Issuu on Google+

Externato Marista de Lisboa Trabalho de História 8ºD Ano Lectivo: 2010/2011

Expansão e Mudança nos séc. XV e XVI Renascimento e Reforma A arte no Renascimento: Arquitectura

Capela de Santa Maria das Flores, Florença, Itália Trabalho Realizado por: Bernardo Pires, nº6 Diogo Ferreira, nº7 Inês Alves, nº20 Miriam Ferreira, nº26 1


Índice 1.

Introdução

2.

Principais características

3.

Na Península Ibérica

4.

Principais Arquitectos 4.1. Filippo Brunelleschi 4.2. Leon Battista Alberti 4.3.Giuliano da Sangallo

5.

Monumentos renascentistas 5.1 Basílica de S. Pedro 5.2 Igreja Matriz de Atalaia 5.3 Villa Capra ou Villa Rotonda 5.4 Catedral de Santa Maria das Flores

6.

Conclusão

7.

Bibliografia

8.

Anexo

2


1.

Introdução

Neste trabalho vamos falar sobre a Arquitectura no Renascimento. Primeiro faremos uma pequena introdução ao estilo e explicaremos as suas características e as diferenças em relação ao gótico. Apresentaremos ainda alguns arquitectos que se tornaram famosos pela sua inteligência e pelas magníficas obras que criaram. Por último mostraremos alguns monumentos que datam essa época. Esperemos que gostem e que aprendam tanto como nós.

2.

Principais características

A arquitectura renascentista foi inspirada nos estilos clássicos e na arquitectura grego-romano e as suas principais características são: Horizontalidade e simplicidade das linhas, que eram completadas com elementos geométricos e decorativos da antiguidade: Frontões triangulares nas fachadas; arcos de volta perfeita; colunas clássicas; balaustradas e cornijas. Um exemplo deste estilo apresenta-se na Figura 1.

Figura 1. Corte lateral da Capela dos Pazzi, construída entre 1430-1641

A estrutura dos edifícios obedecia a um princípio de organização geométrica, com recurso a simetrias. Observa-se uma grande harmonia de formas, um grande equilíbrio, simplicidade, precisão, 3


sentido das proporções. Também se observa a repetição regular dos mesmos elementos – janelas, colunas, de vários tipos sobrepostas de modo a criar uma sensação , de harmonia e de equilíbrio. As colunas eram provenientes das várias ordens gregas, como se indica na figura 2. O Palácio Rucellai (Figura 3), que existe em Florença, é um exemplo da estrutura dos edifícios.

Figura 2. Ordens Gregas observadas nas Colunas

Figura3. Fachada do Palácio Rucellai, Florença 1446

A planta deste Palácio (Figura 4) mostra uma estrutura em cruz latina com três naves. Como acontece geralmente, uma das naves é maior e mais alta e o tecto é em abóbada de berço, resultando da inspiração no estilo românico, como se pode ver na figura 5.

4


Figura 4. Cruz Latina

A

B

Figura 5. Comparação de elementos característicos dos estilos arquitectónicos renascentistas e Góticos. A: Abóbadas; B: Arcos

Criou-se assim um estilo arquitectónico diferente e criativo inspirado nos modelos clássico e, em muitas situações, com técnicas totalmente novas, designado como Renascimento (Figuras 5 e 6). A

B

Figura 6. Comparação de elementos característicos dos estilos arquitectónicos renascentistas e Góticos. A: Janelas; B: Colunas 5


3.

Na Peninsula Ibérica

Na Península Ibérica, uma mistura dos estilos gótico, renascentista, e uma ligeira influência árabe originou o estilo Manuelino, que se desenvolveu durante o reinado de D. Manuel I.

Figura 7. Fotografia de D.Manuel I.

A decoração típica do Estilo Manuelino envolve motivos marítimos, característicos da época dos Descobrimento. As paredes interiores e exteriores são normalmente nuas e a decoração baseia-se em janelas; arcos; portais; pilares; colunas; abóbadas; frisos; cornijas; contrafortes e fortes. Os elementos típicos observados neste estilo são, por isso, Algas; o Escudo de D. Manuel I; a Esfera Armilar e Cruz de Cristo (Figura 8), apesar de em alguns monumentos manuelinos também se observarem Cordas (Figura 9 e 10).

Figura 8. Portal da capela da Universidade de Coimbra. Os destaques a vermelho salientam elementos arquitectónicos essenciais do estilo Manuelino. 6


Figura 9. Janela do Convento de Cristo, em Tomar.

Figura 10. Torre de BelĂŠm, Monumento do Estilo Manuelino emblemĂĄtico de Lisboa.

4.

Principais Arquitectos

No Renascimento destacaram-se muitos arquitectos (Figura 11) com Naturalidades muito diferentes pois vinham dos diversos reinos

7


A

B

C

Figuraa 11. Exemplo de Arquitectos Renascentistas. A: Filippo Brunelleschi; B: Leon Battista Alberti; C: Giuliano da Sangallo.

4.1 Filippo Brunelleschi Este Arquitecto é um exemplo Renascentista (Figura 11A). Nasceu em Florença, Itália, no ano de 1377 falecendo no mesmo local em 1446. Brunelleschi foi ensinado com o objectivo de se tornar um ourives. Foi escultor e arquitecto, tendo mais destaque como arquitectoe destacou-se bastante na sua época. A Catedral de Santa Maria das Flores (Santa Maria del Fiori, Florença) foi uma das suas principais obras. Esta Catedral inspirou vários arquitectos como Bramante e Miguel Ângelo. Um grande marco também da sua vida foi o desenvolvimento da perspectiva linear, juntamente com Leon Battista Alberti e Piero della Francesca.

4.2. Leon Battista Alberti Leon Battista Alberti (Figura 11B), nasceu em Génova a 18 de Fevereiro de 1404, falecendo em Roma a 20 de Abril de 1472. Dedicou a sua vida à Arquitectura e às outras artes. Filho de mercadores, frequentou a Universidade de Bolonha, Direito.Assim como Leonardo Da Vinci, este também se pode identificar como um homem do Renascentismo.Várias obras conhecidas dele são o Palácio Rucellai e a Igreja de São Sebastião.

4.3. Giuliano da Sangallo

Sangallo (Figura 11C), nasceu em Florença em 1443 e faleceu na mesma cidade em 1516. Descendente de uma família de arquitectos notáveis, este dedicou a sua vida à escultura e 8


arquitectura. Foi também engenheiro militar em Itália.Trabalhou para diversas pessoas importantes, entre elas o Rei e o papa Alexandre VI.Duas das suas obras mais conhecidas são a igreja de Santa Maria delle Carceri e o Palazzo della Rovere.

5.

Monumentos Renascentistas

No Mundo há vários edifícios característicos do Renascimento (Figura 12). A maior destes edifícios localiza-se em Itália, pois foi lá que começou o Renascimento, mas também os há noutros Países, como Portugal.

Figura 12. Monumentos arquitectónicos típicos. A: Basílica de S. Pedro; B: Igreja Matriz de Atalaia, C: Villa Capra ou Villa Rotonda; D: Catedral de Santa Maria das Flores.

5.1. Basílica de S. Pedro:

Este importante monumento Renascentista é a sede do Vaticano e a morada oficial do Papa, tendo uma beleza extraordinária. É caracterizado pela horizontalidade (porta debaixo de porta, janela debaixo de janela, etc.), que predomina e é bem evidente quando se observa de frente. Tem uma cúpula de grandiosas dimensões, e também as colunas são bastante grandes relativamente ao normal noutros edifícios. Nota-se também que o seu capitel é bastante trabalhado. Nas laterais do monumento observamos Arcos de volta perfeita que irão suceder às Abóbadas de berço. É um monumento bastante diferente dos da idade média, que eram predominantemene góticos.

9


5.2. Igreja Matriz de Atalaia

Este é um exemplo de um monumento Renascentista Português. Também este monumento possui uma horizontalidade notável. Observa-se que há a existência de arcos de volta perfeita, de um frontão trabalhado e de pináculos. Como em todos os monumentos renascentistas está evidente a ideia dos novos modelos arquitectónicos.

5.3. Villa Capra ou Villa Rotonda

Neste monumento Renascentista também se destaca a horizontalidade. Podemos observar os vários elementos como as grandes colunas, o frontão trabalhado e a cúpula que é bastante reduzida quando comparada com outros monumentos renascentistas, como a Basílica de S. Pedro. Observamos ainda as trabalhadas estátuas expostas em cima de todo o monumento. Também tem Arcos de volta perfeita e todas as janelas da parte “média” do monumento tem um frontão.

5.4. Catedral de Florença

A Catedral Santa Maria das Flores, como já referido localiza-se em Florença. Começou a ser construída em 1294 pelo arquitecto Arnolfo di Cambio e após um século e meio continuava sem cúpula principal. Presente no projecto original, a enorme cúpula de forma octogonal, não tinha maneira de ser contruida. Os suportes, normalmente utilizado para suportar as cúpulas, tornaram-se bastante inseguros frente ao grande peso da cúpula deste edifício pois tinha aproximadamente 39.5 metros. Fillipo Brunelleschi sugeriu a utilização de uma série de autoportantes, anéis em pedra (arenito), para reforçar a sua parte externa com correntes de ferro. Com os anéis a estrutura ficava protegida contra esforços laterais durante a fase de construção.

6.

Conclusão

Resumindo, o estilo renascentista foi inspirado nos modelos clássicos e caracteriza-se pela sua simetria, organização geométrica, harmonia de formas, simplicidade, equilíbrio e precisão. Em Portugal, o Gótico foi ligeiramente modificado originado um estilo tão nosso conhecido: o Manuelino, que já apresenta algumas características do estilo Renascentista. 10


De entre os principais arquitectos do Renascimento distinguimos três: Filippo Brunelleschi, Leon Battista Alberti e Giuliano da Sangallo. Analisámos vários monumentos que de certeza nos chamarão mais a atenção se os chegarmos a ver com os nossos próprios olhos.

No nosso entender, este foi um trabalho bastante produtivo onde aprendemos bastante.

7.

Referências Bibliográficas

Manual de História: História Oito Parte 1: Maria Emília Diniz; Adérito Tavares; Arlindo M. Caldeira. Lisboa Editora. Referências Electrónicas http://nanamada.blogspot.com/2007/12/manual-bsico-do-curioso-em-artes.html http://www.slideshare.net/crie_historia/renascimento-arquitectura http://www.pegue.com/artes/berco.htm http://www.slideshare.net/manuelahistoria/a-arquitectura-do-renascimento http://www.slideshare.net/bravobastos/a-arte-manuelina http://www.google.pt/imgres?imgurl=http://www.baixaki.com.br/usuarios/imagens/wpapers/1102 619-52979-1280.jpg&imgrefurl=http://www.baixaki.com.br/papel-de-parede/27250-torre-de-belemportugal.htm&usg http://www.slideshare.net/ruinobre/estilo-manuelino-e-estilo-renascentista-em-portugal http://voltanahistoria.blogspot.com/2010/06/mosteiro-dos-jeronimos.html www.wikipedia.pt http://www.infopedia.pt/$filippo-brunelleschi http://www.vidaslusofonas.pt/filippo_brunelleschi.htm http://www.netsaber.com.br/biografias/ver_biografia_c_2580.html http://pt.wikipedia.org/wiki/Filippo_Brunelleschi http://www.vidaslusofonas.pt/filippo_brunelleschi.htm http://www.infopedia.pt/$filippo-brunelleschi http://bhpbrasil.spaces.live.com/Blog/cns!CBF475499EC82673!13780.entry http://www1.ci.uc.pt/iej/alunos/1998-99/cbs/entrada1/conteudo.htm

11


8. Anexos

12


Trabalho de História