Page 1

Novembro | EXPRESSÃO | 1

Órgão Oficial da Diocese de São José dos Campos | Ano XVII | Novembro de 2011 | N0 316 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

jexpress@diocesesjc.org.br | www.diocesesjc.org.br

PEQUENAS MISSIONÁRIAS:

75 anos a serviço do Reino! Paginas 8 e 9

“A missão que nós recebemos é representar junto aos nossos irmãos e, principalmente, aos enfermos e os pequeninos a misericórdia de Deus.” Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico Fundadora da Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada

Palavra do Pastor

Formação

Entrevista

Dom Moacir Silva relata como ocorreu a Assembleia das Igrejas realizada em outubro.

Dê um salto de qualidade na sua vida em 2012. Estude Teologia.

Padre Paulo Renato F. G. Campos conta como é sua rotina de estudos em Roma.

Página 3

Página 3

Página12

Comemorações Pastoral da Juventude da Diocese de São José dos Campos comemora seus 30 anos

Página 10


2 | EXPRESSÃO | Novembro

Caminho Pós-Sinodal

Editorial

O protagonismo dos leigos

O

simples fato dos leigos serem maioria na Igreja já é suficiente para que os consideremos fundamentais na realização da missão evangelizadora. De fato, grande parte dessa missão é realizada por eles e impensável sem eles. Sem medir esforços, sem poupar tempo e sem ser vencidos pelas dificuldades, os leigos e leigas contribuem de maneira singular para que o Reino de Deus se torne cada vez mais visível na história. Mas não é só isso. Os leigos são responsáveis pela missão porque inseridos em Cristo pelo batismo e, deste modo, membros do Povo de Deus que tornam presente essa realidade-identidade em todos os lugares onde estão, pelo seu testemunho e pelo seu empenho de fazer ecoar a Boa Nova de Jesus Cristo. Na solenidade de Cristo Rei, celebramos o dia dos leigos, ocasião propícia para pensar e agradecer pelo quanto essa significativa parcela da Igreja tem contribuído para o caminho que a Igreja fez até o presente momento. Nossa Diocese, sobretudo, é devedora de sua caminhada a muitos leigos e leigas cuja vida e missão constituem verdadeiro evangelho encarnado e testemunhado. Muitos frutos que hoje colhemos foram sementes que mãos generosas de cristãos e cristãs lançaram no chão de nossa pequena-grande história. Nesta ocasião, somos também convidados a olhar para frente vislumbrando um futuro promissor, nascido daqueles e daquelas que só pelo fato de serem batizados são discípulosmissionários de Jesus Cristo e, por isso, protagonistas da missão evangelizadora. A atuação dos leigos, sem deixar de ser importante ao interno da Igreja, nos serviços pastorais, na administração das Paróquias e da própria Diocese, precisa ser mais percebida e mais efetiva na realidade social, onde o seu testemunho há de tornar-se semente de um mundo melhor. O dia dos leigos é oportunidade privilegiada para que todos escutem novamente o chamado feito a toda a Igreja para colocar-se em estado de missão permanente indo ao encontro de quem não caminha com ela, caminhando em meios às realidades sociais para fecundá-las com a força do Evangelho e unindo-nos como Igreja no respeito e incentivo recíprocos enquanto caminhamos para o Reino definitivo, na realização da mesma missão.

Partir de Jesus Cristo O Documento Conclusivo do I Sínodo da Diocese de São José dos Campos apresenta importantes indicações pastorais, que, para serem efetivadas precisam mais do que conhecimentos técnicos. Assim como o corpo requer a alma para apresentar-se como ser vivente, a ação evangelizadora também pede uma alma, para ser eficaz. Podemos dizer que a alma de nossa ação pastoral está naquilo que as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil chamam de “Partir de Cristo”, cuja explanação mais ampla encontramos no primeiro capítulo deste texto referencial para nosso trabalho evangelizador. Toda ação eclesial brota de Jesus Cristo e se volta para Ele e para o Reino do Pai. Jesus Cristo é nossa razão de ser, origem de nosso agir, motivo de nosso pensar e sentir. Por essa razão, o nosso discipulado missionário se manifesta na contemplação de Jesus Cristo presente e atuante em meio à realidade, à luz de quem a

Pe. Edinei Evaldo Batista

Coordenador Diocesano de Pastoral

Faça download do Documento Conclusivo do Sínodo www.sinododiocesano.com.br

Envie sua notícia Sejam colaboradores do Jornal Expressão

O DECOM está cadastrando os membros para a Rede de Comunicadores. Fale com seu pároco ou assessor de Pastoral. Mais informações, ligue: 3928-3929 ou 3928-3926, com Ana Lúcia, Aridiane e Pedro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

compreendemos e com ela nos relacionamos no firme desejo de que nosso olhar, ser e agir, sejam reflexos do seguimento cada vez mais fiel, ao Senhor Jesus. Não há como executar planejamentos pastorais sem antes nos colocarmos diante de Jesus Cristo. É a partir de nossa relação pessoal e profunda com Ele que vamos fazer diferença na vida dos outros e ser sementes de renovação da ação evangelizadora na Diocese. Para isso, precisamos estar entusiasmados. A palavra entusiasmo tem sua raiz no termo Entheos que na língua grega significa estar em Deus, mergulhado no divino, cheio de Deus.

Não podemos perder o entusiasmo, que para nós nasce do encontro pessoal com Jesus Cristo. Certo provérbio africano afirma: “Se você não sabe para onde ir, você sabe de onde veio”. Embora, muitas vezes, não saibamos para onde ir, sabemos de onde viemos, a quem seguimos e, em decorrência disso, qual é nossa identidade, da qual deriva nossa missão. É certo que não temos respostas ou soluções para tudo, mas temos o Evangelho como experiência a ser partilhada. Se de fato formos pessoas cuja vida seja expressão dos valores anunciados e testemunhados por Jesus Cristo nossa ação pastoral será muito mais fecunda e frutuosa. Portanto, para que nossa evangelização se torne cada dia mais viva, precisamos sempre de novo partir de Jesus Cristo que nos remete necessariamente à Igreja e ao mundo numa relação de compromisso expresso no serviço generoso e alegre que nos faz fiéis e felizes.

Para tornar o conteúdo deste veículo mais abrangente, o Jornal Expressão precisa da sua participação enviando sugestões e notícias de sua paróquia. Se você é agente da Pascom ou da RECOP auxilie os coordenadores de

Aviso

pastorais, movimentos e espiritualidades de sua paróquia para que enviem notícia para a redação do jornal. Fique atento também às atividades de sua paróquia. As matérias recebidas serão colocadas na pauta do Jornal, sendo selecionadas pela direção do Jornal Expressão, que irá fazer as correções e ajustes. A sua notícia também

irá sair no site da Diocese (www. diocesesjc.org.br).

Quando e como enviar sua matéria: As matérias para o mês seguinte devem chegar no máximo até o dia 20 de cada mês. e-mail: jexpress@diocesesjc.org.br (12) 3928-3929 - Fax: 3928-3924

O Jornal Expressão é distribuído gratuitamente nas paróquias da diocese de São José dos Campos. Não pode ser vendido e não possui nenhum representante para arrecadar fundos para qualquer natureza.

Fundação Sagrada Família - Publicação Mensal da Diocese de São José dos Campos Bispo Diocesano: Dom Moacir Silva • Supervisão Geral: Pe. Edinei Evaldo Batista • Jornalista Responsável: Ana Lúcia Zombardi - MTB 28.496 • Reportagem: Aridiane de Andrade - MTB 42.895-SP • Revisão: Diácono José Aparecido de Oliveira Colaboraram nesta Edição: Pedro Luvizotto (Departamento Diocesano de Comunicação), Luiz Moreira dos Anjos Junior (Comunidade Católica Pantokrator), Murilo Silveira (REGNUM CHRISTI – SJC), Sandro Luiz Cuesta (Pastoral Vocacional), Sávio Eleodoro (Pastoral Vocacional), Sueli Oliveira (Pastoral dos Estrangeiros), José Luis Nunes (RECOP - CF), Andrea M. Soares (RECOP – Paróquia Sagrada Família), Secretarias Paroquiais, Cap PM Jaqueline (seção de Comunicação Social 1° Batalhão da Policia Militar do Interior), Vanessa Fernandes (Assessoria de Imprensa da IPMMI), Alexandre Oliveira (Rádio Mensagem). Diagramação: AB&G Comunicação e Marketing Ltda. Tiragem: 20 mil exemplares - Impressão: Gráfica Katu • Redação e Publicidade: Pça. Monsenhor Ascânio Brandão, 01 - Jd. São Dimas – São José dos Campos – CEP 12245-440 • Tel.: (12) 3928-3929 – e-mail: jexpress@diocesesjc.org.br Se você identificar alguma informação errada ou falta de dados, escreva para a redação do Jornal Expressão ou envie um e-mail. Mande também suas críticas, comentários e sugestões. As matérias assinadas e opiniões expressas são de responsabilidade de seus autores. Edição concluída em 01/11/2011


Novembro | EXPRESSÃO | 3

Palavra do Pastor * Dom Moacir Silva, Bispo Diocesano

Assembleia das Igrejas

D

e 14 a 16 de outubro aconteceu a 33ª Assembleia das Igrejas Particulares (Dioceses) do Estado de São Paulo, com o tema: “Conversão Pastoral e Implicação na Nova Evangelização, à luz das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil”. A Assembleia das Igrejas Particulares é a instância que expressa a comunhão, a participação e a missão das dioceses que compõem o Regional Sul 1 da CNBB. É competência dela contribuir para a reflexão sobre a vida da Igreja, para troca de experiências entre as diversas dioceses e para a proposta de pistas comuns de ação (cf Art. 1º e 2º do Regimento para a AIP). Participam desta Assembleia o bispo diocesano, o coordenador diocesano de pastoral e mais três pessoas, num total de cinco participantes por diocese. No início dos trabalhos fomos convidados a lançar um olhar sobre a realidade, mais especificamente sobre as tendências sócio-culturais. Aqui contamos com a excelente contribuição do Professor e Jornalista Carlos Alberto Di Franco. Ele nos alertou: “Vivemos numa sociedade multicultural, onde se pode observar simultaneamente os fenômenos mais contraditórios. O pós-modernismo pode ser comparado a uma pós-guerra. Um tempo difícil que dará origem a algo novo. Estamos, de fato, entrando numa nova etapa da humanidade. E as mudanças reclamam um novo modo de falar e de comunicar. Deve ser um modo essencialmente posi-

tivo. Quem quer influir no presente, tem que amar o mundo em que vive. Não deve olhar o passado, com nostalgia e resignação, mas deve adotar uma atitude positiva diante do momento histórico concreto. Devemos estar à altura dos novos acontecimentos. “Quem foge do presente”, disse alguém, “foge da hora de Deus.” Depois, contamos com a valiosa contribuição do Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis que nos ajudou a refletir sobre como a Igreja está respondendo aos desafios atuais. Ele nos apresentou uma memória histórica de como a Igreja Universal, na América Latina e no Brasil, vem respondendo aos desafios atuais, desde o Concílio Vaticano II até os dias de hoje. Lembrou que a “Igreja Católica tem reagido a tudo isso buscando recuperar a sua dimensão missionária, adotando, além de uma pastoral de conservação, uma pastoral missionária, despertando a Igreja para um estado permanente de missão (a Missão Continental e as Santas Missões Populares). Isso acontecerá se colocarmos as estruturas, instituições da Igreja, a serviço da missão, o que exige a verdadeira conversão pastoral exigida pela Conferência de Aparecida” (cf DA, 365 e 370). Depois destas duas reflexões, os participantes fizeram uma partilha das experiências significativas, dentro da temática, nas suas respectivas sub-regiões pastorais. A partir do plenário desta partilha, entramos nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil,

assessorados por Dom Leonardo Ulrich Steiner, Secretário Geral da CNBB. Dom Leonardo aprofundou os dois primeiros capítulos das Diretrizes: “Partir de Cristo” e “Marcas de nosso tempo”, mostrando a fundamental importância da compreensão deles para entender a aplicar as Diretrizes. No primeiro capítulo ele chamou a atenção para três expressões: partir de Cristo, alteridade e gratuidade. Partir de Cristo é sinônimo de encontro com Cristo. Nosso Deus, em Jesus Cristo, decidiu vir ao nosso encontro, assumindo nossa condição humana, fazendo a experiência humana para nos fazer participantes de sua vida divina. O encontro com Jesus Cristo é a alma da ação evangelizadora, que não é mero conjunto de projeto e programas impostos a partir de fora, mas a experiência fundante da vida e da ação dos cristãos. Por isso, “toda ação eclesial brota de Jesus Cristo e se volta para Ele e para o Reino do Pai. Jesus Cristo é nossa razão de ser, origem de nosso agir, motivo de nosso pensar e sentir” (DGAE, 4).

A expressão “alteridade se refere ao outro, ao próximo, àquele que, em Jesus Cristo, é meu irmão ou minha irmã, mesmo estando do outro lado do planeta. É o reconhecimento de que o outro é diferente de mim e esta diferença nos distingue, mas não nos afasta” (DGAE, 8). A expressão “gratuidade significa amar, em Jesus Cristo, o irmão e a irmã, respondendo, através de atitudes fraternas e solidárias, a grande questão proposta a Jesus: ‘quem é meu próximo?’ [Lc 10, 29], querendo e fazendo o bem ao outro em nada esperar em troca” (DGAE, 9). No segundo capítulo, Dom Leonardo acentuou a questão da “mudança de época”. “Mudanças de época são, de fato, tempos desnorteadores, pois afetam os critérios de compreensão, os valores mais profundos, a partir dos quais se afirmam identidades e se estabelecem ações e relações” (DGAE, 20). Mas “são também tempos propícios para volta às fontes e busca dos aspectos centrais da fé. Esta é a grande diretriz evangelizadora que, neste início de século XXI, acompanha a Igreja: não colocar outro fundamento que não seja Jesus Cristo, o mesmo ontem, hoje e sempre [cf Hb 13,8]” (DGAE, 2). A partir da experiência da partilha e da reflexão, a Assembleia apontou pistas de ação comum para a conversão pastoral e a Nova Evangelização, que estão publicadas nesta edição do Jornal Expressão.

Diocese envia representantes para a Assembleia Nosso bispo diocesano, Dom Moacir, como vicepresidente do Regional Sul 1 da CNBB, presidiu a assembleia, já que o Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer estava na Alemanha, participando das comemorações dos 50 anos da Adveniat. A Sub Região Aparecida estava representada por 21 pessoas. Além do nosso bispo, do Coordenador Diocesano de Pastoral, Pe. Edinei Evaldo Batista, Dom Moacir convidou três leigos. Nesta Assembleia estiveram Luiz Henrique Ferfoglia Honório, presidente do Conselho de Leigos, José Carlos Israel, Coordenador Diocesano da Pastoral do Dízimo e Elizabeth Xavier de Oliveira, Coordenadora da Comissão Diocesana para Cultura, Educação e Comunicação Social. Também esteve presente, secretariando a Assembleia, Regina Célia Araújo. Confira as pistas de ação definidas na 33ª Assembleia do Regional Sul 1 na página 11


4 | EXPRESSÃO | Novembro

Paróquias em Festa Paróquia Nossa Senhora do Patrocínio Acontece até o dia 13 de novembro a Festa em honra a Nossa Senhora do Patrocínio – Igaratá, sob o tema “Maria Rainha e Promotora da Paz!”. A novena está sendo realizada sempre às 19h30, e segue até o dia 11 de novembro, com a presença de diversos padres. Programação festiva: Dia 12 de Novembro (Sábado) 13h - Início da Cavalhada no Pátio da Matriz 17h - Procissão de Cavalos do Pátio da Cavalhada até a Matriz. 19h - Missa na Matriz Dia 13 de Novembro (Domingo) - Dia da Festa 10h - Missa com os Romeiros 12h - Almoço Grátis - Feijoada 13h30 - Bingo (Cartelas a R$10,00) 15h - Consagração à Nossa Senhora do Patrocínio 15h - Leilão de gados, aves, porcos 19h - Missa de Encerramento e Coroação de Nossa Senhora Shows - sempre às 21h

05/11 - Neto Davy 06/11 - Paulo e Rafa 12/11 - Banda Rasta Ela 13/11 - Long Play A Paróquia Nossa Senhora do Patrocínio fica na Rua Ver. Ignácio Fernandes Fortes, s/n – Centro – Igaratá. Informações (11) 4658-1060.

Festa de Nossa Senhora das Graças

a tradicional quermesse, com as barracas de: pastel, cachorro-quente, doces, pão com linguiça, pizza, refrigerante, batidinha, bingo, bolinho e pescaria. Participe com sua família! Informações (12) 3921-5516

Comunidade Nossa Senhora das Graças

De 18 a 27 de novembro a Comunidade Nossa SenA Comunidade Nossa Senhora hora das Graças, da Paróquia das Graças, da Vila Maria, em Nossa Senhora da Santíssima São José dos Campos realizará Trindade, celebrará a Novena a festa de sua padroeira de em louvor a Nossa Senhora 11 a 20 de novembro com o das Graças tendo como tema tema centra da novena é “Ver- Geral: MATER VERBI e MATER bum Domini”. A programação LAETITIAE. De segunda a conta com missas celebradas sexta-feira as missas acontepor diversos padres de nossa cem às 19h30, aos finais de diocese que acontecem às semana as missas são às 19h. 18h aos sábados e domingos No dia 27 de novembro (Dia e às 19h30 durante a semana. de Nossa Senhora da Graças) No domingo, dia 20 as mishaverá procissão às 16h, em sas serão às 7h na Matriz São seguida missa Celebrada pelo José; às 9h na Capela N. Sra. Padre Lindomar Francisco Graças e às 17h missa seguida Ferreira. Participe! A Capela de procissão, portanto, no dia Nossa Senhora das Graças fica 20 não haverá missa às 18h na na Rua João Batista do Prado, Igreja Matriz. 66 – Jardim Maria Amélia, Nos dias 12, 13, 19 e 20 haverá Jacareí – SP. A programação completa das Paróquias em Festa está no site www.diocesesjc.org.br

Campanha para a Evangelização 2011

Com o objetivo de proporcionar uma reflexão sobre responsabilidade na manutenção da Igreja em suas diversas atividades missionárias e evangelizadoras espalhadas por todo o país, nos batizados, a Igreja Católica no Brasil organiza anualmente a Campanha para a Evangelização. Será realizada no terceiro domingo do advento - dias 10 e 11 de dezembro – a Coleta em prol da Evangelização.

Convite “Sacerdote: homem de Deus em meio aos homens.”

A Diocese de São José dos Campos, unida em grande louvor a Deus, convida para a Missa em Ação de Graças pelo Jubileu de Prata de Ordenação Presbiteral de seu estimado Bispo Diocesano Dom Moacir Silva Dia 6 de dezembro de 2011, às 19h30 Local: Catedral de São Dimas Praça Monsenhor Ascânio Brandão, 01 São José dos Campos – SP


Novembro | EXPRESSÃO | 5

Agende-se Bazar do Grupo Dom Bosco Dias 9 e 10 de novembro, das 9h às 18h. Há 25 anos o Grupo Dom Bosco Voluntárias em Ação, da Paróquia Sagrada Família, vem auxiliando famílias carentes de São José dos Campos. Sempre no final do ano, o bazar beneficente apresenta as peças elaboradas com carinho pelas voluntárias, que se reúnem semanalmente. Neste bazar são encontradas pinturas em panos de prato, porta-trecos, puxas-saco, toalhas de mão, de banho, toalhas de mesa, até roupinhas de bebê, sapatinhos de crochê, babador, itens para enxoval, peças de natal, entre outros. A renda adquirida com a venda dos trabalhos é inteiramente revertida para entidades beneficentes de toda a cidade. Faça você também a sua parte. Visite e compre sua peça! Local: Salão Paroquial da Igreja Sagrada Família Informações (12) 3921-9460 Bazar Beneficente Clube da Vovó Dia 10 de novembro, das 14h às 18h Venha participar e ajude uma família carente. O valor arrecadado será revertido para a Obra

Social e Assistencial São Dimas. Venda de panos de prato, crochê, arte em madeira, enxoval para noivas, entre outros. Local: Salão da Catedral São Dimas Informações (12) 3322-0543 Noite de Cura e Libertação paraMulheres Dia 11 de novembro, às 19h30 A Noite de Cura e Libertação para Mulheres, promovida pela Comunidade Católica Pantokrator – Missão SJC, tem entrada franca mas precisa fazer inscrição. Local: Espaço Vida da Paróquia Espírito Santo Informações e inscrições (12) 39362874 ou pelo e-mail cursos.sjc@pantokrator.org.br Manhã Musical na Loja Canção Nova Dia 19 e 26 de novembro, às 10h30 A Canção Nova de São Jose dos Campos convida você e sua família para participarem da manhã musical, todo sábado, na loja 01. No dia 19 de o Grupo Ide se apresentará e no dia 26, será a vez do Ministério Caminho Seguro. Local: Rua Sebastião Humel, 324 – Centro – São José dos

Campos (próximo ao mercado municipal). Informações (12) 3923-7000

re.duda@gmail.com Informações (12) 7850-1796 e (12) 9620-2717

Cristoteca Dia 19 de novembro, às 19h30 Convites à venda com os agentes do CPJ (Conselho Paroquial da Juventude) Local: Sab - Novo Horizonte Informações (12) 91652870 com Edvan, (12) 88234103 com Enio ou na secretária paroquial

Curso de Gestantes Dia 26 de novembro, das 14h às 17h O Curso de Gestantes acontecerá na Paróquia de São Benedito do Alto da Ponte e será promovido pela Obra Social Padre Wagner Rodolfo da Silva. O evento contará com várias palestrantes e sorteios de brindes. Local: Paróquia São Benedito, Pça. Pe. Bonafé, 50 Alto da Ponte Informações (12) 3911-8623

Missa com liturgia afro brasileira Dia 20 de novembro, às 19h Local: Paróquia Coração Eucarístico de Jesus Encontro para Recém-Casados Dia 20 de novembro Este é um evento inédito organizado pela Pastoral Familiar da Paróquia Sagrada Família sendo uma oportunidade para os casais com até 3 anos de matrimônio, aprofundarem no tema proposto “O amor é o laço da perfeição” extraído da Carta de São Paulo aos Colossenses. As inscrições podem ser feitas na Secretaria Paroquial, após as Missas das 18h aos sábados e das 8h, 10h, 17h e 19h aos domingos ou ainda com o casal Rê e Dúdu pelo e-mail dudu.

Retiro Espiritual De 9 a 11 de dezembro Retiro com o tema “Vinde a mim vós que estais cansados e sobrecarregados e Eu vos aliviarei” Mt 11,28-30 com orientação de Ir Patrícia Jesus, pmmi, Ir Vicente Maria da Cruz, otc e Ir Rodolfo Soreth SS Trindade, otc. Local: Casa de Retiro Cura D’Ars. Informações e inscrições (12) 3921-9719 com Ir Patrícia ou Vicente casadeoracaocuradars@yahoo. com.br Retiro Inaciano De 16 a 18 de dezembro Retiro com o tema “Preparação para o Natal com os Santos

Formação da Pastoral Vocacional RECOP – PV

A Comissão Diocesana da Pastoral Vocacional realizará um curso para animadores vocacionais, no dia 12 de novembro, das 8h às 16h, na Capela Nossa Senhora Auxiliadora (Pça Paris, 26 - Jardim Augusta) próximo ao Center Vale Shopping. Este curso faz parte da programação formativa para os animadores vocacionais novos e veteranos da nossa diocese. A assessoria da formação ficará a cargo do Pe. Marcos de Ávila, RCJ e mais três religiosos da congregação dos Rogacionistas, especializados em pastoral vocacional, e falarão a respeito de como formar e manter uma Equipe de Pastoral Vocacional em nossas realidades. No dia 15 de novembro acontecerá a missa de posse da nova coordenação da pastoral vocacional, na Catedral São Dimas, às 19h30. Participe!

Anjos” e orientação de Marcos Aurélio Castellanos e Valdirene Carreira. Local: Casa de Retiro Cura D’Ars. Informações e inscrições (12) 3921-9719 com Ir Patrícia ou Vicente casadeoracaocuradars@yahoo. com.br Curso de Formação Humana Início dia 29 de fevereiro de 2012 No Curso de Formação Humana – Autoconhecimento sob a luz do Espírito Santo, os participantes iniciarão a caminhada do autoconhecimento junto com Jesus que veio ao mundo para “ensinar o homem a ser verdadeiramente homem”. Através de Sua Encarnação, ensina o homem a viver, morrer e ressuscitar! O Curso tem a duração de 10 meses e acontece de forma quinzenal nas dependências da Paróquia Espírito Santo – Jd. Satélite. As formações são ministradas pelo núcleo de ensino da Comunidade Católica Pantokrator – SJC. As inscrições começam em dezembro. O Valor da inscrição é de R$ 15,00 e a mensalidade R$ 25,00. As vagas são limitadas! Local: Paróquia Espírito Santo. Informações e Inscrições: (12) 3936-2874, por e-mail cursos.sjc@pantokrator. org.br ou www.pantokrator.org. br

Pastoral da Educação

A Pastoral da Educação da Diocese agrade Às paróquias que celebraram o Dia do Professor, com uma missa. Agradece também às paróquias que estão organizando equipes paroquiais da Pastoral da Educação e às que inscreveram professores para o encontro de professores, do dia 5 de novembro, das 8h às 11h30, no Seminário. É importante e necessário preocupar-se com a educação em nossas escolas. O próprio Sínodo Diocesano mostrou a pouca presença da Igreja nas escolas, por isso, é hora de entrar com tudo na luta pela formação da pastoral da educação em todas as paróquias. Diác José Aparecido, assessor diocesano da pastoral da educação


6 | EXPRESSÃO | Novembro

Entrevista

Diocese de São José dos Campos ganha um novo sacerdote No dia 3 de dezembro o diácono Célio Alves Bernardes será ordenado sacerdote sob o lema “Para curar os corações feridos” Is 61,1d. A cerimônia será na Paróquia Espírito Santo, às 9h. Vindo de um lar simples, com mais três irmãs e um irmão, Célio Alves Bernardes aprendeu desde cedo a dar valor à vida, nas pessoas e nas coisas. “Recordo-me, por exemplo, que minha mãe muitas vezes colocava farinha no ovo mexido para render mais, dividia entre os irmãos e ainda reservava um pedaço para meu pai que chegava mais tarde do trabalho.” Era um ambiente simples, mas cheio de fé e esperança. Célio, o filho do meio, era uma criança como as outras, frequentava a escola, tinha que superar suas limitações e os desafios no estudo e gostava demais de brincar na rua com as outras crianças. Brincadeiras saudáveis, como pega-pega, esconde-esconde, que hoje são tão raras de se ver pelas ruas dos bairros. Até que certo dia, aos 9 anos, teve a infelicidade de pisar num caco de vidro, que permaneceu em seu pé esquerdo por três anos, por negligência médica. Foram anos difíceis para Célio. “Foi a fase mais complexa da minha vida, pois não podia andar e dependia das pessoas para locomoção e pra tantas outras atividades,” conta. Porém , essa fase após os 9 anos se tornou um marco. “Nesse período de recuperação, a participação na comunidade da Paróquia Espírito Santo, no Jardim Satélite, que tinha acabado de ser criada vai se tornando mais ativa na minha vida”. Célio foi crescendo e se recuperando, começou a trabalhar para ajudar no orçamento da casa. Foi entregador de gás, servente de pedreiro com seu pai e seu último emprego, antes de entrar para o seminário, foi em uma distribuidora de remédios. “Tenho certeza que tudo o que vivi em minha infância e adolescência, as alegrias e as dificuldades, foi conduzido por Deus”, revela o diácono. Confira, nas palavras do Diácono Célio Alves Bernardes, como foi sua trajetória até chegar ao sacerdócio. Jornal Expressão - Como foi o seu despertar para a vocação? Célio Alves Bernardes - Quando criança ia à missa pela manhã com meu pai. Na época, padre Luiz Albino Bertolotti quando levantava a hóstia e o cálice na consagração ouvia o toque da sineta, mas não sabia o que era; na imaginação de criança, eram aqueles objetos que o padre levantava que faziam tal som, pois não via

quem tocava o sino. Acredito que este fato de fé foi o primeiro sinal de Deus para meu despertar para algo a mais na comunidade, porque fiquei curioso em saber daqueles objetos que faziam aquele som. Evidentemente, não tinha consciência clara do que era ser um padre. Até que em 20 de março de 1992, a Paróquia Espírito Santo se tornou paróquia, tendo como primeiro pároco o padre Rinaldo R. Rezende. Daí em diante a comunidade foi se tornando mais viva, mais eficaz, mais acolhedora. E minha vida na comunidade paroquial foi evoluindo. Com o passar dos anos fui percebendo que minha fé me impulsionava para escolher algo a mais na Igreja. No final do ano de 1997 a Pastoral Vocacional da Paróquia me convidou para fazer o retiro Despertar Vocacional da Diocese, ainda hoje promovido pela Diocese. Mas ainda não tinha idade suficiente para ingressar ao seminário, por outro lado não falava ainda em entrar para o seminário. Em 2002, conversando com o padre Edinei, na ocasião assessor diocesano da Pastoral Vocacional e reitor do Seminário de Filosofia, retomei o processo vocacional, ingressando para o seminário no dia 17 de fevereiro de 2003. Sempre acreditei que Deus nos mostra caminhos, pessoas, situações, dificuldades, alegrias, e tantas outras realidades para nos dizer algo. E, não foi diferente comigo. Penso que o primeiro pároco de qualquer paróquia deixa uma marca na comunidade. Na Paróquia Espírito Santo, não foi diferente. Certamente, todo vocacionado tem onde se espelhar seja no fundador de sua Congregação, ou pessoas ou padres que passaram por nossas vidas. Com a chegada do padre Rinaldo na recém paróquia, ele se tornou o ponto referencial para a comunidade. Vendo seu modo de pastor, “pai da comunidade paroquial”, de estar presente na vida da comunidade, sem medir esforços pelos trabalhos pastorais e também por seu estilo empreendedor, me espelhei nele, que me motivou para a entrada no seminário. JE - Conte-nos como foram a vida no seminário, as dificuldades e alegrias. Célio - Adaptei minha vida com a vida do seminário. Digo isso porque o seminário por si tem vida própria, evidente que são seus moradores que o fazem acontecer.

Perfil

Célio Alves Bernardes, 27 anos Natural de São José dos Campos, tendo a Paróquia Espírito Santo, no Jardim Satélite, como sua paróquia de origem. Filho de Lazaro Alves Bernardes (já falecido) e Vicentina dos Santos Bernardes. Tem 4 irmãos: Lucinéia, Lucélio, Lucélia e Gabriela Experiência Pastoral nas Paróquias: Santa Branca, Santa Rita de Cássia, Sant’Ana, Santíssima Trindade. Realizou seu ano pastoral na Paróquia São Benedito (Galo Branco) e atua junto às Pastorais Diocesanas Catequética e PJ (Setor Juventude).

No primeiro ano de seminário, chamado Propedêutico, morei no Jardim Oriente, nosso reitor era o padre Betão e formávamos uma comunidade de nove jovens. Um ano de adaptação, de convivência com o diferente, pois cada um vem de um modo de vida diferente do outro, pode até ser uma dificuldade, mas as alegrias são maiores. Na filosofia, foram meus reitores o padre Edinei e o padre Rogério Augusto. Em 2004, nós morávamos em São José, no Seminário Santa Teresinha, e viajávamos para Taubaté, uma vez que neste ano o curso de filosofia passou a ser em Taubaté. Em 2007 morei em Taubaté onde iniciei o curso de Teologia, o reitor era o padre José Roberto, depois o padre Márcio em 2010. Com o processo de abrir em São José a Faculdade Católica, retornei a morar em São José em 2008, novamente viajando para Taubaté até concluir o curso. Durante estes anos houve mais alegrias do que dificuldades. Não seria dificuldade, mas um desafio pessoal foi os cinco anos de viagens a Taubaté, mas estes anos eram anos de transição do ritmo dos seminários de nossa Diocese, até que hoje em dia no Seminário residem os que estão cursando Teologia e os propedeutas, e em Taubaté residem os que estão cursando Filosofia. Algo que a vida no seminário proporciona é conciliar a vida de seminário com os trabalhos pastorais. JE - Com qual área de trabalho se identifica na Igreja? Célio - Todas as áreas de trabalho de

nossa Igreja são importantes. Porém, existe algo com que nos identificamos mais. Antes mesmo de ir para o seminário gostei dos estudos bíblicos, mas durante a vida no seminário, os estudos, com a escola de Teologia para Leigos de nossa Diocese, comecei a apreciar as áreas de Moral e Ética Cristã. JE – Qual o seu lema presbiteral e qual o significado? Célio - Escolhi como lema de minha Ordenação Presbiteral “Para curar os corações feridos” (Is 61,1d). Certa vez, conversando do nosso saudoso Monsenhor Antonio, ele me disse assim: “a espiritualidade do padre diocesano é o carisma do ‘Bom Pastor’. O povo quer sim, um padre que constrói, que estuda, que reza, etc, mas o povo quer mais, um padre amigo, aquele que anima o povo, está junto com seus paroquianos, caminha com eles, que como o pastor de ovelhas é capaz de curá-las e reconduzi-las ao rebanho, à comunidade”. Sei que não é fácil nos dias de hoje colocar tal lema em prática, ainda mais num mundo relativista, niilista, secularizado, colocar essas palavras em prática. Alguns podem até achar utopia, mas sem a fé ninguém consegue colocar em prática algo de bom em relação ao próximo. No contexto da comunidade de Isaias, o povo está passando por situações complexas de injustiças, falta de solidariedade, de compromisso de fé, de exploração, nos dias de hoje não está tão diferente. Como diria uma professora nossa de Bíblia - “Qualquer semelhança é mera coincidência”.

Este é um pouco do muito que, para mim, significa este lema. JE - Deixe uma mensagem para jovens que pensam em ser sacerdotes. Célio - Acho esquisito quando alguém chega em mim e faz a seguinte pergunta: “Nossa! A vida de padre é difícil, né?! Deve ser bastante difícil”. E eu costumo responder – “Para quem direciona seus sentimentos, seu comportamento para a opção de vida que fez tem uma vida feliz, independentemente das dificuldades e situações diversas que possam surgir”. E, também não faria uma pergunta fazendo de negativo a opção de vida do próximo. Caros jovens, com isso quero deixar a seguinte mensagem – não tenham medo de arriscar, apostar sua vida na vocação de ser padre. Se você sente algo que o impulsiona a servir a Cristo pela sua Igreja, não relute com você mesmo, procure o padre de sua paróquia, ou a Pastoral Vocacional, para participar conosco dos retiros vocacionais - os retiros em que você irá participar não significa que entrará para o seminário -, mas o faça sem medo; é durante sua caminhada vocacional que vai perceber os sinais de Deus em sua vida. Vale a pena arriscar; quem não arrisca dificilmente se arriscará por causas mais nobres. Por fim, convido a todos para participarem comigo de minha Ordenação Sacerdotal; ficarei feliz com sua presença. Um fraterno abraço!


Novembro | EXPRESSÃO | 7

Emissora da Diocese de São José dos Campos completa 18 anos de evangelização e informação Fotos: Alexandre Oliveira

A

Rádio Mensagem é uma emissora da Diocese de São José dos Campos que tem como compromisso a melhor qualidade de vida. Tem como principais objetivos evangelizar, formar e informar as famílias, contribuindo na construção de uma sociedade mais crítica, justa e solidária. No mês de outubro, a emissora realizou a uma série de atividades para mais de 9 mil pessoas em diversos eventos realizados em Jacareí e São José dos Campos, estes eventos reforçam ainda mais a característica deste veiculo de comunicação no Vale do Paraíba, com prestação de serviço, informação, formação e evangelização.

Show pela Vida com a banda Rosa de Saron, apresenta na Obra Social Assistencial Magnificat no bairro do Putim em São Jose dos Campos.

Santa Missa, no Santuário Nossa Senhora do Carmo em Jacareí.

Dia da Cidadania, Pátio dos Trilhos em Jacareí, participação de OAB, PROCON, Cabeleireiro e Teste de Glicemia além programação ao vivo no local.

Baile de aniversário, Luso Brasileiro( Salão Nobre) em São José dos Campos. O baile foi animado pela banda Palace e recebeu mais de 1.200 pessoas .

Alegria de ser dizimista

N

o início de uma maneira muito tímida eu me questionei se estava fazendo a coisa certa, mas acolhi as palavras do Evangelho e resolvi fazer a experiência e tornei-me dizimista em minha Paróquia. Mais tarde comecei a perceber como Deus é bom, com que carinho Ele cuida de mim e da minha família. Saber que tudo que está ao nosso redor foi criado por Deus, que seu imenso amor nos é dado de graça, que

não precisamos devolver nada e que a única coisa que Ele espera de nós é que amemos os nossos irmãos, me fez sentir um pouco mais responsável pela nossa igreja. Partilhar os bens com alegria é viver em plena harmonia com a comunidade, entendendo suas dificuldades e desafios, mas ao mesmo tempo compartilhando das alegrias e conquistas. Hoje eu sei que o dízimo partilhado

em minha Paróquia não fica restrito apenas aos trabalhos realizados na comunidade, ele vai muito além. O Dízimo contribui na manutenção do templo (Dimensão Religiosa), na propagação do Reino de Deus e na formação de novos pastores, (Dimensão Missionária) além do acolhimento e ajuda aos mais necessitados (Dimensão Social). Enfim, a alegria de partilhar o meu Dízimo faz com que eu me sinta vivo,

que eu me sinta um cristão de verdade, trilhando o caminho que foi traçado por Deus. As graças recebidas, o amor aos irmãos e a certeza de que estamos vivendo um amor fraterno me dá a certeza de que fiz a escolha certa ao tornar-me dizimista. Venha você também sentir esta alegria, aceite o convite e faça a experiência de ser dizimista. José Carlos Israel de Souza

Coordenador da Pastoral do Dízimo - Diocese de São José dos Campos Sub-região Aparecida


8 | EXPRESSÃO | Novembro

Missão

Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada completa 75 anos

H

á 75 anos brotava a semente que fora lançada no coração da jovem professora católica, Dulce Rodrigues dos Santos: a Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada. Foi em São José dos Campos, em 8 de novembro de 1936, que nasceu oficialmente a Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, reconhecida e aprovada oficialmente pelo Papa Pio XI. A história começa nos anos 20, quando a cidade era marcada pelo sofrimento dos doentes que vinham buscar tratamento para a tuberculose ou que, simplesmente, eram abandonados à sua própria sorte. Nesse cenário de desalento, a jovem Dulce Rodrigues dos Santos veio tratar-se e, inconformada com a situação dos doentes, iniciou um trabalho humanitário, com o propósito de oferecer dignidade e esperança para essas pessoas. Apesar do corpo delicado e enfermo, uma força interior profunda se escondia nela. Levava aos doentes revistas, jornais, boas leituras, mas, sobretudo, levava-lhes a caridade transbordante de seu coração. Também levava aos doentes,

com o apoio de um sacerdote, a Eucaristia e o conforto dos sacramentos. O trabalho e o idealismo de Dulce chamaram a atenção de Dom Epaminondas Nunes D´Ávila, bispo de Taubaté, diocese da qual São José dos Campos fazia parte, que preocupado com o abandono espiritual em que viviam os doentes, viu ai realização da vontade de Deus e pediu-lhe que escrevesse o que sentia em seu coração para esta obra. Dom Epaminondas deu a ela, inicialmente, uma licença para formar uma associação Religiosa, da qual ele próprio se tornou o orientador, encaminhando o pedido de fundação à Santa Sé. Pedido aceito, era o início da Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, com a missão de promover a glória de Deus, dedicando-se às obras de serviço espiritual e corporal em favor dos doentes, dos pobres, dos mais abandonados, dos anciãos, das crianças, dos adolescentes e dos jovens para que, seguindo Jesus Cristo, todos tenham mais vida e vida em abundância. À sua frente, estava a jovem Dulce agora já consagrada Madre Maria Teresa de Jesus

Arquivo IPMMI

Da esquerda para a direita: Ir. Maria Regina de Morais Leite – Secretária Geral, Ir. Lúcia Bernadete de Maria – 3ª Conselheira, Ir. Lúcia Clotilde de Maria Imaculada – 4ª Conselheira, Ir. Teresa Clotilde de Maria – 2ª Conselheira, Ir. Maria Giovana do Menino Jesus – Vigária Geral e 1ª Conselheira, Ir. Teresa Isabel de Maria Imaculada – Superiora Geral e Ir. Helena Santos Pombo – Ecônoma Geral

Eucarístico. HOJE - A partir de um trabalho inicial com os tuberculosos, as Pequenas Missionárias foram ampliando a sua atuação caritativa, passando a administrar hospitais, creches, abrigos para idosos e pensionatos. Também começaram a promover a assistência a famílias

da zona rural e de comunidades urbanas carentes por meio de visitas ou prestando serviços de caráter pastoral nas Dioceses onde estão instaladas as suas comunidades. Nesses locais, atendem a cerca de 200 idosos e 390 crianças, oferecem cerca de 1.000 leitos hospitalares, realizam anual-

mente uma média de 2 milhões de atendimentos e 7 mil partos. Para melhor servir a todos, a obra conta com o suporte de uma equipe de: 260 religiosas e 3.553 colaboradores LEGADO - Toda esta rede de atendimento social e obra realizada a cada dia, mostra que Madre Maria Teresa de Jesus

A jovem Dulce Rodrigues dos Santos Enfermeiras no início da Obra das Pequenas Missionárias

A alegria como marca da missão

Madre Teresa Isabel atual Superiora Geral


Novembro | EXPRESSÃO | 9

Missão Eucarístico, falecida em 8 de janeiro de 1972, continua viva no coração de cada um, sendo a grande inspiração, a força que move as Irmãs Pequenas Missionárias. Sua presença viva pode ser percebida em cada gesto, em cada atendimento, em cada sorriso, em cada palavra de conforto manifestados por meio de cada Irmã, de cada colaborador, de cada médico. Este ano, em que a Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada está comemorando 75 anos da primeira aprovação da Congregação pela Santa Igreja, tiveram como lema para o Ano Jubilar ‘Eucaristia, nossa força na missão’, como explica Madre Teresa Isabel, superiora geral da Congregação. “O lema nos

O amor é a causa e a finalidade de tudo. Devemos em primeiro lugar amar, em segundo lugar, amar e em terceiro lugar, amar. Tudo por amor e para adquirir o amor. Amor é fazer a vontade do Pai Celeste, é cumprir os próprios deveres, é cumprir todas as obrigações

dá uma profunda gratidão a Deus, e a todos os que durante estes anos nos auxiliaram e foram para nós estímulo, apoio, incentivo, enfim, dádivas do

Uma grande obra missionária Presente em 15 cidades e 4 estados brasileiros e no Distrito Federal e em 4 países - Brasil, Portugal, Itália e Moçambique • Sete hospitais, • Seis abrigos para idosos, • Duas creches e uma escola rural • Centros de formação humana e religiosa, • Pensionatos, • Casas de assistência aos sacerdotes, • Administração de Residências Episcopais • Atuação em Pastorais • e em Missões humanitárias. Presença no Brasil Saúde • Casa de Saúde Stella Maris – Caraguatatuba • Hospital de Caride Luiz Bertolli – Rio do Oeste – SC • Hospital Madre Teresa – Belo Horizonte – MG • Hospital Maternidade Marieta Konder Bornhausen - Itajaí – SC • Hospital Materno-Infantil Antoninho da Rocha Marmo – São José dos Campos • Hospital Pio XII – São José dos Campos – SP • Hospital São Paulo – Campos do Jordão – SP

Assistência Social • Hospital de Caridade Luiz Bertolli – Rio do Oeste – SC • Recanto São João de Deus – São José dos Campos – SP • Sanatório Maria Imaculada São José dos Campos – SP • Residencial Nossa Senhora Rosa Mística – Jambeiro – SP Creches e Escola Rural • Casa Santa Inês - São José dos Campos – SP • Creche Maria Isabel - São José dos Campos – SP • Escola Rural Madre Teresa São José dos Campos – SP Residências Episcopais • Palácio Cristo Rei – Belo Horizonte - MG • Residência Episcopal de Florianópolis - SC • Residência Episcopal de São José dos Campos – SP • Residência Episcopal de Santo André – SP Casas de Oração • Betsaida - São José dos Campos – SP • Cura d’Ars - São José dos Campos – SP • Bom Jesus de Matozinhos – Nova Lima – MG

Amor de Deus. Esperamos continuar contando com o apoio da comunidade para dar continuidade a esta Obra de Deus”, finalizou.

Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico

Sanatório Maria Imaculada São José dos Campos – SP

Processo de Beatificação

O

processo de Beatificação e Canonização de Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico, em nível de Diocese, foi iniciado em 1997, encerrado em 2001. A fase romana foi concluída no final de 2010 e aguarda que a POSITIO sobre a vida e virtudes heróicas da Serva de Deus sejam analisadas pela “Congregação para a Causa dos Santos”, no Vaticano. A Positio, consiste em

um sumário do processo de canonização, tanto da parte testemunhal como da parte documental. Tendo sido concluída em 2010, agora, o Instituto das Pequenas Missionárias aguarda o pronunciamento da Igreja nos passos seguintes da análise de sua vida, de sua santidade e de suas Virtudes Heróicas, informou a Ir. Vera Letícia, uma das colaboradoras externas do Relator

Oração

(Para alcançar graças e pedir a glorificação da Serva de Deus) Senhor, nosso Deus, rico em misericórdia e amor, nós vos agradecemos por terdes suscitado no meio de vosso povo e da Igreja a serva de Deus MADRE MARIA TERESA DE JESUS EUCARISTICO, para que a Eucaristia seja cada vez mais o centro da vida da Igreja, para que os doentes e os pobres sejam atendidos de modo mais humano e com mais amor e para que os sacerdotes tenham sempre a ajuda da oração e o apoio no anúncio do Evangelho. Nós Vos pedimos que – se for da vossa vontade - MADRE MARIA TERESA DE JESUS EUCARISTICO seja um dia glorificada pela Igreja e, por sua intercessão, possamos receber a graça de que tanto precisamos e que com fé vos pedimos... (Pedir a graça). Que todos nós possamos assumir o compromisso de ser missionários e construtores do Reino de Deus. Maria Imaculada, Mãe da Igreja e nossa Mãe, nos acompanhe em todos os momentos de nossa vida! Amém! (Pai Nosso, Ave Maria, Glória) Imprimatur: + Nelson Westrupp, SCJ São José dos Campos, 8 de novembro de 1996 Quem alcançar graças por intercessão da Madre Maria Teresa, favor avisar: Instituto das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada. Rua Major Antonio Domingues, 244 – São José dos Campos – SP – CEP 12245-750 Tel. (12) 3921-3155 - e-mail: secretaria@pequenasmissionarias.org.br

responsável na elaboração da Positio. Nossa postura será sempre de docilidade e respeitosa obediência à Igreja. Iniciamos no Brasil, uma análise de uma Graça Especial e enviaremos à Santa Sé uma “Prévia” de modo que nos digam se podemos ou não abrir um Processo de Milagres. Essa é, porém, uma pesquisa ainda remota no caminho da Beatificação.


10 | EXPRESSÃO | Novembro

Romaria da Juventude

Depoimento

Como foi a Jornada Mundial da Juventude para você?

N

Nós jovens e todo o mundo pudemos constatar que o que move a Igreja católica e quem criou a Jornada Mundial da Juventude não é o Papa e sim o próprio Cristo. Uma pessoa não é capaz de fazer com que tantos jovens passem por tantas dificuldades, penitências, desafios e mesmo assim permaneçam com seus corações irradiados de tanta alegria! Foram sete dias assim! Nada podia parar a nossa alegria. Tomamos banho congelado, dormimos no chão, enfrentamos sol de 44ºC, mas alguém maior do que o Papa nos sustentava. Havia um Deus que derramava uma fonte de alegria e força inesgotável sobre nós! Na noite da Vigília, quando Jesus entrou, e então o Papa com seus dois milhões de peregrinos de mais de 190 diferentes países se ajoelharam e vivenciaram um profundo silêncio, foi o momento mais maravilho que eu já vivi. Todos nós então “fixamos” o olhar em Jesus e adoramos Jesus da mesma forma, todos em um só coração! Nesta mesma noite, caiu uma forte chuva, então o Papa profetizou sobre a vida dos jovens, dizendo que uma chuva de bênçãos cairia sobre nossas vidas. Havia 5 anos que eu tinha bulimia, mas somente há 10 meses que havia iniciado meu tratamento com o médico e psicólogo. O remédio que eu tomava acabou no período em que eu estava na JMJ, então quando o Papa fez a profecia na vigília, eu acreditei que Jesus estava me curando e que não precisaria mais daquele remédio, mesmo que o médico já tivesse me dito que meu tratamento levaria no mínimo 2 anos. Ao chegar no Brasil, meu médico ficou surpreso com o fato de meu remédio ter acabado e eu estar bem, então ele confirmou que não precisava mais tomar o remédio. Desde

Romarias de todas as partes do Brasil movimentam o Santuário Nacional ao longo ao ano. A juventude também se faz presente na Casa da Mãe. Os jovens estão no coração da Igreja. Atendendo a uma necessidade da Igreja no mundo, o Santuário Nacional de Aparecida acolhe nos dias 14 e 15 de novembro centenas de jovens de todas as partes do Brasil para a 3ª Romaria Nacional da Juventude. A Pastoral do Santuário programou atividades direcionadas para a juventude como uma vigília de oração na noite do dia 14 de novembro e a pa-

lestra e show com padre Fábio de Melo no dia 15. Os jovens também participam de uma celebração especial, presidida pelo Cardeal arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis. A Romaria da Juventude nasceu de um pedido da Igreja do Brasil, que brota no documento 85 da CNBB. Em virtude da Jornada Mundial da Juventude de 2013, que será realizada no Brasil, o Santuário Nacional e os jovens presentes acolherão os dois maiores símbolos das Jornadas: A Cruz dos Jovens e o ícone de Nossa Senhora. Fonte: www.a12.com.br

Programação Dia 14/11 (segunda-feira) – Acolhida da Cruz da JMJ 19h - Concentração na Praça da Catedral em Guaratinguetá 20h - Caminhada em Procissão com a Cruz até o Santuário Nacional 22h30 - Chegada ao Santuário Nacional e acolhida 23h - Início da Vigília o início do ano estou curada da bulimia e desde a JMJ não tomo mais remédio e a cura se concretizou. A médica que me acompanha desde o ano passado está estudando o meu caso, pois houve um “record” nesta área da medicina. Neste estudo, não há como não haver uma explicação que Jesus Cristo é o Senhor! Naquela noite da vigília, eu vivenciei um milagre, junto do Papa Bento XVI e meus irmãos peregrinos em Cristo! Que todo joelho se dobre diante de Jesus!

Dia 15/11 (terça-feira) 5h - Encerramento da Vigília 8h - TERÇO DE APARECIDA ao vivo, do Altar Central 9h - Palestra do Pe. Fábio de Melo ao vivo, do Altar Central 10h30 - MISSA DE APARECIDA ao vivo, do Altar Central 13h - Animação na tribuna Papa Bento XVI 14h - Saída do Devotão até a tribuna Dom Aloísio 15h - Show Banda Versículos de Fé, ao vivo, da tribuna Dom Aloísio 16h - Show do Pe. Fábio de Melo

Teresa Raquel

Paróquia Sagrada Família - Ministério Jovem RCC

Comemorações dos 30 anos da PJ

A

Pastoral da Juventude (PJ) está fazendo 30 anos em nossa Diocese no dia 18 de novembro haverá a festa dos 30 anos no Salão dos Vicentinos (Rua Sebastião Humel, 728 – Centro – SJC). Os ingressos custam R$15,00 e podem ser adquiridos com a Comissão Diocesana ou pelo e-mail comunicação@pjsjc. com.br. “São momentos que nos fazem celebrar e partilhar a vida de nossa pastoral que há 30 anos vem escrevendo sua história nas ‘Páginas de um livro bom’ com toda a alegria que vem desta juventude!”, partilhou os membros da Comissão Diocesana da PJ.

Oração de 30 anos da PJ da Diocese de São José dos Campos Oh Deus! Vivenciando o hoje, nos deparamos com o passado. Passado esse que deixou claro que esta Pastoral é feita por cada jovem que passou, passa e passará, deixando um pouco de si e levando um pouco de ti Senhor! Assim encontramos mais que desejos e sonhos em busca da “Civilização do Amor”. São lembranças que nos fortalecem no presente. Então nos unimos em eterna gratidão por celebrarmos esses 30 anos de Pastoral da Juventude, conquista que está gravada nas páginas de um livro bom e sem final, pronto para ser escrito por outros jovens no futuro! Obrigado Senhor por todos esses felizes momentos. Mãe Maria cheia de amor com esta juventude ajuda-nos a servir e fazer tudo aquilo que o mestre nos disser. Amém, axé, awere, aleluia.


Novembro | EXPRESSÃO | 11

Assembleia das Igrejas do Regional Sul 1

PASCOM

Pastoral da Comunicação promove formação para agentes A Pastoral da Comunicação da Diocese de São José dos Campos realizou no dia 9 de outubro, na UNIVAP do Jd. Aquárius, o evento de formação, intitulado “Fala PASCOM”, para comunicadores, agentes de pastorais e movimentos que atuam nas paróquias. Participaram 110 pessoas. O e ve n to começou na parte da manhã com a Celebração Eucarística presidida pelo Pe. Edinei Evaldo Batista, coordenador diocesano de pastoral e assessor diocesano da PASCOM. Dom Moacir Silva prestigiou o Encontro faAgentes da Pascom zendo uma rápida passagem e desejando a todos um dia frutuoso. O publicitário Rodrigo Huppert abriu o evento com a palestra sobre “Internet e mídias de massa”. Em seguida, os participantes se dividiram

para as oficinas já escolhidas no ato da inscrição. Destaque também para a participação da irmã Helena Corazza, do SEPAC (Serviço de Apoio a Pastoral da Comunicação) que se dedicou a oficina de PASCOM, classificada pelos participantes como

cinas de Fotografia, Produção de Vídeo, Jornal, Organização de Eventos, Evangelização com Crianças, PASCOM, Igreja e Comunicação e A Comunicação na Liturgia. “O encontro foi muito proveitoso, pois tratou de temas Pedro Luvizotto

“obrigatória” para todos que atuam nesta pastoral. Oportunidade para rever conceitos, obter dicas e aprender novas práticas, as oficinas foram variadas. Profissionais e estudiosos ministraram as ofi-

atuais e também pudemos nos aprofundar nos conhecimentos que consideramos mais importantes no nosso campo de ação dentro da Pastoral”, enfatizou Luis Daniel da Silva, da Paróquia Nossa Senhora de Fátima.

Paróquia Nossa Senhora Aparecida

Maria Bernadete Mota (CEBS)

A Diocese de São José dos Campos ganhou mais uma paróquia no dia 12 de outubro, ela fica no Parque Interlagos, na Zona Sul de São José dos Campos. Dedicada à Nossa Senhora Aparecida, a Paróquia tem como seu primeiro Pároco o Padre Alexsandro de Brito Ramos (esquerda).

A 33ª Assembleia das Igrejas do Regional Sul 1 – CNBB aconteceu de 14 a 16 de outubro em Itaici e aponta as seguintes pistas comuns de ação, a partir da rica experiência de partilha e de reflexão realizadas. As pistas são apresentadas na ordem de preferência dos grupos, e relacionadas com as urgências apontadas nas DGAE: 1 - Missionariedade Na linha da primeira urgência das DGAE, uma Igreja em estado permanente de missão, a Assembléia ressalta o valor indispensável do testemunho da comunidade eclesial, com atenção às seguintes ações concretas: • Presença eclesial junto a grupos humanos, juventude, profissionais liberais e condomínios • Ecumenismo e diálogo inter-religioso • Santas Missões Populares, Sistema Integral de Nova Evangelização • Projeto igrejas-Irmãs • Projeto Missionário Sul 1 – Norte 1 2 - Palavra de Deus Na linha da terceira urgência das DGAE, Igreja: lugar de animação bíblica da vida e da pastoral, a Assembléia ressalta a necessidade de valorizar a Palavra de Deus, as suas diversas formas de proclamação, e a formação, com as seguintes indicações práticas: • Círculos Bíblicos, CEBs, Grupos de Reflexão, Grupos de Estudo – Escola da Palavra/Fé • Criação de subsídios • Leitura Orante/ Lectio Divina/Oficio Divino • Formação de Ministros da Palavra • Incentivar o I Simpósio da Animação Bíblica, previsto para setembro de 2012 3 - Iniciação à Vida Cristã Na linha da segunda urgência das DGAE, Igreja: casa de iniciação à vida cristã, a Assembleia ressalta a necessidade de construir comunidades fraternas e acolhedoras, que cuidem com atenção especial de: • Processos de iniciação cristã, com uma catequese de inspiração catecumenal, acentuando o aspecto celebrativo, em dinâmica permanente de encantamento pelo Cristo e pelo Reino. • Catequese permanente/ Mistagogica • Retiros Querigmáticos • Formação de leigos e leigas

• Formação dos seminaristas, presbíteros e Coordenadores Diocesanos de Pastoral 4 - Setorização e a Renovação das Paróquias Na linha da quarta urgência das DGAE, a Assembleia ressalta a necessidade de renovação das paróquias, para que sejam expressões da “Igreja: comunidade de comunidades”, apontando as seguintes ações concretas: • Pastoral Orgânica e de Conjunto • Setorização • CEBs, pequenas comunidades, Grupos de rua • Ministérios confiados a leigos e leigas • Estruturas de Comunhão - Conselhos (Pastoral, Econômico, Leigos...) • Pastoral da Acolhida 5 - Juventude A Assembleia deu um destaque especial à juventude, ressaltando a necessidade de retomar a evangelização da juventude, com as seguintes indicações concretas: • Organizar e animar o Setor Juventude, repensando as estruturas do trabalho com jovens, tendo como referência o Doc. 85 da CNBB • Garantir o espaço para os jovens nas comunidades como sujeitos da missão evangelizadora • Missões jovens • Atividades nas escolas e universidades • Investir na oportunidade da Jornada Mundial da Juventude (JMJ 2013) 6 - Pastoral Social Na linha da quinta urgência das DGAE, Igreja a serviço da vida plena para todos, a Assembleia deu destaque especial à defesa da dignidade humana e às pastorais sociais, indicando as seguintes ações concretas: • Pastoral Familiar • Pastoral da Ecologia: Educar para a preservação da natureza e para a ecologia humana • Pastoral social e política dos cristãos (Participação nos Conselhos Municipais) • Pastoral Universitária/Educação • Pastoral da Comunicação: dinamizar a PASCOM para desencadear um processo de comunicação interna (gerando comunhão nas pastorais) e externa (marcando presença nos espaços de decisão) • Formação na Doutrina Social da Igreja • 5ª Semana Social Brasileira


12 | EXPRESSÃO | Novembro

Entrevista

U

m dos requisitos básicos para ser ordenado padre é estudar filosofia e teologia. É necessário um grande período de estudos até a Ordenação. Para exercer o Ministério Presbiteral, porém, o estudo é uma constante. Muitos padres da Diocese de São José dos Campos já deixaram o país para estudar e poder se dedicar melhor a seu ministério aqui, graças à Organização alemã Adveniat, que está completando 50 anos de fundação. Esta organização, que muito tem ajudado a custear o estudo de nossos padres realiza uma coleta na Alemanha e o que é arrecadado é partilhado com as dioceses mais carentes, para custear projetos pastorais e estudos de especialização de padres ou leigos. O Jornal Expressão entrevistou o Padre Paulo Renato F. G. de Campos, um dos beneficiados pela Adveniat, que está desde agosto de 2010 fazendo Licenza (mestrado) em Teologia Fundamental, na Pontifícia Universidade Gregoriana, com previsão de terminar em julho de 2012. Morando no Colégio Pio Brasileiro, em Roma, Padre Paulo Renato contou um pouco como e seu dia-a-dia de estudante. Jornal Expressão - Como foi o processo de escolha do curso que o senhor está fazendo? Padre Paulo Renato - Desde os últimos anos de seminário que meus formadores, professores e o nosso bispo na época, Dom Nelson, me diziam que deveria prosseguir meus estudos. Mas como Deus é quem comanda nossa vida, foram aparecendo exigências imediatas que direcionaram minha disponibilidade para outras áreas de atuação, em nível paroquial e mesmo diocesana. Estas exigências me impediram, momentaneamente, de continuar estudando academicamente nos meus primeiros anos de ministério sacerdotal. Hoje, percebo o carinho de Deus em tudo isso, pois com mais maturidade posso viver essa experiência com maior tranquilidade e tirar dela muito mais proveito para minha vida e de nossa Igreja. Eu sempre fui uma pessoa de buscar razões que justificassem minha opção de Fé e os acontecimentos ao meu redor. Dei aula por 7 anos de “introdução a teologia” no curso de teologia para leigos de nossa diocese, que de certa forma contempla essa dimensão. O papa João Paulo II escreveu uma encíclica em 1998

Padre Paulo Renato, Padre Francisco Alexandre e Padre Ademir estão em estudos em Roma

De Roma, Padre Paulo Renato que trata justamente das relações entre a Fé e a Razão – Fides et Ratio – o que fez desenvolver um novo campo da teologia que vinha ganhando força desde o Concílio Vaticano II, que é a Teologia Fundamental, o curso que estou fazendo. JE - E qual a finalidade? Por que o senhor escolheu aprofundar-se nessa matéria? Padre Paulo Renato - Nas palavras de um grande professor daqui da universidade, Salvador Pié-Ninot: “A Teologia Fundamental deve mostrar a íntima compatibilidade entre a fé e sua exigência fundamental de ser explicitada mediante uma razão capaz de acolhê-la com liberdade”. Em outras palavras, a teologia fundamental deve responder ao chamado da Carta de Pedro de estarmos sempre prontos para dar razões de nossas esperanças (1Pe 3,15). A Fé não pode ser algo irracional, para pessoas que decidiram não pensar mais e simplesmente acreditar. Responder aos questionamentos que, principalmente, o mundo de hoje apresenta a nossa Fé, guiado sempre pelo fundamento do cristianismo – a Revelação e sua acolhida por parte do homem – é tarefa “fundamental” desenvolvida pela Teologia Fundamental. JE - Como é o ambiente do local onde o senhor está estudando? Quem são seus “colegas” de classe? Quem são os profes-

sores? Quais as matérias que o senhor tem? Padre Paulo Renato - A Universidade Gregoriana é um mundo. Foi fundada em 1551 por Santo Inácio de Loyola, são mais ou menos 2900 estudantes entre padres, seminaristas, religiosos, religiosas, leigos e leigas de aproximadamente 130 países diferentes, somados a 400 professores de 50 nacionalidades diversas. A Biblioteca tem cerca de 900 mil volumes, uma das melhores bibliotecas de teologia do mundo, é o coração da universidade. Aqui estudaram 16 Papas, entre eles Paulo VI. Até agora, passaram como ex-alunos 46 beatos e 21 santos. Um terço dos bispos do mundo são ex-alunos da Gregoriana e mais da metade do colégio de cardeais também. É

um privilegio estudar aqui! Meus professores são altamente qualificados. Curso diversas matérias ligadas ao diálogo mundo – teologia – cultura – contemporaneidade... Tenho professores de nacionalidade irlandesa, italiana, indiana, espanhola... Uma diversidade que só enriquece. Os colegas de classe seguem a mesma descrição e essa troca de experiência é um ganho particular de estudar aqui. JE - Quais foram as maiores dificuldades que o senhor encontrou? Padre Paulo Renato Não escondo que a maior dificuldade foi a saudade da minha família e de meus amigos. Adaptar-se aqui também foi um grande desafio, a minha rotina agitada de São José dos Campos mudou completamente. No inicio a língua também assustou... JE - E as alegrias? Padre Paulo Renato - Estar aqui já é uma grande alegria. As oportunidades de estudo, a proximidade com a sede da Igreja, a cidade de Roma e sua história... Não posso deixar de citar particularmente a nomeação de Dom Damasceno, arcebispo de Aparecida, como cardeal e a honra que ele me concedeu convidando-me para acompanhá-lo como seu secretário para aquela ocasião. Uma experiência inesquecível! JE - Além dos estudos, quais outras atividades o senhor reali-

za em Roma? Padre Paulo Renato - Todos os alunos recebem a oportunidade de ajudar em uma paróquia por ocasião do Natal e Semana Santa. Importante para manter um contato com o povo de Deus celebrando a missa nas comunidades e atendendo confissões. Como tudo isso também deve ser feito em italiano é também um tempo rico para aperfeiçoar a língua. JE - Conte um fato marcante ocorrido neste período em que está morando aí. Padre Paulo Renato - Algumas pessoas já sabem, mas meu pai ficou gravemente doente. Agora, graças a Deus e à oração de todos e todas, que eu não canso de agradecer, ele está bem. Essa situação me fez pegar um avião depois de uma aula na sexta-feira às 21h, chegar ao Brasil no sábado às 9h00, ficar no hospital com meu pai até domingo às 12h, pegar um avião de volta a Roma e assistir aula na segunda-feira às 16h. Nem a São José dos Campos eu fui! Depois de ministrar a unção dos enfermos a meu pai e deixálo no hospital, em São Paulo, para retornar a Roma e continuar meus estudos, pude sentir, verdadeiramente, o carinho de Deus na minha vida. Meu pai estava em estado grave, deveria ser operado em breve, como foi, e eu tinha certeza de que Deus estava cuidando de tudo, independentemente do desenrolar das coisas. Voltei – na medida do possível – tranquilo. Carinho de Deus, evidente, também na solidariedade dos amigos e amigas. JE - Fique à vontade para comentar algo mais que achar relevante. Padre Paulo Renato - Gostaria de terminar agradecendo. Primeiramente a Dom Moacir e Dom Nelson pelo incentivo para continuar meus estudos e principalmente pelo carinho com minha família por ocasião da doença de meu pai. Aos padres que mantêm contato e assim ajudam a aliviar a saudade, particularmente aqui quero nominar os mais presentes: Pe. José Roberto e Pe. Rogério Augusto. Aos amigos e amigas, na pessoa do Roberto, meu irmão, que tem sido a minha presença junta a minha família e também junto a minhas responsabilidades burocráticas no Brasil. A todos e todas, Deus lhes pague! Continuem rezando e, se Deus quiser, nos encontraremos em breve!


Novembro | EXPRESSÃO | 13

Curso de Noivos para estrangeiros A Pastoral dos Estrangeiros realizou no dia 23 de outubro o curso de noivos em Inglês para estrangeiros. O evento aconteceu na Paróquia Espírito Santo e teve a participação de dois casais. A Pastoral trabalha com estrangeiros que moram em São José dos Campos dando suporte às necessidades espirituais e também acolhendo os brasileiros que gostam da língua Inglesa oferecendo: catequese para o batismo, primeira comunhão e crisma para crianças, jovens e adultos; preparação de cursos de acólitos; curso de batismo e cerimônia;

curso de noivos e casamentos. As missas em Inglês acontecem aos domingos, às 12h, no Santuário da Paróquia Espírito Santo. Quem desejar participar

Paróquia Espírito Santo

da Pastoral dos Estrangeiros, pode entrar em contato com a coordenadora da pastoral, Sueli Oliveira pelo e-mail sue_lya@ yahoo.com.br .

Encontro de Namorados No dia 15 de outubro aconteceu o Encontro de Namorados da Paróquia Sagrada Família, com o tema: “Decida-se pelo lado de cá.” O evento organizado pelo Núcleo de Namorados da Pastoral Familiar, embora tradicional, teve uma característica inédita: ocorreu durante a noite e adentrou a madrugada de domingo. Segundo Elaine Ferreira, coordenadora do núcleo, os 28 casais participantes tiveram

oportunidade de perceber que a vida é feita de escolhas “ Os casais, aos poucos, percebem que Deus, ao longo do caminho do namoro, coloca muitas placas de sinalização com a direção para se ter um namoro cristão.Basta ficar atentos. Entretanto, cada casal tem a liberdade de escolher o caminho que quer percorrer. “ O encontro foi recheado de dinâmicas, animação musical, descontração, momentos de reflexão em casal e em grupo e

Dia do médico

também a Adoração ao Santíssimo conduzida por Pe André Torres, pároco que os levou à reflexão de que é possível decidir-se pelo lado de cá se fizerem a escolha certa. O retorno dos participantes foi positivo. “A maioria dos casais solicitou que o encontro se estendesse para dois dias!”, comenta José Fernandes, um dos coordenadores. Elaine e José

Coordenadores do Núcleo de Namorados Pastoral Familiar Paróquia Sagrada Família

Pascom – Catedral São Dimas

O Grupo de Médicos Católicos “São Lucas” celebrou o Dia do Médico em duas missas. No dia 18 de outubro a celebração foi na Catedral São Dimas, em São José dos Campos e no dia 23 de outubro foi na Matriz Imaculada Conceição, em Jacareí. As celebrações foram marcadas pela presença de profissionais que fazem parte do grupo e por novos colegas que ainda não conheciam o trabalho. A comunidade também teve a oportunidade de rezar por todos os médicos que atuam na Diocese.

Liturgia em destaque

N

a reunião geral do Clero, realizada no dia 13 de setembro, D. Moacir refletiu com os presentes sobre as mudanças na Instrução Geral sobre o Missal Romano, publicadas em 2000, mas ainda não totalmente assimiladas por todos os responsáveis pela liturgia. Ele tratou do capítulo II (Estrutura, elementos e partes da missa), destacando o que diz respeito diretamente aos padres e diáconos. Publicamos abaixo alguns trechos dessa reflexão para fazer chegar a todos aquilo que favorece uma maior comunhão e melhor compreensão da liturgia no ato de celebrar a Eucaristia. Os textos próprios de cada missa devem ser tomados de acordo com as orientações litúrgicas, lembrando sempre que os domingos, mesmo no tempo comum, tem precedência sobre outras categorias de celebrações. Para os casos de celebrações da Crisma, sendo tempo comum, pode-se tomar os textos da missa própria para este sacramento, isto é, a missa ritual da Crisma, inclusive as leituras propostas pelo ritual da Confirmação e usando-se paramentos vermelhos. Nos Domingos do Advento, Quaresma, Páscoa e nas Solenidades celebra-se sempre a missa do dia. Nas celebrações das festas dos padroeiros, observe-se a tabela proposta pelo missal para estes casos. Quando a categoria da celebração do santo festejado não se sobrepõe nem ao domingo do tempo comum, usa-se a missa do dia, com paramentos brancos ou vermelhos (caso o santo seja um mártir). O silêncio sagrado deve ser observado como parte da celebração, antes do seu início (na sacristia e lugares próximos) e durante a mesma (no ato penitencial, após o convite à oração, após as leituras e a homilia e após a comunhão). Quando a procissão de entrada chega ao presbitério, o padre, o diácono e os ministros saúdam o altar com uma inclinação profunda. Quando existe uma cruz fixa no presbitério, a cruz processional é guardada na sacristia ou em outro lugar conveniente. Quando não há cruz no prebistério, a cruz processional permaneça no lugar para ela preparado. Na cruz, seja fixa ou móvel, deve haver sempre a imagem do

crucificado. Se a cruz é fixa, é incensada primeiro e depois dela o altar. Se a cruz é móvel, mas está sobre ou próxima do altar também é incensada antes. Sendo móvel e estando longe do altar, incensase primeiro o altar e a cruz é incensada quando o presidente da celebração passar perto dela. Após o ato penitencial (rezado ou cantado), inicia-se sempre o Senhor tende piedade, a não ser que já tenha sido rezado ou cantado no próprio ato penitencial. No hino do Glória a Igreja, congregada pelo Espírito Santo, glorifica e suplica a Deus Pai e ao Cordeiro. Portanto, não é um hino trinitário e seu texto não pode ser substituído por outro que não possua o mesmo conteúdo do texto oficial. Quando se trata de concelebração com a presença do diácono, este pede a bênção para proclamar o Evangelho, tanto ao bispo quanto ao padre que preside a missa. Se ao bispo, de joelhos, se ao padre, de pé. Quando é concelebração presidida pelo bispo sem a presença de diácono, o padre que proclama o Evangelho também pede a bênção ao bispo, mas de pé. Quando for concelebração somente com a presença de padres, quem vai proclamar o Evangelho não pede a bênção para o presidente. Quando a missa é presidida pelo bispo, quem proclama o Evangelho (padre ou diácono) leva sempre o Evangeliário para o bispo beijar. Após a proclamação do Evangelho não se deve levantar o Evangeliário para ser aplaudido. A preparação dos cálices para comunhão sob duas espécies deve ser feita na sacristia, deixando para ser preparado no altar apenas o cálice principal da missa que, junto com a patena deve estar em destaque, no centro do altar e sem nada à sua frente. Onde há o costume da comunhão sob duas espécies, cuide-se para não retirar do altar os cálices e âmbulas antes da conclusão da oração eucarística. Se por razões de praticidade isso for feito, o seja após a doxologia final (Por Cristo...). Nas próximas reuniões gerais do clero D. Moacir continuará falando sobre a Instrução Geral sobre o Missal Romano e o Jornal Expressão trará os destaques dessa reflexão.


14 | EXPRESSテグ | Novembro


Novembro | EXPRESSÃO | 15

Mediação de Conflitos Reaprendendo a viver em sociedade

R

ecentemente o Comando de Policiamento do Interior - 1 realizou um estudo sobre os impactos que ocorrências de Perturbação do Sossego e de Desinteligência exercem na atividade policial militar da região do Cone Leste Paulista que compreende cidades do Vale do Paraíba Paulista, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira. Perturbação do Sossego compreende a ocorrência que está prevista no artigo 42 da Lei das Contravenções Penais e tem uma pena de 15 dias a 3 meses de prisão simples, ou multa. A conduta penalizada pela lei é: perturbar alguém, o trabalho ou o sossego (tranqüilidade, paz ou descanso) alheios com gritaria, instrumentos sonoros, profissão incômoda ou não procurando impedir o barulho. Já a desinteligência consiste na falta de acordo, de compreensão entre as partes (é um desentendimento, um divergência, uma inimiza-

Comando de Policiamento do Interior -1 conversa com a comunidade sobre mediação de conflitos

de), sem configurar crime, no entanto. Segundo o levantamento, durante o 1º semestre de 2011, foram geradas 48.347 ocorrências no COPOM - São José dos Campos (média/mês). Dessas ocorrências, 13.230 foram de Perturbação do Sossego ou de Desinteligência, o que representa uma média diária de 74 ocorrências

dessas naturezas. Considerando que para o atendimento dessas ocorrências uma viatura (geralmente com dois policiais militares) fica empenhada em média 1hora; e considerando que segundo a tabela utilizada pelo Estado de São Paulo para o cálculo do custo de um policial militar em evento é de 1UFESP por

Aniversário de casamento do senhor Afonso e dona Maria Em clima de festa e com muita alegria celebramos durante a novena de Santa Terezinha, no dia 29 de setembro, os 69 anos de casados do Senhor Afonso e da Dona Maria, juntamente com seus 11 filhos, familiares e amigos principalmente da paróquia Santa Terezinha onde o casal participa e São Dimas. Entre os 11 filhos do senhor Afonso e dona Maria estão alguns bem conhecidos na diocese como o diácono Paulo Camargo, a ex vereadora e ministra da comunhão Flávia Camargo, o também ministro da comunhão e cantor Sérgio Camargo, entre outros igualmente engajados em movimentos e pastorais da igreja. Durante a missa celebrada pelo padre Rinaldo e concelebrada pelo padre Fábio o casal recebeu a bênção, momento muito emocionante em que o senhor Afonso, hoje com 89 anos, declamou e cantou para dona Maria, arrancando aplausos e lágrimas

dos presentes na celebração. “Meus pais sempre foram para nós exemplo de fé, amor e determinação. A palavra de Deus, a oração diária do terço, a participação fervorosa na missa e nos sacramentos, nos ensinaram a também buscar em Deus o sentido para nossas vidas. Foi com certeza o testemunho deles que fez com que hoje todos nós seus filhos estejamos engajados nas

pastorais e movimentos da igreja” nos disse Flávia Camargo ao final da celebração. Com certeza este foi para nós um momento de grande graça, pois ao comemorarem 69 anos de união, senhor Afonso e dona Maria mostraram a todos que é possível construir um lar cristão e um casamento indissolúvel, basta que o alicerce seja Deus e que a fonte do amor conjugal seja a eucaristia.

período de até seis horas (a UFESP de 30 de setembro de 2011 era R$16,82); podemos concluir que o atendimento dessas ocorrências representa para os cofres públicos os seguintes valores: R$ 2.592,96 (dia), R$ 77.788,80 (mês) e R$ 466.732,80 (semestre). Dessa análise é possível depreender o quanto, em termos de valores e de

horas trabalhadas, poderia ser empregado dos ativos da Polícia Militar em ações de polícia ostensiva preventiva, prevenindo-se o cometimento de delitos, assim como atuando na retirada de armas, drogas e procurados pela Justiça do seio da sociedade. Todos esses motivos levaram o Comando de Policiamento do Interior

-1 a fazer uma análise mais detalhada do assunto “Mediação de Conflitos” que tem por objetivo a transformação do padrão de comunicação e relacionamento dos envolvidos visando o entendimento. Essa mediação tem tido uma repercussões positivas que poderá desencadear durante o planejamento do policiamento preventivo ostensivo realizado pela Polícia Militar, motivaram o Comando do Policiamento do Interior - 1 a iniciar um ciclo de palestras sobre o tema com membros da comunidade da região do Cone Leste Paulista. Algumas reuniões já foram realizadas, incluído uma com a Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos. O próximo passo será aguardar o retorno das áreas que demonstrarem interesse em desenvolverem o projeto, escolher voluntários e capacitá-los para atuarem como mediadores. Fonte: Informativo Cone Leste Paulista

Saúde Pública é tema de encontra da CF em Itaici Cerca de 20 representantes da Diocese de São José dos Campos participaram do Encontro Estadual da Campanha da Fraternidade (CF) 2012, de 21 a 23 de outubro, no Mosteiro de Itaici, em Indaiatuba (SP). O tema da CF do ano que vem é Fraternidade e Saúde Pública – “Que a saúde se difunda sobre a terra” (Eclo 38,8). A apresentação do encontro aconteceu por eixos temáticos, divididos em saúde pública, qualidade de vida e realidade sócio-pastoral. O evento serviu de preparação dos agentes motivadores da CF e envolvimento dos regionais com o tema, para iniciar o processo de planejamento para o período de campanha, de estudo do tema e conhecimento dos subsídios e possibilidades de gesto concreto. Para o coordenador diocesano da CF, José Luís Nunes, a

Lideranças da Campanha da Fraternidade da Diocese presentes no encontro em Itaici

participação neste encontro reforçou a proposta de compromisso de todas as pessoas com o tema. “É muito amplo, pois envolve a relação médico-paciente, o lado ético, as políticas públicas, além da espiritualidade”. Os 253 representantes da CF presentes no evento são membros das dioceses paulistas que compõem o Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

(CNBB). “Se cada participante tiver uma iniciativa, a saúde já começa a se difundir”, disse o secretário executivo da CF no Regional, Toninho Evangelista. Está agendado para o dia 27 de novembro o encontro da Sub-Região de Aparecida para discutir o tema da CF 2012. O evento será em São José dos Campos, durante todo dia, ainda com local a ser definido.


16 | EXPRESSÃO | Novembro

Espaço do leitor

Aniversariante

Escreva para o Jornal Expressão e participe! Você pode ganhar um lindo presente se a sua resposta for selecionada. Para participar basta enviar sua carta ou e-mail com a resposta da pergunta deste mês. Escreva para nós e ganhe os prêmios abaixo. Responda à questão e envie sua carta ou e-mail:

Pergunta do mês: “Cada um dê conforme decidir o seu coração sem pena ou constrangimento, porque Deus ama quem dá com alegria”. Em qual livro, capítulo e versículo da Bíblia se encontra essa passagem? Envie sua resposta até o dia 20 de novembro. Espaço do Leitor/Jornal Expressão. Pça. Mons. Ascânio Brandão, 01 CEP 12245-440 - São José dos Campos – SP. Ou pelo e-mail: jexpress@diocesesjc.org.br. Na sua mensagem por e-mail ou na carta, informe seu nome completo, endereço e paróquia onde participa. Pergunta anterior: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova a toda criatura”. Em qual livro, capítulo e versículo da Bíblia se encontra essa passagem? Resposta: A passagem se encontra no Evangelho de Marcos, capitulo 16, versículo 15. Ganhador do mês: Marcia Aparecida do Prado Faria Paróquia Santana - Capela Imaculada Conceição.

PHN - 12 histórias de amor Gabriel Chalita

(O brinde deve ser retirado na Cúria Diocesana, com Ana Lúcia, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira,– Pça. Monsenhor Ascânio Brandão, 1 – Jd. São Dimas – SJCampos - Tel.: 3928-3911)

Natalícios 1 Pe. José Francisco Schmitt 1 Diác. João dos Santos de Souza 6 Pe. Thiago Domiciano Dias 8 Pe. Nilton Mariano de Souza Filho 15 Diác. Benedito Petronilho 17 Diác. Hélio Lemos da Rocha 18 Pe. Djalma Lopes de Siqueira 21 Pe. Rogério Félix Machado 21 Pe. Carlos Raimundo Barbosa 23 Diác. Nelson Albino Thomaz 24 Frei José Antônio Flesch 26 Diác. Sebastião Celso Ramos 27 Diác. João Sabino Soares Junior Ordenação 4 1949 23 1996 24 1994 26 1988 29 1987 30 1991

Pe. Luiz Gonzaga de Mello Camargo Pe. Edinei Evaldo Batista Diác. José Aparecido Oliveira Pe. José Tadeu Silva Ferreira, svd Pe. Marcos Antonio Araújo Pe. Mário Lúcio Adrião

Jornal Expressão - novembro de 2011  

PEQUENAS MISSIONÁRIAS: 75 anos a serviço do Reino! ::Palavra do Pastor:: Dom Moacir Silva relata comoocorreu a Assembleiadas Igrejas realiza...