Issuu on Google+

JULHO-AGOSTO 2010

Moncarapacho: destino aprazível para férias, no hotel Vila Monte Resort

Periódico Mensal | ANO II | N.19 Director ANDRÉ RUBIM RANGEL AVULSO €1,40 | ASSINAT. €14 “(re)Acção com nobre missão”

PARANHOS - PORTO

p. 13

Na 1.ª pessoa...

fotos: ARR

MARCELO REBELO DE SOUSA em grande entrevista ao JV, sobre o qual considera estar “muito bem feito”. p. 9

Estudantina de Braga (con)venceu o IV FTEP Após um interregno de 6 anos, este solidário Festival de Tunas em Paranhos, organizado na Paróquia de Paranhos, voltou e arrecadou a presença de mais de 200 pessoas, com tunos incluídos. Foi plena de música e de dança (com o Clube da Dança de Salão do Porto a intercalar as actuações) a tarde solarenga de 19/06. As quatro Tunas participantes ganharam os prémios que estavam a concurso, mas a grande vencedo-

INOPORTTUNA DE

LISBOA

DO TUNA

JÚRI D O

P ISCA

FESTIV

AL E A PRESE

NTADO R

p. 3

ESTUDANTINA DE BRAGA

Angariados € 975,04 para nova igreja de Paranhos.

CDSP IG

p. 7

Colunistas do JV condecorados por P.R. Cavaco Silva p. 3

José Marques dos Santos reeleito Reitor da UP

Isabel Pires de Lima e

rências realizadas na Cofanor, o cientista escreve um Ensaio inédito nesta obra, bem recomendada! Não está à venda! O JV oferece exemplares a quem se fizer Assinante JV.

José da Silva Peneda foram distinguidos, entre outras personalidades, em 10/06/2010. Deixam neste n. o seu testemunho, a par de António Sala, João Garcia e Vasco Graça Moura.

Missa solene de N.ª Sr.ª da Saúde mantém-se fixa

p. 7

p. 14

p. 12

Para além das confe-

Homenagem de Paranhos a M.ª Amélia Canossa

p. 8

Luís

Portela,

presi-

dente do Conselho Geral da UP, empossou Marques dos Santos para mais um mandato à frente da UP. O Conselheiro JV deseja que a UP chegue a um patamar internacional superior.

Filomena

da

A Eucaristia festiva da

Costa, M.ª Amélia Canossa, Alberto Machado, Fernando Campos de Castro e o editor da obra constituíram a mesa de abertura à Homenagem prestada à autora do Hino do FCP.

Sr.ª da Saúde tem-se realizado de manhã e assim permanecerá. Houve a hipótese de anteceder à Procissão vespertina, mas sem efeito. Esta Festa é das maiores romarias do Porto!

www.youtube.com/jornalveris

O Jornal VERIS está desde Junho em mais uma rede social, com um ‘videoclip’, e assim acontecerá todos os meses!

Pinto

VALE de OFERTA Um ‘Goldi’ por Assinante. Levante-o no Gabinete do JV.

Eis a oferta do JV para esta edição. A entrega será feita nos dias 25 Julho (manhã) e 11 Agosto (9h-13h, 15h-19h).

a

Daniel Serrão escreve livro sobre Sabedoria

fotos: Baptist

TUNA GATUNOS DO ESE

ra foi a Estudantina de Braga, levando mais a norte os troféus de “Melhor Tuna” e “Melhor Instrumental”. Valeu! A tuna dos Gatunos de Vila do Conde (ESEIG) conquistou “Melhor Pandeireta” e “Melhor Porta-Estandarte”, a tuna de Contabilidade do Porto (ISCAP) ficou com a estatueta de “Melhor Solista” e a “Tuna + Tuna” foi para a tuna Inoportuna da Fac. de Letras de Lisboa. Veja as análises do ilustre Júri, na p.3!


Torne-se amigo do JV no Facebook

local

Ficha Técnica  915 416 747  220 113 159 (só fax)  jornal.veris@gmail.com  Jornal VERIS; Largo da Igreja de Paranhos, s/ n (à Paróquia); 4200-325 Porto  http://jornalveris-jv.blogspot.com http://twitter.com/JornalVERIS. www.youtube.com/jornalveris. DIRECTOR E REDACTOR PRINCIPAL: André Rubim Rangel - ARR (CP 8286). ADMINISTRADOR: Ant.º Manuel Martins FUNDADORES: ARR e M.M. DATA DE FUNDAÇÃO: 24/01/2009. EDITOR: Paróquia de S. Veríssimo de Paranhos (Porto). PROPRIEDADE: Comissão Fabriqueira. CONSELHO CONSULTIVO: Agustina Bessa-Luís, Artur Santos Silva, Daniel Serrão, Dom Duarte de Bragança, Germano Silva, José Azeredo Lopes, José Marques dos Santos, D. Manuel Martins, Miguel Veiga, Ricardo Jorge Pinto. COLUNISTAS: Albano Martins, Ana Luísa Amaral, António Lobo Xavier, António Manuel Martins, Benedita Rangel Valente, Daniel Serrão, Diogo Vasconcelos, Direcção do IPATIMUP, Domingos Paciência, Emílio Rui Vilar, Executivo da JFP, Fernanda Freitas, Francisco Cunha, Guilherme Sousa, Hélio Loureiro, Isabel Pires de Lima, Jardim Moreira, Jerónimo Ferreira, José da Silva Peneda, José Souto de Moura, Luís Braga da Cruz, Manuel Pizarro, Maria Botelho, Maria Helena Costa, Maria Rosa Silva, Mário Cláudio, Miguel Cunha, Rui Moreira, Sónia Araújo, Vítor Hugo e D. Ximenes Belo. SECRETARIADO: Mizé Matos. COOPERADORES: Alcina Ferreira, António Oliva, José de Azevedo, José Pinheiro, Liliana Coelho, Manuel Madureira, Manuel Oliveira, Maria José Pinto e Mariete Valente. TESOUREIRA: Sara Sousa. DESIGNER E TRATAM. FOTOGRÁFICO: Álvaro Santos. FOTOGRAFIA: Agência Lusa, ARR, Liliana Coelho e ‘sxc’. REPROGRAFIA: Emília Sousa. RESP. BLOGUE JV: Liliana Coelho. RESP. FACEBOOK JV: Mizé Matos. EXPEDIDORAS: Catarina Magalhães, Cláudia e M.ª João Silveira, Manuela Coelho e Tereza Oliva. MEDIADORES: Álvaro Santos, Custódia Valente, Filipe Couto, Maria do Rosário Rangel e Luísa Sousa. IMPRESSÃO: Artes Gráficas ‘Júlio Ramos & Filho, Lda’ (Baguim do Monte). EDIÇÃO FECHADA EM: 19/07, 23H50.

BENEMÉRITOS: ANTÓNIO MESQUITA, BEATRIZ GONÇALVES, BEATRIZ GUIMARÃES, JOÃO MESQUITA, JOSÉ MÁRIO LOPES, MANUEL GONÇALVES ROSAS E MARIA MADALENA COUTO. BENFEITORES: AGRUP. CNE 1104, ALCINA FERNANDES, ANA MARIA PRÍNCIPE, ANA PRATAS, ANTERO MELO, ANTÓNIO AMORIM, ANTÓNIO LOPES, ANTÓNIO MAGALHÃES, ANTÓNIO RAMOS, AVENTINO OLIVEIRA, DOMINGOS SOARES, EDUARDO TAVARES, ERMELINDA CHIBANTE, ERNESTO RANGEL, FÁTIMA DIAS, FERNANDO SEQUEIRA, FERNANDO SOUSA, FRANCISCO RIBEIRO, HORÁCIO TEIXEIRA, ILDA COSTA, JAIME LOPES, JOÃO BAPTISTA, JOSÉ PINHEIRO, JOSÉ PAULO PINHEIRO, JOSÉ DE VASCONCELOS, LICÍNIA SOARES, LILIANA COELHO, LUÍS SILVA, MANUEL OLIVEIRA, M.ª ALICE CABRAL, M.ª ARMANDA SILVA, M.ª CÂNDIDA COELHO, M.ª MANUELA SOARES, MARÍLIA ALVES, MIGUEL CUNHA, MIQUELINA NOGUEIRA, NÉLSON PICÃO, TEREZA OLIVA, UNIV. SÉNIOR CONTEMPORÂNEA E VICTOR SEABRA. PARCEIROS: Fundação Pro Dignitate, JFP (Junta de Freguesia de Paranhos), Hotel Infante de Sagres, IPATIMUP, Parque Biológico de Gaia, Park & Zoo St. Inácio, Sea Life Porto, Teatros Rivoli (“Todos ao Palco”) e Seiva Trupe, Unicer S.A. e Univ. Fernando Pessoa. PERMUTAS: Jornal ‘As Artes Entre As Letras’; Revistas ‘Cultura e Fé’ (Porto Alegre -Brasil) e ‘Família Cristã’.

CARACTERÍSTICAS Periodicidade: Mensal; N. Pág.: 16. Tiragem: 600 ex.; Formato: A3. NIPC: 502 022 043; Sócio AIIC: n. 268. Registo ERC: n. 125599 (Regional). Depósito Legal: 287693 /09. NIB: 0036 0127 99100027318 75. Preço Avulso: €1,40.

Pároco de Paranhos

JORNAL VERIS

NOVOS ASSINANTES

> JULHO < dia 7 - Reunião do

P. Manuel Martins, CM

PORTO: Ana M.ª Borges, Cáritas Diocesana do Porto e José Franchi. Obrigado a todos e boa leitura!

Cons. Pastoral. IGREJA - CONFIRMAÇÃO

dia 8

Novos Crismados na Sé

- Debate com Prof. Marcelo Rebelo de Sousa e Carlos Magno, na JFP, co-promovido pelo JV.

- Adoração ao SS.mo: camp. ‘Rogai’ (18h).

dias 16 - 20 - Peregrinação a Ars e Paris.

dias 23 - 31 - Férias do Páro-

E… fiquei a pensar! Como a vida na cidade é tão stressante, limitada e No dia 4 de Julho realizou-se na Catedral do Porto o Sacramento da Confirmação para a Vigararia Porto-Nascente, cuja Paróquia de Paranhos faz parte. Levou 13 crismandos entre os 143 apresentados. São eles: André Filipe Capela da Silva, António Luís Melo C. Pinheiro de Lacerda, Carina Alexandra da Silva Dias, Catarina Andreia Reis Magalhães, Catarina Joana Rodrigues L., João Pedro Moreira Maia, Maria do Rosário Melo Costa, Maria Inês Ressurreição Rocha, Maria João da Silva Ferreira, Maria Teres Martins Nicho, Patrícia Alexandra Dias Nogueira, Rafaela Manuel G. de Sousa e Ricardo Manuel Sousa Ferreira.

co (ausente). IGREJA - MATRIMÓNIO

> AGO. < dias 1 - 14 - Oração do Terço na Capela do Campo Lindo, às 21h30. Na Arca d’Água, Tômbola a favor da nova igreja.

dias 12 - 14 - Tríduo com Terço e Pregação

Jaime Lopes e M.ª João Os Benfeitores do JV Jaime Lopes e Maria João Ferreira (na foto acima) juntaram as suas vidas pelo vínculo matrimonial no dia 8 de Maio. Pedimos desculpa por não ter referenciado esta notícia na edição de Junho. O JV felicita os recém-casados e congratula-se com este acto de vida conjugal. Recorde-se que é deste mesmo casal a autoria do grande painel artístico no espaço celebrativo da cripta da nova igreja. De momento, Jaime Lopes tem recuperado e arquivado uma série de documentos antigos nos espaços das torres da igreja. Alguns remontam ao séc. XVIII.

de baixos horizontes. Vive-se de coisas virtuais com aspecto de reais. De vez em quando faz bem uma incursão pelo campo, calcar e pisar a terra, sentir os cheiros das ervas e os aromas dos frutos nas árvores. A vida tem tanto para dar e por vezes aproveitamos tão pouco. Televisão, casa, trabalho, telemóvel computador, centros comerciais, de vez em quando praia e… muitos ficam nisto meses e anos.

Verão é estender e abrir os braços. Não é preciso muito dinheiro… é preciso libertar-se!

Dizem que nós só conseguimos dominar “nem” um terço da capacidade de um computador! O mesmo acontece nas nossas realidades! Saltemos barreiras e voemos para além de nós mesmos, saibamos viver férias e tempos livres bem aproveitados “sem fazer nada” sem utilitarismos, mas apenas fruição das maravilhas que Deus nos dá.

G r u p o J o ven s N o v a E s pe ra n ç a | texto: Bárbara Prado |

dia 13 - Adoração ao SS.mo: camp. ‘Rogai’ (15h).

Le g e nd a Í co nes J V Estes 5 ícones identificativos JV facilitam a percepção do género da rubrica.

dia 15 - Festa Solene de N.ª Sr.ª da Saúde: Missa às 11h e Procissão às 16h.

> SET. < dias 4 - 5 - Peregrinação a Fátima; In. Inscrições Catequese

estender e abrir os braços. Não é preciso muito dinheiro… é preciso libertar-se”

ção de bodas de ouro sacerdotais, eis que me dou conta de viajar entre loiras searas ondulantes. Abrandei. Abri os vidros do carro e estacionei assim que pude. Que sensação agradável de vida e de plenitude!

- Missa jubilar

dia 12

Meses de Verão...

“Verão é

Numa incursão pela província, com a pressa de chegar a uma celebra-

dia 10 de 50 anos do Curso do Magistério (1960).

Augúrios

Campanha/ /Concurso

Entrevista

Informação

Opinião

Reportagem

O Jornal VERIS salvaguarda a identificação correcta dos artigos publicados, que são, por sua vez, da autêntica responsabilidade dos respectivos autores. O JV tem o direito de seleccionar os textos recebidos decidindo o que publicar, mediante os critérios editoriais e estatutários. Deste modo, tem também autonomia de, porventura, cortar partes de texto, caso ultrapasse o tamanho previsto. Quanto aos Pagamentos, quando feitos por cheque, emitam-se à ordem de: Jornal VERIS; e, se transferidos via bancária, façam-se acompanhar do talão comprovativo com o nome do/a Assinante.

Julho-Agosto.2010

Uma visita especial...

Nós, cidadãos do mundo, po-

O GNE é o grupo de jovens de Paranhos sabem.

como

todos

oncológica. Esta visita teve como objectivo encontrar motivos para estas crianças terem um sorriso em cada dia da sua vida e acima de tudo dar força para a sua grande luta pois se tiverem esperança e fé em Deus tudo será mais fácil.

vocês

demos ajudar: basta querer! Não é só GNE que pode, todos nós podemos.

Todos os sábados, este grupo reúne-se para planear novos projectos que tem como objectivo ajudar os outros e o crescimento na religião cristã. E este mês não é excepção, pois decidimos ir no dia 10 de Julho visitar as crianças de doença

D.R.

Assinaturas: Normal= €14; Benfeitor = ≥ €25; Benemérito = ≥ €50. Publicidade: €120 /ano - tamanho base = 5x4cm (tam. superiores proporcionais ao ‘base’: €240, €360,…). Atendimento ao público na Sede: - Domingos = 9h30 às 11h45.

I n sta n te s I .

D.R.

COLABORADORES PONTUAIS NESTE N.: António Sala, Bárbara Prado, Domingos Paciência, Emílio Rui Vilar, Fátima Carneiro, Filomena Pinto da Costa, Guilherme Sousa, Isabel Pires de Lima, Jerónimo Ferreira, João Garcia, José Fidalgo, José Marques dos Santos, José da Silva Peneda, Júlio Cardoso, Laurinda Vaz Pinto, D. Manuel Martins, Manuel Pizarro, Manuela Coelho, Marcelo Rebelo de Sousa, M.ª Lurdes Claudino, Mizé Matos, Pedro Miguel Ramos, Pedro Sampaio, Ricardo Guimarães, Solange Hilário, Valter Valdevez e Vasco Graça Moura.

Agenda Paroquial

ARR

02/

Falecimento: mãe do Pároco de Paranhos Maria da Conceição Bernardo, mãe do P. Manuel Martins, faleceu em 26/06, na sua terra natal (S. João da Pesqueira). As missas de 7.º dia foram a 2 e 3 de Julho.


local /03 Edição conjunta JV, meses de Verão...

Debates “Entre a Coroa e o Cravo”...

Como já tinha sido anunciado em edições anteriores, o JV de Julho e de Agosto sai numa só edição, por se tratarem de meses de férias. Boas férias!

A 3.ª sessão deste Ciclo de Debates organizado conjuntamente pelo JV e pela JFP, realiza-se a 23 ou 30 de Setembro, no Auditório Horácio Marçal.

Ro sto F i rme . . . I V FES TI VAL DE TUNAS EM PARAN H OS ( FTEP) , A n ál ise s do Jú ri 2 0 10 Cont. da p.1 “Foi um evento de grande interesse cultural, artístico, de convívio e lazer este IV Festival de Tunas em Paranhos. Com uma impecável organização e elevado nível de alguns agrupamentos participantes, levou o público presente a participar de uma forma particularmente activa no desenrolar do espectáculo. O Júri foi feliz e competente na classificação das Tunas, pois que durante o anúncio das classificações os vibrantes aplausos assim sublinharam.”

“Agradeço e dou os parabéns ao Jornal VERIS, pelo convite para fazer parte do Júri do IV Festival de Tunas em Paranhos. Não só ajuda a dinamizar a imaginação destas Tunas Académicas que fazem parte da nossa cultura, como ajudaram a ser solidários para com a paróquia de Paranhos dando um importante contributo à construção da nova igreja. Desta vez a solidariedade casou muito bem com a música e a religião. Parabéns a todos os que participaram e ajudaram a unir interesses e culturas. É mais destas iniciativas que se esperam dos jovens do nosso país. Adorei participar e podem contar comigo para futuras iniciativas destas. Obrigado e bem-haja.”

Júlio Cardoso, presidente do Júri

cada como Não e s a . un diria das t to írito é, família momen p Filomena Pinto da Costa s e o t o a a r o c e s m e u c he ssi , o de e con to grupo achei girí em gran nosso t n a s s é quan os no ar at rnas e ntere per i njuga en o das tu dia realiz os talent osso e da u s i e t d o i o “Ach elas se c o, o mun que se p vida mu o que é n d ir ú o ct uma ia, de fa nou. Ach os sem d : descobr a o ec s m i i e h c c t r n e o o c p pr ue país e pro porq que s a o ano, e o nosso rio r u Hilá la pa é disso q r.” e g e o n l , país evido va Sola d lhe o

“Na tarde de 19 de Junho viveu-se mais uma “(re)Acção com Nobre Missão”! Foi uma tarde bastante agradável de alegria, partilha, aplausos, canto, dança, vencedores e sobretudo de solidariedade. Foi um evento com balanço positivo no que respeita à qualidade das tunas, pois foi notório o esforço e dedicação de cada uma para assim poder brilhar à sua maneira e com o seu jeito característico. A organização/programação da tarde foi, também, um aspecto positivo a salientar e com esta a actuação simples e agradável do Clube de Dança de Salão do Porto. A adesão não foi aquela que esperava. Contava com mais adesão, contudo senti que aqueles que estiveram aproveitaram ao máximo e gostaram bastante, apoiando as tunas durante as suas actuações e mesmo no final da prestação de cada uma delas. Como elemento do júri, apesar da diversidade entre cada um dos elementos constituintes, foi agradável conviver e trocar impressões com cada um deles. Parabéns a toda a equipa do Staff e a todos aqueles de alguma maneira nos ajudaram e permitiram vivermos uma tarde de solidariedade e alegria.”

Mizé Matos

Uma alegria experimentada pela humanidade... | texto: Valter Valdevez |

Dia 8 de Junho, o P. Samuel

Grão de Mostarda Bancário

Guilherme Sousa

A vida, lugar de Beleza...

Boa Nova e fazei meus discípulos”.

“a terra por si só não cria aquelas flores lindas que nos enchem os olhos”

Ainda ressoam nos meus ouvi-

Cabe-nos reflectir nas passa-

dos os ecos da recente viagem de Sua Santidade o Papa Bento XVI a Portugal. Várias mensagens nos deixou Bento XVI ao longo dos quatro dias que permaneceu entre nós.

gens que mais nos tocaram e retirar as lições nelas contidas. A nossa Diocese está empenhada na Missão. Já passaram seis meses e o que ficou? Jesus disse: “Ide, anunciai a

A exemplo dos nossos jogadores da Selecção Nacional que adoptaram o apelido de “Navegantes”, também nós devemos assumir e retomar a nossa vida missionária. É tempo de propor a toda a Humanidade que só Jesus é “Caminho, Verdade e Vida”.

Como? Sua santidade Bento

Ir. Rosário

Félix (na foto) presidiu à Festa da Ir. Maria Droste, na Capela das Irmãs do Bom Pastor. O clérigo apontou o

amor vivido pela Ir. Maria, de acordo com o evangelho, não o guardando só para si, mas sendo “instrumento centrado no Coração de Cristo”. Lembrou que a própria Ir. Maria dissera que “é impossível separar este amor a Jesus eucarístico”, uma alegria que a humanidade experimenta. Os 4 anos que ela passou no Porto foram um sinal mais profundo desse amor, dedicando-se e acolhendo sobretudo as mães e as crianças mais desprotegidas. Manifestou também esse amor no Apostolado da Oração, “recebendo tantos e tantos que a visitavam, de dentro e de fora da Diocese”, incluindo sacerdotes, daí se tornar uma grande apostola do presbiterado.

nai as vossas vidas lugares de beleza”. Todos nós somos artistas, embora com dons diferentes.

Assim, respondendo à proposta de Bento XVI, antes de criarmos coisas belas, comecemos por transformar as nossas vidas lugar de beleza.

A terra por si só não cria aquelas flores lindas que nos enchem os olhos. É preciso cavá-la, adubá-la e lançar as sementes. Deixemos também entrar dentro de nós a “semente do bem”, os valores da bondade, da mansidão, da justiça, do respeito pelo próximo, da caridade, em suma, do Verdadeiro AMOR.

XVI disse uma coisa muito simples que poderá ser um programa de vida, aos homens da cultura, no Centro Cultural de Belém: “Fazei coisas belas, mas, sobretudo, torD. R.

mail:

jornal.veris@gmail.com


04\local Oferta de material para Tômbola

Inscrições para Catequese em Paranhos…

Como tem acontecido nos anos anteriores, a Tômbola a favor da nova igreja de Paranhos estará na Arca d’Água (31/07 –15/08).

Acontecem de 1 a 19 de Setembro. Dia 2/09, reunião dos Catequistas; dia 25/09, abertura da Catequese e reunião de Pais (10h30); dia 26/09, Envio e in.oficial.

LC

Re tro sp ec ti va 24

DE

MAIO

MC

Realizou-se mais uma Oração de Taizé na nossa Cripta. Excepcionalmente, foi uma semana mais cedo por causa da Procissão “Luz na Cidade”.

Importante parte da ‘Missão 2010’, a vista da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima à Diocese e Cidade do Porto. A Bendita Imagem esteve na Igreja da Lapa onde foi venerada por grupos vindos do Grande Porto e à noite foram muitos milhares que a acompanharam desde a Lapa até à Sé, passando pela Avenida da Liberdade. Foi dos momentos únicos que se vivem apenas uma vez na vida. A nossa Paróquia esteve representada oficialmente pela Confraria da Senhora da Saúde.

31 26

A

30 DE MAIO

Foi a preparação para a Festa da Palavra, tradicionalmente uma das mais lindas do itinerário catequético.

29

DE

MAIO

Bem preparada ao longo da semana, fizemos a nossa Procissão de Velas desde o Bairro do Outeiro até à Igreja. Foram muitas as centenas de pessoas que se incorporaram na Procissão e no louvor à Mãe de Deus.

30

DE

MAIO

Para além da Festa das Famílias no Palácio de Cristal, na missa das 10h30 teve lugar a Festa da Palavra. Muito bonita e muito bem preparada e participada.

31

DE

DE

MAIO

A

3

DE

JUNHO

O grupo do 3.º ano da nossa Catequese esteve em preparação para a sua Festa da 1.ª Comunhão. Esta foi na missa das 10h30 na Cripta da nova igreja, nesse dia 3 numa das suas grandes enchentes.

4

DE

JUNHO

Em solidariedade com as vítimas do temporal na Ilha Madeira, a nossa Cripta ganhou nova cor como espaço polivalente. Foi um belíssimo espectáculo de variedades, como sketches para rir, canções por um cantor oficial, um ventríloquo e um espaço de ilusionismo e hipnotismo. Só foi pena as pessoas não terem correspondido como se pedia. A assistência embora activa e participativa foi pequena. E o espectáculo era gratuito!

MAIO

5

DE

JUNHO

Às 21h30 de novo a nossa Cripta vira local de encontro e reunião: era uma catequese vicarial para todos os Crismandos da Vigararia que iriam receber o Sacramento no dia 4 de Julho na Sé. Estavam quase todos os Crismandos mais os seus catequistas e acompanhantes.

6

DE

JUNHO

ARR

Foi a festa de encerramento da Catequese: participaram activamen-

Co rte Ce l e stial EXÉQUIAS - Junho 2010 Na Paróquia de Paranhos… - Dia 6, no Hospital de São João, faleceu GRACINDA CERQUEIRA DA SILVA, de 88 anos, viúva de Valentim Barbosa Cerqueira. (Funeral dia 7, Cemitério de Paranhos); - Dia 6, na sua residência, faleceu MARIA DEOLINDA DA SILVA, de 86 anos, viúva de Henrique Alberto da Silva. (Funeral dia 07, Cemitério de Prado do Repouso); - Dia 9, na sua residência, faleceu EMÍLIA INÊS COSTA DA SILVA, de 67 anos, casada com Joaquim da Silva Marques. (Funeral dia 10, Cemitério de Paranhos); - Dia 15, no Hospital de São João, faleceu ESMERALDA DA CONCEIÇÃO GOMES, de 78 anos, casada com Manuel António Abílio Machado Nogueira. (Funeral dia 16, Cemitério de Paranhos); - Dia 16, no Hospital de São João, faleceu MARIA FERNANDA DE MACEDO RIBEIRO, de

75 anos, casada com Alfredo Alves Soares. (Funeral dia 17, Cemitério de Paranhos); - Dia 16, na sua residência, faleceu MARIA AUGUSTA DA SILVA, de 93 anos, solteira. (Funeral dia 17, Cemitério de Paranhos); - Dia 18, no Hospital de Santo António, faleceu MARIA DO CARMO DA SILVA RIBEIRO, de 64 anos de idade, solteira. (Funeral dia 19, Cemitério de Prado do Repouso); - Dia 20, no Hospital Santos Silva, faleceu ALBERTO TAVARES DO CARMO, de 77 anos, viúvo de Júlia Lopes Vieira. (Funeral dia 22, Cemitério de Paranhos); - Dia 20, na sua residência, faleceu MARIA DA CONCEIÇÃO SOARES DE SOUSA JESUS VITORINO, de 74 anos, casada com Adriano de Jesus Vitorino. (Funeral dia 22, Cemitério de Paranhos); - Dia 22, no Hospital de São João, faleceu IRIA DA CONCEIÇÃO FERREIRA DE JESUS, de 85 anos, viúva de Daniel Ramos Tilheiro. (Funeral dia 24, Cemitério de Paranhos); - Dia 23, no Hospital São João, faleceu senhor JOAQUIM JOSÉ DA SILVA TAVARES, de 86 anos, casado com Zeinep Alimbetova. (Funeral dia 24, Cemitério de Paranhos); - Dia 27, no Hospital São João, faleceu

Julho-Agosto.2010

12

te os 2.º, 5.º, 7.º e 9.º anos, que não tinham tido festa especial neste ano. Foi uma Missa muito bela e bem participada, orientada pelo Secretariado da Catequese.

8

DE

JUNHO

Foi a Festa da Irmã Maria Droste. Neste ano a missa foi às 19h, na Capela do Bom Pastor. Correu muito bem, o nosso Grupo Paroquial solenizou, mas estava pouca gente. Temos que fazer esta festa à noite, como era habitual. No fim as Irmãs ainda convidaram para um porto de honra. Também nesse dia os Padres da Cidade com o senhor Bispo D. Manuel Clemente tiveram o seu passeio anual. Neste ano fomos pela rota do românico (Felgueiras, Pombeiro, Vale do Sousa) e terras do Leonardo Coimbra (Lixa). Foi muito bom e tivemos muito bom acolhimento da parte das entidades locais.

10

DE

JUNHO

Mais uma Adoração Eucarística no âmbito da Campanha Diocesana “ROGAI pelas Vocações”. Mas também, apesar de ser em hora legítima (21 às 22h), nem por isso estava muita gente!

11

DE

JUNHO

Foi a festa do Sagrado Coração de Jesus e encerramento do ano sacerdotal. As duas missas paro-

AGOSTINHO FERNANDO FERREIRA PINTO, de 59 anos, solteiro. (Funeral dia 28, Cemitério de Paranhos); - Dia 27, no Hospital São João, faleceu FERNANDO AUGUSTO RODRIGUES, de 72 anos, casado com Maria Helena Vasconcelos Novais Rodrigues. (Funeral dia 28, Cemitério de Paranhos); - Dia 28, na sua residência, faleceu ALZIRA OLIVEIRA FELICIANO, de 76 anos, viúva de Filomeno de Sousa Abreu. (Funeral dia 29, Cemitério de Paranhos); - Dia 30, na sua residência, faleceu ARMINDA SA SILVA LAMAS, de 93 anos, viúva de Licínio dos Santos Martins. (Funeral dia 2 de Julho, Cemitério de Paranhos).

MM

| texto: M.M. |

quiais foram solenizadas, mas de modo particular a da tarde. As Zeladoras do A.O. tiveram às 17h30 uma reunião com o pároco e na missa da tarde houve renovação de promessas e de consagração e a admissão duma nova Zeladora e de dois Associados. DE

JUNHO

Foi o Passeio da catequese. Bem cedo pelas 7h30 fez-se a concentração na estação do Pólo Universitário. Daí de Metro até São Bento. Aí sim, o grupo ficou constituído e eram 35 adultos (mais de 12 anos) e 28 crianças (menos de 12 anos). Seguimos de comboio até Guimarães, depois a descida da Avenida até ao Teleférico e depois a subida nas cabines do teleférico até ao Santuário da Penha. A missa foi às 11 h, dentro do Santuário, depois a abertura e partilha de farnéis e a seguir o peddy paper por vários grupos, coordenados pelo catequista Henrique. Após os resultados festejados efusivamente, tomámos o caminho de regresso, descendo no teleférico até Guimarães e daí em comboio até São Bento onde chegámos às 19h35. Foi lindo e todos gostaram.

19

DE

JUNHO

Numa iniciativa do nosso Jornal VERIS houve um Festival de Tunas Académicas, na Cripta da nova igreja. Mais uma vez pouca gente a assistir num espectáculo caracterizado pela juventude e a irreverência própria dos estudantes.

21

DE

JUNHO

Programada e anunciada uma reunião de catequistas e pais com filhos em idade de catequese, tratava-se de programar melhor o próximo ano, com a perspectiva de haver catequese ao Domingo e missa a seguir. Estava pouca gente e, portanto, o melhor é deixar como está: a catequese ao sábado de manhã podendo haver alguma flexibilidade com alguns grupos. Estudaremos colocar a catequese também à semana e investir mais nos pais.

I n sta n te s I I. PARÓQUIA DE PARANHOS

Peregrinação a Fátima… Continuam abertas as inscrições da Peregrinação paroquial no início de Setembro

Estado actual das obras… “As obras decorrem em bom ritmo: é a Igreja que já tem telhado novo e que, com andaimes para lavagem dos granitos e nova pintura, vai parecendo outra. No interior já se fez o restauro do tecto e está em fase final a nova instalação eléctrica. Na Capela do Campo Lindo foi o telhado novo e a impermeabilização das paredes e o restauro do retábulo. Na Cripta temos a colocação das portas assentes em estrutura de granito estável em substituição do provisório pinho”.


local /05 Frase vencedora com 2 bilhetes “Annie”. Envie-nos também a sua frase e Habilite-se a ganhar! Nas redes sociais o JV propôs o Concurso do envio de uma frase sobre Liberdade. A melhor frase conquistaria 2 bilhetes para a peça teatral “Annie”. Assim foi! Ganhou Vera Lopes: «Poderosa, única e desejada, no entanto esquecida e lembrada, és tu aquela que motiva a força da luta, por ti...Liberdade !». Estes 2 meses repetimos o Concurso, sobre “Igualdade”!

Nós por Aí...

“como é

...Editorial Jornalista e Professor

possível ainda hoje haver não cidadãos??!”

André Rubim Rangel

Cidade sem idade Se há terra onde todos deveríamos viver é esta, a cidade da Cidadania, sobrelevada à conjuntura do conjunto de massas, local que nem sempre se evidencia pela recta afirmação, mas pela contrastante oposição. É esta a cidade que temos de polir e politizar no mundo actual, carente deste brilho educacional e cívico.

Sendo este valor um direito qualificado de qualquer cidadão, responsável e coerente com o cumprimento dos respectivos deveres, importa que se construa permanentemente na relação democrática, implicando inclusive desconstruir preconceitos mal feitos e tendências desviadas. Como é possível ainda hoje haver não cidadãos??! Tal diferenciação existia na Grécia Antiga mas é inadmissível que se preserve e conserve em certos Estados de direito, seja em que civilização for, quer no Ocidente quer no Oriente! Esta concessão jurídica tece uma integra-

ção fundamental, equitativa e não alheia na/pela mundialização (assente na sociedade de informação e da internacionalização), indigente e retorcida na mundanização do que real e plenamente vale. O conceito de ‘cidadania’ já vem de há muito (Atenas, Roma, génese bíblica, etc), reformulado no tempo pela evolução dos tempos, ganhando vigor nas Revoluções Inglesa, Americana e Francesa, com os documentos e declarações daí resultantes. Porém, em pleno séc. XXI, embora possa haver uma consciência inequívoca da sua essência, transfigura-se volátil e voluvelmente em ingénua aparência light e pós-moderna. Tais declínios desenvolvimentistas transparecem nas crises de identidade, de evolução e de ascensão dum certo regime e nação. Salientem-se assim como peçonhas da cidadania: a globalização económica e mutação laboral, a desigualdade crescente provocadora de humanidade decrescente, o relativismo de valores e ameaça à paz dialogante, o desgaste da coesão social e ordem pública, entre outras.

Portanto, a cidadania urge como preocupação comunitária em prol de uma melhor existência e vivência, para além de novos/ renovados conceitos e modelos. Que bom seria aproveitar-se e implementar-se o 4.º pilar da Educação (os 3 primeiros já são domínios cognitivos conhecidos), segundo Jacques Delors: aprender a viver juntos! Quantos ainda não percebem este ideal operante e cooperante, robustecido na convivência civil e social. Graças a Deus que, entre outros aspectos, isso nos distingue das raças animalesca e canibalesca, exclusivamente subservientes à mera sobrevivência.

Vivamos, em vista disso, em sintonia e harmonia nesta bela cidade da Cidadania, sempre dada e doada e sem idade!

Uma viagem ao “Mundo das Cerejas” - Passeio JV, Resende ’10 | texto: Laurinda V. Pinto |

No dia 30 de Maio de 2010 o Jornal Veris organizou um passeio à Festa da Cereja que se realiza todos os anos em Resende. Saímos do Largo da Igreja de Paranhos, depois de assistirmos à missa das 8h30 (para quem assim desejou).

Fizemos Dulce Pereira, Vereador da Educação e da Cultura da Câmara Municipal de Resende, recebe das mãos da artesã um prato típico da região para ser ofertado ao JV. Fica o agradecimento ao Apoio concedido pela C.M.R.

uma viagem muito

tranquila e onde pudemos desfrutar de belas paisagens. Chegados ao destino da nossa viagem fomos visitar o mercado das cerejas ao mesmo tempo que fazíamos horas para o almoço. Este decorreu num res-

taurante com umas vistas esplêndidas para o Rio Douro. Outra coisa que muito admirei foi a quantidade de orquídeas de todas as cores que existiam em redor do edifício.

O almoço foi muito bem servido e melhor confeccionado, no fim decorreu um sorteio para premiar as rifas que foram adquiridas pelos participantes, e no qual fui contemplada com o primeiro prémio.

Entre

as

lembranças

no Teatro Rivoli, o qual adorei ver.

Depois do almoço assistimos ao “Cortejo das Cerejas” e quando terminou regressamos até à nossa querida cidade do Porto.

Foi um domingo muito bem passado!

que

recebi, duas tocaram-me profundamente: um ícone da Sagrada Família em prata e dois convites para o musical “Annie”, que está em cena

Guimarães recebeu o Passeio da Catequese 2009/10 | texto: M. Lurdes Claudino |

Agora é tempo de férias. Se Deus quiser, para o ano haverá mais...

Depois de um ano catequético, realizou-se (como tinha sido hábito todos os anos) no passado dia 12 de Junho, o passeio da catequese. O local escolhido foi o Santuário de Nossa Senhora da Penha em Guimarães.

Partimos de S. Bento até Guimarães no comboio em alegre convívio. A

Ir. Rosário

ansiedade das crianças, e confesso, também de alguns adultos. Era a subida no teleférico até à Penha. Chegados ao Santuário, tivemos missa celebrada pelo nosso pároco, que nos acompanhou com a sua boa disposição. Ao fim do almoço, partilhado por todos, as crianças participaram em jogos e brincadeiras próprias das suas idades. Depois, à hora marcada, regressamos ao Porto novamente de comboio, pensando que tudo iria ser mais calmo, uma vez que a brincadeira foi mais que muita, mas enganei-me. A boa disposição continuou até à chegada ao Porto. mail:

jornal.veris@gmail.com


http://jornalveris-jv.blogspot.com

06/ Paranhos Porto Sentido

“uma cidade

Empresário e Apresentador TV

com uma luz muito própria, com uma energia que considero muito positiva”

Pedro Miguel Ramos

Olhar de Gaia... O Porto é uma cidade muito

dade significativa, que tive a oportunidade de por vezes estar mergulhado durante alguns meses em trabalho que passei na Invicta. O Porto é também uma cidade com uma luz

Alma Paranhense

muito própria, com uma energia que considero ser muito positiva, com pessoas muito acolhedoras. É uma cidade onde gosto sempre de voltar e regressar.

mais dos negócios nesse espaço. O principal problema é a própria estrutura em si.

Ao estar também em V. N. de

ao Porto porque a porta continua sempre aberta!

Gaia, onde tive o meu negócio, pude também desfrutar imenso das vistas únicas sobre o rio, a paisagem à margem e para lá do Rio Douro na cidade do Porto. É um património que deve continuar a ser preservado, porque é único no mundo. Sobretudo deve ser valorizado, mais valorizado. Só não continuei no cais de Gaia, porque não resultou, como aconteceu com cerca de 90% ou

“Não é na

ex-Executivo da Junta Freg. Paranhos, Director dos Museus do Porto

D.R .

Pedro Sampaio

As agências de rating e o Cristiano Ronaldo Comecemos pelo mais evidente: os sinais internos e externos, dizem-nos que a crise está para durar!

Esta semana - 12 a 16 de Julho - a agência Moody's diminuiu a nota do país de A2 para A1. Isto é, a opinião técnica sobre a qualidade da nossa dívida e, portanto, sobre a nossa capacidade de a pagar ao estrangeiro, tornou-se ainda mais negativa. A primeira consequência é a maior dificuldade no acesso ao crédito externo, a segunda, é o aumento dos juros da dívida. Ou seja, a possibilidade de as famílias verem o seu quotidiano mais difícil, é real! Mas, curiosamente, no relatório desta agência, sobressai (embora para muitos passe completamente despercebido) uma indicação: o abandono escolar tem de diminuir drasticamente! O que é que tem isto a ver com a economia? Uma coisa muito simples: a formação e a preparação das futuras gerações.

É aqui que o puzzle se começa a encaixar. Portugal tem de ser um país empreendedor, com técnicos especializados, exportador, criador de riqueza, economicamente atractivo, tem de saber aproveitar as suas características e potencialidades geográficas e climatéricas, a riqueza e a dimensão da língua português no mundo, e isto tudo não pode acontecer se tivermos gerações de mão-de-obra não especializada, não formada (não estamos a dizer "licenciada"...), científica e tecnicamente impreparada para os novos mercados de trabalho. Portugal não pode ser um país de funcionários públicos “tout-court”, de empregados bancários ou de proprietários de pequenos negócios em risco de desaparecimento. Mais, claro, todos aqueles que despreocupadamente vivem à sombra dos Rendimento Mínimo...

mudança da Constituição que se fazem reformas, é na Educação, ...” para trabalhar, que conheça os mercados internacionais, que anteveja as oportunidades de negócio no Turismo, na Industria, no Comércio, na Cultura e no Ambiente, entre outros, que goste de ler, de aprender e sobretudo, de trabalhar.

Mas esta só será uma realidade se as crianças e os jovens levarem - e a sério - a sua escolaridade, até ao fim; se a Escola for um factor de inclusão, de solidariedade, de exigência. Se a docência for encarada como uma mais-valia para o país e que não seja desvalorizada com, por exemplo, a possibilidade de se passar directamente do 8.º para o 10.º ano, se as Universidades souberem entender as novas exigências de um mundo com um modelo social, económico, laboral e financeiro completamente diferente daquele que faliu em 2008/2009. O empreendedorismo, o risco, a autonomia laboral, a exigência do esforço e da qualidade têm de fazer parte dos currículos.

É preciso gente que saiba “fazer” dinheiro, que tenha conscientemente a

A questão não conjuntural é

cultura do risco, que saiba fazer planos de negócio, que saiba escolher os melhores

estrutural, e estruturais têm de ser as

I n sta n te s I II . POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA

Esquadra do Bom Pastor Segundo o Secretário de Estado da Administração Interna as novas instalações do Comando Metropolitano da Divisão de Trânsito do Porto (actualmente na Rua Porta do Sol) serão junto à Esquadra do Bom Pastor, na Rua de Vale Formoso. A reestruturação acontece já no final deste ano e a construção dar-se-á em 2011.

JUNTA DE FREG. DE PARANHOS

CENTENÁRIO DA REPÚBLICA

Actividades em Jul.-Ago.

Exposições no Porto

>> 24/07 – Workshop de Sandálias em Pele, no HUB Porto (insc.: €55). >> 17-31/07 – Exposição de Pintura “Tango… e algo mais”, de Luís Carlos Sousa, na Casa de Cultura de Paranhos. No último dia (31), a participação de Milonga (dança e tango argentino). >> 23-27/08 – III Formação Intensiva em Criminologia e Vitimologia, no Auditório Horácio Marçal (na Junta), das 18h30 às 20h30, sob coordenação científica do Prof. José Pinto da Costa.

1. Resistência Republicana, 18911974 - na ex-Cadeia da Relação – até 5/10/2010; 2. Às Artes Cidadãos – na Fundação de Serralves – de Out./2010 a Jan./2011.

Julho-Agosto.2010

Mas, a par disso, conto voltar

DIREITOS HUMANOS

Exposição na Reitoria UP “Aprender Direitos Humanos: passado e presente” é um projecto da Univ. Porto

ARR

rica a diversos níveis. Tem uma riqueza cultural enorme, por exemplo. Tem uma agenda e uma activi-

& Porto

políticas. Não é na mudança da Constituição que se fazem reformas, é na Educação, na formação profissional nas mentalidades, na responsabilização do cidadão perante a comunidade, na responsabilização do poder político perante as pessoas, na credibilidade da Justiça, na seriedade do sistema bancário, na optimização dos recursos, tendo em vista as necessidades das pessoas e não as necessidades eleitoralistas, no crescimento económico à custa da criação de riqueza e não à custa dos aumentos de impostos.

Onde entra Cristiano Ronaldo aqui? É um exemplo de (aparente) sucesso “à portuguesa”. Um artista que nasceu para “a bola”, um produto de marketing, um “petisco” para a imprensa cor-de-rosa. Sim, também marca muitos golos (à excepção da Selecção...), mas cuja formação de base, substrato intelectual ou humildade, deixam muito a desejar. Se não, vejamos: a propósito do nascimento do seu filho, que evidentemente terá mãe, disse «foi o dia mais caro da minha vida». Para qualquer um de nós, teria sido o MAIS FELIZ!

Assim, esta falta de consistência e de solidez em termos de maturidade e de conhecimento do “Mundo” que não o do Futebol, não o deixará nunca ser um Capitão a sério na Selecção. Será sempre uma “estrela” que com o passar dos anos terminará (de) cadente. Por muito dinheiro que tenha...! É a diferença entre o colectivo preparado (Espanha) e o individualismo efémero (Ronaldo e o Portugal de hoje). Mas não haja resignação!

(UP), onde se incluem as exposições: «Anne Frank, Uma história para hoje» e «Retratos de família», patentes na Reitoria da UP até 5 de Setembro de 2010.

CASA DA CULTURA DE PARANHOS

“A Casa está em festa!” Assim aconteceu em 3/07. Um dia inteiro com feira de artesanato urbano, exposição de pintura «O lugar do caminho», dança, tango argentino, teatro, pintura ao vivo, desenho em areia, e “Poesia anda no ar” sobre ‘O Mar’. O JV também participou e agradece à CCP.


Paranhos & Porto/07 Um sinal proibido descabido e estranho, que tem sido completamente desrespeitado! Quem vai na Rua do Amial, vindo do viaduto no sentido “Circunvalação”, encontra há 2 meses a proibição de virar à esquerda para a Rua Eng. Carlos Amarante. Quem vier no sentido contrário (direcção ao viaduto) já pode virar para “Carlos Amarante”, porque a rua é transitável nos dois sentidos. Esta proibição não faz qualquer sentido e provoca a indignação local!

A no ssa Vo z. . . DANI EL S ERRÃO ESC REVE L I VRO SO B RE S AB ED ORI A, Po rto - 1 5 J u n . 20 1 0

Auto-estima e Dignidade Humana retratadas na obra | texto e foto: ARR |

“Procurar

a Sabedoria, partilhar o Conhecimento” é o título da recente obra de Daniel Serrão, Conselheiro Consultivo e Colunista do JV, para quem funciona como um lema de vida! Leonor Beleza, ex-ministra da Saúde, apresentou a nova obra de Daniel Serrão na Fundação de Serralves, a 15 de Junho. Definiu o cientista como sendo “tão grande em pessoa, como grande em modéstia e simplicidade”.

ensinar e convencer como poucos. É um Homem ao serviço de causas, um cidadã muito empenhado”.

Palavras do autor

Daniel

generosíssima apresentação do livro por Leonor Beleza: “só por isso valeu a pena publicar o livro”, atestou. Agradeceu também a todos os presentes, de quem disse poder chamar pelo nome, porque todos conhecidos e amigos. E dedicou uma palavra especial às mulheres da sua vida: esposa, filhas e netas.

Depoimentos de amigos

“Este livro é um destilado

“Ao serviço de Causas” Leonor Beleza sentiu-se distinguida com o convite e elogiou a “extraordinária envergadura intelectual, académica, profissional e humana do Prof. Daniel Serrão”. Avançou, ainda: “Não é apenas sábio, brilhante, de uma inteligência cortante, capaz de

Serrão agradeceu a

de experiências, leituras e sobretudo reflexões que se concentra em um discurso de rara beleza e profundidade, configurando assim a realização de um anseio quase utópico, que é o de atingir a sabedoria a partir do conhecimento, para a

poder partilhar com generosa largueza.” Walter Osswald

“Tudo o que vem da pena do Prof. Daniel Serrão tem invariavelmente as mesmas características, aqui reafirmadas: uma enorme clareza nas ideias e no estilo literário escorreito, aliada à profundida-

de de reflexão; uma força vital, expositiva e comunicacional impressionantes, assente no rigor científico; e uma perspectiva e prospectiva de quem acredita no Homem e tem uma visão aberta e optimista do futuro só possível em quem é possuído pela Fé, sem necessidade de comprometer a Ciência com catequese.” Augusto Lopes-Cardoso

A l vo rec e r. .. REI TO RI A DA UNI VERS IDAD E DO PO RTO , J . Ma rqu e s d o s S an tos re el ei to A posse do Reitor da UP, José Marques dos Santos (Conselheiro Consultivo do JV), aconteceu no dia 29 de Junho, sob presenças do ministro Mariano Gago, de Manoel de Oliveira e de Paulo Azevedo (presidente do Conselho de Curadores da UP). O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior apelou ao regresso das pessoas à Escola, mesmo quem já trabalha, para que se possa qualificar ainda mais! Neste sentido, “a UP prepara-se para criar uma Escola Doutoral e reforçar a oferta na área da educação contínua não conferente de grau” (inf.: JN, 30/6/2010). O JV aproveita para felicitar o Reitor UP! melhores universidades do mundo.

FALANDO COM

D.R.

JOSÉ MARQUES DOS SANTOS Reitor da Univ. Porto (UP)

Qual o compromisso primordial que celebra para o novo mandato à frente da UP?

Uma componente da missão da U.Porto é contribuir para o desenvolvimento económico e social da região em que se insere e do país. Isto consegue-se de várias maneiras, de que destaco: valorizando economica e socialmente o conhecimento; criando condições para a criação de novas empresas e outras instituições a partir dos resultados da in-

PUB

Continuar a trabalhar para que a U.Porto ascenda a um patamar superior de prestígio e de reconhecimento internacional de modo a poder vir situar-se, a médio prazo, ao lado das

De que forma e com que fins se estimula a relação e participação entre a UP, a Sociedade civil e o mundo empresarial?

vestigação e desenvolvimento; realizando projectos conjuntos com instituições e empresas; organizando acções culturais, desportivas e de divulgação científica abertas à sociedade; promovendo o voluntariado para a realização de acções com impacto social organizadas pela U.Porto ou por outras entidades; formando cidadãos empreendedores; cooperando com as instituições políticas da região e do país na definição e concretização de políticas de desenvolvimento económico e social.

Em jeito de balanço dos últi-

mos anos, o que destaca de mais positivo e significativo na UP face às outras Univ.? Não gostaria de estar a comparar directamente a U.Porto com as outras universidades portuguesas. Limitar-me-ei a dizer que a quantidade e qualidade da produção científica e o seu reconhecimento internacional, bem como a capacidade para atrair estudantes, em número e qualidade, tanto de pré como de pós-graduação, em reconhecimento da qualidade da formação que lhes é facultada, comprovam haver factores distintivos na actuação da U.Porto.

Praça 9 de Julho-Agosto, 157; 4200-422 Porto

ANA COUTO GABINETE DE CONTABILIDADE

917 393 307 / 917 645 478

Tel.: 228328400 Fax:228328401

AV. COMENDADOR FERREIRA DE MATOS, N.º 401, SALA 310 – 4450-000 MATOSINHOS

Arca d’Água PORTO

PUB

TELEFONE / FAX: 22 937 81 82 Correio electrónico: c0uto@hotmail.com

mail:

arcadagua@era.pt

www.era.pt/

jornal.veris@gmail.com


08/Paranhos & Porto Alterações no Executivo da Junta

Albano Martins: 80 anos de vida!

Com a saída de Pedro Sampaio para a CMP, entra Raúl Jorge Oliveira para o Pelouro da Cultura. Já Adriano Nogueira acumulará o cargo de Secretário da JFP.

O JV felicita o seu colunista poeta, que completa oito décadas no dia 6/08. O JV oferece nesse mês livros da sua autoria (ver pp.1e10).

Amélia Canossa homenageada | texto: Ricardo Guimarães |

Esta foi uma homenagem surpresa que a Junta de Freguesia de Para-

ceu no Auditório Horácio Marçal, a 26 de Junho. Esta homenagem começou por destinar-se à apresentação do livro fotobiografia de Amélia Canossa, da autoria de Fernando Castro. O prefácio cabe a Filomena Pinto da Costa, que deu o impulso para esta obra, desafiando a sua amiga de há 30 anos a ceder as fotografias para o livro. “O F.C.Porto deve-lhe muito. É uma mulher forte que sempre trabalhou muito toda a vida. Nunca iremos cansar-nos de ouvi-la”, disse o autor.

Numa segunda parte do encontro, Amélia Canossa

nhos, juntamente com Fernando Campos de Castro, quis conceder à paranhense Maria Amélia Canossa (reside na Rua Costa Cabral), pela sua obra. Aconte-

foi brindada com momentos teatrais do S.C. da Cruz. ARR

SensAção… AC AD EM I A D E M ÚS I CA D E C OS TA C ABRAL , I no vaç ão v i rada p a ra o f u tu ro ! | texto e foto: ARR |

A Academia de Música de Costa Cabral (AMCC) - Porto, subsidiada pelo Ministério da Educação, pertence em rede às escolas do Ensino Especializado na Música. Nestes moldes só existe esta na Freguesia de Paranhos. Nestes dois últimos anos têm feito protocolos com as Escolas do Ensino regular para que os alunos ingressem na Academia, a título gratuito, no 5.º ano de escolaridade (somente possível neste ano).

O JV falou com o director da Academia, José Ferreira (professor de Harpa – na foto com uma aluna), que assegurou preocuparem-se bastante com a qualidade e que adiantou três grandes projectos com vista

FALANDO COM

SS

JOSÉ FIDALGO

para o futuro, inclusive para o próximo ano lectivo:

nos absorvem durante o dia, para nos concentrarmos no tipo de emoção que podemos entregar a essas personagens, pois tem de ser sentido por dentro. E é também difícil passar isso para o público.

Actor O Teatro Seiva Trupe levou a cena “Homens de Escabeche”, daí esta conversa com o actor principal. O JV ofereceu bilhetes.

Está com uma peça em que tem de representar várias personagens distintas. Como é isso? É muito difícil para cada e qualquer actor. Porque, em 1.º, cada dia representa um estado de espírito, por isso chegamos ao palco de forma diferente. Há que tentar aproveitar todas as energias e disposições que

Portanto, há todo um trabalho e dificuldades que transcendem isto que o público vê…

>> 1. – Desejo de constituir uma Orquestra em cada Escola, já que têm protocolos de Ensino articulado com Escolas da freguesia paranhense (Areosa, Paranhos e Pêro Vaz de Caminha) e fora da freguesia; >> 2. – Vontade de trabalhar nos e com os Bairros sociais, com todas as crianças que neles vivem. O Ministério da Educação sabe deste anseio da AMCC, pelo que esta aguarda a resposta governativa e a questão dos apoios. José Ferreira está convencido que vai ser possível, dado que em Lisboa o projecto já arrancou; >> 3. – Arranque do regime integrado no próximo ano 2010/11, fazendo também a formação geral e artística da música. Outro intuito é avançar com o Curso Profissional de Música, nível 3.

Sim, porque o teatro é vivo, todos os dias estamos expostos às pessoas, é tudo natural, o público é diferente. É verdadeira prova dos nove.

E há algum nervosismo, melhor ou pior controlado com a experiência que se tenha, certo?

Transcende, mas se a pessoa acreditou naquilo é porque vem um pouco desse trabalho, todos esses gestos exteriores e expressões vêm dum estudo anterior e dos ensaios. Isso é importante para que as coisas não sejam, depois, muito mecânicas.

Há, porque faz parte. Mas experiência é utilizada para poder jogar com o nervosismo. Este não se pode ocultar, e até é bom. Temos de saber estar com ele e não contra ele, caso contrário a peça fica estragada. É preciso assumi-lo, quem não o assume é pedante e não actor, faz-se de actor.

É muito mais complicado fazer teatro do que telenovela…

O público do Porto acaba por ajudar a relaxar com o acolhi-

Julho-Agosto.2010

1995 Ano de nascimento da Academia

250 Alunos inscritos no ano 2009/2010.

40 Professores que leccionam na AMCC.

± 50 Média de audições realizadas por ano.

± 18 Qtd Instrumentos leccionados na AMCC.

mento que lhe é típico? Ajuda a receptividade dos portuenses, que são muito amigáveis e próximos. Há este calor humano. Em Lisboa a relação não é fria, mas também não é quente. No Porto vive -se mais as coisas, as pessoas ainda se vestem bem para ir a uma estreia e/ou uma peça. Isso ainda acontece no Porto, não tanto como anos atrás. Fica o gosto de regressar ao Porto para nova peça!

Daquilo que pôde ler e ver do JV com que ideia ficou? Acho muito bom a vossa preocupação de dar a conhecer e apoiar a cultura, de informar e cultivar as pessoas seja em que área for. Isso é fundamental e gratificante.

PARCEIRO

Leia, assine e divulgue o JV! Entregue esta Ficha na Sede ou envie por CTT, com o valor em dinheiro, em cheque ou por transferência bancária.

ALGUNS NÚMEROS:


Participe nas Campanhas do JV!

M.R.Sousa na 2ª sessão do Ciclo de Debates Em 8 de Julho, o ilustre professor esteve em Paranhos, a convite do JV e da JFP, a quem fez elogios no semanário «Sol» (16/07). Reportagem desta sessão em Set..

especial /09

Na 1.ª Pessoa com… MARCELO REBELO DE SOUSA Jurisconsulto, Conselheiro de Estado, Analista político, Prof. Univ. e Co-fundador do PSD

| entrev.: ARR |

O Professor Marcelo demonstrou, mais uma vez, uma enorme capacidade de reflexão e de domínio nas várias matérias existentes, com o seu brilhantismo característico, prendendo a atenção das pessoas! Depois de 5h de debate, e mais umas horas adiante, concedeu-nos a entrevista.

Armadas no estrangeiro e a Presidência portuguesa da UE. Conselhos ao Primeiro-Ministro, supondo que os ouviria, seriam só de tudo fazer para enfrentar a crise financeira, sempre atento às crises económica e social, e atenuar os traços pessoais que alienaram e continuam a alienar apoios e simpatias, para que a já aprazada saída não seja intoleravelmente penosa, para ele e para o seu partido.

fazer política em tempo real, sem distância para estudar, ponderar e decidir e com custos crescentes em termos de privacidade.

JV – Quais são as pastas ministeriais que, a seu ver, estão melhores e piores e que necessitariam duma urgente reformulação? E quais são aquelas que dispensaria de existirem ou que fundiria com outra? Alguma que retomaria do passado entretanto extinta? MRS – Este Governo está em quase gestão corrente até às presidenciais. Não faz sentido fazer qualquer reestruturação orgânica ou mudança pessoal. JV – Se o Sistema eleitoral modificasse e se deixasse de votar num Governo, mas se elegessem antigos ministros e profissionais especializados nas diversas áreas, independentemente das filiações partidárias, quais seriam as personalidades que escolheria e para tutelar o quê, à frente dos destinos da Nação? MRS – É enganador ver um Governo como um somatório de personalidades, com as mais variadas tendências e orientações. Governar nunca é ser-se neutral ou tecnocrático. E, nas escolhas a fazer, são precisos partidos. Muito reformados relativamente ao que são, mas partidos…

JV – É analista há 17 anos, nos inícios da TSF. Já se deu conta, após algum tempo, de actualmente estar a comentar os mesmos erros e problemas do passado? A que se deve essas situações: de inércia governativa e/ou falta de visão política dos sucessivos Governos? MRS – Em rigor, comento, de forma regular, há quase 40 anos. Estado JV – A área do Direito é a sua formação académica e tem sido, Novo em queda, Revolução, realmente, a sua grande paixão, através da via do EnsiTransição para a Democrano? Como vê, com justiça, o nosso Ensino Superior em cia plena, mudança do geral, as suas saídas e a aplicabilidade e eficácia operaJustiça a regime económico pativa dos mesmos no mercado laboral? ra a integração euroexigir reformas MRS – Justiça a exigir reformas urgentes, nomeadamente na peia, estabilização criminal, de que tão pouco se fala. Ensino Superior ainpolítica e fontismo urgentes, nomeada- mão da a absorver Bolonha, a exigir correcções subsequentes. com fundos estrutumente na mão criUma e outro, a rigidificarem mercado de trabalho, a não rais, euro, regresso servirem e os seus direitos, a limitarem os à instabilidade e suminal, de que tão horizontesosdosportugueses nossos filhos e netos. cessivas crises. Este úlpouco se fala” timo tempo – de 1995 até JV – Certamente que nutre um carinho especial pelo hoje - tirando o euro, a rePorto, dado que foi presidente da Comissão Instaladora da forma na segurança social, e toques Faculdade de Direito da UP e é Doutor Honoris Causa por esta avulsos noutros sistemas sociais, tem mesma Universidade. Como sente esta Cidade, ainda leal e sido muito descoroçoante. invicta? E o que lhe augura? MRS – Cá venho todas as semanas. E vejo-a quer a parJV – Como Conselheiro de Estado tir do Sul, de Lisboa, quer a partir do Norte, de Celoque conselhos costuma dar norrico de Basto. Tem um grande Presidente. E está a malmente ao Sr. Presidente da reganhar peso político e de pedagogia cívica. Espero República? E se fosse também que o mantenha em 2013,com sucessão presidencial. Conselheiro do Governo, o que

Fotos: S S

diria e corrigiria essencialmente neste momento ao Sr. Primeiro-Ministro? MRS – O Conselheiro de Estado é, essencialmente, ouvido quando o Conselho reúne, o que aconteceu meia dúzia de vezes, desde 2006. Na maioria dos casos para tratar temas relacionados com papel das nossas F o r ç a s

JV – Se voltasse a ser director dum Jornal, sabendo aquilo que sabe hoje e vendo a forma como a realidade está, como seria esse jornal e como seria dirigi-lo? Que crítica tece a este Jornal VERIS? MRS – Seria uma revista ou jornal com traços de revista, semanário, muito ligado à televisão, à rádio e à net. O Jornal VERIS é muito bem feito, sobretudo para os condicionamentos que o rodearam. JV – É também um católico convicto, como todos sabemos. Que olhar à luz da fé e da esperança vislumbra para os contratempos e contravalores correntes e decorrentes de fortes ondas anticristãs e anti-humanistas? O que nos espera e como estarmos preparados? MRS – Passámos de maioria a minoria em Portugal, nos últimos 25 anos, sobretudo no Portugal Metropolitano do litoral. Importa alimentar a Fé, olhar para crianças, jovens, cultura e médias, repensar meios de evangelização e estruturas de organização interna, reforçar o ecumenismo numa sociedade cada vez mais diversificada. E, claro, dar prioridade aos mais pobres, sacrificados, explorados, oprimidos. Espera-nos aquilo que quisermos e soubermos fazer…

JV – Há uma curiosidade no vasto JV – Teve também, e ainda mantém, uma forte ligação currículo do Prof. Marcelo que gosao jornalismo através da Imprensa, da Rádio e da TV. taria de salientar, por ter exerciQue análise sucinta traça ao factor Comunicação vs. do um cargo tão distinto dos Comunicação Social e a todas as problemáticas inerenoutros a que exerceu e/ou que aintes que têm afectado a Sociedade local e global? da exerce: ter sido Presidente da Federação Portuguesa de Futebol MRS – Tem sido uma mudança vertiginosa. Que muitos têm dificuldade em acompanhar, e (1974-6). Em rescaldo do que coloca problemas à eduMundial, a situação de [o Porto] cação, à economia, às relaentão seria muito dições de trabalho, ao ferente da de hoje? tem um grande tipo de emprego, a MRS – Há quase 40 novas doenças Presidente. E está anos, e em plena destes temrevolução, o futebol a reganhar peso pos, ao era uma realidade muito mais apagada, político e de peda- menos empresarializagogia cívica” da, mais ingénua e inócua. E a própria selecção vivia tempos discretos, que durariam até a meados dos anos 80. Tudo era muito diferente. Da composição da liderança federativa, à inexistência de Liga e à independência orgânica dos árbitros, com a sua Comissão Central, totalmente distinta de Liga e Federação.

mail:

jornal.veris@gmail.com


Torne-se amigo do JV no Facebook

Pinturas pelo “Joãozinho” até 31/07...

saúde

10/

Viver Salutar

“os hábitos

Médico, Secretário de Estado Adjunto e da Saúde

alimentares e o estilo de vida sofreram uma grande modificação”

Manuel Pizarro

Obesidade, uma ameaça à saúde

Nas últimas décadas os hábitos alimentares e o estilo de vida da maioria dos portugueses sofreram uma grande modificação. Em muitas famílias a dieta tradicional, integrando a ingestão de sopa e com uma forte componente de legumes verdes, foi sendo substituída pela predominância de fritos e hidratos de carbono. Os doces e chocolates tornaram-se de consumo diário.

A generalização do uso do automóvel e a melhoria da rede de transpor-

O Prof. Levi Guerra tem em exposição alguns quadros seus, no «Atrium Hospitalidade» do Hosp. S. João, cuja venda reverte para o “Joãozinho”.

tes públicos diminuíram as deslocações a pé. O aparecimento dos novos jogos, em computadores e em consolas variadas, substituiu para muitas crianças e jovens as anteriores brincadeiras e a prática desportiva informal. Hoje, os jogos em que se está sentado, ocuparam o lugar das intermináveis partidas de futebol da minha infância.

Estas mudanças têm consequências. Um estudo recente mostra que, aos 12 anos, 30% das crianças têm excesso de peso e 12% obesidade. São indicadores que merecem preocupação. A sociedade tem que se mobilizar para dar uma resposta a este estado de coisas.

Informar e sensibilizar os pais, porque as crianças comem o que lhes dão a comer. Informar e educar as crianças. Melhorar as condições do espaço público para fomentar os passeios a pé e as actividades de ar livre. Estes, e outros, são projectos que só com o envolvimento de todos poderão ser prosseguidos c o m sucesso.

ParanhoSorridente: aberta uma boa janela de oportunidade | texto: ARR |

Este Projecto - ParanhoSorridente, realizado entre a Faculdade de Medicina Dentária do Porto (FMDUP) e a Junta de Freguesia de Paranhos (JFP), existe há dois anos e foram apresentados os seus resultados em Junho. Pretende valorizar a saúde oral e deu a conhecer aos pais das crianças (dos 3 aos 13 anos) das escolas de Paranhos - “objecto” de estudo do Projecto - as instalações clínicas onde se fez a pesquisa de dados. Para Afonso Ferreira, Director da FMDUP, há a esperança de se saber aproveitar realmente os resultados deste estudo: “estou cheio que não se saiba tirar partido e proveito de vários projectos válidos que se vão fazendo”.

Já Alberto Machado, Presidente da JFP, realçou a heterogeneidade de classes sociais normais ou patológicos, para avançar na compreensão das doenças e, assim, contribuir para o melhor tratamento dos doentes.

Com (cons)Ciência Investigadora e Professora do IPATIMUP Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto

Fátima Carneiro

Os Bancos de Tumores são Biobancos fundamentais para a investigação do cancro e também neste domínio o Polo da Asprela é exemplar.

Nos

Biobancos são arquivadas amostras biológicas (sangue, urina e

outros líquidos, tecidos ou orgãos) de pessoas normais ou com certas doenças. As amostras poderão ser utilizadas posteriormente em benefício dos seus dadores ou de outros indivíduos. O material arquivado nos Biobancos é também fundamental para a investigação que necessita de tecidos humanos

Entre os Biobancos mais conhecidos da população encontram-se os Bancos de Sangue e os Bancos de Células do Cordão Umbilical. Os Bancos de Tumores são também Biobancos onde são arquivadas amostras de tumores benignos ou malignos (cancros). Quando um doente é submetido à remoção de um tumor (para diagnóstico ou tratamento) frequentemente não se utiliza todo o material obtido. A parte sobejante é normalmente destruída.

Se ainda não é assinante anual do Jornal e/ou se não sabe que prenda oferecer a um amigo/familiar, adquira uma assinatura (normal ou benfeitor - esta com algumas regalias) e ganhe logo um ou mais prémios… UMA OPORTUNIDADE QUE NÃO VAI QUERER PERDER! ASSINE E GANHE. Julho-Agosto.2010

Contudo, esses tecidos sobejantes podem ser arquivados em Bancos de Tumores, com consentimento informado do doente. A investigação dessas amostras permite caracterizar alterações específicas dos tumores e assim identificar alvos para novas terapêuticas, constituindo um exemplo de investigação de translação (doentes-laboratóriodoentes). As redes de Bancos de Tumores permitem a obtenção de grandes colecções de amostras para estudos multicêntricos. Na pólo da Asprela há Bancos de Tumores no Hospital S. João, no IPATIMUP e no IPO, articulados entre si no âmbito de protocolos estabelecidos entre estas instituições.

PARCEIRO

Campanha Novos Assinantes JV: “Uma assinatura, um monte de Prémios”

ARR

bastante alargada, “fazendo com que haja muitas crianças que vivendo em meios degradados e com grandes deficiências financeiras não tenham esta possibilidade da saúde oral”.


Envie-nos os seus textos e sugestões!

direito & economia /11 Justaposição Emílio Rui Vilar

“A Sociedade do Conhecimento” 1 Uma análise, mesmo impressionística, da sociedade actual permite-nos constatar, como uma evidência: a vulgarização da utilização das tecnologias de comunicação, uma inquantificável stockagem e circulação de informação e a sua crescentemente fácil acessibilidade. Com efeito, a evolução quase radical que se verificou na década que agora termina, com a generalização do acesso à Internet, abriu as portas para um conhecimento instantâneo, mas volátil. Esta constatação confronta-nos todos os dias com uma vertigem de informação que porventura nos faz sentir a angústia e a perplexidade da confirmação quotidiana da nossa ignorância. É também a porta de um mundo virtual, praticamente sem limites à imaginação e à descoberta.

A

premonitória interrogação

PUB

de TS Eliot – “Onde está a Vida que perdemos vivendo? Onde está a sabedoria que perdemos no conhecimento? Onde está o conhecimento que perdemos na informação?” («Choruses from ‘The Rock’», de 1934) - poderia ter sido escrita hoje de manhã. Devidamente contextualizada para o devir contemporâneo, constitui um alerta sério para o ruído produzido pelas tecnologias de comunicação. Será, no entanto, de evitar queimar as bases de dados digitais, como no passado se queimaram bibliotecas, ou lançar qualquer anátema sobre a Internet, actualmente o principal veículo difusor de dados. Será necessário distinguir o muito de positivo e útil dos riscos que o utilizador impreparado pode correr. Como dizia Umberto Eco, e cito, “A Internet não é apenas uma coisa, são várias coisas (…). É um instrumento que em muitos casos mudou a nossa

OURIVERSARIA PAMÉLIA

“a Internet revolucionou o acesso à informação, mas ainda está por fazer a revolução da sua utilização útil” vida e a nossa capacidade de documentação, etc.. Noutros casos dedica-se a difundir notícias falsas. Nunca sabemos se o que nos chega através da Internet é verdadeiro ou falso. (…) Com a Internet nunca se sabe quem fala.” (El País Semanal, 25 de Abril de 2010).

Há ainda que recordar aqueles (pessoas e países) que não têm acesso a este meio ou o têm muito limitadamente, assim se tornando factor de acrescida desigualdade e de exclusão.

Não

podemos ignorar, com

efeito, que a nova acessibilidade veio trazer novos problemas. No actual sistema de comunicação, acelerado pela Internet, com a sua liberdade de entrada e de navegação, não há ninguém a estabelecer regras, não há certificação, refe-

rências ou compensações. É um sistema mais ou menos aberto, livre, horizontal e instantâneo. Quem for

A stockagem de informação permite possibilidades combinatórias de dados nunca antes pensáveis. A informação a circular em tempo real reduziu a distância e o recorte dos factos tornados notícia.

Estes

factores têm conse-

quências profundas nas sociedades, contribuindo para a homogeneização dos costumes, das modas ou dos gostos e, por antítese ou contraponto, da reivindicação, muitas vezes brutal, da identidade e do direito à diferença. As novas conflitualidades, de raiz étnica, religiosa e cultural são um exemplo claro. Depois da conflitualidade de raiz ideológica que marcou o século XX, é no domínio da cultura e da religião que se situa o terreno dos novos conflitos.

O problema da relação entre culturas ao mesmo tempo que se abre de uma maneira inteiramente nova vai criar problemas de relacionamento também novos, e grave será quando alguém, seja o poder político, sejam convicções religiosas ou outras tentem dominar ou censurar, atraídos pela influência que poderão assim exercer. A China é um exemplo onde há tentativas de restringir o acesso à Internet, mas muitos outros países o fazem, mais discreta e selectivamente, com a proibição de sites específicos, por exemplo. Hoje, de acordo com as nossas convicções e os nossos valores, teremos de considerar o direito do acesso à Internet como o direito que nenhum estado, nenhum poder seja ele qual for, excepto o judicial e de acordo com a lei geral e abstracta, poderia proibir ou limitar.

A propósito da enorme disponibilidade de informação que estas tecnologias, e em particular a Internet providenciam, Jacques Attali dizia, no seu “Dictionnaire du XXème siècle”, Paris 1998, Fayard, que era necessário inventar uma nova profissão: a dos agulheiros da informação.

Como

‘sxc’

Jurista e Presidente da Fund. Calouste Gulbenkian

capaz de introduzir mais dados e de forma mais apelativa terá certamente muito mais peso e, portanto, mais probabilidades de atingir muitos mais utilizadores, e veicular melhor uma eventual mensagem que pretenda passar.

nos

busca elementos qualitativos é uma questão não resolvida e que encerra também riscos que não devem ser ignorados. É por isso que penso que todo este processo de crescente complexidade, de massificação, de escassez de tempo (o tempo acelerou) e de falta de referências, para fazer escolhas ou de “agulheiros” que nos conduzam na navegação, vai continuar a modificar quer a forma de nos relacionarmos, quer a produção do conhecimento. Como afirmava, em síntese, Manuel Castells, um dos desafios fundamentais colocados pela “Galáxia Internet”, constitui “a integração da capacidade de processamento da informação e geração de conhecimentos em cada um de nós”.

No

se, por exemplo, alguma pedagogia urgente na utilização da informação que nos é disponibilizada, sem qualquer filtro ou validação científica. Ora, o que acabo de referir apenas pode atestar a afirmação de que A INFORMAÇÃO NÃO É CONHECIMENTO e devemos sempre recordar esta proposição axiomática, por mais evidente que ela possa parecer. Não contesto que a Internet veio revolucionar o modo como nos relacionamos com a informação, mas a informação continua a ter o mesmo valor, ou seja, apenas produzirá conhecimento quando for convenientemente utilizada pelas pessoas com as qualificações ou o talento adequados, e tudo depende, sempre, do contexto dessa utilização.

A

1

de

Internet

revolucionou

o

acesso à informação, mas ainda está por fazer a revolução da sua utilização útil ou relevante. Passar da ferramenta à máquina, da máquina à cadeia de produção. Naturalmente, a facilidade no acesso à informação e a possibilidade de colaboração entre pessoas que resulta da proximidade no espaço virtual (comunidades virtuais) são factores que potenciam a produção de conhecimento. Por isso, depois da fase da dispersão da informação, assistimos agora à sua aglomeração estruturada no âmbito de plataformas colaborativas com vista a permitir uma utilização mais racional ou menos inconsequente dos dados disponíveis. Obviamente, que me refiro aqui à utilização profissional ou científica da informação e não à sua utilização lúdica, que seria outra linha de reflexão também interessante.

introduzir

motores

campo científico impõe-

Síntese de confer. proferida na Fundação Ciência e Desenvolvimento (Porto, 25 de Maio de 2010)

CRECHE E JARDIM DE INFÂNCIA Tel.: 225506378

933145110

Rua de Costa Cabral, 409; 4200-022 Porto

CENTRO DE APOIO AO ENSINO

PUB

Tel.: 220160638

Tel.: 225511305

938326844

mail:

jornal.veris@gmail.com


http://jornalveris-jv.blogspot.com

12/

O adeus ao escritor J. Saramago

sociedade

O Premio Nobel da Literatura faleceu em 18/06. Foi também argumentista, jornalista, dramaturgo, romancista e poeta.

D a do s & Ve rd ad e s: CO N D EC ORAD O S PELO PRES I D EN TE DA REPÚB L IC A, 10 J u nh o 20 1 0 António Sala

Isabel Pires de Lima

José da Silva Peneda

“Foi sem dúvida um dos momentos mais marcantes da minha vida. Ser agraciado como Comendador da Ordem do Mérito e receber das mãos do Senhor Presidente da República no Dia de Portugal esta condecoração, foi uma emoção muito forte e que jamais esquecerei. É também uma responsabilidade ética que não marca apenas o passado, mas se estende no nosso futuro, quer seja a nível pessoal ou profissional. Sinto-me muito honrado.”

“O reconhecimento pelo mais alto órgão da soberania - logo pelos portugueses - do carácter de serviço público do meu trabalho, quer como académica, quer como política, em prol da cultura portuguesa. Traz-me energia e confiança para prosseguir nesse trilho que escolhi para a minha vida profissional – e mais responsabilidades, claro está. Faz-me confirmar a convicção de que por vezes a validade do trabalho desenvolvido é compreendido a posteriori, e que isso não deve gerar desistência.”

“Senti um grande orgulho pela vida que já percorri e interiorizei uma maior responsabilidade pela parte da vida que ainda tenho pela frente.”

FALANDO COM

ARTUR AGOSTINHO Comunicador e Apresentador TV

O que gostaria, seguramente, de repetir na carreira? AA - Alguns relatos desportivos que fiz: Campeonato do Mundo de 1966; campanhas europeias do Benfica; Taça das

Taças do Sporting; o ressurgir do F.C.Porto e suas grandes vitórias; e os três Jogos Olímpicos que assisti.

O que, logicamente, não gostaria mesmo de repetir? AA - A reportagem do terramoto em Agadir, nos anos 50, onde estive em trabalho perante aquele espectáculo horrível. Isso dispensaria mesmo que acontecesse de novo!

Foco Desportivo: de Genial a Trivial

“Aceitei esta condecoração com honra, pois entendo que é um reconhecimento da sociedade civil ao meu trabalho, e que de alguma forma ajudei a levar o nome de Portugal mais alto. Espero poder continuar a escalar montanhas e sempre da mesma forma ou seja fundamentado na paixão do desafio, na honestidade e no trabalho.”

“Foram de-

+/-

PUB

masiados casos que não ajudaram a ter-se uma selecção mais for- A EXISTÊNCIA DO FUTEBOL. te e coesa” Ficou a prova da aproximação dum país, até agora longínquo, com os outros continentes. O Mundial foi um evento bonito e importante; o campeonato mexeu com todos os países envolvidos. De enaltecer a organização africana e a selecção vencedora: a Espanha, a dita “La Roja”.

-

“Em 1992, o Prof. Cavaco Silva, então Primeiro-Ministro, propôs ao Dr. Mário Soares, então Presidente da República, me condecorasse com a grã -cruz da Ordem do Infante pelo meu desempenho como Comissário de Portugal na Expo'92 de Sevilha. O Dr. Soares recusou, alegando que eu ainda não tinha terminado funções, certamente esquecido de que já tinha condecorado o meu homólogo espanhol que também não as tinha cessado. Achei estes factos tão esclarecedores que os incluí no meu currículo. Agora, decorridos 18 anos, o Prof. Cavaco Silva concretizou o que tinha sido a matéria da sua proposta de 1992.”

- A PRESTAÇÃO DE PORTUGAL. Há pessoas que falam esteve bem, outras que dizem que esteve mal. Daí este meu meio termo. Agora, não podemos esquecer que em 4 jogos apenas ganhamos um! Não foi brilhante, pois não podemos encarar os empates e derrota como positivos. Dentro desta “nota”, destaco como excelentes excepções o Eduardo e o Fábio Coentrão. Houve muita gente a “engolir a seco” aquilo que disse indevidamente sobre o Eduardo, antes do Mundial e após ter sido convocado como titular. - O PROCESSO CARLOS QUEIROZ. Não houve resultados e fragilizou-se o Seleccionador. Há responsabilidades, não sei de quem, mas há! Desde o início que algo não estava bem: desde o caso Pepe, ao caso Nani, ao caso Deco, passando pelo Ricardo Costa e acabando no Cristiano Ronaldo. Foram demasiados casos evitáveis que não ajudaram a ter-se uma selecção mais forte e coesa.

Junta de Freguesia de Paranhos

FLORISTA DO CAMPO LINDO

Rua Álvaro de Castelões, 811/831; 4200-047 Porto

Lg. do Campo Lindo, 47; 4200 Porto

PUB

Tel. 225020046 Fax 225503714

www.jfparanhosporto.org

Julho-Agosto.2010

Av. 5 de Outubro, nº 23 r/c; 1050-047 Lisboa tel: 213 551 127

Tel.: 225026052

Fotos: D.R.

+

Vasco Graça Moura

João Garcia

Treinador profissional de futebol

Domingos Paciência

O JV solicitou aos condecorados portuenses (só não o é João Garcia), um depoimento sobre esta condecoração e de que forma influi e influirá na sua forma de ser e de estar na vida, no presente e no futuro.


www.youtube.com/jornalveris

Culatra, Armona, Farol e Tavira...

turismo /13

ARR

Eis algumas das ilhas a sul do Algarve onde vale a pena ir visitar, para passear, desfrutar das paisagens e da boa comida nos restaurantes locais.

ARR

Moncarapacho: destino aprazível para férias, no Vila Monte Resort | texto, adapt. e pesquisas: ARR |

O

Vila Monte é um “Country

Resort”, um hotel de charme e conforto de 4* (passa bem como sendo de 5*) que se estende por 9 hectares de suaves colinas e jardins luxuriantes, ficando apenas a 10 minutos da praia. Nesta estância, pertencente à cadeia «Lágrimas Hotels & Emotions» e situada perto de Olhão, respira-se um clima exótico inspirado nas memórias deixadas pelos Mouros no Algarve. O Hotel detém 53 quartos, que se espalham por quatro edifícios, cada um com a sua atmosfera especial: o exotismo do Kasbah, a tranquilidade do Riad e o seu pátio interior, a influência hispanoárabe e andaluza do laranjal da Orangerie e a privacidade da Vila Índigo.

Muitos turistas, amantes e visi-

Integrado no Hotel Vila Monte e escondido no fundo do jardim, por entre as buganvílias, o Kasbah Spa inspirou-se no ambiente envolvente de cariz muçulmano. A decoração é cuidada e todo o espaço convida à entrega e à descompressão, num verdadeiro clima das arábias. Possui uma variedade de tratamentos que visam o bem-estar. Poderá optar por massagens de aromaterapia; banho árabe; Shiatsu; Quiromassagem; Do-in; Tui-Na; Reflexologia; hammam com esfoliações berberes, entre outras. Quando o tempo favorece existe uma tenda marroquina montada no exterior, permitindo usufruir das massagens e da natureza. Sempre ao som de melodias Berbere e saboreando chá verde e infusão de menta.

Cozinha algarvia O restaurante Orangerie do Vila Monte Resort oferece uma cozinha feita à base de produtos algarvios, dos peixes vindos do mercado de Olhão ao mel vindo da Serra de Monchique. Há também muitos ingredientes utilizados que são produzidos biologicamente na quinta do Hotel, nomeadamente citrinos, figos, alfarroba, amêndoa e ervas aromáticas.

Um atractivo de Golfe Pode beneficiar-se também neste Resort de 10 campos de golfe sitos a uma distância de menos de 30 minutos e dos 3 buracos existentes no próprio hotel, que tem uma parceria com a West Algarve. Ou seja, quem quiser experimentar dar umas “tacadas” no Vila Monte pode ter uma aula grátis, de 2.ª-feira a sábado (mediante reserva e disponibilidade).

PUBLICITE AQUI, POR BOM PREÇO. ESTE ESPAÇO TAMBÉM PODE SER SEU!

PUB

PUB

PARCEIRO

Kasbah Spa

D.R.

tantes deste espaço atribuem-no como um dos melhores segredos guardados na hotelaria algarvia, e com exímia razão de o ser! Ou não fosse recomendado pelo Guia Michelin 2010 e tivesse angariado a chave de ouro do Prémio “Boa Cama, Boa Mesa” (jornal Expresso) nos anos: 2006, 2007, 2009 e 2010. Descobre -se aqui um Algarve diferente, mais sereno, mais interior, com outro deslumbre que nem sempre - e/ou raramente - se encontra em locais mais mediatizados e frequentados ao sabor de modas. No Vila Monte vive-se o exterior à sombra das alfarrobeiras centenárias ou num terraço com vista para o

mar. À volta, nada melhor que ir às ilhas de barco, a Olhão, a Tavira e à Ria Formosa.

mail:

jornal.veris@gmail.com


Envie-nos os seus textos e sugestões!

14/

A Missão 2010 não pára!

religião Bom Pastor

ção que entendemos, que nos entregamos, que amamos”

D. Manuel Martins

Para que sim ou para que não? falar ainda da

visita de Pedro a Portugal, o acontecimento que marcou a Igreja e o País, mas, a respeito disso, deixo só esta pergunta incómoda: e agora?

É que esta pergunta incómoda

tudo nesta época em que vemos as nossas igrejas cheias de festas, principalmente as festas da Primeira Comunhão e as festas do Crisma. Vamos dizer que todas elas foram preparadas com devotado cuidado e que a sua realização nos encheu a todos de muita alegria e de alguma esperança. Todavia, tenta e torna a tentar misturar-se com estes senti-

memória, mas terá sempre que privilegiar o coração. É com o coração que entendemos, é com o coração que nos entregamos, é com o coração que amamos. Jesus “apanha-se” primeiro e mais fortemente com o coração. E assim, de cada sessão de Catequese deve resultar uma crescente paixão por Jesus Cristo.

Estarei errado?

Perante este mais que possível espectáculo, rebenta cá de dentro esta pergunta-desabafo: então, que fazer e como fazer? Pelo menos julgo que nunca podemos perder de vista esta verdade: a Catequese é enriquecimento da inteligência e da

ARR

anda teimosamente comigo, sobre-

mentos um outro que dá pelo nome nada simpático de medo. Temos medo que estas crianças e estes jovens, no fim das suas festas se esqueçam do caminho da Igreja e dos compromissos que nela assumiram, considerando-se lindamente arrumados. Um Bispo português ainda há pouco, com a voz marcada pela tristeza, chamava a estas festas as festas do abandono. E o pior é que, em boa parte dos casos, é mesmo verdade. A seguir, sim a seguir, pode vir também o desânimo dos agentes de pastoral que tão dedicadamente se entregaram a este serviço…

“É com o cora-

Bispo Emérito de Setúbal e ex-Presidente da Fundação SPES

Apetecia-me

Mesmo sem actividades de referência nestes dois meses balneares, não deixam de sugerir a Missão na religiosidade popular.

T AI Z É em P a ran h o s. . . EN C. M ENS AL D E GRAN D E ES PI RI TUALI DAD E

Convite à Comunidade local: noite de Luz! “Para mim a Oração de Taizé diz-me algo que é difícil explicar por palavras. Vem assistir à nossa Oração no dia 26 de Julho, às 21h30, e verás como é compensador o Silêncio, a Alegria, a Paz e a

Fé. Contamos consigo na cripta da nova igreja de Paranhos, neste e em todos os meses.” Manuela Coelho (da Equipa Coordenadora)

B o a s S e nd a s… FES TA EM H O N RA D E NO SSA S ENH O RA DA SAÚD E - PO RTO , P ro g ram a ’ 1 0 ARR

30 Julho sexta 21h – Grupo Arte e Juventude (em parceria com a Associação Ocupação Sadia do Lazer) 31 Julho sábado 21h – Noite Académica (participação de Tunas do Pólo Universitário)

PUB

1 Agosto domingo 15h – XXIX Festival Internacional de Folclore de Paranhos (em parceria com o Rancho Folclórico de Paranhos). Actuarão: Rancho Folclórico de Paranhos (Portugal), Rancho Folclórico de S. Pedro de Cête (Portugal), Rancho Folclorico de S. Romão do Coronado (Portugal), Rancho Folclorico de S. Miguel-o-Anjo (Portugal), Ballet Folkloric Orizaba (México) e Volnaya Steppe (Rússia). 2 Agosto segunda 21h – PRATA LATINA (música de baile) 3 Agosto terça 21h – DUO REALCE (música de baile) 5 Agosto quinta 4 Agosto quarta 21h - TRIO BATIDA 21h – ART MUSIK (música de baile) (música brasileira)

DE CÔCO

6 Agosto sexta 21h - BANDA LUSA (música de baile) 7 Agosto sábado 21h - Danças Latino-Americanas (parceria com o Clube de Danças de Salão do Porto) 8 Agosto domingo 21h – IX Grande Noite do Fado de Paranhos (em parceria com o FC Amial e Regado). Apresentadores: José Carvalho e Sandra Cristina; Conjunto de Guitarras: Manuel dos Santos e António Cardoso. 9 Agosto segunda 21h – VITORIANOS (música de baile) 10 Agosto terça 21h – NECALOPES E LILIANA (música de baile) 11 Agosto quarta 21h – OSIV (música de baile) 12 Agosto quinta 21h – MIGUELÃO DO ACORDEÃO (música

de baile) 13 Agosto sexta 21h – PONTO FIXO (música de baile) 14 Agosto sábado 21h – ROMILDO E DOMINGOS (música brasileira) 23h45 – Espectáculo de Fogo-de-Artifício (Jardim de Arca D’Água) 15 Agosto domingo 9h – MISSA (Capela do Campo Lindo) 11h – MISSA SOLENE e PREGAÇÃO (Capela do Campo Lindo) 15h – Entrada das Bandas de Música 16h – Majestosa Procissão em Honra de Nossa Senhora da Saúde (saída da Capela, percorrendo as principais artérias da Freguesia) 21h – Concerto pelas Bandas (Lg. do Campo Lindo): BANDA MUSICAL LEVERENSE e BANDA MUSICAL S. MARTINHO 23h45 - Espectáculo de Fogo-de-Artifício (Largo do Campo Lindo).

Av. Fernão Magalhães, 600; 43504350-150 Porto

PUB

Tel.: 225 106 215

Julho-Agosto.2010

mail:

jornal.veris@gmail.com


Adquira a Promoção dos Produtos JV!

Matilde Rosa Araújo: a sua obra perpetua

cultura /15

Esta escritora lisboeta viu a sua vida terminada na terra, após 89 anos intensos e muito dedicados à Literatura. Morreu em 6/07 e deixou + de 40 livros.

COOL inária

1. Lavar os morangos e cor-

Chef Executivo da Cozinha do Sheraton Porto Hotel & Spa

tar a meio e colocar em copos de vinho ou Taça de gelado. Colocar a Bola de gelado sobre os morangos, fazer o creme de Vinho do porto; juntando numa taça de inox as gemas, o açúcar, o vinho do Porto e a água. Vai a cozer em banho-maria a bater com umas varas até levantar e ficar um creme fofo. Colocar o creme sobre o gelado e servir de imediato. BOM APETITE!

Jerónimo Ferreira

Copo de Morangos com gelado de Chocolate e creme de Vinho do Porto (4 pessoas) 2 Gemas de Ovo 2 Colheres de sopa de Açúcar 2 Colheres de sopa de Vinho do Porto 2 Colheres de sopa de Água 100 g. de Morangos 4 bolas de gelado de Chocolate.

Sugestões de... Professora Universitária e ex-Ministra da Cultura

Isabel Pires de Lima

1. FESTIVAIS DE MÚSICA DE VERÃO

O Verão é época de Festivais de Música e o Norte tem muita oferta. Três excelentes festivais com

Professor

Miguel Cunha

Palavras cruzadas

JF

-

Entretenimento

programação rica e diversa são de alcance fácil para quem vive na zona metropolitana do Porto. Comecemos dos mais antigos para os mais novos, mas todos recomendáveis: - 36.º Festival Internacional de Música de Espinho (30 de Junho a 30 de Julho); - 32.º Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim (9 a 31 de Julho); - 17.º Festival Internacional de Música de Vila Nova de Gaia (17 de

Junho a 17 de Julho). Pode conhecer a programação de qualquer um deles através das agendas online ou não das autarquias que os promovem. Depois de um fartote de futebol é a oportunidade de ter um fartote de música… 2. EXPOSIÇÃO DA REPÚBLICA

E claro, em ano de comemorações da República, mais uma sugestão que o pode levar a conhecer bem melhor os primeiros tem-

pos da República Portuguesa. Vá ao Museu da Imprensa, situado na beira -rio, em local bem aprazível de Verão, junto à ponte do Freixo, e visite a exposição “A República na Imprensa: do Porto a Lisboa”. Aí poderá conhecer muitas das relíquias dos jornais republicanos que desempenharam um papel relevante em todo o processo da implantação da República e no debate ideológico que em seu torno se gerou e poderá ainda experimentar como à época se imprimiam jornais e trazer dessa experiência uma recordação.

A lm a n aq ue l i te rá rio É

PROCURAR A SABEDORIA, PARTILHAR CONHECIMENTO

Ed.: Cofanor A.: Daniel Serrão Ano: 2010 | N. Pág.: 117

Daniel Serrão entende que esta passagem de conhecimento em conferências – apresentadas no livro – resultou dum ensaio para que se percebesse a integração dos cinco textos da 1.ª parte. Na 2.ª parte incluem-se as palestras que este paranhense de residência fizera na Cofanor. Para o autor, o livro “reflecte a sabedoria com «s» pequeno, pois com o «S» grande ainda procuro atingir”. Para Leonor Beleza, o ensaio aqui apresentado por Daniel Serrão é “muito erudito e sofisticado”, que pensa sobre as coisas “de forma inquieta e permanente”.

Ed.: EDIUM ED. A.: Fernando de Castro Ano: 2010 | N. Pág.: 127

DO

PORTO E SEMPRE NOSSA, M.ª AMÉLIA CANOSSA

Maria Amélia Canossa é de todos conhecida, particularmente pelos Portistas, como a cantora do Hino e da Marcha do Futebol Clube do Porto. No entanto a sua projecção no mundo artístico português vai muito para além dessa perpétua associação: entre os anos de 40 e 60 Maria Amélia Canossa protagonizava os maiores êxitos musicais, partilhando as preferências do grande público com Amália Rodrigues, Simone de Oliveira, Maria de Fátima Bravo, Tony de Matos, entre outros. Esta fotobiografia traça o percurso duma carreira e vida vivida na Invicta.

A GRANDE SEPARAÇÃO (RELIGIÃO,

Ed.: GRADIVA A.: Mark Lilla Ano: 2010 | N. Pág.: 315

POLÍTICA E…)

As paixões religiosas estão na ordem do dia da política mundial. O propósito de colocar a vida política sob a autoridade religiosa foi reavivado, frustrando as esperanças num futuro secular universal. O tema deste livro é, por isso, de uma dramática actualidade. Nele, Mark Lilla, notável historiador das ideias, leva -nos a questionar o que julgávamos saber acerca da religião, da política e do destino das civilizações, e recorda-nos a trajectória única do Ocidente moderno e aquilo que é necessário fazer para a preservar.

GRANDE PROMOÇÃO: Produtos com marca JV. Compre o Pack, poupe €5,50! SACO PARA GARRAFA DE VINHO = €3,50 ESFEROGRÁFICA = €0,50

DOMINÓ(cx.mad.)= €4,50

BOLSA A TIRACOLO = €5

€25,50

BARALHO CARTAS = €3

BOLA DE PRAIA = €3 PORTA-CARTÕES = €2,50

Tudo (as 11 PORTA-FOTOS peças) = €2,25 por:

BOLSA PORTA-CHAVES = €2

BLOCO DE NOTAS = €2,25 12 LÁPIS COR = €2 mail:

com Oferta de saco ‘non-woven’ JV

jornal.veris@gmail.com


Uma (re)Acção com nobre missão!

16/

últimas

Ganhe bilhetes para este musical... Se deseja ir ver a peça “Annie” de F. La Féria, torne-se novo Assinante JV ou ofereça uma assinatura e acumula com outros prémios (ver pp.1 e 10).

re D e sco b ri r ARR

‘sxc’

Veritas Cogitum

Resp. de Junho: Praça Parada Leitão. Vencedor: NÃO HOUVE.

BD ‘Filhos do Holocausto’ Ilustrador e Designer

PUB

Francisco Cunha

Julho-Agosto.2010

ONDE FIFICA ESTA IMAGEM? O/A assinante que responder certo e mais rápido (via mail, fax ou sms) ganha 1 livro e 2 entradas na peça ‘Annie’ T. Rivoli.


Julho 2010