscrições para Dádiva de Sangue (média diária de 381 inscrições)

81.779 Dadores inscritos (pessoas diferentes) (média diária de 271 já conhecidos por dia)

17.933 N. de novos Dadores inscritos no CRSP (nunca tinham dado Sangue noutras Instituições)

301 N. de Dias de Actividade do CRSP

± 277 Média de Unidades colhidas por dia

cos elevados” , todos nós somos potenciais utilizadores de sangue “mas só alguns podem ser dadores (mais dos que actualmente somos), e sendo o sangue uma matéria-prima ainda insubstituível, o único modo de acorrer aqueles que dele necessitam é através da dádiva benévola, anónima e altruísta”, afirma.


Envie-nos os seus textos e sugestões!

direito & economia /11 Justaposição José Souto de Moura

Saber, Sabedoria, verdades e Verdade

O pensamento, a ciência, a arte são de tudo formas diferentes de estar perante o mundo e si próprio. Sujeito da análise da realidade, o homem pode limitar-se a circunscrever um campo de observação limitado que o absorve e que ele endeusa. Surgem então saberes sectorizados, profundíssimos no seu ramo, mas à margem de qualquer esforço de síntese que dê um sentido à vida. Os peritos ou os especialistas podem então viver o seu presente, absorvidos pelo respectivo campo de intervenção. Acontece é que, sobre esse campo de intervenção, ou para além dele, haverá que perspectivar um futuro individual, e até colectivo, que ilumine, justificando, tudo o que se faz ou deixa de fazer.

Aos saberes haverá então que acrescentar uma sabedoria. Nela, o

conhecimento fica moldado por uma dimensão ética, porque aquilo que à falta de melhor chamaremos “homem sabedor”, para além de eventualmente sábio, adquiriu já uma arte de viver elevada, adquiriu um domínio de si, e progride na realização de um modelo ideal de vida. No mundo de hoje, aos vários saberes acrescenta-se pouca sabedoria.

Embriagados com a profundidade enorme atingida no seu campo especí-

fico, demasiados homens cultos de hoje concentram-se só em verdades, e esquecem a Verdade que dá sentido ao seu labor diário. Ou seja, aos conhecimentos que vão adquirindo. O mundo da cultura é o mundo por excelência da procura da verdade e da comunicação da verdade. Mas quanto mais restrito for o campo em análise, mais estaremos circunscritos à atomização de saberes, ou seja à acumulação de verdades.

O olhar pode fixar-se num ponto próximo ou estender-se até um hori-

zonte vasto e longínquo. Do mesmo modo, no domínio do conhecimento, poderemos procurar explicações para realidades cada vez mais vastas, até chegarmos à realidade total, e eu dentro dela. Quando se chega ao problema da verdade sobre o todo, ou, numa perspectiva mais existencial, à verdade de mim

cASA governada Economista e Presidente da Associação Comercial do Porto

Rui Moreira

a aflição das contas

públicas e de financiamento externo, o Governo tomou medidas violentas para extorquir mais impostos e reduzir o peso do Estado. Com esses dois garrotes, a economia não só não cresce, como se prevê que possa mingar. E, com esse cenário, os impostos não chegarão e os cortes no Estado serão insuficientes. Assim, a saída da crise passa pelo crescimento económico que, em função da contracção da nossa economia, só pode ocorrer através das exportações. Ora, o Governo vai escolhendo sectores que considera prioritários e, com pompa e circunstância, anuncia apoios. Mas, as empresas, que são o único vector de exportação, não vivem dessas muletas. Em vez disso, precisam que a vida lhes seja facilitada.

da vida que me foi dada?”. O passo dos saberes para a sabedoria é o passo das verdades para o sentido. Ao sentido que dou a mim mesmo e ao que me rodeia é que chamarei a Verdade. E essa Verdade é bem simples. Para um cristão chama-se “Reino de Deus” e foi revelada por Jesus Cristo. Aliás é Ele mesmo que se confunde com a Verdade.

“o mundo da cultura é o mundo por excelência da procura da verdade e da comunicação da verdade”

A Igreja não só pode como

deve proclamar a Verdade. Não se trata, como já aconteceu na história, de a Igreja impor o que quer que seja. Trata-se apenas de propor um caminho que se considera como caminho de felicidade autêntica.

E a legitimidade para o fazer

é tanto maior, quanto essa proposta se dirige a todos e não exclui ninguém. Por outro lado, trata-se de uma proposta que assenta no amor aos outros e a todos os outros. Daí que quem a proclama, coerentemente, só possa querer bem, não podendo pretender prejudicar, mesmo os que não se revêem em Cristo. E, não obstante, o Cristianismo é hoje a religião mais perseguida da face da terra. Dá que pensar.

Há um momento em que se passa do que cada qual sabe sobre si (ou sobre o que o rodeia), para o sentido que a vida de cada um tem para si próprio. A verdade total que cada um adopte para si próprio, parte do “Quem sou eu” mas desemboca no “Que devo eu fazer

Complicadex Precisam de se auto-financi-

„sxc‟

Com

nesse todo, então dificilmente nos manteremos circunscritos a um domínio meramente cognitivo porque a dimensão ética tem que vir iluminar o resto.

ar, já que o pouco dinheiro da banca é canalizado para tapar os buracos do sector público. Sendo assim, as empresas exportadoras deveriam

“o tecido produtivo tem de viver no «complicadex» da intervenção estatal e política”

ter uma fiscalidade que permitisse gerar fundos para o seu desenvolvimento. E, isso poderia ser conseguido se o IRC só fosse pago quando a empresa distribui dividendos, permitindo assim que os lucros que são directamente reinvestidos não lhe fossem subtraídos. Tudo isto é simples, e existe noutros países.

Por cá, anuncia-se o «Sim-

plex» mas o tecido produtivo tem de viver no «complicadex» da intervenção estatal e política. mail: jornal.veris@gmail.com

„sxc‟

Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça e ex-PGR


Ganhe prémios arranjando novos Assinantes!

12/ sociedade

Novo mandato de Cavaco Silva O Presidente da República viu assim a continuidade do seu lugar de Estado com a vitória nas eleições em Jan. 2011.

Foco Desportivo:

operação desencadeada pela Guarda Civil. Foram pelo menos 15 os atletas envolvidos no âmbito da chamada “Operação Galgo”, quatro dos quais com medalhas de ouro internacionais nos seus currículos. O nome mais sonante é talvez o de Marta Domínguez, actual campeã mundial dos 3000 metros obstáculos e conhecida em Espanha como “Dama do Atletismo”. Mais um caso a exigir séria reflexão…

de Genial a Trivial Ciclista e Vereador da C.M.Paredes

Cândido Barbosa

+

FOTOS: D.R.

+/-

- MOURINHO ELEITO MELHOR TREINADOR DO MUNDO Para desilusão de “nuestros hermanos”, José Mourinho foi eleito pela FIFA o melhor treinador do Mundo de 2010, na primeira vez em que a votação para a Bola de Ouro abrangeu treinadores. Mais do que contrariar o favoritismo do Campeão do Mundo por selecções, Vicente del Bosque, o que fica mesmo para a história é o discurso emocionado de Mourinho: Primeiro, ao fazer questão de falar em português; e, depois, por fazer questão de partilhar o prémio com os seus jogadores.

- ESTATUTOS DA FPF Eis uma “novela” que ilustra bem como o futebol é realmente um caso “à parte” em Portugal… Decorrente da aprovação da Lei de Bases do Desporto, todas as federações desportivas foram obrigadas a rever os seus estatutos e a adaptá-los ao novo Regime Jurídico. Mas com eleições à porta, reina ainda a confusão na Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que, surpreendentemente, viu a sua Assembleia Geral chumbar na generalidade a proposta de revisão dos seus estatutos. Como disse já Hermínio Loureiro, “o futebol português está fora da lei”… E em causa está agora a participação dos clubes portugueses nas competições internacionais, como já avisaram FIFA E UEFA.

-

- DOPING EM ESPANHA Infelizmente, rebentou em Espanha mais um escândalo relacionado com o doping na sequência de uma mega-

Com (cons)Ciência Investigadora e Professora do IPATIMUP

Paula Silva

Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto

Higiene oral “Pôr os doentes em primeiro lugar” é um projecto que deriva

de um movimento internacional iniciado em 2007 nos EUA, com o intuito de recolocar o doente no centro dos processos de diagnóstico e de tratamento da “sua” doença. Em Portugal, o projecto arrancou em 2008 no Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP) e desde 2010 desenvolve-se em parceria com o Centro de Estudos Sociais (CES, laboratório associado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra), tendo como responsáveis o Professor Manuel Sobri-

nho Simões (IPATIMUP), Professor Arriscado Nunes (CES) e eu própria. Inicialmente incidiu em doenças oncológicas e actualmente alargou o seu âmbito para as doenças neurodegenerativas e musculares, o que corresponde a 34 associações de doentes (AD) que responderam positivamente ao desafio de o integrar.

plataforma que englobe, para além das associações de doentes (portavozes privilegiados das demandas dos doentes), os restantes intervenientes no processo, nomeadamente clínicos (incluindo médicos de família e especialistas), anatomopatologistas, geneticistas e biólogos moleculares.

dos com responsáveis de várias AD permitiram identificar várias lacunas, nomeadamente a falta de acesso à informação por parte dos doentes que se revela de grande importância para lhes permitir viver com a doença e, de maneira informada, poderem tomar decisões nos diferentes momentos da trajectória da doença, do diagnóstico às opções terapêuticas. Urge por isso proceder a uma aproximação de linguagens através do estabelecimento de uma

principal do projecto “Pôr os doentes em primeiro lugar” é o de produzir um conjunto de documentos que articulem o conhecimento técnico sobre a doença e o resultante da experiência da doença, pelo que se torna mandatório estabelecer a colaboração entre especialistas e associações de doentes para a produção e validação de materiais. A posteriori, essa informação será divulgada através de um “sítio” na internet, multilingue.

Os contactos já estabeleci-

Neste contexto, o propósito

GRANDE PROMOÇÃO: Produtos com marca JV. Compre o Pack, poupe € 6 SACO PARA GARRAFA DE VINHO = €3,50 ESFEROGRÁFICA = €0,50

PUB

DOMINÓ(cx.mad.)= €4,50

BOLSA A TIRACOLO = €5

CRECHE E JARDIM DE INFÂNCIA Tel.: 225506378

933145110

CENTRO DE APOIO AO ENSINO

PUB

Tel.: 220160638

Via Norte, Leça do Balio - Matosinhos; Apart. 1044; 4466-955 S. Mamede de Infesta

Fevereiro.2011

BARALHO CARTAS = €3

BOLA DE PRAIA = €3 PORTA-CARTÕES = €2,50

938326844

Tudo (as 11 PORTA-FOTOS peças) = €2,25 por:

BOLSA PORTA-CHAVES = €2

BLOCO DE NOTAS = €2,25 12 LÁPIS COR = €2

€ 25 com Oferta de saco ‘non-woven’ JV


Esteja atento às Campanhas JV!

educação /13

Fórum „Ciência e Educação‟ retoma Carlos Tavares, Presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, vem a este Fórum, a 24 Fev., às 18h30, no Teatro Campo

U.PORTO

> FEVEREIRO < dias 14 a 17

Agenda Académica

Univ. Católica (Pólo Foz) - Jornadas de Teologia, sobre “Diaconia da Igreja e Diaconado Permanente”

De Mãos D(o)adas Estudante Ens. Básico (11 anos)

Benedita Valente

dia 22 (10h-17h)

dia 23 (8h-18h)

dia 23 (10h)

dia 23

dias 24 e 25

dia 25

Esc. Sup. Educação - IPP - Feira do Voluntariado, no Ano Europeu do Voluntariado, organizada em pequenos stands.

Univ. Fernando Pessoa

Fac. Medicina - 186.º aniv. com Dia da FMUP. Sessão solene com Dr.ª Maria Belém Roseira como oradora convidada.

E.S. Educ. Paula Frassinetti - Acção de Formação com Prof.ª Helena Serra sobre “Segredos de educar para a inclusão”.

Fac. Direito - Colóquio Luso-Brasileiro sobre “A Informação Jurídica na era digital”.

Univ. Católica - Acção comunicacional com Dr.ª Elisa Veiga, sobre “Aprender a educar - brincar precisa-se”.

pensou Matias.

Voltou para casa, pois já se

fazia tarde e ao jantar não disse nem uma única palavra. Os seus pais não ligaram muito, pois pensavam que, era uma fase.

do lado dos pelicanos,

O

pinguim ouviu o

estrondo e foi ver do que se tratava. Mal abriu a porta, Matias, viu a pobre Maria estendida no chão, com a asa magoada. pinguim foi ao seu

socorro quando lhe ia tratar da ferida, Maria abriu os olhos, os seus lindos olhos verdes, que desta vez estavam cheios de pequenas lágrimas, que brilhavam.

Com

tanta beleza, Matias

esqueceu-se da ferida e, estava quase a beijá-la, quando ela ripostou:

-O que vais fazer? - pergun-

tou ela.

Matias,

muito embaraçado,

tratou-lhe da ferida e foi a correr para casa.

-Espera! Obrigada... - disse

ela num murmúrio. Mas ele não ouviu. Maria foi para casa a pensar no sucedido, ficou muito impressio-

-Mas qual é o problema? -Não sabes que estamos em

nada, pois aquele pinguim tinha-a curado, visto que pinguins e pelicanos não se falavam, então decidiu, na manhã seguinte ir fazer-lhe uma visita inesperada. De manhã lá partiu ela, a andar, pois ainda lhe doía um pouco a asa esquerda.

Pelo

guerra?

-Sei, mas qual é a razão? -Eu também não sei, nunca

caminho encontrou o

pelicano Gabriel, que desta vez, tirava uma pele de peixe dos dentes. Então Gabriel perguntou-lhe, com maus modos:

tinha pensado nisso!!! - disse ele.

-Até já. -Volta já aqui, não vás. Que

-A onde é que vais? -Vou visitar um amigo - res-

miúda insuportável!

pondeu ela.

E

-Quem é

lá foi ela, toda contente, visitar o seu misterioso amigo pinguim.

esse amiguinho? perguntou ele ironicamente.

-É um

Chegou

pinguim.

-Como te atre-

ves a ir visitar um pinguim?

ao iglu

dele e bateu á porta. Matias foi abrir e ficou muito surpreendido, com tal visita.

D.R.

Maria, a pelicana que Matias tinha visto, estava a ver televisão, quando lhe apeteceu ir dar uma volta, pediu aos pais, eles acordaram e, lá foi ela. Estava a sobrevoar as rochas negras, quando alguma coisa lhe acertou na asa esquerda, ela caiu, mesmo á frente do iglu de Matias.

O D.R.

“Ah! Que linda era ela." -

Biomédicas & Dentárias.

História da Praia Grande

Matias, estava muito intrigado com o que o Pelicano lhe dissera, mas a sua atenção foi desviada para uma jovem pelicana que escovava as suas brancas penas, em cima de um rochedo. Matias ficou impressionado com tal beleza e, muito devagar, aproximou-se, mas quando lhe ia dizer "olá", já ela tinha levantado voo.

- II Encontro de Ciências

Continua no próximo n.

Pão Quente e Confeitaria COLOMBO

PUB

PUBLICITE AQUI, POR BOM PREÇO. ESTE ESPAÇO TAMBÉM PODE SER SEU!

Rua do Amial, n. 18; 4200-053 Porto Tel.: 228 303 413

PUB mail: jornal.veris@gmail.com


www.youtube.com/jornalveris

religião

14/

Prémio Nobel da Paz 1996 Admin. Apostólico emérito de Díli

D. Carlos Ximenes Belo

O Vaticano acabou de anunciar que Sua Santidade o Papa João Paulo II, que faleceu em Abril de 2005, vai ser beatificado no dia 1 de Maio do corrente ano. Para os cristãos de Timor-Leste esta notícia foi motivo de muita alegria e de contentamento. É que os cristãos de Timor, durante os conturbados anos da ocupação indonésia, puseram muita esperança e confiança na solicitude pastoral de Sua Santidade.

Quando foi do anúncio da beatificação, o

director da Sala de Imprensa considerou que João Paulo II será lembrado, entre outras coisas, “pelas suas visitas aos povos mais necessitados do alimento e justiça”. E o actual Papa Bento VXI referiu-se com alegria à beatificação que classifica como “guia na fé, na verdade e na liberdade”. Timor-Leste teve a dita de receber a visita de João Paulo II a 12 de Outubro de 1989. Contra todas as críticas e incompreensões, Sua Santidade, aproveitando a visita à Indonésia, quis estar com o Povo timorense umas horas celebrando a Eucaristia em Dili (na altura, capital da vigésima sétima província da Indonésia).

No aeroporto de Dili, não beijou o solo timo-

D.R.

rense. Mas fê-lo na Igreja Catedral, em Vila Verde. Ao dirigir-se do aeroporto para o centro da cidade e, antes de entrar no automóvel, procurou o Administrador Apostólico da Diocese de Dili, dizendo: “Dove è il vescovo?”. Queria ter junto de si o Ordinário do lugar. O prelado timorense, sentado ao seu lado, dizia ao Papa: “Santidade, antes da Sua visita, os Timorenses prepararam-se espiritualmente: rezaram, confessaram-se e comungaram; alguns receberam o bap-

Presidente da Rede Europeia Anti-Pobreza (Port.) e Presbítero

Jardim Moreira

D. Manuel Clemente convocou a Diocese do Porto para uma grande reunião de avaliação da „Missão2010‟: 26 Fev., 10h, na Casa de Vilar.

O Papa João Paulo II e Timor-Leste

Bom Pastor

Janela de Inclusão

Continuando em Missão (2011)...

“«Porque viaja tanto?». E eu respondo: É preciso evangelizar, percorrer o mundo e anunciar a Boa Nova aos Povos” tismo e outros contraíram o matrimónio com o rito católico”. E O Papa respondia, sorrindo: “Graças a Deus! Nalguns dos meus encontros, os jovens perguntam-me: «-Porque o Papa viaja tanto?» E eu respondo: É preciso evangelizar, percorrer o mundo e anunciar a Boa Nova aos Povos; se os cristãos timorenses, se confessaram, comungaram e rezaram, e houve conversões, então valeu a pena fazer esta visita a Timor-Leste!”.

Depois de ter benzido a nova

catedral de Dili e de ter falado ao Clero ali reunido, dirigimo-nos para Taci Tolu, onde o Papa celebrou a eucaristia para cerca de 150 mil pessoas. Depois da missa, alguns jovens timorenses fizeram uma manifestação diante do altar papal, gritando: “Viva João Paulo II! Viva Timor-Leste Independente”. O Santo padre assistia aquele acto com muita calma e silêncio. O Administrador Apostólico sussurra-lhe aos ouvidos: “Santidade, eles querem manifestar à Sua Santidade a sua situação de sofrimento e falta de liberdade…” O Papa apenas dizia: “Capito!”.

Meses depois, o Prelado timo-

rense é recebido no Vaticano, em visita ad limina. Ao despedir-se, ouviu estas palavras do Papa: “Amanhã, vou visitar Eslovénia”, um país que também lutou pela liberdade…”.

Para recordar a visita de João

Paulo II, foi colocada em Dili uma grande estátua do Papa (sete metros de altura). Ele, qual Bom Pastor sempre vigilante, olha para Cidade de Dili com amor de Pai e Defensor da liberdade!

Que o novo Beato, o Papa

João Paulo II, continue a abençoar e proteger o Povo e os Cristãos de Timor-Leste!

Pobres ainda mais pobres

A DECO Proteste anunciou recentemente que com o aumento do preço dos bens essenciais as famílias médias portuguesas vão gastar mais quase €900/ ano (aproximadamente, em média, €75/mês). Mas, estes valores dizem respeito a um determinado "modelo" de famílias (apesar de tudo integradas, com emprego e com alguma capacidade de fazer face a este desafio). Estes aumentos são altamente preocupantes por outras razões: em primeiro lugar porque recaem precisamente sobre isso mesmo, bens essenciais, ou seja, bens que, em princípio, nenhum cidadão poderia ou deveria dispensar; em segundo lugar, e para não variar, este tipo de aumento vem precisamente penalizar os que menos têm. Se é verdade que tais aumentos produzem impacto em todas as famílias é inegável que os mesmos afectarão precisamente, e da forma mais violenta, quem já se encontrava em grande dificuldade e quem, paralelamente é vítima de fortes recuos e fragilizações das medidas mais básicas de protecção social.

potencialmente, de menor qualidade (ou de qualidade mais duvidosa). Devemos preocupar-nos com o impacto que tais consumos poderão vir a ter no futuro próximo e das próximas gerações.

Por um lado proclamámos a emergência do combate à pobreza infantil e ao mesmo tempo criamos as condições para uma maior precariedade dos que menos têm agravando a sua precariedade de vida e empurrando-os para consumos que em nada contribuirão para a sua qualidade de vida. As consequências desta crise financeira e económica internacional atacam os mais inocentes e os mais desprotegidos. Nenhuma novidade, é certo, mas também deveria ser certo que, em pleno século XXI, e no Continente mais desenvolvido do mundo, era já tempo de sermos capazes de fazer diferente. A Europa precisa de uma intervenção cirúrgica urgente! A Europa precisa de um novo coração!

Por outro lado, o aumento do preço dos bens essenciais fará

com que os cidadãos busquem, cada vez mais, produtos mais baratos e, „sxc‟

Fevereiro.2011


Adquira a Promoção dos Produtos JV!

cultura /15

Peça „Inspirador‟ no Balleteatro Nos dias 17 Fev. (21h30) e 18 Fev. (10h30 e 15h) o Auditório do Balleteatro (em Paranhos) recebe a peça: „Inspirador”.

COOLinária Chef de Cozinha do Porto Palácio Hotel e da Selecção Nacional de Futebol

Hélio Loureiro

Em vários programas de televi-

Bem essencial nas idade média

para a conservação das carnes e dos peixes, indispensável nas descobertas marítimas é hoje quase que maldito pela nova vaga de fundamentalistas nutricionistas que vêm no sal o inferno da civilização confundido ou permitindo a confusão com os alimentos extre-

Sugestões de... Professora Universitária e ex-Ministra da Cultura

Isabel Pires de Lima

mamente salgados que nos chegam embalados e esses sim prejudiciais á saúde.

O sal é fundamental numa ali-

mentação saudável desde que claro que consumido com elevada moderação pois ele muitas vezes já se encontra nos alimentos, sendo disso exemplo a salsa que lhe vai buscar a primeira sílaba e por ser uma erva com alto teor de sal e um belíssimo substituto.

A Flor de sal distingue-se por

vários factores sendo que para mim o principal é o seu sabor delicado e macio, humidade e delicadeza que se desfaz na boca e que por tal deve ser usado quando as carnes ou os peixes já estão finalizados ou para terminara o tempero de saladas e legumes, pode adquirir esta flor de sal em vários estabelecimentos ou mesmo através do site www.1000paladares.com.pt.

Fevereiro com uma selecção musical destinada a públicos bem diversos que vai do rock ao pop, passando pelo jazz, fado e metal, sem esquecer a boa música portuguesa. Mas além da música, há humor, “stand up comedy” e teatro. E

1. “NOITES DO RIVOLI”

A

minha primeira sugestão

deste ano é a seguinte: Passe a estar de novo atento à programação do Teatro Rivoli. Terminada a concessão do teatro feita pela Câmara Municipal do Porto à companhia de Filipe La Féria, que nos ofereceu durante anos uma programação monolítica, eis que uma nova entidade gestora, a Cinema Novo CRL apresenta uma programação bem mais diversificada. Para já temos a proposta “Noites do Rivoli” até 18 de

- Tempere as suas saladas verdes com flor de sal regue com azeite e vinagre de vinho, a flor de sal dissolve-se com muita facilidade e senti-lo-á de uma forma suave e equilibrada

CAMANÉ é um dos artistas confirmados para as “Noites do Rivoli”. Actua no dia 16 de Fevereiro.

D.R.

são tenho falado sobre o sal marinho e flor de sal. de facto Portugal que desde sempre se notabilizou pelas suas salinas sejam as do Algarve, de Setúbal ou das de Aveiro não tem uma cultura de conhecimento deste bem precioso , tão precioso que até Jesus se comparou a ele " Eu Sou o Sal da Terra..." e está presente em todas as coroações reais e nos baptizados colocando-se uma pitada de sal na ponta da língua dos que iam ser baptizados, sendo ainda este hoje este ritual mantido nas igrejas ortodoxas.

Flor de sal e sal marinho

Para mim a melhor flor de sal e a que me dá mais garantias é sem duvida a flor de sal de Tavira da empresa Rui Simeão que tem dedicado toda a sua vida à exploração de sal e manutenção destes produtos sempre com altíssima qualidade e tendo sido alvo de muitíssimos prémios internacionais e distinções que cobrem de louros a dedicação de uma vida para o bom nome destes produtos tão nobre como é o sal.

depois daquela data haverá a 31.ª edição do Fantasporto.

2. EXPOSIÇÃO

Até

24 de Abril, o Museu

Soares do Reis oferece-nos uma belíssima exposição da vasta obra de uma dos grandes nomes do naturalismo português, o portuense Artur Loureiro (1853–1932), que se destacou como paisagista e animalista. A exposição com cerca de 200 obras dá uma panorâmica cronológica e tematicamente organizada da longa obra deste realista portuense que viveu entre o Porto e a Austrália – onde passou cerca de 20 anos – e frequentou escolas e ateliers em vários países da Europa. Não perca, porque não sairá defraudado.

3. “BELA ADORMECIDA”

- tempere rodelas de laranja com flor de Sal , azeite e alho picado , terá assim uma entrada suculenta , tradicional do Douro e com todo o aroma a mar que a Flor do Sal tem. - Tempere as carnes depois de grelhada com Flor de Sal, assim a carne terá o sabor característico, a flor de Sal colocada no final faz com que a carne não perca frescura e água. - Tempere fatias de pão de centeio tostado com azeite e Flor de Sal, será um óptimo acompanhamento para terrinas de caça ou aperitivo - Tempere o peixe depois de grelhado com Flor de Sal, terá assim toda a frescura do Mar... - O foie gras fresco depois de salteado deve ser temperado com flor de sal que assim tempera sem alertar o sabor característico do foie gras.

O

Teatro

Carlos

Alberto,

entre 18 e 20 de Fevereiro, leva à cena, Bela Adormecida pela Companhia Maior; maior porque constituída por pessoas – actores, músicos, bailarinos – que excederam já a fasquia dos 60 anos e se encontram afastadas dos palcos, dos ecrãs, dos microfones. O dramaturgo e encenador Tiago Rodrigues, esse, é um jovem nascido em 1977, que encontrou no conto de fadas matéria-prima para pensar as questões que informaram o gesto fundador da companhia: a passagem do tempo, o valor da experiência, o dom da memória, as segundas oportunidades. Trata-se de uma variação contemporânea da Bela Adormecida cruzada com as histórias e experiências pessoais dos intérpretes, revelando-se em vozes mais roucas, cabelos brancos e óculos de ver ao perto. Uma proposta original a merecer a nossa atenção.

Al ma naq u e lit er ár io

Ed.: DIFEL A.: Simon Montefiore Ano: 2009 | N. Pág.: 336

DISCURSOS QUE MUDARAM O MUNDO.

COZINHA FÁCIL PARA HOMENS QUE NÃO SABEM...

PLANEJAMENTO PESSOAL

A eleição de Barack Obama como 44.º Presidente dos EUA trouxe novamente para o campo da análise política o poder da oratória e a capacidade discursiva como factores essenciais para a mobilização de multidões em torno de um ideal. Esta obra reúne mais de 50 momentos e discursos de oradores de várias nações e épocas históricas, desde o período bíblico ao início do terceiro milénio. Constitui, assim, uma fascinante leitura que inspirará os leitores e lhes dará um notável compreensão da História e dos acontecimentos no seu tempo.

Aqui não vai encontrar nenhum manual de Cozinha Portuguesa, Alentejana ou mesmo Açoriana. Mas verá dezenas de receitas divertidas, modernas, saborosas, fáceis e com raízes e influências de muitas latitudes. Não se garante que a Carne de Vaca com Espargos e Molho de Ostras seja exactamente igual à que o último imperador comia com pauzinhos, mas uma coisa é certa... depois de saborear, e de repetir esta iguaria, vai sentir-se como um verdadeiro... imperador. O objectivo é transmitir o prazer que cozinhar nos pode dar.

Este livro é um guia prático para a conquista das suas metas. O autor seguiu, desde a inspiração inicial até a publicação, o mesmo método que sugere aos leitores, e esta é uma evidência da sua utilidade. O principal responsável pelo seu objectivo (e suas implicações) é você; e é sua a decisão do que faz ou deixa de fazer para torná-lo realidade. Apenas trabalhar empenhado não basta. Assim, a Melhor Solução sempre será investir em si mesmo. É preciso uma estratégia para alcançar o seu alvo. É isto que este livro lhe oferece.

Ed.: BIZÂNCIO A.: João Viegas Ano: 2010 | N. Pág.: 192

Ed.: VOZES A.: Alexandre H. Santos Ano: 2009 | N. Pág.: 170

mail: jornal.veris@gmail.com


„Uma (re)Acção com nobre missão!‟

16/

últimas

Ganhe bilhetes para o Zoo St. Inácio... Se deseja ir ver esta Quinta e Parque, torne-se novo Assinante JV ou ofereça uma assinatura e acumule com outros prémios (p.13). Ganha logo!

Veritas Cogitum MJM

MJM

Re D es cobr ir o P or to Resp. de Janeiro: Praça de Almeida Garrett, em frente à Estação de São Bento.

Vencedor:

ONDE FICA ESTA IMAGEM? O/A assinante que responder certo e mais rápido (via mail, fax ou sms) ganha 1 livro e 2 entradas Park & Zoo de Santo Inácio (Avintes).

Actualidades Presidente da UNICER e ex-Dirigente do CDS-PP

António Pires de Lima Pretende-se aqui que o Convidado eleja uma preferência e/ou uma prioridade actuais para cada um dos ícones apresentados, aplicando-os na resposta a nível de factos, situações pessoas ou instituições...

JOSÉ GODINHO.

Consumir marcas nacionais é do interesse de todos.

ApeteciaApetecia-me ir rápido para 2013…

Será que nos safamos sem o FMI? Deus queira!

Fim às campanhas negras sobre os políticos.

Depois de analisar à lupa é preciso cortar na despesa pública.

Os tempos do crédito fácil acabaram.

Para ganhar na vida é preciso, primeiro, aprender com os erros.

Aonde regresso depois de cada batalha.

Uma empresa sem coração é um projecto sem alma.

Uma alternativa política não se faz sem uma boa ideia de Portugal a longo prazo.

O meu Sporting segue dentro de uns meses, espero…

Alguns segredos nem às paredes confesso…

BD ‘Filhos do Holocausto’ Ilustrador e Designer

Francisco Cunha

PUB

Alto Patrocínio JV

Fevereiro.2011


Fevereiro 2011