Page 1


2 dicas & soluções Sódio e Sal. Qual a diferença? Devido à confusão entre sal e sódio, resolvi fazer alguns esclarecimentos à população: O que é o sal: O sal de cozinha tem em sua composição sódio (Na) e Cloro (Cl), o que resulta em Cloreto de sódio (NaCl). É essa combinação de elementos que confere o sabor salgado. 1g de sal (NaCl) tem 400 mg de sódio. No rótulo dos alimentos é descrito a quantidade de sódio e não de sal. A recomendação de SÓDIO é de 1,6 a 2,4g por dia. Quando o sódio está sozinho ou combinado com outros elemento pode não ter gosto de nada ou levemente salgado. É o que acontece com os aditivos alimentares usados na conservação dos alimentos industrializados, onde o sódio é combinado com glutamato ou outros elementos. Dessa forma, mesmo sem sabor salgado, a quantidade de sódio pode ser muito grande sem que se perceba.

Desinfeta! Dicas para evitar a contaminação alimentar

Antes de começar a cozinhar, lave bem as mãos com sabonete ou detergente. Nunca utilize ovos com a casca rachada. Evite comer ovos crus, gemadas, maionese caseira ou ovos fritos com a gema mole.

Então: Recomendação de sal (NaCl): 5 a 6g/dia Recomendação de sódio (Na): 1,6 a 2,4g/dia. Uma simples e 'inofensiva' sopinha instantânea contém aproximadamente 680mg de sódio. Isso pode representar a metade de sódio que se deve consumir em 24horas. Veja porque nós nutricionistas insistimos tanto para que seja diminuído o consumo de alimentos industrializados:

Cozinhe com água filtrada ou fervida. Limpe a caixa-d’água de sua casa a cada seis meses. Lave as latas de alimentos e bebidas antes de abrir. Nunca abra latas estufadas ou com pontos de ferrugem. Não congele novamente alimentos que já foram descongelados. Mergulhe verduras, frutas e legumes em duas colheres (sopa) de hipoclorito de sódio ou uma colher (sobremesa) de cloro dissolvido em 1 litro de água. Depois, passe-os em água fervida.

ATENÇÃO: O sódio NÃO É UM VENENO. É um elemento VITAL. Não existe vida humana sem sódio (até o presente momento). Não existe nenhum alimento que seja ruim. Existem é pessoas que fazem mau uso dos alimentos. Leia os rótulos sempre. Se tiver dúvidas, pergunte ao seu nutricionista. Nos dias de hoje, todos devem ter um. Hevoise F. Papini(*) Nutricionista Clínica www.hevoise.com.br (*) Hevoise F Papini é filha da encantadense Tenira Reale Papini e atua na cidade de São Paulo.

Compre leite e derivados de fornecedores confiáveis e com a sigla SIF (Serviço de Inspeção Sanitária).

Vida & Saúde - Caderno do Jornal Opinião Coordenação Geral - Milton Fernando Diretor Editor - José RaimundoTramontini Diretor de Jornalismo - Diogo Fedrizzi (MTB 9398) Diretor Comercial - Bolivar Neto


3

Salto alto: Um risco para os pés Dá para usar o calçado e controlar os efeitos do impacto nos pés.

Veja dicas! Estão chegando os eventos de final de ano e não há mulher vaidosa que resista a um salto alto, seja apenas para uma festa ou ainda por exigência do trabalho. Mas o posicionamento dos pés dentro deste tipo de calçado preocupa os especialistas, já que os pés estão sujeitos a algumas deformações irreversíveis. “Quem usa salto alto, projeta todo o peso do seu corpo em uma parte muito pequena dos pés, que são os dedos. Essa sobrecarga pode causar dores e deformações como os calos embaixo dos dedos”. Os modelos mais prejudiciais, segundo o médico, são os escarpins: “Isso porque eles, além de aguentarem o peso, ainda apertam os dedos por terem o bico mais fino”. Sendo assim, os modelos plataforma são mais indicados para se manter nas altu-

Serviços

ras sem descuidar da saúde, pois esquilibram o peso por igual no pé todo. Uma boa dica do médico para diminuir os efeitos negativos é ir para o trabalho, por exemplo, de tênis ou chinelo, é só perto do local colocar o salto.

Alongar os pés e a panturrilha após horas de uso também é importante, sem contar o uso das palminhas, que amortecem o impacto e previnem dores.

Pés lindos para o verão Está chegando o verão! Tempo de deixar os pezinhos à mostra em rasteirinhas, plataformas, sandálias... Por isso, eles não pode estar mal cuidados. O Vida & Saúde, tem dicas preciosas para você fazer e arrasar. Só use calçados confortáveis — nada que machuque, mesmo que seja só um pouquinho! Durante os dias mais quentes, prefira calçados abertos. Assim o pé acumula menos suor. Use talco nos pés após o banho, antes de calçar um sapato (vale até colocar um pouquinho dentro dele). O pó ajuda a evitar umidade e previne fungos. Evite lixar os pés e procure mantê-los sempre hidratados. Se sentir a pele mais grossinha, faça esfoliação em casa. Uma boa dica é misturar uma colher (sopa) de creme hidratante específico para a área e uma colher (sopa) de açúcar. Esfregue nos pés. Remova o açúcar com água e passe mais uma camada de hidratante. Aproveite para fazer uma automassagem. Deixe os pés de molho em água morna com sais específicos. Eles ajudam a diminuir o inchaço, muito comum nessa época em que retemos mais líquidos. Apesar de estarem à mostra,

as unhas devem passar um tempo sem esmalte. Use só em ocasiões específicas ou eventos importantes. Assim você deixa os poros respirarem. Mas só deixe sem pintar, nunca sem lixar, tirar a cutícula ou outros cuidados básicos. Como os pés ficam expostos e aumenta a ida a praias e piscinas, o risco de aparecimento de micoses é maior.


4

Existe vida após o uso do Crack? Capítulo I

Denise Souza Ritzel – Psicóloga Pedro Braz Rosa da Silveira – Escritor e advogado.

Em artigo elaborado a quatro mãos, o “Vida & Saúde” apresenta um texto sobre o uso do CRACK, que na visão de alguns usuários é a “raspa mais profunda de um lixo produzido pelo capeta”, escrito pela psicóloga Denise Souza Ritzel e pelo escritor e advogado Pedro Braz Rosa da Silveira. ntendemos bem nossa vontade, nossa intenção de escrever este artigo, porquanto não é para mostrar ou trazer algo novo na discussão deste tema, mas sim, por mais despretensioso que possa ser nosso propósito na divulgação desse chamamento acerca da devastadora ação do crack e outras drogas em nossa sociedade e, nessa vigilância agora apresentada, firma-se na seguinte reflexão: se cada membro da família ou qualquer membro da sociedade escrever alguma palavra e das palavras formarem seu arsenal de luta contra esse angustiante e presente conflito, as condições de derrotar esse mal será tarefa mais possível de rechaçá-la. Por conseguinte, qualquer pessoa tem aptidão de escrever e buscar nas palavras insculpidas o alerta sobre os efeitos da praga que contamina e desbarata e aterroriza a sociedade; que seja uma oração escrita, um bilhete, uma carta e, porque não, uma denúncia, para esta pessoa vir formar um exército de combate as drogas, até porque no ato de conclamar contra essa peçonhenta praga, a sociedade vai estar de corpo, alma e mente combatendo, diuturnamente e de todos os modos e meios, mesmo ainda de maneira simples. Assim inferimos que o comprometimento passa a ser espontâneo, porém eficaz, porquanto a droga devasta e devora toda a sociedade. Essa verdadeira guerra deve ser encampada por toda coletividade, pois nenhum recanto dela está livre de ser alcançada pelos seus tentáculos destruidores, pelo seu contágio maléfico. Cabe uma ponderação: Desinteressa saber se vai dar certo ou não; vale é fazer qualquer ato para bater neste mal pernicioso e destroçá-lo. O CRACK Sabemos da existência de outras drogas consumidas e traficadas, porém vamos nos deter no crack, também conhecido por “pedra”. Cabe destacar quanto ao vocábulo “pedra” porquê simbolicamente traduz poder e força e, é assim que se sente o usuário sob o efeito da substância letal. Temos conhecimento que o uso do crack já se tornou uma forte epidemia, apesar de não ser uma moléstia infecciosa em seus efeitos. As autoridades em todos os seus níveis de competência e atuação e a sociedade estão assustadas com o poder devastador causado por essa droga. É válido repetir quantas vezes for necessário acerca dos estragos físicos, psíquicos e sociais, entre outros, causados pelo uso e sua conseqüência e dependência do crack. Partindo de sua fabricação, a “pedra” é produzida com a mistura de cocaína mais amônia ou bicarbonato de sódio. É droga fumada, geralmente em cachimbos, de baixo custo. É de efeito rápido no organismo, assim sendo, o usuário obriga-se, para satisfazer a dependência, a usá-la quase continuadamente. Para manter o vício se desfaz de seus bens, furta de famili-

ares, de amigos. Costuma, diante da exigência de sua dependência, mentir e cometer crimes. O crack é causador de dependência física e psicológica. Sua ação devasta os pulmões, entra na corrente sanguínea atingindo o cérebro. Provoca emagrecimento, insônia, agressividade, delírios, alucinações, paranóia, comportamento anti-social, prostituição, entre outras desgraças. E, tudo isso faz com a única finalidade para adquirir a “pedra”. O QUE LEVA UMA PESSOA AO USO DO CRACK A ação demolidora da droga não atinge apenas as classes menos favorecidas, mas sim toda nossa sociedade, inclusive as mais abastadas. E, também, não é só uma desgraça vivenciada nos grandes centros, pois a praga se espalhou por todas as cidades do interior, não escapando a zona rural. Apesar das autoridades não tratarem o uso da droga como uma epidemia, atualmente o universal e o comprovado consumo da droga desenvolve e exterioriza, ante sua potencialidade de destruição do ser humano, uma perfeita identidade com a doença que surge num lugar e acomete, há só um tempo, grande número de pessoas. São várias as razões que levam um individuo a usar droga, entre elas: · Curiosidade; · Modismo; · Uma maneira infringir limites; · Revolta com a família e o meio social em que vive; · Inveja perante algo material ou pessoal e · Depressão. OUTRAS PREPOSIÇÕES SOBRE ESTE TÓPICO Um aspecto relevante na questão da droga é a desestrutura familiar, em alguns casos e, nessa desestruturação citamos a separação dos pais e o consumo do álcool por algum membro da família, como também, o uso do cigarro por um ou mais membros da família. Retrocedendo no tempo a situação familiar era assim constituída: pai + mãe + filhos. Atualmente quando a família é desfeita, os filhos ou ficam com a mãe – na maioria das vezes – ou com a pai e, daí, partem para uma nova união e novos filhos são gerados. Ante essa situação a família fica composta: meus filhos/teus filhos/nossos filhos. E tanto na família tradicional quanto na nova constituição familiar muitos conflitos surgem entre os membros que a compõem. Outros fatores que podem levar ao uso de drogas: · Amigos que fazem uso de drogas; · Problemas na escola tais como: fracasso nos estudos e o bullying. · Dificuldades para conseguir uma oportunidade, um emprego. · Facilidade de acesso à droga, tanto na zona urbana como na rural. Um aspecto fundamental é com relação à família: os pais precisam – mais que isto – devem acompanhar a vida do filho suas amizades, lugares que frequentam e etc. Mesmo após uma jornada de trabalho cansativa é essencial ter um tempo para os filhos. A falta de limites na educação familiar também os leva a achar que tudo podem, sem nenhum limite. Cabe salientar, neste caso, a importância do NÃO POSITIVO, que é uma palavra negativa, em resposta a uma cobrança do filho, com a única intenção de ajudá-lo. Dizer não quando for necessário, não é falta de amor, antes pelo contrário...

Na próxima edição do Vida & Saúde, o Capítulo II, “O que fazer quando um familiar iniciou o uso da droga, O dependente que tem vontade de deixar o uso do crack, A rede social, Quais são as providências a serem aplicadas desde já e as considerações finais”.


5

Nutritivo até na casca ocê sabia que muitas fibras e nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo estão na parte de fora dos alimentos? A casca da banana tem o dobro de potássio do que a própria polpa. Já a do mamão, uma quantidade de potássio igual ao da banana, mas muita gente desconhece, é

o que dizem os nutricionistas quando tratam do assunto. Para blindar a sua saúde e aproveitar ao máximo o valor nutritivo dos alimentos, é preciso comer cascas e talos. Utilize, por exemplo, os talos de salsinha em patês com ricota e queijos brancos porque ele é rico em ferro e vitamina C. Também coma as frutas sem descascá-las e garanta mais fibras, que auxiliam no

Doce de mamão-formosa com casca e laranja-pera Gostoso e saudável, o mamão é rico em betacaroneto, antioxidante importante que minimiza a ação dos radicais livres responsáveis pelo envelhecimento precoce de todos os nossos órgãos. Na casca da fruta há fibras potentes que auxiliam na prevenção da prisão de ventre. Rendimento: 45 porções de 30 g Calorias por porção: 37 cal. Tempo de preparo: 1 hora e 30 minutos 1,3 kg de mamão-formosa 300 ml de suco de laranja-pera 2 xícaras (de chá) de açúcar Lave bem o mamão, descasqueo e reserve as cascas em um recipiente. Extraia 300 ml de suco de laranja e bata no liquidificador com as cascas (não acrescente água). Em uma panela, coloque essa mistura com o açúcar e a polpa do mamão cortada em pedaços bem pequenos. Deixe ferver até atingir o ponto de geleia. Informação nutricional Cada porção tem 10 g de carboidratos, 0,1 g de proteína, 0 g de gordura, 0,03 g de ferro, 0,4 g de fibras, 0,75 mg de sódio, 0 mg de potássio e 5,68 g de cálcio.

processo digestivo, evitam a prisão de ventre e eliminam toxinas. Confira abaixo algumas receitas saborosas e de baixo custo que não deixam nada parar na lixeira. Só não esqueça de lavar bem as frutas e legumes com uma escovinha própria de cozinha para deixar tudo limpinho e sem agrotóxicos. Nesta página também informações sobre o abacaxi.

Bananada integral Rica em potássio, a casca da banana tem uma boa dose deste micronutriente que ajuda a combater câimbras e dores musculares. Sem contar que o doce deixa o sabor da fruta mais concentrado, uma delícia. Rendimento: 10 porções Calorias por porção: 120 cal. Tempo de preparo: 1 hora 6 bananas prata ou d’água bem maduras e com casca 200 g de açúcar 10 g de canela em pau 5 g de cravo 10 ml de suco de limão Lave as bananas com casca em água corrente e escova. Corte-as em pedaços e bata no liquidificador com 300 ml de água. Adicione os demais ingredientes e cozinhe em fogo baixo até soltar do fundo da panela. Informação nutricional Cada porção tem 30 g de carboidratos, 2 g de proteína, 3,30 g de gordura, 10 g de ferro, 10 g de fibras, 1 mg de sódio, 450 mg de potássio e 1 mg de ômega 3

Abacaxi com benefícios A fruta tem nutrientes que blindam a sua saúde e, de quebra, ajudam a emagrecer. Confira: Você gosta do azedinho do abacaxi ou prefere quando ele está mais docinho? Curte degustar no churrasco do domingo, quente com canela e açucar ou ainda gelado? De todas as maneiras, é uma delícia e não tem suas propriedades prejudicadas. Veja cada uma delas, e por que esta fruta que voce encontra nos mercados durante todo o ano, não pode faltar na sua alimentação. Contém minerais como o cobre, que pode acabar com as dores, principalmente de cabeça; Tem ferro e manganês, que garantem o ossos fortalecidos; Seu alto teor de fibras ajuda na prisão de ventre e age como laxativo suave e natural; A vitamina A combate o colesterol e colabora na prevenção de derrame; A vitamina C contribui para o combate de infecções, gengivite e ajuda na circulação sanguínea; É rico em bromelina, enzima que ajuda na digestão e no emagrecimento.


6 Quando e como se preparar para a erupção dos dentes de leite? Saiba como escolher o sexo do bebê através do dia da fecundação erá que é mesmo possível escolher o sexo do seu filho? Dra. Carolina Ynterian, bioquímica especializada em biologia molecular explica como isso é possível. Após alguns anos de estudo descobriu-se que o que determina o sexo do bebê é o espermatozóide, os homens produzem espermatozóides masculinos e femininos (Y e X) respectivamente. A combinação XX determina que o bebê será uma menina e a combinação XY determina que o bebê será um menino. Segundo a Dra. Carolina o espermatozóide masculino tende a andar mais depressa conseguindo alcançar o óvulo mais rapidamente, portanto se a mulher quiser engravidar de um menino o correto é ter relações sexuais no dia em que está ovulando. O espermatozóide masculino apesar de mais rápido tem uma vida mais curta, portanto para chegar até o óvulo é necessá-

rio que este esteja o mais perto possível. Já para engravidar de uma menina o correto é ter relações sexuais algum tempo antes da ovulação para que o espermatozóide feminino, que é mais lento, sobreviva e chegue até o óvulo, diferente do que acontecerá com o espermatozóide masculino que morrerá antes de chegar ao óvulo. Uma dificuldade para as mulheres modernas é saber exatamente o dia da ovulação, com tantas atividades a serem administradas, a falta de tempo faz com que muitas se esqueçam de prestar atenção em detalhes como este. Para facilitar a vida dessas mulheres, já existem no mercado produtos que possibilitam um rápido e seguro teste que ajuda a mulher, a saber, quando está ovulando. O teste detecta na urina o aumento do hormônio LH (luteinizante), sinalizando o período de ovulação feminino, com 99% de precisão sobre o período fértil. Mulheres de todas as idades podem recorrer ao teste com comodidade e conforto, sem sair de casa. O método é semelhante ao teste de gravidez. Uma tira deve ser colocada verticalmente dentro do recipiente que foi coletada a urina, durante pelo menos cinco segundos. Feito isso, a tira deverá ser colocada em uma superfície limpa, seca e não absorvente e o resultado surgirá em cinco minutos. O teste é vendido em farmácias e drogarias de todo Brasil com preços acessíveis e pode ser adquirido também através da internet no site www.confirme.net que possibilita ainda informações sobre o produto. “A venda pela web proporciona a praticidade para o consumidor que não encontrou o produto no ponto de venda”, finaliza Dra. Carolina Ynterian.

Os dentes decíduos, popularmente chamados de dentes de leite, irrompem por volta do sétimo mês de vida, iniciando pelos incisivos centrais inferiores seguidos pelos superiores. Ao todo a dentição primaria são vinte dentes distribuídos pelas arcadas dentárias que se estabelecem até os quatro anos de idade da criança. Os pais devem ficar atentos à cronologia de erupção dos dentes decíduos, pois os sintomas podem ser muito agressivos em alguns casos e as terríveis noites mal dormidas podem voltar a acontecer. Ao notar o inicio desta fase, consulte sempre um odontopediatra para maiores orientações de medicamentos paliativos e é claro, como cuidar da higiene destes novos dentinhos. Nesta fase, todo cuidado é pouco, já que os decíduos são mais porosos que os dentes permanentes, portanto mais susceptíveis as cáries. Vale lembrar: só usar pastas de dente especifica para as crianças (sem flúor) ou opte por não usar pasta, pois a ação mecânica da escova é suficiente para higienizar os dentes. E procure não deixar a criança ingerir pasta de dente que é muito nociva para o organismo e os dentes permanentes. Os dentes decíduos para irromper devem rasgar a gengiva e isto causa dor, inflamação e inchaço na região. A criança pode apresentar febre, diarréia, indisposição, ficar inquieto e até irritado com o nascimento dos dentes. Há um aumento considerável na salivação e o bebê procura colocar tudo na boca para morder e aliviar a coceira. É comum que passem a recusar a alimentação, pois comer reflete em dor. Alimentos com maior consistência como pedaços de pão italiano, pedaços de maça e cenoura ligeiramente cozida também podem ser grandes aliados; nutre e ajuda na coceira e no desconforto do bebê. Existem vários tipos de mordedores de vinil e de plástico, que podem ser de boa ajuda para apressar o rompimento da gengiva. Alguns modelos de mordedores podem ser mantidos refrigerados para quando forem oferecidos ao bebê tragam ainda mais conforto e alívio. O importante é ter em mente que esta é mais um etapa do desenvolvimento do seu bebê e ele precisa muito do seu carinho e atenção.


7

Violência doméstica é a triste realidade em muitas famílias m todo o mundo, particularmente as mulheres são vítimas da violência. Segundo um relatório divulgado pela ONU, cerca de 600 milhões de mulheres vivem em países onde a violência doméstica não é considerada um crime. Na América Latina, um terço das mulheres declarou já ter sido vítima de agressão física e 16% de agressão sexual em algum momento de sua vida. O relatório "Progresso das mulheres do mundo" alerta que a situação das mulheres é grave na Costa Rica, Paraguai e Peru, onde 20% das mulheres declaram ter sofrido abuso sexual, mas poucas admitiram ter relatado o ocorrido à polícia. No Brasil, quatro em cada dez mulheres já foram vítimas de violência doméstica. O número consta do Anuário das Mulheres Brasileiras 2011, divulgado no mês de julho, pela Secretaria de Políticas para as Mulheres do Governo Federal e Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socieconômicos (Dieese). De acordo com a pesquisa, 43,1% das mulheres já foram vítimas de violência em sua própria residência. Segundo os dados, de todas as mulheres agredidas no país, dentro e fora de casa, 25,9% foram vítimas de seus cônjuges ou ex-cônjuges. O perfil do agressor é constituído, geralmente, por homens que fazem consumo excessivo de bebidas alcoólicas e de drogas ilícitas, e também de homens transgressores de normas, com desvio de conduta e atitudes agressivas com pessoas ou atos de crueldade com animais. Diversos estudos científicos realizados tanto em países industrializados quanto em países emergentes, produziram uma lista consistente de eventos que, teoricamente, dispararam o gatilho da violência contra as mulheres. Dentre esses eventos, podemos citar: — não obedecer ao homem; — retrucar; — não estar com a comida preparada na hora; — não cuidar de forma adequada das crianças ou da casa; — questionar o homem sobre dinheiro ou namoradas; — ir a algum lugar sem a permissão do homem; — recusar sexo ao homem; — o homem suspeitar da infidelidade da mulher. A extensão do problema Em uma relação íntima, a violência de gênero (contra as mulheres) refere-se a qualquer comportamento que cause dano físico, psicológico ou sexual àqueles que fazem parte da relação. Esses comportamentos incluem: •Atos de agressão física – tais como estapear, socar, chutar e surrar. •Abuso psicológico – tais como intimidação, constante desvalorização e humilhação. •Relações sexuais forçadas e outras formas de coação sexual. •Vários comportamentos controladores – tais como isolar a pessoa de sua família e amigos, monitorar seus movimentos e restringir seu acesso às informações ou à assistência.

Para finalizar, deixo um alerta: o mais importante é não ignorar a situação, é preciso denunciar aos órgãos competentes, como à Delegacia, por exemplo, e procurar ajuda especializada. Não se deve deixar o problema chegar ao extremo, pois esses traumas deixam feridas profundas. Dr. Fábio Vitória Psiquiatra


O verão e a pele: Todo cuidado é pouco "Verão costuma ser sinônimo de sol, praia e calor. Nesta época do ano, é comum que as pessoas desejem exibir um corpo perfeito. Mas apenas isto não basta. Os brasileiros também gostam de desfilar no verão com um corpo bronzeado. A pele queimada é tida por muitas pessoas como uma característica da aparência saudável. No entanto, os especialistas alertam que a estação é um período que exige

atenção e cuidados redobrados com a pele. A ação dos raios solares sobre o corpo desprotegido tem conseqüências sérias. O câncer pode parecer uma ameaça distante, mas as queimaduras são riscos iminentes que podem estragar as férias na praia. Com as crianças, que têm pele bem mais sensível, o cuidado deve ser ainda maior".

Caderno Vida & Saúde Novembro 2011 Jornal Opinião  

Caderno Vida & Saúde encartado no Jornal Opinião de 25 de novembro de 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you