Page 1

16

Página 12

Fevereiro / 2011

Dom Javier fala sobre sua visita ao Vaticano O

bispo diocesano Dom Francisco Javier Delvalle Paredes falou ao Jornal Servindo, sobre a visita ad Limina Apostolorum (visita aos túmulos dos apóstolos), realizada de 4 a 14 de novembro de 2010. Dom Javier fala da emoção de se encontrar com o Papa Bento XVI e relata um pouco da audiência com o Sumo Pontífice. Jornal Servindo: Dom Javier, de maneira geral, como foi a visita ad Limina Apostolorum? Dom Javier: Devo dizer, com muita sinceridade, que foi uma experiência única. Em primeiro lugar considero uma graça e uma bênção muito especial de Deus, que me fez experimentar este tipo de convivência com todos os bispos do Paraná e num lugar tão especial como é o Vaticano, tendo oportunidade de conhecer, mais de perto, aquilo que é realmente, nossa Igreja Católica Apostólica, cuja cabeça visível é o Papa que reside em Roma. JS: Qual foi a mensagem do Papa Bento XVI aos bispos do Regional Sul II? Dom Javier:Na audiência geral, concedida pelo Papa Bento XVI, para todos os bispos do Regional Sul II, ele nos falou da Igreja universal, que frutifica e se concretiza numa

Visita ad Limina Apostolorum

Encontro de Dom Javier com o Papa Bento XVI

Igreja particular. Além disso, falou muito da vida consagrada, que é considerada um dom de Deus e que, através de seu carisma e de seu trabalho, enriquece a Igreja e visualiza o Reino de Deus. JS: Houve algum momento em que o Papa dirigiu-se especificamente à Diocese de Campo Mourão? Dom Javier:Tivemos uma outra ocasião para nos encontrar com o Papa a nível de Província. Nessa ocasião, cada bispo de nossa província teve a oportunidade de apresentar a Diocese. Apresentei a realidade da Diocese de Campo Mourão e o Papa fez uma pergunta para mim, sobre os desafios que há, hoje, no trabalho da evangelização. Em linhas gerais, apresentamos uma Igreja que tem esperança, de modo especial, pelo clero que tem e pelos leigos comprometidos nesta construção do Reino. O Papa agradeceu muito aos padres e leigos de nossa regional.

JS: De maneira resumida, qual foi o relatório feito ao Papa, sobre a nossa Diocese? Dom Javier: Quando eu fui escolhido como administrador diocesano, há três anos, eu recebi um livro com a orientação de elaborar um relatório que seria apresentado durante a visita ad Limina. Este relatório deveria ser entregue um ano antes da visita. Na esperança de que viria um outro bispo, eu engavetei. Quando veio a minha escolha, como bispo, fui apressado pela nunciatura a elaborar este relatório, que contempla 5 anos de caminhada do povo de Deus, na Diocese, de 2003 a 2008. JS: Como se dividiu a audiência papal? Como se dividiu cada uma das partes da visita? Dom Javier: Primeiro, os 24 bispos do estado do Paraná fomos recebidos em uma audiência geral. No dia seguinte, houve a divisão em dois gru-

pos. O nosso grupo, composto por nossa Província, teve a oportunidade de conversar com o Papa e tirar a costumeira fotografia. Nos demais dias, visitamos os túmulos de São Pedro e São Paulo e os seguintes Ministérios ou Secretarias: Signatura Romana, Vida Consagrada, Doutrina da Fé, Conselho Pontifício para Leigos, Conselho Pontifício da Família, Conselho Pontifício dos Migrantes, Congregação para o Clero, Congregação dos Bispos, Congregação do Culto Divino, Meios de Comunicação, Embaixada do Brasil. Participamos de uma Missa e jantar no Pio Brasileiro, que é onde se hospedam os padres do Brasil, em estudo no Vaticano. Cada Ministério tem um bispo representante, nos Regionais. Durante a visita, cada bispo do Regional Sul II apresentou algo sobre a Secretaria que representa. JS: Fale-nos sobre a emoção de participar desta visita. Dom Javier: A emoção, se se pode medir, é sem tamanho. É uma oportunidade única, uma experiência única e são poucos que experimentam. A última vez que os bispos do Paraná estiveram com o Papa foi em 2002. Uma descoberta surpreendente da vida da Igreja, da pessoa do Papa e a convivência fraterna entre bispos do Regional. Também destaco este conhecimento da realidade, de como funciona esta Igreja, para estar presente em todas as partes do mundo e partilhar um pouco, em uma semana, da vida, no Vaticano. Quantos peregrinos! Quantos turistas que passam por ali diariamente, para conhecer esta cidade única do mundo. Tudo isto cria uma emoção muito grande. Eu só posso dizer que, talvez, nem merecia passar por isto. Deus me abençoou e me concedeu isto.

Papa com os bispos do Regional Sul II (Paraná)


Página 02

Fevereiro / 2011

Página 11

Fevereiro / 2011 CALENDÁRIO – FEVEREIRO - 2011

Palavra do Bispo Queridos e amados filhos de Deus da Diocese de Campo Mourão. Que imensa alegria e sentimento de gratidão a Deus, poder novamente entrar em contato com cada um e cada uma de vocês através do nosso eficaz Jornal Servindo, a fim de lhes fazer chegar a minha saudação fraterna e o meu abraço de Pastor, carregado de Bênção e bons augúrios para que neste ano que estamos iniciando seja uma nova experiência da proteção divina. A caminhada do Povo de Deus continua e nós, como parte deste povo de Deus, também continuamos o nosso seguimento ao Cristo na sua Igreja, sendo participante ativo desta grande tarefa de todos juntos continuarmos a construção do Reino de Deus. Retomando os trabalhos fortalecidos, renovados e iluminados pelo Espírito Santo, cada um de nós a partir de seu lugar e estado (bispo, padres, leigos, seminaristas, religiosos/as e todos os batizados), somos convocados a nos deixar conduzir pela força de Deus, sem medo e com segurança e confiança; participar e partilhar das alegrias, tristezas e esperanças, que a vida no dia a dia nos oferece, mas sempre na certeza da presença e proteção de Deus e Maria Santíssima. Ao longo do ano iremos tendo este contato amigo, onde poderemos ir aprofundando assun-

Expediente Diretor: Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Assessor: Pe. Sidinei Teixeira Gomes Coordenador: Vilson Olipa (44) 9958-9797 Colaboradores desta edição: Pe. Luiz Antônio Belini, Amani Spachinski, Maria Joana Titton Calderari, Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, Pe. Ricardo Arica Ferreira

tos que dizem respeito a toda caminhada com a Igreja Diocesana, muito querida e amada por Deus. Finalizo esta saudação com as palavras do Salmista “Que a bondade do Senhor esteja sobre nós” Sl 89,17, e que, em outra passagem, nos fala de Deus dizendo: “Misericórdia e piedade é o Senhor, ele é amor, é paciência, e compaixão, o Senhor é muito bom para todos, sua ternura abraça toda criatura” Sl 144,8. Com estas palavras do Salmista convido a todos os diocesanos e diocesanas a nos apaixonar por este Deus e nos colocar à sua disposição para um renovado e animado compromisso de vivenciar nossa missão de discípulos missionários. Deus nos abençoe e nos guarde!

Editorial Pelo fato de ser um importante evento, a visita ad Limina Apostolorum, publicamos, na íntegra, uma entrevista com o bispo diocesano Dom Francisco Javier Delvalle Paredes, sobre o encontro com o papa Bento XVI. Na próxima edição, enfatizaremos a Campanha da Fraternidade que, este ano, traz como tema Fraternidade e a Vida no Planeta. Nesta edição, o colunista Pe. Luiz Antonio Belini faz uma introdução do assunto. Dando sequência à série que apresenta o resumo da biografia de um padre do livro “Intrépidos Mis-

sionários - Biografias de Presbíteros”, organizado pelo Pe. Jurandir Coronado Aguilar, nesta edição, trazemos um pouco da vida do Monsenhor Aleixo Salusniak. Os assuntos juventude e catequese têm um espaço garantido nesta edição do Servindo, pois são prioridades do 19º Plano de Evangelização da diocese. A terceira, e não menos importante prioridade, é a família, que terá espaço na próxima edição. Comece a sua leitura, agora, pela matéria sobre a ordenação do diácono Clauber Magela Freire Krieck, na próxima página.

Agenda do bispo / Fevereiro 1 a 4 - Curso dos bispos, no Rio de Janeiro 10 - Colação de Grau da UEPR/Fecilcam 7 a 11 - Retiro de Seminaristas e Encontro de Formadores 12 - Posse do bispo de Umuarama 13 - Visita de Dom João Bosco e Encontro da Pastoral Familiar 19 - Confirmação em Rancho Alegre 27 - Confirmação no Lar Paraná, Campo Mourão

Capa

DIA

HORAS

QUEM

05 05

09:00

P. DA CRIANÇA A ORAÇÃO

Capacitação – COPEL Reunião Diocesana

Coord. Ramos e Áreas Coordenadores Paroquiais

Sede da Pastoral da Criança A definir

05

14:00 17:00 08:00 17:00

CDL – CNLB

Reunião Preparatória

Representantes das Paróquias

Sala da Cúria

DIÁCONOS

Escola de Formação

Candidatos ao Diaconato Permanente

Seminário São José

Assembleia Diocesana Retiro Espiritual Reunião da ASSINTEC Núcleo C. Mourão Feminino – Jovem Abertura do Ano de Formação

Coordenadores e Ministérios Seminaristas Comissão do Diálogo Ecumênico e Instituições de Ensino Jovens Convidadas Formadores, Seminaristas e Povo

CDF – Lar Paraná Chácara Rainha da Paz - Maringá A definir

Reunião Diocesana

Coordenadores Paroquiais

Centro Catequético

Capacitação – Guia do Líder

Responsáveis pelas FABs

Sede da Pastoral da Criança

Planejamento e Formação

Coordenadores Paroquiais – Decanato C. Mourão

Santuário

05 e 06 05 e 06 07 a 11 11 11 A 13 12 12 12 12 12 13 13 17 19 19 19 19 19 e 20 20 20 21 a 23 23 25 e 26 25 a 27 26 26 26 27 27 27

19:00 08:30 11:30 09:00 13:00 17:00 14:00 08:00 11:00 08:00 17:00 13:30 17:30 08:30 15:00 13:00 17:00 14:00

08:00 12:00

09:00

13:00 17:00 14:00 08:00 12:00

RCC SEMINARISTAS DIÁLOGO ECUM. E ENS. RELIGIOSO CURSILHO FORMADORES CEBs P. DA CRIANÇA IAM (Infância e Adolesc. Missionária) VICENTINOS IAM (Infância e Adolesc. Missionária)

O QUE

PARA QUEM

ONDE

CDF – Lar Paraná Catedral São José

Reunião Conselho Central

Pres. Obras Unidas e Conselho Central

Centro Catequético

Planejamento e Formação

Coordenadores Paroquiais – Decanato Goioerê

Candeias

P. FAMILIAR

Encontro Diocesano

Coordenadores Paroquiais

Centro Catequético

DIÁLOGO ECUM. E ENS. RELIGIOSO

Reunião de Estudos P/ Ensino Religioso

Comissão do Diálogo Ecumênico e Professores do Ensino Religioso

FECILCAM

CATEQUESE IAM (Infância e Adolesc. Missionária) P. DA CRIANÇA SERRA PJ ANIMAÇÃO MISSIONÁRIA P. DA CRIANÇA CLERO CDAE CEBs CURSILHO CATEQUESE IAM (Infância e Adolesc. Missionária) P. DA CRIANÇA ANIMAÇÃO MISSIONÁRIA P. DA CRIANÇA SERRA

Reunião Diocesana

Equipes de Coordenação Paroquiais

CDF – Lar Paraná

Planejamento e Formação

Coordenadores Paroquiais – Decanato Juranda

Juranda

Assembleia Eletiva - COHAPAR Aniversário de Ordenação Formação Diocesana Retiro/Espiritualidade Bíblica Decanal Encontrão de Líderes – Área 01 Curso para o Clero Reunião Equipe de Assessoria Reunião Regional Masculino – Jovem Reunião Decanal – C. Mourão

Pároco, Setor, Área, Ramos e Líderes Pe. Ricardo Jovens Equipes Missionárias Paroquiais Decanato de Campo Mourão Setor, Área, Ramo e Líderes Bispo, Padres e Diáconos Equipe de Assessoria Coordenadores e Assessores Diocesanos Jovens Convidados Coordenadores/Equipes Paroquiais

Paróquia Sagrada Família Seminário São José

Planejamento e Formação

Coordenadores Paroquiais – Decanato E. Beltrão

Assembleia Eletiva – B. Ferraz Retiro/Espiritualidade Bíblica Decanal Encontrão de Líderes – Área 02 Aniversário Ord. Episcopal

Pároco, Setor, Área, Ramos e Líderes Equipes Missionárias Paroquiais – Decanato de Juranda Setor, Área, Ramo e Líderes Dom Javier

Santuário N. Sra. Aparecida A definir CDF – Lar Paraná Sala da Cúria Maringá CDF – Lar Paraná Santuário N. Sra. Aparecida Eng. Beltrão Paróquia Santa Rita de Cássia Juranda A definir A definir

“Considero uma graça e uma bênção muito especial de Deus, que me fez experimentar este tipo de convivência com todos os bispos do Paraná e num lugar tão especial”. Dom Francisco Javier, falando sobre a visita ad Limina Apostolorum, ao Vaticano

Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Bispo diocesano de Campo Mourão

A paróquia Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão receberá o reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno de Trindade-GO, Pe. Robson de Oliveira, no dia 17 de fevereiro, às 19h30. A missa com o Pe. Robson e o show com a Banda Christi, de Maringá, fazem parte da preparação para o jubileu de ouro da paróquia, que começará em 8 de setembro de 2012. ANIVERSÁRIOS – FEVEREIRO

Padres e diáconos 01 - Pe. Carlos Alberto Rodrigues da Silva 08 - Pe. Jurandir Coronado Aguilar 11 - Pe. Waldomiro Lúcio Tardivo Fo. - scj 13 - Pe. José Maria Mendonça 19 - Pe. Sidnei Teixeira Gomes 21 - Pe. Gessi de Matos 24 - Pe. José Norberto Konrad – scj Religiosas 01 - Irmã Gabriela Belli 01 - Irmã Marcia Cavalcante 06-Irmã Elisângela Ramos de Souza 20 - Madre Rosinei 24 - Irmã Erlaine S. Souza

Balancete Novembro/2010

Editoração Eletrônica: Jonas Rodrigues. - 44 3025-2036 / 9145-1499 / 9915-3400 Tiragem: 11 mil exemplares. Impressão: Grafinorte. Site: www.diocesecampomourao.com.br Permite-se a reprodução total ou parcial do material veiculado no Jornal Servindo, desde que citada a fonte. Assinaturas do Jornal Servindo, procure as paróquias ou informe-se pelo telefone (44) 3529-4103 ou pelo e-mail: jornalservindo@hotmail.com

Paróquia inicia preparação para jubileu

Logo do 19º Plano Diocesano de Ação Evangelizadora, que tem projetos sendo elaborados para estas 3 prioridades: catequese, família e juventude.

MANUTENÇÃO DA CÚRIA E IMÓVEIS:

RESIDÊNCIA EPISCOPAL:

Sanepar .................................................................. 52,92 Copel ...................................................................... 267,14 Telefonia Oi! ........................................................... 1.037,63 Correio ................................................................... 151,85 Locação Sistema Contabilidade/Folha Pagto ........ 327,11 Encargos Sociais: INSS+FGTS+PIS ...................... 9.926,23 Combustível .......................................................... 918,75 Fundo de Reserva ................................................. 21.613,75 Monte Carmelo Op. Viagens .................................. 189,00 Côngruas e Salários ............................................... 21.744,96 Plano de Saúde ...................................................... 2.240,00 Atelier Sacro Benchaya Ltda ................................. 495,66 Manutenção/Conservação de Imóveis .................. 388,80 Capela Santa Paula Elisabete Cerioli ..................... 352,22 Mensalidade do Prever .......................................... 33,00 Vales Transportes ................................................... 744,00 M S Guaiume Segurança Monitorada ..................... 75,00 Ikiágua Ltda ........................................................... 24,00 Tribunal Eclesiástico .............................................. 510,00 Viagem Dom Javier à Curitiba ............................... 999,99 Materiais de Escritório ............................................ 311,95 Théos Informática-Prog. SGCP. ............................ 55,80 Mestrado Pe. Geovani ........................................... 700,00 PUCPR - Campus Maringá (Inscrição Vest. Filosofia) 2.390,00 Materiais de Limpeza .............................................. 78,40 Labore - Medicina do Trabalho ............................... 30,00 Assinatura Jornal Tribuna do Interior ..................... 143,00 Honorários Advocáticios ........................................ 9.000,00 Pagto. Acerto Contadora Marisa parc. 08/15 ......... 5.000,00 Fiorella - Pães e Doces ......................................... 482,42 Viagem do Clero Pontal do Paraná ....................... 2.000,00 Despesas com Cartório ......................................... 375,15 Mark Viagens e Turismo Ltda ................................ 261,00 Pedágios ................................................................ 105,20 SUB TOTAL ............................................................ 83.024,93

Telefonia Oi! .................................................... Copel ............................................................... Sanepar .......................................................... Embrapel Embalagens Ltda ............................ Salários ........................................................... Provedor UOL ................................................. TV a Cabo Campo Mourão Ltda ..................... Alimentação .................................................... Villa Bellagio Paisagismo Ltda ........................ Manutenção/Conservação de Imóveis .......... SUB TOTAL .................................................... Água, Luz e telefone ...................................... Seminário São José - Campo Mourão ............ Centro de Past. Dom Virgílio de Pauli ............. Centro de Past. Dom Eliseu ............................ SUB TOTAL .................................................... ........................................................................ Repasse da Cúria Diocesana ........................ Seminário Propedêutico - C. Mourão ............. Seminário de Teologia - Cambé ...................... Seminário de Filosofia - Maringá .................... SUB TOTAL ....................................................

RESUMO GERAL 334,02 259,55 267,41 29,94 1.445,62 24,00 148,50 90,00 22,50 1.371,12 3.992,66

1.146,33 509,73 184,91 1.840,97

8.000,00 26.482,02 12.555,00 47.037,02

Saldo anterior (31/10/10) ............................... ........................................................................... ENTRADA .......................................................... Contribuição das Paróquias .............................. Contribuição Ref. 13º Salário ............................ Reembolso Almoço do Clero ............................. Reembolso Encargos Sociais ........................... Crisma ................................................................ Venda Eucaliptos (Lenha) ................................. 10% da Venda do Imóvel de Fênix ................... TOTAL: Entradas + saldo anterior ................... ........................................................................... ........................................................................... SAÍDA ................................................................ Manutenção da Cúria e Imóveis ........................ Residência Episcopal ........................................ Centro Pastoral Dom Virgílio de Pauli ................ Centro de Pastoral Dom Eliseu .......................... Seminário São José ........................................... Seminário Propedêutico São José C. Mourão .. Seminário de Teologia Dom Virgílio - Cambé ..... Seminário de Filosofia N. Sra. Guadalupe-Mgá. Consórcio Nacional Volkswagen ...................... Total .................................................................. Saldo em 30/11/10 ...........................................

62.445,20

119.595,00 9.960,25 558,80 2.147,84 14.936,00 6.778,00 1.800,00 218.221,09

83.024,23 3.992,66 509,73 184,91 1.146,33 8.000,00 26.482,02 12.555,00 746,19 136.641,07 57.258,93


Fevereiro / 2011

Página 10

Instituto Secular Santa Paulina surgiu na diocese H

á pouco mais de 4 anos, foi fundado o Instituto Secular Santa Paulina e já tem membros em 10 estados brasileiros. O Instituto, que tem o apoio das irmãs religiosas da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, vive o carisma e a espiritualidade da referida Congregação. De acordo com Clementina de Sousa Dias, 71 anos, de Mamborê, coordenadora do Instituto e que fez os primeiros contatos para a criação do mesmo, há 6 consagraClementina de das leigas em Mamborê. Estas Capa do folder de divulgação do Sousa Dias, vivem em suas famílias, trabalham Instituto coordenadora ou são aposentadas e se envolvem em trabalhos na comunidade, mas faUma vez por ano acontece um enzem os votos como as irmãs religiosas. Para ser uma consagrada leiga, é ne- contro entre as integrantes do Instituto. cessário que a mulher seja solteira, De 13 a 15 de novembro do ano passado, o encontro foi em Mamborê e contou com mais de 18 anos, ou viúva. Há em torno de 30 integrantes do com a presença de pessoas do Ceará, Instituto nos estados de Goiás, Piauí, Piauí, Rio Grande do Sul e Paraná. O Instituto ainda não tem o recoCeará, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, nhecimento oficial da Igreja, mas o Espírito Santo, Santa Catarina e Paraná. trabalho é acompanhado pelo bispo Anualmente as integrantes parti- diocesano e outros padres. “Procuramos levar uma vida totalcipam do encontro dos Institutos Seculares, em Aparecida-SP. A coor- mente normal, sem aparência de ser denação que, por enquanto, é toda de uma organização. Nem camisetas com Mamborê, realiza reuniões mensais. o nome do Instituto, utilizamos. ProcuClementina esclarece que o objetivo ramos viver de acordo com o Evangeé que pessoas de outras localidades lho, seguindo o carisma e a espirituatambém façam parte da equipe de lidade de Santa Paulina, que já são vividos pela Congregação das Irmãzicoordenação, futuramente.

Página 03

Fevereiro / 2011

Ordenação presbiteral em Campina da Lagoa

MCC diocesano realizou Ultreya em Mamborê

Missa, durante o encontro, presidida pelo vigário paroquial Pe. Durvalino Rodrigues de Oliveira

Participantes, com Pe. Durvalino e Ir. Dionísia Pereira Duarte, durante o encontro em Mamborê, em novembro de 2010

nhas da Imaculada Conceição”, declara a coordenadora Clementina. Interessados em obter outras informações sobre o Instituto, poderão falar diretamente com a coordenadora Clementina de Sousa Dias, através do telefone residencial (44) 3568-2511 ou celular (44) 9984-2127.

O Movimento de Cursilho de Cristandade - MCC realizou a Ultreya festiva de final de ano, em Mamborê, no dia 4 de dezembro. Houve uma Missa, na Igreja Matriz e, em seguida, o jantar de confraternização no CTG Galpão da Amizade. A Missa foi presidida pelo assessor do MCC, na Diocese, Pe. Carlos Cezar Candido. A Ultreya contou, também, com a presença do Pe. Gessí Matos, ex-assessor espiritual e do Pe. Sidinei, vigário paroquial de Mamborê. Severino Flores, de Apucarana, um dos dirigentes de Cursilho na Diocese há muitos anos, também esteve em Mamborê. De acordo com o casal coordenador diocesano do Movimento Divoney Martins Pereira e Vera, participaram da Ultreya cursilhistas das paróquias das seguintes cidades: Nova Cantu, Juranda, Farol, Ubiratã, Campo Mourão, Goioerê, Luiziana, Boa Esperança, Moreira Sales e Mamborê.

Missa com ordenação na Paróquia de Campina da Lagoa

O

Pe. Carlos: bênção aos cursilhistas

Diácono Clauber Magela Freire Krieck foi ordenado presbítero, no dia 11 de dezembro, na Paróquia Santa Terezinha, em Campina da Lagoa. A Missa, presidida pelo bispo diocesano Dom Francisco Javier Delvalle Paredes, contou com a presença de vários padres, seminaristas, familiares do diácono e população.

A ordenação diaconal de Clauber foi em 2 de julho, na Paróquia Santa Cruz de Campo Mourão, por ocasião do enceramento do Ano Sacerdotal. Lema escolhido por Clauber: “Sem mim, nada podeis fazer” Jo 15,5. Sua primeira Missa foi em Campina da Lagoa, no dia 12 de dezembro.

Dom Javier e Pe. Clauber

Clauber com seus pais

"Como Igreja, não podemos permanecer alheios". Pe. Luiz Antonio Belini, sobre o tema da Campanha da Fraternidade deste ano, que é Fraternidade e a Vida no Planeta

Pe. Carlos e Severino Flores

Nossa Senhora de Belém

N

ada mais gratificante do que falar sobre Maria, nossa Mãe espiritual. Melhor ainda é falar com ela todos os dias e, principalmente em momentos especiais, demonstrando nosso carinho e gratidão. Para isso, as Sagradas Escrituras, a Sagrada Tradição e a Igreja oportunizaram inúmeros títulos, que mais facilmente nos aproximam a ela. O Ano Litúrgico proporciona momentos especiais para uma meditação aprofundada sobre Nossa Senhora, utilizando-se dos títulos; alguns, considerados como “dogmas de Fé”. Desde o início da história do cristianismo os cristãos, principalmente católicos, têm dedicado especial reverência à Mãe de Jesus. Essa devoção filial consolidou a sagrada lista de nomes pelos quais conhecemos nossa Mãe e a ela

nos dirigimos para invocá-la e manifestar-lhe nossa sincera devoção. As distintas formas de culto ao nome de Maria Santíssima, conforme a procedência tem sua fundamentação, primeiramente, na liturgia, sendo estabelecidas pela Igreja, para comemorações, celebrações e rituais. Posteriormente, em relação aos locais onde se manifestavam, mais acentuadamente, uma devoção, seguida de culto. E, paralelamente a essas duas origens, há os títulos resultantes das manifestações populares, em que o povo, a ela recorre, de acordo com sua fé e determinadas necessidades. É uma graça peculiar, poder invocar a Mãe de Deus sob um título que mais a aproxima de seus filhos e, a estes, da Mãe. Durante este mês de fevereiro, logo no início, somos convidados a pensar um pouquinho mais sobre nossa “Mãezinha do céu” com o sagrado

nome de Nossa Senhora de Belém. Este título nos convida a refletir sobre a maternidade de Nossa Senhora, na cidade de Belém. Jesus Nasceu em Belém de Judá. Para lá se dirigiram ao pastores ao ouvirem a mensagem do Anjo: “eis que eu vos anuncio uma grande alegria que será para todo povo, nasceu-vos hoje o Salvador”. E os pastores disseram: “Vamos até Belém, e vejamos o que aconteceu, e o que o Senhor nos deu a conhecer”. Do Oriente, os magos, guiados pela estrela chegaram a Belém. Lá encontraram o recém-nascido, sua mãe Maria e José, e o adoraram... Conforme São Mateus e São Lucas no capítulo 2, respectivamente. No dia dois de fevereiro, a Diocese de Guarapuava, com a qual, Campo Mourão tem fortes ligações históricas, religiosas e geográficas, celebra a Festa de Nossa senhora de Belém. Essa devoção e culto a Nossa Senhora teve origem pelo início do ano de 1800, culminando com o título de Padroeira da Catedral e, por “ipso facto”,

da Diocese. Com muita devoção devemos olhar para Nossa Senhora de Belém e, com a mesma disposição dos serviçais nas “bodas de Caná”, ouvir e obedecer ao que ela nos tem a dizer: “Fazei tudo o que Jesus vos disser”. Nossa Senhora de Belém, rogai por nós.

Amani Spachinski de Oliveira é professor, escritor, poeta e contista. Membro da Academia Mourãoense de Letras e Associação Mourãoense de Escritores. E-mail: amanispachinski@yahoo.com.br

História de paróquia vira livro História da Paróquia São Judas Tadeu de Quinta do Sol, é o título do livro de autoria do Padre Luiz Antonio Belini, lançado em dezembro de 2010, na Igreja Matriz de Quinta do Sol. O livro conta a história da comunidade paroquial desde seus primórdios, com entrevistas, cronologia e um rico acervo fotográfico. “O lançamento da obra se inscreve no clima do resgate histórico que envolveu a celebração do jubileu diocesano, a pouco encerrado”, declara o autor do livro.

Pe. Luiz A. Belini

Capa do livro


Fevereiro / 2011

Página 04

Formação sobre a Campanha da Fraternidade 2011

Liturgia Caríssimos diocesanos e diocesanas, saudações neste início de 2011... O ano se inicia e, com ele, algumas alterações que desde já quero lhes apresentar: este ano não sou o coordenador diocesano da liturgia e, sim, a senhora Liliam Hannel, cantora da Catedral e do Santuário Nossa Senhora Aparecida. Deixei esta coordenação visto que atuo na assessoria diocesana dos MECEs e, agora como Reitor do Seminário, sou também assessor do SAV (Serviço de Animação Vocacional). Porém, continuarei dando as formações nas paróquias que me convidarem sobre Liturgia, bem como a senhora Liliam, que está à disposição para encontros de Cantos Litúrgicos. Então, nesta edição, além de vos atualizar sobre tais alterações, quero me dirigir aos MECEs com as seguintes orientações, vista que muitas destas já são de vossos conhecimentos: Não cabe aos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística quando estão atuando: preparar o altar no momento da preparação dos dons (ofertório); fazer a purificação após a comunhão; dar bênção ou passear com o Santíssimo; lavar as mãos durante a Missa; ficar em pé durante a consagração; usar calças justíssimas e saias acima do joelho; salto alto; jalecos sujos ou amarrotados; nunca atuarem de chinelos ou rasteirinhas; cabelos desarrumados; brincos, colares, unhas, maquiagem, batons, dentre outros, que possam chamar a atenção mais do que Jesus Cristo Eucarístico cujo qual estão a serviço. Padronização do traje: o jaleco da cor creme que está em vigor em toda a nossa Diocese foi uma conquista. Agora o próximo passo será o de padronizarmos a parte de baixo, ou seja, a calça ou a saia, na cor preta. Algumas paróquias já deram este passo. Outras, foram além: os homens usam gravatas. Porém, isso foi uma decisão tomada cada uma, com o seu pároco. Para o momento, estamos buscando adequar em toda a diocese a parte de baixo, na cor preta. Por isso, dentro da possibilidade de cada um, orientamos que já vão se adequando neste passo que estamos dando. Bom, para o momento é isso que tenho a lhes falar. Encerro, desejando um ótimo e abençoado ano para todos Pe. Ricardo Arica Ferreira Reitor do Seminário nós e para os nosPropedêutico, assessor sos trabalhos. diocesano dos MECEs e Um fraterno abraço a todos. Feliz 2011!

assessor do SAV Serviço de Animação Vocacional E-mail: arica.ferreira@hotmail.com

Fevereiro / 2011

Página 09

Padres visitam a Diocese N

o final de 2010, alguns padres da Sociedade Missionária dos Padres de São Tiago visitaram a Diocese de Campo Mourão. Liderando o grupo estava o Pe. André Gautreau, 84 anos e que trabalhou na Diocese de 1963 a 1994. Juntamente, estava o Pe. Michel Menard, Superior Geral da Congregação e Pe. Paul Dassous, Superior Provincial, que reside em Campinas-SP. Os padres André e e Michel são franceses e o Pe. Paul é haitiano. O motivo principal da visita foi para agradecer a homenagem feita ao Pe. Yves Jean Marie Pouliquen, dando o seu

nome dado à Escola Diocesana de Teologia Pastoral. Pe. Yves foi um dos primeiros padres, dessa Congregação, que veio para a Diocese de Campo Mourão. A Sociedade Missionária dos Padres de São Tiago trabalha na França, Haiti e Brasil. O Pe. André Gautreau chegou à Diocese em janeiro de 1963 e trabalhou, também, em algumas paróquias que pertenciam à Diocese de Campo Mourão e, atualmente, fazem parte da Diocese de Umuarama. Aposentouse em 1994, quando estava na Paróquia de Rancho Alegre d’Oeste. Pe. André Gautreau, Pe. Luca Pelis (Vigário Geral da Diocese de Campo Mourão), Pe. Paul Dassous e Pe. Michel Menard

Paulo Cesa conduzindo o encontro de formação

A

CNBB escolheu para este ano, como tema da Campanha da Fraternidade, “Fraternidade e a Vida no Planeta” e, como lema, “A criação geme em dores de parto” (Rm 8,22). Para tratar deste assunto, representantes de algumas paróquias da Diocese estiveram reunidos no dia 5 de dezembro de 2010, no Centro Diocesano de Formação - CDF, em Campo Mourão.

Cartaz da Campanha da Fraternidade 2011

O engenheiro agrônomo Paulo Cesa, da Emater de Mamborê, foi convidado para falar sobre a questão ambiental, que é o ponto principal, em se tratando do tema da CF 2011. No final do dia, algumas metas foram traçadas, com possíveis trabalhos que podem ser executados; desta forma pode-se ter um rumo a ser seguido e o objetivo da CF 2011, atinjido.

Padres e bispo da Bahia na Diocese

Pe. Yves Pouliquen

Trabalhos da juventude diocesana A Pastoral da Juventude - PJ avaliou, em março de 2010, os objetivos para 2010-2011. Nos dias 11 e 12 de dezembro, houve a aprovação em assembleia. Objetivo geral: “Rearticular e organizar a estrutura da PJ, trabalhando um processo de motivação e animação das novas e antigas lideranças, de acordo com os projetos 1 e 2 do Plano Trienal do Regional, inspirados na Palavra de Deus, zelando pela realidade e os dons que cada um tem.”

Oito padres e o bispo da Diocese de Serrinha, na Bahia, estiveram em duas paróquias da Diocese de Dom Ottorino e padres durante a Missa em Mamborê Campo Mourão, em janeiro. Dom Ottorino Assolari, que foi sagrado bispo em Campo Mourão, em 2005, Pe. Genivaldo Barboza, que é da Diocese e está realizando o trabalho missionário na Bahia, juntamente com alguns padres oriundos da Itália e outros brasileiros, realizam, anualmente, uma viagem no período de férias. Este ano, realizaram a viagem ao sul, passando por Curitiba e Peabiru, onde há a Casa de Formação da Congregação da Sagrada Família de Bérgamo, Congregação à qual Dom Ottorino pertence. Em Mamborê, cidade onde nasceu o Pe. Genivaldo, houve uma Missa, na Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, no dia 9 de janeiro. Esta foi presidida por Dom Ottorino e concelebrada pelos 8 padres. Em seguida, o grupo viajou Bispo e padres de Serrinha, com Pe. Francisco, páropara Foz do Iguaçu e um dos países da fronteira. co de Mamborê, e pessoas da comunidade

Mapa antigo da Diocese de C. Mourão

Objetivos específicos: 1 - Resgatar a identidade da PJ nos grupos existentes e criar novos. 2 - Formar a equipe de assessoria. 3 - Manter a escola de formação. 4 - Elaborar um subsídio próprio de nossa diocese para a etapa de formação (EFJ) 5 - Formar pólos em quatro pontos da diocese, onde facilite a participação de um número maior de paróquias e participantes nas EFJ. 6 - Criar alternativas objetivas de como envolver o crismando nas atividades da PJ afim de posterior-

mente inseri-los nos grupos de jovens. 7 - Missão jovem (em prazo indeterminado) - tornar a missão que é de experiência do grupo de B. Ferraz diocesana. (experiência) Setor Juventude Publicamos o calendário das atividades do Setor Juventude da diocese, para o ano de 2011. -Reunião do Setor - 6 de fevereiro, às 9h, em Peabiru -II Gincana de Integração da Juventude - 27 de fevereiro, em Rancho Alegre -IV Jornada Diocesana da Juventude - 17 de julho, em Campina da Lagoa -Estudo sobre o DNJ - 28 de agosto, local a definir -DNJ - 30 de outubro, em Barbosa Ferraz. Outras datas importantes: -Mapeamento de lideranças - julho e agosto -Jornada Mundial da Juventude 16 de agosto, em Madri (Espanha) -Assembleia (Plano de Evangelização) - 18 de setembro

GIRO PELAS

PARÓQUIAS Em dezembro, foram ordenados padres os diáconos Paulo César Nogueira, da Congregação da Sagrada Família de Bergamo, em Peabiru; Claudinei Francisco de Oliveira e Sílvio José do Nascimento, ambos da Congregação do Sagrado Coração de Jesus, em Araruna. A Pastoral da Família diocesana realizará um encontro de abertura dos trabalhos do ano de 2011, no dia 13 de fevereiro. Será no Centro de Formação Pastoral da Paróquia São Francisco de Assis, em Campo Mourão, das 8h30 às 16h. O Encontro contará com a presença de Dom João Bosco Barbosa de Souza, bispo de União da Vitória e Bispo Referencial da Pastoral Familiar, no Regional Sul II. A Paróquia Santo Antonio de Ubiratã comemorou 50 anos, em janeiro. No sábado (15), houve missa e apresentação teatral da equipe do Ministério de Artes

Renascer de Maringá; no domingo (16), missa, com participação de todas as capelas, trazendo a imagem do seu padroeiro e bênção de veículos. A paróquia Nossa Senhora das Candeias, de Goioerê, celebra a sua padroeira no dia 2 de fevereiro. Em preparação, há um tríduo nos dias 30 e 31 de janeiro e 1° de fevereiro. Cada dia a missa será presidida por um padre que já trabalhou na paróquia. A 18ª edição da Rota da Fé será no dia 13 de fevereiro. Sairá de Campo Mourão e passará pelos municípios de Goioerê e Ubiratã. A comunidade paroquial Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão agradece o carinho manifestado pelo bispo diocesano Dom Javier, pela visita surpresa na noite do Ano Novo, na celebração de ação de graças pelo ano, dia 31 de dezembro.


Fevereiro / 2011

Página 08

O papa João Paulo II será beatificado no dia 1º de maio. A publicação do decreto, comprovando um milagre atribuído à intercessão de João Paulo II, foi publicado pelo papa Bento XVI, no dia 14 de janeiro. O milagre, agora confirmado, refere-se à cura da freira francesa Marie Simon Pierre, que sofria da doença de Parkinson. João Paulo II foi papa entre 16 de outubro de 1978 e 2 de abril de 2005, quando faleceu após mais de 25 anos como Sucessor de São Pedro. Fonte: CNBB

A Província de Maringá, formada pelas dioceses de Campo Mourão, Paranavaí, Umuarama e Maringá, estará reunida nos dias 21 e 22 de maio para a realização do Seminário Provincial das CEBs. O evento será no Centro de Formação Bom Pastor, na cidade de Maringá. João Paulo II foi escolhido como padroeiro da JMJ - Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá em Madri, Espanha, de 16 a 21 de agosto. A JMJ foi criada pelo papa João Paulo II, em 1985. Fonte: Catolicanet

Está em fase final de aprovação o processo de beatificação da brasileira Francisca de Paula de Jesus, chamada de “Nhá Chica”. Ela nasceu em São João del Rei-MG, em 1810 e faleceu em Baependi-MG, em 1895. A Santa Sé vai analisou a cura da professora Ana Lúcia Meirelles Leite, de Caxambu-MG, que sofria de um problema congênito no coração. Ela foi curada sem passar por cirurgia; apenas pelas orações de Nhá Chica. Isto foi em 1995. Fonte: Zenit O Responsável pelo Setor Juventude da CNBB, Padre Carlos Sávio, participou da reunião preparatória da Jornada Mundial da Juventude de Madri. Ele representou o Brasil, que participou juntamente com outros 83 países. Fonte: Rádio Vaticano. O Conic - Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil, pu-

blicou uma mensagem para o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, comemorado no dia 21 de janeiro. “Os brasileiros se declaram praticantes de mais de 30 religiões diferentes. A diversidade é uma das nossas grandes riquezas e precisamos estimular na sociedade a convivência pacífica dentro das diferenças religiosas”, diz um trecho da mensagem. Fonte: Rádio Aparecida Dom Dirceu Vegini assumiu a diocese de Foz do Iguaçu no dia 30 de dezembro, em substituição a dom Laurindo Guizzardi, que teve seu pedido de renúncia aceito pelo papa, por causa da idade. Fonte: CNBB - Regional Sul II

Pastoral do Dízimo se reúne em Ubiratã Fevereiro A intenção geral do Papa, confiada ao Apostolado da Oração, neste mês, é por todos os cientistas e os homens de cultura, para que por meio da sincera pesquisa da verdade possam chegar a conhecer o único verdadeiro Deus.

A coordenação diocesana da Pastoral do Dízimo realizou a última reunião do ano, no dia 21 de novembro, em Ubiratã. Foi na capela São Vicente e contou com a presença do coordenador diocesano Marco Antonio Adamo, de Moreira Sales, e do assessor, Diácono Permanente Artur Baretta, de Araruna. O coordenador da Ação Evangelizadora na Diocese e pároco de Mamborê, Pe. Francisco Dantas de Car-

valho, ministrou uma palestra sobre a importância das 3 dimensões do Dízimo: religiosa, missionária e social. Falou da experiência na Paróquia de Mamborê, que se sustenta sem a necessidade de festas. Quando há festa, é de confraternização, como é o caso da festa da Padroeira, em dezembro. O Pe. José Elias Feyh, pároco de Ubiratã, falou sobre a experiência em sua Paróquia.

Intenção missionária: Para que a Igreja, consciente de sua identidade missionária, se esforce em seguir fielmente Cristo e proclamar o seu Evangelho a todos os povos.

Participantes da reunião

São Braz: Testemunho Cristão nos Primeiros Séculos da Igreja S

egundo antiquíssima tradição, no dia três de fevereiro, a Igreja comemora o martírio de São Braz, bispo de Sebaste, Diocese localizada no atual território da Armênia. Não obstante a escassez de fontes seguras sobre sua vida, a abundância de tradições conservadas ao longo dos séculos nos permitem delinear traços de sua personalidade, que em linhas gerais não divergem muito da vida e dos feitos de outros mártires cristãos deste mesmo período. Cronologicamente podese situar o nascimento de Braz na segunda metade do séc. III, período em que a comunidade cristã se viu intensamente agitada pela voracidade das perseguições institucionalizadas pelo Império Romano.

Após o ano 251 com o edito de perseguição geral promulgado pelo imperador Décio, a Igreja só haveria de retornar à paz em 313 com o reconhecimento de sua liceidade concedido por Constantino através do edito de Milão. De acordo com antiga tradição, antes de ser sagrado bispo, Braz teria exercido a medicina e, como bom cristão, a usara sempre em favor dos mais necessitados e pobres. Seu trabalho, aliado à fé, operara incontáveis milagres àqueles que o procuravam, de forma que sua fama de santidade propagou-se antes mesmo de seu martírio. Com a morte do bispo de Sebaste, Braz foi aclamado seu sucessor e assim tornou-se chefe dessa comunidade cristã num momento de violenta perseguição. Nesse ambiente, destacou-se igualmente pela

atenção dispensada aos mártires de sua diocese. As atas do martírio de santo Eustáquio informam que tendo este sido martirizado o bispo Braz juntou com muita reverência seus ossos, bem como os de santo Orestes dandolhes sepultura cristã. Se no Ocidente a perseguição havia cessado em 313 pelo edito de Milão, no Oriente a mesma continuou sob o governo de Licínio. Deste modo, Braz foi martirizado por ordem do prefeito de Sebaste, Agricoláo, em 316. Segundo as atas, após ser flagelado, foi pendurado num andaime e com pentes de ferro descarnaram-lhe os ossos sendo, por fim, degolado. O costume de abençoar a garganta no dia sua memória advém do milagre por ele operado a caminho do martírio. Com o sinal da Cruz Braz curou um menino que se engasgara com espinha de peixe. Tanto seu exemplo de vida, quanto a proteção que invocamos sob seu nome para nossa garganta apontam para a concretização de nossa vocação cristã. Mais do que

Marco Antonio Adamo e Pe. Francisco

implorar a bênção contra os males físicos, o testemunho de São Braz nos impele a fazer da vida uma constante proclamação das maravilhas de Deus, isto é, nossa ação no mundo deve se manifestar como um grande hino de ação de graças a Deus, através de nossa vivência cristã. A fé professada com os lábios deve tornar-se conhecida por gestos e obras que as sinalizem.

Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, 3º ano de Teologia

Fevereiro / 2011

Página 05

Monsenhor Aleixo Salusniak (1925-1998) E

ntre os padres contemplados no livro “Intrépidos Missionários. Biografias de Presbíteros”, organizado sob a direção do Pe. Jurandir Coronado Aguilar, reitor doSemináriodeTeologiaDomVirgíliode Pauli da Diocese de Campo Mourão, encontra-se a biografia de Mons. Aleixo Selusniak. Aleixo nasceu no atual município de Campo Magro, região metropolitana de Curitiba em 4 de maio de 1925. Seus pais, Pedro Paulo Selusniak e Anna Bulgo Manosso, eram filhos de imigrantesucranianoseitalianos,respectivamente, que vieram para o Brasil em fins do séc. XIX, visando melhores condições de vida. Entretanto, segundo Mons. Aleixo, sua família era muito pobre, por isso passou a infância em meio a diversas privações. Batizado no dia seguinte ao nascimento, fez sua primeira comunhão na capela Nossa Senhora da Conceição de Campo Magro em 1° de janeiro de 1934. Embora demonstrasse profunda religiosidade,duranteainfância,omenino Aleixo não dera a conhecer desejo de ingressar no seminário e tornar-se padre. Em 9 de maio de 1937, estimulado por seu tio paterno, frei Casimiro de Órleans, Aleixo ingressou no convento de Santo Antonio dos Frades Menores Capuchinhos em Butiatuba, região de Almirante Tamandaré. Antes de iniciar os estudos filosóficos, em 7 de dezembro de 1941 Aleixo recebeu o hábito capuchinho e conforme o costume vigente na época teve seu nome de batismo substituído pelo nome religioso de frei Estevão Maria de Campo Magro. Entre os anos de 1942-1949 frei Estevão cursou filosofia e teologia no convento Nossa Senhora das Mercês em Curitiba. Aos 2 de abril de 1949 recebeu a ordenação diaconal por imposição das mãos de Dom Ático Eusébio da Rocha, na Igreja Ima-

Monsenhor Aleixo Salusniak

culado Coração de Maria, em Curitiba. A ordenação presbiteral foi-lhe concedida por imposição das mãos de Dom Inácio de Ribeirão Preto, confrade capuchinho que havia se tornado bispo meses antes, na Igreja Nossa Senhora das Mercês, no dia 28 de agosto de 1949. Entre 1950-1955 frei Estevão Maria trabalhou no seminário capuchinho em Irati, e nas paróquias de Bandeirantes e Joaquim Távora na Diocese de Jacarezinho. Em 13 de maio de 1955 foi designado pároco de Cruzeiro do Oeste, tendo como vigário, frei Gaspar Zonta. Neste período inaugurou a primeira capela da cidade de Umuarama, atual paróquia São Francisco de Assis e celebrou a primeira Missa na cidade de Mariluz. Ao descrever sua chegada em Mariluz, em 1955, Mons. Aleixo afirmou em 1992: “Naquele tempo eram matas e a gente andava por baixo das matas como debaixo de um túnel verde. Eram pássaros, aqui nesta região aonde nós viemos; havia ainda os tucanos famosos, hoje não existem mais; havia os micos, os macacos, umas árvores

Fraternidade e a Vida no Planeta

A

cada ano, a Igreja do Brasil nos apresenta uma problemática sobre a qual nos debruçamos para compreender, julgar, transformar e rezar. É a Campanha da Fraternidade, vivenciada fortemente no tempo quaresmal (é justamente por isso chamada de “campanha”), mas que deve permear todo o ano. Neste ano de 2011, o lema será: A criação geme em dores de parto (Rm 8,22); e o tema: Fraternidade e a Vida no Planeta. No centro da questão está o problema do aquecimento global e as mudanças climáticas. Muito se tem discutido sobre isso, inclusive sobre a responsabilidade que o homem tem nessas transformações. Estamos longe de um consenso entre os especialistas.

Em todo caso, essas mudanças estão no centro de nossos noticiários cotidianamente. Como Igreja, não podemos permanecer alheios. Por isso o objetivo geral da Campanha da Fraternidade 2011: “contribuir para a conscientização das comunidades cristãs e pessoas de boa vontade sobre a gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas, e motivá-las a participar dos debates e ações que visam enfrentar o problema e preservar as condições de vida no planeta” (Texto-Base n.6). Ao longo do ano, teremos oportunidade de refletir muito sobre tudo isso. Um primeiro enquadramento para essa problemática desde nossa fé pode ser já uma releitura do livro do Gênesis com olhos ecologicamente corretos. Os verbos “dominar” (1,26) e “subme-

multisseculares que faziam avenida, por assim dizer, até chegar aqui em Mariluz onde, em 1955, eu cheguei”. Em 1959 tornou-se pároco de Tomazina, no Norte Pioneiro e presidente do Hospital São Vicente de Paulo. Em 1961, precisou deixar a cidade, motivado por querelas de cunho político. Ao sair de Tomazina frei Estevão foi trabalhar no seminário capuchinho em Irati. Entretanto, descontente com a Ordem religiosa, tomou a decisão de deixar a mesma e se incardinar numa Diocese, tornando-se padre diocesano. Assim sendo, em 6 de fevereiro de 1968, saiu do convento Santo Antonio de Butiatuba, onde se encontrava, e refugiouse no seminário diocesano no bairro do Batel em Curitiba, retomando seu nome de batismo. Acolhido por Dom Eliseu na Diocese de Campo Mourão, auxiliou na catedral São José durante a quaresma de 1968, sendo nomeado pároco da paróquia Nossa Senhora das Graças de Barbosa Ferraz, onde chegou em 16 de abril de 1968. Neste município, seu trabalho foi de autêntico pioneirismo não se restringindo apenas ao âmbito religioso, ter” (1,28) não significam explorar desordenadamente os recursos do planeta. Isto é importante, principalmente a partir deste último século, quando o homem conseguiu um patamar tecnológico capaz de transformar incrivelmente o planeta. Dominar e submeter devem ser compreendidos pela ótica do cuidado. “A palavra dominar vem do latim dominus, que significa ‘senhor’. Dominar significa exercer o senhorio sobre os demais, e este exercício do senhorio deve ser feito a partir do modelo de ‘Senhor’ que é o próprio Deus. A narrativa da criação nos mostra como Deus exerce o senhorio em relação à natureza: ele a cria, ordena o seu crescimento e a sua evolução a fim de que ela possa trilhar um caminho de perfeição, garante a sua continuidade, cuida dela e a abençoa. Assim, o exercício do senhorio, ou a dominação, por parte do ser humano deve significar respeito à ação criativa divina,

mas estendendo-se aos mais diversos aspectos da vida social. Atendendo a uma população de 70 mil habitantes, padre Aleixo Selusniak testemunhou heroicamente as virtudes do pastor solícito e dedicado a seu rebanho. Visando atender as exigências das reformas realizadas pelo Concílio Vaticano II (19621965) construiu a nova igreja matriz, promoveu a formação das lideranças e a criação das paróquias São Pedro de Corumbataí do Sul e Santa Rita de Cássia de Barbosa Ferraz. Ao completar 25 anos de sua presença em Barbosa Ferraz em 1993 foilhe concedida a cidadania honorária, como reconhecimento por seu trabalho. Em 8 de junho de 1996, Dom Virgílio de Pauli condecorou-lhe com o título de “Monsenhor capelão do Santo Padre”. Na ocasião Dom Virgílio afirmou: “Sem dúvida nenhuma, o grande desbravador espiritual desta região foi monsenhor Aleixo e, portanto, a Santa Sé achou por bem conceder-lhe este honorífico título que deve tanto engrandecer a ele e toda a região”. Consumido pelos 30 anos de incansáveis trabalhos realizados em prol da Igreja diocesana de Campo Mourão, particularmente em Barbosa Ferraz, mons. Aleixo faleceu em odor de santidade no dia 25 de setembro de 1998. A comoção por seu falecimento tomou toda a população que compareceu massivamente aos funerais, testemunhando a grandeza deste homem de Deus que em 1992 disse: “Sou padre há 43 anos; dei minha vida pela Igreja, pela minha gente, pelo meu povo”. Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto 3º ano de Teologia contribuir com o crescimento e a evolução da natureza em todas as suas dimensões, cuidado com o meio ambiente e fazer dele uma fonte de bênçãos, ou seja, de comunhão com ela e, a partir dela, harmonia interior, comunhão com as outras pessoas e caminho de conhecimento e estreitamento de relações com o próprio Criador” (Texto-Base n.103).

Pe. Luiz Antonio Belini é Pároco de Quinta do Sol


Página 06

Fevereiro / 2011

Catequese: uma das prioridades do Plano Fazendo parte da execução do 19° Plano Diocesano da Ação Evangelizadora, alguns integrantes da Catequese, que é uma das 3 prioridades estabelecidades, participaram da 1ª etapa da Escola Regional Bíblico-Catequética Emaús, de 13 a 16 de janeiro, em Curitiba. As outras prioridades são juventude e família. Estas foram aprovadas durante a 33ª Assembleia da Diocese de Campo Mourão, realizada no dia 12 de setembro de 2010, no Lar Paraná. Neste momento, na história da catequese, se vivencia e se vislumbra um novo jeito de catequizar: catequese de Iniciação à Vida Cristã de inspiração catecumenal. Este novo jeito é um pedido insistente da Igreja, evidenciado pelos documentos eclesiais mais recentes: Documento de Aparecida, Diretório Nacional de Catequese e as Diretrizes da Ação Evangelizadora. Os conteúdos da Escola contemplaram os eixos Bíblico-Catequético, Metodológico-Catequético e Litúrgico-Catequético. Assim como nas escolas de nível básico e médio, a dimensão existencial deve perpassar por todos os eixos. Abaixo, os nomes dos participantes, decanatos que representam e paróquia à qual pertencem: Decanato de Campo Mourão: Tânia Aparecida Caetano Pinto Silveira Paróquia Nossa Senhora do Caravággio, Lar Paraná - Eixo: Metodológico-Catequético Decanato de Juranda: Marcelo Zati Paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus - Eixo: Metodológico-Catequético Decanato de Goioerê: Maria Auxiliadora A. Ferreira Paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro, Vila Guaíra, Goioerê - Eixo: Litúrgico-Catequético Decanato de Iretama: Antonio Carlos Krauz Ferreira Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Luiziana - Eixo: Bíblico-Catequético Representante do decanato de Engenheiro Beltrão: Reinaldo Soares Paróquia Sagrado Coração de Je-

Transferências de padres na diocese Como é de praxe e, de acordo com a necessidade, algumas transferências de sacerdotes ocorrem nesta época do ano.

Participantes da diocese juntamente com o Dom José Antônio Peruzzo, bispo da diocese de Palmas e Francisco Beltrão e bispo referencial da catequese do Regional Sul II

sus, de Jussara - Eixo: BíblicoCatequético Coordenação Diocesana: Maria do Carmo Caíres Machado Paróquia N. Sra. Aparecida, da Vila Urupês - Eixo: Litúrgico-Catequético Opinião/Expectativa QualsuaexpectativaemrelaçãoàEscola Regional Bíblico-Catequética Emaús? Esta pergunta foi feita aos 6 participantes, antes do início da Escola. Veja as respostas de cada um: Marcelo Zati: São as melhores possíveis. Sou catequista há 6 anos, fiz os cursos básicos na paróquia e, também, concluí a Escola Diocesana de Catequese (2007/2008). Quero aprofundar meus conhecimentos para poder cada vez mais ajudar a minha Igreja. Tânia Aparecida Caetano Pinto Silveira: A minha expectativa é grande, pois a formação para o catequista deve ser constante. Poder me aperfeiçoar para repassar e contribuir com a formação minha e dos outros companheiros, será bastante valioso. Maria Auxiliadora A. Ferreira: Trazer conhecimentos aos catequistas, com um jeito novo de catequizar, um novo jeito de aprender, um novo viver missionário em nossa catequese paroquial. Despertar mais interesse e adquirir novos horizontes, semeando a Palavra viva no meio do povo.

Antonio Carlos Krauz Ferreira: É o início de um grande trabalho que, com certeza, dará ótimos frutos. Como catequista, estou ansioso para receber essa formação e repassar aos outros. Reinaldo Soares: Preparar-me ainda mais para ser um bom catequista e colaborar na formação dos novos catequistas. Maria do Carmo Caires Machado: É grande a expectativa. Acredito que a Escola irá ajudar nos conhecimentos, orientações, estudos, buscas, atendendo as necessidades dos catequistas da diocese e como levar adiante estes ensinamentos. Também, procurar observar todas as informações possíveis, que atenda o pedido da nossa Igreja, dos nossos catequistas, da nossa Diocese. Será um momento oportuno de crescimento espiritual e catequético. Conclusão, após a primeira etapa da Escola Os novos desafios da catequese nos levam a sermos inovadores, buscando novos caminhos para evangelizar, com alegria, com convicção. O catequista deve destruir paradigmas e ideias que limitam a ação. Devemos construir sonhos a partir da realidade que podemos ter: evangelização participativa em que todos planejam e executam; ensinam e aprendem.

O Pe. Roberto Cesar de Oliveira deixou a paróquia Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão e assumiu a paróquia Nossa Senhora das Graças de Barbosa Ferraz. O Pe. Nilson Reis Gonçalves deixou a paróquia Nossa Senhora das Graças de Barbosa Ferraz e foi para a paróquia Nossa Senhora Aparecida de Janiópolis. O Pe. Gerson de Araújo Costa saiu da paróquia Nossa Senhora Aparecida de Janiópolis e assumiu como pároco da paróquia Santo Antônio de Araruna. O Pe. Raimundo Santana dos Reis deixou a paróquia de Janiópolis e assumiu como vigário paroquial em Araruna. O Pe. Ademar Oliveira Lins deixou a catedral São José e foi para Foz do Iguaçu. O Pe. João da Silva foi transferido da paróquia Santa Teresinha de Campina da Lagoa e assumiu como administrador paroquial da paróquia Sagrado Coração de Jesus de Jussara.

Retiro decanal dos MECEs em Goioerê O decanato de Goioerê realizou um retiro dos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística - MECEs, dia 5 de dezembro. De acordo com a Irmã Dionísia Pereira Duarte, coordenadora diocesana da Ação Missionária, foi trabalhado, no retiro, de maneira especial, a espirituali-

dade bíblica no método da leitura orante. Romualdo José de Souza, coordenador dos MECEs, na Diocese, informou que 181 ministros participaram do retiro, que teve a abertura e o encerramento com presença do pároco da Paróquia Nossa Senhora das Candeias, Pe. Ivan Luiz Walter.

Participantes do Retiro

Página 07

Fevereiro / 2011

Paróquia celebra Jubileu de Prata

A

Paróquia São Francisco de Assis, do Jardim Gutierrez, em Campo Mourão, realizou uma reunião no dia 20 de novembro de 2010, para tratar da celebração do seu Jubileu de Prata. Estiveram reunidos, no Centro de Pastoral, o pároco Pe. Edinaldo Velozo da Silva, leigos e pioneiros. Foi, também, convidado o Padre Doutor Jurandir Coronado Aguilar, que participou na equipe central do Jubileu Diocesano. O Pe. Jurandir expôs sobre a motivação bíblica: o significado do Jubileu na Sagrada Escritura; o resgate que a Igreja fez do ano jubilar na história e os elementos que foram colhidos no Jubileu dos 50 anos de criação da Diocese de Campo Mourão. No Ano Jubilar fazemos presente “a origem de nossa história, a realidade que estamos vivendo, aquilo que queremos para nossa comunidade para que seja um ano de graça, de reconstrução, de júbilo”, disse Padre Jurandir.

Pe. Jurandir e Pe. Edinaldo

“A esperança de um mundo melhor está numa juventude sadia, com valores, responsável e, acima de tudo, voltada para Deus e para o próximo” Papa João Paulo II em carta ao Cardeal Eduardo Francisco Pironio, durante o Seminário sobre as Jornadas Mundiais da Juventude organizado na Polônia, em 1996

Recomeçar… com esperança! I nício de ano sempre traz consigo o desejo de olhar para o passado, de projetar o futuro… E quanta mudança em tão pouco tempo! Buscando na memória, vemos tantos momentos bons vividos nos anos 70 quando aqui chegamos, colocando nossa esperança nesta terra. A Diocese de Campo Mourão, sob orientação do primeiro bispo Dom Eliseu, vivia os tempos áureos da implantação da reformas conciliares, voltava-se para atender as necessidades básicas do povo: educação, saúde... Um outdoor na entrada da única estrada asfaltada de Campo Mourão anunciava que era o maior entroncamento rodoviário, obra do visionário prefeito Horácio Amaral. Mas onde estavam as outras “rodovias”? Eram então, estradas de terra perigosas, barrentas na chuva, empoeiradas no sol... assim como a cidade, devido ao pouco asfalto que tinha. Lembro-me das tempestades de pó vermelho produzidas no tempo das terras reviradas pelos tratores, que atormentavam a todas nós, donas de casa. E ainda tinha a fuligem das queimadas nas terras que estavam sendo abertas, destocadas, anunciando o fim do ciclo da madeira. E veio o ciclo da cultura do café, do algodão que emprega-

vam milhares de trabalhadores. Quantas escolas, igrejas, comunidades desapareceram… Infelizmente, a geada, o preço, a política econômica inviabilizou o plantio, o êxodo rural esvaziou o campo e encheu as periferias das cidades que passaram de 20% a 84% da população. Quem tem fome e precisa de alimentos… A tão desejada e abençoada chuva (para as mulheres, hora de faxina na casa) trazia também o medo da erosão, medo de ver o “sítio ir abaixo”. Quando vinha chuva pesada era um desespero para os agricultores que viam suas propriedades sendo lavadas pela enxurrada, a terra boa indo embora, os plantios perdidos, as erosões ferindo a terra, os rios sendo assoreados... As sementes que nasciam na terra ácida competiam com as ervas daninhas e na hora da colheita, a lavoura estava “suja”, dificultando o trabalho, colhedeiras velhas “embuchando”, quebrando a toda hora, causando mais perdas ao pequeno e difícil lucro. A produtividade na região era baixíssima, em torno de 70 sacas de soja por alqueire, 150 sacas de milho. O valor do alqueire de terra era em torno de Cr$ 100,00 (= R$ 541,00).

Hoje as terras supervalorizadas, vendidas na moeda “soja”, chegando a 1500, 2000 sacas/alqueire dependendo da região. A crescente produtividade da soja - até 207 sacas/alqueire, milho 450/550 sacas/alqueire é perseguida com afinco, resultado de pesquisa em todos os campos, investimentos desde o preparo da terra, da semente, do plantio à colheita, correção do solo, adubação, rotação de cultura e principalmente o plantio direto, a grande revolução no campo e a assistência técnica. O Paraná fez a lição de casa e dá exemplo para o mundo que pode produzir alimentos e conservar a natureza. O campo desenvolveu e as cidades também. Hoje o censo aponta nas cidades da região, índices per capita acima da média do Brasil e do Paraná. O que cantava com os alunos nos anos 70 e não entedia muito bem, tornou-se realidade: “No centro oeste do Paraná, em região outrora hostil, um município hoje há que honra e orgulha o Brasil. Campo Mourão, modelo do Paraná, lindo torrão, mais lindo de quantos há. Teu povo bom e hospitaleiro, tuas riquezas sem igual, simbolizam o celeiro da grandeza nacional”. As visões proféticas do professor Martelo, do prefeito Horácio Amaral, de Dom Eliseu: já são cinco rodovias asfaltadas nos unindo a todo Brasil,

levando o nome de Campo Mourão as riquezas produzidas e industrializadas neste “celeiro nacional” para o mundo. Os programas de assistência as mães e crianças (APMI, Clube de Mães) implantados por Dom Eliseu, tornaram-se parte dos programas municipais. A Pastoral da Criança implantada por Dom Virgílio é agora um programa internacional com apoio dos governos. As Campanhas da Fraternidade da CNBB refletem os problemas da sociedade, buscam soluções, pressionam os governos para as mudanças. Ecologia, defesa da vida é o grito do momento. A igreja cumpre seu papel de iluminar, de trazer a ESPERANÇA para mais este ano que se inicia…

Maria Joana Titton Calderari – membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia-FECILCAM e Ensino Religioso-PUC-


Página 06

Fevereiro / 2011

Catequese: uma das prioridades do Plano Fazendo parte da execução do 19° Plano Diocesano da Ação Evangelizadora, alguns integrantes da Catequese, que é uma das 3 prioridades estabelecidades, participaram da 1ª etapa da Escola Regional Bíblico-Catequética Emaús, de 13 a 16 de janeiro, em Curitiba. As outras prioridades são juventude e família. Estas foram aprovadas durante a 33ª Assembleia da Diocese de Campo Mourão, realizada no dia 12 de setembro de 2010, no Lar Paraná. Neste momento, na história da catequese, se vivencia e se vislumbra um novo jeito de catequizar: catequese de Iniciação à Vida Cristã de inspiração catecumenal. Este novo jeito é um pedido insistente da Igreja, evidenciado pelos documentos eclesiais mais recentes: Documento de Aparecida, Diretório Nacional de Catequese e as Diretrizes da Ação Evangelizadora. Os conteúdos da Escola contemplaram os eixos Bíblico-Catequético, Metodológico-Catequético e Litúrgico-Catequético. Assim como nas escolas de nível básico e médio, a dimensão existencial deve perpassar por todos os eixos. Abaixo, os nomes dos participantes, decanatos que representam e paróquia à qual pertencem: Decanato de Campo Mourão: Tânia Aparecida Caetano Pinto Silveira Paróquia Nossa Senhora do Caravággio, Lar Paraná - Eixo: Metodológico-Catequético Decanato de Juranda: Marcelo Zati Paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus - Eixo: Metodológico-Catequético Decanato de Goioerê: Maria Auxiliadora A. Ferreira Paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro, Vila Guaíra, Goioerê - Eixo: Litúrgico-Catequético Decanato de Iretama: Antonio Carlos Krauz Ferreira Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Luiziana - Eixo: Bíblico-Catequético Representante do decanato de Engenheiro Beltrão: Reinaldo Soares Paróquia Sagrado Coração de Je-

Transferências de padres na diocese Como é de praxe e, de acordo com a necessidade, algumas transferências de sacerdotes ocorrem nesta época do ano.

Participantes da diocese juntamente com o Dom José Antônio Peruzzo, bispo da diocese de Palmas e Francisco Beltrão e bispo referencial da catequese do Regional Sul II

sus, de Jussara - Eixo: BíblicoCatequético Coordenação Diocesana: Maria do Carmo Caíres Machado Paróquia N. Sra. Aparecida, da Vila Urupês - Eixo: Litúrgico-Catequético Opinião/Expectativa QualsuaexpectativaemrelaçãoàEscola Regional Bíblico-Catequética Emaús? Esta pergunta foi feita aos 6 participantes, antes do início da Escola. Veja as respostas de cada um: Marcelo Zati: São as melhores possíveis. Sou catequista há 6 anos, fiz os cursos básicos na paróquia e, também, concluí a Escola Diocesana de Catequese (2007/2008). Quero aprofundar meus conhecimentos para poder cada vez mais ajudar a minha Igreja. Tânia Aparecida Caetano Pinto Silveira: A minha expectativa é grande, pois a formação para o catequista deve ser constante. Poder me aperfeiçoar para repassar e contribuir com a formação minha e dos outros companheiros, será bastante valioso. Maria Auxiliadora A. Ferreira: Trazer conhecimentos aos catequistas, com um jeito novo de catequizar, um novo jeito de aprender, um novo viver missionário em nossa catequese paroquial. Despertar mais interesse e adquirir novos horizontes, semeando a Palavra viva no meio do povo.

Antonio Carlos Krauz Ferreira: É o início de um grande trabalho que, com certeza, dará ótimos frutos. Como catequista, estou ansioso para receber essa formação e repassar aos outros. Reinaldo Soares: Preparar-me ainda mais para ser um bom catequista e colaborar na formação dos novos catequistas. Maria do Carmo Caires Machado: É grande a expectativa. Acredito que a Escola irá ajudar nos conhecimentos, orientações, estudos, buscas, atendendo as necessidades dos catequistas da diocese e como levar adiante estes ensinamentos. Também, procurar observar todas as informações possíveis, que atenda o pedido da nossa Igreja, dos nossos catequistas, da nossa Diocese. Será um momento oportuno de crescimento espiritual e catequético. Conclusão, após a primeira etapa da Escola Os novos desafios da catequese nos levam a sermos inovadores, buscando novos caminhos para evangelizar, com alegria, com convicção. O catequista deve destruir paradigmas e ideias que limitam a ação. Devemos construir sonhos a partir da realidade que podemos ter: evangelização participativa em que todos planejam e executam; ensinam e aprendem.

O Pe. Roberto Cesar de Oliveira deixou a paróquia Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão e assumiu a paróquia Nossa Senhora das Graças de Barbosa Ferraz. O Pe. Nilson Reis Gonçalves deixou a paróquia Nossa Senhora das Graças de Barbosa Ferraz e foi para a paróquia Nossa Senhora Aparecida de Janiópolis. O Pe. Gerson de Araújo Costa saiu da paróquia Nossa Senhora Aparecida de Janiópolis e assumiu como pároco da paróquia Santo Antônio de Araruna. O Pe. Raimundo Santana dos Reis deixou a paróquia de Janiópolis e assumiu como vigário paroquial em Araruna. O Pe. Ademar Oliveira Lins deixou a catedral São José e foi para Foz do Iguaçu. O Pe. João da Silva foi transferido da paróquia Santa Teresinha de Campina da Lagoa e assumiu como administrador paroquial da paróquia Sagrado Coração de Jesus de Jussara.

Retiro decanal dos MECEs em Goioerê O decanato de Goioerê realizou um retiro dos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística - MECEs, dia 5 de dezembro. De acordo com a Irmã Dionísia Pereira Duarte, coordenadora diocesana da Ação Missionária, foi trabalhado, no retiro, de maneira especial, a espirituali-

dade bíblica no método da leitura orante. Romualdo José de Souza, coordenador dos MECEs, na Diocese, informou que 181 ministros participaram do retiro, que teve a abertura e o encerramento com presença do pároco da Paróquia Nossa Senhora das Candeias, Pe. Ivan Luiz Walter.

Participantes do Retiro

Página 07

Fevereiro / 2011

Paróquia celebra Jubileu de Prata

A

Paróquia São Francisco de Assis, do Jardim Gutierrez, em Campo Mourão, realizou uma reunião no dia 20 de novembro de 2010, para tratar da celebração do seu Jubileu de Prata. Estiveram reunidos, no Centro de Pastoral, o pároco Pe. Edinaldo Velozo da Silva, leigos e pioneiros. Foi, também, convidado o Padre Doutor Jurandir Coronado Aguilar, que participou na equipe central do Jubileu Diocesano. O Pe. Jurandir expôs sobre a motivação bíblica: o significado do Jubileu na Sagrada Escritura; o resgate que a Igreja fez do ano jubilar na história e os elementos que foram colhidos no Jubileu dos 50 anos de criação da Diocese de Campo Mourão. No Ano Jubilar fazemos presente “a origem de nossa história, a realidade que estamos vivendo, aquilo que queremos para nossa comunidade para que seja um ano de graça, de reconstrução, de júbilo”, disse Padre Jurandir.

Pe. Jurandir e Pe. Edinaldo

“A esperança de um mundo melhor está numa juventude sadia, com valores, responsável e, acima de tudo, voltada para Deus e para o próximo” Papa João Paulo II em carta ao Cardeal Eduardo Francisco Pironio, durante o Seminário sobre as Jornadas Mundiais da Juventude organizado na Polônia, em 1996

Recomeçar… com esperança! I nício de ano sempre traz consigo o desejo de olhar para o passado, de projetar o futuro… E quanta mudança em tão pouco tempo! Buscando na memória, vemos tantos momentos bons vividos nos anos 70 quando aqui chegamos, colocando nossa esperança nesta terra. A Diocese de Campo Mourão, sob orientação do primeiro bispo Dom Eliseu, vivia os tempos áureos da implantação da reformas conciliares, voltava-se para atender as necessidades básicas do povo: educação, saúde... Um outdoor na entrada da única estrada asfaltada de Campo Mourão anunciava que era o maior entroncamento rodoviário, obra do visionário prefeito Horácio Amaral. Mas onde estavam as outras “rodovias”? Eram então, estradas de terra perigosas, barrentas na chuva, empoeiradas no sol... assim como a cidade, devido ao pouco asfalto que tinha. Lembro-me das tempestades de pó vermelho produzidas no tempo das terras reviradas pelos tratores, que atormentavam a todas nós, donas de casa. E ainda tinha a fuligem das queimadas nas terras que estavam sendo abertas, destocadas, anunciando o fim do ciclo da madeira. E veio o ciclo da cultura do café, do algodão que emprega-

vam milhares de trabalhadores. Quantas escolas, igrejas, comunidades desapareceram… Infelizmente, a geada, o preço, a política econômica inviabilizou o plantio, o êxodo rural esvaziou o campo e encheu as periferias das cidades que passaram de 20% a 84% da população. Quem tem fome e precisa de alimentos… A tão desejada e abençoada chuva (para as mulheres, hora de faxina na casa) trazia também o medo da erosão, medo de ver o “sítio ir abaixo”. Quando vinha chuva pesada era um desespero para os agricultores que viam suas propriedades sendo lavadas pela enxurrada, a terra boa indo embora, os plantios perdidos, as erosões ferindo a terra, os rios sendo assoreados... As sementes que nasciam na terra ácida competiam com as ervas daninhas e na hora da colheita, a lavoura estava “suja”, dificultando o trabalho, colhedeiras velhas “embuchando”, quebrando a toda hora, causando mais perdas ao pequeno e difícil lucro. A produtividade na região era baixíssima, em torno de 70 sacas de soja por alqueire, 150 sacas de milho. O valor do alqueire de terra era em torno de Cr$ 100,00 (= R$ 541,00).

Hoje as terras supervalorizadas, vendidas na moeda “soja”, chegando a 1500, 2000 sacas/alqueire dependendo da região. A crescente produtividade da soja - até 207 sacas/alqueire, milho 450/550 sacas/alqueire é perseguida com afinco, resultado de pesquisa em todos os campos, investimentos desde o preparo da terra, da semente, do plantio à colheita, correção do solo, adubação, rotação de cultura e principalmente o plantio direto, a grande revolução no campo e a assistência técnica. O Paraná fez a lição de casa e dá exemplo para o mundo que pode produzir alimentos e conservar a natureza. O campo desenvolveu e as cidades também. Hoje o censo aponta nas cidades da região, índices per capita acima da média do Brasil e do Paraná. O que cantava com os alunos nos anos 70 e não entedia muito bem, tornou-se realidade: “No centro oeste do Paraná, em região outrora hostil, um município hoje há que honra e orgulha o Brasil. Campo Mourão, modelo do Paraná, lindo torrão, mais lindo de quantos há. Teu povo bom e hospitaleiro, tuas riquezas sem igual, simbolizam o celeiro da grandeza nacional”. As visões proféticas do professor Martelo, do prefeito Horácio Amaral, de Dom Eliseu: já são cinco rodovias asfaltadas nos unindo a todo Brasil,

levando o nome de Campo Mourão as riquezas produzidas e industrializadas neste “celeiro nacional” para o mundo. Os programas de assistência as mães e crianças (APMI, Clube de Mães) implantados por Dom Eliseu, tornaram-se parte dos programas municipais. A Pastoral da Criança implantada por Dom Virgílio é agora um programa internacional com apoio dos governos. As Campanhas da Fraternidade da CNBB refletem os problemas da sociedade, buscam soluções, pressionam os governos para as mudanças. Ecologia, defesa da vida é o grito do momento. A igreja cumpre seu papel de iluminar, de trazer a ESPERANÇA para mais este ano que se inicia…

Maria Joana Titton Calderari – membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia-FECILCAM e Ensino Religioso-PUC-


Fevereiro / 2011

Página 08

O papa João Paulo II será beatificado no dia 1º de maio. A publicação do decreto, comprovando um milagre atribuído à intercessão de João Paulo II, foi publicado pelo papa Bento XVI, no dia 14 de janeiro. O milagre, agora confirmado, refere-se à cura da freira francesa Marie Simon Pierre, que sofria da doença de Parkinson. João Paulo II foi papa entre 16 de outubro de 1978 e 2 de abril de 2005, quando faleceu após mais de 25 anos como Sucessor de São Pedro. Fonte: CNBB

A Província de Maringá, formada pelas dioceses de Campo Mourão, Paranavaí, Umuarama e Maringá, estará reunida nos dias 21 e 22 de maio para a realização do Seminário Provincial das CEBs. O evento será no Centro de Formação Bom Pastor, na cidade de Maringá. João Paulo II foi escolhido como padroeiro da JMJ - Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá em Madri, Espanha, de 16 a 21 de agosto. A JMJ foi criada pelo papa João Paulo II, em 1985. Fonte: Catolicanet

Está em fase final de aprovação o processo de beatificação da brasileira Francisca de Paula de Jesus, chamada de “Nhá Chica”. Ela nasceu em São João del Rei-MG, em 1810 e faleceu em Baependi-MG, em 1895. A Santa Sé vai analisou a cura da professora Ana Lúcia Meirelles Leite, de Caxambu-MG, que sofria de um problema congênito no coração. Ela foi curada sem passar por cirurgia; apenas pelas orações de Nhá Chica. Isto foi em 1995. Fonte: Zenit O Responsável pelo Setor Juventude da CNBB, Padre Carlos Sávio, participou da reunião preparatória da Jornada Mundial da Juventude de Madri. Ele representou o Brasil, que participou juntamente com outros 83 países. Fonte: Rádio Vaticano. O Conic - Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil, pu-

blicou uma mensagem para o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, comemorado no dia 21 de janeiro. “Os brasileiros se declaram praticantes de mais de 30 religiões diferentes. A diversidade é uma das nossas grandes riquezas e precisamos estimular na sociedade a convivência pacífica dentro das diferenças religiosas”, diz um trecho da mensagem. Fonte: Rádio Aparecida Dom Dirceu Vegini assumiu a diocese de Foz do Iguaçu no dia 30 de dezembro, em substituição a dom Laurindo Guizzardi, que teve seu pedido de renúncia aceito pelo papa, por causa da idade. Fonte: CNBB - Regional Sul II

Pastoral do Dízimo se reúne em Ubiratã Fevereiro A intenção geral do Papa, confiada ao Apostolado da Oração, neste mês, é por todos os cientistas e os homens de cultura, para que por meio da sincera pesquisa da verdade possam chegar a conhecer o único verdadeiro Deus.

A coordenação diocesana da Pastoral do Dízimo realizou a última reunião do ano, no dia 21 de novembro, em Ubiratã. Foi na capela São Vicente e contou com a presença do coordenador diocesano Marco Antonio Adamo, de Moreira Sales, e do assessor, Diácono Permanente Artur Baretta, de Araruna. O coordenador da Ação Evangelizadora na Diocese e pároco de Mamborê, Pe. Francisco Dantas de Car-

valho, ministrou uma palestra sobre a importância das 3 dimensões do Dízimo: religiosa, missionária e social. Falou da experiência na Paróquia de Mamborê, que se sustenta sem a necessidade de festas. Quando há festa, é de confraternização, como é o caso da festa da Padroeira, em dezembro. O Pe. José Elias Feyh, pároco de Ubiratã, falou sobre a experiência em sua Paróquia.

Intenção missionária: Para que a Igreja, consciente de sua identidade missionária, se esforce em seguir fielmente Cristo e proclamar o seu Evangelho a todos os povos.

Participantes da reunião

São Braz: Testemunho Cristão nos Primeiros Séculos da Igreja S

egundo antiquíssima tradição, no dia três de fevereiro, a Igreja comemora o martírio de São Braz, bispo de Sebaste, Diocese localizada no atual território da Armênia. Não obstante a escassez de fontes seguras sobre sua vida, a abundância de tradições conservadas ao longo dos séculos nos permitem delinear traços de sua personalidade, que em linhas gerais não divergem muito da vida e dos feitos de outros mártires cristãos deste mesmo período. Cronologicamente podese situar o nascimento de Braz na segunda metade do séc. III, período em que a comunidade cristã se viu intensamente agitada pela voracidade das perseguições institucionalizadas pelo Império Romano.

Após o ano 251 com o edito de perseguição geral promulgado pelo imperador Décio, a Igreja só haveria de retornar à paz em 313 com o reconhecimento de sua liceidade concedido por Constantino através do edito de Milão. De acordo com antiga tradição, antes de ser sagrado bispo, Braz teria exercido a medicina e, como bom cristão, a usara sempre em favor dos mais necessitados e pobres. Seu trabalho, aliado à fé, operara incontáveis milagres àqueles que o procuravam, de forma que sua fama de santidade propagou-se antes mesmo de seu martírio. Com a morte do bispo de Sebaste, Braz foi aclamado seu sucessor e assim tornou-se chefe dessa comunidade cristã num momento de violenta perseguição. Nesse ambiente, destacou-se igualmente pela

atenção dispensada aos mártires de sua diocese. As atas do martírio de santo Eustáquio informam que tendo este sido martirizado o bispo Braz juntou com muita reverência seus ossos, bem como os de santo Orestes dandolhes sepultura cristã. Se no Ocidente a perseguição havia cessado em 313 pelo edito de Milão, no Oriente a mesma continuou sob o governo de Licínio. Deste modo, Braz foi martirizado por ordem do prefeito de Sebaste, Agricoláo, em 316. Segundo as atas, após ser flagelado, foi pendurado num andaime e com pentes de ferro descarnaram-lhe os ossos sendo, por fim, degolado. O costume de abençoar a garganta no dia sua memória advém do milagre por ele operado a caminho do martírio. Com o sinal da Cruz Braz curou um menino que se engasgara com espinha de peixe. Tanto seu exemplo de vida, quanto a proteção que invocamos sob seu nome para nossa garganta apontam para a concretização de nossa vocação cristã. Mais do que

Marco Antonio Adamo e Pe. Francisco

implorar a bênção contra os males físicos, o testemunho de São Braz nos impele a fazer da vida uma constante proclamação das maravilhas de Deus, isto é, nossa ação no mundo deve se manifestar como um grande hino de ação de graças a Deus, através de nossa vivência cristã. A fé professada com os lábios deve tornar-se conhecida por gestos e obras que as sinalizem.

Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, 3º ano de Teologia

Fevereiro / 2011

Página 05

Monsenhor Aleixo Salusniak (1925-1998) E

ntre os padres contemplados no livro “Intrépidos Missionários. Biografias de Presbíteros”, organizado sob a direção do Pe. Jurandir Coronado Aguilar, reitor doSemináriodeTeologiaDomVirgíliode Pauli da Diocese de Campo Mourão, encontra-se a biografia de Mons. Aleixo Selusniak. Aleixo nasceu no atual município de Campo Magro, região metropolitana de Curitiba em 4 de maio de 1925. Seus pais, Pedro Paulo Selusniak e Anna Bulgo Manosso, eram filhos de imigrantesucranianoseitalianos,respectivamente, que vieram para o Brasil em fins do séc. XIX, visando melhores condições de vida. Entretanto, segundo Mons. Aleixo, sua família era muito pobre, por isso passou a infância em meio a diversas privações. Batizado no dia seguinte ao nascimento, fez sua primeira comunhão na capela Nossa Senhora da Conceição de Campo Magro em 1° de janeiro de 1934. Embora demonstrasse profunda religiosidade,duranteainfância,omenino Aleixo não dera a conhecer desejo de ingressar no seminário e tornar-se padre. Em 9 de maio de 1937, estimulado por seu tio paterno, frei Casimiro de Órleans, Aleixo ingressou no convento de Santo Antonio dos Frades Menores Capuchinhos em Butiatuba, região de Almirante Tamandaré. Antes de iniciar os estudos filosóficos, em 7 de dezembro de 1941 Aleixo recebeu o hábito capuchinho e conforme o costume vigente na época teve seu nome de batismo substituído pelo nome religioso de frei Estevão Maria de Campo Magro. Entre os anos de 1942-1949 frei Estevão cursou filosofia e teologia no convento Nossa Senhora das Mercês em Curitiba. Aos 2 de abril de 1949 recebeu a ordenação diaconal por imposição das mãos de Dom Ático Eusébio da Rocha, na Igreja Ima-

Monsenhor Aleixo Salusniak

culado Coração de Maria, em Curitiba. A ordenação presbiteral foi-lhe concedida por imposição das mãos de Dom Inácio de Ribeirão Preto, confrade capuchinho que havia se tornado bispo meses antes, na Igreja Nossa Senhora das Mercês, no dia 28 de agosto de 1949. Entre 1950-1955 frei Estevão Maria trabalhou no seminário capuchinho em Irati, e nas paróquias de Bandeirantes e Joaquim Távora na Diocese de Jacarezinho. Em 13 de maio de 1955 foi designado pároco de Cruzeiro do Oeste, tendo como vigário, frei Gaspar Zonta. Neste período inaugurou a primeira capela da cidade de Umuarama, atual paróquia São Francisco de Assis e celebrou a primeira Missa na cidade de Mariluz. Ao descrever sua chegada em Mariluz, em 1955, Mons. Aleixo afirmou em 1992: “Naquele tempo eram matas e a gente andava por baixo das matas como debaixo de um túnel verde. Eram pássaros, aqui nesta região aonde nós viemos; havia ainda os tucanos famosos, hoje não existem mais; havia os micos, os macacos, umas árvores

Fraternidade e a Vida no Planeta

A

cada ano, a Igreja do Brasil nos apresenta uma problemática sobre a qual nos debruçamos para compreender, julgar, transformar e rezar. É a Campanha da Fraternidade, vivenciada fortemente no tempo quaresmal (é justamente por isso chamada de “campanha”), mas que deve permear todo o ano. Neste ano de 2011, o lema será: A criação geme em dores de parto (Rm 8,22); e o tema: Fraternidade e a Vida no Planeta. No centro da questão está o problema do aquecimento global e as mudanças climáticas. Muito se tem discutido sobre isso, inclusive sobre a responsabilidade que o homem tem nessas transformações. Estamos longe de um consenso entre os especialistas.

Em todo caso, essas mudanças estão no centro de nossos noticiários cotidianamente. Como Igreja, não podemos permanecer alheios. Por isso o objetivo geral da Campanha da Fraternidade 2011: “contribuir para a conscientização das comunidades cristãs e pessoas de boa vontade sobre a gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas, e motivá-las a participar dos debates e ações que visam enfrentar o problema e preservar as condições de vida no planeta” (Texto-Base n.6). Ao longo do ano, teremos oportunidade de refletir muito sobre tudo isso. Um primeiro enquadramento para essa problemática desde nossa fé pode ser já uma releitura do livro do Gênesis com olhos ecologicamente corretos. Os verbos “dominar” (1,26) e “subme-

multisseculares que faziam avenida, por assim dizer, até chegar aqui em Mariluz onde, em 1955, eu cheguei”. Em 1959 tornou-se pároco de Tomazina, no Norte Pioneiro e presidente do Hospital São Vicente de Paulo. Em 1961, precisou deixar a cidade, motivado por querelas de cunho político. Ao sair de Tomazina frei Estevão foi trabalhar no seminário capuchinho em Irati. Entretanto, descontente com a Ordem religiosa, tomou a decisão de deixar a mesma e se incardinar numa Diocese, tornando-se padre diocesano. Assim sendo, em 6 de fevereiro de 1968, saiu do convento Santo Antonio de Butiatuba, onde se encontrava, e refugiouse no seminário diocesano no bairro do Batel em Curitiba, retomando seu nome de batismo. Acolhido por Dom Eliseu na Diocese de Campo Mourão, auxiliou na catedral São José durante a quaresma de 1968, sendo nomeado pároco da paróquia Nossa Senhora das Graças de Barbosa Ferraz, onde chegou em 16 de abril de 1968. Neste município, seu trabalho foi de autêntico pioneirismo não se restringindo apenas ao âmbito religioso, ter” (1,28) não significam explorar desordenadamente os recursos do planeta. Isto é importante, principalmente a partir deste último século, quando o homem conseguiu um patamar tecnológico capaz de transformar incrivelmente o planeta. Dominar e submeter devem ser compreendidos pela ótica do cuidado. “A palavra dominar vem do latim dominus, que significa ‘senhor’. Dominar significa exercer o senhorio sobre os demais, e este exercício do senhorio deve ser feito a partir do modelo de ‘Senhor’ que é o próprio Deus. A narrativa da criação nos mostra como Deus exerce o senhorio em relação à natureza: ele a cria, ordena o seu crescimento e a sua evolução a fim de que ela possa trilhar um caminho de perfeição, garante a sua continuidade, cuida dela e a abençoa. Assim, o exercício do senhorio, ou a dominação, por parte do ser humano deve significar respeito à ação criativa divina,

mas estendendo-se aos mais diversos aspectos da vida social. Atendendo a uma população de 70 mil habitantes, padre Aleixo Selusniak testemunhou heroicamente as virtudes do pastor solícito e dedicado a seu rebanho. Visando atender as exigências das reformas realizadas pelo Concílio Vaticano II (19621965) construiu a nova igreja matriz, promoveu a formação das lideranças e a criação das paróquias São Pedro de Corumbataí do Sul e Santa Rita de Cássia de Barbosa Ferraz. Ao completar 25 anos de sua presença em Barbosa Ferraz em 1993 foilhe concedida a cidadania honorária, como reconhecimento por seu trabalho. Em 8 de junho de 1996, Dom Virgílio de Pauli condecorou-lhe com o título de “Monsenhor capelão do Santo Padre”. Na ocasião Dom Virgílio afirmou: “Sem dúvida nenhuma, o grande desbravador espiritual desta região foi monsenhor Aleixo e, portanto, a Santa Sé achou por bem conceder-lhe este honorífico título que deve tanto engrandecer a ele e toda a região”. Consumido pelos 30 anos de incansáveis trabalhos realizados em prol da Igreja diocesana de Campo Mourão, particularmente em Barbosa Ferraz, mons. Aleixo faleceu em odor de santidade no dia 25 de setembro de 1998. A comoção por seu falecimento tomou toda a população que compareceu massivamente aos funerais, testemunhando a grandeza deste homem de Deus que em 1992 disse: “Sou padre há 43 anos; dei minha vida pela Igreja, pela minha gente, pelo meu povo”. Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto 3º ano de Teologia contribuir com o crescimento e a evolução da natureza em todas as suas dimensões, cuidado com o meio ambiente e fazer dele uma fonte de bênçãos, ou seja, de comunhão com ela e, a partir dela, harmonia interior, comunhão com as outras pessoas e caminho de conhecimento e estreitamento de relações com o próprio Criador” (Texto-Base n.103).

Pe. Luiz Antonio Belini é Pároco de Quinta do Sol


Fevereiro / 2011

Página 04

Formação sobre a Campanha da Fraternidade 2011

Liturgia Caríssimos diocesanos e diocesanas, saudações neste início de 2011... O ano se inicia e, com ele, algumas alterações que desde já quero lhes apresentar: este ano não sou o coordenador diocesano da liturgia e, sim, a senhora Liliam Hannel, cantora da Catedral e do Santuário Nossa Senhora Aparecida. Deixei esta coordenação visto que atuo na assessoria diocesana dos MECEs e, agora como Reitor do Seminário, sou também assessor do SAV (Serviço de Animação Vocacional). Porém, continuarei dando as formações nas paróquias que me convidarem sobre Liturgia, bem como a senhora Liliam, que está à disposição para encontros de Cantos Litúrgicos. Então, nesta edição, além de vos atualizar sobre tais alterações, quero me dirigir aos MECEs com as seguintes orientações, vista que muitas destas já são de vossos conhecimentos: Não cabe aos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística quando estão atuando: preparar o altar no momento da preparação dos dons (ofertório); fazer a purificação após a comunhão; dar bênção ou passear com o Santíssimo; lavar as mãos durante a Missa; ficar em pé durante a consagração; usar calças justíssimas e saias acima do joelho; salto alto; jalecos sujos ou amarrotados; nunca atuarem de chinelos ou rasteirinhas; cabelos desarrumados; brincos, colares, unhas, maquiagem, batons, dentre outros, que possam chamar a atenção mais do que Jesus Cristo Eucarístico cujo qual estão a serviço. Padronização do traje: o jaleco da cor creme que está em vigor em toda a nossa Diocese foi uma conquista. Agora o próximo passo será o de padronizarmos a parte de baixo, ou seja, a calça ou a saia, na cor preta. Algumas paróquias já deram este passo. Outras, foram além: os homens usam gravatas. Porém, isso foi uma decisão tomada cada uma, com o seu pároco. Para o momento, estamos buscando adequar em toda a diocese a parte de baixo, na cor preta. Por isso, dentro da possibilidade de cada um, orientamos que já vão se adequando neste passo que estamos dando. Bom, para o momento é isso que tenho a lhes falar. Encerro, desejando um ótimo e abençoado ano para todos Pe. Ricardo Arica Ferreira Reitor do Seminário nós e para os nosPropedêutico, assessor sos trabalhos. diocesano dos MECEs e Um fraterno abraço a todos. Feliz 2011!

assessor do SAV Serviço de Animação Vocacional E-mail: arica.ferreira@hotmail.com

Fevereiro / 2011

Página 09

Padres visitam a Diocese N

o final de 2010, alguns padres da Sociedade Missionária dos Padres de São Tiago visitaram a Diocese de Campo Mourão. Liderando o grupo estava o Pe. André Gautreau, 84 anos e que trabalhou na Diocese de 1963 a 1994. Juntamente, estava o Pe. Michel Menard, Superior Geral da Congregação e Pe. Paul Dassous, Superior Provincial, que reside em Campinas-SP. Os padres André e e Michel são franceses e o Pe. Paul é haitiano. O motivo principal da visita foi para agradecer a homenagem feita ao Pe. Yves Jean Marie Pouliquen, dando o seu

nome dado à Escola Diocesana de Teologia Pastoral. Pe. Yves foi um dos primeiros padres, dessa Congregação, que veio para a Diocese de Campo Mourão. A Sociedade Missionária dos Padres de São Tiago trabalha na França, Haiti e Brasil. O Pe. André Gautreau chegou à Diocese em janeiro de 1963 e trabalhou, também, em algumas paróquias que pertenciam à Diocese de Campo Mourão e, atualmente, fazem parte da Diocese de Umuarama. Aposentouse em 1994, quando estava na Paróquia de Rancho Alegre d’Oeste. Pe. André Gautreau, Pe. Luca Pelis (Vigário Geral da Diocese de Campo Mourão), Pe. Paul Dassous e Pe. Michel Menard

Paulo Cesa conduzindo o encontro de formação

A

CNBB escolheu para este ano, como tema da Campanha da Fraternidade, “Fraternidade e a Vida no Planeta” e, como lema, “A criação geme em dores de parto” (Rm 8,22). Para tratar deste assunto, representantes de algumas paróquias da Diocese estiveram reunidos no dia 5 de dezembro de 2010, no Centro Diocesano de Formação - CDF, em Campo Mourão.

Cartaz da Campanha da Fraternidade 2011

O engenheiro agrônomo Paulo Cesa, da Emater de Mamborê, foi convidado para falar sobre a questão ambiental, que é o ponto principal, em se tratando do tema da CF 2011. No final do dia, algumas metas foram traçadas, com possíveis trabalhos que podem ser executados; desta forma pode-se ter um rumo a ser seguido e o objetivo da CF 2011, atinjido.

Padres e bispo da Bahia na Diocese

Pe. Yves Pouliquen

Trabalhos da juventude diocesana A Pastoral da Juventude - PJ avaliou, em março de 2010, os objetivos para 2010-2011. Nos dias 11 e 12 de dezembro, houve a aprovação em assembleia. Objetivo geral: “Rearticular e organizar a estrutura da PJ, trabalhando um processo de motivação e animação das novas e antigas lideranças, de acordo com os projetos 1 e 2 do Plano Trienal do Regional, inspirados na Palavra de Deus, zelando pela realidade e os dons que cada um tem.”

Oito padres e o bispo da Diocese de Serrinha, na Bahia, estiveram em duas paróquias da Diocese de Dom Ottorino e padres durante a Missa em Mamborê Campo Mourão, em janeiro. Dom Ottorino Assolari, que foi sagrado bispo em Campo Mourão, em 2005, Pe. Genivaldo Barboza, que é da Diocese e está realizando o trabalho missionário na Bahia, juntamente com alguns padres oriundos da Itália e outros brasileiros, realizam, anualmente, uma viagem no período de férias. Este ano, realizaram a viagem ao sul, passando por Curitiba e Peabiru, onde há a Casa de Formação da Congregação da Sagrada Família de Bérgamo, Congregação à qual Dom Ottorino pertence. Em Mamborê, cidade onde nasceu o Pe. Genivaldo, houve uma Missa, na Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, no dia 9 de janeiro. Esta foi presidida por Dom Ottorino e concelebrada pelos 8 padres. Em seguida, o grupo viajou Bispo e padres de Serrinha, com Pe. Francisco, páropara Foz do Iguaçu e um dos países da fronteira. co de Mamborê, e pessoas da comunidade

Mapa antigo da Diocese de C. Mourão

Objetivos específicos: 1 - Resgatar a identidade da PJ nos grupos existentes e criar novos. 2 - Formar a equipe de assessoria. 3 - Manter a escola de formação. 4 - Elaborar um subsídio próprio de nossa diocese para a etapa de formação (EFJ) 5 - Formar pólos em quatro pontos da diocese, onde facilite a participação de um número maior de paróquias e participantes nas EFJ. 6 - Criar alternativas objetivas de como envolver o crismando nas atividades da PJ afim de posterior-

mente inseri-los nos grupos de jovens. 7 - Missão jovem (em prazo indeterminado) - tornar a missão que é de experiência do grupo de B. Ferraz diocesana. (experiência) Setor Juventude Publicamos o calendário das atividades do Setor Juventude da diocese, para o ano de 2011. -Reunião do Setor - 6 de fevereiro, às 9h, em Peabiru -II Gincana de Integração da Juventude - 27 de fevereiro, em Rancho Alegre -IV Jornada Diocesana da Juventude - 17 de julho, em Campina da Lagoa -Estudo sobre o DNJ - 28 de agosto, local a definir -DNJ - 30 de outubro, em Barbosa Ferraz. Outras datas importantes: -Mapeamento de lideranças - julho e agosto -Jornada Mundial da Juventude 16 de agosto, em Madri (Espanha) -Assembleia (Plano de Evangelização) - 18 de setembro

GIRO PELAS

PARÓQUIAS Em dezembro, foram ordenados padres os diáconos Paulo César Nogueira, da Congregação da Sagrada Família de Bergamo, em Peabiru; Claudinei Francisco de Oliveira e Sílvio José do Nascimento, ambos da Congregação do Sagrado Coração de Jesus, em Araruna. A Pastoral da Família diocesana realizará um encontro de abertura dos trabalhos do ano de 2011, no dia 13 de fevereiro. Será no Centro de Formação Pastoral da Paróquia São Francisco de Assis, em Campo Mourão, das 8h30 às 16h. O Encontro contará com a presença de Dom João Bosco Barbosa de Souza, bispo de União da Vitória e Bispo Referencial da Pastoral Familiar, no Regional Sul II. A Paróquia Santo Antonio de Ubiratã comemorou 50 anos, em janeiro. No sábado (15), houve missa e apresentação teatral da equipe do Ministério de Artes

Renascer de Maringá; no domingo (16), missa, com participação de todas as capelas, trazendo a imagem do seu padroeiro e bênção de veículos. A paróquia Nossa Senhora das Candeias, de Goioerê, celebra a sua padroeira no dia 2 de fevereiro. Em preparação, há um tríduo nos dias 30 e 31 de janeiro e 1° de fevereiro. Cada dia a missa será presidida por um padre que já trabalhou na paróquia. A 18ª edição da Rota da Fé será no dia 13 de fevereiro. Sairá de Campo Mourão e passará pelos municípios de Goioerê e Ubiratã. A comunidade paroquial Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão agradece o carinho manifestado pelo bispo diocesano Dom Javier, pela visita surpresa na noite do Ano Novo, na celebração de ação de graças pelo ano, dia 31 de dezembro.


Fevereiro / 2011

Página 10

Instituto Secular Santa Paulina surgiu na diocese H

á pouco mais de 4 anos, foi fundado o Instituto Secular Santa Paulina e já tem membros em 10 estados brasileiros. O Instituto, que tem o apoio das irmãs religiosas da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, vive o carisma e a espiritualidade da referida Congregação. De acordo com Clementina de Sousa Dias, 71 anos, de Mamborê, coordenadora do Instituto e que fez os primeiros contatos para a criação do mesmo, há 6 consagraClementina de das leigas em Mamborê. Estas Capa do folder de divulgação do Sousa Dias, vivem em suas famílias, trabalham Instituto coordenadora ou são aposentadas e se envolvem em trabalhos na comunidade, mas faUma vez por ano acontece um enzem os votos como as irmãs religiosas. Para ser uma consagrada leiga, é ne- contro entre as integrantes do Instituto. cessário que a mulher seja solteira, De 13 a 15 de novembro do ano passado, o encontro foi em Mamborê e contou com mais de 18 anos, ou viúva. Há em torno de 30 integrantes do com a presença de pessoas do Ceará, Instituto nos estados de Goiás, Piauí, Piauí, Rio Grande do Sul e Paraná. O Instituto ainda não tem o recoCeará, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, nhecimento oficial da Igreja, mas o Espírito Santo, Santa Catarina e Paraná. trabalho é acompanhado pelo bispo Anualmente as integrantes parti- diocesano e outros padres. “Procuramos levar uma vida totalcipam do encontro dos Institutos Seculares, em Aparecida-SP. A coor- mente normal, sem aparência de ser denação que, por enquanto, é toda de uma organização. Nem camisetas com Mamborê, realiza reuniões mensais. o nome do Instituto, utilizamos. ProcuClementina esclarece que o objetivo ramos viver de acordo com o Evangeé que pessoas de outras localidades lho, seguindo o carisma e a espirituatambém façam parte da equipe de lidade de Santa Paulina, que já são vividos pela Congregação das Irmãzicoordenação, futuramente.

Página 03

Fevereiro / 2011

Ordenação presbiteral em Campina da Lagoa

MCC diocesano realizou Ultreya em Mamborê

Missa, durante o encontro, presidida pelo vigário paroquial Pe. Durvalino Rodrigues de Oliveira

Participantes, com Pe. Durvalino e Ir. Dionísia Pereira Duarte, durante o encontro em Mamborê, em novembro de 2010

nhas da Imaculada Conceição”, declara a coordenadora Clementina. Interessados em obter outras informações sobre o Instituto, poderão falar diretamente com a coordenadora Clementina de Sousa Dias, através do telefone residencial (44) 3568-2511 ou celular (44) 9984-2127.

O Movimento de Cursilho de Cristandade - MCC realizou a Ultreya festiva de final de ano, em Mamborê, no dia 4 de dezembro. Houve uma Missa, na Igreja Matriz e, em seguida, o jantar de confraternização no CTG Galpão da Amizade. A Missa foi presidida pelo assessor do MCC, na Diocese, Pe. Carlos Cezar Candido. A Ultreya contou, também, com a presença do Pe. Gessí Matos, ex-assessor espiritual e do Pe. Sidinei, vigário paroquial de Mamborê. Severino Flores, de Apucarana, um dos dirigentes de Cursilho na Diocese há muitos anos, também esteve em Mamborê. De acordo com o casal coordenador diocesano do Movimento Divoney Martins Pereira e Vera, participaram da Ultreya cursilhistas das paróquias das seguintes cidades: Nova Cantu, Juranda, Farol, Ubiratã, Campo Mourão, Goioerê, Luiziana, Boa Esperança, Moreira Sales e Mamborê.

Missa com ordenação na Paróquia de Campina da Lagoa

O

Pe. Carlos: bênção aos cursilhistas

Diácono Clauber Magela Freire Krieck foi ordenado presbítero, no dia 11 de dezembro, na Paróquia Santa Terezinha, em Campina da Lagoa. A Missa, presidida pelo bispo diocesano Dom Francisco Javier Delvalle Paredes, contou com a presença de vários padres, seminaristas, familiares do diácono e população.

A ordenação diaconal de Clauber foi em 2 de julho, na Paróquia Santa Cruz de Campo Mourão, por ocasião do enceramento do Ano Sacerdotal. Lema escolhido por Clauber: “Sem mim, nada podeis fazer” Jo 15,5. Sua primeira Missa foi em Campina da Lagoa, no dia 12 de dezembro.

Dom Javier e Pe. Clauber

Clauber com seus pais

"Como Igreja, não podemos permanecer alheios". Pe. Luiz Antonio Belini, sobre o tema da Campanha da Fraternidade deste ano, que é Fraternidade e a Vida no Planeta

Pe. Carlos e Severino Flores

Nossa Senhora de Belém

N

ada mais gratificante do que falar sobre Maria, nossa Mãe espiritual. Melhor ainda é falar com ela todos os dias e, principalmente em momentos especiais, demonstrando nosso carinho e gratidão. Para isso, as Sagradas Escrituras, a Sagrada Tradição e a Igreja oportunizaram inúmeros títulos, que mais facilmente nos aproximam a ela. O Ano Litúrgico proporciona momentos especiais para uma meditação aprofundada sobre Nossa Senhora, utilizando-se dos títulos; alguns, considerados como “dogmas de Fé”. Desde o início da história do cristianismo os cristãos, principalmente católicos, têm dedicado especial reverência à Mãe de Jesus. Essa devoção filial consolidou a sagrada lista de nomes pelos quais conhecemos nossa Mãe e a ela

nos dirigimos para invocá-la e manifestar-lhe nossa sincera devoção. As distintas formas de culto ao nome de Maria Santíssima, conforme a procedência tem sua fundamentação, primeiramente, na liturgia, sendo estabelecidas pela Igreja, para comemorações, celebrações e rituais. Posteriormente, em relação aos locais onde se manifestavam, mais acentuadamente, uma devoção, seguida de culto. E, paralelamente a essas duas origens, há os títulos resultantes das manifestações populares, em que o povo, a ela recorre, de acordo com sua fé e determinadas necessidades. É uma graça peculiar, poder invocar a Mãe de Deus sob um título que mais a aproxima de seus filhos e, a estes, da Mãe. Durante este mês de fevereiro, logo no início, somos convidados a pensar um pouquinho mais sobre nossa “Mãezinha do céu” com o sagrado

nome de Nossa Senhora de Belém. Este título nos convida a refletir sobre a maternidade de Nossa Senhora, na cidade de Belém. Jesus Nasceu em Belém de Judá. Para lá se dirigiram ao pastores ao ouvirem a mensagem do Anjo: “eis que eu vos anuncio uma grande alegria que será para todo povo, nasceu-vos hoje o Salvador”. E os pastores disseram: “Vamos até Belém, e vejamos o que aconteceu, e o que o Senhor nos deu a conhecer”. Do Oriente, os magos, guiados pela estrela chegaram a Belém. Lá encontraram o recém-nascido, sua mãe Maria e José, e o adoraram... Conforme São Mateus e São Lucas no capítulo 2, respectivamente. No dia dois de fevereiro, a Diocese de Guarapuava, com a qual, Campo Mourão tem fortes ligações históricas, religiosas e geográficas, celebra a Festa de Nossa senhora de Belém. Essa devoção e culto a Nossa Senhora teve origem pelo início do ano de 1800, culminando com o título de Padroeira da Catedral e, por “ipso facto”,

da Diocese. Com muita devoção devemos olhar para Nossa Senhora de Belém e, com a mesma disposição dos serviçais nas “bodas de Caná”, ouvir e obedecer ao que ela nos tem a dizer: “Fazei tudo o que Jesus vos disser”. Nossa Senhora de Belém, rogai por nós.

Amani Spachinski de Oliveira é professor, escritor, poeta e contista. Membro da Academia Mourãoense de Letras e Associação Mourãoense de Escritores. E-mail: amanispachinski@yahoo.com.br

História de paróquia vira livro História da Paróquia São Judas Tadeu de Quinta do Sol, é o título do livro de autoria do Padre Luiz Antonio Belini, lançado em dezembro de 2010, na Igreja Matriz de Quinta do Sol. O livro conta a história da comunidade paroquial desde seus primórdios, com entrevistas, cronologia e um rico acervo fotográfico. “O lançamento da obra se inscreve no clima do resgate histórico que envolveu a celebração do jubileu diocesano, a pouco encerrado”, declara o autor do livro.

Pe. Luiz A. Belini

Capa do livro


Página 02

Fevereiro / 2011

Página 11

Fevereiro / 2011 CALENDÁRIO – FEVEREIRO - 2011

Palavra do Bispo Queridos e amados filhos de Deus da Diocese de Campo Mourão. Que imensa alegria e sentimento de gratidão a Deus, poder novamente entrar em contato com cada um e cada uma de vocês através do nosso eficaz Jornal Servindo, a fim de lhes fazer chegar a minha saudação fraterna e o meu abraço de Pastor, carregado de Bênção e bons augúrios para que neste ano que estamos iniciando seja uma nova experiência da proteção divina. A caminhada do Povo de Deus continua e nós, como parte deste povo de Deus, também continuamos o nosso seguimento ao Cristo na sua Igreja, sendo participante ativo desta grande tarefa de todos juntos continuarmos a construção do Reino de Deus. Retomando os trabalhos fortalecidos, renovados e iluminados pelo Espírito Santo, cada um de nós a partir de seu lugar e estado (bispo, padres, leigos, seminaristas, religiosos/as e todos os batizados), somos convocados a nos deixar conduzir pela força de Deus, sem medo e com segurança e confiança; participar e partilhar das alegrias, tristezas e esperanças, que a vida no dia a dia nos oferece, mas sempre na certeza da presença e proteção de Deus e Maria Santíssima. Ao longo do ano iremos tendo este contato amigo, onde poderemos ir aprofundando assun-

Expediente Diretor: Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Assessor: Pe. Sidinei Teixeira Gomes Coordenador: Vilson Olipa (44) 9958-9797 Colaboradores desta edição: Pe. Luiz Antônio Belini, Amani Spachinski, Maria Joana Titton Calderari, Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, Pe. Ricardo Arica Ferreira

tos que dizem respeito a toda caminhada com a Igreja Diocesana, muito querida e amada por Deus. Finalizo esta saudação com as palavras do Salmista “Que a bondade do Senhor esteja sobre nós” Sl 89,17, e que, em outra passagem, nos fala de Deus dizendo: “Misericórdia e piedade é o Senhor, ele é amor, é paciência, e compaixão, o Senhor é muito bom para todos, sua ternura abraça toda criatura” Sl 144,8. Com estas palavras do Salmista convido a todos os diocesanos e diocesanas a nos apaixonar por este Deus e nos colocar à sua disposição para um renovado e animado compromisso de vivenciar nossa missão de discípulos missionários. Deus nos abençoe e nos guarde!

Editorial Pelo fato de ser um importante evento, a visita ad Limina Apostolorum, publicamos, na íntegra, uma entrevista com o bispo diocesano Dom Francisco Javier Delvalle Paredes, sobre o encontro com o papa Bento XVI. Na próxima edição, enfatizaremos a Campanha da Fraternidade que, este ano, traz como tema Fraternidade e a Vida no Planeta. Nesta edição, o colunista Pe. Luiz Antonio Belini faz uma introdução do assunto. Dando sequência à série que apresenta o resumo da biografia de um padre do livro “Intrépidos Mis-

sionários - Biografias de Presbíteros”, organizado pelo Pe. Jurandir Coronado Aguilar, nesta edição, trazemos um pouco da vida do Monsenhor Aleixo Salusniak. Os assuntos juventude e catequese têm um espaço garantido nesta edição do Servindo, pois são prioridades do 19º Plano de Evangelização da diocese. A terceira, e não menos importante prioridade, é a família, que terá espaço na próxima edição. Comece a sua leitura, agora, pela matéria sobre a ordenação do diácono Clauber Magela Freire Krieck, na próxima página.

Agenda do bispo / Fevereiro 1 a 4 - Curso dos bispos, no Rio de Janeiro 10 - Colação de Grau da UEPR/Fecilcam 7 a 11 - Retiro de Seminaristas e Encontro de Formadores 12 - Posse do bispo de Umuarama 13 - Visita de Dom João Bosco e Encontro da Pastoral Familiar 19 - Confirmação em Rancho Alegre 27 - Confirmação no Lar Paraná, Campo Mourão

Capa

DIA

HORAS

QUEM

05 05

09:00

P. DA CRIANÇA A ORAÇÃO

Capacitação – COPEL Reunião Diocesana

Coord. Ramos e Áreas Coordenadores Paroquiais

Sede da Pastoral da Criança A definir

05

14:00 17:00 08:00 17:00

CDL – CNLB

Reunião Preparatória

Representantes das Paróquias

Sala da Cúria

DIÁCONOS

Escola de Formação

Candidatos ao Diaconato Permanente

Seminário São José

Assembleia Diocesana Retiro Espiritual Reunião da ASSINTEC Núcleo C. Mourão Feminino – Jovem Abertura do Ano de Formação

Coordenadores e Ministérios Seminaristas Comissão do Diálogo Ecumênico e Instituições de Ensino Jovens Convidadas Formadores, Seminaristas e Povo

CDF – Lar Paraná Chácara Rainha da Paz - Maringá A definir

Reunião Diocesana

Coordenadores Paroquiais

Centro Catequético

Capacitação – Guia do Líder

Responsáveis pelas FABs

Sede da Pastoral da Criança

Planejamento e Formação

Coordenadores Paroquiais – Decanato C. Mourão

Santuário

05 e 06 05 e 06 07 a 11 11 11 A 13 12 12 12 12 12 13 13 17 19 19 19 19 19 e 20 20 20 21 a 23 23 25 e 26 25 a 27 26 26 26 27 27 27

19:00 08:30 11:30 09:00 13:00 17:00 14:00 08:00 11:00 08:00 17:00 13:30 17:30 08:30 15:00 13:00 17:00 14:00

08:00 12:00

09:00

13:00 17:00 14:00 08:00 12:00

RCC SEMINARISTAS DIÁLOGO ECUM. E ENS. RELIGIOSO CURSILHO FORMADORES CEBs P. DA CRIANÇA IAM (Infância e Adolesc. Missionária) VICENTINOS IAM (Infância e Adolesc. Missionária)

O QUE

PARA QUEM

ONDE

CDF – Lar Paraná Catedral São José

Reunião Conselho Central

Pres. Obras Unidas e Conselho Central

Centro Catequético

Planejamento e Formação

Coordenadores Paroquiais – Decanato Goioerê

Candeias

P. FAMILIAR

Encontro Diocesano

Coordenadores Paroquiais

Centro Catequético

DIÁLOGO ECUM. E ENS. RELIGIOSO

Reunião de Estudos P/ Ensino Religioso

Comissão do Diálogo Ecumênico e Professores do Ensino Religioso

FECILCAM

CATEQUESE IAM (Infância e Adolesc. Missionária) P. DA CRIANÇA SERRA PJ ANIMAÇÃO MISSIONÁRIA P. DA CRIANÇA CLERO CDAE CEBs CURSILHO CATEQUESE IAM (Infância e Adolesc. Missionária) P. DA CRIANÇA ANIMAÇÃO MISSIONÁRIA P. DA CRIANÇA SERRA

Reunião Diocesana

Equipes de Coordenação Paroquiais

CDF – Lar Paraná

Planejamento e Formação

Coordenadores Paroquiais – Decanato Juranda

Juranda

Assembleia Eletiva - COHAPAR Aniversário de Ordenação Formação Diocesana Retiro/Espiritualidade Bíblica Decanal Encontrão de Líderes – Área 01 Curso para o Clero Reunião Equipe de Assessoria Reunião Regional Masculino – Jovem Reunião Decanal – C. Mourão

Pároco, Setor, Área, Ramos e Líderes Pe. Ricardo Jovens Equipes Missionárias Paroquiais Decanato de Campo Mourão Setor, Área, Ramo e Líderes Bispo, Padres e Diáconos Equipe de Assessoria Coordenadores e Assessores Diocesanos Jovens Convidados Coordenadores/Equipes Paroquiais

Paróquia Sagrada Família Seminário São José

Planejamento e Formação

Coordenadores Paroquiais – Decanato E. Beltrão

Assembleia Eletiva – B. Ferraz Retiro/Espiritualidade Bíblica Decanal Encontrão de Líderes – Área 02 Aniversário Ord. Episcopal

Pároco, Setor, Área, Ramos e Líderes Equipes Missionárias Paroquiais – Decanato de Juranda Setor, Área, Ramo e Líderes Dom Javier

Santuário N. Sra. Aparecida A definir CDF – Lar Paraná Sala da Cúria Maringá CDF – Lar Paraná Santuário N. Sra. Aparecida Eng. Beltrão Paróquia Santa Rita de Cássia Juranda A definir A definir

“Considero uma graça e uma bênção muito especial de Deus, que me fez experimentar este tipo de convivência com todos os bispos do Paraná e num lugar tão especial”. Dom Francisco Javier, falando sobre a visita ad Limina Apostolorum, ao Vaticano

Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Bispo diocesano de Campo Mourão

A paróquia Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão receberá o reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno de Trindade-GO, Pe. Robson de Oliveira, no dia 17 de fevereiro, às 19h30. A missa com o Pe. Robson e o show com a Banda Christi, de Maringá, fazem parte da preparação para o jubileu de ouro da paróquia, que começará em 8 de setembro de 2012. ANIVERSÁRIOS – FEVEREIRO

Padres e diáconos 01 - Pe. Carlos Alberto Rodrigues da Silva 08 - Pe. Jurandir Coronado Aguilar 11 - Pe. Waldomiro Lúcio Tardivo Fo. - scj 13 - Pe. José Maria Mendonça 19 - Pe. Sidnei Teixeira Gomes 21 - Pe. Gessi de Matos 24 - Pe. José Norberto Konrad – scj Religiosas 01 - Irmã Gabriela Belli 01 - Irmã Marcia Cavalcante 06-Irmã Elisângela Ramos de Souza 20 - Madre Rosinei 24 - Irmã Erlaine S. Souza

Balancete Novembro/2010

Editoração Eletrônica: Jonas Rodrigues. - 44 3025-2036 / 9145-1499 / 9915-3400 Tiragem: 11 mil exemplares. Impressão: Grafinorte. Site: www.diocesecampomourao.com.br Permite-se a reprodução total ou parcial do material veiculado no Jornal Servindo, desde que citada a fonte. Assinaturas do Jornal Servindo, procure as paróquias ou informe-se pelo telefone (44) 3529-4103 ou pelo e-mail: jornalservindo@hotmail.com

Paróquia inicia preparação para jubileu

Logo do 19º Plano Diocesano de Ação Evangelizadora, que tem projetos sendo elaborados para estas 3 prioridades: catequese, família e juventude.

MANUTENÇÃO DA CÚRIA E IMÓVEIS:

RESIDÊNCIA EPISCOPAL:

Sanepar .................................................................. 52,92 Copel ...................................................................... 267,14 Telefonia Oi! ........................................................... 1.037,63 Correio ................................................................... 151,85 Locação Sistema Contabilidade/Folha Pagto ........ 327,11 Encargos Sociais: INSS+FGTS+PIS ...................... 9.926,23 Combustível .......................................................... 918,75 Fundo de Reserva ................................................. 21.613,75 Monte Carmelo Op. Viagens .................................. 189,00 Côngruas e Salários ............................................... 21.744,96 Plano de Saúde ...................................................... 2.240,00 Atelier Sacro Benchaya Ltda ................................. 495,66 Manutenção/Conservação de Imóveis .................. 388,80 Capela Santa Paula Elisabete Cerioli ..................... 352,22 Mensalidade do Prever .......................................... 33,00 Vales Transportes ................................................... 744,00 M S Guaiume Segurança Monitorada ..................... 75,00 Ikiágua Ltda ........................................................... 24,00 Tribunal Eclesiástico .............................................. 510,00 Viagem Dom Javier à Curitiba ............................... 999,99 Materiais de Escritório ............................................ 311,95 Théos Informática-Prog. SGCP. ............................ 55,80 Mestrado Pe. Geovani ........................................... 700,00 PUCPR - Campus Maringá (Inscrição Vest. Filosofia) 2.390,00 Materiais de Limpeza .............................................. 78,40 Labore - Medicina do Trabalho ............................... 30,00 Assinatura Jornal Tribuna do Interior ..................... 143,00 Honorários Advocáticios ........................................ 9.000,00 Pagto. Acerto Contadora Marisa parc. 08/15 ......... 5.000,00 Fiorella - Pães e Doces ......................................... 482,42 Viagem do Clero Pontal do Paraná ....................... 2.000,00 Despesas com Cartório ......................................... 375,15 Mark Viagens e Turismo Ltda ................................ 261,00 Pedágios ................................................................ 105,20 SUB TOTAL ............................................................ 83.024,93

Telefonia Oi! .................................................... Copel ............................................................... Sanepar .......................................................... Embrapel Embalagens Ltda ............................ Salários ........................................................... Provedor UOL ................................................. TV a Cabo Campo Mourão Ltda ..................... Alimentação .................................................... Villa Bellagio Paisagismo Ltda ........................ Manutenção/Conservação de Imóveis .......... SUB TOTAL .................................................... Água, Luz e telefone ...................................... Seminário São José - Campo Mourão ............ Centro de Past. Dom Virgílio de Pauli ............. Centro de Past. Dom Eliseu ............................ SUB TOTAL .................................................... ........................................................................ Repasse da Cúria Diocesana ........................ Seminário Propedêutico - C. Mourão ............. Seminário de Teologia - Cambé ...................... Seminário de Filosofia - Maringá .................... SUB TOTAL ....................................................

RESUMO GERAL 334,02 259,55 267,41 29,94 1.445,62 24,00 148,50 90,00 22,50 1.371,12 3.992,66

1.146,33 509,73 184,91 1.840,97

8.000,00 26.482,02 12.555,00 47.037,02

Saldo anterior (31/10/10) ............................... ........................................................................... ENTRADA .......................................................... Contribuição das Paróquias .............................. Contribuição Ref. 13º Salário ............................ Reembolso Almoço do Clero ............................. Reembolso Encargos Sociais ........................... Crisma ................................................................ Venda Eucaliptos (Lenha) ................................. 10% da Venda do Imóvel de Fênix ................... TOTAL: Entradas + saldo anterior ................... ........................................................................... ........................................................................... SAÍDA ................................................................ Manutenção da Cúria e Imóveis ........................ Residência Episcopal ........................................ Centro Pastoral Dom Virgílio de Pauli ................ Centro de Pastoral Dom Eliseu .......................... Seminário São José ........................................... Seminário Propedêutico São José C. Mourão .. Seminário de Teologia Dom Virgílio - Cambé ..... Seminário de Filosofia N. Sra. Guadalupe-Mgá. Consórcio Nacional Volkswagen ...................... Total .................................................................. Saldo em 30/11/10 ...........................................

62.445,20

119.595,00 9.960,25 558,80 2.147,84 14.936,00 6.778,00 1.800,00 218.221,09

83.024,23 3.992,66 509,73 184,91 1.146,33 8.000,00 26.482,02 12.555,00 746,19 136.641,07 57.258,93


16

Página 12

Fevereiro / 2011

Dom Javier fala sobre sua visita ao Vaticano O

bispo diocesano Dom Francisco Javier Delvalle Paredes falou ao Jornal Servindo, sobre a visita ad Limina Apostolorum (visita aos túmulos dos apóstolos), realizada de 4 a 14 de novembro de 2010. Dom Javier fala da emoção de se encontrar com o Papa Bento XVI e relata um pouco da audiência com o Sumo Pontífice. Jornal Servindo: Dom Javier, de maneira geral, como foi a visita ad Limina Apostolorum? Dom Javier: Devo dizer, com muita sinceridade, que foi uma experiência única. Em primeiro lugar considero uma graça e uma bênção muito especial de Deus, que me fez experimentar este tipo de convivência com todos os bispos do Paraná e num lugar tão especial como é o Vaticano, tendo oportunidade de conhecer, mais de perto, aquilo que é realmente, nossa Igreja Católica Apostólica, cuja cabeça visível é o Papa que reside em Roma. JS: Qual foi a mensagem do Papa Bento XVI aos bispos do Regional Sul II? Dom Javier:Na audiência geral, concedida pelo Papa Bento XVI, para todos os bispos do Regional Sul II, ele nos falou da Igreja universal, que frutifica e se concretiza numa

Visita ad Limina Apostolorum

Encontro de Dom Javier com o Papa Bento XVI

Igreja particular. Além disso, falou muito da vida consagrada, que é considerada um dom de Deus e que, através de seu carisma e de seu trabalho, enriquece a Igreja e visualiza o Reino de Deus. JS: Houve algum momento em que o Papa dirigiu-se especificamente à Diocese de Campo Mourão? Dom Javier:Tivemos uma outra ocasião para nos encontrar com o Papa a nível de Província. Nessa ocasião, cada bispo de nossa província teve a oportunidade de apresentar a Diocese. Apresentei a realidade da Diocese de Campo Mourão e o Papa fez uma pergunta para mim, sobre os desafios que há, hoje, no trabalho da evangelização. Em linhas gerais, apresentamos uma Igreja que tem esperança, de modo especial, pelo clero que tem e pelos leigos comprometidos nesta construção do Reino. O Papa agradeceu muito aos padres e leigos de nossa regional.

JS: De maneira resumida, qual foi o relatório feito ao Papa, sobre a nossa Diocese? Dom Javier: Quando eu fui escolhido como administrador diocesano, há três anos, eu recebi um livro com a orientação de elaborar um relatório que seria apresentado durante a visita ad Limina. Este relatório deveria ser entregue um ano antes da visita. Na esperança de que viria um outro bispo, eu engavetei. Quando veio a minha escolha, como bispo, fui apressado pela nunciatura a elaborar este relatório, que contempla 5 anos de caminhada do povo de Deus, na Diocese, de 2003 a 2008. JS: Como se dividiu a audiência papal? Como se dividiu cada uma das partes da visita? Dom Javier: Primeiro, os 24 bispos do estado do Paraná fomos recebidos em uma audiência geral. No dia seguinte, houve a divisão em dois gru-

pos. O nosso grupo, composto por nossa Província, teve a oportunidade de conversar com o Papa e tirar a costumeira fotografia. Nos demais dias, visitamos os túmulos de São Pedro e São Paulo e os seguintes Ministérios ou Secretarias: Signatura Romana, Vida Consagrada, Doutrina da Fé, Conselho Pontifício para Leigos, Conselho Pontifício da Família, Conselho Pontifício dos Migrantes, Congregação para o Clero, Congregação dos Bispos, Congregação do Culto Divino, Meios de Comunicação, Embaixada do Brasil. Participamos de uma Missa e jantar no Pio Brasileiro, que é onde se hospedam os padres do Brasil, em estudo no Vaticano. Cada Ministério tem um bispo representante, nos Regionais. Durante a visita, cada bispo do Regional Sul II apresentou algo sobre a Secretaria que representa. JS: Fale-nos sobre a emoção de participar desta visita. Dom Javier: A emoção, se se pode medir, é sem tamanho. É uma oportunidade única, uma experiência única e são poucos que experimentam. A última vez que os bispos do Paraná estiveram com o Papa foi em 2002. Uma descoberta surpreendente da vida da Igreja, da pessoa do Papa e a convivência fraterna entre bispos do Regional. Também destaco este conhecimento da realidade, de como funciona esta Igreja, para estar presente em todas as partes do mundo e partilhar um pouco, em uma semana, da vida, no Vaticano. Quantos peregrinos! Quantos turistas que passam por ali diariamente, para conhecer esta cidade única do mundo. Tudo isto cria uma emoção muito grande. Eu só posso dizer que, talvez, nem merecia passar por isto. Deus me abençoou e me concedeu isto.

Papa com os bispos do Regional Sul II (Paraná)

Jornal Servindo de fevereiro 2011  

Jornal Servindo de fevereiro 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you