Issuu on Google+

VEREADOR É

AM EA ÇA DO DE MO RT E de Frases ameaçadoras foram escritas com um tijolo na calçada da casa Encantado. Jonas Caron (PP), em Muçum. Político registrou o episódio na DP de José Raimundo Tramontini

Página 13

CLIMA QUENTE NA CÂMARA Deves e Cauduro batem boca no plenário Ex-vereador Eldo chama Jonas de ‘bobinho’ Página 9 ALERTA Tubulação ameaça casa no Bairro Santa Clara Página 7 ESPECIAL

Homossexualismo

volta a ser polêmica Páginas 16 e 17

ACIDENTE GRAVE

Batida de frente deixa dois feridos na RS 129 Pág 19

FUTEBOL Amador de Encantado inicia no domingo Página 21

Restam 20 vagas para o Rio de Janeiro Página 8


COLUNA

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

5

milton@rdencantado.com.br

5º Passeio Ciclístico de Encantado acontece em maio Pensando na saúde e bem estar da comunidade, e incentivando a prática de exercícios físicos, administração Municipal de Encantado e o Grupo Encantado de Comunicação, promovem no dia 1º de maio a quinta edição do passeio ciclístico pelas ruas da cidade. A estrutura do Parque Multiesportivo vai receber os participantes a partir das 9h, onde ocorre o aquecimento orientado pelos monitores do Programa Viver Bem. A saída do passeio acontece às 9h20min. O roteiro segue pelas ruas Monsenhor Scalabrini, Tiradentes, Padre Anchieta e Júlio de Castilhos. De acordo com os organizadores da atividade, alguns trechos do percurso vão ser realizados na contramão da via, contando com a segurança da Brigada Militar. No decorrer do passeio, está planejada uma parada para hidratação na Praça Centenário e a realização do sorteio de brindes. O encerramento da atividade acontece na Praça da Bandeira, com a distribuição de picolés, Henrique Pedersini

mateada e sorteio de tablet, televisão 32’ e diversas bicicletas. Conforme a organização do evento, na próxima semana, as escolas vão receber a ficha para inscrição no passeio e sorteio dos brindes. Os cupons preenchidos podem ser entregues antecipadamente na Secretaria Municipal de Educação e Cultura ou na Rádio Encantado AM. Para os adultos que vão participar do passeio, as inscrições podem ser feitas no dia do evento. A quinta edição do Passeio Ciclístico de Encantado conta com o apoio da Câmara de Vereadores, Brigada Militar e erva-mate Sabadin. A prática do ciclismo traz benefícios para a saúde. Quarenta minutos de pedalada queimam cerca de 300 calorias, fortalece o coração e os pulmões, contribui na regularização dos níveis de pressão arterial, triglicérides e colesterol, trabalham os músculos do abdômen e também os dos membros inferiores, como glúteos, panturrilha, quadríceps e parte inferior das costas.

Maria Cegueta

Henrique Pedersini

Prejuízo

Durante a última semana, o condutor de uma motocicleta trafegava no sentido Nova Bréscia - Encantado quando foi surpreendido por um buraco no meio da pista. Mesmo tentando desviar, foram danificadas as duas rodas da moto, totalizando um prejuízo de R$ 500,00. Outros motoristas também acabaram entrando no buraco. Apae

Reunião no Grupo Encantado de Comunicação definiu detalhes do Passeio. Secretária Anapaula Gotardi, tenente Paulo Cezar e coordenador da Rádio Encantado AM, Milton Fernando

Esta semana, a convite da Direção da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, fui visitar a instituição localizada em Encantado, e fiquei impressionado com a estrutura que encontrei, e quero aproveitar para destacar alguns pontos que acho importante dividir com os leitores deste espaço: 1- Sete profissionais especializados estão à disposição dos alunos da escola, além dos professores e funcionários da instituição; 2- Existe uma lavanderia que se tornou uma das fontes de renda da APAE que, lava em torno de sete mil peças por dia, entre uniforme, botas, bonés e outras peças das empresas Dália, Quinta do Vale, e Frigovale; 3- Existe todo um trabalho de integração no mercado de trabalho de alunos, através da lavanderia, o que torna uma fonte de renda para alguns, que pode ajudar na renda familiar; 4- Está sendo concluído um auditório para 100 pessoas, em breve será inaugurado; 5- As mães terão um espaço para poderem ficar na APAE, sem precisar estar junto do aluno, o que pode ajudar no processo de

desenvolvimento da pessoa; 6- Aprendi que quanto mais cedo, a partir de um mês, as crianças portadoras de síndrome de down chegarem para começar o seu desenvolvimento, melhor será o avanço no futuro. 7- Também aprendi que muitos pais escondem o problema, chamam isto de luto, e nada pode ser feito, e as crianças chegam à instituição com 9, 10, 11 anos, o que dificulta em muito o seu desenvolvimento; 8- Existe uma moderna piscina térmica que está à disposição das crianças na APAE; 9- Poderia falar muito mais, pois tem muita coisa, mas quero aproveitar este espaço para deixar um pedido: visitem a instituição, e saiam de lá com o que eu levei de mais importante, o sorriso no rosto de todos, na sua inocência estão fazendo um mundo bem melhor, e nós que não estamos ao lado deles, não temos a consciência de o quanto eles são especiais. 10- Obrigado pelo convite, valeu cada minuto; 11- Quem colabora mensalmente ou eventualmente, pode ter uma certeza, o seu dinheiro está sendo bem aplicado.


6

GERAL

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

DUPLICAÇÃO MUÇUM/VENÂNCIO AIRES

Superintendente do Daer sugere projeto mais barato e rápido Hildo Mourão reuniu-se com prefeitos e vereadores em Encantado nesta semana

Diogo Daroit Fedrizzi

Encantado - O superintendente regional do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (Daer), Hildo Mourão, criticou os prefeitos e lideranças regionais por insistirem na elaboração do novo projeto de duplicação da rodovia que liga Muçum a Venâncio Aires (RSs 129, 130 e 453). Para o engenheiro, que participou de uma audiência pública na tarde de terça-feira (9) na Câmara de Vereadores de Encantado, os municípios estão colocando dinheiro fora para fazer o estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental de uma obra que vai demorar anos para ficar pronta. Os primeiros levantamentos têm custo estipulado em R$ 150 mil. O projeto total supera os R$ 3 milhões. “É muito mais barato e rápido alargar o acostamento da atual estrutura, que já está pronta”, alertou. “A duplicação é bem fácil de acontecer, mas do jeito que estão encaminhando é apenas um sonho. Os municípios estão se unindo para ver o impacto ambiental. Não precisa ver nada. Não vai ter impacto, porque só se iria alargar a estrada”. Num primeiro momento, Mourão sugere alargar o acostamento e transformar as faixas, hoje de 3m50cm, para 4m50cm de largura. “Ajudaria na ultrapassagem. Pegando um metro de cada acostamento, vai sobrar 1m50cm de cada lado. Protegeríamos o acostamento com tachões vermelhos e, nessa faixa, haveria a possibilidade de pessoas e ciclistas transitarem”. Numa segunda etapa do trabalho, o engenheiro fala em alargar 2m50cm de cada lado. “Assim, iríamos ficar com quatro faixas, duas para cada sentido, e um acostamento de dois metros”, explica. “Não seria necessário fazer uma estrada totalmente nova, com canteiro no centro, tipo freeway. É muito mais econômico do que considerar a estrada que existe hoje como um único sentido e construir um

trajeto novo para o sentido contrário. Na minha ideia não precisa fazer ponte nova, as atuais seriam ampliadas. Teríamos uma estrada alargada, em seguida duplicada, com custo muito menor”, relata Mourão, que lamenta não ser convidado pelas lideranças regionais para debater o assunto. A ideia ganhou eco entre os participantes da reunião. O prefeito de Encantado, Paulo Costi, entende que é importante a participação de Hildo Mourão nos encontros regionais. Ele salienta que há mais tempo vem falando em buscar um caminho alternativo. “Não que não se deva pensar na duplicação, mas ela necessita de um projeto muito mais amplo. Essa alternativa de aproveitar o acostamento é mais viável e mais rápida”, comenta Costi, lembrando os diversos contatos com a concessionária Sulvias para tratar da rótula do Trevo Peteba. “Eu sempre solicitava um tipo de rótula diferente do que se tem hoje. Sempre nos apresentaram algo sofisticado, que levaria mais tempo, ou que nunca fosse feito, como estamos vendo”. O vereador Adroaldo Conzatti, que já foi diretor do Daer, também é favorável à sugestão de Mourão. “Várias rodovias feitas com alto custo, se bem pensadas, poderiam ser construídas com menor valor. 95% da rodovia é possível duplicar com muito pouco dinheiro, porque é só aproveitar as áreas que tem acostamento. Na hora de pique, quem transita pela estrada, não consegue mais ultrapassar”, destacou.

“O Daer permite fazer quebra-mola. A Sulvias vai dizer que não está no contrato nem tem orçamento”, Hildo Mourão

Diogo Daroit Fedrizzi

Mourão (primeiro à direita) quer participar dos debates sobre a duplicação

Outros momentos da audiência * Mourão revelou que as obras de recuperação e sinalização das estradas dependem de renovação do contrato de conservação. “Pode levar alguns meses ainda, espero que seja renovado antes do inverno”. Ele afirmou que o Daer já realizou trabalho de colocação de placas e pintura em quase todas as estradas. “Gastamos R$ 500 mil em tachões nas curvas da ERS 332”, disse.

* O engenheiro mostrouse favorável à colocação de quebra-molas nas rodovias. “Lombada eletrônica é deficiente. Às vezes força a diminuição da velocidade, às vezes não. Quebra-mola é barato e pega desde o santo até o bandido”, disse. Ele sugeriu que os prefeitos interessados em instalar este tipo de redutor devem encaminhar um abaixoassinado à regional do Daer. Sugeriu ainda que os prefeitos municipalizem os trechos de estradas estaduais próximos à zona urbana, onde há núcleos habitacionais. “A prefeitura as-

sume a responsabilidade desse trecho, pode determinar até a velocidade”, explicou.

* Além do prefeito de Encantado, os gestores de Roca Sales, Doutor Ricardo e Relvado também acompanharam a audiência. Adroaldo Dacroce, de Relvado, questionou o engenheiro sobre a conclusão da obra de asfaltamento entre Encantado e Relvado. Conforme Mourão, 68% do trabalho está concluído. “Era para terminar em junho, foi pedido mais quatro meses de prazo. Mas como tem inverno pela frente, acredito que antes do Natal deve estar pronto”. * Nélio Vuaden, de Roca Sales, fez um apelo para asfaltar o trecho de sete quilômetros entre Roca Sales e Colinas. O prefeito também pediu atenção especial do órgão em relação ao recapeamento do asfalto entre a Polícia Rodoviária Estadual e a ponte sobre o Rio Taquari. “Após chuvas esse trecho torna-se basicamente

buracos, interferindo nas condições de trafegabilidade dos veículos e na segurança das pessoas”, afirmou. O engenheiro afirmou que a previsão é realizar um coscerto no local. “Devemos realizar uma remoção profunda do material onde abrem buracos e, depois, fazer um micro asfalto dentro do trecho. Isso deve ocorrer dentro do contrato de conservação das estradas”, disse.

* O superintendente do Daer criticou a colocação de flores e o excesso de terra nos canteiros das rodovias, que segundo ele, atrapalham a visibilidade dos motoristas. “Estrada não é jardim. Todo defundo fresco gosta de flores. Nossas estradas não precisam de flores, precisam estar seguras”. * Mourão alfinetou os engenheiros recém-formados, com cursos de pós-graduação. “Deveriam ficar uns cinco anos vendo como se faz estrada depois de se formar. Eles só têm a teoria”.


ENCANTADO

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

7

Tubulação atravessa terreno e ameaça casa no Bairro Santa Clara Há cinco anos, família batalha por ajuda das autoridades e órgãos responsáveis. Até agora, nada de solução

Diogo Daroit Fedrizzi

a administração municipal, a Sulvias e o Daer. A juíza determinou que fossem feitos reparos emergenciais, mas como não foram cumpridos, gerou uma multa para a prefeitura. A mulher conta que em vários momentos, prefeito, vice, secretários, vereadores, funcionários do Daer e da Sulvias, estiveram no local. Alguns consertos foram feitos nas emendas dos canos, mas sempre se romperam na primeira chuva forte. Há poucos dias, uma grade foi colocada na boca do tubo, por recomendação da juíza, para impedir a passagem de entulhos. “Todos estão a par da situação, reconhecem que é um caso grave e prometem resolver o problema. O Daer até se propôs a fazer um acordo com a prefeitura, disse que a melhor saída seria a de dividir a tubulação pela margem da rodovia. Todos sempre nos dizem que vão elaborar o projeto, resolver o problema na semana que vem, no mês que vem, e até agora nada”, desabafa. “Meu marido até se dispôs a bancar a obra, mas não liberam o projeto. Sempre procuramos o diálogo, tentamos uns mil acordos, mas não querem resolver, nada dá. Antes dava, agora não dá mais”. No começo desta semana, Marta procurou o Ministério Público, pouco foi ouvida. Esteve na Delegacia de Polícia para fazer um boletim de ocorrência e a resposta foi que não adiantaria de nada. Agora, a preocupação da família aumenta com a construção de um loteamento às margens da rodovia. A canalização da água e do esgoto será direcionada para a tubulação que atravessa o terreno. “Imaginem, o que nos espera! O prefeito Paulo disse que o loteamento não seria liberado antes de resolver o problema. Mas os terrenos já estão à venda”, revela.

Encantado - A casa de Álvaro Paulo Zotti e Marta Tischer pode cair. O alerta foi feito pelo Corpo de Bombeiros de Encantado no dia 26 de outubro 2008, após socorrer a família de uma inundação, no terreno dos fundos, que por pouco não invadiu a residência localizada na Rua Barão do Rio Branco, 105, no Bairro Santa Clara. A precária tubulação que sai da RS 129, nas proximidades do acesso à Associação Baldo, e atravessa o subsolo da sala e da cozinha, numa extensão de 30 metros, se rompeu com a força da água, largando lama, pedras e lixo no pátio. Naquele dia choveu muito. Há cinco anos, o casal convive com o medo de uma tragédia. Até hoje vem procurando ajuda para solucionar o problema que, nesse caso, seria desviar a canalização. Porém, o descaso e o jogo de empurra empurra das autoridades responsáveis se arrastam desde o governo de Agostinho José Orsolin até os últimos anos de mandato de Paulo Costi. O apelo chegou também à Concessionária Sulvias, que administra a rodovia pedagiada, ao Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (Daer), à Câmara de Vereadores, e, mais recentemente, ao Ministério Público e à Delegacia de Polícia. Ao longo desse tempo, Álvaro e Marta convivem com promessas, respostas evasivas e transferência de responsabilidades. “A nossa vida está aqui, não sabemos mais a quem apelar. Será que vai ser preciso minha casa vir abaixo para alguém se sensibilizar?”, questiona a mulher, lembrando o episódio do ano passado, quando uma casa caiu no Rio Taquari no Bairro Lajeadinho. Marta tem todas as cenas dessa novela “A nossa vida está aqui, não anotadas em folhas de caderno e dezenas de imagens das inundações e dos remensabemos mais a quem apelar. dos no tubo arquivadas no computador. Será que vai ser preciso minha Um verdadeiro dossiê. casa vir abaixo para alguém se Ela lembra que em uma das primeiras vistorias da Sulvias, um funcionário sensibilizar?” da concessionária chegou a chamar o Marta Tischer marido de otário por ter Arquivo pessoal comprado o terreno nessas condições. “Mas ninguém nos avisou que os tubos passavam por aqui. Adquirimos o terreno na imobiliária, a prefeitura deu habite-se, a Caixa liberou o financiamento. Três engenheiros nos deram aval para construir a casa. Estava tudo liberado. Quando os operários começaram a preparar a fundação, encontraram o tubo. Ficamos apavorados”, relata. Uma ação judicial chegou a ser iniciada contra Tubo arrebentou e água invadiu o pátio da casa

Fotos: Diogo Daroit Fedrizzi

Marta apela para o protesto em busca de ajuda. A pedido da juíza, grade foi colocada no início da tubulação, às margens da RS 129, para evitar passagem de entulho

Tubulação, que desce pela RS 129 e passa pela casa, já foi remendada várias vezes


8

Boletins da Jornada na Rádio Encantado AM segundas, quartas e sextas - 8h30min e 18h30min

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

Restam 20 vagas para o Rio de Janeiro A coordenadora da Juventude Cristã Muçunense, Anelise Torriani, também estará na Jornada Mundial da Juventude, que acontece de 23 a 28 de julho, no Rio de Janeiro. Ela é uma das organizadoras da excursão que levará os jovens da região para o encontro. Ainda restam 20 vagas para lotar o ônibus. Até agora, os inscritos representam as cidades de Encantado, Muçum, Anta Gorda, Bento Gonçalves e Vila Flores. Os interessados podem entrar em contato com as Paróquias de Muçum (3755-1269) e Encantado (3751-1127). O valor da inscrição é de R$ 608,00. As despesas com transporte devem ficar em R$ 350,00. Anelise explica que as despesas com alimentação, alojamento e transporte, no Rio de Janeiro, estão incluídas no custo da inscrição. A viagem está prevista para iniciar no dia 19 de julho e a chegada dia 21. “As despesas desses dois dias que estaremos no Rio antes da JMJ ficam por conta de cada um”, esclarece. A jovem revela que a expecta-

Diogo Daroit Fedrizz

i

tiva para a Jornada é a melhor possível. Ela já teve uma experiência internacional no Genfest 2012, que aconteceu em Budapeste, na Hungria. O movimento organizado pela Igreja Católica reuniu 12 mil jovens e contou com a participação do Papa Bento XVI. “Nesses encontros conseguimos manter contato com pes-

Anelise esteve em Budapeste no ano passado “O maior desafio do Rio”

Matrículas abertas Telefone 3751-3748

Rua Duque de Caxias, 1103, Encantado

soas de diversos países e culturas. Descobrimos que a as dificuldades que passamos, os jovens do mundo inteiro estão passando”, comenta. “Para aqueles que nunca foram a um evento desse tipo, a ansiedade predomina. Ter a possibilidade de ver o novo papa, nosso vizinho, é uma alegria”. Arquivo pessoal

A três meses da JMJ, o Rio de Janeiro começa a se preparar para receber o Papa e os 2,5 milhões de fiéis, que prometem lotar a Praia de Copacabana e o campo de Guaratiba à espera da benção do novo pontífice. Conforme o site G1, a Rio Eventos, empresa da prefeitura responsável por cuidar dos grandes eventos que a cidade vai sediar, admite que transtornos vão acontecer e considera a realização da JMJ o maior desafio da cidade, superando até mesmo a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Para a prefeitura, o maior desafio será a mobilidade dos jovens até as atividades. “Estamos num processo de revitalização e de muitas obras pela cidade. O perfil dos peregrinos e a cultura da Jornada é de caminhada, mas ainda assim vamos ter que trabalhar em regime especial. A prefeitura, o estado e o governo federal vão trabalhar juntos. A exemplo de Madri, que parou para receber a Jornada, o Rio vai parar também. Vamos identificar os corredores em que temos que empenhar os nossos esforços”, comenta Maciel.

Megaestrutura Os números da Jornada Mundial da Juventude, que acontece de 23 a 28 de julho, são grandiosos. Um palco de 110 metros de comprimento vai ser construído no terreno de 3,5 milhões de metros quadrados, em Guaratiba, na Zona Oeste. Para dar conta de todo o trabalho, 60 mil voluntários de 150 países foram selecionados. Palcos com atividades culturais vão ser espalhados pela cidade. Na Vigília e Missa de Envio, atos que contarão com a presença do Papa, em Guaratiba, na Zona Oeste, os peregrinos vão andar cerca de 13 km até chegar ao Campus Fidei. O terreno será dividido em 37 lotes, com 50 mil pessoas cada um. Cerca de 1,5 milhão de hóstias serão produzidas para todas as celebrações.


notícias da

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

9

Deves e Cauduro travam primeiro bate-boca do ano

Acompanhe às sessões Terças-feiras, às 18h

Desentendimento entre o presidente Jonas Calvi e o ex-vereador Eldo Orlandini também marcou a reunião

Fotos: Diogo Daroit Fedrizzi

“Eu danço conforme a música”, diz Cláudio

Celso Cauduro (PMDB) e Marcelo Deves (PT) Diogo Daroit Fedrizzi Encantado - O primeiro bate-boca de 2013 na Câmara de Vereadores de Encantado envolveu os vereadores Celso Cauduro (PMDB) e Marcelo Deves (PT). Na tribuna, o peemedebista referiu-se a um pedido de informação encaminhado pelo petista no dia 11 de março. No texto, Deves questionava o Executivo sobre o Programa de Planejamento Familiar (Paternidade Consciente) desenvolvido pela Secretaria Municipal da Saúde, em parceria com a Câmara, em 2011, e se a Secretaria havia atendido algum pedido para fertilização humana e quais eram as famílias beneficiadas. Cauduro se irritou e, mesmo sem citar nomes, Ex-vereador Eldo chama Jonas de ‘bobinho’ O clima ficou tenso até no final da sessão. Na tribuna, Jonas Calvi disse que, por várias vezes, teve vergonha de fazer parte da legislatura passada. “Essa Câmara mudou muito. Os discursos mudaram. Assumi como presidente e tive que exonerar todos os funcionários, os contratos terceirizados, as assessorias. Pedi ao ex-presidente Eldo (Orlandini) exonerar, mas ele não quis”, disse. De imediato, Eldo, que assistia à reunião da plateia, ficou revoltado, se levantou e pediu direito de resposta. “Você é um bobinho, Jonas”, falou. O ex-vereador disse estar consciente de que fez um bom trabalho à frente do Legislativo. “O Tribunal de Contas realizou a inspeção e não fez nenhum apontamento”, revelou Eldo.

desabafou. “A pessoa que foi contemplada com a ajuda de R$ 3 mil foi minha esposa. Fomos a única família atendida. Ela sofre de trombofilia fator 5, abortou várias vezes. O tratamento custava R$ 18 mil. Para um pintor como é meu caso, é muito salgado”, justificou. Ele afirmou que na época não tinha sigla partidária, nem pretensão política. “Pelo amor de Deus, essa pessoa que fez o pedido de providências teria que ter mais amor ao próximo”.

Petista reage Deves pediu espaço para falar, mas o pedido foi negado pelo colega. Os dois se exaltaram e começaram a falar ao mesmo tempo. O presidente Jonas Calvi interveio e concedeu os dois minutos para o pe-

tista se manifestar, como prevê acordo estabelecido entre os vereadores. “Mesmo sem citar o nome do Marcelo, todos sabemos que o senhor está se dirigindo a ele”, argumentou Jonas. Marcelo Deves alegou que fez o pedido para ressaltar as ações da Secretaria de Saúde. “Em momento algum foi direcionado ao senhor. Foi para mostrar que foi feito alguma coisa. Em todas as sessões o senhor traz pedidos de remédios. A função do vereador não é pedir Dipirona (medicamento). Agora, se o senhor tornou público este fato, agradeça a administração pelo menos uma vez”, rebateu. “Eu não tenho medo de ninguém, não adianta colocar escudo na Secretaria de Saúde”, encerrou Cauduro.

Maus-tratos Gustavo Scatola (PMDB) sugeriu ao Executivo a elaboração de um Projeto de Lei que estabeleça multa para maus-tratos a animais e sanções administrativas a quem os praticar. “O município terá prazo de um ano para providenciar um abrigo para os animais abandonados ou firmar e ampliar convênios com instituições, ONGs e Associações protetoras de animais, além de proceder a castração e campanhas para doação dos animais”, acrescentou o peemedebista. Remodelação de praças Sandra Vian (PP) parabenizou a Liga Feminina de Combate ao Câncer pelo jantar e palestra com o médico Fernando Lucchese. Ela falou também do trabalho que vem desenvolvendo com as secretarias de Obras e Meio Ambiente na remodelação de praças e

canteiros de Encantado. Sandra citou o exemplo da Praça do Imigrante e dos canteiros na Rua Padre Anchieta, na subida da Igreja Matriz.

Desde o início do ano, a bancada de situação vem solicitando à Mesa Diretora esclarecimentos sobre os gastos da Câmara nos últimos anos, principalmente, nos períodos em que Cláudio Roberto da Silva e Everaldo Delazeri estavam na presidência. Na terça-feira (9), foi apresentada resposta sobre os custos com assessoria jurídica. Marcelo Deves (PT) estranhou o valor das despesas com o escritório de advocacia Rodrigues e Garcia. Em 2009 fora pagos R$ 42 mil e, em 2010, R$ 47 mil. “Houve demanda para a contratação desses serviços? De onde é esse escritório?”, perguntou Deves. A sequência de questionamentos repercutiu na oposição. Na tribuna, o líder do PMDB, Cláudio Roberto da Silva, disse que dança conforme a música. “Se a proposta for de construir junto, olhar para frente, sou parceiro. Se a ideia for de denegrir a imagem dos adversários, como estou percebendo, me serve também. Qualquer prazer me diverte. Podemos olhar para frente, como podemos olhar para trás”, afirmou. O peemedebista citou diversas situações polêmicas que movimentaram a política encantadense nos últimos anos. “Podemos falar das circunstâncias que se deram a compra do moinho da Barra do Guaporé, da auditoria em 2005 no Hospital Santa Teresinha, que gerou a demissão do administrador, das pessoas beneficiadas na última semana de campanha, do telhado da Câmara, das diárias, do nepotismo, do voluntariado, da casa do artesão,

Cláudio Roberto da Silva dos professores que tem 40 horas no município e 20 horas no Estado. O campo é vasto, a gente abre a caixa de pandora e deixa acontecer o que tem que acontecer”, comentou. O líder do governo, Luciano Moresco (PT) afirmou que a função do vereador é ser o mais transparente possível. “Não temos o direito de esconder as coisas das pessoas. Use o seu direito de vereador e faça todas as denúncias que têm que fazer. Só peço que as faça com responsabilidade”, disse o petista ao colega Cláudio. “A impressão que dá é o que o senhor determina quando a briga começa e quando termina”. O presidente Jonas Calvi (PTB) rechaçou a possibilidade de ser intimidado pelas declarações de Cláudio. “As pessoas podem pensar que estão nos propondo um acordo de compadres. Nossa função é outra. Pau que bate em Chico, bate em Francisco”, comentou.

não sabemos para quem telefonar”.

Sandra Vian

Fiscalização no Trevo do Rizzi Waldir Grooders (PTB) chamou a atenção dos motoristas que usam a pista contrária para desviar a lombada eletrônica na RS 129, no Trevo do Rizzi. “Sugiro instalar a fiscalização nos dois sentidos”, disse. O petebista também pediu melhorias no acesso à sede Campestre do Baldo e uma sintonia melhor entre a Corsan e a prefeitura sobre os trabalhos realizados. “Em alguns casos,

Suinofest Adroaldo Conzatti (PSDB) pediu agilidade da administração na preparação do Parque João Batista Marchese para a Suinofest. Ele criticou a condição dos pavilhões. “Aprovamos recursos para algumas melhorias e nada foi feito até agora. Daqui a 60 dias teremos a festa. É preciso mais determinação para fazer. Vamos nos animar”, cobrou. O tucano pediu também rapidez na recuperação do britador. Segundo ele, o equipamento está parado há seis meses aguardando o conserto de uma peça. “Se cada máquina que quebra demorarmos meio ano para arrumar, o mandato vai passar rápido. E como ficam as estradas?”. Conzatti revelou que interveio na continuidade das atividades da Frigovale em Encantado e negociou a vinda de empresários de Dois Irmãos para garantir o funcionamento da empresa.

Curtas * Na próxima teça-feira (16), às 16h, a Comissão Externa da UTI realiza a primeira reunião. * Apenas um projeto foi aprovado na sessão desta semana. A matéria garante R$ 14,5 mil para a Liga Encantadense de Futebol Amador organizar o campeonato que começa neste domingo (14). * Celso Cauduro (PMDB) encaminhou mais pedidos de providências, entre eles, a substituição das lâmpadas e verificação da iluminação pública nas imediações da Sede Campestre da Cosuel, no Bairro Lambari. “Sou o vereador das causas pequenas”, afirmou. * A oposição encaminhou um pedido de Informação ao governo questionando se foi gravado o DVD/CD da edição de 2011 do Canto da Lagoa.


10

ENTREVISTA

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

Dr. LUCCHESE

80% das mortes são de infarto, AVC e câncer O cardiologista Fernando Lucchese esteve pela primeira vez em Encantado na sexta-feira (5). Ele palestrou para 600 pessoas que lotaram o Clube Comercial no Jantar da Liga Feminina de Combate ao Câncer. “Tenho parentes na cidade, a família Pretto. Reencontrei muitos amigos, muitos pacientes que foram operados por mim”. Ainda no consultório em Porto Alegre, por telefone, minutos antes de se deslocar até Encantado, Lucchese conversou com a reportagem do Grupo Encantado de Comunicação. Diogo Daroit Fedrizzi

Jornal Opinião - Que mensagem o senhor procura transmitir nas palestras? Fernando Lucchese - Tento passar uma mensagem de otimismo, estímulo, de impulso a todos. Enfocando na felicidade, na perspectiva da espiritualidade como apoio à felicidade. Saúde, espiritualidade, vida longa, todos os aspectos que mobilizam as pessoas. O estilo de vida como mobilizador da felicidade e da longevidade.

JO - Pela experiência que o senhor tem, para as pessoas resolverem esta equação é muito difícil? Lucchese - Há momentos da vida que são paradigmas. Às vezes é o nascimento do filho ou do neto. Às vezes é o primeiro infarto, infelizmente. Às vezes é um problema grave de saúde, ou um problema financeiro, a falência. Esses momentos todos são paradigmas que fazem a pessoa repensar sua vida. Essa é a forma mais fácil de se converter para uma vida saudável. Agora, existe uma forma mais difícil, que é aquela de construir no dia a dia essa mudança. Por convicção se convencer e construir no dia a dia. Mudar um pouco por dia e realmente procurar ter vida saudável, um estilo de vida adequado e procurar ser mais feliz. Eu digo mais difícil porque ela não é gerada no

Fotos: Gisa Radaelli/Jornal Antena

JO - O senhor costuma diferenciar ‘estilo de vida’ de ‘qualidade de vida’... Lucchese - Estilo de vida não se deve confundir com qualidade de vida. Qualidade de vida é uma situação mais de conforto. Um sujeito que tem boa qualidade de vida tem conforto, tem automóvel, tem casa. Isso é qualidade de vida, não é saúde. Muitas vezes, o sujeito compra um automóvel, caminha muito menos e termina sendo sedentário, tendo outros problemas de saúde. Estilo de vida é uma situação de vida pessoal organizada, vida familiar organizada, vida financeira, profissão prazerosa, lazer, alimentação organizada e vida espiritual organizada, principalmente. Então, esse conjunto de coisas é que chamamos de estilo de vida. Tenho uma equação para isso: estilo de vida é igual à saúde. Todo mundo que tem esses territórios organizados, tem boa saúde. Isso é a própria felicidade. A felicidade não é um porto de chegada. Você ser feliz um dia, quando tiver tal coisa. Não. Quem espera ser feliz um dia, não vai ser feliz nunca. Tem que ser feliz no transcurso da viagem. Felicidade é a viagem, não é o porto de chegada. E isso leva a longevidade. Então, a minha equação é estilo de vida igual à saúde, que é igual à felicidade, que leva à longevidade. É uma equação que não tem erro. Quem leva isso a sério, termina sendo mais saudável, mais feliz e vive mais.

impacto. O impacto, muitas vezes, é suficiente para fazer o sujeito repensar. Ele corre o risco de morte e ele pensa ‘não, minha vida daqui para frente vai ser diferente’. Costumo dizer que a forma mais fácil de parar de fumar é o primeiro infarto. Quando o sujeito está na UTI, é o lugar em que se para de fumar mais facilmente. Mas aí a porta já está arrombada. isso é muito ruim. O caminho é prepararmos todo o dia uma vida mais saudável, mais feliz e mais longa. Isso é uma busca diária. Quando nos convencermos que isso é importante, certamente ali é o momento de virada. Quando a gente se convence que pode melhorar, que

pode incorporar na vida uma alimentação saudável, um exercício. E muitas vezes pode incorporar na vida uma mudança maior. Abandonar coisas que lhe causem problema, abandonar o sofrimento. Sofrimento faz parte do ser humano. Mas não fomos criados para o sofrimento. Vamos incorporando sofrimento ao longo da vida. A criança que nasce chora de frio e de fome. Mas atendidas suas necessidades ela sorri. Então, o sofrimento vem com a vida, quando a gente começa a colocar para dentro da gente as mazelas, as dificuldades, as derrotas, os insucessos. Isso tudo termina sendo um entulho que a gente vai carregando

ao longo da vida. E ele é muito pesado, como se fosse uma mochila cheia de pedras, com duas ou três pepitas de ouro dentro. Então, o melhor é desembarcar as pedras e ficar só com as pepitas de ouro, que são os momentos felizes, sem sofrimento. Vencer o sofrimento faz parte da luta diária do ser humano. Isso é uma coisa importante. Cada um deve se perguntar: o que me causa sofrimento? Meu emprego? Mudo de emprego? Vou aprender a fazer outra coisa? Vou me qualificar? É meu problema financeiro? Vamos viver dentro do orçamento? Não vamos gastar mais do que se pode? Vamos trabalhar, nos qualificar para ganhar mais? Então, é buscar soluções que resolvam o sofrimento, isso é fundamental em nossa vida.

JO - Esse conjunto de ações para ter um bom estilo de vida reflete em nosso coração? Lucchese - O coração é o órgão mais sensível. Ele é um fraco, na realidade, mas se mostra como forte. Porque se tu juntares o esforço que o coração faz ao longo da vida, daria para carregar uma jamanta de 20 toneladas do nível do mar até o cume do Everest, oito mil metros de altura. Ele é fraco porque é agredido pelo estresse, pela alimentação, pela competição patológica: dois indivíduos trabalhando num mesmo projeto e se degladiando diuturnamente, com invejas. Eles morrem mais cedo, estão encurtando a vida, porque o coração não aguenta isso. Isso realmente é o grande problema que vivemos hoje. Estamos vivendo um momento em que já aprendemos sobre isso. Não sabíamos sobre isso. O século 20 foi nefasto para nós. Porque nos ensinou como morremos, mas não nos deu a solução. No século 20, aprendemos sobre infarto, sobre estresse, sobre AVC, sobre câncer. As três causas principais de morte são infarto, AVC e câncer. Isso dá 75%, 80% das mortes. Agora, no século 21 o ser humano se deu conta que tinha pisado nesse laço, tirou o pé do laço e está querendo viver mais. Vemos uma transformação na atitude humana. Hoje as pessoas já não entram facilmente em empregos com muito desgaste. A medicina, por exemplo, as pessoas não aceitam fazer residência médica em especialidades complicadas, que têm que trabalhar de noite, com um monte de problemas. Pediatria hoje, por exemplo, a busca por residência é muito baixa. Cirurgia cardíaca, coisa pesada, a busca é baixíssima. Isso tudo está mostrando que estamos, nós seres humanos, mudando nossa atitude em função da vida. O século 20 nos mostrou que essa competição patológica é absolutamente perigosa para a vida humana. Estamos mudando, nos tornando cada vez mais seguros da nossa atuação de indivíduos saudáveis. Temos que traba-


ENTREVISTA lhar por sermos saudáveis, isso é importante.

JO - Em algum momento de sua vida, o senhor precisou mudar? Lucchese - Ah, sim. Acho que todos nós precisamos mudar. Como toda minha geração, no início da vida, eu fumei. Todos fumávamos, era bonito, engraçado, estimulante. Todos fumávamos até os 25 anos. E nunca mais colocar um cigarro na boca foi um marco importante. Temos tantas outras mudanças que tivemos que fazer. Por exemplo, a própria mudança da espiritualidade. Nós, muito frequentemente como jovens, não valorizamos. E lá pelas tantas começamos a perceber, e eu como médico percebo muito mais, a importância da espiritualidade no auxílio à cura dos pacientes. Estamos indo bem, progredindo nessas mudanças. Graças a Deus, minhas mudanças não foram fruto de doenças, foram fruto de observação. Todos nós temos oportunidades de ter esses avisos e propiciar mudanças. E a mulher tem mais essa visão. Ela é responsável pela sobreviência da raça humana, já na caverna ela vivia mais do que o homem. E com isso, esses anos fizeram diferença importante, porque permitiram que a humanidade sobrevivesse. A mulher tem esse conceito de preservação, de vida saudável. O homem tem muito mais dificuldade. Até brinco que se o homem não tivesse ousadia, ele não sairia de dentro da caverna para buscar alimento. E a família teria morrido. Porque o homem tinha que ser desprendido, enfrentar os animais terríveis da época, e muitas vezes não sobreviver nesse confronto. Estamos vivendo um momento que a mulher assume um papel mais importante na sociedade, ela está crescendo, temos uma presidente da República, mulheres envolvidas em inúmeras tarefas antes exclusivas dos homens, e elas fazem muito bem o que assumem. Vamos ter grandes momentos em relação ao futuro dessa combinação homem/mulher dirigindo a humanidade. JO - O senhor falou de infarto, AVC e câncer. As doenças do coração continuam em primeiro lugar no ranking de problemas sofridos pela humanidade? Lucchese - A doença cardíaca ainda é a doença número um no mundo. Mas a grande surpresa é que a depressão, segundo a Organização Mundial da Saúde, vai ser em seguida a segunda doença. Eles consideram que até o ano 2025 depressão já será a segunda. Se somar doença cardio-

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013 cérebro-vascular, aí temos doença cardíaca e cerebral (Acidente Vascular Cerebral), aí as coisas aumentam, vamos para mais de 50% das mortes. A doença cardíaca sozinha representa 35% das mortes. Se somar cardio-cérebro-vascular vamos a mais de 50%. No Brasil, com surpresa, a gente vê que o AVC mata mais que o infarto. É uma peculiaridade brasileira. Talvez tenha evoluído mais a prevenção cardiovascular e menos a prevenção do AVC. A gente espera que agora seja o século do cérebro, que se trabalhe mais sobre a prevenção de doenças cerebrais. Então, se somar coração, cérebro e câncer, aí vamos quase a 80% das mortes. Restando os traumas, acidentes, doenças mais raras. Então, toda a prevenção tem que ser dedicada ao coração, ao cérebro e ao câncer. Coincidentemente, a prevenção dessas três áreas é igual. O que comemos, o que bebemos, o exercício que não fazemos, a genética, o nosso estresse, o fumo. Tudo isso provoca doenças dos três níveis: coração, cérebro e câncer. JO - E como o senhor avalia essa situação, que às vezes nos assusta, de pessoas tão jovens enfrentando essas doenças? Lucchese - É, a juventude hoje está exposta à competição, talvez tanto quanto a idade adulta. Vejam a disputa pela universidade e a disputa por uma vida saudável. Por exemplo, o jovem ficar fora da droga, hoje, ele tem que ser muito forte. Os apelos são tantos que ele termina sendo levado às drogas quase que empurrado pelos amigos, pelos colegas. Então, realmente, nós necessitamos apoiar nossos jovens para que possam ter uma perspectiva de vida mais tranquila, sem esses desafios que temos diariamente. É muito desafio. Acho que deveríamos começar a

pensar em facilitar a vida de nossos jovens. Já tem algumas coisa como entrada na universidade, mas mesmo assim nossos jovens são muito procurados do ponto de vista de desafios como drogas. Temos que proteger nossos jovens. As famílias hoje são a grande solução para a maior parte dos problemas que estão surgindo. Em famílias bem constituídas, a droga tem mais dificuldade de entrar. E isso é simplesmente uma das áreas que a gente poderia atuar. JO - Qual tem sido a evolução da medicina nos últimos anos na área da cardiologia? Lucchese - A cardiologia deu um pulo fantástico. Costumo dizer que a cardiologia está 40 anos à frente da neurologia. A cardiologia hoje corrige praticamente todos os problemas, ou com cirurgia ou por catéter. Por exemplo, os casos mais graves, fazemos transplante de coração com sucesso, e há muitos anos com índice de sucesso bem alto. Do ponto de vista de catéter hoje, em Porto Alegre, temos uma experiência muito boa com o SAMU, que nos traz os infartados. E quando chegam aqui, chegam com menos de uma hora de infarto, e simplesmente é colocado um catéter, aberta a coronária, colocado um estender, e o paciente sai da sala de procedimento sem infarto. Tu interrompe o infarto. Isso foi um avanço fantástico, isso se chama angioplastia primária. Porque é o primeiro procedimento, nem se leva o paciente para a UTI, ele vai direto para a sala de cateterismo, e de lá já sai sem o infarto. Houve uma mudança muito grande na cardiologia. Hoje é uma especialidade de ponta na tecnologia. Estamos enveredando por caminhos ainda mais complexos. Agora estou terminando de instalar

na Santa Casa, no meu bloco cirúrgico do Hospital São Francisco, um equipamento que faz ao mesmo tempo, cirurgia com bisturi e cirurgia por catéter, associando bisturi ao catéter. Isso se chama cirurgia híbrida. O bloco cirúrgico da cardiologia está mudando também. Usa a radiologia como apoio, usa vídeo-cirurgia como apoio. O diagnóstico melhorou muito, os medicamentos melhoraram muito. Hoje, hipertensão se trata com um comprimido por dia. Quando o sujeito é muito limitado pela hipertensão e precisa até quatro medicamentos, já está surgindo uma forma de tratar por catéter, fazendo uma desnervação dos rins, sem necessidade de abrir. Já começa a ter sucesso nessa área também. Estamos num avanço fantástico.

JO - Em cima desses avanços na cardiologia, mas ainda com a preocupação do câncer e da depressão, o senhor acredita que a nossa expectativa vai continuar aumentando? Lucchese - Sim. Dentro dos limites de órgãos. Por exemplo, temos hoje pacientes com 94 anos, quase 70% deles já têm algum grau de alzheimer. Então, a grande maioria desenvolve alzeimer depois dos 90 anos. Mas isso aos poucos vai sendo corrigido. O alzheimer, essa degeneração cerebral, ainda não se tem nenhuma conclusão positiva sobre ela. Não se conhece a causa, nem o tratamento. Mas daqui a pouco se encontra e aí vamos prolongar a vida do cérebro. Já temos hoje no Brasil uma perspectiva de vida de 75 anos. Quem nasce hoje, certamente, vai viver em torno de 84, 85 anos, em média. Mas para ter essa média vamos ter muitos indivíduos centenários, com mais de 100 anos, até 105, 108 anos. Não existe uma

data final para o ser humano, de quanto ele pode sobreviver. A pessoa que viveu mais tempo foi uma francesa que morreu com 123 anos. Foi o único caso de registro. Mas está se vendo o aumento da escalada da longevidade. A nossa geração já vai assistir a algumas mudanças. Nos próximos anos, não tenho dúvida que vamos ter um número de centenários cada vez maior. Hoje, uma Universidade dos Estados Unidos calcula em torno de 350 mil pessoas vivendo com mais de 100 anos no mundo. É bastante. Só no Japão são mais de 30 mil, que é um país muito longêvo. Mas existem outras áreas longêvas, Mediterrâneo por exemplo. Acho que nossos filhos que estão nascendo agora vão realmente viver muito. JO - E esse seu talento para a literatura, como despertou isso? Lucchese - Na realidade, antes de fazer medicina, eu pensava em fazer o Instituto Rio Branco de Diplomacia. Eu me dediquei ao estudo de várias línguas, eu falo várias línguas. Com isso, lá pelas tantas, estava completamente envolvido com essa história de línguas e literatura que o Rio Branco estabelece. Mas no cursinho pré-vestibular ao Rio Branco, numa aula de biologia, eu fiquei conhecendo a circulação extracorpórea, que é essa forma de operar dentro do coração, com o coração sem sangue. É desviar o sangue para poder corrigir os defeitos dentro do coração. Fiquei tão encantado com aquilo que resolvi mudar para medicina. Vim de uma área literária antes, terminei na medicina e lá pelas tantas me dei conta que poderia usar esses talentos para levar comunicação para a sociedade, levar informação para a sociedade. Isso redundou em 16 livros escritos para o público leigo,

mais quatro livros médicos. Tenho mais de dois milhões de livros vendidos. Isso foi uma sequência quase que natural na minha vida. Estou muito satisfeito em poder, nessa fase da vida, me comunicar com os pacientes e com as outras pessoas através da literatura. JO - O livro “Pílulas para viver melhor” foi uma obra fantástica, vendeu milhares de exemplares. Certamente muitas pessoas tiveram acesso e usam essas orientações para sua vida... Lucchese - E tem mais 15 iguais a esse: ‘Desembarcando o Colesterol, Desembarcando o diabetes, Pílulas para prolongar a juventude, Comer bem sem culpa, que fiz com o Anônimos Gourmet e com o chargista Iotti. Tem uma série de livros que caíram muito ao gosto do público e que transmitem informações sobre saúde.

JO - Dessas pílulas todas, qual é aquela que o senhor leva para seu dia a dia? Lucchese - ‘O único compromisso do ser humano com a vida é a busca da felicidade’. Não existe outro. Temos que passar o dia todo batalhando para chegar mais perto dela.

JO - A rotina continua corrida? Lucchese - Olha, continuo trabalhando muito. Tenho 65 anos. Opero de manhã, dirijo o Hospital da Santa Casa, que é o Hospital São Francisco, e todas as tardes atendo no consultório até de noite. E ainda escrevo, faço conferências, palestras, trabalho em pesquisa na minha área de cirurgia cardíaca, tenho mais de 300 trabalhos publicados. Tem toda minha atividade médica paralela a essa atividade de escrever livros e fazer palestras, que é quase lúdica para mim, é quase uma diversão.

“Como toda minha geração, no início da vida, eu fumei. Todos fumávamos, era bonito, engraçado, estimulante. E nunca mais colocar um cigarro na boca foi um marco importante”, FERNANDO LUCCHESE

11


12

GERAL

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

Antiga Mopese dá lugar a prédio comercial Diogo Daroit Fedrizzi

Encantado - O prédio da Comercial Motopeças e Serviços, antiga Mopese, construído na década de 60, começou a ser derrubado nesta semana. No lugar, será construído um prédio comercial, de cinco andares. Quatro empresários de Encantado estão envolvidos no negócio.

Amturvales se mobiliza para Encontro Regional de Turismo

Colinas - Na manhã de ontem (11), a Associação dos Municípios de Turismo da Região dos Vales (Amturvales) realizou a primeira reunião com a nova diretoria, eleita no mês de março. O encontro coordenado pelo presidente reeleito Vanildo Roman ocorreu na prefeitura e contou com a presença de integrantes do grupo e, também, de alguns departamentos já definidos. O vice-presidente da Associação e prefeito de Colinas, Gilberto Keller, abriu a reunião dando as boas-vindas aos presentes e falou do desafio em participar da entidade. “Embora já tivesse afinco grande nessa área é um desafio novo estar nessa função. Já colhemos resultados positivos com o turismo, mas é uma área que Caroline Rodrigues

ainda precisa crescer e avançar”, diz. Entre as pautas do debate esteve a mobilização da região para o Encontro Regional RS Mais Turismo, que ocorrerá no dia 29, das 9h às 19h, no Parque Histórico em Lajeado. A atividade, promovida pela Secretaria Estadual de Turismo (Setur-RS), acontecerá nas 26 regiões turísticas e tem o objetivo de auxiliar no desenvolvimento e propor a realização de ações específicas para aumentar a sua competitividade. Também na mesma data, ao final do Encontro Regional, será realizado o ato de posse da diretoria 2013/2015 da Amturvales. Planejamento Estratégico de Infraestrutura Turística A principal meta da nova gestão, que ficará à frente da entidade pelos

próximos dois anos, será formatar um planejamento estratégico para o Vale do Taquari. A partir das necessidades que serão levantadas, junto com cada município, a Associação fará um trabalho de elaboração e implantação de um Plano Estratégico de Infraestrutura Turística Regional. “Vamos ouvir todos os municípios. Cada um poderá elencar duas de suas necessidades e dizer o que é importante. A diretoria é unânime em dizer que é preciso definir de forma conjunta e congregar todos os envolvidos, para se estabelecer o que se quer para o Vale”, destaca Vanildo Roman. A meta da nova gestão é, após a realização do levantamento e a elaboração do plano, levar o documento aos Governos Estadual e Federal.

Nova diretoria se reuniu ontem na prefeitura de Colinas

Região apresenta o Turisvales em Brasília Brasília - O coordenador geral do Salão de Turismo dos Vales (Turisvales), Rafael Fontana, e o vice-presidente da Associação de Municípios de Turismo da Região dos Vales (Amturvales) e prefeito de Colinas, Gilberto Keller, estiverem em Brasília na semana passada cumprindo agendas, acompanhados da secretária Estadual de Turismo, Abgail Pereira. A comitiva esteve com os secretários nacionais de Programa de Desenvolvimento do Turismo, Fabio Mota, e de Políticas do Turismo, Vinicius Lumertz, e com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, para apresentar e convidar os integrantes do Executivo Federal para o evento, que ocorre em agosto, no Parque do Imigrante, em Lajeado. Os três foram recebidos pelo secretário Nacional de Programas de Desenvolvimento do Ministério do Turismo, Fábio Mota. Além da apresentação do Turisvales, também trataram dos pleitos de infraestrutura do Vale do Taquari, especialmente para dar andamento na aprovação do projeto de ligação asfáltica “Caminhos do Pão e Vinho”. Em outro momento, o grupo explanou sobre o Salão do Turismo dos Vales e apresentou propostas de apoio aos eventos da região e a estruturação de produtos turísticos ao secretário Nacional de Políticas de Turismo, Vinícius Lummertz. Já no Ministério do Desenvolvimento Agrário foram discutidas e traçadas, com o ministro Pepe Vargas, estratégias para o fomento do Turismo Rural e a participação do MDA no Salão, oportunizando espaço para as agroindústrias familiares venderem seus produtos. O coordenador geral, Rafael Fontana, destacou nas visitas a importância da realização deste evento

que será referência no interior do Estado. Fontana alertou para a oportunidade de as regiões (Vales do Rio Pardo e Taquari) mostrarem o potencial turístico. “Estamos em consonância com as ações do MTUR e da SETUR-RS, oportunizando a promoção e comercialização dos roteiros e atrativos turísticos do Rio Grande do Sul para o mercado nacional e do Mercosul”, disse. Turisvales O 1º Salão de Turismo dos Vales – Turisvales – ocorre nos dias 15, 16 e 17 de agosto de 2013, no Parque do Imigrante, em Lajeado. O Salão de Turismo dos Vales – Explore Novos Caminhos – terá Feira de Rotas e Roteiros Turísticos; Exposição de Equipamentos e Serviços para Hotéis e Restaurantes; Atividades Técnicas e Rodas de Negócios; Festival de Cultura; Gastronomia Regional; e Exposição de Produtos Regionais. O Turisvales é promovido pela Amturvales e a Aturvarp. A realização do Salão é da Lume Organização de Eventos e conta com as parcerias da Secretaria Estadual de Turismo do RS (Setur-RS), da Prefeitura de Lajeado, da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC-VT) e Emater/RS-Ascar. O Salão terá como foco principal os negócios e é esperada a presença, além do visitante local, de um público qualificado e específico da área. Está prevista a comercialização de 230 espaços para expositores, sendo que o público alvo são as agências de viagem, operadoras, companhias aéreas, empreendedores, hotéis, restaurantes, empresas de tecnologia, estudantes, imprensa e visitantes em geral, numa previsão de sete mil visitantes.

Priscila Rodrigues

Fábio Motta, Abgail, Fontana e Keller


MUÇUM

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

Vereador afirma ter recebido ameaça de morte

Henrique Pedersini Muçum - Desde o início dos trabalhos da nova legislatura, o clima esteve longe da tranquilidade. As polêmicas vêm se sucedendo semana após semana. Projetos que ficam baixados em comissão, pedido de vistas, queixas em relação à atual administração são fatos corriqueiros. Sobrou até para o prefeito Lourival Seixas (PMDB), que foi advertido pelo presidente da Câmara, André Vianini (PSDB), durante as últimas sessões. As alfinetadas e insinuações também acontecem frequentemente. Os debates acalorados tomam bom tempo dos encontros nas noites de terças-feiras. Durante a reunião desta semana, o vereador Jonas Caron (PP) externou uma situação que deu origem a uma série de transtornos na vida particular. Na sessão ordinária do dia 2 de abril, utilizando a tribuna, lamentou a forma como foi conduzido o procedimento referente ao projeto da contratação de um professor com qualificação em educação infantil para trabalhar na Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Família Feliz. Na manhã seguinte, por volta das 6h, quando saía de casa em direção a Lajeado, foi pego de surpresa com uma mensagem que lhe ameaçava de morte, escrita na calçada de casa com um tijolo. O texto dizia ‘Cuidado! Morte’. “Eu pensei em tirar fotos, mas lembrei a minha família. Como minha mãe

13

Denúncia foi feita por Jonas Caron (PP) na sessão da Câmara desta semana reagiria ao saber disso, por isso rapidamente apaguei. Preferi preservá-los”, recorda. Indagado sobre a motivação do fato, ele afirma que se trata de conotação política. “Infelizmente somos coagidos por cumprir nosso papel de fiscalizar”, lamenta. Eleito com o maior número de votos (411), considerou o caso como gravíssimo, mas rechaçou qualquer possibilidade de modificar sua postura na casa legislativa por sentirse intimidado. “Que me matem, pois enquanto eu for vereador minha função vou cumprir”, decretou. Disse ainda que não teme desagradar quem se utiliza de cargos públicos para externar covardia e interesses pessoais. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Encantado. A delegada regional Elisabete Barreto Muller também foi informada da situação. O vereador solicitou o apoio da comunidade para que contribua nas investigações a fim de solucionar o caso o mais breve possível. “Qualquer informação, prova ou mesmo indícios devem ser informados às autoridades de segurança”, alertou. Logo após o pronunciamento de Jonas Caron na tribuna, o presidente da casa André Vianini (PSDB) manifestou-se em solidariedade ao colega. Vianini reforçou a importância no envolvimento da comunidade caso se tenha alguma informação. “É inadmissível que isso aconteça com um vereador que vem desempenhando suas atividades plenamente”, comentou.

l

oa

o

v ui

s es

p

q Ar

Projetos aprovados Na terça-feira (09) foi realizada sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Muçum. Dois projetos de lei de origem executiva foram aprovados. Um deles autoriza a abertura de crédito especial no valor de R$ 21 mil através de um convênio com o governo do Estado. Constitui-se em uma redução no valor a ser recebido pelo Executivo estadual, aplicada através do programa de núcleo de apoio à atenção básica. A outra matéria aprovada autoriza o município a firmar convênio com a Amturvales, com o repasse anula de R$ 2,6 mil. Também foram aprovados dois projetos de lei de origem Legislativa, que altera artigo da Lei Orgânica criando a ficha limpa para os servidores municipais. Permaneceu baixado em comissão um pro-

“Que me matem, pois enquanto eu for vereador minha função vou cumprir”, JONAS CARON

jeto atrelado ao que foi aprovado, a contratação emergencial de um professor com habilitação em educação física. De acordo com o convênio assinado com o estado, será realizada essa atividade pelo município. Como o parecer do controle interno não foi enviado, a pauta ficou baixada em comissão.

Indicações

O presidente André Vianini indicou a limpeza da rua Décio Graciolli, no centro da cidade, próximo ao curtume. Vianini pediu que seja melhorado também o sinal da RBS TV na cidade. O vereador Elton Pezzi solicitou uma cópia detalhada da folha de pagamento, bem como as funções gratificadas, dos servidores da prefeitura.


14

PÁGINA DO DILAMAR

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

Sangue O Hemovale, banco de sangue de Lajeado, que atende a região, está com o estoque abaixo do necessário e faz o alerta a comunidade para doar a fonte de vida.

Reclamação O departamento de jornalismo do Grupo Encantado de Comuncicação recebeu a seguinte reclamação: Sou doadora há cerca de 10 anos, ouvi a solicitação na rádio e liguei no Hospital de Encantado onde fui informada que não há previsão para coleta. Na sequência liguei para Lajeado onde fui informada que também não há data para coleta. Resposta Conforme contato no Hemovale fomos informados que a coleta ocorre junto ao Hospital Bruno Born, inclusive, aos sábados. Hospital Durante a semana, assumiu a administração do Hospital de Muçum, o jovem Artur Riede. Sucesso na nova empreitada, que não será nada fácil.

Câmara de Muçum O presidente da Comissão de Pareceres, Mauro Cipriani, solicitou que o assessor jurídico não se fizesse presente durante a discussão dos projetos. Negativa A solicitação não foi aceita pelo presidente André Vianini

Particularmente Não concordo com a presença do assessor naquele momento de discussão, mas, entendo que os projetos deveriam ter uma tramitação maior antes da votação. Nenhum vereador tem condições de analisar um projeto em 24 horas. Evolução Ao menos, as

Dilamar dos Passos - dilamar@rdencantado.com.br

Rotary Dia 20 de abril, o Clube Rotariano promove o tradicional “Galeto da Solidariedade.” A partir das 11h serão entregues, no Salão Paroquial, galeto, salada e cuca. Custo de R$ 15,00 meio galeto e R$ 28,00 galeto inteiro. Beneficiado O lucro será destinado ao Hospital Beneficente Santa Teresinha. Repercussão Um caderno especial do Jornal A Hora deu o que falar na Câmara de Vereadores de Encantado. Explicações Muitos questionamentos e defesas foram ditas pela situação e oposição. Reflexão Se certo ou errado esta é a visão de pessoas que não moram em nosso município. Talvez esteja na hora de rever alguns conceitos...

UVB O presidente da UVB e vereador de Iraí, Gilson Conzatti, será o entrevistado do Panorama 1580 da Rádio Encantado, neste sábado, a partir das 11h. comissões estão discutindo os projetos e não apenas votando como outrora.

Lei Orgânica Quem sabe, uma reforma na Lei Orgânica seria o ideal para corrigir possíveis equívocos. Ameaça Utilizando a tribuna, o veredor Jonas Caron denunciou que foi ameaçado de morte. As ameaças estavam escritas na calçada em frente à casa, no bairro Fátima.

Polícia O registro foi feito na Delegacia de Polícia, que agora tem a incumbência de investigar os fatos.

Putinga O município onde residem cerca de 4.200 habitantes completou nesta semana, dia 8 de abril, 49 anos de emancipação política e administrativa. Só para lembrar, o município já foi habitado por mais de 10 mil pessoas. Enduro a cavalo O CTG Sentinela da Tradição de Muçum estará realizando mais uma edição do Enduro a Cavalo dia 5 de maio. Inscrições para a Quinta edição com o departamento Campeiro.

Façanhas Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra. Nos orgulhamos e enchemos a boca para dizer que somos gaúchos. Também dizemos que somos o Estado mais politizado da União. RS x Brasil Em contrapartida, o governador não cumpre o que assinou quando ministro para com os professores e durante a semana perdemos uma vaga na Câmara Federal a partir da próxima eleição. Diogo Daroit Fedrizzi

ERS 433 Novas datas, prazo de conclusão e novas promessas. A ERS que interliga Relvado a Encantado, segundo o governo do Estado, será inaugurada na metado do ano.

Constatação Se a empreiteira e o governo tiverem vontade política de inaugurar a obra, com certeza, será uma das plataformas de campanha da reeleição de Tarso Genro. Reali Por iniciativa do deputado Edson Brum foi aprovada a denominação de Armando Luis Reali à rodovia. Ilusão Não se iludam, a rodovia não será entregue à população este ano. O pior cego é aquele que não quer enxergar.

Cura Este foto cura qualquer tipo de doença: câncer, gangrena, leptospirose, tifo, difteria, diarréia, AIDS e outros.Para quem não conhecia a cor do dinheiro do Ênio, está aí a prova. Na foto, Ênio Sartori comprando um número de rifa de Alexandre dos Santos.

Mourão Novo modelo de estrada. Ao invés de buscar a duplicação, que com certeza vai demorar 20 ou mais anos, que se faça o asfaltamento também do acostamento. O valor será infinitamente menor. A proposta foi apresentada durante a semana pelo superintendente regional do DAER, Hildo Mourão (foto acima). Duplicação Enquanto isso, os municípios poderiam trabalhar a duplicação

Roca Sales Em entrevista ao Grupo Encantado de Comunicação, o secretário municipal de saúde de Roca Sales, Gilvane Bronca, destacou que no mês de março foram atendidas, junto à Unidade sanitária, 1.199 pessoas. Roca Sales tem atualmente pouco mais de 10 mil habitantes. Atendimento Com a ampliação da unidade desde segundafeira, a comunidade está sendo atendida pelos próximos 120 dias no centro social e urbano.

Henrique Pedersini

Lixo Eletrônico Os poderes públicos devem estar atentos para um problema cada vez mais frequente. O descarte do lixo eletrônico.

Responsabilidade E as empresas fabricantes e que comercializam eletrônicos devem ser pressionadas a promover o recolhimento desses bens inservíveis. O que você faz quando sua TV, microcomputador e impressora não oferecem condições de conserto? E as lâmpadas? O meio ambiente não quer receber esses “presentes”.


REGIÃO

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

Doutor Ricardo busca apoio para piscicultura Prefeito Alvimar Lisot esteve em Brasília na semana passada acompanhado de outros gestores

Divulgação

Prefeitos da região com o Ministro Marcelo Bezerra Crivella Buscando alternativas sustentáveis para o desenvolvimento, o prefeito Alvimar Lisot esteve em Brasilia na última semana reunido com o Ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Bezerra Crivella. A comitiva esteve representada ainda pelos prefeitos Gilberto Keller, de Colinas, Vanderlei Markus, de Paverama, Silvio Pedro Schmitz, de Poço das Antas e Aloisio Rissi, de Boa Vista do Sul. O objetivo dos gestores foi buscar alternativas que tornem viáveis a pisicultura nos municí-

pios. Na terça-feira (9), os prefeitos e representantes dos municípios se reuniram em Colinas para dar continuidade ao assunto e desenvolvimento dos projetos. Doutor Ricardo, acreditando no potencial para o desenvolvimento da piscicultura, está elaborando projeto para agregar trabalho e renda às propriedades rurais. Vários produtores já fizeram o pedido para participar do programa. Considerando que a aquicultura, o que é produzido na água, é o seg-

mento da produção animal que mais cresce no cenário mundial atual, o município apresenta condições de desenvolver de forma sustentável a produção de peixes. A intenção é melhorar a estrutura existente e incrementar a atividade nas pequenas propriedades rurais, construindo tanques escavados para a produção de pescado. O projeto visa incrementar a renda familiar, realizando capacitações através de cursos de piscicultura, com os temas gerenciamento de piscicultura, tecnologia de

produção e formas associativas na produção aquícola. Temas como associativismo, gerenciamento, cadeia produtiva, sistemas de produção, mercado e comercialização, tecnologias, qualidade da água, entre outros assuntos serão trabalhados com os produtores. Está prevista a aquisição de maquinário que ficará disponibilizado aos seis municípios que farão parte do projeto. Eles ficarão responsáveis pela organização do tempo de trabalho em cada uma das cidades.

15

Fórum Municipal da Agricultura reúne mais de 90 pessoas em Doutor Ricardo Doutor Ricardo O primeiro Fórum da Agricultura aconteceu na sexta-feira (5) no auditório da Prefeitura. Mais de 90 agricultores e prestadores de serviços participaram do evento. Na primeira palestra, o engenheiro Agrônomo Daniel Schmits falou sobre a pequena propriedade rural e o desafio da sustentabilidade ambiental, de como produzir e transformar com planejamento e ações regionais, implantando boas práticas nas atividades diárias no meio rural. O engenheiro, assistente técnico Regional da Emater em Irrigação e armazenagem, Ricardo Ramos Martins, explanou sobre sua especialidade, a Irrigação e Armazenagem, de procedimentos corretos e cuidados com a qualidade e a importância de produzir produtos saudáveis. O técnico em Agropecuária da Emater-RS/Ascar de Ilópólis e Presidente do Polo Ervateiro do Alto Taquari, Jurandir José Marques, pautou

o Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da erva Mate, aportando dados da região alta do vale, benefícios, cadeia produtiva, cuidados com a planta, o solo, consumidores, qualidade entre outros do setor. O prefeito Alvimar Lisot e o Secretário da Agricultura e Meio Ambiente, Zaquiel Roveda, falaram sobre a nova Lei Municipal da Agricultura, com dados, valores, previsões e informações sobre a mesma. Os participantes tiveram oportunidade de deixar sua colaboração durante a explanação. Segundo o prefeito, as informações e sugestões serão levadas ao Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural para análise e apreciação. O coordenador da Emater de Doutor Ricardo, Fabiano Zenere, comentou sobre a importância do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural, da escolha dos representantes e suas funções. O secretário Roveda finalizou falando da possibilidade da implantação da Feira do Produtor Rural. Divulgação

Teatro de Rua em Relvado Kalé Viana

O Programa Cultura por toda parte, do Arte SESC, criado em 2007, promove atividades culturais no Rio Grande do Sul, abordando temas formativos e educacionais, em torno de três eixos: transversalidade, diversidade e acessibilidade. Dentro desse progra-

ma, no mês de abril, o Sesc trará para Relvado a peça de teatro de rua “Vida de cachorro”, do Grupo Circo Peti Poa. O espetáculo será apresentado no dia 25 de abril, às 14h30min, na Praça da Harmonia. Em caso de chuva, a apresentação será no Ginásio Municipal.

Público acompanhou as palestras

Alimentação saudável é tema de reunião do Bolsa Família

Assistência Social de Relvado agenda atividades

Relvado - A Secretaria de Assistência Social projeta diversas atividades. Já estão abertas as inscrições para aulas de informática para a terceira idade. Os interessados podem se inscrever junto ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras). Hoje (12) começas as oficinas de pintura para os três primeiros grupos de crianças e adolescentes. Os demais inscri-

tos iniciam as aulas no dia 19. No próximo dia 17, no Salão Paroquial, haverá encontro do Grupo da Terceira Idade, às 13h30min. A Secretaria de Saúde orientará os idosos sobre a vacinação da gripe. Já no dia 26, às 13h30min, no Cras, está marcado uma reunião com os responsáveis de pessoas com necessidades especiais.

Doutor Ricardo - O tema alimentação saudável pautou a reunião com as famílias participants do programa Bolsa Família na tarde de segunda-feira (8). A nutricionista Eliana Giacobbo deu dicas de alimentação saudável, de se alimentar nos horários certos, de verificar a procedência dos alimentos, da importância das verduras, da água e a prática de atividades físicas. “Uma boa alimentação tem um significado maior do que apenas garantir as necessidades do corpo, está relacionado a valores, ao prazer de comer bem, de confraternizar. Isso independe do lugar onde estamos. Além disso, comentamos sobre cuidados pessoais de higiene que estão ao alcance de todos”. As famílias foram incentivadas a organizar a sua horta e produzir os temperos, verduras entre outras hortaliças para ter a alimentação mais saudável.


16

ESPECIAL

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

HOMOSSEXUALISMO Declarações polêmicas mobilizam retomada da discussão sobre o tema As últimas semanas foram marcadas por protestos de pessoas e famosos que promoveram os “célebres” selinhos em colegas do mesmo sexo para apoiar a legalização do casamento gay e pedir a saída do Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), do cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos deputados. Ranieri Moriggi

Arquivo pessoal

A onda de atividades contra as posições do presidente da CDH começaram após a divulgação de entrevistas, vídeos e postagens de mensagens nas redes sociais, que mostravam Feliciano fazendo declarações, consideradas racistas e homofóbicas. Diante disso, celebridades do cenário nacional utilizaram da prática do famoso “selinho” em pessoas do mesmo sexo, para demonstrar a sua indignação perante o deputado. Tudo começou após a atriz Fernanda Montenegro e Camila Amado trocarem um beijo durante uma premiação no Rio. Aderiram à campanha Bruno Gagliasso e Matheus Nachtergaele, além das atrizes Fernanda Paes Leme e Fernanda Rodrigues. A modelo Yasmin Brunet e Antônia Morais, irmã de Cléo Pires, também deixaram seu registro. Já a ex-cantora de funk e agora cantora gospel Perlla resolveu defender o pastor. DISCRIMINAÇÃO Para o Cabeleireiro da Casa Nilo Beauty e Colu-

nista Social, Nilo Scheid Junior, declarações de conteúdo preconceituoso não são mais admitidas na sociedade. Para ele, tudo que envolve discriminação vem da ignorância das pessoas. “Antigamente os gays eram rotulados como escandalosos ligados à prostituição, entre outros adjetivos incoerentes. Hoje, a sociedade acompanha a evolução. Gays constituem famílias, pagam impostos, ocupam todos os mais diversos cargos profissionais, políticos e sociais. São pessoas dignas, criativas e surpreendentes, que vem ganhando cada vez mais a admiração e respeito da sociedade, predominantemente heterossexual”. Nilo afirma que as posições de Marco Feliciano, em relação à união de pessoas do mesmo sexo, vêm da ignorância e de um fervor religioso. Para ele, a sociedade começou a abolir esse tipo de atitude. “Notamos uma comoção e envolvimento nacional e até no exterior, com fotos e declarações repudiando as declarações”.

Há 10 anos, Everson e Nilo vivem em união estável

“Hoje, a sociedade acompanha a evolução. Gays constituem famílias, pagam impostos, ocupam todos os mais diversos cargos profissionais, políticos e sociais. São pessoas dignas, criativas e surpreendentes...”, NILO SCHEID JÚNIOR


ESPECIAL

JORNAL OPINIÃO n 12 de abril de 2013

17

Daniela Mercury assume relacionamento com outra mulher Mas quando se achava que as pressões pela saída do pastor da Presidência da Comissão fossem o centro das atenções, a cantora baiana Daniela Mercury assume seu relacionamento com a jornalista Malu Verçosa, editora da Rede Bahia. “Malu agora é minha esposa, minha família, minha inspiração pra cantar”, publicou a estrela em seu Instagram com fotos ao lado da amada. Segundo Malu, a intenção era comunicar o casamento que coincidiu com o momento que o Brasil vem passando. “É muito bom que algo pessoal de alguém importante como Daniela

sirva para uma luta em que ela acredita e que defende. Em momentos assim, o ato individual, feito em público, torna-se político. Ao declarar seu amor para todos que quisessem saber, Daniela fez política”. Nunca houve boatos sobre sua opção sexual. Porém, Nilo Sheid Jr, afirma que ninguém vira homossexual de uma hora para outra. “As pessoas nascem assim e cada um sabe o seu momento de “sair do armário” (não gosto desta expressão). Conhecemos homossexuais que não assumem e vivem uma vida normal de heterossexual, casados, com filhos”, diz.

Pastor Marco Feliciano

Daniela Mercury

Cantora Joelma compara gays a dependentes químicos

Joelma, da Banda Calypso

Em compensação, a cantora Joelma foi alvo de protestos após conceder uma entrevista a uma revista semanal. Segundo a publicação, a cantora comparou os homossexuais a dependentes químicos. Após a repercussão, a vocalista da banda Calypso divulgou um vídeo dizendo ter sido mal interpretada e que tem “muitos amigos gays” e que “deve muito a eles”. Questionado sobre as declarações, Nilo foi enfático: “Na verdade, quem é a cantora Joelma? Quais suas origens? Qual o nível intelectual de seu trabalho? Não preciso dizer mais nada. Na realidade, não é uma respeitável formadora de opinião”, alfineta.

Em união estável, registrada há 10 anos, o cabeleireiro Nilo Scheid Junior, 47 e o fotógrafo Everson Luis Schutz, 28, afirmam que devido às mudanças, as pessoas sentem a necessidade de evoluir com as transformações do mundo. “Nosso Vale é fantástico para se viver. Uma região fértil, geograficamente bem posicionada, onde evolui constantemente, impulsionado por um ensino universitário em franca expansão, comércio moderno e atualizado, na indústria bons conceitos, enfim, um cenário completo que esbanja qualidade de vida a seus moradores e profissionais. Num ambiente assim, devem-se dominar as mentes evoluídas”.


24

JORNAL OPINIテグ n 12 de abril de 2013


JORNAL OPINIテグ n 12 de abril de 2013

25


26

JORNAL OPINIテグ n 12 de abril de 2013


JORNAL OPINIテグ n 12 de abril de 2013

27


Encantado, 12 de abril 2013


12 de abril de 2013