Issuu on Google+

em

DIOCESE

AÇÃO

Publicação da Diocese de Campo Limpo, São Paulo - SP Edição 08 - Dezembro/Janeiro 2013/2014. Distribuição interna e gratuita.

N

Coragem, levanta-te e anda

em a chuva atrapalhou a realização da 23ª Assembleia Diocesana de Campo Limpo, realizada no dia 23 de novembro nas instalações do Colégio Santo Américo, zona sul da capital paulista. Cerca de 700 pessoas chegaram cedo para acompanhar as atividades programadas. Logo na recepção os inscritos receberam uma pasta com a programação da Assembleia, um Guia diocesano Sócio-caritativo, um livro “Raízes bíblicas do Creio niceno-constantinopolitano”, escrito pelo padre José Bortolini. A Assembleia desse ano teve como tema: “Fé e caridade a serviço da evangelização” e lema: “A fé sem obras é morta (cf. Tg 2,17)”, celebrando o Ministério da Caridade e em consonância com o desenvolvimento do 5º Plano Diocesano de Evangelização. Após a introdução da Assembleia, feita por Mons. João Batista, Pe. Jaime Crowe falou sobre “A realidade diocesana, recordando que nos últimos 25 anos “a Diocese de Campo Limpo colheu muitos frutos positivos na área social graças ao empenho histórico nas décadas passadas, quando ainda era Região Episcopal de Itapecerica da Serra, pertencente à Arquidiocese de São Paulo”.

Falou-nos ainda sobre a forte explosão demográfica vivida na região, principalmente a partir do final da década de 1960 e de maneira mais intensa entre as décadas de 70 e 80. “As cidades da região e também suas periferias cresceram de forma desordenada, sem um planejamento e acompanhamento pelos órgãos públicos, provocando diversas carências sociais nas áreas de saúde, moradia, segurança e trabalho”. O presidente da Caritas Diocesana Pe. Reinaldo S. Akagui apresentou o resultado sobre os serviços sócio-caritativos realizados pelas paróquias e organismos, pastorais, movimentos e associações diocesanas, além da própria Caritas. A principal missão da Caritas é “defender, resga-

tar, promover a vida, trabalhando com pessoas em situação de exclusão nos planos: social, cultural, econômico e religioso e contribui na construção de alternativas para que todos tenham direito a vida digna”. Em nossa Diocese a Caritas está presente em 71 paróquias das quais 32 mantém projetos sociais conveniados com órgãos públicos ou privados. No entanto em 39 delas não há nenhum tipo de convênio e os trabalhos são realizados com recursos próprios. Padre Manoel Viana ministrou uma reflexão sobre o “Ministério da Caridade”. Recordando a História da Salvação no Primeiro Testamento, destacou dois importantes eventos: “A figura de Abraão, quando Deus constitui um povo e o fez Pai da Fé e a Páscoa da

Igreja

Juventude

Especial

Início do ano Jubilar encerra o Ano da Fé na Diocese de Campo Limpo

“Ide, sem medo, para servir”

35 anos Pe. Alberto 25 anos Mons. Aguinaldo

Atos do Governo Diocesano

Libertação, onde o Povo de Israel era escravo no Egito e nós encontramos no Livro do Êxodo que a revelação de Deus se dá na História concreta de um povo que é marcado pela opressão, escravidão”. Num contexto mais atual, o mesmo explica que “a Igreja Católica, com toda sua organização interna, busca responder a missão deixada pelo próprio Jesus: Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova (Mc.16,15) e anunciar o Evangelho deve ser um impulso para que aquilo que é anunciado, se torne verdade no meio das comunidades”. A 23ª Assembleia Diocesana de Campo Limpo foi encerrada com a apresentação da programação do Jubileu de Prata da Diocese que será celebrado em 2014. Os detalhes foram esclarecidos pelo Bispo Diocesano, que explicou sobre a Missão Popular Diocesana (MPD) com início na festa de Cristo Rei do Universo (24/11/2013). Dom Luiz explicou que o objetivo de “ir ao encontro das pessoas, formar novos grupos de comunhão e participação através do agir missionário da comunidade”, e nos apresentou alguns objetivos com a realização da missão popular a fim de ser vivenciado e praticado em nossas paróquias e comunidades.

Versão online issuu.com/diocesecl


E ditorial Olá queridos leitores.

Muita graça e paz da parte de Cristo Nosso Senhor. Mais um ano está chegando ao fim. Mais uma vez avaliamos nossa vida, aquilo que nos propusemos a mudar e assumimos novos compromissos de mudanças para o novo ano que chega. Mas se não colocarmos tudo isso nas mãos de Jesus e deixar que Ele realize seu projeto em nossa vida, nada conseguimos. A primeira grande mudança em nós deve ser justamente de vivermos uma fé verdadeira na construção do Reino de Deus, por meio do testemunho que somos chamados a dar. Testemunho este, que não pode ficar somente na esfera da palavra, mas principalmente nas ações que devem ser semelhantes às de Cristo. Por isso, o grande convite que fazemos a todos vocês ao percorrem as paginas deste Diocese em Ação, é justamente, redescobrir a grande alegria que é servir ao Cristo e a sua Igreja por meio do próximo, quer dizer, levar uma mensagem de fé e esperança a todos aqueles que buscam uma resposta para a sua existência neste mundo. Afinal estamos às portas para celebrar, comemorar o nascimento de Jesus Cristo. Nossa Diocese está iniciando as comemorações dos seus 25 anos de criação e o propósito para esta festa é justamente a Missão Popular Diocesana (MPD) que com alegria e obediência deve ser assumida por nós, como mandato do próprio Cristo “Ide pelo

Dom Luiz Antônio e Papa Francisco por ocasião da Jornada Mundial da Juventude - Rio 2013 - L’Osservatore Romano

C

om os votos natalinos, desejo-lhe e a todos os seus, um 2014 feliz, repleto de paz, saúde e realizações sob a proteção de Nosso Senhor Jesus Cristo. Em Cristo, Bom Pastor, fraternalmente, Dom Luiz Antônio Guedes Bispo Diocesano

mundo inteiro e anunciai a Boa Nova” (Mc.16,15). Que todos possamos juntos com fé e com verdadeiro ardor missionário, assumir nossa vocação de colaboradores de Cristo na proclamação da sua Boa Nova. Um Feliz e Santo Natal a você e os seus. E o que o ano novo seja repleto de realizações e prospero em sua vida e de toda sua família.

2

Jornal Diocese em Ação

EXPEDIENTE

Publicação da Diocese de Campo Limpo São Paulo - SP. www.diocesedecampolimpo.org.br Distribuição interna e gratuita. Tiragem: 80 mil exemplares Conselho Editorial: Dom Luiz Antônio Guedes – Bispo Diocesano; Pe. Adilson Ulprist - Editor e Jornalista Responsável (Mtb 46046/SP); Elizabeth Aída Petersen Batista – Secretária Pastoral; Rosângela Benetão – Secretária Administrativa. Diagramação: Carlos Henrique Teixeira (estagiário) Os artigos apresentados neste jornal são de inteira responsabilidade de seus autores.

diocese on-line

facebook.com/diocesedecampolimpo @dioceseCL @diocesedecampolimpo youtube.com/diocesedecampolimpo diocesedecampolimpo.com

comunicacao@diocesedecampolimpo.org.br


Mensagem

rito Santo prometido”, etc. Como fatos históricos situam-se no passado mas no hoje da liturgia nós entramos na dinâmica e participação dos acontecimentos salvíficos. E toda a liturgia é um apelo a acolhermos o Senhor na sua primeira vinda para estarmos prontos para a sua volta. Queridos irmãos e irmãs, os olhos da fé nos permitem proclamar: Natal é festa da Vida; Natal é tempo de esperança. Ele nos convida a olhar o mundo e a humanidade com os olhos de Deus. O Senhor olha e envolve com infinito amor a obra de suas mãos. Com certeza não aprova que multidões de pessoas sejam impedidas de viver dignamente sua vida. Revelou-nos o Mistério de seu Amor para nos tornar seus parceiros na construção de uma sociedade mais justa e mais solidária que a Igreja chama de civilização do amor. Cantemos com os anjos: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos seus amados”. Que o coração de cada um de nós se abra para receber a gratuidade do dom de amor do Pai. Celebremos a alegria do acontecimento, perseveremos no amor, alimentemos a fé e proclamemos a justiça de Deus. Ele está no meio de nós! Feliz Natal!

3

A

Encarnação é o ponto alto da história da salvação: “muitas vezes e de diversas formas, Deus falou no passado a nossos pais por meio dos profetas. Nesta etapa final nos falou por meio de um Filho a quem nomeou herdeiro de tudo, por quem criou o universo. Ele é reflexo de sua glória, expressão do seu ser e tudo sustenta com sua palavra poderosa. Realizada a purificação dos pecados, sentou-se no céu à direita da Majestade” (Hb 1,1-3). O Messias anunciado e esperado durante tantos séculos chegou e está no meio de nós. Ele sustenta nossa caminhada enquanto vivemos nossa vocação e missão até a sua manifestação definitiva. <<Agora vemos “como que num espelho”, mas virá o dia em que “veremos face a face”>> (Cf 1Cor 13,12). É uma espera na vigilância e na alegria: “Vem, Senhor Jesus!” (Ap 22,20). O Natal, a Páscoa, o Pentecostes e outras festas litúrgicas não são meras recordações de fatos do passado. A celebração de um mistério, de um acontecimento salvífico, é memorial que inclui a tríplice dimensão do tempo: presente, passado e futuro. Celebrando no presente o natal, nós somos atingidos pela graça do nascimento de Jesus e caminhamos com Ele até a plenitude da vida. É por isso que na liturgia a Igreja afirma: “hoje nasceu para nós o Salvador”, “derramastes hoje o Espí-

8ª edição - Dez/Jan 2013/2014

É NATAL!


Igreja

Da Redação

Início do Ano Jubiliar encerra o Ano da Fé na Diocese de Campo Limpo

Fotos: Rodrigo Antonio

4

Jornal Diocese em Ação

A

Diocese de Campo Limpo encerrou no último dia 24 de novembro, o Ano da Fé, convocado pelo Papa emérito Bento XVI em 2012 por ocasião das celebrações dos 50 anos do Concílio Vaticano II. Porém, a Santa Missa também teve outro significado: marcou o início das comemorações dos 25 anos da instalação da diocese que serão festejados em 2014. A data também é importante porque celebra a Solenidade de Cristo Rei e o Dia Nacional dos Leigos. A Catedral Sagrada Família recebeu centenas de fiéis que vieram de suas paróquias para participar da celebração que, atendendo aos critérios estabelecidos pela Santa Sé, receberam a indulgência plenária. Os fiéis participaram da Santa Missa presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Luiz Antonio Guedes que logo no inicio da celebração, abençoou a água que foi aspergida nos fiéis. Na homilia Dom Luiz lembrou a Eucaristia presidida na manhã deste mesmo dia em Roma pelo Papa Francisco. Segundo ele, a celebração foi marcada por vários sinais entre eles a exposição das relíquias do apóstolo Pedro. “É um momento especial porque foi a primeira vez que as relíquias foram apresentadas publicamente e Pedro foi o primeiro apóstolo que proclamou a fé e ele é então, o príncipe dos apóstolos”. Ao final foi apresentada a exortação apostólica “Evangelii Gaudium”(Alegria do Evangelho).

“O papa quis mostrar que hoje é o encerramento de um ano, mas quis despertar em nós, o ardor missionário e essa exortação é um impulso para chamar a todos para viver em comunhão”, lembrou. O bispo de Campo Limpo apontou ainda que “encontramos nas leituras um verdadeiro hino de amor porque existe o chamado de Deus Pai que proclamou que o seu Filho recebeu do Pai todo o Seu ser; Ele é a imagem perfeita do Pai e reflete como um espelho a imagem do Pai”. Sempre ressaltando a figura de Cristo Rei, o bispo lembrou ainda que “tudo foi feito por meio do Filho e feito para Ele, para que Jesus reunisse nele, um povo iluminado por Deus para louvalo e glorifica-lo”. No dia da Solenidade de Cristo

Rei também se comemora o Dia Nacional dos Leigos. Ainda durante a homília, Dom Luiz falou sobre o importante trabalho que é realizado pelos leigos na Igreja. “São os leigos os verdadeiros soldados de Deus que Ele

consagra para que sejam os verdadeiros missionários de Deus”. Recordando o passado, Dom Luiz afirmou que a participação dos leigos na Igreja era tida apenas como a de pessoas que não poderiam realizar nenhum trabalho e que toda a missionariedade era exclusiva dos sacerdotes. “É bom lembrarmos que a Igreja é laical, leiga. Antigamente definia-se o leigo por aquilo que ele não era, ou seja, não era sacerdote, mas hoje podemos definir por aquilo que são: pessoas que tiveram um encontro com Jesus, que continuam aprofundando o conhecimento de Cristo e descobriram que Ele é o seu melhor amigo e entregaram a sua vida a Ele para fazer a razão da sua existência. Não nos desanimemos pelas dificuldades e devemos sempre pensar na virtude da fortaleça. Essa virtude é a força de Deus no interior de cada fiel para que nunca desanime”.


Pe. Rodolfo Camarotta

Fotos: Arquivo Setor Juventude

5

“cremos na força do jovem que segue o Cristo Jesus”

8ª edição - Dez/Jan 2013/2014

O

ano de 2013 foi um momento intenso e frutuoso no caminho da Juventude de todo o Brasil. Em nossa Diocese não poderia ser diferente. Muitos são os frutos colhidos e os projetos que desejamos colocar em prática dentro de nossa missão de evangelizar. Para encerrar as atividades do ano, no que se refere a encontros diocesanos ligados a Juventude, tendo em vista toda a dinâmica já descrita, a Comissão de Coordenação do Setor Juventude convocou os jovens e seus responsáveis diretos, para uma Aassembleia Diocesana da Juventude, que aconteceu dia 9 de novembro, no salão da Catedral Diocesana, com a presença de mais de 200 participantes. Iluminados pelo mandato do Papa Francisco, que nos disse; IDE, SEM MEDO, PARA SERVIR, o encontro teve o objetivo de conhecer ainda mais as lideranças, ampliar a dimensão das coordenações nas Foranias onde ainda não haviam coordenadores, ouvir as lideranças no que se refere a projetos e sugestões para o próximo ano e apresentar a agenda do Setor Juventude. Somos muito gratos, por tudo o que vivemos neste ano e por todo empenho desta Juventude, que quer mostrar seu rosto, sua voz e seu amor pela Igreja. Afinal nós CREMOS NA FORÇA DO JOVEM QUE SEGUE O CRISTO JESUS E QUEREMOS IR, SEM MEDO, PARA SERVIR! Feliz e Santo Natal a todos os jovens, suas famílias e a todos os que dedicam sua missão, para a evangelização da Juventude!


E special

Luciano Antunes Batista 35 Anos

S

Confiança plena na Divina Providência

6

Edição Especial JMJ Rio 2013

ão muitos os testemunhos de pessoas que logo após participarem de um retiro de oração, tiveram suas vidas completamente mudadas. Famílias experimentam um encontro com Deus e jovens vivenciam uma verdadeira conversão. É difícil sair de um momento desses sem ter a vida mudada em algum sentido. E com o jovem Alberto Gambarini não foi diferente. Em 1974 ele esteve num desses retiros, promovido pelos Salesianos. O palestrante era o Pe. Jonas Abib que falou muito sobre o Espírito Santo. Neste encontro, ele entendeu que Deus tinha um projeto para a sua vida. “Naquela época eu estava me preparando para o vestibular de medicina, queria me especializar em psiquiatria, mas eu saí daquele retiro com alguma coisa diferente e naquela semana fiquei meditando, refletindo, conversei com alguns padres amigos meus e ali eu senti que Deus estava me chamando para outro caminho”, lembra padre Alberto. Este ano Pe. Alberto Gambarini completa 35 anos de sacerdócio. Chegou a Itapecerica da Serra em 1978 com 23 anos ainda como diácono, atendendo a um pedido de Dom Mauro Morelli, então bispo auxiliar de São Paulo. “Eu cheguei

em Itapecerica quando a cidade era muito pequena e tudo se concentrava aqui no centro e os jovens praticamente não participavam das missas”, disse. Padre Alberto recorda ainda que contou muito com a ajuda de seus pais e da dona Maria Aparecida Pitombo, que o acompanhara desde que estava na Vila Iasi. “Foi graças a eles que, por mais de um ano, eu pude me manter aqui na paróquia porque não tínhamos meios para desenvolver o trabalho. Meus pais compraram um fusquinha velho e a comida era dividida entre eles e dona Maria. Foi uma experiência válida porque Deus me ensinou a confiar muito na providência”. A paróquia estava em condições precárias. “Muitos viam a Igreja como um museu e na verdade a Igreja não é museu, não tinha nada de histórico e precisava de um espaço para acolher as pessoas porque o número de fiéis estava aumentando, a cidade crescendo e nós não tínhamos espaço”. Apesar de enfrentar a resistência de muita gente, Pe. Alberto iniciou um trabalho de reconstrução da paróquia contando com o apoio de muitos fiéis que entenderam a necessidade da obra. “E apesar de todas as dificuldades financeiras eu aprendi a confiar na Providência Divina e foi muito importante para o meu trabalho futuro nos meios de comunicação”. E foi através dos meios de comunicação que Pe. Alberto encontrou o caminho para evangelizar um número maior de pessoas. Ele recorda que a curiosidade foi a responsável por isso. “Estávamos passando em frente à rádio Morada do Sol e um amigo me perguntou se não poderíamos comprar um horário na rádio. Logo eu disse que não teria Fotos: Wesley Oliveira

condições, mas entramos para conversar. Durante um longo tempo me reuni com o diretor da rádio que concordou em vender um espaço de meia hora e poderíamos começar na semana seguinte”. Ao saber o valor daqueles 30 minutos de programa, Pe. Alberto decidiu arriscar. Cumpriu então o primeiro mês e no dia de acertar o pagamento, ele pediu mais meia hora. Segundo o sacerdote, foi neste momento que ele sentiu, mais uma vez, a Providência Divina agindo em seu ministério. Foi assim que, “devagarzinho, com meia hora, depois mais meia hora, depois uma semana, nós fomos comprando mais horários e a gente foi crescendo e sempre tínhamos o dinheiro suficiente para poder pagar aquele programa, era o valor exato e durante muito tempo foi assim”. Depois do rádio, padre Alberto investiu na evangelização através de outros meios de comunicação e passou a comprar horários na televisão aumentando assim, a propagação da Palavra de Deus. Atualmente o sacerdote está na Rede Vida de Televisão, na TV Gazeta e na Rede TV! com o programa Encontro com Cristo. Uma de suas grandes certezas foi o projeto que Deus fez para sua vida. Ele sempre soube que precisava levar o Evangelho para um número maior de pessoas. Então, em 1990 ele constitui a Associação Kyrios, que tem como objetivo, levar as pessoas a um real encontro com Cristo através da evangelização. Atualmente ela é “uma grande família mantida através das doações de seus membros”. O programa diário de televisão e o projeto para a internet são mantidos através desta associação. Em 35 anos de sacerdócio, Pe. Alberto diz que viveu vários momentos marcantes, difícil até apontar qual seria o mais significativo. No entanto ele afirma que o fato que mais o deixa comovido é o depoimento de pessoas que tiveram suas vidas mudadas após acolherem a Palavra de Deus. “Eu acho que a gente vê o milagre acontecendo quando as pessoas falam daquilo que acontece em suas vidas por estarem ouvindo a Palavra de Deus”.


Monsenhor Aguinaldo: 25 anos de fé, devoção e amor à Igreja

C

açula de 10 filhos do casal Helena e Manoel, o jovem Aguinaldo de Carvalho recebia a ordenação sacerdotal no dia 03 de dezembro de 1988 pela imposição das mãos de Dom Fernando Penteado, então bispo da Região Episcopal Itapecerica da Serra que hoje é a Diocese de Campo Limpo. Sempre perto de sua família, Mons. Aguinaldo diz: “como era o mais novo, peguei uma fase mais estável de meus pais. Era amoroso e fiel e isso fez com que eles acreditassem em mim”, lembra. Para ele, a família “foi o alicerce de tudo porque sempre me apoiaram. Hoje, com tantas atividades, minha família passou a ser a Igreja, mas trago minha família sanguínea no coração, rezando todos os dias para cada um deles e tenho a certeza de que rezam por mim também”. Este ano, Monsenhor Aguinaldo completa 25 anos de sacerdócio. Em duas décadas e meia, ele foi protagonista de uma série de mudanças – pessoais e comunitárias – no território paroquial e nas comunidades ligadas ao Santuário Santa Terezinha. Ele lembra que logo após sua ordenação foi designado como vigário paroquial na então Paróquia de Santa Terezinha, que tinha como pároco o Pe. Thomaz Raffainer hoje, Monsenhor Thomaz. “Eu fui com toda a alegria e disposição e tanto o padre como a comunidade me receberam com muito carinho e me empenhei bastante no trabalho como”. Os caminhos começavam a se abrir para que o neo-sacerdote iniciasse os trabalhos de evangelização. Pouco antes de completar um ano na paróquia, Pe. Thomaz manifesta o desejo de se transferir. Frente a esta situação, Pe. Aguinaldo é nomeado pároco. “Nós começamos a articular as comunidades, para que realizássemos no território paroquial um grande mutirão missionário e de evangelização e conseguimos um grande número de leigos para visitar todas as casas levando a Palavra de Deus”, lembra. “Nós setorizamos todo o território da paróquia e colocamos em cada setor, um coordenador, em cada rua, em cada prédio, havia um missionário leigo que tinha a missão de articular esse trabalho missionário e isso proporcionou um enorme movimento missionário”. Este trabalho foi o alicerce

para a ação pastoral a qual Pe. Aguinaldo se propôs a executar. Ele lembra que estabeleceu três prioridades a serem cumpridas. “Achei importante levar adiante o trabalho de uma Igreja missionária, sair da zona de conforto e priorizar a qualidade no atendimento em nossas comunidades, fazendo com que cada uma delas fosse mais acolhedora e as pessoas se sentissem mais amadas”. Outra prioridade foi o cuidado com a família. “A família é um projeto e um desejo de Deus e criamos uma pedagogia própria, um trabalho de acolhimento dos casais”. Ele destaca ainda que este trabalho de acolhimento fez com que “a cada ano crescesse o número de casais, criou-se um exército de casais e foi assim, fortalecendo o trabalho, que conseguimos salvar muitas famílias”. A Pastoral Familiar cresceu na espiritualidade e surgiu uma nova necessidade; como atender e cuidar dos dependentes de drogas? A dependência é um dos principais agentes dissolutivos de famílias. Criou-se então a Pastoral da Sobriedade. “Hoje é uma das nossas pastorais que mais cresce. Nela percebemos um grande número de pessoas recuperadas e suas famílias”. A última prioridade apontada por Mons. Aguinaldo é a juventude. Segundo ele, os jovens são os responsáveis em manter a Igreja viva. “Muito antes de eu ser ordenado, me dediquei muito à Pastoral da Juventude, na diocese, e fora dela, pensando na atuação dos jovens no Brasil e de nos inculturarmos na realidade dos jovens”. Mas nem tudo foram flores. Mons. Aguinaldo teve como formação teológica a base da Teologia da Libertação, tida como uma formação socializante e política. Por conta desta formação, ele não aceitou por alguns anos, os grupos de oração e a Renovação Carismática. “No decorrer do meu ministério, nas minhas comunidades, muitas pessoas dobraram os joelhos para que eu pudesse sentir o poder, a força do Espírito Santo que age fortemente na minha vida e então aconteceu em minha vida uma grande conversão”. Os 25 anos de vida sacerdotal do Mons. Aguinaldo foram marcados por grandes trabalhos de evangelização e pelo engajamento social e políti-

co, buscando o bem comum, focando a promoção humana. “Fundamos a Caritas Santa Terezinha para que, paralelamente ao Santuário pudesse garantir uma atenção especial aos mais pobres”. Grandes desafios sempre fizeram parte do ministério do Mons. Aguinaldo. Com os trabalhos realizados pela Paróquia Santa Terezinha, a Diocese aceitou elevá-la a Santuário Diocesano. O número de fiéis cresceu e houve a necessidade de ampliar o templo. “Eu achava que estava bom demais e aí me veio muito forte uma passagem do profeta Jeremias: “O Senhor te escolheu para construir o teu templo” e envolvendo a comunidade, aceitei o desafio de ampliar o templo”. Ele recorda que essa atitude foi como saltar de um edifício de 15 andares sem paraquedas. “Ampliamos o espaço de 500 m² para 4 mil m² e tínhamos na conta do banco R$ 8 mil e o valor total da obra estava avaliado em R$ 4 milhões. Avisei a comunidade e o povo de Deus foi o meu paraquedas e se jogaram junto comigo neste desafio que foi totalmente concluído seis meses antes do prazo previsto”. Este trabalho realizado na Santa Terezinha abriu novos caminhos para o sacerdote. Por várias ocasiões foi convidado a ser ecônomo diocesano, ou seja, o responsável por toda a administração financeira da Diocese. “No primeiro convite eu disse não e reiterei o meu não diversas outras ocasiões”. Porém esta função lhe seria oferecida novamente através de um “xeque-mate” como ele mesmo classifica. Alguns anos mais tarde ele foi convidado a ser vigário geral da diocese. Novamente ele recusou o convite. “Mas, no dia do meu aniversário, Dom Emílio Pignoli chega para celebrar a missa e ao final ele diz que tinha uma mensagem de aniversário, ele deu a nomeação de vigário geral”. Em 2005 ele recebe o título de Monsenhor. “Foi para mim uma grande surpresa”. Numa vida construída através da entrega total a Deus, confiando suas ações ao Espírito Santo e tendo Nossa Senhora e Santa Terezinha como protetoras e grandes amigas, Mons. Aguinaldo de Carvalho completa 25 anos de sacerdócio.

7

Luciano Antunes Batista

8ª edição - Dez/Jan 2013/2014

Foto: Acervo Santuário Santa Terezinha

E special


do Atos Governo Diocesano

Transferências e Nomeações

DATA

NOME

Jornal Diocese em Ação

FORANIA

OFÍCIO

03.07.2013

Mons. Aguinaldo José Alves de Carvalho

Santuário Santa Terezinha

Taboão da Serra

Colégio Diocesano de Consultores

03.07.2013

Mons. João Batista Dias de Carvalho

Santuário São José Operário

São José - CR

Colégio Diocesano de Consultores

03.07.2013

Mons. Luís Carlos Parede

N. Sra. das Candeias

M’Boi Mirim

Colégio Diocesano de Consultores

03.07.2013

Pe. Manoel Viana Correa Neto

Santa Suzana

Morumbi

Colégio Diocesano de Consultores

03.07.2013

Pe. Marcos Joaquim Patrício

Santa Clara de Assis

Itapecerica da Serra

Colégio Diocesano de Consultores

03.07.2013

Pe. Odair Eustáquio Ribeiro Gomes

Maria Mãe dos Caminhantes

Itapecerica da Serra

Colégio Diocesano de Consultores

03.07.2013

Pe. Paulino de Moraes

São José e Santo Eduardo

Embu das Artes

Colégio Diocesano de Consultores

03.07.2013

Pe. Reinaldo Sussumu Akagui

Santo Antônio

São José - CR

Colégio Diocesano de Consultores

03.07.2013

Pe. Sebastião Gomes Neto

N. Sra. do Rosário

Embu das Artes

Colégio Diocesano de Consultores

02.08.2013

Pe. Luiz Antonio dos Santos

São Judas Tadeu e Santa Clara Embu das Artes

Administrador Paroquial

02.08.2013

Pe. André Dimas Nogueira Dieguez

São José e Santo Eduardo

Embu das Artes

Vigário Paroquial

13.08.2013

Pe. Iolando Maurício da Silva

São João Maria Vianney

Taboão da Serra

Pároco

14.08.2013

Pe. José Bortolini

Santa Suzana

Morumbi

Decreto de Incardinação

16.08.2013

8

PARÓQUIA

Com. São Lucas e São Patrício Taboão da Serra

Certificado dedicação da comunidade

20.08.2013

Diácono Diego Platini Fernandes de Souza

São José e Santo Eduardo

Embu das Artes

Diácono Cooperador

21.08.2013

Adilson Carraro, LC

Legionários de Cristo

Itapecerica da Serra

Uso de Ordens

27.08.2013

Pe. Paulo José Ferreira Visintainer

Sem N. Sra. Aparecida

Taboão da Serra

Reitor

28.08.2013

Pe. Igor Souza Assunção

N. Sra. Aparecida - MK

Morumbi

Vigário Paroquial

17.09.2013

Pe. Everton Marqui Domingues

São Miguel Arcanjo

Itapecerica da Serra

Administrador Paroquial

01.10.2013

Pe. Cesar Silva Rossi

Assessor da Pastoral dos Coroinhas

03.10.2013

Pe. Ricardo José Basso, EP

Uso de Ordens

03.10.2013

Pe. Caio Newton de Assis Fonseca

Uso de Ordens

03.10.2013

Pe. Alex Barbosa de Brito

Uso de Ordens

03.10.2013

Pe. Jorge Maria Storni, EP

Uso de Ordens

03.10.2013

Pe. Leandro Sérgio Ribeiro, EP

Uso de Ordens

03.10.2013

Pe. Edílson Marcos Lima dos Santos

São Francisco de Assis

São José – CR

Pároco


Jornal Diocese em Ação