Issuu on Google+

Página 12

Outubro 2011

Engenheiro Beltrão Padroeira: Nossa Senhora das Graças Localização: Engenheiro Beltrão-PR Av. 7 de setembro, 746 - Caixa Postal 63 - CEP 87270-000 E-mail/MSN: paroquiaengenheiro@hotmail.com Telefone: (44) 3537-1431 Capelas: Comunidade Jardim Castelo Branco: Capela Nossa Senhora Aparecida, Comunidade Conjunto Paulo Grande, Comunidade Nossa Senhora Aparecida - Sertãozinho, Comunidade São João Batista - Jumirim e Comunidade Divino Espírito Santo - Pedra Branca Data de criação da paróquia: 08/09/1962 Pároco: Pe. José Coelho Pereira, 53 anos de idade e 18 de ordenação Secretária paroquial: Ana Lúcia Histórico: Os registros da primeira visita de um sacerdote à localidade são de 19 de março de 1948, feita pelo Pe. Aloysio Jacobi. A primeira missa oficial foi celebrada no dia 12 de setembro de 1948. Na época, a região toda pertencia à Prelazia de Foz do Iguaçu e o bispo, dom Manoel Koenner, esteve na localidade em 8 de setembro de 1949, quando consagrou uma pequena capela a Nossa Senhora das Graças.

A

paróquia Nossa Senhora das Graças foi criada em 8 de setembro de 1962 e o Pe. Aloysio Jacobi foi o primeiro pároco (chamado “vigário”, na época). Trabalhou 12 anos na nova paróquia e faleceu no dia 21 de setembro de 1974. Seu corpo foi sepultado em Engenheiro Beltrão.

Igreja construída pelo Pe. Aloysio e comunidade

O segundo pároco foi o Pe. Léo Pientka, empossado em 30 de outubro de 1974. O terceiro foi o Pe. João Milezeoshi, que tomou posse no dia 5 de maio de 1976. O quarto pároco foi o Pe. Alberto Bernareggi. Sua posse foi em 4 de fevereiro de 1979. O quinto foi o Pe. Francisco Xavier Lesniówski, empossado dia 8 de dezembro de 1981. O sexto pároco foi o Pe. Germano Bozzebon, que tomou posse no dia 3 de março de 1985 e permaneceu até 1998. Ele faleceu no dia 8 de maio de 2000 e foi sepultado em Engenheiro Beltrão. Durante alguns meses a paróquia foi administrada pelo Pe. Pedro Liss, até a chegada do sétimo pároco, Pe. Hélio Jose da

Primeira Comunhão em 26 de outubro de 1952

Costa, que assumiu dia 17 de outubro de 1998. Pe. Hélio permaneceu até o seu falecimento no dia 17 de fevereiro de 2003. O Pe. Francisco Javier Delvalle Paredes tomou posse no dia 23 de março de 2003, permanecendo até 2008, quando foi sagrado bispo da diocese de Campo Mourão, no dia 27 de fevereiro de 2009. No dia 26 de fevereiro de 2006 o Pe. Ivan Luiz Walter presidiu a sua primeira missa, em Engenheiro Beltrão, permanecendo até 2007, como vigário paroquial. Em março de 2007, o recém ordenado Pe. Valdecir Liss, trabalhou como vigário paroquial, permanecendo até fevereiro de 2009. O Pe. José Coelho Pereira tomou posse no dia 1º de março de 2009 e é o atual pároco. Na mesma data assumiu, como

Igreja Matriz atual, em reformas

vigário paroquial, o Pe. Nilson Reis Gonçalves. Após o Pe. Nilson, foram vigários paroquiais o Pe. Roberto César dos Reis e o Pe. Benedito Batista. O Pe. Benedito deixou a paróquia em 2011, ao assumir a paróquia de Ivailândia, no dia 9 de setembro. Festa da padroeira “O bispo, quando vai a uma paróquia, ele sempre se alegra, pois está no meio do seu povo, mas quando eu venho aqui, eu me sinto em casa”, disse dom Francisco Javier Delvalle Paredes, bispo diocesano, durante a missa dos 49 anos da paróquia Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão. A celebração foi na noite de 8 de setembro, no salão paroquial, pois a igreja matriz estava em reformas. Antes da missa, centenas de paroquianos saíram às ruas da cidade, para a procissão luminosa, conduzindo a imagem da padroeira. Durante a missa, objetos foram conduzidos ao presbitério, simbolizando cada um dos 9 dias da novena realizada em preparação à festa de Nossa Senhora das Graças. Cada dia da novena, como gesto concreto, diferentes tipos de alimentos foram oferecidos pelos fiéis, para serem destinados ao seminário. Após a celebração eucarística, um bolo contendo 300 medalhas de Nossa Senhora das Graças, foi partilhado entre os participantes.Mãe de Deus passou pelas 9 capelas que formam a paróquia. Ao final da celebração eucarística, houve a coroação da imagem da padroeira.

Entrada da imagem da padroeira, após a procissão luminosa

Diácono Mercir Ricci, dom Javier e Pe. José Coelho Pereira

Comunidade oferece flores, homenageando a padroeira

Outubro 2011

JORNAL

SERVINDO

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 22 - Outubro / 2011 - Nº 230

Página

Missão na Ecologia Informações do 19º Plano

Paróquia do mês

Pág. 6

Pág. 12

JMJ 2011 Relato Pág. 9


Página 02

Outubro 2011

Palavra do Bispo

“Assim como o Pai me enviou, também Eu vos envio a vós” (Jo 20, 21) Estimados filhos e filhas desta querida Diocese... A vós paz e bem!!! Como a Palavra de Deus nos leva à missão, nós encerramos o mês de setembro dedicado à Palavra e entramos no mês de outubro que é o mês missionário, onde somos convocados por Jesus a irmos a todos os povos e anunciarmos a Boa Nova do Reino. A Igreja Católica apresenta o mês de outubro como o período para as iniciativas de informação, formação, animação e cooperação em prol da Missão universal. Sua finalidade é promover e despertar a consciência e a vida missionária cristã. A Igreja necessita muito de vocações missionárias. No final deste mês, nos dias 22 e 23, será realizada uma coleta mundial para as Missões, que serão destinadas para o sustento de atividades de promoção humana e evangelização nos cinco continentes, sobretudo em países onde os cristãos são ainda uma minoria e as necessidades materiais são mais urgentes. Todas essas atividades culminam no Dia Mundial das Missões, que teve origem há 78 anos, quando, em 1922, foi eleito Papa o Cardeal Arcebispo de Milão (Itália) Aquiles Ratti, que tomou o nome de Pio XI (1922-1939). Seu ardor missionário era conhecido de todos e, esperavase dele um grande impulso para a Missão. E isso ele fez. No Concílio Vaticano II a Igreja fez um novo apelo às missões com o decreto Ad Gentes, convocando a todos para a árdua tarefa de propagar o Reino a todos os povos. Nós, como diocesanos, membros desta grande Igreja, também somos missionários, seja através de nossas orações ou participando desta coleta que é feita em prol das missões que vão tudo para os seus devidos fins, nada ficando na diocese. Há, então, diversas maneiras de ser missionário. Tem até um dizer que afirma o seguinte, sobre as missões: “Faz-se com os pés dos que vão, com os joelhos dos que ficam e com as mãos dos que contribuem”. Desta forma, quando chegar o dia da contribuição financeira para as missões, não deixe de partilhar com generosidade para este belíssimo trabalho tão necessário e urgente. Assim também se é missionário: colaborar e rezar pelos que vão. O nosso 19° Plano de Ação Pastoral

Diretor: Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Assessor: Pe. Sidinei Teixeira Gomes Coordenador: Vilson Olipa (44) 9958-9797 Colunistas: Pe. Luiz Antônio Belini, Amani Spachinski, Maria Joana Titton Calderari, Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, Lilian Aparecida G. Hanel

Um grande abraço e a minha bênção a todos!

A partir desta edição, teremos um novo espaço, no Jornal Servindo, com o título de 19º Plano de Ação Evangelizadora. Ele está na página 6 e trará o andamento da execução dos projetos do Plano, nas paróquias.   A paróquia do mês, que terá parte de sua história contada e dados informados, será a Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão.

Editoração Eletrônica: Jonas Rodrigues. - 44 3025-2036 / 9145-1499 / 9915-3400 Tiragem: 11 mil exemplares. Impressão: Grafinorte.

Boa leitura!

1 - Padroeira de Campina da Lagoa

16 - Confirmação em Roncador

4 - Encerramento da novena Par. São Francisco de Assis

19 - Reunião Provincial - Umuarama

6 - Reunião dos decanos

21 - Novena em Terra Boa

9 - Confirmação em Iretama

22 - Confirmação em Campina da Lagoa

12 - Confirmação em Fênix

23 - Profissão de fé

12 - Padroeira Par. N. Sra. Aparecida

29 - Confirmação na par. Santa Cruz

15 - Confirmação em Moreira Sales

30 - Confirmação na par. Perpétuo Socorro - Goioerê

16 - Romaria Nossa Sra. do Rocio Paranaguá

A intenção geral é pelos doentes terminais, para que os seus sofrimentos sejam aliviados pela fé em Deus e pelo amor dos seus irmãos.

30 - Confirmação em Terra Boa

Outubro

Intenção Missionária: Para que a celebração do Dia Mundial das Missões faça crescer no povo de Deus a paixão da evangelização assim como o apoio a toda a atividade missionária, pela oração e pela ajuda econômica às igrejas mais pobres.

Tarefas esportivas da Gincana Juranda do Jubileu Padroeira: Nossa Senhora Mãe de Deus Localização: Juranda-Paraná Praça da Matriz, s/n - Caixa Postal 6 CEP 87355-000 Telefone/fax: (44) 3569-1145 E-mail/MSN: paroquiajuranda@hotmail.com Número de capelas: 9 Capelas: São José, no distrito de Rio Verde; São Miguel, na Sanga Funda; São José, em Treze de Maio; Santo Antônio, na comunidade Santo Antônio; São Pedro, na comunidade São Pedro; São Roque, na comunidade São Roque; Sagrada Família, no distrito de Primavera; Nossa Senhora Aparecida, na Vila Rural e Santo Expedito, no conjunto Bandeirantes. Data de criação da paróquia: 02/02/1975 Administrador paroquial: Pe. Gessi de Matos Secretária paroquial: Maria Isabel Correa Santos Histórico: “Juranda” era o nome de uma índia da tribo dos Carajás. O município foi criado e 16/12/1981.

s primeiros habitantes chegaram em 1947 e eram de origem polonesa e ucraniana. A primeira missa foi celebrada por um padre ucraniano em 1948 ou 1949. Depois vieram os padres do rito latino, da cidade de Campo Mourão.

A primeira capela foi construída em 1955, numa área cedida pela colonização Szafermann, perto da atual cooperativa. Sua inauguração foi em 19/04/1955, Dia de Santo Expedito. A capela era de madeira e media 56 m². Em 1960 foi construída, ao fundo da atual igreja, uma nova capela, medindo 375 m². Em 1964 adquiriu-se o primeiro sino, vindo do Rio Grande do Sul, que custou 145 contos de réis.

A paróquia foi criada durante o bispado de dom Eliseu Simões Mendes, conforme o Decreto nº 56, do dia 2 de fevereiro de 1975. Sua instalação foi no dia 9 de março do mesmo ano. A Igreja matriz

Imagem da padroeira Nossa Senhora Mãe de Deus

capela Santo Expedito, até então pertencente à paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê, foi elevada a paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus. O motivo da mudança do nome é explicada pelo primeiro pároco Pe. Alfredo Blume: nas suas viagens pelo interior encontrava muitos buracos e atoleiros. Ao invocar Nossa Senhora Mãe de Deus, sempre era atendido. Outro motivo era o fato das pessoas conhecerem pouco sobre a vida de Santo Expedito. Desta forma, o nome foi mudado em uma reunião do Conselho Paroquial. Na área que compreende a paróquia, que é o município de Juranda, residem aproximadamente 8 mil pessoas, incluindo várias denominações religiosas. Párocos jesuítas: Pe. Alfredo Blume, SJ; Pe. Aloísio Ternus, SJ; Pe.

Primeira igreja

Claudino Ritter, SJ e Pe. Wunibaldo Jacob Steffen, SJ. A partir do ano 2000, a paróquia foi assumida pelos padres diocesanos. Foram párocos: Pe. Pedro Liss; Pe. Francisco Dantas de Carvalho; Pe. Luiz da Silva Andrade e Pe. Roberto Carlos Reis. Os párocos foram auxiliados por vários vigários paroquiais e, durante certo período, foi administrada pelo Pe. José Coelho Pereira e pelo Pe. José Gonçalves de Almeida. Atualmente é administrada pelo Pe. Gessi de Matos. A construção da capela do Santíssimo teve início em 05/07/2004 e, em agosto, teve início a reforma interna da igreja matriz. Foi consagrada como Templo e Casa de Oração, em

Igreja em construção, em 1982

Pe. Gessi de Matos, administrador paroquial

Cabo de guerra - uma das provas da gincana

JORNAL

SERVINDO

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 22 - Outubro / 2011 - Nº 230

Página

Missão na Ecologia

Igreja velha e início da construção da nova

A paróquia São Francisco de Assis, da Vila Teixeira,Campo Mourão, realizou as provas O esportivas, que fazem parte da Gincana do Jubileu. Foram mais de 12 provas que integraram a comunidade no dia do feriado de 7 de setembro.

Outubro 2011

Coroação da imagem da padroeira

DIA

QUEM

O QUE

PARA QUEM

ONDE

1e2

DIÁCONOS

Escola de Formação

Candidatos ao Diaconato Permanente

Seminário São José

1e2

RCC

Cenáculo com Maria

Todos

A definir

1a8

P. FAMILIAR

SEMANA NACIONAL DA VIDA

Todas as Famílias

Todas as Paróquias

4

P. DO DÍZIMO

Reunião Diocesana

Equipes Paroquiais

CDF – Lar Paraná

6

DIÁLOGO ECUM. E ENS. RELIGIOSO

Reunião de Estudos P/ Ensino Religioso

Comissão do Diálogo Ecumênico e Professores do Ensino Religioso

FECILCAM

7a9

RCC – JOVEM

Encontro Diocesano Ministério Jovem

Jovens da Renovação

MAMBORÊ

8

A ORAÇÃO

Reunião Diocesana

Coordenadores Paroquiais

A definir

8

P. FAMILIAR

DIA DO NASCITURO

8

VICENTINOS

Reunião Conselho Central

Pres. Obras Unidas e Conselho Central

Centro Catequético

8 a 12

CATEQUESE

1º Congresso de Animação Bíblico-Catequético

Representantes das Dioceses

Goiânia – GO

14 a 16

CEBs – Regional

2º Sulão das CEBs

Delegados Diocesanos (95 vagas p/ PR)

Londrina

15

DIÁLOGO ECUM. E ENS. RELIGIOSO

Celebração do Dia do Professor

Professores

Todas as Paróquias

15 e 16

MECEs

5ª Etapa de Formação

Novos Ministros

CDF – Lar Paraná

18 e 19

CRP / CF

Preparação da CF 2012

19

FORMADORES

Reunião

20

CLERO

Reunião

21 a 23

CURSILHO

Adulto – Feminino

Convidadas

CDF – Lar Paraná Sede da Pastoral da Criança

Informações do 19º Plano

Paróquia do mês

Pág. 6

Pág. 12

JMJ 2011 Relato Pág. 9 Missa da padroeira, na igreja matriz

01/12/2004. As reformas foram retomadas em 2007, com a colocação dos vitrais, pintura interna e a reforma externa da igreja. Outras informações: O Dia de Nossa Senhora Mãe de Deus é 1° de janeiro. No entanto, o feriado municipal, em Juranda, em homenagem à padroeira, é no dia 15 de agosto, Dia da Assunção de Nossa Senhora. Festa da padroeira No dia 14 de agosto, a comunidade esteve em festa, celebrando a sua padroeira. Após a bênção dos veículos, houve uma missa presidida pelo administrador paroquial Pe. Gessi de Matos. “Maria guardava tudo em seu coração; nesses dias, com certeza, ela também guardou todos os pedidos de nossos paroquianos, em seu coração”, disse o Pe. Gessi, durante a homilia, comparando a passagem bíblica à peregrinação que a imagem da padroeira fez, nos dias que antecederam a festa da padroeira. A imagem peregrina de Nossa Senhora Mãe de Deus passou pelas 9 capelas que formam a paróquia. Ao final da celebração eucarística, houve a coroação da imagem da padroeira.

“Missão na Ecologia” é o tema da Campanha Missionária 2011, realizada pelas POM Pontifícias Obras Missionárias. A imagem do cartaz, inserida na capa do Jornal Servindo, representa a retirada de tudo o que não corresponde à preservação do meio ambiente.

Equipes/Representantes das Dioceses Bispo e formadores

A definir Seminário Dom Virgílio CDF – Lar Paraná

22

P. CRIANÇA

Reunião Diocesana

Coordenadores de Setor, Áreas e Ramos

25 a 27

CNBB – NACIONAL

Conselho Permanente

Bispos e Arcebispos

Brasília

26

CDAE

Reunião Equipe de Assessoria

Equipe de Assessoria

Sala da Cúria

29

CRB

Encontro dos Religiosos

Religiosos e Consagradas

Mamborê

29

P. DA CRIANÇA

Articulador da Saúde

Líderes e Coordenadores

Sede da Pastoral da Criança

30

CRIS

Encontro Regional dos Institutos Seculares

Representantes

Ponta Grossa

30

MECEs

Retiro Decanal

Ministros, Decanato de Goioerê

Candeias

Aniversários OUTUBRO

Capa

Outubro 2011

Site: www.diocesecampomourao.com.br Permite-se a reprodução total ou parcial do material veiculado no Jornal Servindo, desde que citada a fonte. As assinaturas do Jornal Servindo podem ser feitas nas secretarias paroquiais. Informações pelo e-mail/MSN: jornalservindo@hotmail.com

Confira na página 12. No espaço destinado às congregações presentes na diocese, temos a oportunidade de sabermos um pouco das Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria. Veja vídeos sobre a novena do mês missionário, no portal da diocese, na internet: www.diocesecampomourao.com.br.

Agenda do bispo / OUTUBRO

Página 12

Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Bispo diocesano de Campo Mourão

CALENDÁRIO – OUTUBRO - 2011

Editorial

Foto: Militino Malakoski

Expediente

já nos dá indicativas de como ser esse missionário, seja atuando com a família, com a catequese ou com a juventude. Meios sociais também nos são colocado a disposição para essa evangelização, seja através de sites, de rádios, emissoras de TV e o Jornal Servindo. Ressalto ainda o valioso trabalho feito pelos nossos missionários, pois um grande modo de se evangelizar é sair de si e ir ao encontro do outro. Não precisamos ir a terras distantes para sermos missionários, pois temos pessoas próximas de nós que ainda não conhecem o Evangelho. Não importa o meio, o importante é sempre estar levando o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, exercendo assim o nosso batismo. Na mensagem que o Papa Bento XVI escreveu para o dia mundial das Missões ele afirma: “O Evangelho não é uma propriedade exclusiva de quem o recebeu, mas um dom a ser partilhado e comunicado”. Precisa fluir em nós o ardente desejo de sermos todos missionários: bispo, padres, diáconos, religiosos e religiosas, leigos e leigas. Com fé sólida e com espírito de partilha queremos ainda lembrar e rezar pelos nossos missionários, de modo especial por aqueles que aqui passaram nos precedendo nos trabalhos de evangelização. O Dia Mundial das Missões, conforme o Papa Bento XVI, “é um chamado a revigorar em cada pessoa o desejo e a alegria de ir ao encontro da humanidade levando a todos, Cristo”. São Paulo assim concluiria esta reflexão: “Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho” (1Cor 9,16) Que Santa Terezinha e São Francisco Xavier, Padroeiros das Missões, intercedam por nós!

Página 11

Outubro 2011

PADRES E DIÁCONOS 13 - Pe. João Batista Rodrigues - Nascimento 15 - Pe. Luiz da Silva Andrade - Nascimento 19 - Pe. Raimundo Santana dos Reis - Nascimento 29 - Pe. Jorge de Paula Monteiro, SCJ - Nascimento RELIGIOSAS 5 - Irmã Maria Merletti - Profissão 9 - Irmã Elizabete Celia Leandro - Nascimento 9 - Irmã Francismara Karam - Nascimento 11 - Irmã Givaneide - Nascimento 12 - Irmã Francismara Karam - Profissão 25 - Irmã Tereza Margarida - Pro fissão SEMINARISTAS 14 - Rodrigo Ferreira dos Santos 27 - Luciano Wanderley Sant’Anna 29 - Willian Oliveira Lopes

Encontro do SAV em Guarapuava

Participantes do Encontro em Guarapuava

O

s animadores vocacionais do Regional Sul II estiveram reunidos em Guarapuava no dia 6 de setembro. A finalidade do encontro foi acertar a questão da Escola de Animadores Vocacionais que o Regional está lançando para o próximo ano e o calendário, enquanto Serviço de Animação Vocacional.

Estiveram presentes as dioceses de: Cascavel, Apucarana, Maringá, Paranavaí, Toledo, Ponta Grossa, Curitiba, São José dos Pinhais, Foz do Iguaçu, Guarapuava e Campo Mourão, com a presença do assessor diocesano do SAV, Pe. Ricardo Arica Ferreira, e da coordenadora diocesana, a Ir. Jeane Szeremeta.

Balancete Agosto / 2011 MANUTENÇÃO DA CÚRIA E IMÓVEIS Sanepar, Copel, Oi! e Correio.....................................1509,73 Locação Sistema Contabilidade/Folha Pagto ............. 352,53 Encargos Sociais: INSS+FGTS+PIS+IRRF............. 11.720,51 Combustível................................................................1245,36 Fundo de Reserva................................................... 17.813,60 Côngruas/Salários................................................... 24.654,10 Adiantamento 13º. Salário......................................... 7.856,75 Plano de Saúde......................................................... 1.960,00 Capela Santa Paula Elisabete Cerioli.......................... 636,87 Mensalidade do Prever.................................................. 35,00 Vales Transportes......................................................... 841,60 M S Guaiume Segurança Monitorada............................ 80,00 Despesas com Cartório................................................ 252,41 Materiais de Escritório............................................... 1.367,54 Théos Informática-Prog. SGCP...................................... 61,20 Mestrado Pe. Geovani.................................................. 600,00 HDI Seguros S/A Parc. 02/04 (05 Veículos).............. 2.115,41 Seguros Sem. S. José/Casa Enc. Lar PR Parc 02/04. 363,25 Escritório de Advocacia Andrade e Rodrigues.......... 2.500,00 Despesas com Veículos .............................................. 825,02 Labore Medicina do Trabalho......................................... 74,00 Tribunal Eclesiástico..................................................... 545,00 Manutenção e Conservação de Imóveis................... 1.580,50 Reforma da Cúria...................................................... 1.640,70 Atelier Sacro Benchaya Ltda (Materiais Litúrgicos) .... 710,70 Doação Escola Diaconal .......................................... 1.090,00 Confeção Band. Diocese de C. Mourão Parc. 02/03 .1.750,00 Form. Humana-IATES(Pe. Aédio/Gerson/Ricardo/Valdecir) . . 2.160,00 Curso C. e Meios-Pias Soc. SP (Adilson/Pe. Sidnei). ...... 1.996,94 Curso Pós-Graduação Seminarista Willian.................. 539,85 Curso Comun. (Muticom) RJ. Pe. Sidnei/Edson Lima ........ 1.118,13 Confraternização do Clero (Alimentação) .................. 853,82 Pref. Maringá (Taxa Habite-se) Seminário Filosofia..... 205,00 Despesas Com Viagens .............................................. 371,25 Centro Pastoral Dom Eliseu (Muro): Mão-Obra e Materiais.29.982,88 Pedágios........................................................................ 33,60 121.443,25 RESIDÊNCIA EPISCOPAL Brasil Telecom SA. ................................................... 186,43 Copel............................................................................ 256,02 Sanepar........................................................................ 234,18 Salários..................................................................... 1.449,40 Adiantamento 13º. Salário............................................ 806,50 TV a Cabo Campo Mourão Ltda ................................. 148,50 Assinatura UOL ............................................................. 24,00 Alimentação............................................................... 1.539,98 Valgás............................................................................. 90,00 Manutenção e Conservação de Imóveis........................ 67,70 4.802,71 OUTROS (Água, luz, telefone, etc.) Seminário São José - Campo Mourão...................... 2.817,30 Centro Past. Dom Virgílio de Pauli............................... 463,39 Centro Past. Dom Eliseu.............................................. 733,11 4.013,80 OUTROS (Repasse da Cúria) Semin. Proped. São José - Campo Mourão.............. 8.000,00 Semin. de Teologia Dom Virgílio - Cambé............... 16.740,00 Semin. de Filosofia N. S. Guadalupe - Maringá...... 12.891,00 37.631,00 RESUMO GERAL Saldo em 31/08/11.................................................. 53.781,74 Entradas Contribuição das Paróquias.................................. 127.257,50 Contribuição Ref. 13º Salário.................................. 10.609,40 Reembolso Almoço do Clero........................................ 680,00 Reembolso Encargos-Pis/Secraso/Senalba............. 1.270,36 Reembolso Correio/Labore.......................................... 247,30 Reembolso Bandeira Diocese...................................... 510,00 Reembolso Pastoral Saúde.......................................... 200,00 Reembolso Cartório..................................................... 561,47 Resgate Fundo de Reserva.................................... 24.885,21 Empréstimo Campanha da Fraternidade.................. 3.888,20 170.109,44 Saldo anterior + entradas.............................. 223.891,18 Saídas Manutenção da Cúria e Imóveis............................ 121.443,25 Residência Episcopal................................................ 4.802,71 Centro Pastoral Dom Virgílio de Pauli.......................... 463,39 Centro de Pastoral Dom Eliseu.................................... 733,11 Seminário São José.................................................. 2.817,30 Seminário Propedêutico São José C. Mourão ......... 8.000,00 Seminário Filosofia N. Sra. Guadalupe - Mgá......... 12.891,00 Seminário de Teologia Dom Virgílio - Cambé.......... 16.740,00 Consórcio Nacional Volkswagen.................................. 765,80 168.656,56


Página 10

Outubro 2011

Diocese presente em Congresso da Pastoral da Sobriedade D

oze pessoas representaram a Pastoral da Sobriedade da diocese de Campo Mourão no II Congresso Sul Brasileiro, realizado em Jaraguá do Sul-SC, de 19 a 21 de agosto. Participaram integrantes da referida Pastoral, das paróquias Nossa Senhora do Caravággio, Lar Paraná, Campo Mourão; Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão; São Pedro de Roncador e Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê. O objetivo do Congresso foi proporcionar a troca de experiências com integrantes da Pastoral da Sobriedade de outros estados e que lidam com o mesmo problema da dependência química; for-

mas para lidar com o problema, motivar os agentes da pastoral, para que possam caminhar em busca dos excluídos e mais necessitados; formação na área da drogadição para que, além da misericórdia, do amor, da paciência, seja possível entender como a droga funciona no organismo e quais as consequências que ela traz na vida das pessoas e na sociedade. Houve palestra com dom Irineu Danelon, fundador da Pastoral da Sobriedade no Brasil; José Augusto Soavinski, coordenador da Pastoral da região sul e do Paraná; bispo da diocese de Joinvile, dom Irineu Roque Scherer; Pe. Reginaldo Manzotti; Pe. João Ceconello, coordenador de

Dia do Catequista pela diocese

Encerramento do 86º Cursilho masculino U

formação no Brasil; coordenadora nacional da Pastoral Ana Godoy, além de autoriParticipantes da diocese de Campo dades, médicos, pedagogos, Mourão com dom Irineu Danelon professores, deputados, etc. Nos dias 24 e 25 de setembro haverá um retiro diocesano e a Pasto- Hermes da Silva, da equipe de formação ral convida as famílias que possuem de- de agentes, agradecem ao bispo diocesapendentes químicos, para que participem. no dom Francisco Javier e aos padres das É importante aprender como lidar com os paróquias que enviaram representantes. dependentes. Em outubro, a coordena- “Gostaríamos que toda a diocese implanção diocesana da Pastoral da Sobriedade tasse o grupo de auto ajuda da Pastoral, participará de um encontro em Cachoeira pois estamos nas famílias ouvindo o grito Paulista-SP, na sede da TV Canção Nova. de muitos pais desesperados em busca de Valdeci A. Ciconello, coordenador dio- uma solução para ao vício das drogas”, cesano da Pastoral da Sobriedade, e Valdir declarou Valdir Hermes da Silva.

Paróquia São Francisco de Assis Goioerê Nossa Senhora das Candeias

Santuário Nossa Senhora Aparecida

Nossa Senhora Aparecida modelo para o Brasil 

A

constituição estrutural do homem brasileiro tem alguns aspectos diversificados, quanto à sua origem regional, considerando que o território do Brasil é imenso e, em cada região, estabeleceu-se natural e espontaneamente, um estilo de vida distinto orientado por costumes e comportamentos específicos. Da mesma forma, é diferenciada a formação sócio política do cidadão. Contudo, sua compleição espiritual e orientação religiosa, na maioria dos casos, obedecem aos ditames da mesma fé e, em sua quase totalidade, é cristão. Mas, há uma característica que o distingue, fundamentalmente, de muitos outros povos e o reveste de uma peculiaridade especial, imprimindo-lhe o caráter de filho obediente e fiel. Trata-se da devoção a Nossa Senhora, sob seus diversos títulos e, principalmente, o de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, a Padroeira do Brasil. Seguramente, aí se encontra a explicação para o fato do povo brasileiro ser tão admirado em outros países, como um povo alegre, expansivo, prestativo. O exemplo vem da Mãe. Temos uma

Mãe, que nos ampara, nos protege e nos ensina a sermos verdadeiros filhos de Deus e obedientes à sua vontade. Por meio dela recebemos inúmeras graças divinas e bênçãos celestiais. A invocação do santo nome de Maria faz com que nos tornemos dóceis, adquirindo a qualidade filhos. A Mãe Aparecida, da qual sua imagem fora encontrada no Rio Paraíba é a Imaculada Conceição, cujo dogma, (verdade de fé), foi proclamado no dia 8 de dezembro de 1854 pelo Papa Pio IX na Bula “Ineffabilis Deus”, que diz: “A doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante da sua Conceição, por singular graça e privilégio de Deus Onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, essa doutrina foi revelada por Deus, e por isto deve ser crida firme e inviolavelmente por todos os fiéis”, é um modelo para o Brasil. Nossa Senhora foi preservada do pecado original para poder realizar sua missão: a de ser a Mãe de Jesus. Para o plano da salvação, era imprescindível que ela fosse totalmente

paróquias da diocese. Os coordenadores diocesanos do Movimento, Divoney Martins Pereira e Vera, informam que o Cursilho adulto feminino será de 21 a 23 de outubro e que a ultreya festiva acontecerá no dia 27 de dezembro, no Santuário Nossa Senhora Aparecida.

ma missa, presidida pelo Pe. Carlos Cezar Candido, assessor do Movimento de Cursilho de Cristandade, encerrou o encontro adulto masculino, número 86. A missa foi na capela do CDF - Centro Diocesano de Formação, em Campo Mourão. Houve 75 participantes de diversas

pura a fim de receber Jesus. Ela foi chamada pelo Anjo de a “cheia de graça”, a que possui a plenitude da graça necessária, para ser a Mãe do Filho de Deus e co-redentora da humanidade. Portanto, a participação de Nossa Senhora na santidade da humanidade é direta e real, influenciando a cada uma das pessoas a que Jesus veio resgatar. Maria tem um papel fundamental em nossa espiritualidade e na formação de nossa personalidade. Um povo sem mãe é um povo triste, sem motivos especiais para viver feliz. Por isso, ao celebrarmos o nome de Maria Santíssima em sua Imaculada Conceição Aparecida, é preciso confiar nela e ter fé, que ela está sempre ao nosso lado intercedendo por nós e advogando em nossa causa, pois como mãe, quer única e exclusivamente o nosso bem. É preciso que tenhamos Maria como nosso modelo de obediência ao plano de Deus sobre nós. Assim como ela, saibamos ouvir e guardar a Palavra de Deus, cuidar da fé, cumprir a lei, ser puro e seguir os passos de Jesus. A devoção a Nossa Senhora deve im-

pingir em nós o interesse pelo bem estar de nosso próximo, a exemplo dela, que mesmo estando grávida, dirigiu-se à casa de Isabel, que igualmente encontrava-se grávida, simplesmente para ajudá-la em seus afazeres. Por fim, toda atitude de nossa Mãe Maria em vida, corrobora para a formação sócio política do povo brasileiro, que procura sempre mais seguir suas qualidades, servir, como ela serviu a humanidade e ser um povo alegre e disponível. Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós.

Amani Spachinski de Oliveira é professor, escritor, poeta e contista. Membro da Academia Mourãoense de Letras e Associação Mourãoense de Escritores. E-mail: amanispachinski@yahoo.com.br

Encontro reúne 600 coroinhas da diocese

Momento de descontração

C

Cursilhistas na missa de encerramento

Mamborê

No último final de semana do mês vocacional (agosto) é comemorado o Dia do Catequista. Acompanhe fotos de celebrações em algumas paróquias da diocese.

Moreira Sales

Página 03

Outubro 2011

Mantenha-se atualizado quanto aos assuntos da Igreja, da Diocese e de sua paróquia, visitando constantemente o site www.diocesecampomourao.com.br

om o objetivo de incentivar e valorizar o trabalho dos coroinhas, o SAV - Serviço de Animação Vocacional realizou o Encontro Diocesano de Coroinhas. De acordo com a coordenadora diocesana do SAV, Ir. Jeane Adeline Szeremeta, aproximadamente 600 crianças e adolescentes, de 5 a 17 anos, participaram das atividades, que aconteceram no Seminário São José, em Campo Mourão. Das 38 paróquias que compõem a diocese, 25 estiveram representadas.

1ª LEITURA

SALMO

1 2 3 4 5

Br 4,5-12.27-29 Is 5,1-7 Jn 1,1-2,1.11 Jn 3,1-10 Jn 4,1-11

Sl 69 Sl 80 Jn 2,2-8 Sl 130 Sl 86

2ª LEITURA

6

Ml 3,13-20a

Sl 1

Lc 11,5-13

7

At 1,12-14

Lc 1,46-55

Lc 1,26-38

8 9 10 11

Jl 4,12-21 Is 25,6-10a Rm 1,1-7 Rm 1,16-25

Sl 97 Sl 23 Sl 98 Sl 19

Fl 4,6-9

Fl 4,12-14.19-20

Lc 11,27-28 Mt 22,1-14 Lc 11,29-32 Lc 11,37-41

12

Est 5,1.7,2-3

Sl 45

Rm 3,21-29 Rm 4,1-8 Rm 4,13.16-18 Is 45,1.4-6 Rm 4,20-25 2Tm 4,10-17 Rm 6,12-18 Rm 6,19-23 Rm 7,18-25a Rm 8,1-11 Ex 22,20-26

Sl 130 Sl 32 Sl 105,6-43 Sl 96 Lc 1,69-75 Sl 145 Sl 124 Sl 1 Sl 119,66-94 Sl 24 Sl 18

24 25 26 27 28

Rm 8,1-11 Rm 8,18-25 Rm 8,26-30 Rm 8,31b-30 Ef 2,19-22 Rm 11,1-2a.11-12.2529 Ml 1,14-2,2.8-10 Rm 11,29-36

Sl 68 Sl 126 Sl 13 Sl 109,21-31 Sl 19

Lc 13,10-17 Lc 13,18-21 Lc 13,22-30 Lc 13,31-35 Lc 6,12-16

Sl 94

Lc 14,1.7-11

30 31

Sl 131 Sl 69

1Ts 1,1-5

1Ts 1,5-10

1Ts 2,7-13

COR

Lc 10,17-24 Mt 21,33-43 Lc 10,25-37 Lc 10,38-42 Lc 11,1-4

13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23

29

Ap 12,1-16

EVANGELHO

Colaboradores: Grupo Resgato-me, Ordem Francisca Secular da Vila Rio Grande, Fraternidade o Caminho, Copiosa Redenção e Movimento Serra

RCC realiza Congresso de Música e Artes

Outubro / 2011 DIA

A abertura foi com uma missa presidida pelo Pe. Ricardo Arica Ferreira, assessor do SAV na diocese. Ao longo do dia, passaram pelo local do encontro, o bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes, e os padres Edinaldo  Velozo da Silva, Clauber Magela Freire Krieck, Carlos Czornobai e Carlos Cezar Candido.

Jo 2,1-11 Lc 11,47-54 Lc 12,1-7 Lc 12,8-12 Mt 22,15-21 Lc 12,13-21 Lc 10,1-9 Lc 12,39-48 Lc 12,49-53 Lc 12,54-59 Lc 13,1-9 Mt 22,34-40

Mt 23,1-12 Lc 14,12-14

Momento de adoração ao Santíssimo

U

m total de 65 pessoas, de várias paróquias, participaram do Congresso de Música e Artes, realizado no Santuário Nossa Senhora Aparecida, em Campo Mourão, nos dias 17 e 18 de setembro. André Ribas Gonçalves, coordenador do Ministério de Música e Artes da RCC - Renovação Carismática Católica, informou que du-

rante o congresso, houve pregações, palestras, orações e adoração. Um momento interessante foi a interação com perguntas e respostas entre os participantes e a Missão Kerigma Christi, de Londrina, que ministrou o evento. O encerramento foi com uma missa presidida pelo Pe. Apolinário João da Silva.


Página 04

Outubro 2011

Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria

T

udo começou na Alemanha. Dom Wilhelm Berning, bispo de Osnabruck, com a mesma paixão de Cristo pela humanidade, reescreveu a história de sua paixão pelo Povo que vivenciou a dor de duas Guerras Mundiais. Em 1914, ano que irrompeu a I Guerra Mundial, Wilhelm Berning, com apenas 37 anos assumiu um imenso bispado da Diáspora, cuja superfície era superior à da Holanda e da Bélgica somadas. Para uma realidade tão complexa foi escolhido um pastor otimista, com uma profunda experiência de Deus e uma devoção especial a Maria. Seu redil? Um país devastado pela guerra. Suas ovelhas? Fugitivos, imigrantes, expatriados, encarcerados, refugiados, perseguidos. Realidade? Desemprego, miséria, fome, fluxos migratórios, intolerância religiosa, surgimento de regimes ditatoriais, crise econômica e política. A dor maior? Execução de quatro padres diocesanos. Essa desafiadora realidade interpeladora e amor a Cristo o impeliu a encarnar a paixão pela Vida. Vestiu a camisa, fez constantes viagens pela diocese, motivado sempre pelo seu lema: “O amor de Cristo nos impele”. Frente à dura realidade pós guerra e movido pela grande paixão pelo Reino foi à procura de colaboradores nas casas religiosas. Assim confidenciava a Maria: “Mãe querida, trazei-me sósias do vosso SIM para esta parte tão cara a meu coração de pastor”. Mas ele mesmo deveria suscitar uma nova congregação. Deus em sua bondade dispôs um encontro com 6 jovens alemãs apaixonadas pela Missão. Antes da guerra elas haviam ingressado numa congregação missionária na França e se preparavam para as missões na Oceania. Quando explodiu a guerra, foram expulsas e detidas no cárcere por 6 meses. Terminada a guerra, não con-

Encontro da Catequese

Comunidade de Campina da Lagoa: Ir. Helena, Ir. Izabel, Ir. Adela e Ir. Paula

Fundador da Congregação

Comunidade de Ubiratã: Ir. Luci, Ir. Agueda, Ir. Beatriz, Ir. Vilma e Ir. Glasiela

seguiram retornar à França por causa de sua nacionalidade alemã. O bispo viu nesses acontecimentos um sinal. Chegara a hora de executar o seu plano de fundar uma congregação religiosa voltada para a Diáspora e Missões. No dia 25 de março de 1920 na festa de Anunciação, as 6 jovens declararam-se prontas para dar continuidade ao SIM de Maria. Dom Wilhelm Berning, com 42 anos de idade e 6 de bispo, deu início a uma nova família religiosa: Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria. A flor que nasceu das cinzas da I Guerra atingiu o seu jubileu de prata ao som dos bombardeios da II Guerra. Quando o bispo falou: “Queridas irmãs, estas mesmas provações converterão em outras tantas fontes de bênçãos e graças”, se referia ao sofrimento causado pela guerra: morte de uma irmã num ataque de bombas, outras duas morrem contraindo doença de tifo, 20 irmãs expulsas e obrigadas a trabalhar na guerra,

muitas irmãs feridas, 3 casas confiscadas, outras destruídas. E a bênção se multiplicava. Após a II Guerra aumentou o número de católicos e também o número de vocações cresceu rapidamente. A partir de 1951 a Congregação parte da Alemanha para terras estrangeiras: Suécia, Brasil e Paraguai. Em 1955 o fundador partiu para enviar do céu mais bênçãos. No ano seguinte 6 irmãs chegaram ao Brasil a convite de padres jesuítas e estabeleceram-se em Maringá-PR. Hoje as Missionárias de Maria estão presentes em 4 estados, empenhando-se para compartilhar a paixão por Cristo e pelo povo em novos contextos. Carisma / Espiritualidade “Meu desejo é que a Congregação por mim fundada esteja sempre impregnada de zelo apostólico ardente e que se conserve unânime”. Do amor a Cristo e a Maria, vivenciados

Olhando a história - (Parte II) A importância da música na comunidade cristã primitiva e começarmos a percorrer os Evangelhos, especialmente o de Lucas, que forneceu as referências elementares para a constituição do Ano Litúrgico, e avançarmos pelas Cartas de Paulo até chegarmos ao Apocalipse de João, logo nos surpreenderemos com a abundância e a beleza de textos poéticos. Estes, com certeza, provieram da rica experiência litúrgico-musical das primeiras Comunidades e marcaram significativa presença na tradição litúrgica da Igreja até hoje, tanto na liturgia das Horas quanto na celebração da Ceia do Senhor e dos demais Sacramentos: As Bem aventuranças, nas suas duas versões, respectivamente de Mateus (Mt 5,3-10) e de Lucas (seguidas do “ais”, Lc 6, 20-26); Já mencionamos acima os três Cânticos de Lucas, que marcam o Evangelho da Infância: o de Maria (Lc 1, 46-55), o de Zacarias (Lc 1, 68 (79) e o de Simeão (Lc 2, 29-32). Esses três Cânticos tiveram importância decisiva na composição da Liturgia da Horas da

S

Pe. José Carlos e Dom Javier, no encontro com catequistas

U

m total de 73 catequistas participaram do último encontro diocesano de 2011, realizado dia 17 de setembro, no Santuário Nossa Senhora Aparecida, em Campo Mourão. A abertura foi com uma celebração eucarística presidida pelo Pe. José Carlos Kraus Ferreira, assessor diocesano da Pastoral Catequética. O bispo diocesano Dom Francisco Javier esteve no local do encontro e dirigiu sua mensagem aos participantes.

Igreja e aparecem como ponto culminante do louvor, respectivamente, no Ofício da Manhã, da Tarde e da Noite. Mas não podemos esquecer o cântico angélico do Glória (Lc 2,14), que teve seu desdobramento na Igreja grega até chegar a ser a grande doxologia (glorificação) que hoje conhecemos. O prólogo de João (Jo 1, 1-18), que celebra a nova Criação em Jesus Cristo e vale como réplica ou, na linguagem dos antigos, “anti-tipo” do Hino da Criação do Gênesis; Os numerosos hinos paulinos, que tão apropriadamente ilustram as Cartas do Apóstolo das gentes (Ef 1,3-14; 5, 14; Cl 1, 12-20; 1Tm 1, 17; 3, 16; 2Tm 2, 11-13), valendo destacar os dois hinos cristológicos de Fl 2, 6-11 e 1Tm 6, 15-16; O hino batismal de Pedro (1Pd 2, 21-25); Os hinos e aclamações, que a cada passo na liturgia celeste descrita no Livro do Apocalipse e são, sem dúvida, como que “retrato cantado” das celebrações das comunidades joaninas. A começar pelo Santo (Ap 4, 8), que, tomado da visão do Projeta Isaías (Is 6, 3), já era cantado no culto da Sinagoga e continuava ecoando nas assembleias

pelo nosso fundador, deriva o nosso carisma missionário tendo como referencial Maria, a mulher evangelizadora. Maravilhoso é o toque que o fundador deu à nossa espiritualidade cristocêntricamariana: “Desejo de todo o coração que conserveis o verdadeiro espírito apostólico e verdadeira alegria em Cristo Jesus e que os leveis convosco aos corações humanos”. Maria é modelo: a sua alegria brotou da sua entrega como serva do Senhor. Presença na diocese de Campo Mourão Desde 1961 a Congregação marca presença em Ubiratã realizando a missão no Colégio Santo Antonio, evangelizando através da educação e na paróquia Santo Antonio, participando da Pastoral Vocacional, Grupo de Reflexão, Catequese, Liturgia e Pastoral da Juventude. Em 1979 as irmãs chegaram a Campina da Lagoa, incentivadas pelo bispo dom Eliseu Simões Mendes. Na época existiam 16 capelas e 62 escolas. Com o passar do tempo, foram assumindo assessorias decanais e diocesanas de Juventude, CEBs, Catequese, Pastoral da Saúde e CRB. A realidade de pobreza das famílias, fez com que as irmãs avançassem mais no campo social, para ajudar as pessoas mais empobrecidas: crianças e idosos. E então foi fundada, em 1985, a Creche Jesus Criança e, em 1990, o Lar dos Velhinhos São Vicente de Paulo. Ir. Helena Makiyama Contato: Comunidade Santa Teresinha Av. JK, 1071- Tel. (44) 3542-3369 Campina da Lagoa - PR E-mail: hmakiyama@gmail.com Comunidade Santo Antonio Av. Nossa Senhora Aparecida, 623 Tel. (44) 3543-1390 Ubiratã-PR E-mail: santoantonio1960@hotmail.com Site: www.pbmariamissionaria.com.br

cristãs, seguem como se fossem um concerto sem fim: Ap 4, 11; 5,9-10.12.13.14; 6, 10; 7, 10-12; 11, 15.17-18; 12, 10-12; 15, 3-4; 16, 5-6.7; 19, 1-8... A música é uma linguagem que expressa a vida humana em várias dimensões. Há uma música para cada momento, como bem caracterizou o compositor popular Arnaldo Antunes, em sua composição “Música para ouvir”. Querido Povo de Deus, um grande abraço!

Lilian Aparecida G. Hanel - Coordenadora diocesana de Liturgia e coordenadora de canto da catedral de Campo Mourão lilianbgh@gmail.com

Página 09

Outubro 2011

Jornada Mundial da Juventude na visão de um membro da diocese Alguns jovens da diocese de Campo Mourão participaram da JMJ - Jornada Mundial da Juventude 2011, realizada em Madri, Espanha, de 16 a 21 de agosto. Um dos representantes da diocese foi o coordenador do Setor Juventude Fábio Sexugi. Abaixo, o relato feito por ele, sobre o que viu e viveu na Pré-Jornada e na Jornada.

U

ma experiência para a vida inteira: eis o resumo de tudo aquilo que vi e vivi na Espanha, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude. Meu coração se enche de gratidão por ter vivenciado momentos indescritíveis de esperança, amizade, alegria, unidade, partilha e fé, que guardarei no coração para sempre. Integrando a Delegação Oficial da CNBB e representando nossa diocese com outras lideranças juvenis, desembarquei em Madri e segui de ônibus com os peregrinos para Sevilha, onde aconteceria a Pré-Jornada. Lá, fomos recebidos calorosamente por religiosas e leigos da Obra Social y Cultural Sopeña. Apesar do sol forte que, não raras vezes, fazia a temperatura ultrapassar a casa dos 40ºC, o calor marcante daquela cidade milenar é mesmo o humano: foi esse que eu senti quando éramos acolhidos com sorrisos nos ônibus (algumas pessoas até dançavam conosco em pleno trânsito) ou nas mãos enrugadas e santas de uma freirinha de quase 100 anos que nos recebeu carinhosamente em uma de nossas visitas aos conventos e às igrejas do local. São as igrejas, a propósito, o maior reflexo da devoção dos sevilhanos à Mãe de Deus e que fazem da cidade a mais mariana da Espanha: há inúmeros templos e títulos com os quais Nossa Senhora é honrada; o mais popular, aliás, nós, paranaenses, conhecemos bem: La Virgen del Rocío. Pelas ruas, no metrô e nas celebrações, cantávamos à exaustão o “¡Olé!” do “Salve, Rociera”, um tradicional cântico dedicado à Virgem do Rocio, que acabou ficando como nosso hino oficial. Em Sevilha, vivenciei um rico intercâmbio com gente do mundo inteiro: libaneses, sul-coreanos, franceses, italianos, angolanos, holandeses, argentinos... Diferentemente do que eu supunha, a diversidade de línguas não criou de modo algum uma “Torre de Babel” entre nós. Ao contrário: o clima de comunhão era tão grande e a presença do Espírito Santo, tão forte, que estávamos como em Pentecostes, porque cada qual usava seu próprio idioma para dialogar e era perfeitamente entendido. Achei incrível, por exemplo, me comunicar (sabe lá Deus como) com jovens coreanos que me falaram da dificuldade em vivenciar a própria crença numa terra que, embora ofereça liberdade de culto, ainda vê com reticências e desconfianças a Fé Cristã. Que fantástica a celebração Mariana e os momentos de partilha na Paróquia Santíssimo Redentor! Que lindo ver tantas bandeiras e etnias diferentes desfilando pelas calçadas! Que bonita a Santa Missa de encerramento da Pré-Jornada

ao lado da Catedral! No entanto, tenho de reconhecer que, como morador de uma das regiões mais pobres do Paraná, a Catedral de Sevilha, toda adornada de ouro, prata e pedras preciosas (e que cobra pela entrada), me incomodou bastante. Ajudei a levar um dos pesados castiçais usados na Missa de encerramento como pretexto para poder entrar na igreja. Fiquei constrangido em ver o quanto os colonizadores europeus usurparam das riquezas de nossas terras latino-americanas e do suor de nossa gente simples. Não havia como não confrontar aquela exuberância, a riqueza daquele majestoso templo com nossa realidade e, principalmente, com o modelo eclesial que assumimos ser no 19º PDAE: o de sermos uma Igreja pobre e comprometida com os pobres. E, enquanto eu meditava essas coisas que me tiravam a paz, seguimos para Madri, onde aconteceria finalmente a JMJ 2011. Fora do ônibus, uma paisagem linda e um sol de rachar; dentro, um calor que parecia não ter fim. Oito horas depois, chegamos ao alojamento no bairro de Los Castillos, em Alcorcón, uma cidade satélite de Madri. A bem da verdade, a estadia ali não foi das melhores: o colégio era trancado às oito e só aberto às dez  da tarde (isso mesmo! No verão, só por volta das 22h00 é que o sol se põe), dormíamos no chão, o banho era coletivo e literalmente gelado (tanto, que eu abastecia minha garrafinha para enfrentar a caminhada). No entanto, o sofrimento foi um dos pontos que mais me aproximou de Cristo em Madri e que melhor abriu meu coração à mensagem da JMJ 2011, porque pude entender melhor sua importância na caminhada de discípulo de Jesus. Percebi mais claramente que apenas na dificuldade é que crescemos como discípulos. O sofrimento, assim, nos faz mais “firmes na fé”, nos aproximando de Deus e nos abrindo à solidariedade: compartilhar objetos aos amigos que os esqueceram em casa, dividir o rango, emprestar uns trocados e, até mesmo, carregar nas costas os companheiros machucados. Cada jovem recebeu o kit do peregrino, composto por uma bonita mochila amarela e vermelha, contendo um exemplar

do  “YouCat”  (uma síntese do Catecismo da Igreja Católica, em linguagem simplificada); um mangá com a história das JMJs; uma caixa de remédio para a alma: um crucifixo (com bula e tudo); um terço; uma camiseta; um leque; um boné (muito útil em Madri), um carnê com vale-alimentação e vale-transporte, uma cervejinha sem álcool (que ninguém é de ferro!), além dos roteiros litúrgicos e culturais do evento. Essa mochila nos acompanhava todos os dias nas intensas atividades previstas: catequese com os bispos brasileiros, celebrações, visitas a museus, igrejas e mostras culturais, shows, refeições (com as tradicionais “tapas”, uma espécie de porções diversificadas de comidas típicas). Era bonito ver tanta gente, de línguas e culturas tão diferentes, interagindo como se já se conhecessem, como se fossem velhos amigos ou, quem sabe, parentes. Aí percebi a grandiosidade da nossa Igreja: que satisfação pertencer a essa Família que, mesmo sendo a mais antiga instituição religiosa do mundo, é sempre jovem, forte, alegre, profundamente viva e verdadeira. A vitalidade e a unidade da Igreja Católica, expressa em voz alta pelas praças e avenidas de Madri, certamente foram um sopro de ânimo para a Espanha (em profunda crise), para a Europa (cada vez mais secularizada) e para todo o mundo (carente de novas respostas). Foram um sopro de vida para mim. Com mais clareza, constatei também a importância da figura do Papa, como vínculo comum a unir todos os católicos e católicas do mundo inteiro. Em Madri, vi um homem de Deus de cabelos brancos e, em alguns momentos, quer pela idade, quer pelo calor, cansado; mas vi também um jovem cheio de esperança e alegria abençoando emocionado as multidões que cantavam em uníssono “Beeeeeeee-

Kit recebido pelos participantes da Jornada

Fábio exibindo o lenço, contendo as 3 prioridades, do 19º Plano da diocese

Fábio, na JMJ 2011

Papa Bento XVI eenedetto!”, ou repetindo insistentemente: “Se vê, se sente, o Papa está presente!”. Compreendi o quanto o Bispo de Roma, Sucessor do Beato Pedro, é importante para a unidade dos cristãos, que precisam estar coesos diante do mundo atual que insiste em viver sem Deus. E que experiência tremenda a do Aeródromo de Cuatro Vientos! Dois milhões de pessoas, sob sol forte, aguardavam a Vigília de Adoração Eucarística com Bento XVI. A multidão era tanta que, para qualquer lado que eu olhava, não achava o fim: nem Woodstock reuniu tantos jovens! O cenário, onde aconteceu a cerimônia, mais parecia uma cascata e prenunciava o que aconteceria no cair da noite: uma vigorosa chuva de verão, com raios e vento forte, que banhou todo mundo, inclusive o Papa. Meio descabelado pela tempestade, ele disse à multidão de jovens:  “Queridos amigos, muito obrigado pela vossa alegria e pela vossa resistência! A vossa força é mais poderosa que a chuva. Obrigado! O Senhor, com a chuva, mandou-nos muitas bênçãos. Também nisto, sois um exemplo”, ao que lhe respondemos felizes: “¡Esta es la Juventud del Papa!”. Em português, Sua Santidade afirmou à juventude que “vale a pena ouvir dentro de nós a Palavra de Jesus e caminhar seguindo os seus passos”. Depois da Vigília, dormimos todos ali, ao relento. Ver as estrelas – que logo depois apareceram – foi emocionante, porque pude reconhecer a grandiosidade e a beleza da criação de Deus e, ao mesmo tempo, perceber a minha própria pequenez e como, mesmo assim, Ele conta comigo. Participar de uma Jornada Mundial da Juventude é uma experiência impactante que todo mundo deveria fazer uma vez na vida. A JMJ 2011 certamente me permitiu perceber que devo estar ancorado em Cristo, criar raízes profundas nEle, para anunciar sua Mensagem aos jovens da nossa realidade, do nosso tempo, de um jeito inteiramente nosso. Muito obrigado aos amigos que me acompanharam – seja pessoalmente, seja em oração – nesta aventura santa e edificante. Agradecer a dom Javier, que me deu essa oportunidade espetacular, me parece muito pouco diante de tudo o que experimentei lá. ¡Muchísimas gracias de corazón! Volto às atividades de evangelização das Juventudes da Diocese de Campo Mourão mais “firme na fé”. Mas, trago no coração muitas saudades e o refrão do canto à Senhora do Rocio: “Al Rocío yo quiero volver, a cantarle a la Virgen con fe con un olé: Olé! Olé! Olé...” Fábio Sexugi, coordenador do Setor Juventude


Página 08

Outubro 2011

mulo de São Pedro, em Roma. Destes, 23 novos bispos são do Brasil. O encontro foi de 7 a 16 de setembro. Fonte: CNBB O lema da JMJ - Jornada Mundial da Juventude de 2013, que será no Rio de Janeiro, será “Ide e fazei discípulos todos os povos”, do Evangelho de Mateus. O anúncio foi feito pelo Papa Bento XVI, dia 24 de agosto. Mais de cem mil pessoas se reuniram em São Paulo para receber os

símbolos da Jornada Mundial da Juventude 2013. Uma missa, dia 18 de setembro, marcou a chegada dos símbolos, que são a Cruz dos Jovens e o ícone de Nossa Senhora. Fonte: Rádio Vaticano Um total de 117 novos bispos, nomeados em 2010, participaram de um encontro e peregrinação ao tú-

GIRO PELAS

PARÓQUIAS O Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida de Campo Mourão realizará novena, de 3 a 11 de outubro, em preparação à festa da padroeira. No dia 12, dia da padroeira do Brasil, haverá várias celebrações eucarísticas, coroação, consagração e atividades durante todo o dia. A programação completa pode ser vista no site www. diocesecampomourao.com.br

tro de Formação Monsenhor Aleixo Selusniak, dia 4 de setembro.

A ordenação diaconal dos seminaristas Lussamir Rogério de Souza, Gianny José Gracioso Bento e Rômulo Ramos Gonçalves, será no dia 30 de outubro, na Catedral São José, em Campo Mourão.

A paróquia Santo Antonio de Mariluz realizará a II Gincana Bíblica com catequizandos, pais e catequistas. Será no dia 9 de outubro. Além da competição, haverá brincadeiras e dinâmicas.

Equipes de canto da paróquia Nossa Senhora das Graças, Santuário Santa Rita de Cássia e capelas de Barbosa Ferraz participaram de um encontro de formação de música‫ ‏‬. Foi no Cen-

A paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê começará o programa Voz da Igreja, na Rádio União FM (comunitária) de Mamborê. A estreia será no dia 2 de outubro, das 14h às 14h30.

A catequese diocesana esteve reunida dia 17 de setembro no Santuário Nossa Senhora Aparecida, em Campo Mourão. Foi apresentado o VII Sulão de Catequese e discutidos os projetos da prioridade Catequese, do 19° PDAE, entre outros assuntos tratados.

Santo Inácio de Antioquia

N

as fileiras da milícia dos Santos Padres, destaca-se com veemência a figura de Inácio, bispo de Antioquia durante os anos de 70 a 107 (a data de seu martírio é incerta. Alguns estudiosos o situam entre 110 ou 117). Dentre os Santos Padres, Inácio se sobressai como pregoeiro da luta pela unidade e comunhão da Igreja. Nas sete cartas autênticas a ele atribuídas, frequentemente aparece o apelo, a fim de que seja mantida intacta a comunhão eclesial e a integridade doutrinária entre os fiéis e os pastores. Inácio foi levado da Síria a Roma por ordem do imperador Trajano, onde deveria ser lançado às feras por causa de sua fidelidade à Igreja de Cristo, severamente per-

seguida pelo poder imperial romano de então. Foi exatamente a caminho do martírio que o bispo de Antioquia redigiu suas cartas, endereçando-as a diferentes comunidades cristãs. Nestes escritos Inácio repete diversas vezes que Deus é unidade, e que só em Deus ela se encontra no estado puro e originário. A unidade a ser realizada nesta terra pelos cristãos é unicamente uma imitação, o mais possível conforme ao modelo divino. Portanto, não é sem razão que o bispo antioqueno pode ser definido como “doutor da unidade”, pois segundo sua compreensão é na sintonia da unidade entre os homens que se torna possível entoar os autênticos louvores de Deus. Outro aspecto emblemático de seu pensamento é a desenvolvida teolo-

Em mensagem enviada aos 16 mil participantes do 22º Dia Mariano da Família, realizado dia 17 de setembro em um província espanhola, o Papa Bento XVI  incentivou os esposos a “não desanimar em seu empenho de ser referência para os seus filhos, que precisam descobrir, na constância e no senso do dever, o rosto do verdadeiro amor”. Fonte: Zenit

Na paróquia Nossa Senhora de Fátima de Nova Cantu, haverá missa da padroeira do Brasil, dia 12 de outubro, na gruta de Nossa Senhora Aparecida. Haverá procissão da igreja matriz até a gruta, às 8h30. A paróquia Santa Rita de Cássia do Jardim Alvorada, Campo Mourão, realizará um evento em prol à colocação da cruz na nova igreja. A promoção será o “Porco no Tacho”, no dia 9 de outubro. A paróquia Nossa Senhora Aparecida de Luiziana realizará novena em preparação para a festa da sua padroeira, de 3 a 11 de outubro. No dia 12, dia da padroeira de Luiziana e do Brasil, haverá missa às 19h30. No domingo, dia 9 de outubro, acontecerá missa às 9h30, com Primeira Eucaristia. Em Janiópolis, onde a padroeira também é Nossa Senhora Aparecida, haverá novena de 3 a 11 de outubro. No dia 8 haverá festival de música sertaneja; dia 9, quermesse e apresentação da orquestra de viola de Farol; dia 10, quermesse e apresentação da orques-

A TV Canção Nova tornou-se a primeira emissora de televisão nacional a disponibilizar sua programação para ser assistida pela internet, através do Facebook, a maior rede social do mundo. Fonte: ACI Digital Presidente do Regional Sul 2 da CNBB, dom João Bosco de Souza, participou de reunião do clero em Maringá para explicar as “Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil”. O encontro foi no dia 8 de setembro. Fonte: arquimaringa.org.br

tra de viola de Engenheiro Beltrão; dia 11, desfile para escolha da rainha da festa e, dia 12, missa às 9h. Em comemoração ao Dia do Surdo, a Escola Municipal de Educação Especial de Campo Mourão, realiza um encontro dia 28 de setembro. São convidados surdos de Campo Mourão e região. A programação está no site da diocese: www.diocesecampomourao.com.br

Página 05

Outubro 2011

Diocese presente na Assembleia Anual do Comire O

Comire - Conselho Missionário Regional, formado por todas as dioceses do Paraná, esteve reunido em Assembleia na cidade de Toledo de 2 a 4 de setembro.  A diocese de Campo Mourão foi representada por cinco diocesanos: dois de Campo Mourão, dois de Mamborê e um de Goioerê. Este ano a Assembleia foi formativa e teve como tema “A Palavra do Senhor permanece para sempre” (1 Pd. 1,25). A formação foi passada através de palestras ministradas pelo Pe. Carlos Batistoni, da diocese de Ponta Grossa, tendo como tema central: “Elementos Bíblicos da Espiritualidade Missionária - Por uma formação missionária moldada pelo estudo e pela leitura

orante da Sagrada Escritura”. A assembleia também foi uma oportunidade para que coordenadores da Juventude Missionária do Paraná partilhassem experiências e interagissem entre si, formando elos de amizade que serão fundamentais para o crescimento deste setor no estado do Paraná (Regional Sul 2 da CNBB). Foi a primeira vez que a Juventude Missionária esteve fortemente representada na Assembleia do Comire. Na diocese de Campo Mourão a Juventude Missionária está presente há pouco mais de um mês, mas com planos de fortalecimento do Setor para o próximo ano, tendo em vista que uma das prioridades do 19º PDAE é a Juventude. Mateus Martins da Rocha, representante da Juventude Missionária na Diocese

Jovens no Comire

“Aí percebi a grandiosidade da nossa Igreja!” Fábio Sexugi, descrevendo a perfeita interação entre jovens de diferentes línguas e culturas, como se fosse velhos amigos, na JMJ, em Madri

Escola Diaconal

Na paróquia São Pedro de Corumbataí do Sul, haverá retiro de cura interior, nos dias 22 e 23 de outubro. A realização é da RCC - Renovação Carismática Católica. O encontro com as famílias que aconteceria dia 21 de agosto, em Goioerê, e contaria com a presença das 3 paróquias, foi transferido para o dia 23 de outubro. Será no parque de exposições. Outra informação de Goioerê, é da paróquia Nossa Senhora das Candeias: haverá o tríduo do Nascituro, de 6 a 8 de outubro e o Cerco de Jericó, de 8 a 16 de outubro. Na Catedral São José de Campo Mourão, 128 pessoas receberam o sacramento da Confirmação, no dia 17 de setembro.

Grupo com Frei Vicente

Aspirantes com o Pe. Jurandir, na última etapa

Aspirantes ao diaconato de diversas paróquias continuam frequentando a Escola Diaconal. No último módulo, o assunto foi “História da Igreja”, que

teve o Pe. Jurandir Coronado Aguilar, como assessor. No encontro anterior, Frei Vicente trabalhou o assunto “Bíblia - Pentateuco”.

Somos discípulos missionários do Senhor!

gia do martírio. Com efeito, na carta dirigida à Igreja de Roma Inácio diz: “tenho escrito a todas as Igrejas e a todas elas faço saber que morro por Deus com alegria, desde que vós não me impeçais. Suplico-vos: não demonstreis por mim uma benevolência inoportuna. Deixai-me ser alimento das feras; por elas pode-se alcançar a Deus. Sou trigo de Deus, serei triturado pelos dentes das feras para tornar-me o puro pão de Cristo. Rogai a Cristo por mim, para que por este meio me torne sacrifício para Deus”. Deste modo, na vida de Santo Inácio de Antioquia encontra-se um saliente exemplo de fortaleza e perseverança, bem como de gratuidade e doação total à vontade de Deus. Sua memória litúrgica é celebrada pela Igreja no dia 17 de outubro. Trata-se de um convite, a fim de que os cristãos do tempo

presente revigorem a adesão a Jesus Cristo mediante o heroísmo daqueles que nos precederam na vivência da fé e manutenção da esperança que provém da Redenção. É um chamado de atenção à necessidade de se trabalhar em prol da concretização da unidade, a fim de que “Deus seja tudo em todos” (1Cor 15,28).

Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, 3º ano de Teologia

Q

uem encontra algo muito valioso fica transbordando felicidade. Imaginemos que alguém que descubra um novo planeta ou uma espécie animal até agora desconhecida; que alguém descubra a cura para a AIDS ou para o câncer. Uma das primeiras coisas que faria era partilhar isso com os outros. Que o mundo todo ficasse sabendo! Esta vontade de partilhar com os outros uma descoberta que dá um novo sentido para a vida, é expressa por quem se encontra com Jesus. É uma felicidade que não se pode guardar para si mesmo, como a mulher que encontra a moeda perdida (Lc 15,9: convida as amigas para se alegrar com ela) ou como o pai que recupera seu filho (Lc 15,23-24: dá uma grande festa). Nos evangelhos temos alguns belos exemplos. Quem é

curado, espalha a maravilha que foi o encontro com o Senhor (Mc 5,20). Um caso bem particular é o da samaritana. Tendo se encontrado com Jesus no poço de Jacó, volta à cidade, conta para as pessoas e as convida para vir encontrá-lo (Jo 4,28-30). Depois de ouvi-lo, também elas aderem à sua pessoa (Jo 4,41-42). Podemos afirmar que o encontro com Jesus nos faz discípulos e, espontaneamente, missionários. É preciso também outra forma de missão, aquela organizada e sistemática, que sustente a missão espontânea e a caminhada dos discípulos. Jesus teve esta preocupação. Escolheu os doze apóstolos, os preparou e os enviou em missão (Lc 9, 1-2; Mt 28,18); também preparou e enviou os 72 discípulos (Lc 10,1). Paulo, o grande missionário conver-

tido, edificou comunidades por onde passou. Foi esses missionários que fizeram Jesus chegar a te nós. A missão tem a função de levar a Boa Notícia (Evangelho) do Reino de Deus a todas as pessoas, a Palavra da Salvação que dá sentido à vida. O missionário é antes de tudo discípulo. E porque é discípulo, sentirá também o chamado a ser missionário: discípulo-missionário. O discipulado é marcado pela vivência do amor: “Eu dou a vocês um mandamento novo: amem-se uns aos outros. Assim como eu amei vocês, vocês devem se amar uns aos outros. Se vocês tiverem amor uns para com os outros, todos reconhecerão que vocês são meus discípulos” (Jo 13,34-35). E como missionários somos chamados a ser sal e luz para o mundo (Mt 5,13-16).

Neste mês dedicado às missões, reflitamos sobre nossa vida de batizados, de discípulos missionários do Senhor. O mundo tem passado por profundas transformações. Se há alguns séculos ser missionário significava ir para terras distantes e evangelizar povos diferentes, hoje o desafio evangelizador pode estar em nossas casas e vizinhança. É ali que deveremos vivenciar o discipulado e exercer nossa missão evangelizadora.

Pe. Luiz Antonio Belini, pároco de Quinta do Sol


Página 06

Outubro 2011

19º Plano Diocesano da Ação Evangelizadora Passos do 19º PDAE Com o objetivo de assumir suas propostas de ação, realizamos vários encontros dando início à elaboração dos Planos das ações dos Projetos das Prioridades Família, Catequese e Juventude: Dia 06/08 - Encontro da Coordenação e Setor Juventude com as pastorais, movimentos e serviços afins com a Juventude. Dia 29/08 - Encontro da coordenação e Comissão da Família com as pastorais, movimentos e serviços afins com a Família. Dia 09/09 - Segundo encontro do Setor e Comissão da Família. Dia 10/09 - Segundo encontro do Setor Juventude e coordenadores diocesanos das pastorais, movimentos e serviços afins com a Juventude. Dia 12/09 - Encontro da coordenação, Comissão da Catequese e coordenações diocesanas das pastorais, movimentos e serviços afins com a Catequese. Estamos empenhados nesta tarefa de elaborar os Planos das Ações propostas no 19º PDAE - Plano Diocesano de Ação Evangelizadora até o final de 2011. Ir. Dionísia Pereira Duarte

“O 19° Plano da Ação Evangelizadora é uma ferramenta colocada em nossas mãos. Ele reflete o sonho de uma Igreja em contínuo processo de conversão” Dom Javier, durante a missa da padroeira de Engenheiro Beltrão

Setor Família da diocese se reúne Com o objetivo de planejar as ações dos projetos referentes à Prioridade Família, aconteceu um encontro com coordenadores de pastorais, movimentos e serviços ligados à mesma, de toda a diocese de Campo Mourão. “Família” é uma das prioridades do 19º PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora. O encontro foi dia 29 de agosto, no Centro Catequético, em Campo Mourão. Um encontro semelhante aconteceu no dia 6 de agosto, sobre a prioridade Juventude. A terceira prioridade do 19° PDAE, Catequese, teve o seu encontro no dia 12 de setembro. O coordenador do CDAE - Coordenação Diocesana de Ação

Encontro sobre a prioridade Família

Paróquia realiza estudo do 19° Plano A paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê, se reuniu na noite de 26 de agosto, no salão paroquial para iniciar o estudo do 19° PDAE. Dezenas de pessoas, representando diferentes pastorais, movimentos e serviços, discutiram o Plano e suas formas de execução, orientados pela Ir. Dionísia Pereira Duarte e pelo vigário paroquial Pe. Sidinei Teixeira Gomes.

Comunidade reunida

Evangelizadora, Pe. Gaspar Gonçalves da Silva, presidiu a oração inicial e dom Francisco Javier, bispo diocesano, fez a acolhida dos presentes. João Magro, coordenador da comissão da prioridade Família, falou sobre os passos seguidos, desde quando o objetivo foi traçado e as prioridades escolhidas. A Ir. Dionísia Pereira Duarte, falou sobre como o 19° PDAE é composto e enfatizou a importância de se executar os projetos tendo como ferramenta os Planos de Ação. Para a formação do Setor Família, foram escolhidos nomes de representantes de todas as Pastorais, Movimentos e Serviços ligados à família.

Página 07

Outubro 2011

Missa encerra Semana da Pessoa Deficiente

U

ma celebração eucarística, na paróquia Nossa Senhora das Candeias de Goioerê, encerrou a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla (21 a 28 de agosto). Foi no último final de semana de

Seminaristas recebem ministério de acólito

O

s seminaristas Alfredo Rafael Belinato Barreto, Adilson Mitinoru Naruishi, José Sidnei Calderán, Reinaldo Adriano Andrade e Willian Oliveira Lopes receberam o ministério de acólito no dia 16 de setembro, durante uma celebração eucarística no Santuário Diocesano Santa Rita de Cássia, em Barbosa Ferraz. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes. O acolitato é um ministério dado pela Igreja aos seminaristas ou leigos para auxiliarem o sacerdote e o diácono no altar e na distribuição do Pão. Uma vez tornado acólito, ele passa a ser ministro da Eucaristia extraordinário de modo mais permanente na diocese. Este ministério é dado ao seminarista, normalmente durante o término de seus estudos em preparação para as ordenações diaconal e presbiteral. 

agosto, com presença de alunos, professores e diretores da Apae de Goioerê. Os cantos, ficaram por conta do coral da Apae, comandado pela professora Zilda. A missa foi presidida pelo pároco, Pe. Ivan Luiz Walter.

Pe. Ivan com integrantes do coral da Apae

Nossa Senhora Aparecida, que se fosse da O Dia das Crianças avontade dela e de Deus, que eu fosse jogador Interessante notar que pouco enfatizamos a festa do Dia das Crianças. Geralmente enfatizamos muito Nossa Senhora Aparecida e outros assuntos que são, sim, importantes, mas que não estão acima da dimensão do valor de uma criança ao mundo. Ao pensar sobre esse dia, refleti que se celebrássemos o Dia das Crianças no mesmo dia que celebramos o nascimento de Jesus, poderia ser mais eficaz, pois daí não olharíamos apenas a festa em si, mas o valor que tem uma criança ao mundo. Jesus, simples, que nasce numa manjedoura, é a luz do mundo. Cada criança que nasce também tem tal importância, pois em cada uma vemos a luz de Deus e cada uma tem em si um potencial extraordinário de vida que jamais podemos deixar de lado. A criança não pode ser vista apenas como o futuro, mas como o presente. Os sonhos de uma criança jamais devem ser deixados de lado, dizendo que criança não sabe o que quer e o que faz, mas devem ser cultivados, transformando-os em esperança. Ao celebrar o Dia de nossa Mãe Aparecida, lembro que minha vocação nasceu de uma oração aos pés da imagem da Mãe, no quarto de meus pais. Eu era ainda criança e, com um desejo de ser jogador de futebol, me ajoelhei no lugar mais sagrado que se pode ter dentro de um lar: no quarto, ao lado da cama dos pais. Ali fiz um pedido

O espírito tão atual de Assis Dia 4 de outubro celebramos a vida de Francisco de Assis que viveu, há mais de 800 anos, a maior radicalidade do Evangelho, despojando-se de tudo para receber tudo de Deus, vivendo no amor que levava aos seus irmãos que o chamavam o irmãosempre-alegre. Considerado como o patrono da ecologia da atualidade, o grande exemplo para todos aqueles que procuram um novo acordo com a natureza e que sonham com uma confraternização universal. Seu modo de ser vem de encontro com o espírito ecológico de nosso tempo, tão carente de união, diálogo, paz, encantamento e magia. Em Francisco de Assis encontramos valores que perdemos como o encantamento face ao esplendor da natureza, a reverência diante de cada ser, a cortesia para com cada pessoa e o sentimento de fraternidade com cada ser da criação, com o sol e a

I

lua, o céu e a terra, com o lobo feroz e o hanseniano que ele abraça enternecido. Ele realizou uma síntese feliz entre a ecologia exterior e a ecologia interior a ponto de se transformar no arquétipo de um humanismo terno e fraterno, capaz de acolher jovialmente todas as diferenças, essencial nestes tempos de todas as formas de divisões em que vivemos. Com Francisco descobrimos um cristianismo de jovialidade e canto, de paixão e dança, de coração e poesia, de uma inocência infantil, de frescor, pureza e encantamento à penosa existência nesta terra. Nele as pessoas não são “filhos e filhas da necessidade, mas filhos e filhas da alegria” (G. Bachelard). Abertura aos outros e ao universal, mas, também pobreza, contemplação da Criação, fraternidade, alegria, são as palavras-chave para aqueles, religiosos ou leigos, que vivem da espiritualidade do “Poverello”, seguem o espírito de Assis e compõem a família franciscana.

de futebol ou padre. Confesso que “ser padre”, jamais tinha passado na minha cabeça, até aquele momento. Deus me instruiu a fazer aquele pedido. Daquele momento em diante, tudo percorreu o caminho para o sacerdócio. A mãe ajuda o filho a esclarecer o seu desejo e a ser, no mundo, feliz. Não tem ainda alguém que faça esse papel tão perfeito como a mãe, pois possui um amor sem medida. Ela faz tudo para que o filho seja feliz e realizado. Imagino, então, o amor da Mãe Aparecida por cada criança brasileira. Por ter este título de Mãe brasileira, ela conhece e sabe de cada uma que nesta terra nasce. Com certeza, está olhando e intercedendo por cada criança e fazendo com que descubra a sua vocação para a felicidade. Mãe Aparecida, olhe por cada criança de nosso mundo, mas, de modo especial, essas de nossa Igreja diocesana. Seja para cada uma, Mãe e intercessora! Com amor, os ajude a encontrar o verdadeiro caminho para a felicidade. À Mãe de Jesus, que O carregou em seu ventre e no seu colo, possa também carregar cada criança e proteger com seu amor de mãe! Que cada criança cresça como Jesus cresceu, “em tamanho, sabedoria e graça diante de Deus e dos homens” (Lc 2, 39). Nossa Senhora Aparecida, Rogai por cada criança. Amém! Pe. Sidinei Teixeira Gomes, assessor da Pascom

O carisma franciscano prega uma vida de oração e de contemplação no mundo. São  Francisco  dizia: “Nosso claustro é o mundo”. Prega uma vida de missionário que busca “tornar o Reino de Deus acessível a todos, em particular aos mais frágeis, o que pressupõe que sejamos humildes e acessíveis”. Uma vida de fraternidade, e isto significa procurar ser irmãos de todos os homens e de todas as criaturas, o que nos leva, por exemplo, a interessar-nos por problemas como a salvaguarda da Criação ou o diálogo interreligioso. Francisco deixou-nos um programa de fraternidade universal. Quis ir ao encontro de todos: pobres, poderosos, enfermos, cristãos, muçulmanos, procurando sempre uma relação autêntica, um caminho fraterno para o outro, além das pressões e dos medos. Para Hermann Hesse: “Francisco casou em seu coração o céu com a terra e inflamou com a brasa da vida eterna nosso mundo terreno e mortal”. Que ele inflame os participantes do encontro entre representantes das diversas religiões que será

O Dízimo de A a Z

INDIVIDUALISMO O dízimo exige do dizimista que participe da vida da comunidade. A contribuição em dinheiro é necessária, mas não é tudo. Assim como partilha os seus bens, o dizimista é chamado a partilhar o seu tempo e os seus dons. Ser dizimista é abandonar o individualismo para participar ativamente da comunidade de fé e vida.

J

JUSTIÇA O dízimo pressupõe a justiça; para ser dizimista tenho que ser justo. Como posso oferecer a Deus aquilo que tirei ou deixei de pagar ao outro? Como oferecer à comunidade aquilo que deveria estar no bolso de outra pessoa e não no meu? A contribuição que agrada a Deus é fruto da honestidade e não da mentira. Ser dizimista é repartir com Deus e com a comunidade daquilo que de fato me pertence e que ganhei com o meu trabalho. Pe. Cristovam Iubel - Editora Pão e Vinho Colaboração: Assessor diocesano da Pastoral do Dízimo Diácono Artur Baretta

realizada em Assis no próximo dia 27 de outubro de 2011, na presença do papa, celebrando o 25º aniversário do primeiro encontro inter-religioso do gênero, buscando o diálogo de todos os crentes crente em Deus ou com o Absoluto, cada um com sua própria tradição religiosa ou a sua busca da verdade. “Irmãos, minhas irmãs, vamos cantar esta manhã, pois renasceu a criação das mãos de Deus...”

Maria Joana Titton Calderari membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia-FECILCAM e Ensino Religioso-PUCmajocalderari@yahoo.com.br


Página 06

Outubro 2011

19º Plano Diocesano da Ação Evangelizadora Passos do 19º PDAE Com o objetivo de assumir suas propostas de ação, realizamos vários encontros dando início à elaboração dos Planos das ações dos Projetos das Prioridades Família, Catequese e Juventude: Dia 06/08 - Encontro da Coordenação e Setor Juventude com as pastorais, movimentos e serviços afins com a Juventude. Dia 29/08 - Encontro da coordenação e Comissão da Família com as pastorais, movimentos e serviços afins com a Família. Dia 09/09 - Segundo encontro do Setor e Comissão da Família. Dia 10/09 - Segundo encontro do Setor Juventude e coordenadores diocesanos das pastorais, movimentos e serviços afins com a Juventude. Dia 12/09 - Encontro da coordenação, Comissão da Catequese e coordenações diocesanas das pastorais, movimentos e serviços afins com a Catequese. Estamos empenhados nesta tarefa de elaborar os Planos das Ações propostas no 19º PDAE - Plano Diocesano de Ação Evangelizadora até o final de 2011. Ir. Dionísia Pereira Duarte

“O 19° Plano da Ação Evangelizadora é uma ferramenta colocada em nossas mãos. Ele reflete o sonho de uma Igreja em contínuo processo de conversão” Dom Javier, durante a missa da padroeira de Engenheiro Beltrão

Setor Família da diocese se reúne Com o objetivo de planejar as ações dos projetos referentes à Prioridade Família, aconteceu um encontro com coordenadores de pastorais, movimentos e serviços ligados à mesma, de toda a diocese de Campo Mourão. “Família” é uma das prioridades do 19º PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora. O encontro foi dia 29 de agosto, no Centro Catequético, em Campo Mourão. Um encontro semelhante aconteceu no dia 6 de agosto, sobre a prioridade Juventude. A terceira prioridade do 19° PDAE, Catequese, teve o seu encontro no dia 12 de setembro. O coordenador do CDAE - Coordenação Diocesana de Ação

Encontro sobre a prioridade Família

Paróquia realiza estudo do 19° Plano A paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê, se reuniu na noite de 26 de agosto, no salão paroquial para iniciar o estudo do 19° PDAE. Dezenas de pessoas, representando diferentes pastorais, movimentos e serviços, discutiram o Plano e suas formas de execução, orientados pela Ir. Dionísia Pereira Duarte e pelo vigário paroquial Pe. Sidinei Teixeira Gomes.

Comunidade reunida

Evangelizadora, Pe. Gaspar Gonçalves da Silva, presidiu a oração inicial e dom Francisco Javier, bispo diocesano, fez a acolhida dos presentes. João Magro, coordenador da comissão da prioridade Família, falou sobre os passos seguidos, desde quando o objetivo foi traçado e as prioridades escolhidas. A Ir. Dionísia Pereira Duarte, falou sobre como o 19° PDAE é composto e enfatizou a importância de se executar os projetos tendo como ferramenta os Planos de Ação. Para a formação do Setor Família, foram escolhidos nomes de representantes de todas as Pastorais, Movimentos e Serviços ligados à família.

Página 07

Outubro 2011

Missa encerra Semana da Pessoa Deficiente

U

ma celebração eucarística, na paróquia Nossa Senhora das Candeias de Goioerê, encerrou a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla (21 a 28 de agosto). Foi no último final de semana de

Seminaristas recebem ministério de acólito

O

s seminaristas Alfredo Rafael Belinato Barreto, Adilson Mitinoru Naruishi, José Sidnei Calderán, Reinaldo Adriano Andrade e Willian Oliveira Lopes receberam o ministério de acólito no dia 16 de setembro, durante uma celebração eucarística no Santuário Diocesano Santa Rita de Cássia, em Barbosa Ferraz. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes. O acolitato é um ministério dado pela Igreja aos seminaristas ou leigos para auxiliarem o sacerdote e o diácono no altar e na distribuição do Pão. Uma vez tornado acólito, ele passa a ser ministro da Eucaristia extraordinário de modo mais permanente na diocese. Este ministério é dado ao seminarista, normalmente durante o término de seus estudos em preparação para as ordenações diaconal e presbiteral. 

agosto, com presença de alunos, professores e diretores da Apae de Goioerê. Os cantos, ficaram por conta do coral da Apae, comandado pela professora Zilda. A missa foi presidida pelo pároco, Pe. Ivan Luiz Walter.

Pe. Ivan com integrantes do coral da Apae

Nossa Senhora Aparecida, que se fosse da O Dia das Crianças avontade dela e de Deus, que eu fosse jogador Interessante notar que pouco enfatizamos a festa do Dia das Crianças. Geralmente enfatizamos muito Nossa Senhora Aparecida e outros assuntos que são, sim, importantes, mas que não estão acima da dimensão do valor de uma criança ao mundo. Ao pensar sobre esse dia, refleti que se celebrássemos o Dia das Crianças no mesmo dia que celebramos o nascimento de Jesus, poderia ser mais eficaz, pois daí não olharíamos apenas a festa em si, mas o valor que tem uma criança ao mundo. Jesus, simples, que nasce numa manjedoura, é a luz do mundo. Cada criança que nasce também tem tal importância, pois em cada uma vemos a luz de Deus e cada uma tem em si um potencial extraordinário de vida que jamais podemos deixar de lado. A criança não pode ser vista apenas como o futuro, mas como o presente. Os sonhos de uma criança jamais devem ser deixados de lado, dizendo que criança não sabe o que quer e o que faz, mas devem ser cultivados, transformando-os em esperança. Ao celebrar o Dia de nossa Mãe Aparecida, lembro que minha vocação nasceu de uma oração aos pés da imagem da Mãe, no quarto de meus pais. Eu era ainda criança e, com um desejo de ser jogador de futebol, me ajoelhei no lugar mais sagrado que se pode ter dentro de um lar: no quarto, ao lado da cama dos pais. Ali fiz um pedido

O espírito tão atual de Assis Dia 4 de outubro celebramos a vida de Francisco de Assis que viveu, há mais de 800 anos, a maior radicalidade do Evangelho, despojando-se de tudo para receber tudo de Deus, vivendo no amor que levava aos seus irmãos que o chamavam o irmãosempre-alegre. Considerado como o patrono da ecologia da atualidade, o grande exemplo para todos aqueles que procuram um novo acordo com a natureza e que sonham com uma confraternização universal. Seu modo de ser vem de encontro com o espírito ecológico de nosso tempo, tão carente de união, diálogo, paz, encantamento e magia. Em Francisco de Assis encontramos valores que perdemos como o encantamento face ao esplendor da natureza, a reverência diante de cada ser, a cortesia para com cada pessoa e o sentimento de fraternidade com cada ser da criação, com o sol e a

I

lua, o céu e a terra, com o lobo feroz e o hanseniano que ele abraça enternecido. Ele realizou uma síntese feliz entre a ecologia exterior e a ecologia interior a ponto de se transformar no arquétipo de um humanismo terno e fraterno, capaz de acolher jovialmente todas as diferenças, essencial nestes tempos de todas as formas de divisões em que vivemos. Com Francisco descobrimos um cristianismo de jovialidade e canto, de paixão e dança, de coração e poesia, de uma inocência infantil, de frescor, pureza e encantamento à penosa existência nesta terra. Nele as pessoas não são “filhos e filhas da necessidade, mas filhos e filhas da alegria” (G. Bachelard). Abertura aos outros e ao universal, mas, também pobreza, contemplação da Criação, fraternidade, alegria, são as palavras-chave para aqueles, religiosos ou leigos, que vivem da espiritualidade do “Poverello”, seguem o espírito de Assis e compõem a família franciscana.

de futebol ou padre. Confesso que “ser padre”, jamais tinha passado na minha cabeça, até aquele momento. Deus me instruiu a fazer aquele pedido. Daquele momento em diante, tudo percorreu o caminho para o sacerdócio. A mãe ajuda o filho a esclarecer o seu desejo e a ser, no mundo, feliz. Não tem ainda alguém que faça esse papel tão perfeito como a mãe, pois possui um amor sem medida. Ela faz tudo para que o filho seja feliz e realizado. Imagino, então, o amor da Mãe Aparecida por cada criança brasileira. Por ter este título de Mãe brasileira, ela conhece e sabe de cada uma que nesta terra nasce. Com certeza, está olhando e intercedendo por cada criança e fazendo com que descubra a sua vocação para a felicidade. Mãe Aparecida, olhe por cada criança de nosso mundo, mas, de modo especial, essas de nossa Igreja diocesana. Seja para cada uma, Mãe e intercessora! Com amor, os ajude a encontrar o verdadeiro caminho para a felicidade. À Mãe de Jesus, que O carregou em seu ventre e no seu colo, possa também carregar cada criança e proteger com seu amor de mãe! Que cada criança cresça como Jesus cresceu, “em tamanho, sabedoria e graça diante de Deus e dos homens” (Lc 2, 39). Nossa Senhora Aparecida, Rogai por cada criança. Amém! Pe. Sidinei Teixeira Gomes, assessor da Pascom

O carisma franciscano prega uma vida de oração e de contemplação no mundo. São  Francisco  dizia: “Nosso claustro é o mundo”. Prega uma vida de missionário que busca “tornar o Reino de Deus acessível a todos, em particular aos mais frágeis, o que pressupõe que sejamos humildes e acessíveis”. Uma vida de fraternidade, e isto significa procurar ser irmãos de todos os homens e de todas as criaturas, o que nos leva, por exemplo, a interessar-nos por problemas como a salvaguarda da Criação ou o diálogo interreligioso. Francisco deixou-nos um programa de fraternidade universal. Quis ir ao encontro de todos: pobres, poderosos, enfermos, cristãos, muçulmanos, procurando sempre uma relação autêntica, um caminho fraterno para o outro, além das pressões e dos medos. Para Hermann Hesse: “Francisco casou em seu coração o céu com a terra e inflamou com a brasa da vida eterna nosso mundo terreno e mortal”. Que ele inflame os participantes do encontro entre representantes das diversas religiões que será

O Dízimo de A a Z

INDIVIDUALISMO O dízimo exige do dizimista que participe da vida da comunidade. A contribuição em dinheiro é necessária, mas não é tudo. Assim como partilha os seus bens, o dizimista é chamado a partilhar o seu tempo e os seus dons. Ser dizimista é abandonar o individualismo para participar ativamente da comunidade de fé e vida.

J

JUSTIÇA O dízimo pressupõe a justiça; para ser dizimista tenho que ser justo. Como posso oferecer a Deus aquilo que tirei ou deixei de pagar ao outro? Como oferecer à comunidade aquilo que deveria estar no bolso de outra pessoa e não no meu? A contribuição que agrada a Deus é fruto da honestidade e não da mentira. Ser dizimista é repartir com Deus e com a comunidade daquilo que de fato me pertence e que ganhei com o meu trabalho. Pe. Cristovam Iubel - Editora Pão e Vinho Colaboração: Assessor diocesano da Pastoral do Dízimo Diácono Artur Baretta

realizada em Assis no próximo dia 27 de outubro de 2011, na presença do papa, celebrando o 25º aniversário do primeiro encontro inter-religioso do gênero, buscando o diálogo de todos os crentes crente em Deus ou com o Absoluto, cada um com sua própria tradição religiosa ou a sua busca da verdade. “Irmãos, minhas irmãs, vamos cantar esta manhã, pois renasceu a criação das mãos de Deus...”

Maria Joana Titton Calderari membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia-FECILCAM e Ensino Religioso-PUCmajocalderari@yahoo.com.br


Página 08

Outubro 2011

mulo de São Pedro, em Roma. Destes, 23 novos bispos são do Brasil. O encontro foi de 7 a 16 de setembro. Fonte: CNBB O lema da JMJ - Jornada Mundial da Juventude de 2013, que será no Rio de Janeiro, será “Ide e fazei discípulos todos os povos”, do Evangelho de Mateus. O anúncio foi feito pelo Papa Bento XVI, dia 24 de agosto. Mais de cem mil pessoas se reuniram em São Paulo para receber os

símbolos da Jornada Mundial da Juventude 2013. Uma missa, dia 18 de setembro, marcou a chegada dos símbolos, que são a Cruz dos Jovens e o ícone de Nossa Senhora. Fonte: Rádio Vaticano Um total de 117 novos bispos, nomeados em 2010, participaram de um encontro e peregrinação ao tú-

GIRO PELAS

PARÓQUIAS O Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida de Campo Mourão realizará novena, de 3 a 11 de outubro, em preparação à festa da padroeira. No dia 12, dia da padroeira do Brasil, haverá várias celebrações eucarísticas, coroação, consagração e atividades durante todo o dia. A programação completa pode ser vista no site www. diocesecampomourao.com.br

tro de Formação Monsenhor Aleixo Selusniak, dia 4 de setembro.

A ordenação diaconal dos seminaristas Lussamir Rogério de Souza, Gianny José Gracioso Bento e Rômulo Ramos Gonçalves, será no dia 30 de outubro, na Catedral São José, em Campo Mourão.

A paróquia Santo Antonio de Mariluz realizará a II Gincana Bíblica com catequizandos, pais e catequistas. Será no dia 9 de outubro. Além da competição, haverá brincadeiras e dinâmicas.

Equipes de canto da paróquia Nossa Senhora das Graças, Santuário Santa Rita de Cássia e capelas de Barbosa Ferraz participaram de um encontro de formação de música‫ ‏‬. Foi no Cen-

A paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê começará o programa Voz da Igreja, na Rádio União FM (comunitária) de Mamborê. A estreia será no dia 2 de outubro, das 14h às 14h30.

A catequese diocesana esteve reunida dia 17 de setembro no Santuário Nossa Senhora Aparecida, em Campo Mourão. Foi apresentado o VII Sulão de Catequese e discutidos os projetos da prioridade Catequese, do 19° PDAE, entre outros assuntos tratados.

Santo Inácio de Antioquia

N

as fileiras da milícia dos Santos Padres, destaca-se com veemência a figura de Inácio, bispo de Antioquia durante os anos de 70 a 107 (a data de seu martírio é incerta. Alguns estudiosos o situam entre 110 ou 117). Dentre os Santos Padres, Inácio se sobressai como pregoeiro da luta pela unidade e comunhão da Igreja. Nas sete cartas autênticas a ele atribuídas, frequentemente aparece o apelo, a fim de que seja mantida intacta a comunhão eclesial e a integridade doutrinária entre os fiéis e os pastores. Inácio foi levado da Síria a Roma por ordem do imperador Trajano, onde deveria ser lançado às feras por causa de sua fidelidade à Igreja de Cristo, severamente per-

seguida pelo poder imperial romano de então. Foi exatamente a caminho do martírio que o bispo de Antioquia redigiu suas cartas, endereçando-as a diferentes comunidades cristãs. Nestes escritos Inácio repete diversas vezes que Deus é unidade, e que só em Deus ela se encontra no estado puro e originário. A unidade a ser realizada nesta terra pelos cristãos é unicamente uma imitação, o mais possível conforme ao modelo divino. Portanto, não é sem razão que o bispo antioqueno pode ser definido como “doutor da unidade”, pois segundo sua compreensão é na sintonia da unidade entre os homens que se torna possível entoar os autênticos louvores de Deus. Outro aspecto emblemático de seu pensamento é a desenvolvida teolo-

Em mensagem enviada aos 16 mil participantes do 22º Dia Mariano da Família, realizado dia 17 de setembro em um província espanhola, o Papa Bento XVI  incentivou os esposos a “não desanimar em seu empenho de ser referência para os seus filhos, que precisam descobrir, na constância e no senso do dever, o rosto do verdadeiro amor”. Fonte: Zenit

Na paróquia Nossa Senhora de Fátima de Nova Cantu, haverá missa da padroeira do Brasil, dia 12 de outubro, na gruta de Nossa Senhora Aparecida. Haverá procissão da igreja matriz até a gruta, às 8h30. A paróquia Santa Rita de Cássia do Jardim Alvorada, Campo Mourão, realizará um evento em prol à colocação da cruz na nova igreja. A promoção será o “Porco no Tacho”, no dia 9 de outubro. A paróquia Nossa Senhora Aparecida de Luiziana realizará novena em preparação para a festa da sua padroeira, de 3 a 11 de outubro. No dia 12, dia da padroeira de Luiziana e do Brasil, haverá missa às 19h30. No domingo, dia 9 de outubro, acontecerá missa às 9h30, com Primeira Eucaristia. Em Janiópolis, onde a padroeira também é Nossa Senhora Aparecida, haverá novena de 3 a 11 de outubro. No dia 8 haverá festival de música sertaneja; dia 9, quermesse e apresentação da orquestra de viola de Farol; dia 10, quermesse e apresentação da orques-

A TV Canção Nova tornou-se a primeira emissora de televisão nacional a disponibilizar sua programação para ser assistida pela internet, através do Facebook, a maior rede social do mundo. Fonte: ACI Digital Presidente do Regional Sul 2 da CNBB, dom João Bosco de Souza, participou de reunião do clero em Maringá para explicar as “Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil”. O encontro foi no dia 8 de setembro. Fonte: arquimaringa.org.br

tra de viola de Engenheiro Beltrão; dia 11, desfile para escolha da rainha da festa e, dia 12, missa às 9h. Em comemoração ao Dia do Surdo, a Escola Municipal de Educação Especial de Campo Mourão, realiza um encontro dia 28 de setembro. São convidados surdos de Campo Mourão e região. A programação está no site da diocese: www.diocesecampomourao.com.br

Página 05

Outubro 2011

Diocese presente na Assembleia Anual do Comire O

Comire - Conselho Missionário Regional, formado por todas as dioceses do Paraná, esteve reunido em Assembleia na cidade de Toledo de 2 a 4 de setembro.  A diocese de Campo Mourão foi representada por cinco diocesanos: dois de Campo Mourão, dois de Mamborê e um de Goioerê. Este ano a Assembleia foi formativa e teve como tema “A Palavra do Senhor permanece para sempre” (1 Pd. 1,25). A formação foi passada através de palestras ministradas pelo Pe. Carlos Batistoni, da diocese de Ponta Grossa, tendo como tema central: “Elementos Bíblicos da Espiritualidade Missionária - Por uma formação missionária moldada pelo estudo e pela leitura

orante da Sagrada Escritura”. A assembleia também foi uma oportunidade para que coordenadores da Juventude Missionária do Paraná partilhassem experiências e interagissem entre si, formando elos de amizade que serão fundamentais para o crescimento deste setor no estado do Paraná (Regional Sul 2 da CNBB). Foi a primeira vez que a Juventude Missionária esteve fortemente representada na Assembleia do Comire. Na diocese de Campo Mourão a Juventude Missionária está presente há pouco mais de um mês, mas com planos de fortalecimento do Setor para o próximo ano, tendo em vista que uma das prioridades do 19º PDAE é a Juventude. Mateus Martins da Rocha, representante da Juventude Missionária na Diocese

Jovens no Comire

“Aí percebi a grandiosidade da nossa Igreja!” Fábio Sexugi, descrevendo a perfeita interação entre jovens de diferentes línguas e culturas, como se fosse velhos amigos, na JMJ, em Madri

Escola Diaconal

Na paróquia São Pedro de Corumbataí do Sul, haverá retiro de cura interior, nos dias 22 e 23 de outubro. A realização é da RCC - Renovação Carismática Católica. O encontro com as famílias que aconteceria dia 21 de agosto, em Goioerê, e contaria com a presença das 3 paróquias, foi transferido para o dia 23 de outubro. Será no parque de exposições. Outra informação de Goioerê, é da paróquia Nossa Senhora das Candeias: haverá o tríduo do Nascituro, de 6 a 8 de outubro e o Cerco de Jericó, de 8 a 16 de outubro. Na Catedral São José de Campo Mourão, 128 pessoas receberam o sacramento da Confirmação, no dia 17 de setembro.

Grupo com Frei Vicente

Aspirantes com o Pe. Jurandir, na última etapa

Aspirantes ao diaconato de diversas paróquias continuam frequentando a Escola Diaconal. No último módulo, o assunto foi “História da Igreja”, que

teve o Pe. Jurandir Coronado Aguilar, como assessor. No encontro anterior, Frei Vicente trabalhou o assunto “Bíblia - Pentateuco”.

Somos discípulos missionários do Senhor!

gia do martírio. Com efeito, na carta dirigida à Igreja de Roma Inácio diz: “tenho escrito a todas as Igrejas e a todas elas faço saber que morro por Deus com alegria, desde que vós não me impeçais. Suplico-vos: não demonstreis por mim uma benevolência inoportuna. Deixai-me ser alimento das feras; por elas pode-se alcançar a Deus. Sou trigo de Deus, serei triturado pelos dentes das feras para tornar-me o puro pão de Cristo. Rogai a Cristo por mim, para que por este meio me torne sacrifício para Deus”. Deste modo, na vida de Santo Inácio de Antioquia encontra-se um saliente exemplo de fortaleza e perseverança, bem como de gratuidade e doação total à vontade de Deus. Sua memória litúrgica é celebrada pela Igreja no dia 17 de outubro. Trata-se de um convite, a fim de que os cristãos do tempo

presente revigorem a adesão a Jesus Cristo mediante o heroísmo daqueles que nos precederam na vivência da fé e manutenção da esperança que provém da Redenção. É um chamado de atenção à necessidade de se trabalhar em prol da concretização da unidade, a fim de que “Deus seja tudo em todos” (1Cor 15,28).

Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, 3º ano de Teologia

Q

uem encontra algo muito valioso fica transbordando felicidade. Imaginemos que alguém que descubra um novo planeta ou uma espécie animal até agora desconhecida; que alguém descubra a cura para a AIDS ou para o câncer. Uma das primeiras coisas que faria era partilhar isso com os outros. Que o mundo todo ficasse sabendo! Esta vontade de partilhar com os outros uma descoberta que dá um novo sentido para a vida, é expressa por quem se encontra com Jesus. É uma felicidade que não se pode guardar para si mesmo, como a mulher que encontra a moeda perdida (Lc 15,9: convida as amigas para se alegrar com ela) ou como o pai que recupera seu filho (Lc 15,23-24: dá uma grande festa). Nos evangelhos temos alguns belos exemplos. Quem é

curado, espalha a maravilha que foi o encontro com o Senhor (Mc 5,20). Um caso bem particular é o da samaritana. Tendo se encontrado com Jesus no poço de Jacó, volta à cidade, conta para as pessoas e as convida para vir encontrá-lo (Jo 4,28-30). Depois de ouvi-lo, também elas aderem à sua pessoa (Jo 4,41-42). Podemos afirmar que o encontro com Jesus nos faz discípulos e, espontaneamente, missionários. É preciso também outra forma de missão, aquela organizada e sistemática, que sustente a missão espontânea e a caminhada dos discípulos. Jesus teve esta preocupação. Escolheu os doze apóstolos, os preparou e os enviou em missão (Lc 9, 1-2; Mt 28,18); também preparou e enviou os 72 discípulos (Lc 10,1). Paulo, o grande missionário conver-

tido, edificou comunidades por onde passou. Foi esses missionários que fizeram Jesus chegar a te nós. A missão tem a função de levar a Boa Notícia (Evangelho) do Reino de Deus a todas as pessoas, a Palavra da Salvação que dá sentido à vida. O missionário é antes de tudo discípulo. E porque é discípulo, sentirá também o chamado a ser missionário: discípulo-missionário. O discipulado é marcado pela vivência do amor: “Eu dou a vocês um mandamento novo: amem-se uns aos outros. Assim como eu amei vocês, vocês devem se amar uns aos outros. Se vocês tiverem amor uns para com os outros, todos reconhecerão que vocês são meus discípulos” (Jo 13,34-35). E como missionários somos chamados a ser sal e luz para o mundo (Mt 5,13-16).

Neste mês dedicado às missões, reflitamos sobre nossa vida de batizados, de discípulos missionários do Senhor. O mundo tem passado por profundas transformações. Se há alguns séculos ser missionário significava ir para terras distantes e evangelizar povos diferentes, hoje o desafio evangelizador pode estar em nossas casas e vizinhança. É ali que deveremos vivenciar o discipulado e exercer nossa missão evangelizadora.

Pe. Luiz Antonio Belini, pároco de Quinta do Sol


Página 04

Outubro 2011

Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria

T

udo começou na Alemanha. Dom Wilhelm Berning, bispo de Osnabruck, com a mesma paixão de Cristo pela humanidade, reescreveu a história de sua paixão pelo Povo que vivenciou a dor de duas Guerras Mundiais. Em 1914, ano que irrompeu a I Guerra Mundial, Wilhelm Berning, com apenas 37 anos assumiu um imenso bispado da Diáspora, cuja superfície era superior à da Holanda e da Bélgica somadas. Para uma realidade tão complexa foi escolhido um pastor otimista, com uma profunda experiência de Deus e uma devoção especial a Maria. Seu redil? Um país devastado pela guerra. Suas ovelhas? Fugitivos, imigrantes, expatriados, encarcerados, refugiados, perseguidos. Realidade? Desemprego, miséria, fome, fluxos migratórios, intolerância religiosa, surgimento de regimes ditatoriais, crise econômica e política. A dor maior? Execução de quatro padres diocesanos. Essa desafiadora realidade interpeladora e amor a Cristo o impeliu a encarnar a paixão pela Vida. Vestiu a camisa, fez constantes viagens pela diocese, motivado sempre pelo seu lema: “O amor de Cristo nos impele”. Frente à dura realidade pós guerra e movido pela grande paixão pelo Reino foi à procura de colaboradores nas casas religiosas. Assim confidenciava a Maria: “Mãe querida, trazei-me sósias do vosso SIM para esta parte tão cara a meu coração de pastor”. Mas ele mesmo deveria suscitar uma nova congregação. Deus em sua bondade dispôs um encontro com 6 jovens alemãs apaixonadas pela Missão. Antes da guerra elas haviam ingressado numa congregação missionária na França e se preparavam para as missões na Oceania. Quando explodiu a guerra, foram expulsas e detidas no cárcere por 6 meses. Terminada a guerra, não con-

Encontro da Catequese

Comunidade de Campina da Lagoa: Ir. Helena, Ir. Izabel, Ir. Adela e Ir. Paula

Fundador da Congregação

Comunidade de Ubiratã: Ir. Luci, Ir. Agueda, Ir. Beatriz, Ir. Vilma e Ir. Glasiela

seguiram retornar à França por causa de sua nacionalidade alemã. O bispo viu nesses acontecimentos um sinal. Chegara a hora de executar o seu plano de fundar uma congregação religiosa voltada para a Diáspora e Missões. No dia 25 de março de 1920 na festa de Anunciação, as 6 jovens declararam-se prontas para dar continuidade ao SIM de Maria. Dom Wilhelm Berning, com 42 anos de idade e 6 de bispo, deu início a uma nova família religiosa: Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria. A flor que nasceu das cinzas da I Guerra atingiu o seu jubileu de prata ao som dos bombardeios da II Guerra. Quando o bispo falou: “Queridas irmãs, estas mesmas provações converterão em outras tantas fontes de bênçãos e graças”, se referia ao sofrimento causado pela guerra: morte de uma irmã num ataque de bombas, outras duas morrem contraindo doença de tifo, 20 irmãs expulsas e obrigadas a trabalhar na guerra,

muitas irmãs feridas, 3 casas confiscadas, outras destruídas. E a bênção se multiplicava. Após a II Guerra aumentou o número de católicos e também o número de vocações cresceu rapidamente. A partir de 1951 a Congregação parte da Alemanha para terras estrangeiras: Suécia, Brasil e Paraguai. Em 1955 o fundador partiu para enviar do céu mais bênçãos. No ano seguinte 6 irmãs chegaram ao Brasil a convite de padres jesuítas e estabeleceram-se em Maringá-PR. Hoje as Missionárias de Maria estão presentes em 4 estados, empenhando-se para compartilhar a paixão por Cristo e pelo povo em novos contextos. Carisma / Espiritualidade “Meu desejo é que a Congregação por mim fundada esteja sempre impregnada de zelo apostólico ardente e que se conserve unânime”. Do amor a Cristo e a Maria, vivenciados

Olhando a história - (Parte II) A importância da música na comunidade cristã primitiva e começarmos a percorrer os Evangelhos, especialmente o de Lucas, que forneceu as referências elementares para a constituição do Ano Litúrgico, e avançarmos pelas Cartas de Paulo até chegarmos ao Apocalipse de João, logo nos surpreenderemos com a abundância e a beleza de textos poéticos. Estes, com certeza, provieram da rica experiência litúrgico-musical das primeiras Comunidades e marcaram significativa presença na tradição litúrgica da Igreja até hoje, tanto na liturgia das Horas quanto na celebração da Ceia do Senhor e dos demais Sacramentos: As Bem aventuranças, nas suas duas versões, respectivamente de Mateus (Mt 5,3-10) e de Lucas (seguidas do “ais”, Lc 6, 20-26); Já mencionamos acima os três Cânticos de Lucas, que marcam o Evangelho da Infância: o de Maria (Lc 1, 46-55), o de Zacarias (Lc 1, 68 (79) e o de Simeão (Lc 2, 29-32). Esses três Cânticos tiveram importância decisiva na composição da Liturgia da Horas da

S

Pe. José Carlos e Dom Javier, no encontro com catequistas

U

m total de 73 catequistas participaram do último encontro diocesano de 2011, realizado dia 17 de setembro, no Santuário Nossa Senhora Aparecida, em Campo Mourão. A abertura foi com uma celebração eucarística presidida pelo Pe. José Carlos Kraus Ferreira, assessor diocesano da Pastoral Catequética. O bispo diocesano Dom Francisco Javier esteve no local do encontro e dirigiu sua mensagem aos participantes.

Igreja e aparecem como ponto culminante do louvor, respectivamente, no Ofício da Manhã, da Tarde e da Noite. Mas não podemos esquecer o cântico angélico do Glória (Lc 2,14), que teve seu desdobramento na Igreja grega até chegar a ser a grande doxologia (glorificação) que hoje conhecemos. O prólogo de João (Jo 1, 1-18), que celebra a nova Criação em Jesus Cristo e vale como réplica ou, na linguagem dos antigos, “anti-tipo” do Hino da Criação do Gênesis; Os numerosos hinos paulinos, que tão apropriadamente ilustram as Cartas do Apóstolo das gentes (Ef 1,3-14; 5, 14; Cl 1, 12-20; 1Tm 1, 17; 3, 16; 2Tm 2, 11-13), valendo destacar os dois hinos cristológicos de Fl 2, 6-11 e 1Tm 6, 15-16; O hino batismal de Pedro (1Pd 2, 21-25); Os hinos e aclamações, que a cada passo na liturgia celeste descrita no Livro do Apocalipse e são, sem dúvida, como que “retrato cantado” das celebrações das comunidades joaninas. A começar pelo Santo (Ap 4, 8), que, tomado da visão do Projeta Isaías (Is 6, 3), já era cantado no culto da Sinagoga e continuava ecoando nas assembleias

pelo nosso fundador, deriva o nosso carisma missionário tendo como referencial Maria, a mulher evangelizadora. Maravilhoso é o toque que o fundador deu à nossa espiritualidade cristocêntricamariana: “Desejo de todo o coração que conserveis o verdadeiro espírito apostólico e verdadeira alegria em Cristo Jesus e que os leveis convosco aos corações humanos”. Maria é modelo: a sua alegria brotou da sua entrega como serva do Senhor. Presença na diocese de Campo Mourão Desde 1961 a Congregação marca presença em Ubiratã realizando a missão no Colégio Santo Antonio, evangelizando através da educação e na paróquia Santo Antonio, participando da Pastoral Vocacional, Grupo de Reflexão, Catequese, Liturgia e Pastoral da Juventude. Em 1979 as irmãs chegaram a Campina da Lagoa, incentivadas pelo bispo dom Eliseu Simões Mendes. Na época existiam 16 capelas e 62 escolas. Com o passar do tempo, foram assumindo assessorias decanais e diocesanas de Juventude, CEBs, Catequese, Pastoral da Saúde e CRB. A realidade de pobreza das famílias, fez com que as irmãs avançassem mais no campo social, para ajudar as pessoas mais empobrecidas: crianças e idosos. E então foi fundada, em 1985, a Creche Jesus Criança e, em 1990, o Lar dos Velhinhos São Vicente de Paulo. Ir. Helena Makiyama Contato: Comunidade Santa Teresinha Av. JK, 1071- Tel. (44) 3542-3369 Campina da Lagoa - PR E-mail: hmakiyama@gmail.com Comunidade Santo Antonio Av. Nossa Senhora Aparecida, 623 Tel. (44) 3543-1390 Ubiratã-PR E-mail: santoantonio1960@hotmail.com Site: www.pbmariamissionaria.com.br

cristãs, seguem como se fossem um concerto sem fim: Ap 4, 11; 5,9-10.12.13.14; 6, 10; 7, 10-12; 11, 15.17-18; 12, 10-12; 15, 3-4; 16, 5-6.7; 19, 1-8... A música é uma linguagem que expressa a vida humana em várias dimensões. Há uma música para cada momento, como bem caracterizou o compositor popular Arnaldo Antunes, em sua composição “Música para ouvir”. Querido Povo de Deus, um grande abraço!

Lilian Aparecida G. Hanel - Coordenadora diocesana de Liturgia e coordenadora de canto da catedral de Campo Mourão lilianbgh@gmail.com

Página 09

Outubro 2011

Jornada Mundial da Juventude na visão de um membro da diocese Alguns jovens da diocese de Campo Mourão participaram da JMJ - Jornada Mundial da Juventude 2011, realizada em Madri, Espanha, de 16 a 21 de agosto. Um dos representantes da diocese foi o coordenador do Setor Juventude Fábio Sexugi. Abaixo, o relato feito por ele, sobre o que viu e viveu na Pré-Jornada e na Jornada.

U

ma experiência para a vida inteira: eis o resumo de tudo aquilo que vi e vivi na Espanha, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude. Meu coração se enche de gratidão por ter vivenciado momentos indescritíveis de esperança, amizade, alegria, unidade, partilha e fé, que guardarei no coração para sempre. Integrando a Delegação Oficial da CNBB e representando nossa diocese com outras lideranças juvenis, desembarquei em Madri e segui de ônibus com os peregrinos para Sevilha, onde aconteceria a Pré-Jornada. Lá, fomos recebidos calorosamente por religiosas e leigos da Obra Social y Cultural Sopeña. Apesar do sol forte que, não raras vezes, fazia a temperatura ultrapassar a casa dos 40ºC, o calor marcante daquela cidade milenar é mesmo o humano: foi esse que eu senti quando éramos acolhidos com sorrisos nos ônibus (algumas pessoas até dançavam conosco em pleno trânsito) ou nas mãos enrugadas e santas de uma freirinha de quase 100 anos que nos recebeu carinhosamente em uma de nossas visitas aos conventos e às igrejas do local. São as igrejas, a propósito, o maior reflexo da devoção dos sevilhanos à Mãe de Deus e que fazem da cidade a mais mariana da Espanha: há inúmeros templos e títulos com os quais Nossa Senhora é honrada; o mais popular, aliás, nós, paranaenses, conhecemos bem: La Virgen del Rocío. Pelas ruas, no metrô e nas celebrações, cantávamos à exaustão o “¡Olé!” do “Salve, Rociera”, um tradicional cântico dedicado à Virgem do Rocio, que acabou ficando como nosso hino oficial. Em Sevilha, vivenciei um rico intercâmbio com gente do mundo inteiro: libaneses, sul-coreanos, franceses, italianos, angolanos, holandeses, argentinos... Diferentemente do que eu supunha, a diversidade de línguas não criou de modo algum uma “Torre de Babel” entre nós. Ao contrário: o clima de comunhão era tão grande e a presença do Espírito Santo, tão forte, que estávamos como em Pentecostes, porque cada qual usava seu próprio idioma para dialogar e era perfeitamente entendido. Achei incrível, por exemplo, me comunicar (sabe lá Deus como) com jovens coreanos que me falaram da dificuldade em vivenciar a própria crença numa terra que, embora ofereça liberdade de culto, ainda vê com reticências e desconfianças a Fé Cristã. Que fantástica a celebração Mariana e os momentos de partilha na Paróquia Santíssimo Redentor! Que lindo ver tantas bandeiras e etnias diferentes desfilando pelas calçadas! Que bonita a Santa Missa de encerramento da Pré-Jornada

ao lado da Catedral! No entanto, tenho de reconhecer que, como morador de uma das regiões mais pobres do Paraná, a Catedral de Sevilha, toda adornada de ouro, prata e pedras preciosas (e que cobra pela entrada), me incomodou bastante. Ajudei a levar um dos pesados castiçais usados na Missa de encerramento como pretexto para poder entrar na igreja. Fiquei constrangido em ver o quanto os colonizadores europeus usurparam das riquezas de nossas terras latino-americanas e do suor de nossa gente simples. Não havia como não confrontar aquela exuberância, a riqueza daquele majestoso templo com nossa realidade e, principalmente, com o modelo eclesial que assumimos ser no 19º PDAE: o de sermos uma Igreja pobre e comprometida com os pobres. E, enquanto eu meditava essas coisas que me tiravam a paz, seguimos para Madri, onde aconteceria finalmente a JMJ 2011. Fora do ônibus, uma paisagem linda e um sol de rachar; dentro, um calor que parecia não ter fim. Oito horas depois, chegamos ao alojamento no bairro de Los Castillos, em Alcorcón, uma cidade satélite de Madri. A bem da verdade, a estadia ali não foi das melhores: o colégio era trancado às oito e só aberto às dez  da tarde (isso mesmo! No verão, só por volta das 22h00 é que o sol se põe), dormíamos no chão, o banho era coletivo e literalmente gelado (tanto, que eu abastecia minha garrafinha para enfrentar a caminhada). No entanto, o sofrimento foi um dos pontos que mais me aproximou de Cristo em Madri e que melhor abriu meu coração à mensagem da JMJ 2011, porque pude entender melhor sua importância na caminhada de discípulo de Jesus. Percebi mais claramente que apenas na dificuldade é que crescemos como discípulos. O sofrimento, assim, nos faz mais “firmes na fé”, nos aproximando de Deus e nos abrindo à solidariedade: compartilhar objetos aos amigos que os esqueceram em casa, dividir o rango, emprestar uns trocados e, até mesmo, carregar nas costas os companheiros machucados. Cada jovem recebeu o kit do peregrino, composto por uma bonita mochila amarela e vermelha, contendo um exemplar

do  “YouCat”  (uma síntese do Catecismo da Igreja Católica, em linguagem simplificada); um mangá com a história das JMJs; uma caixa de remédio para a alma: um crucifixo (com bula e tudo); um terço; uma camiseta; um leque; um boné (muito útil em Madri), um carnê com vale-alimentação e vale-transporte, uma cervejinha sem álcool (que ninguém é de ferro!), além dos roteiros litúrgicos e culturais do evento. Essa mochila nos acompanhava todos os dias nas intensas atividades previstas: catequese com os bispos brasileiros, celebrações, visitas a museus, igrejas e mostras culturais, shows, refeições (com as tradicionais “tapas”, uma espécie de porções diversificadas de comidas típicas). Era bonito ver tanta gente, de línguas e culturas tão diferentes, interagindo como se já se conhecessem, como se fossem velhos amigos ou, quem sabe, parentes. Aí percebi a grandiosidade da nossa Igreja: que satisfação pertencer a essa Família que, mesmo sendo a mais antiga instituição religiosa do mundo, é sempre jovem, forte, alegre, profundamente viva e verdadeira. A vitalidade e a unidade da Igreja Católica, expressa em voz alta pelas praças e avenidas de Madri, certamente foram um sopro de ânimo para a Espanha (em profunda crise), para a Europa (cada vez mais secularizada) e para todo o mundo (carente de novas respostas). Foram um sopro de vida para mim. Com mais clareza, constatei também a importância da figura do Papa, como vínculo comum a unir todos os católicos e católicas do mundo inteiro. Em Madri, vi um homem de Deus de cabelos brancos e, em alguns momentos, quer pela idade, quer pelo calor, cansado; mas vi também um jovem cheio de esperança e alegria abençoando emocionado as multidões que cantavam em uníssono “Beeeeeeee-

Kit recebido pelos participantes da Jornada

Fábio exibindo o lenço, contendo as 3 prioridades, do 19º Plano da diocese

Fábio, na JMJ 2011

Papa Bento XVI eenedetto!”, ou repetindo insistentemente: “Se vê, se sente, o Papa está presente!”. Compreendi o quanto o Bispo de Roma, Sucessor do Beato Pedro, é importante para a unidade dos cristãos, que precisam estar coesos diante do mundo atual que insiste em viver sem Deus. E que experiência tremenda a do Aeródromo de Cuatro Vientos! Dois milhões de pessoas, sob sol forte, aguardavam a Vigília de Adoração Eucarística com Bento XVI. A multidão era tanta que, para qualquer lado que eu olhava, não achava o fim: nem Woodstock reuniu tantos jovens! O cenário, onde aconteceu a cerimônia, mais parecia uma cascata e prenunciava o que aconteceria no cair da noite: uma vigorosa chuva de verão, com raios e vento forte, que banhou todo mundo, inclusive o Papa. Meio descabelado pela tempestade, ele disse à multidão de jovens:  “Queridos amigos, muito obrigado pela vossa alegria e pela vossa resistência! A vossa força é mais poderosa que a chuva. Obrigado! O Senhor, com a chuva, mandou-nos muitas bênçãos. Também nisto, sois um exemplo”, ao que lhe respondemos felizes: “¡Esta es la Juventud del Papa!”. Em português, Sua Santidade afirmou à juventude que “vale a pena ouvir dentro de nós a Palavra de Jesus e caminhar seguindo os seus passos”. Depois da Vigília, dormimos todos ali, ao relento. Ver as estrelas – que logo depois apareceram – foi emocionante, porque pude reconhecer a grandiosidade e a beleza da criação de Deus e, ao mesmo tempo, perceber a minha própria pequenez e como, mesmo assim, Ele conta comigo. Participar de uma Jornada Mundial da Juventude é uma experiência impactante que todo mundo deveria fazer uma vez na vida. A JMJ 2011 certamente me permitiu perceber que devo estar ancorado em Cristo, criar raízes profundas nEle, para anunciar sua Mensagem aos jovens da nossa realidade, do nosso tempo, de um jeito inteiramente nosso. Muito obrigado aos amigos que me acompanharam – seja pessoalmente, seja em oração – nesta aventura santa e edificante. Agradecer a dom Javier, que me deu essa oportunidade espetacular, me parece muito pouco diante de tudo o que experimentei lá. ¡Muchísimas gracias de corazón! Volto às atividades de evangelização das Juventudes da Diocese de Campo Mourão mais “firme na fé”. Mas, trago no coração muitas saudades e o refrão do canto à Senhora do Rocio: “Al Rocío yo quiero volver, a cantarle a la Virgen con fe con un olé: Olé! Olé! Olé...” Fábio Sexugi, coordenador do Setor Juventude


Página 10

Outubro 2011

Diocese presente em Congresso da Pastoral da Sobriedade D

oze pessoas representaram a Pastoral da Sobriedade da diocese de Campo Mourão no II Congresso Sul Brasileiro, realizado em Jaraguá do Sul-SC, de 19 a 21 de agosto. Participaram integrantes da referida Pastoral, das paróquias Nossa Senhora do Caravággio, Lar Paraná, Campo Mourão; Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão; São Pedro de Roncador e Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê. O objetivo do Congresso foi proporcionar a troca de experiências com integrantes da Pastoral da Sobriedade de outros estados e que lidam com o mesmo problema da dependência química; for-

mas para lidar com o problema, motivar os agentes da pastoral, para que possam caminhar em busca dos excluídos e mais necessitados; formação na área da drogadição para que, além da misericórdia, do amor, da paciência, seja possível entender como a droga funciona no organismo e quais as consequências que ela traz na vida das pessoas e na sociedade. Houve palestra com dom Irineu Danelon, fundador da Pastoral da Sobriedade no Brasil; José Augusto Soavinski, coordenador da Pastoral da região sul e do Paraná; bispo da diocese de Joinvile, dom Irineu Roque Scherer; Pe. Reginaldo Manzotti; Pe. João Ceconello, coordenador de

Dia do Catequista pela diocese

Encerramento do 86º Cursilho masculino U

formação no Brasil; coordenadora nacional da Pastoral Ana Godoy, além de autoriParticipantes da diocese de Campo dades, médicos, pedagogos, Mourão com dom Irineu Danelon professores, deputados, etc. Nos dias 24 e 25 de setembro haverá um retiro diocesano e a Pasto- Hermes da Silva, da equipe de formação ral convida as famílias que possuem de- de agentes, agradecem ao bispo diocesapendentes químicos, para que participem. no dom Francisco Javier e aos padres das É importante aprender como lidar com os paróquias que enviaram representantes. dependentes. Em outubro, a coordena- “Gostaríamos que toda a diocese implanção diocesana da Pastoral da Sobriedade tasse o grupo de auto ajuda da Pastoral, participará de um encontro em Cachoeira pois estamos nas famílias ouvindo o grito Paulista-SP, na sede da TV Canção Nova. de muitos pais desesperados em busca de Valdeci A. Ciconello, coordenador dio- uma solução para ao vício das drogas”, cesano da Pastoral da Sobriedade, e Valdir declarou Valdir Hermes da Silva.

Paróquia São Francisco de Assis Goioerê Nossa Senhora das Candeias

Santuário Nossa Senhora Aparecida

Nossa Senhora Aparecida modelo para o Brasil 

A

constituição estrutural do homem brasileiro tem alguns aspectos diversificados, quanto à sua origem regional, considerando que o território do Brasil é imenso e, em cada região, estabeleceu-se natural e espontaneamente, um estilo de vida distinto orientado por costumes e comportamentos específicos. Da mesma forma, é diferenciada a formação sócio política do cidadão. Contudo, sua compleição espiritual e orientação religiosa, na maioria dos casos, obedecem aos ditames da mesma fé e, em sua quase totalidade, é cristão. Mas, há uma característica que o distingue, fundamentalmente, de muitos outros povos e o reveste de uma peculiaridade especial, imprimindo-lhe o caráter de filho obediente e fiel. Trata-se da devoção a Nossa Senhora, sob seus diversos títulos e, principalmente, o de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, a Padroeira do Brasil. Seguramente, aí se encontra a explicação para o fato do povo brasileiro ser tão admirado em outros países, como um povo alegre, expansivo, prestativo. O exemplo vem da Mãe. Temos uma

Mãe, que nos ampara, nos protege e nos ensina a sermos verdadeiros filhos de Deus e obedientes à sua vontade. Por meio dela recebemos inúmeras graças divinas e bênçãos celestiais. A invocação do santo nome de Maria faz com que nos tornemos dóceis, adquirindo a qualidade filhos. A Mãe Aparecida, da qual sua imagem fora encontrada no Rio Paraíba é a Imaculada Conceição, cujo dogma, (verdade de fé), foi proclamado no dia 8 de dezembro de 1854 pelo Papa Pio IX na Bula “Ineffabilis Deus”, que diz: “A doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante da sua Conceição, por singular graça e privilégio de Deus Onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, essa doutrina foi revelada por Deus, e por isto deve ser crida firme e inviolavelmente por todos os fiéis”, é um modelo para o Brasil. Nossa Senhora foi preservada do pecado original para poder realizar sua missão: a de ser a Mãe de Jesus. Para o plano da salvação, era imprescindível que ela fosse totalmente

paróquias da diocese. Os coordenadores diocesanos do Movimento, Divoney Martins Pereira e Vera, informam que o Cursilho adulto feminino será de 21 a 23 de outubro e que a ultreya festiva acontecerá no dia 27 de dezembro, no Santuário Nossa Senhora Aparecida.

ma missa, presidida pelo Pe. Carlos Cezar Candido, assessor do Movimento de Cursilho de Cristandade, encerrou o encontro adulto masculino, número 86. A missa foi na capela do CDF - Centro Diocesano de Formação, em Campo Mourão. Houve 75 participantes de diversas

pura a fim de receber Jesus. Ela foi chamada pelo Anjo de a “cheia de graça”, a que possui a plenitude da graça necessária, para ser a Mãe do Filho de Deus e co-redentora da humanidade. Portanto, a participação de Nossa Senhora na santidade da humanidade é direta e real, influenciando a cada uma das pessoas a que Jesus veio resgatar. Maria tem um papel fundamental em nossa espiritualidade e na formação de nossa personalidade. Um povo sem mãe é um povo triste, sem motivos especiais para viver feliz. Por isso, ao celebrarmos o nome de Maria Santíssima em sua Imaculada Conceição Aparecida, é preciso confiar nela e ter fé, que ela está sempre ao nosso lado intercedendo por nós e advogando em nossa causa, pois como mãe, quer única e exclusivamente o nosso bem. É preciso que tenhamos Maria como nosso modelo de obediência ao plano de Deus sobre nós. Assim como ela, saibamos ouvir e guardar a Palavra de Deus, cuidar da fé, cumprir a lei, ser puro e seguir os passos de Jesus. A devoção a Nossa Senhora deve im-

pingir em nós o interesse pelo bem estar de nosso próximo, a exemplo dela, que mesmo estando grávida, dirigiu-se à casa de Isabel, que igualmente encontrava-se grávida, simplesmente para ajudá-la em seus afazeres. Por fim, toda atitude de nossa Mãe Maria em vida, corrobora para a formação sócio política do povo brasileiro, que procura sempre mais seguir suas qualidades, servir, como ela serviu a humanidade e ser um povo alegre e disponível. Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós.

Amani Spachinski de Oliveira é professor, escritor, poeta e contista. Membro da Academia Mourãoense de Letras e Associação Mourãoense de Escritores. E-mail: amanispachinski@yahoo.com.br

Encontro reúne 600 coroinhas da diocese

Momento de descontração

C

Cursilhistas na missa de encerramento

Mamborê

No último final de semana do mês vocacional (agosto) é comemorado o Dia do Catequista. Acompanhe fotos de celebrações em algumas paróquias da diocese.

Moreira Sales

Página 03

Outubro 2011

Mantenha-se atualizado quanto aos assuntos da Igreja, da Diocese e de sua paróquia, visitando constantemente o site www.diocesecampomourao.com.br

om o objetivo de incentivar e valorizar o trabalho dos coroinhas, o SAV - Serviço de Animação Vocacional realizou o Encontro Diocesano de Coroinhas. De acordo com a coordenadora diocesana do SAV, Ir. Jeane Adeline Szeremeta, aproximadamente 600 crianças e adolescentes, de 5 a 17 anos, participaram das atividades, que aconteceram no Seminário São José, em Campo Mourão. Das 38 paróquias que compõem a diocese, 25 estiveram representadas.

1ª LEITURA

SALMO

1 2 3 4 5

Br 4,5-12.27-29 Is 5,1-7 Jn 1,1-2,1.11 Jn 3,1-10 Jn 4,1-11

Sl 69 Sl 80 Jn 2,2-8 Sl 130 Sl 86

2ª LEITURA

6

Ml 3,13-20a

Sl 1

Lc 11,5-13

7

At 1,12-14

Lc 1,46-55

Lc 1,26-38

8 9 10 11

Jl 4,12-21 Is 25,6-10a Rm 1,1-7 Rm 1,16-25

Sl 97 Sl 23 Sl 98 Sl 19

Fl 4,6-9

Fl 4,12-14.19-20

Lc 11,27-28 Mt 22,1-14 Lc 11,29-32 Lc 11,37-41

12

Est 5,1.7,2-3

Sl 45

Rm 3,21-29 Rm 4,1-8 Rm 4,13.16-18 Is 45,1.4-6 Rm 4,20-25 2Tm 4,10-17 Rm 6,12-18 Rm 6,19-23 Rm 7,18-25a Rm 8,1-11 Ex 22,20-26

Sl 130 Sl 32 Sl 105,6-43 Sl 96 Lc 1,69-75 Sl 145 Sl 124 Sl 1 Sl 119,66-94 Sl 24 Sl 18

24 25 26 27 28

Rm 8,1-11 Rm 8,18-25 Rm 8,26-30 Rm 8,31b-30 Ef 2,19-22 Rm 11,1-2a.11-12.2529 Ml 1,14-2,2.8-10 Rm 11,29-36

Sl 68 Sl 126 Sl 13 Sl 109,21-31 Sl 19

Lc 13,10-17 Lc 13,18-21 Lc 13,22-30 Lc 13,31-35 Lc 6,12-16

Sl 94

Lc 14,1.7-11

30 31

Sl 131 Sl 69

1Ts 1,1-5

1Ts 1,5-10

1Ts 2,7-13

COR

Lc 10,17-24 Mt 21,33-43 Lc 10,25-37 Lc 10,38-42 Lc 11,1-4

13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23

29

Ap 12,1-16

EVANGELHO

Colaboradores: Grupo Resgato-me, Ordem Francisca Secular da Vila Rio Grande, Fraternidade o Caminho, Copiosa Redenção e Movimento Serra

RCC realiza Congresso de Música e Artes

Outubro / 2011 DIA

A abertura foi com uma missa presidida pelo Pe. Ricardo Arica Ferreira, assessor do SAV na diocese. Ao longo do dia, passaram pelo local do encontro, o bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes, e os padres Edinaldo  Velozo da Silva, Clauber Magela Freire Krieck, Carlos Czornobai e Carlos Cezar Candido.

Jo 2,1-11 Lc 11,47-54 Lc 12,1-7 Lc 12,8-12 Mt 22,15-21 Lc 12,13-21 Lc 10,1-9 Lc 12,39-48 Lc 12,49-53 Lc 12,54-59 Lc 13,1-9 Mt 22,34-40

Mt 23,1-12 Lc 14,12-14

Momento de adoração ao Santíssimo

U

m total de 65 pessoas, de várias paróquias, participaram do Congresso de Música e Artes, realizado no Santuário Nossa Senhora Aparecida, em Campo Mourão, nos dias 17 e 18 de setembro. André Ribas Gonçalves, coordenador do Ministério de Música e Artes da RCC - Renovação Carismática Católica, informou que du-

rante o congresso, houve pregações, palestras, orações e adoração. Um momento interessante foi a interação com perguntas e respostas entre os participantes e a Missão Kerigma Christi, de Londrina, que ministrou o evento. O encerramento foi com uma missa presidida pelo Pe. Apolinário João da Silva.


Página 02

Outubro 2011

Palavra do Bispo

“Assim como o Pai me enviou, também Eu vos envio a vós” (Jo 20, 21) Estimados filhos e filhas desta querida Diocese... A vós paz e bem!!! Como a Palavra de Deus nos leva à missão, nós encerramos o mês de setembro dedicado à Palavra e entramos no mês de outubro que é o mês missionário, onde somos convocados por Jesus a irmos a todos os povos e anunciarmos a Boa Nova do Reino. A Igreja Católica apresenta o mês de outubro como o período para as iniciativas de informação, formação, animação e cooperação em prol da Missão universal. Sua finalidade é promover e despertar a consciência e a vida missionária cristã. A Igreja necessita muito de vocações missionárias. No final deste mês, nos dias 22 e 23, será realizada uma coleta mundial para as Missões, que serão destinadas para o sustento de atividades de promoção humana e evangelização nos cinco continentes, sobretudo em países onde os cristãos são ainda uma minoria e as necessidades materiais são mais urgentes. Todas essas atividades culminam no Dia Mundial das Missões, que teve origem há 78 anos, quando, em 1922, foi eleito Papa o Cardeal Arcebispo de Milão (Itália) Aquiles Ratti, que tomou o nome de Pio XI (1922-1939). Seu ardor missionário era conhecido de todos e, esperavase dele um grande impulso para a Missão. E isso ele fez. No Concílio Vaticano II a Igreja fez um novo apelo às missões com o decreto Ad Gentes, convocando a todos para a árdua tarefa de propagar o Reino a todos os povos. Nós, como diocesanos, membros desta grande Igreja, também somos missionários, seja através de nossas orações ou participando desta coleta que é feita em prol das missões que vão tudo para os seus devidos fins, nada ficando na diocese. Há, então, diversas maneiras de ser missionário. Tem até um dizer que afirma o seguinte, sobre as missões: “Faz-se com os pés dos que vão, com os joelhos dos que ficam e com as mãos dos que contribuem”. Desta forma, quando chegar o dia da contribuição financeira para as missões, não deixe de partilhar com generosidade para este belíssimo trabalho tão necessário e urgente. Assim também se é missionário: colaborar e rezar pelos que vão. O nosso 19° Plano de Ação Pastoral

Diretor: Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Assessor: Pe. Sidinei Teixeira Gomes Coordenador: Vilson Olipa (44) 9958-9797 Colunistas: Pe. Luiz Antônio Belini, Amani Spachinski, Maria Joana Titton Calderari, Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, Lilian Aparecida G. Hanel

Um grande abraço e a minha bênção a todos!

A partir desta edição, teremos um novo espaço, no Jornal Servindo, com o título de 19º Plano de Ação Evangelizadora. Ele está na página 6 e trará o andamento da execução dos projetos do Plano, nas paróquias.   A paróquia do mês, que terá parte de sua história contada e dados informados, será a Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão.

Editoração Eletrônica: Jonas Rodrigues. - 44 3025-2036 / 9145-1499 / 9915-3400 Tiragem: 11 mil exemplares. Impressão: Grafinorte.

Boa leitura!

1 - Padroeira de Campina da Lagoa

16 - Confirmação em Roncador

4 - Encerramento da novena Par. São Francisco de Assis

19 - Reunião Provincial - Umuarama

6 - Reunião dos decanos

21 - Novena em Terra Boa

9 - Confirmação em Iretama

22 - Confirmação em Campina da Lagoa

12 - Confirmação em Fênix

23 - Profissão de fé

12 - Padroeira Par. N. Sra. Aparecida

29 - Confirmação na par. Santa Cruz

15 - Confirmação em Moreira Sales

30 - Confirmação na par. Perpétuo Socorro - Goioerê

16 - Romaria Nossa Sra. do Rocio Paranaguá

A intenção geral é pelos doentes terminais, para que os seus sofrimentos sejam aliviados pela fé em Deus e pelo amor dos seus irmãos.

30 - Confirmação em Terra Boa

Outubro

Intenção Missionária: Para que a celebração do Dia Mundial das Missões faça crescer no povo de Deus a paixão da evangelização assim como o apoio a toda a atividade missionária, pela oração e pela ajuda econômica às igrejas mais pobres.

Tarefas esportivas da Gincana Juranda do Jubileu Padroeira: Nossa Senhora Mãe de Deus Localização: Juranda-Paraná Praça da Matriz, s/n - Caixa Postal 6 CEP 87355-000 Telefone/fax: (44) 3569-1145 E-mail/MSN: paroquiajuranda@hotmail.com Número de capelas: 9 Capelas: São José, no distrito de Rio Verde; São Miguel, na Sanga Funda; São José, em Treze de Maio; Santo Antônio, na comunidade Santo Antônio; São Pedro, na comunidade São Pedro; São Roque, na comunidade São Roque; Sagrada Família, no distrito de Primavera; Nossa Senhora Aparecida, na Vila Rural e Santo Expedito, no conjunto Bandeirantes. Data de criação da paróquia: 02/02/1975 Administrador paroquial: Pe. Gessi de Matos Secretária paroquial: Maria Isabel Correa Santos Histórico: “Juranda” era o nome de uma índia da tribo dos Carajás. O município foi criado e 16/12/1981.

s primeiros habitantes chegaram em 1947 e eram de origem polonesa e ucraniana. A primeira missa foi celebrada por um padre ucraniano em 1948 ou 1949. Depois vieram os padres do rito latino, da cidade de Campo Mourão.

A primeira capela foi construída em 1955, numa área cedida pela colonização Szafermann, perto da atual cooperativa. Sua inauguração foi em 19/04/1955, Dia de Santo Expedito. A capela era de madeira e media 56 m². Em 1960 foi construída, ao fundo da atual igreja, uma nova capela, medindo 375 m². Em 1964 adquiriu-se o primeiro sino, vindo do Rio Grande do Sul, que custou 145 contos de réis.

A paróquia foi criada durante o bispado de dom Eliseu Simões Mendes, conforme o Decreto nº 56, do dia 2 de fevereiro de 1975. Sua instalação foi no dia 9 de março do mesmo ano. A Igreja matriz

Imagem da padroeira Nossa Senhora Mãe de Deus

capela Santo Expedito, até então pertencente à paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê, foi elevada a paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus. O motivo da mudança do nome é explicada pelo primeiro pároco Pe. Alfredo Blume: nas suas viagens pelo interior encontrava muitos buracos e atoleiros. Ao invocar Nossa Senhora Mãe de Deus, sempre era atendido. Outro motivo era o fato das pessoas conhecerem pouco sobre a vida de Santo Expedito. Desta forma, o nome foi mudado em uma reunião do Conselho Paroquial. Na área que compreende a paróquia, que é o município de Juranda, residem aproximadamente 8 mil pessoas, incluindo várias denominações religiosas. Párocos jesuítas: Pe. Alfredo Blume, SJ; Pe. Aloísio Ternus, SJ; Pe.

Primeira igreja

Claudino Ritter, SJ e Pe. Wunibaldo Jacob Steffen, SJ. A partir do ano 2000, a paróquia foi assumida pelos padres diocesanos. Foram párocos: Pe. Pedro Liss; Pe. Francisco Dantas de Carvalho; Pe. Luiz da Silva Andrade e Pe. Roberto Carlos Reis. Os párocos foram auxiliados por vários vigários paroquiais e, durante certo período, foi administrada pelo Pe. José Coelho Pereira e pelo Pe. José Gonçalves de Almeida. Atualmente é administrada pelo Pe. Gessi de Matos. A construção da capela do Santíssimo teve início em 05/07/2004 e, em agosto, teve início a reforma interna da igreja matriz. Foi consagrada como Templo e Casa de Oração, em

Igreja em construção, em 1982

Pe. Gessi de Matos, administrador paroquial

Cabo de guerra - uma das provas da gincana

JORNAL

SERVINDO

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 22 - Outubro / 2011 - Nº 230

Página

Missão na Ecologia

Igreja velha e início da construção da nova

A paróquia São Francisco de Assis, da Vila Teixeira,Campo Mourão, realizou as provas O esportivas, que fazem parte da Gincana do Jubileu. Foram mais de 12 provas que integraram a comunidade no dia do feriado de 7 de setembro.

Outubro 2011

Coroação da imagem da padroeira

DIA

QUEM

O QUE

PARA QUEM

ONDE

1e2

DIÁCONOS

Escola de Formação

Candidatos ao Diaconato Permanente

Seminário São José

1e2

RCC

Cenáculo com Maria

Todos

A definir

1a8

P. FAMILIAR

SEMANA NACIONAL DA VIDA

Todas as Famílias

Todas as Paróquias

4

P. DO DÍZIMO

Reunião Diocesana

Equipes Paroquiais

CDF – Lar Paraná

6

DIÁLOGO ECUM. E ENS. RELIGIOSO

Reunião de Estudos P/ Ensino Religioso

Comissão do Diálogo Ecumênico e Professores do Ensino Religioso

FECILCAM

7a9

RCC – JOVEM

Encontro Diocesano Ministério Jovem

Jovens da Renovação

MAMBORÊ

8

A ORAÇÃO

Reunião Diocesana

Coordenadores Paroquiais

A definir

8

P. FAMILIAR

DIA DO NASCITURO

8

VICENTINOS

Reunião Conselho Central

Pres. Obras Unidas e Conselho Central

Centro Catequético

8 a 12

CATEQUESE

1º Congresso de Animação Bíblico-Catequético

Representantes das Dioceses

Goiânia – GO

14 a 16

CEBs – Regional

2º Sulão das CEBs

Delegados Diocesanos (95 vagas p/ PR)

Londrina

15

DIÁLOGO ECUM. E ENS. RELIGIOSO

Celebração do Dia do Professor

Professores

Todas as Paróquias

15 e 16

MECEs

5ª Etapa de Formação

Novos Ministros

CDF – Lar Paraná

18 e 19

CRP / CF

Preparação da CF 2012

19

FORMADORES

Reunião

20

CLERO

Reunião

21 a 23

CURSILHO

Adulto – Feminino

Convidadas

CDF – Lar Paraná Sede da Pastoral da Criança

Informações do 19º Plano

Paróquia do mês

Pág. 6

Pág. 12

JMJ 2011 Relato Pág. 9 Missa da padroeira, na igreja matriz

01/12/2004. As reformas foram retomadas em 2007, com a colocação dos vitrais, pintura interna e a reforma externa da igreja. Outras informações: O Dia de Nossa Senhora Mãe de Deus é 1° de janeiro. No entanto, o feriado municipal, em Juranda, em homenagem à padroeira, é no dia 15 de agosto, Dia da Assunção de Nossa Senhora. Festa da padroeira No dia 14 de agosto, a comunidade esteve em festa, celebrando a sua padroeira. Após a bênção dos veículos, houve uma missa presidida pelo administrador paroquial Pe. Gessi de Matos. “Maria guardava tudo em seu coração; nesses dias, com certeza, ela também guardou todos os pedidos de nossos paroquianos, em seu coração”, disse o Pe. Gessi, durante a homilia, comparando a passagem bíblica à peregrinação que a imagem da padroeira fez, nos dias que antecederam a festa da padroeira. A imagem peregrina de Nossa Senhora Mãe de Deus passou pelas 9 capelas que formam a paróquia. Ao final da celebração eucarística, houve a coroação da imagem da padroeira.

“Missão na Ecologia” é o tema da Campanha Missionária 2011, realizada pelas POM Pontifícias Obras Missionárias. A imagem do cartaz, inserida na capa do Jornal Servindo, representa a retirada de tudo o que não corresponde à preservação do meio ambiente.

Equipes/Representantes das Dioceses Bispo e formadores

A definir Seminário Dom Virgílio CDF – Lar Paraná

22

P. CRIANÇA

Reunião Diocesana

Coordenadores de Setor, Áreas e Ramos

25 a 27

CNBB – NACIONAL

Conselho Permanente

Bispos e Arcebispos

Brasília

26

CDAE

Reunião Equipe de Assessoria

Equipe de Assessoria

Sala da Cúria

29

CRB

Encontro dos Religiosos

Religiosos e Consagradas

Mamborê

29

P. DA CRIANÇA

Articulador da Saúde

Líderes e Coordenadores

Sede da Pastoral da Criança

30

CRIS

Encontro Regional dos Institutos Seculares

Representantes

Ponta Grossa

30

MECEs

Retiro Decanal

Ministros, Decanato de Goioerê

Candeias

Aniversários OUTUBRO

Capa

Outubro 2011

Site: www.diocesecampomourao.com.br Permite-se a reprodução total ou parcial do material veiculado no Jornal Servindo, desde que citada a fonte. As assinaturas do Jornal Servindo podem ser feitas nas secretarias paroquiais. Informações pelo e-mail/MSN: jornalservindo@hotmail.com

Confira na página 12. No espaço destinado às congregações presentes na diocese, temos a oportunidade de sabermos um pouco das Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria. Veja vídeos sobre a novena do mês missionário, no portal da diocese, na internet: www.diocesecampomourao.com.br.

Agenda do bispo / OUTUBRO

Página 12

Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Bispo diocesano de Campo Mourão

CALENDÁRIO – OUTUBRO - 2011

Editorial

Foto: Militino Malakoski

Expediente

já nos dá indicativas de como ser esse missionário, seja atuando com a família, com a catequese ou com a juventude. Meios sociais também nos são colocado a disposição para essa evangelização, seja através de sites, de rádios, emissoras de TV e o Jornal Servindo. Ressalto ainda o valioso trabalho feito pelos nossos missionários, pois um grande modo de se evangelizar é sair de si e ir ao encontro do outro. Não precisamos ir a terras distantes para sermos missionários, pois temos pessoas próximas de nós que ainda não conhecem o Evangelho. Não importa o meio, o importante é sempre estar levando o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, exercendo assim o nosso batismo. Na mensagem que o Papa Bento XVI escreveu para o dia mundial das Missões ele afirma: “O Evangelho não é uma propriedade exclusiva de quem o recebeu, mas um dom a ser partilhado e comunicado”. Precisa fluir em nós o ardente desejo de sermos todos missionários: bispo, padres, diáconos, religiosos e religiosas, leigos e leigas. Com fé sólida e com espírito de partilha queremos ainda lembrar e rezar pelos nossos missionários, de modo especial por aqueles que aqui passaram nos precedendo nos trabalhos de evangelização. O Dia Mundial das Missões, conforme o Papa Bento XVI, “é um chamado a revigorar em cada pessoa o desejo e a alegria de ir ao encontro da humanidade levando a todos, Cristo”. São Paulo assim concluiria esta reflexão: “Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho” (1Cor 9,16) Que Santa Terezinha e São Francisco Xavier, Padroeiros das Missões, intercedam por nós!

Página 11

Outubro 2011

PADRES E DIÁCONOS 13 - Pe. João Batista Rodrigues - Nascimento 15 - Pe. Luiz da Silva Andrade - Nascimento 19 - Pe. Raimundo Santana dos Reis - Nascimento 29 - Pe. Jorge de Paula Monteiro, SCJ - Nascimento RELIGIOSAS 5 - Irmã Maria Merletti - Profissão 9 - Irmã Elizabete Celia Leandro - Nascimento 9 - Irmã Francismara Karam - Nascimento 11 - Irmã Givaneide - Nascimento 12 - Irmã Francismara Karam - Profissão 25 - Irmã Tereza Margarida - Pro fissão SEMINARISTAS 14 - Rodrigo Ferreira dos Santos 27 - Luciano Wanderley Sant’Anna 29 - Willian Oliveira Lopes

Encontro do SAV em Guarapuava

Participantes do Encontro em Guarapuava

O

s animadores vocacionais do Regional Sul II estiveram reunidos em Guarapuava no dia 6 de setembro. A finalidade do encontro foi acertar a questão da Escola de Animadores Vocacionais que o Regional está lançando para o próximo ano e o calendário, enquanto Serviço de Animação Vocacional.

Estiveram presentes as dioceses de: Cascavel, Apucarana, Maringá, Paranavaí, Toledo, Ponta Grossa, Curitiba, São José dos Pinhais, Foz do Iguaçu, Guarapuava e Campo Mourão, com a presença do assessor diocesano do SAV, Pe. Ricardo Arica Ferreira, e da coordenadora diocesana, a Ir. Jeane Szeremeta.

Balancete Agosto / 2011 MANUTENÇÃO DA CÚRIA E IMÓVEIS Sanepar, Copel, Oi! e Correio.....................................1509,73 Locação Sistema Contabilidade/Folha Pagto ............. 352,53 Encargos Sociais: INSS+FGTS+PIS+IRRF............. 11.720,51 Combustível................................................................1245,36 Fundo de Reserva................................................... 17.813,60 Côngruas/Salários................................................... 24.654,10 Adiantamento 13º. Salário......................................... 7.856,75 Plano de Saúde......................................................... 1.960,00 Capela Santa Paula Elisabete Cerioli.......................... 636,87 Mensalidade do Prever.................................................. 35,00 Vales Transportes......................................................... 841,60 M S Guaiume Segurança Monitorada............................ 80,00 Despesas com Cartório................................................ 252,41 Materiais de Escritório............................................... 1.367,54 Théos Informática-Prog. SGCP...................................... 61,20 Mestrado Pe. Geovani.................................................. 600,00 HDI Seguros S/A Parc. 02/04 (05 Veículos).............. 2.115,41 Seguros Sem. S. José/Casa Enc. Lar PR Parc 02/04. 363,25 Escritório de Advocacia Andrade e Rodrigues.......... 2.500,00 Despesas com Veículos .............................................. 825,02 Labore Medicina do Trabalho......................................... 74,00 Tribunal Eclesiástico..................................................... 545,00 Manutenção e Conservação de Imóveis................... 1.580,50 Reforma da Cúria...................................................... 1.640,70 Atelier Sacro Benchaya Ltda (Materiais Litúrgicos) .... 710,70 Doação Escola Diaconal .......................................... 1.090,00 Confeção Band. Diocese de C. Mourão Parc. 02/03 .1.750,00 Form. Humana-IATES(Pe. Aédio/Gerson/Ricardo/Valdecir) . . 2.160,00 Curso C. e Meios-Pias Soc. SP (Adilson/Pe. Sidnei). ...... 1.996,94 Curso Pós-Graduação Seminarista Willian.................. 539,85 Curso Comun. (Muticom) RJ. Pe. Sidnei/Edson Lima ........ 1.118,13 Confraternização do Clero (Alimentação) .................. 853,82 Pref. Maringá (Taxa Habite-se) Seminário Filosofia..... 205,00 Despesas Com Viagens .............................................. 371,25 Centro Pastoral Dom Eliseu (Muro): Mão-Obra e Materiais.29.982,88 Pedágios........................................................................ 33,60 121.443,25 RESIDÊNCIA EPISCOPAL Brasil Telecom SA. ................................................... 186,43 Copel............................................................................ 256,02 Sanepar........................................................................ 234,18 Salários..................................................................... 1.449,40 Adiantamento 13º. Salário............................................ 806,50 TV a Cabo Campo Mourão Ltda ................................. 148,50 Assinatura UOL ............................................................. 24,00 Alimentação............................................................... 1.539,98 Valgás............................................................................. 90,00 Manutenção e Conservação de Imóveis........................ 67,70 4.802,71 OUTROS (Água, luz, telefone, etc.) Seminário São José - Campo Mourão...................... 2.817,30 Centro Past. Dom Virgílio de Pauli............................... 463,39 Centro Past. Dom Eliseu.............................................. 733,11 4.013,80 OUTROS (Repasse da Cúria) Semin. Proped. São José - Campo Mourão.............. 8.000,00 Semin. de Teologia Dom Virgílio - Cambé............... 16.740,00 Semin. de Filosofia N. S. Guadalupe - Maringá...... 12.891,00 37.631,00 RESUMO GERAL Saldo em 31/08/11.................................................. 53.781,74 Entradas Contribuição das Paróquias.................................. 127.257,50 Contribuição Ref. 13º Salário.................................. 10.609,40 Reembolso Almoço do Clero........................................ 680,00 Reembolso Encargos-Pis/Secraso/Senalba............. 1.270,36 Reembolso Correio/Labore.......................................... 247,30 Reembolso Bandeira Diocese...................................... 510,00 Reembolso Pastoral Saúde.......................................... 200,00 Reembolso Cartório..................................................... 561,47 Resgate Fundo de Reserva.................................... 24.885,21 Empréstimo Campanha da Fraternidade.................. 3.888,20 170.109,44 Saldo anterior + entradas.............................. 223.891,18 Saídas Manutenção da Cúria e Imóveis............................ 121.443,25 Residência Episcopal................................................ 4.802,71 Centro Pastoral Dom Virgílio de Pauli.......................... 463,39 Centro de Pastoral Dom Eliseu.................................... 733,11 Seminário São José.................................................. 2.817,30 Seminário Propedêutico São José C. Mourão ......... 8.000,00 Seminário Filosofia N. Sra. Guadalupe - Mgá......... 12.891,00 Seminário de Teologia Dom Virgílio - Cambé.......... 16.740,00 Consórcio Nacional Volkswagen.................................. 765,80 168.656,56


Página 12

Outubro 2011

Engenheiro Beltrão Padroeira: Nossa Senhora das Graças Localização: Engenheiro Beltrão-PR Av. 7 de setembro, 746 - Caixa Postal 63 - CEP 87270-000 E-mail/MSN: paroquiaengenheiro@hotmail.com Telefone: (44) 3537-1431 Capelas: Comunidade Jardim Castelo Branco: Capela Nossa Senhora Aparecida, Comunidade Conjunto Paulo Grande, Comunidade Nossa Senhora Aparecida - Sertãozinho, Comunidade São João Batista - Jumirim e Comunidade Divino Espírito Santo - Pedra Branca Data de criação da paróquia: 08/09/1962 Pároco: Pe. José Coelho Pereira, 53 anos de idade e 18 de ordenação Secretária paroquial: Ana Lúcia Histórico: Os registros da primeira visita de um sacerdote à localidade são de 19 de março de 1948, feita pelo Pe. Aloysio Jacobi. A primeira missa oficial foi celebrada no dia 12 de setembro de 1948. Na época, a região toda pertencia à Prelazia de Foz do Iguaçu e o bispo, dom Manoel Koenner, esteve na localidade em 8 de setembro de 1949, quando consagrou uma pequena capela a Nossa Senhora das Graças.

A

paróquia Nossa Senhora das Graças foi criada em 8 de setembro de 1962 e o Pe. Aloysio Jacobi foi o primeiro pároco (chamado “vigário”, na época). Trabalhou 12 anos na nova paróquia e faleceu no dia 21 de setembro de 1974. Seu corpo foi sepultado em Engenheiro Beltrão.

Igreja construída pelo Pe. Aloysio e comunidade

O segundo pároco foi o Pe. Léo Pientka, empossado em 30 de outubro de 1974. O terceiro foi o Pe. João Milezeoshi, que tomou posse no dia 5 de maio de 1976. O quarto pároco foi o Pe. Alberto Bernareggi. Sua posse foi em 4 de fevereiro de 1979. O quinto foi o Pe. Francisco Xavier Lesniówski, empossado dia 8 de dezembro de 1981. O sexto pároco foi o Pe. Germano Bozzebon, que tomou posse no dia 3 de março de 1985 e permaneceu até 1998. Ele faleceu no dia 8 de maio de 2000 e foi sepultado em Engenheiro Beltrão. Durante alguns meses a paróquia foi administrada pelo Pe. Pedro Liss, até a chegada do sétimo pároco, Pe. Hélio Jose da

Primeira Comunhão em 26 de outubro de 1952

Costa, que assumiu dia 17 de outubro de 1998. Pe. Hélio permaneceu até o seu falecimento no dia 17 de fevereiro de 2003. O Pe. Francisco Javier Delvalle Paredes tomou posse no dia 23 de março de 2003, permanecendo até 2008, quando foi sagrado bispo da diocese de Campo Mourão, no dia 27 de fevereiro de 2009. No dia 26 de fevereiro de 2006 o Pe. Ivan Luiz Walter presidiu a sua primeira missa, em Engenheiro Beltrão, permanecendo até 2007, como vigário paroquial. Em março de 2007, o recém ordenado Pe. Valdecir Liss, trabalhou como vigário paroquial, permanecendo até fevereiro de 2009. O Pe. José Coelho Pereira tomou posse no dia 1º de março de 2009 e é o atual pároco. Na mesma data assumiu, como

Igreja Matriz atual, em reformas

vigário paroquial, o Pe. Nilson Reis Gonçalves. Após o Pe. Nilson, foram vigários paroquiais o Pe. Roberto César dos Reis e o Pe. Benedito Batista. O Pe. Benedito deixou a paróquia em 2011, ao assumir a paróquia de Ivailândia, no dia 9 de setembro. Festa da padroeira “O bispo, quando vai a uma paróquia, ele sempre se alegra, pois está no meio do seu povo, mas quando eu venho aqui, eu me sinto em casa”, disse dom Francisco Javier Delvalle Paredes, bispo diocesano, durante a missa dos 49 anos da paróquia Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão. A celebração foi na noite de 8 de setembro, no salão paroquial, pois a igreja matriz estava em reformas. Antes da missa, centenas de paroquianos saíram às ruas da cidade, para a procissão luminosa, conduzindo a imagem da padroeira. Durante a missa, objetos foram conduzidos ao presbitério, simbolizando cada um dos 9 dias da novena realizada em preparação à festa de Nossa Senhora das Graças. Cada dia da novena, como gesto concreto, diferentes tipos de alimentos foram oferecidos pelos fiéis, para serem destinados ao seminário. Após a celebração eucarística, um bolo contendo 300 medalhas de Nossa Senhora das Graças, foi partilhado entre os participantes.Mãe de Deus passou pelas 9 capelas que formam a paróquia. Ao final da celebração eucarística, houve a coroação da imagem da padroeira.

Entrada da imagem da padroeira, após a procissão luminosa

Diácono Mercir Ricci, dom Javier e Pe. José Coelho Pereira

Comunidade oferece flores, homenageando a padroeira

Outubro 2011

JORNAL

SERVINDO

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 22 - Outubro / 2011 - Nº 230

Página

Missão na Ecologia Informações do 19º Plano

Paróquia do mês

Pág. 6

Pág. 12

JMJ 2011 Relato Pág. 9


Jornal Servindo - outubro de 2011