Issuu on Google+

RENOVE JÁ A SUA ASSINATURAJV PARA 2010: PREÇO IGUAL!

Advento / NATAL 2008 Presépio em iluminação de rua, na Frontaria da Igreja das Carmelitas, (Praça dos Leões - PORTO) Deixamos, nesta edição, algumas sugestões de visitas a Exposições nacionais de Presépios (p. 10)

ARR

ANO I | N.12 | DEZEMBRO 2009| Director ANDRÉ RUBIM RANGEL| AVULSO: €1,40 ASSINATURA NORMAL: €14| PARANHOS - PORTO

NESTAEDIÇÃO, FALANDOCOM...

Tempo solidário de trabalho e esperança, Tempo espiritual de alegria e fraternidade, Tempo verdadeiro de justiça, paz e amor! ver pp.2, 8 e10

p. 3

p. 4

p. 8

NESTA EDIÇÃO, OFERTA DESTE ‘LIVRINHO’ SOMENTE PARA ASSINANTES DO JV...

Para assinalarmos neste mês o aniversário da Decl. Universal dos Direitos Humanos e vivermos o espírito natalício, combatendo a pobreza, propusemos às Escolas de Paranhos - para dias 10 e 11 - uma Acção Solidária com recolha e entrega de géneros alimentares, brinquedos e pijamas (ver destinatários, p.8). Convidamos todos os Leitores JV interessados a associarem-se à Campanha: deixem esses bens até dia 9 (tarde) no Gabinete JV. São padrinhos: RUI BARROS e VANESSA FERNANDES! ◘

Sarau Cultural Solidário, Fórum JV e Jantar Social Já estamos a um mês de comemorar o 1.º aninho do

JV. Desejamos contar com o apoio e a presença amiga de

NESTA EDIÇÃO, DAMOS-LHE CONTA DUM FEITO HISTÓRICO PARA PARANHOS, EM 2010: CONSEGUIRMOS AS RELÍQUIAS VERDADEIRAS DE SÃO VERÍSSIMO… p. 3

p.3

Os homens de Paranhos na “ordem geracional”

p.5

Lançar da semente do JV nas Escolas: significativo!

todos os Assinantes e Leitores no programa festivo desta efeméride, com eventos a custos simbólicos, de modo a cobrir as despesas e, sobretudo, a ser-se filantrópico com causas sociais das quais não queremos alhear-nos. Brevemente haverá bilhetes à venda! 24 Jan. 2010 é o grande dia: teremos um Sarau Cultural. Haverá também um dia de Fórum, 11 Fev., sobre a «Verdade». Marque na Agenda! ◘

p.8

J. M. Júdice e D. Serrão com o Núcleo do Porto AI

Leia as crónicas dos nossos afamados Colunistas


local

02 02 Dezembro 2009

AUGÚRIOS

NÓS POR AÍ… André Rubim Rangel

Manuel Martins

Jornalista, Professor e Coordenador do Núcleo do Porto da Amnistia Internacional

Vicentino e Pároco de Paranhos (Porto)

A

Advento e Natal

dvento é tempo de preparação e de espera. À semelhança do Povo de Israel, o povo do Antigo Testamento, também nós a Igreja, o Novo Povo de Deus somos convidados em viver em atitude de espera orante e vigilante preparando a última vinda de Cristo.

O mundo em que vivemos é belo, mas ainda não é perfeito. Esperamos novos céus e nova terra onde reine a justiça e a paz.

O ano da Missão diocesana está aí à porta. Entre nós

já fomos realizando algumas iniciativas preparatórias, mas precisamos de calçar as sandálias do missionário, munirmo-nos do bordão do peregrino e da cabaça do caminhante para sair ao encontro do irmão especialmente aquele que anda mais afastado de Cristo e da Igreja. É uma tarefa de todos, começando cada qual por si próprio.

Q

ue o Senhor nos estimule e nos fortaleça neste caminho da ‘Missão 2010’ e nos leve cada vez mais à felicidade de sermos seus amigos.

Votos de um Santo e Feliz Natal e de um ano 2010

muito fecundo em boas obras de paz e de amor. ◘

PÚLPITO DO LEITORADO

“Tomei a liberdade de escre-

ver-lhe este mail, porque ao ler o Jornal VERIS de Nov., na "Rectrospectiva", onde se dava conhecimento à comunidade do 30.º aniversário de um grupo da paróquia, deram como nome “Semente é Esperança”, mas o nome correcto do nosso grupo do Renovamento Carismático Católico é "FERMENTO É ESPERANÇA". (…) Escrevi «nosso grupo», sim, pois “orgulhosamente” faço parte dele, porque Deus assim quis.

Confesso que não vivo em Paranhos, nasci lá, mas vivo na Senhora da Hora. Pela vontade e graça de Deus, fui levada para lá pela Mariete. E muitas graças dou a Deus, pelo dia, pelo momento, em que Ele me empurrou por aquela porta dentro. Tão carinhosamente fui recebida, tanto amor tenho recebido daqueles meus irmãos e de Deus. Muito tenho aprendido e crescido na Fé, nos caminhos do Senhor. E por isso não me canso de dar graças a Deus, por esses dia em que Ele me guiou para aquela pequena porção do Seu rebanho. E, como todo o rebanho, precisa do seu Pastor!” ◘

Cristina Valente

(Sr.ª da Hora, Matosinhos)

Este Tempo que agora nos

assiste é sempre particular, porque envolto numa manjedoura de (con)sentimentos e mantimentos que se dão, sem a preocupação de antes e/ou depois receber. Aprendi, há dias, com o nosso Bispo do Porto (agradeço particularmente por colaborar connosco nesta edição), uma nova lição mistagógica sobre o Advento, desmistificando aquela leitura geral e primária que se faz sobre este ritmo de 4 semanas, de ser preparatório ao Tempo natalício. Ora o Advento existe para “corresponder à expectativa do cristão da vinda do Senhor. Ele não existe para preparar o Natal, mas para assegurar que Jesus vem!”. Daí, as primeiras semanas do Advento reportarem mais, pelos seus textos bíblicos, para a última vinda (= Parusia), através da linguagem apocalíptica; e, a partir de 18 Dez., apontar para o 1.º advento de

Se eu não tivesse medo de voar E com toda a alma incendiar Outros corações voariam também Dando a vida pelo meu Bem. Se ainda mais longe e mais voasse No Teu colo eternamente repousasse Nesta ânsia de querer meu Bem-amado Ficar sempre contigo ao Teu lado. E se eu tivesse o coração na alma E se incendiasse com toda a calma Transformando as minhas penas em luz Nesse fogo de amor que és Tu Jesus.” ◘ Ir. Rosário Oliveira (Paranhos)

E

ste reino desejado começa já aqui na Terra, quando a encararmos como um pedaço de Céu e a descarnarmos e descartarmos dos constantes males humanos cometidos. Cada um/a, na sua Dignidade humana, é chamado/a viver e a cumprir os Direitos Humanos (DH), porque lhe pertencem por direito, pela via análoga, intrínseca e transversal à prescrição recta dos deveres individuais e colectivos. Direitos e Deveres são um só coração, uma só ‘bomba’ orgânica, que não se podem separar, senão morrem… E quantos dissuadem e executam esta lógica racional!!! Celebremos sempre, na coerência e sapiência do modus operandi, os DH, e não apenas quando se lhes atribui o «Dia Mundial» ou «Internacional» disto ou daquilo. É pela acção do coração, equilibrado com a razão, que lá vamos!

E

ste modo de ser/estar coaduna-se e fibrilha com a acção que o JV começou a realizar com as escolas de Paranhos, num (im)pulso empreendedor. A Comissão Europeia considera o empreendedorismo uma competência essencial, apelando à promoção do mesmo na Escola. É fundamental esta atitude de iniciativa, de vontade de mudança e inovação, e de identificação de áreas demonstrativas do potencial empreendedor. ◘

N O V O S ASSINANTES

“Se eu fosse uma águia pura

E voasse sempre nas alturas Com o coração enamorado À procura do Meu Amado.

Cristo, que como se reza assim se deseja: «Venha a nós o Vosso Reino».

LEÇA DO BALIO (Matosinhos): M.ª Emília Costa; MAIA: Ana Rosa Santos; PEDROUÇOS (Maia): Joana Bragança; PORTO: Ana M.ª Monteiro, Ana Pratas (benfeitora), António J. Alves, António P. Silva, Centro de Caridade M.ª Sr.ª Perpétuo Socorro, Colégio Júlio Dinis, Colégio LusoFrancês: Biblioteca e Comunidade, Escola Sec. António Nobre: Biblioteca, Escola Sec. Filipa de Vilhena, Helena Azevedo, Ilda V.

Costa (benfeitora), Irene Queirós, José C. Moreira (Infantário ‘O Popas’), Lourenço Magalhães, Luís Moreira, M.ª Assunção Portela, M.ª José Silveira, M.ª Paula Fernandes, M.ª Paula Pereira, M.ª Rosário Cunha, Rosa M.ª Marques, Rosa M.ª Santos, Rosa Pinto; S. MAMEDE INFESTA (Matos.): Paula Quelhas; VILAR DE ANDORINHO (Gaia): Natália de Almeida; Muito Obrigado Assinantes e Benfeitores. Bem hajam! ◘

FICHA TÉCNICA FUNDADORES: ARR e MM; DATA FUNDAÇÃO: 24/01/2009; DIRECTOR: André Rubim Rangel (CP 8286); ADMINISTRADOR: Manuel Martins; EDITOR: Paróquia de S. Veríssimo de Paranhos (Porto); PROPRIEDADE: Comissão Fabriqueira; REDACTORA E SECRETARIADO: MiZé Matos; CONSELHO CONSULTIVO: Agustina Bessa-Luís, Artur Santos Silva, Daniel Serrão, Germano Silva, José Azeredo Lopes, José Marques dos Santos e Ricardo Jorge Pinto; COLUNISTAS: Benedita Rangel Valente, Daniel Serrão, Emílio Rui Vilar, Guilherme Sousa, Hélio Loureiro, Isabel Pires de Lima, José da Silva Peneda, Manuel Martins, Maria Botelho, Maria Helena Costa, Maria Rosa Silva, Executivos da JFP e Vasco Graça Moura;

CORRESPONDENTE: José Cordeiro (Vaticano); COLABORADORES NESTA EDIÇÃO: A. F., Amélia Vieira, Ana Maria Príncipe, Artur Santos Silva, Assunção Portela, Benedita Rangel Valente, Cristina Valente, Daniel Serrão, Daniela Ramos, Emílio Rui Vilar, Escolas de Paranhos envolvidas no Projecto «Workshop JV», Eunice Muñoz, Guilherme Sousa, Isabel Pires de Lima, José Marques dos Santos, José Raposo, Josefina Soares, D. Manuel Clemente, Maria Botelho, Maria Helena Costa, Natália Lemos de Almeida, Ricardo Jorge Pinto, Rosário Oliveira, Thomas Hammarberg e Virgínia Almeida; COOPERADORES: Alcina Ferreira, António Oliva, José de Azevedo, José Pinheiro, Liliana Coelho, Manuel Madureira, Manuel Oliveira, Maria José Pinto e Mariete Valente; TESOUREIRA: Sara Sousa; MARKETING: Filipe Couto e José Mário Lopes; REVISOR/TRADUTOR: Guilherme Sousa; INFORMÁTICO: Arlindo Pereira; DESIGNER E TRATAMENTO FOTOGRÁFICO: Álvaro Santos; FOTOGRAFIA: Agência Lusa, ARR, Liliana Coelho e ‘sxc’; REPROGRAFIA: Emília Sousa; EXPEDIDORAS E STAFF: Catarina Magalhães, Cláudia e Maria João Silveira, Manuela Coelho e Tereza Oliva; MEDIADORES: Custódia Valente, Filipe Couto, Maria do Rosário Rangel e Luísa Sousa; IMPRESSÃO: Artes Gráficas ‘Júlio Ramos & Filho, Lda’ (Porto). EDIÇÃO FECHADA EM 3/12, ÀS 23H50. BENFEITORES: AGRUP. CNE 1104 PARANHOS, ALCINA FERNANDES, ANA MARIA PRÍNCIPE, ANA PRATAS, ANTERO MELO, ANTÓNIO AMORIM, ANTÓNIO LOPES, ANTÓNIO MESQUITA, ANTÓNIO RAMOS, EDUARDO TAVARES, ERMELINDA CHIBANTE, ESMERALDA COSTA, FÁTIMA DIAS, FERNANDO SEQUEIRA, FERNANDO SOUSA, FRANCISCO RIBEIRO, HORÁCIO TEIXEIRA, ILDA COSTA, JAIME LOPES, JOAQUIM CARDOSO, JOSÉ MÁRIO LOPES, JOSÉ MIGUEL LOPES, JOSÉ PINHEIRO, JOSÉ PAULO PINHEIRO, JOSÉ DE VASCONCELOS, LICÍNIA SOARES, MANUEL GONÇALVES, MANUEL OLIVEIRA, MIQUELINA NOGUEIRA, NÉLSON PICÃO, TEREZA OLIVA, UNIVERSIDADE SÉNIOR CONTEMPORÂNEA (USC) E VICTOR SEABRA. PARCEIROS: Coliseu do Porto, JFP (Junta de Freguesia de Paranhos), Jornal ‘Grande Porto’, Parque Biológico de Gaia, Park & Zoo St. Inácio, Rádio ‘Sim’, Sea Life Porto, Teatro Rivoli (“Todos ao Palco”), Teatro Seiva Trupe e USC. PERMUTAS: ‘Cultura e Fé: Revista de Humanidades’ (Porto Alegre - Brasil); Editoras - Aletheia, A.O., ASA, Bizâncio, Civilização, Difel, Gradiva, Sílabo e Vozes; IPP; Jornal ’As Artes Entre As Letras’ e Revista ‘Família Cristã’.

CARACTERÍSTICAS

Título: “Jornal VERIS”; Sede: = Editor; Periodicidade: Mensal; Tiragem: 600 ex.; N. Pág.: 12; Formato: A3 (‘Tablóide’); Preço Avulso: €1,40; Assinatura Normal Anual: €14,00; Assinatura Benfeitor: ≥ €25,00; Preço de Publicitário: €120,00 por ano (+ €14, se desejar receber JV ) - tamanho base = 5 x 4cm (tamanhos superiores = aumento proporcional ao de base: €240, €360, €480, …, por ano); NIPC: 502022043; Registo ERC: n.º 125599; Depósito Legal: 287693/09; Sócio AIC: n.º 268; Postos de Venda: Cooperadores, Fundação Voz Portucalense, Junta de Freguesia e Casa de Cultura de Paranhos, Livraria Paulinas, Papelarias: Êxito. Globo. Ímpar e Palavrideias (entre outras), Sede JV ; NIB (MG): 0036 0127 99100027318 75.

CONTACTOS Horários do Gabinete do JV : Atendimento público - Domingos, 9h15 - 11h45 | Terças-feiras, 18h30 - 19h30 | Sábados, 9h30 - 10h15; Endereço: A/C do Director, Largo da Igreja de Paranhos , s/n, 4200-325 PORTO; Endereço Electrónico: jornal.veris@gmail.com; Blogue: http://jornalveris.blogspot.com; Rede Social: http://twitter.com/JornalVERIS; Fax: 220 113 159; Tel.: 225 020 729. ◘

D.R.

O P. António Manuel Bernardo Martins, Pároco de Paranhos, foi nomeado a 25/11 pelo senhor Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, para novo Capelão da Zona/Serviço Prisional das instalações da Polícia Judiciária do Porto, sediada na Freguesia de Paranhos. ◘


local

03 03 Dezembro 2009

PROGRAMA “PELOS LUGARES DE S. VERÍSSIMO”

PASSEIO: GR. DE CASAIS

Realizou-se

Paranhos poderá ter Relíquias de S. Veríssimo, através do JV

no dia 25 de Outubro o passeio do Grupo de Casais de Paranhos. Teve início às 7h30, com destino ao Santuário da Lapa. Antes de lá chegar parámos em Lamego, onde tomamos o pequeno-almoço. Estava um dia chuvoso. Apesar disso reinava boa disposição entre todos, incluindo o nosso pároco que nos ia expli-

Assunção Portela

Actriz (81 anos)

Muitos Parabéns!

Está como o Vinho do Porto: quanto mais velha melhor... EM - (risos) Isto é a minha natureza que ainda está a funcionar. Estou bem, com a protecção dos meus médicos, que me são muito dedicados.

Com mais de 100 personagens representadas, como é possível dissociar-se completamente delas? EM - Não sei, mas tenho conseguido. Quanto maior é a intuição e o instinto dum actor, mais capaz se torna de concretizar. Depois desta peça em cena no TNMD II, o que se segue? EM - Vou estar com ela no Porto, 7 a 31 de Jan., no S. João. Se Deus quiser, vou fazer uma novela - “O bater do teu coração” -, que começa também em Janeiro. Já recebi o guião para estudar.

ARR

Josefina Soares Abordou duas vezes Deus nas suas respostas: mera força de expressão ou fé séria? EM- Sou profundamente crente, sinto sempre Deus presente. Não poderia ser de outra forma! ◘

Rito do Ícone da Amizade

19 DE OUTUBRO Na missa das 19h aconteceu algo de inusitado: o baptismo de dois irmãozitos, o Francisco e o Eduardo, no dia dos 85 anos da sua bisavó. Começaram as Catequeses Neo-Catecumenais. Irão prolongar-se durante dois meses, às segundas e quintasfeiras, às 21h30h, no Centro Pastoral.

25 DE OUTUBRO Apesar da copiosa chuva que caía em terras do Douto Litoral, o Grupo de Casais fez o seu Passeio-Convívio ao Santuário da Senhora da Lapa. A primeira paragem, ainda com chuviscos foi em Lamego. Depois, já sem chuva mas com nuvens, a missa na Senhora da Lapa ao meio dia e o almoço no restaurante ‘Judeu’. De tarde, já em terras durienses bem ensolaradas a passagem por São João da Pesqueira e o regresso ao Porto com a chuva a dar-nos as boas-vindas.

1 E 2 DE NOVEMBRO A romagem ao cemitério foi molhada. Nem por isso deixámos de cumprir os nossos deveres para com os fiéis defuntos. Celebrámos a missa e rezaram-se os responsos: o Pároco da Areosa presidiu, o do Amial pregou a homilia e o resto (orientação litúrgica e cânticos) esteve a cargo da paróquia de Paranhos.

13 DE NOVEMBRO Em reunião do recém-eleito Conselho Pastoral Paroquial discutiu-se, emendou-se e aprovou-se o nosso Plano Pastoral para este ano 2009-2010.

15 DE NOVEMBRO Foi o dia escolhido para o nosso Magusto Paroquial. Houve mais um almoço Convívio de angariação de fundos, que desta vez encheu completamente o salão e de tarde o Magusto Convívio que agradou a todos os participantes que encheram a parte de trás da Cripta.

29 DE NOVEMBRO Na missa das 10h30, na Cripta, houve admissão e investidura de novos acólitos e a renovação de compromisso de todos os restantes, mais novos, que habitualmente frequentam esta mesma eucaristia. À noite, na missa das 19h, animada pelo Grupo de Jovens Nova Esperança, fizeram a sua promessa os acólitos mais velhos. E na missa das 12h foi recebido o ícone da Amizade, que percorre as paróquias de Acolhimento na preparação do Encontro Ibérico de Taizé, a realizar no Porto nas férias de Carnaval. Estará entre nós até dia 5 de Dezembro. ◘

EUNICE MUÑOZ

E tenho isto que me Deus me deu, a capacidade de comunicar. Neste caso, de comunicar uma grande emoção. De todo o caso, tomo muito conta de mim, sou o meu auto-controlo.

cando entre vales e montanhas que tudo tinha o seu encanto. As árvores semidespidas com algumas folhas amareladas anunciando o Outono. Como a vida é bela, a natureza, as pessoas que nos rodeiam, a vida que é vivida com a graça de Deus faz-nos voltar ao tempo de meninos e meninas que já passamos e então chegamos ao nosso destino. Assistimos à missa celebrada pelo nosso P. Martins. No fim da celebração visitamos o santuário, e logo se seguiu o almoço. Durante a tarde aproveitamos para ver a região, bem como S. João da Pesqueira, terra natal do pároco. Um bem-haja a todos os que participaram. Ficamos desejosos pelo próximo e que se repitam muitos mais. ◘

LC

FALANDO COM...

ANIVERSÁRIOS

ARR

N

o dia 3 de Outubro celebrou-se a festa do nosso Padroeiro, S. Veríssimo! O Jornal Veris nesse mês apresentou algumas imagens de diferentes Paróquias do norte do país. O Director do Jornal, com a finalidade de compreender as diferenças existentes nas respectivas imagens, organizou uma viagem nos dias 21 e 22 de Novembro a várias paróquias que são dedicadas a este santo mártir! Foram 26 os “peregrinos” inscritos, ligados a Paranhos - Porto. No primeiro dia visitamos a de Tamel em Barcelos, a de Lagares em Felgueiras, a de Nevogilde em Lousada e a de Amarante. Em Nevogilde, encontram-se também as duas irmãs Máxima e Júlia. Uma das imagens tem um bordão na mão, pensa-se que seria um romeiro. Após o almoço seguimos para Lisboa. Depois do jantar fomos ao Teatro Nacional D. Maria II ver a peça “O Ano do Pensamento Mágico”, com a actriz Eunice Muñoz. No dia 22 visitamos o mosteiro de Santos-o-Novo. Segundo o guia, o historiador Paulo Costa, este pertencia à Ordem de Santiago da Espada. S. Veríssimo e as duas irmãs teriam sido degolados e deitados ao rio, mas que quando foram encontrados as cabeças estavam no lugar. Foram estes os primeiros Mártires de Lisboa. O guia sugeriu ao Dr. André que fizéssemos um pedido à Irmandade para que esta oferecesse as relíquias de S. Veríssimo à nossa Paróquia. Ele faria o possível para que isso acontecesse, sendo intermediário no respectivo processo. Visitámos ainda a igreja de Santos-o-Velho, onde se encontram também os três mártires. Ao entrar na igreja, do lado direito, existe uma capela onde teriam sido sepultados a primeira vez. A viagem correu muito bem e teve bastante interesse cultural! ◘

RETROSPECTIVA

Manuela Coelho, de Paranhos, a receber o Ícone da Amizade na paróquia da Sr.ª da Boavista (Porto), sendo depois recebido na paróquia de S. Veríssimo (Porto), pelo Pároco, na presença do Presidente da Junta. Passará, depois, para a paróquia de Vilar de Andorinho (V. N. Gaia).

P. Manuel Martins

O Jornal VERIS salvaguarda a identificação correcta dos artigos publicados, que são, por sua vez, da autêntica responsabilidade dos respectivos autores. O JV tem o direito de seleccionar os textos recebidos decidindo o que publicar, mediante os critérios editoriais e estatutários. Deste modo, tem também autonomia de, porventura, cortar partes de texto, caso ultrapasse o tamanho previsto. Quanto aos Pagamentos, quando feitos por cheque, emitam-se à ordem de: Jornal VERIS; e, se transferidos via bancária, façam-se acompanhar do talão comprovativo com o nome do/a Assinante. ◘


local

04 04 Dezembro 2009

INSTANTES I. CONS. PAROQUIAL DE PASTORAL

Novos membros eleitos

CATEQUESE DE PARANHOS

Novo Secretariado... A partir de Jan. 2010 haverá novo Secretariado da Catequese, após vários anos de serviço de Adriano Carvalho. Constituir-se-á por: André Rubim Rangel (Coord.), Bárbara Prado e Ir. Rosário Oliveira. ◘

ERRATA JV - Ed. Nov.2009

As nossas desculpas... Na p.2 (‘Púlpito do Leitorado’), o autor da Poesia escrita é de Fernando Caldeira (séc.XIX). Na p.6 (‘Alvorecer’), onde se lê “canastra”, leia-se canasta; e onde se lê “nossos associados” (7.ª linha do fim), leia-se novos associados. ◘

A

GRUP A N D O

Cursistas No próximo ano de 2010 faz 50

CORTE CELESTIAL

MEMORIAL

FALANDO COM...

EXÉQUIAS - Out.2009

JOSÉ RAPOSO

Na Paróquia de Paranhos…

‘Avó’ Rita

Actor

- Dia 17 de Outubro, no Hospital de São João, faleceu HERMÍNIA DE OLIVEIRA GOMES, de 83 anos, viúva de Manuel da Conceição Lage. (Funeral dia 20 de Outubro, Cemitério de Paranhos); - Dia 21 de Outubro, na sua residência, faleceu MARIA EMÍLIA DE SOUSA, de 90 anos, viúva de Joaquim Nogueira Pacheco. (Funeral dia 22, Cemitério de Paranhos); - Dia 22 de Outubro, na sua residência, faleceu CASIMIRO RODRIGUES DOS SANTOS, de 84 anos, viúvo de Fernanda Moreira. (Funeral dia 23, Cemitério do Prado do Repouso); - Dia 24 de Outubro, na sua residência, faleceu JOSÉ DA COSTA LEAL, de 62 anos, casado com Maria Irene Fernandes Ferreira Leal. (Funeral dia 25, Cemitério do Agramonte); - Dia 24 de Outubro, no Hospital de São João, faleceu ANTÓNIO JOAQUIM MOREIRA, de 81 anos, casado com Maria da Conceição da Silva Pinto. (Funeral dia 25, Cemitério de Paranhos); - Dia 29 de Outubro, na sua residência, faleceu a ROSA DE SOUSA, de 80 anos, casada com Ernesto Pereira Guedes. (Funeral dia 30, Cemitério de Paranhos); - Dia 30 de Outubro, na sua residência, faleceu ESTÊVÃO MANUEL DA ROCHA ALMEIDA, de 55 anos, casado com Maria Cândida de Abreu Gonçalves Almeida. (Funeral dia 01 de Novembro, Cemitério de Paranhos); - Dia 30 de Outubro, na sua residência, faleceu MARIA RODRIGUES, de 84 anos, solteira. (Funeral dia 01 de Novembro, Cemitério de Paranhos);

C

Tem actuado algumas temporadas no Porto, onde tem vivido. O que lhe fica e aprende desta cidade? JR - Venho ao Porto desde 1982. Já tenho uma relação muito próxima, porque normalmente cada espectáculo que faço é trazido cá. Tenho vindo com regularidade. Curiosamente com o Filipe La Féria estreamos cá o «Violino no Telhado» e a «Gaiola das Loucas». Não foram as primeiras que estreei cá. Já tinha feito a revista «Estádio da Nação», com o Óscar Branco, e uma outra antiga no Sá da Bandeira.

ompletaria 99 anos de idade no dia 2 de Dezembro de 2009. Não poderíamos deixar passar esta data sem recordar com saudade, alguém especial que foi um exemplo de vida. Sentimos falta das suas graças e dos fados que com os seus lábios trémulos nos deixava maravilhados, o seu sorriso contagiante que nos transmitia. Apesar de, por vezes, lhe apetecer chorar não deixava transparecer o que lhe ia na alma.

Que junto do Pai peça ao Senhor por todos nós. ◘ Amélia Vieira

D. Zézinha

Há algo que o surpreenda nas peças a nível do público?

S

enhora que eu conhecia há pouco mais de quarenta anos, com saudade recordo a sua casa. Passei muitas vezes a hora do almoço com ela e não era só conversa, também se rezava.

C

JR - Não, porque tenho - como disse - essa relação com o Porto. É como os actores têm dito e é verdade, o público portuense é muito mais aberto, mais expansivo, mais sincero quando gosta, gosta, quando não gosta, não gosta - e as pessoas acarinham muito os artistas dum modo mais físico. As pessoas não são tão frias e distantes como em Lisboa. Por isso, é um prazer estar no Porto, onde estou há um ano seguido. Já estou um “tripeiro de gema” (risos). Acompanhou, portanto, as polémicas havidas sobre a gestão do Teatro Rivoli e respectivas facções culturais. Que opinião tem? JR - Acho que é, sobretudo, uma questão política e não somente cultural. Eu só entrei para estes espectáculos depois dessa polémica toda, não estive quando se despoletou. Mas, por aquilo que me informam, vejo qual vai sendo a realidade: as secções esgotam, trazem muito público, o que já não acontecia há muito tempo! Agora, também acho que a C.M.Porto podia permitir que as Companhias locais tivessem um espaço onde pudessem representar com alguma frequência. No fundo, acho que há pouco Teatro no Porto e as suas Companhias são pouco apoiadas pelo Estado, mas isso acontece com todas elas no país. Há espaço para todos Teatro mais comercial e o mais independente -, agora tem de haver gestão por quem manda: o poder local. Isto é em todo o país, não só no Porto. Por isso estamos muito mal: a política cultural deste pais é zero! ◘

omo eu gostava de chegar a sua casa e vê-Ia tão feliz com as suas netas, a Ana'pipa e a Daniela, a almoçar em tempo de escola. Sempre com um sorriso nos lábios, recebia todas as pessoas com braços abertos. Fica a saudade... (D. Zézinha é M.ª José Simões de Carvalho, mãe de Ermelinda Sousa e sogra de Fernando Sousa, benfeitores do JV)  ◘

Uma Amiga, A.F. (identificada)

Nov.2009

Participação na Feira de Emaús, no Porto

- Dia 01 de Novembro, no Hospital de Santo António, faleceu OLÍVIA DA NATIVIDADE GRANJA AREIAS, de 96 anos, casada com Ernesto Pereira Guedes. (Funeral dia 02 Cemitério de Paranhos); - Dia 10 de Novembro, no I.P.O., faleceu MARIA JOSÉ SIMÕES DE CARVALHO, de 90 anos, viúva de António Carvalho Grade. (Funeral dia 11, Cemitério de Paranhos);

D

urante os dois últimos meses, o Grupo de Jovens Nova Esperança (GJNE) animou pelas primeiras vezes a missa das 19h dos dias 25 de Outubro e 29 de Novembro. Os jovens participaram com ânimo e alegria, cantando e tocando diferentes instrumentos e participando na liturgia. Nos últimos Domingos de cada mês a missa das 19h continuará sendo animada pelo grupo.

No dia 15 de Novembro, o GJNE participou na prepa-

ração da Feira de Emaús, uma Instituição de apoio aos sem-abrigo, que decorreu no Pavilhão Rosa Mota (Porto). Foi uma tarde de bastante trabalho mas muito compensadora, o grupo teve ainda um lanche oferecido pelos colaboradores do Emaús, onde a partilha e a amizade reinaram.

O GJNE pretende continuar participando activamente em acções como esta.  ◘

Daniela Ramos

MC

anos que se realizou o 1.º Cursilho de Cristandade em Portugal. Eu, no último fim-de-semana de Setembro, fiz 37 anos que realizei o meu Cursilho, o n. 62. Vem isto a propósito, para referir que precisamente nessa altura o casal Guilherme e Luísa Sousa me falaram para eu aparecer nas ultreias de Vilar. Pois bem, concordei. Graças a este casal, que tenho ido, assim como o Berto Mendes. Não seria possível se não tivesse a sua amável companhia. Paranhos já tem muitos cursistas, que bom seria que mais alguns pudessem aparecer. Decolores! ◘ Virgínia Almeida

FESTAS DE S. VERÍSSIMO’09

LC

Eis os novos membros escolhidos nos grupos e movimentos paroquiais de Paranhos e nomeados pelo Pároco, posteriormente propostos ao Bispo do Porto e por ele aprovados, para o próximo Triénio… - P. MANUEL MARTINS – Pároco, Membro nato; JOSÉ MÁRIO LOPES – Fábrica da Igreja, Membro nato; ANTÓNIO SANTOS – Confraria da Srª da Saúde, Membro nato; FERNANDO SOUSA – Membro nomeado; FILIPE COUTO – Membro nomeado; SARA SOUSA – Membro nomeado; LILIANA COELHO – Membro nomeado; Irmã ROSÁRIO OLIVEIRA – Irmãs do Bom Pastor; Irmã M.ª EMÍLIA NASCIMENTO – Discípulas do Divino Mestre; MANUELA SANTOS – Grupo de Casais; ANTÓNIO DIAS – Grupo de Cursistas, Sector Comunitário; JOAQUIM FERREIRA – Vicentinos, Sector Comunitário; MARIA JOSÉ FERREIRA – Vicentinas, Sector Comunitário; MARIA DO ROSÁRIO – Apostolado da Oração, Sector Comunitário; MARIA MARINHO – Grupo Coral, Sector Litúrgico; MARTA SOARES – Grupo de Acólitos, Sector Litúrgico; MARIA LUDOVINA – Grupo de Leitores, Sector Litúrgico; ASSUNÇÃO PORTELA – Ministros da Comunhão, Sector Litúrgico; ANDRÉ RUBIM RANGEL – Jornal VERIS, Sector Profético; HENRIQUE SOUSA – Catequese, Sector Profético; SÍLVIA MARTINS – Catequese, Sector Profético; BENTO SOUSA – CNE, Sector Profético; ALCINA FERREIRA – Delegada de Zona; MANUELA COELHO – Delegado de Zona; DAVID CARNEIRO SILVA – Delegado de Zona. ◘

A revista ‘Sábado’ revelou a lista do Ranking geral dos Melhores Hospitais em Portugal: o S. João mantém o 2.º posto (= em 2008), antecedido pelo Centro Hospitalar Lisboa Norte. Do Norte do País há duas entradas novas para o Ranking: o do Alto Minho (Viana), em 8.º, e o da Feira (St.M.ª Feira), em 10.º. Noutra avaliação, desta feita na revista ’Exame’, o I.P.O. do Porto conquistou, pelo 2.º ano consecutivo, o título de Melhor empresa de serviços, num universo das 500 maiores empresas nacionais. ◘

- Dia 16 de Novembro, no I.P.O., faleceu CECÍLIA MARIA PARREIRA, de 94 anos, divorciada. (Funeral dia 17, Cemitério do Prado do Repouso); - Dia 17 de Novembro, na sua residência, faleceu ANTÓNIO LUÍS DE ALMEIDA VARZIELAS, de 94 anos, viúvo de Joaquina Ferreira de Sousa. (Funeral dia 18, Cemitério de Paranhos); - Dia 19 de Novembro, no Hospital de São João, faleceu JOAQUIM ALFREDO RIBEIRO DA ROCHA, de 48 anos, casado com Maria Manuela Guerra Durães Rocha. (Funeral dia 20, Cemitério de Paranhos); - Dia 21 de Novembro, na sua residência, faleceu MARIA JÚLIA TEIXEIRA GONÇALVES, de 72 anos de idade, Casada com Joaquim Campelo. (Funeral dia 22, Cemitério de Paranhos); - Dia 22 de Novembro, no I.P.O., faleceu AMÉLIA DE JESUS FERNANDES, de 76 anos, Casada com Carlos Joaquim Rocha da Silva. (Funeral dia 23, Cemitério de Paranhos). ◘


porto paranhos

05 05 Dezembro 2009

A L V O R E C E R - Workshop JV , Périplo pelas Escolas de Paranhos 2009 LC

O JV vai à Escola, esta virá para o JV

A

Colégio Luso-Francês (CLF)

G.S.

F

P

ara esta sessão, a 17 Nov. às 18h30, o convidado foi Ricardo Jorge Pinto. Pegando no tema proposto, ressalvou que “no fundo, todo o jornalismo deveria ser cívico” e mencionou dois aspectos fundamentais que este jornalismo possui: “proximidade com a Comunidade e a questão das causas, que por

“P

Externato Perpétuo Socorro

N

o mesmo dia 17, mas às 21h30, a atenção virou-se para este lugar de Ensino, com intervenção de Alberto Machado, edil da Junta de Freguesia de Paranhos. Afirmou que todas as Escolas deveriam ter um papel importantíssimo no que diz respeito à Cidadania, porque “ela tem de transmitir valores, senão estaremos a criar marginais”. Defende que a informação é um direito, mas também um dever, pois “ela é tudo”. Acrescentou ser essencial que os alunos formem opinião, “tenham uma maneira de ver o mundo, para que sejam no futuro adultos responsáveis”. Indicou a falha da imparcialidade entre alguns jornalistas, como tal ou como comentadores, e alguma corrupção, como problemas actuais graves desta área. Sugeriu a afirmação dum jornalismo sério pela reportagem constante nas ruas, no meio das pessoas. A nível dos D.H. deu o exemplo de algumas IPSS existentes em Paranhos e o seu trabalho. Exortou ainda à “proactividade colectiva, ao invés da actividade reactiva”.

ode parecer um pobre jornal numa pobre paróquia, mas na cabeça do seu director não é! Conheço-o há muitos anos e sempre o apoiei nos seus projectos muito válidos, nesta persistência que tem de ir mais longe, com alta exigência e qualidade, com bastante empenho e dinamismo. E temos de ajudar nesse sentido. Basta olhar o JV para ver que se estende a toda a cidade, em várias matérias”, assim iniciou Daniel Serrão, a sua intervenção. Explicitou ser importante “vir falar de jornalismo a uma Escola e educar para essa área” e já que não acredita muito que os jovens hoje leiam jornais, porque “estão viciados em sms, emails, chat’s e redes sociais”. Quanto aos D.H. reforçou a importância da Amnistia Internacional, agora alargada com o novo Núcleo do Porto, e observou que “a Declaração Universal dos D.H. deve continuar a ser falada embora, na prática, não tenha assento jurídico e legal”. E finalizou declarando que “a força da Democracia é a geração da Paz!”.

Esc. EB 2/3 da Areosa

ESTA SESSÃO (de 24 Nov.) FOI ADIADA PARA 15 DEZ., ÀS 21H30. Esc. EB 2/3 de Paranhos

A sessão que mais adesão teve, enchendo completamente o Anfitea-

LC

Esc. Sec. António Nobre

Esc. EB 2/3 de Paranhos

tro, foi a do dia 26, com José Marques dos Santos. O Reitor sustentou-se no 26.º artigo da Carta Internacional dos D.H., respeitante à Educação, dado que “é alargada e envolve uma série de áreas”. Reclamou o facto de “o país não tem apostado na formação nos primeiros tempos de vida, antes do Básico. Os estudos mostram que é aí que há a capacidade de decidir para o futuro, mediante as nossas reacções e influências” e exclamou ser altamente preocupante muitos cidadãos não poderem usufruir do seu direito à Educação, que tem 4 agentes fundamentais (“Família, Escola, Sociedade e Media). Assim, apontou o JV como um exemplo, definindo-o de “jornalismo de verdade, com ética e com empreendedorismo” e desejando “que possa mudar os outros Media na maneira de fazer jornalismo. Além de se expandir, é preciso que haja ajudas e apoios para sustentar e melhorar o JV ”. A directora M.ª Lurdes Ruivo encerrou, alegando: “Temos uma vontade grande de procurar e também de receber, trocando e enriquecendo experiências. Queremos fazer chegar notícias boas, que melhorem vidas!” ◘

LC

icam aqui excertos do relato escrito encontrado no blogue duma aluna (está bastante interessante!) que esteve presente nesta sessão, a 12 Nov., assinado por ‘Pi’: « O tema inicial foi a apresentação do Jornal VERIS. (…) Trata-se de um jornal mensal recente, nascido a 24 de Janeiro deste ano, que apresentou ao CLF uma proposta de relação e coordenação. Foi oferecido à comunidade educativa um espaço reservado a artigos escritos pelos seus membros. O professor Daniel Serrão iria definir este espaço como “um espaço de futuro”, pelas oportunidades que proporciona. Por outro lado, o CLF poderá funcionar como centro de divulgação deste jovem jornal, que, como muitos outros, precisa de visibilidade e, acima de tudo, de ser lido. (…) De seguida, o rumo voltou-se para a temática dos Direitos Humanos (D.H.). André Rubim Rangel apresentou a Amnistia Internacional, organização presente em Portugal. (…) Na sua segunda e última participação na conferência, o Professor Daniel Serrão dedicou-se à explicação da acção do Conselho da Europa, estrutura demarcada da União Europeia. (…) Todavia, enquanto a Declaração Universal dos Direitos dos Homens é “uma declaração de intenções”, como a define o Professor Daniel Serrão, sem “valor jurídico”, o Conselho da Europa distingue-se pela defesa de direitos objectivos e concretos, possuindo meios de coerção para punir aqueles que atentem contra estes. Para tal, conta com o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, ao qual qualquer cidadão dos estados-membros pode apresentar queixa se considerar que sofreu ou testemunhou a violação de algum dos D.H.. Considero ter sido uma conferência interessante e rica em novos conhecimentos, apresentados de modo claro e cativante. Desejo um futuro próspero ao Jornal VERIS, com a esperança que o CLF possa fazer parte integrante deste» (publicado online em 13 Nov.).

LC

A

vezes traz algumas polémicas”. Ao ser de causas está a tomar uma parte e o jornalismo requer-se isento e imparcial. Referiu que há casos que, pela delicadeza das situações, “podem gerar conflito, mas o essencial neste jornalismo é trazer as pessoas para dentro dos próprios Media”. Considera que a informação tem de “ter um efeito junto das pessoas, tem de contar uma história do acontecimento onde estamos inseridos, de modo a que nos envolva”. Apelou a que este jornalismo cívico ande de «porta em porta»: “se nos envolvermos todos, ganhamos todos!”, rematou, desejando que a Escola seja “o lugar onde não haja uma visão restritiva das coisas, mas alargue os horizontes de leitura dos factos”.

LC

Esc. EB 2/3 Pêro Vaz de Caminha

rtur Santos Silva foi o convidado para a sessão de 20 Nov.. Exemplificou a sua ligação geracional ao Ensino, caracterizando-o como “fundamental para a Educação e para a fomentação da igualdade social”. Apelou ao esforço de haver “reforço de qualidade nos professores, com formação contínua” e, por outro lado, “é importante que os pais também assumam o seu papel”. Sublinhou a necessidade de hábitos de leitura, para que o país possa “avançar, desenvolverse e ser mais justo, livre e igual”. Frisou também que, além da Escola, o mundo do conhecimento é hoje bem mais acessível: “estamos em condições de ter um papel diferente, assumindo a condição superior de educar e responsabilizar as pessoas do futuro. A iniciativa do JV é boa, vai a esse encontro aplaudi logo desde a 1.ª hora! O JV permite-nos reflectir sobre valores, é um meio crucial, daí a interacção entre a Comunidade e a Escola através da plataforma de comunicação do JV, que procura promover uma ética de cidadania e de revalorização do papel escolar”. Assim, desafiou a que estas questões educacionais envolvam toda a Sociedade e não somente pais e professores: “tudo o que possamos fazer para ter Escolas melhores está ao nosso alcance!”.

LC

A importância deste Ciclo centrou-se na divulgação e promoção do JV, apelando às Escolas no sentido de pertença a este órgão, para que não seja apenas “um jornal na Escola, mas da Escola”. Esta acção conjunta apontou também a multiplicação de 5 sub-acções, sem subtracções, que se complementam e completam: motivação, comunicação em comunhão, interacção, redacção colectiva e RELAÇÃO!

abertura deste périplo pelas Escolas da freguesia de Paranhos foi insólita. Calhou no dia de S. Martinho, uma noite essa chuvosa, em que as castanhas “falaram” mais alto. Embora presente a primeira convidada, Isabel Pires de Lima, o público-alvo não acorreu convenientemente para que se realizasse a sessão. Apenas houve um pequeno momento de socialização com os presentes e o Staff do JV. Ficou em aberto nova sessão futura, para o mesmo efeito…

Colégio Júlio Dinis


06 Dezembro 2009

porto paranhos

J. Silva Peneda, Colunista do JV, possivelmente, será o novo Presidente do Conselho Económico e Social, sendo votado na Assemb. da República a 10/12 e tendo o consenso dos dois maiores partidos. ◘

Continuação do número anterior

SENTIR PARANHOS M.ª Helena Costa Professora

A ruralidade que se vai desagregando

É

curioso pensar que, em zonas hoje completamente urbanizadas da freguesia de Paranhos, há bem pouco tempo (escassas décadas), só havia campos, quintas dispersas, cerros pedregosos, riachos, azinhagas, casas de lavoura e hortas.

Mesmo quando a cidade era só o

“burgo fernandino”, a zona do Olival (Rua da Vitória, Taipas, Belmonte), intra-muros, era semeada por quitais, pomares, poços, azenhas e pinheiros. Ou seja, a cidade propriamente dita, delimitada pelas muralhas do século XIV, apresentava evidentes marcas de ruralidade. Se era assim no interior da cidade, com seriam os seus arrabaldes?

O Porto foi, durante muito tem-

po, uma cidade virada para o rio. E a Praça da Ribeira, o seu centro económico e social. Mas bem cedo o seu crescimento urbano se fez do centro para a periferia, ao longo das principais e antigas estradas que ligavam o Porto à Póvoa, a Braga, a Penafiel. Estes eixos viários foram-se renovando e regularizando. Rasgaram-se novas ruas e praças que fizeram recuar/apagar, lentamente, as marcas da rusticidade, sacrificadas ao progresso e à reabilitação urbana.

O

desaparecimento deste património (leia-se, espaços verdes) causa-nos uma certa nostalgia… O que foi feito de “um dos mais formosos arrabaldes da cidade do Porto”?

Hoje,

1925 - Colaboração nas Comemorações Centenárias de Camilo Castelo Branco. 1929 - “Festa do Trabalho”, realizada no Estádio do Lima, com a presença do Presidente da República, General Carmona e o Ministro da Justiça; Conferência por Leonardo Coimbra, na Biblioteca. 1936 - Conferências por: Conde de Aurora, Américo Pires de Lima, Carlos de Passos e Aquilino Ribeiro. 1943 - Concerto de Lopes Graça e Olga Violante. 1945 - Recital poético por João Villaret; 1.º centenário do nascimento de Eça Queirós, um dos oradores foi Miguel Torga. 1946 - Palestra de Júlio Pomar; conferência de Jorge de Sena. 1950 - Inauguração das novas instalações. 1951 - Palestra do poeta António Reis. 1952 - Apresentação de cumprimentos ao novo Prelado diocesano: D. António Ferreira Gomes. 1954 - Comemoração do centenário da morte de Almeida Garrett, instituindo-se um Prémio de Poesia com o seu nome. Fora atribuído, pelo Júri, a Miguel Torga, que presente, o rejeitou. 1955 - Presença de D. António, Bispo do Porto, presidindo vários anos à Festa Xavier da Mota. 1956 - Recital de Sequeira Costa; - Conferência por António Pedro, do TEP. 1957 - Recital de piano: António Vitorino de Almeida. ◘ Continua no próximo número

A NOSSA VOZ… “O Joãozinho”

‘Joãozinho’ vai sair à Rua Para contributo nesta Campanha, em que se ressalva a “memória afectiva e a dádiva das pessoas”, pode-se ligar o n. 760101102.

P

ara promover o Comércio Tradicional nesta época natalícia, o «Joãozinho» (projecto do Hosp. de S. João - HSJ, para o futuro Hosp. Pediátrico do Porto, já noticiado no JV nas edições de Ago. e Set.) vai sair à rua de jipe, dado que pelas suas dimensões não lhe é possível de outra forma. O que se pretende, segundo Ana M.ª Príncipe, assessora da Administração do HSJ, é “chegarmos ao fim do mês com a certeza de que os cidadãos e comerciantes conheçam o Projecto. Embora seja um Projecto a realizar no Porto, é de dimensão nacional”. O «Joãozinho» quer que gostem dele!

Vão fazer acções por ruas, começando em sítios emble-

máticos da cidade. O início do circuito far-se-á no 2.º fim-desemana deste mês, possivelmente na C.M.Porto. No dia 18, por ex., estará na Rua de Santa Catarina com algumas personalidades sonantes do Porto. Para Ana Príncipe, também Benfeitora do JV, “como a alta burguesia da cidade portuense vem do Comércio, temos por isso esta memória afectiva e a dádiva com as pessoas”, criando-se para o efeito parcerias com: C.M.Porto, Bolsa do Porto, Reitoria da Univ. Porto, Teatro Nac. S. João, Casa da Música e Associação de Comerciantes do Porto, onde encerrará esta campanha a 5/01/2010, com o Orfeão Universitário do Porto.

A

inda antes destas acções de rua, de referir outras três iniciativas ligadas a este Projecto: no âmbito do mesmo foi feita uma chávena do «Joãozinho», desenhada pelo Arq. Siza Vieira, em forma de cartola. A primeira chávena foi oferecida à Ministra da Saúde, Ana Jorge, numa cerimónia no Porto a 28/11, por ocasião dos 50 anos do Serviço de Pediatria do HSJ. No dia 5/12, a ‘Metro do Porto’ realiza um filme com o «Joãozinho»; a ideia é pôr a cidade a girar à volta de Projecto de todos. E, no dia 17/12, o ‘Natal dos Hospitais’ vai ser dividido entre o HSJ e o Hosp. Santa Maria.

I

mporta ainda recordar e sublinhar que o futuro Hosp. Pediátrico do Porto terá Creche e Escola, portanto, Ensino integrado. Haverá interacção com a Escola e um espaço do Projecto «Ciência Viva». Terá, assim, tecnologia de ponta, pretendendo-se que as crianças debilitadas se sintam intelectualmente superiores. Este Projecto «Joãozinho» é, portanto, “da vontade das pessoas, para resolver um problema e uma necessidade, totalmente financiado pelo privado, em nada subsidiado pelo Estado”, rematou Ana Príncipe. ◘

PARCEIROS

em Paranhos, resistem algumas quintas (como a do Covelo) e casas de lavoura (junto à Igreja de Paranhos, entre o Regado e Monsanto, por ex.). E a própria toponímia nos recorda a origem rural da nossa freguesia: Campo Lindo, Vale Formoso, Currais, Azenha, Lindo Vale, Azinhaga do Monte.  ◘

ALGUNS DADOS CRONOLÓGICOS DA HISTÓRIA DO ATENEU DO PORTO:

Parque Biológico de Gaia EEM 4430-757 Avintes Tel. 22 787 81 20 | Fax 22 783 35 83 www.parquebiologico.pt

INSTANTES II. ATLETISMO NA RUA

Volta a Paranhos No dia 8 Dez., às 10h30, realiza-se a 52.ª Volta a Paranhos, tendo como pontos de partida e chegada o espaço junto ao antigo Estádio de Vidal Pinheiro, na Rua Augusto Lessa. A extensão é de 10km, decorrendo paralelamente a Caminhada Pais e Filhos, com uma extensão de 3km. Iniciativa apoiada pela C.M.P. (‘PortoLazer’). ◘

JUNTA FREG. PARANHOS

Vai ser criada uma Rede Social

Só a Freguesia de Paranhos, a maior da cidade e do Norte, tem cerca de 87/88 IPSS. Estão a ser todas contactadas no sentido de aderirem ou não à nova Rede Social que o novo Executivo quer implementar. ◘

UNIV. DO PORTO

Novas estruturas... Segundo declarou ao JV o Reitor, Prof. J. Marques dos Santos, a nova Fac. de Farmácia e o ICBAS serão na antiga Reitoria. Tiveram de desaterrar 17m de altura no subsolo, embora venha a ficar à mesma superfície do solo. Este Projecto teve já o custo de € 60 milhões, totalmente pago pelo Estado português. O Reitor estima e deseja que a obra esteja concluída a tempo do início do ano lectivo 2011/2. A Fac. de Medicina irá aumentar, com a reconstrução dum novo espaço, onde estavam os fabricados da Fac. de Nutrição (passou provisoriamente para a FEUP, à espera de novo lugar). ◘

FAC. ECONOMIA PORTO

Clube de Debates

Desde 4 de Nov. que a Fac. de Economia da Univ. Porto tem promovido internamente e para quem desejar participar: todas as Quartas-feiras, às 18h, na sala 213. ◘


James Watson, Prémio Nobel da Medicina de 1962 por desvendar a estrutura molecular do ADN, esteve em Lisboa, na Fundação Gulbenkian. Disse ao JV estar confiante na cura do cancro para breve e deixou-nos o autógrafo. ◘

especial

ARR

P

ara Jorge Sampaio, Alto-comissário para a Aliança das Civilizações e Presidente do ‘Fórum Lisboa 2009’, a aproximação à Europa e desta ao mundo “permite deixar o obscurantismo, aquilo que são maneiras erradas de conceber o quadro fundamental dos Direitos Humanos (DH) e a referência da dignidade, do direito à vida, à liberdade de expressão e da religião e do pensamento”. Disse-o em declarações à Comunicação Social. Considera ainda que a vontade e o tempo são ambas prioritárias, simultaneamente: “o tempo é crucial, deve evitarse por um lado as incidências que perturbam as opiniões públicas”. Apelou, assim, à responsabilidade e ao equilíbrio nesta matéria.

V

PUB

era Duarte, Ministra da Educação de Cabo Verde,

Dezembro 2009

ARR

REPORTAGEM JV - Fórum Lisboa 2009 «Educação para os Direitos Humanos» (EDH) foi o tema em debate no ‘Fórum Lisboa’, promovido pelo Centro NorteSul do Conselho da Europa, a 13-14 Nov..

07 07

foi uma das oradoras convidadas. Afirmou que a Educação é “um dos meios mais privilegiados para fazer cumprir os DH”. Deste modo, está a ser introduzida nesse País a disciplina de «Educação para a Cidadania» no currículo disciplinar do Ensino (aborda a EDH e a Cultura da Paz). Assegurou ainda que, nesta área, o jovem

FALANDO COM...

THOMAS HAMMARBERG Comissário dos Direitos Humanos do Conselho da Europa

Como vê todo este processo e suas questões actuais alusivo aos DH? Situa-se num estado doente ou no bom caminho? TH – Penso que vai longe, mas vai muito devagar. Estou impaciente. Houve, de facto, um retrocesso com o ataque terrorista a Nova Iorque e Washington, em 2001. Os DH foram violados. Temos de voltar ao espírito e à segurança que havia antes. A nossa confiança nunca deve fraquejar. Será que essa consciência mundial é cada vez menos forte, dado que as pessoas vivem mais medrosas e inseguras? ARR

MUNDO INQUIETANTE Maria Botelho

“fica com conhecimento destes valores, olha de maneira crítica e reflectida sobre os acontecimentos e fica preparado para desenvolver o seu trabalho”, na Comunidade e na Sociedade. Constatou-se no Fórum que se está numa nova década para a formação e EDH e que “os DH não se dão, mas constroem-se!”. ◘

TH - Devo concordar que o terrorismo é bastante perigoso. Combater o terrorismo violando, na mesma, os DH é um grande erro! O que os terroristas querem é que haja resposta igual, com mortes. Não podemos dar-lhes essa vontade! Quais são os outros principais problemas de violação DH, que considera piores? TH - Vivemos o problema europeu da consequência da crise económica, o que tem gerado cada vez mais e mais pobres. Há também grupos a ser discriminados, de vária ordem. Portugal está bem nestas matérias de DH? TH - A questão dos imigrantes é bem melhor do que em outros países. Os problemas acrescidos que vejo cá são: a implementação das leis, muito modernas, e a violência doméstica contra mulheres.  ◘

Psicóloga e Voluntária da Associação «Acreditar»

Testemunho: ser Voluntário H

á um caminho que cada ser humano traça para si, quando ainda tem uma tenra idade. Um sonho de vida, ser uma médica sem fronteiras, “os pobres da Etiópia”. Uma certeza, uma vontade em ajudar o próximo. Como saber, se seria capaz de enfrentar o sofrimento, a dor, ver sangue… a agitação das urgências do Hospital S. João? Fui a entrevista com a Dr.ª Teresa Salgado, dado o meu entusiasmo e apelo em ir para as urgências dos adultos. Ponderou e propôs-me que fosse para as urgências pediátricas, concordei. E todos os sábados, ia ao Voluntariado. Há uma formação contínua de 6 meses, para formar, e a avaliação é feita pelos chefes de Voluntariado do serviço. O chefe, Dionísio, era uma pessoa fantástica!

Mas, nem sempre é fácil, “podemos fazer a

os médicos muitas vezes não vêem com bons olhos o papel, a importância do Voluntariado… os obstáculos eram a minha força para continuar, sem esquecer do meu chefe, sempre solidário a esclarecer e apoiar. Durante três ou quatro anos permaneci no Voluntariado, por motivos pessoais abandonei.

C

diferença no dia de uma criança.”

……………………………………………………..

“ser voluntário é assumir um compromisso com o próximo!”

ontudo, a inquietação interna, a vontade em buscar o caminho… quando assistia a uma missa de Domingo, tive conhecimento que a Capelania do S. João necessitava de voluntários. Não hesitei e dirigi-me ao Hospital, falei com o padre Nuno. Admirado com tanto entusiasmo, disse: “calma, vem ao primeiro Domingo de cada mês”. Senti uma imensa alegria.

Num certo Domingo, estava um grupo de jovens que pertencia à

«Juventude Franciscana», um grupo que iria fazer parte do Voluntariado. A responsável do grupo era uma jovem madura, de nome São. Eu tinha muita vontade de saber mais sobre a vida de São Francisco. Perguntei como poderia pertencer ao grupo? A integração ao grupo «Semente de Assis» e mais um Voluntariado abraçava infectocontagiosos. Levar a palavra, estar presente, ser exemplo de fé.

Um momento de reflexão: “Quem melhor que S. Francisco de

Assis, que se despojou de si, para ajudar ao próximo?”. Este exemplo de bondade, alegria e simplicidade, pode ser seguido nos dias de hoje? Ele ouvia a sua voz interna.

O Voluntariado pode ser um momento de aprendizagem de valo-

res, de experiências únicas… Mas é importante a formação contínua, é importante estar disponível para receber o doente, para escutar, partilhar e levar um sorriso, uma palavra ou o silêncio que a presença conforta, que o olhar de esperança aquieta…

Em Março de 2009, uma amiga perguntou-me se estaria disponí-

PUB

vel para fazer Voluntariado. Aceitei, fui conhecer a «Acreditar» - Associação de Pais e Amigos de crianças com cancro, Voluntariado hospitalar. Acreditar, que podemos fazer a diferença no dia de uma criança, compartilhando de um sorriso, uma brincadeira… sendo presença para a criança para que a mãe possa almoçar ou sair por breves momentos.

Ser Voluntário é assumir um compromisso com o próximo!

Não façam dele uma solução para o Desemprego, antes um momento pequeno que seja, mas verdadeiro, de entrega, de doação!  ◘


08 Dezembro 2009

INSTANTES III.

filantropia

Manuel Lemos, presidente da União das Misericórdias Portuguesas e natural do Porto, foi eleito Presidente da Confederação Mundial das Misericórdias e Entidades Filantrópicas. ◘

Contra a P O B R E Z A - Campanha JV

RE ACREDITAR

COLÉGIO LUSO-FRANCÊS

Projecto humanista

IPSS ‘AJUDARIS’

Subordinado ao tema "Direitos Humanos - Caminhos de Reconciliação", desenvolveu-se um Projecto no Ano 2008/9 com os alunos do 5.º ano. Eles pesquisaram, debateram e divulgaram os Direitos Humanos, consagrados na Decl. Universal. A apresentação dos trabalhos finais - CurtasMetragens - dá-se no dia 10 Dez. às 18h, no Auditório do Colégio, com a presença da Comunidade escolar. Paralelamente, proceder -se-á a venda do respectivo DVD, cujo valor apurado reverterá para a Amnistia Internacional, a oferecer ao Núcleo do Porto. ◘

“Histórias da Ajudaris” A

AJUDARIS é uma Associação Particular, de Carácter Social e Humanitário, de âmbito nacional, sem fins lucrativos, sediada no Porto. Visa promover actividades sócio-humanitárias, permitindo fazer face à pobreza persistente e às novas formas de exclusão social, através da garantia dos direitos básicos de cidadania, auxiliando os grupos mais desfavorecidos, nomeadamente, crianças e idosos. Visa também a criação e manutenção de equipamentos e redes de apoio social.

UNIV. FERNANDO PESSOA

Tertúlia ‘Vozes livres’ No âmbito do Mestrado de Psicologia Jurídica realiza-se a Tertúlia: “Vozes Livres” - Violência em Debate. Dia 14 Dez., das 14h às 17h, no Auditório da Faculdade de Ciências da Saúde. ◘

ACTIVismO AI - Apres. do Núcleo

Núcleo começa bem dinâmico Foi com imenso prazer que podemos inaugurar oficialmente o

Núcleo do Porto da Amnistia Internacional (AI), no dia 14/11. Este tão esperado momento já era há muito desejado pelos seus membros. Foi, por isso, uma grande honra contar com a presença dos tão ilustres convidados: Professor Doutor Daniel Serrão e Doutor José Miguel Júdice, num debate à volta da questão da Dignidade humana.

SS

C

Na opinião do Professor Doutor Daniel Serrão, 1.º intervenien-

te neste debate, a Dignidade humana, apesar de constituir um tema difícil e indefinido, é certamente uma condição interior e jamais física do ser humano. “Respeitar a Dignidade humana é reconhecer no outro a sua dignidade intrínseca de ser humano”. Assim sendo,

PUB

esta difere e não se pode confundir com punição porque, para este ilustre convidado, “até os indivíduos que cometeram um crime não perderam dignidade”. “É porque existe Dignidade humana que existem Direitos Humanos (D.H.)”.

A 2.ª intervenção, não menos interessante, coube ao Doutor

José Miguel Júdice para quem “a Humanidade está em risco sempre que existe um caso de violação de D.H.”. Assim, referiu a distinção entre os direitos de primeira geração e os direitos de segunda geração, não deixando de alertar que a inexistência de uns jamais e, em caso algum, justifica a exclusão dos outros. Para o ex-Bastonário, a Dignidade humana passa pela realização plena dos D.H., sendo que nos dias actuais, males como o interesse e o egoísmo bem presentes na sociedade em nada ajudam à manutenção desta Dignidade. No final da sua intervenção, falou na dupla realidade de direitos e deveres, na qual assenta a dignidade humana. Para este jurista, os deveres também são essenciais ao bom e correcto funcionamento duma sociedade, sendo que a relação decorrente en-tre estes e os direitos tem de ser recíproca. A sociedade deve, por isso, basear a sua dignidade no “exercer um direito e cumprir um dever”. Por fim, referiu a função tribunícia da AI, referindo-a como “uma obrigação de ser a voz do que está mal”.

N

oube ao coordenador do Núcleo do Porto, André Rubim Rangel, a abertura solene deste evento, apresentando os elementos do Núcleo e as suas respectivas funções, assim como os convidados.

Av. Fernão Magalhães, 600; 43504350-150 Porto Tel.: 225 106 215

PUB

Ao

uma 3.ª intervenção, o Presidente da Junta de Freguesia de Paranhos, Dr. Alberto Machado, também fez referência ao papel importante e fundamental da AI na denúncia e luta pela salvaguarda dos D.H., pilares basilares de qualquer sociedade. A Junta de Freguesia tem, por isso, colaborado nesta missão com o recente Núcleo do Porto, nomeada e principalmente através da cedência de espaço.

A

gradecemos a presença dos convidados, de todos os presentes, dos Media e patrocinadores, e a todos os que, apesar de não terem podido estar, nos presentearam com mensagens de incentivo Natália Lemos de Almeida (Secretária) e felicitações. ◘

longo deste seu 1.º ano de existência estabeleceu parcerias com as Freguesias de Santo Ildefonso e de Paranhos e com outras Entidades, no encaminhamento de Utentes.

N

este momento, e em parceria com 12 Estabelecimentos Educativos do Porto (Agrupamento de Escolas do Amial; Agrupamento de Escolas Eugénio de Andrade; Agrupamento Vertical das Escolas da Areosa; Agrupamento Vertical Augusto Gil; Colégio Júlio Dinis; Colégio “O Aprendiz”; Infantário “João e Maria”; Jardim Escola João de Deus – Porto; Jardim de Infância Nossa Senhora da Conceição; Jardim de Infância Nossa Senhora de Fátima; Jardim de Infância “Navegar no Saber” e Jardim “O Popas”) e com o Gru-

po Entropia – Associação informal de Apoio às Artes, vai editar um livro de contos infantis, composto por histórias criadas por crianças com idades entre os 3 e os 9 anos e ilustradas por 26 ilustradores. É apadrinhado por Amílcar Martins, um exímio contador de histórias e Docente da Universidade Aberta.

A

venda do livro reverte integralmente em prol dos Programas de Intervenção Social que a ‘Ajudaris’ desenvolve. Com o apoio do Estrela e Vigorosa Sport, a apresentação oficial do livro “Histórias da Ajudaris” será realizada nesse complexo desportivo, a 11 de Dezembro às 14h30, com sessão de autógrafos.

P

retende-se, assim, potenciar e valorizar os jovens escritores e, paralelamente, (re)conhecer o empenho e os valores que diariamente Professores e Educadores incutem às crianças. ◘


D.R.

“Na entrada em vigor do Tratado de Lisboa, não podemos deixar de saudar o seu capítulo XVII que «reconhece o contributo específico das Igrejas na integração europeia, bem como o contributo vital que prestam à vida social e cultural dos diferentes Estados membros»” (A.Rego) ◘

sociedade

09 09 Dezembro 2009

Conclusão do número anterior

JUSTAPOSIÇÃO Emílio Rui Vilar

Daniel Serrão

Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian e Presidente do Conselho Geral do IPCG

Médico, Catedrático Jubilado e Cientista

Sobre o Código de Bom Governo das Sociedades

A natureza da Saúde e a saúde da Natureza

A

F

sociedade civil assume a sua quota-parte de responsabilidade no aperfeiçoamento institucional das empresas, através do reforço dos mecanismos de auto-regulação e da adopção de padrões exigentes na respectiva gestão, afirmando claramente os princípios da integridade, da responsabilidade, da transparência e da prestação de contas.

alei recentemente numas Jornadas organizadas pela COFANAR sobre o que é a Saúde. As Jornadas tinham dois temas - a natureza da Saúde e a saúde da Natureza - e a mim coube-me desenvolver a questão do conceito de Saúde.

O Código assume um eleva-

Saúde não serve para caracterizar bem a situação real. De facto, se saúde é um estado de completo bem-estar físico, psíquico e social, parece-me que nunca nenhum de nós está em estado de saúde. Sempre haverá alguma perturbação ou física ou mental ou social a tirar-nos o bem-estar.

“é dever das empresas ganhar uma nova legitimidade social”

‘CARIDADE NA VERDADE’ “a Igreja inteira, em todo o seu ser e agir, quando anuncia, celebra e actua na caridade, tende a promover o desenvolvimento integral do homem.”

O

“o autêntico desenvolvimento do homem diz respeito unitariamente à totalidade da pessoa em todas as suas dimensões. Sem a perspectiva duma vida eterna, o progresso humano neste mundo fica privado de respiro.”

“o segredo está na prevenção, tem de começar muito cedo”

segredo está na prevenção, que tem de começar muito cedo. Direi que já no útero da mãe. Entre outros factores, o alcoolismo ou o tabagismo na mãe, durante a gravidez, são causas que irão predispor o bebé para adoecer. No caso do álcool sofre o cérebro, no caso do tabaco é o baixo peso ao nascer que dá menor capacidade para resistir às infecções pulmonares. Esta relação está provada cientificamente.

Num

D.R.

T

ambém há quem argumente que, num período de crise, há que dar prioridade à sobrevivência das empresas e à salvaguarda do emprego. Sem dúvida. Mas é também nestas alturas que é dever das empresas ganhar uma nova legitimidade social. ◘

“O homem não se desenvolve apenas com as suas próprias forças, nem o desenvolvimento é algo que se lhe possa dar simplesmente de fora. Muitas vezes, ao longo da história, pensou-se que era suficiente a criação de instituições para garantir à humanidade a satisfação do direito ao desenvolvimento.” ◘

D

epois, ao longo da vida, cada um constrói uma biografia que pode ser de uma vida saudável ou de uma vida em que se acumulam erros que fazem aparecer doenças.

Os pobres obesos pagam caro falso bem-estar de come-

CITAÇÕES tiradas da nova Encíclica...

PUB

rem em excesso. A gordura depositada nos órgãos, nas artérias e debaixo da pele é um tóxico permanente. O excesso de peso, vai dando cabo das cartilagens dos joelhos e dos pés; de tal modo que estes obesos, aos trinta anos, deslocamse penosamente, como se fossem já grandes idosos com artroses múltiplas.

917 393 307 / 917 645 478 D.R.

Voltarei ao tema da prevenção como forma eficaz de ter saúde. ◘

ANA COUTO

PUB

Praça 9 de Abril, 157; 4200-422 Porto

GABINETE DE CONTABILIDADE

Tel.: 228328400 Fax:228328401

AV. COMENDADOR FERREIRA DE MATOS, N.º 401, SALA 310 – 4450-000 MATOSINHOS

arcadagua@era.pt

TELEFONE / FAX: 22 937 81 82

www.jfparanhosporto.org

D.R.

Tel. 225020046 Fax 225503714

O Professor das Disciplinas de Escrita Criativa, Teatro e de Poesia da Universidade Sénior Contemporânea (USC) – Hugo Nascimento Veloso – venceu recentemente o certame jovens criadores, um concurso que visa apurar os maiores talentos artísticos portugueses com idade inferior a 30 anos. O concurso jovens criadores é uma iniciativa conjunta do Clube Português de Artes e Ideias e da Secretaria de Estado da Juventude. De referir que se encontravam a concurso mais de 700 obras (fonte: USC). O JV felicita o vencedor, bem como a USC. ◘

P

Código consagra o princípio “comply or explain”, deixando a cada empresa a liberdade de não seguir determinada recomendação mas apresentando as razões porque o não faz.

Rua Álvaro de Castelões, 811/831; 4200-047 Porto

Premiado do Porto em concurso nacional...

or isso falei de saúde como ausência de doença. Abordando a doença como a causa da perda do estado de saúde tive de me referir à prevenção do adoecer. Algumas doenças são inevitáveis porque fazem parte de uma predisposição genética; mas são muito poucas. A maior parte das doenças pode ser evitada ou o seu aparecimento ser transferido para mais tarde. Então é um bom objectivo dar mais anos à vida e mais saúde aos anos que viveremos a mais.

Dentro desta filosofia, o

Junta de Freguesia de Paranhos

UNIV. SÉNIOR CONTEMPORÂNEA

A bem conhecida definição da Organização Mundial de

do grau de exigência mas, naturalmente, a sua adopção e aplicação prática deverão ter em conta, em cada caso concreto, a realidade e a cultura da empresa e, para empresas de menor dimensão e mais reduzida estrutura organizativa, deverá ser encarado como um guia de objectivos desejáveis.

projecto desta natureza e amplitude, surgem naturalmente temas que suscitam mais polémica, mas é importante reforçar uma dinâmica a favor da transparência e do respeito pelos accionistas, como efectivos donos das empresas.

INSTANTES IV.

VIVER SALUTAR

Correio electrónico: c0uto@hotmail.com

Arca d’Água PORTO

www.era.pt/ arcadagua


10

GRÃO DE MOSTARDA Guilherme Sousa Bancário

Atentos aos Sinais E

stamos em pleno mês de Dezembro. Mês referenciado por ser o mês do Natal.

Q

ue será para nós o Natal? Não vou pedir que me respondam com aquelas velhas teorias: “mês em que comemoramos o nascimento do Menino Jesus”, ou “mês em que os homens se sentem mais irmanados”… etc.

H

á umas figuras que sempre me despertaram uma curiosidade: os Reis Magos.

V

ARR

iram uma estrela (um sinal) e seguiram-na. No fim daquele longa caminhada tiveram a agradável surpresa de encontrarem o Rei dos Reis, o Messias Prometido e voltaram para as suas terras por outro caminho.

E

staremos nós, neste tempo, também atentos aos sinais que Deus nos manda? Saberemos nós analisálos e segui-los?

Acredito que Jesus vem à Ter-

ra. Não incarnará novamente no seio da Virgem Maria. É preciso estarmos atentos e saber ler os sinais que continuamente nos chegam de muitas formas e maneiras.

E

, como os Reis Magos, depois de encontrarmos Esse Sinal, segui-Lo e mudarmos de caminho. ◘

“Estaremos nós, neste tempo, também atentos aos sinais que Deus nos manda?”

Reportagem JV - ROTEIRO/TRADIÇÃO PRESEPISTA, PORTUGAL 2009/10 AÇORES – Presépios de Lapinha e Concursos concelhios - A Ermida de Nossa Senhora do Cabo, em Santa Cruz (Lagoa), recebe uma exposição de Presépios de Lapinha, com cerca de 30 presépios de lapinha pertencentes a particulares e 3 da Câmara Municipal de Lagoa, que, por seu lado, promove mais um concurso de presépios no concelho. O júri visitará os presépios inscritos para apreciação, em 10-11/12/2009, e terá em particular atenção a representação do nascimento do Menino Jesus, tendo em conta diferentes factores. - Já na capital, está patente no Centro Municipal de Cultura de Ponta Delgada, até 9/01/2010, uma exposição de presépios da colecção de Fernando Flor de Lima. ÁGUAS SANTAS – Venda de Presépios únicos A ardósia serve de gruta ao Menino Jesus, a Maria, sua mãe e São José. As figuras dos três foram desenhadas à mão, em cada um destes presépios, por um elemento dos Leigos Missionários da Consolata, de Águas Santas (Maia). Cada presépio custa cinco euros. A venda destina-se a angariar fundos para a missão. ALCAINS – Colecção particular com mais de 500 Presépios O Museu do Canteiro, em Alcains, recebe a exposição particular dum médico, com presépios dos 4 cantos do mundo, bem como uma exposição/venda de trabalhos realizados nas APPACDM de Castelo Branco e do Fundão e várias mostras de artesãos nacionais. Expo até 10/ 01/2010 e intitulada “Presépios solidários, um gesto afectivo”. BEJA – “Até ao Presépio… pelas minhas mãos” A Pousada de São Francisco, em Beja, acolhe a exposição denominada “Até ao presépio… pelas minhas mãos”, até 8/01/2010. A iniciativa integra mais de 20 Presépios originais da autoria de Alexandra Graça, executados em diversos materiais. BUARCOS – Grande Presépio do grupo de jovens Na Paróquia de Buarcos (Figueira da Foz), vem sendo hábito o grupo de jovens (acólitos e animadores musicais da liturgia) apresentar um extraordinário Presépio, com grande dimensão (peças e cenário), no altar defronte à capela do Santíssimo. Este estímulo vem do pároco, P. Carlos Noronha Lopes, presepista há muitos anos. Pode ser apreciado durante o Tempo de Natal. CARTAXO – “Espírito de Natal” Esta I Exposição de Presépios “Espírito de Natal”, entre 13/ 12/2009 e 6/01/2010, realiza-se no Museu Escolar do Concelho de Cartaxo, com o apoio da Junta de Freguesia de Vale da Pinta e com a participação de instituições de terceira idade e de escolas concelhias. Estarão expostas obras do artesão António Costa, com presépios do mundo.

GAEIRAS –Presépios nas Adegas O antigo Armazém dos Vinhos da vila das Gaeiras (Óbidos) acolhe cerca de 125 peças, expostas em 54 expositores. Muitos presépios do país para ver, também para comprar, além da novidade: um grande presépio animado. Patente até 3/01/2010. LISBOA – “Presépio na Cidade” e Concurso por “A VIDA” - A iniciativa "Presépio na Cidade", inaugurada em 2008, vem de novo para a capital, decorrendo novamente na zona do Chiado. - Decorre um concurso de presépios de rua promovido por “A VIDA”. Realiza-se até 6/01/2010 e podem concorrer grupos com elementos de todas as idades pertencentes a paróquias ou comunidades cristãs da Vigararia X do termo Oriental (concelhos de Alenquer, Arruda dos Vinhos e Sobral de Monte Agraço). LOULÉ – Presépios comerciais De modo a dinamizar o comércio tradicional dos centros urbanos do concelho algarvio, a CentroLoulé promove uma exposição de Presépios nas lojas associadas, até 24/12/2009. MAFRA – Expo de Presépios com artesãos Durante a XII Feira de Artesanato Mafra – Feira de Natal, 1213/12/2009, irá decorrer uma exposição de Presépios. Para além dos artesãos inscritos, podem ainda participar com as respectivas peças presepistas outros artesãos interessados. MONTIJO –“Arte dos Presépios” Até 7/01/2010 está no Posto de Turismo (Mercado Municipal n.1) a exposição “A Arte dos Presépios”, promovida pela Câmara Municipal de Montijo, através do Gabinete de Turismo, com o objectivo de divulgar o artesanato desta região. Num gesto de solidariedade, pode adquirir-se algumas das peças expostas. Uma percentagem desse valor reverte a favor da CERCIMA. NAZARÉ – Univ. Sénior promove Expo de Presépios A Biblioteca Municipal da Nazaré vai acolher, de 16/12/2009 a 10/01/2010, uma exposição de Presépios, numa iniciativa da Universidade Sénior da Nazaré. Esta iniciativa está aberta a todos quantos queiram colaborar, sejam ou não coleccionadores, cedendo um ou mais presépios que se distingam pela sua originalidade. OLIVEIRA DE AZEMÉIS – Expo II Concurso de Presépios Entre 9/12/2009 e 6/01/2010 está patente ao público na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro, no seu horário de funcionamento, a exposição dos Presépios a concurso. A escolha dos presépios vencedores, em cada categoria, será votada pelos leitores da Biblioteca. PENELA – Concurso e Leilão solidário de Presépios O município relança o concurso

de Presépios, que estarão em exposição em vários locais emblemáticos do concelho, até 3/01/2010. Como no ano anterior, os Presépios vencedores do concurso serão leiloados, revertendo os fundos para instituições de solidariedade social locais.

Depois de Portugal (ano 2006), Espanha e França, é a vez da designada “capital nacional do presépio” receber África, com 200 presépios de 22 países desse continente, no átrio da Câmara Municipal. Mas esse não é o único local a receber estes ícones natalícios até 3/01/2010. Estão também expostos nos dois quartéis dos Bombeiros Voluntários (500 Presépios) e também nas montras da cidade (150).

PERRE – Presépio: + de 700kg Há mais de 20 anos que Luís Barros, agricultor, assegura a confecção do Presépio da freguesia de Perre, nos arredores de Viana do Castelo, o qual recorre a mais de 700 quilos de material (musgo, pedras, cortiça e casca de carvalho). São 30m2 de um Presépio que – com um portentoso castelo, moinhos de vento motorizados, um rio e mais de uma centena de figuras – ocupa toda a sala do Museu Paroquial de Perre.

SEIA – “Presépios por Portugal e pelo Mundo” Estão expostos 130 Presépios, com recurso a diversos materiais e de vários artesãos, no Centro de Interpretação da Serra da Estrela - CISE até 6/01/2010. Possui a colecção particular de Miranda Garcia. Em 2008, participaram 38 escolas do concelho.

PORTEL – “O Natal na Europa” A Capela de St. António de Portel recebe esta exposição até 10/01/2010, com Presépios oriundos de vários países europeus, da colecção particular do General Canha da Silva.

SESIMBRA – Presépio “Cantar o Natal” Decorre até 6/01/2010, no átrio da Biblioteca Municipal de Sesimbra, a exposição desse Presépio tradicional, representado pelo Grupo Coral de Sesimbra.

PORTO – Expo de Presépios: “das Ordens Profissionais”, “Diferentes olhares” e no HSJ Para além de várias exposições pequenas nas igrejas e nos átrios de Faculdades da Universidade do Porto, há a registar os seguintes eventos… - O Fórum Regional Norte das Ordens Profissionais (FORNOP) está a organizar uma exposição de Presépios que decorrerá de 18/12/2009 a 8/01/2010 nas instalações da Secção Regional Norte da Ordem dos Médicos. Pretende-se expor os presépios dos membros das várias Ordens Profissionais constituintes do FORNOP, reunindo obras de diferentes países e culturas. No dia da inauguração está prevista a conferência subordinada ao tema “Presépios do Século XVIII”, em colaboração com a Confraria do Caco. Para o dia de encerramento, será organizado um “Sarau de Janeiras”, com a participação de vários Grupos Corais. - Está patente na Galeria do ‘Jornal de Notícias’ (JN) uma exposição de Presépios de 34 artistas conceituados. As obras serão leiloadas em 18/12/2009, às 21h30, no Auditório do JN, e o produto da venda reverte para a Associação para a Promoção Cultural da Criança (APCC). A exposição ficará aberta ao público até 31/12/2009. - No vasto programa de Natal do Hosp. S. João (HSJ) insere-se, até 6/01/2010, uma Mostra de Presépios, em vários espaços dos Serviços do Hospital.

SOBRAL DE MONTE AGRAÇO – II Expo Colectiva de Presépios Decorre neste município, pertencente ao distrito de Lisboa (Região Oeste), até 6/01/2010, a II exposição colectiva de Presépios, contando com cerca de 13 artistas.

SAMORA CORREIA – Expo de Presépios Está patente no Espaço do Artesão da Casa-Museu Justino João, em Samora Correia – Benavente, uma exposição de Presépios, entregue naquele espaço em Novembro pelos interessados. SANTO TIRSO – IV Expo Internacional de Presépios

VALONGO – Expo e Venda de Presépios Está patente no Posto de Turismo de Valongo, até 15/01/2010 nos dias úteis (manhã e tarde), uma exposição e venda de Presépios dos artesãos do concelho e de Laurinda Pias. VIANA DO CASTELO – Expo de Arte Sacra Decorre, somente até 8/12/ 2009, no Instituto Português da Juventude (IPJ) de Viana uma exposição de arte sacra com Registos, Presépios, Ex-Votos, Ícones e Caixas de esmolas de M.ª Amélia da Cunha. VILA DE REI – III Concurso de Presépios Depois de inscritos, os Presépios ficarão expostos na Biblioteca Municipal José Cardoso Pires, entre 21/12/2009 e 30/01/2010, para serem apreciados e votados pelo público, a par dum júri nomeado. Os 3 primeiros contemplados receberão prémios em dinheiro. V. N. DE CERVEIRA – “Presépios da nossa terra” A exposição “Presépios da Nossa Terra” está na Galeria da Casa do Turismo, em Vila Nova de Cerveira, até 4/01/2010. Conta com a participação das juntas de freguesia do concelho. VISEU – Expo “Presépios do Mundo” Decorre até 31/12/2009 uma exposição com 200 réplicas de Presépios tradicionais, a nível mundial, na Galeria de Exposições do IPJ de Viseu. ◘

D.R.

Dezembro 2009

religião

Papa Bento XVI poderá vir ao Porto a 14 de Maio de 2010, aquando da sua visita confirmada a Lisboa e Fátima. No entanto, a passagem pela Invicta - «Cidade da Virgem», até 3/12, ainda não estava garantida. ◘


cultura

Baptista

Daniel Serrão e João Lobo Antunes, ambos médicos, foram distinguidos com o Prémio Pedro Hispano (João XXI) 2009, atribuído pela Academia com o mesmo nome. Parabéns! ◘

Professora Univ., ex-Ministra da Cultura

D.R.

Estudante do Ensino Básico (9 anos)

Miguel Ângelo e a respectiva banda actuou pela última vez no Coliseu do Porto, a 14/11/2009, num concerto inesquecível!◘

Uma viagem a Neptuno E

u queria ser astronauta, queria visitar Neptuno, mas não usaria um foguetão usaria uma borboleta gigante, e claro levaria comigo a minha coelha Pintarola. Montaríamos a borboleta e partiríamos.

V

oaríamos muito alto, ao longe já se avistaria Neptuno.

3.-

A

borboleta começaria a abrandar e, sem darmos por nada, já tínhamos chegado.

Em Nep-

DATA

AGENDA LOCAL

12 Dez.

Ceia de Natal do Agrupam. 1104 CNE

13 Dez.

Ceia de Natal do Grupo de Casais de Paranhos

19 Dez.

Confissões para a Catequese de Paranhos

19 Dez.

Ceia de Natal do Grupo de Acólitos de Paranhos

20 Dez.

Almoço mensal a favor da nova igreja - Ctr. Dia

20 Dez.

Festa de Natal da Catequese, 15h - Cripta

28 Dez.

‘Sagrada Família’: Celebr. com Casais Jubilados

2 Jan.

Adoração Eucarística pelas Vocações, 21h - 22h

5,6,8,9 Jan.

Cantar as Janeiras pelas ruas/casas de Paranhos (interessados em cantar: compareçam aos ensaios)

tuno avistaria uma casinha com um ar muito amigável. Entraríamos e lá enco ntraríamos uma extraterrestre chamada Nenuca.

E

la era verde e tinha os olhos trocados e vermelhos. A Nenuca falaria outra língua e nós não a perceberíamos.

N

ão ficaríamos lá dentro muito tempo. Quando fossemos embora tiraríamos um pedaço da terra azul de Neptuno, que serviria de recordação desta fantástica aventura! ◘

PARCEIROS

Aproveite a pausa natalícia e o recolhimento a que os dias de Inverno convidam e leia o excepcional livro, “O Apocalipse dos Trabalhadores”, de um dos escritores mais promissores da nova geração, o nortenho, Valter Hugo Mãe. É um romance cuja acção decorre numa atmosfera suburbana de uma pequena cidade a Norte, onde o sonho de amor de uma empregada doméstica lança o leitor numa atmosfera surreal, sem que o romance deixe ao mesmo tempo de prestar uma enorme atenção a experiências muito realistas do nosso quotidiano ligadas por exemplo à vivência da imigração. É brilhante, verá! ◘

Ed.: ALETHEIA A.: Carlos Azevedo, … Ano: 2009 | N. Pág.: 347

Raras figuras da nossa história religiosa catalisam, como D. António Barroso, a densidade das características do seu tempo, permitindo no percurso da sua vida (1845-1918) reunir os grandes debates de um arco de tempo significativo. Situamo-nos na emergência da acção missionária nos territórios coloniais portugueses, na mudança de regime de Monarquia para a República e na intensificação da vida pastoral das dioceses, prosseguindo caminho aberto desde os anos 70 (séc. XIX). Há vários anos que se planeava uma biografia do notável missionário e destemido Bispo do Porto. Sai agora, a duas mãos, enriquecida com factos e leituras dessas dimensões. ◘

Ed.: CIVILIZAÇÃO A.: Nadeem Aslam Ano: 2009 | N. Pág.: 368

Uma obra de profunda humanidade, "Uma História em Vão" pinta um retrato oportuno do Afeganistão, e do amor durante a guerra e o conflito. Ao mesmo tempo furioso, inabalável e inesquecivelmente belo, distingue Nadeem como um escritor mundial de grande importância. Uma russa chamada Lara chega à casa de Marcus Caldwell, um viúvo que vive numa antiga fábrica de perfumes à beira das montanhas Tora Bora. É possível que a filha de Marcus, Zameem, tenha conhecido o irmão de Lara, um soldado soviético que desaparecera na região muitos anos antes. Mas, tal como a mulher de Marcus, Zameen está morta. ◘

Ed.: DIFEL A.: Umberto Eco Ano: 2007 | N. Pág.: 388

Do Médio Oriente ao «Big Brother». De «O Código da Vinci» ao futebol. Da Internet a Berlusconi. O início do terceiro milénio visto à lupa pelo mais conceituado pensador e romancista da actualidade. Os escritos reunidos neste livro foram publicados entre o início de 2000 e o final de 2005, os anos do 11 de Setembro, das guerras no Afeganistão e no Iraque, da instauração de um regime de populismo mediático em Itália. Ao lê-los, o leitor comprovará que desde o fim do último milénio temos vindo a caminhar para trás a um ritmo dramático. los, o leitor comprovará que desde o fim do último milénio temos vindo a caminhar para trás a um ritmo dramático. ◘

D.R.

É Natal, leve os seus filhos, netos ou amiguinhos ao Circo e mergulhe na magia que esse espectáculo sempre

oferece também aos adultos. Uma ida ao circo será um presente por certo mais apreciado do que um brinquedo que corre o risco de ser apenas mais um entre dezenas de brinquedos com que bombardeamos as crianças na época de Natal. O “Monumental Circo” estará no Coliseu do Porto entre 5 de Dezembro e 3 de Janeiro com “o maior espectáculo do mundo”…

Benedita Valente

ARR

2.-

MÃOS D(O)ADAS

Um adeus emocionado e ao rubro, ao longo de 2h30

Isabel Pires de Lima

Até 7 de Janeiro ainda está a tempo de ver uma belíssima exposição que o Museu Soares dos Reis tem para lhe oferecer de um dos grandes pintores do século de XIX – Henrique Pousão. A exposição intitula-se “Diário de um estudante de Belas- Artes – Henrique Pousão (1859-1884)” e acompanha o percurso da curta vida do pintor, que morreu com 25 anos, através da sua passagem pela Escola de BelasArtes do Porto aonde entrou aos 13 anos. A “paisagem” portuense do século XIX está lá bem representada pelo pincel extraordinário do pintor. E aproveite para fazer algumas compras de Natal na loja do Museu onde encontra uma grande oferta de prendas diferentes e sem a confusão dos espaços comerciais em época natalícia. O museu fecha só às segundas.

Dezembro 2009

DESPEDIDA DOS ‘DELFINS’, NO PORTO, APÓS 25 ANOS

SUGESTÕES DE...

1.-

11

11


ANO I | N.12

destaques

12 Dezembro 2009

AVULSO: €1,40

ASSINATURA: € 14 | PARANHOS - PORTO

CAMPANHA JV - Final’09

Ofertas AO TORNAR-SE NOVO ASSINANTE DO JORNAL VERIS OU OFERECENDO ASSINAT. GANHA LOGO PRÉMIO:

Parque Biológico de Gaia; Park & Zoo St. Inácio; Sea Life do Porto CAMPANHA ATÉ DEZ., COM SORTEIO DESTES E OUTROS PRÉMIOS (livros, cd, t-shirts, bonés, etc).

NUM ÁPICE POR… D. Manuel Clemente

VERITAS COGITUM

Ex.cia Rev.ma Bispo diocesano do Porto

>> I) Porto, porta(l) e pórtico de quê?

D.MC – É um nome bonito para uma vida, ser “porto”. A palavra evoca imediatamente abrigo e segurança, refúgio e acolhimento. O que mais nos importa é que cidade seja cada vez mais isso mesmo. Para os que cá nasceram ou moram e para os que nos procurem também, de perto ou de longe. Para os de cá, pois muitos ainda não têm ou já não têm as condições para uma vida condigna, condições materiais ou ambientais, incluindo nestas a convivência e o acompanhamento. Sermos simplesmente vizinhos não significa que sejamos realmente próximos, porque – como nos ensina a magnífica parábola de Jesus – próximo é quem se aproxima do outro e o trata como irmão. É este o desafio que implica o nome “Porto”: aproximação, acolhimento, verdadeira convivência.

>> II) Para si, qual o paranho de Paranhos?

>> III) Oportunidades e ameaças da Paróquia paranhense...

magnífico carisma de São Vicente de Paulo, fundador duma congregação que tem no nome e no objectivo precisamente a ‘missão’, essa missão evangelizadora e humanizante. Sei que o carisma do pároco e da congregação – prosseguindo o dedicado trabalho dos párocos anteriores - contribuirão muito para que Paranhos, como toda a nossa diocese, “se renovem na missão”.

>> IV) Que S. Veríssimo e como sê-lo no nosso tempo? D.MC – Paranhos tem como padroeiro S. Veríssimo, um mártir. Mártir significa dar a vida pelo Evangelho, o que deve acontecer com todos os paroquianos de Paranhos. Não serão mártires de sangue, como o seu padroeiro, mas serão mártires de vida, fazendo das suas existências pessoais, familiares, profissionais e apostólicas um testemunho claro e expansivo de que “há mais felicidade no dar do que no receber”, como nos ensinou Jesus. Dar a vida pelo Evangelho é também reconhecer que é o Evangelho que nos dá a vida, preenchendo-a de alma e sentido. ◘

ARR

D.MC – Começando pelas “ameaças”, são as que sofrem as paróquias de zonas em recomposição social. De antigo espaço rural e identificado, passou ao território mais indistinto que é agora, com o que ficou do passado, o que o presente lhe trouxe e o futuro lhe trará. Residentes fixos, uma população escolar de grande mobilidade, de tudo um pouco… Isto mesmo se transforma numa grande oportunidade para a comunidade cristã, para que esta se revele no melhor de si própria: um espaço de comunhão com Deus e com os outros a partir de Deus, alargando-se em redor como factor de unidade e coesão social e cultural. A graça de ter como pastor um sacerdote vicentino, oferece a Paranhos o R AR

D.MC - Não encontro a palavra no Dicionário da Academia das Ciências. Mas, se não tem etimologia certificada, deve ganhá-la na pessoa de cada um dos seus naturais. Aqui o desafio é que cada um dos habitantes de Paranhos dê à sua freguesia uma conotação de solidariedade,

criatividade e esperança.


Dezembro 2009