Issuu on Google+

Escola Superior de Educação de Viseu

O Facebook Faceboook

David Santos 9854 david.santos1990@hotmail.com

Diogo Filipe Sousa 9834 diogofilipe.sousa@facebook.com


Escola Superior de Educação de Viseu

Resumo Aquando do lançamento, que viria a ser revolucionário, do Facebook, em 2004, Marck Zuckerberg não fazia ideia que estava a apresentar ao mundo uma ferramenta que, actualmente, detém o primeiro lugar no acto da comunicação. O Facebook conta com mais de 2 milhões de utilizadores; e estes são apenas em Portugal. Palavras chave: Facebook, Marck Zuckerberg, Rede Social, Figura publica, Empresa, Cliente, Auto-Promoção

Abstract At the launch, which was to be revolutionary, Facebook in 2004, Marck Zuckerberg had no idea it was to present the world a tool that currently holds first place in the act of communication. Facebook has more than 2 million users, and these are only in Portugal. Keywords: Facebook, Marck Zuckerberg, Social Network, Public Figures, Company, Customer Self-Promotion

Introdução Hoje em dia é raro se um cidadão, uma empresa ou uma figura pública não recorrem a uma rede social; permite comunicação directa com amigos, através de fotografias, vídeos, e chat, entre muitos outros. As empresas vêem a rede social como uma óptima forma de impulsionar o lançamento de campanhas que incentivem a interactividade da empresa com o cliente, fomentando assim uma maior proximidade com os mesmos. As figuras públicas usam-na como ferramenta de auto-promoção, utilizando a rede para manter os fãs actualizados sobre a sua vida profissional, e por vezes pessoal. Porém, actualmente, tem vindo a verificar-se um “fenómeno” emergente; há utilizadores a usarem o Facebook como Curriculum Vitae, tentando autopromover as suas capacidades profissionais e as suas próprias personalidades, numa tentativa de obter ou manter contactos profissionais com possíveis entidades patronais. O Facebook não pára de crescer e provas concretas disso são os melhoramentos e quase constantes actualizações que Marck Zuckerberg e a sua equipa têm feito na rede. Há meses passou a tornar-se possível realizar vídeo chamadas com qualidade, possuir uma conta de email, marcar presença em diversos locais através da rede e ter notificações ao minuto dos nossos contactos directamente nos bolsos, com aplicações para a maioria dos telemóveis. Presumimos que este crescimento é saudável e necessário para a própria rede, caso contrário tenderá a cair em desuso e a ser ultrapassada, como outras redes sociais suas antecessoras.


Escola Superior de Educação de Viseu


Escola Superior de Educação de Viseu

Desenvolvimento 1. Redes Sociais “As redes sociais são redes de comunicação que envolvem a linguagem simbólica, os limites culturais e as relações de poder” Fritjof Capra As redes sociais existem desde sempre na história humana. Desde sempre o homem estabeleceu relações, formando comunidades ou redes de relacionamentos. Hoje, por meio da internet, estamos a transcrever relações presenciais no mundo da internet. As tecnologias da Web 2.0 ampliaram as possibilidades de interacção na medida em que nos permitem visualizar conexões existentes para além dos nossos relacionamentos presenciais, ou seja, hoje sabemos quem são os amigos dos nossos amigos, bem como os amigos que temos em comum, o que está a tornar a nossa rede social virtual cada vez mais ampla e diversificada sobretudo quando comparada com a nossa rede social presencial. As primeiras redes sociais virtuais surgiram há pouco mais de 10 anos, mais precisamente em 1997 com o Sixdgrees. Este site foi o primeiro a possibilitar a criação de um perfil virtual combinado com o registo e publicação de contactos, o que viabilizou a navegação pelas redes sociais alheias. As redes sociais como as conhecemos hoje iniciaram actividades em 2003. Naquele ano surgiram vários serviços, entre eles o Myspace, que em pouco tempo viria a ter milhões de usuários. Desde então, muitas redes sociais prosperaram mobilizando milhões de usuários. Entre 2004 e 2005 foram lançadas outras redes, mas em especial o Facebook, que inicialmente fora lançado exclusivamente para universitários. Em 2006 o Facebook ficou aberto a todo o público em geral.


Escola Superior de Educação de Viseu

2. O Facebook 2.1 Funções Timeline: O que antigamente era o Mural passou a ser uma Timeline (linha do tempo). A principal característica desta funcionalidade diz respeito à possibilidade de permitir aos utilizadores da rede social contarem a sua história de vida, marcando as datas mais importantes, como o nascimento, casamento, etc, através de texto, vídeos e fotografias. Eventos: Os "Eventos" são uma maneira para que os membros informem seus amigos sobre os próximos eventos na sua comunidade, para organizar encontros sociais ou simplesmente para dizer o que está a sentir no momento. Tem-se tornado uma ferramenta bastante controversa, tanto que em Julho passado a Alemanha anunciou que queria proibir todas as festas anunciadas via Facebook. A decisão está baseada em diversos casos de superlotação ou recepção de pessoas não convidadas a eventos particulares. No evento do 16º aniversário de uma garota em Hamburgo, que foi acidentalmente configurado como público, 1500 "convidados" compareceram à festa, e após relatos de distúrbios na sobrelotação, mais de uma centena de policiais tiveram de ser destacados para controlar a multidão. Um policial ficou ferido e onze participantes foram detidos por agressão, danos materiais e resistência às autoridades. Marketplace: Em Maio de 2007, o Facebook introduziu o "Facebook Marketplace", permitindo aos usuários publicar classificados gratuitamente. Contudo, a sua utilização não é grande. Facebook Video: É uma aplicação onde se pode partilhar vídeos dentro do Facebook. Os usuários podem adicionar vídeos por meio de um arquivo do computador, ou adicionando directamente do telemóvel através do "Facebook Móvel" ou até utilizando uma webcam. Além disso, pode-se "marcar" os seus contactos nos vídeos. No entanto, o Facebook Video não permite compartilhar vídeos fora do Facebook nem fazer download dos vídeos. Facebook Móvel: Em 2010, o Facebook juntamente com algumas operadoras de comunicação móvel, lançaram o serviço de acesso grátis ao site através dos telemóveis. Hoje em dia é um dos pontos fortes do Facebook, permitindo a qualquer usuário actualizar o seu estado e receber notificações sem ter de utilizar um computador. Localização: Com a nova Timeline apareceu esta nova função que permite ao usuário comunicar aos contactos onde está ou esteve numa precisa hora ou


Escola Superior de Educação de Viseu

dia. O site Foursquare foi o lançador deste tipo de serviço, a que Marck Zuckerberg não quis ficar indiferente 3. Os jovens no Facebook Se o Facebook começou por ser lançado para jovens universitários é indiscutível que passados sete anos o seu maior publico continuam a ser os jovens. Hoje em dia os jovens utilizam o site para comunicarem entre si das mais variadas formas, para se manterem actualizados sobre o mundo contudo o estudante Carlos Ferreira alerta para que: „se seguir as coisas certas aí sim estou bem actualizado‟. No mundo do Facebook existem várias páginas vistas como vírus/spam, que tentam lançar falsas notícias destabilizando a rede social e quem dela quer dar um bom uso. Um aspecto importante para os jovens é a privacidade. Aquando do registo no site não é permitido que o utilizador tenha menos de 13 anos, contudo é muito frequente encontrar casos de jovens que mentem ao site sobre a sua idade e utilizam a rede social. Contudo, continuam a existir problemas de privacidade na rede, assim como pessoas denominadas de Stalkers que perseguem determinados usuários até à exaustão. O estudante de Viseu Carlos Ferreira assume que tem cuidados quando usa o Facebook porque “é olhado por milhares de pessoas e sim deve-se ter cuidado como se utiliza, o que se escreve, o que se gosta, as opiniões, tudo!” A febre do Facebook só chegou às pessoas mais velhas no último ano, e segundo Maria Costa, professora de Barcelos, usa o Facebook “para manter contactos profissionais mas mais para controlar as duas filhas menores”. Cabe aos pais controlarem os filhos menores na rede e prevenir qualquer acto mal calculado pelos filhos na rede.


Escola Superior de Educação de Viseu

4. Facebook como ferramenta de trabalho Quem vê o Facebook uma óptima maneira de se promover são as pessoas que trabalham por conta própria. Sejam freelancers, fotógrafos, pintores, etc. Pessoas ligadas ás artes vêem o Facebook como uma ferramenta de mostrar o seu trabalho ao publico sem ter de pagar nada. Adriana Boiça Silva, repórter fotográfica de concertos, “Através do Facebook consigo que o meu trabalho chegue a muitas mais pessoas e a uma velocidade incrível, super rápido. Eu partilho uma coisa com os meus x amigos. Um desses amigos, partilha e ao fazê-lo está a partilhar com mais x amigos (os dele), é assim que tudo funciona, é um ciclo.” A rede social é no caso destas pessoas, que trabalham por conta própria, um meio de conseguir arranjar trabalho. Adriana Boiça Silva interessa-se por fotografar bandas de musica e admite que usa o Facebook para contactos profissionais: “O facebook pode ser a base, onde encontramos muitos contactos que depois temos que os saber utilizar e que nos permitem chegar a algum lado. No facebook, há um conjunto de pessoas e cada uma tem o seu trabalho e expõe-o, sendo assim, é muito mais fácil cruzar profissões.”


Escola Superior de Educação de Viseu

5. As marcas no Facebook Tornou-se num hábito vermos marcas ligadas ao Facebook. É quase impossível precisar o impacto directo que a rede social tem no negócio de uma empresa. Uma coisa é certa: nenhuma quer ficar de fora. E há fortes razões para isso. Existem mais de 2 milhões de portugueses com conta aberta no Facebook. Utilizadores que se podem transformar "em potenciais clientes" Ter uma página no Facebook é tão importante quanto um site. A intenção é criar uma relação com o público e estreitá-la. Este canal bilateral ajuda a quebrar barreiras. Algumas empresas utilizam esta estratégia de marketing para tornar a marca mais acessível aos seus clientes, inserindo-a no dia-a-dia do consumidor, informando-os das novidades, desde os lançamentos de produtos até às promoções, ofertas e concursos. Contudo, apesar do retorno em termos de imagem ser positivo, existe sempre o risco de que surjam nas páginas comentários menos favoráveis. É necessário que essas páginas sejam acompanhadas ao minuto e para isso as marcas contam com os gabinetes de comunicação. Vejamos o historial no Facebook de algumas marcas sediadas em Portugal: Caixa Geral de Depósitos Chegaram ao Facebook em 2008 e já têm 11 mil "fãs". O objectivo "foi criar proximidade e relações fortes da nossa marca com os clientes e consumidores em geral." Fonte da CGD realça que os "fãs" "não só reagem aos nossos „post', acrescentando opiniões e informação útil, como também deixam as suas sugestões de vez." Central de Cervejas "O investimento nas redes sociais é algo que começámos a apostar de forma mais estruturada em 2010", diz Luísa Motta. Actualmente a Sagres tem 24.244 "fãs" no Facebook. Dolce Gusto "A página no Facebook foi iniciada há cerca de dois meses atrás com um passatempo", diz Jorge Santos Silva, responsável de marketing da Dolce Gusto. Apesar de estar „online' há pouco tempo, a marca de cafés já tem 9.651 seguidores. "Estamos a trabalhar com a agência para explorar a presença nas redes."


Escola Superior de Educação de Viseu

ZON A operadora chegou às redes sociais em 2009 e já conta com mais de 30 mil utilizadores activos. No Facebook temos a página oficial dos cinemas ZON Lusomundo, onde desenvolvemos aplicações próprias", diz fonte da ZON. Pousadas de Portugal O Grupo Pestana está presente nas redes sociais desde 2008. A página do Facebook Pousadas tem uma nova imagem e mais de 32 mil seguidores. A página do Pestana será remodelada este ano, em simultâneo com o lançamento da nova versão do site Pestana.


Escola Superior de Educação de Viseu

Marketing político no Facebook Obama foi o primeiro político trabalhou marketing político digital via Facebook com sucesso. Durante a sua campanha eleitoral o Facebook foi uma ferramenta chave do americano, que investiu cerca de 643 mil dólares só em comunicação nas redes sociais, contando com uma empresa de comunicação que lhes geria as redes. O actual presidente americano conta com mais de 24 milhões de seguires e 260 mil pessoas „falam‟ sobre o mesmo. Um facto bastante importante era que Obama fazia questão de „seguir‟ quem fazia „Like‟ na sua página, mostrando que estaria disposto a ouvir as pessoas e a conversar. Em Portugal muitos políticos e partidos políticos utilizam o Facebook como ferramenta de Marketing junto dos eleitores. Em Portugal todos os principais partidos políticos estão representados no Facebook, bem como o Presidente da Republica que conta com mais de 126 mil seguidores e o Primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho que conta com apenas 73 mil seguidores. Entre os maiores partidos (PS, PDS, CDS, BE), o partido que conta com mais seguidores é o PSD, com mais de 14 mil seguidores.


Escola Superior de Educação de Viseu

O futuro Todas as redes sociais até hoje tiveram um fim, casos do hi5, myspace, etc. Cabe ao Facebook ter as opções certas para conseguir continuar a vingar e manter o máximo de utilizadores consigo. Para isso a empresa tem investido na inovação com a criação de novas aplicações e parcerias, como com a empresa detentora do Skype. A criação de novas sedes pelo mundo é um sinal de investimento na melhoria dos serviços, de forma a satisfazer os clientes quero no apoio ao cliente quer na melhoria do serviço online. Para Adriana Boiça Silva, “Se surgir outra rede social que cause um impacto e que leve as pessoas a emigrar para lá, o facebook é capaz de ficar deserto e morre.”, a mesma não hesita ao dizer que se essa migração se der ela muda de forma a garantir o máximo de visibilidade para o seu trabalho. Para Jorge Paixão Duarte, estudante do Ensino Superior no curso de Publicidade e Relações Publicas na Escola Superior de Educação de Viseu „Vai-se tornar uma rede banalizada e pouco profissional. O aspecto profissional da rede social é fulcral para utilizadores das áreas de publicidade e relações públicas, visto que a difusão da mensagem não é levada tão a sério quando temos um interface pouco sóbrio, um bom exemplo disto é a nova cronologia.”


Escola Superior de Educação de Viseu

Conclusão Após a execução do trabalho concluímos que a rede social Facebook assume nos dias de hoje uma importância enorme na vida dos internautas. O que começou por ser uma brincadeira de um adolescente (Marck Zuckerberg) na altura, acabou por se tornar numa ferramenta a ser usada por todo o mundo. As maiores figuras sociais, empresas, partidos políticos bem como profissionais menos reconhecidos querem estar no Facebook e fazem de tudo para garantir o melhor posicionamento face à concorrência, para isso utilizam todas as técnicas que o facebook põe ao seu dispor. Cabe à rede social adaptar-se ao desenvolvimento constante das sociedades para satisfazer os seus já clientes, bem como angariar as novas gerações que com certeza irão necessitar de interagir via internet.


O Facebook