Page 1

Página 12

Novembro 2011

Campina da Lagoa

Igreja matriz

Paróquia: Santa Teresinha do Menino Jesus Localização: Campina da Lagoa-PR - Praça João XXIII, 25 - Caixa Postal 37 - CEP 87.345-000 - Telefone/fax: (44) 3542-1136 / 3542-1616 E-mail/MSN: paroquiacampina@hotmail.com Número de capelas: 21 Data de criação da paróquia: 01/05/64 Pároco: Pe. Pedro Speri, 58 anos de idade e 35 de ordenação. Religiosas: Congregação das Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria: Irmãs Helena, Izabel, Adela e Paula. Secretárias paroquiais: Santirene Caetano dos Santos e Susane Lopez Tavares Histórico As famílias de Salvador Ananias Pereira e Joaquim Luiz Pereira (Joaquim Carula) chegaram em Campina Vitoriana, atual Campina da Lagoa, em dezembro de 1940. Como símbolo da fé que professavam, ergueram um cruzeiro onde se localiza, atualmente, a Sanepar. As primeiras missas foram celebradas na serraria de propriedade de Dino Matioski. Logo após, na atual Praça João XXIII, foi construída uma capela em madeira lascada. Com o crescimento

Primeira capela, em 1953

Inauguração da serraria de Dino Matioski, em 1953

Construção da segunda capela, em 1954

da população, foi construída a segunda capela em madeira beneficiada e vitrais coloridos, em 1950. Na época, a capela pertencia à paróquia de Campo Mourão, que pertencia à Prelazia de Foz do Iguaçu. O atendimento era feito por um padre que vinha a cavalo e permanecia aproximadamente 40 dias, realizando as celebrações e sacramentos. Com a criação da paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê, no final de 1956, a capela Santa Teresinha passou a pertencer a essa paróquia. Um dos padres que estava na paróquia de Mamborê e que atendeu a capela foi o Pe. José Sauer. A criação da paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus foi no dia 1º de maio de 1964, durante o bispado de dom Eliseu Simões Mendes, primeiro bispo da diocese de Campo Mourão. O primeiro pároco foi o Pe. Fernando Brito (diocesano). Em 1966 a paróquia passou a ser administrada pela congregação Companhia de Jesus (Jesuítas), tendo como pároco o Pe. Ervino Schmitt. Em 1970, a Prefeitura Municipal de Campina da Lagoa e a diocese de

Campo Mourão trocaram terrenos. A capela existente na Praça João XXIII foi demolida. No novo terreno, foi construído um salão em alvenaria, que funcionava como igreja. No ano de 1971, a atual igreja começou a ser construída. Sua conclusão foi em torno de 1978. As Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria chegaram à paróquia, em 1979. Em 2000, a paróquia passa novamente a ser administrada por padres diocesanos. Assumiu como pároco o Pe. Ademar de Oliveira Lins. Em 2005, teve início a reforma da igreja matriz. Párocos: Pe. Fernando Brito, Pe. Antônio Américo Vaz, Pe. Ervino Schmitt, Pe. Avelino Ten Caten, Pe. Claudino Ritter, Pe. Urbano Müller, Pe. Vendelino Müller, Pe. Albano Bervanger, Pe. José Francisco Silveira Montenegro, Pe. Alcides Debastiani, Pe. Ademar de Oliveira Lins, Pe. José Coelho Pereira, Pe. Carlos Czornobai e Pe. Pedro Speri. Vigários paroquiais: Pe. Antônio Vidmar, Pe. José Sil-

vio Fritzen, Pe. Bruno Babusque, Pe. Rui Korber, Pe. Claudino Ritter, Pe. Edvino Hermann, Pe. Lino Londero, Pe. José Guido Sthal, Pe. Leo Kolberg, Pe. Pedro Marques, Pe. Paulo Roberto de Lima, Pe. Reginaldo Nascimento de Souza, Pe. Ivo Celestino Bossak, Pe. Sebastião Ramos, Pe. Antônio Pereira dos Santos , Pe. João da Silva e Pe. Luiz da Silva Andrade. Pedro Altoé, 80 anos de idade, colaborou com fotos e com algumas destas informações históricas. Ele reside em Campina da Lagoa desde 1966. Outras informações A paróquia Santa Teresinha mantém a Sede da Juventude, com ampla estrutura para cursos, com sede esportiva, local de lazer e encontros da juventude; o Centro de Educação Infantil Jesus Criança, com aproximadamente 280 crianças e o Asilo São Vicente de Paulo. A Paróquia tem dado grande apoio à APAE, à Casa Lar e a outras entidades. A área da paróquia é a mesma no município: 799 km2 e população de aproximadamente 16 mil habitantes. A paróquia possui 51 grupos de reflexão, distribuídos em 12 setores. São 108 agentes do dízimo, organizados nos setores, também. Há missas diárias, às 6h30 da manhã. No sábado, a missa é às 19h30; domingo, 8h e 19h30. Festa da padroeira A comunidade esteve em festa no dia 1º de outubro de 2011, para celebrar o Dia da Padroeira, Santa Teresinha do Menino Jesus. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes e, concelebrada, pelo pároco Pe. Pedro Speri. “A chuva de rosas na família” foi o tema do nono dia da novena em preparação para a festa da padroeira, no dia 1º de outubro, feriado municipal, em Campina da Lagoa. O Pe. Pedro Speri fez a saudação ao bispo diocesano. “Eu sei que esta comunidade já vive um certo grau de comunhão, mas devemos ir nos aperfeiçoando para sermos luz”, disse dom Javier.

Novembro 2011

JORNAL

SERVINDO

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 22 - Novembro / 2011 - Nº 231

Página

Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus Mt 5,8

Celebrações da Padroeira do Brasil Pág. 3 e 6

Retiro da Pastoral da Sobriedade Pág. 9

Paróquia do mês: Campina da Lagoa Pág. 12 Padroeira Santa Teresinha

Encenação: Santa Teresinha recebendo flores. 01/10/11

Segunda capela pronta, em 1954

Dom Javier e Pe. Pedro Speri. 01/10/11


Página 02

Novembro 2011

Palavra do Bispo Caríssimos irmãos e irmãs desta querida diocese... Graça e paz a todos! Estamos chegando ao fim do ano de 2011 e, neste mês de novembro temos momentos fortes para a nossa vida cristã e civil. O mês, conforme o calendário, assim nos apresenta: dia 01. Solenidade de todos os Santos (que será celebrada no primeiro domingo); dia 02. Fiéis Defuntos; dia 15. Proclamação da República e dia 20. Festa de Cristo Rei (encerramento do ano litúrgico). É um mês muito frutífero se for bem vivenciado. Ao celebrarmos o dia de todos os Santos, nós estamos recordando de todos aqueles que já nos precederam para a eternidade e que estão no céu junto de Deus; mesmo aqueles que a Igreja não os declarou como santos. E estando no céu são santos. Lembrando destes, nós também somos convidados a uma mudança de vida, a vivermos também em santidade, a sermos santos e santas nos dias de hoje. Logo em seguida recordaremos com muito carinho e apreço de todos os falecidos. É um dia de oração e penitência. É o dia em que visitamos o cemitério onde temos conhecidos, amigos e parentes sepultados. É o dia de rezar por todos eles. Um pouco mais adiante todos nós brasileiros e brasileiras celebraremos com muita alegria a Proclamação da nossa República. Assim como esta proclamação acontecida em 15 de novembro de 1889, na cidade do Rio de Janeiro, que nos livrou a monarquia, dando-nos o direito de República, hoje também somos convidados a exercer nosso amor à pátria, principalmente naquilo que nos cabe: dar rumo cada vez melhor a nossa sociedade

através de nossos filhos e filhas, repassando os principais valores, princípios e educação, como também através do voto consciente na escolha de dignos candidatos que honrem o nosso país. Vivendo então como brasileiros e brasileiras crentes num mundo melhor, é que nós cristãos católicos somos chamados a viver o grande momento cujo qual nós encerraremos o ano litúrgico de 2011 com a festa de Cristo Rei. Proclamar Cristo como Rei é deixar que Ele reine na nossa vida, na nossa história e na nossa família. É ser como São Paulo diz: “Tendes em vós os mesmos sentimentos que Cristo Jesus” (Fl 2,5). Que este mês de novembro, que é rico em celebrações, seja para nós um bom momento de rever a nossa caminhada e renovar nosso compromisso de trabalhar juntos para construir uma Igreja diocesana em constante conversão pastoral e missionária, servindo ao estilo do bom samaritano e, assim, buscando a santidade em nossos lares e uma melhor sociedade para este nosso querido Brasil. Desejo a todos um ótimo mês, repleto das bênçãos de nosso Deus! Fraternalmente,

Assessor: Pe. Sidinei Teixeira Gomes Coordenador: Vilson Olipa (44) 9958-9797 Colunistas: Pe. Luiz Antônio Belini, Amani Spachinski, Maria Joana Titton Calderari, Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, Lilian Aparecida G. Hanel

plica os sinais e símbolos do tempo do Advento, dentro da liturgia. O Pe. Luiz Belini, em sua coluna, apresenta vários números mostrando as mudanças, ao longo do tempo, quanto ao número de católicos no Brasil. Lembramos que críticas construtivas e sugestões são sempre bem-vindas, tanto ao Jornal Servindo, quanto ao portal www.diocesecampomourao.com.br Boa leitura!

5 - Confirmação - paróquia Sagrada Família - Cohapar

18 - Confirmação - paróquia Santo Antonio - Ubiratã

6 - Confirmação - paróquia São Francisco de Assis - Vila Teixeira

19 - Confirmação - paróquia São João Batista - Peabiru

9 - Seminário - laicato, em Brasília

20 - Confirmação - santuário Nossa Senhora Aparecida - Vila urupês

11 - Confirmação - paróquia São Pedro - Paraná d’Oeste

26 - Confirmação - paróquia Nossa Senhora Aparecida - Luiziana

12 - Confirmação - paróquia Divino Espírito Santo - Jd. Aeroporto

27 - Confirmação - paróquia Santo Antonio - Araruna

13 - Confirmação - paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus - Juranda

A intenção geral é pelas Igrejas Católicas Orientais, para que a sua venerável tradição seja conhecida e estimada enquanto riqueza espiritual para toda a Igreja.

Site: www.diocesecampomourao.com.br Permite-se a reprodução total ou parcial do material veiculado no Jornal Servindo, desde que citada a fonte. As assinaturas do Jornal Servindo podem ser feitas nas secretarias paroquiais. Informações pelo e-mail/MSN: jornalservindo@hotmail.com

ONDE

DIÁLOGO ECUM.

Reunião da ASSINTEC

A definir

E ENS. RELIGIOSO

Núcleo C. Mourão

Comissão do Diálogo Ecumênico e Instituições de Ensino

5

P. DA CRIANÇA

Assembleia Eletiva – Juranda

Pároco, Setor, Área, Ramos e Líderes

Paróquia N. Sra. Mãe de Deus

5

VICENTINOS

Reunião Conselho Central

Pres. Obras Unidas e Conselho Central

Centro Catequético

5e6

DIÁCONOS

Escola de Formação

Candidatos ao Diaconato Permanente

Seminário São José

6

P. FAMILIAR

Assembleia Diocesana

Coordenações/Equipes Paroquiais

CDF – Lar Paraná

9 a 11

CNBB – NACIONAL

Encontro dos Secretários

Secretários Executivos Regionais

Brasília

12 e 13

PJ

Assembleia Diocesana

Juventudes

CDF – Lar Paraná

13

P. DA SAÚDE

Reunião Decanal

Decanato de Goioerê

Nossa Sra. das Candeias

15

ROCIO

FESTA DE N. SRA. DO ROCIO

19

P. SOBRIEDADE

Celebração

Todas as Pastorais

A definir

19 e 20

MECEs

6ª Etapa de Formação

Novos Ministros

CDF – Lar Paraná

20

P. CARCERÁRIA

Reunião de Avaliação

Agentes da P. Carcerária

Centro Catequético

20

P. DO DÍZIMO

Formação Diocesana

Equipes Paroquiais

Par. São Francisco de Assis

20

SERRA

24ª Romaria a Aparecida

Membros do Serra

Aparecida – SP

Reunião

Membros do Conselho

Casa Episcopal

Assembleia de Avaliação e Planejamento

Coordenadores da Pastoral da Educação

4

Novembro

Novembro 2011

vio Fritzen, Pe. Bruno Babusque, Pe. Rui Korber, Pe. Claudino Ritter, Pe. Edvino Hermann, Pe. Lino Londero, Pe. José Guido Sthal, Pe. Leo Kolberg, Pe. Pedro Marques, Pe. Paulo Roberto de Lima, Pe. Reginaldo Nascimento de Souza, Pe. Ivo Celestino Bossak, Pe. Sebastião Ramos, Pe. Antônio Pereira dos Santos , Pe. João da Silva e Pe. Luiz da Silva Andrade. Pedro Altoé, 80 anos de idade, colaborou com fotos e com algumas destas informações históricas. Ele reside em Campina da Lagoa desde 1966. Outras informações A paróquia Santa Teresinha mantém a Sede da Juventude, com ampla estrutura para cursos, com sede esportiva, local de lazer e encontros da juventude; o Centro de Educação Infantil Jesus Criança, com aproximadamente 280 crianças e o Asilo São Vicente de Paulo. A Paróquia tem dado grande apoio à APAE, à Casa Lar e a outras entidades. A área da paróquia é a mesma no município: 799 km2 e população de aproximadamente 16 mil habitantes. A paróquia possui 51 grupos de reflexão, distribuídos em 12 setores. São 108 agentes do dízimo, organizados nos setores, também. Há missas diárias, às 6h30 da manhã. No sábado, a missa é às 19h30; domingo, 8h e 19h30. Festa da padroeira A comunidade esteve em festa no dia 1º de outubro de 2011, para celebrar o Dia da Padroeira, Santa Teresinha do Menino Jesus. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes e, concelebrada, pelo pároco Pe. Pedro Speri. “A chuva de rosas na família” foi o tema do nono dia da novena em preparação para a festa da padroeira, no dia 1º de outubro, feriado municipal, em Campina da Lagoa. O Pe. Pedro Speri fez a saudação ao bispo diocesano. “Eu sei que esta comunidade já vive um certo grau de comunhão, mas devemos ir nos aperfeiçoando para sermos luz”, disse dom Javier.

Primeira capela, em 1953

10h - Celebrante: Bispo Dom Francisco Javier Delvalle Paredes - Bispo Diocesano Inauguração da serraria de Dino Matioski, em 1953

Construção da segunda capela, em 1954

da população, foi construída a segunda capela em madeira beneficiada e vitrais coloridos, em 1950. Na época, a capela pertencia à paróquia de Campo Mourão, que pertencia à Prelazia de Foz do Iguaçu. O atendimento era feito por um padre que vinha a cavalo e permanecia aproximadamente 40 dias, realizando as celebrações e sacramentos. Com a criação da paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê, no final de 1956, a capela Santa Teresinha passou a pertencer a essa paróquia. Um dos padres que estava na paróquia de Mamborê e que atendeu a capela foi o Pe. José Sauer. A criação da paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus foi no dia 1º de maio de 1964, durante o bispado de dom Eliseu Simões Mendes, primeiro bispo da diocese de Campo Mourão. O primeiro pároco foi o Pe. Fernando Brito (diocesano). Em 1966 a paróquia passou a ser administrada pela congregação Companhia de Jesus (Jesuítas), tendo como pároco o Pe. Ervino Schmitt. Em 1970, a Prefeitura Municipal de Campina da Lagoa e a diocese de

Campo Mourão trocaram terrenos. A capela existente na Praça João XXIII foi demolida. No novo terreno, foi construído um salão em alvenaria, que funcionava como igreja. No ano de 1971, a atual igreja começou a ser construída. Sua conclusão foi em torno de 1978. As Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria chegaram à paróquia, em 1979. Em 2000, a paróquia passa novamente a ser administrada por padres diocesanos. Assumiu como pároco o Pe. Ademar de Oliveira Lins. Em 2005, teve início a reforma da igreja matriz. Párocos: Pe. Fernando Brito, Pe. Antônio Américo Vaz, Pe. Ervino Schmitt, Pe. Avelino Ten Caten, Pe. Claudino Ritter, Pe. Urbano Müller, Pe. Vendelino Müller, Pe. Albano Bervanger, Pe. José Francisco Silveira Montenegro, Pe. Alcides Debastiani, Pe. Ademar de Oliveira Lins, Pe. José Coelho Pereira, Pe. Carlos Czornobai e Pe. Pedro Speri. Vigários paroquiais: Pe. Antônio Vidmar, Pe. José Sil-

12h - Celebrante: Pe. Edinaldo Velozo da Silva - Paróquia São Francisco de Assis, Vila Teixeira

Novembro 2011

JORNAL

SERVINDO

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 22 - Novembro / 2011 - Nº 231

Página

Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus Mt 5,8

Celebrações da Padroeira do Brasil Pág. 3 e 6

Retiro da Pastoral da Sobriedade

Padroeira Santa Teresinha

Encenação: Santa Teresinha recebendo flores. 01/10/11

Segunda capela pronta, em 1954

18h - Celebrante: Pe. Carlos Czornobai - Paróquia Santa Rita de Cássia, Jardim Alvorada Cada paróquia deve levar a equipe de liturgia (comentarista, leitores, ladainha, etc.) equipe de canto (levar instrumentos) e ministros

RESERVA

Igreja Presbiteriana

CDF – Lar Paraná

26

CEBs

Encontro Diocesano

Coordenadores e Animadores Paroquiais

Centro

30

CDAE

Reunião Equipe de Assessoria

Equipe de Assessoria

Sala da Cúria

Paróquia realiza semana voltada à juventude

PADRES E DIÁCONOS 11 - Pe. Carlos Czornobai Nascimento 12 - Pe. Ricardo Arica Ferreira - Nascimento 20 - Pe. Clemens Kanisius Haas, SJ - Nascimento 26 - Pe. Ivan Luiz Walter Nascimento 29 - Pe. José Edwin Kalsing Nascimento 29 - Pe. Pedro Speri - Ordenação

Pág. 9

14h - Celebrante: Pe. Izaías da Conceição - Paróquia Sagrada Família, Cohapar

16h - Celebrante: Pe. Aédio Odilon Pego - Paróquia Divino Espírito Santo, Jardim Aeroporto

Centro Catequético

26 e 27

Aniversários NOVEMBRO

Capa

Campina da Lagoa

Histórico As famílias de Salvador Ananias Pereira e Joaquim Luiz Pereira (Joaquim Carula) chegaram em Campina Vitoriana, atual Campina da Lagoa, em dezembro de 1940. Como símbolo da fé que professavam, ergueram um cruzeiro onde se localiza, atualmente, a Sanepar. As primeiras missas foram celebradas na serraria de propriedade de Dino Matioski. Logo após, na atual Praça João XXIII, foi construída uma capela em madeira lascada. Com o crescimento

CONSELHO PRESBITERAL

E ENS. RELIGIOSO

6h - Celebrante: Pe. Jurandir Coronado Aguilar - Catedral São José Paróquia: Santa Teresinha do Menino Jesus Localização: Campina da Lagoa-PR - Praça João XXIII, 25 - Caixa Postal 37 - CEP 87.345-000 - Telefone/fax: (44) 3542-1136 / 3542-1616 E-mail/MSN: paroquiacampina@hotmail.com Número de capelas: 21 Data de criação da paróquia: 01/05/64 Pároco: Pe. Pedro Speri, 58 anos de idade e 35 de ordenação. Religiosas: Congregação das Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria: Irmãs Helena, Izabel, Adela e Paula. Secretárias paroquiais: Santirene Caetano dos Santos e Susane Lopez Tavares

CRISTO REI

26

Página 12

Tiragem: 11 mil exemplares. Impressão: Grafinorte.

PARA QUEM

DIÁLOGO ECUM.

Programação de missas no Cemitério São Judas Tadeu, de Campo Mourão, dia 2 de novembro (Finados)

Editoração Eletrônica: Jonas Rodrigues. - 44 3025-2036 / 9145-1499 / 9915-3400

O QUE

20

Intenção missionária: Para que o continente africano encontre em Cristo a força de realizar o caminho de reconciliação e justiça indicado pelo segundo Sínodo dos Bispos de África.

Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Bispo diocesano de Campo Mourão

QUEM

24

Igreja matriz

Diretor: Dom Francisco Javier Delvalle Paredes

DIA

Agenda do bispo / NOVEMBRO

8h - Celebrante: Pe. Ricardo Arica Ferreira Reitor do Seminário Propedêutico São José

Expediente

CALENDÁRIO – NOVEMBRO - 2011

Editorial Apresentamos uma novidade na seção Giro pelas paróquias, que é a inserção de fotos. Confira na página 8. Aproveitamos a oportunidade para agradecer a colaboração dos padres, secretários paroquiais, coordenadores de pastorais e movimentos, pelo envio de fotos e informações, para enriquecer o conteúdo do Jornal Servindo e do portal da diocese, na internet. A colunista Lilian Hanel, coordenadora diocesana de Liturgia, ex-

Página 11

Novembro 2011

Paróquia do mês: Campina da Lagoa Pág. 12 Dom Javier e Pe. Pedro Speri. 01/10/11

Finados, para os cristãos, vai além da morte; significa a ligação entre a terra e o céu.

RELIGIOSAS 04 - Ir. Amália - Nascimento 07 - Irmã Gabriela Belli - Profissão 08 - Ir. Ana Paula - Nascimento 12 - Ir. Maria Ruedell - Nascimento 21 - Ir. Dionisia Pereira Duarte - Nascimento SEMINARISTAS 03 - Lussamir Rogério de Souza 05 - Renan Augusto Pedroso Ribeiro

“T

ributo à Juventude” foi o título dado à semana de atividades, na paróquia São João Batista de Peabiru, de 2 a 9 de outubro. Houve atividades artístico-culturais voltadas para os jovens e adolescentes do município.

O início da semana foi com uma missa na igreja matriz. Ao longo da semana, houve conferência para discutir o problema do avanço das drogas; noite com apresentações culturais e gincana.

Balancete Setembro / 2011 MANUTENÇÃO DA CÚRIA E IMÓVEIS Sanepar, Copel, Oi! e Correio................................... 1.274,56 Locação Sistema Contabilidade/Folha Pagto ............. 352,53 Encargos Sociais: INSS+FGTS+PIS+IRRF............. 13.107,12 Combustível................................................................. 913,83 Fundo de Reserva................................................... 17.050,00 Côngruas/Salários................................................... 24.425,06 Plano de Saúde......................................................... 2.520,00 Capela Santa Paula Elisabete Cerioli.......................... 598,14 Mensalidade do Prever.................................................. 35,00 Vales Transportes......................................................... 603,00 M S Guaiume Segurança Monitorada............................ 80,00 Despesas com Cartório................................................ 111,50 Materiais de Escritório.................................................. 518,85 Théos Informática-Prog. SGCP...................................... 61,20 Nipomaq Mov. p/ Escritório (Cadeiras Seminários)... 1.314,00 HDI Seguros S/A Parc. 03/04 (05 Veículos).............. 2.115,41 Seguros Sem. São José/Casa Enc. Lar PR Parc 03/04.......... ......................................................................................363,25 Escritório de Advocacia Andrade e Rodrigues.......... 2.500,00 Despesas Mat.Limpeza/Cafézinho (Cúria) . ................. 67,22 Labore Medicina do Trabalho......................................... 36,00 Tribunal Eclesiástico..................................................... 545,00 Manutenção e Conservação de Imóveis...................... 743,28 Reforma da Cúria.................................................... 27.266,01 Atelier Sacro Benchaya Ltda (Materiais Litúrgicos) .... 650,00 Doação Escola Diaconal .......................................... 1.090,00 Confeção Bandeiras Diocese de C. Mourão Parc. 03/03 . ...... ...................................................................................1.750,00 Form. Humana-IATES (Pe. Aédio/Gerson/Ricardo/Valdecir) .. ...................................................................................1.200,00 Retiro Clero/Formação CNLB Prov. Eclesiástica de Mgá........ ......................................................................................340,00 Cantinho de Maria (Imagem de São José)................... 220,00 Assinatura Revista-Direito Canônico.............................. 50,00 Fiorella Panificadora..................................................... 252,12 Frigorífico Central (Convivência Seminaristas)............ 480,00 Confraternização do Clero (Alimentação) .................... 69,00 Prefeitura Maringá-Seminário Filosofia (Regularização Obra). ...................................................................................2.477,50 Despesas Viagens/Hosp. - XXXII Assem. do Povo de Deus... ...................................................................................1.872,23 Despesas com Viagens . ............................................. 293,48 107.345,29 RESIDÊNCIA EPISCOPAL Oi!, Copel e Sanepar.................................................... 692,89 Salários..................................................................... 1.449,40 Assinatura Jornal Folha de Londrina............................ 379,20 TV a Cabo Campo Mourão Ltda ................................. 148,50 Assinatura UOL ............................................................. 24,00 Alimentação............................................................... 1.157,17 Valgás............................................................................. 90,00 Manutenção e Conservação de Imóveis...................... 160,00 4.101,16 OUTROS (Água, luz, telefone, etc.) Seminário São José - Campo Mourão......................... 982,56 Centro Past. Dom Virgílio de Pauli............................... 399,50 Centro Past. Dom Eliseu.............................................. 540,31 1.922,37 OUTROS (Repasse da Cúria) Semin. Proped. São José - Campo Mourão.............. 8.000,00 Semin. de Teologia Dom Virgílio - Cambé............... 16.740,00 Semin. de Filosofia N. S. Guadalupe - Maringá...... 12.555,00 Doação - paróquia de Iretama................................... 4.500,00 41.795,00 RESUMO GERAL Saldo em 30/09/11.................................................. 37.738,97 Entradas Contribuição das Paróquias.................................. 113.905,00 Contribuição Ref. 13º Salário.................................... 9.491,80 Crisma....................................................................... 3.880,00 Reembolso Encargos-Pis/Secraso/Senalba............. 2.001,36 Reembolso Correio/Labore.......................................... 392,29 Reembolso Bandeira Diocese...................................... 170,00 Reembolso Pastoral Saúde.......................................... 100,00 Reembolso Almoço do Clero........................................ 114,00 Resgate Fundo de Reserva.................................... 27.566,01 Doação Paróquia Iretama p/ Seminários.................. 4.500,00 Repasse Par. Rancho (Convênio CNBB/GM).............. 986,18 Venda Grade Cúria....................................................... 500,00 163.606,64 Saldo anterior + entradas.............................. 201.345,61 Saídas Manutenção da Cúria e Imóveis............................ 107.345,29 Residência Episcopal................................................ 4.101,16 Centro Pastoral Dom Virgílio de Pauli.......................... 399,50 Centro de Pastoral Dom Eliseu.................................... 540,31 Seminário São José..................................................... 982,56 Seminário Propedêutico São José C. Mourão ......... 9.500,00 Seminário Filosofia N. Sra. Guadalupe - Mgá......... 14.055,00 Seminário de Teologia Dom Virgílio - Cambé.......... 18.240,00 155.163,82


Página 10

Novembro 2011

A

Eventos da Pastoral da Saúde

Equipe do Regional Sul 2 com a nova coordenação nacional

A diocese esteve presente no XXXI Congresso Brasileiro de Humanização e Pastoral da Saúde, realizado em São Paulo, nos dias 4 e 5 de setembro. Participaram de Goioerê: Lourdes Augusta Alves Candido, Maria Zeni de Aquino, Estevam de Souza, Rosenir Rezen-

de da Silva Scardelato e Maria de Lourdes Silva Pereira; de Engenheiro Beltrão: Dirce dos Santos Gonçalves de Aguiar. Acontecerá no Paraná o XIV Encontro Anual da Pastoral da Saúde do Regional Sul II CNBB. Será em Pinhais, de 11 a 13 de novembro.

A Igreja perfeita na eternidade

N

ão há como pensar sobre santidade sem pensar a respeito da vida e da morte. Qual a finalidade da vida? Por que Deus criou a vida em suas múltiplas formas? Existe um objetivo bem delineado, embora não revelado. Deus tem suas razões para criá-las, conforme sua própria vontade. Ele sabe, porque fez tudo o que existe no universo, inclusive o próprio universo, e tem seus motivos, que não nos competem ainda. Toda e qualquer espécie de vida tem como fim sua própria perfeição. O verdadeiro significado de perfeição está na essência de cada criatura. A essência de uma planta, seja uma frondosa árvore ou um ínfimo arbusto, é vegetar. Vegetar, para as plantas é seu caminho para o aperfeiçoamento. Quando uma árvore atinge sua completa maioridade e cai, torna-se adubo e fertilizante, para que outras, semelhantes suas, cresçam mais

vigorosas e perfeitas. A essência do ser humano é a vida. Viver, para o ser humano, significa a busca da perfeição. O homem vive e, quando completa sua plenitude morre, tornando-se perfeito, isto é, santo. Desde seu aparecimento sobre a Terra, pela Criação Divina, o homem caminha em busca da felicidade completa e inexaurível. A finalidade da vida humana é a felicidade que, na verdade, é sua “terra prometida”. E, chegar a essa “terra prometida”, é o maior e mais sagrado dos objetivos de toda humanidade. O desígnio de Deus ao criar o homem, foi compartilhar com ele a sua divina felicidade. Portanto, ser santo significa experimentar direta e intensamente a felicidade divina. Deus criou o homem para esse fim. E, nas palavras de Santo Agostinho, o coração humano estará sempre inquieto enquanto não repousar

O

Santuário Nossa Senhora Aparecida, localizado na Vila Urupês, em Campo Mourão, recebeu muitos fiéis ao longo de todo o dia 12 de outubro, dia da padroeira do Brasil. A primeira missa foi às 5h, presidida pelo Pe. Apolinário João da Silva. Houve a procissão das luzes. Várias outras missas foram cele-

bradas nesse dia. Ao meio-dia, houve a coroação da imagem de Nossa Senhora Aparecida. No início da tarde, o tradicional bolo de 70m de comprimento, contendo 3 mil medalhas, foi servido. A última missa do dia foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes. Fotos: Valter Velozo/Tribuna do Interior

dida pelo pároco Pe. Luiz da Silva Andrade, com participação de um grande número de paroquianos. Nessa celebração foi contextualizada a vida e história do martírio das Cinco Irmãs. Drina é um rio entre a Bósnia e Herzegovina e a Sérvia. Daí fato das irmãs serem chamadas de Mártires do Drina. Elas são as primeiras da Congregação Filhas do Amor Divino que foram beatificadas. São elas: Berchmana Leidenix (austríaca); Krizina Bojanc (eslovena); Jula Ivanisevic (croata); Atonija Fabjan (eslovena) e Bernadete Banja (húngara).

s Irmãs Filhas do Amor Divino da Comunidade Sagrada Família de Nova Cantu, o Grupo Girassol do Amor Divino, juntamente com o povo da paróquia Nossa Senhora de Fátima se reuniram para celebrar o tríduo em preparação da beatificação das Mártires do Drina. O tríduo foi de 21 a 23 de setembro, na igreja matriz de Nova Cantu. No dia 24 de setembro, aconteceu uma missa solene, em comunhão com toda a Congregação, Província e Igreja, por ocasião da beatificação das Mártires do Drina. A celebração eucarística foi presi-

Milhares de pessoas visitam o Santuário no dia da padroeira

Fotos: Valter Velozo/Tribuna do Interior

Congregação e comunidade celebram tríduo em preparação para beatificação

Página 03

Novembro 2011

Pe. Clauber presidindo umas das missas Pe. Luiz, irmãs Filhas do Amor Divino e crianças representando as 5 irmãs mártires

“Visitar Nossa Senhora em seu Santuário é um gesto de fé e uma alegria imensa, principalmente em poder retribuir a visita que ela fez à nossa Diocese” Maria Célia Cabral, organizadora da romaria da diocese ao Santuário de Nossa Senhora do Rocio, em Paranaguá

Novembro / 2011

www.diocesecampomourao.com.br Mantenha-se atualizado quanto aos assuntos da Igreja, da Diocese e de sua paróquia, visitando constantemente o site www.diocesecampomourao.com.br em Deus: “Fizeste-nos para ti e inquieto está nosso coração, enquanto não repousa em ti.” A morte é a oficialização do aperfeiçoamento humano. É o selo definitivo da santidade. Tanto os vegetais, quanto os seres humanos precisam morrer para tornarem-se perfeitos e completamente úteis ao plano divino. Na História Sagrada, com a ajuda dos profetas, do próprio Jesus, de sua Igreja e dos líderes religiosos, especialmente convocados, pelo Espírito Santo para esse fim, o ser humano busca incessantemente a santidade. Nesse peregrinar vão surgindo aqueles que se destacam por suas virtudes, coragem, fidelidade, dedicação e entrega total a serviço do próximo, da comunidade e da Igreja, sendo por isso, reconhecidos oficialmente, como santos, venerados nos altares e servindo como exemplo de vida para os demais. Além deles, todas as pessoas de “boa vontade”, que vivem de forma santa,

mesmo no anonimato, morrem na glória e ocupam os altares reservados à humanidade. Por isso, a Igreja definiu um dia especial pra celebrar o nome de todos os santos, que fazem parte da Igreja Perfeita na dimensionalidade espiritual e na presença efetiva de Deus na eternidade.

Amani Spachinski de Oliveira é professor, escritor, poeta e contista. Membro da Academia Mourãoense de Letras e Associação Mourãoense de Escritores. E-mail: amanispachinski@yahoo.com.br

DIA

1ª LEITURA

SALMO

1

Rm 12,5-16a

Sl 131

2

Jó 19,23-27a

Sl 26

1ª LEITURA

EVANGELHO

COR

Lc 14,15-24 Rm 5,5-11

Jo 6,37-40

3

Rm 14,7-12

Sl 27

Lc 15,1-10

4

Rm 15,14-21

Sl 98

Lc 16,1-8

5

Rm 16,3-9.16.22-27

Sl 112

6

Ap 7,2-4.9-14

Sl 24

Lc 16,9-15

7

Sb 1,1-7

Sl 139

Lc 17,1-6

8

Sb 2,23-3,9

Sl 34

Lc 17,7-10

9

Ez 47,1-12

Sl 46

10

Sb 7,22-8,1

Sl 119,89-175

Lc 17,20-25

11

Sb 13,1-9

Sl 19

Lc 17,26-37

12

Sb 18,14-16.19,6-9

Sl 105,1-43

13

Pr 31,10-13.19-20.30-31

Sl 128

1Jo 3,1-3

1Cor 3,9-17

Mt 5,1-12

Coroação

Diocese visita santuário da padroeira do Paraná

Jo 2,13-22

Lc 18,1-8 1Ts 5,1-6

Mt 25,14-30

14

1Mc 1,10-15.41-43.54-57.62-64

Sl 119,53-158

Lc 18,35-43

15

2Mc 6,18-31

Sl 3

Lc 19,1-10

16

2Mc 7,1.20-31

Sl 17

Lc 19,11-28

17

1Mc 2,15-29

Sl 50

Lc 19,41-44

18

1Mc 4,36-37.52-59

1Cr 29,10-12

Lc 19,45-48

19

1Mc 6,1-13

Sl 9

Lc 20,27-40

20

Ez 34,11-12.15-17

Sl 23

21

Zc 2,14-17

Lc 1,46-55

Mt 12,46-50

22

Dn 2,21-45

Dn 3,57-61

Lc 21,5-11

23

Dn 5,1-6.13-17.23-28

Dn 3,62-67

Lc 21,12-19

24

Dn 6,12-28

Dn 3,68-74

Lc 21,20-28

1Cor 15,20-26.28

Mt 25,31-46

25

Dn 7,2-14

Dn 3,57-81

Lc 21,29-33

26

Dn 7,15-27

Dn 3,82-88

Lc 21,34-36

27

Is 63,16-17.64,1.3.8

Sl 80

28

Is 2,1-5

Sl 122

Mt 8,5-11

1Cor 1,3-9

Mc 13,33-37

29

Is 11,1-10

Sl 72

Lc 10,21-24

30

Rm 10,9-18

Sl 19

Mt 4,18-22

Alguns romeiros da diocese em Paranaguá

C

onforme agenda, 16 de outubro foi o dia dos devotos de Nossa Senhora do Rocio, padroeira do estado, visitarem o seu santuário, em Paranaguá. A cada dois anos, todas as dioceses do Regional Sul 2 (Paraná), realizam esta visita. Sete ônibus foram utilizados para transportar os romeiros da diocese de Campo Mourão. Algumas missas

tiveram padres da diocese concelebrando, como foi o caso da primeira missa da manhã, presidida pelo Pe. Luiz Langer e concelebrada pelo Pe. Carlos Fermino de Paulo. Ainda na parte da manhã, houve outra missa presidida pelo reitor do Santuário Pe. Sérgio Campos e que teve como concelebrantes o Pe. Ediberto Henrique de Mercena e Pe. Pedro Liss.

“Beber na fonte” Convite do papa Bento XVI, em sua Carta Apostólica para o Ano da Fé, que irá de 11 de outubro de 2012, no cinquentenário da abertura do Concílio Vaticano II, até 24 de novembro de 2013, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo


Página 04

Novembro 2011

Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição A

Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição foi fundada por Amábile Lúcia Visintainer, hoje Santa Paulina, em 12 de julho de 1890, em Vigolo, Nova Trento-SC. Amábile Lúcia Visintainer nasceu em Vígolo Vattaro, Trento, Itália, aos 16 de dezembro de 1965. Aos 25 de setembro de 1875, com 10 anos de idade, vem para o Brasil, com os familiares, estabelecendose em Nova Trento-SC. Amábile cresce marcada pelo trabalho na roça e pela piedade recebida de seus pais. Dos 15 aos 25 anos, juntamente com Virgínia Nicolodi, dedica-se à missão que lhes confiara o pároco, Pe. Augusto Servanzi, SJ (sacerdote jesuíta): catequese às crianças, assistência aos enfermos e o cuidado da capela São Jorge. Entre 1888-1890 Amábile sonha, por três noites consecutivas, com Nossa Senhora de Lourdes, que lhe faz este pedido: “É meu ardente desejo que comeces uma obra; trabalharás pela salvação de minhas filhas!” Sem saber do que se tratava, Amábile deu seu sim ao pedido de Nossa Senhora, acreditando que Deus abriria os caminhos para a realização deste sonho. No dia 12 de julho de 1890, Amábile, juntamente com Virgínia, sai da casa paterna, para cuidar de Ângela Lúcia Viviani, com câncer em fase terminal, transferindo-se para o casebre denominado Hospitalzinho São Vigílio, em Vígolo, Nova Trento-SC. Com este gesto de solidariedade, Amábile dá início à Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição. Em 1894, por sugestão do superior da missão dos padres jesuítas, Amábile e suas amigas Virgínia e Teresa Maule, passam a residir na sede em Nova Trento, sem abandonar o apostolado na localida-

Santa Paulina, fundadora de de Vígolo. Em 1895, Nova Trento recebe a primeira visita do bispo dom José de Camargo Barros que dá a aprovação diocesana à Congregação no dia 25 de agosto de 1895 e autoriza ao Pe. Luiz Maria Rossi, SJ, a preparar as jovens para os votos religiosos. Aos 7 de dezembro de 1895, acontece a Profissão Religiosa das três primeiras Irmãs, que passaram a assumir novos nomes: Amábile - Irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus; Virgínia Irmã Matilde da Imaculada Conceição e Tereza - Irmã Inês de São José. Hoje, as Irmãzinhas estão presentes em 16 estados brasileiros e em 10 países, com um significativo grupo de formandas nas diferentes etapas de formação: Aspirantado, Postulantado e Noviciado. A CIIC - Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição realiza a Ação Evangelizadora em diferentes âmbitos da Pastoral, em sintonia com a Igreja, em parceria com entidades e movimentos so-

ciais, em vista do Reino. O Carisma das Irmãzinhas é marcado pela Sensibilidade em perceber as diferentes necessidades e a Disponibilidade em servir aos que estão em situação de maior injustiça. Desta forma, a atuação das Irmãzinhas se dá na assessoria, coordenação e integração nas diferentes Pastorais; nos Meios Populares, no acompanhamento às CEBs, na inserção nos meios populares, sendo presença junto aos excluídos da sociedade. As comunidades das Irmãzinhas assumem diferentes trabalhos no acompanhamento e formação das lideranças, junto aos leigos que assumem distintos ministérios na comunidade. As Irmãs atuam em escolas particulares, públicas e educação popular, buscando ser uma presença que torne as Instituições, os meios populares e outros, um ambiente evangelizador e missionário. Fazer da Educação um “Serviço à Vida”. Carisma: Sensibilidade para perceber os clamores da realidade e disponibilidade para servir aos mais necessitados e aos que estão em situação de maior injustiça. A Espiritualidade é o Mistério-Pascal. Assim como Santa Paulina, as Irmãzinhas encontram inspiração e força para uma vida de amor-doação na Eucaristia, como centro de sua vida e em Maria como modelo. Consequentemente, a Espiritualidade da Congregação é Eucarístico-Marial. Presença na diocese de Campo Mourão Em 1992 foi fundada a comunidade Mãe da Esperança na paróquia São Pedro, em Roncador, em resposta à solicitação do pároco, Ademar Oliveira Lins, com a finalidade de animar as pastorais sociais (Pastoral da Criança e Pastoral da

Saúde), animação da catequese e liturgia. A missão foi desenvolvida no período de dez anos. Em 2002 foram encerradas as atividades das Irmãs nessa paróquia. Em 15 de fevereiro de 1998 foi fundada a comunidade Nossa Senhora de Fátima na paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, em Mamborê, respondendo à solicitação do pároco, Padre Arthur Franz, SJ, para o acompanhamento e animação das diversas pastorais, dinamização da Catequese, Pastorais Sociais, formação de lideranças, acolhimento e acompanhamento das vocacionadas no processo de formação à Vida Religiosa. Além dessas, foi assumido, junto à Pastoral da Criança, o compromisso de defesa e dignidade de vida das pessoas fragilizadas e empobrecidas. Em 2009, atendendo à solicitação do bispo diocesano, dom Francisco Javier Delvalle Paredes, a comunidade assumiu um contrato de três anos - 2009 a 2012 - para o trabalho de animação missionária na diocese. Com o objetivo de dinamizar a animação do Projeto de Organização Missionária com a implantação do COMIDI e COMIPAS. Contato: Avenida Abel Desidério de Araújo, 717 - Caixa Postal 67 87.340-000 – Mamborê-PR - Fone: (44) 3568-1060 - www.ciic.org.br

Ir. Maria Oshiro, Ir. Maria Dall’Ago, Ir. Dionísia Pereira Duarte e Ir. Maria dos Anjos Bezerra

Domingos do Advento: missa e celebração da Palavra

S

ão quatro os domingos do Advento. Como celebrá-los bem? Queremos destacar os “sinais sensíveis”, pois liturgia se faz com palavras, mas também com gestos, sinais e símbolos... O sinal principal é a própria EUCARISTIA, o sacramento da espera “até que o Senhor venha”. Nas celebrações sem a presença de padre, existe a possibilidade de distribuir o pão eucarístico de uma missa anterior, ou de realizar uma benção do pão. Outros sinais devem completar este sinal principal. O que se pode fazer para criar um clima característico de Advento? Como marcar a diferença entre os domingos do tempo comum e os domingos do Advento? De que modo o Advento pode “entrar” pelos sentidos? Coisas para se ouvir: em primeiro lugar temos as LEITURAS BÍBLICAS. Não há dúvida de que os CANTOS têm papel importante, principalmente quando são bem conhecidos por todos; evocam logo todos os Adventos anteriores, os temas bíblicos aprofundados, as experiências vividas, os sentimentos de espera, de expectativa pela vinda do Senhor. É evidente que os cantos de entrada, das oferendas e de comunhão devem ser próprios para o Advento. Mas seria interessante também – como no

gregoriano, antigamente, que até mesmo as melodias dos cantos fixos da missa fossem próprias do Advento: O “Senhor Piedade”, o “Santo” a Aclamação eucarística, o “Cordeiro de Deus”; bem como os Salmos e a Aclamação ao Evangelho. No Hinário Litúrgico 1 encontramos melodias para cantar o prefácio, bem como todas as músicas próprias para o Advento, gravadas nos CDs Liturgia IV e VIII. Coisas para se ver: a música entra pelos ouvidos. Reclama a participação de nossa garganta, nossa respiração, nossos pulmões... E os nossos olhos? O que fazer para que possam “ver” o Advento? Além da cor roxa, da ausência de flores, da coroa do Advento... há comunidades que colocam um painel com desenhos referentes ao Advento. Em outros lugares costuma-se montar o Presépio a partir do dia 17, sem a imagem do Menino Jesus (a qual será colocada somente durante a missa do galo). Algumas leituras se prestam a diálogos, dramatização ou encenações litúrgicas: Mt 3, 1-12 (2º domingo, ano A ); Mt 11, 2-11 (3º domingo, ano A; Is 7, 10-14 (4º domingo, ano A); Mc 13, 33-37 (1º domingo, ano B); Mc 1, 1-8 (2º domingo, ano B); Jo 1, 6-8.19-28 (3º domingo, ano B); 2Sm 7,

1-5, 8b-11.14a-16 (4º domingo, ano B; Lc 3,10-18 (3º domingo, ano C); Lc 1, 39-45 (4º domingo, ano C). Não se deve confundir encenação litúrgica com teatro! A encenação litúrgica é uma proclamação da Palavra, feita em clima de oração e celebração. Por isso, geralmente é melhor que os “atores” não usem roupas especiais; se for preciso, usem apenas um ou outro pequeno sinal para distinguir seu personagem. A maneira mais simples é a divisão dos vários textos conforme os personagens aparecem no texto: o narrador, Jesus, João Batista, Maria etc... sem que estes façam gestos ou se desloquem. Uma outra forma é a mímica: os personagens atuam, fazem gestos se movimentam, mas não falam. Quem fala é o leitor. Uma terceira forma é a dramatização, na qual os próprios personagens falam enquanto atuam; um leitor ou narrador diz as partes que ligam os diálogos entre si. Coisas para se fazer. Liturgia é ação (-urgia). A ação principal é a refeição, a ceia do Senhor, com a oração eucarística e a comunhão. Mas o nosso corpo precisa participar de toda a celebração. Haverá algum gesto ou ação que possamos introduzir na liturgia do Advento

e que ajude a celebrá-lo melhor? Algum gesto que expresse a alegre expectativa ou que reforce a prece “Vem, Senhor!”? Dependendo do perfil da assembleia reunida, pode-se rezar com os braços levantados como quem pede ajuda: durante o refrão “Vem, Senhor!”, ou durante a resposta às preces dos fiéis, ou durante o pedido do pai-nosso “Venha a nós vosso Reino”. Estão aí apenas pistas para a prática em sua paróquia e comunidade. Abraço fraterno a todos os responsáveis pela animação da vida litúrgica em nossa diocese. Fonte: Preparando Advento e Natal de Ione Buyst, Paulinas.

Lilian Aparecida G. Hanel - Coordenadora diocesana de Liturgia e coordenadora de canto da catedral de Campo Mourão lilianbgh@gmail.com

Página 09

Novembro 2011

T

Pastoral da Sobriedade realiza terceiro Retiro

endo como objetivo dar formação para agentes e refletir sobre o trabalho, a coordenação diocesana da Pastoral da Sobriedade realizou o 3° Retiro, de 23 a 25 de setembro, no CDF - Centro Diocesano de Formação, em Campo Mourão. No primeiro dia do retiro, sextafeira (23), apenas as equipes de coordenação e trabalho (20 pessoas) participaram. Nos demais dias, o retiro contou com 40 pessoas de diferentes paróquias da diocese, entre dependentes e codependentes. Também participaram uma pessoa de Belo Horizonte-MG e uma do estado do Mato Grosso do Sul. O Dr. Eufânio Saquetti ministrou uma palestra sobre as consequências das drogas no organismo. A equipe apresentou os 12 passos, para se obter a libertação de um vício. Houve espaço para vários testemunhos, feitos pelos participantes.

3° Retiro da Sobriedade

Coordenador diocesano Valdeci A. Ciconello e alguns integrantes da equipe

O motivo principal de ser incluída a formação, no retiro, é devido à meta da equipe de implantar a Pastoral nas 38 paróquias que compõem a diocese de Campo Mourão. No momento, estão em funcionamento nas paróquias: Nossa Senhora do Caravággio de Campo Mourão, Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão, Nossa Senhora das Candeias de Goioerê, Santa Rosa de Lima de Iretama, Nossa Senhora Mãe de Deus de

Juranda, Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê e São Pedro de Roncador. O 3° Retiro contou com a presença do coordenador da Pastoral da Sobriedade do Regional Sul 2 (estado do Paraná), José Augusto Soavinski, que falou da possibilidade de convidar a equipe de coordenação para a realização de um retiro em Curitiba, uma vez que este formato de retiro, específico da Pastoral da Sobriedade, nasceu na diocese de Campo Mourão.

Liturgia paroquial oferece curso de oratória

Trinta e quatro paróquias no Cenáculo com Maria Com participação de aproximadamente 1500 pessoas, a RCC - Renovação Carismática Católica, realizou o Cenáculo com Maria, no dia 2 de outubro. Foi no Seminário São José e contou com a participação de quase toda a diocese; das 38 paróquias, apenas 4 não enviaram representantes. Na abertura, houve a entrada dos coordenadores de Ministérios e coordenadores de Grupo de Oração. Em seguida, foi entronizada a imagem da padroeira da RCC, Nossa Senhora das Graças, pela equipe de teatro da Carminha. Esta equipe realizou a coroação da imagem. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Javier e concelebrada pelo  Pe. Markus Prim, assessor da RCC; Pe. Ricardo Arica Ferreira; Pe. Aédio Odilon Pego e Pe. Raimundo Santana dos Reis.  De acordo com o coordenador diocesano da RCC, Claudinei Grella, o retiro da véspera do Cenáculo contou com a presença de 171 participantes e foi conduzido pela pregadora Vera Casagrande, da diocese de Apucarana.

Pe. Markus Prim e alguns participantes do Cenáculo

O encerramento foi com uma missa presidida pelo Pe. Izaías da Conceição, pároco da paróquia Sagrada Família do Cohapar e assessor diocesano da Pastoral da Sobriedade.

Participantes

Danieli A. Ferreira e Celso Fogliatto

C

om o objetivo de auxiliar os coordenadores  de grupos, movimentos e pastorais a se comunicarem melhor com seus membros, integrantes e também com a paróquia, a paróquia Santo Antonio de Ubiratã realizou um curso de Comunicação Verbal e Orató-

ria, com o facilitador Celso Fogliatto. O curso aconteceu de 4 a 6 de outubro, totalizando 12 horas. Todos os 25 participantes receberam certificados. “A comunicação é muito importante em todos os meios de trabalho, principalmente  no meio religioso, onde

todos lutam e colaboram para um bem comum que é estar próximo de Deus”, declarou Danieli Alves Ferreira, coordenadora de Liturgia da paróquia Santo Antônio de Ubiratã. O objetivo também é auxiliar os leitores durante as missas.

Paróquia retoma tradição em Nova Cantu Depois de 6 anos sem a procissão entre a igreja matriz e a gruta de Nossa Senhora Aparecida, a comunidade da paróquia Nossa Senhora de Fátima de Nova Cantu, realizou a mesma, no último dia 12 de outubro, dia da padroeira do Brasil. “Foi visível a felicidade do povo com esse momento de vivência da fé”, declarou o pároco Pe. Luiz da Silva Andrade, muito contente com o resgate de uma tradição, que contou com grande participação do povo.

Procissão


Página 08

Novembro 2011

Missionária, no dia 25 de setembro. Integrantes da Juventude Missionária da diocese de Campo Mourão, Paranavaí e Maringá, participaram.

Coordenadores e agentes da Pastoral da Saúde das 18 dioceses do Paraná participarão do XIV Encontro Anual da Pastoral da Saúde, Regional Sul 2, que acontecerá de 11 a 13 de novembro, em Pinhais-PR. Em Maringá, aconteceu o ELJUMI - Encontro de Líderes da Juventude

GIRO PELAS

PARÓQUIAS A paróquia Santo Antonio de Mariluz completará 47 anos no dia 20 de novembro. Haverá missa e outras atividades. Sessenta e oito pessoas participaram do 19° Cenáculo de Maria, realizado na paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê, de 14 a 16 de outubro. Já são 1300 cenantes, de Mamborê e região, nestes 11 anos que o Cenáculo foi implantado na paróquia. Um total de 123 pessoas receberam o Sacramento da Confirmação na paróquia São João Batista de Moreira Sales, dia 15 de outubro. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier.

E

A RCC - Renovação Carismática Católica realizará um retiro de cura e libertação na paróquia Nossa Senhora Aparecida de Luiziana. Será no dia 13 de novembro. A paróquia Nossa Senhora da Guia de Boa Esperança realizou a terceira reciclagem paroquial dos MECEs, no dia 15 de outubro. A capela Nossa Senhora do Rocio, pertencente à paróquia Divino Espírito Santo, localizada no Conjunto Parigot de Souza, Campo Mourão, realiza a festa da sua padroeira, dia 13 de novembro. A missa da padroeira será dia 15, às 11h. A paróquia Santo Antonio de Mariluz realizou a primeira etapa da 2ª

1549, com a fundação de sua primeira casa religiosa, demarcou o início do próspero movimento evangelizador desenvolvido nas terras latino-americanas. Cumpre notar, que o período em que se deu o trabalho e o martírio desses três padres, coincide com a chamada união ibérica (1580-1640). Trata-se da época em que os reinos de Portugal e Espanha estavam sob a autoridade do mesmo monarca. Foi igualmente, o momento histórico em que floresceram as “reduções”, ou seja, conglomerados indígenas organizados pelos jesuítas, a fim de que a catequização dos mesmos se tornasse mais fácil e eficaz. Deve-se ter presente, que diversas tribos latino-americanas eram nômades, portanto, não possuíam moradia fixa, fator desfavorável à missão cristã. Nas reduções, os padres formavam os

“Sentinelas em Missão” em Goioerê

O tema da CF - Campanha da Fraternidade 2012 é “Fraternidade e Saúde Pública”. O hino, oração, texto-base e outros materiais da CF 2012 já estão disponíveis na internet. Há um link no site da diocese: www.diocesecampomourao.com.br

A paróquia Santo Antonio de Ubiratã realizou um casamento comunitário, dia 22 de outubro. Dezenove casais foram ligitimados, após um período de catequese. Outro assunto é o retiro dos MECEs da mesma paróquia, que será dia 13 de novembro, no auditório da igreja matriz. Apostolado da Oração do decanato de Juranda, reunido em concentração, dia 25 de setembro, na paróquia de Mamborê

Encerramento do 19° Cenáculo de Maria, na paróquia Mamborê, com 68 participantes de várias paróquias da diocese

Roque Gonzáles, Afonso Rodrigues e João de Castilho: Mártires em Terras Brasileiras

stimados leitores, no dia 19 de novembro, o calendário litúrgico católico nos apresenta a memória de três sacerdotes jesuítas, martirizados em terras brasileiras. Roque González, Afonso Rodrigues e João de Castilho dedicaram-se à evangelização dos povos indígenas, localizados ao noroeste do atual Estado do Rio Grande do Sul. Roque González era paraguaio, filho de nobre família de Assunção. Afonso Rodrigues e João de Castilho eram espanhóis, enviados à América em missão, conforme a prática da Companhia de Jesus. Os padres jesuítas foram os protagonistas no processo de cristianização da América. Com efeito, a chegada dos primeiros membros da Companhia de Jesus ao Brasil, em

Paróquia comemora aniversário da Pastoral da Criança

A 198ª Festa de Nossa Senhora do Rocio, padroeira do Paraná, acontecerá em Paranaguá-PR, de 6 a 16 de novembro. O tema central da festa será: “Nossa Senhora do Rocio, Mãe das Ave-Marias, intercessora nossa”.

A paróquia Santa Rita de Cássia do Jardim Alvorada, colocou a cruz na nova igreja, dia 17 de outubro

Gincana Bíblica da Catequese, dia 9 de outubro. Uma das provas foi apresentar o maior pão. Os pães foram partilhados, em seguida. Dia 22 de outubro, aconteceu a segunda etapa da gincana.

nativos segundo as diferentes áreas do saber e das artes. Aprendiam a língua indígena, facilitando assim a difusão da cultura clássica européia. Colocavam-se, ao mesmo tempo, como defensores dos índios, comumente molestados e escravizados pela aristocracia americana em ebulição já nos séc. XVI-XVIII. Esse é o contexto que cerca o testemunho de Roque González, Afonso Rodrigues e João de Castilho. Após terem fundado diversas “Missões”, como também eram denominadas as reduções jesuíticas, na região do Rio Grande do Sul, foram martirizados em 1628. Segundo os testemunhos históricos, o martírio se deu em Caaró, por iniciativa de um grupo de nativos contrários à evangelização cristã, sob a liderança do cacique Nheçu, poderoso líder guarani. Na região do martírio localiza-se atual-

Participação da diocese na 25ª Semana de Liturgia, em São Paulo Apresentação na paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro, Goioerê, no Dia do Nascituro O Pe. Aédio Odilon Pego foi empossado administrador paroquial da paróquia Divino Espírito Santo do Jardim Aeroporto, Campo Mourão, dia 9 de setembro Grupo de 17 pessoas da paróquia N. Sra. das Candeias de Goioerê, com o Pe. Ivan Luiz Walter, na Terra Santa

mente o município gaúcho de Roque González. Os três missionários mártires foram beatificados por Pio XI em 28 de janeiro de 1834. A canonização se deu em 16 de maio de 1988, quando da visita de João Paulo II ao Paraguai. O heroísmo desses sacerdotes nos faz relembrar a proverbial asserção do antigo escritor Tertuliano: “Sangue dos mártires, semente de novos cristãos”.

Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, 3º ano de Teologia

Página 05

Novembro 2011

Líderes e padres, após a celebração eucarística

A

paróquia São Judas Tadeu de Quinta do Sol celebrou os 16 anos da Pastoral da Criança, no dia 12 de outubro. Entre outras atividades, este aniversário de fundação foi marcado por uma bela celebração eucarística presidida pelo Pe. Roberto Carlos Reis e concelebrada pelos padres Luiz Antonio Belini e o assessor diocesano, Pe. Valdecir Liss. A coordenadora diocesana da Pastoral da Criança, Cleonice Aparecida Pavan Teixeira também esteve presente. A Pastoral da Criança em Quinta do Sol conta com 46 líderes. É coordenada por Edith Ieger, que é uma das fundadoras, e pela vice Nilce Ferri. Ao longo destes anos salvaram muitas crianças da desnutrição, diarreia e morte prematura, com as atividades próprias da Pastoral.

Os jovens do Ministério Jovem da RCC - Renovação Carismática Católica estiveram reunidos em Goioerê, nos dias 24 e 25 de setembro. Os 90 participantes, vindos dos 5 decanatos da diocese, realizaram missão nas praças e residências da cidade. O evento chamado de “Sentinelas em Missão” tem como objetivo despertar nos jovens o compromisso de ser discípulo missionário. O encontrcontempla os quatro pilares da Evan-

os últimos meses temos visto algumas publicações com as pesquisas do POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares) do IBGE sobre a religião e a população brasileira. De 2003 a 2009, os que se declaram católicos passou de 74% para 68%. Também aumentou os que se dizem sem religião, em todas as classes sociais. Mesmo as religiões evangélicas pentecostais, que na década de 90 quase dobraram de tamanho, perderam fôlego: passou de 12,5% para 12,8% no total da população. A cidade com a menor taxa de católicos é Roraima, com 47%. A segunda é o Rio de Janeiro, com 49,8%. Nessas cidades, os que se declaram sem religião são, respectivamente, 19% e 16% (também os índices mais elevados). No total, em 2003, 5,1% da população se declarava sem religião. Em 2009, foram 6,7%. Nos anos 60 eram apenas 0,5%. O que tem sido destacado é o crescimento, nesta década, dos brasileiros ligados a religiões orientais, como o budismo. Contudo, o que realmente chama a atenção é o crescimento do número de pessoas que se declaram religiosas, mas sem um vínculo estrito com uma deter-

Ministério Jovem em missão Pe. Ediberto Henrique de Mercena, assessor espiritual do Setor Juventude, e do Pe. Ivan Luiz Walter, pároco na paróquia Nossa Senhora das Candeias, de Goioerê. A direção do evento esteve a cargo do coordenador diocesano e do seu núcleo de serviço.

CEBs da diocese se encontram Iniciando com uma missa, aconteceu o 19° Encontro Diocesano das CEBs - Comunidades Eclesiais de Base, dia 25 de setembro, na capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Campo Mourão. Um total de 171 pessoas compareceram, representando 25 paróquias da diocese. De acordo com a coordenadora diocesana, Ir. Helena Makiyama, a presença e palavras de apoio dos padres: Pe. Clauber Magela Freire Krieck, assessor

“Religiosos genéricos”

N

gelização da Juventude, como ensina o Documento 85 da CNBB, sobre a evangelização da juventude: Oração, Formação, Vivência Fraterna e Missão. “Durante os dois dias os jovens fizeram missão nas casas e praças daquela comunidade, lavando o amor de Deus a mais de 152 famílias que receberam os missionários da Igreja Católica”, explica Reinaldo Batista, coordenador diocesano do Ministério Jovem. O evento contou com a presença do

minada religião. Alguns os têm chamado de “religiosos genéricos”. Frequentam várias igrejas sem se fixarem em nenhuma. Este novo fenômeno é maior entre a população que se declara evangélica: entre 2003 e 2009, pularam de 4% para 14%. Alguns analistas têm comparado esses evangélicos sem uma igreja fixa com os chamados “católicos não praticantes”.

Nas projeções, os brasileiros que se declaram católicos continuarão caindo. Entre as explicações para isso, os analistas apresentam o fato de as mulheres serem em maior número, proporcionalmente, nos evangélicos, o que “arrasta” mais membros da família para suas igrejas. Também o fato de as igrejas evangélicas estarem crescendo em uma parcela mais atuante. Para nós sacerdotes católicos, no entanto, a explicação pode ser até mais simples: o número de pessoas que se definem como católicas, mas que mantém uma relação muito frágil com a Igreja. Quem poderá ser considerado católico? Houve um tempo que bastaria “rezar o Creio” para ser identificado como tal; em outros momentos, bastaria ser batizado na Igreja Católica. Se nós considerarmos aquela porção da população que participa com regularidade da missa dominical, veremos que ficaria entre 20% e 30% da

das CEBs; Carlos O encontro foi encerrado com uma ceCezar Candido e lebração da Palavra, confirmando a camiValdecir Liss, foi muito importante para nhada nos trilhos da FÉ e da VIDA. a caminhada das CEBs. As reflexões ficaram em torno do tema “19° PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora” e foram conduzidos pela Ir. Dionísia Pereira Duarte. A animação musical foi da equipe da Ir. Helena, capela São João Batista, paróquia Noscoordesa Senhora do Caravággio, que fizeram nadora diocesana todos os participantes embarcarem no das CEBs “trem da alegria”. Encontro diocesano das CEBs

população. Bem distante dos 68% que ainda se declaram católicos! É interessante refletir sobre essa tendência dos que se declaram religiosos e de fato praticam, mas não se ligam exclusivamente a uma religião. Frequentam várias igrejas ao mesmo tempo. Esse fato, em si, não é novo, mas estava centrado na Igreja Católica. Durante décadas muitos católicos participavam também do espiritismo ou de um culto afro-brasileiro. Na maioria das vezes sem se darem conta das “contradições dogmáticas”, ou seja, do conteúdo do que se afirmava crer. Mas este fenômeno atual é mais abrangente e, possivelmente, tenha motivações novas. Uma delas é o individualismo. É cada vez mais difícil o envolvimento em uma comunidade, principalmente pelo compromisso que isso acarreta. No que se refere aos evangélicos, talvez pudéssemos ver aqui também uma causa estrutural histórica: até para enfraquecer os antigos laços católicos, a reforma protestante desenvolveu uma teologia onde a instituição religiosa não tem o mesmo peso da católica. A socióloga britânica Grace Davie cunhou uma expressão para esse fenômeno entre os evangélicos da Europa ocidental: “Believing without belonging” (“crer sem pertencer”). Outra motivação para essa “desinstitucionalização” (a manutenção da atitude religiosa, mas sem ligação estreita

a uma instituição religiosa) pode ser a busca de autonomia frente a instituições que defendem valores que não são mais os praticados pela sociedade e exigem grandes renúncias dos membros. Em outras palavras: as pessoas querem poder optar pelo que querem de cada religião ou instituição religiosa, sem ter que assumi-la em sua totalidade. É a atitude self-service tão comum em nossos restaurantes transferida para a religião. O papa Bento XVI chamou essa atitude de “supermercado da fé”. Por mais que ela seja questionável, tem seu lado positivo. Foi-se o tempo em que se aceitava tudo passivamente. Hoje as pessoas querem tomar parte nas decisões. Querem entender os porquês. Muito do que se apresenta nas igrejas não passa de costumes e regras caducas que já deveriam ter sido abandonadas. As instituições por si mesmas tendem ao fechamento e à imobilidade; é preciso que se provoquem as mudanças.

Pe. Luiz Antonio Belini, pároco de Quinta do Sol


Página 06

Novembro 2011

Alegria e expectativa

A

diocese de Campo Mourão vive um momento de expectativa muito forte. A novidade é o 19° PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora. Desde o seu lançamento em 19 de julho, várias reuniões aconteceram, com os coordenadores e comissões das três prioridades: Família, Catequese e Juventude. Há articulações, de âmbito diocesano, com o intuito de fortalecer, ainda mais, as prioridades. Desejoso que tudo aconteça de acordo com o que já foi planejado, há um longo caminho a ser percorrido e muito trabalho a ser desenvolvido; por isso se faz necessário o empenho de todos para que o 19° PDAE seja um marco histórico no processo evangelizador da diocese de Campo Mourão. Sabemos que a proposta de evangelizar a partir de Jesus Cristo é desafiadora. Mas se dermos espaço para que o Espírito Santo atue em nossas vidas, cada um de nós corresponderá, como verdadeiro cristão adulto na fé, fazendo acontecer de modo claro e objetivo, os projetos da nossa mãe Igreja. Pe. Gaspar Gonçalves da Silva Coordenador diocesano da Ação Evangelizadora

32ª Assembleia do Povo de Deus A XXXII Assembleia do Povo de Deus reuniu, na Casa de Encontros Nossa Senhora do Mussunguê, em Curitiba, de 23 a 25 de setembro, cerca de 130 representantes (arcebispos, bispos, padres, religiosos/as e leigos) das 18 dioceses do Paraná e dos organismos do Regional Sul II. O objetivo foi aprofundar a reflexão e reafirmar a caminhada da Igreja do Paraná, tendo como tema: “Por uma Paróquia Renovada à luz da Verbum Domini e das Diretrizes da Ação Evangelizadora”. A Assembleia teve a assessoria de dom Leonardo Ulrich Steiner, Secretário Geral da CNBB (Brasília) e, até então, bispo da Prelazia de São Félix do Araguaia. Além de aprofundar a temática da Assembleia, enriqueceu o encontro com as experiências vividas em sua comunidade. Os trabalhos foram coordena-

O Dia da Padroeira pela diocese

dos por dom Rafael Biernaski, Secretário do Regional Sul II, com apoio da equipe especialmente indicada para o evento e a participação da Presidência (dom João Bosco Barbosa de Souza e dom Mauro Aparecido dos Santos), entre outros. A retomada dos temas centrais emanados do Objetivo Geral das Diretrizes da CNBB, proposto no resumo previamente elaborado e enviado às dioceses para estudo [Aplicação das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil no Regional Sul II (2011-2015)], indicando os seguintes pontos: 1) A partir de Jesus Cristo; 2) Marcas no nosso tempo e 3) Urgências na Ação Evangelizadora No terceiro ponto foram indicadas cinco linhas básicas de trabalho, que já estão inseridas no Novo Plano de Pastoral

(PDAE): 1) Paróquia em estado permanente de missão; 2) Paróquia, casa da iniciação à vida cristã; 3) Paróquia, lugar de animação bíblica da vida e da pastoral; 4) Paróquia, comunidade de comunidades; e 5) Paróquia, a serviço da vida plena para todos. A redação final das propostas concretas de atividades, indicadas pelos onze grupos, serão encaminhadas em breve às dioceses. A diocese de Campo Mourão foi representada pelo bispo, dom Francisco Javier; vigário geral, Pe. Luca Pelis; Pe. Gaspar Gonçalves da Silva, coordenador diocesano da Ação Evangelizadora e pelos leigos Fábio Alexandre Sexugi e Drauzio de Jesus Cavali. Coordenação Diocesana da Ação Evangelizadora - CDAE

Retiro do Clero

Algumas fotos sobre como foi celebrado o Dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, na diocese de Campo Mourão.

Clero da diocese de Campo Mourão

Araruna

Mariluz

Rancho Alegre d’Oeste

Boa Esperança

Mamborê

Jussara

O Clero da diocese de Campo Mourão fez o retiro anual no Instituto João Paulo II, na diocese de Toledo. Foi um momento muito marcante com a presença dos padres, diáconos e do bispo dom Francisco Javier. O pregador do retiro foi o Pe. Vilson Groh da arquidiocese de Florianópolis. Ele nasceu em 1955 em Brusque-SC. É o primogênito de uma família de 11 irmãos. Seu ministério é direcionado aos pobres do morro de Florianópolis. Sua direção para este retiro foi pautado na opção preferencial aos pobres. Ele concretizou, ultimamente, dois grandes centros sociais nas colinas do entorno da cidade: um no Monte Serrat e outro em Caieiras. Toda sua pregação se centrou na pobreza, na caridade, nos atos fraternos que podemos realizar a todo o momento.

Dando o seu testemunho de vida, disse que em 1981, quando foi ordenado padre, quis morar no morro, mas seu bispo, dom Afonso Niehues, não permitiu. Anos depois acabou indo morar na periferia, onde ainda reside. Ele disse que só entende o coração do padre o outro irmão padre. O ministério deve chegar com precisão ao pedido de Jesus que diz “Tive fome e me destes de comer. Tive sede e me deste de beber. Era forasteiro e me recolhestes. Estive nu e me vestistes, doente e me visitastes preso e viestes ver-me” (Mt 25,35-36). “Neste retiro fomos todos convidados a direcionar o nosso ministério sacerdotal a uma vida que se iguale à de Jesus Cristo, que é ‘manso e humilde de coração’ (Mt 11,29), relatou o Pe. Sidinei Teixeira Gomes, assessor da Pascom diocesana.

Gruta é inaugurada em Araruna

F

oi inaugurada uma gruta na Praça Nossa Senhora do Rocio, em Araruna, dia 1° de outubro. Houve missa, presidida pelo Pe. Ademar Maia do Santuário da padroeira do Paraná, de Paranaguá, e concelebrada pelo Pe. Gerson de Araújo, da paróquia Santo Antonio de Araruna. O prefeito Mino Bonato disse que a construção da gruta foi uma doação do artista plástico Levi Batista e que a obra era um sonho de muitos anos. “Só foi possível graças ao empenho do Pe. Gerson, que desde o início apoiou a ideia e esteve acompanhando todas as etapas da obra”, concluiu o prefeito. Após a celebração eucarística, ima-

O Dízimo de A a Z

Assessoria Municipal de Comunicação

19º Plano Diocesano da Ação Evangelizadora

Página 07

Novembro 2011

Gruta

K

Pe. Ademar Maia

gem de Nossa Senhora do Rocio, trazida de Paranaguá pelo Pe. Ademar, foi conduzida até a gruta pelo diácono Artur Baretta, acompanhado dos pa-

dres, autoridades e fiéis. A procissão foi ao som da orquestra de violeiros de Araruna que interpretou a música “Rainha do Paraná”.

Escola Catequética no decanato de Engenheiro Beltrão

A

“São muitas as expectativas. Ser coordenação diocesana da catequista, hoje, é uma missão. TePastoral Catequética remos catequizandos que nos exigem alizou o 1º Módulo da Escola desafios e formação. É tudo o que Diocesana de Formação para precisamos para fortalecer a nossa os catequistas inscritos nos 3 fé”. Mariza Teixeira Monteiro, Eneixos: Bíblico, Litúrgico e Megenheiro Beltrão. todológico, do decanato de En“Buscar formação, aprendigenheiro Beltrão. A formação Participantes da Escola Diocesana de Catequese zagem para melhor realizar a aconteceu dia 24 de setembro. Foi o quarto decanato que recebeu toral, Maria do Carmo Caires Macha- missão evangelizadora na comunieste módulo e teve a assessoria do Pe. do, selecionou alguns depoimentos dade”, Gilberto da Fonseca Paiva, José Carlos Kraus Ferreira e da equi- de catequistas sobre esta busca de Barbosa Ferraz. “Aprender para saber transmitir”, conhecimentos, através da Escola pe de formadores da diocese. Maria de Lourdes Shiba, Peabiru. A coordenadora diocesana da Pas- Bíblico-catequética “Água Viva”:

Finados: tempo de refletir sobre o que fazemos com a vida... antes de partir...

“Ser o homem mais rico do cemitério não me interessa. Ir para a cama à noite dizendo que fizemos algo maravilhoso, isso importa para mim”. Steve Jobs - The Wall Street Journal, 1993

Conta a história, ou a lenda que os três últimos desejos de Alexandre, o Grande, foram: 1 - Que seu ataúde fosse carregado nos ombros dos melhores médicos do reino para que percebessem que perante a morte não possuem o poder de curar; 2 - Que seus tesouros fossem espalhados pelo caminho para que todos pudessem ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem; 3 - Que suas mãos ficassem balançando no ar, à vista de todos, para que vissem que viemos de mãos vazias e com as mãos vazias partimos. Não podemos comprovar a veracidade deste fato tão longínquo ligada a um dos mais poderosos imperadores da história Greco-romana, mas podemos ver, ouvir, ler as palavras

de um grande homem da atualidade recentemente falecido: Steve Jobs. “Lembrar que eu estarei morto em breve é a ferramenta mais importante que já encontrei para me ajudar a fazer grandes escolhas na vida. Por que quase tudo – todas as expectativas externas, todo o orgulho, todo o medo de se envergonhar ou de errar – isto tudo cai diante da face da morte, restando apenas o que realmente é importante. Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira para eu saber evitar em pensar que tenho algo a perder. Você já está nu. Não há razão para não seguir o seu coração.” 2005, discurso aos formandos de Stanford, uma oportunidade única que teve para falar sobre si mesmo. As suas palavras ecoam as de Inácio de Loyola, o fundador dos jesuítas, que considera que uma forma de fazer uma boa escolha na vida consiste em fazer “como se eu estivesse à beira da morte; e assim, regulando-me por ela, tomarei com determinação a minha

decisão” (Exercícios Espirituais, 186). A morte não é, no caso de Inácio e de Steve, um espantalho, mas sim a constatação de que os temores, os embaraços e as futilidades desaparecem perante o pensamento da morte, e só resta o que realmente conta, aquilo que para nós é realmente importante. Não sei se Jobs ou Alexandre eram crentes. Mas tinham a disposição interior a fazer escolhas significativas na vida, apontando para aquilo que importa. Nenhum ser humano, crente ou não crente, pode fazer escolhas na vida pensando em si mesmo como imortal. E Steve diz isso de uma maneira fantástica, com uma pequena frase do nada: “Você já está nu”. Como lemos no Livro de Jó: “Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei para o seio da terra” (1, 21). Considerar a nossa nudez é o caminho de uma sabedoria de vida, o único que é capaz de nos fazer dizer, como Steve fez no intraduzível encerramento do seu discurso: “Stay hungry. Stay foolish”, isto é, permaneçam com fome, permaneçam tolos. Sobretudo, o pensamento de estarmos nu e sermos mortais nos leva a viver intensamente. E quando Steve diz: “Você tem que encon-

KAIRÓS

O dízimo é tempo de kairós. Esta palavra vem do grego, e para nós, cristãos, significa “o tempo oportuno” ou “o tempo de graça”. Contribuir com o dízimo não é apenas um dever, mas também um direito do cristão. Ser dizimista é fazer do dízimo um “tempo de graça” pela partilha com a comunidade e pelo reconhecimento de que só em Deus encontramos sentido para a vida.

L

LEI

O dízimo, no Antigo Testamento e em outros tempos da história da Igreja, inclusive no Brasil, era obrigatório; por isso as pessoas “pagavam” o dízimo. Hoje ele não é mais lei. Os cristãos são chamados a contribuir, livremente, com consciência e generosidade. A palavra “pagar” não tem mais sentido no que se refere ao dízimo; atualmente falamos em “contribuir” com a (comunidade), ou “devolver” (a Deus). Ser dizimista é abrir o coração, por opção, não por obrigação. Pe. Cristovam Iubel Editora Pão e Vinho Colaboração: Assessor diocesano da Pastoral do Dízimo Diácono Artur Baretta

trar o que você ama” parece ecoar Inácio de Loyola que, em seus Exercícios Espirituais, insiste constantemente em entender e perguntar “o que eu quero e desejo” verdadeiramente (por exemplo, Exercícios, 48). Só quem sabe que a própria vida é nua e sempre será não perderá tempo para fingir de se cobrir, de ser jovem eternamente, de pensar que se é o dono do mundo, mas saberá que a vida tem em si uma fome profunda. O que importa é ter uma visão neste mundo e perceber que ela se torna uma missão para fazer deste mundo um lugar melhor, enquanto temos força, saúde, vida para fazer o melhor que pudermos, antes de partir...

Maria Joana Titton Calderari membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia-FECILCAM e Ensino Religioso-PUCmajocalderari@yahoo.com.br


Página 06

Novembro 2011

Alegria e expectativa

A

diocese de Campo Mourão vive um momento de expectativa muito forte. A novidade é o 19° PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora. Desde o seu lançamento em 19 de julho, várias reuniões aconteceram, com os coordenadores e comissões das três prioridades: Família, Catequese e Juventude. Há articulações, de âmbito diocesano, com o intuito de fortalecer, ainda mais, as prioridades. Desejoso que tudo aconteça de acordo com o que já foi planejado, há um longo caminho a ser percorrido e muito trabalho a ser desenvolvido; por isso se faz necessário o empenho de todos para que o 19° PDAE seja um marco histórico no processo evangelizador da diocese de Campo Mourão. Sabemos que a proposta de evangelizar a partir de Jesus Cristo é desafiadora. Mas se dermos espaço para que o Espírito Santo atue em nossas vidas, cada um de nós corresponderá, como verdadeiro cristão adulto na fé, fazendo acontecer de modo claro e objetivo, os projetos da nossa mãe Igreja. Pe. Gaspar Gonçalves da Silva Coordenador diocesano da Ação Evangelizadora

32ª Assembleia do Povo de Deus A XXXII Assembleia do Povo de Deus reuniu, na Casa de Encontros Nossa Senhora do Mussunguê, em Curitiba, de 23 a 25 de setembro, cerca de 130 representantes (arcebispos, bispos, padres, religiosos/as e leigos) das 18 dioceses do Paraná e dos organismos do Regional Sul II. O objetivo foi aprofundar a reflexão e reafirmar a caminhada da Igreja do Paraná, tendo como tema: “Por uma Paróquia Renovada à luz da Verbum Domini e das Diretrizes da Ação Evangelizadora”. A Assembleia teve a assessoria de dom Leonardo Ulrich Steiner, Secretário Geral da CNBB (Brasília) e, até então, bispo da Prelazia de São Félix do Araguaia. Além de aprofundar a temática da Assembleia, enriqueceu o encontro com as experiências vividas em sua comunidade. Os trabalhos foram coordena-

O Dia da Padroeira pela diocese

dos por dom Rafael Biernaski, Secretário do Regional Sul II, com apoio da equipe especialmente indicada para o evento e a participação da Presidência (dom João Bosco Barbosa de Souza e dom Mauro Aparecido dos Santos), entre outros. A retomada dos temas centrais emanados do Objetivo Geral das Diretrizes da CNBB, proposto no resumo previamente elaborado e enviado às dioceses para estudo [Aplicação das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil no Regional Sul II (2011-2015)], indicando os seguintes pontos: 1) A partir de Jesus Cristo; 2) Marcas no nosso tempo e 3) Urgências na Ação Evangelizadora No terceiro ponto foram indicadas cinco linhas básicas de trabalho, que já estão inseridas no Novo Plano de Pastoral

(PDAE): 1) Paróquia em estado permanente de missão; 2) Paróquia, casa da iniciação à vida cristã; 3) Paróquia, lugar de animação bíblica da vida e da pastoral; 4) Paróquia, comunidade de comunidades; e 5) Paróquia, a serviço da vida plena para todos. A redação final das propostas concretas de atividades, indicadas pelos onze grupos, serão encaminhadas em breve às dioceses. A diocese de Campo Mourão foi representada pelo bispo, dom Francisco Javier; vigário geral, Pe. Luca Pelis; Pe. Gaspar Gonçalves da Silva, coordenador diocesano da Ação Evangelizadora e pelos leigos Fábio Alexandre Sexugi e Drauzio de Jesus Cavali. Coordenação Diocesana da Ação Evangelizadora - CDAE

Retiro do Clero

Algumas fotos sobre como foi celebrado o Dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, na diocese de Campo Mourão.

Clero da diocese de Campo Mourão

Araruna

Mariluz

Rancho Alegre d’Oeste

Boa Esperança

Mamborê

Jussara

O Clero da diocese de Campo Mourão fez o retiro anual no Instituto João Paulo II, na diocese de Toledo. Foi um momento muito marcante com a presença dos padres, diáconos e do bispo dom Francisco Javier. O pregador do retiro foi o Pe. Vilson Groh da arquidiocese de Florianópolis. Ele nasceu em 1955 em Brusque-SC. É o primogênito de uma família de 11 irmãos. Seu ministério é direcionado aos pobres do morro de Florianópolis. Sua direção para este retiro foi pautado na opção preferencial aos pobres. Ele concretizou, ultimamente, dois grandes centros sociais nas colinas do entorno da cidade: um no Monte Serrat e outro em Caieiras. Toda sua pregação se centrou na pobreza, na caridade, nos atos fraternos que podemos realizar a todo o momento.

Dando o seu testemunho de vida, disse que em 1981, quando foi ordenado padre, quis morar no morro, mas seu bispo, dom Afonso Niehues, não permitiu. Anos depois acabou indo morar na periferia, onde ainda reside. Ele disse que só entende o coração do padre o outro irmão padre. O ministério deve chegar com precisão ao pedido de Jesus que diz “Tive fome e me destes de comer. Tive sede e me deste de beber. Era forasteiro e me recolhestes. Estive nu e me vestistes, doente e me visitastes preso e viestes ver-me” (Mt 25,35-36). “Neste retiro fomos todos convidados a direcionar o nosso ministério sacerdotal a uma vida que se iguale à de Jesus Cristo, que é ‘manso e humilde de coração’ (Mt 11,29), relatou o Pe. Sidinei Teixeira Gomes, assessor da Pascom diocesana.

Gruta é inaugurada em Araruna

F

oi inaugurada uma gruta na Praça Nossa Senhora do Rocio, em Araruna, dia 1° de outubro. Houve missa, presidida pelo Pe. Ademar Maia do Santuário da padroeira do Paraná, de Paranaguá, e concelebrada pelo Pe. Gerson de Araújo, da paróquia Santo Antonio de Araruna. O prefeito Mino Bonato disse que a construção da gruta foi uma doação do artista plástico Levi Batista e que a obra era um sonho de muitos anos. “Só foi possível graças ao empenho do Pe. Gerson, que desde o início apoiou a ideia e esteve acompanhando todas as etapas da obra”, concluiu o prefeito. Após a celebração eucarística, ima-

O Dízimo de A a Z

Assessoria Municipal de Comunicação

19º Plano Diocesano da Ação Evangelizadora

Página 07

Novembro 2011

Gruta

K

Pe. Ademar Maia

gem de Nossa Senhora do Rocio, trazida de Paranaguá pelo Pe. Ademar, foi conduzida até a gruta pelo diácono Artur Baretta, acompanhado dos pa-

dres, autoridades e fiéis. A procissão foi ao som da orquestra de violeiros de Araruna que interpretou a música “Rainha do Paraná”.

Escola Catequética no decanato de Engenheiro Beltrão

A

“São muitas as expectativas. Ser coordenação diocesana da catequista, hoje, é uma missão. TePastoral Catequética remos catequizandos que nos exigem alizou o 1º Módulo da Escola desafios e formação. É tudo o que Diocesana de Formação para precisamos para fortalecer a nossa os catequistas inscritos nos 3 fé”. Mariza Teixeira Monteiro, Eneixos: Bíblico, Litúrgico e Megenheiro Beltrão. todológico, do decanato de En“Buscar formação, aprendigenheiro Beltrão. A formação Participantes da Escola Diocesana de Catequese zagem para melhor realizar a aconteceu dia 24 de setembro. Foi o quarto decanato que recebeu toral, Maria do Carmo Caires Macha- missão evangelizadora na comunieste módulo e teve a assessoria do Pe. do, selecionou alguns depoimentos dade”, Gilberto da Fonseca Paiva, José Carlos Kraus Ferreira e da equi- de catequistas sobre esta busca de Barbosa Ferraz. “Aprender para saber transmitir”, conhecimentos, através da Escola pe de formadores da diocese. Maria de Lourdes Shiba, Peabiru. A coordenadora diocesana da Pas- Bíblico-catequética “Água Viva”:

Finados: tempo de refletir sobre o que fazemos com a vida... antes de partir...

“Ser o homem mais rico do cemitério não me interessa. Ir para a cama à noite dizendo que fizemos algo maravilhoso, isso importa para mim”. Steve Jobs - The Wall Street Journal, 1993

Conta a história, ou a lenda que os três últimos desejos de Alexandre, o Grande, foram: 1 - Que seu ataúde fosse carregado nos ombros dos melhores médicos do reino para que percebessem que perante a morte não possuem o poder de curar; 2 - Que seus tesouros fossem espalhados pelo caminho para que todos pudessem ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem; 3 - Que suas mãos ficassem balançando no ar, à vista de todos, para que vissem que viemos de mãos vazias e com as mãos vazias partimos. Não podemos comprovar a veracidade deste fato tão longínquo ligada a um dos mais poderosos imperadores da história Greco-romana, mas podemos ver, ouvir, ler as palavras

de um grande homem da atualidade recentemente falecido: Steve Jobs. “Lembrar que eu estarei morto em breve é a ferramenta mais importante que já encontrei para me ajudar a fazer grandes escolhas na vida. Por que quase tudo – todas as expectativas externas, todo o orgulho, todo o medo de se envergonhar ou de errar – isto tudo cai diante da face da morte, restando apenas o que realmente é importante. Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira para eu saber evitar em pensar que tenho algo a perder. Você já está nu. Não há razão para não seguir o seu coração.” 2005, discurso aos formandos de Stanford, uma oportunidade única que teve para falar sobre si mesmo. As suas palavras ecoam as de Inácio de Loyola, o fundador dos jesuítas, que considera que uma forma de fazer uma boa escolha na vida consiste em fazer “como se eu estivesse à beira da morte; e assim, regulando-me por ela, tomarei com determinação a minha

decisão” (Exercícios Espirituais, 186). A morte não é, no caso de Inácio e de Steve, um espantalho, mas sim a constatação de que os temores, os embaraços e as futilidades desaparecem perante o pensamento da morte, e só resta o que realmente conta, aquilo que para nós é realmente importante. Não sei se Jobs ou Alexandre eram crentes. Mas tinham a disposição interior a fazer escolhas significativas na vida, apontando para aquilo que importa. Nenhum ser humano, crente ou não crente, pode fazer escolhas na vida pensando em si mesmo como imortal. E Steve diz isso de uma maneira fantástica, com uma pequena frase do nada: “Você já está nu”. Como lemos no Livro de Jó: “Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei para o seio da terra” (1, 21). Considerar a nossa nudez é o caminho de uma sabedoria de vida, o único que é capaz de nos fazer dizer, como Steve fez no intraduzível encerramento do seu discurso: “Stay hungry. Stay foolish”, isto é, permaneçam com fome, permaneçam tolos. Sobretudo, o pensamento de estarmos nu e sermos mortais nos leva a viver intensamente. E quando Steve diz: “Você tem que encon-

KAIRÓS

O dízimo é tempo de kairós. Esta palavra vem do grego, e para nós, cristãos, significa “o tempo oportuno” ou “o tempo de graça”. Contribuir com o dízimo não é apenas um dever, mas também um direito do cristão. Ser dizimista é fazer do dízimo um “tempo de graça” pela partilha com a comunidade e pelo reconhecimento de que só em Deus encontramos sentido para a vida.

L

LEI

O dízimo, no Antigo Testamento e em outros tempos da história da Igreja, inclusive no Brasil, era obrigatório; por isso as pessoas “pagavam” o dízimo. Hoje ele não é mais lei. Os cristãos são chamados a contribuir, livremente, com consciência e generosidade. A palavra “pagar” não tem mais sentido no que se refere ao dízimo; atualmente falamos em “contribuir” com a (comunidade), ou “devolver” (a Deus). Ser dizimista é abrir o coração, por opção, não por obrigação. Pe. Cristovam Iubel Editora Pão e Vinho Colaboração: Assessor diocesano da Pastoral do Dízimo Diácono Artur Baretta

trar o que você ama” parece ecoar Inácio de Loyola que, em seus Exercícios Espirituais, insiste constantemente em entender e perguntar “o que eu quero e desejo” verdadeiramente (por exemplo, Exercícios, 48). Só quem sabe que a própria vida é nua e sempre será não perderá tempo para fingir de se cobrir, de ser jovem eternamente, de pensar que se é o dono do mundo, mas saberá que a vida tem em si uma fome profunda. O que importa é ter uma visão neste mundo e perceber que ela se torna uma missão para fazer deste mundo um lugar melhor, enquanto temos força, saúde, vida para fazer o melhor que pudermos, antes de partir...

Maria Joana Titton Calderari membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia-FECILCAM e Ensino Religioso-PUCmajocalderari@yahoo.com.br


Página 08

Novembro 2011

Missionária, no dia 25 de setembro. Integrantes da Juventude Missionária da diocese de Campo Mourão, Paranavaí e Maringá, participaram.

Coordenadores e agentes da Pastoral da Saúde das 18 dioceses do Paraná participarão do XIV Encontro Anual da Pastoral da Saúde, Regional Sul 2, que acontecerá de 11 a 13 de novembro, em Pinhais-PR. Em Maringá, aconteceu o ELJUMI - Encontro de Líderes da Juventude

GIRO PELAS

PARÓQUIAS A paróquia Santo Antonio de Mariluz completará 47 anos no dia 20 de novembro. Haverá missa e outras atividades. Sessenta e oito pessoas participaram do 19° Cenáculo de Maria, realizado na paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê, de 14 a 16 de outubro. Já são 1300 cenantes, de Mamborê e região, nestes 11 anos que o Cenáculo foi implantado na paróquia. Um total de 123 pessoas receberam o Sacramento da Confirmação na paróquia São João Batista de Moreira Sales, dia 15 de outubro. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier.

E

A RCC - Renovação Carismática Católica realizará um retiro de cura e libertação na paróquia Nossa Senhora Aparecida de Luiziana. Será no dia 13 de novembro. A paróquia Nossa Senhora da Guia de Boa Esperança realizou a terceira reciclagem paroquial dos MECEs, no dia 15 de outubro. A capela Nossa Senhora do Rocio, pertencente à paróquia Divino Espírito Santo, localizada no Conjunto Parigot de Souza, Campo Mourão, realiza a festa da sua padroeira, dia 13 de novembro. A missa da padroeira será dia 15, às 11h. A paróquia Santo Antonio de Mariluz realizou a primeira etapa da 2ª

1549, com a fundação de sua primeira casa religiosa, demarcou o início do próspero movimento evangelizador desenvolvido nas terras latino-americanas. Cumpre notar, que o período em que se deu o trabalho e o martírio desses três padres, coincide com a chamada união ibérica (1580-1640). Trata-se da época em que os reinos de Portugal e Espanha estavam sob a autoridade do mesmo monarca. Foi igualmente, o momento histórico em que floresceram as “reduções”, ou seja, conglomerados indígenas organizados pelos jesuítas, a fim de que a catequização dos mesmos se tornasse mais fácil e eficaz. Deve-se ter presente, que diversas tribos latino-americanas eram nômades, portanto, não possuíam moradia fixa, fator desfavorável à missão cristã. Nas reduções, os padres formavam os

“Sentinelas em Missão” em Goioerê

O tema da CF - Campanha da Fraternidade 2012 é “Fraternidade e Saúde Pública”. O hino, oração, texto-base e outros materiais da CF 2012 já estão disponíveis na internet. Há um link no site da diocese: www.diocesecampomourao.com.br

A paróquia Santo Antonio de Ubiratã realizou um casamento comunitário, dia 22 de outubro. Dezenove casais foram ligitimados, após um período de catequese. Outro assunto é o retiro dos MECEs da mesma paróquia, que será dia 13 de novembro, no auditório da igreja matriz. Apostolado da Oração do decanato de Juranda, reunido em concentração, dia 25 de setembro, na paróquia de Mamborê

Encerramento do 19° Cenáculo de Maria, na paróquia Mamborê, com 68 participantes de várias paróquias da diocese

Roque Gonzáles, Afonso Rodrigues e João de Castilho: Mártires em Terras Brasileiras

stimados leitores, no dia 19 de novembro, o calendário litúrgico católico nos apresenta a memória de três sacerdotes jesuítas, martirizados em terras brasileiras. Roque González, Afonso Rodrigues e João de Castilho dedicaram-se à evangelização dos povos indígenas, localizados ao noroeste do atual Estado do Rio Grande do Sul. Roque González era paraguaio, filho de nobre família de Assunção. Afonso Rodrigues e João de Castilho eram espanhóis, enviados à América em missão, conforme a prática da Companhia de Jesus. Os padres jesuítas foram os protagonistas no processo de cristianização da América. Com efeito, a chegada dos primeiros membros da Companhia de Jesus ao Brasil, em

Paróquia comemora aniversário da Pastoral da Criança

A 198ª Festa de Nossa Senhora do Rocio, padroeira do Paraná, acontecerá em Paranaguá-PR, de 6 a 16 de novembro. O tema central da festa será: “Nossa Senhora do Rocio, Mãe das Ave-Marias, intercessora nossa”.

A paróquia Santa Rita de Cássia do Jardim Alvorada, colocou a cruz na nova igreja, dia 17 de outubro

Gincana Bíblica da Catequese, dia 9 de outubro. Uma das provas foi apresentar o maior pão. Os pães foram partilhados, em seguida. Dia 22 de outubro, aconteceu a segunda etapa da gincana.

nativos segundo as diferentes áreas do saber e das artes. Aprendiam a língua indígena, facilitando assim a difusão da cultura clássica européia. Colocavam-se, ao mesmo tempo, como defensores dos índios, comumente molestados e escravizados pela aristocracia americana em ebulição já nos séc. XVI-XVIII. Esse é o contexto que cerca o testemunho de Roque González, Afonso Rodrigues e João de Castilho. Após terem fundado diversas “Missões”, como também eram denominadas as reduções jesuíticas, na região do Rio Grande do Sul, foram martirizados em 1628. Segundo os testemunhos históricos, o martírio se deu em Caaró, por iniciativa de um grupo de nativos contrários à evangelização cristã, sob a liderança do cacique Nheçu, poderoso líder guarani. Na região do martírio localiza-se atual-

Participação da diocese na 25ª Semana de Liturgia, em São Paulo Apresentação na paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro, Goioerê, no Dia do Nascituro O Pe. Aédio Odilon Pego foi empossado administrador paroquial da paróquia Divino Espírito Santo do Jardim Aeroporto, Campo Mourão, dia 9 de setembro Grupo de 17 pessoas da paróquia N. Sra. das Candeias de Goioerê, com o Pe. Ivan Luiz Walter, na Terra Santa

mente o município gaúcho de Roque González. Os três missionários mártires foram beatificados por Pio XI em 28 de janeiro de 1834. A canonização se deu em 16 de maio de 1988, quando da visita de João Paulo II ao Paraguai. O heroísmo desses sacerdotes nos faz relembrar a proverbial asserção do antigo escritor Tertuliano: “Sangue dos mártires, semente de novos cristãos”.

Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, 3º ano de Teologia

Página 05

Novembro 2011

Líderes e padres, após a celebração eucarística

A

paróquia São Judas Tadeu de Quinta do Sol celebrou os 16 anos da Pastoral da Criança, no dia 12 de outubro. Entre outras atividades, este aniversário de fundação foi marcado por uma bela celebração eucarística presidida pelo Pe. Roberto Carlos Reis e concelebrada pelos padres Luiz Antonio Belini e o assessor diocesano, Pe. Valdecir Liss. A coordenadora diocesana da Pastoral da Criança, Cleonice Aparecida Pavan Teixeira também esteve presente. A Pastoral da Criança em Quinta do Sol conta com 46 líderes. É coordenada por Edith Ieger, que é uma das fundadoras, e pela vice Nilce Ferri. Ao longo destes anos salvaram muitas crianças da desnutrição, diarreia e morte prematura, com as atividades próprias da Pastoral.

Os jovens do Ministério Jovem da RCC - Renovação Carismática Católica estiveram reunidos em Goioerê, nos dias 24 e 25 de setembro. Os 90 participantes, vindos dos 5 decanatos da diocese, realizaram missão nas praças e residências da cidade. O evento chamado de “Sentinelas em Missão” tem como objetivo despertar nos jovens o compromisso de ser discípulo missionário. O encontrcontempla os quatro pilares da Evan-

os últimos meses temos visto algumas publicações com as pesquisas do POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares) do IBGE sobre a religião e a população brasileira. De 2003 a 2009, os que se declaram católicos passou de 74% para 68%. Também aumentou os que se dizem sem religião, em todas as classes sociais. Mesmo as religiões evangélicas pentecostais, que na década de 90 quase dobraram de tamanho, perderam fôlego: passou de 12,5% para 12,8% no total da população. A cidade com a menor taxa de católicos é Roraima, com 47%. A segunda é o Rio de Janeiro, com 49,8%. Nessas cidades, os que se declaram sem religião são, respectivamente, 19% e 16% (também os índices mais elevados). No total, em 2003, 5,1% da população se declarava sem religião. Em 2009, foram 6,7%. Nos anos 60 eram apenas 0,5%. O que tem sido destacado é o crescimento, nesta década, dos brasileiros ligados a religiões orientais, como o budismo. Contudo, o que realmente chama a atenção é o crescimento do número de pessoas que se declaram religiosas, mas sem um vínculo estrito com uma deter-

Ministério Jovem em missão Pe. Ediberto Henrique de Mercena, assessor espiritual do Setor Juventude, e do Pe. Ivan Luiz Walter, pároco na paróquia Nossa Senhora das Candeias, de Goioerê. A direção do evento esteve a cargo do coordenador diocesano e do seu núcleo de serviço.

CEBs da diocese se encontram Iniciando com uma missa, aconteceu o 19° Encontro Diocesano das CEBs - Comunidades Eclesiais de Base, dia 25 de setembro, na capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Campo Mourão. Um total de 171 pessoas compareceram, representando 25 paróquias da diocese. De acordo com a coordenadora diocesana, Ir. Helena Makiyama, a presença e palavras de apoio dos padres: Pe. Clauber Magela Freire Krieck, assessor

“Religiosos genéricos”

N

gelização da Juventude, como ensina o Documento 85 da CNBB, sobre a evangelização da juventude: Oração, Formação, Vivência Fraterna e Missão. “Durante os dois dias os jovens fizeram missão nas casas e praças daquela comunidade, lavando o amor de Deus a mais de 152 famílias que receberam os missionários da Igreja Católica”, explica Reinaldo Batista, coordenador diocesano do Ministério Jovem. O evento contou com a presença do

minada religião. Alguns os têm chamado de “religiosos genéricos”. Frequentam várias igrejas sem se fixarem em nenhuma. Este novo fenômeno é maior entre a população que se declara evangélica: entre 2003 e 2009, pularam de 4% para 14%. Alguns analistas têm comparado esses evangélicos sem uma igreja fixa com os chamados “católicos não praticantes”.

Nas projeções, os brasileiros que se declaram católicos continuarão caindo. Entre as explicações para isso, os analistas apresentam o fato de as mulheres serem em maior número, proporcionalmente, nos evangélicos, o que “arrasta” mais membros da família para suas igrejas. Também o fato de as igrejas evangélicas estarem crescendo em uma parcela mais atuante. Para nós sacerdotes católicos, no entanto, a explicação pode ser até mais simples: o número de pessoas que se definem como católicas, mas que mantém uma relação muito frágil com a Igreja. Quem poderá ser considerado católico? Houve um tempo que bastaria “rezar o Creio” para ser identificado como tal; em outros momentos, bastaria ser batizado na Igreja Católica. Se nós considerarmos aquela porção da população que participa com regularidade da missa dominical, veremos que ficaria entre 20% e 30% da

das CEBs; Carlos O encontro foi encerrado com uma ceCezar Candido e lebração da Palavra, confirmando a camiValdecir Liss, foi muito importante para nhada nos trilhos da FÉ e da VIDA. a caminhada das CEBs. As reflexões ficaram em torno do tema “19° PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora” e foram conduzidos pela Ir. Dionísia Pereira Duarte. A animação musical foi da equipe da Ir. Helena, capela São João Batista, paróquia Noscoordesa Senhora do Caravággio, que fizeram nadora diocesana todos os participantes embarcarem no das CEBs “trem da alegria”. Encontro diocesano das CEBs

população. Bem distante dos 68% que ainda se declaram católicos! É interessante refletir sobre essa tendência dos que se declaram religiosos e de fato praticam, mas não se ligam exclusivamente a uma religião. Frequentam várias igrejas ao mesmo tempo. Esse fato, em si, não é novo, mas estava centrado na Igreja Católica. Durante décadas muitos católicos participavam também do espiritismo ou de um culto afro-brasileiro. Na maioria das vezes sem se darem conta das “contradições dogmáticas”, ou seja, do conteúdo do que se afirmava crer. Mas este fenômeno atual é mais abrangente e, possivelmente, tenha motivações novas. Uma delas é o individualismo. É cada vez mais difícil o envolvimento em uma comunidade, principalmente pelo compromisso que isso acarreta. No que se refere aos evangélicos, talvez pudéssemos ver aqui também uma causa estrutural histórica: até para enfraquecer os antigos laços católicos, a reforma protestante desenvolveu uma teologia onde a instituição religiosa não tem o mesmo peso da católica. A socióloga britânica Grace Davie cunhou uma expressão para esse fenômeno entre os evangélicos da Europa ocidental: “Believing without belonging” (“crer sem pertencer”). Outra motivação para essa “desinstitucionalização” (a manutenção da atitude religiosa, mas sem ligação estreita

a uma instituição religiosa) pode ser a busca de autonomia frente a instituições que defendem valores que não são mais os praticados pela sociedade e exigem grandes renúncias dos membros. Em outras palavras: as pessoas querem poder optar pelo que querem de cada religião ou instituição religiosa, sem ter que assumi-la em sua totalidade. É a atitude self-service tão comum em nossos restaurantes transferida para a religião. O papa Bento XVI chamou essa atitude de “supermercado da fé”. Por mais que ela seja questionável, tem seu lado positivo. Foi-se o tempo em que se aceitava tudo passivamente. Hoje as pessoas querem tomar parte nas decisões. Querem entender os porquês. Muito do que se apresenta nas igrejas não passa de costumes e regras caducas que já deveriam ter sido abandonadas. As instituições por si mesmas tendem ao fechamento e à imobilidade; é preciso que se provoquem as mudanças.

Pe. Luiz Antonio Belini, pároco de Quinta do Sol


Página 04

Novembro 2011

Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição A

Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição foi fundada por Amábile Lúcia Visintainer, hoje Santa Paulina, em 12 de julho de 1890, em Vigolo, Nova Trento-SC. Amábile Lúcia Visintainer nasceu em Vígolo Vattaro, Trento, Itália, aos 16 de dezembro de 1965. Aos 25 de setembro de 1875, com 10 anos de idade, vem para o Brasil, com os familiares, estabelecendose em Nova Trento-SC. Amábile cresce marcada pelo trabalho na roça e pela piedade recebida de seus pais. Dos 15 aos 25 anos, juntamente com Virgínia Nicolodi, dedica-se à missão que lhes confiara o pároco, Pe. Augusto Servanzi, SJ (sacerdote jesuíta): catequese às crianças, assistência aos enfermos e o cuidado da capela São Jorge. Entre 1888-1890 Amábile sonha, por três noites consecutivas, com Nossa Senhora de Lourdes, que lhe faz este pedido: “É meu ardente desejo que comeces uma obra; trabalharás pela salvação de minhas filhas!” Sem saber do que se tratava, Amábile deu seu sim ao pedido de Nossa Senhora, acreditando que Deus abriria os caminhos para a realização deste sonho. No dia 12 de julho de 1890, Amábile, juntamente com Virgínia, sai da casa paterna, para cuidar de Ângela Lúcia Viviani, com câncer em fase terminal, transferindo-se para o casebre denominado Hospitalzinho São Vigílio, em Vígolo, Nova Trento-SC. Com este gesto de solidariedade, Amábile dá início à Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição. Em 1894, por sugestão do superior da missão dos padres jesuítas, Amábile e suas amigas Virgínia e Teresa Maule, passam a residir na sede em Nova Trento, sem abandonar o apostolado na localida-

Santa Paulina, fundadora de de Vígolo. Em 1895, Nova Trento recebe a primeira visita do bispo dom José de Camargo Barros que dá a aprovação diocesana à Congregação no dia 25 de agosto de 1895 e autoriza ao Pe. Luiz Maria Rossi, SJ, a preparar as jovens para os votos religiosos. Aos 7 de dezembro de 1895, acontece a Profissão Religiosa das três primeiras Irmãs, que passaram a assumir novos nomes: Amábile - Irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus; Virgínia Irmã Matilde da Imaculada Conceição e Tereza - Irmã Inês de São José. Hoje, as Irmãzinhas estão presentes em 16 estados brasileiros e em 10 países, com um significativo grupo de formandas nas diferentes etapas de formação: Aspirantado, Postulantado e Noviciado. A CIIC - Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição realiza a Ação Evangelizadora em diferentes âmbitos da Pastoral, em sintonia com a Igreja, em parceria com entidades e movimentos so-

ciais, em vista do Reino. O Carisma das Irmãzinhas é marcado pela Sensibilidade em perceber as diferentes necessidades e a Disponibilidade em servir aos que estão em situação de maior injustiça. Desta forma, a atuação das Irmãzinhas se dá na assessoria, coordenação e integração nas diferentes Pastorais; nos Meios Populares, no acompanhamento às CEBs, na inserção nos meios populares, sendo presença junto aos excluídos da sociedade. As comunidades das Irmãzinhas assumem diferentes trabalhos no acompanhamento e formação das lideranças, junto aos leigos que assumem distintos ministérios na comunidade. As Irmãs atuam em escolas particulares, públicas e educação popular, buscando ser uma presença que torne as Instituições, os meios populares e outros, um ambiente evangelizador e missionário. Fazer da Educação um “Serviço à Vida”. Carisma: Sensibilidade para perceber os clamores da realidade e disponibilidade para servir aos mais necessitados e aos que estão em situação de maior injustiça. A Espiritualidade é o Mistério-Pascal. Assim como Santa Paulina, as Irmãzinhas encontram inspiração e força para uma vida de amor-doação na Eucaristia, como centro de sua vida e em Maria como modelo. Consequentemente, a Espiritualidade da Congregação é Eucarístico-Marial. Presença na diocese de Campo Mourão Em 1992 foi fundada a comunidade Mãe da Esperança na paróquia São Pedro, em Roncador, em resposta à solicitação do pároco, Ademar Oliveira Lins, com a finalidade de animar as pastorais sociais (Pastoral da Criança e Pastoral da

Saúde), animação da catequese e liturgia. A missão foi desenvolvida no período de dez anos. Em 2002 foram encerradas as atividades das Irmãs nessa paróquia. Em 15 de fevereiro de 1998 foi fundada a comunidade Nossa Senhora de Fátima na paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, em Mamborê, respondendo à solicitação do pároco, Padre Arthur Franz, SJ, para o acompanhamento e animação das diversas pastorais, dinamização da Catequese, Pastorais Sociais, formação de lideranças, acolhimento e acompanhamento das vocacionadas no processo de formação à Vida Religiosa. Além dessas, foi assumido, junto à Pastoral da Criança, o compromisso de defesa e dignidade de vida das pessoas fragilizadas e empobrecidas. Em 2009, atendendo à solicitação do bispo diocesano, dom Francisco Javier Delvalle Paredes, a comunidade assumiu um contrato de três anos - 2009 a 2012 - para o trabalho de animação missionária na diocese. Com o objetivo de dinamizar a animação do Projeto de Organização Missionária com a implantação do COMIDI e COMIPAS. Contato: Avenida Abel Desidério de Araújo, 717 - Caixa Postal 67 87.340-000 – Mamborê-PR - Fone: (44) 3568-1060 - www.ciic.org.br

Ir. Maria Oshiro, Ir. Maria Dall’Ago, Ir. Dionísia Pereira Duarte e Ir. Maria dos Anjos Bezerra

Domingos do Advento: missa e celebração da Palavra

S

ão quatro os domingos do Advento. Como celebrá-los bem? Queremos destacar os “sinais sensíveis”, pois liturgia se faz com palavras, mas também com gestos, sinais e símbolos... O sinal principal é a própria EUCARISTIA, o sacramento da espera “até que o Senhor venha”. Nas celebrações sem a presença de padre, existe a possibilidade de distribuir o pão eucarístico de uma missa anterior, ou de realizar uma benção do pão. Outros sinais devem completar este sinal principal. O que se pode fazer para criar um clima característico de Advento? Como marcar a diferença entre os domingos do tempo comum e os domingos do Advento? De que modo o Advento pode “entrar” pelos sentidos? Coisas para se ouvir: em primeiro lugar temos as LEITURAS BÍBLICAS. Não há dúvida de que os CANTOS têm papel importante, principalmente quando são bem conhecidos por todos; evocam logo todos os Adventos anteriores, os temas bíblicos aprofundados, as experiências vividas, os sentimentos de espera, de expectativa pela vinda do Senhor. É evidente que os cantos de entrada, das oferendas e de comunhão devem ser próprios para o Advento. Mas seria interessante também – como no

gregoriano, antigamente, que até mesmo as melodias dos cantos fixos da missa fossem próprias do Advento: O “Senhor Piedade”, o “Santo” a Aclamação eucarística, o “Cordeiro de Deus”; bem como os Salmos e a Aclamação ao Evangelho. No Hinário Litúrgico 1 encontramos melodias para cantar o prefácio, bem como todas as músicas próprias para o Advento, gravadas nos CDs Liturgia IV e VIII. Coisas para se ver: a música entra pelos ouvidos. Reclama a participação de nossa garganta, nossa respiração, nossos pulmões... E os nossos olhos? O que fazer para que possam “ver” o Advento? Além da cor roxa, da ausência de flores, da coroa do Advento... há comunidades que colocam um painel com desenhos referentes ao Advento. Em outros lugares costuma-se montar o Presépio a partir do dia 17, sem a imagem do Menino Jesus (a qual será colocada somente durante a missa do galo). Algumas leituras se prestam a diálogos, dramatização ou encenações litúrgicas: Mt 3, 1-12 (2º domingo, ano A ); Mt 11, 2-11 (3º domingo, ano A; Is 7, 10-14 (4º domingo, ano A); Mc 13, 33-37 (1º domingo, ano B); Mc 1, 1-8 (2º domingo, ano B); Jo 1, 6-8.19-28 (3º domingo, ano B); 2Sm 7,

1-5, 8b-11.14a-16 (4º domingo, ano B; Lc 3,10-18 (3º domingo, ano C); Lc 1, 39-45 (4º domingo, ano C). Não se deve confundir encenação litúrgica com teatro! A encenação litúrgica é uma proclamação da Palavra, feita em clima de oração e celebração. Por isso, geralmente é melhor que os “atores” não usem roupas especiais; se for preciso, usem apenas um ou outro pequeno sinal para distinguir seu personagem. A maneira mais simples é a divisão dos vários textos conforme os personagens aparecem no texto: o narrador, Jesus, João Batista, Maria etc... sem que estes façam gestos ou se desloquem. Uma outra forma é a mímica: os personagens atuam, fazem gestos se movimentam, mas não falam. Quem fala é o leitor. Uma terceira forma é a dramatização, na qual os próprios personagens falam enquanto atuam; um leitor ou narrador diz as partes que ligam os diálogos entre si. Coisas para se fazer. Liturgia é ação (-urgia). A ação principal é a refeição, a ceia do Senhor, com a oração eucarística e a comunhão. Mas o nosso corpo precisa participar de toda a celebração. Haverá algum gesto ou ação que possamos introduzir na liturgia do Advento

e que ajude a celebrá-lo melhor? Algum gesto que expresse a alegre expectativa ou que reforce a prece “Vem, Senhor!”? Dependendo do perfil da assembleia reunida, pode-se rezar com os braços levantados como quem pede ajuda: durante o refrão “Vem, Senhor!”, ou durante a resposta às preces dos fiéis, ou durante o pedido do pai-nosso “Venha a nós vosso Reino”. Estão aí apenas pistas para a prática em sua paróquia e comunidade. Abraço fraterno a todos os responsáveis pela animação da vida litúrgica em nossa diocese. Fonte: Preparando Advento e Natal de Ione Buyst, Paulinas.

Lilian Aparecida G. Hanel - Coordenadora diocesana de Liturgia e coordenadora de canto da catedral de Campo Mourão lilianbgh@gmail.com

Página 09

Novembro 2011

T

Pastoral da Sobriedade realiza terceiro Retiro

endo como objetivo dar formação para agentes e refletir sobre o trabalho, a coordenação diocesana da Pastoral da Sobriedade realizou o 3° Retiro, de 23 a 25 de setembro, no CDF - Centro Diocesano de Formação, em Campo Mourão. No primeiro dia do retiro, sextafeira (23), apenas as equipes de coordenação e trabalho (20 pessoas) participaram. Nos demais dias, o retiro contou com 40 pessoas de diferentes paróquias da diocese, entre dependentes e codependentes. Também participaram uma pessoa de Belo Horizonte-MG e uma do estado do Mato Grosso do Sul. O Dr. Eufânio Saquetti ministrou uma palestra sobre as consequências das drogas no organismo. A equipe apresentou os 12 passos, para se obter a libertação de um vício. Houve espaço para vários testemunhos, feitos pelos participantes.

3° Retiro da Sobriedade

Coordenador diocesano Valdeci A. Ciconello e alguns integrantes da equipe

O motivo principal de ser incluída a formação, no retiro, é devido à meta da equipe de implantar a Pastoral nas 38 paróquias que compõem a diocese de Campo Mourão. No momento, estão em funcionamento nas paróquias: Nossa Senhora do Caravággio de Campo Mourão, Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão, Nossa Senhora das Candeias de Goioerê, Santa Rosa de Lima de Iretama, Nossa Senhora Mãe de Deus de

Juranda, Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê e São Pedro de Roncador. O 3° Retiro contou com a presença do coordenador da Pastoral da Sobriedade do Regional Sul 2 (estado do Paraná), José Augusto Soavinski, que falou da possibilidade de convidar a equipe de coordenação para a realização de um retiro em Curitiba, uma vez que este formato de retiro, específico da Pastoral da Sobriedade, nasceu na diocese de Campo Mourão.

Liturgia paroquial oferece curso de oratória

Trinta e quatro paróquias no Cenáculo com Maria Com participação de aproximadamente 1500 pessoas, a RCC - Renovação Carismática Católica, realizou o Cenáculo com Maria, no dia 2 de outubro. Foi no Seminário São José e contou com a participação de quase toda a diocese; das 38 paróquias, apenas 4 não enviaram representantes. Na abertura, houve a entrada dos coordenadores de Ministérios e coordenadores de Grupo de Oração. Em seguida, foi entronizada a imagem da padroeira da RCC, Nossa Senhora das Graças, pela equipe de teatro da Carminha. Esta equipe realizou a coroação da imagem. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Javier e concelebrada pelo  Pe. Markus Prim, assessor da RCC; Pe. Ricardo Arica Ferreira; Pe. Aédio Odilon Pego e Pe. Raimundo Santana dos Reis.  De acordo com o coordenador diocesano da RCC, Claudinei Grella, o retiro da véspera do Cenáculo contou com a presença de 171 participantes e foi conduzido pela pregadora Vera Casagrande, da diocese de Apucarana.

Pe. Markus Prim e alguns participantes do Cenáculo

O encerramento foi com uma missa presidida pelo Pe. Izaías da Conceição, pároco da paróquia Sagrada Família do Cohapar e assessor diocesano da Pastoral da Sobriedade.

Participantes

Danieli A. Ferreira e Celso Fogliatto

C

om o objetivo de auxiliar os coordenadores  de grupos, movimentos e pastorais a se comunicarem melhor com seus membros, integrantes e também com a paróquia, a paróquia Santo Antonio de Ubiratã realizou um curso de Comunicação Verbal e Orató-

ria, com o facilitador Celso Fogliatto. O curso aconteceu de 4 a 6 de outubro, totalizando 12 horas. Todos os 25 participantes receberam certificados. “A comunicação é muito importante em todos os meios de trabalho, principalmente  no meio religioso, onde

todos lutam e colaboram para um bem comum que é estar próximo de Deus”, declarou Danieli Alves Ferreira, coordenadora de Liturgia da paróquia Santo Antônio de Ubiratã. O objetivo também é auxiliar os leitores durante as missas.

Paróquia retoma tradição em Nova Cantu Depois de 6 anos sem a procissão entre a igreja matriz e a gruta de Nossa Senhora Aparecida, a comunidade da paróquia Nossa Senhora de Fátima de Nova Cantu, realizou a mesma, no último dia 12 de outubro, dia da padroeira do Brasil. “Foi visível a felicidade do povo com esse momento de vivência da fé”, declarou o pároco Pe. Luiz da Silva Andrade, muito contente com o resgate de uma tradição, que contou com grande participação do povo.

Procissão


Página 10

Novembro 2011

A

Eventos da Pastoral da Saúde

Equipe do Regional Sul 2 com a nova coordenação nacional

A diocese esteve presente no XXXI Congresso Brasileiro de Humanização e Pastoral da Saúde, realizado em São Paulo, nos dias 4 e 5 de setembro. Participaram de Goioerê: Lourdes Augusta Alves Candido, Maria Zeni de Aquino, Estevam de Souza, Rosenir Rezen-

de da Silva Scardelato e Maria de Lourdes Silva Pereira; de Engenheiro Beltrão: Dirce dos Santos Gonçalves de Aguiar. Acontecerá no Paraná o XIV Encontro Anual da Pastoral da Saúde do Regional Sul II CNBB. Será em Pinhais, de 11 a 13 de novembro.

A Igreja perfeita na eternidade

N

ão há como pensar sobre santidade sem pensar a respeito da vida e da morte. Qual a finalidade da vida? Por que Deus criou a vida em suas múltiplas formas? Existe um objetivo bem delineado, embora não revelado. Deus tem suas razões para criá-las, conforme sua própria vontade. Ele sabe, porque fez tudo o que existe no universo, inclusive o próprio universo, e tem seus motivos, que não nos competem ainda. Toda e qualquer espécie de vida tem como fim sua própria perfeição. O verdadeiro significado de perfeição está na essência de cada criatura. A essência de uma planta, seja uma frondosa árvore ou um ínfimo arbusto, é vegetar. Vegetar, para as plantas é seu caminho para o aperfeiçoamento. Quando uma árvore atinge sua completa maioridade e cai, torna-se adubo e fertilizante, para que outras, semelhantes suas, cresçam mais

vigorosas e perfeitas. A essência do ser humano é a vida. Viver, para o ser humano, significa a busca da perfeição. O homem vive e, quando completa sua plenitude morre, tornando-se perfeito, isto é, santo. Desde seu aparecimento sobre a Terra, pela Criação Divina, o homem caminha em busca da felicidade completa e inexaurível. A finalidade da vida humana é a felicidade que, na verdade, é sua “terra prometida”. E, chegar a essa “terra prometida”, é o maior e mais sagrado dos objetivos de toda humanidade. O desígnio de Deus ao criar o homem, foi compartilhar com ele a sua divina felicidade. Portanto, ser santo significa experimentar direta e intensamente a felicidade divina. Deus criou o homem para esse fim. E, nas palavras de Santo Agostinho, o coração humano estará sempre inquieto enquanto não repousar

O

Santuário Nossa Senhora Aparecida, localizado na Vila Urupês, em Campo Mourão, recebeu muitos fiéis ao longo de todo o dia 12 de outubro, dia da padroeira do Brasil. A primeira missa foi às 5h, presidida pelo Pe. Apolinário João da Silva. Houve a procissão das luzes. Várias outras missas foram cele-

bradas nesse dia. Ao meio-dia, houve a coroação da imagem de Nossa Senhora Aparecida. No início da tarde, o tradicional bolo de 70m de comprimento, contendo 3 mil medalhas, foi servido. A última missa do dia foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes. Fotos: Valter Velozo/Tribuna do Interior

dida pelo pároco Pe. Luiz da Silva Andrade, com participação de um grande número de paroquianos. Nessa celebração foi contextualizada a vida e história do martírio das Cinco Irmãs. Drina é um rio entre a Bósnia e Herzegovina e a Sérvia. Daí fato das irmãs serem chamadas de Mártires do Drina. Elas são as primeiras da Congregação Filhas do Amor Divino que foram beatificadas. São elas: Berchmana Leidenix (austríaca); Krizina Bojanc (eslovena); Jula Ivanisevic (croata); Atonija Fabjan (eslovena) e Bernadete Banja (húngara).

s Irmãs Filhas do Amor Divino da Comunidade Sagrada Família de Nova Cantu, o Grupo Girassol do Amor Divino, juntamente com o povo da paróquia Nossa Senhora de Fátima se reuniram para celebrar o tríduo em preparação da beatificação das Mártires do Drina. O tríduo foi de 21 a 23 de setembro, na igreja matriz de Nova Cantu. No dia 24 de setembro, aconteceu uma missa solene, em comunhão com toda a Congregação, Província e Igreja, por ocasião da beatificação das Mártires do Drina. A celebração eucarística foi presi-

Milhares de pessoas visitam o Santuário no dia da padroeira

Fotos: Valter Velozo/Tribuna do Interior

Congregação e comunidade celebram tríduo em preparação para beatificação

Página 03

Novembro 2011

Pe. Clauber presidindo umas das missas Pe. Luiz, irmãs Filhas do Amor Divino e crianças representando as 5 irmãs mártires

“Visitar Nossa Senhora em seu Santuário é um gesto de fé e uma alegria imensa, principalmente em poder retribuir a visita que ela fez à nossa Diocese” Maria Célia Cabral, organizadora da romaria da diocese ao Santuário de Nossa Senhora do Rocio, em Paranaguá

Novembro / 2011

www.diocesecampomourao.com.br Mantenha-se atualizado quanto aos assuntos da Igreja, da Diocese e de sua paróquia, visitando constantemente o site www.diocesecampomourao.com.br em Deus: “Fizeste-nos para ti e inquieto está nosso coração, enquanto não repousa em ti.” A morte é a oficialização do aperfeiçoamento humano. É o selo definitivo da santidade. Tanto os vegetais, quanto os seres humanos precisam morrer para tornarem-se perfeitos e completamente úteis ao plano divino. Na História Sagrada, com a ajuda dos profetas, do próprio Jesus, de sua Igreja e dos líderes religiosos, especialmente convocados, pelo Espírito Santo para esse fim, o ser humano busca incessantemente a santidade. Nesse peregrinar vão surgindo aqueles que se destacam por suas virtudes, coragem, fidelidade, dedicação e entrega total a serviço do próximo, da comunidade e da Igreja, sendo por isso, reconhecidos oficialmente, como santos, venerados nos altares e servindo como exemplo de vida para os demais. Além deles, todas as pessoas de “boa vontade”, que vivem de forma santa,

mesmo no anonimato, morrem na glória e ocupam os altares reservados à humanidade. Por isso, a Igreja definiu um dia especial pra celebrar o nome de todos os santos, que fazem parte da Igreja Perfeita na dimensionalidade espiritual e na presença efetiva de Deus na eternidade.

Amani Spachinski de Oliveira é professor, escritor, poeta e contista. Membro da Academia Mourãoense de Letras e Associação Mourãoense de Escritores. E-mail: amanispachinski@yahoo.com.br

DIA

1ª LEITURA

SALMO

1

Rm 12,5-16a

Sl 131

2

Jó 19,23-27a

Sl 26

1ª LEITURA

EVANGELHO

COR

Lc 14,15-24 Rm 5,5-11

Jo 6,37-40

3

Rm 14,7-12

Sl 27

Lc 15,1-10

4

Rm 15,14-21

Sl 98

Lc 16,1-8

5

Rm 16,3-9.16.22-27

Sl 112

6

Ap 7,2-4.9-14

Sl 24

Lc 16,9-15

7

Sb 1,1-7

Sl 139

Lc 17,1-6

8

Sb 2,23-3,9

Sl 34

Lc 17,7-10

9

Ez 47,1-12

Sl 46

10

Sb 7,22-8,1

Sl 119,89-175

Lc 17,20-25

11

Sb 13,1-9

Sl 19

Lc 17,26-37

12

Sb 18,14-16.19,6-9

Sl 105,1-43

13

Pr 31,10-13.19-20.30-31

Sl 128

1Jo 3,1-3

1Cor 3,9-17

Mt 5,1-12

Coroação

Diocese visita santuário da padroeira do Paraná

Jo 2,13-22

Lc 18,1-8 1Ts 5,1-6

Mt 25,14-30

14

1Mc 1,10-15.41-43.54-57.62-64

Sl 119,53-158

Lc 18,35-43

15

2Mc 6,18-31

Sl 3

Lc 19,1-10

16

2Mc 7,1.20-31

Sl 17

Lc 19,11-28

17

1Mc 2,15-29

Sl 50

Lc 19,41-44

18

1Mc 4,36-37.52-59

1Cr 29,10-12

Lc 19,45-48

19

1Mc 6,1-13

Sl 9

Lc 20,27-40

20

Ez 34,11-12.15-17

Sl 23

21

Zc 2,14-17

Lc 1,46-55

Mt 12,46-50

22

Dn 2,21-45

Dn 3,57-61

Lc 21,5-11

23

Dn 5,1-6.13-17.23-28

Dn 3,62-67

Lc 21,12-19

24

Dn 6,12-28

Dn 3,68-74

Lc 21,20-28

1Cor 15,20-26.28

Mt 25,31-46

25

Dn 7,2-14

Dn 3,57-81

Lc 21,29-33

26

Dn 7,15-27

Dn 3,82-88

Lc 21,34-36

27

Is 63,16-17.64,1.3.8

Sl 80

28

Is 2,1-5

Sl 122

Mt 8,5-11

1Cor 1,3-9

Mc 13,33-37

29

Is 11,1-10

Sl 72

Lc 10,21-24

30

Rm 10,9-18

Sl 19

Mt 4,18-22

Alguns romeiros da diocese em Paranaguá

C

onforme agenda, 16 de outubro foi o dia dos devotos de Nossa Senhora do Rocio, padroeira do estado, visitarem o seu santuário, em Paranaguá. A cada dois anos, todas as dioceses do Regional Sul 2 (Paraná), realizam esta visita. Sete ônibus foram utilizados para transportar os romeiros da diocese de Campo Mourão. Algumas missas

tiveram padres da diocese concelebrando, como foi o caso da primeira missa da manhã, presidida pelo Pe. Luiz Langer e concelebrada pelo Pe. Carlos Fermino de Paulo. Ainda na parte da manhã, houve outra missa presidida pelo reitor do Santuário Pe. Sérgio Campos e que teve como concelebrantes o Pe. Ediberto Henrique de Mercena e Pe. Pedro Liss.

“Beber na fonte” Convite do papa Bento XVI, em sua Carta Apostólica para o Ano da Fé, que irá de 11 de outubro de 2012, no cinquentenário da abertura do Concílio Vaticano II, até 24 de novembro de 2013, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo


Página 02

Novembro 2011

Palavra do Bispo Caríssimos irmãos e irmãs desta querida diocese... Graça e paz a todos! Estamos chegando ao fim do ano de 2011 e, neste mês de novembro temos momentos fortes para a nossa vida cristã e civil. O mês, conforme o calendário, assim nos apresenta: dia 01. Solenidade de todos os Santos (que será celebrada no primeiro domingo); dia 02. Fiéis Defuntos; dia 15. Proclamação da República e dia 20. Festa de Cristo Rei (encerramento do ano litúrgico). É um mês muito frutífero se for bem vivenciado. Ao celebrarmos o dia de todos os Santos, nós estamos recordando de todos aqueles que já nos precederam para a eternidade e que estão no céu junto de Deus; mesmo aqueles que a Igreja não os declarou como santos. E estando no céu são santos. Lembrando destes, nós também somos convidados a uma mudança de vida, a vivermos também em santidade, a sermos santos e santas nos dias de hoje. Logo em seguida recordaremos com muito carinho e apreço de todos os falecidos. É um dia de oração e penitência. É o dia em que visitamos o cemitério onde temos conhecidos, amigos e parentes sepultados. É o dia de rezar por todos eles. Um pouco mais adiante todos nós brasileiros e brasileiras celebraremos com muita alegria a Proclamação da nossa República. Assim como esta proclamação acontecida em 15 de novembro de 1889, na cidade do Rio de Janeiro, que nos livrou a monarquia, dando-nos o direito de República, hoje também somos convidados a exercer nosso amor à pátria, principalmente naquilo que nos cabe: dar rumo cada vez melhor a nossa sociedade

através de nossos filhos e filhas, repassando os principais valores, princípios e educação, como também através do voto consciente na escolha de dignos candidatos que honrem o nosso país. Vivendo então como brasileiros e brasileiras crentes num mundo melhor, é que nós cristãos católicos somos chamados a viver o grande momento cujo qual nós encerraremos o ano litúrgico de 2011 com a festa de Cristo Rei. Proclamar Cristo como Rei é deixar que Ele reine na nossa vida, na nossa história e na nossa família. É ser como São Paulo diz: “Tendes em vós os mesmos sentimentos que Cristo Jesus” (Fl 2,5). Que este mês de novembro, que é rico em celebrações, seja para nós um bom momento de rever a nossa caminhada e renovar nosso compromisso de trabalhar juntos para construir uma Igreja diocesana em constante conversão pastoral e missionária, servindo ao estilo do bom samaritano e, assim, buscando a santidade em nossos lares e uma melhor sociedade para este nosso querido Brasil. Desejo a todos um ótimo mês, repleto das bênçãos de nosso Deus! Fraternalmente,

Assessor: Pe. Sidinei Teixeira Gomes Coordenador: Vilson Olipa (44) 9958-9797 Colunistas: Pe. Luiz Antônio Belini, Amani Spachinski, Maria Joana Titton Calderari, Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, Lilian Aparecida G. Hanel

plica os sinais e símbolos do tempo do Advento, dentro da liturgia. O Pe. Luiz Belini, em sua coluna, apresenta vários números mostrando as mudanças, ao longo do tempo, quanto ao número de católicos no Brasil. Lembramos que críticas construtivas e sugestões são sempre bem-vindas, tanto ao Jornal Servindo, quanto ao portal www.diocesecampomourao.com.br Boa leitura!

5 - Confirmação - paróquia Sagrada Família - Cohapar

18 - Confirmação - paróquia Santo Antonio - Ubiratã

6 - Confirmação - paróquia São Francisco de Assis - Vila Teixeira

19 - Confirmação - paróquia São João Batista - Peabiru

9 - Seminário - laicato, em Brasília

20 - Confirmação - santuário Nossa Senhora Aparecida - Vila urupês

11 - Confirmação - paróquia São Pedro - Paraná d’Oeste

26 - Confirmação - paróquia Nossa Senhora Aparecida - Luiziana

12 - Confirmação - paróquia Divino Espírito Santo - Jd. Aeroporto

27 - Confirmação - paróquia Santo Antonio - Araruna

13 - Confirmação - paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus - Juranda

A intenção geral é pelas Igrejas Católicas Orientais, para que a sua venerável tradição seja conhecida e estimada enquanto riqueza espiritual para toda a Igreja.

Site: www.diocesecampomourao.com.br Permite-se a reprodução total ou parcial do material veiculado no Jornal Servindo, desde que citada a fonte. As assinaturas do Jornal Servindo podem ser feitas nas secretarias paroquiais. Informações pelo e-mail/MSN: jornalservindo@hotmail.com

ONDE

DIÁLOGO ECUM.

Reunião da ASSINTEC

A definir

E ENS. RELIGIOSO

Núcleo C. Mourão

Comissão do Diálogo Ecumênico e Instituições de Ensino

5

P. DA CRIANÇA

Assembleia Eletiva – Juranda

Pároco, Setor, Área, Ramos e Líderes

Paróquia N. Sra. Mãe de Deus

5

VICENTINOS

Reunião Conselho Central

Pres. Obras Unidas e Conselho Central

Centro Catequético

5e6

DIÁCONOS

Escola de Formação

Candidatos ao Diaconato Permanente

Seminário São José

6

P. FAMILIAR

Assembleia Diocesana

Coordenações/Equipes Paroquiais

CDF – Lar Paraná

9 a 11

CNBB – NACIONAL

Encontro dos Secretários

Secretários Executivos Regionais

Brasília

12 e 13

PJ

Assembleia Diocesana

Juventudes

CDF – Lar Paraná

13

P. DA SAÚDE

Reunião Decanal

Decanato de Goioerê

Nossa Sra. das Candeias

15

ROCIO

FESTA DE N. SRA. DO ROCIO

19

P. SOBRIEDADE

Celebração

Todas as Pastorais

A definir

19 e 20

MECEs

6ª Etapa de Formação

Novos Ministros

CDF – Lar Paraná

20

P. CARCERÁRIA

Reunião de Avaliação

Agentes da P. Carcerária

Centro Catequético

20

P. DO DÍZIMO

Formação Diocesana

Equipes Paroquiais

Par. São Francisco de Assis

20

SERRA

24ª Romaria a Aparecida

Membros do Serra

Aparecida – SP

Reunião

Membros do Conselho

Casa Episcopal

Assembleia de Avaliação e Planejamento

Coordenadores da Pastoral da Educação

4

Novembro

Novembro 2011

vio Fritzen, Pe. Bruno Babusque, Pe. Rui Korber, Pe. Claudino Ritter, Pe. Edvino Hermann, Pe. Lino Londero, Pe. José Guido Sthal, Pe. Leo Kolberg, Pe. Pedro Marques, Pe. Paulo Roberto de Lima, Pe. Reginaldo Nascimento de Souza, Pe. Ivo Celestino Bossak, Pe. Sebastião Ramos, Pe. Antônio Pereira dos Santos , Pe. João da Silva e Pe. Luiz da Silva Andrade. Pedro Altoé, 80 anos de idade, colaborou com fotos e com algumas destas informações históricas. Ele reside em Campina da Lagoa desde 1966. Outras informações A paróquia Santa Teresinha mantém a Sede da Juventude, com ampla estrutura para cursos, com sede esportiva, local de lazer e encontros da juventude; o Centro de Educação Infantil Jesus Criança, com aproximadamente 280 crianças e o Asilo São Vicente de Paulo. A Paróquia tem dado grande apoio à APAE, à Casa Lar e a outras entidades. A área da paróquia é a mesma no município: 799 km2 e população de aproximadamente 16 mil habitantes. A paróquia possui 51 grupos de reflexão, distribuídos em 12 setores. São 108 agentes do dízimo, organizados nos setores, também. Há missas diárias, às 6h30 da manhã. No sábado, a missa é às 19h30; domingo, 8h e 19h30. Festa da padroeira A comunidade esteve em festa no dia 1º de outubro de 2011, para celebrar o Dia da Padroeira, Santa Teresinha do Menino Jesus. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes e, concelebrada, pelo pároco Pe. Pedro Speri. “A chuva de rosas na família” foi o tema do nono dia da novena em preparação para a festa da padroeira, no dia 1º de outubro, feriado municipal, em Campina da Lagoa. O Pe. Pedro Speri fez a saudação ao bispo diocesano. “Eu sei que esta comunidade já vive um certo grau de comunhão, mas devemos ir nos aperfeiçoando para sermos luz”, disse dom Javier.

Primeira capela, em 1953

10h - Celebrante: Bispo Dom Francisco Javier Delvalle Paredes - Bispo Diocesano Inauguração da serraria de Dino Matioski, em 1953

Construção da segunda capela, em 1954

da população, foi construída a segunda capela em madeira beneficiada e vitrais coloridos, em 1950. Na época, a capela pertencia à paróquia de Campo Mourão, que pertencia à Prelazia de Foz do Iguaçu. O atendimento era feito por um padre que vinha a cavalo e permanecia aproximadamente 40 dias, realizando as celebrações e sacramentos. Com a criação da paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê, no final de 1956, a capela Santa Teresinha passou a pertencer a essa paróquia. Um dos padres que estava na paróquia de Mamborê e que atendeu a capela foi o Pe. José Sauer. A criação da paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus foi no dia 1º de maio de 1964, durante o bispado de dom Eliseu Simões Mendes, primeiro bispo da diocese de Campo Mourão. O primeiro pároco foi o Pe. Fernando Brito (diocesano). Em 1966 a paróquia passou a ser administrada pela congregação Companhia de Jesus (Jesuítas), tendo como pároco o Pe. Ervino Schmitt. Em 1970, a Prefeitura Municipal de Campina da Lagoa e a diocese de

Campo Mourão trocaram terrenos. A capela existente na Praça João XXIII foi demolida. No novo terreno, foi construído um salão em alvenaria, que funcionava como igreja. No ano de 1971, a atual igreja começou a ser construída. Sua conclusão foi em torno de 1978. As Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria chegaram à paróquia, em 1979. Em 2000, a paróquia passa novamente a ser administrada por padres diocesanos. Assumiu como pároco o Pe. Ademar de Oliveira Lins. Em 2005, teve início a reforma da igreja matriz. Párocos: Pe. Fernando Brito, Pe. Antônio Américo Vaz, Pe. Ervino Schmitt, Pe. Avelino Ten Caten, Pe. Claudino Ritter, Pe. Urbano Müller, Pe. Vendelino Müller, Pe. Albano Bervanger, Pe. José Francisco Silveira Montenegro, Pe. Alcides Debastiani, Pe. Ademar de Oliveira Lins, Pe. José Coelho Pereira, Pe. Carlos Czornobai e Pe. Pedro Speri. Vigários paroquiais: Pe. Antônio Vidmar, Pe. José Sil-

12h - Celebrante: Pe. Edinaldo Velozo da Silva - Paróquia São Francisco de Assis, Vila Teixeira

Novembro 2011

JORNAL

SERVINDO

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 22 - Novembro / 2011 - Nº 231

Página

Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus Mt 5,8

Celebrações da Padroeira do Brasil Pág. 3 e 6

Retiro da Pastoral da Sobriedade

Padroeira Santa Teresinha

Encenação: Santa Teresinha recebendo flores. 01/10/11

Segunda capela pronta, em 1954

18h - Celebrante: Pe. Carlos Czornobai - Paróquia Santa Rita de Cássia, Jardim Alvorada Cada paróquia deve levar a equipe de liturgia (comentarista, leitores, ladainha, etc.) equipe de canto (levar instrumentos) e ministros

RESERVA

Igreja Presbiteriana

CDF – Lar Paraná

26

CEBs

Encontro Diocesano

Coordenadores e Animadores Paroquiais

Centro

30

CDAE

Reunião Equipe de Assessoria

Equipe de Assessoria

Sala da Cúria

Paróquia realiza semana voltada à juventude

PADRES E DIÁCONOS 11 - Pe. Carlos Czornobai Nascimento 12 - Pe. Ricardo Arica Ferreira - Nascimento 20 - Pe. Clemens Kanisius Haas, SJ - Nascimento 26 - Pe. Ivan Luiz Walter Nascimento 29 - Pe. José Edwin Kalsing Nascimento 29 - Pe. Pedro Speri - Ordenação

Pág. 9

14h - Celebrante: Pe. Izaías da Conceição - Paróquia Sagrada Família, Cohapar

16h - Celebrante: Pe. Aédio Odilon Pego - Paróquia Divino Espírito Santo, Jardim Aeroporto

Centro Catequético

26 e 27

Aniversários NOVEMBRO

Capa

Campina da Lagoa

Histórico As famílias de Salvador Ananias Pereira e Joaquim Luiz Pereira (Joaquim Carula) chegaram em Campina Vitoriana, atual Campina da Lagoa, em dezembro de 1940. Como símbolo da fé que professavam, ergueram um cruzeiro onde se localiza, atualmente, a Sanepar. As primeiras missas foram celebradas na serraria de propriedade de Dino Matioski. Logo após, na atual Praça João XXIII, foi construída uma capela em madeira lascada. Com o crescimento

CONSELHO PRESBITERAL

E ENS. RELIGIOSO

6h - Celebrante: Pe. Jurandir Coronado Aguilar - Catedral São José Paróquia: Santa Teresinha do Menino Jesus Localização: Campina da Lagoa-PR - Praça João XXIII, 25 - Caixa Postal 37 - CEP 87.345-000 - Telefone/fax: (44) 3542-1136 / 3542-1616 E-mail/MSN: paroquiacampina@hotmail.com Número de capelas: 21 Data de criação da paróquia: 01/05/64 Pároco: Pe. Pedro Speri, 58 anos de idade e 35 de ordenação. Religiosas: Congregação das Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria: Irmãs Helena, Izabel, Adela e Paula. Secretárias paroquiais: Santirene Caetano dos Santos e Susane Lopez Tavares

CRISTO REI

26

Página 12

Tiragem: 11 mil exemplares. Impressão: Grafinorte.

PARA QUEM

DIÁLOGO ECUM.

Programação de missas no Cemitério São Judas Tadeu, de Campo Mourão, dia 2 de novembro (Finados)

Editoração Eletrônica: Jonas Rodrigues. - 44 3025-2036 / 9145-1499 / 9915-3400

O QUE

20

Intenção missionária: Para que o continente africano encontre em Cristo a força de realizar o caminho de reconciliação e justiça indicado pelo segundo Sínodo dos Bispos de África.

Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Bispo diocesano de Campo Mourão

QUEM

24

Igreja matriz

Diretor: Dom Francisco Javier Delvalle Paredes

DIA

Agenda do bispo / NOVEMBRO

8h - Celebrante: Pe. Ricardo Arica Ferreira Reitor do Seminário Propedêutico São José

Expediente

CALENDÁRIO – NOVEMBRO - 2011

Editorial Apresentamos uma novidade na seção Giro pelas paróquias, que é a inserção de fotos. Confira na página 8. Aproveitamos a oportunidade para agradecer a colaboração dos padres, secretários paroquiais, coordenadores de pastorais e movimentos, pelo envio de fotos e informações, para enriquecer o conteúdo do Jornal Servindo e do portal da diocese, na internet. A colunista Lilian Hanel, coordenadora diocesana de Liturgia, ex-

Página 11

Novembro 2011

Paróquia do mês: Campina da Lagoa Pág. 12 Dom Javier e Pe. Pedro Speri. 01/10/11

Finados, para os cristãos, vai além da morte; significa a ligação entre a terra e o céu.

RELIGIOSAS 04 - Ir. Amália - Nascimento 07 - Irmã Gabriela Belli - Profissão 08 - Ir. Ana Paula - Nascimento 12 - Ir. Maria Ruedell - Nascimento 21 - Ir. Dionisia Pereira Duarte - Nascimento SEMINARISTAS 03 - Lussamir Rogério de Souza 05 - Renan Augusto Pedroso Ribeiro

“T

ributo à Juventude” foi o título dado à semana de atividades, na paróquia São João Batista de Peabiru, de 2 a 9 de outubro. Houve atividades artístico-culturais voltadas para os jovens e adolescentes do município.

O início da semana foi com uma missa na igreja matriz. Ao longo da semana, houve conferência para discutir o problema do avanço das drogas; noite com apresentações culturais e gincana.

Balancete Setembro / 2011 MANUTENÇÃO DA CÚRIA E IMÓVEIS Sanepar, Copel, Oi! e Correio................................... 1.274,56 Locação Sistema Contabilidade/Folha Pagto ............. 352,53 Encargos Sociais: INSS+FGTS+PIS+IRRF............. 13.107,12 Combustível................................................................. 913,83 Fundo de Reserva................................................... 17.050,00 Côngruas/Salários................................................... 24.425,06 Plano de Saúde......................................................... 2.520,00 Capela Santa Paula Elisabete Cerioli.......................... 598,14 Mensalidade do Prever.................................................. 35,00 Vales Transportes......................................................... 603,00 M S Guaiume Segurança Monitorada............................ 80,00 Despesas com Cartório................................................ 111,50 Materiais de Escritório.................................................. 518,85 Théos Informática-Prog. SGCP...................................... 61,20 Nipomaq Mov. p/ Escritório (Cadeiras Seminários)... 1.314,00 HDI Seguros S/A Parc. 03/04 (05 Veículos).............. 2.115,41 Seguros Sem. São José/Casa Enc. Lar PR Parc 03/04.......... ......................................................................................363,25 Escritório de Advocacia Andrade e Rodrigues.......... 2.500,00 Despesas Mat.Limpeza/Cafézinho (Cúria) . ................. 67,22 Labore Medicina do Trabalho......................................... 36,00 Tribunal Eclesiástico..................................................... 545,00 Manutenção e Conservação de Imóveis...................... 743,28 Reforma da Cúria.................................................... 27.266,01 Atelier Sacro Benchaya Ltda (Materiais Litúrgicos) .... 650,00 Doação Escola Diaconal .......................................... 1.090,00 Confeção Bandeiras Diocese de C. Mourão Parc. 03/03 . ...... ...................................................................................1.750,00 Form. Humana-IATES (Pe. Aédio/Gerson/Ricardo/Valdecir) .. ...................................................................................1.200,00 Retiro Clero/Formação CNLB Prov. Eclesiástica de Mgá........ ......................................................................................340,00 Cantinho de Maria (Imagem de São José)................... 220,00 Assinatura Revista-Direito Canônico.............................. 50,00 Fiorella Panificadora..................................................... 252,12 Frigorífico Central (Convivência Seminaristas)............ 480,00 Confraternização do Clero (Alimentação) .................... 69,00 Prefeitura Maringá-Seminário Filosofia (Regularização Obra). ...................................................................................2.477,50 Despesas Viagens/Hosp. - XXXII Assem. do Povo de Deus... ...................................................................................1.872,23 Despesas com Viagens . ............................................. 293,48 107.345,29 RESIDÊNCIA EPISCOPAL Oi!, Copel e Sanepar.................................................... 692,89 Salários..................................................................... 1.449,40 Assinatura Jornal Folha de Londrina............................ 379,20 TV a Cabo Campo Mourão Ltda ................................. 148,50 Assinatura UOL ............................................................. 24,00 Alimentação............................................................... 1.157,17 Valgás............................................................................. 90,00 Manutenção e Conservação de Imóveis...................... 160,00 4.101,16 OUTROS (Água, luz, telefone, etc.) Seminário São José - Campo Mourão......................... 982,56 Centro Past. Dom Virgílio de Pauli............................... 399,50 Centro Past. Dom Eliseu.............................................. 540,31 1.922,37 OUTROS (Repasse da Cúria) Semin. Proped. São José - Campo Mourão.............. 8.000,00 Semin. de Teologia Dom Virgílio - Cambé............... 16.740,00 Semin. de Filosofia N. S. Guadalupe - Maringá...... 12.555,00 Doação - paróquia de Iretama................................... 4.500,00 41.795,00 RESUMO GERAL Saldo em 30/09/11.................................................. 37.738,97 Entradas Contribuição das Paróquias.................................. 113.905,00 Contribuição Ref. 13º Salário.................................... 9.491,80 Crisma....................................................................... 3.880,00 Reembolso Encargos-Pis/Secraso/Senalba............. 2.001,36 Reembolso Correio/Labore.......................................... 392,29 Reembolso Bandeira Diocese...................................... 170,00 Reembolso Pastoral Saúde.......................................... 100,00 Reembolso Almoço do Clero........................................ 114,00 Resgate Fundo de Reserva.................................... 27.566,01 Doação Paróquia Iretama p/ Seminários.................. 4.500,00 Repasse Par. Rancho (Convênio CNBB/GM).............. 986,18 Venda Grade Cúria....................................................... 500,00 163.606,64 Saldo anterior + entradas.............................. 201.345,61 Saídas Manutenção da Cúria e Imóveis............................ 107.345,29 Residência Episcopal................................................ 4.101,16 Centro Pastoral Dom Virgílio de Pauli.......................... 399,50 Centro de Pastoral Dom Eliseu.................................... 540,31 Seminário São José..................................................... 982,56 Seminário Propedêutico São José C. Mourão ......... 9.500,00 Seminário Filosofia N. Sra. Guadalupe - Mgá......... 14.055,00 Seminário de Teologia Dom Virgílio - Cambé.......... 18.240,00 155.163,82


Página 12

Novembro 2011

Campina da Lagoa

Igreja matriz

Paróquia: Santa Teresinha do Menino Jesus Localização: Campina da Lagoa-PR - Praça João XXIII, 25 - Caixa Postal 37 - CEP 87.345-000 - Telefone/fax: (44) 3542-1136 / 3542-1616 E-mail/MSN: paroquiacampina@hotmail.com Número de capelas: 21 Data de criação da paróquia: 01/05/64 Pároco: Pe. Pedro Speri, 58 anos de idade e 35 de ordenação. Religiosas: Congregação das Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria: Irmãs Helena, Izabel, Adela e Paula. Secretárias paroquiais: Santirene Caetano dos Santos e Susane Lopez Tavares Histórico As famílias de Salvador Ananias Pereira e Joaquim Luiz Pereira (Joaquim Carula) chegaram em Campina Vitoriana, atual Campina da Lagoa, em dezembro de 1940. Como símbolo da fé que professavam, ergueram um cruzeiro onde se localiza, atualmente, a Sanepar. As primeiras missas foram celebradas na serraria de propriedade de Dino Matioski. Logo após, na atual Praça João XXIII, foi construída uma capela em madeira lascada. Com o crescimento

Primeira capela, em 1953

Inauguração da serraria de Dino Matioski, em 1953

Construção da segunda capela, em 1954

da população, foi construída a segunda capela em madeira beneficiada e vitrais coloridos, em 1950. Na época, a capela pertencia à paróquia de Campo Mourão, que pertencia à Prelazia de Foz do Iguaçu. O atendimento era feito por um padre que vinha a cavalo e permanecia aproximadamente 40 dias, realizando as celebrações e sacramentos. Com a criação da paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê, no final de 1956, a capela Santa Teresinha passou a pertencer a essa paróquia. Um dos padres que estava na paróquia de Mamborê e que atendeu a capela foi o Pe. José Sauer. A criação da paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus foi no dia 1º de maio de 1964, durante o bispado de dom Eliseu Simões Mendes, primeiro bispo da diocese de Campo Mourão. O primeiro pároco foi o Pe. Fernando Brito (diocesano). Em 1966 a paróquia passou a ser administrada pela congregação Companhia de Jesus (Jesuítas), tendo como pároco o Pe. Ervino Schmitt. Em 1970, a Prefeitura Municipal de Campina da Lagoa e a diocese de

Campo Mourão trocaram terrenos. A capela existente na Praça João XXIII foi demolida. No novo terreno, foi construído um salão em alvenaria, que funcionava como igreja. No ano de 1971, a atual igreja começou a ser construída. Sua conclusão foi em torno de 1978. As Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria chegaram à paróquia, em 1979. Em 2000, a paróquia passa novamente a ser administrada por padres diocesanos. Assumiu como pároco o Pe. Ademar de Oliveira Lins. Em 2005, teve início a reforma da igreja matriz. Párocos: Pe. Fernando Brito, Pe. Antônio Américo Vaz, Pe. Ervino Schmitt, Pe. Avelino Ten Caten, Pe. Claudino Ritter, Pe. Urbano Müller, Pe. Vendelino Müller, Pe. Albano Bervanger, Pe. José Francisco Silveira Montenegro, Pe. Alcides Debastiani, Pe. Ademar de Oliveira Lins, Pe. José Coelho Pereira, Pe. Carlos Czornobai e Pe. Pedro Speri. Vigários paroquiais: Pe. Antônio Vidmar, Pe. José Sil-

vio Fritzen, Pe. Bruno Babusque, Pe. Rui Korber, Pe. Claudino Ritter, Pe. Edvino Hermann, Pe. Lino Londero, Pe. José Guido Sthal, Pe. Leo Kolberg, Pe. Pedro Marques, Pe. Paulo Roberto de Lima, Pe. Reginaldo Nascimento de Souza, Pe. Ivo Celestino Bossak, Pe. Sebastião Ramos, Pe. Antônio Pereira dos Santos , Pe. João da Silva e Pe. Luiz da Silva Andrade. Pedro Altoé, 80 anos de idade, colaborou com fotos e com algumas destas informações históricas. Ele reside em Campina da Lagoa desde 1966. Outras informações A paróquia Santa Teresinha mantém a Sede da Juventude, com ampla estrutura para cursos, com sede esportiva, local de lazer e encontros da juventude; o Centro de Educação Infantil Jesus Criança, com aproximadamente 280 crianças e o Asilo São Vicente de Paulo. A Paróquia tem dado grande apoio à APAE, à Casa Lar e a outras entidades. A área da paróquia é a mesma no município: 799 km2 e população de aproximadamente 16 mil habitantes. A paróquia possui 51 grupos de reflexão, distribuídos em 12 setores. São 108 agentes do dízimo, organizados nos setores, também. Há missas diárias, às 6h30 da manhã. No sábado, a missa é às 19h30; domingo, 8h e 19h30. Festa da padroeira A comunidade esteve em festa no dia 1º de outubro de 2011, para celebrar o Dia da Padroeira, Santa Teresinha do Menino Jesus. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes e, concelebrada, pelo pároco Pe. Pedro Speri. “A chuva de rosas na família” foi o tema do nono dia da novena em preparação para a festa da padroeira, no dia 1º de outubro, feriado municipal, em Campina da Lagoa. O Pe. Pedro Speri fez a saudação ao bispo diocesano. “Eu sei que esta comunidade já vive um certo grau de comunhão, mas devemos ir nos aperfeiçoando para sermos luz”, disse dom Javier.

Novembro 2011

JORNAL

SERVINDO

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 22 - Novembro / 2011 - Nº 231

Página

Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus Mt 5,8

Celebrações da Padroeira do Brasil Pág. 3 e 6

Retiro da Pastoral da Sobriedade Pág. 9

Paróquia do mês: Campina da Lagoa Pág. 12 Padroeira Santa Teresinha

Encenação: Santa Teresinha recebendo flores. 01/10/11

Segunda capela pronta, em 1954

Dom Javier e Pe. Pedro Speri. 01/10/11

Jornal Servindo - Novembro de 2011  

Jornal Servindo - Novembro de 2011 - Diocese de Campo Mourão-PR

Advertisement