Page 9

Geral Comitê finaliza estudo da Bacia Hidrográfica Taquari-Antas Simone Rockenbach Kamphorst

série c om O BRUN ES BORG A V DA SIL

Reunião aconteceu no Centro Administrativo de Encantado Encantado - As principais características da Bacia Hidrográfica Taquari-Antas, a qual abrange 118 municípios gaúchos, estão agora consolidadas em estudo. Elas compõem o Relatório Técnico 3 do Plano da Bacia Hidrográfica TaquariAntas, elaborado pela Serviços Técnicos de Engenharia S.A. (STE), de Canoas. O material conclusivo foi apresentado pela STE na sexta-feira (24/02) em reunião mensal do Comitê de Gerenciamento da Bacia Taquari-Antas, realizada no Centro Administrativo Municipal. A explanação foi feita por consultores da empresa e levou em conta boa parte das 248 contribuições apontadas pelos integrantes do Comitê, os quais analisaram o relatório em janeiro. A apresentação foi pautada em quatro grandes temas: resultados do monitoramento da qualidade da água, disponibilidade de água; balanço hídrico atual e prognóstico das demandas.

Nível de poluição No que se refere à qualidade da água encontra-se uma das constatações mais expressivas, a qual mostra que 65% das águas dos rios da Bacia Taquari-Antas estão com elevado nível de po-

luição, ou seja, com a qualidade comprometida para o uso humano. Outro aspecto revelado é que a bacia hidrográfica abriga 118 atrativos de turismo, esporte e lazer com aproveitamento da água. Além disso, usos múltiplos como abastecimento público, geração de energia e navegação também constam no relatório de forma detalhada.

Consultas públicas A apresentação do Relatório Técnico 3 finaliza o diagnóstico e prognóstico do Plano da Bacia Taquari-Antas. A próxima etapa do processo será focada nos cenários futuros e no enquadramento das águas superficiais da Bacia, a qual já começa com as consultas públicas em março. Será a vez dos cerca de 1,3 milhão de moradores da Bacia Taquari-Antas se pronunciarem e dar sugestões sobre os usos desejados e a qualidade da água em seu trecho de abrangência. A primeira consulta pública será no dia 8 de março, em Lajeado. A atividade realiza-se no Centro Universitário Univates, a partir das 19h. Na sequência recebem as consultas os municípios de Guaporé, Bento Gonçalves, Vacaria e Caxias do Sul.

Diagnóstico ambiental da Bacia Taquari-Antas Outra importante decisão, aprovada pela plenária do Comitê na reunião em Encantado, diz respeito ao estudo energético que será balizador do diagnóstico do Plano da Bacia Hidrográfica Taquari-Antas. Realizado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), em 2001 e até hoje utilizado para a implantação de mais de 50 empreendimentos hidrelétricos, o material aponta as diretrizes regionais para o licenciamento ambiental das hidrelétricas nos rios da Bacia Taquari-Antas. Para formalizar esta definição, o Comitê irá encaminhar um documento à Fepam, Departamento de Recursos Hídricos (DRH) e Conselho de Recursos Hídricos (CRH) do Rio Grande do Sul. Segundo o

Diogo Daroit Fedrizzi

Daniel Schmitz presidente do Comitê, Daniel Schmitz, algumas considerações vão integrar o documento. “Entre elas, que haja atualização do material e que as alterações sejam encaminhadas para o conhecimento do Comitê, além de que todo e qualquer estudo que altere o processo na sua área de avaliação deva passar pela plenária do Comitê Taquari-Antas”. Trata-se de uma iniciativa que busca valorizar o Comitê e envolvê-lo na tomada de decisões a respeito do assunto.

Jornal Opinião Encantado, 02 de março de 2012

A cada edição, o Jornal Opinião traz o relato da rotina de um jovem encantadense espalhado pelo mundo. Trabalhando, estudando, viajando.....

Mount Maunganui

NOVA ZeLÂNDiA

Bruno Borges da Silva, 21 anos, é filho de Dorilde e Rudemar Borges da Silva e está há dois anos na NZ “Vou tentar explicar um pouquinho do que é a vida por aqui. A Nova Zelândia é um dos poucos lugares onde encontramos um conjunto de natureza, esportes, limpeza e crescimento trabalhando no mesmo ritmo. Aqui a vida é calma, pelo menos onde moro e o que conheci por aqui. Um bom lugar para quem gosta de esportes radicais e de fazer viagens. Demorei um pouco pra me adaptar, mas agora, não troco isso por nada! Nova Zelândia é um lugar fora do padrão, as coisas funcionam, é organizado, é seguro. É um lugar onde posso sair no meio da madrugada a pé e sei que posso caminhar sem olhar para trás, sem me preocupar (claro que tem suas exceções, mas estou colocando de forma geral). Na cidade onde moro, as festas acabam em torno das três horas da madrugada, quando ligam as luzes e mandam as pessoas embora (risos), um pouco diferente do que estamos acostumados no Brasil. Mas, nas cidades maiores, as festas acabam bem mais tarde. Trabalho como Chef em um restaurante italiano, com mais dois brasileiros, um chileno, uma

9

Fotos: Arquivo pessoal

alemã, uma inglesa e uma sulafricana. Os únicos que são daqui são os donos (risos). A Nova Zelândia é um lugar onde se encontra gente de todos os cantos do mundo, todos querendo conhecer esse maravilhoso país. E, claro, brasileiros, brasileiros e mais brasileiros! A cultura deles é impressionante, eles valorizam muito o que é daqui! É praticamente como a cultura do nosso país, o

Rio Grande do Sul (risos). Moro no Mount Maunganui, onde estamos montando uma pequena comunidade de encantadenses. Gosto daqui, porque tenho tudo o que eu quero por perto, praia e surf no verão, e neve e snowboarding no inverno. Esse lugar só ficaria perfeito se tivesse minha família e amigos, mas fora isso posso dizer: ´eu moro num pedaço do paraíso´.”

Acima, Bruno no Parque McLaren Falls. No centro, com o amigo de Porto Alegre, Tiago Matzenbacher, de barco em direção a Matakana Island; Abaixo, na estaçao de ski de Turoa, no Monte Ruapehu

Profile for Diogo Fedrizzi

Jornal Opinião 02 de Março de 2012  

Ediçaõ de sexta-feira, dia 2 de março de 2012. Veículo do Grupo Encantado de Comunicação, da cidade de Encantado/RS.

Jornal Opinião 02 de Março de 2012  

Ediçaõ de sexta-feira, dia 2 de março de 2012. Veículo do Grupo Encantado de Comunicação, da cidade de Encantado/RS.