Page 1

ASSOCIAÇÃO ORQUIDÓFILA ORQUIDÓFILA DE DE SÃO SÃO PAULO PAULO ASSOCIAÇÃO no 2 03/2012


exposições (1)

a s s No pa ca Brasilaelia purpurata flâmea - 77 pontos Melhor Espécie Brasileira / Campeã da Exposição cultivo: Márcia S. Morimoto - S. Lourenço da Serra, SP

Todas as orquídeas classificadas como as melhores nas suas categorias recebem dos juízes da AOSP uma atenção especial onde se tomam as medidas das flores no geral e em todos seus segmentos: pétalas, sépalas e labelo, bem como outras informações como número de inflorescências, quantidade de flores, altura da planta, etc. Tiram-se fotos tanto das flores quanto da planta em si e essas informações são registradas em arquivo apro10

revista da AOSP - março/2012 - no 2

priado, de maneira que se forma um banco de dados muito importante para futuras consultas. Faz-se uma análise qualitativa da orquídea e se atribui uma pontuação, como visto acima (77 pontos) numa escala de 0 a 100. É um trabalho que outras associações deveriam também fazer, afinal de contas o Brasil é o país com o maior número de exposições de orquídeas no mundo e melhorar a qualidade das mesmas é sempre importante.


pragas e doenças Fungicidas Captan (nomes comerciais: Captan 500 PM, Orthocide 500) fungicida de contato, classe toxicológica III, medianamente tóxico, combate mancha foliar. Botrytis cinerea, para antracnose (mancha geral nas folhas, que se alastram rapidamente, adquirindo aspecto de secura), podridão (Pythium) e podridão da raiz (Rhizoctonia solani): 2,5 g/l. Tiofanato metílico - já citado. Casugamicina - ver Bactericidas, na página 46, logo à frente. Carbendazin (nomes comerciais: Derosal 500, Bendazol, etc.) - fungicida sistêmico, classe toxicológica III – medianamente tóxico - para antracnose, podridão radicular (Rhizoctonia solani): 1 ml/l. Carboxina (nomes comerciais: Vitavax – Thiran, Anchor SC) - fungicida sistêmico e de contacto, classe toxicológica III: medianamente tóxico – para murcha do fusarium (Fusarium oxysporum) que tem desenvolvimento semelhante à podridão negra, isto é: avança da raiz, para rizoma e pseudobulbo, causando tombamento ou “damping–off” - (Rhyzoctonia solani). Tombamento de muda - Pythium sp.: 3 ml/l. Tebuconazole (nomes comerciais: Folicur, Orius, Rival) - fungicida sistêmico classe toxicológica III - medianamente tóxico - para ferrugem: 1 g/l. Fosetyl (nome comercial Aliette) fungicida sistêmico – classe toxicológica V pouco tóxico para podridão da raiz (Phytophthora cactorum): 2,5 g/l.

Orquídea atacada por antracnose, caracterizada pelas manchas nas folhas que se espalham rapidamente e adquirem esse aspecto de secura.

44

revista da AOSP - março/2012 - no 2


Mas, se alguém quiser aceitar o desafio do cultivo dessas plantas, não use vaso. Fixe numa casca ou tronco de árvore com um pouco de musgo. Após um bom enraizamento, alivie o musgo e regue todos os dias… até em dia de chuva!

Cattleya aurea (C. dowiana var. aurea)

Clowesia rosea

Lophiaris lurida (Oncidium luridum)

Cattleya wallisii (C. eldorado)

Dendrobium devonianum

Capanemia superflua

Algumas orquídeas de cultivo um pouco mais complicado: DESAFIO!

revista da AOSP - março/2012 - no 2

41

Revista Aosp - 2  

Revista da Aosp - Edição 2